Um visão geral do protocolo TCP/IP

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Um visão geral do protocolo TCP/IP"

Transcrição

1 Um visão geral do protocolo TCP/IP! "!#!! % " & "'( " ) " *+,' #*-.' '/,0/ &*1 0 ( *+,'(#*-.' " (#*-.' " ' *+,' 2'3 (4 *+,' 3 " 5' 6'+ 3 6' ' *+,' % 0 ).#'/ "*+,' )78 *+,' *+,' :::0 *+,' 0 ) & 0 ) # '/,0/ *+,' ;: ) "*+,' 0 "+( *+,' 78 9:::78 /0 78 *+,' 6' #*-.' (' 5 & < *+,'= " *+,' > 3 Configurações do protocolo TCP/IP para um computador em rede?" *+,' 8 A "#B *+,'

2 Figura 1 Uma rede baseada no protocolo TCP/IP. #(B 6'# > #4' C 3 )#4'4 4 #( 4' + 4'( #4' )( F4 A ) 4 " " 1A= ( B & G A 9;; G 4 44 (< (" 4' # ( " G 4 4 9;F ) 9;F9;H 4I4I " 4 ' )54

3 B:9::B;::4- B:9::B;:9;;& - # 5( - + (! *+,' 4' 3 3 ( *+,' 3 ) 3 5( #(B 'B:9::B;:J 3 9;;9;;::# 'B:9::B;:J # #* ( 34( ( 3!"## 9;;9;;9;;: 9;F 9;;9;;:: H;;EF 9;;::: BHJJJ9BF? 6' ( 1 4' 3 &( < " )" K* K* K+K 4')4' " ( )4'K >%L8D# >%L8D 4'K?, *+,'" "4' 5( A05 < " 05 < " + " *+,'

4 ' < > #4' C 3 %L8D ( >. > 4' %#0I% #0D )%#0 * *+,' 4' (,,888, 4' ) "4' %#0 4' %#0 < ( 7'#0I78 '#0D )78 #*0F:" 7'# ::: "%#0( 7'#0# G 7'#0 ' & *+,' " 4 %M+I %DM +) %M+ 78 #*0F:78 9:::0." < %M+ > *+,' 6) > " < & + %M+ " & ) %M+ 4' %#07'#0= B::: "%M+ > *+,' & 4' %#0# & " 4' %#0. 0 " %M+ 4 %#0 %M+)4 5(" " C =G 9:::78 /A B 9& '3N 3N& 5 3N E#, F0( *+,' (

5 )( I #( 4 K1K*OPBEQD+' #'+ ) 4' %#0 7'#0) < C&+3& )C&+3& 4) 4, 4 #( C&+3& 4 #(. @,0O'A'A6'*+,' ((

6

7 Questão de exemplo para os exames de Certificação: & ( *+,' ( +C " < % A A & *+,'G :B:9:E &#'!()*! #4' B::B::B::E C 3 9;;9;;9;;: L8D B::B::B::B &#'!()*! #4' B::B::B::F C 3 9;;9;;9F:: L8D B::B::B::B &#'!()*!+ #4' B::B::B::; C 3 9;;9;;9;;: L8D B::B::B::9 ):9 R:E 3 ('? G" ( S & 3:99;;9;;9;;: &L8D:EB::B::B::B & 3:B9;;9;;9F:: & 3:E9;;9;;9F:: A &L8D:BB::B::B::9 &L8D:9B::B::B::9 A &L8D:EB::B::B::B A & 3:99;;9;;9;;: K &#! :9 < 3T( :9 39;;9;;9F:: R:E 3 3 L8D L8D:E " ) *+,' C 3 %L8D

8 Sistema de numeração binário: = " * 4 33 ( B::9;QBF;: =G S#S- "< * 4 3 "< +,-./0 1 2(!3N0 = 4 ( 4,+/ ) 43 < 4 G B:U4B:B5(B:9 4 ), + / C + B::: B:: B: B K F(B::: ;(B:: E(B: P(B ' F::: ;:: E: P 0 F:::V;::VE:VP T,+/ ) F;EP ( E A 9 A B A : A 4 < G B: F B: ; ) <G B: 4 < 0 P< A3 G P PUP B P 9 0 B:< H A3 G BH 5&B: -BB - "< < S(#4 3 <

9 ' 4 3 " ( * 4 < G B: " 5 G 9 9 : 9 B E 9 F = ( + 4 = " C , B9P HF E9 BH P F 9 B C BB9P BHF :E9 :BH BP BF B9 :B K B9P HF : : P F 9 : 0 /3-,333/3,33 K - ) 4BB::BBB:9:H) G9 " G9 "& ( " ( +4 C , B9P HF E9 BH P F 9 B C BB9P BHF BE9 :BH :P :F B9 :B K B9P HF E9 : : : 9 : 0 /3-, K - Converter decimal para binário: - "49EF SS # # ( (9;; P< P(D 4 "4' (9;; D P

10 ( " " 5 = (9EFP< S < < / -, + - /, O 4 G 9 9 : 9 B 9 9 B9P HF E9 BH P F 9 B 9 J 9 H 9 ; 9 F 9 E B 9 : (#B9P9EFS0<B0HFB9P 9EFS#BQ9 <B0E9BQ9 9EFS #99F<B0BH99F 9EFS <"0P99F 9EFS#9E9 <B0F9E9 9EFS (<"09 9E9 9EFS#(9EF <BR < "+ 9EF ( 4= 4BFF B9PBFFS0<B0HFB9P BFFS0BQ9 <:0E9B9P BFFS0 BH:<:0BHB9P BFFS# (BFF<BR < "+ BFF -G!4!*+,' 1A!! O Operador E: ( 5 <!!!).!!/)K!!#)*!?"!! B B0 " "# <!5!5 6!5746!57

11 Como o TCP/IP usa a máscara de sub-rede: + * + E A& B:9::B;: G 4' B:9::B;:=( 3 4' ( B & < ( 6 C ( 7&# # 5( Como o TCP/IP usa a máscara de sub-rede e o roteador:? *+,' #!)%8!""## *+,' *

12 78 + SC ' *+,'' '!)%8!"#%"## *+,' *+,'AK " K" & 5 9&: &;' ""!("!#"#<9 = ( (*+,'" 4"+ A 39;;9;;9;;: ) 4' 3 + < &"!( ::::B:B: BB::B::: B::B:BB: :::::B:B &"!# / ::::B:B: BB::B::: B::B:BB: ::::B::: 5 BBBBBBBB BBBBBBBB BBBBBBBB :::::::: *+,'"!!#4' 03 ::::B:B: BB::B::: B::B:BB: :::::B:B BBBBBBBB BBBBBBBB BBBBBBBB :::::::: ::::B:B: BB::B::: B::B:BB: :::::::: = &!!#4' 3 / ::::B:B: BB::B::: B::B:BB: ::::B::: BBBBBBBB BBBBBBBB BBBBBBBB :::::::: ::::B:B: BB::B::: B::B:BB: :::::::: = 4 4

13 &*+,' 0 # *+,'* 78 + SC ' *+,'' ' T (!! B:9::B;:: B:9::B;:: +G ( 6 *+,' A 39;;9;;9;;: ) 4' 3 + < &"!( ::::B:B: BB::B::: B::B:BB: :::::B:B &"!#, / ::::B:B: BB::BB:: B::B:BB: ::::B::: 5 BBBBBBBB BBBBBBBB BBBBBBBB :::::::: *+,'"!!#4' 03 ::::B:B: BB::B::: B::B:BB: :::::B:B BBBBBBBB BBBBBBBB BBBBBBBB :::::::: ::::B:B: BB::B::: B::B:BB: :::::::: = &!!#4' 3,/ ::::B:B: BB::BB:: B::B:BB: ::::B::: BBBBBBBB BBBBBBBB BBBBBBBB ::::::::, ::::B:B: BB::BB:: B::B:BB: :::::::: = &*+,' # ( B:9::B;::B:9:FB;::# *+,' *+,'AK " K B:9:FB;:: 4 4

14 @A 5( ) 3 T 39;;9;;9;::A+ *+,' " Endereçamento IP Classes de Endereços: #5 9 3"!! ' 4K 4 & 3" ' ( 4 < 4( &-+%= + Classe E94'A 4' "+ 4' B9J4' BA B9J C , B9P HF E9 BH P F 9 B C :B9P BHF BE9 BBH BP BF B9 BB K : HF E9 BH P F 9 B 0 3-,3+3-3/3,33 K. )4B9J"+ & 4 "G5)4B9J::B4 ) "G 4B9J::B "G ( + & 3 9;;:::+ P9F &( 4 ( " 5 # 5

15 !! 4" = &> #4 J+ " NB9P393NB9H + &!#6?7&> #4 9F 9, 393NB9P393NBHJJJ9BF & #+ & 4 < 4 R 4 4+ < + B9HA 4 ' < + & " " < 3 " 3 ; Classe B: 4' B:+ 4' B9P BQB+ : HF 4' ( 5-,BQB ) B : BA BQB C , B9P HF E9 BH P F 9 B C BB9P :HF BE9 BBH BP BF B9 BB K B9P : E9 BH P F 9 B 0 /33+3-3/3,33 K ;;9;;::+ 3 BHBH ( 4 ( " 5 # 5!! 4" =

16 #4 BF+ B:( 9, 393NBHEPF393NBHEP9 + #4 BH 9-393NH;;EH393NH;;EF - #+ - 4" + -4 )4( + - 5( C '-C MLCC " + - <4 '+ ; < 4 3 BH + <+ &+ +A C ; Classe C: G 4' BB:+ 4' BQ9 99E+ :E9 4'+ ( 9;;3E999E) B B BA 99E C , B9P HF E9 BH P F 9 B C BB9P BHF :E9 BBH BP BF B9 BB K B9P HF : BH P F 9 B 0 /3-,33-3/3,33 K F P ( 4( " 5 # 5!! 4" = &&

17 #4 9B+ BB: ( 9 393N9:QJB;9393N9:QJB;: + +!#6?7&& #4 P 9 / 393N9;H393N9;F + ) < ( 9;F T C + +( < ' 9: EF + < ' " 3 Classe D: 4' BBB:& % C C. - 5( Classe E: 4' BBBB& &4#)& < + ' &!!!? "% > : B9H BHJJJ9BF B: BHEP9 H;;EF 9;;9;;:: & BB: 9:QJB;: 9;F 9;;9;;9;;: 1 BBB:."C 4 BBBB K Endereços Especiais: ( ' < " & G5#"B9J::B #78 Q;,QP,C :::,/ D E9,, 78 4#)!!#A!#!'!)%!#B!(!. " ( G+ +& 9::99:B;:E# 9::99:B;:: " 0 +

18 39;;9;;9;;: 4#)!!#A!#!'!)%!#B!(!. B ( G+ +& 9::99:B;:E# 9::99:B;:9;; 6 B0 + 39;;9;;9;;: & -. C 5( O papel do Roteador em uma rede de computadores: # 9 3"!! ' 4K 4 & 3" ' ( 4 < 3 *+,' + *+,' 8"!(!#%## * & #4' 0' ' ) 8"!(!##%%## 4'>% 5 3 *+,' " %L8D!!K )!K! % L8DK+ K!T!?K3 <G (' Como eu sei qual o Default Gateway que está configurado no Windows 2000? =G *+,'78 9::: 0 & C!'!##'!()*&;#!#'('! B+ <C W 9#( E0(+( 3# (< ( <( (C (<( # <<!"(!+ <G

19 ( # ( < ( F+ <!+(!# ( ;0( ( J& *+,' (

20 # ( 4' 3 L8D4' %#0 0 ' %M+"# *+,' A P+)X *+,' Q=G (+)X 3 B:=G 6+( 33 Verificando as configurações do TCP/IP usando o comando ipconfig: *+,'" B& '3N 3N& 5 3N 9%, E0 *+,'(

21 Explicando Roteamento um exemplo prático: =( ( = "0 KR)"0 KR 5 # K < # (

22 # ( ( Como está configurado o endereçamento das redes locais e dos roteadores? = " B:B:B:: 39;;9;;9;;:) + & " 3 +=E + ' ==D " B:B:9:: 39;;9;;9;;:) + & " 3 +=E + ' =+.O&# >A1 # '#0 B:B:B:B#5 " K#KRB:B:9:B = ( " & 7&#A"B:B:E:: 39;;9;;9;;: EF++ G B:B::,9;;9;;9;;: =DB:B::,9;;9;;9;;: #'G >=B:B:+:,9;;9;;9;;: # B:B:E::!! Como é feita a interligação entre as duas redes? ="(

23 4"= 0 S& B)03:BKR3:9 9A) " " 03:B B:B:B:;,9;;9;;9;;: KR3:9 B:B:9:B9,9;;9;;9;;: 9 *+,' 03:BB:B:B::KR3:9B:B:9:: E+ K F#0 ' ;A B:B:9:: ;)0 B:B:9:: B:B:E:BT " 7&# B:B:E:B H) B:B:E:B 1 B:B:E:9KR J#KR ' B:B:9:B9 ;A B:B:9:: P)KR B:B:9:: B:B:9:B B:B:9:B) B:B:9:B* (B:B:9:B9 Q KR3:903:B KR0 ( 03:B B:& 8 ; Mais um exemplo de roteamento # ( 4"+

24 7&# &7&#( < = 5 :B B:B:B:: 9;;9;;9;;: :9 B:B:9:: 9;;9;;9;;: :E B:B:E:: 9;;9;;9;;: :F B:B:F:: 9;;9;;9;;: ( 7&# < = 5 K B:B:;: 9;;9;;9;;: +( G "( ( + " 7&#,( 4 ( K:E K:E 0K:9 K :9:F & :9:F K:9+ ( # K:9 :9:F 7&# -&(" 4' ( A#5 %L8D A 5" &

25 !!#!& K:B K:E( B:B:B:9;K:B B:B:E:BFFK:E# B:B:B:: B:B:E::+ S >"#?"!(! )B:B:B:9;B:B:E:BFF &*+,'" (+<9) " " +K:B B:B:B:9;,9;;9;;9;;: +K:E B:B:E:BFF,9;;9;;9;;: *+,'!! )B:B:B:9;B:B:B:: B:B:E:BFFB:B:E:: 9 ++ KB:B:B::,)B:B:B:: B:B:B:B# B:B:B:B ' B:B:E:BFF) B:B:E:: B:B:E:: )K:B B:B:E:: 7&#B:B:;BT " 7&# B:B:;B -) 7&#B:B:;B 17&#B:B:;9K:E.#K:E ' B:B:E:BFF) B:B:E:: /)K:E B:B:E:: O&#B:B:E:B K:E6B:B:E::) B:B:E:B* (B:B:E:BFF 0 B:B:E:BFF B:B:B:9; (A ( B:B:B:9; & 8 (##!& K:E K:9( B:B:E:9;K:E B:B:9:BFFK:9# B:B:E::

26 B:B:9::+ S >"#?"!(! )B:B:E:9;B:B:9:BFF &*+,'" (+<9) " " +K:E B:B:E:9;,9;;9;;9;;: +K:9 B:B:9:BFF,9;;9;;9;;: *+,'!! )B:B:E:9;B:B:E:: B:B:9:BFFB:B:9:: 9 ++ KB:B:E::,)B:B:E:: O&#B:B:E:B# B:B:E:B ' B:B:9:BFF) B:B:9:: B:B:9:: #( B:B:9::*" B:B:9::# B:B:9::)K :E 6 B:B:9:: 7&#B:B:;9T " 7&# B:B:;9 -) 7&#B:B:;9 17&#B:B:;BK:B.#K:B ' B:B:9:BFF) B:B:9:: /#K:B B:B:9:: 7&#B:B:;EK:9T 0)67&#K:9)K:9 B:B:9:: O&#B:B:9:BK:96 B:B:9::) B:B:9:B * ( B:B:9:BFF B:B:9:BFF B:B:E:9; (A ( B:B:E:9; Algumas considerações sobre roteamento: & HA)

27 < + ( ( ' <? ) )*+,' 3 YG ( 4( # 4BH #( K :E K:9!9!. %"3 (BH ' 1 7&#. ( DD(( D BH ) = B:B:B::B:B:9::A % Tabelas de roteamento. ;K? BH # (!3!

28 +( % L8D ".-,.-, # 5G * ( 78 9:::78 /78 09::E Entenda os campos que compõem uma entrada de uma tabela de roteamento:. ( B:B:B::A 3 " <!( 'B:B:;9 ( < ( B:B:;9 0 HH& 3" I"' + ( 7&# '4B:9::9::F

29 > B:B::B:::,9;;9;;9;;: 8DB:9::9::B 8D B:9::9::B9:# ( 78 09::E4'B:9::9::B9: 8DB:9::9::B# B:B::B::: # B:B::B::: 9;;9;;9;;: 8DB:9::9::B B:B::B:::A #'T ( G 78 09::E4' 4' G!& > + * 0 A Analisando a tabela de roteamento de um computador com o Windows (2000, 2003 ou XP): &G 78 09::E # ::EA& *+,'78 09::E5 " "& 4 5("& *+,'(. " ) *+,' ( :::78 /A 0( BH( 4' B:9:F9::;:

30 = ( G ="% :::: 3 ::::?*+,' < + " < ) 4'5 0 <5(B:9:F9::B 5 A 4#) KKO "!? > L8D>' 4'5 A) J?6#)7

31 "G5) B:9:F9::;:4 " 5 ( A L8D1 B9J::B 1B9J::B "" ::E & 1< 8 A & "1 ) 34 9;;9;;9;;9;; ' 5' A -?" ) " (7'#0" 5 ) 8D4' ' 4 ". 1 7&# =;#)"H + B9J::: "G ) G B9J::B )' G. 4' - C!!.(" < = B::: E:< <0 E:5 + C 45 'LCA5 E: 4' O+<9 %

32 " ) E9' C S(G" *+,' %M+ "" %M+ *+,') %M+ ' 3 %M+ A %M+ & %M+ &< %M+A *+,' %M+ & 3 C 5( Introdução & " " "! 5 P BH 9F 9;;::: 9;;9;;:: 9;;9;;9;;: ( 3 4",( 1'!#!)% 5 B:B:B::,BH B:B:B::,9F B:9::B:::,P 9;;9;;:: 9;;9;;9;;: 9;;::: A <4 '( ( & < BH 'S = ( '( "0 - & E: F A ) 9;F4 + 9;;9;;9;;:A(E:4

33 " # < ) (4+ + A(E: 9;F + + & < &< 3 3 (4 '(( + +B:B::B:::,9;;9;;9;;:9;H4 ' 9;F4 454 F A P 3 E94 ' 3) K9;H ' < B:B::B:::3NB:B::B::9;; % P 3 3E9 ' 5B:B::B::: 3NB:B::B::EB 5B:B::B::E9 3NB:B::B::HE 5+B:B::B::HF 3NB:B::B::Q; 5,B:B::B::QH 3NB:B::B::B9J 5B:B::B::B9P3NB:B::B::B;Q 5-B:B::B::BH:3NB:B::B::BQB 5.B:B::B::BQ93NB:B::B::99E 5/B:B::B::99F3NB:B::B::9;; A ( '"4 +P 3 #4 3 ' 3 4' ( ( ) " E9 ' 5 3 ) " A ' 3 + ( 3 ( =G ( = PBH9F A 3 ( 3 C 0Z) " A Alterando o número de bits da máscara de sub-rede: " 3PBH9F

34 ! 5 :P BH 9;;::: 9;;9;;:: 9F 9;;9;;9;;:. P B[ BH B 9F G B! , 5 :P BH BBBBBBBB :::::::: :::::::: :::::::: 9;;::: BBBBBBBB BBBBBBBB :::::::: :::::::: 9;;9;;:: 9F BBBBBBBB BBBBBBBB BBBBBBBB :::::::: 9;;9;;9;;: Máscaras de rede com 8, 16 e 24 bits. #("0 5 " + 4 " A" G4 B 3( 9FG" 9;9H9J4 - Quantos bits devem ser utilizados para a máscara de sub-rede? >(B##B(#E %!? <A!)4 " S! - = #( 3 ) " ) ( )45 \] 4 " 3 5K#5 # ( < P4 " 3+ P < 9;;9;;9;;9;; & 3 4 '( ( 9; J4 ' 6 9F9H H4 ' )4 4 ' 4 ' 3&54 ' 3 A #)#5K # 5 # 3 () <4 3O

35 ( +3 ; 9F 3!!!! : 5 +? 5 9;F B : B9H 9 9 H9 E H E: F BF BF ; E: H H H9 9 J B9H : P 3 Número de redes e número de hosts em cada rede. + ( 3 9; 9F# : 3 < B < " & J 3 EB 9F# '+B ' 4 " '& # ( + +3B:B::B:::,9;;9;;9;;: 3 %BHH "E 3 ) "G A "9J 3+ 4 ' 3 E:4 ' 3( &5( 3 9F "9J! , 9J BBBBBBBB BBBBBBBB BBBBBBBB ::::: Máscara de sub-rede com 27 bits. +<9% B9PHFE9BHPF9B + G 4" G 4# (4 B9PVHFVE9Z99F+ 3 " 3 9;;9;;9;;99F) 6 3" B9P 5(HF # 3

36 ! , E 9J BBBBBBBB BBBBBBBB BBBBBBBB :::::, A nova máscara de sub-rede. + G 3 5A4(E:4 ' 3 ( ( &."3 & - +A 3 4 ' " 3 'A &-+(+ & " P 39F =G"(B9 3 9: # " 3 3!!!! 5? H9 E H E: F BF BF ; E: H H H9 9 Número de redes e número de hosts em cada rede divsão de uma rede Classe C. O54 3 #4 3 Z # 5 4 " 3 54 ' 3 # 5 4 " 3 &(+ + 3 < + & + - O &" P -"BH# 4" 3 & , % & P BBBBBBBB :::::::: :::::::: :::::::: 9;;::: - BH BBBBBBBB BBBBBBBB :::::::: :::::::: 9;;9;;:: + 9F BBBBBBBB BBBBBBBB BBBBBBBB :::::::: 9;;9;;9;;: Máscara padrão para as classes A, B e C. & 3

37 3 " P0G"B:B9 3 ) < - " BH 30G"BP9: 3-3 & & A " I E5 9 9 BHEP9 9;;9;;BQ9: E H PBQ: 9;;9;;99F: F BF F:QF 9;;9;;9F:: ; E: 9:FH 9;;9;;9FP: H H9 B:99 9;;9;;9;9: J B9H ;B: 9;;9;;9;F: P 9;F 9;F 9;;9;;9;;: Q ;B: B9H 9;;9;;9;;B9P B: B:99 H9 9;;9;;9;;BQ9 BB 9:FH E: 9;;9;;9;;99F B9 F:QF BF 9;;9;;9;;9F: BE PBQ: H 9;;9;;9;;9FP Número de redes e número de hosts em cada rede Classe B. ) " *+,' + - A -"BH 3 9;;9;;::& B 9;;9;;9;;: BHBB& & P )6 B9P& 3 9;;9;;9;;B9P*+ G *+,' & A " 3 + &

38 1!E!%>5! 5 I E5 9 9 FBQFE:9 9;;BQ9:: E H 9:QJB;: 9;;99F:: F BF B:FP;JF 9;;9F::: ; E: ;9F9PH 9;;9FP:: H H9 9H9BF9 9;;9;9:: J B9H BEB:J: 9;;9;F:: P 9;F H;;EF 9;;9;;:: Q ;B: E9JHH 9;;9;;B9P: B: B:99 BHEP9 9;;9;;BQ9: BB 9:FH PBQ: 9;;9;;99F: B9 F:QF F:QF 9;;9;;9F:: BE PBQ: 9:FH 9;;9;;9FP: BF BHEP9 B:99 9;;9;;9;9: B; E9JHH ;B: 9;;9;;9;F: BH H;;EF 9;F 9;;9;;9;;: BJ BEB:J: B9H 9;;9;;9;;B9P BP 9H9BF9 H9 9;;9;;9;;BQ9 BQ ;9F9PH E: 9;;9;;9;;99F 9: B:FP;JF BF 9;;9;;9;;9F: 9B 9:QJB;: H 9;;9;;9;;9FP 99 FBQFE:9 9 9;;9;;9;;9;9 Número de redes e número de hosts em cada rede Classe A.. A" 4 3 (BHB9 "; 3 E: 3 " 3 4 9;;9FP:: C ( + ( 3S ( Como listar as faixas de endereços dentro de cada sub-rede. = ( 4"% + B9QF;E9:,9;;9;;9;;:0 B: 3 % A? " B: 3 S A? 4 A < 3S A? 3S AO ( 3

39 = G5 #4 3 Z9 39 =G B: (Z95 9ZE5 HZF 5 BF- " " 3 A? " B: 3 S K F 9F G " A F ' 3* 5 #4 ' 3Z9 39 FBF+ A? 4 A < 3S K BF +"" 3 B- B9PVHFVE9VBHZ9F:) B 9F: A? 3S K 9;;9;;9;;9F: T " 3" BF 3 AO ( ' ) 4 # (? HFE9 (+<9A)4 ( () BH 3 4 " BF 3 \39]5\39] 3I4& ( BH 4 " + 3 :B; 3BHEB E9FJ % BF 3 3BH ' 4 3 " 44' 3 "

40 03:BB9QF;E9: 3NB9QF;E9B; 03:9B9QF;E9BH 3NB9QF;E9EB 03:EB9QF;E9E9 3NB9QF;E9FJ 03:FB9QF;E9FP 3NB9QF;E9HE 03:;B9QF;E9HF 3NB9QF;E9JQ 03:HB9QF;E9P: 3NB9QF;E9Q; 03:JB9QF;E9QH 3NB9QF;E9BBB 03:PB9QF;E9BB9 3NB9QF;E9B9J 03:QB9QF;E9B9P 3NB9QF;E9BFE 03B:B9QF;E9BFF 3NB9QF;E9B;Q 03BBB9QF;E9BH: 3NB9QF;E9BJ; 03B9B9QF;E9BJH 3NB9QF;E9BQB 03BEB9QF;E9BQ9 3NB9QF;E99:J 03BFB9QF;E99:P 3NB9QF;E999E 03B;B9QF;E999F 3NB9QF;E99EQ 03BHB9QF;E99F: 3NB9QF;E99;; = ( - 3 9;;9;;:: 4"% - B;:B::::,9;;9;;::0 9: 3 % A? " B: 3 S A? 4 A < 3S A? 3S AO ( 3 = G5 #4 3 Z9 39 =G B: (Z95 9ZE5 HZF 5 BFZ;5 E:- "" 3 " F BF 3 ; 4 3 A? " B: 3 S K ; BH " A G PA ' 3* 5 #4 ' 3Z9 39 A 9:FH 44 " + A? 4 A < 3S K 9:FH +"" 3 B- B9PVHFVE9VBHVPZ9FP) B 9FP

41 A? 3S K 9;;9;;9FP: T " 3" E: 3 AO ( ' < "( +) 4 # B9P HFE9BHP( 9A)4 ( () 9:FP 34 " :FH 3\39] 5\39] 3I4& ( 4 # (P&("4 4 :J& ( 3 " 3 4A 03:BB;:B:::B3NB;:B::J9;F + '4(:J 4 ' 3 ( B;:B:::9; B;:B::E9: B;:B::;: B;:B::H9FF ' ) :J " " 3? ( '5( 3& <) 4 P 4' 3 :J 3 PB; 3 BH9E % E9 3 39:FP ' 4 3 " 44' 3 "

42 5!! L! 4#) B;:B:::: B;:B:::B B;:B::J9;F B;:B::J9;; B B;:B::P: B;:B::PB B;:B::B;9;F B;:B::B;9;; 9 B;:B::BH: B;:B::BHB B;:B::9E9;F B;:B::9E9;; B;:B::9F: B;:B::9FB B;:B::EB9;F B;:B::EB9;; B;:B::E9: B;:B::E9B B;:B::EQ9;F B;:B::EQ9;; ; B;:B::F:: B;:B::F:B B;:B::FJ9;F B;:B::FJ9;; B;:B::FP: B;:B::FPB B;:B::;;9;F B;:B::;;9;; B;:B::;H: B;:B::;HB B;:B::HE9;F B;:B::HE9;; B;:B::HF: B;:B::HFB B;:B::JB9;F B;:B::JB9;; B;:B::J9: B;:B::J9B B;:B::JQ9;F B;:B::JQ9;; B;:B::P:: B;:B::P:B B;:B::PJ9;F B;:B::PJ9;; B;:B::PP: B;:B::PPB B;:B::Q;9;F B;:B::Q;9;; B;:B::QH: B;:B::QHB B;:B::B:E9;F B;:B::B:E9;; B;:B::B:F: B;:B::B:FB B;:B::BBB9;F B;:B::BBB9;; B;:B::BB9: B;:B::BB9B B;:B::BBQ9;F B;:B::BBQ9;; B;:B::B9:: B;:B::B9:B B;:B::B9J9;F B;:B::B9J9;; B;:B::B9P: B;:B::B9PB B;:B::BE;9;F B;:B::BE;9;; B;:B::BEH: B;:B::BEHB B;:B::BFE9;F B;:B::BFE9;; B;:B::BFF: B;:B::BFFB B;:B::B;B9;F B;:B::B;B9;; B;:B::B;9: B;:B::B;9B B;:B::B;Q9;F B;:B::B;Q9;; 9: B;:B::BH:: B;:B::BH:B B;:B::BHJ9;F B;:B::BHJ9;; B;:B::BHP: B;:B::BHPB B;:B::BJ;9;F B;:B::BJ;9;; B;:B::BJH: B;:B::BJHB B;:B::BPE9;F B;:B::BPE9;; B;:B::BPF: B;:B::BPFB B;:B::BQB9;F B;:B::BQB9;; B;:B::BQ9: B;:B::BQ9B B;:B::BQQ9;F B;:B::BQQ9;; 9; B;:B::9::: B;:B::9::B B;:B::9:J9;F B;:B::9:J9;; B;:B::9:P: B;:B::9:PB B;:B::9B;9;F B;:B::9B;9;; B;:B::9BH: B;:B::9BHB B;:B::99E9;F B;:B::99E9;; B;:B::99F: B;:B::99FB B;:B::9EB9;F B;:B::9EB9;; B;:B::9E9: B;:B::9E9B B;:B::9EQ9;F B;:B::9EQ9;; B;:B::9F:: B;:B::9F:B B;:B::9FJ9;F B;:B::9FJ9;; B;:B::9FP: B;:B::9FPB B;:B::9;;9;F B;:B::9;;9;; + 3 4'( 4'B;:B::BE:999 G 4 " 3A+ G BE: 3BJ B9PBE; B;:B::B9P:B;:B::B9PBB;:B::BE;9;FB;:B::BE;9;;BJ E F H J P Q B: BB B9 BE BF B; BH BJ BP BQ 9B 99 9E 9F 9H 9J 9P 9Q E: EB E9

43 - < *+,' -ZK 3 A Definindo DNS: %#0%#0D )%#0 * *+,'SA 4' #4'4' 4 '" (G888, C - 4' C - C " G 888, A4' 0 <!!4' < )%#0(!!!! (888 K 4' %#0 %#0 "4' ")%#0 < %#0 < *+,' )%#0 78 9::: 0&#*0F: 7'#0I78 Q A= Q;78 QP 78 C 7'#0" ) ( ( A G" #- 8 A) %#0 " < %#0 )%#0 < %#0 ( 888 %#0"" 4' 888?G 3 :B ^^ 3 :B^ %#0 4' 3 :B0 G & G " %#0 91BEM #)!#<9 )%#0 %#0

44 @ %#0 A."4'%#04' 94:#!#9 )%#078 9:::078 09::E "' '* K+ IK +=G ' K+ < 0 A Entendendo os elementos que compõem o DNS: )%#0 < ( ' %#0 Estrutura hierárquica do DNS. # %#0 ')<<< <!*33! < *

45 "5E5!# 1!)% )" )" ' )" % ' Top-level-domains (< < <( ) <5< < <# "3(G" 888 A # < %#0 <" 888 * < ( 888) 888 " ') '# %#0' 888' C G 33 %#0 )?%#I? <%#0 & <?%# ' < ( % ( :B 3:B ) < ( < ( < ' < % < %#0 4 ( < < < < %< :B * :B :B." ( (

46 B:9::9::E 888 B:9::9::F B:9::9::BP :B 3 #* 78 9:::78 09::E78 /A D E9^ ^ 78 ( # )%#0 <" ' ) %#0 8")#1. < ' %#0 " %#0%#0' " + E!1) %#0 %#0 %#0 4') %#0 6 =G ( %#0 =(!16==7) %#0( ' <78 9:::78 09::EA < &!#10 ( 78 9::: 78 /!! 8 %#0) %#0 Entendendo como funcionam as pesquisas do DNS: ' ' 888 ) %#0 A( 888 4' ) %#0%#0 *+,' %M+I B: A& %#0G 8#E!# ( 888 8!""!! #!! ' # ( &

47 4' T %#0!=G4' 888 S!!0)4' 888 * " X N!#1 %#0 78 9:::078 09::E ' ( ( " 4' " 5+%#0 " #5(""78 9::: +%#0 ( 0 +%#0 + %#0 %#0 # %#0< %#0 " 0 %#0 %#0 & %#0 B& %#0 90 A & %#0"!! =" 78 9:::0( A " %#0 ' &%#0 %#0 O processo de resolução de nomes do DNS.

48 #( C 888 & 888. ( %#0 4' 888!!")%#0 &888 ' %#0 )%#0 " ) " 5 %#0? " " ) " %#0 G 8!E?0 ( 78 9:::0 ^ D E9^ ^) ( 4' 4' B:9::9::E 888 B:9::9::F B:9::9::BP :B 0 %#0 *+,' %#0 %M+ (#" %#0." %#0? %#0 " " < " < %#0 +<E C (J:39BH 0 9::E&(-1 A ( %#0 "A :B # %#0 %"3 # " 888 %#0 %#0 < # %#0 A 2 %#0 %#0& %#0) %#0 "

49 0 %#0 " %#0 + %#0 "%#0 A & %#0 ) %#0 Resolução de nomes usando recursão. ) %#0 (< %#0 '" %#0"!!K %#0 ' A < A %#0 %#0# ( %#0

50 Lista de root hints do servidor DNS. + %#0 %#0 < = ( ' ' :B )" (D" %#0%#0 %#0 A %#0 (D" %#0 A+ %#0 (D" %#0# B) %#0 # ( :B A. %#0 %#0" A 9O" < %#0 (D" %#0 < 9CM :E!1"#E"2#!<9) %#0 ' %#0 <) %#0 *"< E) %#0<(D" %#0

51 < F) %#0<(D" EA 9CM:!"!!#' :!"<9 ;) %#0 <) %#0 %#0<(D"4' %#0 < H) %#0<(D" 4' < J) %#0<(D" HA 9CM:! "E#!!#' :!" E#<9 P) %#0 <) %#0 %#0<(D"4' %#0 < Q) %#0<(D" 4' < B:) %#0<(D" QA 9CM:!" E#!!#' :!"E#<9 BB) %#0 :B + < " :B %#0<(D" B9) %#0<(D" "5 %#0 BE# 5 %#0 %#0 + < '& " %!3! %#0 %#0' %#0 %#0' %#0' " " 5 5*" %#0 (< 5 Considerações e tipos especiais de resoluções. ) AC

52 >#?!!E#6"!7 %#0 < ( ( # %#0 " 6 4' T 5 %#0< >"!!E#6""!!E7T >'#6'M#!7 G %#0 " %#0 & A)" %#0 G %#0& ) >#(!E#6"#(!E7 6. %#0 < ( < %#0< A " ) " %#0 8E)*) %#0 %#0 " %#0' ) %#0 (." ( 6 %#0 #E#E!#!EF+(# A %#0( #E!5"#!EF(# %#0 > & %#0 Como funciona o processo de interação: ) A %#0 )" %#0 ) %#0

53 )" %#0 %#0 %#0? " %#0 6 %#0 < ( %# %#0 0 %#0 %#0 G A %#0" ) %#0 ) # A." R %#0 %#0" ) A ) %#0 Como funciona o cache nos servidores DNS: ) %#0 6 " & " %#0+ " ) " "%#0? %#0> > )>**O" " " " 6 > %#0 %#0"+ D ^0D E9^% D 78 9::: 0 + %#0 A) 4 5 " %#0"" ' " Definindo DHCP: )%M+%DM + " " 8 6 "*+,'A 0 %M+ A+ %M+ ") %M+" < & *+,'

54 > %L8D0%#0 %M+ 3" 4' ' Fundamentação teórica do DHCP # 5 5 %M+ =G A %M+&%D %M+ O que é o DHCP - Dynamic Host Configuration Protocol? =G *+,'"*+,' > ) > *+,' #4' C 3 #4' %#0 #4' 7'#0 0( %#0 *+,' (( & 4' %#0A (4'% L8D # *+,'4'%L8D 4' %L8D4. & ( 3 < C " & 3 " - < *+,' 4!! 4 E:;: < *+,' *+,' %M+%M+ %DM A=G

55 %M+ " *+,' %M+( " %M+%"!! %M+A." %M+ *+,' %M+) %M+ " *+,' + %M+ ' 38D4' %#0 A"") ( ' < A ( 4' %L8D 34' %#0 4' 7'#0 **+,' " %M+' %M+4= G E::: * *+,'& " %M+=G"4 ( ' %#0)4' %#0 ) ' 4' %#0A+G *+,' 5 _ E::: 4 ' %#0 *+,'' %#0. & 5 *+,' G "%M+" *+,'# 4' %#0 ' %M+#5( " 4' %#0 G4 4 - ' %M+ *+,' "*+,'+ " *+,'%M+" ( *+,' # &%M+78 9:::078 09::E '* +A& K+ %M+ K+9BEB %DM K+B;FBA K+9BE9 %M+) -))*=( & K+ 4 %M+ K+:Q;B K+B;EF '-8%M+-))* K+B;F9 + ( -

56 K+9BEH %D. K+99FB %M+) # %D0 K+99F9 #8,'%#' ) G4 K+ <,,8883, Termos utilizados no DHCP. )%M+ ) %M+ %M+# %M+ %M+& %M+ ( <!! #1I& E!1I&T 78 9::: ::E %M+&5 %M+ "&%D )"&%D %M+ " ) %M+ 78 9::: &!#1I&T " *+,' %M+( 78 Q;,QP,C78 #*71 F:78 9::: 78 / %M+ 4". ' B:B:B::,9;;9;;9;;:A 4 3< %M+) ' > %L8D0 %#0 "". 3 '5 3<) G ) G ( 4 '%L8D 4 #" A #E%.( YG ' (< %M+) ( %M+ ((B:B:B:B:: B:B:B:B;:B:B:B::,9;;9;;9;;: G (( B:B:B:B9:B:B:B:BE:) ( ( " %M+ %M+ #)&5 %M+ ( < > %M+ # ( (B:B:B:B:: B:B:B:B;:(( B:B:B:B9:B:B:B:BE:

57 B:B:B:B::B:B:B:BBQ B:B:B:BEBB:B:B:B;: &#%. < %M+ ' < %M+A. "L (. 3 ((< & (YG 3 =E=G %M+& 8 3 '& M8C&+3& # %M+G C&+( A" %M+) %M+( C&+3& ' C3 + < C&+3& (< "C3&!"")%* > %M+ ( 4G A '#0D A AL ) %M+ G & K+ 9BE9 G %M+ " &")*.? < < #78 9::: '% %M+ '% & Como o DHCP funciona )%M+",) %M+& I ' I %M+) L8D4' %#0 A ' < ' % & < '< "+ < ( + %M+ %M+ '> " ) %M+ 5(

58 " %M+ Clientes suportados pelo DHCP )+" 6 *+,' %M+? A " %M+ *+,' %M+ %M+ ) %M+ C 78 < %M+K+9BE9'* 1 3'* Configurando um cliente baseado no Windows para que seja um cliente do DHCP: 78 9:::0 %M+ B& 9& '3N+ 3N E&+( 3 F+ ( # ( ;0( ( 3+ *+,' J# G' 3L8D." ' P" %M+ *+,')' C) %#0' %#0 %M+

59 Configurando o cliente para usar o DHCP. Q+)X *+,' B:=G 6 ( BB+)X3 &)X %M+ %M+ *+,' %M+ ) %M+ %M+ 78 A 78 A 78 /M 78 A 78 C 78 QP 78 Q; E9*+,'=(% A C 3#81+ A O&#C 99

60 Um recurso de nome esquisito: APIPA &'&&'& "78 QP 78 9:::78 /78 09::E'*+,' *+,' %M+)" %M+# 78 9::: 0 &'&' BHQ9;F::,9;;9;;:: '& &'& % ))4 &'& -0,; ) &'& 4 F; ( <# G %M+&" " A# &'& BHQ9;F::,9;;9;;:: ) ' T 5 Configuração automática do cliente: 0 ' > A %M+"") %M+ G ' )%M+" %M+ *+,' 0 %M+ %M+ ' 3 - BHQ9;F:: &'&A)%M+" &'&A 0 " 0 '& 5 B: " % BHQ9;F:: %M+ ) %M+ < 0 %M+ %M+ A" ' + %M+ ( YG %M+ 0 " %M+8D %M+ % %M+ B08D3 %M+ "

61 ;: <( 90 8D < %M+ < (1 A )'."" %M+ ' # &'& & 0G ( +78 9:::0 # )7'#0G!###E!T C S)%#0 S0 )7'#0 #- * #- + (:B :BG#- :B 78 Q;78 QP 78 C #- 78 )7'#0 ") #- ' + 7'#0 #- #- +G A Entendendo o que é e como funciona o WINS )78 '#0I7'#0 C 0%# ::E#*0F:A I7'#0 )7'#0 %#0& 7'#0 %#0) 7'#0 #- 4'< "7'#0 #- %#0?%# & ` a)#*0f:7'#0 " %#0 55 %#0##*0F: EBBA7'#0 " 78 &%DA

62 7'#0%#0( < T ( Q;,QP,CA 7'#0 G 7'#0 7'#0 +7'#0 " 7'#0 " #- ' 7 *+,') #- B; # BH ( )78 9:::0 #- " ( < Algumas características do WINS )7'#0 <. > #- ) 7'#0 )4' 7'#0 *+,' %M+ L" O )O ( #- ) O D ^ D E9^ ^ D 78 9:::0 "O 7'#0 %#0# O ) O A ) 7'#0K #- 0 7'#0 4' 7'# '#0 7'#0 1 7&# A& < 7'#0 T <7'#0%#07'#0 6 %#0 Como saber se ainda devo utilizar o WINS? 7'#0 "# 05 7'#0 78 7'#0# < G"7'#0 & G" "G "7'#0 & 78 9:::078 09::E 78 9::: 78 / A" %#0 # ( G7'#0

63 "%#0 0G9: " 4 5" 7'#0C #- "G3 %4 6 #- & 7'#0G * ( #-')0SO ( C C03%)078 Q;,QP78 #*E;B,F: ( #-')0)78 9::: C #-')0 #-')0 ( ( #- ( 78 Q;#- =G %#0 ( ^^ :B^ 78 < # G #- ( ^^ :B^ * " < AS& " #-')0 ( & #-')07'#03 " %#0# G 8"+ 8G #- ) 7'#0 ( 78 9:::78 09::E 78 / %#0 B; B; " 78 A 7'#0 %#0 " Clientes suportados pelo WINS: )7'# ::E 78 9::: 78 #*E; 78 Q;,QP,C EBB C03%)0+KC E C03%)0O&#C 99 + O(.#'/ 0 T < A 7'#0 " % ) ( G 78 Q;78 QP.#'/ 7'#0 " 7'#0"S# G 7'#0.#'/ '+.#'/

64 Como funciona o WINS ) 7'#0 "7'#0 '? "7'#0" #- ' 7'#0& " 7'#0 ' 7'#0 %M+A? ' 7'#0+ 7'#0 ) #- (B;.BHU 7'#0 " ( 7'#0 " ) BHU ) BHU 4M(& <( < BHU bb<cb-dk <78 #* 0F: A < <? 7'#0 ' bbcbdk A #%% BHU A " Ibb ( 7'#0 I 4##!#!(! C:\>nbtstat -a servidor Local Area Connection: Node IpAddress: [ ] Scope Id: [] NetBIOS Remote Machine Name Table Name Type Status SERVIDOR <00> UNIQUE Registered SERVIDOR <20> UNIQUE Registered GROZA <00> GROUP Registered GROZA <1C> GROUP Registered GROZA <1B> UNIQUE Registered GROZA <1E> GROUP Registered SERVIDOR <03> UNIQUE Registered GROZA <1D> UNIQUE Registered.. MSBROWSE. <01> GROUP Registered INet~Services <1C> GROUP Registered IS~SERVIDOR... <00> UNIQUE Registered ADMINISTRADOR <03> UNIQUE Registered MAC Address = CE-01-11

65 " 7'#0 4' 7'#0 *+,'." 4' 7'#0" #- 7'#0 )7'#0" #- 3333& 3. " #- 0 7'#0 7'#0 *+,' " 3." 7'#007'#0 3." " 7'#0 3 " 7'#0 7'#0 " T " 7'#0 Um pouco sobre Pacotes e sobre os protocolos de Transporte: )*+,' )*+,' " &)*+ ( = G B: C-. '." 5( B:C- & *+,' )*+,' " (4 B: 4Q# *+,' 4Q3 # *+,'6 * I YG I ( *+I* +& *+(.%" " & *+.% TCP Uma Visão Geral )* 4 <*+,'TK+JQE!* (0 ( *+ (# (

66 (.(< AG *G " &5 * * & < *+ O##(( " *+ )*+ 4(#)%("#(##E! ""(O# P#!# #(# (# <3 ) )*+ C!'!!#(!#!!# E!'!)%)*+" 4#E!#(#"!!E"##!#5! >#'!)*!EB:%#E!#'!)*#(!E" #%'!# *+ )X + *+ + "" 8':"'#!#""( E #!%#'!E*B#!#;E!"(!Q#!) A Como o TCP funciona )*+ 3 )*+ (D ) D *+ YG & *+. *+" 38D " 4 YG ( % 38D 1 ) A A " & ) ) & *+0

67 % <38D 1 Y. 1 *+ ( ) *+ ' 78 9:::0 O conceito de Portas TCP ) * :::0 EM""(##:8 :&< - *+,'( ( = " (6' ' )1( * 703*"8 %))C ' * CC&%0O (& &!" "(!#" %?(##"< (T # *%))C S& " *+,'+, < 4( * A* * 45 4? G4

68 ( G "*"8 Z9B * )(M** " 7 P:) 6P: 0 " + P: 4), ) *+ 4* 4 *+ 4 A '& # < 'A( 7A ` a ) P: 7 & *+ *+ "& 1!)% 9: 9B 9E ;E P: BEQ A 0* * G < A G(A 0 #-')0 " *+,,888,,3 UDP Uma Visão Geral ). K+JHP!. "*+ *+,'.% % ".% [ 5 % A.% ).% #%.% Y. *+ 5 Y &.% ' 78 9:::0

69 Portas UDP ).%G *+ ( " & ( ".%.% ).% 4* 4.% 4 A '& # < 'A +.%4 &.%.% "N1 1!)% ;E HQ BEJ BEP BHB ;9: + < A 0 #-')0 0#-')0 A " *+,,888,,3 Comparando UDP e TCP: L.%*+ 3 6 )*+ <).% e.% G # " A *+ ).% *+&

70 *+,'.%*+ N1 0 ([.% YG ).%.% ( 6 & 0([ *+ Y ) *+G *+ 6 *.%*+ *+,' Exemplos de utilização de portas: GG" " ( "8 '?G '( G " P: M** =G "P: A. 5 "4P:M** (& ''0I''0 7 C ` ap: ( FJ:?"P:4 A5 45 (,,888 FJ:.(33" G"* *" 8 A) * 9B"*#(

71 *+* " # ( " 9B ) C & C C 5( 5 C 7A &5( 8 C# " *#9E9J: '-C" 6 C) "(C < "? C 4'C# 9E

72 # 8 *" 9B G I '"8 * C3" " +*+,' BB & 78 9:::,/,9::E ( " 0G 6 " G ' " O comando netstat exibindo informações sobre portas: ) <78 9:::78 /78 09::E

73 ( < *+,' ( *+,' ) < *+,' & ( " < #F)I( ( +( ) # ( (I :B) O'0*#'#L ( ) 0*&-O'0M% ( (

74 #F ( < & I & ((I

75 #F#( A& ((I #F( < < 6 'A'&3 " ( < & (( I

76 #F"C ( 0"3 ( <

77 & ((I ( I I #F(4( >")%!#E=G < " (G ( < '+C " & (" < ( +V+) ( < '"3 B: #FF"!" Instalação e configuração do protocolo TCP/IP TG *+,' " C *+,' )*+,' 78 9::: 5 0 ) R78 09::E*+,' C *+,' 78 9::: 78 9:::G 3 # 5 ( *+,' G *+,' T G 78 9:::# *+,',",=G"4 '& ( 5# 5( ( & " ( `& ac ( 4" B& 9& '3N+ 3N E%G+( 3 F0( ( < +

78 ( ( ; ( (G" #5(( *+,' 78 9::: 4" *+,' B& 9# (G' E0G 0 Selecionando o tipo de componente a ser instalado. F&5 & ; ( < HC*+,')X J)*+,' G 6L ) *+,'( + )X )5( *+,'#( *+,'T G A 4' 3 %#0 7'#0%L8D +<9 4"*+,' B& 9# 3 E+ # G 'A&. 'G4' " 34'L8D4' %#0(

79 Configurando o TCP/IP manualmente. F& G *+,' &0 + '

80 Janela para cofigurações IP. ;T < ' ) 4' 4'&( ' A 3' 3 &=G 6 *+,'' ( & '=G '" & H=G 8D# 8D <*+,'" 8D&( 8D 0G4 '8D 4 0G 8D " G 8D <3 % 8D)X4 ( + ' J+%#00(

81 A guia para configuração do DNS. P# G' %#0 "&=G %#0 (T 78 " %#0& 0 ) 3 [ %#0 3 # G >#'!1"!!"2'!#% ) (%#0 ' + (:B :B?%# :B < (A ( < ( ( < () ( < ( 0(%#0 () (%#0 <0 A( ( <G(D" 78 9::: (D"0G < <( ( 78 9::: (D"(D" & < G ( >#'!"!'!1"!! ( (%#0 < <) (%#0

82 <0 A( (%#0 G(D" 78 9::: >#'!167 ( < & ( %#0) ( %#0 < ( & G ( " ( G ( (D" 78 " " (D" (D" (D" ( "&=G ( ( ( 3 K =(!#)#%#1 >%#0 ' ( <0 +A N'!1#%#(!1 " >%#0 '< < ()%#0 < (%#0 () <0 A0( K (%#0 %#0 P% 7'#00(

83 A guia para configuração do WINS. Q# G' 7'#0 "&=G 7'#0 (T 78 " 7'#0& 0 ) 3 [ 7'#0 3 # G >!EJI8 O #-')0)O #-')0 '+'OCM)0*0 O ( #-')0 #-')0 7'#0 Q;,QP#*F:A & #-')0 (( G (78 9::: ' %#0 #- *+,' " ::: 78 /78 09::E

84 ( #-')0 %M+?' #-* %M+' %M+=G %M+ 7'#0 B:% ) 0( A guia para configuração Opções. BB# G " A '00' B900''0. ' ( )X=G 6 & *+,'

85 Selecionando uma diretiva de IPSec. BE*+,' 0( # G >!E'!(&;6"7& G *+,' & *+,' *+,' ( *+,' ' *+.%=G %#0%M+ BF= ()* *+9B ( *+ *9BC A *++&0( G4%9B )X Informando o número da porta. B;=G 6*+,'*+,9B

86 A janela Filtragem de TCP/IP. BH+)X=G *+,' +)X3 BJ=G CG(*+,' RIP Routing Internet Protocol: ( & ) 78 9:::0A ( 4 Y >!"!)%#EB!(!!)% # ) ( < 1 # 1 <# (? < &": "2EE #'!()%##:: #"!" #B#! ) + " )> A " ('&"> < " >

87 ) 0G " < `a")0 & % * &"#!#R!B!#')*#!B"!!#S"#T!"#2E!) ` a ( 0 3 `a 3" + ( 4 > Como funcionam os protocolos de roteamento dinâmico )K' > A > S!R#!T:!#!##!#? 5( A & K' )0 <?? "3 ) 3 G. K'G)0 G + G K')0 & K'))0 5( RIP - Routing Information Protocol # 5GK' K' K' N!#)%= )K' " K'+ A > ) > > T > 4 ( & "

Tabela de Vinculação de pagamento Manteve o mesmo nome DDM SIAFI-TABELA-VINCULA-PAGAMENTO

Tabela de Vinculação de pagamento Manteve o mesmo nome DDM SIAFI-TABELA-VINCULA-PAGAMENTO Segue abaixo dados das DDMs que mudaram para o PCASP, tanto as que mudaram de nome como as que mantiveram o mesmo nome. Para estas, os campos que serão excluídos (em 2015) estão em vermelho e os campos

Leia mais

Ministério da Cultura Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional Departamento de Planejamento e Administração Coordenação-Geral de

Ministério da Cultura Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional Departamento de Planejamento e Administração Coordenação-Geral de Ministério da Cultura Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional Departamento de Planejamento e Administração Coordenação-Geral de Tecnologia da Informação!" !" $%& '( ) %) * +, - +./0/1/+10,++$.(2

Leia mais

Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas

Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas Introdução: Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas Prezados leitores, esta é a primeira parte, desta segunda etapa dos tutoriais de TCP/IP. As partes de 01 a 20, constituem o módulo

Leia mais

AVES DESCLASSIFICADAS CANÁRIOS DE COR

AVES DESCLASSIFICADAS CANÁRIOS DE COR CC001 852 Q FOB BB 0044 2107 06 0029 MANCHA(S) AMARELAS NA COR DE FUNDO VERMELHA CC001 6821 Q FOB FK 0289 0018 06 0030 CC001 11673 I FOB KA 0040 0078 06 0900 CC002 2286 Q FOB CE 0004 0230 06 0800 HARMONIA

Leia mais

Aula Pratica 3 Configurações de Rede Ethernet com Protocolo TCP/IP

Aula Pratica 3 Configurações de Rede Ethernet com Protocolo TCP/IP 1 Aula Pratica 3 Configurações de Rede Ethernet com Protocolo TCP/IP Objetivo: Esta aula tem como objetivo apresentar aos alunos como configurar equipamentos em redes Ethernet com os protocolos TCP/IP.

Leia mais

REGULAMENTO DAS PROVAS OFICIAIS FEDERATIVAS

REGULAMENTO DAS PROVAS OFICIAIS FEDERATIVAS REGULAMENTO DAS PROVAS OFICIAIS FEDERATIVAS ÉPOCA 2013-2014 FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE BASQUETEBOL !"#! $%&"% '! % ( )* % +, -- )*!"% % -. /0 1% 2 333-4 /0 1% 2 % -5 )*!"% 6 %%7-8 9 : 9 97 2 % ' )*!"% *9.

Leia mais

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross Redes Pablo Rodriguez de Almeida Gross Conceitos A seguir serão vistos conceitos básicos relacionados a redes de computadores. O que é uma rede? Uma rede é um conjunto de computadores interligados permitindo

Leia mais

Avaliação parte 1 Tópicos Especiais (Redes III)

Avaliação parte 1 Tópicos Especiais (Redes III) Avaliação parte 1 Tópicos Especiais (Redes III) Parte 1 Material da Cisco! "#$$$%&'()*+,-%./+!,01/)!!! "#$$$%&'()*+$2+! /,01//! " ## $ % & )3 '" ()* + $, *# %- % #. % '" ()*$/#% %% %$# # $ # '" ()$#- ##

Leia mais

Tutorial TCP/IP DHCP Configurando e Administrando Escopos

Tutorial TCP/IP DHCP Configurando e Administrando Escopos Prezados leitores, esta é a décima oitava parte, desta segunda etapa dos tutoriais de TCP/IP. As partes de 01 a 20, constituem o módulo que eu classifiquei como Introdução ao TCP/IP. O objetivo do primeiro

Leia mais

PROJETOHORTAEMCASA. Manualdo. Apoio. Realização CDHU PREFEITUR A DE SÃO PAULO VERDE E MEIO AMBIENTE. Instituto GEA

PROJETOHORTAEMCASA. Manualdo. Apoio. Realização CDHU PREFEITUR A DE SÃO PAULO VERDE E MEIO AMBIENTE. Instituto GEA M RJETHRTAEMCAA CM LANTAR E CLHER ALIMENT EM CAA 201 A Rzçã Ch Dvv Hb Ub CDHU I GEA é b REFEITUR A DE Ã AUL VERDE E MEI AMBIENTE FhTé Ebçã Tx Agô Jé Lz Ch T Nh Rh Rvã A M Dg Lz Egá j Nh Rh Rq L R Rf Tv

Leia mais

IP significa Internet Protocol. A Internet é uma rede, e assim como ocorre em qualquer tipo de rede, os seus nós (computadores, impressoras, etc.

IP significa Internet Protocol. A Internet é uma rede, e assim como ocorre em qualquer tipo de rede, os seus nós (computadores, impressoras, etc. Endereços IP Endereços IP IP significa Internet Protocol. A Internet é uma rede, e assim como ocorre em qualquer tipo de rede, os seus nós (computadores, impressoras, etc.) precisam ter endereços. Graças

Leia mais

Laboratório - Visualização das tabelas de roteamento do host

Laboratório - Visualização das tabelas de roteamento do host Laboratório - Visualização das tabelas de roteamento do host Topologia Objetivos Parte 1: Acessar a tabela de roteamento de host Parte 2: Examinar as entradas da tabela de roteamento de host IPv4 Parte

Leia mais

Aula pratica 4 Testar Conexões TCP/IP em Redes Industrias Usando os comandos Ping e Net View (1.a Parte)

Aula pratica 4 Testar Conexões TCP/IP em Redes Industrias Usando os comandos Ping e Net View (1.a Parte) 1 Aula pratica 4 Testar Conexões TCP/IP em Redes Industrias Usando os comandos Ping e Net View (1.a Parte) Objetivo: Esta aula tem como objetivo apresentar aos alunos como testar a conectividade de uma

Leia mais

Siemens AG 2009 SIRIUS SENTRON SIVACON. Catálogo LV 90 2009. Baixa Tensão Corte, protecção e comando. Answers for industry.

Siemens AG 2009 SIRIUS SENTRON SIVACON. Catálogo LV 90 2009. Baixa Tensão Corte, protecção e comando. Answers for industry. SIRIUS SENTRON SIVACON Catálogo LV 90 2009 Baixa Tensão Corte, protecção e comando Answers for industry. Interruptores de corte em carga, sistemas de barramentos SENTRON 8US Introdução Tipo 3NP 1 3K 3NJ4

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Departamento de Informática UFPE Redes de Computadores Nível de Redes - Exemplos jamel@cin.ufpe.br Nível de Rede na Internet - Datagramas IP Não orientado a conexão, roteamento melhor esforço Não confiável,

Leia mais

! "#" $ %&& ' ( )%*)&&&& "+,)-. )/00*&&& 1+,)-. )/00*&2) (5 (6 7 36 " #89 : /&*&

! # $ %&& ' ( )%*)&&&& +,)-. )/00*&&& 1+,)-. )/00*&2) (5 (6 7 36  #89 : /&*& ! "#" %&& ' )%*)&&&& "+,)-. )/00*&&& 1+,)-. )/00*&2) 3 4 5 6 7 36 " #89 : /&*& #" + " ;9" 9 E" " """

Leia mais

'!"( )*+%, ( -. ) #) 01)0) 2! ' 3.!1(,,, ".6 )) -2 7! 6)) " ) 6 #$ ))!" 6) 8 "9 :# $ ( -;!: (2. ) # )

'!( )*+%, ( -. ) #) 01)0) 2! ' 3.!1(,,, .6 )) -2 7! 6))  ) 6 #$ ))! 6) 8 9 :# $ ( -;!: (2. ) # ) !" #$%&& #% 1 !"# $%& '!"( )*+%, ( -. ) #) /)01 01)0) 2! ' 3.!1(,,, " 44425"2.6 )) -2 7! 6)) " ) 6 #$ ))!" 6) 4442$ ))2 8 "9 :# $ ( -;!: (2. ) # ) 44425"2 ))!)) 2() )! ()?"?@! A ))B " > - > )A! 2CDE)

Leia mais

IMPORTAÇÃO DO CADASTRO DE PESSOAS

IMPORTAÇÃO DO CADASTRO DE PESSOAS IMPORTAÇÃO DO CADASTRO DE PESSOAS 1. Objetivo: 1. Esta rotina permite importar para o banco de dados do ibisoft Empresa o cadastro de pessoas gerado por outro aplicativo. 2. O cadastro de pessoas pode

Leia mais

NCE/12/00311 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos

NCE/12/00311 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos NCE/12/00311 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos NCE/12/00311 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos Decisão de presentação de Pronúncia ao Relatório da Comissão

Leia mais

Máscaras de sub-rede. Fórmula

Máscaras de sub-rede. Fórmula Máscaras de sub-rede As identificações de rede e de host em um endereço IP são diferenciadas pelo uso de uma máscara de sub-rede. Cada máscara de sub-rede é um número de 32 bits que usa grupos de bits

Leia mais

AGENTE PROFISSIONAL - ANALISTA DE REDES

AGENTE PROFISSIONAL - ANALISTA DE REDES Página 1 CONHECIMENTO ESPECÍFICO 01. Suponha um usuário acessando a Internet por meio de um enlace de 256K bps. O tempo mínimo necessário para transferir um arquivo de 1M byte é da ordem de A) 4 segundos.

Leia mais

6.3.2.7 Lab - Configurando uma placa de rede para usar DHCP no Windows 7

6.3.2.7 Lab - Configurando uma placa de rede para usar DHCP no Windows 7 5.0 6.3.2.7 Lab - Configurando uma placa de rede para usar DHCP no Windows 7 Introdução Imprima e preencha este laboratório. Neste laboratório, você irá configurar uma placa de rede Ethernet para usar

Leia mais

Na Figura a seguir apresento um exemplo de uma "mini-tabela" de roteamento:

Na Figura a seguir apresento um exemplo de uma mini-tabela de roteamento: Tutorial de TCP/IP - Parte 6 - Tabelas de Roteamento Por Júlio Cesar Fabris Battisti Introdução Esta é a sexta parte do Tutorial de TCP/IP. Na Parte 1 tratei dos aspectos básicos do protocolo TCP/IP. Na

Leia mais

SEGURO FATURAMENTO AGRÍCOLA. Condições Gerais

SEGURO FATURAMENTO AGRÍCOLA. Condições Gerais SEGURO FATURAMENTO AGRÍCOLA Condições Gerais VERSÃO 1.3 CNPJ 28.196.889/0001-43 Processo SUSEP nº 15414.001668/2011-41 Condições Gerais Seguro Faturamento Agrícola versão 1.3 / Processo SUSEP nº 15414.001668/2011-41

Leia mais

AULA 7: SERVIDOR DHCP EM WINDOWS SERVER

AULA 7: SERVIDOR DHCP EM WINDOWS SERVER AULA 7: SERVIDOR DHCP EM WINDOWS SERVER Objetivo: Instalar e detalhar o funcionamento de um Servidor de DHCP (Dynamic Host Configuration Protocol) no sistema operacional Microsoft Windows 2003 Server.

Leia mais

! $&% '% "' ' '# ' %, #! - ' # ' ' * '. % % ' , '%'# /%, 0! .!1! 2 / " ') # ' + 7*' # +!!! ''+,!'#.8.!&&%, 1 92 '. # ' '!4'',!

! $&% '% ' ' '# ' %, #! - ' # ' ' * '. % % ' , '%'# /%, 0! .!1! 2 /  ') # ' + 7*' # +!!! ''+,!'#.8.!&&%, 1 92 '. # ' '!4'',! "#$%% $&% '% "' ' '# '"''%(&%') '*'+&%'# ),'#+# ' %, # - ' # ' "%'''' ' * '. % % ', '%'# ''''') /%, 0.1 2 / " ') 33*&,% *"'",% '4'5&%64'' # ' + 7*' # + "*''''' 12''&% '''&")#'35 ''+,'#.8.&&%, 1 92 '. #

Leia mais

O endereço IP (v4) é um número de 32 bits com 4 conjuntos de 8 bits (4x8=32). A estes conjuntos de 4 bits dá-se o nome de octeto.

O endereço IP (v4) é um número de 32 bits com 4 conjuntos de 8 bits (4x8=32). A estes conjuntos de 4 bits dá-se o nome de octeto. Endereçamento IP Para que uma rede funcione, é necessário que os terminais dessa rede tenham uma forma de se identificar de forma única. Da mesma forma, a interligação de várias redes só pode existir se

Leia mais

Configuração de Rede

Configuração de Rede Configuração de Rede 1. Configuração de rede no Windows: A finalidade deste laboratório é descobrir quais são as configurações da rede da estação de trabalho e como elas são usadas. Serão observados a

Leia mais

Sumário Instalando o Windows 2000 Server... 19

Sumário Instalando o Windows 2000 Server... 19 O autor... 11 Agradecimentos... 12 Apresentação... 13 Introdução... 13 Como funcionam as provas de certificação... 13 Como realizar uma prova de certificação... 13 Microsoft Certified Systems Engineer

Leia mais

O que se tem, na prática, é a utilização do protocolo TCP/IP na esmagadora maioria das redes. Sendo a sua adoção cada vez maior.

O que se tem, na prática, é a utilização do protocolo TCP/IP na esmagadora maioria das redes. Sendo a sua adoção cada vez maior. Introdução ao TCP/IP(TCP (Transmission Control Protocol) e IP(InternetProtocol) ) Objetivo Para que os computadores de uma rede possam trocar informações entre si é necessário que todos os computadores

Leia mais

Capítulo 9 - Conjunto de Protocolos TCP/IP e Endereçamento. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página

Capítulo 9 - Conjunto de Protocolos TCP/IP e Endereçamento. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página Capítulo 9 - Conjunto de Protocolos TCP/IP e Endereçamento IP 1 História e Futuro do TCP/IP O modelo de referência TCP/IP foi desenvolvido pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos (DoD). O DoD exigia

Leia mais

Aula 2 Servidor DHCP. 2.1 dhcp

Aula 2 Servidor DHCP. 2.1 dhcp Aula 2 Servidor DHCP 2.1 dhcp DHCP é abreviação de Dynamic Host Configuration Protocol Protocolo de Configuração de Host (computadores) Dinâmico.Em uma rede baseada no protocolo TCP/IP, todo computador

Leia mais

QUAL O PROCEDIMENTO PARA CONFIGURAR AS IMPRESSORAS DE REDE BROTHER EM UM SISTEMA DEC TCP / IP para VMS (UCX) Procedimento

QUAL O PROCEDIMENTO PARA CONFIGURAR AS IMPRESSORAS DE REDE BROTHER EM UM SISTEMA DEC TCP / IP para VMS (UCX) Procedimento Procedimento Visão geral Antes de usar a máquina Brother em um ambiente de rede, você precisa instalar o software da Brother e também fazer as configurações de rede TCP/IP apropriadas na própria máquina.

Leia mais

Diebold Impressoras IM423T/IM433T - Perguntas e Respostas mais Freqüentes Rev. 05 Página: 1 / 36

Diebold Impressoras IM423T/IM433T - Perguntas e Respostas mais Freqüentes Rev. 05 Página: 1 / 36 1. Instalação 3 1.1. Como instalar? 3 1.2. Qual o material disponível no site atualmente? 3 1.3. Quais itens devem estar na embalagem? 4 1.4. Quais as dimensões da impressora? 4 1.5. Qual a especificação

Leia mais

! &" #$& "% '()) '()' 4 )* * +, ' -./ )* 0' ( ' 1% +, 2 ' 3 -./ $ * + *,-. / #. 0! " 1 $ 2 3 # $ $ % & ' 4 " *.! " * 5 5+ * 6 7 # - 7 # ( $ % & '

! & #$& % '()) '()' 4 )* * +, ' -./ )* 0' ( ' 1% +, 2 ' 3 -./ $ * + *,-. / #. 0!  1 $ 2 3 # $ $ % & ' 4  *.!  * 5 5+ * 6 7 # - 7 # ( $ % & ' ! " # $ % ! &" #$& "% '()) * + *,-. / #. 0! " 1 $ 2 3 # $ $ % & ' '()' 4 " *.! " * 5 5+ * 6 7 # - 7 # ( $ % & ' 4 )* * +, ' -./ )* 0' ( ' 1% +, 2 ' 3 -./ $ 3 4 SUMÁRIO MATERIAL DE ATUAÇÃO PRÁTICA PARA

Leia mais

Arquitetura Internet (TCP/IP)

Arquitetura Internet (TCP/IP) Instituto Federal do Pará - IFPA Ricardo José Cabeça de Souza ricardo.souza@ifpa.edu.br 2010 Redes Básicas S-10 Arquitetura Internet (TCP/IP) MÁSCARA DA SUB-REDE Indica como separar o NetId do HostId,

Leia mais

Professor: Macêdo Firmino Configuração TCP/IP no Windows 7

Professor: Macêdo Firmino Configuração TCP/IP no Windows 7 Professor: Macêdo Firmino Configuração TCP/IP no Windows 7 Se você tem mais que um computador ou outros dispositivos de hardware, como impressoras, scanners ou câmeras, pode usar uma rede para compartilhar

Leia mais

TEOREMA DE CEVA E MENELAUS. Teorema 1 (Teorema de Ceva). Sejam AD, BE e CF três cevianas do triângulo ABC, conforme a figura abaixo.

TEOREMA DE CEVA E MENELAUS. Teorema 1 (Teorema de Ceva). Sejam AD, BE e CF três cevianas do triângulo ABC, conforme a figura abaixo. TEOREMA DE CEVA E MENELAUS Definição 1. A ceviana de um triângulo é qualquer segmento de reta que une um dos vértices do triângulo a um ponto pertencente à reta suporte do lado oposto a este vértice. Teorema

Leia mais

Arquitetura de Rede de Computadores

Arquitetura de Rede de Computadores TCP/IP Roteamento Arquitetura de Rede de Prof. Pedro Neto Aracaju Sergipe - 2011 Ementa da Disciplina 4. Roteamento i. Máscara de Rede ii. Sub-Redes iii. Números Binários e Máscara de Sub-Rede iv. O Roteador

Leia mais

Laboratório - Identificação de Endereços IPv6

Laboratório - Identificação de Endereços IPv6 Laboratório - Identificação de Endereços IPv6 Topologia Objetivos Parte 1: Identificar os diferentes tipos de endereços IPv6 Analisar os diferentes tipos de endereço IPv6. Corresponder o endereço IPv6

Leia mais

Capítulo 6 - Protocolos e Roteamento

Capítulo 6 - Protocolos e Roteamento Capítulo 6 - Protocolos e Roteamento Prof. Othon Marcelo Nunes Batista Mestre em Informática 1 de 53 Roteiro (1 / 2) O Que São Protocolos? O TCP/IP Protocolos de Aplicação Protocolos de Transporte Protocolos

Leia mais

COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) OUTUBRO/2010

COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) OUTUBRO/2010 PROCEDIMENTOS DE CONFIGURAÇÃO DO AD, DNS E DHCP COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) OUTUBRO/2010 Rua do Rouxinol, N 115 / Salvador Bahia CEP: 41.720-052 Telefone: (71) 3186-0001. Email: cotec@ifbaiano.edu.br

Leia mais

1 ENDEREÇAMENTO IP. 1.1 Quem gerencia a numeração IP no mundo?

1 ENDEREÇAMENTO IP. 1.1 Quem gerencia a numeração IP no mundo? ENDEREÇAMENTO IP Cada máquina na Internet possui um ou mais endereços de rede que são únicos, ou seja, não podem haver dois endereços iguais. Este endereço é chamado de número Internet, Endereço IP ou

Leia mais

3) Na configuração de rede, além do endereço IP, é necessário fornecer também uma máscara de subrede válida, conforme o exemplo:

3) Na configuração de rede, além do endereço IP, é necessário fornecer também uma máscara de subrede válida, conforme o exemplo: DIRETORIA ACADÊMICA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA COORDENAÇÃO DOS CURSOS DA ÁREA DE INFORMÁTICA! Atividade em sala de aula. 1) A respeito de redes de computadores, protocolos TCP/IP e considerando uma rede

Leia mais

O Protocolo IP (2) Prof. José Gonçalves Pereira Filho Departamento de Informática zegonc@inf.ufes.br

O Protocolo IP (2) Prof. José Gonçalves Pereira Filho Departamento de Informática zegonc@inf.ufes.br O Protocolo IP (2) Prof. José Gonçalves Pereira Filho Departamento de Informática zegonc@inf.ufes.br O IP e a Máscara de Sub-Rede O IP se baseia em duas estruturas para efetuar o roteamento de datagramas:

Leia mais

CEASA CAMPINAS Centrais de Abastecimento de Campinas S.A.

CEASA CAMPINAS Centrais de Abastecimento de Campinas S.A. 5 /0 46 /0 /7 0 0 /0 81 9:/ //1" ;/4/9=//9/ 5?"*1 5?" 5@4//A/817:/0 B #C/ 0 46 /0 /7 0 0 /0 81 9:/ //1" ;/ 4 / 9< 0 1 =// 10/)81:/61B /9 / D +, &)&& 14 D +, %---)''$/0>1 E B #C/ : 7 @4/

Leia mais

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF REDES ESAF 01 - (ESAF - Auditor-Fiscal da Previdência Social - AFPS - 2002) Um protocolo é um conjunto de regras e convenções precisamente definidas que possibilitam a comunicação através de uma rede.

Leia mais

A Baixela Germain ao serviço da Corte no Reinado de D. Maria I *

A Baixela Germain ao serviço da Corte no Reinado de D. Maria I * A Baixela Germain ao serviço da Corte no Reinado de D. Maria I *!!"# $ % &'( )*+,&' & - '%%) - ' -%&'. % / # $* % 0 123 4 / % 56 &' -5%7%&'5 % 8 5 % 9 - %,&') &' -'- : & ) %&*% ; < = >&()*+,&'?'- 4&@0;07

Leia mais

Disciplina Fundamentos de Redes. Introdução ao Endereço IP. Professor Airton Ribeiro de Sousa Outubro de 2014

Disciplina Fundamentos de Redes. Introdução ao Endereço IP. Professor Airton Ribeiro de Sousa Outubro de 2014 Disciplina Fundamentos de Redes Introdução ao Endereço IP 1 Professor Airton Ribeiro de Sousa Outubro de 2014 PROTOCOLO TCP - ARQUITETURA Inicialmente para abordamos o tema Endereço IP, é necessário abordar

Leia mais

Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus: Campo Mourão

Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus: Campo Mourão Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus: Campo Mourão Professor Rafael Henrique Dalegrave Zottesso E-mail rafaelzottesso@utfpr.edu.br Site http://www.zottesso.com/disciplinas/rc24b0/ Disciplina

Leia mais

Endereço Físico (cont.)

Endereço Físico (cont.) O Protocolo ARP Endereço Físico Cada interface de rede (NIC network interface card) vem com um identificador único de fábrica. Este identificador é o endereço físico ou endereço de hardware da interface.

Leia mais

Endereçamento IP, Sub-redes e Roteamento

Endereçamento IP, Sub-redes e Roteamento Segurança em Redes Prof. Rafael R. Obelheiro Semestre: 2009.1 Endereçamento IP, Sub-redes e Roteamento Endereçamento IP Endereços IP possuem 32 bits, o que possibilita 2 32 = 4.294.967.296 endereços Na

Leia mais

FUNDAÇÃO DE ESTUDOS SOCIAIS DO PARANÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DO PARANÁ CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DNS (DOMAIN NAME SYSTEM)

FUNDAÇÃO DE ESTUDOS SOCIAIS DO PARANÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DO PARANÁ CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DNS (DOMAIN NAME SYSTEM) FUNDAÇÃO DE ESTUDOS SOCIAIS DO PARANÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DO PARANÁ CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DNS (DOMAIN NAME SYSTEM) CURITIBA 2006 GUILHERME DE SOUZA JEAN THIAGO MASCHIO

Leia mais

DHCP. Definindo DHCP: Fundamentação teórica do DHCP. Esquema visual

DHCP. Definindo DHCP: Fundamentação teórica do DHCP. Esquema visual Definindo DHCP: DHCP O DHCP é a abreviatura de Dynamic Host Configuration Protocol é um serviço utilizado para automatizar as configurações do protocolo TCP/IP nos dispositivos de rede (computadores, impressoras,

Leia mais

Sobre a obra: Sobre nós:

Sobre a obra: Sobre nós: Sobre a obra: A presente obra é disponibilizada pela equipe do ebook espírita com o objetivo de oferecer conteúdo para uso parcial em pesquisas e estudos, bem como o simples teste da qualidade da obra,

Leia mais

Diretor Executivo Márcio Augusto Magalhães. Diretor Departamento de Administração Márcio Wamilton Magalhães. Diretor de Operações Adriano de Magalhães

Diretor Executivo Márcio Augusto Magalhães. Diretor Departamento de Administração Márcio Wamilton Magalhães. Diretor de Operações Adriano de Magalhães Diretor Executivo Márcio Augusto Magalhães Diretor Departamento de Administração Márcio Wamilton Magalhães Diretor de Operações Adriano de Magalhães Manual de Abastecimento de Água pág. 2 !"!#$$ %"&'()*%+,%-%+,%./&01

Leia mais

Câmara dos Deputados Praça 3 Poderes Consultoria Legislativa Anexo III - Térreo Brasília - DF

Câmara dos Deputados Praça 3 Poderes Consultoria Legislativa Anexo III - Térreo Brasília - DF Henrique Leonardo Medeiros Consultor Legislativo da Área II Direito Civil e Processual Civil, Direito Penal e Processual Penal, de Família, do Autor, de Sucessões, Internacional Privado Câmara dos Deputados

Leia mais

Escrito por Daniel Donda Ter, 04 de Novembro de 2008 18:34 - Última atualização Sáb, 03 de Julho de 2010 22:53

Escrito por Daniel Donda Ter, 04 de Novembro de 2008 18:34 - Última atualização Sáb, 03 de Julho de 2010 22:53 Já discutimos nos artigos anteriores como instalar o Windows Server 2008 e configurar o Active Directory e o DNS (básico). Agora iremos ver os passos para instalar o serviço DHCP (Dynamic Host Configuration

Leia mais

GUIA DE CONFIGURAÇÃO SERVIDOR DHCP

GUIA DE CONFIGURAÇÃO SERVIDOR DHCP GUIA DE CONFIGURAÇÃO SERVIDOR DHCP GUIA DE CONFIGURAÇÃO SERVIDOR DHCP Servidor DHCP O Serviço de DHCP (Dynamic Host Configuration Protocol) permite que você controle a configuração e distribuição de endereços

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO CONVERSOR - IP / USB / SERIAL - 317 RV1

MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO CONVERSOR - IP / USB / SERIAL - 317 RV1 MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO CONVERSOR - IP / USB / SERIAL - 317 RV1 SÃO CAETANO DO SUL 06/06/2014 SUMÁRIO Descrição do Produto... 3 Características... 3 Configuração USB... 4 Configuração... 5 Página

Leia mais

DNS DOMAIN NAME SYSTEM

DNS DOMAIN NAME SYSTEM FRANCISCO TESIFOM MUNHOZ 2007 Índice 1 DNS DOMAIN NAME SYSTEM 3 2 PROXY SERVER 6 3 DHCP DYNAMIC HOST CONFIGURATION PROTOCOL 7 4 FIREWALL 8 4.1 INTRODUÇÃO 8 4.2 O QUE É FIREWALL 9 4.3 RAZÕES PARA UTILIZAR

Leia mais

Redes de Computadores II. Professor Airton Ribeiro de Sousa

Redes de Computadores II. Professor Airton Ribeiro de Sousa Redes de Computadores II Professor Airton Ribeiro de Sousa 1 PROTOCOLO IP IPv4 - Endereçamento 2 PROTOCOLO IP IPv4 - Endereçamento A quantidade de endereços possíveis pode ser calculada de forma simples.

Leia mais

Alan Menk Santos. Redes de Computadores e Telecomunicações. Camada de Rede 21/05/2013. alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.

Alan Menk Santos. Redes de Computadores e Telecomunicações. Camada de Rede 21/05/2013. alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com. Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk Redes de Computadores e Telecomunicações. Camada de Rede Modelo de Referência OSI 1 Camada de Rede: O que veremos. Entender os princípios

Leia mais

Resolução de Problemas de Rede. Disciplina: Suporte Remoto Prof. Etelvira Leite

Resolução de Problemas de Rede. Disciplina: Suporte Remoto Prof. Etelvira Leite Resolução de Problemas de Rede Disciplina: Suporte Remoto Prof. Etelvira Leite Ferramentas para manter o desempenho do sistema Desfragmentador de disco: Consolida arquivos e pastas fragmentados Aumenta

Leia mais

Prof. Luís Rodolfo. Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO

Prof. Luís Rodolfo. Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO Redes de computadores e telecomunicação Objetivos da Unidade III Apresentar as camadas de Transporte (Nível 4) e Rede (Nível 3) do

Leia mais

3 Geometria analítica no plano

3 Geometria analítica no plano Geometria analítica no plano.. Referencial ortonormado. Distâncias no plano Atividade de diagnóstico Pág... A(, ), B(, ), C(, ), D(, ), E(, ), F(, ), G(, ).. Não pertencem a qualquer quadrante os pontos

Leia mais

A Camada de Rede. Romildo Martins Bezerra CEFET/BA Redes de Computadores II

A Camada de Rede. Romildo Martins Bezerra CEFET/BA Redes de Computadores II A Camada de Rede Romildo Martins Bezerra CEFET/BA Redes de Computadores II A Camada de Rede e o protocolo IP... 2 O protocolo IP... 2 Formato do IP... 3 Endereçamento IP... 3 Endereçamento com Classes

Leia mais

A camada de rede. A camada de rede. A camada de rede. 4.1 Introdução. 4.2 O que há dentro de um roteador

A camada de rede. A camada de rede. A camada de rede. 4.1 Introdução. 4.2 O que há dentro de um roteador Redes de computadores e a Internet Capitulo Capítulo A camada de rede.1 Introdução.2 O que há dentro de um roteador.3 IP: Protocolo da Internet Endereçamento IPv. Roteamento.5 Roteamento na Internet (Algoritmos

Leia mais

Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas

Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas Conhecer os modelo OSI, e TCP/IP de cinco camadas. É importante ter um padrão para a interoperabilidade entre os sistemas para não ficarmos

Leia mais

Antes da popularização da Internet existiam diferentes protocolos sendo utilizados nas redes das empresas. Os mais utilizados eram os seguintes:

Antes da popularização da Internet existiam diferentes protocolos sendo utilizados nas redes das empresas. Os mais utilizados eram os seguintes: Introdução ao TCP/IP Esta é a primeira parte de um total de 100 partes, deste tutorial de TCP/IP. Este curso de Introdução ao TCP/IP é formado pelas partes de 01 a 20. O objetivo da Parte 1 é apresentar

Leia mais

1 TCI/IP... 3 1.1 MODELO TCP/IP... 3 1.1.1 Camada de Aplicação... 4

1 TCI/IP... 3 1.1 MODELO TCP/IP... 3 1.1.1 Camada de Aplicação... 4 TCP/IP Brito INDICE 1 TCI/IP... 3 1.1 MODELO TCP/IP... 3 1.1.1 Camada de Aplicação... 4 1.1.1.1 Camada de Transporte... 4 1.1.1.2 TCP (Transmission Control Protocol)... 4 1.1.1.3 UDP (User Datagram Protocol)...

Leia mais

Aula prática. Objetivo IPCONFIG. Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br. Informa a configuração atual de rede da máquina;

Aula prática. Objetivo IPCONFIG. Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br. Informa a configuração atual de rede da máquina; Aula prática Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br Objetivo Nesta aula, você aprenderá a utilizar alguns utilitários de rede que podem ajudá-lo a identificar problemas na rede. No windows existem

Leia mais

Guia de Instalação SIAM. Internet Information Services - IIS 5.1 no Windows XP Pro

Guia de Instalação SIAM. Internet Information Services - IIS 5.1 no Windows XP Pro Guia de Instalação SIAM Internet Information Services - IIS 5.1 no Windows XP Pro Documento Gerado por: Amir Bavar Criado em: 06/04/2007 Última modificação: 26/09/2008 Índice: 1. Introdução 2. Lista de

Leia mais

Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO

Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO Curso Profissional de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos MÓDULO VIII Serviços de Redes Duração: 20 tempos Conteúdos (1) 2 Caraterizar, instalar

Leia mais

ENDEREÇAMENTO DE REDES

ENDEREÇAMENTO DE REDES REDES DE COMUNICAÇÃO DE DADOS ENDEREÇAMENTO DE REDES INTERCONEXÃO ENDEREÇAMENTO DE REDES MÁSCARAS DE SUB-REDES Endereço IP: Os endereços IP identificam cada micro na rede. A regra básica é que cada micro

Leia mais

** Distance Vector - Trabalha com a métrica de Salto(HOP),. O protocolo que implementa o Distance Vector é o RIP.!

** Distance Vector - Trabalha com a métrica de Salto(HOP),. O protocolo que implementa o Distance Vector é o RIP.! Laboratório wireshark Número de sequencia: syn syn ack ack Cisco Packet Tracer Roteador trabalha em dois modos de operação: - Modo Normal - símbolo > - Modo Root - símbolo # ##################################################################

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Roteamento IP Redes de Computadores Objetivo Conhecer o modelo de roteamento da arquitetura TCP/IP Entender os conceitos básicos de algoritmo, métrica, tabela e protocolos de roteamento

Leia mais

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS INTERNET PROTOCOLOS 1 INTERNET Rede mundial de computadores. Também conhecida por Nuvem ou Teia. Uma rede que permite a comunicação de redes distintas entre os computadores conectados. Rede WAN Sistema

Leia mais

Modulo 3. Professor: Leandro Engler Boçon E-mail: leandro@facear.edu.br Disciplina: Comunicação de dados

Modulo 3. Professor: Leandro Engler Boçon E-mail: leandro@facear.edu.br Disciplina: Comunicação de dados Modulo 3 Professor: Leandro Engler Boçon E-mail: leandro@facear.edu.br Disciplina: Comunicação de dados 1 Protocolo ARP Address Resolution Protocol 2 IP utiliza endereços de 32 bits para localização de

Leia mais

! " ! % #! $% & % '() *$! +, ) *$-.) +,) */ 0 *$+1).-+,) */2.+%3 4 5 ) ' & -))) 6 *$ 7 5 8*$

!  ! % #! $% & % '() *$! +, ) *$-.) +,) */ 0 *$+1).-+,) */2.+%3 4 5 ) ' & -))) 6 *$ 7 5 8*$ xfghdfgh!" # ! " $$! % #! $% & % '() *$! +, ) *$-.) +,) */ 0 *$+1).-+,) */2.+%3 4 5 ) ' & -))) 6 *$ 7 5 8*$ &! '! -! 95,()!! +)- *$ - :! ' ')!0 ') );!4 ' -! ',*$!7 < )) 6 +=!>? @ ) *$!)2 3 ) - :! -), "

Leia mais

-!"%!%"/$#/"1%+,# *$#/"1% +,#4"*5+-!"# $*/"1% +,#!+$/$*-3/"!+9+3/!*- : 0%;#$*+ <#"./&8*- =!%0#-*.9#("/ &/4"*5+-!"# $*0#!* *5+-!"#$*!/06**5.*!

-!%!%/$#/1%+,# *$#/1% +,#4*5+-!# $*/1% +,#!+$/$*-3/!+9+3/!*- : 0%;#$*+ <#./&8*- =!%0#-*.9#(/ &/4*5+-!# $*0#!* *5+-!#$*!/06**5.*! 1 "#$%&'# ()*+,#-$#./ %/0 -"%%"/$#/"1%+,# #.3#-+&'#$#/"1% +,# #*$*-*",++"#$%# *5+-"#$*$*/06* (-*",/&8*- *$#/"1% +,#4"*5+-"# $*/"1% +,# *5+-"#$*/"1% +,# *",++"#$%# #("/ &/ *-9"+&'#$#3"#9*--# ()*+,#

Leia mais

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Redes de Computadores II

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Redes de Computadores II Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Redes de Computadores II Na aula de hoje iremos conhecermos e relembrarmos duas ferramentas do Windows, chamadas de ipconfig e nslookup. Além disso, iremos discutirmos

Leia mais

Arquitetura de Rede de Computadores

Arquitetura de Rede de Computadores Arquitetura de Rede de Prof. Pedro Neto Aracaju Sergipe - 2011 Ementa da Disciplina 2. TCP/IP i. Fundamentos ii. Camada de Aplicação iii. Camada de Transporte iv. Camada de Internet v. Camada de Interface

Leia mais

PROJETO INTERDISCIPLINAR I

PROJETO INTERDISCIPLINAR I PROJETO INTERDISCIPLINAR I Linux e LPI www.lpi.org João Bosco Teixeira Junior boscojr@gmail.com Certificação LPIC-1 Prova 102 105 Shell, Scripting, e Gerenciamento de Dados 106 Interface com usuário e

Leia mais

Assumiu em 2002 um novo desafio profissional como empreendedor e Presidente do Teleco.

Assumiu em 2002 um novo desafio profissional como empreendedor e Presidente do Teleco. O que é IP O objetivo deste tutorial é fazer com que você conheça os conceitos básicos sobre IP, sendo abordados tópicos como endereço IP, rede IP, roteador e TCP/IP. Eduardo Tude Engenheiro de Teleco

Leia mais

CURSO TÉCNICO DE ELETRÔNICA ELETRÔNICA IV - REDES 4 MÓDULO

CURSO TÉCNICO DE ELETRÔNICA ELETRÔNICA IV - REDES 4 MÓDULO CURSO TÉCNICO DE ELETRÔNICA ELETRÔNICA IV - REDES 4 MÓDULO 2011 SUMÁRIO 1 PROTOCOLOS (CONTINUAÇÃO) ÇÃO)... 1 1.1 O que é DHCP...1 1.1.1 Funcionamento do DHCP...2 1.1.2 Breve histórico do DHCP...3 1.1.3

Leia mais

! &! $ '()*+,-./01234435 #78!99

! &! $ '()*+,-./01234435 #78!99 1 ! ""#$ %! &! $ '()*+,-./01234435 634432 #78!99 #:;&9 2 !" # " $!" %" # $ &'()*+(,$$#% -.*/0(1)2)3425 3 Marcelo O. Coutinho de Lima 4 )*+, 9 82 "! 9!2 $ $ $?$@; *7 A> =" " ); B$" 9 $

Leia mais

Redes de Computadores. Mauro Henrique Mulati

Redes de Computadores. Mauro Henrique Mulati Redes de Computadores Mauro Henrique Mulati Roteiro Sub-redes NAT CIDR Protocolos de controle Sub-redes Todos os hosts de uma rede devem ter o mesmo número de rede Ex.: Universidade pega endereço de classe

Leia mais

TCP é um protocolo de TRANSMISSÃO, responsável pela confiabilidade da entrega da informação.

TCP é um protocolo de TRANSMISSÃO, responsável pela confiabilidade da entrega da informação. Protocolo TCP/IP PROTOCOLO é um padrão que especifica o formato de dados e as regras a serem seguidas para uma comunicação a língua comum a ser utilizada na comunicação. TCP é um protocolo de TRANSMISSÃO,

Leia mais

Capítulo 5 Noções sobre TCP/IP

Capítulo 5 Noções sobre TCP/IP Capítulo 5 Noções sobre TCP/IP Endereços IP Arquitetura TCP/IP DHCP Redes classe A, B e C Protocolos TCP/IP Estudos complementares 3 Estudos complementares Consulte os capítulos 5 e 12 do livro: Capítulo

Leia mais

6 PLANEJAMENTO DE SI 6.1 Planejamento de Segurança da Informação O planejamento em S.I é algo crucial para que haja o bom funcionamento de uma

6 PLANEJAMENTO DE SI 6.1 Planejamento de Segurança da Informação O planejamento em S.I é algo crucial para que haja o bom funcionamento de uma 6 PLANEJAMENTO DE SI 6.1 Planejamento de Segurança da Informação O planejamento em S.I é algo crucial para que haja o bom funcionamento de uma empresa. Diferente do senso comum o planejamento não se limita

Leia mais

Fernando Albuquerque - fernando@cic.unb.br ADMINISTRAÇÃO TCP/IP. Fernando Albuquerque 061-2733589 fernando@cic.unb.br

Fernando Albuquerque - fernando@cic.unb.br ADMINISTRAÇÃO TCP/IP. Fernando Albuquerque 061-2733589 fernando@cic.unb.br ADMINISTRAÇÃO TCP/IP Fernando Albuquerque 061-2733589 fernando@cic.unb.br Protocolos TCP/IP - Tópicos Introdução IP Endereçamento Roteamento UDP, TCP Telnet, FTP Correio DNS Web Firewalls Protocolos TCP/IP

Leia mais

Roteiro 4: Replicação/Active Directory DHCP e Wins

Roteiro 4: Replicação/Active Directory DHCP e Wins Roteiro 4: Replicação/Active Directory DHCP e Wins Objetivos: Explorar as configurações para replicação de domínios com Active Directory; Configurar os serviços DHCP e WINS em servidores Windows; Ferramentas

Leia mais

WinGate - Passo a passo

WinGate - Passo a passo WinGate - Passo a passo Configurando os Computadores de sua rede Nesta etapa, mostraremos como preparar os computadores de sua rede para a instalação do WinGate. 1ª Parte É necessário que os computadores

Leia mais

!"!#""" MESTRADO EM TEOLOGIA. Área de Concentração: Religião e Educação ()*+,-#""./

!!# MESTRADO EM TEOLOGIA. Área de Concentração: Religião e Educação ()*+,-#./ !"!#""" $%&&' MESTRADO EM TEOLOGIA Área de Concentração: Religião e Educação ()*+,-#""./ 0!"!#""" 1223445, 26,),7)2 8 9:;28 87767 26,;2

Leia mais

Manual B.P.S ATA 5xxx Índice

Manual B.P.S ATA 5xxx Índice Manual B.P.S ATA 5xxx Índice 1. Conectando o Adaptador para Telefone Analógico (ATA)...02 2. Configurações básicas...05 2.1 Configuração dos parâmetros de usuário e senha para acessos de banda larga do

Leia mais

Protocolo TCP/IP. Neste caso cada computador da rede precisa de, pelo menos, dois parâmetros configurados:

Protocolo TCP/IP. Neste caso cada computador da rede precisa de, pelo menos, dois parâmetros configurados: Protocolo TCP/IP Neste caso cada computador da rede precisa de, pelo menos, dois parâmetros configurados: Número IP Máscara de sub-rede O Número IP é um número no seguinte formato: x.y.z.w Não podem existir

Leia mais

9A5&*86365 A 2A 5&*86"649A5458"

9A5&*86365 A 2A 5&*86649A5458 12345675689ABCD6756533ADCE9A56D5EF9A56 5 EAD5EF9A56 86 A C938 6 56C C9AC 4A56 B 54A861C7A5B5 C E9861953A CA9867C6 C3 2A3536 3A453!"6#2C3E$C36BC95A3638 9C65 EA6D5EF9A5 %"6 8 7A&$C367C6'5()598 6C656 A8 5&*867C6

Leia mais

Winco VPN - SSL Manual do Usuário

Winco VPN - SSL Manual do Usuário Winco VPN - SSL Manual do Usuário 1 1. Introdução...3 1.1. Características Técnicas...3 1.2. Vantagens da Winco VPN - SSL...4 2. Requisitos de Instalação...5 2.1. Sistemas Operacionais com suporte...5

Leia mais