Electrónica Industrial

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Electrónica Industrial"

Transcrição

1 XIX CAMPEONATO REGIONAL DAS PROFISSÕES

2 E l e c t r ó n i c a I n d u s t r i a l Índice 1. Equipamentos/ferramentas 2. Matriz da prova

3 E l e c t r ó n i c a I n d u s t r i a l 1. Equipamentos/ferramentas Aos concorrentes é permitido trazerem ferramenta individual constante da lista abaixo apesar da organização da prova disponibilizar a indispensável para o desenrolar da prova. É da responsabilidade do concorrente o equipamento de protecção individual (EPIs) Obs: Materiais, instrumentos e ferramentas trazidos pelo concorrente, que não foram solicitados, deverão ser apresentados ao júri, no período da ambientação ao posto de trabalho, que autorizarão ou não o uso dos mesmos. EQUIPAMENTO E FERRAMENTA INDIVIDUAL (Deverá ser da responsabilidade de cada concorrente) Designação Valor Quant. FERRAMENTA INDIVIDUAL (por concorrente) Multímetro 1 Ferro de Soldar c/ suporte 1 Alicate Universal 1 Dessoldador 1 Alicate de Corte (Electrónica) 1 Alicate de Pontas Chatas (Electrónica) 1 Conjunto de Chaves de Fendas 1 Conjunto de Chaves Philips 1 Conjunto de Chaves de Precisão 1 Pinças 1 Canivete de Electricista 1 Solda sem chumbo 1 Régua 1 Escova para limpeza de circuito impresso 1 Maquina de calcular Não programável (Cientifica) 1 x-acto 1

4 E l e c t r ó n i c a I n d u s t r i a l 1. Equipamentos/ferramentas EQUIPAMENTO DE LABORATÓRIO E FERRAMENTA ESPECIAL Por Posto de Trabalho Designação Valor Quant. EQUIPAMENTO (por bancada) Osciloscópio duplo traço, 20 MHz 1 Fonte de Alimentação regulável 1 Gerador de Funções 1 Computador 1 Software Desenho Eagle Layout Editor 1 Software PIC-C compilador de C++ para micro controladores 1 Software Labview 1 Candeeiro de bancada com lupa 1 Frequêncimetro universal 1 Impressora 1 Equipamento de Soldar e Dessoldar 1 Multímetro 1

5 2. Matriz da Prova Prova Teórica Prova composta por 10 questões sobre calculo de electrotecnia, electrónica analógica e electrónica digital. Prova de Desenho Pretende-se nesta prova que o concorrente elabore, a partir de uma placa (ou foto do circuito) que lhe é entregue, o esquema correspondente à montagem. Poderá utilizar as normas da simbologia europeia ou americana, (não pode utilizar as duas em simultâneo) constantes do software disponível. O esquema deverá conter identificação, data, nome do autor etc, ou seja a legenda. Deverá identificar os componentes e elaborar lista com os seus valores e referências. Exemplo: Referencia Designação Valor R1 resistência 4,7Ω C1 condensador 100µF/35V Software disponivel para a realização da prova: Eagle light avaliação: Simbologia, nomenclatura, lógica, funcionamento, técnicas de elaboração, apresentação, etc.

6 2. Matriz da Prova Prova de Montagem Prova executada em circuito impresso previamente confeccionado, em que o concorrente deverá calcular alguns componentes requisitá-los, ajustar e ensaiar o circuito e descrever o seu funcionamento. Avaliação: Calculo, descrição do circuito, soldadura, colocação de componentes, funcionamento, métodos de execução, apresentação, etc. Prova de Programação Prova executada em computador com software PIC C em linguagem C++ em que é pedido ao concorrente que elabore um fluxograma e o respectivo programa com as funções constantes na prova e programe o microcontrolador PIC com o software winpic 800. Prova de Assemblagem Nesta prova é pedido que o concorrente monte todos os circuitos, execute todas as interligações necessárias para o seu funcionamento e elabore manual simples sobre funcionamento do circuito Avaliação: Cablagens, funcionamento, apresentação, elaboração de manual Obs: a não conclusão de qualquer das provas, não é impedimento à realização e conclusão de qualquer uma das outras.

TRABALHO 3 Circuitos RLC resposta nos domínios do tempo e da frequência

TRABALHO 3 Circuitos RLC resposta nos domínios do tempo e da frequência GUIA DE LABORATÓRIO Análise de Circuitos - LEE TRABALHO 3 Circuitos RLC resposta nos domínios do tempo e da frequência INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO Departamento de Engenharia Electrotécnica e de Computadores

Leia mais

Amplificadores Operacionais

Amplificadores Operacionais Análise de Circuitos LEE 2006/07 Guia de Laboratório Trabalho 2 Amplificadores Operacionais INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO Departamento de Engenharia Electrotécnica e de Computadores Paulo Flores 1 Objectivos

Leia mais

CANSAT PORTUGAL 2015

CANSAT PORTUGAL 2015 CANSAT PORTUGAL 2015 WORKSHOP INICIAL DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES 10 e 11 de Janeiro de 2015 PROGRAMA CANSAT PORTUGAL 2015 WORKSHOP INICIAL DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES 2015 Programa de formação ÍNDICE 1-

Leia mais

Montagem da Placa do Controlador

Montagem da Placa do Controlador Montagem da Placa do Controlador A placa de circuito impresso (PCI) do controlador é fornecida com serigrafia, pelo que se torna relativamente fácil proceder à implantação dos componentes e respectivas

Leia mais

Ler e interpretar simbologias elétricas. Elaborar diagramas elétricos em planta baixa. Ler e interpretar Planta Baixa.

Ler e interpretar simbologias elétricas. Elaborar diagramas elétricos em planta baixa. Ler e interpretar Planta Baixa. : Técnico em Informática Descrição do Perfil Profissional: O profissional com habilitação Técnica em Microinformática, certificado pelo SENAI-MG, deverá ser capaz de: preparar ambientes para a instalação

Leia mais

Escola Secundária/3 da Maia Cursos em funcionamento 2009-2010. Técnico de Electrónica, Automação e Comando

Escola Secundária/3 da Maia Cursos em funcionamento 2009-2010. Técnico de Electrónica, Automação e Comando Ensino Secundário Diurno Cursos Profissionais Técnico de Electrónica, Automação e Comando PERFIL DE DESEMPENHO À SAÍDA DO CURSO O Técnico de Electrónica, Automação e Comando é o profissional qualificado

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL OPERADOR(A) DE ELECTRÓNICA. PERFIL PROFISSIONAL Operador/a de Electrónica Nível 2 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/16

PERFIL PROFISSIONAL OPERADOR(A) DE ELECTRÓNICA. PERFIL PROFISSIONAL Operador/a de Electrónica Nível 2 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/16 PERFIL PROFISSIONAL OPERADOR(A) DE ELECTRÓNICA PERFIL PROFISSIONAL Operador/a de Electrónica Nível 2 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/16 ÁREA DE ACTIVIDADE - ELECTRÓNICA E AUTOMAÇÃO OBJECTIVO GLOBAL

Leia mais

Tecnologias Aplicadas

Tecnologias Aplicadas CURSOS PROFISSIONAIS DE NÍVEL SECUNDÁRIO Técnico de Electrónica, Automação e Computadores PROGRAMA Componente de Formação Técnica Disciplina de Tecnologias Aplicadas Escolas Proponentes / Autores E P de

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec:PAULINO BOTELHO Código: 091 Município:São Carlos Eixo Tecnológico: Controle e Processos Industriais Habilitação Profissional: Técnico em Mecatrônica

Leia mais

Módulo de Desenvolvimento PIC16F877A

Módulo de Desenvolvimento PIC16F877A Objetivos: Módulo de Desenvolvimento PIC16F877A Realizar programação e projetos com microcontroladores e seus periféricos, integrando sistemas analógicos e digitais com a utilização de compilador (Mikro

Leia mais

Manual de Instruções para a Placa de Testes da FPGA Max3064A da Altera

Manual de Instruções para a Placa de Testes da FPGA Max3064A da Altera Instituto Superior de Engenharia do Porto ISEP Manual de Instruções para a Placa de Testes da FPGA Max304A da Altera Ano lectivo 2004/2005 3º do Bacharelato do curso de Engenharia Electrotécnica Electrónica

Leia mais

TRATAMENTO E ANÁLISE DE SINAIS DE BAIXA FREQUÊNCIA PARA EMULAÇÃO DE CANAL RÁDIO

TRATAMENTO E ANÁLISE DE SINAIS DE BAIXA FREQUÊNCIA PARA EMULAÇÃO DE CANAL RÁDIO TRATAMENTO E ANÁLISE DE SINAIS DE BAIXA FREQUÊNCIA PARA EMULAÇÃO DE CANAL RÁDIO Davi Schmutzler Valim Faculdade de Engenharia Elétrica CEATEC davi_valim@puccampinas.edu.br Resumo: O trabalho trata de fazer

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico EIXO TECNOLÓGICO: CONTROLE E PROCESSOS INDUSTRIAIS

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico EIXO TECNOLÓGICO: CONTROLE E PROCESSOS INDUSTRIAIS Padronização do tipo e quantidade necessária de instalações e equipamentos dos laboratórios das habilitações profissionais EIXO TECNOLÓGICO: CONTROLE E PROCESSOS INDUSTRIAIS HABILITAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICO

Leia mais

Reparador de Circuitos Eletrônicos

Reparador de Circuitos Eletrônicos Reparador de Circuitos Eletrônicos O Curso de Reparador de Circuitos Eletrônicos tem por objetivo o desenvolvimento de competências relativas a princípios e leis que regem o funcionamento e a reparação

Leia mais

CIRCUITO PARA MEDIÇÃO DE CORRENTES ELEVADAS

CIRCUITO PARA MEDIÇÃO DE CORRENTES ELEVADAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DISCIPLINA: INSTRUMENTAÇÃO ELETRÔNICA PROFESSOR: LUCIANO FONTES CAVALCANTI CIRCUITO PARA MEDIÇÃO DE

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA CCET CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO Fabiano Burakoski Ribeiro Elias Marcus Vinicius Roecker Petri Renan Moris Ferreira

Leia mais

ACTOS PROFISSIONAIS GIPE. Gabinete de Inovação Pedagógica

ACTOS PROFISSIONAIS GIPE. Gabinete de Inovação Pedagógica ACTOS PROFISSIONAIS GIPE Gabinete de Inovação Pedagógica Cooptécnica Gustave Eiffel, CRL Venda Nova, Amadora 214 996 440 910 532 379 Março, 10 MECATRÓNICA 1 GIPE - Gabinete de Inovação Pedagógica Comunicar

Leia mais

Componente de Formação Técnica. Disciplina de

Componente de Formação Técnica. Disciplina de CURSOS PROFISSIONAIS DE NÍVEL SECUNDÁRIO Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos PROGRAMA Componente de Formação Técnica Disciplina de Electrónica Fundamental Escolas Proponentes / Autores ETP Zona

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: PAULINO BOTELHO Código: 091 Município:São Carlos Eixo Tecnológico: Controle e Processos Industriais Habilitação Profissional: Técnico em Mecatrônica

Leia mais

Roteiro para experiências de laboratório. AULA 2: Osciloscópio e curvas do diodo. Alunos: 2-3-

Roteiro para experiências de laboratório. AULA 2: Osciloscópio e curvas do diodo. Alunos: 2-3- Campus SERRA COORDENADORIA DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL Disciplinas: ELETRÔNICA BÁSICA e ELETRICIDADE GERAL Professores: Vinícius Secchin de Melo Wallas Gusmão Thomaz Roteiro para experiências de laboratório

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA GERÊNCIA EDUCACIONAL DE ELETRÔNICA Fundamentos de Eletricidade

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA GERÊNCIA EDUCACIONAL DE ELETRÔNICA Fundamentos de Eletricidade CENTO FEDEAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SANTA CATAINA GEÊNCIA EDUCACIONAL DE ELETÔNICA Fundamentos de Eletricidade AULA 01 MATIZ DECONTATOS, CÓDIGO DE COES DE ESISTOES E FONTES DE ALIMENTAÇÃO 1 INTODUÇÃO

Leia mais

Departamento de Engenharia Electrotécnica e de Computadores Sistemas Digitais 2010/2011 Instituto Superior Técnico - Universidade Técnica de Lisboa

Departamento de Engenharia Electrotécnica e de Computadores Sistemas Digitais 2010/2011 Instituto Superior Técnico - Universidade Técnica de Lisboa SISTEMAS DIGITAIS Ambiente de Trabalho e Portas Lógicas (Hardware) Objectivo: Este trabalho destina-se a pôr os alunos em contacto com o equipamento do laboratório, com os componentes a utilizar e com

Leia mais

QUALIFICAÇÃO TÉCNICA EM HARDWARE

QUALIFICAÇÃO TÉCNICA EM HARDWARE OPORTUNIDADE Estamos diante de um fato: o computador está presente em estabelecimentos dos mais diversos ramos e em muitos lares brasileiros. Sem dúvida este dado revela uma grande oportunidade no mercado

Leia mais

GRADE CURRICULAR. www.cursosenap.com.br

GRADE CURRICULAR. www.cursosenap.com.br INTRODUÇÃO AO HARDWARE DO COMPUTADOR O QUE É UM HARDWARE? O QUE É UM SOFTWARE? O QUE É UM PROGRAMA? O QUE É UM APLICATIVO? CONHECENDO O HARDWARE DO COMPUTADOR VISÃO GERAL DAS PEÇAS FONTE DE ALIMENTAÇÃO

Leia mais

LEE 2006/07. Guia de Laboratório. Trabalho 3. Circuitos Dinâmicos. Resposta no Tempo

LEE 2006/07. Guia de Laboratório. Trabalho 3. Circuitos Dinâmicos. Resposta no Tempo Análise de Circuitos LEE 2006/07 Guia de Laboratório Trabalho 3 Circuitos Dinâmicos Resposta no Tempo INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO Departamento de Engenharia Electrotécnica e de Computadores Paulo Flores

Leia mais

Curso Profissional Técnico de Eletrónica, Automação e Comando

Curso Profissional Técnico de Eletrónica, Automação e Comando Curso Profissional Técnico de Eletrónica, Automação e Comando Disciplina de Eletricidade e Eletrónica Módulo 1 Corrente Contínua Trabalho Prático nº 2 Verificação da lei de Ohm Trabalho realizado por:

Leia mais

1. Ementa 2. Objetivos Gerais: 3. Objetivos Específicos 4. Estruturação do conteúdo da disciplina e sistemática as ser desenvolvida:

1. Ementa 2. Objetivos Gerais: 3. Objetivos Específicos 4. Estruturação do conteúdo da disciplina e sistemática as ser desenvolvida: 1. Ementa Gerenciamento e desenvolvimento de um projeto que acompanhe as etapas do ciclo de vida do software e ou hardware, com ênfase em: documentação, determinação dos requisitos, projeto lógico, projeto

Leia mais

LABORATORIOS DE INFORMÁTICA. prof. André Aparecido da Silva Disponível em: www.oxnar.com.br/2015/profuncionario

LABORATORIOS DE INFORMÁTICA. prof. André Aparecido da Silva Disponível em: www.oxnar.com.br/2015/profuncionario LABORATORIOS DE INFORMÁTICA prof. André Aparecido da Silva Disponível em: www.oxnar.com.br/2015/profuncionario 1 O conhecimento da humanidade só evoluiu em virtude da incessante busca do ser humano em

Leia mais

Controle para Motores de Passo usando módulo USB-6008

Controle para Motores de Passo usando módulo USB-6008 Departamento de Física e Ciência dos Materiais Caixa Postal 369-13560-970 São Carlos SP Brasil e-mail : andretec@ifsc.usp.br Controle para Motores de Passo usando módulo USB-6008 Introdução Neste projeto

Leia mais

Bom de Nota. http://legacy.afonsomiguel.com/graduacao/projetosintegrados/2005-1/bomdenota/bom%2...

Bom de Nota. http://legacy.afonsomiguel.com/graduacao/projetosintegrados/2005-1/bomdenota/bom%2... Page 1 of 13 Bom de Nota Teclado musical para reconhecimento de notas aleatórias André da Silveira Ambrosio - andre.ambrosio@gmail.com I Jen Fan i.j@pucpr.br Juliano Bortolozzo Solanho - shinya_dr1@yahoo.com

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE ELECTRÓNICA. PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Electrónica Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/6

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE ELECTRÓNICA. PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Electrónica Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/6 PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE ELECTRÓNICA PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Electrónica Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/6 ÁREA DE ACTIVIDADE - ELECTRÓNICA E AUTOMAÇÃO OBJECTIVO GLOBAL -

Leia mais

COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO COPESE CONCURSO PÚBLICO TAE 2014 CAMPUS DE JUIZ DE FORA MG

COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO COPESE CONCURSO PÚBLICO TAE 2014 CAMPUS DE JUIZ DE FORA MG ANALISTA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Faculdade de Engenharia, Salas 5103, 5109 e 5110. A prova terá o objetivo de avaliar o conhecimento técnico dos candidatos ao cargo de Analista de Tecnologia da Informação

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE ELECTRÓNICA. PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Electrónica Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/10

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE ELECTRÓNICA. PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Electrónica Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/10 PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE ELECTRÓNICA PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Electrónica Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/10 ÁREA DE ACTIVIDADE OBJECTIVO GLOBAL SAÍDA(S) PROFISSIONAL(IS) -

Leia mais

Sistema de Aquisição de Dados

Sistema de Aquisição de Dados Sistema de Aquisição de Dados Versão 2013 RESUMO Nesta experiência será desenvolvido o projeto de um sistema de aquisição e armazenamento de dados analógicos em formato digital. O sinal de um sensor de

Leia mais

Simulação de Circuitos Microcontrolados com o Proteus

Simulação de Circuitos Microcontrolados com o Proteus Universidade Federal do Pará Laboratório de Processamento de Sinais (LaPS) Simulação de Circuitos Microcontrolados com o Proteus Flávio Hernan Figueiredo Nunes flaviohernanfnunes@gmail.com 25 de janeiro

Leia mais

Transforme o aprendizado de circuitos na sala de aula e no laboratório. ni.com. NI ELVIS Uma plataforma modular para ensino de Engenharia

Transforme o aprendizado de circuitos na sala de aula e no laboratório. ni.com. NI ELVIS Uma plataforma modular para ensino de Engenharia Transforme o aprendizado de circuitos na sala de aula e no laboratório NI ELVIS Uma plataforma modular para ensino de Engenharia Ajudando os alunos a Fazer Engenharia Ensinando a teoria fundamental de

Leia mais

Conhecendo o Proteus

Conhecendo o Proteus Conhecendo o Proteus Vitor Amadeu Souza vitor@cerne-tec.com.br Em uma série de 3 artigos, veremos como usar o Proteus. Introdução Iremos neste momento iniciar nosso estudo no Proteus usando para isso as

Leia mais

Linhas de Transmissão

Linhas de Transmissão Linhas de Transmissão 1. Objetivo Medir a capacitância, indutância e a impedância num cabo coaxial. Observar a propagação e reflexão de pulsos em cabos coaxiais. 2. Introdução Uma linha de transmissão

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Eixo Tecnológico: CONTROLE DE PROCESSOS INDUSTRIAIS Habilitação Profissional: TÉCNICO EM MECATRÔNICA

Leia mais

ÁREA DISCIPLINAR DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PROGRAMAÇÃO. Tem sob a sua responsabilidade as seguintes unidades curriculares:

ÁREA DISCIPLINAR DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PROGRAMAÇÃO. Tem sob a sua responsabilidade as seguintes unidades curriculares: ÁREA DISCIPLINAR DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PROGRAMAÇÃO e Inteligência Artificial Aplicada a Jogos, com 6 Paradigmas de Programação I, com 9 Paradigmas de Programação II, com 9 Algoritmos e Estrutura de

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE A CRIAÇÃO DE PLACA IHL (INTERFACE DE HARDWARE LIVRE) ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO 1º SEMESTRE

RELATÓRIO SOBRE A CRIAÇÃO DE PLACA IHL (INTERFACE DE HARDWARE LIVRE) ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO 1º SEMESTRE RELATÓRIO SOBRE A CRIAÇÃO DE PLACA IHL (INTERFACE DE HARDWARE LIVRE) ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO 1º SEMESTRE Albert Cruz Loyanne Lemos Matheus Carvalho Pricilla Brandão Salvador Dezembro - 2010 Albert Cruz,

Leia mais

Vitor Amadeu Souza Desenvolvimento de Layouts no Eagle

Vitor Amadeu Souza Desenvolvimento de Layouts no Eagle Vitor Amadeu Souza Desenvolvimento de Layouts no Eagle 2010 by Cerne Tecnologia e Treinamento Ltda. 2010 by Vitor Amadeu Souza Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida sem autorização prévia

Leia mais

Faculdade SENAI de Tecnologia INFRAESTRUTURA FÍSICA. Unidade : Centro de Formação Profissional José Fagundes Netto

Faculdade SENAI de Tecnologia INFRAESTRUTURA FÍSICA. Unidade : Centro de Formação Profissional José Fagundes Netto INFRAESTRUTURA FÍSICA Unidade : Centro de Formação Profissional José Fagundes Netto Dependências ÁREA (m 2 ) Laboratório de CAD 01 60,00 Laboratório de Redes e Arquitetura de Computadores 01 37,72 Laboratório

Leia mais

AULA LAB 04 PRINCÍPIOS DE CORRENTE ALTERNADA E TRANSFORMADORES 2 MEDIÇÃO DE VALORES MÉDIO E EFICAZ COM MULTÍMETRO

AULA LAB 04 PRINCÍPIOS DE CORRENTE ALTERNADA E TRANSFORMADORES 2 MEDIÇÃO DE VALORES MÉDIO E EFICAZ COM MULTÍMETRO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETRÔNICA CURSO TÉCNICO DE ELETRÔNICA Eletrônica Básica AULA LAB 04 PRINCÍPIOS DE CORRENTE ALTERNADA E TRANSFORMADORES

Leia mais

CIRCUITOS ELÉCTRICOS

CIRCUITOS ELÉCTRICOS CICUITOS ELÉCTICOS. OBJECTIO Aprender a utilizar um osciloscópio e um multímetro digital. Conceito de resistência interna de um aparelho.. INTODUÇÃO O multímetro digital que vai utilizar pode realizar

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS O diodo de junção possui duas regiões de materiais semicondutores dos tipos N e P. Esse dispositivo é amplamente aplicado em circuitos chaveados, como, por exemplo, fontes de

Leia mais

CONTROLO DE UM STEP MOTOR

CONTROLO DE UM STEP MOTOR Relatório de Microprocessadores 2007/2008 Engenharia Física Tecnológica CONTROLO DE UM STEP MOTOR Laboratório III Trabalho realizado por: André Cunha, nº53757 João Pereira, nº 55315 Grupo 3; 5ªfeira 13:00-16:00h

Leia mais

Descubra as soluções EXSTO de EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

Descubra as soluções EXSTO de EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA T e c n o l o g i a Descubra as soluções EXSTO de EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA ATAS de Registro de Preços 2014 Ao Depto. Compras / Licitações A empresa MAX LTDA, inscrita sob o CNPJ 17.320.313/0001-20 vem por

Leia mais

PUC ENGENHARIA. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUCSP

PUC ENGENHARIA. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUCSP PUC ENGENHARIA Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUCSP Prof. Dr. Marcello Bellodi 2 a versão - 2005 ÍNDICE 1 a Experiência: "Amplificador Push-Pull Classe B"...01 2 a Experiência: "Curvas

Leia mais

Comunicação Serial com o AVR ATMEGA8

Comunicação Serial com o AVR ATMEGA8 Comunicação Serial com o AVR ATMEGA8 Vitor Amadeu Souza vitor@cerne-tec.com.br Introdução Os microcontroladores AVR vem a cada dia tomando cada vez mais espaço nos novos projetos eletrônicos microcontrolados.

Leia mais

Licenciatura em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores (3 anos)

Licenciatura em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores (3 anos) Licenciatura em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores (3 anos) Redes de Computadores e Sistemas Distribuídos Robótica Automação Teoria de Sistemas e Controlo Sistemas Digitais Microprocessadores e

Leia mais

Programação em BASIC para o PIC Vitor Amadeu Souza

Programação em BASIC para o PIC Vitor Amadeu Souza Programação em BASIC para o PIC Vitor Amadeu Souza Introdução Continuando com a série do último artigo, hoje veremos os passos para o desenvolvimento de uma minuteria com o microcontrolador PIC18F1220

Leia mais

Integrado em Automação Industrial

Integrado em Automação Industrial Plano de Trabalho Docente (PTD) Integrado em Automação Industrial Ano Letivo de 2014 1 Sumário 1º Módulo COMPONENTE CURRICULAR: ELETRICIDADE BÁSICA... 5 COMPONENTE CURRICULAR: INSTALAÇÕES ELÉTRICAS...

Leia mais

GUIA DE LABORATÓRIO DE SISTEMAS DIGITAIS PARA O CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO

GUIA DE LABORATÓRIO DE SISTEMAS DIGITAIS PARA O CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO GUIA DE LABORATÓRIO DE SISTEMAS DIGITAIS PARA O CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO Agosto/2004 V2 INTRODUÇÃO Este guia foi preparado para auxilio às aulas de laboratório para o curso de Engenharia

Leia mais

EXPERIMENTS MANUAL Manual de Experimentos Manual de Experimentos 1

EXPERIMENTS MANUAL Manual de Experimentos Manual de Experimentos 1 SEMICONDUCTOR III Semiconductor III Semicondutor III M-1105A *Only illustrative image./imagen meramente ilustrativa./imagem meramente ilustrativa. EXPERIMENTS MANUAL Manual de Experimentos Manual de Experimentos

Leia mais

Composição do MDK-Prog e MDK-Prog Plus

Composição do MDK-Prog e MDK-Prog Plus A Modelix Robotics está lançando no mercado brasileiro dois kits de Robótica aplicada, ideal para quem deseja iniciar o aprendizado de programação de robôs e eletrônica, usando o Software Modelix System

Leia mais

CBR 2014 Competição Brasileira de Robótica Robotino Logistics Competition

CBR 2014 Competição Brasileira de Robótica Robotino Logistics Competition Competição Brasileira de Robótica Robotino Logistics Competition CBR2014_PT 1 of 8 Introdução Estrutura da competição Prova modular 3 dias de prova. Cada módulo terá 7 horas de teste e programação + 3

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos Software em Sistemas Distribuídos Aplicativo ou Sistema Operacional Sincronismo Interação Controles Um sistema operacional moderno provê dois serviços fundamentais para o usuário

Leia mais

Escola Técnica Estadual Professor Basilides de Godoy

Escola Técnica Estadual Professor Basilides de Godoy Escola Técnica Estadual Professor Basilides de Godoy - São Paulo AVISO DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES AO PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, OBJETIVANDO A FORMAÇÃO DE CADASTRO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE EXCEPCIONAL

Leia mais

O ALUNO CEGO NO CONTEXTO DA INCLUSÃO ESCOLAR: OS DESAFIOS NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA RESUMO

O ALUNO CEGO NO CONTEXTO DA INCLUSÃO ESCOLAR: OS DESAFIOS NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA RESUMO O ALUNO CEGO NO CONTEXTO DA INCLUSÃO ESCOLAR: OS DESAFIOS NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA RESUMO Edinéia Terezinha de Jesus Miranda PPGEC - UNESP/Bauru Neia.terezinha@gmail.com Nesse

Leia mais

Plano de Trabalho Docente (PTD)

Plano de Trabalho Docente (PTD) ETEC TAKASHI MORITA Plano de Trabalho Docente (PTD) Curso Técnico em Automação Industrial 2º Sem. 2014 1 Conteúdo 1º Módulo Componente Curricular: Eletricidade Básica... 4 Componente Curricular: Eletrônica

Leia mais

Plano de Trabalho Docente (PTD)

Plano de Trabalho Docente (PTD) ETEC TAKASHI MORITA Plano de Trabalho Docente (PTD) Curso Técnico em Automação Industrial 1º Sem. 2014 1 Sumário 1º Módulo Componente Curricular: Eletricidade Básica... 4 Componente Curricular: Eletrônica

Leia mais

Projeto Aranha. Diego Guérios Meyer. Fabrizio Cantoni. Fernando Ferreira Akel

Projeto Aranha. Diego Guérios Meyer. Fabrizio Cantoni. Fernando Ferreira Akel Projeto Aranha Diego Guérios Meyer Fabrizio Cantoni Fernando Ferreira Akel Abstract Interdisciplinar work presented on the disciplines : Physics III,Advanced Programming Technics, Electric Circuits I and

Leia mais

OCUPAÇÃO 19 DESCRITIVO TÉCNICO. Data de Aprovação:18/12/2003 Data de Revisão: Dezembro de 2005

OCUPAÇÃO 19 DESCRITIVO TÉCNICO. Data de Aprovação:18/12/2003 Data de Revisão: Dezembro de 2005 DESCRITIVO TÉCNICO OCUPAÇÃO 19 Data de Aprovação:18/12/2003 Data de Revisão: Dezembro de 2005 A Comissão de Diretores do SENAI Coordenadora das Olimpíadas do Conhecimento determina, de acordo com as normas

Leia mais

Curso Presencial: Layout de Placa de Circuito Impresso PCB, baseado no software CAD-Eagle

Curso Presencial: Layout de Placa de Circuito Impresso PCB, baseado no software CAD-Eagle 1º Esquema elétrico 2º Layout PCB 3º Layout em 3D Curso Presencial: Layout de Placa de Circuito Impresso PCB, baseado no software CAD-Eagle Este curso foi desenvolvido para você, estudante, técnico, engenheiro

Leia mais

SISTEMAS E INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS DE NAVIOS (M422)

SISTEMAS E INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS DE NAVIOS (M422) ESCOLA SUPERIOR NÁUTICA INFANTE D. HENRIQUE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MARÍTIMA SISTEMAS E INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS DE NAVIOS (M422) TRABALHO LABORATORIAL Nº 1 ANÁLISE DE CIRCUITOS ELÉCTRICOS EM REGIME FORÇADO

Leia mais

Estabilizada de. PdP. Autor: Luís Fernando Patsko Nível: Intermediário Criação: 22/02/2006 Última versão: 18/12/2006

Estabilizada de. PdP. Autor: Luís Fernando Patsko Nível: Intermediário Criação: 22/02/2006 Última versão: 18/12/2006 TUTORIAL Fonte Estabilizada de 5 Volts Autor: Luís Fernando Patsko Nível: Intermediário Criação: 22/02/2006 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br

Leia mais

Será a Internet/Intranet uma plataforma viável em sala de aula? Luís Manuel Borges Gouveia. www.ufp.pt/staf/lmbg/ lmbg@ufp.pt

Será a Internet/Intranet uma plataforma viável em sala de aula? Luís Manuel Borges Gouveia. www.ufp.pt/staf/lmbg/ lmbg@ufp.pt Será a Internet/Intranet uma plataforma viável em sala de aula? Luís Manuel Borges Gouveia www.ufp.pt/staf/lmbg/ lmbg@ufp.pt Questões Será a Internet/Intranet uma plataforma viável em sala de aula? Lições

Leia mais

Características técnicas Baseado no ATMega da empresa AVR, fabricante de micro-controladores em plena ascensão e concorrente do PIC Pode usar ATMega

Características técnicas Baseado no ATMega da empresa AVR, fabricante de micro-controladores em plena ascensão e concorrente do PIC Pode usar ATMega ARDUINO O que é Arduino Arduino foi criado na Itália por Máximo Banzi com o objetivo de fomentar a computação física, cujo conceito é aumentar as formas de interação física entre nós e os computadores.

Leia mais

O uso dos diodos nos alternadores implicam numa série de cuidados, tais como:

O uso dos diodos nos alternadores implicam numa série de cuidados, tais como: Resumo - Alternador O uso dos diodos nos alternadores implicam numa série de cuidados, tais como: Não ligar a bateria com polaridade invertida; Não ligar o alternador sem carga ou retirar a carga com alternador

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Faculdade de Computação Curso de Introdução à Informática Prof: Anilton Joaquim da Silva / Ezequiel Roberto Zorzal

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Faculdade de Computação Curso de Introdução à Informática Prof: Anilton Joaquim da Silva / Ezequiel Roberto Zorzal UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Faculdade de Computação Curso de Introdução à Informática Prof: Anilton Joaquim da Silva / Ezequiel Roberto Zorzal AULA Informática: Aplicações e Benefícios Advocacia

Leia mais

ARDUINO Vs PLC. Automação de Processos Industriais 2011/2012

ARDUINO Vs PLC. Automação de Processos Industriais 2011/2012 ARDUINO Vs PLC 1 ARDUINO vs PLC 1. A Fablab 2. Placa Arduino 3. Exemplos 4. PLC 5. Exemplo 6. Arduino vs PLC 7. Conclusão 2 Fablab é a abreviatura de Fabrication Laboratory. O conceito surgiu no Center

Leia mais

SISTEMAS ELECTROMECÂNICOS

SISTEMAS ELECTROMECÂNICOS Departamento de Engenharia Electrotécnica e de Computadores GUIAS DE LABORATÓRIO DE SISTEMAS ELECTROMECÂNICOS (LIC. ENGENHARIA AEROESPACIAL) Funcionamento motor da máquina de corrente contínua: características

Leia mais

Instituto Federal de São Paulo Departamento de Mecânica. Roteiro de Laboratório: Pneumática

Instituto Federal de São Paulo Departamento de Mecânica. Roteiro de Laboratório: Pneumática Instituto Federal de São Paulo Departamento de Mecânica Roteiro de Laboratório: Pneumática Prof. Engº Felipe Amélio de Lucena Catanduva, 25 de julho de 2012. Sumário 1 Objetivo... 3 2 Estrutura para elaboração

Leia mais

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Departamento Regional de São Paulo Formação Inicial e Continuada (Decreto Federal nº 5154/04 e Lei Federal nº 11741/08) PLANO DE CURSO Área: Eletroeletrônica

Leia mais

CIRCUITOS E SISTEMAS ELECTRÓNICOS

CIRCUITOS E SISTEMAS ELECTRÓNICOS INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DO TRABALHO E DA EMPRESA Enunciado do 2º Trabalho de Laboratório CIRCUITOS E SISTEMAS ELECTRÓNICOS MODELAÇÃO E SIMULAÇÃO DE CIRCUITOS DE CONVERSÃO ANALÓGICO-DIGITAL E DIGITAL-ANALÓGICO

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º MED

EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º MED 1º MED DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I Especificação de elementos que compõem projetos; técnicas de desenho técnico e de representação gráfica correlacionadas com seus fundamentos matemáticos e geométricos;

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE ELECTRÓNICA, AUTOMAÇÃO E COMPUTADORES 1 / 6

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE ELECTRÓNICA, AUTOMAÇÃO E COMPUTADORES 1 / 6 PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE ELECTRÓNICA, AUTOMAÇÃO E COMPUTADORES Publicação e actualizações Publicado no Despacho n.º13456/2008, de 14 de Maio, que aprova a versão inicial do Catálogo Nacional de

Leia mais

Experiência 02: RETIFICADORES MONOFÁSICOS DE ONDA COMPLETA A DIODO

Experiência 02: RETIFICADORES MONOFÁSICOS DE ONDA COMPLETA A DIODO ( ) Prova ( ) Prova Semestral ( ) Exercícios ( ) Prova Modular ( ) Segunda Chamada ( ) Exame Final ( ) Prática de Laboratório ( ) Aproveitamento Extraordinário de Estudos Nota: Disciplina: Turma: Aluno

Leia mais

Espectro da Voz e Conversão A/D

Espectro da Voz e Conversão A/D INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO LICENCIATURA EM ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA E DE COMPUTADORES GUIA DO 1º TRABALHO DE LABORATÓRIO DE SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES I Espectro da Voz e Conversão A/D Ano Lectivo de

Leia mais

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO Todos direitos reservados. Proibida a reprodução, mesmo parcial, por qualquer processo mecânico, eletrônico, reprográfico, etc., sem a autorização, por escrito, do(s) autor(es) e da editora. LÓGICA DE

Leia mais

Mestrado Integrado em Engenharia Electrónica Industrial e Computadores 2006/2007 Máquinas Eléctricas - Exercícios

Mestrado Integrado em Engenharia Electrónica Industrial e Computadores 2006/2007 Máquinas Eléctricas - Exercícios Mestrado Integrado em Engenharia Electrónica Industrial e Computadores 2006/2007 Máquinas Eléctricas - Exercícios Nome Nº ATENÇÃO: A justificação clara e concisa das afirmações e cálculos mais relevantes

Leia mais

Algoritmos: Lógica para desenvolvimento de programação de computadores. Autor: José Augusto Manzano. Capítulo 1 Abordagem Contextual

Algoritmos: Lógica para desenvolvimento de programação de computadores. Autor: José Augusto Manzano. Capítulo 1 Abordagem Contextual Algoritmos: Lógica para desenvolvimento de programação de computadores Autor: José Augusto Manzano Capítulo 1 Abordagem Contextual 1.1. Definições Básicas Raciocínio lógico depende de vários fatores para

Leia mais

Easy Lab. Manual do usuário Revisão 1.2 01/11/14. www.dma.ind.br. DMA Electronics 1

Easy Lab. Manual do usuário Revisão 1.2 01/11/14. www.dma.ind.br. DMA Electronics 1 Easy Lab Manual do usuário Revisão 1.2 01/11/14 www.dma.ind.br DMA Electronics 1 A DMA ELECTRONICS projeta e fabrica sistemas para aquisição e registro de dados com conexão a um computador do tipo PC.

Leia mais

Projeto de uma Fonte de Tensão Ajustável

Projeto de uma Fonte de Tensão Ajustável Eletrônica Geral 1 Introdução Projeto de uma Fonte de Tensão Ajustável O projeto de uma fonte de tensão tem como principal objetivo o exercício de montagem prática, colocando o aluno face aos conceitos

Leia mais

PROJETO RECICLANDO LIXO ELETRÔNICO PARA CRIAÇÃO DE BIJUTERIAS E SEMI-JÓIAS

PROJETO RECICLANDO LIXO ELETRÔNICO PARA CRIAÇÃO DE BIJUTERIAS E SEMI-JÓIAS PROJETO RECICLANDO LIXO ELETRÔNICO PARA CRIAÇÃO DE BIJUTERIAS E SEMI-JÓIAS PROJETO DE RECICLAGEM DE LIXO ELETRÔNICO 1. Dados sobre o idealizador do projeto.. JORGE M. KURIYAMA e-mail kuriyamaartemoda@gmail.com

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO RELATÓRIO TÉCNICO FINAL

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO RELATÓRIO TÉCNICO FINAL CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO RELATÓRIO TÉCNICO FINAL CURITIBA JULHO DE 2008 ANDRÉ GELASCO MALSCHITZKY JOFFER JOSE NOVAK DE ALBUQUERQUE INTEGRAÇÃO DE MÓDULOS ELETRÔNICOS

Leia mais

MULTÍMETROS DIGITAIS TRMS

MULTÍMETROS DIGITAIS TRMS MULTÍMETROS DIGITAIS TRMS MODELO CA 5287 multímetro AC/DC de 50.000 pontos Pontos-chave: Alta precisão; Elevada banda passante; Elevada taxa de aquisição (4 pontos TRMS/s); Interface de ligação a PC por

Leia mais

Cálculo Diferencial e Integral 80hrs Funções de uma variável e seus gráficos; Limites e continuidade; Derivada; Diferencial; Integral.

Cálculo Diferencial e Integral 80hrs Funções de uma variável e seus gráficos; Limites e continuidade; Derivada; Diferencial; Integral. Ementas: Cálculo Diferencial e Integral 80hrs Funções de uma variável e seus gráficos; Limites e continuidade; Derivada; Diferencial; Integral. Desenho Mecânico 80hrs Normalização; Projeções; Perspectivas;

Leia mais

Kit de desenvolvimento ACEPIC 40N

Kit de desenvolvimento ACEPIC 40N Kit de desenvolvimento ACEPIC 40N O Kit de desenvolvimento ACEPIC 40N foi desenvolvido tendo em vista a integração de vários periféricos numa só placa, além de permitir a inserção de módulos externos para

Leia mais

Capítulo 1 Energia Elétrica; Capítulo 2 Montagem; Capítulo 3 Configuração; Capítulo 4 Manutenção; Capítulo 5 Redes;

Capítulo 1 Energia Elétrica; Capítulo 2 Montagem; Capítulo 3 Configuração; Capítulo 4 Manutenção; Capítulo 5 Redes; Capítulo 1 Energia Elétrica; Capítulo 2 Montagem; Capítulo 3 Configuração; Capítulo 4 Manutenção; Capítulo 5 Redes; 1 Colégio Serrano Guardia Módulo I Informática Básica Hardware O hardware é a parte física

Leia mais

Instituto Tecnológico de Aeronáutica - ITA Divisão de Engenharia Eletrônica Departamento de Eletrônica Aplicada Laboratório de EEA-21

Instituto Tecnológico de Aeronáutica - ITA Divisão de Engenharia Eletrônica Departamento de Eletrônica Aplicada Laboratório de EEA-21 Instituto Tecnológico de Aeronáutica - ITA Divisão de Engenharia Eletrônica Departamento de Eletrônica Aplicada Laboratório de EEA-21 7ª Experiência Síntese de Circuitos Sequenciais Síncronos 1. Objetivos

Leia mais

ÁREA DISCIPLINAR DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PROGRAMAÇÃO. Tem sob a sua responsabilidade as seguintes unidades curriculares:

ÁREA DISCIPLINAR DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PROGRAMAÇÃO. Tem sob a sua responsabilidade as seguintes unidades curriculares: ÁREA DISCIPLINAR DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PROGRAMAÇÃO Engenharia em Desenvolvimento de Jogos Digitais Inteligência Artificial Aplicada a Jogos, com 6 Paradigmas de Programação I, com 9 Paradigmas de

Leia mais

Física Experimental II

Física Experimental II Universidade Federal Fluminense - PUVR Física Experimental II 1 Objetivos Experiência: Medidas Elétricas 1. Usar o código de cores para identicação dos valores nominais dos resistores elétricos. 2. Praticar

Leia mais

DISPOSITIVOS ESPECIAIS

DISPOSITIVOS ESPECIAIS DISPOSITIVOS ESPECIAIS 1 DISPOSITIVOS ESPECIAIS BUFFERS/DRIVERS TRI-STATE PORTAS EXPANSÍVEIS/EXPANSORAS SCHMITT - TRIGGER OBJETIVOS: a) Entender o funcionamento de dispositivos lógicos especiais como:

Leia mais

INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS COM MICROCONTROLADORES

INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS COM MICROCONTROLADORES INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS COM MICROCONTROLADORES Matheus Montanini Breve (PIBIC-Jr), Miguel Angel Chincaro Bernuy (Orientador), e-mail: migueltrabalho@gmail.com Universidade Tecnológica

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores I. de Computadores

Organização e Arquitetura de Computadores I. de Computadores Universidade Federal de Campina Grande Unidade Acadêmica de Sistemas e Computação Curso de Bacharelado em Ciência da Computação Organização e Arquitetura de Computadores I Organização Básica B de Computadores

Leia mais

EXPERIÊNCIA 1 RESISTORES E ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES

EXPERIÊNCIA 1 RESISTORES E ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES EXPEIÊNCIA 1 ESISTOES E ASSOCIAÇÃO DE ESISTOES 1 INTODUÇÃO TEÓICA Os resistores são componentes básicos dos circuitos eletro-eletrônicos utilizados nos trechos dos circuitos onde se deseja oferecer uma

Leia mais