INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 03/2011

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 03/2011"

Transcrição

1 INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 03/2011 Ver também IN 11/11; Comunicado FISCAP (D.O.C. 31/05/12); IN 1/12; IN 2/12; IN 3/12; IN 2/13; IN 5/13; IN2/14 Dispõe sobre a fiscalização dos atos concessórios de aposentadoria, reforma e pensão, bem como dos atos de complementação e de cancelamento, dos Órgãos e Entidades da Administração Direta e Indireta do Estado e dos Municípios. O Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais conferidas pelos incisos VIII e XXIX do art. 3º da Lei Complementar n. 102, de 17 de janeiro de 2008, considerando o teor do inciso II do art. 256 da Resolução n. 12, de 17 de dezembro de 2008, e observadas as disposições previstas na Resolução n. 06, de 03 de junho de 2009, RESOLVE: Art. 1º A fiscalização dos atos de concessão de aposentadoria, reforma, pensão, complementação de proventos de aposentadoria e de pensão, bem como do cancelamento de ato concessório dar-se-á por meio de: exame de documentos e de informações enviados eletronicamente pelo Sistema Informatizado de Fiscalização de Atos de Pessoal FISCAP; I inspeção e auditoria in loco; II monitoramento do cumprimento das deliberações do Tribunal e dos resultados dele advindos; requisição de informações e documentos; V - levantamento e acompanhamento das publicações dos atos de pessoal no Órgão Oficial do Estado e de Município ou por outro meio de divulgação. Art. 2º A autoridade administrativa responsável pela concessão dos benefícios de aposentadoria, reforma, pensão, complementação de proventos de aposentadoria e de pensão e cancelamento de ato concessório encaminhará ao Tribunal, mensalmente, por meio do FISCAP, para fins de registro ou averbação, informações relativas aos atos concessórios, aos atos de cancelamento e retificadores. 1º Deverão ser enviados, digitalizados, juntamente com as informações a que se refere o caput, o ato concessório, o ato de cancelamento e os atos retificadores e a certidão de tempo de serviço/contribuição. 2º Constatado pela autoridade administrativa o envio incorreto de informação, será admitido apenas um reenvio para retificação, por meio do módulo de alteração de dados contido no FISCAP, no prazo de 15 (quinze) dias após o envio, mantendo-se inalteradas as informações enviadas anteriormente. Art. 3º As informações relativas aos benefícios e aos cancelamentos de que trata o caput do art. 2º, publicados do primeiro ao último dia do mês, serão encaminhadas ao Tribunal até o décimo quinto dia do mês subsequente. Parágrafo único. Não havendo publicação de ato concessório, ato de complementação e de cancelamento no decorrer do mês, no órgão ou na entidade jurisdicionada, o responsável informará o fato em campo próprio gerado pelo FISCAP no prazo previsto no caput. Art. 4º Para fins de direito, considerar-se-á como data da concessão efetiva dos benefícios referidos no caput do art. 2º Aposentadoria:

2 a) a data do afastamento preliminar ou outra definida em lei; a data em que se deu publicidade ao ato, caso o servidor aguarde em exercício, se voluntária; b) a data da inspeção médica ou outra data definida em lei, se por invalidez; c) a data em que o servidor completar setenta anos de idade ou o dia seguinte, nos termos da legislação específica, se compulsória; d) a data fixada em decisão judicial transitada em julgado. I II Reforma: a) a data do requerimento da reforma, se voluntária; b) a data do laudo conclusivo emitido pela junta médica, se por incapacidade física; c) o dia seguinte àquele em que o militar atingir a idade limite de permanência na reserva, 65 ou 70 anos, conforme o disposto no art. 141 da Lei n /69; d) a data da ata de exclusão, se for reforma compulsória por incapacidade moral ou profissional; e) a data fixada em decisão judicial transitada em julgado. Pensão: a) a data do falecimento do segurado; b) a data do requerimento, nos termos de legislação específica; c) a data fixada em decisão judicial transitada em julgado; d) outra data, nos termos da legislação específica. Art. 5º A autoridade administrativa deverá manter em arquivo, na unidade jurisdicionada, observada a legislação específica relativa à guarda de documentos, pasta contendo os documentos relativos à concessão de benefícios e aos cancelamentos. 1º A concessão de aposentadoria será instruída com a seguinte documentação: I II V - V ato da aposentadoria ou certidão de inteiro teor e ato retificador, se for o caso, contendo: a) identificação do aposentando (nome, número de inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas CPF e outros); b) qualificação funcional do aposentando (cargo ou função, nível e símbolo, se houver, lotação e outros); c) fundamentação legal específica da concessão; d) data a partir da qual o servidor foi considerado aposentado; e) data em que se deu a publicidade do ato concessório e do retificador, se houver. requerimento do servidor com especificação da fundamentação legal, se voluntária; cópia de documento oficial que indique o n. do CPF; documento que informe se o servidor aguardou em exercício a publicidade do ato ou a data do afastamento preliminar; data de ingresso no cargo efetivo e no serviço público, considerando o mais remoto dentre os ininterruptos; tempo de efetivo exercício no serviço público, na carreira e no cargo em que se deu a aposentadoria; e período adicional de contribuição, se for o caso; documento comprobatório da idade do servidor; laudo médico oficial ou seu extrato, em que constem data da inspeção, CID, CRM, assinatura da junta médica ou do médico perito e se os proventos devem ser integrais ou proporcionais, em caso de aposentadoria por invalidez;

3 VI VII Folha de Instrução de Processo de Aposentadoria FIPA ou documento equivalente que informe a fundamentação legal, tempo de serviço público federal, estadual ou municipal, natureza das funções exercidas e respectivos períodos, data de aquisição do direito ao tempo ficto, afastamentos/faltas dedutíveis nos termos da lei, bem como adicionais por tempo de serviço e gratificações, fundamentados; certidão de tempo de serviço/contribuição, em que constem data limite da contagem de tempo, conforme fundamento legal, e especificação do tempo federal, estadual, municipal e de iniciativa privada, com a indicação da data de averbação e a finalidade; IX - certidão de tempo de serviço para fins de adicionais, de acordo com as legislações específicas; X - certidão de tempo de serviço/contribuição expedida por outros órgãos ou entidades, inclusive pelo Regime Geral de Previdência Social (INSS), com os salários de contribuição a partir de 1994; X XI XII X XV - XV XVI demonstrativo de cálculo do benefício, pela média aritmética simples das maiores remunerações utilizadas como base para as contribuições correspondentes a 80% (oitenta por cento) de todo o período contributivo, quando a aposentadoria for concedida nos termos do art. 2º da EC n. 41/2003 ou do art. 40, 1º, da CR/88, com redação dada pela EC n. 41/2003; título declaratório do direito à continuidade de percepção da remuneração de cargo em comissão ou de função gratificada; ou certidão comprobatória do exercício do referido cargo ou função, se não ocorreu a exoneração; demonstrativo de cálculo da vantagem pessoal, se for o caso; demonstrativo de pagamento relativo à última remuneração percebida e ao primeiro benefício de aposentadoria; demonstrativo de cálculo dos proventos em que constem os dados do respectivo ato de aposentadoria, necessários à identificação do servidor; declaração firmada pelo servidor de que não percebe, simultaneamente, proventos de aposentadoria decorrentes do art. 40 da CR/88 com a remuneração de cargo, emprego ou função pública, assim como não percebe mais de uma aposentadoria à conta do Regime Próprio de Previdência Social, ressalvados os cargos acumuláveis na forma da Constituição da República, os cargos eletivos e os cargos em comissão, declarados em lei de livre nomeação e exoneração, bem como a hipótese prevista no art. 11 da Emenda Constitucional n. 20/1998; declaração firmada pelo órgão/entidade quanto à data e forma de ingresso do servidor nos quadros da Administração Pública, devidamente fundamentada; XVII sentença e respectivo acórdão proferido em grau de recurso com certidão de trânsito em julgado, quando se tratar de aposentadoria decorrente do cumprimento de decisão judicial; XIX - comprovante da publicidade do ato de aposentadoria e do ato retificador, se for o caso, nos termos previstos em lei. 2º A concessão de reforma será instruída com a seguinte documentação: título de reforma e título retificador, se for o caso, contendo: a) identificação do militar (nome, número de inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas CPF e outros); b) qualificação funcional do militar (posto ou graduação e quadro em que ocorreu a reforma); c) fundamentação legal específica da concessão; d) data a partir da qual o militar foi considerado reformado; e) data em que se deu a publicidade do título de reforma e do retificador, se houver;

4 I II V - V VI VII IX - X - X XI XII X XV - XV XVI certidão de tempo de serviço de acordo com a legislação específica; documento que comprove tempos averbados, com base em certidões passadas por outros órgãos/entidades e que inclua data de averbação e finalidade; títulos declaratórios de direitos e vantagens; certidão de tempo de serviço/contribuição expedida por outros órgãos ou entidades, inclusive pelo Regime Geral de Previdência Social (INSS); demonstrativo de cálculo de proventos, em que constem os dados do respectivo título de reforma necessários à identificação do militar e a indicação da proporcionalidade dos proventos; requerimento do militar com especificação da fundamentação legal, se voluntária; decisão do Conselho de Disciplina, em se tratando de reforma compulsória por incapacidade moral ou profissional; laudo médico oficial ou seu extrato, em que constem data da inspeção, CID, CRM, assinatura da junta médica ou médico perito e se os proventos devem ser integrais ou proporcionais; cópia de documento oficial que indique o n. do CPF; documento comprobatório da idade do militar; demonstrativo de pagamento relativo à última remuneração percebida e ao primeiro benefício de reforma; sentença e respectivo acórdão proferido em grau de recurso com certidão de trânsito em julgado, quando se tratar de reforma decorrente do cumprimento de decisão judicial; declaração firmada pelo militar de que não percebe, simultaneamente, proventos de reforma decorrente do art. 42 da CR/88 com a remuneração de cargo, emprego ou função pública, assim como não percebe mais de um provento à conta do Regime Próprio de Previdência Social, ressalvados os cargos acumuláveis na forma da Constituição da República, os cargos eletivos e os cargos em comissão, declarados em lei de livre nomeação e exoneração, bem como a hipótese prevista no art. 11 da Emenda Constitucional n. 20/1998; declaração firmada pela instituição quanto à data e forma de ingresso do militar nos seus quadros, devidamente fundamentada; título de transferência para a reserva remunerada e título que indique o posto ou a graduação relativa a última promoção; comprovante da publicidade do título de reforma e do título retificador, se for o caso, nos termos previstos em lei. 3º A concessão de pensão será instruída com a seguinte documentação: I ato/título de pensão ou ato/título retificador, se for o caso, contendo: a) identificação do ex-segurado e dos beneficiários (nome, número de inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas CPF e outros); b) qualificação funcional do ex-segurado (cargo ou função, nível, símbolo, se houver, lotação, posto ou graduação e outros); c) especificação do percentual devido a cada beneficiário, com indicação da relação de dependência; d) fundamentação legal específica da concessão; e) data a partir da qual o benefício da pensão foi concedido; f) data em que se deu a publicidade do ato/título e do retificador, se houver. requerimento do beneficiário com especificação da fundamentação legal;

5 II V - V VI VII IX - X - X XI XII X XV - documento legal da tutoria ou curadoria, quando se tratar de beneficiário menor ou incapaz; prova hábil da condição de beneficiário; cópia de documento oficial que indique o n. do CPF e a data de nascimento do exsegurado e dos beneficiários; certidão de óbito ou declaração judicial, em caso de morte presumida; demonstrativo de pagamento de proventos relativo ao mês anterior à data do óbito, quando se tratar de ex-segurado aposentado ou reformado; demonstrativo de pagamento referente à última remuneração percebida, caso o exsegurado tenha falecido em atividade ou na reserva; demonstrativo de pagamento do benefício da pensão ao beneficiário relativo ao mês subsequente à concessão; demonstrativo de cálculo da pensão que inclua a identificação do ex- segurado e a fundamentação legal; certidão de tempo total de serviço/contribuição, na hipótese de ex-segurado falecido em atividade; documento que informe a fundamentação legal da aposentadoria ou da reforma, a data de concessão efetiva do benefício e respectiva publicidade e, em caso de aposentadoria ou reforma proporcional, o percentual referente aos proventos, na hipótese de ex-segurado falecido na inatividade; número do processo e do registro, se houver, da aposentadoria ou da reforma do exsegurado, no âmbito do Tribunal de Contas; sentença e respectivo acórdão proferido em grau de recurso com certidão de trânsito em julgado, quando se tratar de pensão decorrente do cumprimento de decisão judicial; documento indicando a situação do ex-segurado na data do óbito (ativo, inativo ou na reserva); XV documento indicando a data e a forma de ingresso do ex-segurado no cargo público ou na instituição militar; XVI comprovante da publicidade do ato/título de pensão e do ato/título retificador, se for o caso, nos termos previstos em lei. 4º A concessão de complementação de proventos de aposentadoria será instruída com a seguinte documentação: I II ato de complementação de proventos e ato retificador, se for o caso, contendo: a) identificação do aposentando (nome, número de inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas CPF e outros); b) qualificação funcional do aposentando (cargo ou função, nível e símbolo, se houver, lotação e outros); c) fundamentação legal específica da complementação; d) comprovação de cumprimento dos requisitos previstos no art. 40 da CR/88 pelo servidor; e) data a partir da qual é devida a complementação; f) data em que se deu a publicidade do ato concessório e do retificador, se houver. requerimento do servidor com especificação da fundamentação legal; documento expedido pelo Instituto Nacional do Seguro Social INSS que comprove a concessão da aposentadoria pelo Regime Geral de Previdência Social - RGPS ao segurado (Carta de Benefício);

6 V - documento que comprove o desligamento do servidor do quadro funcional em virtude da aposentadoria junto ao RGPS; comprovante dos valores pagos pelo INSS na data da aposentadoria; V demonstrativo de cálculo da complementação dos proventos, em original, acompanhado das tabelas de vencimentos aplicadas e das respectivas leis; VI comprovante do pagamento das contribuições previdenciárias sobre a diferença entre a remuneração e o teto fixado pelo INSS, bem como a lei que as instituiu; VII comprovante da publicidade do ato de complementação de proventos de aposentadoria e do ato retificador, se for o caso, nos termos previstos em lei. 5º A concessão da complementação de proventos de pensão será instruída com a seguinte documentação. I II V V VI VII ato de complementação de pensão e ato retificador, se for o caso, contendo: a) identificação do ex-segurado e dos beneficiários (nome, número de inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas CPF e outros); b) qualificação funcional do ex-segurado (cargo ou função, nível e símbolo, se houver, lotação e outros); c) especificação do percentual devido a cada beneficiário, com indicação da relação de dependência; d) fundamentação legal específica da complementação; e) data a partir da qual é devida a complementação; f) data em que se deu a publicidade do ato concessório e do retificador, se houver. certidão de óbito; requerimento do beneficiário com especificação da fundamentação legal; documento expedido pelo INSS que comprove a concessão de pensão pelo Regime Geral de Previdência Social RGPS; comprovante dos valores pagos pelo INSS na data da concessão da pensão; demonstrativo do cálculo da complementação de pensão, em original, acompanhado das tabelas de vencimentos aplicadas e das respectivas leis; comprovante do pagamento das contribuições previdenciárias sobre a diferença entre a remuneração e o teto fixado pelo INSS, bem como a lei que as instituiu; comprovante da publicidade do ato de complementação de pensão e do ato retificador, se for o caso, nos termos previstos em lei. 6º O cancelamento de atos concessórios será instruído com a seguinte documentação: I ato concessório do benefício em que conste o número do processo e do seu registro no Tribunal de Contas, se for o caso; ato de cancelamento do benefício concedido e do ato retificador, se for o caso, contendo: a) identificação do destinatário do ato de cancelamento (nome, número de inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas CPF e outros); b) qualificação funcional do ex-segurado (cargo ou função, nível e símbolo, se houver, lotação, posto ou graduação e outros); c) fundamentação legal específica que deu suporte ao cancelamento do ato, acompanhada da justificativa; d) data a partir da qual se deu o cancelamento;

7 II e) data em se deu a publicidade do ato de cancelamento e do retificador, se houver. termo de retorno do servidor ou do militar à atividade, quando for o caso; comprovante da publicidade do ato de cancelamento do benefício e do ato retificador, se for o caso, nos termos previstos em lei. Art. 6º Os documentos de que trata o art. 5º serão devidamente identificados, datados, assinados pela autoridade competente, numerados, rubricados e acondicionados em pasta. 1º Os documentos elencados no art. 5º, 1º, inc. I, II, VIII, IX, X, XI e XV, 2º, inc. I, II, V, VI e VII, 3º, inc. I, II, X e XI, 4º, inc. I e II, 5º, inc. I e III, 6º, inc. II, deverão permanecer arquivados no órgão/entidade no original, os demais admitem cópia autenticada. 2º A guarda dos documentos de que trata o art. 5º desta Instrução Normativa deverá atender aos requisitos de autenticidade, integridade e validade jurídica, nos termos da legislação vigente. Art. 7º O Tribunal ou o Relator poderá requisitar, quando entender necessário, informações e documentos relativos aos atos concessórios, que se encontram nos órgãos e entidades jurisdicionados para fins de fiscalização. Art. 8º As informações prestadas ao Tribunal de Contas são de responsabilidade da autoridade concedente e do responsável pelo controle interno da unidade jurisdicionada. Art. 9º O responsável pelo controle interno, ao tomar conhecimento de qualquer irregularidade ou ilegalidade, dela dará ciência ao Tribunal de Contas, sob pena de responsabilidade solidária, nos termos do art. 74, 1º da Constituição da República e do art. 81, parágrafo único, da Constituição do Estado. Art. 10. A autoridade administrativa que não encaminhar as informações ao Tribunal, enviar extemporaneamente, acarretar prejuízo ao erário em razão da desídia, omissão de dados ou de declaração falsa, ficará sujeita à aplicação de sanções na forma prevista na Lei Complementar n. 102/2008, de 17/01/2008 Lei Orgânica do Tribunal de Contas, sem prejuízo de outras que se revelarem pertinentes, de ordem administrativa, civil ou penal. Parágrafo único. Constatado o encaminhamento extemporâneo das informações, a Unidade Técnica deverá informar o fato ao Presidente do Tribunal para as providências cabíveis. Art. 11. O descumprimento das disposições contidas na presente Instrução Normativa poderá ensejar a aplicação de multa à autoridade competente nos termos do art. 85 da Lei Complementar n. 102/2008. Art. 12. O envio das informações, por meio do FISCAP, relativas aos benefícios e aos cancelamentos publicados a partir de 01/07/2011, obedecerá ao prazo estabelecido no art. 3º desta Instrução Normativa. Parágrafo único. As informações relativas aos benefícios e aos cancelamentos publicados no período de 1º de janeiro a 30 de junho do ano em curso devem ser encaminhadas ao Tribunal no período de 1º de julho a 15 de agosto de Art. 13. O registro dos atos concessórios e a averbação dos atos de cancelamento poderão ser revistos com base em ilegalidade apurada em inspeção, auditoria, denúncia, representação e outros procedimentos fiscalizatórios previstos no art. 1º desta Instrução Normativa. Art. 14. A partir de 01/01/2012 todas as remessas enviadas, por meio do FISCAP, deverão ser assinadas digitalmente, com base em certificado emitido por autoridade certificadora credenciada. Art. 15. Os atos de pessoal não contemplados pelo FISCAP serão submetidos a este Tribunal, mediante remessa física dos documentos. Art. 16. A presente Instrução Normativa não se aplica às aposentadorias e às pensões submetidas às regras do Regime Geral de Previdência Social, ressalvadas as hipóteses de complementação de aposentadoria e de pensão.

8 Art. 17. Ficam revogadas as disposições em contrário, em especial, as Instruções Normativas n. 07/2009 e n. 09/2009. Art. 18. Esta Instrução entra em vigor na data de sua publicação. Sala das Sessões Governador Milton Campos, 27 de abril de Antônio Carlos Andrada Conselheiro Presidente

FUNDAMENTAÇÃO LEGAL CONTROLE EXPERIÊNCIAS VIVENCIADAS NAS AUDITORIAS E INSPEÇÕES REALIZADAS PELO TCM-CE

FUNDAMENTAÇÃO LEGAL CONTROLE EXPERIÊNCIAS VIVENCIADAS NAS AUDITORIAS E INSPEÇÕES REALIZADAS PELO TCM-CE EXPERIÊNCIAS VIVENCIADAS NAS AUDITORIAS E INSPEÇÕES REALIZADAS PELO TCM-CE ATOS DE ADMISSÃO DE PESSOAL, S E PENSÕES FUNDAMENTAÇÃO LEGAL CONSTITUIÇÃO FEDERAL Art. 71 O controle externo, a cargo do Congresso

Leia mais

PORTARIA AGEPREV/MS n. 16, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2015.

PORTARIA AGEPREV/MS n. 16, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2015. PORTARIA AGEPREV/MS n. 16, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2015. DISPÕE SOBRE TRAMITAÇÃO DOS PROCESSOS DE CONCESSÃO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS DE QUE TRATA A INSTRUÇÃO NORMATIVA nº 2, DE 28 DE OUTUBRO DE 2015,

Leia mais

TERMO DE OPÇÃO. Base de cálculo pela média salarial apurada desde a competência de julho/94

TERMO DE OPÇÃO. Base de cálculo pela média salarial apurada desde a competência de julho/94 TERMO DE OPÇÃO Eu, (nome do(a) servidor(a)), declaro, para fins de aposentadoria voluntária, que estou ciente das possibilidades de enquadramentos abaixo descritas e opto por ser aposentado (a), conforme

Leia mais

REVOGADA PELA PORTARIA Nº 7.796, DE (D.O.U ) PORTARIA Nº 4.882, DE 16 DE DEZEMBRO DE 1998 (D.O.U

REVOGADA PELA PORTARIA Nº 7.796, DE (D.O.U ) PORTARIA Nº 4.882, DE 16 DE DEZEMBRO DE 1998 (D.O.U REVOGADA PELA PORTARIA Nº 7.796, DE 28.08.2000 (D.O.U. 29.08.2000) PORTARIA Nº 4.882, DE 16 DE DEZEMBRO DE 1998 (D.O.U. - 17.12.98) O MINISTRO DE ESTADO DA PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA SOCIAL, no uso da atribuição

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2014

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2014 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2014 Dispõe sobre os procedimentos de emissão e homologação da Certidão de Tempo de Contribuição CTC. O DIRETOR-PRESIDENTE DO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS

Leia mais

APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA POR REGRAS DE TRANSIÇÃO

APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA POR REGRAS DE TRANSIÇÃO APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA POR REGRAS DE TRANSIÇÃO 1 O que é? 1.1 É a passagem voluntária do servidor para a inatividade por ter cumprido os requisitos mínimos para a aposentadoria, conforme previsto no

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO. ATO Nº 384/ 2011 Rio de Janeiro, 12 de maio de CAPÍTULO I. Das Disposições Preliminares

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO. ATO Nº 384/ 2011 Rio de Janeiro, 12 de maio de CAPÍTULO I. Das Disposições Preliminares TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO ATO Nº 384/ 2011 Rio de Janeiro, 12 de maio de 2011. O Presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO E DO PATRIMÔNIO INSTRUÇÃO NORMATIVA SEAP Nº 05, DE 28 DE ABRIL DE 1999.

SECRETARIA DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO E DO PATRIMÔNIO INSTRUÇÃO NORMATIVA SEAP Nº 05, DE 28 DE ABRIL DE 1999. SECRETARIA DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO E DO PATRIMÔNIO INSTRUÇÃO NORMATIVA SEAP Nº 05, DE 28 DE ABRIL DE 1999. Estabelece orientação aos órgãos setoriais e seccionais do Sistema de Pessoal Civil da Administração

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 634/2010

RESOLUÇÃO Nº 634/2010 Publicação: 19/05/2010 DJE: 18/05/2010 RESOLUÇÃO Nº 634/2010 Regulamenta a concessão do Adicional de Desempenho, ADE, aos servidores efetivos dos Quadros de Pessoal da Secretaria do Tribunal de Justiça

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 40, DE (Do Poder Executivo)

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 40, DE (Do Poder Executivo) PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 40, DE 2003 (Do Poder Executivo) Modifica os artigos 37, 40, 42, 48, 96, 142 e 149 da Constituição Federal, o artigo 8º da Emenda Constitucional nº 20, de 15 de dezembro

Leia mais

SENADO FEDERAL COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA

SENADO FEDERAL COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA SENADO FEDERAL COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA PARECER Nº, DE 2003 Redação, para o segundo turno, da Proposta de Emenda à Constituição nº 67, de 2003 (nº 40, de 2003, na Câmara dos Deputados).

Leia mais

Nesse contexto dispõe o artigo 40, 4, inciso III, da Constituição Federal:

Nesse contexto dispõe o artigo 40, 4, inciso III, da Constituição Federal: ABONO DE PERMANÊNCIA SERVIDOR PÚBLICO COM DEFICIÊNCIA - NECESSIDADE DE DECISÃO JUDICIAL PARA APLICAÇÃO ANALÓGICA DA LC 142/2013 REGULAMENTANDO O ART 40, 4,I DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL Diego Wellington Leonel

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE RORAIMA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002/97

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE RORAIMA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002/97 TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE RORAIMA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002/97 Dispõe sobre o exame dos atos referentes a aposentadorias, reformas, pensões, bem como dos atos posteriores que alterem a fundamentação,

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE AMAMBAI GABINETE DO PREFEITO

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE AMAMBAI GABINETE DO PREFEITO DECRETO Nº 079/014 DE 1.º DE ABRIL DE 2014. Dispõe sobre a AVERBAÇÃO AUTOMÁTICA de tempo de contribuição vinculado ao Regime Geral de Previdência Social RGPS por servidor público do Município de Amambai

Leia mais

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO FEDERAL E REFORMA DO ESTADO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 11, DE 17 DE OUTUBRO DE 1996.

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO FEDERAL E REFORMA DO ESTADO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 11, DE 17 DE OUTUBRO DE 1996. MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO FEDERAL E REFORMA DO ESTADO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 11, DE 17 DE OUTUBRO DE 1996. O MINISTRO DE ESTADO DO MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO FEDERAL E REFORMA DO

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA / IPG N.º 02/2013

INSTRUÇÃO NORMATIVA / IPG N.º 02/2013 INSTRUÇÃO NORMATIVA / IPG N.º 02/2013 DEFINE OS MODELOS E FORMAS DE REQUERIMENTOS DOS BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS. Considerando que a Controladoria Geral do Município aprovou a edição desta Instrução Normativa.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO MAIO 2017 P R EV ID ÊN C IA P EC 287

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO MAIO 2017 P R EV ID ÊN C IA P EC 287 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO MAIO 2017 R EFO R M A D A P R EV ID ÊN C IA P EC 287 EC 20/98 fim da aposentadoria proporcional, criação do 85/95 para o servidor público EC 41/03 Aposentadoria por

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 07/03

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 07/03 INSTRUÇÃO NORMATIVA N 07/03 Ver também Alerta 001/2005 (MG de 22.03.05 ); Alerta 002/2008; IN 2/10 Estabelece normas de fiscalização contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial nas Administrações

Leia mais

Direito Previdenciário e Infortunístico

Direito Previdenciário e Infortunístico Direito Previdenciário e Infortunístico (o presente texto representa apenas anotações para exposição do autor sem validade para citação) 8º tema Previdência Social para os Servidores Públicos. Desde 1990,

Leia mais

Rioprevidência com você. Novembro de 2015

Rioprevidência com você. Novembro de 2015 Rioprevidência com você Novembro de 2015 O principal objetivo desta apresentação é levar aos servidores do Estado do Rio de Janeiro a Educação Previdenciária, ampliando os conhecimentos dos seus direitos

Leia mais

PORTARIA N.º 329/2016

PORTARIA N.º 329/2016 PORTARIA N.º 329/2016 Dispõe sobre a CONVOCAÇÃO de candidato ao cargo de Controlador Interno no Concurso Público para provimento de vaga do quadro efetivo de servidor do Instituto Municipal de Previdência

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO MUNICÍPIO DE RIO CLARO MUNICÍPIO DE RIO CLARO ESTADO DE SÃO PAULO

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO MUNICÍPIO DE RIO CLARO MUNICÍPIO DE RIO CLARO ESTADO DE SÃO PAULO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO O QUE É O IPRC? O Instituto de Previdência do Município de Rio Claro IPRC nasceu em 20 de setembro de 2007, através da Lei Complementar Municipal 023/2007. É uma Autarquia Municipal

Leia mais

DECRETO N.º 3464, DE 30 DE NOVEMBRO DE (alterado pelo DECRETO Nº 3487, DE 20 DE JANEIRO DE 2016)

DECRETO N.º 3464, DE 30 DE NOVEMBRO DE (alterado pelo DECRETO Nº 3487, DE 20 DE JANEIRO DE 2016) DECRETO N.º 3464, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2015. (alterado pelo DECRETO Nº 3487, DE 20 DE JANEIRO DE 2016) "DISPÕE SOBRE A CONCESSÃO DE ADICIONAL DE PERICULOSIDADE AO SERVIDOR PÚBLICO DETENTOR DE CARGO EFETIVO

Leia mais

REGRAS DE APOSENTADORIAS

REGRAS DE APOSENTADORIAS REGRAS DE APOSENTADORIAS Cartilha elaborada para reunião com professores da E.M. Barão do Rio Branco - Vianópolis - 02/Agosto/2014 O IPREMB O IPREMB é uma autarquia que operacionaliza e administra o Regime

Leia mais

REQUERIMENTO DE PENSÃO

REQUERIMENTO DE PENSÃO Versão 14 REQUERIMENTO DE PENSÃO SEGURADO (A) Segurado(a): CPF nº: Cargo: Órgão de origem: DATA DO ÓBITO: / / Ativo: ( ) Inativo: ( ) Falecimento motivado por acidente de qualquer natureza ou doença profissional

Leia mais

BANCO CENTRAL DO BRASIL

BANCO CENTRAL DO BRASIL LEI Nº 8.911 DE 11 DE JULHO DE 1994 Dispõe sobre a remuneração dos cargos em comissão, define critérios de incorporação de vantagens de que trata a Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990, no âmbito do

Leia mais

ROTEIRO DE VERIFICAÇÃO INDENIZAÇÃO DE AJUDA DE CUSTO

ROTEIRO DE VERIFICAÇÃO INDENIZAÇÃO DE AJUDA DE CUSTO ROTEIRO DE VERIFICAÇÃO INDENIZAÇÃO DE AJUDA DE CUSTO Decreto nº. 4.004, de 08/11/2001; Orientação Normativa do MPOG nº. 01, de 29/04/2005; Artigos 49 a 57 da Lei nº. 8.112/1990 e jurisprudências do Tribunal

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO/FNDE/CD/Nº 13 DE 28 DE ABRIL DE 2008 Estabelece os documentos necessários à comprovação de regularidade

Leia mais

SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS PORTARIA NORMATIVA Nº 2, DE 8 DE NOVEMBRO DE 2011

SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS PORTARIA NORMATIVA Nº 2, DE 8 DE NOVEMBRO DE 2011 SECRETARIA DE RECURSOS HUMANOS PORTARIA NORMATIVA Nº 2, DE 8 DE NOVEMBRO DE 2011 Dispõe sobre os procedimentos para a aplicação do limite remuneratório de que trata o inciso XI, do art. 37, da Constituição

Leia mais

EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2003

EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2003 EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2003 Modifica os arts. 37, 40, 42, 48, 96, 149 e 201 da Constituição Federal, revoga o inciso IX do 3º do art. 142 da Constituição Federal e dispositivos

Leia mais

Instituto de Previdência e Assistência Municipal de Caxias do Sul

Instituto de Previdência e Assistência Municipal de Caxias do Sul Instituto de Previdência e Assistência Municipal de Caxias do Sul Instituto de Previdência e Assistência Municipal de Caxias do Sul Instituto de Previdência e Assistência Municipal de Caxias do Sul Instituto

Leia mais

DE RECURSOS HUMANOS MARCOS CANDIDO ANALISTA ADMINISTRATIVO

DE RECURSOS HUMANOS MARCOS CANDIDO ANALISTA ADMINISTRATIVO CENTRO DE RECURSOS HUMANOS MARCOS CANDIDO ANALISTA ADMINISTRATIVO APOSENTADORIA BOAS VINDAS... MSG APOSENTADORIA Objetivo do treinamento Fortalecer o conhecimento das formas mais empregadas de aposentadoria

Leia mais

Prefeitura do Município de Foz do Iguaçu Foz Previdência ESTADO DO PARANÁ

Prefeitura do Município de Foz do Iguaçu Foz Previdência ESTADO DO PARANÁ Prefeitura do Município de Foz do Iguaçu Foz Previdência ESTADO DO PARANÁ MANUAL DE INSTRUÇÃO DE APOSENTADORIA E PENSÃO POR MORTE (Instituído pela Instrução Normativa 06/2016 Fozprev) Agosto 2016 SUMÁRIO

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 519

LEI COMPLEMENTAR Nº 519 LEI COMPLEMENTAR Nº 519 Dispõe sobre a modalidade de remuneração por subsídio para os servidores dos cargos de padrão 01 a 15 do Quadro Permanente do Serviço Civil do Poder Executivo, para os servidores

Leia mais

PORTARIA Nº. 20, DE 15 DE ABRIL DE 2016 (DOU DE )

PORTARIA Nº. 20, DE 15 DE ABRIL DE 2016 (DOU DE ) PORTARIA Nº. 20, DE 15 DE ABRIL DE 2016 (DOU DE 18.04.2016) Altera a Portaria nº 02, de 22 de fevereiro de 2013 e dá outras providências. O SECRETÁRIO DE RELAÇÕES DO TRABALHO, no uso das atribuições que

Leia mais

PEC 287/ REFORMA DA PREVIDÊNCIA REGRAS APLICÁVEIS AOS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL

PEC 287/ REFORMA DA PREVIDÊNCIA REGRAS APLICÁVEIS AOS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL PEC 287/2016 - REFORMA DA PREVIDÊNCIA REGRAS APLICÁVEIS AOS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL 29º SEMINÁRIO NACIONAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DA ABIPEM FLORIANÓPOLIS - SC - 08 DE MARÇO DE 2017 Regras

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX PREVIDÊNCIA SOCIAL

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX PREVIDÊNCIA SOCIAL TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX PREVIDÊNCIA SOCIAL Orientador Empresarial Servidores do Estado de Minas Gerais - RGPS-Regime Geral de Previdência Social - Critérios para Enquadramento

Leia mais

Averbação de Tempo de Contribuição e Serviço. Ingrid de Souza Ilson dos Santos

Averbação de Tempo de Contribuição e Serviço. Ingrid de Souza Ilson dos Santos Averbação de Tempo de Contribuição e Serviço Ingrid de Souza Ilson dos Santos UVTR Unidade de Concessão de Vantagens, Apuração de Tempo de Contribuição e Registro Atividades Averbação de tempo de contribuição

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2003

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2003 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2003 Altera a legislação do Imposto de Renda relativamente à concessão de benefícios fiscais para as doações destinadas à assistência e promoção social. O CONGRESSO NACIONAL

Leia mais

RELATOR: Francisco Humberto Simões Magro, Atuário MIBA n 494

RELATOR: Francisco Humberto Simões Magro, Atuário MIBA n 494 ASSUNTO: Proposta de inclusão na base de cálculo do benefício previdenciário de parcelas temporárias para os servidores segurados do Sistema Municipal de Previdência Social SIMPS de Coronel Bicaco - RS.

Leia mais

LEI Nº DE 06 DE JANEIRO DE 2010

LEI Nº DE 06 DE JANEIRO DE 2010 LEI Nº 5.639 DE 06 DE JANEIRO DE 2010 DISPÕE SOBRE OS CONTRATOS DE GESTÃO ENTRE O ÓRGÃO GESTOR E EXECUTOR DA POLÍTICA ESTADUAL DE RECURSOS HÍDRICOS E ENTIDADES DELEGATÁRIAS DE FUNÇÕES DE AGÊNCIA DE ÁGUA

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA STJ/GP N. 13 DE 28 DE AGOSTO DE 2015.

INSTRUÇÃO NORMATIVA STJ/GP N. 13 DE 28 DE AGOSTO DE 2015. INSTRUÇÃO NORMATIVA STJ/GP N. 13 DE 28 DE AGOSTO DE 2015. Disciplina a concessão do auxíliomoradia a servidor do Superior Tribunal de Justiça. O PRESIDENTE DO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA, usando da atribuição

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RESOLUÇÃO Nº 08/2016 Altera a Lei nº 5.343/2008 e a Lei nº 6.328/2012, para aperfeiçoar a carreira docente da UERJ, e dá outras providências. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO, no uso da competência que lhe atribui

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL LEI Nº 3.669, DE 15 DE MAIO DE 2009. Aprova tabelas de vencimento e de subsídio dos servidores das categorias funcionais integrantes das carreiras do Plano de Cargos, Empregos

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Página 1 de 8 Brastra (4376 bytes) Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2003 As MESAS da CÂMARA DOS DEPUTADOS e do SENADO

Leia mais

Lei nº 3.311, de 30 de novembro de 1999 O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Lei nº 3.311, de 30 de novembro de 1999 O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Lei nº 3.311, de 30 de novembro de 1999 O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Dispõe sobre o regime previdenciário dos membros e servidores do Poder Legislativo e dá outras providências Faço saber que

Leia mais

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO SUBSTITUTIVO DO RELATOR AO PROJETO DE LEI Nº 3.123, DE O Congresso Nacional decreta:

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO SUBSTITUTIVO DO RELATOR AO PROJETO DE LEI Nº 3.123, DE O Congresso Nacional decreta: 19 COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO SUBSTITUTIVO DO RELATOR AO PROJETO DE LEI Nº 3.123, DE 2015 Disciplina a aplicação do limite previsto no inciso XI do art. 37 da Constituição,

Leia mais

Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. CAMPO GRANDE-MS, 6 DE MAIO DE 2015.

Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. CAMPO GRANDE-MS, 6 DE MAIO DE 2015. GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA- SEJUSP/MS AGÊNCIA ESTADUAL DE ADMINISTRAÇÃO DO SISTEMA PENITENCIÁRIO-AGEPEN/MS PORTARIA AGEPEN Nº 4, DE 6 DE

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA TCU Nº 67, de 6 de julho de 2011

INSTRUÇÃO NORMATIVA TCU Nº 67, de 6 de julho de 2011 INSTRUÇÃO NORMATIVA TCU Nº 67, de 6 de julho de 2011 Dispõe sobre os procedimentos referentes às Declarações de Bens e Rendas a serem apresentadas pelas autoridades e servidores públicos federais a que

Leia mais

ENTIDADES DE FISCALIZAÇÃO DO EXERCÍCIO DAS PROFISSÕES LIBERAIS CONSELHO FEDERAL DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 464, DE 22 DE ABRIL DE 2015

ENTIDADES DE FISCALIZAÇÃO DO EXERCÍCIO DAS PROFISSÕES LIBERAIS CONSELHO FEDERAL DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 464, DE 22 DE ABRIL DE 2015 ENTIDADES DE FISCALIZAÇÃO DO EXERCÍCIO DAS PROFISSÕES LIBERAIS CONSELHO FEDERAL DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 464, DE 22 DE ABRIL DE 2015 Dispõe sobre a criação de Acervos Técnicos de Pessoas

Leia mais

DELIBERAÇÃO Nº de março de 1994

DELIBERAÇÃO Nº de março de 1994 DELIBERAÇÃO Nº 180 10 de março de 1994 Estabelece mecanismos de fiscalização pelo Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro, das declarações de bens e rendas apresentadas pelas autoridades e servidores

Leia mais

DECRETO Nº 4.899/2012

DECRETO Nº 4.899/2012 DECRETO Nº 4.899/2012 Dispõe sobre os procedimentos de emissão e homologação da Certidão de Tempo de Contribuição CTC O PREFEITO MUNICIPAL DE CARMO DA CACHOEIRA, ESTADO DE MINAS GERAIS, no uso das suas

Leia mais

Rioprevidência com Você SEAERJ. Coordenadoria de Aposentadoria

Rioprevidência com Você SEAERJ. Coordenadoria de Aposentadoria Rioprevidência com Você SEAERJ Coordenadoria de Aposentadoria Levar aos servidores do Estado do Rio de Janeiro a Educação Previdenciária, ampliando os conhecimentos dos seus direitos e deveres como servidor

Leia mais

REGRAS DE APOSENTADORIA

REGRAS DE APOSENTADORIA REGRAS DE APOSENTADORIA REGRAS PERMANENTES São aplicadas aos servidores públicos, segundo os requisitos elencados no Art. 40, 1, I, II, III alíneas a e b da CF/88. São essas as seguintes hipóteses: Aposentadoria

Leia mais

Boletim Prefeitura Agosto de 2016

Boletim Prefeitura Agosto de 2016 Boletim Prefeitura Agosto de 2016 1 Belo Horizonte, 01 de agosto de 2016. Prezado Cliente, Você está recebendo a edição nº 08/2016 do Boletim Informativo da ETAC Auditoria e Consultoria, na qual encontrará

Leia mais

Medida Provisória nº 529, de 2011

Medida Provisória nº 529, de 2011 Medida Provisória nº 529, de 2011 Altera os arts. 21 e 24 da Lei no 8.212, de 24 de julho de 1991, que dispõe sobre o Plano de Custeio da Previdência Social, para estabelecer alíquota diferenciada de contribuição

Leia mais

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e RESOLUÇÃO CFC N.º 1.167/09 Dispõe sobre o Registro Profissional dos Contabilistas. regimentais, O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e RESOLVE: CAPÍTULO I DO EXERCÍCIO

Leia mais

Instrução Processual de Contratos Temporários (Resolução n.º 003/2016/TCM-PA)

Instrução Processual de Contratos Temporários (Resolução n.º 003/2016/TCM-PA) Instrução Processual de Contratos Temporários (Resolução n.º 003/2016/TCM-PA) RAPHAEL MAUÉS OLIVEIRA Assessor Especial do TCM-PA BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE A CONTRATAÇÃO DE PESSOAL NO ÂMBITO MUNICIPAL

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO/FNDE/CD/Nº 007 DE 24 DE ABRIL DE 2007 Estabelece os documentos necessários à comprovação de regularidade

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VÁRZEA PAULISTA ESTADO DE SÃO PAULO

PREFEITURA MUNICIPAL DE VÁRZEA PAULISTA ESTADO DE SÃO PAULO Dispõe sobre a criação da imprensa oficial de Várzea Paulista, a publicação e divulgação dos atos oficiais dos Poderes Executivo e Legislativo, e dá outras providências. EDUARDO TADEU PEREIRA, Prefeito

Leia mais

EMENDA CONSTITUCIONAL N o 41, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2003

EMENDA CONSTITUCIONAL N o 41, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2003 EMENDA CONSTITUCIONAL N o 41, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2003 c Publicada no DOU 31-12-2003. Modifica os arts. 37, 40, 42, 48, 96, 149 e 201 da Constituição Federal, revoga o inciso IX do 3º do art. 142 da Constituição

Leia mais

Aposentadoria especial nos RPPS

Aposentadoria especial nos RPPS Aposentadoria especial nos RPPS Quem deve emitir o PPP e os Laudos Periciais? Conversão de períodos especiais em comum para servidores públicos; Regime Jurídico único????? Mandado de Injunção e Aposentadoria

Leia mais

Diário Oficial da União, nº 164, Seção I, p. 63,

Diário Oficial da União, nº 164, Seção I, p. 63, Diário Oficial da União, nº 164, Seção I, p. 63, 27.08.2009 Portaria Superintendente Regional do Trabalho e Emprego no Estado de São Paulo SURTE / SP nº 43 de 24.08.2009 Dispõe sobre as informações fornecidas

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO ESTADO DE PERNAMBUCO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete da Presidência INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 27, DE 28 DE OUTUBRO DE 2010.

PODER JUDICIÁRIO ESTADO DE PERNAMBUCO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete da Presidência INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 27, DE 28 DE OUTUBRO DE 2010. PODER JUDICIÁRIO ESTADO DE PERNAMBUCO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete da Presidência INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 27, DE 28 DE OUTUBRO DE 2010. EMENTA: Regulamenta a concessão e o pagamento de auxílio funeral no

Leia mais

PARECER CONSULENTE: Federação dos Municipários do Estado do Rio Grande do Sul - FEMERGS

PARECER CONSULENTE: Federação dos Municipários do Estado do Rio Grande do Sul - FEMERGS PARECER 17-2015 CONSULENTE: Federação dos Municipários do Estado do Rio Grande do Sul - FEMERGS Consulta-nos o Senhor Vilson João Weber, presidente FEMERGS, sobre o seguinte: [sic]... Dr. estamos com uma

Leia mais

Manual do Aposentado e Pensionista

Manual do Aposentado e Pensionista Manual do Aposentado e Pensionista 1 SUMÁRIO Qual é o significado de Aposentado e Pensionista?...3 Quando é realizado o pagamento do Benefício?...3 Quais as formas de recebimento dos Benefícios?...3 Quando

Leia mais

Prefeitura Municipal de Itiuba-BA

Prefeitura Municipal de Itiuba-BA Edição Nº 030/2912 00091 Quarta-Feira Quit-Feira 0815 de de Março Maio de 2013 2012 1 A Prefeitura Municipal de Itiuba, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR. INSTRUÇÃO NORMATIVA

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL PENSÃO - CONCESSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL PENSÃO - CONCESSÃO UFAL Dados Básicos do Instituidor SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL PENSÃO - CONCESSÃO Siape: O servidor era beneficiário da GEAP? NÃO SIM,

Leia mais

RESOLUÇÃO MPC-MG Nº 001, DE 11 DE MAIO DE 2011

RESOLUÇÃO MPC-MG Nº 001, DE 11 DE MAIO DE 2011 RESOLUÇÃO MPC-MG Nº 001, DE 11 DE MAIO DE 2011 Revogada pela RMPC 2/11 O Procurador-Geral do Ministério Público de Contas, com fundamento direto nos artigos 32 e 119 da Lei Complementar nº 102, de 17 de

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO 1. Requerimento do servidor. 2. Mapa do tempo de contribuição.

DOCUMENTAÇÃO 1. Requerimento do servidor. 2. Mapa do tempo de contribuição. DEFINIÇÃO É um incentivo pago ao servidor que já preencheu todos os requisitos para se Aposentar, mas opta por permanecer na ativa. Deferido o abono, o servidor continua recolhendo a contribuição previdenciária,

Leia mais

PORTARIA MPS Nº 154, DE 15 DE MAIO DE DOU 16/05/2008

PORTARIA MPS Nº 154, DE 15 DE MAIO DE DOU 16/05/2008 PORTARIA MPS Nº 154, DE 15 DE MAIO DE 2008 - DOU 16/05/2008 Disciplina procedimentos sobre a emissão de certidão de tempo de contribuição pelos regimes próprios de previdência social. O MINISTRO DE ESTADO

Leia mais

Universidade Federal do Recôncavo da Bahia Pró - Reitoria de Gestão de Pessoal Coordenadoria de Administração de Pessoal

Universidade Federal do Recôncavo da Bahia Pró - Reitoria de Gestão de Pessoal Coordenadoria de Administração de Pessoal Aposentadoria Passagem do servidor da atividade para a inatividade, com proventos integrais ou proporcionais ao tempo de contribuição, observadas as regras específicas para cada situação. Pode ser concedida

Leia mais

CERTIDÃO Nº / FREQÜÊNCIA LICENÇA SEM VENCIMENTOS

CERTIDÃO Nº / FREQÜÊNCIA LICENÇA SEM VENCIMENTOS ESTA CERTIDÃO NÃO CONTÉM EMENDAS NEM RASURAS E FOI EMITIDA DE ACORDO COM A PORTARIA RIOPREVIDÊNCIA Nº 148/2009. ÓRGÃO EXPEDIDOR: CERTIDÃO Nº / Nº PROCESSO: CNPJ: Folha: de. NOME DO SERVIDOR: SEXO: MATRÍCULA:

Leia mais

Edição Número 128 de 06/07/2005

Edição Número 128 de 06/07/2005 Atos do Congresso Nacional Edição Número 128 de 06/07/2005 EMENDA CONSTITUCIONAL N o 47 Altera os arts. 37, 40, 195 e 201 da Constituição Federal, para dispor sobre a previdência social, e dá outras providências.

Leia mais

ESCLARECIMENTOS SOBRE O CUMPRIMENTO DA DECISÃO DO STF NO JULGAMENTO DA ADI 4876

ESCLARECIMENTOS SOBRE O CUMPRIMENTO DA DECISÃO DO STF NO JULGAMENTO DA ADI 4876 ESCLARECIMENTOS SOBRE O CUMPRIMENTO DA DECISÃO DO STF NO JULGAMENTO DA ADI 4876 Ata da ADI 4876 publicada em 01/04/2014 Julgou como inconstitucionais os incisos I, II, IV e V do art. 7º da Lei Complementar

Leia mais

EDITAL 13/2013 PROCEDIMENTO DE AVALIAÇÃO SOCIOECONÔMICA

EDITAL 13/2013 PROCEDIMENTO DE AVALIAÇÃO SOCIOECONÔMICA EDITAL 13/2013 PROCEDIMENTO DE AVALIAÇÃO SOCIOECONÔMICA O (IFRS) - Câmpus Caxias do Sul, em cumprimento às determinações da Lei nº 9.394/96 e legislação regulamentadora, comunica a abertura de Processo

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS CONSELHO SUPERIOR

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS CONSELHO SUPERIOR SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 44/CS, DE 2 DE DEZEMBRO DE 2013. Estabelece normas e procedimentos para reversão voluntária de

Leia mais

Aplica-se aos servidores docentes e aos servidores não docentes (autárquicos).

Aplica-se aos servidores docentes e aos servidores não docentes (autárquicos). fls. 001 1. Jurisdição Aplica-se aos servidores docentes e aos servidores não docentes (autárquicos). 2. Objetivo Estabelecer critérios e procedimentos para solicitação de aposentadoria de servidores docentes

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE UTINGA C.N.P.J / Rua 15 de Novembro, 08 Centro, CEP Utinga - BA

PREFEITURA MUNICIPAL DE UTINGA C.N.P.J / Rua 15 de Novembro, 08 Centro, CEP Utinga - BA 2 LEI Nº 356, DE 28 DE OUTUBRO DE 2014. DISPÕE SOBRE A CONCESSÃO DOS ADICIONAIS DE INSALUBRIDADE E PERICULOSIDADE PARA OS SERVIDORES PÚBLICOS DA PREFEITURA MUNICIPAL DE UTINGA O Prefeito Municipal de UTINGA-BAHIA,

Leia mais

PENSÃO CIVIL 1 O que é? É um benefício concedido mensalmente aos dependentes, devidamente habilitados, do servidor falecido.

PENSÃO CIVIL 1 O que é? É um benefício concedido mensalmente aos dependentes, devidamente habilitados, do servidor falecido. PENSÃO CIVIL 1 O que é? É um benefício concedido mensalmente aos dependentes, devidamente habilitados, do servidor falecido. 2 Requisitos: a) Falecimento do servidor. b) Habilitação dos beneficiários.

Leia mais

Art. 1º Fica instituído o Corpo Temporário de Inativos da Segurança Pública - CTISP. 1º O Corpo será constituído por:

Art. 1º Fica instituído o Corpo Temporário de Inativos da Segurança Pública - CTISP. 1º O Corpo será constituído por: LEI Nº 13.718, de 02 de março de 2006 Dispõe sobre o Corpo Temporário de Inativos da Segurança Pública no Estado. O GOVERNADOR DO ESTADO DE SANTA CATARINA, Faço saber a todos os habitantes deste Estado

Leia mais

GOVERNO DE SERGIPE LEI Nº DE 12 DE ABRIL DE Faço saber que a Assembleia Legislativa do Estado aprovou e que eu sanciono a seguinte

GOVERNO DE SERGIPE LEI Nº DE 12 DE ABRIL DE Faço saber que a Assembleia Legislativa do Estado aprovou e que eu sanciono a seguinte GOVERNO DE SERGIPE LEI Nº. 8.101 DE 12 DE ABRIL DE 2016 O GOVERNADOR DO ESTADO DE SERGIPE, Altera e acrescenta dispositivos da Lei nº 5.853, de 20 de março de 2006, que dispõe sobre a criação do Instituto

Leia mais

MUD U A D NÇA DE D E REGIME

MUD U A D NÇA DE D E REGIME MUDANÇA DE REGIME PRAZO Após a aprovação no CONSU, haverá um prazo fixado (provavelmente 180 dias) para os interessados fazerem a opção pela mudança de regime. CONTRATO Não haverá rescisão contratual,

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR SUSEP N.º 527, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2016.

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR SUSEP N.º 527, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2016. SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR SUSEP N.º 527, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2016. Estabelece procedimentos para obtenção de autorização prévia para instalação de escritório de representação, cadastramento,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 11/2003. Contém normas a serem observadas pelo Estado e pelos Municípios para assegurar a aplicação dos recursos mínimos

INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 11/2003. Contém normas a serem observadas pelo Estado e pelos Municípios para assegurar a aplicação dos recursos mínimos INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 11/2003. Contém normas a serem observadas pelo Estado e pelos Municípios para assegurar a aplicação dos recursos mínimos destinados ao financiamento das ações e serviços públicos

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002/2008

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002/2008 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE PRÓ-REITORIA ADMINISTRATIVA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002/2008 O Pró-Reitor de Administração da Fundação Universidade Federal do Rio Grande,

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2014

PROJETO DE LEI Nº, DE 2014 PROJETO DE LEI Nº, DE 2014 (Do Sr. Alan Rick) Cria a Subseção XIII, da Seção V, do Capítulo II, do Título III, da Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, altera os arts. 18, 25, 29, 39, 40 e 124 da Lei nº

Leia mais

Tudo o que você precisa saber sobre a previdência e a aposentadoria.

Tudo o que você precisa saber sobre a previdência e a aposentadoria. Tudo o que você precisa saber sobre a previdência e a aposentadoria. Cuidar da sua previdência é fazer o seu futuro mais seguro. Esta cartilha reúne as principais informações sobre a previdência e a aposentadoria

Leia mais

Conselho Nacional de Justiça

Conselho Nacional de Justiça Conselho Nacional de Justiça RESOLUÇÃO Nº 13, DE 21 DE MARÇO DE 2006 Dispõe sobre a aplicação do teto remuneratório constitucional e do subsídio mensal dos membros da magistratura. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N o 7 DE 22 DE NOVEMBRO DE 2007 Dispõe sobre o registro de empresas de trabalho temporário. O Secretário de Relações do Trabalho

INSTRUÇÃO NORMATIVA N o 7 DE 22 DE NOVEMBRO DE 2007 Dispõe sobre o registro de empresas de trabalho temporário. O Secretário de Relações do Trabalho INSTRUÇÃO NORMATIVA N o 7 DE 22 DE NOVEMBRO DE 2007 Dispõe sobre o registro de empresas de trabalho temporário. O Secretário de Relações do Trabalho do Ministério do Trabalho e Emprego, no uso da atribuição

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA DPG Nº 04/2015

INSTRUÇÃO NORMATIVA DPG Nº 04/2015 INSTRUÇÃO NORMATIVA DPG Nº 04/2015 A DEFENSORA-PÚBLICA GERAL, no uso de suas atribuições legais conferidas pelo artigo 18, XII, da Lei Complementar Estadual nº. 136, de 19 de maio de 2011, tendo em vista

Leia mais

DECRETO Nº 4.248, DE 09 DE OUTUBRO DE 2014.

DECRETO Nº 4.248, DE 09 DE OUTUBRO DE 2014. DECRETO Nº 4.248, DE 09 DE OUTUBRO DE 2014. Estabelece procedimentos e prazos para a entrega da declaração dos bens e rendas que compõem o patrimônio privado dos agentes públicos municipais, de que trata

Leia mais

APOSENTADOS E DEMITIDOS CARTILHA COM ORIENTAÇÕES

APOSENTADOS E DEMITIDOS CARTILHA COM ORIENTAÇÕES APOSENTADOS E DEMITIDOS CARTILHA COM ORIENTAÇÕES A BIOVIDA SAÚDE com o intuito de informar e orientar seus beneficiários quanto ao PLANO CONTINUIDADE, resolveu criar e divulgar essa cartilha com explicações

Leia mais

Anexo I. Apresentar os Documentos comprobatórios FOTOCÓPIAS e o questionário socioeconômico em envelope lacrado.

Anexo I. Apresentar os Documentos comprobatórios FOTOCÓPIAS e o questionário socioeconômico em envelope lacrado. Anexo I Universidade Federal Fluminense Apresentar os Documentos comprobatórios FOTOCÓPIAS e o questionário socioeconômico em envelope lacrado. PARA O ESTUDANTE SOLTEIRO SEM CÔNJUGE E/OU COMPANHEIRO (A)

Leia mais

DECRETO Nº 3.596, DE 28 DE OUTUBRO DE 2014.

DECRETO Nº 3.596, DE 28 DE OUTUBRO DE 2014. DECRETO Nº 3.596, DE 28 DE OUTUBRO DE 2014. Dispõe sobre o regulamento e disciplina os procedimentos de recadastramento obrigatório dos aposentados e pensionistas do SANTAFÉPREV Instituto Municipal de

Leia mais

PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS - PROUNI PROCESSO SELETIVO PROUNI PARA 2017/1

PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS - PROUNI PROCESSO SELETIVO PROUNI PARA 2017/1 PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS - PROUNI PROCESSO SELETIVO PROUNI PARA 2017/1 1 - DOCUMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO APRESENTAR CÓPIAS E ORIGINAIS (OU CÓPIAS AUTENTICADAS): Registro de nascimento;

Leia mais

Substitua-se, os artigos 46 ao 68 pelos seguintes artigos, renumerando os demais bem como os anexos:

Substitua-se, os artigos 46 ao 68 pelos seguintes artigos, renumerando os demais bem como os anexos: COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO-CTASP EMENDA SUBSTITUTIVA AO PROJETO DE LEI 6788 de 2017 Substitua-se no PL 6788, os artigos 46 ao 68 pelos seguintes artigos: Substitua-se, os

Leia mais

DOU 30/06/ SEÇÃO 1 PÁGINA 101

DOU 30/06/ SEÇÃO 1 PÁGINA 101 DOU 30/06/2017 - SEÇÃO 1 PÁGINA 101 RESOLUÇÃO No - 790, DE 28 DE JUNHO DE 2017 Disciplina o pagamento do Abono Salarial referente ao exercício de 2017/2018. O Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao

Leia mais

PORTARIA Nº 129/2016-SEFAZ

PORTARIA Nº 129/2016-SEFAZ PORTARIA Nº 129/2016-SEFAZ Altera a Portaria n 005/2014-SEFAZ, de 30/01/2014 (DOE 31/01/2014), que dispõe sobre o Cadastro de Contribuintes do ICMS do Estado de Mato Grosso e dá outras providências. O

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO DE REVISÃO

RELATÓRIO TÉCNICO DE REVISÃO RELATÓRIO TÉCNICO DE REVISÃO PROCESSO Nº : 21750-2013 PRINCIPAL : FUNDO MUNICIPAL DE PREVIDENCIA DE ALTO ARAGUAIA INTERESSADO : EDILON CIRIACO DIAS ASSUNTO : APOSENTADORIA/REFORMA/RESERVAS GESTOR RELATOR

Leia mais