Professor: Eng Civil Diego Medeiros Weber.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Professor: Eng Civil Diego Medeiros Weber."

Transcrição

1 Professor: Eng Civil Diego Medeiros Weber.

2 PATOLOGIA NOS PISOS DE CONCRETO

3 PATOLOGIA DAS ESTRUTURAS (PISOS) As patologias dos pisos cimentados agrupam-se nas divisões: Fissuras; Desgaste superficial; Delaminação;

4 PATOLOGIA DAS ESTRUTURAS (PISOS) FISSURAS: Patologia característica das estruturas de concreto. A caracterização da fissuração depende sempre da origem, intensidade e magnitude do quadro de fissuração existente. Fatores: retração plástica e movimentação do subleito.

5 FISSURAS: PATOLOGIA DAS ESTRUTURAS (PISOS) Retração plástica (quando a água de desloca para fora de um corpo poroso não totalmente rígido, ocorre uma contração deste corpo).

6 FISSURAS: PATOLOGIA DAS ESTRUTURAS (PISOS) Movimentação do Subleito (os recalques do subleito podem causar trincas no concreto durante a fase plástica ou fase endurecida).

7 PATOLOGIA DAS ESTRUTURAS (PISOS) DESGASTE SUPERFICIAL: Patologia relativamente comum; Fatores: baixa qualidade dos materiais utilizados; traço inadequado do concreto; acabamento inapropriado; ausência do procedimento de cura; excesso de carregamento.

8 PATOLOGIA DAS ESTRUTURAS (PISOS) Desgaste por abrasão Desgaste acentuado

9 PATOLOGIA DAS ESTRUTURAS (PISOS) DELAMINAÇÃO: Patologia comum aos pisos de concreto; Caracteriza-se pelo destacamento da lâmina superficial do piso, tendo como uma de suas consequências a diminuição de resistência do piso; Fatores: Polimento precoce do piso.

10 PATOLOGIA DAS ESTRUTURAS (PISOS) DELAMINAÇÃO:

11 PATOLOGIA NAS ALVENARIAS

12 PATOLOGIA NAS ALVENARIAS FISSURA DEVIDO A RECALQUE DE PILAR:

13 PATOLOGIA NAS ALVENARIAS FISSURA TÍPICA NOS CANTOS DE JANELA: Causas prováveis: - sobrecargas não previstas; - vergas e contra-vergas inexistentes ou mal executadas.

14 PATOLOGIA NAS ALVENARIAS FISSURA TÍPICA NOS CANTOS DE JANELA:

15 PATOLOGIA NAS ALVENARIAS FISSURA EM ALVENARIA DE FACHADA: Causas prováveis: - encunhamento prematuro da alvenaria; - deficiência do método de encunhamento; - deformações por flexões de lajes e vigas que sustentam as paredes.

16 PATOLOGIA NOS REVESTIMENTOS CERÂMICOS

17 PATOLOGIA NOS REVESTIMENTOS CERÂMICOS Dentre as patologias que o revestimento cerâmico pode apresentar, pode-se dizer, que estão distribuidas em relação a origem do processo construtivo, onde parcela dessas patologias, são oriundas de má execução e má qualidade dos materiais utilizados.

18 PATOLOGIA NOS REVESTIMENTOS CERÂMICOS As patologias mais frequentes em cerâmicas são: Patologias quanto as eflorescências; Patologias quanto as trincas, gretamento e fissuras; Patologias quanto ao bolor; Deterioração das juntas; Patologias quanto a expansão por umidade (EPU); Destacamentos de placas

19 PATOLOGIA NOS REVESTIMENTOS CERÂMICOS Eflorescência: Eflorescência são marcas de bolor, decorrentes da infiltração de água. São manchas normalmente brancas que se formam sobre a superfície alterando a estética dos acabamentos. O quadro patológico da eflorescência, tem como fator predominante a presença e a ação da água.

20 PATOLOGIA NOS REVESTIMENTOS CERÂMICOS Eflorescência:

21 PATOLOGIA NOS REVESTIMENTOS CERÂMICOS Eflorescência:

22 PATOLOGIA NOS REVESTIMENTOS CERÂMICOS Trincas, Gretamentos e Fissuras: Essa patologia, ocorre devido a perda de integridade da superfície da placa cerâmica. As trincas são rupturas causadas por esforços mecânicos, resultando na separação das placas, gerando aberturas superiores a 1 mm. Já as fissuras, são rompimentos nas placas cerâmicas, que não chegam a causar a ruptura nas placas, gerando uma abertura inferior a 1 mm. O gretamento são aberturas em várias direções, inferiores a 1 mm, ocorrendo na superfície esmaltada das placas.

23 PATOLOGIA NOS REVESTIMENTOS CERÂMICOS Trincas, Gretamentos e Fissuras:

24 PATOLOGIA NOS REVESTIMENTOS CERÂMICOS Patologias quanto ao Bolor: O desenvolvimento de fungos em revestimentos externos causa alteração estética formando manchas escuras indesejáveis em tonalidades preta, marrom e verde, ou ocasionalmente, manchas claras esbranquiçadas ou amareladas.

25 PATOLOGIA NOS REVESTIMENTOS CERÂMICOS Patologias quanto ao Bolor:

26 PATOLOGIA NOS REVESTIMENTOS CERÂMICOS Deterioração das Juntas: A deterioração das juntas compromete o desempenho dos revestimentos cerâmicos, pois as juntas são responsáveis pela vedação do revestimento cerâmico e por absorver deformações.

27 PATOLOGIA NOS REVESTIMENTOS CERÂMICOS Deterioração das Juntas:

28 PATOLOGIA NOS REVESTIMENTOS CERÂMICOS Patologias quanto a expansão por umidade (EPU): Trata-se de uma propriedade dos materiais cerâmicos que tendem a inchar-se, em maior ou menor grau com o decorrer do tempo, essa expansão associada à ausência de juntas adequadas resultará fatalmente nodescolamento do revestimento por flambagem, ou greteamento e fissuras do esmalte.

29 PATOLOGIA NOS REVESTIMENTOS CERÂMICOS Destacamento de Placas: O destacamento das placas ocorre devido a perda de aderência da cerâmica, quando as tensões aplicadas ultrapassarem a sua capacidade de aderência das ligações. É possível perceber o destacamento da placa quando ocorrer um som oco nacerâmica.

30 PATOLOGIA NOS REVESTIMENTOS CERÂMICOS Destacamento de Placas:

31 PATOLOGIA NOS REVESTIMENTOS ARGAMASSADOS Revestimentos Argamassados: A patologia nos revestimentos argamassados ocorre devido a qualidade do materiais utilizados na execução, do traço da argamassa de cimento, da espessura do revestimento, da aplicação do revestimento, do tipo de pintura, da umidade e da expansão da argamassa de assentamento.

32 PATOLOGIA NOS REVESTIMENTOS ARGAMASSADOS As patologias mais frequentes nos revestimentos argamassados são: fissuração e o deslocamento da pintura; formação de manchas de umidade, com desenvolvimento de bolor; deslocamento da argamassa de revestimento da alvenaria; fissuração da superfície do revestimento;

33 PATOLOGIA NOS REVESTIMENTOS ARGAMASSADOS

34 PATOLOGIA NOS REVESTIMENTOS ARGAMASSADOS

35 PATOLOGIA NOS REVESTIMENTOS ARGAMASSADOS

36 PATOLOGIA NOS REVESTIMENTOS ARGAMASSADOS

37 PATOLOGIA NOS REVESTIMENTOS ARGAMASSADOS

Revestimentos de Argamassa. Tecnologia de Argamassa P R O M O Ç Ã O

Revestimentos de Argamassa. Tecnologia de Argamassa P R O M O Ç Ã O Revestimentos de Argamassa Tecnologia de Argamassa P R O M O Ç Ã O TECNOLOGIA DA ARGAMASSA Conceitos Sistema de Revestimento de Argamassa Desempenho do sistema Materiais Constituintes Dosagem Escolha do

Leia mais

PATOLOGIAS DO CONCRETO

PATOLOGIAS DO CONCRETO Tecnologia da Construção I PATOLOGIAS DO CONCRETO Docente: Thalita Lima Email:thalitaluizalima@gmail.com Cuiabá/MT Maio - 2017 Corrosão de Armaduras Corrosão de Armaduras É o processo de enfraquecimento

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Mestrado Acadêmico Aderência à base Deficiência de Aderência Características do Substrato Dosagem da Argamassa Técnica de Execução Argamassa 2 Ok Ok Ok Ok 2 Subidas

Leia mais

II Semina rio Nacional de Peri cias de Engenharia PERI CIAS EM FACHADAS CASES. Eng. Clémenceau Chiabi Saliba Jr.

II Semina rio Nacional de Peri cias de Engenharia PERI CIAS EM FACHADAS CASES. Eng. Clémenceau Chiabi Saliba Jr. II Semina rio Nacional de Peri cias de Engenharia PERI CIAS EM FACHADAS CASES Eng. Clémenceau Chiabi Saliba Jr. clemenceau@chiabi.com A causa de aparecimento de uma patologia em fachada, pode ser interpretada

Leia mais

Professor: Eng Civil Diego Medeiros Weber.

Professor: Eng Civil Diego Medeiros Weber. Professor: Eng Civil Diego Medeiros Weber. PATOLOGIA DAS ESTRUTURAS, PISOS DE CONCRETO E DOS REVESTIMENTOS. CONSTRUÇÃO CIVIL PATOLOGIA DAS ESTRUTURAS CONSTRUÇÃO CIVIL PATOLOGIA "A patologia na construção

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS II PATOLOGIAS EM REVESTIMENTOS DE ARGAMASSA

CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS II PATOLOGIAS EM REVESTIMENTOS DE ARGAMASSA PATOLOGIAS EM REVESTIMENTOS DE ARGAMASSA AS FISSURAS NOS REVESTIMENTOS RESPONDEM EM MÉDIA POR 15% DOS CHAMADOS PARA ATENDIMENTO PÓS-OBRA DENTRO DO PRAZO DE GARANTIA ORIGEM E INCIDÊNCIA DAS MANIFESTAÇÕES

Leia mais

TRINCAS E FISSURAS NAS CONSTRUÇÕES

TRINCAS E FISSURAS NAS CONSTRUÇÕES INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAPÁ IFAP PATOLOGIA DAS CONTRUÇOES NATASHA COSTA TRINCAS E FISSURAS NAS CONSTRUÇÕES ADLER GABRIEL ALVES PEREIRA EDINALDO JOSÉ FÁRO BARROS SOUZA DA

Leia mais

Diretrizes de Projeto de Revestimento de Fachadas com Argamassa

Diretrizes de Projeto de Revestimento de Fachadas com Argamassa Diretrizes de Projeto de Revestimento de Fachadas com Argamassa 2. Deficiência x Excelência Elaboração Estruturas de Concreto e Revestimentos de Argamassa 7 Estruturas de Concreto e Revestimentos de Argamassa

Leia mais

Manutenção e Restauro de Obras. Prof. Aline Fernandes de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010

Manutenção e Restauro de Obras. Prof. Aline Fernandes de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010 Manutenção e Restauro de Obras de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010 PRINCIPAIS PROBLEMAS DAS ESTRUTURAS: AS LESÕES VERIFICADAS EM OBRAS SOB EFEITO DAS MOVIMENTAÇÕES DIFERENCIADAS, ASSUMEM DIVERSAS SITUAÇÕES

Leia mais

Disciplina: Materiais de Construção I Assunto: Argamassas no estado seco e fresco Prof. Ederaldo Azevedo Aula 6 e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br 1.1 Conceitos Básicos: Argamassa é um material composto,

Leia mais

Soluções para Alvenaria

Soluções para Alvenaria Aços Longos Soluções para Alvenaria BelgoFix Tela BelgoRevest Murfor Produtos ARCE1109-0210_SOL_ALVENARIA.indd 1 20/01/14 15:00 BelgoFix BelgoFix : marca registrada da Belgo Bekaert Arames Telas Soldadas

Leia mais

b. Referencias bibliográficas e páginas da internet.

b. Referencias bibliográficas e páginas da internet. Roteiro para Apresentação de Questões Orientações: 1. Cada grupo (e cada integrante do grupo) será responsável em pesquisar, responder e apresentar as questões (mostradas a seguir para cada grupo), bem

Leia mais

Soluções para Alvenaria. Informe Técnico

Soluções para Alvenaria. Informe Técnico Soluções para Alvenaria Informe Técnico Qualidade que faz a diferença em Alvenaria. Para o mercado de Alvenaria, escolher a qualidade Belgo Bekaert Arames significa estar pronto para difíceis demandas,

Leia mais

Soluções para Alvenaria. Informe Técnico

Soluções para Alvenaria. Informe Técnico Soluções para Alvenaria Informe Técnico Qualidade que faz a diferença em Alvenaria. Para o mercado de Alvenaria, escolher a qualidade Belgo Bekaert Arames significa estar pronto para difíceis demandas,

Leia mais

Argamassas mistas. Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira

Argamassas mistas. Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira Argamassas mistas Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira Argamassas mistas de cimento, cal e areia destinadas ao uso em alvenarias e revestimentos Prof. M.Sc. Ricardo Ferreira Fonte: NBR 7200:1998 NBR 13529:2013

Leia mais

Argamassas de Revestimento

Argamassas de Revestimento Argamassas de Revestimento q Argamassa de revestimento é utilizada para revestir paredes, muros e tetos, os quais, geralmente, recebem acabamentos como pintura, cerâmicos, laminados, etc; q O revestimento

Leia mais

Argamassa TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES ARGAMASSA. Elizeth Neves Cardoso Soares 2016

Argamassa TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES ARGAMASSA. Elizeth Neves Cardoso Soares 2016 TECNOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES ARGAMASSA Elizeth Neves Cardoso Soares 2016 Definições Pastas Resulta das reações químicas do cimento com a água. Quando há água em excesso, denomina-se nata. Argamassa São misturas

Leia mais

REVESTIMENTOS VERTICAIS. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

REVESTIMENTOS VERTICAIS. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I REVESTIMENTOS VERTICAIS Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I O CONCEITO FUNCIONAL É um elemento funcional do edifício com funções bem

Leia mais

REVESTIMENTOS Escolha do Sistema de Revestimento

REVESTIMENTOS Escolha do Sistema de Revestimento 200888 Técnicas das Construções I REVESTIMENTOS Escolha do Sistema de Revestimento Prof. Carlos Eduardo Troccoli Pastana pastana@projeta.com.br (14) 3422-4244 AULA 13 EXERCÍCIO 1 ESCOLHA DO SISTEMA DE

Leia mais

Fissuras em Alvenarias Causas mais frequentes

Fissuras em Alvenarias Causas mais frequentes Fissuras em Alvenarias Causas mais frequentes Prof. Ronaldo Duarte Tipos de movimentos a que os prédios estão sujeitos e suas causas principais (B. Martin, Joints in Buildings, 1977 ) Causa Efeitos Duração

Leia mais

FLEXÍVEIS Suportam deformações de amplitude variável, dependendo de seu reforço à tração.

FLEXÍVEIS Suportam deformações de amplitude variável, dependendo de seu reforço à tração. IMPERMEABILIZAÇÃO Têm a função de proteger a edificação contra patologias que poderão surgir como possível infiltração de água. Classificação RÍGIDAS Baixa capacidade de deformação FLEXÍVEIS Suportam deformações

Leia mais

MURFOR Reforço de aço para alvenaria

MURFOR Reforço de aço para alvenaria Aços Longos MURFOR Reforço de aço para alvenaria Murfor : marca registrada da N.V. Bekaert Produtos ARCE1109-0218_Folheto_Murfor_21x28cm.indd 2 MURFOR Reforço de aço para alvenaria Murfor é uma treliça

Leia mais

1.8 Desenvolvimento da estrutura de edifícios 48

1.8 Desenvolvimento da estrutura de edifícios 48 Sumário Capítulo 1 Desenvolvimento histórico de materiais, elementos e sistemas estruturais em alvenaria 23 1.1 História dos materiais da alvenaria 24 1.2 Pedra 24 1.3 Tijolos cerâmicos 26 1.4 Blocos sílico-calcários

Leia mais

FISSURAÇÃO. Causas Mecanismos de formação

FISSURAÇÃO. Causas Mecanismos de formação FISSURAÇÃO Causas Mecanismos de formação Definição As trincas e fissuras são fenômenos próprios e inevitáveis do concreto armado e que podem se manifestar em cada uma das três fases de sua vida: fase plástica,

Leia mais

MACO II PUC GO Professora Mayara Moraes

MACO II PUC GO Professora Mayara Moraes MACO II PUC GO Professora Mayara Moraes Argamassas NBR13281 Histórico 1º. registro de emprego na construção: Pré-História Piso polido de 180 m² feito com pedras e argamassa cal e areia: ~ 7000 a 9000

Leia mais

AULA 6 ARGAMASSA continuação

AULA 6 ARGAMASSA continuação AULA 6 ARGAMASSA continuação Disciplina: Materiais de Construção I Professora: Dra. Carmeane Effting 1 o semestre 2014 Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Engenharia Civil ARGAMASSAS - PROPRIEDADES

Leia mais

FICHAS DE PATOLOGIAS DOS SISTEMAS ETICS

FICHAS DE PATOLOGIAS DOS SISTEMAS ETICS FICHAS DE PATOLOGIAS DOS SISTEMAS ETICS Vasco Peixoto de Freitas Andreia Mota Miranda Laboratório de Física das Construções FACULDADE DE ENGENHARIA UNIVERSIDADE DO PORTO Vasco Peixoto de Freitas e Andreia

Leia mais

O que são os revestimentos verticais??? REVESTIMENTO: Cartão de visitas da empresa!!! que cobre uma superfície

O que são os revestimentos verticais??? REVESTIMENTO: Cartão de visitas da empresa!!! que cobre uma superfície Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Construção Civil PCC-2436 Tecnologia da Construção de Edifícios II Aula 05: Revestimentos Verticais Conceituação e Classificação

Leia mais

TÓPICOS ESPECIAIS ECIVIL I ALVENARIA ESTRUTURAL PAREDES. Estruturas Mistas - Profas Maria Regina Leggerini / Sílvia Baptista Kalil

TÓPICOS ESPECIAIS ECIVIL I ALVENARIA ESTRUTURAL PAREDES. Estruturas Mistas - Profas Maria Regina Leggerini / Sílvia Baptista Kalil 1 TÓPICOS ESPECIAIS ECIVIL I ALVENARIA ESTRUTURAL PAREDES CONCEITO: São elementos estruturais laminares (uma das dimensões muito menor do que as outras duas), apoiadas de modo contínuo em sua base. 2 TIPOLOGIA:

Leia mais

MANUAL INFORMAÇÕES TÉCNICAS E APLICAÇÕES

MANUAL INFORMAÇÕES TÉCNICAS E APLICAÇÕES MANUAL INFOMAÇÕES TÉCNICAS E APLICAÇÕES O MANUAL Este manual foi elaborado com o objetivo de apresentar o impermeabilizante Impermassa e seus diferenciais na construção civil. Trata-se de um explicativo

Leia mais

DICAS. Multiplicador de Qualidade Futura

DICAS. Multiplicador de Qualidade Futura DICAS Multiplicador de Qualidade Futura 1. Patologias Patologia é qualquer anormalidade que venha a ocorrer abaixo ou acima do filme da tinta e que provoque o desgaste acelerado do sistema de pintura.

Leia mais

Patologias mais Correntes nas Fachadas de Edifícios em Brasília

Patologias mais Correntes nas Fachadas de Edifícios em Brasília LEM Laboratório de Ensaio de Materiais ENC/UnB Patologias mais Correntes nas Fachadas de Edifícios em Brasília Eliane Kraus de Castro; Elton Bauer; Giselle Reis Antunes Programa de Pós-graduação em Estruturas

Leia mais

EFEITOS E CONSEQUÊNCIAS DA FISSURAÇÃO EM ESTRUTURAS DE CONCRETO. Causas Mecanismos de formação Configuração

EFEITOS E CONSEQUÊNCIAS DA FISSURAÇÃO EM ESTRUTURAS DE CONCRETO. Causas Mecanismos de formação Configuração EFEITOS E CONSEQUÊNCIAS DA FISSURAÇÃO EM ESTRUTURAS DE CONCRETO Causas Mecanismos de formação Configuração Definição Tanto em alvenarias quanto nas estruturas de concreto, a fissura é originada por atuação

Leia mais

Sistemas para paredes

Sistemas para paredes Sistemas para paredes Wall Tech Descrição geral Aplicações Integra-se perfeitamente aos sistemas de pisos em MMA, formando um sistema monolítico único. Ideal para ambientes internos, é aplicável diretamente

Leia mais

Tecgº Kirke Andrew Wrubel Moreira SISTEMAS DE IMPERMEABILIZAÇÃO DE ESTRUTURAS

Tecgº Kirke Andrew Wrubel Moreira SISTEMAS DE IMPERMEABILIZAÇÃO DE ESTRUTURAS SISTEMAS DE IMPERMEABILIZAÇÃO DE ESTRUTURAS IMPERMEABILIZAÇÕES DE ESTRUTURAS POR ONDE A ÁGUA PODERÁ INFILTRAR: A água é um material com baixa viscosidade e densidade e por isso consegue por ação de forças

Leia mais

Caderno de Estruturas em Alvenaria e Concreto Simples

Caderno de Estruturas em Alvenaria e Concreto Simples Caderno de Estruturas em Alvenaria e Concreto Simples CONTEÚDO CAPÍTULO 1 - RESISTÊNCIA DO MATERIAL 1.1. Introdução 1.2. Definição: função e importância das argamassas 1.3. Classificação das alvenarias

Leia mais

f xm - Resistência média das amostras f xk ALVENARIA ESTRUTURAL Blocos: Propriedades desejáveis : Resistência à compressão: MATERIAIS

f xm - Resistência média das amostras f xk ALVENARIA ESTRUTURAL Blocos: Propriedades desejáveis : Resistência à compressão: MATERIAIS Alvenaria Ministério Estruturalda Educação Universidade Federal do Paraná Setor de Tecnologia Construção Civil II ( TC-025) Blocos: Propriedades desejáveis : Resistência à compressão: Função da relação

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DE ARGAMASSA DE REVESTIMENTO A BASE DE CAL E ADITIVADA. Palavras-Chave: Revestimento argamassado, incorporador de ar, cal hidratada.

CARACTERIZAÇÃO DE ARGAMASSA DE REVESTIMENTO A BASE DE CAL E ADITIVADA. Palavras-Chave: Revestimento argamassado, incorporador de ar, cal hidratada. CARACTERIZAÇÃO DE ARGAMASSA DE REVESTIMENTO A BASE DE CAL E ADITIVADA Frederico Hobold Filho (1); Fernando Pelisser (2) UNESC Universidade do Extremo Sul Catarinense (1)fred_hobold@hotmail.com (2)fep@unesc.net

Leia mais

GUIA DE ESPECIFICÃO PROCRYL AC-I + PROCRYL AC-I + PROCRYL PROCRYL HARD AC-I + PROCRYL AC-I + PROCRYL PINTURA IMPERMEÁVEL

GUIA DE ESPECIFICÃO PROCRYL AC-I + PROCRYL AC-I + PROCRYL PROCRYL HARD AC-I + PROCRYL AC-I + PROCRYL PINTURA IMPERMEÁVEL PATOLOGIAS Neste caderno serão apresentadas as soluções da linha Procryl para atendimento dos requisitos de tratamento e correção de patologias. Temos com objetivo, facilitar o entendimento, projeção e

Leia mais

PATOLOGIA NA FASE PINTURA

PATOLOGIA NA FASE PINTURA PATOLOGIA NA FASE PINTURA FINALIDADE DA PINTURA PROTEÇÃO DECORAÇÃO PINTURA NOVA CLIMA TROPICAL 5 ANOS CAUSAS DAS PATOLOGIAS NA INTERFACE DA PELÍCULA COM O SUBSTRATO NA PRÓPRIA PELÍCULA PRINCIPAIS RAZÕES

Leia mais

AVALIAÇÃO DE INVESTIMENTO EM IMOVEL COM FACHADA EM PINTURA E EM PASTILHA, APLICANDO DIFERENÇA EM POUPANÇA.

AVALIAÇÃO DE INVESTIMENTO EM IMOVEL COM FACHADA EM PINTURA E EM PASTILHA, APLICANDO DIFERENÇA EM POUPANÇA. AVALIAÇÃO DE INVESTIMENTO EM IMOVEL COM FACHADA EM PINTURA E EM PASTILHA, APLICANDO DIFERENÇA EM POUPANÇA. Catarina Dias Viana Dourado Gomes catarinaviana.eng@gmail.com MBA Gerenciamento de Obras, Tecnologia

Leia mais

Avaliação dos Pavimentos Rígidos: Tipologia dos defeitos e suas causas

Avaliação dos Pavimentos Rígidos: Tipologia dos defeitos e suas causas UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP FACULDADE DE CIENCIAS EXATAS E TECNOLOGICAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA: MANUTENÇÃO DE PAVIMENTOS Avaliação dos Pavimentos Rígidos:

Leia mais

CONSTRUÇÃO CIVIL II ENG 2333 (2016/1)

CONSTRUÇÃO CIVIL II ENG 2333 (2016/1) ENG 2333 (2016/1) Aula 07 Revestimentos cerâmicos de paredes REVESTIMENTOS DE PAREDES Conjunto de camadas que recobre as vedações e a estrutura de um edifício com as funções de complementar as funções

Leia mais

REVESTIMENTOS. Curso Técnico em Edificações Disciplina: Técnicas de Construção Civil 3 Profª Nayra Y. Tsutsumoto

REVESTIMENTOS. Curso Técnico em Edificações Disciplina: Técnicas de Construção Civil 3 Profª Nayra Y. Tsutsumoto REVESTIMENTOS Curso Técnico em Edificações Disciplina: Técnicas de Construção Civil 3 Profª Nayra Y. Tsutsumoto REVESTIMENTOS O que é revestimento? Revestimentos mais comuns Argamassas Cerâmicos Pedra

Leia mais

TECNOLOGIA DE ARGAMASSAS (Parte II)

TECNOLOGIA DE ARGAMASSAS (Parte II) UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Departamento de Construção Civil TC 034 Materiais de Construção III TECNOLOGIA DE ARGAMASSAS (Parte II) Aulas: Prof a. Marienne R.M.Maron da Costa colaboração Prof.Eduardo

Leia mais

CONSTRUÇÃO CIVIL II ENG 2333 (2016/1)

CONSTRUÇÃO CIVIL II ENG 2333 (2016/1) ENG 2333 (2016/1) Aula 08 Contrapiso CONTRAPISO Funções: Regularizar a superfície do piso ou da laje; Embutir instalações que passem pelo piso; Permitir o correto caimento do piso nas áreas molhadas; Fornecer

Leia mais

Técnicas de construção. Vedações Verticais. Profa. Keila Bento

Técnicas de construção. Vedações Verticais. Profa. Keila Bento Técnicas de construção Vedações Verticais Profa. Keila Bento Vedações verticais Definição UM SUBSISTEMA DOS EDIFÍCIOS CONSTITUÍDO PELOS ELEMENTOS QUE: DEFINEM E LIMITAM VERTICALMENTE O EDIFÍCIO E SEUS

Leia mais

07/05/2017. Cuiabá/MT Maio

07/05/2017. Cuiabá/MT Maio Cuiabá/MT Maio - 2017 Alvenaria e um maciço constituído de pedras ou blocos, naturais ou artificiais, ligadas entre si de modo estável pela combinação de juntas e interposição de argamassa, ou somente

Leia mais

MEMÓRIA DE CÁLCULO DO ABRIGO DA SUBESTAÇÃO DE 500 KVA

MEMÓRIA DE CÁLCULO DO ABRIGO DA SUBESTAÇÃO DE 500 KVA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DA EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO CIENCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL DIRETORIA DE

Leia mais

Tecnologia das construções

Tecnologia das construções Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Engenharia Civil Tecnologia da Construção Civil I Revestimentos argamassados Execução de edificações Revestimentos argamassados

Leia mais

CORREÇÕES E PREVENÇÕES DE MANIFESTAÇÕES PATOLÓGICAS EM ALVENARIAS DE VEDAÇÃO

CORREÇÕES E PREVENÇÕES DE MANIFESTAÇÕES PATOLÓGICAS EM ALVENARIAS DE VEDAÇÃO CORREÇÕES E PREVENÇÕES DE MANIFESTAÇÕES PATOLÓGICAS EM ALVENARIAS DE VEDAÇÃO Patricia Krüger (Universidade Estadual de Ponta Grossa) pkruger@uepg.br Marília Izabel Burgath Ukrainski Scheffer (Martins Engenharia

Leia mais

ALVENARIA ESTRUTURAL SERVIÇOS

ALVENARIA ESTRUTURAL SERVIÇOS Alvenaria Ministério Estruturalda Educação Universidade Federal do Paraná Setor de Tecnologia Marcação da Alvenaria: Construção Civil II ( TC-025) Verificação do esquadro e nível do pavimento; Traçado

Leia mais

APRIMORAMENTO DOS MÉTODOS DE MEDIDA DA EPU DE REVESTIMENTOS CERÂMICOS

APRIMORAMENTO DOS MÉTODOS DE MEDIDA DA EPU DE REVESTIMENTOS CERÂMICOS APRIMORAMENTO DOS MÉTODOS DE MEDIDA DA EPU DE REVESTIMENTOS CERÂMICOS Suelen Nastri*, Lisandra R. S. Conserva*, Dr. Fábio G. Melchiades** Prof. Dr. Anselmo O. Boschi* * PPGCEM / DEMa / UFSCar ** CRC -

Leia mais

Colagem de Cerâmicos em Fachadas'

Colagem de Cerâmicos em Fachadas' Colagem de Cerâmicos em Fachadas' Coimbra 13. Novembro. 2013 Agenda Causas das patologias mas antigamente...? Como resolver... Exemplos Reabilitação Conclusões Reboco SUPORTE: Alvenaria de tijolo cerâmico

Leia mais

ESTUDO DE CASO: FACHADA DE UMA EDIFICAÇÃO COMERCIAL

ESTUDO DE CASO: FACHADA DE UMA EDIFICAÇÃO COMERCIAL ESTUDO DE CASO: FACHADA DE UMA EDIFICAÇÃO COMERCIAL BURLE, Eduardo; MENDES, Aurea; LIMA, Natália; AGRA, Tiago, MONTEIRO, Eliana Universidade de Pernambuco, (81)99925-9559, eblobo@hotmail.com; UNICAP, aureamendes90@hotmail.com;

Leia mais

CONSTRUÇÃO CIVIL II ENG 2333 (2016/1)

CONSTRUÇÃO CIVIL II ENG 2333 (2016/1) ENG 2333 (2016/1) Aula 06 Revestimentos de fachadas REVESTIMENTOS DE FACHADAS REVESTIMENTOS DE FACHADAS REVESTIMENTOS DE FACHADAS REVESTIMENTOS DE FACHADAS REVESTIMENTOS DE FACHADAS Proteção Valorização

Leia mais

Prof. Aline Fernandes de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010

Prof. Aline Fernandes de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010 de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010 DEFINIÇÃO. Mistura de aglomerantes e agregados com água, possuindo capacidade de endurecimento (NBR 7200).. São materiais de construção constituídos por uma mistura

Leia mais

ESTUDO DA TEMPERATURA SUPERFICIAL DE FACHADAS DE EDIFÍCIOS

ESTUDO DA TEMPERATURA SUPERFICIAL DE FACHADAS DE EDIFÍCIOS ESTUDO DA TEMPERATURA SUPERFICIAL DE FACHADAS DE EDIFÍCIOS Rebecca M. G. de M. Barros (1), Sílvia B. B. Uchôa (2), Karoline A. Melo (3) (1) Mestranda, Centro de Tecnologia Universidade Federal de Alagoas,

Leia mais

AVALIAÇÃO E DIAGNÓSTICO DAS MANIFESTAÇÕES PATOLOGICAS IDENTIFICADAS NAS FACHADAS DO PANTEÃO DA PÁTRIA TANCREDO NEVES EM BRASÍLIA/BRASIL ESTUDO DE CASO

AVALIAÇÃO E DIAGNÓSTICO DAS MANIFESTAÇÕES PATOLOGICAS IDENTIFICADAS NAS FACHADAS DO PANTEÃO DA PÁTRIA TANCREDO NEVES EM BRASÍLIA/BRASIL ESTUDO DE CASO AVALIAÇÃO E DIAGNÓSTICO DAS MANIFESTAÇÕES PATOLOGICAS IDENTIFICADAS NAS FACHADAS DO PANTEÃO DA PÁTRIA TANCREDO NEVES EM BRASÍLIA/BRASIL ESTUDO DE CASO E. K. CASTRO E. BAUER Profa., Eng.ª Civil Prof. Eng.ª

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETURA. ARQ. Cesar Luiz Basso

MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETURA. ARQ. Cesar Luiz Basso MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETURA RESPONSÁVEL: ARQ. Cesar Luiz Basso CAU: A5819-0 OBRA: LOCAL: 6098 NÚCLEO PEDAGÓGICO CAMPUS JORGE AMADO - SUBESTAÇÃO SECUNDÁRIA BR415 Rodovia Itabuna/ Ilhéus - BA 1 CONTROLE

Leia mais

EXERCÍCIOS DE REVISÃO PARA A VF

EXERCÍCIOS DE REVISÃO PARA A VF a) Descreva a ruptura do concreto, relatando o seu comportamento quando submetido à tensões de compressão até 30% da ruptura, entre 30 e 50%, entre 50% e 75% e de 75% até o colapso. b) Defina cura do concreto,

Leia mais

MONOCOLOR CRONOS>NUDE DESIGN DA TRANSFORMAÇÃO. Código 112

MONOCOLOR CRONOS>NUDE DESIGN DA TRANSFORMAÇÃO. Código 112 DESIGN DA TRANSFORMAÇÃO FICHA TÉCNICA MONOCOLOR CRONOS>NUDE Código 112 ACABAMENTOS Superficial lixado interno Lixado externo Nude e a simplicidade de sua cor permitiram a criação de um produto de beleza

Leia mais

MANUTENÇÃO E RESTAURAÇÃO DE OBRAS

MANUTENÇÃO E RESTAURAÇÃO DE OBRAS MANUTENÇÃO E RESTAURAÇÃO DE OBRAS Prof. Arq. Aline Fernandes 2013 PATOLOGIA DE FUNDAÇÕES Fases que os problemas podem ocorrer ou ser originados: - Caracterização do comportamento do solo; - Análise e projeto

Leia mais

Faculdade Sudoeste Paulista Curso de Engenharia Civil Técnicas da Construção Civil

Faculdade Sudoeste Paulista Curso de Engenharia Civil Técnicas da Construção Civil AULA 11 CONTRAPISOS O contrapiso é uma camada de argamassa executada sobre uma base, que pode ser a laje de um pavimento ou um lastro de concreto, se for sobre o solo. Sua função é regularizar a superfície

Leia mais

TR 3 Especificação e projeto executivo de revestimentos cerâmicos

TR 3 Especificação e projeto executivo de revestimentos cerâmicos TR 3 Especificação e projeto executivo de revestimentos cerâmicos Conceitos básicos... Porque elaborar um projeto de revestimentos Diretrizes de projetos e etapas de desenvolvimento Análise de fatores

Leia mais

ANÁLISE EXPERIMENTAL DA RESISTÊNCIA DE ADERÊNCIA À TRAÇÃO EM REVESTIMENTOS ARGAMASSADOS

ANÁLISE EXPERIMENTAL DA RESISTÊNCIA DE ADERÊNCIA À TRAÇÃO EM REVESTIMENTOS ARGAMASSADOS ANÁLISE EXPERIMENTAL DA RESISTÊNCIA DE ADERÊNCIA À TRAÇÃO EM REVESTIMENTOS ARGAMASSADOS RESUMO Lucas Borsatto Schmitz (1), Jakson Fábio Bitencourt Araújo (2) UNESC Universidade do Extremo Sul Catarinense

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CAMPUS ANGICOS DEPARTAMENTOCIÊNCIAS EXATAS, TECNOLÓGICAS E HUMANAS - DCETH CURSO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CAMPUS ANGICOS DEPARTAMENTOCIÊNCIAS EXATAS, TECNOLÓGICAS E HUMANAS - DCETH CURSO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CAMPUS ANGICOS DEPARTAMENTOCIÊNCIAS EXATAS, TECNOLÓGICAS E HUMANAS - DCETH CURSO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA OTACÍLIA MARIA LOPES BARBALHO ESTUDO DAS PRINCIPAIS MANIFESTAÇÕES

Leia mais

ALVENARIA ESTRUTURAL EM BLOCOS CERÂMICOS

ALVENARIA ESTRUTURAL EM BLOCOS CERÂMICOS ALVENARIA ESTRUTURAL EM BLOCOS CERÂMICOS . HISTÓRICO O uso da Alvenaria como elemento apenas comprimido é uma das mais antigas formas de construção empregadas pelo homem HISTÓRICO OBRAS

Leia mais

É toda modificação na superfície ou na estrutura de um pavimento que altere negativamente seu desempenho

É toda modificação na superfície ou na estrutura de um pavimento que altere negativamente seu desempenho Eng Pery C. G. de Castro Revisado em: agosto 2009 CONCEITO É toda modificação na superfície ou na estrutura de um pavimento que altere negativamente seu desempenho 1 FATORES QUE ATUAM NEGATIVAMENTE SOBRE

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE AVALIAÇÕES E PERÍCIAS DE ENGENHARIA XII COBREAP Congresso Brasileiro de Engenharia de Avaliações e Perícias

INSTITUTO BRASILEIRO DE AVALIAÇÕES E PERÍCIAS DE ENGENHARIA XII COBREAP Congresso Brasileiro de Engenharia de Avaliações e Perícias INSTITUTO BRASILEIRO DE AVALIAÇÕES E PERÍCIAS DE ENGENHARIA XII COBREAP Congresso Brasileiro de Engenharia de Avaliações e Perícias PATOLOGIAS DOS REVESTIMENTOS ESTUDO DE CASO: A RELAÇÃO ENTRE A EXPANSÃO

Leia mais

Patologia no Revestimento Cerâmico de Fachada em Edificação da Região Administrativa de Águas Claras

Patologia no Revestimento Cerâmico de Fachada em Edificação da Região Administrativa de Águas Claras 1 Patologia no Revestimento Cerâmico de Fachada em Edificação da Região Administrativa Kleber Augustinho Oleari Kleber.oleari@poupex.com.br Gerenciamento de Obras, Tecnologia e Qualidade da Construção

Leia mais

Elementos de vedação e divisórios

Elementos de vedação e divisórios UNIV. FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV CIV601 - Técnicas Construtivas Elementos de vedação e divisórios Prof. Guilherme Brigolini CONCEITUAÇÃO vedação vertical: elementos que compartimentam

Leia mais

10 PATOLOGIAS MAIS COMUNS EM REVESTIMENTOS.

10 PATOLOGIAS MAIS COMUNS EM REVESTIMENTOS. 10 PATOLOGIAS MAIS COMUNS EM REVESTIMENTOS. APÓS ESTUDAR ESTE CAPÍTULO; VOCÊ DEVERÁ SER CAPAZ DE: Saber analisar as manifestações apresentadas nos revestimentos; Saber as causas prováveis das patologias

Leia mais

Sistemas Estruturais. Prof. Rodrigo mero

Sistemas Estruturais. Prof. Rodrigo mero Sistemas Estruturais Prof. Rodrigo mero Aula 2 Cargas que Atuam nas estruturas Índice Forças Vetoriais Geometria das Forças Cargas Quanto a Frequência Levantamento de Cargas Simples Equilíbrio Interno

Leia mais

Desempenho em serviço Prof. Maristela Gomes da Silva

Desempenho em serviço Prof. Maristela Gomes da Silva Desempenho em serviço Prof. Maristela Gomes da Silva Departamento de Engenharia Civil Bibliografia referência para esta aula ISAIA, G. C. (editor) Materiais de Construção Civil e Princípios de ciência

Leia mais

Universidade Federal do Ceará. Curso de Engenharia Civil. Aula 3: Argamassa. Prof. Eduardo Cabral

Universidade Federal do Ceará. Curso de Engenharia Civil. Aula 3: Argamassa. Prof. Eduardo Cabral Universidade Federal do Ceará Curso de Engenharia Civil Aula 3: Argamassa Prof. Eduardo Cabral Definição e Histórico Piso de 180m 2 no sul da Galiléia entre 7.000a.C. e 9.000a.C. Laje de 25cm de espessura

Leia mais

Patologias cerâmicas

Patologias cerâmicas capa revestimento ceramicox.qxd 21/11/2006 14:46 Page 44 CAPA Patologias cerâmicas Por que ocorrem os desplacamentos e trincas em edificações revestidas com cerâmicas e quais as recomendações dos especialistas

Leia mais

Desempenho de Pavimentos Rodoviários. Prof. M.Sc. em Eng. Civil Matheus Lemos Nogueira

Desempenho de Pavimentos Rodoviários. Prof. M.Sc. em Eng. Civil Matheus Lemos Nogueira Desempenho de Pavimentos Rodoviários Prof. M.Sc. em Eng. Civil Matheus Lemos Nogueira Desempenho É a variação da serventia ao longo do tempo (ou do tráfego) de uso do pavimento. VSA Valor de Serventia

Leia mais

Aços para construção civil alvenarias

Aços para construção civil alvenarias Aços para construção civil alvenarias Alberto Menache ArcelorMittal Reforço de paredes de alvenaria com treliças planas de aço Para a execução de alvenaria até há pouco tempo, somente a geometria era fator

Leia mais

Soluções Completas Para o Seu Projeto.

Soluções Completas Para o Seu Projeto. Soluções Completas Para o Seu Projeto. Há mais de 50 anos a Argatex oferece soluções para construção civil, sempre com os princípios de oferecer produtos de alta qualidade que simplifiquem e otimizem a

Leia mais

Instruções de Assentamento

Instruções de Assentamento Instruções de Assentamento 1. Descrição Básica dos Produtos Cerâmicos Atlas Pastilha de Porcelana e Revestimento Cerâmico. As placas são fornecidas em Telas de Papel ou Drop System (pontos de PVC, aplicados

Leia mais

Colagem de Cerâmica e Rochas Ornamentais

Colagem de Cerâmica e Rochas Ornamentais Colagem de Cerâmica e Rochas Ornamentais Pedro Sequeira Dina Frade José Severo Associação Portuguesa de Fabricantes de Argamassas e ETICS Colagem de Cerâmica e Rochas Ornamentais TEKtónica, Lisboa, 2014.05.09

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E/OU CONSTRUTIVO

MEMORIAL DESCRITIVO E/OU CONSTRUTIVO MEMORIAL DESCRITIVO E/OU CONSTRUTIVO 1.0 PRELIMINARES O presente memorial faz constar informações sobre o fechamento e acabamento do plenário da obra do Centro de Cultura e sede do Poder Legislativo de

Leia mais

ESTRUTURAS NOÇÕES BÁSICAS

ESTRUTURAS NOÇÕES BÁSICAS ESTRUTURAS NOÇÕES BÁSICAS Profa. Ana Maria Gontijo Figueiredo 1) TERMINOLOGIA Estrutura: Parte resistente de uma construção ou de uma máquina, objeto ou peça isolada, cuja função básica é o transporte

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETURA. ARQ. Cesar Luiz Basso

MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETURA. ARQ. Cesar Luiz Basso MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETURA RESPONSÁVEL: ARQ. Cesar Luiz Basso CAU: A5819-0 OBRA: LOCAL: 6098 NÚCLEO PEDAGÓGICO CAMPUS JORGE AMADO - SUBESTAÇÃO PRIMÁRIA BR415 Rodovia Itabuna/ Ilhéus - BA 1 CONTROLE

Leia mais

Universidade de Pernambuco Escola Politécnica de Pernambuco DISCIPLINA. Construção Civil II

Universidade de Pernambuco Escola Politécnica de Pernambuco DISCIPLINA. Construção Civil II Curso: Engenharia Civil Universidade de Pernambuco Escola Politécnica de Pernambuco DISCIPLINA Construção Civil II Aula 01 Vedações verticais Alvenaria de vedação e Gesso acartonado Prof. Dr. Alberto Casado

Leia mais

ÁREAS Impermeabilização em lajes dupla camada Manta Asfáltica - aplicação com maçarico. Lajes de circulação de pedestre.

ÁREAS Impermeabilização em lajes dupla camada Manta Asfáltica - aplicação com maçarico. Lajes de circulação de pedestre. 1 ÁREAS Impermeabilização em lajes dupla camada Manta Asfáltica - aplicação com maçarico. Lajes de circulação de pedestre. INDICE 1. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 01 2. MATERIAIS... 01 3. CUIDADOS INICIAIS...

Leia mais

Evento PROMOÇÃO DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFÍCIOS, SUSTENTABILIDADE E CONFORTO INTERIOR OPTIMIZAÇÃO DE SOLUÇÕES CONSTRUTIVAS TERMOGRAFIA

Evento PROMOÇÃO DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFÍCIOS, SUSTENTABILIDADE E CONFORTO INTERIOR OPTIMIZAÇÃO DE SOLUÇÕES CONSTRUTIVAS TERMOGRAFIA Evento PROMOÇÃO DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFÍCIOS, SUSTENTABILIDADE E CONFORTO INTERIOR OPTIMIZAÇÃO DE SOLUÇÕES CONSTRUTIVAS Técnicas de Inspecção e Avaliação do Desempenho de Edifícios Inês Simões

Leia mais

Classificação das pontes quanto ao material da superestrutura

Classificação das pontes quanto ao material da superestrutura UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP FACULDADE DE CIENCIAS EXATAS E TECNOLOGICAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA: ESTRUTURAS DE PONTES Classificação das pontes quanto

Leia mais

NBR 13816/1997. Placas cerâmicas para revestimento Terminologia

NBR 13816/1997. Placas cerâmicas para revestimento Terminologia NBR 13816/1997 Placas cerâmicas para revestimento Terminologia OBJETIVO: Definir os termos relativos a placas cerâmicas para revestimento, esmaltadas e não esmaltadas; 1. Revestimento cerâmico: Conjunto

Leia mais

Evento REABILITAÇÃO ENERGETICAMENTE EFICIENTE DE EDIFÍCIOS URBANOS. Termografia. Técnicas de Inspecçãoe Avaliação do Desempenho de Edifícios

Evento REABILITAÇÃO ENERGETICAMENTE EFICIENTE DE EDIFÍCIOS URBANOS. Termografia. Técnicas de Inspecçãoe Avaliação do Desempenho de Edifícios Evento REABILITAÇÃO ENERGETICAMENTE EFICIENTE DE EDIFÍCIOS URBANOS Técnicas de Inspecçãoe Avaliação do Desempenho de Edifícios Termografia Inês Simões www.itecons.uc.pt O que é a termografia infravermelha?

Leia mais

Manifestações patológicas existentes em construções populares do programa cheque moradia.

Manifestações patológicas existentes em construções populares do programa cheque moradia. Manifestações patológicas existentes em construções populares do programa cheque moradia. dezembro/2015 Manifestações patológicas existentes em construções populares do programa cheque moradia. Lucas Silva

Leia mais

ANÁLISE DE ADERÊNCIA DE ARGAMASSA POLIMÉRICA/COLANTE EM DUAS RESIDÊNCIAS COM DESPLACAMENTO DOS PISOS CERÂMICOS.

ANÁLISE DE ADERÊNCIA DE ARGAMASSA POLIMÉRICA/COLANTE EM DUAS RESIDÊNCIAS COM DESPLACAMENTO DOS PISOS CERÂMICOS. ANÁLISE DE ADERÊNCIA DE ARGAMASSA POLIMÉRICA/COLANTE EM DUAS RESIDÊNCIAS COM DESPLACAMENTO DOS PISOS CERÂMICOS. Resumo O presente estudo propõe o ensaio normatizado pelo anexo A, da NBR 13755, Revestimento

Leia mais

Sumário. Aditivo Retentor de Água ADITIVOS. Argamassas colantes TIPOS. Argamassas colantes Placas cerâmicas. Selantes Leitura

Sumário. Aditivo Retentor de Água ADITIVOS. Argamassas colantes TIPOS. Argamassas colantes Placas cerâmicas. Selantes Leitura PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL Sumário Argamassas colantes Placas cerâmicas TR Tecnologia dos Revestimentos Aula 11 Argamassas colantes, placas cerâmicas e selantes: tipologia e propriedades

Leia mais

COMPOSIÇÕES REPRESENTATIVAS

COMPOSIÇÕES REPRESENTATIVAS SINAPI SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL CADERNOS TÉCNICOS DE COMPOSIÇÕES REPRESENTATIVAS LOTE 1 Versão: 005 Vigência: 11/2014 Última atualização: 11/2016 SINAPI Cadernos

Leia mais

Patologias cerâmicas Gisele Cichinelli Edição Novembro/2006 Revista Téchne Cerâmica extrudada

Patologias cerâmicas Gisele Cichinelli Edição Novembro/2006 Revista Téchne Cerâmica extrudada Patologias cerâmicas Por que ocorrem os desplacamentos e trincas em edificações revestidas com cerâmicas e quais as recomendações dos especialistas para evitar problemas Gisele Cichinelli Edição 116 -

Leia mais

PAVIMENTAÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turma C01 Disc. Construção Civil II

PAVIMENTAÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turma C01 Disc. Construção Civil II PAVIMENTAÇÃO Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turma C01 Disc. Construção Civil II Segurança de utilização Economia Higiene adequada Conforto EXIGÊNCIAS DO USUÁRIO Manutenção

Leia mais

PATOLOGIA DA CONSTRUÇÃO ESTUDO DE CASOS

PATOLOGIA DA CONSTRUÇÃO ESTUDO DE CASOS PATOLOGIA DA CONSTRUÇÃO ESTUDO DE CASOS Vasco Peixoto de Freitas Vasco Peixoto de Freitas FC_FEUP Novembro de 2007-1 www.patorreb.com Estrutura do Site Vasco Peixoto de Freitas FC_FEUP Novembro de 2007-2

Leia mais

Como construir sem patologias: conheça as principais anomalias das alvenarias e revestimentos e como evitá-las MSC CRISTIANA FURLAN CAPORRINO

Como construir sem patologias: conheça as principais anomalias das alvenarias e revestimentos e como evitá-las MSC CRISTIANA FURLAN CAPORRINO Como construir sem patologias: conheça as principais anomalias das alvenarias e revestimentos e como evitá-las MSC CRISTIANA FURLAN CAPORRINO 1. Introdução Alvenaria é o sistema de construção mais difundido

Leia mais

INVESTIGAÇÃO DAS MANIFESTAÇÕES PATOLÓGICAS DE UMA RESIDÊNCIA ZONEADA NA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE-PE

INVESTIGAÇÃO DAS MANIFESTAÇÕES PATOLÓGICAS DE UMA RESIDÊNCIA ZONEADA NA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE-PE INVESTIGAÇÃO DAS MANIFESTAÇÕES PATOLÓGICAS DE UMA RESIDÊNCIA ZONEADA NA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE-PE FONSECA, Juliana (1); OLIVEIRA, Angélica (2); CAVALCANTI, Marília (3); SILVA, Dione (4) Universidade

Leia mais