Análise Forense em Redes de Computadores. Ricardo Kléber Clavis Segurança da Informação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Análise Forense em Redes de Computadores. Ricardo Kléber Clavis Segurança da Informação ricardo@clavis.com.br"

Transcrição

1 Análise Forense em Redes de Computadores Ricardo Kléber Clavis Segurança da Informação

2 Quem sou eu? Ricardo Kléber Professor do IFRN (Segurança de Redes) Instrutor da Academia Clavis Professor de pós-graduações na área (UniRN / UnP / Uninorte / Estácio-RR) Bacharel em Ciências da Computação Mestre em Engenharia Elétrica Doutorando em Computação Certified Ethical Hacker (Ec-Council CEH) Computer Hacking Forensic Investigator (Ec-Council CHFI) Palestrante na área de Segurança da Informação Seginfo / Campus Party / SSI / Iccyber / SBSeg / GTS-Nic.BR DISI-RNP / Forum CSIRTs / Hack'nRio / Silver Bullet

3 Webinars Clavis sobre o tema Curso presencial e/ou EaD na Academia Clavis Veja agenda em Livro Introdução a Edições #02 e #10 Primeiro livro em português específico sobre o tema

4 Contextualizando... Grampos Telefônicos x Grampos Telemáticos

5 Contextualizando... Grampos Telefônicos x Grampos Telemáticos

6 Contextualizando... Escuta telemática autorizada realizada por agente da lei ou perícia credenciada Lei 9.296/96 normatiza interceptação do fluxo de comunicações em sistemas de informática e telemática = Grampo em linhas de transmissão de dados com acesso a dados e informações. Importante: Ambos (sem autorização) são crimes

7 Contextualizando... Aiko / Guardião / Sombra / SiS A Polícia está (relativamente) bem equipada...

8 Contextualizando... StingRay Também conhecido como: Triggerfish, IMSI Catcher; Cell-site Simulator e Digital Analyzer Sistema portátil que simula torres falsas de celular para capturar dados de celulares em uma região. Fabricação Alemã (Harris Corporation) mas vendido nos EUA (somente para agências de segurança) Existem (outras) soluções ( grampos móveis p.ex.)

9 Análise Física Tecnicamente falando... Nenhuma corrente é mais forte que seu elo mais fraco

10 Análise Física Tecnicamente falando... Nenhuma corrente é mais forte que seu elo mais fraco

11 Análise Física Tecnicamente falando... Nenhuma corrente é mais forte que seu elo mais fraco

12 Análise Lógica Tecnicamente falando... Interceptação de pacotes em redes TCP/IP, identificação de origem, destino, protocolos/serviços, remontagem de mensagens e análise de conteúdo. Limitação: ausência de criptografia (ou criptografia fraca )

13 Por onde começar... Problema clássico Protocolos sem Criptografia = Conceitualmente Vulneráveis c

14 Protocolos sem Criptografia = Conceitualmente Vulneráveis Conexão Remota = Protocolo Telnet

15 Protocolos sem Criptografia = Conceitualmente Vulneráveis Conexão Remota = Protocolo Telnet Grampear com o sniffer tcpdump: # tcpdump -X -vvv -n -i eth0 -s0 port 23 -w telnet.pcap Não truncar os pacotes Porta padrão do protocolo Nome do arquivo destino Abrir arquivo no analisador de pacotes Wireshark: # wireshark telnet.pcap

16 Protocolos sem Criptografia = Conceitualmente Vulneráveis Conexão Remota = Protocolo Telnet

17 Protocolos sem Criptografia = Conceitualmente Vulneráveis Transferência de Arquivos = Protocolo FTP

18 Protocolos sem Criptografia = Conceitualmente Vulneráveis Transferência de Arquivos = Protocolo FTP Grampear com o sniffer tcpdump: # tcpdump -X -vvv -n -i eth0 -s0 port 21 -w ftp.pcap Não truncar os pacotes Porta padrão do protocolo Nome do arquivo destino Abrir arquivo no analisador de pacotes Wireshark: # wireshark ftp.pcap Para capturar dados FTP também, substituir port 21 por port ftp or ftp-data

19 Protocolos sem Criptografia = Conceitualmente Vulneráveis Transferência de Arquivos = Protocolo FTP

20 Protocolos sem Criptografia = Conceitualmente Vulneráveis VoIP (Voz sobre IP) = Protocolos RTP / SIP

21 Protocolos sem Criptografia = Conceitualmente Vulneráveis VoIP (Voz sobre IP) = Protocolos RTP / SIP Grampear com o sniffer tcpdump (sinalização SIP): # tcpdump -X -vvv -n -i eth0 -s0 udp port w sip.pcap Grampear com o sniffer tcpdump (tráfegos RTP): # tcpdump -X -vvv -n -i eth0 -s0 -T rtp -w rtp.pcap Abrir arquivo no analisador de pacotes Wireshark: # wireshark rtp.pcap

22 Protocolos sem Criptografia = Conceitualmente Vulneráveis VoIP (Voz sobre IP) = Protocolos RTP / SIP

23 Protocolos sem Criptografia = Conceitualmente Vulneráveis Envio de s = Protocolo SMTP

24 Protocolos sem Criptografia = Conceitualmente Vulneráveis Envio de s = Protocolo SMTP Grampear com o sniffer tcpdump: # tcpdump -X -vvv -n -i eth0 -s0 port 25 -w smtp.pcap Não truncar os pacotes Porta padrão do protocolo Nome do arquivo destino Abrir arquivo no analisador de pacotes Wireshark: # wireshark smtp.pcap

25 Protocolos sem Criptografia = Conceitualmente Vulneráveis Envio de s = Protocolo SMTP

26 Protocolos sem Criptografia = Conceitualmente Vulneráveis Recebimento de s = Protocolo POP3

27 Protocolos sem Criptografia = Conceitualmente Vulneráveis Recebimento de s = Protocolo POP3 Grampear com o sniffer tcpdump: # tcpdump -X -vvv -n -i eth0 -s0 port 110 -w pop3.pcap Não truncar os pacotes Porta padrão do protocolo Nome do arquivo destino Abrir arquivo no analisador de pacotes Wireshark: # wireshark pop3.pcap

28 Protocolos sem Criptografia = Conceitualmente Vulneráveis Recebimento de s = Protocolo POP3

29 Protocolos sem Criptografia = Conceitualmente Vulneráveis Recebimento de s = Protocolo IMAP

30 Protocolos sem Criptografia = Conceitualmente Vulneráveis Recebimento de s = Protocolo IMAP Grampear com o sniffer tcpdump: # tcpdump -X -vvv -n -i eth0 -s0 port 143 -w imap.pcap Não truncar os pacotes Porta padrão do protocolo Nome do arquivo destino Abrir arquivo no analisador de pacotes Wireshark: # wireshark imap.pcap

31 Protocolos sem Criptografia = Conceitualmente Vulneráveis Recebimento de s = Protocolo IMAP

32 Protocolos sem Criptografia = Conceitualmente Vulneráveis Servidores de Correio Eletrônico ( s) que utilizam Servidor Web (HTTP) mascara o uso de protocolos de envio/recebimento convencionais Mas o HTTP? É seguro?

33 Protocolos sem Criptografia = Conceitualmente Vulneráveis Webmails (utilizando protocolo HTTP) Grampear com o sniffer tcpdump: # tcpdump -X -vvv -n -i eth0 -s0 port 80 Não truncar os pacotes Porta padrão do protocolo Nome do arquivo destino Abrir arquivo no analisador de pacotes Wireshark: # wireshark http.pcap -w http.pcap

34 Protocolos sem Criptografia = Conceitualmente Vulneráveis Webmails (utilizando protocolo HTTP)

35 Protocolos sem Criptografia = Conceitualmente Vulneráveis Webmails (utilizando protocolo HTTP) Servidores Webmail que utilizam HTTPS somente na autenticação (login/senha)......permitem o acesso ao conteúdo das mensagens vulneráveis a grampos no protocolo HTTP Desde 08/01/2014 Desde 12/01/2010

36 Como grampear protocolos protegidos por criptografia? Como grampear protocolos protegidos por criptografia?

37 Como grampear protocolos protegidos por criptografia? Como grampear protocolos protegidos por criptografia? Aprendendo com os atacantes!!??

38 Como grampear protocolos protegidos por criptografia? Pharming Scam A alteração do arquivo hosts de estações/ clientes também é um tipo de Pharming

39 Como grampear protocolos protegidos por criptografia? Man-in-the-Middle ( homem no meio )

40 Como grampear protocolos protegidos por criptografia? Moxie Marlinspike BlackHat 2009

41 O assunto da semana... Pra terminar...

42 Heartbleed Importante!!! NÃO é um Vírus!!! NÃO é um tipo de grampo!!! NÃO é uma falha no SSL!!!

43 Heartbleed Por que não é grampo? Ataque contra o Servidor

44 Heartbleed É uma vulnerabilidade!!!

45 Heartbleed CVE Bug crítico da blblioteca OpenSSL Extensão Hertbeat (RFC6520) Descoberto pela Codenomicon (07/04) Riku, Antti e Matti Extensão Hertbeat foi adicionada ao TLS em 2012 Buffer Overflow Versão do OpenSSL corrigida a partir da 1.0.1g Correção = responsabilidade do servidor (não do cliente) Mesmo que use serviços em sites não vulneráveis... altamente recomendado trocar senhas!!!

46 Heartbleed didaticamente

47 Heartbleed didaticamente

48 Heartbleed didaticamente

49 Heartbleed CVE O que há de novo? (o que aconteceu nas últimas 24 horas?) Pacemaker Chromebleed / Foxbleed Heartbleed CLIENT Exploit https://github.com/lekensteyn/pacemaker Extensões Chrome / Firefox (verifica se o site visitado é vulnerável) Módulo Metasploit específico Regras Snort para detecção de sondagens Honeypots Hearthbleed (falso-positivos propositais a consultas)

50 Como atuar na área? Treinamento e Certificação!!!

51 Como atuar na área?

52 O mercado procura especialistas A busca por segurança fez surgir um novo profissional, especializado no rastreamento de crimes e na identificação de seus autores, conhecido como perito digital ou perito forense computacional Jornal Hoje em Dia (10/04/2014)

53 Para saber mais... Palestras: Vídeos: Twitter:

54 Análise Forense em Redes de Computadores Ricardo Kléber Clavis Segurança da Informação

Grampos Digitais Você confia na Rede?

Grampos Digitais Você confia na Rede? Grampos Digitais Você confia na Rede? Ricardo Kléber Martins Galvão www.ricardokleber.com ricardokleber@ricardokleber.com CampusParty 28deJaneirode2014 Grampos Digitais Contextualizando... Contexto ::

Leia mais

Heart bleed. Dissecando o

Heart bleed. Dissecando o Dissecando o Heart bleed Ricardo Kléber Martins Galvão www.ricardokleber.com ricardokleber@ricardokleber.com Campus Party Recife 25/07/2014 O Dia H 07 de Abril de 2014 Mas o problema foi descoberto mesmo

Leia mais

Por trás. das nuvens. (In)Seguranca. FSF:Fórum de Segurança Corporativa. Negócios e Privacidade: Limites Éticos e Técnicos #SBSEG2015.

Por trás. das nuvens. (In)Seguranca. FSF:Fórum de Segurança Corporativa. Negócios e Privacidade: Limites Éticos e Técnicos #SBSEG2015. FSF:Fórum de : (In)Seguranca, Por tras das nuvens @ricardokleber @segurancaderede youtube.com/segurancaderedes Por trás das nuvens :: #FSC2015 :: 09/11/2015 #SBSEG2015 Florianópolis Ricardo09/11/2015 Kléber

Leia mais

Heart bleed. Dissecando o

Heart bleed. Dissecando o Dissecando o Heart bleed Ricardo Kléber Martins Galvão www.ricardokleber.com ricardokleber@ricardokleber.com GTS'23 15/05/2014 O Dia H 07 de Abril de 2014 Mas o problema foi descoberto mesmo nessa data?

Leia mais

Ricardo Kléber M. Galvão. Novatec

Ricardo Kléber M. Galvão. Novatec Ricardo Kléber M. Galvão Novatec Novatec Editora Ltda. [2013]. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida a reprodução desta obra, mesmo parcial, por qualquer processo,

Leia mais

Grampos Digitais Utilizando Software Livre

Grampos Digitais Utilizando Software Livre Grampos Digitais Utilizando Software Livre Ricardo Kléber Martins Galvão, Naris, Superintendência de Informática, UFRN Resumo Na apuração de crimes digitais e, mais especificamente, de crimes praticados

Leia mais

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP HTTP (Hypertext Transfer Protocol ) Protocolo usado na Internet para transferir as páginas da WWW (WEB). HTTPS (HyperText Transfer

Leia mais

INFORMÁTICA PARA CONCURSOS

INFORMÁTICA PARA CONCURSOS INFORMÁTICA PARA CONCURSOS Prof. BRUNO GUILHEN Vídeo Aula VESTCON MÓDULO I - INTERNET Aula 01 O processo de Navegação na Internet. A CONEXÃO USUÁRIO PROVEDOR EMPRESA DE TELECOM On-Line A conexão pode ser

Leia mais

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP HTTP (Hypertext Transfer Protocol ) Protocolo usado na Internet para transferir as páginas da WWW (WEB). HTTPS (HyperText Transfer

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO CURSO. Prof. BRUNO GUILHEN www.brunoguilhen.com.br. Prof. BRUNO GUILHEN

APRESENTAÇÃO DO CURSO. Prof. BRUNO GUILHEN www.brunoguilhen.com.br. Prof. BRUNO GUILHEN APRESENTAÇÃO DO CURSO Prof. BRUNO GUILHEN www.brunoguilhen.com.br Prof. BRUNO GUILHEN MÓDULO I - INTERNET Aula 01 O processo de Navegação na Internet. O processo de Navegação na Internet A CONEXÃO USUÁRIO

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Segurança da Informação 1 Agenda Segurança em Comunicações Protocolos de Segurança VPN 2 1 Comunicações Origem Destino Meio Protocolo 3 Ataques Interceptação Modificação Interrupção Fabricação 4 2 Interceptação

Leia mais

Professor: Gládston Duarte

Professor: Gládston Duarte Professor: Gládston Duarte INFRAESTRUTURA FÍSICA DE REDES DE COMPUTADORES Computador Instalação e configuração de Sistemas Operacionais Windows e Linux Arquiteturas físicas e lógicas de redes de computadores

Leia mais

O processo de Navegação na Internet APRESENTAÇÃO DO CURSO. Prof. BRUNO GUILHEN. O Internet Explorer INFORMÁTICA BÁSICA

O processo de Navegação na Internet APRESENTAÇÃO DO CURSO. Prof. BRUNO GUILHEN. O Internet Explorer INFORMÁTICA BÁSICA APRESENTAÇÃO DO CURSO Prof. BRUNO GUILHEN O processo de Navegação na Internet INFORMÁTICA BÁSICA A NAVEGAÇÃO Programas de Navegação ou Browser : Internet Explorer; O Internet Explorer Netscape Navigator;

Leia mais

INFORMÁTICA FUNDAMENTOS DE INTERNET. Prof. Marcondes Ribeiro Lima

INFORMÁTICA FUNDAMENTOS DE INTERNET. Prof. Marcondes Ribeiro Lima INFORMÁTICA FUNDAMENTOS DE INTERNET Prof. Marcondes Ribeiro Lima Fundamentos de Internet O que é internet? Nome dado a rede mundial de computadores, na verdade a reunião de milhares de redes conectadas

Leia mais

Arquiteturas de Redes Prof. Ricardo J. Pinheiro

Arquiteturas de Redes Prof. Ricardo J. Pinheiro Fundamentos de Redes de Computadores Arquiteturas de Redes Prof. Ricardo J. Pinheiro Resumo Arquiteturas de Redes Organizações de padronização Modelos de referência Modelo OSI Arquitetura IEEE 802 Arquitetura

Leia mais

Fundamentos de Ethical Hacking EXIN

Fundamentos de Ethical Hacking EXIN Exame Simulado Fundamentos de Ethical Hacking EXIN Edição Augusto 2015 Copyright 2015 EXIN Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser publicado, reproduzido, copiado ou armazenada

Leia mais

Nível de segurança de uma VPN

Nível de segurança de uma VPN VPN Virtual Private Network (VPN) é uma conexão segura baseada em criptografia O objetivo é transportar informação sensível através de uma rede insegura (Internet) VPNs combinam tecnologias de criptografia,

Leia mais

Administração de Servidores de Rede. Prof. André Gomes

Administração de Servidores de Rede. Prof. André Gomes Administração de Servidores de Rede Prof. André Gomes FTIN FORMAÇÃO TÉCNICA EM INFORMÁTICA ADMINISTRAÇÃO DE SERVIDORES DE REDE Competências a serem trabalhadas nesta aula Protocolos de comunicação; Como

Leia mais

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS INTERNET PROTOCOLOS 1 INTERNET Rede mundial de computadores. Também conhecida por Nuvem ou Teia. Uma rede que permite a comunicação de redes distintas entre os computadores conectados. Rede WAN Sistema

Leia mais

Segurança na Internet

Segurança na Internet Segurança na Internet Muito do sucesso e popularidade da Internet é por ela ser uma rede global aberta Por outro lado, isto faz da Internet um meio não muito seguro É difícil identificar com segurança

Leia mais

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani Redes de Dados e Comunicações Prof.: Fernando Ascani Camada de Aplicação A camada de Aplicação é a que fornece os serviços Reais para os usuários: E-mail, Acesso a Internet, troca de arquivos, etc. Portas

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES CURSO TÉCNICO DE INFORMÁTICA Módulo A REDES DE COMPUTADORES Protocolos de Rede FALANDO A MESMA LÍNGUA Um protocolo pode ser comparado a um idioma, onde uma máquina precisa entender o idioma de outra máquina

Leia mais

Ferramentas Livres para Monitoramento de Redes

Ferramentas Livres para Monitoramento de Redes Ferramentas Livres para Monitoramento de Redes SOBRE A AUTORA Estudante de graduação do curso de Bacharelado em Informática Biomédica da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Atualmente participa do grupo

Leia mais

MÓDULO I - INTERNET APRESENTAÇÃO DO CURSO. Prof. BRUNO GUILHEN. Prof. BRUNO GUILHEN. O processo de Navegação na Internet. Aula 01

MÓDULO I - INTERNET APRESENTAÇÃO DO CURSO. Prof. BRUNO GUILHEN. Prof. BRUNO GUILHEN. O processo de Navegação na Internet. Aula 01 APRESENTAÇÃO DO CURSO Prof. BRUNO GUILHEN Prof. BRUNO GUILHEN MÓDULO I - INTERNET O processo de Navegação na Internet Aula 01 O processo de Navegação na Internet. USUÁRIO A CONEXÃO PROVEDOR On-Line EMPRESA

Leia mais

www.victorpinheiro.jimdo.com www.victorpinheiro.jimdo.com

www.victorpinheiro.jimdo.com www.victorpinheiro.jimdo.com SERVIÇOS DE REDES DE COMPUTADORES Prof. Victor Guimarães Pinheiro/victor.tecnologo@gmail.com www.victorpinheiro.jimdo.com www.victorpinheiro.jimdo.com Modelo TCP/IP É o protocolo mais usado da atualidade

Leia mais

Configuração do Outlook Express

Configuração do Outlook Express Configuração do Outlook Express 1/1 Configuração do Outlook Express LCC.006.2005 Versão 1.0 Versão Autor ou Responsável Data 1.0 Paula Helena 30/09/2005 RESUMO Este relatório tem como objetivo mostrar

Leia mais

Redes de Computadores. Protocolos de comunicação: TCP, UDP

Redes de Computadores. Protocolos de comunicação: TCP, UDP Redes de Computadores Protocolos de comunicação: TCP, UDP Introdução ao TCP/IP Transmission Control Protocol/ Internet Protocol (TCP/IP) é um conjunto de protocolos de comunicação utilizados para a troca

Leia mais

Hardening de Servidores

Hardening de Servidores Hardening de Servidores O que é Mitm? O man-in-the-middle (pt: Homem no meio, em referência ao atacante que intercepta os dados) é uma forma de ataque em que os dados trocados entre duas partes, por exemplo

Leia mais

DOMÍNIO PRODUTIVO DA INFORMÁTICA - CONCURSO BB 2015 -

DOMÍNIO PRODUTIVO DA INFORMÁTICA - CONCURSO BB 2015 - DOMÍNIO PRODUTIVO DA INFORMÁTICA - CONCURSO - Professor Esp. Wellington de Oliveira Graduação em Ciência da Computação Pós-Graduação em Docência do Ensino Superior Pós-Graduação MBA em Gerenciamento de

Leia mais

INTELIGÊNCIA E DEFESA CIBERNÉTICA Estratégias para Combater Crimes Digitais. Prof. Deivison Pinheiro Franco deivison.pfranco@gmail.

INTELIGÊNCIA E DEFESA CIBERNÉTICA Estratégias para Combater Crimes Digitais. Prof. Deivison Pinheiro Franco deivison.pfranco@gmail. INTELIGÊNCIA E DEFESA CIBERNÉTICA Estratégias para Combater Crimes Digitais Prof. Deivison Pinheiro Franco deivison.pfranco@gmail.com Quem Sou Eu? Mestrando em Inovação Tecnológica, Especialista em Ciências

Leia mais

Lista de Exercício: PARTE 1

Lista de Exercício: PARTE 1 Lista de Exercício: PARTE 1 1. Questão (Cód.:10750) (sem.:2a) de 0,50 O protocolo da camada de aplicação, responsável pelo recebimento de mensagens eletrônicas é: ( ) IP ( ) TCP ( ) POP Cadastrada por:

Leia mais

Projeto Integrador Segurança de Redes e Transmissão de Dados

Projeto Integrador Segurança de Redes e Transmissão de Dados FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Projeto Integrador Segurança de Redes e Transmissão de Dados AYLSON SANTOS EDFRANCIS MARQUES HEVERTHON LUIZ THIAGO SHITINOE AYLSON SANTOS EDFRANCIS

Leia mais

Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk. Redes de Computadores e Telecomunicações. Camada de Transporte 03/06/2013

Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk. Redes de Computadores e Telecomunicações. Camada de Transporte 03/06/2013 Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk Redes de Computadores e Telecomunicações. Modelo de Referência OSI 1 Segundo Tanenbaum, a camada de transporte não é simplesmente outra

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Macêdo Firmino Introdução à Disciplina (Ementa) Macêdo Firmino (IFRN) Redes de Computadores Março de 2012 1 / 13 Pilha TCP/IP A B M 1 Aplicação Aplicação M 1 Cab M T 1 Transporte

Leia mais

MÓDULO 8 Modelo de Referência TCP/IP

MÓDULO 8 Modelo de Referência TCP/IP MÓDULO 8 Modelo de Referência TCP/IP A internet é conhecida como uma rede pública de comunicação de dados com o controle totalmente descentralizado, utiliza para isso um conjunto de protocolos TCP e IP,

Leia mais

TECNOLOGIA WEB. Principais Protocolos na Internet Aula 2. Profa. Rosemary Melo

TECNOLOGIA WEB. Principais Protocolos na Internet Aula 2. Profa. Rosemary Melo TECNOLOGIA WEB Principais Protocolos na Internet Aula 2 Profa. Rosemary Melo Tópicos abordados Compreender os conceitos básicos de protocolo. Definir as funcionalidades dos principais protocolos de Internet.

Leia mais

3. Explique o motivo pelo qual os protocolos UDP e TCP acrescentam a informação das portas (TSAP) de origem e de destino em seu cabeçalho.

3. Explique o motivo pelo qual os protocolos UDP e TCP acrescentam a informação das portas (TSAP) de origem e de destino em seu cabeçalho. Entregue três questões de cada prova. Prova de 2011-02 1. Descreva duas maneiras de estabelecer uma conexão entre processos na camada de transporte sem o conhecimento da porta (TSAP) ao qual o servidor

Leia mais

AULA 03 MODELO OSI/ISO. Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação

AULA 03 MODELO OSI/ISO. Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação AULA 03 MODELO OSI/ISO Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação INTRODUÇÃO 2 INTRODUÇÃO 3 PROTOCOLOS Protocolo é a regra de comunicação usada pelos dispositivos de uma

Leia mais

Capítulo 5 Métodos de Defesa

Capítulo 5 Métodos de Defesa Capítulo 5 Métodos de Defesa Ricardo Antunes Vieira 29/05/2012 Neste trabalho serão apresentadas técnicas que podem proporcionar uma maior segurança em redes Wi-Fi. O concentrador se trata de um ponto

Leia mais

WWW.CPCCONCURSOS.COM.BR

WWW.CPCCONCURSOS.COM.BR AULÃO PRÉ-PROVA LÍNGUA PORTUGUESA - Prof. Alberto Menegotto 01 ÉTICA NO SERVIÇO PÚBLICO - Prof.ª Martha Messerschmidt 06 INFORMÁTICA - Prof. Sandro Figueredo 09 RACIOCÍNIO LÓGICO - Prof.ª Daniela Arboite

Leia mais

8.2.11 Quebras de página 8.3 Exercícios para fixação

8.2.11 Quebras de página 8.3 Exercícios para fixação SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA 1.1 Conceitos básicos de informática e alguns termos usuais 1.2 Geração dos computadores 1.3 Evolução da tecnologia dos computadores 1.4 Sistema de informática 1.5 Tipos

Leia mais

Sérgio Cabrera Professor Informática 1

Sérgio Cabrera Professor Informática 1 1. A tecnologia que utiliza uma rede pública, como a Internet, em substituição às linhas privadas para implementar redes corporativas é denominada. (A) VPN. (B) LAN. (C) 1OBaseT. (D) 1OBase2. (E) 100BaseT.

Leia mais

Especificação do Sistema Operativo CAMES - CAixa Mágica Enterprise Server

Especificação do Sistema Operativo CAMES - CAixa Mágica Enterprise Server Especificação do Sistema Operativo CAMES - CAixa Mágica Enterprise Server Versão: 1.06 Data: 2010-11-15 SO CAMES 1 ÍNDICE A Apresentação do CAMES - CAixa Mágica Enterprise Server - Sistema Operativo de

Leia mais

efagundes com Como funciona a Internet

efagundes com Como funciona a Internet Como funciona a Internet Eduardo Mayer Fagundes 1 Introdução à Internet A Internet é uma rede de computadores mundial que adota um padrão aberto de comunicação, com acesso ilimitado de pessoas, empresas

Leia mais

4. Qual seria o impacto da escolha de uma chave que possua letras repetidas em uma cifra de transposição?

4. Qual seria o impacto da escolha de uma chave que possua letras repetidas em uma cifra de transposição? Prova de 2011-02 1. Descreva duas maneiras de estabelecer uma conexão entre processos na camada de transporte sem o conhecimento da porta (TSAP) ao qual o servidor remoto esteja associado. 2. Estabelecer

Leia mais

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF REDES ESAF 01 - (ESAF - Auditor-Fiscal da Previdência Social - AFPS - 2002) Um protocolo é um conjunto de regras e convenções precisamente definidas que possibilitam a comunicação através de uma rede.

Leia mais

6 PLANEJAMENTO DE SI 6.1 Planejamento de Segurança da Informação O planejamento em S.I é algo crucial para que haja o bom funcionamento de uma

6 PLANEJAMENTO DE SI 6.1 Planejamento de Segurança da Informação O planejamento em S.I é algo crucial para que haja o bom funcionamento de uma 6 PLANEJAMENTO DE SI 6.1 Planejamento de Segurança da Informação O planejamento em S.I é algo crucial para que haja o bom funcionamento de uma empresa. Diferente do senso comum o planejamento não se limita

Leia mais

Comunicado. Ataque LogJam - Nova vulnerabilidade no SSL/TLS. www.certisign.com.br

Comunicado. Ataque LogJam - Nova vulnerabilidade no SSL/TLS. www.certisign.com.br Ataque LogJam - Nova vulnerabilidade no SSL/TLS O que está acontecendo? O setor de TI recentemente tem divulgando diversos ataques sobre os protocolos de criptografia. E na última semana, foi descoberta

Leia mais

PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS

PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS Aulas : Terças e Quintas Horário: AB Noite [18:30 20:20hs] PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS 1 Conteúdo O que Rede? Conceito; Como Surgiu? Objetivo; Evolução Tipos de

Leia mais

O processo de Navegação na Internet APRESENTAÇÃO DO CURSO. Prof. BRUNO GUILHEN. O Internet Explorer. /Redes/Internet/Segurança

O processo de Navegação na Internet APRESENTAÇÃO DO CURSO. Prof. BRUNO GUILHEN. O Internet Explorer. /Redes/Internet/Segurança APRESENTAÇÃO DO CURSO Prof. BRUNO GUILHEN O processo de Navegação na Internet INFORMÁTICA BÁSICA www.brunoguilhen.com.br A NAVEGAÇÃO Programas de Navegação ou Browser : Internet Explorer; O Internet Explorer

Leia mais

Especificação da Appliance + SO CAMES - CAixa Mágica Enterprise Server

Especificação da Appliance + SO CAMES - CAixa Mágica Enterprise Server Especificação da Appliance + SO CAMES - CAixa Mágica Enterprise Server Versão: 1.05 Data: 2010-12-15 Appliance CAMES.GT 1 ÍNDICE A Apresentação da Appliance CAMES - CAixa Mágica Enterprise Server B Características

Leia mais

Planejando uma política de segurança da informação

Planejando uma política de segurança da informação Planejando uma política de segurança da informação Para que se possa planejar uma política de segurança da informação em uma empresa é necessário levantar os Riscos, as Ameaças e as Vulnerabilidades de

Leia mais

FAE São José dos Pinhais

FAE São José dos Pinhais FAE São José dos Pinhais Detecção de Intrusos PR.GOV.BR Hermano Pereira Agenda Segurança na Rede PR.GOV.BR Sistemas de Detecção de Intrusão Segurança da Informação e Gerência de Eventos Soluções da Equipe

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 197, DE 12 DE JULHO DE

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 197, DE 12 DE JULHO DE INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 197, DE 12 DE JULHO DE 2011 A Presidenta do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep),

Leia mais

REDES. Consiste em dois ou mais computadores conectados entre si e compartilhando recursos.

REDES. Consiste em dois ou mais computadores conectados entre si e compartilhando recursos. REDES Consiste em dois ou mais computadores conectados entre si e compartilhando recursos. TIPOS TIPOS LAN MAN WAN FUNCIONAMENTO DE UMA REDE TIPOS Cliente/ Servidor Ponto a ponto INTERNET Conceito 1.

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores s de Computadores Prof. Macêdo Firmino Revisão do Modelo de Camadas da Internet (TCP/IP) Macêdo Firmino (IFRN) s de Computadores Novembro de 2012 1 / 13 Modelo de Camadas Revisão de de Computadores Os

Leia mais

Política de Utilização da Rede Sem Fio (Wireless)

Política de Utilização da Rede Sem Fio (Wireless) Política de Utilização da Rede Sem Fio (Wireless) UNISC Setor de Informática/Redes Atualizado em 22/07/2008 1. Definição Uma rede sem fio (Wireless) significa que é possível uma transmissão de dados via

Leia mais

Faculdade de Tecnologia Senac Goiás Segurança da Informação. Guilherme Pereira Carvalho Neto. Portas e Serviços

Faculdade de Tecnologia Senac Goiás Segurança da Informação. Guilherme Pereira Carvalho Neto. Portas e Serviços Faculdade de Tecnologia Senac Goiás Segurança da Informação Guilherme Pereira Carvalho Neto Portas e Serviços Goiânia 2015 Relatório de portas e serviços na rede Relatório produzido com base em dados colhidos

Leia mais

Firewall. Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Disciplina: Serviços de Redes. Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática

Firewall. Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Disciplina: Serviços de Redes. Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática Firewall Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Disciplina: Serviços de Redes Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática Firewall (definições) Por que do nome firewall? Antigamente, quando as casas

Leia mais

Segredos do Hacker Ético

Segredos do Hacker Ético Marcos Flávio Araújo Assunção Segredos do Hacker Ético 2 a Edição Visual Books Sumário Prefácio... 21 Introdução... 23 1 Entendendo o Assunto... 25 1.1 Bem-vindo ao Obscuro Mundo da Segurança Digital...25

Leia mais

3 SERVIÇOS IP. 3.1 Serviços IP e alguns aspectos de segurança

3 SERVIÇOS IP. 3.1 Serviços IP e alguns aspectos de segurança 3 SERVIÇOS IP 3.1 Serviços IP e alguns aspectos de segurança Os serviços IP's são suscetíveis a uma variedade de possíveis ataques, desde ataques passivos (como espionagem) até ataques ativos (como a impossibilidade

Leia mais

TCP é um protocolo de TRANSMISSÃO, responsável pela confiabilidade da entrega da informação.

TCP é um protocolo de TRANSMISSÃO, responsável pela confiabilidade da entrega da informação. Protocolo TCP/IP PROTOCOLO é um padrão que especifica o formato de dados e as regras a serem seguidas para uma comunicação a língua comum a ser utilizada na comunicação. TCP é um protocolo de TRANSMISSÃO,

Leia mais

Professor(es): Fernando Pirkel. Descrição da(s) atividade(s):

Professor(es): Fernando Pirkel. Descrição da(s) atividade(s): Professor(es): Fernando Pirkel Descrição da(s) atividade(s): Definir as tecnologias de redes necessárias e adequadas para conexão e compartilhamento dos dados que fazem parte da automatização dos procedimentos

Leia mais

Cap 03 - Camada de Aplicação Internet (Kurose)

Cap 03 - Camada de Aplicação Internet (Kurose) Cap 03 - Camada de Aplicação Internet (Kurose) 1. Qual a diferença entre um Programa de computador e um Processo dentro do computador? R. Processo é um programa que está sendo executado em uma máquina/host,

Leia mais

Redes de Computadores. 1 Questões de múltipla escolha. TE090 - Prof. Pedroso. 17 de junho de 2015

Redes de Computadores. 1 Questões de múltipla escolha. TE090 - Prof. Pedroso. 17 de junho de 2015 TE090 - Prof. Pedroso 17 de junho de 2015 1 Questões de múltipla escolha Exercício 1: Suponha que um roteador foi configurado para descobrir rotas utilizando o protocolo RIP (Routing Information Protocol),

Leia mais

Processo para transformar a mensagem original em uma mensagem ilegível por parte de uma pessoa não autorizada

Processo para transformar a mensagem original em uma mensagem ilegível por parte de uma pessoa não autorizada Criptografia Processo para transformar a mensagem original em uma mensagem ilegível por parte de uma pessoa não autorizada Criptografia Onde pode ser usada? Arquivos de um Computador Internet Backups Redes

Leia mais

Políticas de Segurança de Sistemas

Políticas de Segurança de Sistemas Políticas de Segurança de Sistemas Profs. Hederson Velasco Ramos Henrique Jesus Quintino de Oliveira Estudo de Boletins de Segurança O que é um boletim de segurança? São notificações emitidas pelos fabricantes

Leia mais

Hardening de Servidores O que é Mitm? Hardening

Hardening de Servidores O que é Mitm? Hardening Hardening de Servidores O que é Mitm? O man-in-the-middle (pt: Homem no meio, em referência ao atacante que intercepta os dados) é uma forma de ataque em que os dados trocados entre duas partes, por exemplo

Leia mais

Camada de Aplicação. Prof. Eduardo

Camada de Aplicação. Prof. Eduardo Camada de Aplicação RC Prof. Eduardo Introdução Você sabe que existem vários tipos de programas na Internet? - Talvez você já tenha notado que existem vários programas diferentes para cada um desses tipos.

Leia mais

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1 Segurança na Web Capítulo 7: IDS e Honeypots Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW Page 1 Introdução IDS = Intrusion Detection Systems (Sistema de Detecção de Invasão) O IDS funciona sobre

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula Complementar - MODELO DE REFERÊNCIA OSI Este modelo se baseia em uma proposta desenvolvida pela ISO (International Standards Organization) como um primeiro passo em direção a padronização dos protocolos

Leia mais

Ferramentas Livres para Monitoramento de Redes

Ferramentas Livres para Monitoramento de Redes Ferramentas Livres para Monitoramento de Redes Sobre os autores Marjorie Roberta dos Santos Rosa Estudante de graduação do curso de Bacharelado em Informática Biomédica da Universidade Federal do Paraná

Leia mais

Análise de segurança em aplicativos bancários na plataforma Android RAFAEL J. CRUZ,

Análise de segurança em aplicativos bancários na plataforma Android RAFAEL J. CRUZ, Análise de segurança em aplicativos bancários na plataforma Android RAFAEL J. CRUZ, DIEGO F. ARANHA Introdução As inovações tecnológicas afetam diretamente a forma como as organizações atuam sendo que,

Leia mais

Configuração do cliente de e-mail Outlook 2010 para usuários DAC

Configuração do cliente de e-mail Outlook 2010 para usuários DAC Configuração do cliente de e-mail Outlook 2010 para usuários DAC A. Configurando a autoridade certificadora ICPEdu no Outlook Os certificados utilizados nos serviços de e-mail pop, imap e smtp da DAC foram

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES SERVICOS DE REDE LOCAL. Professor Carlos Muniz

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES SERVICOS DE REDE LOCAL. Professor Carlos Muniz SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES SERVICOS DE REDE LOCAL Na internet, cada computador conectado à rede tem um endereço IP. Todos os endereços IPv4 possuem 32 bits. Os endereços IP são atribuídos à interface

Leia mais

www.leitejunior.com.br 17/03/2011 15:04 Leite Júnior QUESTÕES FCC 2010 REDES (INTERNET/INTRANET)

www.leitejunior.com.br 17/03/2011 15:04 Leite Júnior QUESTÕES FCC 2010 REDES (INTERNET/INTRANET) QUESTÕES FCC 2010 REDES (INTERNET/INTRANET) CONCURSO: TRE AMAZONAS DATA: 31/01/2010 QUESTÃO 01 - O transporte de páginas Web entre um servidor e um cliente da Internet é realizado pelo protocolo (A) TCP.

Leia mais

USO GERAL DOS PROTOCOLOS SMTP, FTP, TCP, UDP E IP

USO GERAL DOS PROTOCOLOS SMTP, FTP, TCP, UDP E IP USO GERAL DOS PROTOCOLOS SMTP, FTP, TCP, UDP E IP SMTP "Protocolo de transferência de correio simples (ou em inglês Simple Mail Transfer Protocol ) é o protocolo padrão para envio de e- mails através da

Leia mais

Introdução à Camada de Aplicação. Prof. Eduardo

Introdução à Camada de Aplicação. Prof. Eduardo Introdução à Camada de Aplicação RC Prof. Eduardo Introdução Você sabe que existem vários tipos de programas na Internet? - Talvez você já tenha notado que existem vários programas diferentes para cada

Leia mais

Disciplina de Redes de Computadores Estudo Dirigido para a Prova II Professor Dr Windson Viana de Carvalho

Disciplina de Redes de Computadores Estudo Dirigido para a Prova II Professor Dr Windson Viana de Carvalho Disciplina de Redes de Computadores Estudo Dirigido para a Prova II Professor Dr Windson Viana de Carvalho Obs: Não há necessidade de entregar a lista Questões do livro base (Kurose) Questões Problemas

Leia mais

TEORIA GERAL DE SISTEMAS

TEORIA GERAL DE SISTEMAS TEORIA GERAL DE SISTEMAS Vulnerabilidade dos sistemas e uso indevido Vulnerabilidade do software Softwares comerciais contém falhas que criam vulnerabilidades na segurança Bugs escondidos (defeitos no

Leia mais

Segurança da Informação. Prof. Gleison Batista de Sousa

Segurança da Informação. Prof. Gleison Batista de Sousa Segurança da Informação Prof. Gleison Batista de Sousa Ao longo do tempo e com a evolução tecnologia surgiram uma quantidade enorme de problemas desafiadores relacionados a segurança da informação. Quais

Leia mais

Redes de Computadores LFG TI

Redes de Computadores LFG TI Redes de Computadores LFG TI Prof. Bruno Guilhen Camada de Aplicação Fundamentos Fundamentos Trata os detalhes específicos de cada tipo de aplicação. Mensagens trocadas por cada tipo de aplicação definem

Leia mais

Nome do Curso: Técnico em Informática. Nome da Disciplina: Redes de Computadores. Número da Semana: 2. Nome do Professor: Dailson Fernandes

Nome do Curso: Técnico em Informática. Nome da Disciplina: Redes de Computadores. Número da Semana: 2. Nome do Professor: Dailson Fernandes Nome do Curso: Técnico em Informática Nome da Disciplina: Redes de Computadores Número da Semana: 2 Nome do Professor: Dailson Fernandes Elementos da Comunicação Protocolos Regras Padrões Controle Possibilitam

Leia mais

Informática I. Aula 22. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 22-03/07/06 1

Informática I. Aula 22. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 22-03/07/06 1 Informática I Aula 22 http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 22-03/07/06 1 Critério de Correção do Trabalho 1 Organização: 2,0 O trabalho está bem organizado e tem uma coerência lógica. Termos

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação INF-108 Segurança da Informação Firewalls Prof. João Henrique Kleinschmidt Middleboxes RFC 3234: Middleboxes: Taxonomy and Issues Middlebox Dispositivo (box) intermediário que está no meio do caminho dos

Leia mais

PROJETO INTEGRADOR LUIZ DAVI DOS SANTOS SOUZA

PROJETO INTEGRADOR LUIZ DAVI DOS SANTOS SOUZA PROJETO INTEGRADOR LUIZ DAVI DOS SANTOS SOUZA Os serviços IP's citados abaixo são suscetíveis de possíveis ataques, desde ataques passivos (como espionagem) até ataques ativos (como a impossibilidade de

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS DE INTERNET. Disciplina: INFORMÁTICA 1º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA

CONCEITOS BÁSICOS DE INTERNET. Disciplina: INFORMÁTICA 1º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA CONCEITOS BÁSICOS DE INTERNET Disciplina: INFORMÁTICA 1º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA conceito inicial Amplo sistema de comunicação Conecta muitas redes de computadores Apresenta-se de várias formas Provê

Leia mais

e-ping - Padrões de Interoperabilidade de Governo Eletrônico www.governoeletronico.gov.br www.eping.e.gov.br

e-ping - Padrões de Interoperabilidade de Governo Eletrônico www.governoeletronico.gov.br www.eping.e.gov.br e-ping - Padrões de Interoperabilidade de Governo Eletrônico www.governoeletronico.gov.br www.eping.e.gov.br e PING: Segmentação Interconexão Segurança Meios de acesso Organização e intercâmbio de informações

Leia mais

Computação Forense. Ricardo Kléber Martins Galvão www.ricardokleber.com ricardokleber@ricardokleber.com @ricardokleber

Computação Forense. Ricardo Kléber Martins Galvão www.ricardokleber.com ricardokleber@ricardokleber.com @ricardokleber Computação Forense X Crimes Cibernéticos Ricardo Kléber Martins Galvão www.ricardokleber.com ricardokleber@ricardokleber.com @ricardokleber PalestraaosalunosdeCiênciasdaComputação/UERN 16/04/2014 ComputaçãoForensexCrimesCibernéticos::RicardoKléber

Leia mais

Ementa Completa. Introdução

Ementa Completa. Introdução Ementa Completa Introdução Mercado de Segurança da Informação (Pentest) Preparação Entender o cliente Definir o escopo e limitações Janela de testes Contato Responsabilidades Autorização Non-Disclosure

Leia mais

Ricardo Kléber Martins Galvão www.ricardokleber.com ricardokleber@ricardokleber.com

Ricardo Kléber Martins Galvão www.ricardokleber.com ricardokleber@ricardokleber.com CIDS Cellular Intrusion Detection System Sistema de Detecção de Intrusões para Celulares Ricardo Kléber Martins Galvão www.ricardokleber.com ricardokleber@ricardokleber.com GTS'22 SistemadeDetecçãodeIntrusõesparaCelulares::RicardoKléber

Leia mais

Ferramentas Foss para

Ferramentas Foss para Ferramentas Foss para Perícia Forense de Rede Ramilton Costa Gomes Júnior Embaixador Fedora Brasil. Whois Ramilton costa 1. Bacharel em Ciência da Computação UNIFENAS 2. Especialista em Segurança e Criptografia

Leia mais

Redes de Computadores II

Redes de Computadores II Redes de Computadores II UDP Prof: Ricardo Luís R. Peres Tem como objetivo prover uma comunicação entre dois processos de uma mesma sessão que estejam rodando em computadores dentro da mesma rede ou não.

Leia mais

02/03/2014. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais

02/03/2014. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais Curso de Preparatório para Concursos Públicos Tecnologia da Informação REDES Conceitos Iniciais; Classificações das Redes; Conteúdo deste módulo Equipamentos usados nas Redes; Modelos de Camadas; Protocolos

Leia mais

Script de Configuração dos E-mails @SEE (Webmail /Outlook Express)

Script de Configuração dos E-mails @SEE (Webmail /Outlook Express) Script de Configuração dos E-mails @SEE (Webmail /Outlook Express) A Secretaria de Estado da Educação está disponibilizando uma nova ferramenta para acesso ao e-mail @see. Essa nova ferramenta permitirá

Leia mais

Desenvolvendo MetasploitScanHTTP.pl para falhas HTTPS vulneráveis ao Metasploit. Inj3cti0n P4ck3t

Desenvolvendo MetasploitScanHTTP.pl para falhas HTTPS vulneráveis ao Metasploit. Inj3cti0n P4ck3t Desenvolvendo MetasploitScanHTTP.pl para falhas HTTPS vulneráveis ao Metasploit Inj3cti0n P4ck3t São Paulo 2010 Nome: Fernando Henrique Mengali de Souza Contato: fer_henrick@hotmail.com Linguagem de Programação:

Leia mais

CONFIGURAÇÃO DO OUTLOOK EXPRESS

CONFIGURAÇÃO DO OUTLOOK EXPRESS CONFIGURAÇÃO DO OUTLOOK EXPRESS Antes de configurar o Outlook, é necessário fazer a instalação do certificado de segurança. Veja a seguir como fazer 1 Faça o download do arquivo: https://www.pae.sc.gov.br/down/caciasc.crt

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES O QUE É PROTOCOLO? Na comunicação de dados e na interligação em rede, protocolo é um padrão que especifica o formato de dados e as regras a serem seguidas. Sem protocolos, uma rede

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES 09/2013 Cap.3 Protocolo TCP e a Camada de Transporte 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a leitura da bibliografia básica. Os professores

Leia mais