ACORDO DE COLABORAÇÃO ENTRE O MUNICIPIO DE PENACOVA E O AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PENACOVA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ACORDO DE COLABORAÇÃO ENTRE O MUNICIPIO DE PENACOVA E O AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PENACOVA"

Transcrição

1 1

2 Entre: Acordo de colaboração MUNICÍPIO DE PENACOVA, primeiro outorgante, pessoa colectiva n.º , aqui representada pelo Vice-Presidente da Câmara Municipal, Ernesto Fonseca Coelho; AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PENACOVA, segundo outorgante, pessoa colectiva n.º , aqui representada pela sua Diretora, Ana Clara Elvas de Andrade Almeida; Cláusula Primeira (Âmbito de aplicação) O presente acordo é celebrado no âmbito do Despacho nº 8683/2011 de 28 de Junho que republica o Despacho nº14 460/ 2008 (2ª série) de 26 de Maio, e será válido durante o ano letivo 2011/2012, findo o qual será avaliado e negociado. Cláusula Segunda (Número de escolas e turmas envolvidas) 1- Todos os alunos do 1º Ciclo do Ensino Básico do Agrupamento de Escolas de Penacova no total de 441 alunos, serão abrangidos pelo Programa de Generalização do Ensino de Inglês nos 3º e 4º anos e de Outras atividades de Enriquecimento Curricular no 1º Ciclo do Ensino Básico. 2- O número total previsto de turmas a constituir é de 27 (vinte e sete). Cláusula Terceira (Regime de funcionamento das Escolas) No ano letivo de 2011/2012, todas as escolas do 1º ciclo do Agrupamento de Escolas de Penacova neste acordo irão funcionar em regime normal. 2

3 Cláusula Quarta (Turmas nas AEC) 1- Os alunos das escolas básicas do 1º ciclo são agrupados em turmas com o máximo de vinte e cinco alunos. A distribuição varia consoante a população escolar de cada escola. 2- Na atividade de Apoio ao Estudo cada grupo de trabalho será constituído por todos os alunos da turma atribuída ao professor titular. 3- Nas outras Atividades de Enriquecimento Curricular encontra-se previsto a constituição das seguintes turmas: a) A EB1 de Aveleira será constituída por turma única. b) A EB1 do Roxo será constituída por turma única. c) A EB1 de S. Mamede será constituída por turma única. d) A EB1 de Penacova será constituída previsivelmente por 10 turmas, de acordo com as turmas inicialmente formadas. e) A EB1 de Figueira de Lorvão será constituída, previsivelmente por 6 turmas, de acordo com as turmas inicialmente formadas. f) A EB1 de Lorvão será constituída por 2 turmas. g) A EB1 do Seixo será constituída por 1 turma h) A EBI de S. Pedro de Alva será constituída previsivelmente, por 4 turmas no 1º ciclo, de acordo com as turmas inicialmente formadas. Cláusula Quinta (Atividades de Enriquecimento Curricular) 1- As atividades de enriquecimento Curricular (AEC) contemplam, atividades de oferta obrigatória, Apoio ao Estudo e Ensino de Inglês e de oferta facultativa, que inclui o Ensino de Música, Actividade Física e Desportiva, Oficina da Ciência e Atividades Lúdico-Expressivas Ensino de Inglês- O primeiro outorgante responsabiliza-se pela dinamização da atividade, de acordo com as Orientações Programáticas para o Ensino do Inglês no 1º CEB, da Direção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular do Ministério da Educação, e serão abrangidos todos os alunos do 1º CEB Ensino de Música - O primeiro outorgante responsabiliza-se pela dinamização da atividade, de acordo com as Orientações Programáticas para o Ensino de Música no 1º CEB, da Direção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular do Ministério da Educação e serão abrangidos todos os alunos do 1º CEB. 3

4 1.3. Atividade Física e Desportiva - O primeiro outorgante responsabiliza-se pela dinamização da atividade, de acordo com as Orientações Programáticas para a Atividade Física e Desportiva no 1º CEB, da Direção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular do Ministério da Educação, e serão abrangidos todos os alunos do 1º CEB Oficina de Ciência - O primeiro outorgante responsabiliza-se pela dinamização da atividade, que tem como objectivo a sensibilização dos alunos para a importância da Ciência através da experimentação, e aumentar a sua literacia científica, serão abrangidos todos os alunos do 1ºCEB, com a exceção dos alunos da EBI de S. Pedro de Alva Atividade Lúdico-Expressivas - O primeiro outorgante responsabiliza-se pela dinamização da atividade, com o objectivo de desenvolver a imaginação/criatividade e explorar diferentes técnicas de expressão (musical, dramática, plástica e corporal) e serão abrangidos todos os alunos do 1ºCEB. Cláusula Sexta (Atividade de Apoio ao Estudo) O Agrupamento de Escolas de Penacova compromete-se a dinamizar a atividade de Apoio ao Estudo com uma duração semanal não inferior a 90 minutos, conforme o ponto 11 do Despacho nº 8683/2011 (2ª série) de 28 de Junho que republica o Despacho nº14 460/ 2008 (2ª série) de 26 de Maio. Cláusula Sétima (Horário semanal) 1. As atividades de enriquecimento curricular desenvolvem-se preferencialmente entre as horas e as horas. Haverá a flexibilização, uma vez por semana, no que concerne ao Ensino de Inglês, ao Ensino da Música e Oficina da Ciência, antes da atividade curricular da tarde, de acordo com o ponto 23 do Despacho nº 8683/2011 (2ª série) de 28 de Junho que republica o Despacho nº14 460/ 2008 (2ª série) de 26 de Maio. 2. A duração semanal das atividades de Ensino de Inglês é fixada em noventa minutos para todos os anos de escolaridade, tal facto deve-se à grande dispersão geográfica das escolas do 1º Ciclo do Ensino Básico deste concelho considerando-se, assim, uma situação de exceção prevista no ponto 3 do artigo 11 do Anexo do Despacho nº 8683/2011 (2ª série) de 28 de Junho que republica o Despacho nº14 460/ 2008 (2ª série) de 26 de Maio. 4

5 3. A duração semanal de Atividade Física e Desportiva será de noventa minutos para todos os anos de escolaridade, tal como previsto no ponto 1 do Artigo 14º do Anexo ao Despacho nº 8683/2011 (2ª série) de 28 de Junho que republica o Despacho nº14 460/ 2008 (2ª série) de 26 de Maio. 4. A duração semanal das atividades do Ensino da Música será de noventa minutos, tal como previsto no ponto 1 do Artigo 18º do Anexo ao Despacho nº 8683/2011 (2ª série) de 28 de Junho que republica o Despacho nº14 460/ 2008 (2ª série) de 26 de Maio. 5. A duração semanal da Atividade lúdica-expressiva será fixada entre o mínimo de 45 minutos e 135 minutos no máximo; a carga horária máxima será facultada na impossibilidade do recrutamento de técnicos para o Ensino de Música e em sua substituição será oferecido Expressão Musical. 6. A duração semanal da atividade de Oficina da Ciência será de 45 minutos, tal como previsto no artigo 21º do Anexo ao Despacho nº 8683/2011 (2ª série) de 28 de Junho que republica o Despacho nº14 460/ 2008 (2ª série) de 26 de Maio. Cláusula Oitava (Local de funcionamento e transportes) 1- Todas as atividades serão realizadas na respetiva escola, com a exceção prevista no nº2 desta cláusula. 2- Decorrerão nas Piscinas Municipais de Penacova, quarenta e cinco minutos semanais de atividade física e desportiva, para desenvolvimento da componente de formação Natação. 3- O Município de Penacova é responsável por transportar os alunos para a Piscina Municipal de Penacova. 4- O Município de Penacova responsabiliza-se pelo transporte escolar dos alunos do 1º CEB do concelho, no final das Atividades de Enriquecimento Curricular, de acordo com a lei em vigor e contemplando o plano de transportes escolares. Cláusula Nona (Necessidades, modalidades de recrutamento e verificação de habilitações de professores) 1- Para a concretização do referido Programa, serão necessários 24 professores cuja contratação é da responsabilidade do Município de Penacova. 2- Caso o Agrupamento de Escolas de Penacova disponibilize os recursos humanos para a realização de uma ou mais atividades de enriquecimento curricular, tem 5

6 direito a receber, por parte do Município de Penacova, o montante correspondente à disponibilização dos referidos recursos humanos de acordo com o ponto 7 do artigo 3º do Anexo ao Despacho nº 8683/2011 (2ª série) de 28 de Junho que republica o Despacho nº14 460/ 2008 (2ª série) de 26 de Maio e de acordo com as orientações da Direção Regional de Educação do Centro. 3- A verificação das habilitações/perfis dos referidos professores é da coresponsabilidade do Município de Penacova e dos Agrupamentos de Escola. Cláusula Décima (Material / Equipamento) 1-A Entidade Promotora das Atividades de Enriquecimento Curricular é responsável pela aquisição/ apetrechamento de materiais/ equipamentos necessários à realização das atividades de Ensino de Inglês, Ensino de Música, Actividade Física e Desportiva, Atividade lúdico-expressiva e Oficina da Ciência. Cláusula Décima Primeira (Acompanhamento nos recreios) O Município de Penacova e o Agrupamento de Escolas são co-responsáveis por assegurar o acompanhamento dos alunos nos períodos de intervalos das AEC. Cláusula Décima Segunda (Supervisão). 1- O Agrupamento de Escolas de Penacova compromete-se a zelar pela supervisão pedagógica e acompanhamento da execução das atividades de enriquecimento curricular no 1º ciclo do Ensino Básico de acordo com o disposto nos pontos 31, 31.1 e 32 do Despacho nº 8683/2011 (2ª série) de 28 de Junho que republica o Despacho nº14 460/ 2008 (2ª série) de 26 de Maio 2- Os professores titulares de turma, no âmbito da sua componente não letiva, assumem a responsabilidade de supervisionar a execução das atividades de enriquecimento curricular nas escolas. 3- Esta supervisão pedagógica é exercida diretamente pelo professor titular de turma, pelos respetivos coordenadores dos departamentos curriculares e pelo órgão de direção e gestão pedagógica. 6

7 4- O Município de Penacova designará um professor Coordenador das Atividades de Enriquecimento Curricular que reunirá pelo menos uma vez por mês com representante do Agrupamento. 5- O Agrupamento deverá designar um professor de cada um dos departamentos, de Língua Estrangeira, Educação Física, Educação Artística e Tecnológica e de Ciências Naturais e Exactas para interlocutor de cada área respetiva, nas atividades de enriquecimento curricular. 6- No início de cada período, a Autarquia e o Órgão de Gestão do Agrupamento promovem uma reunião conjunta com os professores das AEC de cada turma e os professores titulares de turma. 7- A planificação de cada atividade deve ser entregue no início do ano letivo pelo professor titular de turma aos encarregados de educação dos alunos. 8- O processo ensino-aprendizagem é objecto de informação trimestral, em folha de registo própria, e comunicado aos professores titulares de turma, que farão chegar a informação aos Encarregados de Educação. Cláusula Décima Terceira (Frequência das Atividades) 1-As atividades de enriquecimento curricular são de frequência gratuita e não se podem sobrepor à atividade curricular diária de acordo com o ponto 22 do Despacho nº 8683/2011 (2ª série) de 28 de Junho que republica o Despacho nº14 460/ 2008 (2ª série) de 26 de Maio. 2- A frequência das atividades de enriquecimento curricular é facultativa, dependendo da inscrição por parte dos encarregados de educação dos seus educandos. Os alunos uma vez inscritos são sujeitos a registo de frequência em livro destinado ao efeito. 3-As implicações das faltas às atividades de enriquecimento curricular estão sujeitas a regulamento interno definido ou a definir pelo Agrupamento, de acordo com o ponto 35 do Despacho nº 8683/2011 (2ª série) de 28 de Junho que republica o Despacho nº14 460/ 2008 (2ª série) de 26 de Maio. Cláusula Décima Quarta (Avaliação) 1 O Município e o Agrupamento de Escolas de Penacova comprometem-se a realizar reuniões de avaliação do programa a meio e no final de cada um dos períodos letivos. 7

8 2 O Município e o Agrupamento de Escolas de Penacova comprometem-se a desenvolver e a aplicar instrumentos de avaliação ao programa com vista à sua melhoria. Cláusula Décima Quinta (Apoio Financeiro) Será concedido pelo Ministério da Educação um montante por aluno e por atividade e que será objecto contrato programa a celebrar entre aquele Ministério e o Município de Penacova. Cláusula Décima Sexta (Disposições finais e transitórias) Qualquer ajuste a este Plano de Atividades de Enriquecimento Curricular deverá ser objecto de análise conjunta entre a Autarquia e o Agrupamento de Escolas de Penacova. E nada mais havendo a convencionar, vai o presente protocolo ser assinado por todas as partes, cujos intervenientes, depois de o lerem, acharam conforme. Paços do Município de Penacova, 19 de Julho de 2011 O MUNICÍPIO DE PENACOVA, (Ernesto Fonseca Coelho) O AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PENACOVA, (Ana Clara Elvas de Andrade Almeida) 8

CONTRATO PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PARA O ENSINO DO INGLÊS NAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR NO 1 CEB ANO LETIVO

CONTRATO PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PARA O ENSINO DO INGLÊS NAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR NO 1 CEB ANO LETIVO CONTRATO PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PARA O ENSINO DO INGLÊS NAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR NO 1 CEB ANO LETIVO 2012-2013 Agrupamento de Escolas de Aveiro, pessoa coletiva de direito público,

Leia mais

Perguntas e Respostas Frequentes

Perguntas e Respostas Frequentes Perguntas e Respostas Frequentes (Portaria n.º 644-A/2015, de 24 de agosto) Ano letivo 2015/2016 Relativas a AEC: P1: Nos casos em que os agrupamentos/escolas não agrupadas sejam as entidades promotoras

Leia mais

REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR NO 1º CICLO (AEC) (Anexo do Regulamento Interno)

REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR NO 1º CICLO (AEC) (Anexo do Regulamento Interno) REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR NO 1º CICLO (AEC) (Anexo do Regulamento Interno) Novembro/2015 Capítulo I Introdução Considerando a importância do desenvolvimento

Leia mais

Agrupamento de Escolas Amadeo de Souza-Cardoso. Referencial para organização das Atividades de Enriquecimento Curricular

Agrupamento de Escolas Amadeo de Souza-Cardoso. Referencial para organização das Atividades de Enriquecimento Curricular Agrupamento de Escolas Amadeo de Souza-Cardoso Referencial para organização das Atividades de Enriquecimento Curricular 2015 / 2016 1 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AMADEO DE SOUZA-CARDOSO ENSINO DO INGLÊS AAA

Leia mais

Acordo de Colaboração

Acordo de Colaboração Acordo de Colaboração Extensão de horário das actividades de animação e de apoio à família na educação Pré-escolar nos Jardins do Agrupamento de Escolas de Samora Correia Considerando que: A Educação Pré-escolar,

Leia mais

Actividades de Enriquecimento Curricular Regimento

Actividades de Enriquecimento Curricular Regimento Actividades de Enriquecimento Curricular Regimento 2010-2011 REGIMENTO DAS ACTIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR Considerando a importância do desenvolvimento de Actividades de Enriquecimento Curricular

Leia mais

ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR

ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR O Município tem assumido anualmente a responsabilidade de proporcionar as atividades de enriquecimento curricular (AEC) aos alunos do 1º CEB, sendo a entidade promotora deste programa no concelho. Para

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS BELÉM RESTELO. Regimento / Regulamento das Atividades de Enriquecimento Curricular

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS BELÉM RESTELO. Regimento / Regulamento das Atividades de Enriquecimento Curricular AGRUPAMENTO DE ESCOLAS BELÉM RESTELO Regimento / Regulamento das Atividades de Enriquecimento Curricular 1º CICLO 2011 2012 ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR 1º Ciclo Ano Letivo 2011 / 2012 Regimento

Leia mais

PLANEAMENTO DAS AEC 2013/14

PLANEAMENTO DAS AEC 2013/14 PLANEAMENTO DAS AEC 2013/14 ENTIDADE PROMOTORA Município de Ponte de Sor NIPC: 506806456 Coordenação e Monitorização por parte da equipa de Coordenação dos Projetos Socioeducativos ENTIDADES PARCEIRAS

Leia mais

Questionário às Atividades de Enriquecimento Curricular. Ano letivo 2015/2016

Questionário às Atividades de Enriquecimento Curricular. Ano letivo 2015/2016 Questionário às Atividades de Enriquecimento Curricular Ano letivo 2015/2016 Nota Introdutória O questionário eletrónico Atividades de Enriquecimento Curricular 2015/2016 foi remetido às escolas públicas

Leia mais

Agrupamento de Escolas Verde Horizonte Regulamento Interno (Anexo 5)

Agrupamento de Escolas Verde Horizonte Regulamento Interno (Anexo 5) Agrupamento de Escolas Verde Horizonte Regulamento Interno (Anexo 5) 2016-2017 Anexo 5 (Regulamento AEC(s)) Considerando a importância do desenvolvimento de atividades de enriquecimento curricular no 1º

Leia mais

A G R U P A M E N T O D E E S C O L A S S A N T O S S I M Õ E S

A G R U P A M E N T O D E E S C O L A S S A N T O S S I M Õ E S AGRUPAMENTO DE ESCOLAS SANTOS SIMÕES ANEXO 2 ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR (AEC) Artigo 1.º Âmbito O presente anexo ao Regulamento Interno aplica-se a todos os estabelecimentos de ensino do 1.º

Leia mais

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO NO ÂMBITO DA COMPONENTE DE APOIO À FAMILIA NA ESCOLA BÁSICA DO 1º CICLO N.º 1, AREIAS, SETÚBAL Considerando que: a) O Despacho n.º 14 460/2008, da Ministra da Educação, de 15 de

Leia mais

PROTOCOLO. Colaboração entre o Município de Setúbal e Núcleo de Bicross de Setúbal

PROTOCOLO. Colaboração entre o Município de Setúbal e Núcleo de Bicross de Setúbal PROTOCOLO Colaboração entre o Município de Setúbal e Núcleo de Bicross de Setúbal Entre A Câmara Municipal de Setúbal, adiante designada por CMS, na qualidade de 1.º Outorgante, representada pela Presidente,

Leia mais

Câmara Municipal das Caldas da Rainha REGULAMENTO AEC 2011/201

Câmara Municipal das Caldas da Rainha REGULAMENTO AEC 2011/201 Câmara Municipal das Caldas da Rainha REGULAMENTO AEC 2011/201 /2012 Considerando a importância do desenvolvimento de atividades de enriquecimento curricular no 1º ciclo do ensino básico para o desenvolvimento

Leia mais

Protocolo Anual. Componente de Apoio à Família (CAF) 1º Ciclo

Protocolo Anual. Componente de Apoio à Família (CAF) 1º Ciclo Câmara Municipal de Alpiarça Agrupamento de Escolas José Relvas de Alpiarça Protocolo Anual Componente de Apoio à Família (CAF) 1º Ciclo Ano Letivo 2014/2015 Estabelecimentos de Ensino: EB1/JI de Alpiarça

Leia mais

DGEstE Direção de Serviços da Região Centro. Agrupamento de Escolas de Vouzela e Campia. Regulamento das Atividades de Enriquecimento Curricular

DGEstE Direção de Serviços da Região Centro. Agrupamento de Escolas de Vouzela e Campia. Regulamento das Atividades de Enriquecimento Curricular DGEstE Direção de Serviços da Região Centro Regulamento das Atividades de Enriquecimento Curricular 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO Ano Letivo 2015/2016 Página2 Introdução Considerando: 1. A importância das

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES EXTRACURRICULARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES EXTRACURRICULARES Externato Marista de Lisboa REGULAMENTO DAS ATIVIDADES EXTRACURRICULARES APROVADO PELA DIRECÇÃO APÓS PARECER DO CONSELHO DE COORDENADORES 9 SETEMBRO DE 2017 Preâmbulo As atividades extracurriculares e

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DAS ACTIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR - 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO -

REGULAMENTO INTERNO DAS ACTIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR - 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO - REGULAMENTO INTERNO DAS ACTIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR - 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO - Despacho nº8683/2011 de 28Junho (altera e republica o despacho nº14460/2008 de 26 de Maio) CAPÍTULO I - Âmbito

Leia mais

ANO LETIVO

ANO LETIVO ANO LETIVO 2011-2012 1.º PERÍODO DATA HORA ATIVIDADES Realização de exames de alunos autopropostos de 9.º 1 a 30 de Setembro A designar ano (02 a 06/09) Realização dos exames de módulos para conclusão

Leia mais

Comissão Coordenadora das AEC. DGEstE Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares

Comissão Coordenadora das AEC. DGEstE Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares Comissão Coordenadora das AEC DGEstE Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares Índice Índice... 3 Índice de tabelas... 3 Apresentação... 4 Dados Estatísticos... 5 Oferta e Procura... 5 Recursos Humanos

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR. 1º Ciclo do Ensino Básico

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR. 1º Ciclo do Ensino Básico REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR 1º Ciclo do Ensino Básico Considerando a importância do desenvolvimento de Atividades de Enriquecimento Curricular no 1º ciclo do ensino básico para

Leia mais

ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR

ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR Relatório de Avaliação Agrupamento de Escolas Poeta Joaquim Serra 2013/2014 1. INTRODUÇÃO Com o objetivo de implementar o Programa de Atividades de Enriquecimento

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Muralhas do Minho, Valença PLANO ESTRATÉGICO PARA O ANO LETIVO

Agrupamento de Escolas de Muralhas do Minho, Valença PLANO ESTRATÉGICO PARA O ANO LETIVO Agrupamento de Escolas de Muralhas do Minho, Valença PLANO ESTRATÉGICO PARA O ANO LETIVO 2014-2015 1. Enquadramento. O Plano Estratégico apresentado para o ano letivo 2014-2015 e elaborado nos termos do

Leia mais

Despacho. Assim, nos termos do n.º 1 do artigo 18º do Despacho n.º 5328/2011, de 28 de Março, determino o seguinte:

Despacho. Assim, nos termos do n.º 1 do artigo 18º do Despacho n.º 5328/2011, de 28 de Março, determino o seguinte: Despacho O Despacho n.º 5328/2011, de 28 Março, estabeleceu as regras e os princípios orientadores a observar na organização das escolas e na elaboração do horário semanal de trabalho do pessoal docente

Leia mais

ANO LETIVO 2016/2017

ANO LETIVO 2016/2017 ANO LETIVO 2016/2017 AAAF Acolhimento AEC CAF Pré-escolar AAAF normal > 15h30-19h30 Modelo tradicional Gratuito AAAF atividades > 15h30-19h30 Atividades inseridas no período da AAAF Comparticipadas pelas

Leia mais

Agrupamento Vertical de Escolas de Leça da Palmeira/ Santa Cruz do Bispo AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS 2012 PLANO DE MELHORIA

Agrupamento Vertical de Escolas de Leça da Palmeira/ Santa Cruz do Bispo AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS 2012 PLANO DE MELHORIA Agrupamento Vertical de Escolas de Leça da Palmeira/ Santa Cruz do Bispo AVALIAÇÃO EXTERNA DAS ESCOLAS 2012 PLANO DE MELHORIA Leça da Palmeira, Julho 2012 0 INDICE Introdução. Relatório da avaliação externa..

Leia mais

Artigo 1º Âmbito. Artigo 2º Inscrições

Artigo 1º Âmbito. Artigo 2º Inscrições Preâmbulo O Programa de Generalização do Fornecimento de Refeições Escolares aos Alunos do 1º CEB e a Componente de Apoio à Família (CAF) procuram dar hoje uma resposta direta às necessidades das famílias

Leia mais

Plano de Ações de Melhoria

Plano de Ações de Melhoria Plano de Ações de Escola Básica Elias Garcia Escola Básica Miquelina Pombo J. I. da Sobreda 2014/2015 1 INTRODUÇÃO O presente plano de ações de melhoria 2014/15 - resulta da avaliação do plano de ações

Leia mais

Educação Gabinetes da Secretária de Estado Adjunta e da Educação e do Secretário de Estado da Educação Despacho O presente calendário procura

Educação Gabinetes da Secretária de Estado Adjunta e da Educação e do Secretário de Estado da Educação Despacho O presente calendário procura Educação Gabinetes da Secretária de Estado Adjunta e da Educação e do Secretário de Estado da Educação Despacho O presente calendário procura conjugar o desenvolvimento de atividades educativas e letivas,

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE ELABORAÇÃO DOS HORÁRIOS DOS ALUNOS PARA O ANO LETIVO 2015/2016

CRITÉRIOS GERAIS DE ELABORAÇÃO DOS HORÁRIOS DOS ALUNOS PARA O ANO LETIVO 2015/2016 CRITÉRIOS GERAIS DE ELABORAÇÃO DOS HORÁRIOS DOS ALUNOS PARA O ANO LETIVO 2015/2016 --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Plano de Acção do Departamento do 1.º Ciclo 2010 / 2011

Plano de Acção do Departamento do 1.º Ciclo 2010 / 2011 Plano Agrupamento Plano de Acção do Departamento do 1.º Ciclo 2010 / 2011 Prioridades Objectivos Estratégias ACÇÕES METAS AVALIAÇÃO P.1. Obj. 1 E.1 Ao 3.º dia de ausência do aluno, efectuar contacto telefónico,

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DO PROGRAMA DE NATAÇÃO DO 1.º CICLO DO ENSINO BÁSICO

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DO PROGRAMA DE NATAÇÃO DO 1.º CICLO DO ENSINO BÁSICO REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DO PROGRAMA DE NATAÇÃO DO 1.º CICLO DO ENSINO BÁSICO Deliberado pela Câmara Municipal de Sintra em 25 de janeiro de 2012 Aprovado pela Assembleia Municipal de Sintra em 26

Leia mais

ANO LETIVO 2013/2014 CALENDARIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE INÍCIO DO ANO LETIVO

ANO LETIVO 2013/2014 CALENDARIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE INÍCIO DO ANO LETIVO 3-set. (3ª feira) Agrupamento de Escolas Cidade do Entroncamento - 170586 ANO LETIVO 2013/2014 CALENDARIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE INÍCIO DO ANO LETIVO Dia Hora Atividades Local/Sala Observações Lançamento

Leia mais

NOTA INFORMATIVA N.º 4/2016. Atividades de Enriquecimento Curricular (AEC) 2016/2017 Portaria n.º 644-A/2015, de 24 de agosto

NOTA INFORMATIVA N.º 4/2016. Atividades de Enriquecimento Curricular (AEC) 2016/2017 Portaria n.º 644-A/2015, de 24 de agosto NOTA INFORMATIVA N.º 4/2016 Atividades de Enriquecimento Curricular (AEC) 2016/2017 Portaria n.º 644-A/2015, de 24 de agosto Calendarização Até 24 de agosto de 2016 Ponto Prévio Não há lugar à apresentação

Leia mais

PROTOCOLO DE ESTÁGIO DE VERÃO

PROTOCOLO DE ESTÁGIO DE VERÃO PROTOCOLO DE ESTÁGIO DE VERÃO Entre: *** com sede na..., pessoa colectiva nº..., matriculada na Conservatória do Registo Comercial de... sob o nº..., com o capital social de Euros..., de ora em diante

Leia mais

ANO LETIVO 2016/2017. CALENDARIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE INÍCIO DO ANO LETIVO Dia Hora Atividades Local/Sala Observações

ANO LETIVO 2016/2017. CALENDARIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE INÍCIO DO ANO LETIVO Dia Hora Atividades Local/Sala Observações AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CIDADE DO ENTRONCAMENTO 170586 ANO LETIVO 2016/2017 CALENDARIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE INÍCIO DO ANO LETIVO Dia Hora Atividades Local/Sala Observações 29- Agosto 15.00 1 e 2-Set. Todo

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MOURÃO - Ano Letivo 2015/ 2016 PLANO PLURIANUAL DE ATIVIDADES ( ) Eixo I - APOIO À MELHORIA DAS APRENDIZAGENS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MOURÃO - Ano Letivo 2015/ 2016 PLANO PLURIANUAL DE ATIVIDADES ( ) Eixo I - APOIO À MELHORIA DAS APRENDIZAGENS PLANO PLURIANUAL DE ATIVIDADES (2015-2017) Eixo I - APOIO À MELHORIA DAS APRENDIZAGENS Designação da Ativida Calendarização Dinamizadores Público Alvo Oficina Gramática e leitura Oficina da escrita Plano

Leia mais

AEC - ACTIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR

AEC - ACTIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR «Instrumento de notação do Sistema Estatístico Nacional (Lei 6/89, de 15 de Abril) de RESPOSTA OBRIGATÓRIA, registado no INE sob o n.º 9761, válido até 31/08/2007» AEC - ACTIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR

Leia mais

PROPOSTA DE DELIBERAÇÃO DO CONSELHO PEDAGÓGICO APRESENTADA AO CONSELHO GERAL DO AGRUPAMENTO

PROPOSTA DE DELIBERAÇÃO DO CONSELHO PEDAGÓGICO APRESENTADA AO CONSELHO GERAL DO AGRUPAMENTO Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares Direção de Serviços Região Alentejo Agrupamento de Escolas de Alcácer do Sal PROPOSTA DE DELIBERAÇÃO DO CONSELHO PEDAGÓGICO APRESENTADA AO CONSELHO GERAL DO

Leia mais

Artigo 1º Composição

Artigo 1º Composição REGIMENTO INTERNO Artigo 1º Composição 1. O Departamento Curricular do Pré-Escolar é constituído pelos Docentes dos Jardins de Infância de A-dos- Negros, Gracieira, Gaeiras, A-da-Gorda, Óbidos, Usseira,

Leia mais

Uma Escola de Cidadania Uma Escola de Qualidade RIA - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES

Uma Escola de Cidadania Uma Escola de Qualidade RIA - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES REGULAMENTO INTERNO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES JANEIRO 2014 Índice Capítulo I... 1 Disposições Gerais... 1 Introdução... 1 Artigo 1.º --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

CAPÍTULO 3 ORGANIZAÇÃO PEDAGÓGICA SECÇÃO I ESTRUTURAS DE COORDENAÇÃO EDUCATIVA E SUPERVISÃO PEDAGÓGICA. Artigo 32.º

CAPÍTULO 3 ORGANIZAÇÃO PEDAGÓGICA SECÇÃO I ESTRUTURAS DE COORDENAÇÃO EDUCATIVA E SUPERVISÃO PEDAGÓGICA. Artigo 32.º CAPÍTULO 3 ORGANIZAÇÃO PEDAGÓGICA SECÇÃO I ESTRUTURAS DE COORDENAÇÃO EDUCATIVA E SUPERVISÃO PEDAGÓGICA Artigo 31.º Definição 1. São estruturas de coordenação educativa e supervisão pedagógica as estruturas,

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CIDADE DO ENTRONCAMENTO REGIMENTO 2013/2017 DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CIDADE DO ENTRONCAMENTO REGIMENTO 2013/2017 DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CIDADE DO ENTRONCAMENTO 170586 REGIMENTO 2013/2017 DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS REGIMENTO INTERNO Departamento de Ciências Sociais e Humanas SECÇÃO I CONSTITUIÇÃO E

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS VALE DO TAMEL. Plano de Atividades Educativas de Complemento Curricular AECC

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS VALE DO TAMEL. Plano de Atividades Educativas de Complemento Curricular AECC PAA 2016/2017: ANEXO III AGRUPAMENTO DE ESCOLAS VALE DO TAMEL Plano de Atividades Educativas de Complemento Curricular AECC Despacho Normativo nº 10-A/2015, de 19 de junho, artigo 7º alínea b) e artigo

Leia mais

----- ACTA DA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DESTA CÂMARA MUNICIPAL DE 16 DE AGOSTO DO ANO DE

----- ACTA DA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DESTA CÂMARA MUNICIPAL DE 16 DE AGOSTO DO ANO DE ACTA Nº 18/2010 ----- ACTA DA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DESTA CÂMARA MUNICIPAL DE 16 DE AGOSTO DO ANO DE 2010.------------------------------------------------------- ----- Aos 16 dias do mês de Agosto do

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DA RAMADA CRITÉRIOS GERAIS PARA A DISTRIBUIÇÃO DE SERVIÇO E ELABORAÇÃO DE HORÁRIOS

ESCOLA SECUNDÁRIA DA RAMADA CRITÉRIOS GERAIS PARA A DISTRIBUIÇÃO DE SERVIÇO E ELABORAÇÃO DE HORÁRIOS ESCOLA SECUNDÁRIA DA RAMADA CRITÉRIOS GERAIS PARA A DISTRIBUIÇÃO DE SERVIÇO E ELABORAÇÃO DE HORÁRIOS ANO LETIVO 2016/2017 A distribuição do serviço docente da Escola Secundária da Ramada (doravante designada

Leia mais

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO. Entre. a Direção-Geral da Educação Ministério da Educação e Ciência

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO. Entre. a Direção-Geral da Educação Ministério da Educação e Ciência PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO Entre a Direção-Geral da Educação Ministério da Educação e Ciência e o Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, I.P. Ministério dos Negócios Estrangeiros para promover a consolidação

Leia mais

Nota Justificativa. Considerando que:

Nota Justificativa. Considerando que: Projeto de Regulamento Municipal para Funcionamento do Programa de Atividades de Animação e de Apoio à Família Acordo de Colaboração para a Educação Pré-Escolar Considerando que: Nota Justificativa - A

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOSÉ AFONSO. Lançamento do ano letivo 2016/2017

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOSÉ AFONSO. Lançamento do ano letivo 2016/2017 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOSÉ AFONSO Lançamento do ano letivo 2016/2017 O Agrupamento. Unidades educativas EB de Alhos Vedros nº1 192 alunos EB de Alhos Vedros nº2 194alunos EB de Alhos Vedros 225 alunos

Leia mais

Agrupamento de Escolas de São Gonçalo

Agrupamento de Escolas de São Gonçalo Taxa média de retenção no 2.º ano de escolaridade de 12% no ano letivo 2014/2015 e de 11,6% no ano letivo 2015/2016. 1.º e 2.º anos. 3. Designação da Apoio educativo coadjuvante nas turmas de 1.º e 2.º

Leia mais

APRENDIZAGEM, EDUCAÇÃO e CIDADANIA Um Caminho de Sucesso

APRENDIZAGEM, EDUCAÇÃO e CIDADANIA Um Caminho de Sucesso Plano Plurianual de Melhoria APRENDIZAGEM, EDUCAÇÃO e CIDADANIA Um Caminho de Sucesso 1 18 de setembro de 2015 26 de abril de 2013 Organização do Agrupamento de Escolas da Caparica - AEC Secundária do

Leia mais

Capítulo I. Definição, Objecto e Objectivos da RBAL. Cláusula 1.ª. Definição. Cláusula 2.ª. Objecto. Cláusula 3.ª. Objectivos

Capítulo I. Definição, Objecto e Objectivos da RBAL. Cláusula 1.ª. Definição. Cláusula 2.ª. Objecto. Cláusula 3.ª. Objectivos PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO Preâmbulo A Rede de Bibliotecas de Alcochete, adiante designada RBAL, visa a prossecução de uma dinâmica de trabalho colaborativo quer ao nível da organização, gestão e disponibilização

Leia mais

Projecto de Regulamento. Oficina de Teatro Eç'agorA

Projecto de Regulamento. Oficina de Teatro Eç'agorA Projecto de Regulamento Oficina de Teatro Eç'agorA Preâmbulo O teatro, para além da sua vertente lúdica, é um excelente mecanismo para estimular o nosso autoconhecimento, o interrelacionamento e a capacidade

Leia mais

Critérios de avaliação. Matriz Curricular Ensino Básico - 1.º ciclo (*)

Critérios de avaliação. Matriz Curricular Ensino Básico - 1.º ciclo (*) Matriz Curricular Ensino Básico - 1.º ciclo (*) Componentes do currículo Áreas disciplinares de frequência obrigatória: Português Matemática Estudo do Meio Expressões: Artísticas e Físico-Motoras. Apoio

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MOGADOURO REGIMENTO INTERNO DO DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MOGADOURO REGIMENTO INTERNO DO DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MOGADOURO REGIMENTO INTERNO DO DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS Quadriénio 2009-2013 Segundo o artigo 68º do Regulamento Interno, aprovado em 4 de Janeiro de 2011, para o quadriénio 2009/2013,

Leia mais

f931b761df3c49db984136ffea35aa3e

f931b761df3c49db984136ffea35aa3e DL 433/2014 2014.10.16 De acordo com as prioridades estabelecidas no programa do XIX Governo Constitucional, o Ministério da Educação e Ciência tem vindo a introduzir alterações graduais no currículo nacional

Leia mais

Avaliação de Desempenho. Orientações aos relatores

Avaliação de Desempenho. Orientações aos relatores Avaliação de Desempenho Orientações aos relatores 1. Referenciais de avaliação 1.1. Legislação 1. Referenciais de avaliação 1.2. Referentes internos: a. Projeto Educativo do Agrupamento, b. Projeto Curricular

Leia mais

EXTERNATO JOÃO ALBERTO FARIA Ano Letivo 2014/15

EXTERNATO JOÃO ALBERTO FARIA Ano Letivo 2014/15 EXTERNATO JOÃO ALBERTO FARIA Ano Letivo 2014/15 AVALIAÇÃO 5º ANO 1 Ordem de Trabalhos Ponto um Boas- vindas/apresentação dos intervenientes Ponto dois Desenho curricular e sistema de avaliação no Ensino

Leia mais

Protocolo de Cooperação Rede de Bibliotecas Escolares e Municipais do Conselho de Almeida

Protocolo de Cooperação Rede de Bibliotecas Escolares e Municipais do Conselho de Almeida Página1 Protocolo de Cooperação 2010 Rede de Bibliotecas Escolares e Municipais do Conselho de Almeida Página2 A Rede de Bibliotecas de Almeida, adiante designada RBA, foi criada por protocolo assinado

Leia mais

Regulamento de Cooperação CAPÍTULO I. Da Natureza, Objecto e Objectivos da RBA. Artigo 1º. Natureza. Artigo 2º. Objecto. Artigo 3º.

Regulamento de Cooperação CAPÍTULO I. Da Natureza, Objecto e Objectivos da RBA. Artigo 1º. Natureza. Artigo 2º. Objecto. Artigo 3º. Regulamento de Cooperação A rede de Bibliotecas de Arraiolos adiante designada RBA, foi criada pelo acordo de cooperação número oitenta e cinco de dois mil e onze e pelo protocolo assinado entre a Câmara

Leia mais

Reunião - Encarregados de Educação. 1.º Ciclo. Ano Letivo 2016/ de setembro de 2016

Reunião - Encarregados de Educação. 1.º Ciclo. Ano Letivo 2016/ de setembro de 2016 Reunião - Encarregados de Educação 1.º Ciclo Ano Letivo 2016/2017 09 de setembro de 2016 Ordem de Trabalhos 1 Projeto Educativo 2 Normas de funcionamento 3 Apresentação 4 Plano Anual de Atividades 2 Ordem

Leia mais

PROTOCOLO ENTRE A POLÍCIA DE SEGURANÇA PÚBLICA E A SECRETARIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA

PROTOCOLO ENTRE A POLÍCIA DE SEGURANÇA PÚBLICA E A SECRETARIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA PROTOCOLO ENTRE A POLÍCIA DE SEGURANÇA PÚBLICA E A SECRETARIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA 1. Preâmbulo Face ao actual modelo de profissionalização e aos imperativos de modernização organizacional, técnica

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO PROVA DE APTIDÃO PROFISSIONAL (PAP)

REGULAMENTO INTERNO PROVA DE APTIDÃO PROFISSIONAL (PAP) REGULAMENTO INTERNO DA PROVA DE APTIDÃO PROFISSIONAL (PAP) 2013/201 (Nos termos dos artºs 6º,17º,18º, 19º e 20º da Portaria n.º 7- A /2013 de 15 de fevereiro) 1 1. OBJETIVOS A realização da Prova de Aptidão

Leia mais

A Perguntas relativas à Revisão da Estrutura Curricular

A Perguntas relativas à Revisão da Estrutura Curricular Perguntas Frequentes A Perguntas relativas à Revisão da Estrutura Curricular Implementação da Revisão da Estrutura Curricular P1 A Revisão da Estrutura Curricular vai ser implementada de forma faseada

Leia mais

ANO LETIVO 2017/2018. CALENDARIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE INÍCIO DO ANO LETIVO Dia Hora Atividades Local/Sala Observações

ANO LETIVO 2017/2018. CALENDARIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE INÍCIO DO ANO LETIVO Dia Hora Atividades Local/Sala Observações AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CIDADE DO ENTRONCAMENTO 170586 ANO LETIVO 2017/2018 CALENDARIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE INÍCIO DO ANO LETIVO Dia Hora Atividades Local/Sala Observações 29- agosto 1 e 4-set. Reunião

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO ESCOLA TÉCNICA PROFISSIONAL DA MOITA

REGULAMENTO INTERNO ESCOLA TÉCNICA PROFISSIONAL DA MOITA REGULAMENTO INTERNO ESCOLA TÉCNICA PROFISSIONAL DA MOITA ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR DEFINIÇÃO / CONTEXTUALIZAÇÃO DAS AEC O Programa de Generalização do Ensino de Inglês e de Outras Atividades

Leia mais

ACORDO DE PARCERIA REDE DE BIBLIOTECAS DE TORRES VEDRAS

ACORDO DE PARCERIA REDE DE BIBLIOTECAS DE TORRES VEDRAS ACORDO DE PARCERIA REDE DE BIBLIOTECAS DE TORRES VEDRAS Considerando que o Programa Rede de Bibliotecas Escolares (PRBE) foi lançado em 1996 pelos Ministérios da Educação e da Cultura, com o objetivo de

Leia mais

Agrupamento de Escolas do Vale de Ovil. Escola Básica de Campelo [REGIMENTO DO CONSELHO DE DOCENTES]

Agrupamento de Escolas do Vale de Ovil. Escola Básica de Campelo [REGIMENTO DO CONSELHO DE DOCENTES] 2012 Agrupamento de Escolas do Vale de Ovil Escola Básica de Campelo [REGIMENTO DO CONSELHO DE DOCENTES] Artigo 1º Âmbito e Aplicação 1. O presente Regimento regulamenta a atividade do Departamento do

Leia mais

a) O exercício de tarefas, funções ou atividades em que o Estudante detenha experiência prévia na

a) O exercício de tarefas, funções ou atividades em que o Estudante detenha experiência prévia na REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS CURRICULARES NO ÂMBITO DO MESTRADO EM CONTABILIDADE E FINANÇAS (EM VIGOR A PARTIR DO ANO LETIVO 2012/2013) Capítulo I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Objeto 1. Este regulamento aplica-se,

Leia mais

c) O número de grupos/ turmas a considerar em cada ciclo e anos é o aprovado na rede de oferta formativa para o ano letivo 2016/2017, a saber:

c) O número de grupos/ turmas a considerar em cada ciclo e anos é o aprovado na rede de oferta formativa para o ano letivo 2016/2017, a saber: CRITÉRIOS PARA A CONSTITUIÇÃO DE TURMAS ANO LETIVO 2016/2017 Os professores responsáveis pela constituição de turmas devem ter em atenção as seguintes orientações: a) Na constituição de turmas, aplicam-se

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MOGADOURO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MOGADOURO COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA DO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO (GRUPO 110) 2012/2013 REGIMENTO DO CONSELHO DE DOCENTES DO 1º CICLO REGIMENTO DO DEPARTAMENTO CURRICULAR DO 1º CICLO REGIMENTO DO CONSELHO DE ANO 1º

Leia mais

1. LOCAL DE TRABALHO As funções serão exercidas nos Estabelecimentos de Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico da rede pública do Concelho do Porto.

1. LOCAL DE TRABALHO As funções serão exercidas nos Estabelecimentos de Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico da rede pública do Concelho do Porto. AVISO Código da Publicitação do Procedimento - A/ Procedimento de Seleção para recrutamento de Técnicos no âmbito do Programa de Atividades de Enriquecimento Curricular do 1.º Ciclo do Ensino Básico -

Leia mais

Protocolo de Cooperação

Protocolo de Cooperação 08 de fevereiro, 2013 Índice Preâmbulo 3 Capítulo I Definição, Objeto e Objetivos da RBAL 3 Cláusula 1.ª Definição 3 Cláusula 2.ª Objeto 3 Cláusula 3.ª Objetivos 3 Capítulo II Direitos e Deveres dos Cooperantes

Leia mais

ANEXO 3. Plano de Atividades a Desenvolver

ANEXO 3. Plano de Atividades a Desenvolver ANEO 3 Plano de Atividades a Desenvolver Tabela 1- Plano de Atividades a Desenvolver Plano de Atividades a Desenvolver Linhas de Análise Objetivos Gerais Objetivos Específicos Tarefas a Executar Recursos

Leia mais

ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR

ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR 2012/2013 SAGRADO DESPORTO Desporto Federado e Escolar Ano Nasc segunda-feira terça-feira quarta-feira quinta-feira sexta-feira Professor SAGRADO VOLEIBOL Escola

Leia mais

CRITÉRIOS DE CONSTITUIÇÃO DE TURMAS 2015/2016

CRITÉRIOS DE CONSTITUIÇÃO DE TURMAS 2015/2016 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CELORICO DE BASTO CRITÉRIOS DE CONSTITUIÇÃO DE TURMAS 2015/2016 A legislação que estipula as principais regras a observar na elaboração de turmas é o Despacho normativo n.º 7-B/2015

Leia mais

III. Sistema de Monitorização

III. Sistema de Monitorização III. Sistema de Monitorização 159 De acordo com as orientações elaboradas para a execução das Cartas Educativas, na Carta Educativa do Concelho de Almeida prevê-se a concepção e operacionalização de um

Leia mais

Aos vinte e nove dias do mês de novembro de dois mil e treze, os seguintes outorgantes:

Aos vinte e nove dias do mês de novembro de dois mil e treze, os seguintes outorgantes: CONTRATO DE FORNECIMENTO DE SERVIÇOS DE PRODUÇÃO DE DOCUMENTO DE DESIGN E ACOMPANHAMENTO DE PRODUÇÃO DE JOGO ESTRATÉGICO PARA A REDE DE CASTELOS E MURALHAS DO MONDEGO Valor: 34.000,00 Aos vinte e nove

Leia mais

I - Funcionamento das Atividades de Animação e de Apoio à Família (AAAF) integradas no calendário escolar a definir pelo Ministério da Educação.

I - Funcionamento das Atividades de Animação e de Apoio à Família (AAAF) integradas no calendário escolar a definir pelo Ministério da Educação. INTRODUÇÃO As Atividades de Animação e de Apoio à Família, no âmbito da Educação Pré- Escolar, são uma resposta direta às necessidades das famílias e encontra-se consubstanciada em todos os tempos que

Leia mais

REGULAMENTO ANEXO 3. Prova de Aptidão Profissional. Regulamento Interno CTDC. Colégio Torre Dona Chama Apoiado pelo Ministério da Educação.

REGULAMENTO ANEXO 3. Prova de Aptidão Profissional. Regulamento Interno CTDC. Colégio Torre Dona Chama Apoiado pelo Ministério da Educação. Cancela & Carvalho Colégio Torre Dona Chama Apoiado pelo Ministério da Educação Regulamento Interno CTDC ANEXO 3 REGULAMENTO Prova de Aptidão Profissional (Preâmbulo) O presente documento regula a realização

Leia mais

REGULAMENTO DO CARTÃO SÉNIOR MUNICIPAL NOTA JUSTIFICATIVA

REGULAMENTO DO CARTÃO SÉNIOR MUNICIPAL NOTA JUSTIFICATIVA REGULAMENTO DO CARTÃO SÉNIOR MUNICIPAL NOTA JUSTIFICATIVA Tendo em vista a reformulação do Regulamento do Cartão Municipal do Idoso em vigor desde 1999, considerando a realidade presente e a adequação

Leia mais

ANEXO 18 A Regulamento Interno

ANEXO 18 A Regulamento Interno ANEXO 18 A Regulamento Interno REGIME DE FUNCIONAMENTO DOS CURSOS CIENTÍFICO- HUMANÍSTICOS DE NÍVEL SECUNDÁRIO DE EDUCAÇÃO, NA MODALIDADE DE ENSINO RECORRENTE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS IBN MUCANA 2011/2014

Leia mais

Colégio de Alfragide. Informações 2.º Ano. Ano Letivo 2016/2017 Professor Patrícia Marques

Colégio de Alfragide. Informações 2.º Ano. Ano Letivo 2016/2017 Professor Patrícia Marques Sala 2º ano Colégio de Alfragide Informações 2.º Ano Ano Letivo 2016/2017 Professor Patrícia Marques Equipa Pedagógica Diretor Pedagógico Coordenadora 1º Ciclo Professor Titular Expressão Plástica Educação

Leia mais

AVISO N.º (02.14/15) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA TROFA

AVISO N.º (02.14/15) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA TROFA AVISO N.º (02.14/15) Abertura de concurso para recrutamento e contratação de técnicos habilitados para dinamização das Atividades de Enriquecimento Curricular (AEC) Em cumprimento com o previsto no n.º

Leia mais

Avaliação de Desempenho Docente

Avaliação de Desempenho Docente Dicas para a elaboração de um Portefólio Avaliação de Desempenho Docente O PORTEFÓLIO deve conter um registo das reflexões e das práticas e deve estar devidamente documentado. 13-04-2008 1 Deve conter:

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS. Artigo 1.º Âmbito. Artigo 2.º Definição e Objetivos

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS. Artigo 1.º Âmbito. Artigo 2.º Definição e Objetivos REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS Artigo 1.º Âmbito O presente regulamento fixa as normas gerais relativas ao funcionamento da componente de formação prática

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MOGADOURO REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE DOCENTES DO PRÉ - ESCOLAR

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MOGADOURO REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE DOCENTES DO PRÉ - ESCOLAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MOGADOURO REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE DOCENTES DO PRÉ - ESCOLAR Ano Letivo: 2012 / 2013 ÍNDICE CAPÍTULO I PÁG. ÂMBITO 3 CAPÍTULO I I Conselho de Docentes 3 CAPÍTULO III Competências

Leia mais

M U N I C Í P I O D E M E A L H A D A C Â M A R A M U N I C I P A L PROCEDIMENTO CONCURSAL ACTIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR

M U N I C Í P I O D E M E A L H A D A C Â M A R A M U N I C I P A L PROCEDIMENTO CONCURSAL ACTIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR PROCEDIMENTO CONCURSAL ACTIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR Para os devidos efeito torna-se público que se encontra aberto procedimento concursal com vista à constituição de relação jurídica de emprego

Leia mais

Acta n.º

Acta n.º Acta n.º 21 2006.10.03 PROTOCOLO - Associação Conservatório de Música de Felgueiras - Presente a minuta de protocolo a celebrar entre esta Câmara Municipal e a Associação Conservatório de Música de Felgueiras,

Leia mais

PROTOCOLO ENTRE O MUNICÍPIO DE SETÚBAL E A ASSOCIAÇÃO CULTURAL FESTROIA

PROTOCOLO ENTRE O MUNICÍPIO DE SETÚBAL E A ASSOCIAÇÃO CULTURAL FESTROIA PROTOCOLO ENTRE O MUNICÍPIO DE SETÚBAL E A ASSOCIAÇÃO CULTURAL FESTROIA Introdução 1. A Câmara Municipal de Setúbal procedeu à inauguração do Cinema Charlot-Auditório Municipal em 31 de Maio de 2000. O

Leia mais

MUNICÍPIO DE TAVIRA. Aviso

MUNICÍPIO DE TAVIRA. Aviso Aviso Procedimento concursal para ocupação de postos de trabalho em regime de contrato de trabalho em funções públicas a termo resolutivo certo, a tempo parcial, para o desenvolvimento de Actividades de

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOS DOCENTES DO ENSINO PORTUGUÊS NO ESTRANGEIRO. CAPÍTULO I Disposições Comuns

REGULAMENTO INTERNO DA AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOS DOCENTES DO ENSINO PORTUGUÊS NO ESTRANGEIRO. CAPÍTULO I Disposições Comuns REGULAMENTO INTERNO DA AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOS DOCENTES DO ENSINO PORTUGUÊS NO ESTRANGEIRO CAPÍTULO I Disposições Comuns SECÇÃO I Disposições gerais Artigo 1º Objecto O presente regulamento procede

Leia mais

Distribuição de serviço, elaboração de horários e constituição de turmas

Distribuição de serviço, elaboração de horários e constituição de turmas Adenda ao Regulamento Interno Distribuição de serviço, elaboração de horários e constituição de turmas 1) Aplicação das normas e organização do ano letivo a) Duração de tempo das aulas Nos 2º e 3º ciclos

Leia mais

Critérios pedagógicos para a constituição de turmas

Critérios pedagógicos para a constituição de turmas Critérios pedagógicos para a constituição de turmas ANEXO I Critérios Pedagógicos para a elaboração de Turmas 2014/2015 Artigo 1º Preâmbulo Com este regulamento pretende-se uniformizar, de uma forma esclarecedora,

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO JOÃO DO ESTORIL Departamento 1º Ciclo

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO JOÃO DO ESTORIL Departamento 1º Ciclo AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO JOÃO DO ESTORIL Departamento 1º Ciclo ELEMENTOS DE AVALIAÇÃO Serão tidos em consideração os elementos de avaliação a seguir enumerados, essenciais para o desenvolvimento do

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO. EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR, ENSINOS BÁSICO e SECUNDÁRIO. NOTA INTRODUTÓRIA Ano letivo 2016/2017

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO. EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR, ENSINOS BÁSICO e SECUNDÁRIO. NOTA INTRODUTÓRIA Ano letivo 2016/2017 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR, ENSINOS BÁSICO e SECUNDÁRIO NOTA INTRODUTÓRIA Ano letivo 2016/2017 Sendo a avaliação um «processo regulador do ensino, orientador do percurso escolar

Leia mais

NA MATEMÁTICA TU CONTAS

NA MATEMÁTICA TU CONTAS PLANO AÇÃO ESTRATÉGICA 41ª MEDIDA NA MATEMÁTICA TU CONTAS OBJETIVO Melhorar o sucesso em Matemática. ANO(S) ESCOLARIDA A ABRANGER - Do 1.º ao 9.º de escolaridade. ATIVIDAS A SENVOLVER NO ÂMBITO DA MEDIDA:

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Vouzela e Campia REGULAMENTO DO REGIME DE ASSIDUIDADE CURSOS CEF I - CONTEXTUALIZAÇÃO

Agrupamento de Escolas de Vouzela e Campia REGULAMENTO DO REGIME DE ASSIDUIDADE CURSOS CEF I - CONTEXTUALIZAÇÃO REGULAMENTO DO REGIME DE ASSIDUIDADE CURSOS CEF I - CONTEXTUALIZAÇÃO Este Regulamento define a organização, desenvolvimento e acompanhamento dos Cursos de Educação e Formação, no que diz respeito ao Regime

Leia mais

Avaliação 1

Avaliação 1 AVALIAÇÃO 5º ANO 01-10-2013 Avaliação 1 Ordem de Trabalhos Ponto um Boas-vindas/Apresentação dos intervenientes Ponto dois Desenho curricular e sistema de avaliação no Ensino Básico Ponto três Assiduidade

Leia mais