em revista IX Congresso Panamericano de Segurança Privada FEPASEP - Panamá 2011 TST faz audiência pública para debater terceirização de serviços

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "em revista IX Congresso Panamericano de Segurança Privada FEPASEP - Panamá 2011 TST faz audiência pública para debater terceirização de serviços"

Transcrição

1 em revista página3 Nesta edição: IX Congresso Panamericano de Segurança Privada FEPASEP - Panamá 2011 página4 TST faz audiência pública para debater terceirização de serviços Sempre aqui página 7 Leitura página 8 Associados

2 abrevis em revista Diretoria abrevis Presidente José Jacobson Neto GP/SP 1º VP Edson da Silva Torres Dinâmica/RJ 2º VP Marcos Emanuel Torres de Paiva Nordeste/PE Regional Norte VP José Pacheco Ferreira VP Adjunto Oziel Matos Carneiro Regional Nordeste VP Urubatan E. Romero VP Adjunto Antonio V. Pereira Filho Regional centro-oeste VP Mauricio da Silva Alves VP Adjunto André Luiz Costa Machado Regional sudeste VP Marcos Félix Loureiro VP Adjunto Gibson de Souza Leite Regional sul VP Ivan Zanardo VP Adjunto Silvio Renato M. Pires finaceiro Diretor Lelivaldo Benedicto Marques Dir. Adjunto Flávio Sandrini Baptista administrativo Diretor Victor Saeta de Aguiar Diretor Adjunto Ricardo Tadeu Correa conselho fiscal Presidente Aguinaldo Pedroso da Silva Titular Raimundo N. Caldeira da Silva Titular Soely Ferraro Barcellos Suplente Ladislau Paulino Campos Suplente Raimundo N. Rodrigues Coelho Suplente Arquimedes Gonzaga Gonçalves Diretoria Assuntos Jurídicos Sérgio Luiz B. Borges Rel. do Mercado Mário Baptista de Oliveira Relações Internacionais João Eliezer Palhuca Pequenas Empresas Roberto Magela Escolta Autair Iuga Seg. Eletrônica Erik Muldgaard Christensen Cursos Cel. Franscico Lopes Assuntos Legislativos João Batista Diniz Junior Com. Social e Eventos Marco dos Santos Suhai Suplente Sandro Maurício Smaniotto Suplente Rafael Cavalcanti Prudente Suplente Wagner Aparecido Alves Suplente Francisco de Assis Moura Suplente Paulo Helder Bordin Suplente Humberto C. de Aragão Filho Visam/AM Saga/PA North Segurança/CE Sacel/SE Integral/MT Escudo/GO Vigserv/ES CJF/MG onseg/sc Portoalegrense/RS Power/SP Verzani & Sandrini/SP Abrevis em revista Órgão oficial da Associação Brasileira de Empresas de Vigilância e Segurança Abrevis Rua Bernardino Franganiello, 691 CEP São Paulo - SP Tel/Fax: (11) Diretor Responsável Victor Saeta de Aguiar Pentágono/SP MS/SP Suporte/SP Transexcel/AM Loyal/SP Vsg/ES Transvig/RR Mega/MS Mão Forte/SP Protege/SP Evik/SP Roma/RO Macor/SP Graber/SP Ideal/SP Cadiz/SP Suhai/SP Special/PR 5 Estrelas/DF Treze Listas/SP Cifra/MS ondrepsb/sc Locabras/CE Editora e Jornalista Responsável Lilian Ferracini MTB Revisão: CN Editorial e Serviços Ltda. A redação da Abrevis em revista não se responsabiliza pelos conceitos emitidos em matérias assinadas por colaboradores A Superação da Segurança Privada O segmento de segurança privada vem se especializando e se modernizando ao longo de seus mais de 40 anos de prestação de serviços. Desde o início foram muitas lutas para o reconhecimento das empresas como uma forte arma contra o crime. Houve um tempo - os mais antigos irão se lembrar disso - que nosso segmento representou uma das poucas medidas privadas eficazes disponíveis para que a sociedade pudesse contar com meios de segurança de suas instalações, valores transportáveis, patrimônio e vidas. Isso ocorreu independentemente das ações do Estado. Eram tempos de instabilidade política e as empresas pioneiras no então recém criado ramo de segurança privada souberam responder aos anseios do país para proporcionar tranqüilidade a quem necessitava proteger sua atividade industrial, comercial, bancária, escolar ou outras que, igualmente necessitavam de proteção. Foram inúmeras as dificuldades que este segmento enfrentou para se impor como ramo empresarial. Foi necessário contar com empresas que envolveram grandes somas de capitais e buscaram tecnologias de ponta para imprimir profissionalismo, competência e dinâmica aos novos rumos que a segurança teve que adotar nessa nova fase do país. Hoje é inegável o reconhecimento de todo esse esforço por parte de nossas autoridades. A segurança privada conquistou seus espaços e é, em alguns casos, mais presente que o Estado na manutenção da ordem e inviolabilidade de bens móveis e imóveis, valores em trânsito, cargas valiosas, vidas, etc., além de ser a referência de segurança em hospitais, grandes eventos, centros comerciais, educacionais e industriais. Somos a única forma que a iniciativa privada tem para manter o controle interno de suas áreas. Condomínios grandes ou pequenos são vigiados constantemente por empresas especializadas. Essa excelência de serviços custou muito empenho por parte das empresas, além de enormes gastos com treinamento, estudos de comportamentos, análises de risco e estudos profundos de prevenções passíveis de serem utilizadas. O termo SEGURANÇA passou a despertar o interesse de todos os que necessitam de tranqüilidade e controle em suas atividades rotineiras, sejam profissionais ou pessoais. E é aí, que estamos vivendo hoje uma situação de extremo desconforto. Hoje é comum ver-se nas grandes cidades um enorme contingente de veículos que ostentam características de viaturas de empresas especializadas. Há um cipoal de termos que visam iludir a sociedade e aproveitar a confusão para comercializar de forma ilegal os serviços de segurança. Empresas clandestinas usam do artifício de mistificar suas viaturas com o termo SEGURANÇA em grandes letras, confundindo assim quem com elas cruza nas ruas. Além desse fato, é muito comum vermos hoje nas calçadas um grande número de abrigos multicoloridos com a palavra SEGURANÇA estampada e funcionários vestidos com uniformes executando funções que confundem sua atividade com a atividade legal da segurança privada. Há o disparate de que algumas dessas empresas possuam até sites que oferecem serviços para os quais não estão autorizadas. É necessário que se crie urgentemente uma forma de fiscalização sobre essas falsas empresas que se apresentam como se fossem de segurança, para que todo o espaço conseguido com seriedade e profissionalismo não seja conspurcado por empresários inidôneos estranhos ao setor. As administrações municipais e estaduais que cuidam do licenciamento de veículos deveriam fiscalizar a correta utilização das marcas e logotipos das empresas proprietárias dessas viaturas, evitando que termos ambíguos possam confundir a sociedade e levar instabilidade a um setor sério e responsável por uma das maiores aspirações atuais: A SEGURANÇA! ABREVIS em revista 3 julho / agosto 2011

3 IX Congresso Panamericano de Segurança Privada FEPASEP - Panamá 2011 A organização esteve a cargo da CAPASEP Câmara Panamenha de Segurança Privada e FEPASEP Federação Panamericana de Segurança Privada O Congresso FEPASEP é o evento mais proeminente da região em temas de Segurança Privada. Reuniu um amplo espectro de atores, funcionários do governo, especialistas, acadêmicos, empresários e profissionais vinculados com o assunto. O congresso aconteceu de 27 a 29 de setembro passado. Também, através de sua mostra comercial, foi uma interessante oportunidade para conhecer e expor produtos, serviços, e os últimos avanços tecnológicos da operação e administração de segurança. O Congresso Panamericano Neste encontro, empresários de Segurança Privada, autoridades governamentais, oficiais de forças Armadas e Policiais, acadêmicos, funcionários internacionais e consultores especializados, contaram com um espaço de encontro e debate sobre os desafios atuais e futuros a serem enfrentados pela Segurança Privada em toda a região. Os seguintes temas foram debatidos: Relação entra a segurança pública e privada; Novas tecnologias na segurança privada; Gestão do talento humano no campo da segurança privada; Análise de risco e matrizes para a continuidade de negócios; Mega projetos de segurança; Seqüestros e terrorismo na América Latina; Como selecionar empresas de segurança privada; Regulação e tecnologia no controle de incêndios de altas edificações; Administração moderna da segurança privada; Programas de Segurança Cidadã; Tendências da segurança privada na América Latina e no mundo. Simultaneamente ao Congresso, aconteceu a Assembléia Geral da FEPASEP, em que se debateram importantes temas relativos às instituições de Segurança Privada; também foram ratificadas as sedes das próximas Assembléias e Congressos Internacionais. julho março/abril / agosto Revista SESVESP

4 abrevis em revista TST faz audiência pública para debater terceirização de serviços O Tribunal Superior do Trabalho (TST) debateu, nos dias 4 e 5 de outubro passado, a terceirização de serviços. Para alguns magistrados, essa forma de contratação pode servir para precarizar a remuneração e demais direitos do trabalhador, o que consideram um disfarce ilegal adotado pelos empregadores para reduzir seus custos. O objetivo foi esclarecer dúvidas antes de julgar os mais de cinco mil processos de terceirização que estão na corte. Desde o anúncio da realização da audiência pública, o TST recebeu 221 pedidos de especialistas e instituições para exporem suas teses, dos quais 39 foram aceitos. Cerca de 700 pessoas participaram como ouvintes. Estiveram presentes, além dos Ministros do TST, o Procurador Geral do MPT, o Presidente Nacional da OAB e outras autoridades. Entre os presentes, muitos líderes sindicais patronais e laborais. De ambos os lados havia profissionais que as partes contrataram para defender suas posições, a tal ponto que alguém observou que os trabalhadores terceirizaram sua defesa. Iniciada a audiência no dia 4, o presidente do TST fez uma abordagem complexa e completa da Terceirização. Suas conclusões, no entanto, de acordo com os jornais, são contrárias à terceirização da atividade-fim. Argumentos dos trabalhadores Os contrários à terceirização, todos líderes sindicais ou profissionais contratados para discursar por entidades, insistiram em argumentar e dizer que terceirização equivalia a precarização através de: A - substituição de trabalhadores com emprego direto por terceirizados; B redução de salário e benefícios; C aumento de acidentes de trabalho. Alguns discursos apresentaram dados e deixavam aberta a possibilidade de acordo observada certas condições: A manutenção dos empregos tradicionais; B equiparação de condições do terceirizado aos demais trabalhadores; C- responsabilidade solidária. Não foi exposto no microfone, mas vários folhetos que circulavam exigiam que os terceirizados fossem associados ao sindicato da atividade fim, o que deixava claro a luta por poder e contribuições financeiras na disputa. Argumentos dos empresários Lívio Giosa, Presidente do Instituto PNBE de Desenvolvimento Social, explicou cientificamente a terceirização como relevante instrumento de gestão, sua inevitabilidade, a produtividade e a qualidade por ela produzida. Percival Maricato, Assessor Jurídico do SES- VESP e Vice-Presidente da CEBRASSE Central Brasileira do Setor de Serviços, procurou inserir sua fala em um contexto histórico. Citou economistas famosos, até Karl Marx e Adam Smith, tanto como os benefícios de quem tem carteira assinada o que, ao contrário de que dizia, não era precarização. Deixou claro que os que são contra a terceirização, são contra o desenvolvimento das forças produtivas e ninguém conseguiu deter essas forças na história. Acrescentou que terceirização é irreversível, que o prejuízo a algumas categorias de trabalhadores tradicionais era compensado pelo enorme contingente de absorção de trabalhadores vindo do desemprego, da informalidade, os que procuravam o primeiro emprego, os idosos e tantos outros que, por falta de qualificação, não eram aceitos na atividade-fim. Pontuou que isso não era precarização, mas sim ascensão. Maricato também comparou a conduta dos sindicatos obreiros às corporações de ofício da idade média, que também tentaram manter privilégios (só eles podiam fazer produtos e o faziam artesanalmente) quando as forças produtivas do capitalismo nascente queriam crescer e se expandir, queriam fabricar produtos em série. Também citou várias estatísticas do IBGE, ABREVIS em revista 5 julho / agosto 2011

5 IPEA, outras tiradas do RAIS do Ministério do Trabalho, demonstrando que a terceirização estava elevando o valor recebido pelo trabalho, o nível de formalização, elevou a remuneração média dos trabalhadores, melhorou as contas da previdência, aumentou o mercado de consumo, dando auto-estima e qualidade de vida a quem vivia na informalidade, etc. As referências estatísticas impressionaram, tanto que insistiram em ter cópias do pronunciamento de Maricato. Repercussão A audiência encontrou ampla repercussão, foi divulgada para todo o país pela TV Justiça, e foi muito esclarecedora. Maricato chegou a citar alguns casos que não podem ser ignorados: o fato do governo obrigar o cartão Visa a terceirizar a recepção do pagamento de contas, para proteger consumidores (portanto, um movimento a favor da terceirização); o caso de laboratórios estrangeiros que terceirizam pesquisas de cura de doenças graves, inclusive para laboratórios de universidades, etc. Essa é uma guerra que irá continuar. Há projetos de lei no congresso e vai ganhar o lado que pressionar melhor. No final, pedimos ao TST mais três audiências públicas, valorizando o legislado, para reduzir o número de reclamações e sobre o deficiente. O presidente parece ter gostado da idéia. Vamos pedir ao TRT de São Paulo que repercuta aqui esses debates avaliou Maricato. Em entrevista coletiva concedida ao final da Audiência Pública sobre Terceirização de Mão de Obra, o presidente do TST, ministro João Oreste Dalazen, defendeu a adoção a responsabilidade solidária, por parte do tomador de serviço, pelo descumprimento de obrigações trabalhistas. Seria um avanço social e induziria as empresas que contratam a prestação de serviços a participar mais do processo de fiscalização, afirmou. A jurisprudência atual (Súmula 331) prevê apenas a responsabilidade subsidiária, ou seja, o tomador de serviço só responde pelas dívidas trabalhistas de maneira acessória, no caso de a empregadora não pagar as verbas reconhecidas judicialmente (como o fiador de um contrato de aluguel). Na responsabilidade solidária, a tomadora compartilha as obrigações com a prestadora de serviços num mesmo plano. Este é um dos pontos considerados essenciais por Dalazen para o aprimoramento da legislação sobre o tema. O segundo é a limitação dos casos em que a terceirização é admitida às atividades-meio e às atividades especializadas ligadas à área meio nos termos da Súmula 331 do TST. A terceirização na atividade-fim é, na minha opinião, a negação do Direito do Trabalho, sustentou. O ministro reconhece, porém, a dificuldade de definição entre áreas meio e fim. Não há um rigor científico absoluto, mas o critério ainda é um mal menor diante da possibilidade de abertura plena e desenfreada da terceirização. Alguns setores especialmente o serviço público e a área de tecnologia da informação exigem um exame mais aprofundado, devido a suas especificidades. Mosaico de opiniões Sobre a audiência pública, realizada pela primeira vez no TST, Dalazen faz uma avaliação positiva. Ensejamos um debate democrático, pluralista e elevado, trazendo as mais diversas e contrastantes posições, afirmou no encerramento da audiência. O TST, agora, vai refletir e amadurecer suas posições sobre tema tão complexo. Foi o primeiro passo para a abertura do Tribunal ao diálogo com a sociedade, e outros certamente virão, ressaltou. Os 50 expositores representaram, segundo o presidente do TST, um mosaico de opiniões de forma cortês e respeitosa. Esta contribuição servirá para que o TST elucide muitas das questões de fato envolvidas nos cerca de cinco mil processos em tramitação na Corte que tratam da terceirização. Mais do que isso, o presidente do TST pretende encaminhar o material coletado ao Congresso Nacional, como subsídio para as discussões em torno do marco regulatório da terceirização. julho / agosto Revista SESVESP

6 abrevis em revista CONTRATE SEGURANÇA COM QUALIDADE Consulte o SESVESP O Sesvesp, órgão oficial do segmento, recomenda que sejam contratadas Empresas de Segurança que apresentem a documentação necessária para sua plena regularização junto ao Ministério da Justiça. As empresas filiadas ao Sesvesp buscam cada vez mais qualidade e responsabilidade como, por exemplo, a obtenção da Certificação CRS - Certificado de Regularidade em Segurança. O objetivo do Sesvesp é proporcionar aos associados todo o suporte necessário, oferecendo cursos e palestras, além de orientação jurídica, treinamentos e reciclagens, para que possamos oferecer ao mercado Empresas de Segurança com Qualidade. NÃO CORRA RISCOS CONTRATE SEGURANÇA COM SEGURANÇA Atividade controlada pela Polícia Federal Tel. Delesp-SP (11) ABREVIS em revista 7 julho / agosto 2011 Sindicato das Empresas de Segurança Privada, Segurança Eletrônica, Serviços de Escolta e Cursos de Formação do Estado de São Paulo Primeiro Sindicato a obter a Certificação ISO 9000 Tel/Fax: (0xx11)

7 Sugestões de leitura Até Que Enfim é Segunda: Como Criar um Ambiente de Trabalho Motivador e Produtivo para Você e Sua Equipe ROXANNE EMMERICH O livro revela que um ambiente de trabalho favorável é o pontapé inicial de que uma empresa precisa para ser bem-sucedida. Quando os integrantes de sua equipe ajudam uns aos outros, têm orgulho do que fazem e comemoram cada conquista, o desempenho aumenta, a qualidade dos produtos e serviços melhora e os clientes ficam satisfeitos. O resultado disso você mede em números, mas, acima de tudo, sente no dia a dia. A autora traz histórias reais de pessoas que elevaram sua qualidade de vida e alavancaram o crescimento de suas empresas ao mudarem a cultura delas. O mais surpreendente é que essa transformação começa em um único dia, quando a equipe se compromete com atitudes elementares, como: - Resolver qualquer conflito às claras; - Fazer perguntas construtivas; - Criar e atualizar rotinas de trabalho que ajudem a aumentar a eficiência; - Usar frases afirmativas e dizer claramente o que quer; - Aceitar conselhos; - Não aceitar a mediocridade; - Comemorar os sucessos Quando todos têm as mesmas expectativas a respeito de como agir com clientes e colegas, fica mais fácil avaliar o desempenho da equipe e eliminar práticas negativas, como desculpas, fofocas e lamentações. Que tal, em vez de arrastar os pés, finalmente descobrir o prazer do trabalho? Quanto antes a mudança começar, mais cedo os resultados positivos virão. Era uma Vez uma Empresa GABRIEL GARCÍA DE ORO Como manter o emprego em um mercado tão competitivo? Qual o segredo dos profissionais que ocupam os cargos mais altos? Por que não devemos dar ouvidos a fofocas? Era uma Vez uma Empresa responde a essas questões de maneira original: por meio de fábulas. Se esses relatos servem de lição para as crianças, no mundo corporativo também podem ser usados como ferramenta de aprendizado. Com um texto agradável e bem-humorado, o autor buscou nas fábulas de Esopo, nos contos orientais e até mesmo em anedotas dos tempos de hoje uma forma descontraída de encarar os desafios empresariais. Ao final de cada capítulo, Gabriel García de Oro apresenta seus comentários e uma conclusão, no melhor estilo dos contos infantis. São mensagens inspiradoras que podem ajudar sua vida pessoal e profissional, como: -O maior inimigo do sucesso é o conformismo. -Dar ouvido a tudo o que os outros dizem pode levá-lo a fazer papel de bobo. -Toda informação deve passar pelos filtros da verdade, da bondade e da utilidade. -Qualquer ação motivada pela fúria está condenada ao fracasso. -Diante de problemas, não espere: aja. A Saga Brasileira: A Longa Luta de Um Povo por Sua Moeda MIRIAM LEITÃO Da hiperinflação ao plano real, passando pelos congelamentos, planos que não passavam de um verão e o confisco do governo Collor, Miriam Leitão mostra como os brasileiros sofreram até a estabilização da moeda. Um livro sobre a história econômica recente do país - já esquecida pelas novas gerações. Para a autora, governo que permitir uma inflação alta e descontrolada não terá a aprovação dos brasileiros. Em A Saga Brasileira, a longa luta de um povo por sua moeda, a jornalista trata desta história. Os personagens principais não são só ministros, presidentes do Banco Central, são principalmente os brasileiros. Miriam Leitão, jornalista e comentarista de economia que mais acompanhou os bastidores de toda a história recente da economia do Brasil até a estabilização. julho / agosto Revista SESVESP

8 empresas associadas abrevis Alagoas Nordeste Alagoas Vigilância e Transp. de Valores Ltda. Security Escola de Formação e Aperfeiçoamento em Segurança Ltda. Amazonas Amazon Security Ltda. ESP Especializada em Segurança Polonorte Segurança da Amazônia Ltda. Prosegur Brasil S/A SERSEP Segurança Patrimonial Ltda. Transexcel Segurança e Transporte de Valores Ltda. Visam Vigilância e Segurança da Amazônia Amazonas Polonorte Segurança da Amazônia Ltda. Prosegur Brasil S/A Transportadora de Valores e Segurança S&V Vigilância Patrimonial Ltda. Transexcel Segurança e Transporte de Valores Ltda. Ceará CSN - Corpo de Segurança do Nordeste North Segurança Ltda. Distrito Federal 5 Estrelas Sistema de Segurança Ltda. Espírito Santo Vigserv - Serviços de Vigilância e Segurança Ltda. VSG Vigilância e Segurança Em Geral Ltda. Goiás Escudo Vigilância e Segurança Ltda. Mato Grosso Integral Segurança e Vigilância Patrimonial Ltda. Sawage Empresa de Segurança e Vigilância Ltda. Mato Grosso do Sul Mega Segurança Ltda. Minas Gerais C.J.F. de Vigilância Ltda. Pará Puma Serv. Especializado em Vig. e Transp.Val. S/C Ltda Saga Serviços de Vigilância Ltda. Paraíba Nordeste Segurança de Valores Ltda. Pernambuco Liserve - Serviço de Vigilância Ltda. Preserve - Segurança e Transporte de Valores Ltda. Rio de Janeiro Arjo Segurança e Vigilância Ltda. Hercules Vigilância e Segurança Ltda. Husky Assessoria de Seg. e Serviços de Vigil. Ltda. Transegur Vigilância e Segurança Ltda. Rio Grande do Sul Empresa Portoalegrense de Vigilância Ltda. MD Serviços de Segurança Ltda. Mobra Serviços de Vigilância Ltda. Portoalegrense de Vigilância Ltda Rudder Segurança Ltda. SELTEC Vigilância Especializada Ltda. STV Segurança e Transporte de Valores Ltda. Vigitec Segurança Ltda. Rondônia Roma Segurança Ltda. Roraima Transvig Transporte de Valores e Vigilância Ltda. Santa Catarina Ondrepsb Serviços de Guarda e Vigilância Ltda. Onseg Serviços de Vigilância e Segurança Ltda. Sergipe Sacel Escola de Formação e Aperfeiçoamento ao Tiro Ltda. Sacel Serviço de Vigilância e Transporte de Valores Ltda. União Segurança Patrimonial São Paulo Adarga Serviços de Segurança e Vigilância Ltda. Alerta Serviços de Segurança S/C Ltda. Assegur Vigilância e Segurança Ltda. Blue Angels Segurança Privada e Transporte de Valores Ltda. Cadiz Segurança e Vigilância Ltda. Capital Serviços de Vigilância e Segurança Ltda Comando Segurança Especial S/C Ltda. Empresa de Seg. Bancária Domingues Paes Cia. Ltda. Empresa Nacional de Segurança Ltda. Engefort Sistema Avançado de Segurança Ltda. Engeseg Empresa de Vigilância Computadorizada Ltda. Escolta Serviços de Vigilância e Segurança Ltda. Essencial Sistema de Segurança Ltda. Ethics Serviço de Vigilância e Segurança Ltda. Evik Segurança e Vigilância Ltda. Fort Knox Sistemas de Segurança S/C Ltda. Garantia Real Empresa de Segurança S/C Ltda. Gocil Serviços de Segurança e Vigilância S/C Ltda. GP Guarda Patrimonial de São Paulo S/C Ltda. Graber Sistemas de Segurança Ltda. Grasp Sistemas e Comércio Ltda. Impacto Serviços de Segurança Ltda. Infratec Segurança e Vigilância Ltda. Iron Segurança Especializada Ltda. Loyal Serviços de Vigilância Ltda. Macor Segurança e Vigilância Ltda. Mão Forte Vigilância e Segurança Ltda. Master Security Segurança Patrimonial Ltda. Metropole Segurança e Vigilância Ltda. MS Serviços de Segurança Privada Ltda. Muralha Segurança Privada Ltda. Orpan - Organização Panamericana de Segurança Patrimonial Ltda. Pentágono Serviços de Segurança Ltda. Plansevig Planej. Segurança e Vigilância S/C Ltda. Port Segurança Especializada Ltda Power Segurança e Vigilância Ltda. Prevenção Vigilância e Segurança Ltda. Proevi - Proteção Especial de Vigilância Ltda. Protege S/A Proteção e Transporte de Valores RRJ - Transporte de Valores, Segurança e Vigilância Ltda. Scorpions Centro de Formação de Vigilantes S/C Ltda. Security Vigilância e Segurança Ltda. Serv. Esp. de Seg. e Vig. Internas Sesvi de São Paulo Ltda. Soldier Segurança S/C Ltda. Souza Lima Segurança Patrimonial Ltda. SP Interseg Sistemas de Segurança Ltda. Starseg Segurança Empresarial Ltda. Stay Work Segurança Ltda. Suhai Segurança e Vigilância Ltda. Suporte Serviços de Segurança Ltda. Suprema Segurança Patrimonial Ltda. Top Premium Segurança e Vigilância Ltda. Treze Listas Segurança e Vigilância Ltda. União Segurança Patrimonial Ltda. Vanguarda Segurança e Vigilância Ltda. Verzani & Sandrini Segurança Patrimonial Ltda. Vise Vigilância e Segurança Ltda. ABREVIS em revista 9 julho / agosto 2011

em revista Debates promovem o aperfeiçoamento do Preparo Profissional do Vigilante Fesesul marca presença em Jantar de Final de Ano do SESVESP

em revista Debates promovem o aperfeiçoamento do Preparo Profissional do Vigilante Fesesul marca presença em Jantar de Final de Ano do SESVESP em revista Nesta edição: página2 página3 página4 página6 Debates promovem o aperfeiçoamento do Preparo Profissional do Vigilante Fesesul marca presença em Jantar de Final de Ano do SESVESP Graber conquista

Leia mais

em revista Sempre aqui página 7 Leitura página 8 Associados Rumos da Segurança Privada no Brasil

em revista Sempre aqui página 7 Leitura página 8 Associados Rumos da Segurança Privada no Brasil em revista NESTA EDIÇÃO: página2 página3 página4 página5 página6 Rumos da Segurança Privada no Brasil Curso de Aperfeiçoamento em Gestão e Controle da Segurança Privada Balanço da Justiça do Trabalho aponta

Leia mais

em revista Sempre aqui página 7 Leitura página 8 Associados Stewards e Treinamento: Um Compromisso das Empresas

em revista Sempre aqui página 7 Leitura página 8 Associados Stewards e Treinamento: Um Compromisso das Empresas em revista NESTA EDIÇÃO: página2 página3 página5 página6 Stewards e Treinamento: Um Compromisso das Empresas Segurança... Quando tudo vai bem ou quando tudo vai mal? Segurança sempre! Palestra Sobre Segurança

Leia mais

em revista Sempre aqui Tempo de Reinventar Presidente da ABREVIS recebe Prêmio Destaque 2014 A Fiscalização de Furtos no Trabalho página2 página3

em revista Sempre aqui Tempo de Reinventar Presidente da ABREVIS recebe Prêmio Destaque 2014 A Fiscalização de Furtos no Trabalho página2 página3 em revista NESTA EDIÇÃO: página2 Tempo de Reinventar página3 Presidente da ABREVIS recebe Prêmio Destaque 2014 página4 A Fiscalização de Furtos no Trabalho Sempre aqui página 7 Sugestões de Leitura página

Leia mais

em Revista TERCEIRIZAÇÃO: Fato irreversível Paraguai sedia 5º encontro da segurança privada do Mercosul

em Revista TERCEIRIZAÇÃO: Fato irreversível Paraguai sedia 5º encontro da segurança privada do Mercosul em Revista TERCEIRIZAÇÃO: Fato irreversível Paraguai sedia 5º encontro da segurança privada do Mercosul Substituição do Certificado de Registro Original de Armas de Fogo por cópias EDITORIAL ABREVIS TERCEIRIZAÇÃO,

Leia mais

RELATÓRIO AÇÕES DE PERICULOSIDADE SEEVISSP Atualizada em 13/02/2013

RELATÓRIO AÇÕES DE PERICULOSIDADE SEEVISSP Atualizada em 13/02/2013 RELATÓRIO AÇÕES DE PERICULOSIDADE SEEVISSP Atualizada em 13/02/2013 EMPRESA PROC. Nº 1. AÇOFORTE SEGURANÇA E VIGILÂNCIA LTDA 2. ADARGA SERVIÇOS DE VIGILÂNCIA LTDA 3. AGESSE SEGURANÇA PATRIMONIAL LTDA 4.

Leia mais

em revista Sempre aqui página 7 Leitura página 8 Associados Um momento de reflexão Belfort: 23 anos de inteligência e excelência em segurança

em revista Sempre aqui página 7 Leitura página 8 Associados Um momento de reflexão Belfort: 23 anos de inteligência e excelência em segurança em revista NESTA EDIÇÃO: página2 Um momento de reflexão página3 Projeto Soldado Cidadão página4 página6 Belfort: 23 anos de inteligência e excelência em segurança Brenner Bianco: produção musical inovadora

Leia mais

em revista Sempre aqui página 7 Leitura página 8 Associados A falecida CLT brasileira Pescando oportunidades! Liderança questionada

em revista Sempre aqui página 7 Leitura página 8 Associados A falecida CLT brasileira Pescando oportunidades! Liderança questionada em revista NESTA EDIÇÃO: página2 A falecida CLT brasileira página3 página4 ABREVIS e ABSESP apresentam reivindicações ao novo Ministro do Trabalho, Manoel Dias Pescando oportunidades! página6 Liderança

Leia mais

Companheiros e companheiras,

Companheiros e companheiras, Companheiros e companheiras, Utilizada sob o falso argumento de modernizar as relações de trabalho e garantir a especialização no serviço, a terceirização representa na realidade uma forma de reduzir o

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS

Leia mais

Entendendo custos, despesas e preço de venda

Entendendo custos, despesas e preço de venda Demonstrativo de Resultados O empresário e gestor da pequena empresa, mais do que nunca, precisa dedicar-se ao uso de técnicas e instrumentos adequados de gestão financeira, para mapear a situação do empreendimento

Leia mais

C L I P P I N G DATA: 04.11.2015

C L I P P I N G DATA: 04.11.2015 C L I P P I N G DATA: 04.11.2015 DESTAQUE SINDESP/DF participa do Sicomércio 2015 no Rio de Janeiro Durante três dias, líderes da representação sindical dos empresários do comércio e serviços de todo o

Leia mais

ROTEIRO DE ESTUDOS DIREITO DO TRABALHO TERCEIRIZAÇÃO

ROTEIRO DE ESTUDOS DIREITO DO TRABALHO TERCEIRIZAÇÃO ROTEIRO DE ESTUDOS DIREITO DO TRABALHO TERCEIRIZAÇÃO Estudamos até o momento os casos em que há vínculo empregatício (relação bilateral, nas figuras de empregado e empregador) e, também, casos em que existe

Leia mais

Tabela 1 - Conta de produção por operações e saldos, segundo as Grandes Regiões e as Unidades da Federação - 2004-2008

Tabela 1 - Conta de produção por operações e saldos, segundo as Grandes Regiões e as Unidades da Federação - 2004-2008 (continua) Produção 5 308 622 4 624 012 4 122 416 3 786 683 3 432 735 1 766 477 1 944 430 2 087 995 2 336 154 2 728 512 Consumo intermediário produtos 451 754 373 487 335 063 304 986 275 240 1 941 498

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES IMOBILIÁRIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES IMOBILIÁRIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Estados Norte 7.938 0,37 0 0,00-7.938 0,37

Leia mais

FLUXO DE ATIVIDADES DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO DE ATIVIDADES DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO DE ATIVIDADES DE PRESTAÇÃO DE DE INFORMAÇÃO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO DE, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA -

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES DOS SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES DOS SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES DOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

Leia mais

A REFORMA DA LEI DAS SOCIEDADES ANÔNIMAS

A REFORMA DA LEI DAS SOCIEDADES ANÔNIMAS A REFORMA DA LEI DAS SOCIEDADES ANÔNIMAS Tocantins Advogados TERCEIRIZAÇÃO * * * * PROJETO DE LEI - 4.330/04 CENÁRIO ATUAL Não existe lei de terceirização, mas sim, lei de trabalho temporário (Lei 6.019/74)

Leia mais

SÃO PAULO 57574154000104 EMBRASE EMPRESA BRASILEIRA DE SEGURANÇA E VIGILÂNCIA LTDA SÃO PAULO SP Matriz Ativa 19/01/2016 SÃO PAULO 2426907000495

SÃO PAULO 57574154000104 EMBRASE EMPRESA BRASILEIRA DE SEGURANÇA E VIGILÂNCIA LTDA SÃO PAULO SP Matriz Ativa 19/01/2016 SÃO PAULO 2426907000495 FILTRO: UF UF: SP GRUPO: Empresa de Segurança Privada TIPO DE SEGURANÇA PRIVADA: Empresa Especializada ATIVIDADES: Escolta Armada SITUAÇÕES: Ativa, Ativa em Razão de Efeito Suspensivo UF CNPJ Razão Social

Leia mais

Projeto de Lei nº. 4.330/14 Terceirização

Projeto de Lei nº. 4.330/14 Terceirização São Paulo, 28 de Abril de 2015 Projeto de Lei nº. 4.330/14 Terceirização Objetivos da Terceirização Aumentar a produtividade e reduzir custos. Aumento de qualidade em razão da especialização das empresas

Leia mais

FLUXO TRANSPORTE AQUAVIÁRIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO TRANSPORTE AQUAVIÁRIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Estados Norte 0 0,00 0 0 0 0,00 Rondônia

Leia mais

http://diariodocongresso.com.br/novo/2011/09/expresso-livre-alcanca-20-mil-usuarios...

http://diariodocongresso.com.br/novo/2011/09/expresso-livre-alcanca-20-mil-usuarios... Page 1 of 8 Diário do Congresso Os Bastidores do Poder On-line Os Bastidores do Poder On-line Capa Senado Câmara Entrevistas Artigos Blogs Opinião Partidos Políticos Pesquise no DC 1ª Página Jornais 1ª

Leia mais

Grandes Regiões e Unidades da Federação: Esperança de vida ao nascer segundo projeção populacional: 1980, 1991-2030 - Ambos os sexos

Grandes Regiões e Unidades da Federação: Esperança de vida ao nascer segundo projeção populacional: 1980, 1991-2030 - Ambos os sexos e Unidades da Federação: Esperança de vida ao nascer segundo projeção populacional: 1980, 1991-2030 - Ambos os sexos Unidades da Federação 1980 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002

Leia mais

Boletim Informativo* Agosto de 2015

Boletim Informativo* Agosto de 2015 Boletim Informativo* Agosto de 2015 *Documento atualizado em 15/09/2015 (Erratas páginas 2, 3, 4 e 9) EXTRATO GERAL BRASIL 1 EXTRATO BRASIL 396.399.248 ha 233.712.312 ha 58,96% Número de Imóveis Cadastrados²:

Leia mais

CONDOMÍNIO - DIREITOS E DEVERES DOS EMPREGADOS E DO SÍNDICO

CONDOMÍNIO - DIREITOS E DEVERES DOS EMPREGADOS E DO SÍNDICO CONDOMÍNIO - DIREITOS E DEVERES DOS EMPREGADOS E DO SÍNDICO Objetivo: Mostrar os direitos e os deveres de cada um: atribuições, responsabilidades, o que é permitido e o que é vedado, bem como expor aspectos

Leia mais

PROJETO DE LEI N o, DE 2009

PROJETO DE LEI N o, DE 2009 PROJETO DE LEI N o, DE 2009 (Do Sr. NELSON GOETTEN) Altera o Decreto-Lei nº 3.689, de 1941 Código de Processo Penal. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Esta lei altera o Decreto-Lei nº 3.689, de 1941

Leia mais

Exclusão nos equipamentos culturais e potencial do Vale Cultura no Brasil

Exclusão nos equipamentos culturais e potencial do Vale Cultura no Brasil Exclusão nos equipamentos culturais e potencial do Vale Cultura no Brasil Fundação Perseu Abramo Partido dos Trabalhadores Exclusão nos equipamentos culturais e potencial do Vale Cultura no Brasil Março

Leia mais

FLUXO FABRICAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES, REBOQUES E CARROCERIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO FABRICAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES, REBOQUES E CARROCERIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO FABRICAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES, REBOQUES E CARROCERIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO

Leia mais

Informações sobre salários e escolaridade dos professores e comparativo com não-professores

Informações sobre salários e escolaridade dos professores e comparativo com não-professores Informações sobre salários e escolaridade dos professores e comparativo com não-professores Total de profissionais, independentemente da escolaridade 2003 2007 2008 Professores da Ed Básica (públicas não

Leia mais

Terceirização: o que é? terceirização

Terceirização: o que é? terceirização Terceirização: o que é? A terceirização é o processo pelo qual uma empresa deixa de executar uma ou mais atividades realizadas por trabalhadores diretamente contratados por ela, e as transfere para outra

Leia mais

1 Informações diversas Projeto de Terceirização A Câmara dos Deputados concluiu dia 22/04 a votação do projeto de lei que regulamenta contratos de terceirização. O texto principal foi aprovado no último

Leia mais

QUANTIDADE DE INSCRITOS NO SISTEMA COFECI-CRECI

QUANTIDADE DE INSCRITOS NO SISTEMA COFECI-CRECI QUANTIDADE DE INSCRITOS NO SISTEMA COFECI-CRECI PESSOA JURÍDICA E PESSOA FÍSICA MARÇO/2015 Brasília - DF A KUSER S/A APRESENTA LEVANTAMENTO DA QUANTIDADE DE CORRETORES DE IMÓVEIS, IMOBILIÁRIAS E DEMAIS

Leia mais

TERCEIRIZAÇÃO MONITORAMENTO ALARME E IMAGENS SEGURANÇA PESSOAL VIGILÂNCIA DESARMADA SHOWS E EVENTOS PLANO DE SEGURANÇA

TERCEIRIZAÇÃO MONITORAMENTO ALARME E IMAGENS SEGURANÇA PESSOAL VIGILÂNCIA DESARMADA SHOWS E EVENTOS PLANO DE SEGURANÇA PARA SUA SEGURANÇA Histórico Fundada em 1997, com atividade comercial para serviços especializados de vigilância e segurança privada, obtendo junto ao Departamento de Polícia Federal, autorização de funcionamento

Leia mais

AS RECENTES MUDANÇAS NAS VAGAS DOS LEGISLATIVOS MUNICIPAIS DO BRASIL

AS RECENTES MUDANÇAS NAS VAGAS DOS LEGISLATIVOS MUNICIPAIS DO BRASIL Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 18 a 22 de outubro, 2010 770 AS RECENTES MUDANÇAS NAS VAGAS DOS LEGISLATIVOS MUNICIPAIS DO BRASIL Tiago Valenciano Mestrando do Programa de

Leia mais

Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009

Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009 Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Diretoria de Pesquisas Coordenação detrabalho e Rendimento Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES FINANCEIRAS, DE SEGUROS E SERVIÇOS RELACIONADOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES FINANCEIRAS, DE SEGUROS E SERVIÇOS RELACIONADOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES FINANCEIRAS, DE SEGUROS E RELACIONADOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS E SERVIÇOS COMPLEMENTARES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS E SERVIÇOS COMPLEMENTARES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS E COMPLEMENTARES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

Leia mais

Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira NOVO RATEIO DOS RECURSOS DO FUNDO DE PARTICIPAÇÃO DOS ESTADOS

Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira NOVO RATEIO DOS RECURSOS DO FUNDO DE PARTICIPAÇÃO DOS ESTADOS Nota Técnica 7/13 (7 de Maio) Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira Núcleo de Assuntos Econômico-Fiscais NOVO RATEIO DOS RECURSOS DO FUNDO DE PARTICIPAÇÃO DOS ESTADOS IMPACTOS DA DIVISÃO DO

Leia mais

Abrangência da terceirização

Abrangência da terceirização Reportagem especial explica os pontos polêmicos do projeto da terceirização A proposta que regulamenta a terceirização no Brasil e derrubou a reunião da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania

Leia mais

FECOMÉRCIO VEÍCULO: TRIBUNA DO NORTE DATA: 28.10.15 EDITORIA: ECONOMIA/ NEGÓCIOS E FINANÇAS

FECOMÉRCIO VEÍCULO: TRIBUNA DO NORTE DATA: 28.10.15 EDITORIA: ECONOMIA/ NEGÓCIOS E FINANÇAS FECOMÉRCIO VEÍCULO: TRIBUNA DO NORTE DATA: 28.10.15 EDITORIA: ECONOMIA/ NEGÓCIOS E FINANÇAS VEÍCULO: PORTAL NO AR DATA: 28.10.15 Em 27 de outubro de 2015 às 08:54 Economia Senac-RN promove ciclo de palestras

Leia mais

PROJETO DE LEI DA CUT PARA A REGULAMENTAÇÃO DA TERCEIRIZAÇÃO NAS EMPRESAS PRIVADAS E DE ECONOMIA MISTA

PROJETO DE LEI DA CUT PARA A REGULAMENTAÇÃO DA TERCEIRIZAÇÃO NAS EMPRESAS PRIVADAS E DE ECONOMIA MISTA PROJETO DE LEI DA CUT PARA A REGULAMENTAÇÃO DA TERCEIRIZAÇÃO NAS EMPRESAS PRIVADAS E DE ECONOMIA MISTA O texto que se segue foi elaborado pela CUT, por meio do GT Terceirização, coordenado pela Secretaria

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA SOBRE TERCEIRIZAÇÃO - TST -

AUDIÊNCIA PÚBLICA SOBRE TERCEIRIZAÇÃO - TST - AUDIÊNCIA PÚBLICA SOBRE TERCEIRIZAÇÃO - TST - (4 e 5 de outubro de 2011) PROF. LÍVIO GIOSA PROF. LÍVIO GIOSA Administrador de Empresas com Pós Graduação em Business Administration pela New York University

Leia mais

Palestras Gerenciais EMPREENDEDORISMO O CAMINHO PARA O PRÓPRIO NEGÓCIO. Manual do participante

Palestras Gerenciais EMPREENDEDORISMO O CAMINHO PARA O PRÓPRIO NEGÓCIO. Manual do participante Palestras Gerenciais EMPREENDEDORISMO O CAMINHO PARA O PRÓPRIO NEGÓCIO Manual do participante Autoria: Renato Fonseca de Andrade Responsáveis pela atualização: Consultores da Unidade de Orientação Empresarial

Leia mais

Pesquisa Hábitos do Consumidor da Classe C. 2014 Copyright Boa Vista Serviços 1

Pesquisa Hábitos do Consumidor da Classe C. 2014 Copyright Boa Vista Serviços 1 Pesquisa Hábitos do Consumidor da Classe C 2014 Copyright Boa Vista Serviços 1 Índice Objetivo, metodologia e amostra... 03 Perfil dos Respondentes... 04 Principais constatações sobre os hábitos de consumo

Leia mais

setembro de 2014 Fundação Perseu Abramo - Partido dos Trabalhadores MUDANÇA REGIONAL E DESIGUALDADE DE RENDA NO BRASIL

setembro de 2014 Fundação Perseu Abramo - Partido dos Trabalhadores MUDANÇA REGIONAL E DESIGUALDADE DE RENDA NO BRASIL 15 setembro de 2014 Fundação Perseu Abramo - Partido dos Trabalhadores MUDANÇA REGIONAL E DESIGUALDADE DE RENDA NO BRASIL Expediente Esta é uma publicação da Fundação Perseu Abramo. Diretoria Executiva

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO RELATOR LUIZ FUX DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO RELATOR LUIZ FUX DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO RELATOR LUIZ FUX DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL ARE N 713.211 CEBRASSE CENTRAL BRASILEIRA DO SETOR DE SERVIÇOS, entidade associativa de âmbito nacional, inscrita no CNPJ:

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DO CAPITAL SOCIAL NO BRASIL: UMA ANÁLISE DOS PADRÕES RECENTES

DISTRIBUIÇÃO DO CAPITAL SOCIAL NO BRASIL: UMA ANÁLISE DOS PADRÕES RECENTES DISTRIBUIÇÃO DO CAPITAL SOCIAL NO BRASIL: UMA ANÁLISE DOS PADRÕES RECENTES Barbara Christine Nentwig Silva Professora do Programa de Pós Graduação em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Social /

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI N 0 4.330, DE 2004 Dispõe sobre o contrato de prestação de serviço a terceiros e as relações de trabalho dele decorrentes. Autor: Deputado

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Controle de Ponto do Trabalhador terceirizado

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Controle de Ponto do Trabalhador terceirizado Controle de Ponto do Trabalhador terceirizado 13/11/2013 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 5 5. Informações

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2004

PROJETO DE LEI Nº, DE 2004 PROJETO DE LEI Nº, DE 2004 (Do Sr. Sandro Mabel) Dispõe sobre o contrato de prestação de serviço a terceiros e as relações de trabalho dele decorrentes. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Esta Lei regula

Leia mais

Tutorial Novo Sistema de Intimações da OAB SP

Tutorial Novo Sistema de Intimações da OAB SP Tutorial Novo Sistema de Intimações da OAB SP O sistema de intimações da OAB SP está de cara nova. Mais rápido, eficiente, organizado e cobrindo maior número de diários oficiais, o serviço foi projetado

Leia mais

Mídia Impressa Anuários ConJur. Consultor Jurídico. conjur.com.br

Mídia Impressa Anuários ConJur. Consultor Jurídico. conjur.com.br Mídia Impressa s ConJur Consultor Jurídico Apresentação 03 Brasil Brazil Justice Yearbook do Trabalho Federal Rio de Janeiro 04 05 06 07 08 ão Paulo 09 Especificações e calendário 10 Contato 11 www. ConJur

Leia mais

Qualidade na saúde. Mais recursos para o SUS, universalização do acesso e humanização das relações dos profissionais da saúde com os pacientes.

Qualidade na saúde. Mais recursos para o SUS, universalização do acesso e humanização das relações dos profissionais da saúde com os pacientes. Qualidade na saúde Mais recursos para o SUS, universalização do acesso e humanização das relações dos profissionais da saúde com os pacientes. Qualidade na saúde Essa iniciativa da CNTU, em conjunto com

Leia mais

A P R E S E N T A Ç Ã O D I G I T A L

A P R E S E N T A Ç Ã O D I G I T A L APRESENTAÇÃO DIGITAL APRESENTAÇÃO Investimento contínuo em qualificação. Adequação às necessidades do cliente. Ética e Gestão Profissional. Esses são os principais pilares que nortearam a fundação do Escritório

Leia mais

Odesenvolvimento da pesquisa Assistência Médico-Sanitária - AMS,

Odesenvolvimento da pesquisa Assistência Médico-Sanitária - AMS, Análise de alguns indicadores da pesquisa Odesenvolvimento da pesquisa Assistência Médico-Sanitária - AMS, com seu caráter censitário junto aos estabelecimentos de saúde, tem sido um elemento valioso para

Leia mais

Resumo Aula-tema 03: Relações de Trabalho: empregado x empregador. Terceirização.

Resumo Aula-tema 03: Relações de Trabalho: empregado x empregador. Terceirização. Resumo Aula-tema 03: Relações de Trabalho: empregado x empregador. Terceirização. O Direito do Trabalho não se preocupa apenas e tão somente com as relações entre empregado e empregador. Sua abrangência

Leia mais

Dimensão social. Educação

Dimensão social. Educação Dimensão social Educação 218 Indicadores de desenvolvimento sustentável - Brasil 2004 36 Taxa de escolarização Representa a proporção da população infanto-juvenil que freqüenta a escola. Descrição As variáveis

Leia mais

Figura 1: Distribuição de CAPS no Brasil, 25. RORAIMA AMAPÁ AMAZONAS PARÁ MARANHÃO CEARÁ RIO GRANDE DO NORTE PAIUÍ PERNAMBUCO ACRE ALAGOAS SERGIPE TOCANTINS RONDÔNIA PARAÍBA BAHIA MATO GROSSO DISTRITO

Leia mais

DIREITO TRABALHO. Análise da Súmula 331 do TST (texto atualizado cf. Res. 174/2011 TST) PROFESSORA EVELIN POYARES

DIREITO TRABALHO. Análise da Súmula 331 do TST (texto atualizado cf. Res. 174/2011 TST) PROFESSORA EVELIN POYARES DIREITO TRABALHO Análise da Súmula 331 do TST (texto atualizado cf. Res. 174/2011 TST) PROFESSORA EVELIN POYARES Análise da Súmula 331 do TST (texto atualizado cf. Res. 174/2011 TST) O artigo de hoje é

Leia mais

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO CTASP. PROJETO DE LEI Nº 39-A, DE 1999 (Do Sr. Paulo Rocha)

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO CTASP. PROJETO DE LEI Nº 39-A, DE 1999 (Do Sr. Paulo Rocha) COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO CTASP PROJETO DE LEI Nº 39-A, DE 1999 (Do Sr. Paulo Rocha) Dispõe sobre a Regulamentação da Profissão de Agente de Segurança Privada e dá outras

Leia mais

100 vezes Boletim. nº 100 - Brasília, 05 de Setembro de 2008

100 vezes Boletim. nº 100 - Brasília, 05 de Setembro de 2008 nº 100 - Brasília, 05 de Setembro de 2008 100 vezes Boletim Você acaba de receber o Boletim Digital de número 100. Esse veículo vem contando, há quase dois anos e meio, a história da consolidação da Infra

Leia mais

do estado do Rio Grande do Sul lidera o ranking estadual com 221%, seguido por Minas Gerais na vice-liderança, com 179%.

do estado do Rio Grande do Sul lidera o ranking estadual com 221%, seguido por Minas Gerais na vice-liderança, com 179%. IBEF apoia reequilíbrio das dívidas dos estados e municípios com a União Pernambuco está em situação confortável se comparado a outros estados. Confira os números O Instituto Brasileiro de Executivos de

Leia mais

NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES

NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES Por cerca de 50 anos, a série Boletim Verde descreve como a John Deere conduz os negócios e coloca seus valores em prática. Os boletins eram guias para os julgamentos e as

Leia mais

Portal TRILHAS em números

Portal TRILHAS em números Portal TRILHAS Portal TRILHAS em números Projeção dos Acessos Número de usuários cadastrados: 14.289 * - 20.381 acessos (duração aproximada de 15 minutos); - 12 páginas, em média, acessadas por visita.

Leia mais

FLUXO TELECOMINICAÇÕES COM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO TELECOMINICAÇÕES COM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO TELECOMINICAÇÕES COM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO TELECOMINICAÇÕES COM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

Boletim Informativo. Junho de 2015

Boletim Informativo. Junho de 2015 Boletim Informativo Junho de 2015 Extrato Geral Brasil 1 EXTRATO BRASIL ÁREA ** 397.562.970 ha 227.679.854 ha 57,27% Número de Imóveis cadastrados: 1.727.660 Observações: Dados obtidos do Sistema de Cadastro

Leia mais

março de 2014 Fundação Perseu Abramo - Partido dos Trabalhadores A DINÂMICA RECENTE DO MERCADO DE TRABALHO BRASILEIRO: O EMPREGO

março de 2014 Fundação Perseu Abramo - Partido dos Trabalhadores A DINÂMICA RECENTE DO MERCADO DE TRABALHO BRASILEIRO: O EMPREGO 12 março de 2014 Fundação Perseu Abramo - Partido dos Trabalhadores A DINÂMICA RECENTE DO MERCADO DE TRABALHO BRASILEIRO: O EMPREGO Expediente Esta é uma publicação da Fundação Perseu Abramo. Diretoria

Leia mais

CARTILHA DA LEI DE PROTEÇÃO AO TRABALHADOR TERCEIRIZADO

CARTILHA DA LEI DE PROTEÇÃO AO TRABALHADOR TERCEIRIZADO CARTILHA DA LEI DE PROTEÇÃO AO TRABALHADOR TERCEIRIZADO Mais segurança e benefícios para 40 milhões de brasileiros Chegou a vez do trabalhador terceirizado. Depois de nove anos de debates, negociações

Leia mais

CARTILHA DA LEI DE PROTEÇÃO AO TRABALHADOR TERCEIRIZADO

CARTILHA DA LEI DE PROTEÇÃO AO TRABALHADOR TERCEIRIZADO CARTILHA DA LEI DE PROTEÇÃO AO TRABALHADOR TERCEIRIZADO Mais segurança e benefícios para 40 milhões de brasileiros Chegou a vez do trabalhador terceirizado. Depois de nove anos de debates, negociações

Leia mais

Impactos da Lei Geral (LG) nas Micro e Pequenas Empresas no Brasil

Impactos da Lei Geral (LG) nas Micro e Pequenas Empresas no Brasil Impactos da Lei Geral (LG) nas Micro e Pequenas Empresas no Brasil Observatório das MPEs SEBRAE-SP Março/2008 1 Características da pesquisa Objetivos: Identificar o grau de conhecimento e a opinião dos

Leia mais

E já surgia vitoriosa! Pois todos os vetos de Goulart foram rejeitados.

E já surgia vitoriosa! Pois todos os vetos de Goulart foram rejeitados. Senhoras e senhores Companheiros da Radiodifusão, É para mim e para todos os meus colegas da ABERT uma enorme alegria e uma honra receber tantos amigos e presenças ilustres nesta noite em que comemoramos

Leia mais

Constituído em 1990, no início das grandes discussões tributárias no país, sob a

Constituído em 1990, no início das grandes discussões tributárias no país, sob a 02 Perfil: Colângelo e Corrêa Advogados e Consultores tornou-se referência de vanguarda, seriedade e eficiência no ramo do direito tributário, prestando relevantes serviços para empresas nacionais e estrangeiras.

Leia mais

PROCEDIMENTOS E CONTROLES INTERNOS

PROCEDIMENTOS E CONTROLES INTERNOS AGI.01 1ª 1 / 7 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 2 2. INTRODUÇÃO... 2 3. ABRANGÊNCIA E APLICABILIDADE... 2 4. PRINCÍPIOS GERAIS... 2 5. COLABORADORES... 3 A Conduta Pessoal e Profissional... 3 B Condutas não Aceitáveis...

Leia mais

CARTILHA DE ORIENTAÇÃO SOBRE A LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL

CARTILHA DE ORIENTAÇÃO SOBRE A LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO CARTILHA DE ORIENTAÇÃO SOBRE A LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL 1. O que é a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF)? A Lei de Responsabilidade Fiscal é um código

Leia mais

A TERCEIRIZAÇÃO E SEUS EFEITOS NA RELAÇÃO TRABALHISTA

A TERCEIRIZAÇÃO E SEUS EFEITOS NA RELAÇÃO TRABALHISTA A TERCEIRIZAÇÃO E SEUS EFEITOS NA RELAÇÃO TRABALHISTA Luciano Rocha Mariano 1 Limita-se o presente tema acerca da terceirização perante o Direito do Trabalho, focado no âmbito empresarial privado. De plano,

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL S I N A P I RESULTADOS DE NOVEMBRO/09

SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL S I N A P I RESULTADOS DE NOVEMBRO/09 SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL S I N A P I RESULTADOS DE NOVEMBRO/09 COMENTÁRIOS Índice Nacional da Construção Civil apresentou variação de 0,33% em novembro O Índice

Leia mais

PACTO PELA VIDA ANIMAL REDE DE DEFESA ANIMAL

PACTO PELA VIDA ANIMAL REDE DE DEFESA ANIMAL Pernambuco, 2012 PACTO PELA VIDA ANIMAL REDE DE DEFESA ANIMAL DOCUMENTO DE TRABALHO Sobre um Plano de Ação relativo à Proteção e ao Bem-Estar dos Animais 2012-2015 Base estratégica das ações propostas

Leia mais

Alimentação saudável, contra o uso abusivo de agrotóxicos

Alimentação saudável, contra o uso abusivo de agrotóxicos Alimentação saudável, contra o uso abusivo de agrotóxicos Alimento adequado e seguro é direito da população, e o uso indiscriminado de agrotóxicos envenena o planeta. Alimentação saudável, contra o uso

Leia mais

Comentários sobre os Indicadores de Mortalidade

Comentários sobre os Indicadores de Mortalidade C.9 Taxa de mortalidade por causas externas O indicador mede o número de óbitos por causas externas (conjunto de acidentes e violências) por 1. habitantes, estimando o risco de morrer por essas causas.

Leia mais

Lançamento do Planejamento Estratégico Nacional Brasília, 09 de novembro de 2011

Lançamento do Planejamento Estratégico Nacional Brasília, 09 de novembro de 2011 Lançamento do Planejamento Estratégico Nacional Brasília, 09 de novembro de 2011 1 Lançamento do Planejamento Estratégico Nacional Brasília, 09 de novembro de 2011 2 Planejamento Estratégico Nacional do

Leia mais

COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO VOTO EM SEPARADO DO DEPUTADO RONALDO FONSECA

COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO VOTO EM SEPARADO DO DEPUTADO RONALDO FONSECA COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO PROJETO DE LEI N 0 5.618, DE 2005 (Apensados os Projetos de Lei nº 7.456, de 2006 e nº 7.741, de 2010) Dispõe sobre a regulamentação da profissão

Leia mais

EDITAL DE ELEIÇÃO E CONSTITUIÇÃO DOS CONSELHOS DE USUÁRIOS DA SKY

EDITAL DE ELEIÇÃO E CONSTITUIÇÃO DOS CONSELHOS DE USUÁRIOS DA SKY EDITAL DE ELEIÇÃO E CONSTITUIÇÃO DOS CONSELHOS DE USUÁRIOS DA SKY São convocados os senhores Usuários dos serviços de Telecomunicações e as associações ou entidades que possuam em seu objeto social características

Leia mais

ARTIGO II MODALIDADES DE COOPERAÇÃO

ARTIGO II MODALIDADES DE COOPERAÇÃO MEMORANDO DE ENTENDIMENTO ENTRE O BRITISH COUNCIL DO REINO UNIDO DA GRÃ-BETANHA E IRLANDA DO NORTE E O CONSELHO NACIONAL DAS FUNDAÇÃO ESTADUAIS DE AMPARO À PESQUISA O British Council do Reino Unido da

Leia mais

5º. Congresso Brasileiro de Gestão em Laboratórios Clínicos. As perspectivas para o setor mediante as demandas trabalhistas

5º. Congresso Brasileiro de Gestão em Laboratórios Clínicos. As perspectivas para o setor mediante as demandas trabalhistas 5º. Congresso Brasileiro de Gestão em Laboratórios Clínicos As perspectivas para o setor mediante as demandas trabalhistas São Paulo 11.02.2011 Josenir Teixeira Advogado UniFMU - 1993 Mestre em Direito

Leia mais

TERCEIRIZAÇÃO NA CÂMARA DOS DEPUTADOS

TERCEIRIZAÇÃO NA CÂMARA DOS DEPUTADOS TERCEIRIZAÇÃO NA CÂMARA DOS DEPUTADOS Projeto de Lei 4330 de 2004 (Autor Dep. Sandro Mabel) Aprovado na CDEIC e CTASP COMISSÃO ESPECIAL Relator Dep. Roberto Santiago CCJC Relator Dep. Arthur Maia Comissão

Leia mais

8º.Seminário de Qualificação do Servidor Público Municipal

8º.Seminário de Qualificação do Servidor Público Municipal 8º.Seminário de Qualificação do Servidor Público Municipal FUP Federação Única dos Petroleiros Secretaria de Relações Internacionais e Setor Privado Anselmo Ernesto Ruoso Jr. Porto Alegre, 10 de maio de

Leia mais

S I N O P S E S I N D I C A L J U N H O D E 2 0 0 8

S I N O P S E S I N D I C A L J U N H O D E 2 0 0 8 S I N O P S E S I N D I C A L J U N H O D E 2 0 0 8 ADICIONAL DE INSALUBRIDADE. MUDANÇA DA BASE DE CÁLCULO. Doravante as empresas deverão estar atentas à questão envolvendo o pagamento do adicional de

Leia mais

Boletim Informativo. Maio de 2015. * Errata: Tabela Fonte de Dados - Por Estado

Boletim Informativo. Maio de 2015. * Errata: Tabela Fonte de Dados - Por Estado Boletim Informativo Maio de 2015 * Errata: Tabela Fonte de Dados - Por Estado Extrato Geral Brasil EXTRATO BRASIL ÁREA ** 397.562.970 ha 212.920.419 ha 53,56 % Número de Imóveis cadastrados: 1.530.443

Leia mais

Remuneração de Dirigentes de Entidades Sem Fins Lucrativos

Remuneração de Dirigentes de Entidades Sem Fins Lucrativos Remuneração de Dirigentes de Entidades Sem Fins Lucrativos Tomáz de Aquino Resende Promotor de Justiça. Coordenador do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Tutela de Fundações de Minas Gerais.

Leia mais

PALESTRA: ADVOCACIA TRABALHISTA PREVENTIVA EM EMPRESAS

PALESTRA: ADVOCACIA TRABALHISTA PREVENTIVA EM EMPRESAS PALESTRA: ADVOCACIA TRABALHISTA PREVENTIVA EM EMPRESAS Autor do material: Prof. Leonardo Fornari Telefone de contato: (048) 32243201 Email: leonardo@melloesouza.adv.br OBJETIVO Fornecer mecanismos aos

Leia mais

FACULDADE BOA VIAGEM (FBV) Gestão de Marketing

FACULDADE BOA VIAGEM (FBV) Gestão de Marketing FACULDADE BOA VIAGEM (FBV) Gestão de Marketing Edson José de Lemos Júnior Ermeson Gomes da Silva Jardson Prado Coriolano da Silva Marcos Antonio Santos Marinho Rosinaldo Ferreira da Cunha RELATÓRIO GERENCIAL

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora à vencer as barreiras internacionais.

Leia mais

CONHEÇA A VERDADE SOBRE A EC 50

CONHEÇA A VERDADE SOBRE A EC 50 CONHEÇA A VERDADE SOBRE A Porque os interesses de Goiás e do povo goiano estão acima de interesses pessoais e corporativistas. O que é a /2014? É uma Emenda Constitucional, que disciplina a representação

Leia mais

BOLETIM. Fundação Seade participa de evento para disseminar conceitos e esclarecer dúvidas sobre o Catálogo de

BOLETIM. Fundação Seade participa de evento para disseminar conceitos e esclarecer dúvidas sobre o Catálogo de disseminar conceitos O desenvolvimento do aplicativo de coleta de informações, a manutenção e a atualização permanente do CSBD estão sob a responsabilidade da Fundação Seade. Aos órgãos e entidades da

Leia mais

1. A comunicação é atividade institucional e deve ser regida pelo princípio da

1. A comunicação é atividade institucional e deve ser regida pelo princípio da 1 SUGESTÕES PARA UMA POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO COMITÊ DE POLÍTICAS DE COMUNICAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO (CPCOM), REUNIÃO DE 30 DE MARÇO DE 2011 Redesenhado a partir da Constituição

Leia mais

Análise dos resultados

Análise dos resultados Análise dos resultados Caracterização da entidade e supervisão A Pesquisa das Entidades de Assistência Social Privadas sem Fins Lucrativos - PEAS, realizada em 2006, levantou informações sobre 16 089 entidades,

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2011

PROJETO DE LEI Nº, DE 2011 PROJETO DE LEI Nº, DE 2011 (Do Sr. Rogério Carvalho) Altera a Lei nº 4.737, de 15 de julho de 1967, que institui o Código Eleitoral, para vetar a venda e consumo de bebida alcoólica no dia das eleições.

Leia mais

Erradicação do Trabalho Infantil. Secretaria de Inspeção do Trabalho Departamento de Fiscalização do Trabalho

Erradicação do Trabalho Infantil. Secretaria de Inspeção do Trabalho Departamento de Fiscalização do Trabalho Erradicação do Trabalho Infantil Secretaria de Inspeção do Trabalho Departamento de Fiscalização do Trabalho Estrutura do MTE para o Combate ao Trabalho Infantil a Serviço da Rede de Proteção à Infância.

Leia mais

Pesquisa sobre municipalização do trânsito e regulamentação do exercício da atividade de moto taxista e de moto boy

Pesquisa sobre municipalização do trânsito e regulamentação do exercício da atividade de moto taxista e de moto boy Pesquisa sobre municipalização do trânsito e regulamentação do exercício da atividade de moto taxista e de moto boy Tabulação dos Resultados da Pesquisa Objetivos: Diagnosticar a situação atual dos municípios

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ANTÔNIO TAVARES PEREIRA ROMILSON BARSANULFO DA SILVA

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ANTÔNIO TAVARES PEREIRA ROMILSON BARSANULFO DA SILVA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ANTÔNIO TAVARES PEREIRA ROMILSON BARSANULFO DA SILVA A IMPORTÂNCIA DAS REDES SOCIAIS PARA A COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL

Leia mais