Carlos Alexandre Gouvêa da Silva. Edson Leonardo dos Santos. Circuit Plotter

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Carlos Alexandre Gouvêa da Silva. Edson Leonardo dos Santos. Circuit Plotter"

Transcrição

1 Carlos Alexandre Gouvêa da Silva Edson Leonardo dos Santos Circuit Plotter Projeto apresentado como requisito para avaliação do programa de aprendizagem de Resolução de Problemas de Engenharia e Física III, do curso de graduação em Engenharia da Computação da Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Com instrução dos professores Afonso Ferreira Miguel e Gil Marcos Jess. Curitiba,

2 OBJETIVO O projeto CIRCUIT PLOTTER, relativo ao terceiro período de Engenharia da Computação realizado na Pontifícia Universidade Católica do Paraná, propôs inicialmente o desenvolvimento de um PLOTTER ( impressora ) que esboça em uma área determinada de fenolite, as trilhas e pontos de um circuito elétrico pré montado em softwares de construção do mesmo. No entanto devido à alta complexidade em se utilizar ou converter as coordenadas desses softwares para enviá-los a plotter, foi decidido uma mudança de estratégia. A CIRCUIT PLOTTER passou a ser desenvolvida para simples transcrição de caracteres alfa numérica (alfabeto e números). Tendo assim como suas principais partes estrutura mecânica, motores de passo, solenóide e software de controle. Figura 1: Logo Marca 2

3 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO 06 2 OBJETIVOS GERAL ESPECÍFICO 08 3 MATERIAIS UTILIZADOS Estrutura mecânica Módulo conversor RS232 TTL Módulo M etapas de potência para motores de até 2A Etapa de potência para motor de 0,5A Módulo M Parte de potência para M Ferramentas e aparelhos Softwares 10 4 DESCRIÇÃO GERAL HISTÓRIA DO PROJETO HARDWARE Logica estrutural Estrutura mecânica Circuitos elétricos SOFTWARE Código fonte Visual Studio Software de controle CENTRO DE CUSTOS 20 5 PROBLEMAS APRESENTADOS 21 6 CONCLUSÃO 22 7 REFERÊNCIAS 23 3

4 INDICE DE FIGURAS Figura 1 Logo Marca 02 Figura 2 Exemplo Plotter Gerber Infinity 06 Figura 3 Plotter para PCI 06 Figura 4 Fluxograma 1: Disposição Lógica 12 Figura 5 Estrutura Mecânica 13 Figura 6 Estrutura Mecânica 13 Figura 7 Estrutura Mecânica 13 Figura 8 Estrutura Mecânica 13 Figura 9 Estrutura Mecânica 13 Figura 10 Estrutura Mecânica 14 Figura 11 Base Matricial 14 Figura 12 Base final 14 Figura 13 Base completa com solenóide 14 Figura 14 Esquemático MAX Figura 15 Board MAX Figura 16 Testes MAX Figura 17 PCI MAX Figura 18 Esquemático M0 16 Figura 19 Board M0 16 Figura 20 Teste M0 16 Figura 21 PCI M0 16 Figura 22 Layout Potencia 2A 16 Figura 23 Esquemático Potencia 2A 16 Figura 24 Teste Potencia 2A 17 Figura 25 - Board Potencia 2A 17 Figura 26 PCI potencia 2A 17 Figura 27 Esquemático potencia 0,5A 17 Figura 28 Board potencia 0,5A 17 Figura 29 PCI potencia 0,5A 17 Figura 30 Esquemático M2 18 Figura 31 Board M2 18 Figura 32 Esquemático potencia M2 solenóide 18 Figura 33 PCI M2 18 Figura 34 PCI potencia solenóide 18 4

5 Figura 35 Solenóide 18 Figura 36 Software de controle 19 Figura 37 Posição zero plotter 20 5

6 1 - INTRODUÇÃO Uma plotter ou lutter (figura 2) é uma impressora destinada a imprimir desenhos em grandes dimensões, com elevada qualidade e rigor, como por exemplo plantas arquitetônicas, mapas cartográficos, projectos de engenharia e grafismo. Figura 2: Exemplo - Plotter Gerber Infinity Primeiramente destinada a impressão de desenhos vetoriais, atualmente encontram-se em avançado estado de evolução, permitindo impressão de imagens em grande formato com qualidade fotográfica. Uma outra variação é a plotter de recorte, na qual uma lâmina recorta adesivos de acordo com o que foi desenhado previamente no computador, através de um programa vetorial. O material assim produzido é utilizado por exemplo na personalização de frotas de veículos e ambientes comerciais, como fachadas, vitrines, confecção de banners, luminosos, placas, faixas, entre outros. Assim iniciamos o desenvolvimento de uma plotter de mesmo princípio a aquelas que transcrevem linhas e curvas. Com objetivo de desenhar um esquemático de circuitos elétricos (figura 3) previamente montados. Figura 3: Plotter para PCI 6

7 O projeto consiste em movimentar uma caneta previamente fixada em um atuador elétrico. O movimento da caneta será realizado nos eixos X, Y e Z, onde o atuador elétrico terá movimento no eixo Z, e os blocos apoiados em dois eixos nos eixos X e Y controlados pelos motores de passo. A placa de fenolite onde o desenho será transcrito deverá ser apoiada de maneira fixa na base da estrutura do Plotter. Contudo no decorrer no projeto foi mudada a estratégia inicial de um plotter de PCI para um plotter de escrita comum de letras e números. 7

8 2 - OBJETIVOS GERAL: Utilizando os conhecimentos adquiridos nas disciplinas de Técnicas avançadas de programação I, física III, Sistemas Digitais I e Resolução de problemas de engenharia I, construir um projeto que integre essas disciplinas e traga um entendimento prático e claro de cada recurso aprendido teoricamente. Criar um produto que dispensa a utilização de transparências e máquinas de prensagem com temperaturas altas, além de impressoras e métodos manuais ESPECÍFICOS 1. Estudar o funcionamento de motores de corrente continua; 2. Construção de uma estrutura mecânica; 3. Desenvolvimento de um código em C++ de controle; 4. Resolução de problemas de estrutura e funcionais; 5. Otimização de circuitos elétricos em placas de circuito impresso. 8

9 3 - MATERIAIS UTILIZADOS Estrutura mecânica motores de passo 5volts; motor de passo 5volts; peças de nylon; eixos planos; estrutura de impressora; base plana de madeira; correias; Fios para conexões. 3.2 Modulo conversor RS232 TTL CI Max232; regulador de tensão 78L05; transistor BC548; resistores 1kΩ; capacitores eletrolíticos 1µF 16 v; capacitor eletrolítico 100µF 16 v; conector BD 9 pinos machos em L; conector DC Power. 3.3 Módulo M CI PIC16F629; regulador de tensão 78L05; capacitor eletrolítico 100µF 16 v; capacitor eletrolítico 10µF 16 v; etapas de potencia para os motores de até 30 v 9

10 TIP122; TIP125; resistores de 4,7KΩ; resistores 2KΩ; resistores 3,3KΩ; resistores 470Ω. 3.5 Etapa de potência motor 0,5A CI ULN2803A. 3.6 Módulo M CI PIC16F629; regulador de tensão 78L05; capacitor eletrolítico 100µF 16V; capacitor eletrolítico 10µF 16V. 3.7 Parte potencia para M diodo retificador 1N5408; rele 12V; resistor 470Ω; TIP Ferramentas e aparelhos Multímetro digital; Fonte de tensão CC; Osciloscópio; PicStart Plus; Ferramentas de corte e furação de PCI; 3.9 Softwares; 10

11 3.9.1 Eagle (construtor de PCI); Microship MPLAB IDE (gravador PIC); Visual Studio 6.0; Hiper Terminal; Rhinoceros. 11

12 4 - DESCRIÇÕES GERAIS HISTÓRIA DO PROJETO As primeiras idéias sobre um projeto integrado para o semestre foi baseado em necessidades que o homem utiliza em seu cotidiano, seria adaptar recursos já existentes que possam otimizar o tempo, dinheiro e esforço dos usuários. Assim pensou-se em algo que pudesse ser utilizado para transcrever um circuito elétrico em uma placa de circuito impresso. Logo o escopo do projeto foi apresentado aos orientadores do projeto Professores Afonso Miguel e Gil Marcos, e aceito por ambas as partes. Ao decorrer do semestre foi-se desenvolvendo toda a parte de estrutura mecânica e circuitos elétricos. Porém na fase do desenvolvimento do software de controle, apareceram obstáculos complexos que foram apresentados ao Professor Afonso. Como já mencionado a idéia inicial era utilizar um programa de construção de PCI, assim maneiras de se adaptar o mesmo mostrou-se complexas. A maneira encontrada para se realizar essa transformação foi que no software AUTOCAD, o desenho (board) criado no EAGLE seria aberto e que através do AUTOCAD esse mesmo desenho seria transformado em formato pdf, e que quando nesse arquivo pdf apenas seria gravado as coordenadas cartesianas das trilhas e pontos da PCI. Contudo nesse arquivo pdf não apenas as coordenadas viriam e sim outros códigos e extensões desnecessárias (lixo), para que para sua separação implicaria em mais tempo e maneiras a serem pesquisadas. Essas observações foram apresentadas ao Professor Afonso que sugeriu em uma mudança de estratégia, ao invés de usar a plotter para desenhar circuito impresso passou a apenas para transcrição de letra e números. 4.2 HARDWARE Lógica estrutural Fluxograma 1: disposição lógica 12

13 A complexidade lógica do projeto se resume em um computador que através de comunicação serial, envia os dados ao conversor TTL, para que se possam controlar os motores de passo do eixo X e Y, um solenóide que se encarregado do movimento do eixo Z. E concluindo a fixação de fins de curso que limitarão a área de alcance dos motores, para que os mesmos não possam eventualmente bater nas estruturas fixas Estrutura Mecânica A primeira etapa do projeto foi a decisão da disposição inicial da estrutura mecânica, com a ajuda de um aplicativo de desenho gráfico conhecido como rhinoceros essa visualização ficou como mostram as figuras 3 e 4. Figura 4: estrutura mecânica Figura 5: estrutura mecânica Contudo a disposição dos motores de passo mostraram ser incertas devido a dúvida em se utilizar fusos presos as motores, fazendo com que esses girem fixadas permanentemente nos motores ou se usariamos correias presas aos motores. Assim analizando qual a melhor maneira em se movimentar a estrutura, decidiu-se em usar as correias dispostas como as imagens abaixo. Figura 6: estrutura mecânica Figura 7: estrutura mecânica Figura 8: estrutura mecânica Figura 9: estrutura mecânica 13

14 Figura 10: estrutura mecânica Esses dois motores de passo realizaram os movimentos do eixo X, funcionando simultaneamente de forma a não perder o compasso cincronizado dos motores e não forçar o trabalho mecânico dos motores e da estrutura. Posteriormente a disposição do motor de passo que realizaria o movimento do eixo Y, e esse não é da mesma estrutura eletrica aos outros dois motores do eixo X. Para essa base foi utilizada uma estrutura já pronta de uma impressora matricial como mostrado na figura 10. Figura 11: base matricial Foram necessaria também a confecção de bases nylon para fixação dos eixos cilindricos e para o motor fixo do eixo Y. Essa partes foram todas fixadas em uma base plana de madeira. Como resultado final, ficou uma estruta simples de fácil manuseio e prática visualizadas nas figuras 11 e 12. Figura 12: base final Figura 13: base completa com solenóide Como mostrado na figura anterior foi adapitado um solenóide 12Volts vcc de acionamentos eletropneumáticos que realizara o movimento vertical em 14

15 eixo Z. Onde o mesmo se deslocara no eixo Y em cima da estrutura da impressora matricial Circuitos elétricos Como definido previamente a utilização da saída serial do computador, necessitou-se a montagem de um conversor RS232 TTL, de forma a obter 5V na saída. Para tal circuito usou-se o circuito disponibilizado pelo professor orientador. Esse circuito é interligado ao cabo serial e alimentado com corrente continua fornecida por uma fonte independente de 10 volts. Como visto nas figuras abaixo, mostram seu esquemático, board da PCI, circuito em photoboard para teste e finalizando o circuito montado no fenolite. Figura 14: Esquemático MAX232 Figura 15: Board MAX232 Figura 16: Testes MAX232 Figura 17: PCI MAX232 O próximo passo foi o módulo M0 que é construído baseado em um micro controlador PIC16F629 que processa a comunicação serial da linha TTL_SERIAL, reconhece comandos específicos do dispositivo e atua no motor de passo. Para a gravação do PIC aplicamos através do software MICROSHIP MPLAB IDE, o arquivo M0_sm.hex e esse aplicado ao circuito a seguir. Contudo como são dois motores que foram colocados em paralelo para um eixo e mais um para outro eixo, houve a necessidade de se construir 2 M0. 15

16 Figura 18: Esquemático M0 Figura 19: Board M0 Figura 20: Teste M0 Figura 21: PCI M0 Considerando que os dois motores de passo postos em paralelos consumiriam uma tensão alta, o que acarretaria num esforço elevado do circuito M0 e também porque os micro controladores não são projetados para suportar correntes altas como utilizadas nos motores, surgiu à necessidade em se usar uma parte de potencia. Um para cada saída do M0. Ambos ficando de tal forma que para cada saída M0 tem um referente circuito para a potência, e que para tal uma conexão para os dois motores postos em paralelo. O circuito de potência é alimentado a 5 volts. Sabe-se que os motores vão consumir até 2A. Figura 22: Layout Potência 2A Figura 23: Esquemática Potência 2A 16

17 Figura 24: Teste Potência 2A Figura 25: Board Potência 2A Figura 26: PCI Potência 2A Para o outro motor de até 0,5A de cinco fios, não se abandonou a necessidade de se usar uma parte de potencia pelo mesmo fato mencionado anteriormente, para isso usou-se apenas um CI ULN2803A com oito saídas podendo até utilizar 2 motores, mas no nosso caso há apenas um motos, aquele referente ao do eixo Y. Os esquemáticos e demais especificados a seguir. Figura 27: Esquemático Potência 0,5A Figura 28: Board Potência 0,5A Figura 29: PCI Potência 0,5A 17

18 Chegando ao ultimo aplicativo da estrutura mecânica, o solenóide torna de suma importância para o projeto, pois é o mesmo que realiza o movimento de levantar ou abaixar a caneta. Para o controle do solenóide usou-se o M2, sendo que esse circuito também foi imprescindível o uso de uma parte de potência. O M2 é baseado em um micro controlador PIC16F675, porém o seu equivalente PIC16F629 pode-se usar em seu lugar. 12volts. A etapa de potência M2 é construída com um transistor Darlington e um diodo. Novamente os sinais V_M e GND são respectivamente a tensão do motor (não deve exceder 50V) e o seu terra. Obs: não há demonstração do board da parte de potencia pelo fato de ter sido montada manualmente. Veja as descrições a seguir. Figura 30: Esquemático M2 Figura 31: Bord M2 Figura 33: PCI M2 Figura 32: Esquemático M2 Figura 34: PCI Potência Solenóide Figura 35: Solenóide 18

19 4.3 - SOFTWARE Código fonte Visual Studio O desenvolvimento do código de controle dos motores de passo e do solenóide foi baseado nos códigos usados para testar os módulos através do hiper terminal do computador. Esses códigos independentes foram associados a especificações que garantem a compilação correta do visual. Código anexo no CD do projeto Software de controle Figura 36: Software de controle O Controle da Plotter é feito por uma caixa de dialogo criada no Visual Studio 6.0 através do aplicativo MFC, possui um design simples de fácil compreendimento e uso. Suas funções são especificadas a seguir: 1. EDIT: área limitada onde o usuário deverá escrever a seu gosto caracteres em forma de frase ou simplesmente palavras. É permitido a escrita dos números de 0 à 9. A única restrição do conjunto é com relação as letras MAIUSCULAS e os símbolos de acentuação e similares. Caso a letra digitada na caixa de escrita não existir na biblioteca do projeto, uma mensagem será mostrada ao usuario: LETRA NÃO EXISTE! 2. RUN: botão lógico que envia ao hardware os caracteres prescritos na caixa de texto EDIT. 3. ZERO POSITION: direciona o solenóide na primeira linha da folha a ser escrita. Isso inutiliza a necessidade de o usuario fazer esse movimento manualmente, sendo que essa atitude pode desestabilizar o paralelismo dos eixos do movimento X. Como visto na imagem a seguir. 19

20 Figura 37: Posição zero plotter 4. NEW LINE: permite que após o término da linha a ser escrita, havendo a necessidade em se mudar para baixo, possa se mudar para próxima linha sem esforços manuais. 4.4 CENTRO DE CUSTOS Todos os gastos com componentes, peças e demais foram de total responsabilidade dos alunos responsáveis pelo projeto. 20

21 5 - PROBLEMAS APRESENTADOS Problema encontrado O não funcionamento do conversor RS232 TTL, sem sinal correto na saída. Em fase de testes, o circuito conversor TTL apresentou falhas, exatamente no CIMAX232. Utilização das coordenadas criadas no EAGLE, para impressão das trilhas e furos. Funcionamento incorreto do motor de 0,5A, perda da seqüência correta dos pontos do mesmo. Várias combinações testadas sem sucesso. Perda na estabilidade do conjunto ao se enviar alguns tipos de letras da biblioteca virtual. Todas as letras que necessitavam usar como primeiro comando o solenóide. Solução aplicada Suspeita de dano no CI MAX232, levou na decisão de comprar um novo componente. E com forma de garantia também se comprou um novo transistor BC548. Após a nova montagem o resultado foi positivo. Circuito funcionando. Compra de um novo componente. Mudança de função do projeto. Passou a escrever apenas letras e números, como recomendação do orientador. Compra de um novo motor de mesmo modelo. Posteriormente seu funcionando foi realizado corretamente. Acrescimo de um mesmo comando em todas as letras que apresentavam erro. Um comando do solenóide também. 21

22 6 CONCLUSÃO Assim, após a conclusão do projeto, chegou a conclusões que através dos conhecimentos pratico ou teórico adquiridos das disciplinas de física, sistemas digitais, programação e resolução de problemas de engenharia, podese desenvolver e implementar um projeto integrado. Além de agregar conhecimentos novos na resolução rápida e pratica de problemas que podem ocorrer em um sistema ou máquina. O projeto tornou-se importante porque apresentou de forma positiva falhas e erros, o que conseqüentemente exigiu dos integrantes da equipe uma abordagem ampla e cuidadosa do caso. Buscando soluções aplicáveis ao problema em livros, páginas virtuais e consultas a profissionais acadêmicos da área. 22

23 7 REFERÊNCIAS MÓDULO DAD. Motores de passo. BESSONAO, L. Eletricidade aplicada para engenheiros. Editora Porto Numero de acervo: B559 23

PROJETO. Ponte Digital. http://www.pontedigital.hpg.ig.com.br/ Luciano Daniel Amarante - carabina@pop.com.br Ricardo Watzko - rw@netuno.com.

PROJETO. Ponte Digital. http://www.pontedigital.hpg.ig.com.br/ Luciano Daniel Amarante - carabina@pop.com.br Ricardo Watzko - rw@netuno.com. Ponte levadiça digital... Projeto semestral primeira fase de 2003 Engenharia de Computação 4 período Em breve aqui novos projetos... Página inicial Pré-projeto Projeto FOTOS e Vídeos Funcionamento Esboços

Leia mais

Trânsito Inteligente

Trânsito Inteligente Trânsito Inteligente Adriano de Miranda - floric_adm@yahoo.com Marcio José Stedile - marciostedile@aol.com Samuel Alessandro Camargo - mirindauva@ig.com.br 1. Abstract The objective of the project was

Leia mais

Manual de funcionamento Esteira transportadora

Manual de funcionamento Esteira transportadora Manual de funcionamento Esteira transportadora Sumário 1. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 2 2. ITENS DO SISTEMA... 3 2.1. PLACA DE COMANDO... 3 2.1.1. Sinalizador... 3 2.1.2. Botão pulsador... 3 2.1.3. Chave comutadora...

Leia mais

Projeto Copy Mech Security

Projeto Copy Mech Security Projeto Copy Mech Security João Gabriel Ribeiro - gabriel@ribeirorepres.com.br João Paulo Mella Bacchmi - joao_@sulbbs.com.br João Pedro Antunes Fontes - joaopedro_fontes@yahoo.com.br Mauricio Mendez Ribeiro

Leia mais

VEÍCULO BV 1. Figura 01 BV 1 construído com material de baixo custo

VEÍCULO BV 1. Figura 01 BV 1 construído com material de baixo custo VEÍCULO BV 1 Resumo Este trabalho apresenta um tutorial ("How To") para a construção de um robô simples controlado por um PC através da porta paralela. A construção deste robô tem como objetivo introduzir

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA CCET CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO Henrique Soares Hinke José Eduardo da Silva Rodrigues Matheus Augusto de Queiroz

Leia mais

Projeto Aranha. Diego Guérios Meyer. Fabrizio Cantoni. Fernando Ferreira Akel

Projeto Aranha. Diego Guérios Meyer. Fabrizio Cantoni. Fernando Ferreira Akel Projeto Aranha Diego Guérios Meyer Fabrizio Cantoni Fernando Ferreira Akel Abstract Interdisciplinar work presented on the disciplines : Physics III,Advanced Programming Technics, Electric Circuits I and

Leia mais

ALC. Ricardo Geraldes David João. Rodrigo Carlucci da Luz. Lucas Pinheiro Berto

ALC. Ricardo Geraldes David João. Rodrigo Carlucci da Luz. Lucas Pinheiro Berto Ricardo Geraldes David João Rodrigo Carlucci da Luz Lucas Pinheiro Berto ALC Projeto apresentado como requisito Parcial para avaliação do Programa de Aprendizagem em Física III e requisito para o programa

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Alef Turatti. Franciedson Néry. Israel Kenjy. Jackson Ueda SHINY GLASS. Curitiba

Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Alef Turatti. Franciedson Néry. Israel Kenjy. Jackson Ueda SHINY GLASS. Curitiba Pontifícia Universidade Católica do Paraná Alef Turatti Franciedson Néry Israel Kenjy Jackson Ueda SHINY GLASS Curitiba 2013 Alef Turatti Franciedson Néry Israel Kenjy Jackson Ueda SHINY GLASS Projeto

Leia mais

Manual de utilização do programa

Manual de utilização do programa PCIToGCode Manual de utilização do programa PCIToGCode O PCITOGCODE é um aplicativo desenvolvido para converter imagem de uma placa de circuito impresso em um arquivo de códigos G. Com o arquivo de códigos

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA ENGENHARIA DE COMPUTAÇÂO. Projeto Integrado CURITIBA

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA ENGENHARIA DE COMPUTAÇÂO. Projeto Integrado CURITIBA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA ENGENHARIA DE COMPUTAÇÂO Projeto Integrado CURITIBA Junho de 2009 Leonardo Goslar Otto Projeto Integrado Plotter Vertical

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE A CRIAÇÃO DE PLACA IHL (INTERFACE DE HARDWARE LIVRE) ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO 1º SEMESTRE

RELATÓRIO SOBRE A CRIAÇÃO DE PLACA IHL (INTERFACE DE HARDWARE LIVRE) ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO 1º SEMESTRE RELATÓRIO SOBRE A CRIAÇÃO DE PLACA IHL (INTERFACE DE HARDWARE LIVRE) ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO 1º SEMESTRE Albert Cruz Loyanne Lemos Matheus Carvalho Pricilla Brandão Salvador Dezembro - 2010 Albert Cruz,

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE CIRCUITOS CONVERSORES DIGITAL-ANALÓGICOS PARA CONTROLE DE POLARIZAÇÃO

DESENVOLVIMENTO DE CIRCUITOS CONVERSORES DIGITAL-ANALÓGICOS PARA CONTROLE DE POLARIZAÇÃO DESENVOLVIMENTO DE CIRCUITOS CONVERSORES DIGITAL-ANALÓGICOS PARA CONTROLE DE POLARIZAÇÃO Aluno: Joaquim Masset Lacombe Dias Garcia Aluna: Ana Sofia Viotti Daker Aranha Orientador: Guilherme Penello Temporão

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CÂMPUS CURITIBA CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CÂMPUS CURITIBA CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO 0 PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CÂMPUS CURITIBA CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO PROJETO INTEGRADO: COBERTURA AUTOMATIZADA COM DETECTOR DE CHUVA CURITIBA 2010 1 TAISA DAIANA DA COSTA PROJETO

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CENTRO DE CIENCIAS EXATAS E TECNOLOGICAS ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CENTRO DE CIENCIAS EXATAS E TECNOLOGICAS ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CENTRO DE CIENCIAS EXATAS E TECNOLOGICAS ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO ADRIANNO ESNARRIAGA SERENO GUSTAVO HENRIQUE FURLAN HENRIQUE GONÇALVES DE PADUA REIS SMART BLIND

Leia mais

http://legacy.afonsomiguel.com/graduacao/projetosintegrados/2006-1/r... Robô Explorador

http://legacy.afonsomiguel.com/graduacao/projetosintegrados/2006-1/r... Robô Explorador 1 de 5 16/7/2009 13:51 Robô Explorador Renan Souza Iralla zeroskull@bol.com.br Francesco Jacomel francesco.jacomel@gmail.com Fabio Andrei Salles fabio.salles@pucpr.br Professores Orientadores Profº Gil

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CCET - Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia Engenharia de Computação VELOHIDRO CURITIBA

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CCET - Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia Engenharia de Computação VELOHIDRO CURITIBA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CCET - Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia Engenharia de Computação VELOHIDRO CURITIBA 2011 1 Fernando Brambilla de Mello Silvio da Costa Reis Victor Miranda

Leia mais

Módulo de Desenvolvimento PIC16F877A

Módulo de Desenvolvimento PIC16F877A Objetivos: Módulo de Desenvolvimento PIC16F877A Realizar programação e projetos com microcontroladores e seus periféricos, integrando sistemas analógicos e digitais com a utilização de compilador (Mikro

Leia mais

Controle de Acesso. Automático de Veículos. saiba mais. automação

Controle de Acesso. Automático de Veículos. saiba mais. automação Controle de Acesso Automático de Veículos Este trabalho tem como objetivo desenvolver uma solução tecnológica que permita o controle dos portões automáticos remotamente através da internet. Aplicando-se

Leia mais

MANUAL. Leia cuidadosamente este manual antes de ligar o Driver. A Neoyama Automação se reserva no direito de fazer alterações sem aviso prévio.

MANUAL. Leia cuidadosamente este manual antes de ligar o Driver. A Neoyama Automação se reserva no direito de fazer alterações sem aviso prévio. 1 P/N: AKDMP5-1.7A DRIVER PARA MOTOR DE PASSO MANUAL ATENÇÃO Leia cuidadosamente este manual antes de ligar o Driver. A Neoyama Automação se reserva no direito de fazer alterações sem aviso prévio. 2 SUMÁRIO

Leia mais

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 30/08/2009

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 30/08/2009 Questão 21 Conhecimentos Específicos - Eletrônica Em um circuito ressonante LC paralelo (bobina em paralelo com capacitor fixo), quando se introduz na bobina um núcleo de ferrita, o que ocorre com a freqüência

Leia mais

UTILIZANDO O MuLTISIM. laboratório de tecnologia. Newton C. Braga. Instituto

UTILIZANDO O MuLTISIM. laboratório de tecnologia. Newton C. Braga. Instituto laboratório de tecnologia Instituto ensino médio ensino fundamental disciplina tecnologia UTILIZANDO O MuLTISIM Introdução ao Multisim Software de Simulação de Circuitos da National Instruments ESCOLA:

Leia mais

Introdução ao Projeto de Placas de Circuito Impresso

Introdução ao Projeto de Placas de Circuito Impresso Objetivo: Introdução ao Projeto de Placas de Circuito Impresso Prof. Stefano Apresentar algumas considerações iniciais para permitir ao estudante se familiarizar com a placa de circuito impresso (PCI),

Leia mais

Aula Prática 6 Circuitos Elétricos III Carga e Descarga da Capacitores

Aula Prática 6 Circuitos Elétricos III Carga e Descarga da Capacitores Aula Prática 6 Circuitos Elétricos III Carga e Descarga da Capacitores Disciplinas: Física III (ENG 06034) Fundamentos de Física III (ENG 10079) Física Experimental II ( DQF 10441) Depto Química e Física

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUCPR. Centro de Ciências Exatas e Tecnologia - CCET. Engenharia de Computação

Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUCPR. Centro de Ciências Exatas e Tecnologia - CCET. Engenharia de Computação Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUCPR Centro de Ciências Exatas e Tecnologia - CCET Engenharia de Computação Jean Carlo Ferreira Tambosi Raul Silva Donato Victor Henrique Alves Ribeiro Gerador

Leia mais

Esteira Contadora EQUIPE

Esteira Contadora EQUIPE Esteira Contadora EQUIPE André Medeiros Coimbra - dehmc@pop.com.br Breno Xavier Cerci - brecerci@hotmail.com Diogo Rodrigues de Jesus - diogorjs@ig.com.br Samuel Alessandro Camargo - samuel.camargo@pucpr.pr

Leia mais

Robot Soccer. Hustle 3000

Robot Soccer. Hustle 3000 Robot Soccer Hustle 3000 Rodrigo Abel de Bona - Alessandro Kiyoshi Tulio - João Luís Pompeu da Silva - Professores Orientadores: Profº Gil Marcos Jess - Física - gltjessj@terra.com.br Profº Afonso Ferreira

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO CURVE TRACER

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO CURVE TRACER PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO CURVE TRACER CURITIBA 2011 GUSTAVO MURILO SCHMITT MASSANEIRO CURVE TRACER Documentação apresentada

Leia mais

GX - ULT MANUAL DO USARIO V1.1. NEVEX Tecnologia Ltda Copyright 2012-2015 - Todos os direitos Reservados

GX - ULT MANUAL DO USARIO V1.1. NEVEX Tecnologia Ltda Copyright 2012-2015 - Todos os direitos Reservados GX - ULT MANUAL DO USARIO V1.1 NEVEX Tecnologia Ltda Copyright 2012-2015 - Todos os direitos Reservados IMPORTANTE Máquinas de controle numérico são potencialmente perigosas. A Nevex Tecnologia Ltda não

Leia mais

MANUAL DRIVE PARA MOTOR DE PASSO MODELO AKDMP5-3.5A

MANUAL DRIVE PARA MOTOR DE PASSO MODELO AKDMP5-3.5A MANUAL DRIVE PARA MOTOR DE PASSO MODELO AKDMP5-3.5A V01R12 Atenção: - Leia cuidadosamente este manual antes de ligar o Driver. - A Akiyama Tecnologia se reserva no direito de fazer alterações sem aviso

Leia mais

Pedro José Faure Gonçalves. Gas Detect

Pedro José Faure Gonçalves. Gas Detect Pedro José Faure Gonçalves Gas Detect Projeto apresentado nas disciplina de Microprocessadores II e Eletrônica II Ministrado pelo prof. Afonso Miguel No curso de Engenharia de Computação Na Universidade

Leia mais

Cortina Elétrica com Controle Remoto

Cortina Elétrica com Controle Remoto FUNDAÇÃO ESCOLA TÉCNICA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA CURSO TÉCNICO EM MECÂNICA 1º SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Turma 3111 Trabalho Trimestral de Física Cortina Elétrica com Controle Remoto Arian Müller (03)

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ - PUCPR CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA - CCET ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO DRUM MACHINE

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ - PUCPR CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA - CCET ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO DRUM MACHINE PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ - PUCPR CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA - CCET ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO DRUM MACHINE CURITIBA 2011 2 ADRIANNO ESNARRIAGA SERENO GUSTAVO HENRIQUE FURLAN

Leia mais

Projeto Fonte de Tensão Variável

Projeto Fonte de Tensão Variável Projeto Fonte de Tensão Variável Aluno: Fábio de Oliveira Ribeiro Turma: 2PE Turno da Noite Professor: Cristiano Amaral INTRODUÇÃO: O primeiro desafio que me deparei foi entender o esquemático do projeto

Leia mais

The objective of our project is to mount a mockup of a computrer controlled house. For example, control the gate and the main door opening, etc.

The objective of our project is to mount a mockup of a computrer controlled house. For example, control the gate and the main door opening, etc. Projeto - Casa Inteligente Bem Vindo Equipe Flávio José de Freitas - flavio@hardnews.com.br Leonardo Goslar Otto - leonardo@hardnews.com.br Lorena T. H. Gamarra - lorenita_gamarra@yahoo.com.br Mayco Scheffer

Leia mais

Controle universal para motor de passo

Controle universal para motor de passo Controle universal para motor de passo No projeto de automatismos industriais, robótica ou ainda com finalidades didáticas, um controle de motor de passo é um ponto crítico que deve ser enfrentado pelo

Leia mais

Laboratório de Física Experimental I

Laboratório de Física Experimental I Laboratório de Física Experimental I Centro Universitário de Vila Velha Multímetro e Fonte DC Laboratório de Física Prof. Rudson R. Alves 2012 2/10 Sumário Multímetro Minipa ET-1001...3 TERMINAIS (1)...3

Leia mais

Fonte de alimentação com duas saídas e proteção

Fonte de alimentação com duas saídas e proteção Fonte de alimentação com duas saídas e proteção Elias Bernabé Turchiello Técnico responsável Este manual se destina unicamente a orientar o montador interessado neste projeto, portanto não se encontram

Leia mais

Beverage Server. Rafael M. Alves da Silva Jabson Motta Maciel

Beverage Server. Rafael M. Alves da Silva Jabson Motta Maciel Rafael M. Alves da Silva Jabson Motta Maciel Beverage Server Projeto apresentado como requisito Parcial para avaliação do programa de Aprendizagem em RPE 2 e Física 4, do curso de Engenharia de computação

Leia mais

DECODIFICADOR DE DISPLAY DE 7 SEGMENTOS COM LATCH

DECODIFICADOR DE DISPLAY DE 7 SEGMENTOS COM LATCH UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DECODIFICADOR DE DISPLAY DE 7 SEGMENTOS COM LATCH Projeto para a matéria TE130 Projeto de Circuitos Integrados Digitais, ministrada pelo

Leia mais

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL ULBRA CONTROLE DE MOTOR DE PASSO VIA PORTA PARALELA -BUILDER C++ FABRÍCIO DE MARI

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL ULBRA CONTROLE DE MOTOR DE PASSO VIA PORTA PARALELA -BUILDER C++ FABRÍCIO DE MARI UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL ULBRA CONTROLE DE MOTOR DE PASSO VIA PORTA PARALELA -BUILDER C++ FABRÍCIO DE MARI Canoas, junho de 2007. SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO...03 1.1 Objetivo...04 1.2 Justificativa...04

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUCPR. Escola Politécnica. Engenharia de Computação. Jean Carlo Ferreira Tambosi.

Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUCPR. Escola Politécnica. Engenharia de Computação. Jean Carlo Ferreira Tambosi. Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUCPR Escola Politécnica Engenharia de Computação Jean Carlo Ferreira Tambosi Raul Silva Donato Victor Henrique Alves Ribeiro Gerador de Energia Curitiba, 2012

Leia mais

Tutorial de Eletrônica Aplicações com 555 v2010.05

Tutorial de Eletrônica Aplicações com 555 v2010.05 Tutorial de Eletrônica Aplicações com 555 v2010.05 Linha de Equipamentos MEC Desenvolvidos por: Maxwell Bohr Instrumentação Eletrônica Ltda. Rua Porto Alegre, 212 Londrina PR Brasil http://www.maxwellbohr.com.br

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGICAS ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO MRC MONITORAMENTO REMOTO DE CALOR

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGICAS ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO MRC MONITORAMENTO REMOTO DE CALOR PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGICAS ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO MRC MONITORAMENTO REMOTO DE CALOR CURITIBA 2011 2 BRUNO BAPTISTA BUCKERIDGE HENRIQUE DUARTE

Leia mais

MANUAL. - Leia cuidadosamente este manual antes de ligar o Driver. - A Neoyama Automação se reserva no direito de fazer alterações sem aviso prévio.

MANUAL. - Leia cuidadosamente este manual antes de ligar o Driver. - A Neoyama Automação se reserva no direito de fazer alterações sem aviso prévio. 1 P/N: AKDMP16-4.2A DRIVER PARA MOTOR DE PASSO MANUAL ATENÇÃO: - Leia cuidadosamente este manual antes de ligar o Driver. - A Neoyama Automação se reserva no direito de fazer alterações sem aviso prévio.

Leia mais

QUASAR LIGHT. Apresentação, Instalação, Operação & Instruções de Programação

QUASAR LIGHT. Apresentação, Instalação, Operação & Instruções de Programação Os micro-sinalizadores de LED de alta intensidade QuasarLight dispõe da mais alta tecnologia que permite criar micro-sinalizadores em tamanho reduzido em um ampla variedade de formas, disponíveis nos modelos

Leia mais

Fonte de alimentação AT, ATX e ATX12V

Fonte de alimentação AT, ATX e ATX12V Fonte de alimentação AT, ATX e ATX12V Introdução As fontes de alimentação são as responsáveis por distribuir energia elétrica a todos os componentes do computador. Por isso, uma fonte de qualidade é essencial

Leia mais

eletroeletrônica II Na linha de produção de uma empresa há Blocos eletrônicos

eletroeletrônica II Na linha de produção de uma empresa há Blocos eletrônicos A UU L AL A Manutenção eletroeletrônica II Na linha de produção de uma empresa há uma máquina muito sofisticada. Certo dia essa máquina apresentou um defeito e parou. Imediatamente foi acionada a equipe

Leia mais

Autor: Luís Fernando Patsko Nível: Intermediário Criação: 22/02/2006 Última versão: 18/12/2006. PdP. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos

Autor: Luís Fernando Patsko Nível: Intermediário Criação: 22/02/2006 Última versão: 18/12/2006. PdP. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos TUTORIAL Montagem da Ponte H Autor: Luís Fernando Patsko Nível: Intermediário Criação: 22/02/2006 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br contato@maxwellbohr.com.br

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ ESCOLA POLITÉCNICA ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO MICROPROCESSADORES PROJETO PARDAL DOCUMENTAÇÃO

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ ESCOLA POLITÉCNICA ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO MICROPROCESSADORES PROJETO PARDAL DOCUMENTAÇÃO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ ESCOLA POLITÉCNICA ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO MICROPROCESSADORES PROJETO PARDAL DOCUMENTAÇÃO CURITIBA, 2012 PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ ESCOLA POLITÉCNICA

Leia mais

CIRCUITO PARA MEDIÇÃO DE CORRENTES ELEVADAS

CIRCUITO PARA MEDIÇÃO DE CORRENTES ELEVADAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DISCIPLINA: INSTRUMENTAÇÃO ELETRÔNICA PROFESSOR: LUCIANO FONTES CAVALCANTI CIRCUITO PARA MEDIÇÃO DE

Leia mais

Manual Placa DMX 10 pixels RGB

Manual Placa DMX 10 pixels RGB Manual Placa DMX 10 pixels RGB 2011 Lumikit Sistemas para Iluminação rev.0 26/08/2011 Lumikit Sistemas para Iluminação www.lumikit.com.br 1 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. CONEXÕES DA PLACA... 4 3. DIMENSÕES

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA CCET CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO Fabiano Burakoski Ribeiro Elias Marcus Vinicius Roecker Petri Renan Moris Ferreira

Leia mais

Eletrônica Básica. Eletrônica Básica. Educador Social: Alexandre Gomes. Rua Jorge Tasso Neto, 318 - Apipucos, Recife-PE Fone: (81) 3441 1428

Eletrônica Básica. Eletrônica Básica. Educador Social: Alexandre Gomes. Rua Jorge Tasso Neto, 318 - Apipucos, Recife-PE Fone: (81) 3441 1428 Eletrônica Básica Educador Social: Alexandre Gomes Multimetro Resistores Varistor Termistor Fusível Capacitores Diodos Transistores Fonte de Alimentação Eletrônica Básica: Guia Prático Multimetro É o aparelho

Leia mais

Sistema Modelix-G (Modelix-Grafix)

Sistema Modelix-G (Modelix-Grafix) Sistema Modelix-G (Modelix-Grafix) 1) Introdução 1 2) Utilizando o Sistema Modelix-G impresso (paper) 1 3) Utilizando o Sistema Modelix-G com software 4 4) Divulgando seus projetos e idéias 7 1) Introdução

Leia mais

RECONHECIMENTO DE VOZ UTILIZANDO ARDUINO

RECONHECIMENTO DE VOZ UTILIZANDO ARDUINO RECONHECIMENTO DE VOZ UTILIZANDO ARDUINO Jessica Garcia Luz, Wyllian Fressatti Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí - PR - Brasil jessica.garcia.luz@gmail.com wyllian@unipar.br Resumo. Este artigo

Leia mais

GX - USB MANUAL DO USARIO V1.1

GX - USB MANUAL DO USARIO V1.1 GX - USB MANUAL DO USARIO V1.1 NEVEX Tecnologia Ltda Copyright 2012 - Todos os direitos Reservados IMPORTANTE Máquinas de controle numérico são potencialmente perigosas. A Nevex Tecnologia Ltda. não se

Leia mais

Modulador e demodulador PWM

Modulador e demodulador PWM Modulador e demodulador PWM 2 ATENÇÃO O autor não se responsabiliza pelo uso indevido das informações aqui apresentadas. Danos causados a qualquer equipamento utilizado juntamente com os circuitos aqui

Leia mais

EXPERIÊNCIA 2 PORTAS LÓGICAS BÁSICAS E UNIVERSAIS

EXPERIÊNCIA 2 PORTAS LÓGICAS BÁSICAS E UNIVERSAIS MEC UTFPR-CT DAELT CURSO: ENGENHARIA INDUSTRIAL ELÉTRICA DISCIPLINA: ELETRÔNICA DIGITAL PROF.: EXPERIÊNCIA 2 PORTAS LÓGICAS BÁSICAS E UNIVERSAIS DATA REALIZAÇÃO: DATA ENTREGA: ALUNOS: 1. Introdução 1.1

Leia mais

Controle de acesso FINGER

Controle de acesso FINGER Controle de acesso FINGER MANUAL DE INSTRUÇÕES Sobre esse Guia Esse guia fornece somente instruções de instalação. Para obter informações sobre instruções de uso, favor ler o Manual do usuário.. ÍNDICE

Leia mais

SENSOR DE VELOCIDADE Hudson Pinheiro de Andrade

SENSOR DE VELOCIDADE Hudson Pinheiro de Andrade UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA INSTRUMENTAÇÃO ELETRÔNICA PROFESSOR: LUCIANO CAVALCANTI SENSOR DE VELOCIDADE Hudson Pinheiro de Andrade

Leia mais

Controle remoto por Bluetooth

Controle remoto por Bluetooth Controle remoto por Bluetooth Introdução Esse tutorial tem como objetivo, facilitar a montagem do controle e drive de potência voltado a modalidades que necessitam de controle remoto, seja robô sumo de

Leia mais

CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes. Capítulo1 - Introdução à Redes. Associação dos Instrutores NetAcademy - Agosto de 2007 - Página

CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes. Capítulo1 - Introdução à Redes. Associação dos Instrutores NetAcademy - Agosto de 2007 - Página CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes Capítulo1 - Introdução à Redes 1 Requisitos para Conexão à Internet Para disponibilizar o acesso de um computador à rede, devem ser levados em consideração 03 parâmetros:

Leia mais

MANUAL DRIVE PARA MOTOR DE PASSO MODELO AKDMP5-5.0A

MANUAL DRIVE PARA MOTOR DE PASSO MODELO AKDMP5-5.0A MANUAL DRIVE PARA MOTOR DE PASSO MODELO AKDMP5-5.0A V01R12 Atenção: - Leia cuidadosamente este manual antes de ligar o Driver. - A Akiyama Tecnologia se reserva no direito de fazer alterações sem aviso

Leia mais

Reparador de Circuitos Eletrônicos

Reparador de Circuitos Eletrônicos Reparador de Circuitos Eletrônicos O Curso de Reparador de Circuitos Eletrônicos tem por objetivo o desenvolvimento de competências relativas a princípios e leis que regem o funcionamento e a reparação

Leia mais

1. Ementa 2. Objetivos Gerais: 3. Objetivos Específicos 4. Estruturação do conteúdo da disciplina e sistemática as ser desenvolvida:

1. Ementa 2. Objetivos Gerais: 3. Objetivos Específicos 4. Estruturação do conteúdo da disciplina e sistemática as ser desenvolvida: 1. Ementa Gerenciamento e desenvolvimento de um projeto que acompanhe as etapas do ciclo de vida do software e ou hardware, com ênfase em: documentação, determinação dos requisitos, projeto lógico, projeto

Leia mais

Programação de Robótica: Modo Circuitos Programados - Avançado -

Programação de Robótica: Modo Circuitos Programados - Avançado - Programação de Robótica: Modo Circuitos Programados - Avançado - 1 Programação de Robótica: Modo Circuitos Programados - Avançado ATENÇÃO Lembramos que você poderá consultar o Manual de Referência do Software

Leia mais

Sistema de Aquisição de Dados

Sistema de Aquisição de Dados Sistema de Aquisição de Dados Versão 2013 RESUMO Nesta experiência será desenvolvido o projeto de um sistema de aquisição e armazenamento de dados analógicos em formato digital. O sinal de um sensor de

Leia mais

Simulação de Circuitos Microcontrolados com o Proteus

Simulação de Circuitos Microcontrolados com o Proteus Universidade Federal do Pará Laboratório de Processamento de Sinais (LaPS) Simulação de Circuitos Microcontrolados com o Proteus Flávio Hernan Figueiredo Nunes flaviohernanfnunes@gmail.com 25 de janeiro

Leia mais

Cabeça de Rede de Campo PROFIBUS-DP

Cabeça de Rede de Campo PROFIBUS-DP Descrição do Produto O módulo, integrante da Série Ponto, é uma cabeça escrava para redes PROFIBUS-DP do tipo modular, podendo usar todos os módulos de E/S da série. Pode ser interligada a IHMs (visores

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA DE CONTROLE AUTOMATIZADO DA ILUMINAÇÃO ARTIFICIAL DE INTERIORES

DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA DE CONTROLE AUTOMATIZADO DA ILUMINAÇÃO ARTIFICIAL DE INTERIORES 1 DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA DE CONTROLE AUTOMATIZADO DA ILUMINAÇÃO ARTIFICIAL DE INTERIORES Denise Antunes de Lima 1 ; Jonatan Rafael Rakoski Zientarski 2 1 INTRODUÇÃO A iluminação artificial do interior

Leia mais

Aula 5 Componentes e Equipamentos Eletrônicos

Aula 5 Componentes e Equipamentos Eletrônicos Aula 5 Componentes e Equipamentos Eletrônicos Introdução Componentes Eletrônicos Equipamentos Eletrônicos Utilizados no Laboratório Tarefas INTRODUÇÃO O nível de evolução tecnológica evidenciado nos dias

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ ESCOLA POLITÉCNICA CURSO DE ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ ESCOLA POLITÉCNICA CURSO DE ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ ESCOLA POLITÉCNICA CURSO DE ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO NETLOCKER CURITIBA 2012 2 KEVEN DIEGO FARIAS KOBERSTEIN KONRADO BIENERT LEONARDO ARAUJO DA SILVEIRA NETLOCKER

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA GERÊNCIA EDUCACIONAL DE ELETRÔNICA Fundamentos de Eletricidade

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA GERÊNCIA EDUCACIONAL DE ELETRÔNICA Fundamentos de Eletricidade CENTO FEDEAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SANTA CATAINA GEÊNCIA EDUCACIONAL DE ELETÔNICA Fundamentos de Eletricidade AULA 01 MATIZ DECONTATOS, CÓDIGO DE COES DE ESISTOES E FONTES DE ALIMENTAÇÃO 1 INTODUÇÃO

Leia mais

Composição do MDK-Prog e MDK-Prog Plus

Composição do MDK-Prog e MDK-Prog Plus A Modelix Robotics está lançando no mercado brasileiro dois kits de Robótica aplicada, ideal para quem deseja iniciar o aprendizado de programação de robôs e eletrônica, usando o Software Modelix System

Leia mais

3.1.6 Entradas digitais Quantidade: 8. Tipo: NPN / PNP conforme configuração, dividida em 2 grupos de 4 entradas. Impedância de entrada: 8.8KΩ.

3.1.6 Entradas digitais Quantidade: 8. Tipo: NPN / PNP conforme configuração, dividida em 2 grupos de 4 entradas. Impedância de entrada: 8.8KΩ. 8 Tecla Cancelar. Utilizado para retorno de nível de programação. 9 Tecla Enter. Utilizado para acessar programação. Obs.: Todas as teclas podem ser utilizadas no diagrama Ladder. 3. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

Leia mais

2. NÍVEL DE SISTEMA OPERACIONAL

2. NÍVEL DE SISTEMA OPERACIONAL 2. NÍVEL DE SISTEMA OPERACIONAL Nos períodos anteriores foram mostrados os níveis iniciais da organização de um computador, quando vimos em Circuitos Digitais os detalhes do Nível 0 (zero) de Lógica Digital.

Leia mais

Testador de cabos de rede

Testador de cabos de rede Testador de cabos de rede Elias Bernabé Turchiello Técnico responsável Este manual se destina unicamente a orientar o montador interessado neste projeto, portanto não se encontram neste manual: detalhes

Leia mais

REAL LACOS: CONTROLE DIGITAL EM TEMPO REAL

REAL LACOS: CONTROLE DIGITAL EM TEMPO REAL REAL LACOS: CONTROLE DIGITAL EM TEMPO REAL Andreya Prestes da Silva 1, Rejane de Barros Araújo 1, Rosana Paula Soares Oliveira 1 e Luiz Affonso Guedes 1 Universidade Federal do ParáB 1 Laboratório de Controle

Leia mais

Laboratório de Processadores. Dicas para elaborar um layout de um placa de circuito impresso (PCI)

Laboratório de Processadores. Dicas para elaborar um layout de um placa de circuito impresso (PCI) Laboratório de Processadores Prof. Anderson Royes Terroso www.aterroso.com Dicas para elaborar um layout de um placa de circuito impresso (PCI) Este material foi desenvolvido com o objetivo de apresentar

Leia mais

Controladores Lógicos Programáveis (CLPs)

Controladores Lógicos Programáveis (CLPs) Controladores Lógicos Programáveis (CLPs) A UU L AL A Uma empresa fabrica clipes em três tamanhos: grande, médio e pequeno. Seus clientes consomem os produtos dos três tamanhos, mas a empresa nunca conseguiu

Leia mais

EXPERIÊNCIA 1 RESISTORES E ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES

EXPERIÊNCIA 1 RESISTORES E ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES EXPEIÊNCIA 1 ESISTOES E ASSOCIAÇÃO DE ESISTOES 1 INTODUÇÃO TEÓICA Os resistores são componentes básicos dos circuitos eletro-eletrônicos utilizados nos trechos dos circuitos onde se deseja oferecer uma

Leia mais

EA079 - Laboratório de Micro e Minicomputadores: Hardware Laboratório II

EA079 - Laboratório de Micro e Minicomputadores: Hardware Laboratório II EA079 - Laboratório de Micro e Minicomputadores: Hardware Laboratório II Projeto de Interface Paralela de Saída 1 Objetivo do Laboratório II 1. projetar e implementar um decodificador de endereços para

Leia mais

Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Engenharias Urbanismo e Arquitetura Curso de Engenharia Elétrica/Eletrônica JANELA SENSORIAL

Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Engenharias Urbanismo e Arquitetura Curso de Engenharia Elétrica/Eletrônica JANELA SENSORIAL 1 Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Engenharias Urbanismo e Arquitetura Curso de Engenharia Elétrica/Eletrônica JANELA SENSORIAL BRUNO AUGUSTO CAETANO FERNANDO ALMEIDA SALGADO Relatório do Trabalho

Leia mais

Manutenção de Computadores

Manutenção de Computadores Manutenção de Computadores Assunto a ser estudado: Armazenamento; Energia; Dispositivos de Entrada e Saída; Placa Mãe; Sistema de Arquivo; Processadores; Refrigeração; Memória; Vídeo; Instalação de sistemas

Leia mais

Controle para Motores de Passo usando módulo USB-6008

Controle para Motores de Passo usando módulo USB-6008 Departamento de Física e Ciência dos Materiais Caixa Postal 369-13560-970 São Carlos SP Brasil e-mail : andretec@ifsc.usp.br Controle para Motores de Passo usando módulo USB-6008 Introdução Neste projeto

Leia mais

3. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

3. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS 3. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS 3.2 CARACTERÍSTICAS DE SOFTWARE 1. CARACTERÍSTICAS O CLG535R é um controlador programável que integra os principais recursos empregados em uma automação industrial. Dispõe integrado

Leia mais

Datasheet Componentes Eletrônicos

Datasheet Componentes Eletrônicos Datasheet Componentes Eletrônicos Caixa de Pilhas... 2 LED (mini lâmpada)... 2 Conector INT... 3 HUB... 3 Sensor de Luz... 4 Circuito Relé... 4 Circuito Buzz... 5 Sensor de Ímã... 6 Ponte H com Relés...

Leia mais

Os atuadores. Figura B

Os atuadores. Figura B Armbot ARMBOT é um braço robótico que foi elaborado para ser construído por pessoas com pouca ou nenhuma experiência com eletrônica e programação, podendo inclusive ser montado por alunos para feiras de

Leia mais

TUTORIAL DE UTILIZAÇÃO DO PROTEUS

TUTORIAL DE UTILIZAÇÃO DO PROTEUS 1 Para iniciar a edição de um esquema elétrico para posterior simulação, busque no menu Iniciar do Windows, a opção Todos os Programas. Localize a pasta onde foi instalado o Proteus e selecione o programa

Leia mais

Hardware de Computadores

Hardware de Computadores Fonte de Energia Hardware de Computadores Introdução As fontes de alimentação são as responsáveis por distribuir energia elétrica a todos os componentes do computador. Assim, uma fonte de qualidade é essencial

Leia mais

DICAS PARA CONFECÇÃO DE PLACAS DE CIRCUITO IMPRESSO

DICAS PARA CONFECÇÃO DE PLACAS DE CIRCUITO IMPRESSO DICAS PARA CONFECÇÃO DE PLACAS DE CIRCUITO IMPRESSO Esse material contém algumas dicas que irão ajudar na confecção de placas de circuito impresso. Também foram incluídos os passos necessários para se

Leia mais

ACENDENDO AS LUZES. Capitulo 2 - Aula 1 Livro: Arduino básico Tutor: Wivissom Fayvre

ACENDENDO AS LUZES. Capitulo 2 - Aula 1 Livro: Arduino básico Tutor: Wivissom Fayvre ACENDENDO AS LUZES Capitulo 2 - Aula 1 Livro: Arduino básico Tutor: Wivissom Fayvre Projeto 1 LED piscante Neste capitulo, todos os projetos utilizam luzes LED s de diversas formas. Em relação ao hardware,

Leia mais

Eletrônica Industrial Apostila sobre Modulação PWM página 1 de 6 INTRODUÇÃO

Eletrônica Industrial Apostila sobre Modulação PWM página 1 de 6 INTRODUÇÃO Eletrônica Industrial Apostila sobre Modulação PWM página 1 de 6 Curso Técnico em Eletrônica Eletrônica Industrial Apostila sobre Modulação PWM Prof. Ariovaldo Ghirardello INTRODUÇÃO Os controles de potência,

Leia mais

Conceitos Básicos de Automação. Exemplo Motivador

Conceitos Básicos de Automação. Exemplo Motivador Conceitos Básicos de Automação Prof. Jeferson L. Curzel 2011/02 Exemplo Motivador Para uma furação manual o operador usava os olhos, o tato e a contração de seus braços para avaliar a evolução do furo

Leia mais

Câmera Interativa para CyberTv

Câmera Interativa para CyberTv Câmera Interativa para CyberTv Nome do projeto inicial: Visão computacional como possibilidade de interação uma CyberTv Título do protótipo: Tvicam câmera interativa para CyberTv Coordenação: Alexandra

Leia mais

Manual de Instruções. Rastreador Via Satelite para Automóveis e Caminhões

Manual de Instruções. Rastreador Via Satelite para Automóveis e Caminhões Manual de Instruções Manual de Instruções Esta embalagem contém: Módulo AT1000 1 relé de potência 1 alto falante 1 antena GPS 1 antena GSM 1 soquete p/ relé com cabo 1 conector com cabo Manual de instruções

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Claudio Roberto Ferretto Junior. Éric Guimarães Zeni. Jub Gomes da Costa WINDOWS X.

Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Claudio Roberto Ferretto Junior. Éric Guimarães Zeni. Jub Gomes da Costa WINDOWS X. Pontifícia Universidade Católica do Paraná Claudio Roberto Ferretto Junior Éric Guimarães Zeni Jub Gomes da Costa WINDOWS X Curitiba 2013 Claudio Roberto Ferretto Junior Éric Guimarães Zeni Jub Gomes da

Leia mais

1 Componentes da Rede Gestun

1 Componentes da Rede Gestun PROCEDIMENTO PARA DETECÇÃO DE FALHAS EM REDES DATA: 23/06/14. Controle de Alterações DATA 23/06/14 MOTIVO Versão Inicial RESPONSÁVEL Márcio Correia 1 Componentes da Rede Gestun -Módulo de comunicação:

Leia mais

Ler e interpretar simbologias elétricas. Elaborar diagramas elétricos em planta baixa. Ler e interpretar Planta Baixa.

Ler e interpretar simbologias elétricas. Elaborar diagramas elétricos em planta baixa. Ler e interpretar Planta Baixa. : Técnico em Informática Descrição do Perfil Profissional: O profissional com habilitação Técnica em Microinformática, certificado pelo SENAI-MG, deverá ser capaz de: preparar ambientes para a instalação

Leia mais