PROJETO E CONSTRUÇÃO DE UM SISTEMA MICROCONTROLADO PARA O CONTROLE DE UM MANIPULADOR ROBÓTICO EDUCACIONAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROJETO E CONSTRUÇÃO DE UM SISTEMA MICROCONTROLADO PARA O CONTROLE DE UM MANIPULADOR ROBÓTICO EDUCACIONAL"

Transcrição

1 6º CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA DE FABRICAÇÃO 6 th BRAZILIAN CONFERENCE ON MANUFACTURING ENGINEERING 11 a 15 de abril de 2011 Caxias do Sul RS - Brasil April 11 th to 15 th, 2011 Caxias do Sul RS Brazil PROJETO E CONSTRUÇÃO DE UM SISTEMA MICROCONTROLADO PARA O CONTROLE DE UM MANIPULADOR ROBÓTICO EDUCACIONAL Armando Aguiar de Souza Cruz Neto, 1 Plínio Colen Bustamante, 1 Renato Zanetti, 2 Antônio Augusto Torres Maia, 1 1 Universidade Federal de Minas Gerais Departamento de Engenharia Mecânica, Av. Antônio Carlos, nº 6627 Pampulha Belo Horizonte MG CEP: Universidade Federal de Minas Gerais Departamento de Engenharia Elétrica, Av. Antônio Carlos, nº 6627 Pampulha Belo Horizonte MG CEP: Resumo: O projeto de um manipulador robótico pode ser dividido em três partes. Inicialmente é necessário dimensionar todos os elementos da estrutura e os mecanismos de acionamento. Em seguida é preciso projetar os circuitos eletrônicos que serão utilizados no acionamento dos motores e na comunicação com o computador. Por último é preciso escrever um software para realizar todos os cálculos necessários e converter os resultados obtidos no valor em que cada motor deverá ser posicionado para possibilitar alcançar um determinado ponto no espaço. Seguindo estas três etapas, o Grupo de Mecatrônica da UFMG desenvolveu um manipulador robótico, com cinco graus de liberdade, feito em material compósito. Apesar de o conjunto ter apresentado um desempenho muito bom e ter atendido aos requisitos de projeto da época, o sistema desenvolvido não dispõe de um controle simultâneo para todos os motores do manipulador. Com isso é necessário concluir a operação de um motor antes de iniciar a operação do seguinte. Além disso, o controle de velocidade dos motores é pouco eficiente e a interface com o usuário é limitada a alguns poucos recursos. Desta forma, neste trabalho, pretende-se projetar e construir um circuito microcontrolado para controlar o acionamento dos motores do manipulador de forma simultânea. Em paralelo será desenvolvido um software para controlar o posicionamento e a velocidade dos motores. Uma interface com o usuário será desenvolvida em um computador pessoal para facilitar a entrada de dados e a programação do manipulador. Palavras-chave: Manipulador Robótico, PIC, Microcontrolador, Robótica, Sistema Embarcado 1. INTRODUÇÃO A robótica industrial é um campo com um alto crescimento (Craig, 2005), devido principalmente ao fator econômico: os manipuladores robóticos industriais estão cada vez mais baratos, mais precisos, mais rápidos e mais flexíveis. A robótica industrial teve seu início na década de 60, juntamente com os sistemas CAD e CAM. Segundo Craig (2005), a robótica pode ser dividida em quatro áreas principais: Manipuladores Robóticos, Locomoção, Visão Computacional e Inteligência Artificial. Este estudo se situa dentro da área de Manipuladores Robóticos, que por sua vez se baseia em três grandes áreas do conhecimento: mecânica, teoria de controle e ciência da computação. No projeto do manipulador em estudo essas três áreas foram levadas em consideração, podendo subdividir o projeto em três módulos, como exemplificado na Fig.(1): o mecânico, o eletrônico e o computacional. O sistema é em malha aberta, sem retroalimentação para o circuito eletrônico. O posicionamento de um determinado servo-motor no ângulo desejado é realizado pelo circuito eletrônico presente em cada servo-motor. O circuito de controle envia o ângulo pretendido na forma de pulsos, cuja duração em nível lógico alto é proporcional ao ângulo desejado. Associação Brasileira de Engenharia e Ciências Mecânicas 2011

2 Estrutura mecânica e servo motores do manipulador. Circuito eletrônico e firmware do microncontrolador. Interface Gráfica, Algoritmos para o cálculo da cinemática inversa e da trajetória. Figura 1 - Projeto de um manipulador robótico separado em módulos No módulo mecânico é necessário dimensionar todos os elementos da estrutura e os mecanismos de acionamento, sendo aplicados diretamente os conhecimentos da mecânica. No módulo eletrônico é desenvolvida a parte de acionamentos elétricos de motores, a comunicação entre os componentes e a escolha do microcontrolador a ser utilizado. Por fim, o módulo computacional preocupa-se em desenvolver um algoritmo capaz de realizar os cálculos necessários para prever o comportamento do manipulador, determinar sua nova posição e enviar os comandos aos acionadores, necessitando de algum conhecimento em ciência da computação. Dependendo de como foi feito, esse algoritmo pode ser realizado tanto em um computador quanto num microcontrolador (μc). O grupo de mecatrônica da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) projetou e construiu um manipulador robótico usando materiais compósitos (Bustamante, 2009). Apesar de ter apresentado um desempenho muito bom e ter preenchido os requisitos de projeto da época, foram notados alguns problemas. O sistema desenvolvido não possui um sistema de controle simultâneo de todos os motores do manipulador, o controle de velocidade e aceleração são pouco eficientes e a interface gráfica com o usuário é limitada. O objetivo deste estudo é, a partir do trabalho realizado por Bustamante et al (2009), desenvolver e projetar um novo circuito microcontrolado para o acionamento simultâneo dos motores do manipulador, desenvolver um algoritmo capaz de realizar os cálculos de cinemática inversa e de trajetória do tipo junta a junta, controlar a velocidade e aceleração dos motores e criar uma interface gráfica no Matlab onde o usuário possa programar o manipulador. 2. MANIPULADOR ROBÓTICO O Manipulador Robótico foi desenvolvido pelo Laboratório de Controle e Automação do Departamento de Engenharia Mecânica da UFMG. Ele é um manipulador com cinco graus de liberdade do tipo cilíndrico. Seu projeto foi feito utilizando o software SolidWorks (Bustamante, 2009). O Manipulador robótico utiliza sete servomotores, seis para a movimentação das cinco juntas e um para a movimentação da garra, como mostrado na Fig. (2). A junta 2, por apresentar um maior esforço, utiliza dois motores para sua movimentação. Cada junta possui um ângulo, referenciado à haste a que está conectado. Junta 4 Junta 3 Junta 5 Garra Junta 2 Junta 1 Figura 2 - Representação do manipulador utilizado O circuito eletrônico de controle utilizado por Bustamante et al (2009), consiste basicamente de um PIC16F877A da Microchip Technology Inc., um circuito de alimentação do PIC e dos servomotores e um CI para comunicação RS- 232 via serial. Para esta primeira versão do sistema, o software para o cálculo das trajetórias e da cinemática inversa foram feitos em linguagem G, utilizando o software Labview da National Instruments Inc. 3. PROJETO Utilizando o manipulador robótico supracitado, foram projetados os novos circuitos eletrônicos de controle e acionamento dos motores, e os softwares do PIC e da Interface Gráfica. Para facilitar os cálculos e melhorar a eficiência do algoritmo de cinemática inversa, a cinemática do manipulador foi desenvolvida sob a perspectiva de coordenadas cilíndricas.

3 O circuito eletrônico foi feito em quatro etapas: concepção, simulação, protótipo e construção. A concepção, como etapa inicial, foi a identificação dos problemas e suas possíveis soluções. Uma vez escolhida a solução, foram feitas simulações para comprovação de sua eficácia e, logo em seguida, seguiu-se a fase de montagem e testes dos protótipos. Com os protótipos testados, procurou-se dar uma forma final ao circuito eletrônico fazendo o layout de uma placa de circuito impresso (PCB) e posterior confecção. Em paralelo, o software do PIC e da Interface Gráfica foram desenvolvidos Cinemática A cinemática pode ser calculada tanto diretamente quanto inversamente. Na cinemática direta têm-se os valores dos ângulos das juntas do manipulador e encontra-se a ponta da ferramenta do manipulador no espaço, juntamente com a sua orientação. Na cinemática inversa têm-se o ponto no espaço da ponta da ferramenta, juntamente com a sua orientação, e encontram-se quais devem ser os ângulos das juntas do manipulador, o que muitas vezes incorre em duas ou mais soluções. No uso prático de um manipulador robótico o segundo caso é o mais frequente. Para se obter as equações da cinemática inversa, primeiramente devem ser encontradas as equações da cinemática direta, e a partir dela, desenvolver equações para a cinemática inversa. Neste caso, tem-se como entrada os ângulos das juntas 1 a 5, referenciados como θ 1 a θ 5, e como saída a posição no espaço da ponta da ferramenta (X, Y e Z) e a sua orientação (alpha, beta e gama). Na Figura (3) são mostrados as posições e os ângulos de orientação, e sua transformação para coordenadas cilíndricas. Neste caso, as coordenadas X, Y e Z são transformadas para theta, R e Z, com theta igual a θ 1. Os ângulos alpha, beta e gama podem ser reduzidos para θ 5 e alpha, sendo este último o ângulo entre o plano x-y e o eixo da junta 5. Figura 3 - Coordenadas cartesianas e cilíndricas do manipulador robótico. Baseado no plano formado por R e Z, tem-se as Eq. (1) e (2). (1) (2) A partir das equações da cinemática direta, são encontradas as da cinemática inversa, dadas pelas Eq. (3), (4) e (5). (3) (4) (5) Essas equações podem ser resolvidas sem muitas iterações usando o método de Newton-Raphson. Existem duas soluções, como demonstrado na Fig.(4), para esse sistema de equações. Além disso, existe um limite físico para o valor dos ângulos das juntas e do comprimento do braço robótico, chamado área de trabalho do manipulador. Uma vez encontrada as soluções, deve-se descartar aquelas que não se encontram dentro dessa área de trabalho do manipulador, e escolher aquela que for mais conveniente (mais próxima do último conjunto de juntas) ou o primeiro ponto.

4 Figura 4 - Soluções Possíveis para a cinemática inversa Apesar de simplificar os cálculos e a modelagem do manipulador a apenas um plano com duas incógnitas e duas soluções, este tipo de solução não possibilita o uso da notação de Denavit-Hartenberg, o que significa que qualquer alteração na posição da base das coordenadas ou na orientação da ferramenta deve ser seguida de alteração ou mesmo de nova formulação das equações Circuito Eletrônico O circuito projetado, visto na Fig. (5), utiliza o µc PIC18F4550 da Microchip Technolgy Inc. com comunicação USB, utilizando o protocolo HID (Human Device Interface). Este protocolo é muito utilizado em mouses, teclados e outros dispositivos. A sua grande vantagem é a possibilidade do periférico ser automaticamente reconhecido pelo computador assim que é conectado (plug-and-play). Assim que o manipulador é conectado, o computador identifica o dispositivo e configura a porta de comunicação automaticamente. O PIC 18F4550 possui uma memória de programa de 32 kb e uma memória de Dados de 2 kb, com capacidade de processamento 2 vezes maior que o PIC16. A parte inovadora do circuito é a utilização dos Timers Programáveis 8253 da Intel. Figura 5 - Layout do PCB feito no software Eagle Utilizando o 8253, é possível controlar os servomotores sem a necessidade de ocupar o PIC computacionalmente. A tarefa do PIC passa a ser de monitoramento do manipulador robótico e configuração dos Apenas um CI 8253 pode ser acessado por vez durante a configuração da posição dos motores, através de uma lógica digital utilizando-se portas, onde a saída será zero para o CI escolhido e um para os demais, porém essa configuração não demora mais que alguns microssegundos, e não interrompe a geração das funções de controle. As funções de controle são pulsos periódicos de 50 Hz, onde o tempo em que o pulso permanece em nível lógico alto indica a posição em que o servomotor deve se movimentar. Este tempo t, representado na Fig. (6), deve variar entre um mínimo de 200 (o menor ângulo possível do servomotor) e um máximo de 2000 microsegundos (o maior ângulo possível), dos 20 milisegundos totais da onda. Cada tempo no servomotor representará um ângulo diferente, sendo que esses limites e a posição a que eles se referem variarão para cada servomotor. Esta função é gerada continuamente pelos 8253, onde a velocidade e aceleração dos motores são controladas pelo incremento gradual da posição a cada ciclo de onda, partindo-se da posição que o motor se encontra para a posição desejada. A saída dos motores é habilitada por um bit de controle, onde caso este bit seja zero, a saída desligará os motores, e caso seja um, permitirá o envio da função.

5 Figura 6 - Pulso de Onda Gerada para controle dos servomotores Como o sistema funciona em malha aberta, não é possível saber a posição em que o manipulador se encontra. Desta forma, o manipulador grava a última posição do manipulador na EEPROM do PIC e, ao ser reiniciado, ele busca estas informações. Caso a posição tenha sido alterada, isso deve ser informado ao software de controle, para que este posicione o manipulador em um ponto de referência padrão Interface Gráfica A Interface Gráfica (GUI) foi desenvolvida utilizando o software Matlab do Mathworks Inc. Essa interface realiza os cálculos de trajetória e da cinemática inversa do manipulador, e comunica-se, utilizando o protocolo HID, com o PIC. A interface Gráfica é dotada de três áreas com funções distintas, como visto na Fig.(7). Na esquerda da tela é apresentado as coordenadas de posição X, Y e Z (cartesianas), assim como as coordenadas de posição theta, R e Z (cilíndricas) e as variáveis de entrada da orientação de rotação desejada do manipulador da junta 5 e alpha. Apesar dos cálculos serem em coordenadas cilíndricas, o usuário pode entrar com os dados em coordenadas cartesianas. Os ângulos de rotação (Junta 5 e alpha ) são os mesmos em ambos os casos. Em seguida, basta clicar no botão Mover da coordenada escolhida. Caso a GUI esteja conectada com o manipulador, este também irá movimentar-se para o ponto escolhido. A comunicação entre a GUI e o PIC é feita utilizando um protocolo proprietário, onde são enviados caracteres que identificam os comandos e os motores, além de quatro bytes extras para indicar o tempo desejado da onda a ser gerada. Independente da conexão com o manipulador, a GUI irá esboçar no gráfico 3D a nova posição do braço robótico. Na direita existe uma lista onde são guardados os pontos marcados pelo botão Marcar Ponto, que utilizará as coordenadas da posição atual mostrada no gráfico 3D. Para marcar novos pontos, é necessário primeiro mover o braço para uma nova posição, usando o botão Mover explicitado anteriormente, e então marcar este novo ponto. Os pontos marcados serão usados para o cálculo da geração de trajetória do tipo Junta a Junta (o movimento Linear será implementado posteriormente). No movimento Junta a Junta, descrito em Craig (2005), o manipulador move-se de um ponto para o outro gastando o mesmo tempo de acionamento a uma velocidade constante para cada motor. No movimento Linear, a velocidade de junta não é constante, mas a trajetória entre um ponto a outro é linear e possui uma velocidade constante. Figura 7 - Interface Gráfica desenvolvida em Matlab

6 OSC2 OSC1 6 º C O N G R E S S O B R A S I L E I R O D E E N G E N H A R I A D E F A B R I C A Ç Ã O 1 1 a 1 5 d e A b r i l d e C a x i a s d o S u l - RS Uma vez definido esses pontos, basta apertar o botão executar. Caso se deseje que este movimento permaneça em loop, basta selecionar a opção Executar em Loop. A GUI comunica-se com o PIC e envia os comandos que farão o manipulador mover-se. As trajetórias não são simuladas pela GUI. 4. MONTAGEM E RESULTADOS Em um primeiro momento, o circuito eletrônico projetado foi simulado no software Proteus, demonstrado na Fig.(8), com todas as funcionalidades previstas, utilizando o PIC16F877A. Apesar do sucesso da simulação, tornou-se claro que a pequena memória de programação e o clock máximo (20MHz) do PIC16F877A trariam problemas durante o desenvolvimento da aplicação. Uma segunda simulação foi feita utilizando o PIC18F4550 que possui maior capacidade de processamento (48MHz), de memória e com conexão USB. SELMOTOR0 SELMOTOR0 SELMOTOR1 R8 10k C2 U3 SELMOTOR1 U13 NOT MCLR SELMOTOR0 U4 U12 U15 CHIP3 CHIP1 CHIP2 OSC2 OSC1 RB4 C3 470nF U19 R/AN0 RC0/T1OSO/T1CKI R/AN1 RC1/T1OSI/CCP2/UOE RA2/AN2/VREF-/CVREF RC2/CCP1/P1A RA3/AN3/VREF+ RC4/D-/VM RA4/T0CKI/C1OUT/RCV RC5/D+/VP RA5/AN4/SS/LVDIN/C2OUT RC6/TX/CK RA6/OSC2/CLKO RC7/RX/DT/SDO OSC1/CLKI RB0/AN12/INT0/FLT0/SDI/SDA R/SPP0 RB1/AN10/INT1/SCK/SCL R/SPP1 RB2/AN8/INT2/VMO R/SPP2 RB3/AN9/CCP2/VPO R/SPP3 RB4/AN11/KBI0/CSSPP R/SPP4 RB5/KBI1/PGM R/SPP5/P1B RB6/KBI2/PGC R/SPP6/P1C RB7/KBI3/PGD R/SPP7/P1D RE0/AN5/CK1SPP RE1/AN6/CK2SPP RE2/AN7/OESPP VUSB RE3/MCLR/VPP PIC18F D- D+ SELMOTOR1 SELMOTOR0 MCLR X1 22p C1 22p R7 10k RB4 OUT1 U1 R0 Q0 Clock4mhz CHIP1 U14 CLK MR Q0 Q1 Q2 Q3 Q4 Q5 Q6 Q7 Q8 Q9 Q10 Q11 MOTORES0 CS 8253A CLK0 GATE0 OUT0 CLK1 GATE1 OUT1 CLK2 GATE2 OUT2 250kHz CHIP KHZ CS OUT1 OUT2 MOTORES2 8253A CHIP CLK0 GATE0 OUT0 CLK1 GATE1 OUT1 CLK2 GATE2 OUT2 U2 NOT MOTORES1 CS 8253A OUT6 OUT7 CLK0 GATE0 OUT0 CLK1 GATE1 OUT1 CLK2 GATE2 OUT2 1MHZ OUT OUT2 OUT3 OUT4 OUT5 OUT6 OUT3 OUT7 OUT4 1MHZ OUT5 OUT8 U5 U6 U7 U8 U9 U10 U11 R1 R2 R3 R4 R5 R6 R9 Q1 Q2 Q3 Q4 Q5 Q6 Q7 LED-RED Figura 8 - Simulação do circuito feita no Proteus

7 Figura 9 - Resultado de uma simulação vista no Osciloscópio A Figura (9) mostra a saída dos timers 8253 no Osciloscópio da simulação com o Proteus. Para que os sinais sejam utilizados nos motores, basta inverte-las numa porta NOT, como visto no diagrama da Fig. (8). Cada motor está configurado numa posição diferente, facilmente verificado pelo tempo em nível zero que a onda permanece. Deste modo, todos os motores são acionados simultaneamente, sem a necessidade direta do PIC na geração das ondas. Figura 10 - Protótipo Montado do circuito de Controle do Manipulador

8 Com o protótipo montado, Fig.(10), foram realizados testes para confirmar as seguintes funcionalidades: acionamento simultâneo de todos os motores do manipulador, verificação pelo Osciloscópio do controle de velocidade e aceleração, comunicação HID via USB e capacidade de transmissão de comandos da Interface Gráfica para o PIC. O protótipo funcionou perfeitamente em todos esses quesitos. Figura 11 - Imagem do circuito com a saída do comando dos motores no Osciloscópio. A fase final do projeto foi a construção da placa de circuito impresso, utilizando o layout mostrado da Fig. (5), e visto na Fig. (11). Foram realizados os mesmo testes feitos no protótipo. 5. DISCUSSÃO Em relação a Bustamante et al(2009), pode-se afirmar que houve uma grande melhoria no software e no hardware de controle do manipulador robótico. O projeto mecânico original do manipulador não foi alterado, mas os demais módulos foram substituídos ou modificados. O manipulador agora é capaz de realizar movimentos simultâneos sem a necessidade de intervenção direta do PIC ou do programador. Com a movimentação simultânea dos motores, além da diminuição do tempo necessário à movimentação para um ponto, é possível realizar movimentos do tipo junta a junta, com a possibilidade futura dos movimentos linear e circular. Outro problema do projeto original era a grande velocidade e aceleração a qual a estrutura do manipulador estava submetida. Com o controle de velocidade, os movimentos tornaram-se mais suaves diminuindo os esforços associados à inércia do manipulador no momento da partida e da parada do sistema. Este aspecto também pode contribuir para o aumento da vida útil do manipulador. A utilização de comunicação USB é outro ponto importante, pois não há mais a necessidade de comprar conversores USB-Serial para a comunicação com o microcontrolador. A acurácia e repetibilidade do manipulador não foram testadas com o novo circuito. Bustamante (2009) fez esses testes com o circuito antigo, onde foram colocados quatro pontos a serem alcançados pelo robô, e testados três vezes cada um. Os valores encontrados foram +2 mm e 5 mm para o eixo X, +1 mm e -4 mm no eixo Y e +5 mm e -8 mm no eixo Z. De acordo com Bustamante (2009), o eixo Z é o mais problemático, porque depende de motores que não conseguem sustentar o conjunto quando são desligados. Acredita-se que com a utilização simultânea e ininterrupta dos motores, a acurácia e repetibilidade do manipulador sejam melhoradas, dependendo apenas da precisão do próprio servo-motor, dos deslocamentos devido às folgas existentes na estrutura e das deformações sofridas em virtude do peso do conjunto. Um sistema semelhante encontrado na literatura é descrito em PIC Robotics (2004), demonstrando como fazer um braço robótico de cinco graus de liberdade em alumínio. Apesar de semelhante na concepção, a estrutura é de alumínio

9 e utiliza braços menores. Ele também apresentava o mesmo problema encontrado em Bustamante et al (2009), ao ter a capacidade de movimentar apenas um motor por vez, pois a geração da onda é feito pelo PIC. Deve-se salientar que é possível movimentar mais de um motor simultaneamente utilizando-se o PIC, mas isso exige uma programação complexa, que pode encontrar limitação no tamanho da memória do PIC utilizado ou na capacidade de processamento. Pode-se utilizar os timers para a marcação do tempo, como indicado por Sandhu (2009), ao invés de utilizar a CPU para a contagem, porém fica limitado na quantidade presente de timers, que normalmente não passa de três. O PIC possui PWM, porém sua utilização é inviável, pois ele possui uma frequência mínima de 180 Hz (para um clock de 48 MHz), que é acima da utilizada nos servomotores (50Hz). Um ponto ainda vulnerável do sistema é a utilização de malha aberta para indicar a posição do manipulador. Isso torna o controle de velocidade e aceleração imprecisos, principalmente nos motores que necessitam de mais torque, como os da junta 2 e 3 (Fig. (2)). Um trabalho futuro seria a utilização de sensores de posição nos motores, e a confecção de uma malha retroalimentada. 6. CONCLUSÃO O Sistema desenvolvido apresenta todas as funcionalidades previstas em projeto, com a construção de uma placa de circuito impressa responsável pelo controle do manipulador, além do desenvolvimento do firmware do PIC18F e do software em Matlab. A utilização do sistema pelos alunos do Lab. de Automação e Controle poderá ser feita somente pela Interface Gráfica, sem o conhecimento de programação de microcontroladores, atingindo assim seu objetivo didático. Devido ao baixo custo dos componentes do circuito (o componente mais caro é o PIC), obteve-se um sistema de manipulador robótico similar ao utilizado nas indústrias a um custo extremamente baixo. Outro ponto é a importância da separação do projeto em módulos onde, desde que mantidos os parâmetros de entrada e saída entre eles, podem ser modificados ou substituídos livremente. 7. AGRADECIMENTOS Agradecimentos especiais ao Programa de Monitoria da Graduação e ao departamento de Engenharia Mecânica. 8. REFERÊNCIAS Bustamante, P. C., Maia, A. A. T., 2009, Projeto e Construção de um Manipulador Robótico Educacional Feito em Material Compósito, 5 Congresso Brasileiro de Engenharia de Fabricação, 2009, Belo Horizonte. Bustamante, P.C., 2009, Implementação de software de comando para robô manipulador, Trabalho de Graduação, UFMG, Belo Horizonte. Craig, John J., 2005, Introduction to Robotics Mechanics and Control, Third Edition, Pearson Prentice Hall Iovine, John, 2004, PIC Robotics A Beginner s Guide to Robotics Projects Using the PICmicro, McGraw-Hill Sandhu, Harprit S., 2009, Running Small Motors with PIC Microcontrollers, McGraw-Hill 9. DIREITOS AUTORAIS Os autores são os únicos responsáveis pelo conteúdo do material impresso incluído no seu trabalho.

10 6º CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA DE FABRICAÇÃO 6 th BRAZILIAN CONFERENCE ON MANUFACTURING ENGINEERING 11 a 15 de abril de 2011 Caxias do Sul RS - Brasil April 11 th to 15 th, 2011 Caxias do Sul RS Brazil PROJECT AND CONSTRUCTION OF A MICROCONTROLED SYSTEM TO THE EDUCATIONAL MECHANICAL MANIPULATOR CONTROL Armando Aguiar de Souza Cruz Neto, 1 Plínio Colen Bustamante, 1 Renato Zanetti, 2 Antônio Augusto Torres Maia, 1 1 Universidade Federal de Minas Gerais Departamento de Engenharia Mecânica, Av. Antônio Carlos, nº 6627 Pampulha Belo Horizonte MG CEP: Universidade Federal de Minas Gerais Departamento de Engenharia Elétrica, Av. Antônio Carlos, nº 6627 Pampulha Belo Horizonte MG CEP: Abstract: The project of a robotic manipulator could be divided in three parts. Firstly, it is necessary to dimension all the structural elements and the actuators mechanisms. In addition, an electronic circuit to perform the motors control and communication between the computer and the microcontroller must be projected. It is important a software to perform all the calculations and to convert the obtained results in values understandable by the motors to reach certain point in his workspace. Following these three steps, the UFMG Mechatronic Group developed a robotic manipulator, with five degrees of freedom, build in composite material. Despite the good performance, the developed system does not have a simultaneous control of all the servomotors manipulator. Because of that, it is necessary to finish the control of one servomotor before going to the next. Nevertheless, the velocity control is ineffective and the graphical interface is limited to some few resources. In this way, this work aim is to project and to build a microcontrolled circuit to control the servomotors of the manipulator in a simultaneous way. In parallel will be designed and written a software to control the position and velocity of the servomotors. A graphical user interface will be developed in a personal computer to make easier to the user to communicate with the manipulator, as well to programming it. Keywords: Robotic Manipulator, PIC, Microcontroller, Robotics, Embebbed System Associação Brasileira de Engenharia e Ciências Mecânicas 2011

ROBÔ MANIPULADOR RP COM GARRA

ROBÔ MANIPULADOR RP COM GARRA ROBÔ MANIPULADOR RP COM GARRA José Alberto Naves Cocota Júnior 1 1 Universidade Federal de Ouro Preto, Escola de Minas - Campus Morro do Cruzeiro, cocotajr@yahoo.com.br Resumo Neste trabalho propõe-se

Leia mais

GUINDASTE CONTROLADO POR PC ATRAVÉS DE INTERFACE SERIAL RS- 232

GUINDASTE CONTROLADO POR PC ATRAVÉS DE INTERFACE SERIAL RS- 232 GUINDASTE CONTROLADO POR PC ATRAVÉS DE INTERFACE SERIAL RS- 232 Carlos Renato Borges dos Santos Instituto Federal de Minas Gerais - IFMG Departamento de Engenharia Elétrica Campus Formiga MG carlos.renato@ifmg.edu.br

Leia mais

O USO DE UM SENSOR DE LUZ LINEAR COMO RECURSO DIDÁTICO PARA DEMONSTRAR PRINCÍPIOS DE DIFRAÇÃO E ESPECTROSCOPIA

O USO DE UM SENSOR DE LUZ LINEAR COMO RECURSO DIDÁTICO PARA DEMONSTRAR PRINCÍPIOS DE DIFRAÇÃO E ESPECTROSCOPIA Quim. Nova, Vol. 38, No. 3, S1-S6, 2015 O USO DE UM SENSOR DE LUZ LINEAR COMO RECURSO DIDÁTICO PARA DEMONSTRAR PRINCÍPIOS DE DIFRAÇÃO E ESPECTROSCOPIA Fernando Arruda Mendes de Oliveira a,b, Eduardo Ribeiro

Leia mais

Notas de Aplicação. Utilizando ZAP500 com. Encoders. HI Tecnologia. Documento de acesso publico / corporativo

Notas de Aplicação. Utilizando ZAP500 com. Encoders. HI Tecnologia. Documento de acesso publico / corporativo Notas de Aplicação Utilizando ZAP500 com Encoders HI Tecnologia Documento de acesso publico / corporativo ENA.00015 Versão 1.01 dezembro-2013 HI Tecnologia Utilizando ZAP500 com Encoders Apresentação Esta

Leia mais

5 Sistema Experimental

5 Sistema Experimental 5 Sistema Experimental Este capitulo apresenta o sistema experimental utilizado e é composto das seguintes seções: - 5.1 Robô ER1: Descreve o robô utilizado. É dividida nas seguintes subseções: - 5.1.1

Leia mais

Fundamentos de Automação. Controladores

Fundamentos de Automação. Controladores Ministério da educação - MEC Secretaria de Educação Profissional e Técnica SETEC Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Rio Grande Fundamentos de Automação Controladores

Leia mais

Curso Automação Industrial Aula 2 Estrutura e características Gerais dos Robôs. Prof. Giuliano Gozzi Disciplina: CNC - Robótica

Curso Automação Industrial Aula 2 Estrutura e características Gerais dos Robôs. Prof. Giuliano Gozzi Disciplina: CNC - Robótica Curso Automação Industrial Aula 2 Estrutura e características Gerais dos Robôs Prof. Giuliano Gozzi Disciplina: CNC - Robótica Cronograma Introdução a Robótica Estrutura e Características Gerais dos Robôs

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM ROBÔ MANIPULADOR INDUSTRIAL

DESENVOLVIMENTO DE UM ROBÔ MANIPULADOR INDUSTRIAL 1 DESENVOLVIMENTO DE UM ROBÔ MANIPULADOR INDUSTRIAL Carlos Henrique Gonçalves Campbell Camila Lobo Coutinho Jediael Pinto Júnior Associação Educacional Dom Bosco 1. Objetivo do Trabalho Desenvolvimento

Leia mais

Curso Automação Industrial Aula 3 Robôs e Seus Periféricos. Prof. Giuliano Gozzi Disciplina: CNC - Robótica

Curso Automação Industrial Aula 3 Robôs e Seus Periféricos. Prof. Giuliano Gozzi Disciplina: CNC - Robótica Curso Automação Industrial Aula 3 Robôs e Seus Periféricos Prof. Giuliano Gozzi Disciplina: CNC - Robótica Cronograma Introdução a Robótica Estrutura e Características Gerais dos Robôs Robôs e seus Periféricos

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE BRAÇO MECÂNICO COM CONTROLE DIGITAL PARA APRESENTAÇÃO EM ESCOLAS DO ENSINO MÉDIO: A ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO EM SISTEMAS CONTROLE

DESENVOLVIMENTO DE BRAÇO MECÂNICO COM CONTROLE DIGITAL PARA APRESENTAÇÃO EM ESCOLAS DO ENSINO MÉDIO: A ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO EM SISTEMAS CONTROLE DESENVOLVIMENTO DE BRAÇO MECÂNICO COM CONTROLE DIGITAL PARA APRESENTAÇÃO EM ESCOLAS DO ENSINO MÉDIO: A ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO EM SISTEMAS CONTROLE Ewerton C. L. de Oliveira ewerton.o43@gmail.com Allan D.

Leia mais

SISTEMA DE APOIO A DECISÃO UTILIZANDO REALIDADE VIRTUAL E AUMENTADA

SISTEMA DE APOIO A DECISÃO UTILIZANDO REALIDADE VIRTUAL E AUMENTADA SISTEMA DE APOIO A DECISÃO UTILIZANDO REALIDADE VIRTUAL E AUMENTADA Kenedy Lopes Nogueira. Edgard Lamounier, Gerson F. Lima klnogueira@hotmail.com, elamounier@gmail.com Universidade Federal de Uberlândia

Leia mais

PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO DE MESA TRIDIMENSIONAL PARA TOPOGRAFIA A LASER E MOVIMENTAÇÃO EM SOLDAGEM

PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO DE MESA TRIDIMENSIONAL PARA TOPOGRAFIA A LASER E MOVIMENTAÇÃO EM SOLDAGEM CONVÊNIOS CNPq/UFU & FAPEMIG/UFU Universidade Federal de Uberlândia Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação DIRETORIA DE PESQUISA COMISSÃO INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2008 UFU 30 anos PROPOSTA

Leia mais

Projeto de controle e Automação de Antena

Projeto de controle e Automação de Antena Projeto de controle e Automação de Antena Wallyson Ferreira Resumo expandido de Iniciação Tecnológica PUC-Campinas RA: 13015375 Lattes: K4894092P0 wallysonbueno@gmail.com Omar C. Branquinho Sistemas de

Leia mais

AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL INTRODUÇÃO A ROBÓTICA

AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL INTRODUÇÃO A ROBÓTICA AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL INTRODUÇÃO A ROBÓTICA CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Microcontroladores - Hardware Microcontroladores - Software Visão Geral de um Robô Manipulador Constituição Básica de um Robô Industrial

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE EXPERIMENTOS LABORATORIAIS PARA O ENSINO DE MECATRÔNICA

DESENVOLVIMENTO DE EXPERIMENTOS LABORATORIAIS PARA O ENSINO DE MECATRÔNICA DESENVOLVIMENTO DE EXPERIMENTOS LABORATORIAIS PARA O ENSINO DE MECATRÔNICA Gilva Altair Rossi 1 ; José Maria Galvez 2 ; Douglas Iceri Lasmar 3 Universidade Federal de Minas Gerais, Departamento de Engenharia

Leia mais

Comunicado à Imprensa

Comunicado à Imprensa Interpack 2014 Página 1 de 6 Beckhoff na feira Interpack 2014, em Düsseldorf: ao ar livre FG 15-1 Fórum de Soluções Beckhoff: embalagem com economia de recursos com controle baseado em PC A Beckhoff está

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA DE CONTROLE EM MALHA FECHADA PARA UM BRAÇO ROBÓTICO DO TIPO PUMA

DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA DE CONTROLE EM MALHA FECHADA PARA UM BRAÇO ROBÓTICO DO TIPO PUMA DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA DE CONTROLE EM MALHA FECHADA PARA UM BRAÇO ROBÓTICO DO TIPO PUMA Daniel Teodoro Gonçalves Mariano, Carlos Augusto Bissochi Junior (Dr.), Felipe Adriano da Silva Gonçalves,

Leia mais

CONTROLE DE UM SERVO MOTOR

CONTROLE DE UM SERVO MOTOR CONTROLE DE UM SERVO MOTOR Versão 2014 RESUMO Esta experiência tem como objetivo a familiarização e o projeto de um circuito de controle simples de um servo motor. A parte experimental inclui atividades

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UMA INTERFACE GRÁFICA PARA INTERAÇÃO HOMEM-COMPUTADOR EM UM KIT DIDÁTICO MICROCONTROLADO

DESENVOLVIMENTO DE UMA INTERFACE GRÁFICA PARA INTERAÇÃO HOMEM-COMPUTADOR EM UM KIT DIDÁTICO MICROCONTROLADO DESENVOLVIMENTO DE UMA INTERFACE GRÁFICA PARA INTERAÇÃO HOMEM-COMPUTADOR EM UM KIT DIDÁTICO MICROCONTROLADO Luiz Gustavo C. Machado gu-castilho@live.com Bruno A. Angélico bangelico@utfpr.edu.br Arthur

Leia mais

ENCODERS. Fig 1 - Princípio de funcionamento de um encoder rotativo.

ENCODERS. Fig 1 - Princípio de funcionamento de um encoder rotativo. ENCODERS Este é sem dúvida nenhuma um dos equipamentos mais usados em Automação Industrial e Mecatrônica, pois com ele conseguimos converter movimentos angulares e lineares em informações úteis à nossa

Leia mais

TÍTULO: BRAÇO MECÂNICO AUTOMATIZADO USANDO UM CONTROLADOR ARDUINO GUIADO POR UM SENSOR DE COR RGB

TÍTULO: BRAÇO MECÂNICO AUTOMATIZADO USANDO UM CONTROLADOR ARDUINO GUIADO POR UM SENSOR DE COR RGB TÍTULO: BRAÇO MECÂNICO AUTOMATIZADO USANDO UM CONTROLADOR ARDUINO GUIADO POR UM SENSOR DE COR RGB CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO

Leia mais

AUTOR(ES): JOÃO FRIEDMANN SOBRINHO, ERIK GIL PINTO, MARCOS ZAMPAOLO DA ROSA

AUTOR(ES): JOÃO FRIEDMANN SOBRINHO, ERIK GIL PINTO, MARCOS ZAMPAOLO DA ROSA Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: FRESADORA CNC DIDÁTICA PROGRAMADA POR CLP CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E TECNOLOGIAS

Leia mais

Encoder de Quadratura

Encoder de Quadratura R O B Ó T I C A Sensor Smart de Quadratura Versão Hardware:. Versão Firmware: 2. REVISÃO 2.9 Sensor Smart de Quadratura. Introdução Os encoders são equipamentos utilizados para converter movimentos rotativos

Leia mais

CAPÍTULO 5. INTERFACES PARA PERIFÉRICOS DE ARMAZENAMENTO INTERFACES DIVERSAS: FIREWIRE, SPI e I 2 C INTERFACES COM O MUNDO ANALÓGICO

CAPÍTULO 5. INTERFACES PARA PERIFÉRICOS DE ARMAZENAMENTO INTERFACES DIVERSAS: FIREWIRE, SPI e I 2 C INTERFACES COM O MUNDO ANALÓGICO 28 CAPÍTULO 5 INTERFACES PARA PERIFÉRICOS DE ARMAZENAMENTO INTERFACES DIVERSAS: FIREWIRE, SPI e I 2 C INTERFACES COM O MUNDO ANALÓGICO Interfaces para periféricos de armazenamento: Periféricos de armazenamento,

Leia mais

Título: Controle de um sistema Bola- Barra com realimentação através de imagem

Título: Controle de um sistema Bola- Barra com realimentação através de imagem Título: Controle de um sistema Bola- Barra com realimentação através de imagem Autores: Caio Felipe Favaretto, Henrique Corrêa Ramiro, Rômulo de Oliveira Souza e Marcelo Barboza Silva Professor orientador:

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO - CIENTÍFICO. Período : 08 / 2014 a 08 / 2015 ( ) PARCIAL (x) FINAL

RELATÓRIO TÉCNICO - CIENTÍFICO. Período : 08 / 2014 a 08 / 2015 ( ) PARCIAL (x) FINAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DIRETORIA DE PESQUISA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC : CNPq, CNPq/AF, UFPA, UFPA/AF, PIBIC/INTERIOR,

Leia mais

PROJETO E DESENVOLVIMENTO DE UM ROBÔ DE SERVIÇO INCORPORANDO AS VANTAGENS DE PROTOTIPAÇÃO RÁPIDA.

PROJETO E DESENVOLVIMENTO DE UM ROBÔ DE SERVIÇO INCORPORANDO AS VANTAGENS DE PROTOTIPAÇÃO RÁPIDA. PROJETO E DESENVOLVIMENTO DE UM ROBÔ DE SERVIÇO INCORPORANDO AS VANTAGENS DE PROTOTIPAÇÃO RÁPIDA. André Gustavo S. Conceição 1, Luciano F. Chaves 2, Luís Fernando A. Pereira 3 Pontifícia Universidade Católica

Leia mais

Manual do usuário. Braço robótico para educação técnica

Manual do usuário. Braço robótico para educação técnica para educação técnica A T E N Ç Ã O Enquanto o robô Sci-Arm é um computador leve, pode se manejar em altas velocidades e pode causar danos se ele colidir com uma pessoa. Sempre use com extrema cautela.

Leia mais

Desenvolvimento de Módulo Wireless para Acionamento de Cargas via Porta Paralela

Desenvolvimento de Módulo Wireless para Acionamento de Cargas via Porta Paralela Desenvolvimento de Módulo Wireless para Acionamento de Cargas via Porta Paralela Pedro H. M. Araújo 1, Renan P. Figueiredo 1, Douglas L. Dias 1, Sandro C. S. Jucá 1 1 Área da Telemática Instituto Federal

Leia mais

Guia do Usuário Placa de Desenvolvimento McLab1

Guia do Usuário Placa de Desenvolvimento McLab1 Placa de Desenvolvimento McLab1 Sumário 1. APRESENTAÇÃO...3 2. HARDWARE...4 2.1. MICROCONTROLADOR PIC16F628A...4 2.2. DISPLAYS DE 7 SEGMENTOS...5 2.3. TECLAS...5 2.4. LEDS...6 2.5. LÂMPADA...6 2.6. BOTÃO

Leia mais

Sistema de Teste Para um Torquímetro Dinâmico Telemétrico Aplicado a Eixos Rotativos

Sistema de Teste Para um Torquímetro Dinâmico Telemétrico Aplicado a Eixos Rotativos Sistema de Teste Para um Torquímetro Dinâmico Telemétrico Aplicado a Eixos Rotativos Eudisley G. dos Anjos eudisley@les.ufpb.br Francisco A. Belo belo@les.ufpb.br Manuella D. C. Silva manuella@les.ufpb.br

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: ETEC PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Eixo Tecnológico: CONTROLE E PROCESSOS INDUSTRIAIS Habilitação Profissional: TÉCNICO EM MECATRÔNICA

Leia mais

SISTEMA DE APONTAMENTO

SISTEMA DE APONTAMENTO Introdução SISTEMA DE APONTAMENTO Alunos: Lucas Castro Faria Carolina do Amaral Galhardo Orientador: Hans Ingo Weber Foi feito um estudo para aquisição de dados através da placa NI USB-6229, usando o programa

Leia mais

CONTROLO VISUAL DE UM TAPETE ROLANTE

CONTROLO VISUAL DE UM TAPETE ROLANTE CONTROLO VISUAL DE UM TAPETE ROLANTE José Fernandes; José Silva; Nuno Vieira; Paulo Sequeira Gonçalves Curso de Engenharia Industrial Escola Superior de Tecnologia de Castelo Branco Av. do Empresário,

Leia mais

VII SEMANA DA ENGENHARIA Cursos Oferecidos pela UaiSoccer VII S E M E L T 2010

VII SEMANA DA ENGENHARIA Cursos Oferecidos pela UaiSoccer VII S E M E L T 2010 2010 VII SEMANA DA ENGENHARIA Cursos Oferecidos pela UaiSoccer VII S E M E L T 2010 Curso Oferecido SolidWorks Carga Horária 10 horas Nº Vagas: 30 Depto. Resp. Mecânica Gerente Resp. Karla Lieberenz Resp.

Leia mais

Kit de desenvolvimento ACEPIC 40N

Kit de desenvolvimento ACEPIC 40N Kit de desenvolvimento ACEPIC 40N O Kit de desenvolvimento ACEPIC 40N foi desenvolvido tendo em vista a integração de vários periféricos numa só placa, além de permitir a inserção de módulos externos para

Leia mais

REAL LACOS: CONTROLE DIGITAL EM TEMPO REAL

REAL LACOS: CONTROLE DIGITAL EM TEMPO REAL REAL LACOS: CONTROLE DIGITAL EM TEMPO REAL Andreya Prestes da Silva 1, Rejane de Barros Araújo 1, Rosana Paula Soares Oliveira 1 e Luiz Affonso Guedes 1 Universidade Federal do ParáB 1 Laboratório de Controle

Leia mais

Estrutura de um Computador. Linguagem de Programação Rone Ilídio UFSJ - CAP

Estrutura de um Computador. Linguagem de Programação Rone Ilídio UFSJ - CAP Estrutura de um Computador Linguagem de Programação Rone Ilídio UFSJ - CAP Hardware e Software HARDWARE: Objetos Físicos que compões o computador Circuitos Integrados, placas, cabos, memórias, dispositivos

Leia mais

Programação em BASIC para o PIC Mostrando Mensagens no Display LCD Vitor Amadeu Souza

Programação em BASIC para o PIC Mostrando Mensagens no Display LCD Vitor Amadeu Souza Programação em BASIC para o PIC Mostrando Mensagens no Display LCD Vitor Amadeu Souza Introdução Nesta terceira série de artigos que aborda a programação na linguagem BASIC para o microcontrolador PIC,

Leia mais

Laboratório de Máquinas Elétricas Utilizando um Sistema de Aquisição de Dados

Laboratório de Máquinas Elétricas Utilizando um Sistema de Aquisição de Dados Laboratório de Máquinas Elétricas Utilizando um Sistema de Aquisição de Dados Mauricélio Alves de Sousa, Eng o Fernando Luiz Marcelo Antunes, PhD Ricardo Silva Thé Pontes, MSc Grupo de Processamento de

Leia mais

Sistemas Embarcados. Introdução aos sistemas embarcados

Sistemas Embarcados. Introdução aos sistemas embarcados Sistemas Embarcados Introdução aos sistemas embarcados Introdução aos Sistemas embarcados Definição de um sistema embarcado Exemplos de sistemas embarcados Processadores utilizados em sistemas embarcados

Leia mais

Encoder Magnético. Contexto Social e Profissional da Engenharia Mecatrônica. Grupo 8: Danilo Zacarias Júnior. Leonardo Maciel Santos Silva

Encoder Magnético. Contexto Social e Profissional da Engenharia Mecatrônica. Grupo 8: Danilo Zacarias Júnior. Leonardo Maciel Santos Silva Encoder Magnético Contexto Social e Profissional da Engenharia Mecatrônica Grupo 8: Danilo Zacarias Júnior Leonardo Maciel Santos Silva Yuri Faria Amorim Índice Resumo... 03 1. Introdução... 04 2. Desenvolvimento...

Leia mais

Projeto Aranha. Diego Guérios Meyer. Fabrizio Cantoni. Fernando Ferreira Akel

Projeto Aranha. Diego Guérios Meyer. Fabrizio Cantoni. Fernando Ferreira Akel Projeto Aranha Diego Guérios Meyer Fabrizio Cantoni Fernando Ferreira Akel Abstract Interdisciplinar work presented on the disciplines : Physics III,Advanced Programming Technics, Electric Circuits I and

Leia mais

Pró-Reitoria de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação. Resumo Expandido

Pró-Reitoria de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação. Resumo Expandido Pró-Reitoria de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação Resumo Expandido Título da Pesquisa: Painel Braille para deficientes visuais: interface computacional. Palavras-chave: Painel Braille, Tecnologia Assistiva,

Leia mais

Microcontrolador Arduino: Aplicação em controle PI

Microcontrolador Arduino: Aplicação em controle PI Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Cornélio Procópio Coordenação de Eletrotécnica Microcontrolador Arduino: Aplicação em controle PI Autor: Prof. Alessandro N. Vargas

Leia mais

Arquitetura de Sistemas Embarcados: Controladores Industriais

Arquitetura de Sistemas Embarcados: Controladores Industriais Arquitetura de Sistemas Embarcados: Controladores Industriais Heber A. Scachetti RA 004933 heber_augusto@yahoo.com.br RESUMO Este artigo apresenta algumas das principais características encontradas em

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Unidade Universitária Escola de Engenharia Curso Engenharia Mecânica com formação específica em Mecatrônica Disciplina Microprocessadores I Professor(es) Ivair Reis Neves Abreu Carga horária 2 aulas semanais

Leia mais

Aula 2. - Elaboração de algoritmos/fluxogramas. - Gravação do programa no microcontrolador

Aula 2. - Elaboração de algoritmos/fluxogramas. - Gravação do programa no microcontrolador Aula 2 - Elaboração de algoritmos/fluxogramas - Set de instruções do 8051 - Programação em Assembly - Gravação do programa no microcontrolador - Simulação Exercícios da aula passada... 1) Converta os números

Leia mais

AMBIENTE DE MANIPULAÇÃO ROBÓTICA USANDO SIMULAÇÃO COM WORKSPACE E ROBO ESHED ER-5

AMBIENTE DE MANIPULAÇÃO ROBÓTICA USANDO SIMULAÇÃO COM WORKSPACE E ROBO ESHED ER-5 AMBIENTE DE MANIPULAÇÃO ROBÓTICA USANDO SIMULAÇÃO COM WORKSPACE E ROBO ESHED ER-5 João Alvarez Peixoto*, Celestino Pereira*, Flávio Ávila*, Renato Ventura** * Mestrando do Programa de Pós-graduação em

Leia mais

Módulo FGM721. Controlador P7C - HI Tecnologia

Módulo FGM721. Controlador P7C - HI Tecnologia Automação Industrial Módulo Controlador P7C - HI Tecnologia 7C O conteúdo deste documento é parte do Manual do Usuário do controlador P7C da HI tecnologia (PMU10700100). A lista de verbetes consta na versão

Leia mais

Prof. Daniel Hasse. Robótica Industrial

Prof. Daniel Hasse. Robótica Industrial Prof. Daniel Hasse Robótica Industrial Aula 02 - Robôs e seus Periféricos Tipos de Sistemas de Controle Volume de Trabalho Dinâmica e Precisão dos Movimentos Sistemas de Acionamentos Garras Tipos de Sistemas

Leia mais

Robótica: A aplicação de um Robô em Planta Industrial

Robótica: A aplicação de um Robô em Planta Industrial UNIVERSIDADE PAULISTA CAMPUS BRASILIA Alunos das Turmas EE8P30/EE9P30 Robótica: A aplicação de um Robô em Planta Industrial Brasília 2011 SUMARIO 1 Caracterização... 3 2 Objetivo... 4 3 Metodologia...

Leia mais

Centro Universitário Positivo - UnicenP Núcleo de Ciências Exatas e Tecnológicas NCET Engenharia da Computação

Centro Universitário Positivo - UnicenP Núcleo de Ciências Exatas e Tecnológicas NCET Engenharia da Computação Centro Universitário Positivo - UnicenP Núcleo de Ciências Exatas e Tecnológicas NCET Engenharia da Computação MINI OSCILOSCÓPIO DIGITAL PORTÁTIL BASEADO EM MICROCONTROLADOR PIC Curitiba 2004 1 Ederson

Leia mais

Estudo e Modelagem Computacional de um Robô Aplicado em Processos de Usinagem

Estudo e Modelagem Computacional de um Robô Aplicado em Processos de Usinagem Universidade Federal de São João Del-Rei MG 26 a 28 de maio de 2010 Associação Brasileira de Métodos Computacionais em Engenharia Estudo e Modelagem Computacional de um Robô Aplicado em Processos de Usinagem

Leia mais

Parte 02 O Controlador Lógico Programável

Parte 02 O Controlador Lógico Programável Parte 02 O Controlador Lógico Programável 2.0 Introdução: Para controlar uma planta industrial, seja a mais simples ou complexa, necessitamos de um sistema de controle, obviamente que quanto mais complexa

Leia mais

5 Entrada e Saída de Dados:

5 Entrada e Saída de Dados: 5 Entrada e Saída de Dados: 5.1 - Arquitetura de Entrada e Saída: O sistema de entrada e saída de dados é o responsável pela ligação do sistema computacional com o mundo externo. Através de dispositivos

Leia mais

Controle de Acesso. Automático de Veículos. saiba mais. automação

Controle de Acesso. Automático de Veículos. saiba mais. automação Controle de Acesso Automático de Veículos Este trabalho tem como objetivo desenvolver uma solução tecnológica que permita o controle dos portões automáticos remotamente através da internet. Aplicando-se

Leia mais

Revele a próxima geração de desenvolvedores de sistemas em cursos de controle e mecatrônica. Conheça o myrio. ni.com

Revele a próxima geração de desenvolvedores de sistemas em cursos de controle e mecatrônica. Conheça o myrio. ni.com Revele a próxima geração de desenvolvedores de sistemas em cursos de controle e mecatrônica. Conheça o myrio 4 Como preparamos o engenheiro de 2030? Os sistemas estão por toda parte Tesla Motors Red Bull

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE VEÍCULO MECATRÔNICO COMANDADO REMOTAMENTE

CONSTRUÇÃO DE VEÍCULO MECATRÔNICO COMANDADO REMOTAMENTE CONSTRUÇÃO DE VEÍCULO MECATRÔNICO COMANDADO REMOTAMENTE Roland Yuri Schreiber 1 ; Tiago Andrade Camacho 2 ; Tiago Boechel 3 ; Vinicio Alexandre Bogo Nagel 4 INTRODUÇÃO Nos últimos anos, a área de Sistemas

Leia mais

4. Controlador Lógico Programável

4. Controlador Lógico Programável 4. Controlador Lógico Programável INTRODUÇÃO O Controlador Lógico Programável, ou simplesmente PLC (Programmiable Logic Controller), pode ser definido como um dispositivo de estado sólido - um Computador

Leia mais

O Conversor Serial Ethernet MUX-10

O Conversor Serial Ethernet MUX-10 O Conversor Serial Ethernet MUX-10 M. B. Pereira, E. Araujo, ENAUTEC e F. Santana, COELBA Resumo - O Conversor Serial Ethernet MUX-10 é um protótipo destinado a interconectar equipamentos baseados em porta

Leia mais

Ferramentas Computacionais para Prototipagem Rápida de Sistemas Mecatrônicos

Ferramentas Computacionais para Prototipagem Rápida de Sistemas Mecatrônicos Ferramentas Computacionais para Prototipagem Rápida de Sistemas Mecatrônicos Prof. Dr. João Mauricio Rosário Laboratório de Automação Integrada e Robótica UNICAMP - Faculdade de Engenharia Mecânica e-mail:

Leia mais

SISTEMA DIDÁTICO DE PARTIDA SUAVE PARA MOTORES TRIFÁSICOS

SISTEMA DIDÁTICO DE PARTIDA SUAVE PARA MOTORES TRIFÁSICOS SISTEMA DIDÁTICO DE PARTIDA SUAVE PARA MOTORES TRIFÁSICOS Edson Santos Acco edson@upf.br Universidade de Passo Fundo, Faculdade de Engenharia e Arquitetura, Engenharia Elétrica. Campus Universitário I

Leia mais

Sistemas Embarcados. 1. Introdução. www.sbajovem.org Este Material é livre e não pode ser comercializado 1

Sistemas Embarcados. 1. Introdução. www.sbajovem.org Este Material é livre e não pode ser comercializado 1 Escrito por: Otavio Chase Em 12/2007 www.sbajovem.org SBAJovem 2010 Sistemas Embarcados 1. Introdução Segundo alguns dados estimados por pesquisas em alta tecnologia, mais de 90% dos microprocessadores

Leia mais

Sensores e Atuadores (1)

Sensores e Atuadores (1) (1) 4º Engenharia de Controle e Automação FACIT / 2009 Prof. Maurílio J. Inácio Introdução Sensores Fornecem parâmetros sobre o comportamento do manipulador, geralmente em termos de posição e velocidade

Leia mais

Exercícios DAC/ADC e Trabalhos

Exercícios DAC/ADC e Trabalhos Exercícios DAC/ADC e Trabalhos Aula 02 - DAC / ADC Heitor Medeiros Florencio 1 heitorm@dca.ufrn.br 1 Universidade Federal do Rio Grande do Norte Centro de Tecnologia Departamento de Engenharia de Computação

Leia mais

EduBOT: Protótipo de uma plataforma robótica para educação através da Metareciclagem

EduBOT: Protótipo de uma plataforma robótica para educação através da Metareciclagem EduBOT: Protótipo de uma plataforma robótica para educação através da Metareciclagem Carlos S. S. Guimarães, Henrique P. Maurer Departamento das Engenharias e Ciência da Computação Universidade Regional

Leia mais

ACIONAMENTOS ELETRÔNICOS (INVERSOR DE FREQUÊNCIA)

ACIONAMENTOS ELETRÔNICOS (INVERSOR DE FREQUÊNCIA) ACIONAMENTOS ELETRÔNICOS (INVERSOR DE FREQUÊNCIA) 1. Introdução 1.1 Inversor de Frequência A necessidade de aumento de produção e diminuição de custos faz surgir uma grande infinidade de equipamentos desenvolvidos

Leia mais

Robótica Industrial. Projeto de Manipuladores

Robótica Industrial. Projeto de Manipuladores Robótica Industrial Projeto de Manipuladores Robôs são os típicos representantes da Mecatrônica. Integram aspectos de: Manipulação Sensoreamento Controle Comunicação 1 Robótica e Mecatrônica 2 Princípios

Leia mais

Curso microcontroladores PIC

Curso microcontroladores PIC Curso microcontroladores PIC Jean Carlos www.pk2lab.blogspot.com Curso de microcontroladores em linguagem C 2 Baseado no microcontrolador PIC18F4550 da Microchip, compilador MikroC e placa de desenvolvimento

Leia mais

PIBIC/PIBITI/IC Jr Relatório das Atividades de Pesquisa 22ª SEMIC - 2013

PIBIC/PIBITI/IC Jr Relatório das Atividades de Pesquisa 22ª SEMIC - 2013 ATIVIDADES EXECUTADAS PELO BOLSISTA DADOS DE IDENTIFICAÇÃO: Do bolsista: Nome: Vinicio Rodrigues Mendes Curso: Engenharia Elétrica com ênfase em Sistemas e Computação Período de vigência da bolsa: de 01/08/2011

Leia mais

R O B Ó T I C A. Sensor Smart. Seguidor de Linha. Versão Hardware: 1.0 Versão Firmware: 2.0 REVISÃO 1211.19. www.robouno.com.br

R O B Ó T I C A. Sensor Smart. Seguidor de Linha. Versão Hardware: 1.0 Versão Firmware: 2.0 REVISÃO 1211.19. www.robouno.com.br R O B Ó T I C A Sensor Smart Seguidor de Linha Versão Hardware: 1.0 Versão Firmware: 2.0 REVISÃO 1211.19 Sensor Smart Seguidor de Linha 1. Introdução Os sensores seguidores de linha são sensores que detectam

Leia mais

Simplifique a complexidade do sistema

Simplifique a complexidade do sistema 1 2 Simplifique a complexidade do sistema Com o novo controlador de alto desempenho CompactRIO Rodrigo Schneiater Engenheiro de Vendas National Instruments Leonardo Lemes Engenheiro de Sistemas National

Leia mais

Application Note FBEE Comunicação Serial Wireless REV01. - 1 - Rev01

Application Note FBEE Comunicação Serial Wireless REV01. - 1 - Rev01 Application Note FBEE Comunicação Serial Wireless REV01-1 - Rev01 1. INTRODUÇÃO Aplicações com redes sem fio vêm se tornando bastante comuns. De aplicações industriais a projetos específicos, criou-se

Leia mais

1. CAPÍTULO COMPUTADORES

1. CAPÍTULO COMPUTADORES 1. CAPÍTULO COMPUTADORES 1.1. Computadores Denomina-se computador uma máquina capaz de executar variados tipos de tratamento automático de informações ou processamento de dados. Os primeiros eram capazes

Leia mais

TÍTULO: GARRA ROBÓTICA PERCEPTIVA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: COMPUTAÇÃO E INFORMÁTICA

TÍTULO: GARRA ROBÓTICA PERCEPTIVA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: COMPUTAÇÃO E INFORMÁTICA TÍTULO: GARRA ROBÓTICA PERCEPTIVA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: COMPUTAÇÃO E INFORMÁTICA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO GERALDO DI BIASE AUTOR(ES): EDUARDO REIS ALVES,

Leia mais

Boletim Técnico R&D 03/08 CARACTERÍSTICAS DO DRIVER MPC6006L 14 de março de 2008

Boletim Técnico R&D 03/08 CARACTERÍSTICAS DO DRIVER MPC6006L 14 de março de 2008 Boletim Técnico R&D 03/08 CARACTERÍSTICAS DO DRIVER MPC6006L 14 de março de 2008 O objetivo deste boletim é mostrar as características do driver MPC6006L. Tópicos abordados neste boletim: APRESENTAÇÃO

Leia mais

SISTEMA DE TRANSMISSÃO DE UM VEÍCULO ELÉTRICO

SISTEMA DE TRANSMISSÃO DE UM VEÍCULO ELÉTRICO SISTEM DE TRNSMISSÃO DE UM VEÍCULO ELÉTRICO Paulo ntonio dos Santos 1 Francisco José Grandinetti 1 (grandi@unitau.br) Marcio bud Marcelino 2 (abud@feg.unesp.br) Heitor Giovanelli Carlesimo 2 1 Universidade

Leia mais

FAPERJ & PIUES/PUC-Rio FÍSICA E MATEMÁTICA DO ENSINO MÉDIO APLICADAS A SISTEMAS DE ENGENHARIA

FAPERJ & PIUES/PUC-Rio FÍSICA E MATEMÁTICA DO ENSINO MÉDIO APLICADAS A SISTEMAS DE ENGENHARIA FAPERJ & PIUES/PUC-Rio FÍSICA E MATEMÁTICA DO ENSINO MÉDIO APLICADAS A SISTEMAS DE ENGENHARIA 1) INTRODUÇÃO Rio de Janeiro, 05 de Maio de 2015. A equipe desenvolvedora deste projeto conta com: - Prof.

Leia mais

CIRCUITO PARA MEDIÇÃO DE CORRENTES ELEVADAS

CIRCUITO PARA MEDIÇÃO DE CORRENTES ELEVADAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DISCIPLINA: INSTRUMENTAÇÃO ELETRÔNICA PROFESSOR: LUCIANO FONTES CAVALCANTI CIRCUITO PARA MEDIÇÃO DE

Leia mais

Sensores - Encoder. Encoder linear Mesmo princípio de funcionamento dos encoders rotativos; Podem ser incremental ou absoluto.

Sensores - Encoder. Encoder linear Mesmo princípio de funcionamento dos encoders rotativos; Podem ser incremental ou absoluto. Sensores - Encoder Encoder linear Mesmo princípio de funcionamento dos encoders rotativos; Podem ser incremental ou absoluto. Sensores - Resolvers Usado para medição de posição angular. Princípio de funcionamento

Leia mais

PROTÓTIPO DE MÁQUINA ORGANIZADORA DE ESTOQUES CONTROLADA PELO MICROCONTROLADOR PIC16F877

PROTÓTIPO DE MÁQUINA ORGANIZADORA DE ESTOQUES CONTROLADA PELO MICROCONTROLADOR PIC16F877 VI CONGRESSO NACIONAL DE ENGENHARIA MECÂNICA VI NATIONAL CONGRESS OF MECHANICAL ENGINEERING 18 a 21 de agosto de 2010 Campina Grande Paraíba - Brasil August 18 21, 2010 Campina Grande Paraíba Brazil PROTÓTIPO

Leia mais

Projeto e implementação de um sistema de controle em malha fechada para transmissão hidrostática usando o sistema Field Point da NI

Projeto e implementação de um sistema de controle em malha fechada para transmissão hidrostática usando o sistema Field Point da NI Projeto e implementação de um sistema de controle em malha fechada para transmissão hidrostática usando o sistema Field Point da NI "A implementação do sistema SCADA usando Field Point e interface LabVIEW,

Leia mais

Plataforma de desenvolvimento dspic - SIGMA128 -

Plataforma de desenvolvimento dspic - SIGMA128 - T e c n o l o g i a Plataforma de desenvolvimento dspic - SIGMA128 - Os melhores e mais modernos MÓDULOS DIDÁTICOS para um ensino tecnológico de qualidade. DESENVOLVIMENTO INTRODUÇÃO Plataforma de desenvolvimento

Leia mais

TÍTULO: SERVIÇOS HTTP COM GEOPOSICIONAMENTO DE FROTA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS

TÍTULO: SERVIÇOS HTTP COM GEOPOSICIONAMENTO DE FROTA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS TÍTULO: SERVIÇOS HTTP COM GEOPOSICIONAMENTO DE FROTA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS AUTOR(ES):

Leia mais

Relés de Proteção Térmica Simotemp

Relés de Proteção Térmica Simotemp Relés de Proteção Térmica Simotemp Confiabilidade e precisão para controle e proteção de transformadores Answers for energy. A temperatura é o principal fator de envelhecimento do transformador Os relés

Leia mais

ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO PICKIT2... 4. 2.1. Ligação da porta USB... 4. 2.2. LEDs de estado... 4. 2.3. Botão... 5

ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO PICKIT2... 4. 2.1. Ligação da porta USB... 4. 2.2. LEDs de estado... 4. 2.3. Botão... 5 MANUAL PICKIT2 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO PICKIT2... 4 2.1. Ligação da porta USB... 4 2.2. LEDs de estado... 4 2.3. Botão... 5 2.4. Conector de programação... 5 2.5. Slot para chaveiro...

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO LABORATÓRIO DE CONTROLE (PEE/COPPE) RELATÓRIO TÉCNICO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA INTRODUÇÃO AO FUNCIONAMENTO E AO ACIONAMENTO DE MOTORES DC André Euler Torres Orientador:

Leia mais

- Aula 1 - ARQUITETURA DE COMPUTADORES

- Aula 1 - ARQUITETURA DE COMPUTADORES - Aula 1 - ARQUITETURA DE COMPUTADORES Em arquitetura de computadores serão estudados aspectos da estrutura e do funcionamento dos computadores. O objetivo é apresentar de forma clara e abrangente a natureza

Leia mais

Espaço de Trabalho. θ 2

Espaço de Trabalho. θ 2 1. ROBÓTICA: CONCEITOS BÁSICOS 1.1 Robôs Manipuladores: Robô: Máquina universal programável que tem existência no mundo físico e atua nele através de movimentos mecânicos. Espaço de Trabalho: Região do

Leia mais

AUTOMAҪÃO INDUSTRIAL E LINHAS DE PRODUҪÃO FLEXÍVEIS

AUTOMAҪÃO INDUSTRIAL E LINHAS DE PRODUҪÃO FLEXÍVEIS CENTRO FEDERAL DE ENSINO TECNOLÓGICO MG CONTEXTO SOCIAL E PROFISSIONAL DA ENGENHARIA MECATRÔNICA AUTOMAҪÃO INDUSTRIAL E LINHAS DE PRODUҪÃO FLEXÍVEIS COMPONENTES: Guilherme Márcio Matheus Sakamoto Rafael

Leia mais

VII SEMANA DA ENGENHARIA Cursos Oferecidos pela UaiSoccer VII S E M E L T 2010

VII SEMANA DA ENGENHARIA Cursos Oferecidos pela UaiSoccer VII S E M E L T 2010 2010 VII SEMANA DA ENGENHARIA Cursos Oferecidos pela UaiSoccer VII S E M E L T 2010 Curso Oferecido SolidWorks Carga Horária 10 horas Nº Vagas: 30 Depto. Resp. Mecânica Gerente Resp. Karla Lieberenz Resp.

Leia mais

Características técnicas Baseado no ATMega da empresa AVR, fabricante de micro-controladores em plena ascensão e concorrente do PIC Pode usar ATMega

Características técnicas Baseado no ATMega da empresa AVR, fabricante de micro-controladores em plena ascensão e concorrente do PIC Pode usar ATMega ARDUINO O que é Arduino Arduino foi criado na Itália por Máximo Banzi com o objetivo de fomentar a computação física, cujo conceito é aumentar as formas de interação física entre nós e os computadores.

Leia mais

Capítulo 12. Projeto 5 Controle de Motores de Passo. 12.1 Circuito e Funcionamento

Capítulo 12. Projeto 5 Controle de Motores de Passo. 12.1 Circuito e Funcionamento Capítulo 12 Projeto 5 Controle de Motores de Passo A crescente popularidade dos motores de passo deve-se a sua adaptação à lógica digital. Estes dispositivos são usados em inúmeras aplicações, tais como:

Leia mais

Estrutura interna de um microcontrolador

Estrutura interna de um microcontrolador Estrutura interna de um microcontrolador Um microcontrolador é composto por um conjunto de periféricos interligados a uma unidade de processamento e todo este conjunto confere a este componente uma versatilidade

Leia mais

AUTOMAÇÃO E INSTRUMENTAÇÃO VIRTUAL. Sistema Integrado de Teste em Umbilicais

AUTOMAÇÃO E INSTRUMENTAÇÃO VIRTUAL. Sistema Integrado de Teste em Umbilicais BI AUTOMAÇÃO E INSTRUMENTAÇÃO VIRTUAL Sistema Integrado de Teste em Umbilicais Objetivos da Apresentação Demonstrar a Arquitetura de hardware e software da National Instruments utilizada na solução; Discutir

Leia mais

XIX Congresso Nacional de Estudantes de Engenharia Mecânica - 13 a 17/08/2012 São Carlos-SP Artigo CREEM2012 SENSOR DE TEMPERATURA WIRELESS

XIX Congresso Nacional de Estudantes de Engenharia Mecânica - 13 a 17/08/2012 São Carlos-SP Artigo CREEM2012 SENSOR DE TEMPERATURA WIRELESS XIX Congresso Nacional de Estudantes de Engenharia Mecânica - 13 a 17/08/2012 São Carlos-SP Artigo CREEM2012 SENSOR DE TEMPERATURA WIRELESS Antonio Carlos Lemos Júnior, Ednaldo Lopes Rosa e Leandro Aureliano

Leia mais

Laboratório de Microprocessadores e Microcontroladores

Laboratório de Microprocessadores e Microcontroladores Escola de Engenharia Elétrica, Mecânica e de Computação Universidade Federal de Goiás Laboratório de Microprocessadores e Microcontroladores Experimento 4: Temporizadores e Motor de Passo Alunos: Matrícula:

Leia mais

INTRODUÇÃO À DINÂMICA E AO CONTROLE DE MANIPULADORES ROBÓTICOS

INTRODUÇÃO À DINÂMICA E AO CONTROLE DE MANIPULADORES ROBÓTICOS INTRODUÇÃO À DINÂMICA E AO CONTROLE DE MANIPULADORES ROBÓTICOS APOSTILA COMPILADA PELO PROF. RENATO MOLINA DA SILVA, PARA USO DOS ALUNOS DO CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO DA PUCRS, COM BASE

Leia mais