Compra da Casa Própria mais Perto dos Músicos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Compra da Casa Própria mais Perto dos Músicos"

Transcrição

1 Órgão Oficial do Sindicato dos Músicos Profissionais do Estado do Rio de Janeiro N o 37 - Edição de Junho a Setembro de Parceiros Estratégicos CulturaPREV Parceiros Institucionais Compra da Casa Própria mais Perto dos Músicos CulturaPREV traz facilidades para financiamento Pág.8 Apagão Cultural Governos não dão conta da cultura Greve da Cultura, crise no Municipal e teatros sem verba no município Foto: Arq. SindMusi Veja também... Teatro Municipal do RJ Pág.4 Entrevista: Paulo Moura Paulo Moura fala de seus mais de cinqüenta anos de carreira e do CD lançado pela Biscoito Fino com músicas de Dorival Caymmi Pág.3 Foto: Divulgação Parcerias Unimed, últimos dias para inscrição. Conheça os novos convênios do SindMusi 7 Plenária CGTB Festivais do Rio Central Geral dos Trabalhadores do Brasil realiza plenária como preparação para o III Congresso Regional no Rio 11 Da serra ao mar música para todos os gostos. Festivais de música pelo estado agitam o inverno do Rio 6 Jornal Musical N o 37 1

2 Tabela de Cachês para Trabalhos Eventuais (Valores em Reais - a partir de 19/04/07) Músicos contratados no Rio de Janeiro receberão cachês estabelecidos na tabela do SindMusi/RJ Palavra de Presidente Que a cultura não tenha seu tratamento e reconhecimento adequado, isso já é antigo e nós, os trabalhadores da cultura, não nos resignamos nem nos conformamos. Ainda lutamos porque acreditamos que Cultura é para todos, que Cultura dá identidade e auto estima para toda uma comunidade, que Cultura é junto com a Educação e Saúde um direito do cidadão, que Cultura é um instrumento poderoso de inclusão, que Cultura não é sinônimo de lazer, que Cultura, por incrível que pareça, é moeda comercial, movimenta PIB e mais que qualquer outro produto comercial, é a Cultura quem melhor atravessa fronteiras e revela a verdadeira cara de um povo e seu país, que Cultura é uma das mais simples e eficiente ferramenta da diplomacia e relação externa, que a Indústria Cultural ainda que não pareça, dá emprego e possui um vasto contingente de trabalhadores. O que não pode é a Cultura nos dias de hoje ser ainda tratada como luxo e pior, ser loteada, barganhada como moeda política! Isso não! Como um Estado culturalmente rico como o Rio de Janeiro, possui um orçamento para a Cultura tão ínfimo? O que pode um gestor fazer quando não há como fazer? Haja criatividade! E o próprio MinC, como pode um ministério com tamanha responsabilidade, azeitar suas máquinas, remunerar com dignidade seus funcionários, destruir os gargalos da indústria criativa, capacitar toda uma categoria, descentralizar com firmeza e veemência e investir de fato em recôndidos onde reside e resiste a Expediente Déborah Cheyne verdadeira Cultura diversificada, entre tantas outras missões de fundamental importância? Em que resultou a greve dos trabalhadores da Cultura? Onde está a mídia para destacar uma greve num setor que é de fato importante, mas tratado como supérfluo? Enquanto isso, no nosso tão querido Theatro Municipal, assistimos mais uma vez o resultado de anos e anos de desleixo e omissão com a Cultura. Os trabalhadores do Theatro Municipal nem os órgãos representativos daqueles que ali trabalham foram em momento algum consultados ou comunicados sobre o fato, ou boato, da Municipalização do Theatro. Em pouquíssimos dias, a mídia anunciou a transferência da administração que se fez e desfez numa velocidade que no mínimo revela o pouco caso e desmazelo com um dos nossos ícones da Cultura. Isto é resultado de excesso de políticos na Cultura e carência de política pública para a Cultura. Lembremos que por detrás desta indefinição existe um contingente de trabalhadores ansiosos e angustiadas aguardando definições e soluções. São artistas e técnicos que fazem com esmero seu trabalho e que por pirraça ou excesso de amor às suas profissões, insistem em fazer sempre o melhor, afinal não é apenas a cara de cada um que está sendo exposta a cada performance, mas sim de toda uma comunidade que tem ali um pouco da sua cara refletida em cada um daqueles artistas. Afinal, o Theatro Municipal, é a cara do Rio. Gravações CD Por Período Chamada mínima 03 períodos... R$ 540,00 Instrumentista/ Corista/ Ritmista por período... R$ 180,00 Dobra 01 período... R$ 180,00 Solo 10 períodos... R$ 1.800,00 Por Faixa Faixa (Instr./ Corista/ Ritmista)... R$ 540,00 Dobra... R$ 180,00 Solo... R$ 1.800,00 Making Of de CD Por faixa... R$ 270,00 Obs: Tempo máximo para gravação de uma faixa 2h30m. Hora excedente ou fração.... R$ 180,00 DVD Por Faixa... R$ 540,00 Obs: Caso o material gravado para o DVD se converta em CD, deverá ser pago em adicional o valor de tabela para gravação de CD. Arranjo Por arranjo... R$ 1.270,00 Por Regência... R$ 1.270,00 Cópias - Garantia mínima 550 compassos... R$ 250,00 Por compasso... R$ 0,45 Jingle ou Vinheta Por Período Chamada mínima 02 períodos... R$ 600,00 Peça até 1 minuto período... R$ 300,00 Dobra... R$ 300,00 Solo 10 períodos... R$ 3.000,00 Faixa Cada faixa... R$ 600,00 Cada Dobra... R$ 300,00 Solo... R$ 3.000,00 Obs: Tempo máximo para gravação de uma faixa 2h. Hora excedente ou fração.... R$ 300,00 Filmes Trilha sonora para longa metragem ou entretenimento além de 60 min. (onde se desobrigue música ao vivo) Por Período Trilha para filme nacional Chamada mínima 03 períodos... R$ 1.200,00 Período... R$ 400,00 Trilha para filme internacional Chamada mínima 03 períodos... R$ 1.635,00 Período... R$ 545,00 Obs: Esses valores não incluem lançamento da trilha em CD. 1. O tempo de trabalho começa a ser contado a partir do momento em que o músico estiver à disposição do contratante. 2. Na gravação por período, o primeiro período é de 60 (sessenta) minutos e os subseqüêntes, de 45 (quarenta e cinco) minutos. 3. Dobra é a execução da mesma partitura com o mesmo instrumento mais que uma vez. 4. Cada troca de instrumento corresponde a nova chamada mínima ou faixa. Normas de gravação Tapes Especiais Teatro/ Historieta/ etc Por Período... R$ 180,00 Cachê de Televisão Chamada mínima de 05 horas... R$ 750,00 Hora Excedente ou fração... R$ 225,00 Apresentação ao vivo Acompanhamento de Artistas Nacionais Por show... R$ 750,00 Por ensaio (máx. 03 horas)... R$ 750,00 Hora extra de ensaio... R$ 250,00 Acompanhamento de Artistas Nacionais no Exterior Por show... R$ 1.500,00 Acompanhamento de Artistas Estrangeiros Por show... R$ 930,00 Por ensaio (máx. 03 horas)... R$ 930,00 Hora extra de ensaio... R$ 310,00 Obs: O valor do show inclui passagem de som (sound-check) de 3 horas. Após este tempo, pagase hora extra de ensaio. Concerto Sinfônico, Câmara, Balé, Ópera, Opereta e Congêneres Orquestra - por Espetáculo Spalla... R$ 570,00 Instrumentista - Cordas/ Sopros Percussão/ Outros... R$ 465,00 Orquestra - por ensaio (máx. 03 horas) Spalla... R$ 465,00 Instrumentista - Cordas/ Sopros Percussão/ Outros... R$ 360,00 Coro - por espetáculo Corista ,00 Coro - por ensaio (máx. 03 horas) Corista ,00 Obs: Será cobrado 20% sobre o valor do período de ensaio para cada hora ou fração de hora excedente. Pianista Co-Repetidor (por hora de ensaio) ,00 Músico acompanhador para aulas de balé, dança e congêneres Por hora... R$ 60,00 Baile Por baile... R$ 310,00 Música ao vivo (ambiente) Por apresentação... R$ 310,00 Casamentos / Cerimônias religiosas Por cerimônia... R$ 180,00 Aula Particular Hora/aula... R$ 60,00 5. Cada nova partitura executada pelo mesmo músico, num mesmo arranjo, corresponde a nova chamada mínima ou faixa. 6. Na gravação por período, quando o número de faixas for maior que o nº de períodos, o músico receberá o número de períodos correspondente ao número de faixas gravadas. 7. Pout-pourri é o arranjo de mais de uma música com, no máximo, 100 compassos. Ultrapassando este limite, corresponde a novo arranjo e assim subseqüentemente. SINDMUSI - Sindicato dos Músicos Profissionais do Estado do Rio de Janeiro: Presidente: Déborah Cheyne Vice-Presidente: Itamar Assiére Diretor Tesoureiro: Luiz Carlos Hack Diretor do Trabalho: Leandro Vasques Diretor Secretário: Antônio Augusto Diretora do Patrimônio: Ariane Petri Diretor Administrativo: Álan Magalhães Diretor Social: Adil Tiscatti Diretor de Comunicação: Kleber Vogel Diretor de Informática: Flávio Pereira Representante I: Carlos Malta Representante II: Victor Neto Conselho Fiscal: Carlos Soares, Mauro Ávila e Nayran Pessanha Suplentes: Anselmo Mazzoni, Fabiano Krieger, Nando Gomes, Jair de Sousa, Fernando Merlino, Laura Rónai, Sonia Katz e Ubiratã Rodrigues Quadro Funcional:Gerente Administrativa: Natalia Carneiro Advogados: Helder Silveira e Karen Rocha Escritório Contratado: José Carlos Quental Auxiliares Administrativos: Alex Gomes Freire e Angelica Angelo Serviços Gerais: Vera Kloczko Endereço: Rua Álvaro Alvim, 24/405 Cinelândia Rio de Janeiro - RJ CEP: Tel: (21) Fax: (21) homepage: Horário de Atendimento: 2ª a 6ª das 10 às 18h. Delegacia Regional Serrana do SindMusi: Delegado: Álan Magalhães Jornal Musical: Jornalista responsável: Miguel Sá Projeto Gráfico e Diagramação: Amarilio Bernard Fotolito e Impressão: Jornal do Comércio Tiragem: exemplares Circulação: Rio de Janeiro. 2 Jornal Musical No 37

3 Paulo Moura: um sopro de versatilidade Repórter - Miguel Sá SSócio remido do SindMusi, em mais de 50 anos de carreira, Paulo Moura já experimentou as mais diversas linguagens da música instrumental, seja na música erudita - formado pela Escola Nacional de Música, foi clarinetista da Orquestra do Teatro Municipal durante 17 anos - seja na popular, onde transita do jazz ao samba com igual desenvoltura. O saxofonista e clarinetista é também uma das pessoas mais produtivas do cenário musical brasileiro. Só neste ano de 2007 já lançou dois CDs: um pela Rob Digital, o Samba de Latada, com o cantor pernambucano Josildo Sá, e outro pela Biscoito Fino: a reedição de um CD com músicas de Dorival Caymmi lançado em 1991 em parceria com o grupo Ociladocê. No seu escritório, Paulo Moura recebeu o Jornal Musical para uma conversa sobre seus novos CDs, jazz, música brasileira, clarinete e saxofone. Jornal Musical - Como foi a concepção do disco com o Ociladocê? O músico, compositor e arranjador fala sobre seus novos CDs, música, parcerias, carreira e a profissão de músico Paulo Moura - Eu o organizei junto com o Alex Meirelles, o Paulo Muylaert, o Marcos Suzano, o Carlos Negreiros e o Fernando Feijão no Baixo. Ensaiamos lá em Maria da Graça, na casa do Alex. Nós explorávamos esse lado da música brasileira que vem da música africana. Eu, Alex e Paulinho fizemos algumas composições. O nosso material próprio não estava interessando às gravadoras. Ele estava diversificado, tinha composições de cada um e os estilos mudavam. Resolvi oferecer para a Chorus (gravadora original do disco) gravar um CD com músicas de Dorival Caymmi e ele foi bem aceito. Aquela concepção que estávamos fazendo com o repertório anterior nós fizemos com músicas do Dorival Caymmi. JM - Como ocorreu o relançamento pela Biscoito Fino? Paulo Moura - A parte de convite de gravadora é um trabalho que, nesta sociedade com a minha mulher, eu sempre credito à habilidade dela. O CD foi apresentado para eles (Biscoito Fino) e houve interesse. Foi uma alegria porque gosto muito desse disco. Tinha até um certo receio de que esse disco não fosse apreciado. E como aconteceu isso (o relançamento), este trabalho foi resgatado. JM - Porque Dorival Caymmi? Paulo Moura - Me pareceu, na época, que ele era o compositor do qual mais pudesse haver um aproveitamento do repertório dentro do que nós queríamos fazer, que era o som afro-brasileiro. A melodia e a harmonia dele têm um sabor africano também, por isto é que deu certo. No primeiro lançamento não teve a mesma repercussão que teve agora porque - em geral isso acontece comigo - toda vez que eu gravo um disco instrumental, leva pelo menos uns seis anos para ouvir ele tocar em um supermercado, por exemplo. Felizmente o disco está sendo bem aceito. JM - Hoje há um mercado mais receptivo à música instrumental do que naquela época? Paulo Moura - Há sim, talvez por causa da facilidade que existe em pesquisar na Internet. Hoje as pessoas são incentivadas a buscar essas músicas novas, que realmente gostam, e não ficarem só presas a isto que chamam de ditadura das rádios. JM - Na sua carreira você teve relação com muitas linguagens musicais diferentes, seja música erudita, seja chorinho ou jazz. Como é trabalhar com tantas linguagens diferentes? Paulo Moura - Na adolescência, eu comecei ensaiando na Orquestra Sinfônica da UNE. Ao mesmo tempo eu freqüentava jam sessions em uma época (início dos anos 50) muito rica do jazz aqui no Brasil. Havia músicos como o Maestro Cipó, o Dick Farney e o jazz era muito aceito na sociedade. Eu já comecei aprendendo estas duas coisas tão diferentes em linguagem e estilo. Na mesma época, para sobrevivência, tinha que tocar em baile. Tocava em gafieiras e freqüentava o ponto dos músicos na Praça Tiradentes, onde os diretores de orquestra chegavam e montavam as bandas para os bailes do fim de semana. Eu trabalhava tocando saxofone e clarinete. Mais tarde, quando fui convidado para tocar na orquestra do Oswaldo Borba, na Rádio Globo, é que tive a minha primeira entrada na área de músicos de primeira categoria. Logo depois fui convidado para viajar com o Ary Barroso no México(1953), com uma orquestra grande, onde eu era o primeiro saxofone. Eu fui já imaginando que estaria perto dos EUA. Depois fui lá e fiquei uma semana encontrando músicos como Dizzy Gillespie e assistindo outras coisas, tendo a primeira impressão do que era a vida jazzistica "in loco". JM - O chorinho está em um momento de afirmação como a música instrumental do Brasil. Quais são as diferenças em relação ao jazz? Paulo Moura - Meu pai, como primeiro professor de música, me ensinou alguns choros. Outros aprendi lendo em álbuns de choro e ouvindo os grandes solistas brasileiros. Quando comecei a tocar profissionalmente, nos bailes e orquestras, a necessidade que eu tinha era assimilar a ma- neira padrão de tocar. O músico que tocava em orquestras tinha que saber a linguagem jazzística, os acentos rítmicos do jazz. Nessa época me aprofundei bastante na história do jazz, na maneira como se tocava, etc. Só depois, lá pra 1976, é que resolvi parar um pouco de tocar jazz e tocar música brasileira, o que hoje faço com muito mais espontaneidade do que tocar jazz. Existe uma diferença na acentuação. Mesmo os licks do jazz podem ser feitos de uma maneira que seja brasileira. É só mudar o acento. Tem uma diferença rítmica que talvez seja difícil de explicar, mas que o músico brasileiro atento percebe e se adapta, além de que o diálogo com a percussão é muito mais exigido na música brasileira que no jazz. JM - Você é um músico de muitas parcerias. Teve um disco com o João Donato ano passado e, atualmente, uma parceria com o pianista Cliff Korman. Você gosta de parcerias, não? Paulo Moura - São amigos e músicos que eu admiro. A oportunidade que temos para conviver mais é tocando juntos, e isso aconteceu com o Yamandu Costa, com o Cliff, com o João Donato e, mais recentemente, com Josildo de Sá. Um cantor de forró do Recife que conheci há uns dois anos atrás. Resolvemos fazer um disco juntos buscando uma linha divisória entre a gafieira e o forró, o que deu em um samba tradicional do sertão do Recife chamado Samba de Latada. Esse disco também está saindo agora. É um samba com zabumba e acordeom. Mas também tem baixo, bateria e guitarra. Jornal Musical N o 37 3

4 Caos na cultura: mero acaso? Greve dos servidores no Ministério da Cultura, Teatro Municipal em crise, teatros do município sem verbas. Mesmo em esferas diferentes,fica no ar a pergunta: será que estas crises acontecem na mesma época por mera coincidência? Tudo leva a crer que não. A forma como as crises estão sendo conduzidas mostram falta de política pública para a cultura e desvalorização de quem trabalha nesta área nos governos. Veja só: Greve na cultura Evasão de funcionários qualificados, terceirizações prejudiciais à cultura, falta de um plano de cargos e salários... Por isso e muito mais que, desde o dia 15 de maio, os servidores do Ministério da Cultura e das instituições vinculadas estão em greve. Desde 2005 que o governo federal não cumpre acordo selado após paralisação de 100 dias. O acordo foi fechado em uma mesa setorial com a participação do Ministério do Planejamento e da Confederação dos Trabalhadores do Serviço Publico federal. Nele ficou fechada a implementação do Plano Especial de Cargos da Cultura. Como depois de dois anos, o plano ainda não havia sido implantado, em maio de 2007 os funcionários começaram uma greve que já dura quase quatro meses, com breve intervalo entre 27 de julho e 22 de agosto. Ainda assim, os canais de negociação estão, para dizer o mínimo, emperrados. Os servidores federais da área cultural, visto o desinteresse do governo, decidiram lançar a campanha "Salve o Ministério da Cultura", com o objetivo de alertar para a importância da elaboração de políticas culturais públicas que não estejam atreladas a governos, mas ao Estado. Ele realizou-se no dia 29 de agosto, no Palácio Gustavo Capanema no Centro do Rio. Teatro Municipal: entre idas e vindas, chegou-se ao mesmo lugar O pano de fundo da municipalização era a possível extinção da Fundação que mantém o Teatro, o que extinguiria os planos de cargos e salários dos funcionários. No plano artístico, com o fim dos elencos artísticos permanentes, o Teatro Municipal se tornaria, na prática, um teatro de aluguel, sem produções próprias e sem a representatividade cultural que tem hoje para o Estado do Rio de Janeiro. Fora isto, as notícias que se tem sobre os teatros da prefeitura não são das mais animadoras, dando conta deque estariam em estado de penúria, além de utilizarem funcionários terceirizados. O Jornal O Globo atribuiu ao governador Sérgio Cabral, no jornal do dia 17 de agosto deste ano, a declaração de que o Teatro Municipal será administrado pelo município. O Jornal Musical procurou contato com o prefeito César Maia para confirmar os rumores que corriam. Por , no dia 20 de agosto, o prefeito declarou: "só posso responder quando o convênio estiver pronto e decidido". Em reação ágil dos funcionários do teatro, no dia 22 de agosto eles elegeram, em assembléia, uma comissão formada por João Carvalho (presidente da Associação do Corpo de Baile), Pedro Olivero (Associação do Coral) Jesuína Passaroto, ( Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal) e João Carlos Dittert, (Sintac) para avaliar a situação. Na quinta-feira, 23 de agosto, uma reviravolta: após reunião com representantes das diversas associações de funcionários do Municipal, a municipalização do Teatro foi colocada em suspenso a pedido da nova secretária estadual de cultura, Adriana Rattes. Fica no ar a expectativa dos funcionários pela concretização de projetos de revitalização que já estavam em andamento para comemorar o centenário do Teatro em Em curto prazo, a Secretária de Cultura tem de resolver os salários atrasados dos funcionários terceirizados e dos 16 músicos contratados para a orquestra, além de dar fim à comédia de erros que envolveu o Tetaro Municipal em agosto. 4 Jornal Musical No 37

5 Roubo de instrumentos: o músico órfão Uma das piores coisas que pode acontecer ao músico é ter o seu instrumento de trabalho roubado. Quando isto acontece, não há muito para onde correr Um dia, ainda na década de 90, dois bateristas, que aqui nós vamos chamar pelos nomes fictícios de Ricardo e Rodrigo, estavam tocando em uma cidade na região serrana do Rio de Janeiro. Após o show, a combinação era um desmontar os instrumentos e o outro levar para o carro. Ricardo terminou de desmontar e colocar os dois kits de bateria nos estojos. Ele foi para dentro do bar chamar Rodrigo e comer algo. Logo depois de Ricardo sentarse à mesa do bar, Rodrigo entra esbaforido dizendo a Ricardo que seu kit de pratos de bateria havia sumido. A partir daí, começou a roda viva de Ricardo. Após uma investigação própria, o músico acabou encontrando a pessoa que roubou o seu instrumento. "Foi uma semana sem dormir. Na época, não havia importador da marca de pratos que eu usava e estavam todos novinhos. Minha sorte é que uma pessoa viu quem havia levado o instrumento. O ladrão pegou os estojos, jogou no mato e esperou todos irem embora. Ele estava de moto". Ricardo foi pessoalmente à casa do suspeito tirar a história a limpo. Após alguma negociação, o baterista pegou os pratos da bateria de volta no guarda-volumes de um supermercado da região. Esta é uma das muitas histórias que todo o músico já ouviu falar por aí. O fato é que existe a sensação de que o roubo de instrumentos aumentou e, na hora em que isto acontece, há pouco que se possa fazer. O Jornal Musical consultou a assessoria de imprensa da Delegacia de Roubos e Furtos e perguntou se o roubo de instrumentos chegava a ter alguma expressão nas estatísticas da polícia. A resposta foi negativa. O que pode ser feito Alguns músicos vão pessoalmente atrás de quem fez o roubo, procurando informações por seus próprios meios. No fim das contas, o músico pode acabar lidando com pessoas fora da lei e negociando com o ladrão o preço do próprio instrumento, o que pode ser bastante perigoso. O mais seguro é fazer o que todos devem fazer quando são roubados: ir na delegacia prestar queixa. Mas a solidariedade dos colegas músicos e a informação também são armas importantes. (continua na próxima edição). Jornal Musical N o 37 5

6 Festivais de música agitam o estado do Rio no Inverno. Da serra ao mar, música para todos os gostos Entre os meses de junho e julho, pelo menos quatro festivais mostraram que o Rio é feito de música Os festivais que acontecem em Rio das Ostras, na Região Serrana, no Vale do Café e em Búzios, cada um ao seu estilo, trazem boa música de forma acessível ao grande público. Uns, como o de Rio das Ostras, tem o seu ponto forte no elenco. Já o Festival do Vale do Café investe também nas aulas de instrumentos. Veja aqui como estes eventos musicais agitaram o Rio. Rio das Ostras Jazz & Blues Durante cinco dias, entre 6 e 10 de junho, o público pôde acompanhar apresentações em três palcos: um na chamada Cidade do Jazz, no palco Costazul, com capacidade para cerca de 20 mil pessoas; outro na reserva da Lagoa de Iriry, um pequeno anfiteatro para cerca de 500 pessoas; e outro na Praia da Tartaruga, montado em uma pedra que sai da praia cerca de 200 metros mar adentro, com capacidade para cerca de 200 pessoas. Todos os shows são gratuitos. O festival é patrocinado pela prefeitura da cidade, que fica na Região dos Lagos. As atrações incluem nomes de ponta da música brasileira e de fora do país. Um bom exemplo é Naná Vasconcelos, um dos melhores e mais respeitados percussionistas do mundo. Também tocaram na edição deste ano a Orquestra Kuarup, o guitarrista brasileiro de blues Big Gilson, o quarteto do vibrafonista Stefon Harris, o pianista brasileiro Dom Salvador, o bandolinista Hamilton de Holanda e seu quinteto, o guitarrista de blues norteamericano Michael Hill, o saxofonista Ravi Coltrane, o guitarrista blueseiro de slide Roy Rogers, a banda novaiorquina Soulive, a cantora Luciana de Souza com o violonista Romero Lubambo e o guitarrista de Foto: Divulgação O grupo instrumental Quaterna Réquiem no Festival SESC Teresópolis João Donato tocou seus sucessos em Búzios blues "fusion" Robben Ford. Os shows de Hamilton de Holanda, o do guitarrista Robben Ford e o da banda Soulive foram os mais elogiados. O Rio das Ostras Jazz & Blues não tem workshops nem aulas de música, mas abre espaço para a apresentação da Orquestra Kuarup, dirigida pelo maestro Nando Carneiro, formada por músicos da cidade. Após a criação da Fundação Rio das Ostras de Cultura, em 1997, a orquestra passou a ser um dos programas desenvolvidos pela instituição recebendo instrumentos novos, regentes qualificados e ensino teórico de música visando até a profissionalização dos músicos. Também hà uma escola de Luteria com chancela da Unesco que já formou 18 reparadores de violão. Atualmente parte para construção e uma linha de montagem, visando uma cooperativa para comercialização de violões, cavaquinhos e rabecas com selo de Rio das Ostras. Festival de Inverno Sesc Rio 2007 Já há seis anos que o Sesc Rio realiza o festival. São mais de 400 espetáculos de diversas manifestações artísticas oferecidas gratuitamente a um público que, ano Don Salvador e o jazz brasileiro em Rio das Ostras passado, chegou a 1 milhão de pessoas. O evento é realizado pelo Sesc Rio com a parceria das Prefeituras de Petrópolis, Nova Friburgo e Teresópolis, onde acontecem os eventos. Este ano, ele aconteceu entre os dias 14 e 29 de julho. Na música, a diversidade é grande. Houve shows de MPB, música clássica e música instrumental que aconteceram em lugares abertos, com grande capacidade de público, ou em teatros. As atrações dos shows de MPB foram Marina Lima, Fernanda Abreu, Guilherme Arantes, Preta Gil e Lobão. Na música instrumental houve shows dos instrumentistas e compositores Cristóvão Bastos e João Lyra, que fizeram um passeio pelas obras de Paulinho da Viola, Benedito Lacerda, Pixinguinha, Ernesto Nazareth, Jacob do Bandolim e Nelson Alves. Gilzon Peranzzetta e o Quinteto Sivuca também fizeram uma homenagem a um dos maiores músicos do país. O festival ainda abre espaço para outras atrações musicais, como a banda de rock progressivo Quaterna Réquiem, que tocou na Pro Arte de Teresópolis. A novidade este ano foi a parte latino-americana do evento, com dois grupos argentinos (Rodolfo Mederos e Trio e Huancara)e outro peruano (Manoel Miranda e Tinku). Buzios Jazz & Blues Festival O festival é tradicional na região dos lagos. Apesar do nome, o Búzios Jazz & Blues Festival aposta na diversidade musical. Este ano, o Festival aconteceu entre os dias 25 e 28 de julho com um show extra no dia 21 para comemorar a décima edição do evento. Apresentam-se João Donato, o saxofonista Léo Gandelman e o guitarrista Charlie Hunter, o guitarrista de Blues Phil Guy, a Big Time Orchestra, a baterista Cindy Blackman, o saxofonista Idriss Boudrioua, o guitarrista e fundador do blues brasileiro Celso Blues Boy e a banda Blues Etílicos. Estas duas últimas atrações também estiveram no primeiro festival. A comemoração da décima edição foi com um show especial de Taryn Szpilman no Pátio Havana, dia 21 de julho. O Pátio Havana é um restaurante de Búzios onde acontecem os shows pagos. A cantora, também vocalista da Rio Jazz Orchestra, tem um repertório baseado no blues e no jazz. Festival Vale do Café Este ano foi a 5 a edição do Festival do Vale do Café. Ele aconteceu entre 20 a 29 de julho de 2007 na região do estado onde estavam as grandes fazendas de cultivo de café. Os shows se espalham pelas cidades de Piraí, Paulo de Frontin, Mendes, Vassouras, Morro Azul, Paty do Alferes, Rio das Flores e Valença em locais como o Hotel Fazenda Galo Vermelho, que teve o show do quarteto de Bruce Henry. Já Carlos Malta e o Pife Muderno tocaram na praça Barão de Campo Belo, que fica em Vassouras. A lista de atrações é bastante ampla. Ainda tocaram no festival Marcel Powel, Sururu na Roda e Nilze Carvalho, Léo Ortiz, Arthur Moreira Lima, Guinga e Paula Santoro, Turíbio Santos, Léo Gandelmann, Cristina Braga e Moacyr Luz, Victor Biglioni, Alceu Maia com Choro Elétrico, Quarteto Uirapurú, Orquestra de Percussão Robertinho Silva e Marcos Ariel e os Tigres da Lapa, entre muitos outros. O Festival do Vale do Café também teve aulas de diversos instrumentos como harpa, violão, violino, piano, violoncello e diversos outros instrumentos sinfônicos ou não. 6 Jornal Musical No 37

7 SindMusi amplia a rede de convênios para o associado. Saúde, aprimoramento profissional e lazer mais barato para o músico O SindMusi trabalha para ampliar os benefícios aos associados. A partir deste mês, temos novos convênios: ensino de idiomas, um centro de saúde, capacitação profissional para músicos e outros para hospedagem em pousada e hotel. Centro de Saúde Veiga de Almeida O SindMusi fechou mais um importante convênio com o Centro de Saúde Veiga Centro de Saúde Veiga de Almeida de Almeida(CSVA). O associado do SindMusi agora tem direito aos serviços de odontologia, psicologia, fisioterapia, fonoaudiologia e nutrição oferecidos pela entidade. O preço chega a ser 20% mais barato que o da tabela do Centro de Saúde, que já é mais baixo que a tabela de mercado para estes serviços. São três andares disponíveis só para atendimento odontológico, com cadeiras, raio-x e até mesmo prótese, tudo feito no mesmo prédio. Na área de fisioterapia há RPG, acupuntura, piscina e até sala de condicionamento físico, além de trabalhos específicos para casos mais graves. O diretor geral do CSVA destaca que os associados do SindMusi, assim como outros conveniados, não são atendidos pelos alunos dos cursos de especialização. Todos os conveniados são atendidos exclusivamente por profissionais já formados. Para mais informações, acesse Curso de idiomas O músico agora tem uma opção mais em conta para aprender inglês. O Second Language é um curso de inglês que ensina a língua de forma bastante associada à vida real. Os cursos são intensivos e cobrem do nível básico ao avançado com possibilidades de aulas particulares e em empresas. O convênio com o SindMusi proporciona um desconto de 25% sobre o valor da mensalidade e 10% sobre o material didático de qualquer curso. Para ter uma idéia, em um curso intensivo de 1 ano e meio, com mensalidade de 105 reais, o associado do SindMusi paga apenas R$78,75. Para saber mais sobre o curso, acesse Revista Backstage Quem quiser fazer a assinatura da Revista Backstage, a melhor revista de produção musical do país, agora tem desconto se for associado do SindMusi. O desconto também é válido para os livros de áudio e música editados pela H.Sheldon. Há desde livros sobre áudio básico e funcionamento de equipamentos até guias de mixagem e livros de áudio importados. Para saber mais, acesse Pousada Aquarium e Hotel Fazenda Galo Vermelho Os convênios do SindMusi também abrangem o lazer. O associado do SindMusi tem descontos tanto no Hotel Fazenda Galo vermelho, em Vassouras, como na Pousada Aquarium, na Praia de Geribá, em Búzios. Para mais informações acesse e Telefone: (24) Troque e Toque Promoção: Recorte este cupom e troque por uma tabela de trasposição. O Troque e Toque é uma ferramenta que auxilia o músico a fazer a transposição de tons. RECORTE E TROQUE! Curso de percepção musical Nas escolas do país não há um estudo sistematizado de música, com percepção, escrita e leitura musical. A conseqüência é que, apesar do talento do músico brasileiro, acaba ficando mais difícil para ele se profissionalizar, seja por ter menos opções de trabalho quando não sabe teoria musical, seja por não poder fazer um vestibular para música. Os músicos que desejam aprimorar os conhecimentos práticos e teóricos de música já têm um convênio especial no SindMusi. O professor José Roberto Monteiro, responsável pela bem sucedida experiência do Integrartes, em Teresópolis, oferece curso com leitura, solfejo e percepção musical. O curso começa no mês de setembro e custa 40 reais por mês para sócios do SindMusi e 90 reais para não sócios. Para mais informações, ligue para o SindMusi no telefone Jornal Musical N o 37 7

8 CulturaPrev dá acesso a financiamento da casa própria mais em conta Manoel de Araújo Gonçalves, gerente de financiamentos da Petros: taxas de juros para participantes do fundo de pensão são diferenciadas Os benefícios que o músico tem ao fazem um plano de previdência no CulturaPrev não se restringem ao complemento da aposentadoria. Todos os associados aos planos que a Petros administra podem também ter acesso aos convênios do fundo de pensão. Um deles é com a Caixa Econômica Federal(CEF). O acordo prevê juros diferenciados para os participantes de planos da Petros na hora do financiamento da casa própria. Para isto, basta acessar o site da Petros, preencher os campos de matrícula e senha e, na área verde do menu lateral, selecionar a opção "Financiamento Habitacional". O associado então deve imprimir a Carta de Apresentação, com a qual pode agendar o atendimento em qualquer agência da Caixa Econômica. "As taxas serão menores do que a de qualquer outro cidadão que vá lá na Caixa", diz Manoel de Araújo Gonçalves, gerente do setor de administração de empréstimos e financiamentos da Petros. Uma família com renda mensal de até 1750 reais, por exemplo, tem, a princípio, direito a um juro de 6% no balcão da CEF. Já um participante do CulturaPrev com a mesma renda tem direito a um juro de 5,5%. Manoel ainda falou que a Petros está articulando convênios com outras instituições para que o associado aos planos de previdência do fundo de pensão tenham outras opções de financiamento com juros abaixo do mercado. Vantagem adicional Em agosto foi criada uma nova vantagem para o trabalhador que possui conta vinculada do FGTS, ou seja, os trabalhadores que estão empregados e recebendo depósitos todos os meses. O Conselho Curador do FGTS aprovou, no dia primeiro de agosto, a redução de meio ponto percentual na taxa de juros anual do financiamento habitacional com recursos do Fundo de Garantia. A medida só entra em vigor a partir de janeiro de De qualquer forma, uma família com renda mensal de 3900 reais que tenha financiado o imóvel pelo FGTS a partir de convênio com a Petros, terá uma redução de 1% na taxa anual de juros em relação aos clientes não sócios do fundo de pensão. Para ter acesso a esse benefício o trabalhador ainda precisa contar com pelo menos três anos no regime do FGTS. CulturaPREV: um plano que soa bem! Passo a passo 1) Filiar-se ao SindMusi 2) Aderir ao CulturaPrev 3) Imprimir carta de apresentaçao da Petros 4) Agendar visita à Caixa Econômica Federal Criado em 2004, o CulturaPREV é um plano de previdência administrado pela Petros - Fundação Petrobras de Seguridade Social e destina-se exclusivamente à classe artística. O SindMusi foi um dos primeiros Instituidores do CulturaPREV, do qual faz parte desde a criação do Plano. Desde o início, os músicos abraçaram este projeto. Tanto é que a maioria dos artistas inscrita no Plano pertence ao Sindicato: hoje já são 400 músicos. Um dos principais diferenciais do CulturaPREV é a transparência da gestão realizada pela Petros. Os investimentos realizados com os recursos do plano são acompanhados de perto pelo Sind- Musi, que tem representantes no Comitê Gestor do Plano, e pelos próprios participantes, que recebem extratos periodicamente e também podem verificar o saldo acumulado Plano acessando o Portal da Petros na Internet. O CulturaPrev foi criado, levando em conta as características diversas da carreira dos artistas brasileiros e garante ao participante a cobertura para os três riscos sociais: sobrevivência, invalidez e morte. O Plano permite que o Participante interrompa o pagamento da sua contribuição em caso de impossibilidade temporária de manter o compromisso mensal. As contribuições para o plano CulturaPrev são dedutíveis do imposto de renda até o limite de 12% da renda bruta. Para mais informações: ou Jornal Musical No 37

9 Na agência da Caixa A partir daí, o participante do CulturaPrev vai conversar com um gerente a respeito do financiamento. O Jornal Musical falou com Leonardo Sanches, o técnico bancário de habitação da agência da Caixa Econômica Federal da Avenida Rio Branco. Leonardo explicou que, dependendo da renda familiar, o financiamento do imóvel é feito por Carta de Crédito FGTS - um financiamento baseado em recursos do Fundo de Garantia - ou por Carta de Crédito SBPE, que é o Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo. Se a renda familiar for acima de reais o imóvel, a princípio, já será financiado por meio do plano SBPE, que tem os juros mais altos que o do plano com financiamento baseado no FGTS. No entanto, há casos em que, mesmo a renda familiar sendo acima de reais o imóvel pode ser financiado por recursos do FGTS. Quando a renda familiar é de até reais o imóvel novo pode ser financiado por FGTS em valores de até 100 mil reais se tiver menos de três meses de uso. Se tiver mais de três meses, o valor desce para até 80 mil reais. Só imóveis novos conseguem financiamento de 100%. Se tiver mais de 80 dias de habite-se, a Caixa financia apenas 80%. No caso de o responsável pelo financiamento morrer, o imóvel é considerado quitado. Por isso, a idade também influencia nas condições do empréstimo para a compra da casa própria. A soma do prazo de financiamento, que pode chegar a 20 anos, mais a idade de quem pede o empréstimo não pode passar de 80 anos. Leonardo Sanches, técnico de habitação da Caixa, dá as dicas para o financiamento Em geral, o músico trabalha de maneira informal, sem carteira assinada ou contracheque, como acontece em outras carreiras. No entanto, há outras formas que podem ser usadas para o profissional comprovar a sua renda. Para que seja considerada renda formal, se não tiver contracheque, o músico pode usar a declaração de imposto de renda. A renda também pode ser comprovada por movimentação de conta corrente ou por um Decore com recolhimento dos DARF, feito por contador. Nos dois casos ela é considerada renda informal. Neste caso, pode ser mais difícil conseguir o financiamento, mas a possibilidade está aberta. Leonardo Sanches lembra ainda que a Caixa é diferente de outros bancos por ter um viés social. Quanto menor a renda familiar, menor os juros a serem pagos no financiamento. O financiamento Toda a estrutura de financiamento da casa própria é da Caixa Econômica Federal. Os recursos são da Caixa, e não da Petros, que apenas articulou o convênio. A Caixa é quem vai analisar para quem e como vai ser feito o financiamento. No mais, é só ir a qualquer agência da CEF. Luiz Gonzaga, analista de investimentos da Petros, lembra que, algumas vezes, pode ser oferecido algum tipo de venda casada por algum gerente, mas não há nada que a pessoa precise fazer além de comprovar condições de receber o financiamento. O máximo que o pretendente ao financiamento terá que fazer é abrir uma conta corrente para que a Caixa possa debitar o valor da prestação. Jornal Musical N o 37 9

10 Centenário SindMusi / Há 52 anos Ângela Maria, Rainha dos Músicos Na década de 50 a Rádio Nacional elegia todos os anos a Rainha do Rádio. O Sindicato dos Músicos também organizava seu concurso onde Emilinha, Marlene e Ângela Maria eram as grandes concorrentes para o cobiçado posto de Rainha dos Músicos. Nessa época, Angela Maria gravou um disco pela Copacabana intitulado Rainha dos Músicos, um samba de Ary Barroso e Alegoria de Músico, de Ciro Monteiro e Dias da Cruz. Este disco fez parte da premiação da popular cantora eleita Rainha dos Músicos em Nos versos de Alegoria de Músico, vemos o ofício do músico assim descrito: Alegoria de músico (Ciro Monteiro e Dias da Cruz) Foto: Arq. SindMusi No dó, ré, mi, fá, sol da minha terra O povo canta e ri sempre contente Em si a própria música encerra O que traduz a alma duma gente O músico embeleza com magia A vida em sustenidos e bemóis O músico transforma em sinfonia A fria lua em belos arrebóis... E dentro da linguagem do Universo Transporta o mundo em sonhos e canções A nota musical é o próprio verso Que faz vibrar de amor os corações. A Rainha dos Músicos 1955 Angela Maria em noite de coroação. 10 Jornal Musical No 37

11 Congresso regional da CGTB em setembro Quem participou da plenária estadual da CGTB, no dia primeiro de agosto, teve uma pequena amostra de como será o III Congresso Regional da CGTB. O SindMusi esteve presente, representado pela presidente Déborah Cheyne e pelos diretores Álan Magalhães e Kleber Vogel. Na mesa do evento estavam presentes Marcos Vinício, presidente da Federação das Associações e Sindicatos dos Servidores Públicos do Estado (FASP-RJ), o presidente da CGTB Antônio Neto e Leandro Costa, coordenador do congresso. Na plenária, entre os quase 40 representantes de sindicatos presentes estavam cerca de 10 de filiação recente, incluindo o SindMusi. Foto: Divulgação Plenária da Central Geral dos Trabalhadores foi preparação para o congresso Déborah Cheyne destacou a importância da cultura dentro do quadro social do Brasil, destacando que isto é um direito do trabalhador brasileiro. O III Congresso Regional da CGTB do Rio de Janeiro será realizado nos dias 14 e 15 de setembro no Sesc do Flamengo já com algumas prioridades definidas, como o combate à Emenda 3 - ponto bastante destacado pelo presidente da CGTB Antônio Neto - e a luta pela geração de mais empregos. Também acontece no congresso a escolha dos novos dirigentes da CGTB do Rio de Janeiro na atual fase de reestruturação. Marcos Vinício destacou a importância da rearticulação da CGTB do Rio de Janeiro com a participação decisiva de Leandro Costa, com novas filiações e interiorização. "Isto é muito positivo dentro da configuração que pretendemos fazer da CGTB: uma grande central efetivamente comprometida com o envolvimento de trabalhadores públicos e privados". Conceição Cassano, da Confederação das Mulheres do Brasil no Rio de Janeiro, destacou a participação da mulher no sindicalismo da CGTB, inclusive na comissão de organização do Congresso "e com certeza [as mulheres] vão estar na diretoria", comentou a sindicalista. "A nossa luta é junto com os homens contra um opressor que quer impedir a entrada das mulheres no mercado de trabalho", finalizou Conceição Notas Musicais Kleber Vogel SindMusi leva o Programa de Conscientização Profissional a Campo Grande O SindMusi foi convidado pelo Programa Cultura em Rede, da Vale do Rio Doce, a fazer uma palestra de conscientização profissional durante o lança- mento do Programa. O evento aconteceu na Lona Cultural de Campo Grande (Lona Elza Osborne), no dia primeiro de julho. Na palestra, a presidente do SindMusi Déborah Cheyne e o Álan Magalhães (esq) e o diretor administrativo percussionista Zé Leal participam da palestra do PCP. Álan Magalhães falaram sobre a importância do músico tomar consciência do seu papel como trabalhador e na formalização da categoria. Durante a palestra também foi abordado o plano de previdência complementar CulturaPrev e o novo convênio com a Unimed-Rio. SindMusi no carnaval 2008 A escola de samba Unidos de Vila Isabel vai apresentar, no próximo carnaval, o enredo Trabalhadores do Brasil. O sócio do SindMusi Martinho da Vila concorre com um samba enredo. Um baner com a logomarca do SindMusi deve ser aberto quando o samba dele for cantado. Foto: Divulgação Seminário Rumos Itaú Cultural no Rio de Janeiro No dia 26 de julho, o Rumos Itaú Cultural aterrissou no Rio de Janeiro. O evento começou às 15:30. Edson Natale, coordenador do projeto, abriu o seminário falando dos objetivos do projeto. Logo depois passou um documentário Rumos Brasil da Música - 30 mil quilômetros - Pensamentos e Reflexões. O evento prosseguiu depois com um debate sobre as possibilidades associativas dos músicos do qual participaram o presidente da Cooperativa de Músicos de São Paulo Carlos Zimbher e o jornalista e produtor cultural Rodrigo Lariú. Sated-RJ tem nova diretoria O Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões do Estado do Rio de Janeiro tem nova diretoria. Jorge Coutinho tomou posse como presidente após eleição em que a chapa única União e Trabalho foi referendada nas urnas. As eleições ocorreram entre os dias 16 e 18 de maio com a participação de 544 associados. As votações aconteceram no Rio de janeiro e nas delegacias sindicais dos municípios de Campos, Macaé, Petrópolis, Volta Redonda, Nova Iguaçu e São Gonçalo. O vice-presidente do SindMusi Itamar Assiére, nos representou na posse. Fest Musi Com a produção e a realização de Abel Duërë e Flávio Carpes, aconteceu no CasaShopping o Fest Musi. No lançamento, dia 23 de agosto, houve um show de Hamilton de Holanda com gravação ao vivo e transmissão pela MPB FM. A exposição, que fica no Casa Expo, do Casa Shopping, conta com fotos do acervo do SindMusi Hamilton de Holanda (esq) recebe os cumprimentos de Déboráh Cheyne, Abel Duërë (pro dutor) e Flávio Carpes (MPB FM) Foto: Cristina Granato Guia dos Músicos 2008 Em outubro começa a captação de anúncios para o catálogo Guia do Músico O guia terá novo layout tanto para a versão impressa quanto para a internet. Jornal Musical N o 37 11

12 Lançamentos DVD CD Livro Quadros de uma Alma Brasileira OBRAS DE: VILLA-LOBOS (DVD-Independente) O Som de Dorival Caymmi PAULO MOURA E OCILADOCÊ (CD - Biscoito Fino) Minha Vontade VÂNIA LUCAS (CD - Independente) Ritmos Brasileiros MARCO PEREIRA (livro e CD) A Cia. Bachiana Brasileira, em parceria com a Fundação Alexandre de Gusmão e a produtora Alma Brasileira, lançou um DVD que é o primeiro com obras de Villa-Lobos no mundo. O DVD foi patrocinado pela Fundação Charitas Brasil e o Ipanema Coffees. Com roteiro, direção e regência do maestro Ricardo Rocha, direção e edição de vídeo de José Schiller e engenharia de áudio de Eduardo Monteiro, Quadros de uma alma brasileira é um painel das obras que representam a fase mais radical e vanguardista de Villa-Lobos, entre os anos de 1917 e 1928, quando ele escreveu o Sexteto Místico, Nonetto e o conjunto completo de seus Choros de câmara. O DVD tem um concerto e um documentário. Lançado originalmente em 1991 pelo selo Chorus, o disco é fruto e uma pesquisa de sons afro-brasileiros feita por Paulo Moura e o grupo Ociladocê. No início, a idéia do encontro entre o clarinetista e o grupo era gravar composições próprias, feitas durante os ensaios na casa de Paulo Muylaert, mas a proposta de gravar músicas de Dorival Caymmi encontrou mais receptividade. O resultado é uma experiência musical diferente, que beira a bossa-nova e, em alguns momentos, até a salsa. Os arranjos são de Paulo moura com Paulo Muylaert e o tecladista Alex Meirelles, dando ênfase à percussão de Carlos Negreiros, músico e estudioso dos tambores do jongo e dos terreiros de candomblé. Ainda tocaram no CD os percussionistas Jovi e Marcos Suzano. Fernando Feijão no baixo fecha o octeto. A simples participação de músicos do quilate de Paulo Jobim, Guinga e Jaques Morelembaum já seria um belo cartão de visitas para o disco e Vânia Lucas, mas o repertório também é um ponto forte. Paulo Jobim participa da segunda faixa, Estrelaria, que é uma parceria dele com Ronaldo Bastos enquanto Guinga e Morelembaum participam da terceira faixa, Fonte Abandonada, de autoria de Guinga e Paulo César pinheiro. As músicas, de compositores como o próprio Guinga, Dona Ivone Lara e Tom Jobim, caminham entre o samba, a bossa nova e a MPB. Vale a pena conferir. Ritmos brasileiros é um livro com 70 fórmulas rítmicas usadas nos gêneros musicais brasileiros. Do samba ao baião, do frevo ao maculelê, o livro é um prato cheio para quem gosta de pesquisar sobre a música brasileira. Além de partituras e tablaturas, ele contém textos explicativos que explicam o contexto social do surgimento de cada um dos ritmos. O livro vem com um CD de áudio no qual há exemplos dos gêneros musicais pesquisados. Os CDs desta sessão estão à venda na sede do SindMusi. Conheça nosso Armazém Virtual: 12 Jornal Musical No 37

13 Inaugurado o Centro e Referência da Música Carioca, um local de fomento do conhecimento musical O Centro de Referência da Música Carioca foi inaugurado no dia 16 de junho. Ele funciona no número 824 da rua Conde de Bonfim, na Tijuca, em um casarão tombado e restaurado pela prefeitura do Rio de Janeiro. A inauguração aconteceu com uma exposição e um documentário sobre Elifas Andreato. Também houve uma apresentação do saxofonista e flautista Carlos Malta e uma roda de samba nos jardins da casa. "A inauguração foi lindíssima. Ela ter sido feita com a exposição do Elifas Andreato foi, para nós, uma honra", disse Ana Bernardes, a diretora administrativa do Centro de Referência. Além do casarão histórico, foram construídos dois novos prédios no terreno. Em um deles fica o auditório. No outro, funciona a escola de música e um estúdio de gravação. Mário Sève é o diretor musical. O Centro ainda tem a colaboração do compositor Moacyr Luz e da harpista Cristina Braga. O Centro funciona em casarão histórico do bairro da Tijuca, no Rio de Janeiro As primeiras atividades exercidas nestes primeiros meses foram as apresentações musicais, com nomes como Turíbio Santos e Guinga, passando ainda por Jards Macalé, entre muitos outros. Vale destacar o lançamento do Songbook do Choro, que sai pela editora Lumiar, acontecido no dia 18 de agosto. Além de abrigar apresentações musicais, o espaço pretende ser um centro de produção de conhecimento da música popular praticada no Rio de Janeiro. E tudo começa na escola de música que deve ser, nas palavras do diretor artístico, Mário Sève, "o coração da casa". Escola de música As atividades musicais da casa serão baseadas no "hóspede do mês". Em cada mês o Centro de Referência vai estudar a obra de pessoas com atividades ligadas à música carioca. Aldir Blanc é o hóspede do mês de setembro. "Ele foi escolhido porque este é o mês de seu aniversário. Em outubro será o Nelson Cavaquinho", explica Moacyr. Outros nomes já são cogitados, como Paulinho da Viola, Noel Rosa, Tom Jobim, Clementina de Jesus, Pixinguinha e Villa-Lobos. "Como aqui não é um museu, não guardamos um acervo. Nós construímos um acervo afetivo sobre cada artista que homenageamos", diz Mário Sève. A escola de música é coordenada pelo violonista e arranjador Caio Cezar, que também participa do AcariOcamerata, um O auditório cabe 160 pessoas Ana Bernardes é a diretora administrativa projeto de formação musical e inclusão social. A inauguração será no dia 15 de setembro com uma jornada musical. Serão seis salas de aula com seis assuntos Moacyr Luz e Mário Sève: Centro será lugar onde se produz conhecimento diferentes relacionados à música. "Uma sala de aula falando como é que funciona uma escola de música, outra, como é que funciona a carreira do músico, outra como funciona um estúdio de gravação, etc,", enumera Moacyr Luz. Esta será a primeira Jornada de Música Carioca. A escola funcionará em duas linhas: uma de ensino musical propriamente dito, com aulas de instrumentos como violão, cavaquinho, teclados, sopros, percussão e teoria musical. A outra linha é de oficinas sobre diversos assuntos relacionados à produção musical, como a atividade de contra-regra, iluminação e som, além de gravação e postura profissional do músico. Além da Jornada de Música Carioca, um dos projetos que já começa a se concretizar em setembro é a série "Classes de Mestre": aulas gratuitas ministradas por grandes nomes da música. Elas serão dirigidas a quatro músicos, mas poderão ser acompanhadas por 80 ouvintes. "A cada mês traremos um músico importante da cultura carioca", expõe Mário Sève. A primeira, no dia 28 de agosto, é sobre canto coral, com Paulo Malagutti. Já estão confirmados outros nomes para o mês de setembro, como o compositor e violonista Guinga. Mário Sève dá muita importância ao fato de construir um centro de referência musical. "Estamos fazendo um projeto muito conseqüente. Chamamos o Caio Cezar para coordenar a escola. Pretendemos trabalhar com o material didático já produzido no Brasil e trabalhar o ensino de compositores brasileiros, sobretudo os cariocas. O Rio de Janeiro é uma metrópole bombardeada por diversas influências", explica o músico. Um dos pontos fundamentais da escola, segundo o curador Moacyr Luz, é trazer a comunidade da Tijuca para o Centro de Referência. "Estamos aqui para criar oportunidades para a comunidade", ressalta Moacyr Luz. Estúdio Os objetivos do estúdio, que deve ficar totalmente pronto até o fim do ano, não são comerciais. Além de registrar a obra de compositores cariocas independentes, ele será utilizado para montar material didático para Casarão foi restaurado para abrigar o Centro de Referência as aulas da escola, "como os discos que nos Estados Unidos são chamados play-along", expõe Mário Sève. Play along são gravações feitas para o estudante tocar junto com elas. O estúdio será de médio porte. "São duas salas de gravação e uma sala para a técnica. O equipamento é muito bom", complementa o diretor musical. Tudo isto faz com que o Centro de Referência da Música carioca seja um local não só de aprendizado, mas também de produção de conhecimento da música. "O bacana é isso, a integração de tudo. É ter a possibilidade de se aprender alguma coisa criativa na sala de aula que possa imediatamente ser registrado no estúdio. Ou então gravar um show do auditório. Eu acho que essa concentração de atividades é que é o diferencial deste Centro", finaliza Mário Sève. As inscrições para a jornada já estão abertas. Para mais informações é necessário ligar para o Centro de Referência no telefone (21) Jornal Musical N o 37 13

14 SindMusi apóia projeto social com doação de instrumento Doação de violino ajuda a ampliar o projeto dão" e parabenizou a professora Suray Soren e os alunos. O projeto social acontece no Instituto Casa de Cultura Rio de Janeiro, criado há 19 anos. Ele se consiste em bolsas de estudo para interessados em aprender a tocar violino. "A Déborah (presidente do SindMusi) ligou nos fazendo a doação. Isto é ótimo, porque às vezes há uma criança que quer entrar e não há instrumentos", comemora Suray Soren, professora e coordenadora do curso. A professora utiliza o método Suzuki de musicalização, no qual os alunos têm de memorizar as pe- O SindMusi, representado pela diretora de patrimônio Ariane Petri e pelo integrante do conselho fiscal Carlos Soares, fez a doação de violino e acessórios para o projeto social Com a Corda Toda. A doação ocorreu durante a apresentação semestral que é feita pelos alunos na sede do curso, na 1ª Igreja Batista de Botafogo. A diretora Ariane Petri agradeceu a acolhida dos presentes. "Isto é muito especial para nós. Deixamos aqui a nossa pequena contribuição: o violino com alguns acessórios", disse a diretora. Carlos Soares destacou a importância da música "no crescimento do cidaças que tocam. O curso é dividido em nove módulos nos quais a dificuldade das peças vai aumentando. Os alunos bolsistas vêm de toda parte do Rio de Janeiro. "Há alunos que vêm de Bangu, Nilópolis ou Santa Tereza. Se houvesse uma empresa para ajudar o projeto, conseguiríamos ajudar mais gente", diz a professora. Mas o curso não é apenas para bolsistas. Quem quiser ter aulas pode participar como aluno, pagando uma ajuda e colaborando no projeto.o telefone para mais informações é Obituário Durval Ferreira Violonista Durval fez parte do grupo de músicos que criou a bossa nova, sendo considerado um dos melhores "violões de centro" da época. Parceiro em composições famosas como Batida Diferente e Estamos Aí, Durval teve músicas gravadas por grandes nomes da música mundial, como Herbie Mann e Wes Montgomery. Durval também teve importante atuação como produtor, produzindo Sarah Vaughan e lançando diversos artistas no cenário nacional como Sandra de Sá e Emílio Santiago. Durval morreu de câncer, em 17 de junho de Núbia Lafayette Cantora Nascida em 21 de janeiro de 1937, Núbia começou a carreira no fim da década de 50, em programas de calouros nas rádios. O auge da carreira foi nos anos 60, quando emplacou diversos sucessos como Seria Tão Diferente e Solidão, ambas de Adelino Moreira. Núbia gravou mais de 20 discos entre 78 rpm, Lps e Cds. A cantora morreu em 19 de junho de Jayoleno dos Santos Clarinetista Nascido em 1913, Jayoleno dos Santos foi membro-fundador e primeiro clarinetista da Orquestra Sinfônica Brasileira. Jayoleno também foi responsável pela formação de diversos instrumentistas importantes no cenário musical brasileiro, como Paulo Moura, Wilfried Berk e Cristiano Alves. Jayoleno também foi o autor daquela que foi a primeira obra brasileira composta para clarineta e piano: a Sonata para Clarineta e Piano, escrita em O músico morreu em 14 de julho aos 94 anos de idade. Luiz Gonzaga Carneiro Saxofonista e clarinetista Nascido na cidade de Paulista (PE) em 1928, Luiz Gonzaga Carneiro iniciou as atividades musicais no Recife. Em meados da década de 1950 mudou-se pra o Rio de Janeiro, onde integrou o Quinteto Villa-Lobos por 10 anos, entre 1968 e Em 1974, foi convidado pela Universidade de Brasília (UNB), onde desenvolveu intensa atividade didática. Gonzaga Carneiro também foi membro do Quinteto de Sopros da UNB e da Orquestra Sinfônica do Teatro nacional de Brasília. O músico morreu em 6 de agosto de 2007 Zygmunt Kubala Violoncelista Polonês radicado no Brasil, Zygmunt Kubala foi um dos principais violoncelistas do país. O músico vivia no Brasil desde Enquanto morou no Rio, na década de 1970, foi solista da Orquestra Sinfônica Brasileira e membro da Orquestra de Câmara do Brasil. Em São Paulo, foi membro do Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo e fundador da Orquestra Jazz Sinfônica além de ter sido professor da USP e da Unesp. O músico morreu em 4 de agosto de 2007, aos 64 anos, durante um concerto numa igreja de Ouro Branco (MG). Ed Nelson Cantor Cantor e violonista da noite, o músico se apresentava com um repertório baseado na MPB e estava sempre presente nos bares do centro do Rio de Janeiro. Ed Nelson morreu em 9 de junho de Jornal Musical No 37

15 Nayran Pessanha Teatro Municipal pede socorro Vergonhosa. Essa é a situação em que se encontra o Teatro Municipal do Rio de Janeiro por atuação lamentável do poder público. As obras que começaram em janeiro de 1905 por iniciativa do então prefeito Pereira Passos eram inspecionadas quase que diariamente pelo seu maior entusiasta, o comediógrafo Arthur Azevedo. Inaugurado em 1909, a principal casa de espetáculos da cidade tem sido palco de renomados artistas brasileiros e estrangeiros. No passado foi berço para estreantes famosos como Arturo Toscanini, que aqui no TM empunhou pela primeira vez a sua batuta. Com uma história artística das mais ricas, o nosso Municipal não merece essa situação de penúria. Orquestra, Coro e Corpo de Baile, clamam por soluções urgentes para problemas diversos, desde a conservação até o preenchimento das vagas nos corpos estáveis. Os artistas terceirizados, pelo que sabemos, não foram pagos. Essa falta de verbas compromete o trabalho de todos os profissionais e prejudica a programação da temporada. Achar que o TM vai bem por ter alguns espetáculos garantidos e atrações internacionais é colocação infeliz. Antes de tudo é preciso valorizar os artistas da casa dando condições dignas de trabalho, fechar as brechas da insatisfação e dialogar com transparência com os representantes dos corpos estáveis. Plantão Jurídico INSS - PORTARIA 142 de 11 de abril de 2007: Regulamento da Previdência Social O que muda para o músico? Os novos procedimentos facilitam que os sindicatos acompanhem os descontos e recolhimentos feitos pelas empresas todo mês. Embora saibamos que, em nossa categoria profissional, tais procedimentos se aplicam a uma minoria que trabalha com carteira assinada (orquestras, estúdios e produtoras musicais), é importante ficar atento a este instrumento de defesa dos interesses profissionais. Lutamos para que, um dia, a relação de trabalho de todos os músicos seja formalizada e estes benefícios se estendam a todos nós. As empresas estão obrigadas a encaminhar ao sindicato representativo da categoria profissional mais numerosa entre seus empregados, cópia da Guia de Recolhimento das contribuições devidas a Seguridade Social arrecadadas pelo INSS. (Artigo 3º da Lei 8.870, de 15/04/94). A PENALIDADE por falta de envio da GPS (Guia da Previdência Social) ao Sindicato da categoria: Segundo o Artigo 287 do Decreto n 3.048, de 06/05/99, o descumprimento dessa obrigação sujeitará o infrator à multa que varia entre R$ 157,24 a R$ ,15. Veja, abaixo, outras referências legais importantes: Decreto nº 4.032, de 26/11/2001; Portaria 142 MPS, de 11/04/2007. Álan Magalhães Felizmente o governo estadual retrocede na sua posição de passar o TM para a prefeitura e com isso, enfrentar essa crise com responsabilidade. No caos que o país vivencia a Cultura, por insensibilidade de Brasília, está na hora do Rio de Janeiro dar o exemplo mostrando como trata os seus artistas, não deixando que o Municipal chore a mais dramática das tragédias _ não poder trabalhar com dignidade. Sindicato dos Músicos Profissionais do Estado do Rio de Janeiro ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA EDITAL DE CONVOCAÇÃO O SINDICATO DOS MÚSICOS PROFISSIONAIS DO ESTADO DO RIO DE JANEI- RO convoca seus associados para a Assembléia Geral Ordinária a ser realizada em sua sede à Rua Álvaro Alvim nº 24, Grupos 401/405, nesta cidade, às 14:00 horas do dia 11 de dezembro de 2007, em 1ª convocação. Caso não haja número legal de associados presentes, será feita a 2ª convocação às 14:30 horas, com qualquer número, para deliberarem sobre a seguinte ORDEM DO DIA: a) Aprovação das Contas do exercício de 2006; b) Previsão Orçamentária para o exercício de De acordo com a alínea "B" do Art. 524 da CLT, as deliberações serão tomadas por escrutínio secreto. Rio de Janeiro, 23 de agosto de Déborah Cheyne Prates - Presidente Balcão Musical Newton Rolla Luthier Reforma, compra e venda de instrumentos de corda e arco. Rua das Marrecas, 40 / 803 Centro Tel.: (21) (21) Jornal Musical N o 37 15

16 TABELA DE PREÇOS Titulares e Dependentes (R$) Produtos sem Co-Participação Faixa Etária Personal QC Personal QP Alfa Beta Delta Ômega ,02 71,74 77,14 109,84 123,42 154, ,34 91,14 98,00 139,56 156,81 196, ,66 113,91 122,49 174,42 195,98 244, ,97 119,86 128,88 183,52 206,21 257, ,47 127,15 136,72 194,68 218,74 273, ,77 145,40 156,35 222,64 250,16 312, ,06 175,98 189,23 269,46 302,76 378, ,62 202,38 217,61 309,88 348,18 435, ,60 281,91 303,13 431,66 485,01 606,27 59 ou mais 384,02 430,28 462,67 658,84 740,28 925,34 16 Jornal Musical No 37

CHIC SAMBA CHIC SAMBA CHORO GAFIEIRA

CHIC SAMBA CHIC SAMBA CHORO GAFIEIRA CHIC SAMBA CHIC SAMBA CHORO GAFIEIRA CHIC SAMBA CHIC ANA PAULA LOPES E LUPA MABUZE Do encontro dos artistas Lupa Mabuze e Ana Paula Lopes surgiu o projeto CHIC SAMBA CHIC, um show contagiante de música

Leia mais

virgínia rosa geraldo flach

virgínia rosa geraldo flach virgínia rosa geraldo flach virgínia rosa geraldo flach O gaúcho Geraldo e a paulista Virgínia se apresentaram juntos pela primeira vez na série Piano e Voz, da UFRGS. Quando tocou em São Paulo, no Supremo

Leia mais

Escola para Formação de Artistas Artes Visuais Dança Música Teatro

Escola para Formação de Artistas Artes Visuais Dança Música Teatro Fundação das Artes Escola para Formação de Artistas Artes Visuais Dança Música Teatro Inscrições Abertas Turmas 2013 Primeiro Semestre Cursos Livres e Técnicos A Fundação das Artes é uma Escola de Artes

Leia mais

música ouvindo música fazendo música THAÍS NASCIMENTO 5/JULHO 18h + shows + oficinas programação

música ouvindo música fazendo música THAÍS NASCIMENTO 5/JULHO 18h + shows + oficinas programação THAÍS NASCIMENTO 5/JULHO 18h + shows ouvindo música Alessandro Penezzi e Nailor Proveta Paulo Oliveira Julia Tygel + oficinas fazendo música Choro e Samba música programação JULHO 2015 julho julia tygel/luciano

Leia mais

QUEM É ALICE CAYMMI? >> www.alicecaymmi.com.br

QUEM É ALICE CAYMMI? >> www.alicecaymmi.com.br QUEM É ALICE CAYMMI? A cantora e compositora carioca Alice Caymmi nasceu no dia 17 de março de 1990, na cidade do Rio de Janeiro. Neta de Dorival Caymmi, a musicista compõe desde os dez anos e começou

Leia mais

Numa recente e longa entrevista concedida para a rede de emissoras rádio via satélite AMERICAN SAT, o cantor PAULINHO BOCA lembrou dos fatos mais

Numa recente e longa entrevista concedida para a rede de emissoras rádio via satélite AMERICAN SAT, o cantor PAULINHO BOCA lembrou dos fatos mais Numa recente e longa entrevista concedida para a rede de emissoras rádio via satélite AMERICAN SAT, o cantor PAULINHO BOCA lembrou dos fatos mais importantes que marcaram a trajetória da MPB nos últimos

Leia mais

Plano de Patrocínio PROJETO: PRÊMIO WALTEL BRANCO DE VIOLÃO. Realização: PRONAC: 10 0342

Plano de Patrocínio PROJETO: PRÊMIO WALTEL BRANCO DE VIOLÃO. Realização: PRONAC: 10 0342 Plano de Patrocínio PROJETO: PRÊMIO WALTEL BRANCO PRONAC: 10 0342 DE VIOLÃO Realização: RESUMO EXECUTIVO O principal instrumento musical que esta inserido em todo o Brasil, sem distinção, é o Violão, seja

Leia mais

MANUAL DE INSCRIÇÕES PARA BOLSISTAS

MANUAL DE INSCRIÇÕES PARA BOLSISTAS MANUAL DE INSCRIÇÕES PARA BOLSISTAS 46º Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão 2015 Realização Fundação OSESP A 46ª edição do Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão, cujo

Leia mais

ANTONIO LOUREIRO. www.boranda.com.br/antonioloureiro

ANTONIO LOUREIRO. www.boranda.com.br/antonioloureiro ANTONIO LOUREIRO www.boranda.com.br/antonioloureiro O compositor e multi-instrumentista Antonio Loureiro chega ao segundo álbum solo apostando na liberdade do improviso e defendendo uma criação musical

Leia mais

O FESTIVAL INTERNACIONAL DE INVERNO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA E SUAS AÇÕES MUSICAIS

O FESTIVAL INTERNACIONAL DE INVERNO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA E SUAS AÇÕES MUSICAIS O FESTIVAL INTERNACIONAL DE INVERNO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA E SUAS AÇÕES MUSICAIS Área temática: cultura Vera Lucia Portinho Vianna (Coordenadora da Ação de Extensão) Vera Lucia Portinho

Leia mais

Música Brasileira de Concerto: Diálogos Projeto aprovado no Programa de Ação Cultural - ProAc - 2013 Fase de Captação de Recursos

Música Brasileira de Concerto: Diálogos Projeto aprovado no Programa de Ação Cultural - ProAc - 2013 Fase de Captação de Recursos www.algaravia.mus.br Música Brasileira de Concerto: Diálogos Projeto aprovado no Programa de Ação Cultural - ProAc - 2013 Fase de Captação de Recursos Nome do projeto: Música Brasileira de Concerto: Diálogos

Leia mais

Promoção e realização Do objeto Da finalidade Do cronograma

Promoção e realização Do objeto Da finalidade Do cronograma REGULAMENTO I Promoção e realização: O SESCANÇÃO 2015 Mostra Sergipana de Música é uma realização sem fins lucrativos do Serviço Social do Comércio Sesc em Sergipe, entidade integrante do Sistema Fecomércio

Leia mais

Programação Geral. Música Regional Brasileira. A música do Brasil - Seg/Dom 6h.

Programação Geral. Música Regional Brasileira. A música do Brasil - Seg/Dom 6h. Programação Geral Música Regional Brasileira A música do Brasil - Seg/Dom 6h. Programa destinado a divulgar a música típica das regiões do Brasil. Toca os grandes mestres da música nordestina e mostra

Leia mais

Apresentação Reinaldo Arias

Apresentação Reinaldo Arias Apresentação Reinaldo Arias 2011 Projeto musical Música para envolver, encantar e integrar. Essa é a proposta do músico, produtor e compositor Reinaldo Arias. Artista atuante, gravou, produziu e compôs

Leia mais

Versão Oficial. Locutor - A Rádio Nacional apresenta ESTUDIO F, Momentos Musicais da Funarte. Apresentação de Paulo César Soares

Versão Oficial. Locutor - A Rádio Nacional apresenta ESTUDIO F, Momentos Musicais da Funarte. Apresentação de Paulo César Soares 1 Versão Oficial Sueli Costa EF98 E S T Ú D I O F - programa número 98 Á U D I O T E X T O Música-tema entra e fica em BG; Locutor - A Rádio Nacional apresenta ESTUDIO F, Momentos Musicais da Funarte Apresentação

Leia mais

Fotos: Luís Antônio Rodrigues. No Perfil Ché & Colin

Fotos: Luís Antônio Rodrigues. No Perfil Ché & Colin Fotos: Luís Antônio Rodrigues No Perfil & Perfil Em meio às gravações no estúdio Brothers da Lua do músico, juntamente com o gravamos uma entrevista, onde eles nos contam como começou essa amizade e parceria,

Leia mais

Projeto Gestão de Carreira Artística

Projeto Gestão de Carreira Artística Projeto Gestão de Carreira Artística Projeto Gestão de Carreira Artística I OBJETIVO II PROJETO A imagem B marca III PUBLICIDADE IV ASSESSORIA DE IMPRENSA V EXECUÇÃO VI CD e DVD VII SHOWS VIII OUTROS PROJETOS

Leia mais

Pronac Nº 1111032 Você em Cenna é um concurso cultural que irá eleger atores e atrizes amadores de todo o país, que enviarão vídeos de suas performances para votação popular e de júri especializado. Os

Leia mais

Governo de Minas e Vivo apresentam:

Governo de Minas e Vivo apresentam: Governo de Minas e Vivo apresentam: Quase cinco anos de projeto O Samba Bate Outra Vez, mais de 70 edições. Para comemorar essa marca nada melhor do que convocar para a festa uma amostra do que se faz

Leia mais

2.1. Serão aceitas e analisas somente as inscrições que obedecerem às condições abaixo expostas:

2.1. Serão aceitas e analisas somente as inscrições que obedecerem às condições abaixo expostas: A ESCOLA DE MÚSICA E ORQUESTRA FILARMÔNICA MUSICALIZAR, pessoa jurídica de direito PRIVADO sem fins lucrativos, faz saber que fará realizar chamamento público para cadastro de pessoas físicas, para preenchimento

Leia mais

Seja um incentivador da arte e da cultura brasileira

Seja um incentivador da arte e da cultura brasileira Seja um incentivador da arte e da cultura brasileira Um de Bananal, outra de Piracicaba, um nasceu há 100 anos, outra há 29, um aos nove anos foi pro Rio de Janeiro e apesar do pouco reconhecimento se

Leia mais

substantivo feminino - animal que ainda mama, ou que nasceu há pouco tempo; filho.

substantivo feminino - animal que ainda mama, ou que nasceu há pouco tempo; filho. I. cri.a substantivo feminino - animal que ainda mama, ou que nasceu há pouco tempo; filho. II. cri.a verbo crer, pretérito imperfeito eu cria, tu crias, ele cria. III. cri.a verbo criar, presente eu crio,

Leia mais

A contrapartida social deverá ser apresentada no item 5 do formulário, sendo um ítem de valoração e não de eliminação

A contrapartida social deverá ser apresentada no item 5 do formulário, sendo um ítem de valoração e não de eliminação Informações Edital de Cultura Itens 2.1.1 até 2.1.8 - A classificação será por segmento/modalidade; - É obrigatória a apresentação do valor do projeto. Item 4.4 - A contrapartida social deverá ser apresentada

Leia mais

Versão Oficial. Rosa Passos. Locutor - A Rádio Nacional apresenta ESTUDIO F, Momentos Musicais da Funarte. Apresentação de Paulo César Soares

Versão Oficial. Rosa Passos. Locutor - A Rádio Nacional apresenta ESTUDIO F, Momentos Musicais da Funarte. Apresentação de Paulo César Soares 1 Versão Oficial Rosa Passos EF107 E S T Ú D I O F - programa número 107 Á U D I O T E X T O Música-tema entra e fica em BG; Locutor - A Rádio Nacional apresenta ESTUDIO F, Momentos Musicais da Funarte

Leia mais

FÉ MUSIC FESTIVAL REGULAMENTO

FÉ MUSIC FESTIVAL REGULAMENTO Da Organização Art. 1º - A organização do FÉ MUSIC FESTIVAL 2015 estará a cargo da Comissão Organizadora do Setor Juventude, situada na Rua: Amando de Oliveira, 448 Bairro Amambaí Campo Grande MS e junto

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA PROGRAMA Nº- 042 PALCO SOBRE RODAS Projeto inspirado no clássico modelo de teatro itinerante, através da montagem de um palco móvel que percorre os bairros da cidade, levando cultura. Levar o Palco sobre

Leia mais

BRIEFING PROJETO DE SINALIZACÃO PARA ESCOLA DE MÚSICA DO ESTADO DE SÃO PAULO - TOM JOBIM (EMESP TOM JOBIM)

BRIEFING PROJETO DE SINALIZACÃO PARA ESCOLA DE MÚSICA DO ESTADO DE SÃO PAULO - TOM JOBIM (EMESP TOM JOBIM) BRIEFING PROJETO DE SINALIZACÃO PARA ESCOLA DE MÚSICA DO ESTADO DE SÃO PAULO - TOM JOBIM (EMESP TOM JOBIM) OBJETIVO O presente briefing destina-se à contratação de serviço para produção e instalação de

Leia mais

FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: 26.08.14 EDITORIA: MARCOS SÁ DE PAULA. Classificação: Positiva

FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: 26.08.14 EDITORIA: MARCOS SÁ DE PAULA. Classificação: Positiva FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: 26.08.14 EDITORIA: MARCOS SÁ DE PAULA Classificação: Positiva VEÍCULO: TRIBUNA DO NORTE DATA: 26.08.14 EDITORIA: ELIANA LIMA Classificação: Positiva VEÍCULO: TRIBUNA

Leia mais

SERVIÇOS. Captação de Recursos. Infraestrutura e Produção de Eventos Estruturação de Equipes de Produção. Análise Técnica e Financeira de Projetos

SERVIÇOS. Captação de Recursos. Infraestrutura e Produção de Eventos Estruturação de Equipes de Produção. Análise Técnica e Financeira de Projetos Empresas coligadas: SERVIÇOS Elaboração e Produção de Projetos Culturais, Sociais e Esportivos Infraestrutura e Produção de Eventos Estruturação de Equipes de Produção Assessoria Técnica e Consultoria

Leia mais

EDITAL 04/2015 ADMISSÃO AO CURSO PREPARATÓRIO PARA O MÓDULO 3 DO CURSO FORMAÇÃO MUSICAL

EDITAL 04/2015 ADMISSÃO AO CURSO PREPARATÓRIO PARA O MÓDULO 3 DO CURSO FORMAÇÃO MUSICAL GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA FUNDAÇÃO ANITA MANTUANO DE ARTES DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE MÚSICA VILLA-LOBOS EDITAL 04/2015 ADMISSÃO AO CURSO PREPARATÓRIO

Leia mais

REGULAMENTO FESTIVAL SESI MÚSICA - EDIÇÃO ESTADUAL/2009

REGULAMENTO FESTIVAL SESI MÚSICA - EDIÇÃO ESTADUAL/2009 O DEPARTAMENTO REGIONAL DO SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA - SESI/AM, doravante denominado Instituidor, por intermédio de sua Superintendência Executiva, faz saber, para conhecimento dos trabalhadores da indústria

Leia mais

MÚSICA E SABER. Oficinas de capacitação de agentes musicais

MÚSICA E SABER. Oficinas de capacitação de agentes musicais MÚSICA E SABER Oficinas de capacitação de agentes musicais Música e saber OBJETIVO O objetivo principal deste projeto é oferecer a músicos do interior do Rio de Janeiro uma oportunidade de capacitação

Leia mais

de braços abertos gravação do CD e DVD

de braços abertos gravação do CD e DVD de braços abertos gravação do CD e DVD o começo A cantora e compositora Marcella Fogaça, com mais de 10 anos de carreira, começou a cantar em Belo Horizonte, onde nasceu. Se mudou para o Rio de Janeiro

Leia mais

ATIVIDADE DE FIXAÇÃO: ELEMENTOS DA MÚSICA. I. Leia a partitura musical Ciranda da Lia e faça os itens a seguir (ver no portal):

ATIVIDADE DE FIXAÇÃO: ELEMENTOS DA MÚSICA. I. Leia a partitura musical Ciranda da Lia e faça os itens a seguir (ver no portal): ELEMENTOS DA MÚSICA I. Leia a partitura musical Ciranda da Lia e faça os itens a seguir (ver no portal): 1. O tipo de compasso é... 2. A figura de ritmo de maior duração nesta música chama se... 3. Discrimine

Leia mais

Escrevo esta carta para pedir sua ajuda, pois só assim eu poderei, enfim, realizar meu sonho de estudar no Conservatório de Amsterdam.

Escrevo esta carta para pedir sua ajuda, pois só assim eu poderei, enfim, realizar meu sonho de estudar no Conservatório de Amsterdam. Olá, meu nome é Lucas Bernardo da Silva, tenho 19 anos, sou aluno de violino da EMESP Tom Jobim e spalla da Orquestra Jovem do Estado de São Paulo. Conheci o violino ainda criança, frequentando a igreja

Leia mais

Samba com musicalidade e estilo

Samba com musicalidade e estilo Samba d Ju Samba com musicalidade e estilo A união entre os diversos ingredientes da musicalidade brasileira, misturados com pitadas de criatividade, alegria, carisma, sensualidade e o jeito moleque de

Leia mais

2.2 O proponente deverá ter naturalidade baiana ou domicílio fixo no estado há mais de 1 ano completo até a data da inscrição.

2.2 O proponente deverá ter naturalidade baiana ou domicílio fixo no estado há mais de 1 ano completo até a data da inscrição. 1 I PRÊMIO DE MÚSICA CONTEMPORÂNEA DA BAHIA 1. Objetivo Através de um concurso de composição musical no qual um total de 9 compositores serão contemplados, segundo ordem de classificação atribuída por

Leia mais

DAVID GANC & QUARTETO GUERRA-PEIXE

DAVID GANC & QUARTETO GUERRA-PEIXE DAVID GANC & QUARTETO GUERRA-PEIXE INTERPRETAM TOM JOBIM Idealizado pelo flautista e saxofonista DAVID GANC, este CD/concerto indicado para o Prémio TIM 2005 na categoria Melhor Grupo Instrumental, homenageia

Leia mais

A Orquestra Metropolitana, sob a regência do Maestro Rodrigo Vitta, prestará uma maravilhosa homenagem ao rock nacional dos anos 80.

A Orquestra Metropolitana, sob a regência do Maestro Rodrigo Vitta, prestará uma maravilhosa homenagem ao rock nacional dos anos 80. A Orquestra Metropolitana, sob a regência do Maestro Rodrigo Vitta, prestará uma maravilhosa homenagem ao rock nacional dos anos 80. Acompanhada de uma banda de rock e com a participação de músicos que

Leia mais

PROJETO BANDAS E CORAIS NAS ESCOLAS : A EXPERIÊNCIA DO CORAL ENCANTO

PROJETO BANDAS E CORAIS NAS ESCOLAS : A EXPERIÊNCIA DO CORAL ENCANTO PROJETO BANDAS E CORAIS NAS ESCOLAS : A EXPERIÊNCIA DO CORAL ENCANTO Rebeca Vieira de Queiroz Almeida Faculdade Saberes Introdução O presente texto é um relato da experiência do desenvolvimento do projeto

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MUSICAL - ABEM. INFORMATIVO ELETRÔNICO 32-2ª parte Setembro de 2007

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MUSICAL - ABEM. INFORMATIVO ELETRÔNICO 32-2ª parte Setembro de 2007 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MUSICAL - ABEM INFORMATIVO ELETRÔNICO 32-2ª parte Setembro de 2007 ATENÇÃO!!! Haverá eleição para a diretoria da ABEM, biênio 2007-2009. A eleição acontecerá na Assembléia

Leia mais

Festival Nossa Música Pela Paz E Contra As Drogas

Festival Nossa Música Pela Paz E Contra As Drogas PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVO HAMBURGO SECRETARIA MUNICIPAL DA CULTURA Festival Nossa Música Pela Paz E Contra As Drogas REGULAMENTO I- Da Promoção O Festival Nossa Música Pela Paz E Contra As Drogas é

Leia mais

PORTFÓLIO. Leandro do Carmo

PORTFÓLIO. Leandro do Carmo PORTFÓLIO Leandro do Carmo Leandro Do Carmo Guitarrista, Violonista, Orquestrador, Arranjador, Compositor, Produtor e Diretor Musical, Nascido em Contagem, Minas Gerais, Iniciou seus estudos aos 12 anos

Leia mais

Espaço Musical Gato na Tuba

Espaço Musical Gato na Tuba Espaço Musical Gato na Tuba O Projeto ESPAÇO MUSICAL GATO NA TUBA prevê a manutenção de 3 Oficinas de Música para cerca de 60 crianças e adolescentes do bairro Guarituba na cidade de Piraquara, Paraná.

Leia mais

17º FESTIVAL BRASILEIRO DE CINEMA UNIVERSITÁRIO. 06.08 a 12.08 Rio de Janeiro 13.08 a 19.08 São Paulo

17º FESTIVAL BRASILEIRO DE CINEMA UNIVERSITÁRIO. 06.08 a 12.08 Rio de Janeiro 13.08 a 19.08 São Paulo 17º FESTIVAL BRASILEIRO DE CINEMA UNIVERSITÁRIO 06.08 a 12.08 Rio de Janeiro 13.08 a 19.08 São Paulo APRESENTAÇÃO O 17º Festival Brasileiro de Cinema Universitário acontecerá de 6 a 12 de agosto de 2012,

Leia mais

Guia de Produção da Música Independente Bahia

Guia de Produção da Música Independente Bahia Guia de Produção da Música Independente Bahia Memória do trabalho de conclusão do curso de Comunicação Social, com Habilitação em Produção em Comunicação e Cultura. Faculdade de Comunicação da Universidade

Leia mais

PESM PROJETO EU SOU DE MINAS PROPOSTA DE PARCERIA

PESM PROJETO EU SOU DE MINAS PROPOSTA DE PARCERIA PESM PROJETO EU SOU DE MINAS PROPOSTA DE PARCERIA Prestação de Serviço de Configuração de Portal de Cidade VISÃO GERAL PESM Projeto Eu Sou de Minas tem a satisfação de enviar esta proposta de serviços

Leia mais

PLANO DE AÇÕES SINDICAIS 2012 anexo ata de 03 de fevereiro de 2012 DEMANDA AÇÃO QUANDO FAZER COMO FAZER

PLANO DE AÇÕES SINDICAIS 2012 anexo ata de 03 de fevereiro de 2012 DEMANDA AÇÃO QUANDO FAZER COMO FAZER PLANO DE AÇÕES SINDICAIS 2012 anexo ata de 03 de fevereiro de 2012 DEMANDA AÇÃO QUANDO FAZER COMO FAZER 1.1-Reunião com a diretoria 1.1.1 03/02 ( sexta feira ) 17h 1.1.1.1 Convocar membros da diretoria

Leia mais

InfoReggae - Edição 15 Grupos: Afro Samba 18 de outubro de 2013. Coordenador Executivo José Júnior

InfoReggae - Edição 15 Grupos: Afro Samba 18 de outubro de 2013. Coordenador Executivo José Júnior O Grupo Cultural AfroReggae é uma organização que luta pela transformação social e, através da cultura e da arte, desperta potencialidades artísticas que elevam a autoestima de jovens das camadas populares.

Leia mais

CURSO DE MÚSICA - BACHARELADO

CURSO DE MÚSICA - BACHARELADO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO - CAC CURSO DE MÚSICA - BACHARELADO Coordenador do Curso: Prof. Rinaldo de Melo Fonseca IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. Denominação dos Cursos:

Leia mais

ENSINO MUSICAL NAS PERIFERIAS

ENSINO MUSICAL NAS PERIFERIAS ENSINO MUSICAL NAS PERIFERIAS Orientadora: Santuza Cambraia Naves Alunos: Tarso Soares Barreto e Deborah Raposo Introdução Esta pesquisa teve por objetivo avaliar e estudar instituições que têm como princípio

Leia mais

Atividades sociais pre -congresso (20 a 23/06/2015) e po s-congresso (28/06 a 01/07/2015):

Atividades sociais pre -congresso (20 a 23/06/2015) e po s-congresso (28/06 a 01/07/2015): Atividades sociais pre -congresso (20 a 23/06/2015) e po s-congresso (28/06 a 01/07/2015): Viagens de 20 a 23/06/2015 ou 28/06 a 01/07/2015 (4 dias) Viagem ao Rio de Janeiro Essa é a oportunidade de conhecer

Leia mais

Circuito Usiminas de Cultura

Circuito Usiminas de Cultura 5 Itaúna, 23 de maio de 2014 Miss Comerciária Estadual neste sábado Circuito Usiminas de Cultura resgatam histórias de Itaúna, poderá ser conferida no Varal Fotográfico, da CINEAR. Ele vai reunir fotografias

Leia mais

REGULAMENTO FESTIVAL NACIONAL FORRÓ DE ITAÚNAS. FENFIT -14ª Edição. CARTAS CONVITE para participação no Forró Festival London 2015, como

REGULAMENTO FESTIVAL NACIONAL FORRÓ DE ITAÚNAS. FENFIT -14ª Edição. CARTAS CONVITE para participação no Forró Festival London 2015, como REGULAMENTO FESTIVAL NACIONAL FORRÓ DE ITAÚNAS FENFIT -14ª Edição DE 19 A 26 DE JULHO DE 2014 As inscrições para o Festival Nacional forró de Itaúnas 14ª edição, estarão abertas do dia 01/04/2014 ao dia

Leia mais

REGULAMENTO. FESTIVAL NACIONAL FORRÓ DE ITAÚNAS FENFIT -13ª Edição DE 13 A 21 DE JULHO DE 2013

REGULAMENTO. FESTIVAL NACIONAL FORRÓ DE ITAÚNAS FENFIT -13ª Edição DE 13 A 21 DE JULHO DE 2013 REGULAMENTO FESTIVAL NACIONAL FORRÓ DE ITAÚNAS FENFIT -13ª Edição DE 13 A 21 DE JULHO DE 2013 As inscrições para o Festival Nacional forró de Itaúnas 13ª edição, estarão abertas do dia 25/04/2013 ao dia

Leia mais

Espaço Musical do Colégio Pedro II. Campus são Cristóvão II

Espaço Musical do Colégio Pedro II. Campus são Cristóvão II Espaço Musical do Colégio Pedro II Campus são Cristóvão II Institucionalizado pela portaria nº 1002 do ano de 2012, o Espaço Musical do Colégio Pedro II- Campus São Cristóvão II iniciou suas atividades

Leia mais

ESCOLA DE MÚSICA DA UFRJ CONCURSO NACIONAL DE CANTO LÍRICO / ÓPERA 2010 REGULAMENTO

ESCOLA DE MÚSICA DA UFRJ CONCURSO NACIONAL DE CANTO LÍRICO / ÓPERA 2010 REGULAMENTO ESCOLA DE MÚSICA DA UFRJ CONCURSO NACIONAL DE CANTO LÍRICO / ÓPERA 2010 REGULAMENTO CAPÍTULO I Dos objetivos Art. 1º O Concurso Nacional de Canto Lírico / Ópera 2010 da Escola de Música da UFRJ, tem por

Leia mais

PROVA ESCRITA DE EDUCAÇÃO MUSICAL. PRIMEIRA PARTE - QUESTÕES DISCURSIVAS (70 pontos)

PROVA ESCRITA DE EDUCAÇÃO MUSICAL. PRIMEIRA PARTE - QUESTÕES DISCURSIVAS (70 pontos) COLÉGIO PEDRO II DIRETORIA GERAL SECRETARIA DE ENSINO CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSORES DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO = 2002 = PRIMEIRA PARTE - QUESTÕES DISCURSIVAS (70 pontos) 1) Escreva uma notação rítmica

Leia mais

SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO Departamento Regional do Amapá MOSTRA DE MÚSICA SESCANTA AMAPÁ 2011 REGULAMENTO

SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO Departamento Regional do Amapá MOSTRA DE MÚSICA SESCANTA AMAPÁ 2011 REGULAMENTO SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO Departamento Regional do Amapá MOSTRA DE MÚSICA SESCANTA AMAPÁ 2011 REGULAMENTO O Serviço Social do Comércio - Departamento Regional no Amapá realiza a Mostra de Música SESCanta

Leia mais

S i n o p s e d o C D " A U T O R A L E A C Ú S T I C O D O S P É S À C A B E Ç A "

S i n o p s e d o C D  A U T O R A L E A C Ú S T I C O D O S P É S À C A B E Ç A S i n o p s e d o C D " A U T O R A L E A C Ú S T I C O D O S P É S À C A B E Ç A " Um CD totalmente executado por Glau Piva (todos os instrumentos e as vozes). As composições são inéditas, sendo todas

Leia mais

BITUCA: UNIVERSIDADE DE MÚSICA POPULAR

BITUCA: UNIVERSIDADE DE MÚSICA POPULAR BITUCA: UNIVERSIDADE DE MÚSICA POPULAR Tudo que o Ponto de Partida faz é impressionante. "A" Bituca é uma das coisas mais sérias criadas no Brasil nos últimos anos. Tem que se prestar atenção. Milton Nascimento

Leia mais

Informativo EDIÇÃO 12 ANO IV. Julho/ Agosto/ Setembro 2015. PACER comemora 12 anos de história DESTAQUES DESTA EDIÇÃO TRANSPORTE DE CARGAS:

Informativo EDIÇÃO 12 ANO IV. Julho/ Agosto/ Setembro 2015. PACER comemora 12 anos de história DESTAQUES DESTA EDIÇÃO TRANSPORTE DE CARGAS: EDIÇÃO 12 ANO IV (11) 3648-4700 / (21) 3161-8600 www.pacer.com.br Informativo Julho/ Agosto/ Setembro 2015 PACER comemora 12 anos de história DESTAQUES DESTA EDIÇÃO TRANSPORTE DE CARGAS: 10 ANOS PACER:

Leia mais

RAÏSSA LUMACK, Vice-Presidente de RH da Coca-Cola Brasil.

RAÏSSA LUMACK, Vice-Presidente de RH da Coca-Cola Brasil. 1 RAÏSSA LUMACK, Vice-Presidente de RH da Coca-Cola Brasil. O Informativo Previcoke (Fundo de Pensão da Coca-Cola Brasil) é feito para quem já pensa no amanhã e para quem quer começar a pensar. Aqui, você

Leia mais

Capitalizar é preciso!

Capitalizar é preciso! ME T A L C R E D Agosto/2009 C R E D Informativo Interno da Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Metalúrgicos da Grande São Paulo Ano 1 Nº 2 Capitalizar é preciso! A capitalização é um processo

Leia mais

Festival Estudantil da Música Brasileira

Festival Estudantil da Música Brasileira INTRODUÇÃO - PODER JOVEM Os festivais de música popular que foram, nos anos 1960 e 1970, o ponto culminante da cultura de massa no Brasil praticamente desapareceram no último quarto do século passado.

Leia mais

A Constituição Federal de 1988 estabeleceu:

A Constituição Federal de 1988 estabeleceu: A Constituição Federal de 1988 estabeleceu: Art. 8º É livre a associação profissional ou sindical, observado o seguinte: Art. 37º... VI - é garantido ao servidor público civil o direito à livre associação

Leia mais

Criação da Associação

Criação da Associação Primeira Edição 02/08/2013 ASPREVIC ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES DA PREVIC BOLETIM INFORMATIVO Nesta edição: Associe-se 2 Prestação de Contas 2 CNPJ 3 Desconto em Folha 3 Festa de final de ano 3 Site em Construção

Leia mais

EDITAL SELEÇÃO DE MÚSICAS - FEMUCIC/2015 OBJETO: SELEÇÃO DE MÚSICAS PARA O FEMUCIC ANO 37 MOSTRA DE MÚSICA CIDADE CANÇÃO- DO SESC MARINGÁ/2015

EDITAL SELEÇÃO DE MÚSICAS - FEMUCIC/2015 OBJETO: SELEÇÃO DE MÚSICAS PARA O FEMUCIC ANO 37 MOSTRA DE MÚSICA CIDADE CANÇÃO- DO SESC MARINGÁ/2015 EDITAL SELEÇÃO DE MÚSICAS - FEMUCIC/2015 OBJETO: SELEÇÃO DE MÚSICAS PARA O FEMUCIC ANO 37 MOSTRA DE MÚSICA CIDADE CANÇÃO- DO SESC MARINGÁ/2015 O SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO SESC, ADMINISTRAÇÃO REGIONAL

Leia mais

Pedro e o Lobo, Sinfonia dos Brinquedos e TOQUINHO

Pedro e o Lobo, Sinfonia dos Brinquedos e TOQUINHO Pedro e o Lobo, Sinfonia dos Brinquedos e TOQUINHO Especializados até no nome Música Clássica Para Todos Maestro León Halegua Cohen A P R E S E N T A Ç Ã O Apresentação O Melhor da Música Clássica para

Leia mais

FOYER DO TEATRO DO ESPAÇO TOM JOBIM

FOYER DO TEATRO DO ESPAÇO TOM JOBIM O INSTITUTO PAULO MOURA, um edifício digital pensado como uma plataforma de ações culturais e de ensino em torno da música instrumental, será inaugurado no próximo dia 19 de fevereiro em evento gratuito

Leia mais

João Donato multiplicado por dois Ele lança dois CDs, O Piano e Uma Tarde com Bud Shank, e se apresenta de hoje a domingo no Auditório Ibirapuera

João Donato multiplicado por dois Ele lança dois CDs, O Piano e Uma Tarde com Bud Shank, e se apresenta de hoje a domingo no Auditório Ibirapuera João Donato multiplicado por dois Ele lança dois CDs, O Piano e Uma Tarde com Bud Shank, e se apresenta de hoje a domingo no Auditório Ibirapuera Ouça trecho da faixa Manhã de Carnaval Beatriz Coelho Silva

Leia mais

O que é um Pocket Show? Somente banda pode fazer um Pocket Show? Posso fazer um Pocket Show com duas ou mais bandas? Qual é o cronograma?

O que é um Pocket Show? Somente banda pode fazer um Pocket Show? Posso fazer um Pocket Show com duas ou mais bandas? Qual é o cronograma? O que é um Pocket Show? Apesar de não ter limite de tempo, definimos Pocket Show como uma apresentação curta, em média 40 minutos, ou, em caso de bandas com muitos membros, uma apresentação com número

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO. CARAVANA DA MÚSICA Ano I

EDITAL DE CONVOCAÇÃO. CARAVANA DA MÚSICA Ano I EDITAL DE CONVOCAÇÃO DA MÚSICA Ano I SOBRE O PROJETO O Caravana da Música é um projeto patrocinado pela VIVO, através do Fazcultura, programa de incentivo fiscal da Secretaria de Cultura do Estado SECULT

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária Área de Comunicação Tecnologia em Produção Publicitária Curta Duração Tecnologia em Produção Publicitária CARREIRA EM PRODUÇÃO PUBLICITÁRIA Nos últimos anos, a globalização da economia e a estabilização

Leia mais

PORTO MARAVILHA CULTURA E INDÚSTRIA CRIATIVA

PORTO MARAVILHA CULTURA E INDÚSTRIA CRIATIVA PORTO MARAVILHA CULTURA E INDÚSTRIA CRIATIVA ALBERTO SILVA AGOSTO 2014 Quebra de Paradigmas Modelagem financeira inovadora, sem aplicação de recurso público Valorização do patrimônio histórico e cultural

Leia mais

Plano de Patrocínio LEI MUNICIPAL DE INCENTIVO A CULTURA

Plano de Patrocínio LEI MUNICIPAL DE INCENTIVO A CULTURA Plano de Patrocínio LEI MUNICIPAL DE INCENTIVO A CULTURA ROSA ARMORIAL PROCESSO: 112.504/11 C.E: 032/12 Patrocinadores Há uma obsessão com a idéia de que a única maneira de descrever o mundo seja através

Leia mais

Venha comemorar os 25 anos da Vida Jovem

Venha comemorar os 25 anos da Vida Jovem Maio 2012 São Paulo. Brasil www.vidajovem.org Venha comemorar os 25 anos da Vida Jovem Grande festa Vida Jovem 21.09.2012 Parece que foi ontem que começamos a escrever essa história tão transformadora.

Leia mais

18. TESTE DE HABILIDADE ESPECÍFICA, CAMPUS II CURITIBA

18. TESTE DE HABILIDADE ESPECÍFICA, CAMPUS II CURITIBA - Entrevista OBS: A prova poderá ser interrompida a qualquer momento a critério da banca examinadora. Violino Mecanismo em Sol Maior, em três oitavas (escala, os 7 arpejos, terças e cromática) de cor;

Leia mais

FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: 02.12.15 EDITORIA: NOTAS DA REDAÇÃO

FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: 02.12.15 EDITORIA: NOTAS DA REDAÇÃO FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: 02.12.15 EDITORIA: NOTAS DA REDAÇÃO VEÍCULO: NATAL NOTÍCIAS DATA: 02.12.15 01 Dez 2015 Presidente Marcelo Queiroz participa da 17ª Convenção do Comércio e Serviços

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA - A PRAÇA VAI VIRAR MAR

RELATO DE EXPERIÊNCIA - A PRAÇA VAI VIRAR MAR RELATO DE EXPERIÊNCIA - A PRAÇA VAI VIRAR MAR Comemoração do Dia Internacional do Meio Ambiente 05 de junho de 2014 A comemoração do dia internacional do meio ambiente faz parte do quadro de eventos programados

Leia mais

ETAPAS PARA PRODUZIR O SEU ARTISTA

ETAPAS PARA PRODUZIR O SEU ARTISTA ETAPAS PARA PRODUZIR O SEU ARTISTA Objetivo Desenvolver a gestão da carreira do artista, analisando o nicho em que o mesmo se enquadra, detectando e avaliando as oportunidades e ameaças. Somadas a estas

Leia mais

Programacao. programacao de aniversario

Programacao. programacao de aniversario Programacao programacao de aniversario Teatro de Tabuas comemora 13 anos com temporada em Campinas Duas estruturas itinerantes estarao em atividade O grupo Teatro de Tábuas, sediado na cidade de Campinas,

Leia mais

As consequências. Brasilidade

As consequências. Brasilidade O inicio No fim do século passado surgiu no cenário musical norte americano uma fusão chamada acid jazz, onde a harmonia e a melodia sofisticada do jazz encontravam os beats derivados do rap e do funk,

Leia mais

PROJETO PROFISSÕES. Entrevista com DJ

PROJETO PROFISSÕES. Entrevista com DJ Entrevista com DJ Meu nome é Raul Aguilera, minha profissão é disc-jóquei, ou DJ, como é mais conhecida. Quando comecei a tocar, em festinhas da escola e em casa, essas festas eram chamadas de "brincadeiras

Leia mais

Encontros Regionais da ABEM

Encontros Regionais da ABEM INFORMATIVO ELETRÔNICO 17 DA ABEM MAIO DE 2006 Prezados sócios, Estamos enviando o Informativo 17, referente ao mês de maio de 2006. Neste informativo apresentamos a chamada para novos sócios e alguns

Leia mais

Violão Popular. Prof. Juarez Barcellos. Violonistas, músicos, alunos, amigos e companhia, bem vindos!

Violão Popular. Prof. Juarez Barcellos. Violonistas, músicos, alunos, amigos e companhia, bem vindos! Violão Popular Prof. Juarez Barcellos Licença Creative Commons Violonistas, músicos, alunos, amigos e companhia, bem vindos! Em 2002, comecei a dar aulas particulares nas Em 2002, comecei a dar aulas particulares

Leia mais

CLIPPING DE IMPRENSA BANDA MAHALAB

CLIPPING DE IMPRENSA BANDA MAHALAB CLIPPING DE IMPRENSA BANDA MAHALAB Guia da Folha julho de 2010 Guia Sampa Online julho de 2010 Guia de Verão do SPTV, Rede Globo fevereiro de 2009 Rock solidário é opção para quem não quer sambar Para

Leia mais

Projeto Gravação CD Quantas Estações? e Turnê

Projeto Gravação CD Quantas Estações? e Turnê Projeto Gravação CD Quantas Estações? e Turnê Proposta de Patrocínio Projeto aprovado pela Lei Estadual de Incentivo à Cultura Processo de captação 2014 Descrição e objetivo do Projeto Gravação do CD "Quantas

Leia mais

Violão Clássico. Prof. Juarez Barcellos. Violonistas, músicos, alunos, amigos e companhia, bem vindos!

Violão Clássico. Prof. Juarez Barcellos. Violonistas, músicos, alunos, amigos e companhia, bem vindos! Violão Clássico Prof. Juarez Barcellos Licença Creative Commons Violonistas, músicos, alunos, amigos e companhia, bem vindos! Em 2002, comecei a dar aulas particulares nas Em 2002, comecei a dar aulas

Leia mais

Fecomércio-RJ realiza festa de confraternização no hotel Sheraton

Fecomércio-RJ realiza festa de confraternização no hotel Sheraton dezembro 2007, nº 014 Fecomércio-RJ realiza festa de confraternização no hotel Sheraton DESTAQUES: Secovi Rio recebe Medalha Tiradentes da Alerj Fecomércio-RJ discute a nova metodologia dos PIBs estaduais

Leia mais

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Nº 003/2015

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Nº 003/2015 EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Nº 003/2015 PROCESSO DE SELEÇÃO PARA INGRESSO DE ALUNOS AO CURSO BÁSICO DA ESCOLA MUNICIPAL DE MÚSICA MAESTRO IVAN SILVA. A Escola Municipal de Música Maestro Ivan Silva da

Leia mais

CONSERVATÓRIO MUSICAL BEETHOVEN www.beethoven.art.br beethoven@beethoven.art.br

CONSERVATÓRIO MUSICAL BEETHOVEN www.beethoven.art.br beethoven@beethoven.art.br Curso de Capacitação em Música para Professores do Ensino Médio, Fundamental 03 horas / semanais e Musicalização Infantil ( com base no PCN Artes ) VAGAS LIMITADAS FAÇA SUA PRÉ-RESERVA 10 meses ( inicio

Leia mais

TEMAS PARA BANCAS DE PSS ÁREA DE MÚSICA TODOS OS PROFESSORES DEVERÃO APRESENTAR O PLANO DE AULA PROCESSO SELETIVO

TEMAS PARA BANCAS DE PSS ÁREA DE MÚSICA TODOS OS PROFESSORES DEVERÃO APRESENTAR O PLANO DE AULA PROCESSO SELETIVO TEMAS PARA BANCAS DE PSS ÁREA DE MÚSICA TODOS OS PROFESSORES DEVERÃO APRESENTAR O PLANO DE AULA PROCESSO SELETIVO Componente Curricular OBOÉ FAGOTE FLAUTA TRANSVERSAL Temas respiração, aplicados ao ensino

Leia mais

Natura apresenta o Show de Lançamento do CD Lia Sophia

Natura apresenta o Show de Lançamento do CD Lia Sophia Natura apresenta o Show de Lançamento do CD Lia Sophia Lia Sophia mistura os ritmos locais com batidas internacionais, para criar uma música original e de alta qualidade. Ela não veio para ficar. Ela já

Leia mais

Festival de Musica de Juazeiro Edição 2008 FESTIVAL EDESIO SANTOS DA CANCAO TROFEU: 50 ANOS DE BOSSA. Art. 1 Da Promoção e Realização

Festival de Musica de Juazeiro Edição 2008 FESTIVAL EDESIO SANTOS DA CANCAO TROFEU: 50 ANOS DE BOSSA. Art. 1 Da Promoção e Realização Festival de Musica de Juazeiro Edição 2008 FESTIVAL EDESIO SANTOS DA CANCAO TROFEU: 50 ANOS DE BOSSA Art. 1 Da Promoção e Realização O FMJ O Festival de Musica de Juazeiro é uma promoção da Prefeitura

Leia mais

PRAIEIRO. Lili Araujo

PRAIEIRO. Lili Araujo PRAIEIRO Lili Araujo APRESENTAÇÃO: "PRAIEIRO" será o terceiro trabalho fonográfico solo da cantora e compositora carioca Lili Araujo. Haverá a produção de uma tiragem mínima do CD em formato físico (1.000

Leia mais

Apresentação. dessas atividades, a prefeitura disponibilizou um espaço com excelente infraestrutura. Gestão. Rádio Oficial CAMARA MUNICIPAL DE

Apresentação. dessas atividades, a prefeitura disponibilizou um espaço com excelente infraestrutura. Gestão. Rádio Oficial CAMARA MUNICIPAL DE Relatório Apresentação O distrito de Monte Verde recebeu entre os dias 29 de junho e 27 de julho, o Festival de Inverno de Monte Verde. Com duração de vinte e nove dias e uma programação diversificada

Leia mais

Público escolhe o repertório do próximo show de Oswaldo Montenegro. No mesmo ano: cinema, música, televisão e teatro

Público escolhe o repertório do próximo show de Oswaldo Montenegro. No mesmo ano: cinema, música, televisão e teatro Público escolhe o repertório do próximo show de Oswaldo Montenegro No mesmo ano: cinema, música, televisão e teatro Consagrado pela crítica e pelo público Para comemorar o sucesso de tantos lançamentos

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO PLANO DE COMUNICAÇÃO, PROGRAMAÇÃO PARALELA E SERVIÇOS. Comunicação Eventos Paralelos Espaços Diferenciados.

PLANO ESTRATÉGICO PLANO DE COMUNICAÇÃO, PROGRAMAÇÃO PARALELA E SERVIÇOS. Comunicação Eventos Paralelos Espaços Diferenciados. PLANO ESTRATÉGICO Comunicação Eventos Paralelos Espaços Diferenciados PLANO DE Serviços COMUNICAÇÃO, PROGRAMAÇÃO PARALELA E SERVIÇOS Prezado Expositor, É com muita satisfação que apresentamos o plano estratégico

Leia mais

Grupo NAVi * Núcleo de Audiovisual Atitude destina-se a produção de audiovisual, filmes e documentários e em 2012 realizamos o filme

Grupo NAVi * Núcleo de Audiovisual Atitude destina-se a produção de audiovisual, filmes e documentários e em 2012 realizamos o filme RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2012 ONG ATITUDE SOCIAL A ONG Atitude Social Ponto de Cultura Aos Pés do Santa Marta desenvolve, desde 2004, projetos voltados para inclusão social de crianças, jovens e adultos

Leia mais