DECIV EM UFOP Aglomerantes Cimento Portland

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DECIV EM UFOP Aglomerantes Cimento Portland"

Transcrição

1 MATERIAIS DE CONSTRUÇAO DECIV EM UFOP Aglomerantes Cimento Portland

2 Cimento Portland

3 Cimento Portland 3

4 Cimento Portland Aglomerante hidráulico produzido a partir da moagem do clínquer constituído por silicatos de cálcio hidráulicos, usualmente com adição de sulfato de cálcio 4

5 Fabricação do cimento 5

6 Compostos principais do clínquer 6

7 Fabricação do cimento Moagem e estocagem do cimento 7

8 Hidratação do cimento Portland A HIDRATAÇÃO GERA: PEGA: período de solidificação da pasta ENDURECIMENTO: ganho de resistência x tempo Mecanismos de hidratação: 1 - dissolução / precipitação 2 - topoquímico 8

9 9

10 FINURA DO CIMENTO Grau de Moagem Além da composição, a finura do cimento influencia a sua reação com a água. haverá uma taxa de reatividade maior e, portanto, maior velocidade no ganho de resistência. HIDRATAÇÃO acontece da superfície para o interior dos grãos grau de moagem influencia taxas de hidratação aumento da velocidade das reações desenvolvimento de calor retração e o aumento da resistência com a idade. 10

11 Curvas Granulométricas dos Cimentos 11

12 CALOR DE HIDRATAÇÃO As reações de pega e endurecimento dos cimentos são exotérmicas com elevação da temperatura da massa. quantidade de calor liberada é função da composição do clínquer e é expresso em calorias por grama. É problema em estruturas de concreto massa, de grandes volumes. 12

13 Resistência aos Esforços Mecânicos A necessidade de qualificação do cimento obedece às razões: seleção pela qualidade vários tipos e vários fabricantes conhecimento prévio do seu comportamento argamassas e concretos. NBR Determinação da resistência à Compressão argamassa 1:3:0,48 (em massa) areia normal corpos de prova cilíndricos 5 x 10cm idades de 3, 7 e 28 dias 13

14 Quadro Geral tipos de Cimento

15 15

16

17 CIMENTOS outras características ARI (alta resistência inicial) finura maior que os demais máx. de 6% retido na peneira 200# e área específica >300m²/Kg). COMPOSTOS CP II-E com até 34% de escória CP II- Z com até 14% de pozolana CP II-F que é simples, todos possuem ainda até 10% de Filler. O cimento ARS (alta resistência aos sulfatos) só é apresentado na classe 20 (20MPa de resistência à compressão no ensaio normal). POZOLÂNICO teores de materiais pozolânicos: 15 e 50% da massa total do cimento. 17

18 Aplicações Cimento Portland comum CPI e CPI-S (NBR 5732) construção em geral não indicado para exposição a sulfatos do solo ou águas subterrâneas. Cimento Portland Composto CP II-Z (com material pozolânico - NBR11578 gera menos calor que o CP comum. indicado para concretagens de grandes volumes com pequena capacidade de resfriamento da massa. obras em geral, subterrâneas, marítimas e industriais. baixa permeabilidade, mais durável.

19 Aplicações Cimento Port. Composto CP II-E (com escória AF NBR11578) intermediário entre o CP comum e o CP de alto-forno. Cimento P Composto CP II-F (com adição de filer calcário NBR 11578) serve para aplicações gerais, locais sem grande agressividade. Cimento Port. de Alto Forno CP III (com até 70% de escória - NBR 5735) apresenta maior impermeabilidade e durabilidade baixo calor de hidratação. indicado para misturas RAA (reação álcali-agregado) RS (resistente a sulfatos). aplicação geral, inclusive obras em ambientes 19 agressivos.

20 Cimento Portland Pozolânico CP IV (com pozolana NBR 5736) Para ambientes agressivos. Dá concreto mais impermeável e durável. O baixo calor de hidratação favorece sua aplicação em casos de grande volume de concreto. Cimento Portland ARI- CP V (Alta Resistência Inicial - NBR 5737) Adquire resistência rapidamente, é recomendado em indústrias de elementos arquitetônicos prémoldados e de pré-fabricação.

21 Cimento Portland CP (RS) (Resistente a sulfatos NBR 5733) Pode ser usado em estações de tratamentos de água e esgotos, obras em regiões litorâneas, subterrâneas e marítimas, etc. Qualquer dos tipos pode ser resistente aos sulfatos, desde que atendam a pelo menos uma das condições: teor de C3A e adições carbonáticas 8% e 5% em massa, cimentos do tipo CP III com 60% a 70% de escória, em massa; cimentos CP IV com 25% a 40% de material pozolânico, em massa;

22 Cimento Portland de Baixo Calor de Hidratação (BC) NBR para grandes massas. Cimento Portland Branco CPB - (NBR 12989) A cor branca: baixos teores de óxido de ferro uso de caulim no lugar de argila. pode ser colorido com pigmentos adequados.

23 Cimentos da Holcim 23

Cimento Portland CIMENTO CLÍNQUER. Sumário CIMENTO PORTLAND

Cimento Portland CIMENTO CLÍNQUER. Sumário CIMENTO PORTLAND Universidade Paulista Instituto de Ciências Exatas e Tecnologia Departamento de Engenharia Civil Materiais de Construção Civil Professora Moema Castro, MSc. TECNOLOGIA DO CONCRETO AULA 02 CAPITULO 2 NEVILLE,

Leia mais

ELEMENTOS CONSTITUINTES DO CONCRETO

ELEMENTOS CONSTITUINTES DO CONCRETO ELEMENTOS CONSTITUINTES DO CONCRETO O concreto, de emprego usual nas estruturas, são constituídos de quatro materiais: 1. Cimento Portland 2. Água 3. Agregado fino 4. Agregado graúdo O cimento e a água

Leia mais

Sumário. Conceitos. Conceitos Produção e consumo Tipos e aplicações Composição química Características dos compostos Leitura obrigatória

Sumário. Conceitos. Conceitos Produção e consumo Tipos e aplicações Composição química Características dos compostos Leitura obrigatória PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL TR Tecnologia dos Revestimentos Aula 3 Argamassas de revestimento: cimento Sumário Conceitos Produção e consumo Tipos e aplicações Composição química Características

Leia mais

Hidratação do Cimento

Hidratação do Cimento Pontifícia Universidade Católica de Goiás Engenharia Civil Hidratação do Cimento Prof. Mayara Moraes Custódio Pega x Endurecimento Pega: período de fenômenos químicos em que ocorrem desprendimento de calor

Leia mais

Materiais de Construção Civil. Aula 06. Aglomerantes e Cal

Materiais de Construção Civil. Aula 06. Aglomerantes e Cal Materiais de Construção Civil Aula 06 Aglomerantes e Cal Taciana Nunes Arquiteta e Urbanista Definição Aglomerante é o material ativo, ligante, cuja principal função é formar uma pasta que promove a união

Leia mais

Curso: Engenharia Civil

Curso: Engenharia Civil PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Disciplina: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL - I Código: ENG1071 Tópico: AULA 3 Cimento Portland Curso: Engenharia Civil Professor: Elias

Leia mais

Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Engenharia Civil AGLOMERANTES

Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Engenharia Civil AGLOMERANTES Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Engenharia Civil AGLOMERANTES Profa. Dra. Geilma Lima Vieira geilma.vieira@gmail.com Referências para essa aula: (BAUER, 2011)

Leia mais

Cimento Portland composto

Cimento Portland composto JUL 1991 Cimento Portland composto NBR 11578 ABNT-Associação Brasileira de Normas Técnicas Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13-28º andar CEP 20003 - Caixa Postal 1680 Rio de Janeiro - RJ Tel.: PABX

Leia mais

ARGAMASSAS E CONCRETOS CIMENTOS

ARGAMASSAS E CONCRETOS CIMENTOS ARGAMASSAS E CONCRETOS CIMENTOS DEFINIÇÃO O cimento Portland é um pó fino com propriedades aglutinantes que endurece sob a ação da água, ou seja, é um aglomerante ativo hidráulico. HISTÓRICO O material,

Leia mais

8/2/2011 AGLOMERANTES. Definição: Exemplos: Aglomerantes. Nomenclatura. Relação Pega x Endurecimento. Propriedades. Argila Gesso Cal Cimento Betume

8/2/2011 AGLOMERANTES. Definição: Exemplos: Aglomerantes. Nomenclatura. Relação Pega x Endurecimento. Propriedades. Argila Gesso Cal Cimento Betume Definição: AGLOMERANTES Aglomerantes são materiais ativos, geralmente pulverulentos, que entram na composição das pastas, argamassas e concretos. Nomenclatura Exemplos: Aglomerantes Aglomerantes = materiais

Leia mais

Tecnologia de aditivos e adições para conreto

Tecnologia de aditivos e adições para conreto santos.geniclesio@br.sika.com Tecnologia de Aditivos e adições para concreto Parte 01 Eng Geniclesio Santos Coordenador Técnico Salvador, 15 de setembro de 2014 1.1. Programa Parte 1 1.1. Apresentação

Leia mais

DOSAGEM DE CONCRETO. DOSAGEM é o proporcionamento adequado. e mais econômico dos materiais: Cimento Água Areia Britas Aditivos

DOSAGEM DE CONCRETO. DOSAGEM é o proporcionamento adequado. e mais econômico dos materiais: Cimento Água Areia Britas Aditivos DOSAGEM DE CONCRETO DEFINIÇÃO DOSAGEM é o proporcionamento adequado e mais econômico dos materiais: Cimento Água Areia Britas Aditivos 2 1 DOSAGEM Ingredientes Execução 3 MATERIAIS CONSTITUINTES ou a receita

Leia mais

Aglomerantes. Cimento Adições Cal Gesso

Aglomerantes. Cimento Adições Cal Gesso Aglomerantes Cimento Adições Cal Gesso Aglomerante Material ligante que tem por objetivo promover a união entre os grãos dos agregados. AGLOMERANTE + ÁGUA = PASTA AGLOMERANTE + AGREGADO MIÚDO + ÁGUA =

Leia mais

ESTUDO DA APLICABILIDADE DA ARGAMASSA PRODUZIDA A PARTIR DA RECICLAGEM DE RESÍDUO SÓLIDO DE SIDERURGIA EM OBRAS DE ENGENHARIA

ESTUDO DA APLICABILIDADE DA ARGAMASSA PRODUZIDA A PARTIR DA RECICLAGEM DE RESÍDUO SÓLIDO DE SIDERURGIA EM OBRAS DE ENGENHARIA ESTUDO DA APLICABILIDADE DA ARGAMASSA PRODUZIDA A PARTIR DA RECICLAGEM DE RESÍDUO SÓLIDO DE SIDERURGIA EM OBRAS DE ENGENHARIA 1. Introdução O impacto ambiental gerado pela exploração dos recursos minerais

Leia mais

Sílica Ativa e Cinza Volante. Matheus Hornung de Souza Pedro Mozzer

Sílica Ativa e Cinza Volante. Matheus Hornung de Souza Pedro Mozzer Sílica Ativa e Cinza Volante Matheus Hornung de Souza Pedro Mozzer Materiais Pozolânicos Material Pozolânico: São materiais silicosos ou silico-aluminosos, finamente divididos que, na presença de água,

Leia mais

Diego Eugênio Bulhões de Oliveira MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO

Diego Eugênio Bulhões de Oliveira MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO Diego Eugênio Bulhões de Oliveira MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 AGREGADOS Classificação: mais prática do que geológica Elemento predominante na composição das rochas silicosas (sílica) calcárias (carbonato

Leia mais

ANÁLISE DA UTILIZAÇÃO DA CINZA GERADA A PARTIR DO PROCESSO DE QUEIMA DO BAGAÇO DA CANA-DE-AÇÚCAR NA PRODUÇÃO DE CONCRETO

ANÁLISE DA UTILIZAÇÃO DA CINZA GERADA A PARTIR DO PROCESSO DE QUEIMA DO BAGAÇO DA CANA-DE-AÇÚCAR NA PRODUÇÃO DE CONCRETO ANÁLISE DA UTILIZAÇÃO DA CINZA GERADA A PARTIR DO PROCESSO DE QUEIMA DO BAGAÇO DA CANA-DE-AÇÚCAR NA PRODUÇÃO DE CONCRETO André Fontebassi Amorim Silva (1), Jéssica da Silva Coelho (2), Jéssica Laila Rodrigues

Leia mais

TECNOLOGIA DO CONCRETO CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO

TECNOLOGIA DO CONCRETO CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO CEULP/ULBRA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL TECNOLOGIA DO CONCRETO CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO Prof. Fábio Henrique de Melo Ribeiro, MSc. Eng. Civil e Eng. Seg. Trab. CAR X CAD CONCEITOS CAD - concreto de alto

Leia mais

PROPRIEDADES FÍSICAS E MECÂNICAS DOS CIMENTOS

PROPRIEDADES FÍSICAS E MECÂNICAS DOS CIMENTOS LIGANTES HIDRÓFILOS CIMENTOS PROPRIEDADES FÍSICAS E MECÂNICAS DOS CIMENTOS Fundamental para: Determinar composição do betão superfície específica do cimento Determinar (às vezes) se o cimento está já parcialmente

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE PRODUÇÃO DE CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO PARA ESTRUTURAS PRÉ- MOLDADAS

CONSIDERAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE PRODUÇÃO DE CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO PARA ESTRUTURAS PRÉ- MOLDADAS CONSIDERAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE PRODUÇÃO DE CONCRETO DE ALTO DESEMPENHO PARA ESTRUTURAS PRÉ- MOLDADAS Doutoranda Alessandra Lorenzetti de Castro alcastro@sc.usp.br Prof. Dr. Jefferson B. L. Liborio liborioj@sc.usp.br

Leia mais

Argamassas mistas. Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira

Argamassas mistas. Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira Argamassas mistas Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira Argamassas mistas de cimento, cal e areia destinadas ao uso em alvenarias e revestimentos Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira Fonte: NBR 7200:1998 NBR 13529:2013

Leia mais

Aditivos para argamassas e concretos

Aditivos para argamassas e concretos Histórico Aditivos para argamassas e concretos Romanos e incas: albumina (sangue e clara de ovos); álcalis (cal); Brasil: óleo de baleia; gesso cru e cloreto de cálcio; Alemanha e França: graxa de cal.

Leia mais

UFBA-ESCOLA POLITÉCNICA-DCTM DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DOS MATERIAIS SETOR DE MATERIAIS ROTEIRO DE AULAS CIMENTO PORTLAND

UFBA-ESCOLA POLITÉCNICA-DCTM DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DOS MATERIAIS SETOR DE MATERIAIS ROTEIRO DE AULAS CIMENTO PORTLAND UFBA-ESCOLA POLITÉCNICA-DCTM DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DOS MATERIAIS SETOR DE MATERIAIS ROTEIRO DE AULAS CIMENTO PORTLAND Unidade II (Continuação) Prof. Adailton de O. Gomes CIMENTO PORTLAND

Leia mais

O que são agregados? Agregados 2

O que são agregados? Agregados 2 AGREGADOS O que são agregados? Agregados 2 O que são agregados? Agregados 3 O que são agregados? Agregados 4 O que são agregados? ABNT NBR 9935/2005: Material sem forma ou volume definido, geralmente inerte,

Leia mais

Cimento Portland é a denominação convencionada mundialmente para o material usualmente conhecido na construção civil como cimento.

Cimento Portland é a denominação convencionada mundialmente para o material usualmente conhecido na construção civil como cimento. CIMENTO PORTLAND INTRODUÇÃO O cimento é considerado hidráulico pois seu produto, após a etapa da hidratação, fica estável no ambiente aquoso, ou seja, resistente à água. O cimento hidráulico mais comumente

Leia mais

Materiais de Construção I. Aglomerantes

Materiais de Construção I. Aglomerantes Materiais de Construção I Aglomerantes Aglomerantes Cimentos Adições Cal Gesso Aglomerante Material ligante que tem por objetivo promover a união entre os grãos dos agregados. AGLOMERANTE + ÁGUA = PASTA

Leia mais

2 MATÉRIAS-PRIMAS: A ALMA DO NEGÓCIO

2 MATÉRIAS-PRIMAS: A ALMA DO NEGÓCIO 2 MATÉRIAS-PRIMAS: A ALMA DO NEGÓCIO Coleção Coleção Fascículo 2 Matérias-Primas: a alma do negócio Índice Matérias-primas: a alma do negócio...07 Matérias-primas: você na mão dos seus fornecedores ou

Leia mais

A Influência dos Tipos de Cura na Resistência Mecânica do Concreto

A Influência dos Tipos de Cura na Resistência Mecânica do Concreto A Influência dos Tipos de Cura na Resistência Mecânica do Concreto Carolina dos Santos Silva, Hellen Karina Pereira Alkimin, Larissa Alves Matos e Nara Miranda de Oliveira Cangussu Resumo O controle da

Leia mais

Universidade Federal do Ceará. Curso de Engenharia Civil. Aula 3: Argamassa. Prof. Eduardo Cabral

Universidade Federal do Ceará. Curso de Engenharia Civil. Aula 3: Argamassa. Prof. Eduardo Cabral Universidade Federal do Ceará Curso de Engenharia Civil Aula 3: Argamassa Prof. Eduardo Cabral Definição e Histórico Piso de 180m 2 no sul da Galiléia entre 7.000a.C. e 9.000a.C. Laje de 25cm de espessura

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO PRODUÇÃO DE CONCRETO ETAPAS ONDE SÃO UTILIZADOS PORQUÊ ENFATIZAMOS ESTE TEMA? RESPONSABILIDADES: SEGURANÇA DURABILIDADE QUALIDADE CUSTO PRODUÇÃO BÁSICA DO CONCRETO CIMENTO AREIA BRITA ÁGUA NOVOS MATERIAIS

Leia mais

PRINCIPAIS COMPONENTES DO CRÚ E DO CLÍNQUER PORTLAND

PRINCIPAIS COMPONENTES DO CRÚ E DO CLÍNQUER PORTLAND PRINCIPAIS COMPONENTES DO CRÚ E DO CLÍNQUER PORTLAND 1 COMPONENTES DA MATÉRIA-PRIMA Inicial Após perder água e CO 2 no forno C S A F Principais _ S Outros H H 2 O 2 COMPONENTES DA MATÉRIA-PRIMA Objectivos:

Leia mais

Aglomerantes são produtos empregados na construção civil para fixar ou aglomerar materiais entre si.

Aglomerantes são produtos empregados na construção civil para fixar ou aglomerar materiais entre si. 1. Conceito Aglomerantes são produtos empregados na construção civil para fixar ou aglomerar materiais entre si. São pulverulentos. Endurecem por simples secagem e/ou em consequência de reações químicas.

Leia mais

Materiais de Construção. Prof. Aline Fernandes de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010

Materiais de Construção. Prof. Aline Fernandes de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010 Materiais de Construção de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010 O QUE SÃO? - Material ativo e ligante - Em geral pulverulento (que se reduz a pó ou se apresenta em estado de pó) - PRINCIPAL FUNÇÃO: formar

Leia mais

A especificação do betão segundo a NP EN Paulo Cachim Universidade de Aveiro

A especificação do betão segundo a NP EN Paulo Cachim Universidade de Aveiro A especificação do betão segundo a NP EN 206-1 Paulo Cachim Universidade de Aveiro pcachim@ua.pt Enquadramento Estruturas de betão DL 301-2007 Projeto EN 1992 CONSTITUINTES EN 197 Cimento EN 450 Cinzas

Leia mais

INFLUÊNCIA DOS PIGMENTOS DE ÓXIDO DE FERRO NAS PROPRIEDADES DA PASTA DE CIMENTO

INFLUÊNCIA DOS PIGMENTOS DE ÓXIDO DE FERRO NAS PROPRIEDADES DA PASTA DE CIMENTO INFLUÊNCIA DOS PIGMENTOS DE ÓXIDO DE FERRO NAS PROPRIEDADES DA PASTA DE CIMENTO P. S. X. Alcantara, A. C. V. Nóbrega, L. S. Moura Rodovia BR 104 Km 59 Sítio Juriti Caruaru PE Brasil CEP: 55002-970, palomaalcantara_@hotmail.com

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIA - FTC CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL 01

FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIA - FTC CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL 01 FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIA - FTC CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL 01 APOSTILA DE EXERCÍCIO RESOLVIDO ESTUDO DIRIGIDO PROF: CLÁUDIO GOMES DO NASCIMENTO Lista de

Leia mais

Sumário. Conceitos. Produção e consumo. Conceitos Produção e consumo Tipos e aplicações Composição química Características Leitura obrigatória

Sumário. Conceitos. Produção e consumo. Conceitos Produção e consumo Tipos e aplicações Composição química Características Leitura obrigatória PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL TR Tecnologia dos Revestimentos Aula 4 Argamassas de revestimento: cal e areia Sumário Conceitos Produção e consumo Tipos e aplicações Composição química Características

Leia mais

AGLOMERANTES HIDRÁULICOS

AGLOMERANTES HIDRÁULICOS UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Departamento de Construção Civil TC 030 Materiais de Construção I AGLOMERANTES HIDRÁULICOS Aulas: Prof a. Marienne R.M.Maron da Costa colaboração Prof.José Freitas (DCC/UFPR)

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II AGLOMERANTES

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II AGLOMERANTES SEÇÃO DE ENSINO DE ENGENHARIA DE FORTIFICAÇÃO E CONSTRUÇÃO MAJ MONIZ DE ARAGÃO MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II AGLOMERANTES Cimento Portland: noções de fabricação; composição potencial; especificações; tipos

Leia mais

ESTUDO SOBRE A POSSIBILIDADE DA SUBSTITUIÇÃO DE AGREGADO NATURAL EM ARGAMASSA POR RESÍDUO DE EXTRAÇÃO DE PEDRAS SEMIPRECIOSAS 1

ESTUDO SOBRE A POSSIBILIDADE DA SUBSTITUIÇÃO DE AGREGADO NATURAL EM ARGAMASSA POR RESÍDUO DE EXTRAÇÃO DE PEDRAS SEMIPRECIOSAS 1 ESTUDO SOBRE A POSSIBILIDADE DA SUBSTITUIÇÃO DE AGREGADO NATURAL EM ARGAMASSA POR RESÍDUO DE EXTRAÇÃO DE PEDRAS SEMIPRECIOSAS 1 Guilherme Amaral De Moraes 2, Marcos Tres 3, Jessamine Pedroso De Oliveira

Leia mais

AGLOMERANTES. 1. Considerações iniciais

AGLOMERANTES. 1. Considerações iniciais 1. Considerações iniciais AGLOMERANTES São produtos utilizados na Construção Civil para fixar ou aglomerar materiais entre si. Apresentam-se na forma pulverulenta (mais comum) e quando misturados com água

Leia mais

SUBSTITUIÇÃO PARCIAL DO CIMENTO PORTLAND POR RESÍDIO DE CERÂMICA VERMELHA EM ARGAMASSAS: ESTUDO DA ATIVIDADE POZOLÂNICA

SUBSTITUIÇÃO PARCIAL DO CIMENTO PORTLAND POR RESÍDIO DE CERÂMICA VERMELHA EM ARGAMASSAS: ESTUDO DA ATIVIDADE POZOLÂNICA SUBSTITUIÇÃO PARCIAL DO CIMENTO PORTLAND POR RESÍDIO DE CERÂMICA VERMELHA EM ARGAMASSAS: ESTUDO DA ATIVIDADE POZOLÂNICA A. R. da Silva, K. C. Cabral, E. N. de M. G.l Pinto Universidade Federal Rural do

Leia mais

ESTUDO PARA A APLICAÇÃO DE RESIDUOS DE CERAMICA VERMELHA NA PRODUÇÃO DE ARGAMASSAS CIMENTICIAS

ESTUDO PARA A APLICAÇÃO DE RESIDUOS DE CERAMICA VERMELHA NA PRODUÇÃO DE ARGAMASSAS CIMENTICIAS ESTUDO PARA A APLICAÇÃO DE RESIDUOS DE CERAMICA VERMELHA NA PRODUÇÃO DE ARGAMASSAS CIMENTICIAS Julia Thais de Oliveira Cardoso Faculdade de Engenharia Civil CEATEC julia.toc@puccamp.edu.br Nádia Cazarim

Leia mais

rejuntamento flexível

rejuntamento flexível 01 Descrição: O votomassa é uma argamassa a base de cimento Portland indicado para rejuntar revestimentos cerâmicos, em pisos e paredes, com juntas de 2 a 10 mm em áreas internas e externas. 02 Classificação

Leia mais

ANÁLISE QUÍMICA DO FILITO

ANÁLISE QUÍMICA DO FILITO ANÁLISE QUÍMICA DO FILITO SILÍNDRICO...45,00 ALUMÍNIO...33,10 TITÂNIO...1,00 FERRO...2,00 CÁLCIO...0,10 MAGNÉSIO...2,20 SÓDIO...0,70 POTÁSSIO...11,20 PERDA AO FOGO... 5,30 TOTAL...100,60 NATUREZA DO TRABALHO

Leia mais

MATERIAIS DE BASE, SUB- BASE E REFORÇO DO SUBLEITO

MATERIAIS DE BASE, SUB- BASE E REFORÇO DO SUBLEITO MATERIAIS DE BASE, SUB- BASE E REFORÇO DO SUBLEITO Introdução Tipos de revestimentos asfálticos 2 Introdução Classificação dos materiais segundo seu comportamento frente aos esforços: Materiais granulares

Leia mais

Caracterização das argamassas para revestimento externo utilizadas em Belém/PA (Brasil): estudo do comportamento no estado fresco

Caracterização das argamassas para revestimento externo utilizadas em Belém/PA (Brasil): estudo do comportamento no estado fresco Caracterização das argamassas para revestimento externo utilizadas em Belém/PA (Brasil): estudo do comportamento no estado fresco Ludmila R. S. de Mattos 1 ; Denise C. C. Dal Molin 2 Universidade Federal

Leia mais

O que é Resistência?

O que é Resistência? O que é Resistência? www.mvalin.com.br 1 O que é? www.mvalin.com.br 2 A Resistência do concreto é definida como a capacidade de resistir à tensões sem ruptura. (A ruptura é algumas vezes identificadas

Leia mais

ESTRUTURAS DE BETÃO ARMADO I PROGRAMA

ESTRUTURAS DE BETÃO ARMADO I PROGRAMA Válter Lúcio Mar.06 1 PROGRAMA 1.Introdução ao betão armado 2.Bases de Projecto e Acções 3.Propriedades dos materiais 4.Durabilidade 5.Estados limite últimos de resistência à tracção e à compressão 6.Estado

Leia mais

TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES AULA 03 MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO

TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES AULA 03 MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES AULA 03 MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO Prof. Msc. Anderson Alencar Edificações - IFPA INTRODUÇÃO Materiais de construção são todos os utilizados nas obras (construção de casas, prédios

Leia mais

Materiais de Construção. Prof. Aline Fernandes de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010

Materiais de Construção. Prof. Aline Fernandes de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010 Materiais de Construção de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010 POZOLANAS POZOLANAS HISTÓRICO - Há mais de 2000 anos atrás, os Romanos utilizavam um material nas construções, chamado Pulvis Puteolonis, que

Leia mais

Palavra-Chave: Relação água\cimento, agregados recicláveis e resistência mecânica.

Palavra-Chave: Relação água\cimento, agregados recicláveis e resistência mecânica. Resumo A RELAÇÃO ÁGUA/CIMENTO NA MISTURA DE MATERIAL DA CONSTRUÇÃO CIVIL PARA A PRODUÇÃO DE TIJOLOS Gessica Caroline da Silva Brito Aluna do IFMT, Campus Cuiabá, bolsista PIBIC/Cnpq Danielly Loraine de

Leia mais

Desenvolvimento de concreto colorido de alta resistência por meio do uso de pigmentos, cura térmica e pó de quartzo

Desenvolvimento de concreto colorido de alta resistência por meio do uso de pigmentos, cura térmica e pó de quartzo 27 Desenvolvimento de concreto colorido de alta resistência por meio do uso de pigmentos, cura térmica e pó de quartzo Formulating a high-resistence color concrete by the use of pigment, thermal curing

Leia mais

PRODUÇÃO DE CONCRETO DE ALTA RESISTÊNCIA (CAR) A PARTIR DE SEIXO DE RIO, COMO AGREGADO GRAÚDO, E A ADIÇÃO DE SÍLICA ATIVA

PRODUÇÃO DE CONCRETO DE ALTA RESISTÊNCIA (CAR) A PARTIR DE SEIXO DE RIO, COMO AGREGADO GRAÚDO, E A ADIÇÃO DE SÍLICA ATIVA PRODUÇÃO DE CONCRETO DE ALTA RESISTÊNCIA (CAR) A PARTIR DE SEIXO DE RIO, COMO AGREGADO GRAÚDO, E A ADIÇÃO DE SÍLICA ATIVA INTRODUÇÃO Laerte Melo Barros 1, Carlos Benedito Santana da Silva Soares 2 Thiago

Leia mais

AGREGADOS. Conceito AGREGADOS AGREGADOS

AGREGADOS. Conceito AGREGADOS AGREGADOS Conceito Agregado é um material sem forma ou volume definido, de custo relativamente baixo, geralmente inerte, com dimensões e propriedades adequadas para a produção de argamassa e concreto. 1 Generalidades

Leia mais

Capítulo 5. Agregados MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 CAPITULO 3

Capítulo 5. Agregados MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 1 CAPITULO 3 Capítulo 5 Agregados AGREGADOS Materiais granulares, geralmente inertes, sem tamanho e forma definidos, que compõem argamassas e concretos. Cerca de ¾ do volume do concreto são ocupados pelos agregados.

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CAL

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CAL MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CAL DEFINIÇÃO A cal é um aglomerante aéreo inorgânico ou mineral, produzido a partir de rochas calcárias, que reage em contato com o ar. A cal pode ser considerada o produto manufaturado

Leia mais

APROVEITAMENTO DA AREIA DE FUNDIÇÃO NA PRODUÇÃO DE TIJOLOS

APROVEITAMENTO DA AREIA DE FUNDIÇÃO NA PRODUÇÃO DE TIJOLOS APROVEITAMENTO DA AREIA DE FUNDIÇÃO NA PRODUÇÃO DE TIJOLOS Marcelo Angst Acadêmico do Curso de Engenharia Civil, Bolsista de Iniciação Científica, mangciv@urisan.tche.br Universidade Regional Integrada

Leia mais

Aditivos. Disciplina: Materiais de Construção Civil: Concreto. Curso: Engenharia Civil Período: Noturno Prof. Thiago Dias do Espírito Santo

Aditivos. Disciplina: Materiais de Construção Civil: Concreto. Curso: Engenharia Civil Período: Noturno Prof. Thiago Dias do Espírito Santo Unida Ensino 3: Aditivos Disciplina: Materiais Construção Civil: Concreto Curso: Engenharia Civil Período: Noturno 2016.2 Prof. Thiago Dias do Espírito Santo Definição e uso Produtos adicionados em pequenas

Leia mais

MÓDULO DE ELASTICIDADE DINÂMICO DE ARGAMASSA DE REVESTIMENTO

MÓDULO DE ELASTICIDADE DINÂMICO DE ARGAMASSA DE REVESTIMENTO MÓDULO DE ELASTICIDADE DINÂMICO DE ARGAMASSA DE REVESTIMENTO Narciso Gonçalves da Silva (UTFPR) ngsilva@cefetpr.br Vicente Coney Campiteli (UEPG) vicente@uepg.br Resumo A qualidade e a durabilidade de

Leia mais

Universidade Federal do Pará

Universidade Federal do Pará Universidade Federal do Pará Márcio Rodrigo Nunes de Souza Agregado miúdo proveniente do Jari/AP como material de construção civil na utilização de argamassas DISSERTAÇÃO DE MESTRADO Instituto de Tecnologia

Leia mais

SOLO. Matéria orgânica. Análise Granulométrica

SOLO. Matéria orgânica. Análise Granulométrica SOLO ph Matéria orgânica Análise Granulométrica Disponibilidade dos nutrientes em função do ph Os nutrientes necessários aos vegetais são divididos em duas categorias: Macronutrientes - N, P, K, Ca, Mg,

Leia mais

TÉCNICA A INFLUÊNCIA DA SACAROSE NO TEMPO DE PEGA DO CIMENTO CONSULTORIA

TÉCNICA A INFLUÊNCIA DA SACAROSE NO TEMPO DE PEGA DO CIMENTO CONSULTORIA A INFLUÊNCIA DA SACAROSE NO TEMPO DE PEGA DO CIMENTO Paula Ikematsu (1) Gerente de área de Produto e Canais Técnicos da InterCement S/A Mestre em Engenharia Civil (Escola Politécnica da Universidade de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL SALÃO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2014 Análise da Resistência à Compressão Simples e Diametral de Misturas com Areia, Metacaulim e Cal Aluno: Ricardo José Wink de

Leia mais

AULA PRÁTICA_ MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL_ ECV5330_ Profa Janaíde Cavalcante Rocha_ turma 540A e 542 AULA PRÁTICA 04_AGLOMERANTES

AULA PRÁTICA_ MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL_ ECV5330_ Profa Janaíde Cavalcante Rocha_ turma 540A e 542 AULA PRÁTICA 04_AGLOMERANTES AULA PRÁTICA 04_AGLOMERANTES 11) DETERMINAÇÃO DA MASSA ESPECÍFICA (d) - NBR 6474 O líquido utilizado no ensaio deve ser o xileno, recentemente preparado, com densidade de 0,8686 a 15 o C ou querosene,

Leia mais

Caracterização da Matriz de Argamassas para Alvenaria Utilizando Rejeitos das Indústrias de Cerâmica Vermelha e de Sanitários

Caracterização da Matriz de Argamassas para Alvenaria Utilizando Rejeitos das Indústrias de Cerâmica Vermelha e de Sanitários Caracterização da Matriz de Argamassas para Alvenaria Utilizando Rejeitos das Indústrias de Cerâmica Vermelha e de Sanitários Juzélia Santos da Costa a,b, Celso Aparecido Martins b, João Baptista Baldo

Leia mais

24/11/2016 RESISTÊNCIA DOS CONCRETOS DE ALTO DESEMPENHO INTRODUÇÃO

24/11/2016 RESISTÊNCIA DOS CONCRETOS DE ALTO DESEMPENHO INTRODUÇÃO RESISTÊNCIA DOS CONCRETOS DE ALTO DESEMPENHO INTRODUÇÃO Engenheiros sempre buscaram tornar suas estruturas mais eficientes, deixando-as mais leves, resistentes e duráveis. Um produto que está trazendo

Leia mais

Laboratório de Materiais de Construção Civil. Profa. Dra. Geilma Vieira AGREGADOS AGREGADOS AGREGADOS

Laboratório de Materiais de Construção Civil. Profa. Dra. Geilma Vieira AGREGADOS AGREGADOS AGREGADOS Campo da Matéria Especificações técnicas: Elementos escritos de um projeto de engenharia: um projeto de engenharia não consiste apenas em plantas, desenhos e cálculos. Inclui também uma de redação sob

Leia mais

TRABALHO ACADÊMICO PROPRIEDADES DO CONCRETO ENDURECIDO

TRABALHO ACADÊMICO PROPRIEDADES DO CONCRETO ENDURECIDO TC-031 MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL II TRABALHO ACADÊMICO PROPRIEDADES DO CONCRETO ENDURECIDO GABARITO E CONSIDERAÇÕES José Marques Filho 1. Na Figura 1, está apresentada uma seção transversal típica

Leia mais

AVALIAÇÃO DAS PROPRIEDADES MECÂNICAS DE BLOCOS INTERTRAVADOS COM RESÍDUO DE PNEU RECICLADO

AVALIAÇÃO DAS PROPRIEDADES MECÂNICAS DE BLOCOS INTERTRAVADOS COM RESÍDUO DE PNEU RECICLADO AVALIAÇÃO DAS PROPRIEDADES MECÂNICAS DE BLOCOS INTERTRAVADOS COM RESÍDUO DE PNEU RECICLADO Anaaiara Varela dos Santos Aluna de Iniciação Científica do Curso de Tecnologia em Construção de Edifícios aninha.varela@hotmail.com

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE LONA PLÁSTICA PARA CURA DO CONCRETO

UTILIZAÇÃO DE LONA PLÁSTICA PARA CURA DO CONCRETO Resumo UTILIZAÇÃO DE LONA PLÁSTICA PARA CURA DO CONCRETO Marcos Vinicius Gomes Discente do C. S. de Tecnologia em Construção de Edifícios, IFMT Campus Cuiabá Gustavo Dartora Ribeiro Discente do C. S. de

Leia mais

Atividades EXERCÍCIOS. Materiais Naturais e Artificiais

Atividades EXERCÍCIOS. Materiais Naturais e Artificiais Atividades EXERCÍCIOS 1. Uma amostra de areia úmida foi levada a uma estufa onde permaneceu por 24h a 100ºC, a fim de se determinar o teor de umidade presente. Antes de ser colocada na estufa a amostra

Leia mais

NBR Blocos vazados de concreto simples para alvenaria Requisitos

NBR Blocos vazados de concreto simples para alvenaria Requisitos NBR 6136 Blocos vazados de concreto simples para alvenaria Requisitos Objetivo Esta Norma estabelece os requisitos para o recebimento de blocos vazados de concreto simples, destinados à execução de alvenaria

Leia mais

Estudo da Viabilidade de Utilização de Resíduos Cerâmicos para Confecção de Argamassas

Estudo da Viabilidade de Utilização de Resíduos Cerâmicos para Confecção de Argamassas Estudo da Viabilidade de Utilização de Resíduos Cerâmicos para Confecção de Argamassas Cesar Alexandre Paixão a, Luciane Fonseca Caetano a, Johanna Gabriella Roos Coliante a, Luiz Carlos Pinto da Silva

Leia mais

PROPRIEDADES DO. Trabalhabilidade e Consistência CONCRETO FRESCO

PROPRIEDADES DO. Trabalhabilidade e Consistência CONCRETO FRESCO Universidade Paulista Instituto de Ciências Exatas e Tecnologia Departamento de Engenharia Civil Materiais de Construção Civil Professora Moema Castro, MSc. CONCRETO FRESCO CONCRETO ENDURECIDO TECNOLOGIA

Leia mais

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DE CONCRETO AUTO-ADENSÁVEL COM ADIÇÃO DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO RESUMO

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DE CONCRETO AUTO-ADENSÁVEL COM ADIÇÃO DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO RESUMO 24 AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DE CONCRETO AUTO-ADENSÁVEL COM ADIÇÃO DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO Renato Marcon Pinto 1 Poliana Bellei 2 RESUMO O estudo procura analisar as propriedades no estado

Leia mais

Avaliação das propriedades mecânicas de argamassa colante com adição mineral (diatomita)

Avaliação das propriedades mecânicas de argamassa colante com adição mineral (diatomita) Avaliação das propriedades mecânicas de argamassa colante com adição mineral (diatomita) Andressa Varela da Rocha Silva¹, Hugo Alessandro Almeida Diniz¹, Janiele Alves Eugênio Ribeiro², Valtencir Lucio

Leia mais

Estudo da Influência de Adições Pozolânicas e Minerais no Concreto

Estudo da Influência de Adições Pozolânicas e Minerais no Concreto 1 Estudo da Influência de Adições Pozolânicas e Minerais no Concreto A. S. Liduário, Furnas; L.A.Farias, Furnas; M.A.S.Andrade, Furnas; R. M. Bittencourt, Furnas. Resumo- O conhecimento da influência do

Leia mais

ESTUDOS PRELIMINARES DA APLICAÇÃO DE RESÍDUO DE MINÉRIO DE COBRE SULFETADO NA ELABORAÇÃO DE ARGAMASSAS DE ASSENTAMENTO E REVESTIMENTO

ESTUDOS PRELIMINARES DA APLICAÇÃO DE RESÍDUO DE MINÉRIO DE COBRE SULFETADO NA ELABORAÇÃO DE ARGAMASSAS DE ASSENTAMENTO E REVESTIMENTO ESTUDOS PRELIMINARES DA APLICAÇÃO DE RESÍDUO DE MINÉRIO DE COBRE SULFETADO NA ELABORAÇÃO DE ARGAMASSAS DE ASSENTAMENTO E REVESTIMENTO J. A. Rodrigues 1 D. N. P. Cardoso 1 A. J. R. Ferreira 2 A. L. M. F.

Leia mais

Pasta e argamassa de cimento Portland para recuperação estrutural

Pasta e argamassa de cimento Portland para recuperação estrutural TEMA 3 Caracterização de materiais Pasta e argamassa de cimento Portland para recuperação estrutural Profa. Dra. Sandra Maria de Lima 1,a, Graduanda Tecgo Controle de Obras Rafaela Tyeme Moreira Tatsuno

Leia mais

A INFLUÊNCIA DO TEOR DE CAL HIDRATADA NAS PROPRIEDADES DE ARGAMASSAS DE CIMENTO, CAL E AREIA

A INFLUÊNCIA DO TEOR DE CAL HIDRATADA NAS PROPRIEDADES DE ARGAMASSAS DE CIMENTO, CAL E AREIA A INFLUÊNCIA DO TEOR DE CAL HIDRATADA NAS PROPRIEDADES DE ARGAMASSAS DE CIMENTO, CAL E AREIA Karoline A. Melo Universidade Federal de Pernambuco - Brasil melokarol@gmail.com Marylinda S. França Universidade

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA - UNIR CAMPUS JI-PARANÁ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA AMBIENTAL. Disciplina MATERIAIS, PROCESSOS E CONSTRUÇÃO

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA - UNIR CAMPUS JI-PARANÁ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA AMBIENTAL. Disciplina MATERIAIS, PROCESSOS E CONSTRUÇÃO Disciplina MATERIAIS, PROCESSOS E CONSTRUÇÃO Professora Esp. EDILENE DA SILVA PEREIRA Ji-Paraná/RO, 02 de junho de 2016. 1 Disciplina MATERIAIS, PROCESSOS E CONSTRUÇÃO Professora Esp. EDILENE DA SILVA

Leia mais

LUCIANA NASCIMENTO LINS ESTUDO DA APLICAÇÃO DA CASCA DE CAFÉ NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

LUCIANA NASCIMENTO LINS ESTUDO DA APLICAÇÃO DA CASCA DE CAFÉ NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO LUCIANA NASCIMENTO LINS ESTUDO DA APLICAÇÃO DA CASCA DE CAFÉ NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil da Universidade Federal Fluminense, como

Leia mais

O que é Aditivo para Concreto

O que é Aditivo para Concreto 17/05/2015 O que é Aditivo para Concreto www.mvalin.com.br 1 17/05/2015 DEFINIÇÃO: A NBR 11768 de Cimento Portland define os aditivos como produtos que adicionados em pequena quantidade a concretos de

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA DAS PROPRIEDADES DE CONCRETOS CONVENCIONAIS COM SUBSTITUIÇÃO PARCIAL DO CIMENTO PORTLAND POR CINZA DA CASCA DE ARROZ

ANÁLISE COMPARATIVA DAS PROPRIEDADES DE CONCRETOS CONVENCIONAIS COM SUBSTITUIÇÃO PARCIAL DO CIMENTO PORTLAND POR CINZA DA CASCA DE ARROZ ANÁLISE COMPARATIVA DAS PROPRIEDADES DE CONCRETOS CONVENCIONAIS COM SUBSTITUIÇÃO PARCIAL DO CIMENTO PORTLAND POR CINZA DA CASCA DE ARROZ Felipe Basquiroto de Souza 1 Alceu Lima Ramos Netto 2 Daiane dos

Leia mais

1. FUNÇÕES, TIPOS E FORMAS DE FORNECIMENTO DAS ARGAMASSAS Argamassa - definição

1. FUNÇÕES, TIPOS E FORMAS DE FORNECIMENTO DAS ARGAMASSAS Argamassa - definição ARGAMASSAS NA CONSTRUÇÃO DE ALVENARIAS Funções, tipos, fornecimento, propriedades e composição Hipólito de Sousa 1. FUNÇÕES, TIPOS E FORMAS DE FORNECIMENTO DAS ARGAMASSAS Argamassa - definição Mistura

Leia mais

liberada por se tratar de um documento não aprovado pela PUC Goiás.

liberada por se tratar de um documento não aprovado pela PUC Goiás. PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Pró-Reitoria de Graduação - PROGRAD Plano de Ensino 2016/1 Atenção! Este Plano de Ensino é um Rascunho. Sua impressão não está liberada por se tratar de um documento

Leia mais

Propriedades da Argamassa com Areia Artificial para Revestimento de Alvenaria.

Propriedades da Argamassa com Areia Artificial para Revestimento de Alvenaria. Propriedades da Argamassa com Areia Artificial para Revestimento de Alvenaria. Paulo H. Ishikawa FATEC-SP Brasil paulo.ishikawa@uol.com.br Luiz Pereira-de-Oliveira C_MADE/UBI Portugal luiz.oliveira@ubi.pt

Leia mais

ESTUDO DAS PROPRIEDADES MECÂNICAS DE CONCRETO QUE CONTÉM ESCÓRIA DE COBRE NA SUBSTITUIÇÃO EM PARTE DO AGREGADO MIÚDO

ESTUDO DAS PROPRIEDADES MECÂNICAS DE CONCRETO QUE CONTÉM ESCÓRIA DE COBRE NA SUBSTITUIÇÃO EM PARTE DO AGREGADO MIÚDO ESTUDO DAS PROPRIEDADES MECÂNICAS DE CONCRETO QUE CONTÉM ESCÓRIA DE COBRE NA SUBSTITUIÇÃO EM PARTE DO AGREGADO MIÚDO DE CASTRO, Mário Lúcio Oliveira Júnior Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II A Estrutura Interna do Concreto

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II A Estrutura Interna do Concreto MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II A Estrutura Interna do Concreto Professora: Eng. Civil Mayara Custódio, Msc. Definições Macroestrutura: Estruturas visíveis à vista humana; Olho humano 1/5 de milésimo (200µm).

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO Nº Ensaios de caracterização e desempenho de argamassa para chapisco colante

RELATÓRIO TÉCNICO Nº Ensaios de caracterização e desempenho de argamassa para chapisco colante RELATÓRIO TÉCNICO Nº 113 595-205 Ensaios de caracterização e desempenho de argamassa para chapisco colante CENTRO DE TECNOLOGIA DE OBRAS DE INFRAESTRUTURA Laboratório de Materiais de Construção Civil Cliente:

Leia mais

Propriedades da água

Propriedades da água Disciplina: TC 030 MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO I Propriedades da água NAYARA S. KLEIN nayaraklein@gmail.com Curitiba PR, 08 de agosto de 2016. Introdução Água: Fluido transparente que forma o mundo: lagos,

Leia mais

TÉCNICAS CONSTRUTIVAS I

TÉCNICAS CONSTRUTIVAS I Curso Superior de Tecnologia em Construção de Edifícios TÉCNICAS CONSTRUTIVAS I Prof. Leandro Candido de Lemos Pinheiro leandro.pinheiro@riogrande.ifrs.edu.br BLOCOS CERÂMICOS ABNT NBR 15270 / 2005 Componentes

Leia mais

aditivo para rejuntamento

aditivo para rejuntamento 01 Descrição: votomassa deve ser misturado ao votomassa flexível ou similar. Usado em substituição à água na mistura, o produto melhora a impermeabilidade e a resistência do, proporcionando um rejunte

Leia mais

ESTUDO DO CAULIM CALCINADO COMO MATERIAL DE SUBSTITUIÇÃO PARCIAL DO CIMENTO PORTLAND

ESTUDO DO CAULIM CALCINADO COMO MATERIAL DE SUBSTITUIÇÃO PARCIAL DO CIMENTO PORTLAND Conferência Brasileira de Materiais e Tecnologias Não- Convencionais: Habitações e Infra-Estrutura de Interesse Social Brasil-NOCMAT 200 Pirassununga, SP, Brasil, 29 de outubro 3 de novembro, 200 ESTUDO

Leia mais

Marina Bedeschi Dutra

Marina Bedeschi Dutra MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Ouro Preto Escola de Minas Departamento de Engenharia Civil Curso de Graduação em Engenharia Civil Marina Bedeschi Dutra Produção de Areia Padronizada Sílica

Leia mais

Grupo de Materiais de Construção Departamento de Construção Civil Universidade Federal do Paraná

Grupo de Materiais de Construção Departamento de Construção Civil Universidade Federal do Paraná Disciplina: TC 030 MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO I Aglomerantes PROF. JOSÉ FREITAS ADAPTADO POR: PROF. RONALDO MEDEIROS-JUNIOR Introdução DEFINIÇÃO São produtos capazes de provocar a aderência dos materiais.

Leia mais

CONSUMO ENERGÉTICO PARA PRODUÇÃO DE BLOCOS DE CONCRETO: ESTUDO COMPARATIVO COM BLOCOS CERÂMICOS ATRAVÉS DA AVALIAÇÃO DO CICLO DE VIDA

CONSUMO ENERGÉTICO PARA PRODUÇÃO DE BLOCOS DE CONCRETO: ESTUDO COMPARATIVO COM BLOCOS CERÂMICOS ATRAVÉS DA AVALIAÇÃO DO CICLO DE VIDA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL Rita Paulus da Rosa CONSUMO ENERGÉTICO PARA PRODUÇÃO DE BLOCOS DE CONCRETO: ESTUDO COMPARATIVO COM BLOCOS

Leia mais

50º Congresso Brasileiro do Concreto

50º Congresso Brasileiro do Concreto 50º Congresso Brasileiro do Concreto 50 CONGRESSO BRASILEIRO DO CONCRETO, SALVADOR, BA, 2008 Blocos de Pavimentação com Cinzas Residuais de Cascas de Arroz Paving Blocks with Rice Husk Ash Waste Renato

Leia mais

ESTUDO DO USO DE COMBUSTÍVEIS ALTERNATIVOS NO FORNO DA INDÚSTRIA DO CIMENTO

ESTUDO DO USO DE COMBUSTÍVEIS ALTERNATIVOS NO FORNO DA INDÚSTRIA DO CIMENTO ESTUDO DO USO DE COMBUSTÍVEIS ALTERNATIVOS NO FORNO DA INDÚSTRIA DO CIMENTO B. L. VÉRAS 1, J. I. SOLLETI 1, E.M.CARNEIRO FILHO², W.U.LEITE¹, T.A.F. ROCHA¹ 1 Universidade Federal de Alagoas, Curso de Engenharia

Leia mais