GOVERNO DE GOIÁS SECRETARIA DA SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA EXECUTIVA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GOVERNO DE GOIÁS SECRETARIA DA SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA EXECUTIVA"

Transcrição

1 1 1-heptanosulfonato de sódio para cromatografia de pares iônicos, pureza a 99,0%, ph (10% em água) 5,5-7,5, perda por dessecação ( 120 C, vácuo) a 2%. 2,2,4 trimetilpentano (Isoctano) p.a.r. (para análises de resíduos de pesticidas)água <0,01%, acidez< 0,001% resíduos pós evaporação < 0,0002% 2,3,5 - TRIFENILTETRAZOLO - CLORIDRATO (TTC) 10g. 2,4 DDD Padrão de agrotóxico com certificado de análise e pureza igual ou superiora 2,4 DDE Padrão de agrotóxico com certificado de análise e pureza igual ou superiora 2,4 DDT Padrão de agrotóxico com certificado de análise e pureza igual ou superiora 20XSSC PARA DESNATURAÇAO E SOLUÇAO DE LAVAGEM, 500G 2-6-DICLOROQUINONACLOROIMIDA 2-aminoheptano para síntese, pureza mínima > 98,0%, densidade 0,768 g/cm3 ( 20 C), ponto de ebulição de C. 4,4 DDD Padrão de agrotóxico com certificado de análise e pureza igual ou superiora 4,4 DDE Padrão de agrotóxico com certificado de análise e pureza igual ou superiora 4,4 DDT Padrão de agrotóxico com certificado de análise e pureza igual ou superiora 4-DIMETHYLAMINOBENZALDEÍDO 500g Acefato Padrão de agrotóxico com certificado de análise e pureza igual ou superiora ACESSULFAME K ACETATO DE AMÔNIO - FR C/ 500ML ACETATO DE AMÔNIO GRAU HPLC- PURÍSSIMO,> - 96,0%, PH 6,0-7,5; CLORETOS<-0,002%; SULFATOS<-0,01%; ÁGUA<-2,5%. Acetato de amônio para análise. Pureza mín. 98,0%; ph (5%:água) ; cloreto máx. 0,0005%; nitrato máx. 0,001%; sulfato máx.0,001%; metais pesados máx. 0,0002%; cálcio máx. 0,001%; ferro máx. 0,0002%; resíduo de ignição máx. 0,01%; água 2%. ACETATO DE COBRE(II) MONOHIDRATADO P.A., ENSAIO MIN 99% MÁX DE 0,005% DE S04 FRASCO COM 500GR Acetato de etila grau p.a.r.(para análise de resíduos de pesticidas) Máx. 10 pg/ml de impurezas por ECD. Água < 0,02%, resíduos após evaporação<0,0002%, lindano por DDT < 5ng. ACETATO DE ETILA P.A - ENSAIO PUREZA MIN 99,9%, RESÍDUO DE EVAPURAÇÃO MÁX 0,001%, ÁGUA MÁX 0,06%

2 2 Acetato de etila p.a; Assay min. 99,6 %, Resíduo após evaporação < 0,0003%, água <0,05% Acetato de sódio anidro para análise. Pureza mín. 99,5 100,50%; ph (5%:água) ; cloreto máx. 0,0005%; fosfato máx.0,0002%; sulfato máx.0,002%; nitrogênio total máx. 0,001%; metais pesados máx. 0,0005%; alumínio máx. 0,0005%; cálcio máx. 0,001%; ferro máx. 0,0005%; potássio máx. 0,005%. ACETATO DE SÓDIO PA 500 G Acetato de sódio trihidratado para análise. Pureza mín. 99,0%; ph (5%:água) ; cloreto máx. 0,001%; fosfato máx.0,0005%; sulfato máx.0,003%; metais pesados máx. 0,001%; alumínio máx. 0,001%; cálcio máx. 0,001%; ferro máx. 0,0005%; potássio máx. 0,02%; magnésio máx. 0,0005%; perda por dessecação (120ºC) Máx. 1.0%. ACETATO DE ZINCO DIHIDRATADO ACETATO NEUTRO DE CHUMBO Acetoacetato de etila p.a. (Acidez<0,1%, água <0,1% ) ACETONA P.A PUREZA MIN. 99,5%, ACIDEZ MAX 0,0003% MEQ/G COM TEOR MÁXIMO DE IMPUREZAS DE 0,000002% DE COBRE, 0,000005% DE CADMIO 0,000002% DE CROMO, COMPO9NENTES VOLÁTEIS MÁXIMO 0,0001%, ÁGUA MÁXIMO 0,25% Acetona P.A. Acetona p.a.r. ( para análises de resíduos de pesticidas) CAS: lindane -DDT < 5 ng/l, água <0,2%assay >99,9%, filtrado em 0,2mu PTFE, resíduos após evaporação <0,0002% ACETONA P.A.R. PARA ANÁLISE DE RESÍDUOS DE PESTICIDAS Acetona para análise. Pureza mín. 99.5%; acidez máx meq/g; alcalinidade máx meq/g; etanol máx. 0.01%; metanol máx. 0.05%; 2-propanol máx. 0.05%; resíduo de evaporação máx %; água máx.0.2%; alumínio máx %; boro máx %; bário máx %; cálcio máx %; cádmio máx %; cobalto máx %; cromo máx %; cobre máx %; ferro máx %; magnésio máx %; manganês máx %; níquel máx %; chumbo máx %; zinco máx %. ACETONITRILA Acetonitrila para Cromatografia Líquida. Pureza min %; resíduo de evaporação máx. 2.0 mg/l; água máx %; acidez máx meq/g; alcalinidade máx meq/g; filtrada em filtro de 0,2 µm. ÁCIDO (2-THIOPHENACARBOXYLIC ACID HIDRAZIDE, GRAU DE PUREZA 98%)100g Ácido 3(b) Mercaptopropiônico p.a. Teor min. 99,0% Para uso em reaçãode derivatização pós coluna em HPLC. acido acetico glacial ÁCIDO ACÉTICO GLACIAL 100% (APROX. 1.05) - 99,8% DE PUREZA INDIFERENTE AO ÁCIDO CRÔMICO Ácido acético glacial p.a. (Frasco com 1 L) Assay min. 99,8 %. Ag max. 1,0 ppb; Al máx. 2 ppb; Pb máx. 2 ppb.acetaldeído máx. 2ppm, anidrido acético máx. 100 ppm, temperatura de solidificação 16,3ºC, cloreto máx. 0,4 ppm, metais pesado máx. 0,5 ppm. ÁCIDO ACÉTICO GLACIAL PA. (C2H4O2)

3 3 ÁCIDO BENZÓICO PADRÃO GRAU HPLC, ACIDIMETRIA MIN. 99,95, SUBSTÂNCIA INSOLÚVEL EM METANOL MÁX. 0,05%, SULFATOS MÁX. 0,002%. ACIDO BÓRICO ACIDO BÓRICO, B121 B127 ÁCIDO CÍTRICO (ANHYDROUS POWER EXTRA PURE) ASSAY 99,5-100,5% (FRASCO 100 G) PB> 0,001 % COM CERTIFICADO DE GARANTIA DE QUALIDADE - PUREZA PARA E.A A Ácido Cloridrico. Ácido Clorídrico (Hydrochloric Acid fuming 37% GR ISO) Assay min. 37% máx. 0, % Hg (com certificado de garantia de qualidade)uso em Espectofotometria de Absorção Atômica - EAA ÁCIDO CLORÍDRICO CONCENTRADO P.A. 36% DENSIDADE 1,19 G/ML (20 C) Ácido Clorídrico fumegante 37% para análise. Pureza min 37.0 %; brometo (Br) máx 50 ppm; cloro livre (Cl) máx. 0.4 ppm; fosfato (PO4) máx. 0.5 ppm; sulfato (SO4) máx 0.5 ppm; sulfito (SO3) máx. 0.5 ppm; metais pesados máx 1 ppm; prata máx ppm; alumínio máx ppm; arsênio máx ppm; ouro máx ppm; boro máx ppm; bário máx ppm; bismuto máx ppm; cálcio máx ppm; cádmio máx ppm; cobalto máx ppm;cromo máx ppm;cobre máx ppm; ferro máx ppm; mercúrio máx ppm; potássio máx ppm; lítio máx ppm; magnésio máx ppm; manganês máx ppm; amônia máx. 1 ppm; sódio máx ppm; níquel máx ppm; chumbo máx ppm; platina máx ppm; estanho máx ppm; estrôncio máx ppm; zinco ÁCIDO CLORÍDRICO HYDROCHLORIC ACID FUMING 37% (FRASCO COM 2,5 LITRO) MÁX. 0, % HG COM CERTIFICADO DE GARANTIA DE QUALIDADE - PUREZA ÁCIDO DIETILBARBITÚRICO (BARBITAL B0375) (5,5 - DIETHYLBARBITURIC ACID) - 100g Ácido Fórmico para análise. Pureza mín 98.0 %; ácido ácético (CH3COOH) máx. 500 ppm; cloreto (Cl) máx. 5 ppm; sulfato (SO4) máx. 5 ppm; sulfito (SO3) máx. 10 ppm; metais pesados máx. 10 ppm; prata máx ppm; alumínio máx ppm; bário máx ppm; bismuto máx. 0.1 ppm; cálcio máx. 0.2 ppm; cádmio máx ppm; cobalto máx ppm; cromo máx ppm; cobre máx ppm; ferro máx. 2 ppm; potássio máx. 0.1 ppm; lítio máx ppm; magnésio máx. 0.5 ppm; manganês máx ppm; amônia máx.10 ppm; sódio máx. 0.5 ppm; níquel máx ppm; chumbo máx ppm; estrôncio máx ppm; Ácido Fosfotungstico. ÁCIDO FOSFOTUNGSTICO P.A. SUBSTÂNCIA INSOLÚVEL MÁX 0,01% ÁCIDO LÁCTICO, GRAU DE PUREZA 90% Ácido metanossulfônico. Pureza mínima 98%; densidade [d 20 /4 ] ÁCIDO MOLIBDICO P.A. Ácido Nítrico. ÁCIDO NÍTRICO - 65% ASSAY - MÍN 65% / CD, CU, PB - MÁX 0,001 PPM, COM CERTIFICADO DE GARANTIA DE QUALIDADE (uso em E.A.A.)

4 4 ÁCIDO NITRÍCO 65% -ASSAY MIN. 65%,MÁX 0, % HG- COM CERTIFICADO DE GARANTIA DE QUALIDADE (uso em E.A.A.) ÁCIDO ORTO - FOSFÓRICO P.A. GRAU DE PUREZA 85% ÁCIDO OXÁLICO P.A.100g Ácido Perclórico 70% Assay min. 70% máx. 0, % Hg (com certificado de garantia de qualidade) Ácido Periodico frasco 50 gramas Ácido Periódico Schiff PAS kit de coloração especial (histopatológico) Ácido Pícrico. ÁCIDO PÍCRICO P.A. 100g ÁCIDO p-nitrobenzóico P.A. 100g ÁCIDO SALICÍLICO P.A. ACIDIMETRIA 99,5-100,5%, SULFATO MENOR 0,02% ÁCIDO SÓRBICO ÁCIDO SULFANÍLICO 0,08% - COMPATÍVEL COM APARELHO AUTOSCAN/DADE ACIDO SULFANILICO P.A.100g ÁCIDO SULFÚRICO - 95% - 97% ( FRASCO COM 2,5 LITRO) MÁX... 0, % HG COM CERTIFICADO DE GARANTIA DE QUALIDADE Ácido Sulfúrico (H2 SO4) Ácido Sulfúrico Assay min % Max. 0, % Hg (com certificado de garantia de qualidade) uso em EAA ÁCIDO SULFÚRICO P. A. PUREZA MÍNIMA 98% RESÍDUO APÓS IGNIÇÃO 0,005, DENSIDADE ÁCIDO SULFÚRICO PA., GRAU DE PUREZA 96% ÁCIDO TARTÁRICO P.A. M.B.A. 100g ÁCIDO TRICLOROACÉTICO P.A. 100g ACRILAMIDA ULTRAPURA, 500 G AÇUCAR IN NATURA - CELUBIOSE PARA USO EM MICROBIOLOGIA AÇUCAR IN NATURA - GALACTOSE PARA USO EM MICROBIOLOGIA AÇUCAR IN NATURA - GLICOSE PARA USO EM MICROBIOLOGIA AÇÚCAR IN NATURA - LACTOSE PARA USO EM MICROBIOLOGIA AÇUCAR IN NATURA - MALTOSE PARA USO EMM MICROBIOLOGIA AÇÚCAR IN NATURA - RAFINOSE PARA USO EM MICROBIOLOGIA AÇUCAR IN NATURA - SACAROSE PARA USO EM MICROBIOLOGIA AÇUCAR IN NATURA - TREALOSE PARA USO EM MICROBIOLOGIA ADESIVO ABSORVENTE HIPOALERGICO USADO APÓS A COLETA DE SANGUE EM LABORATÓRIO E BANCO DE SANGUE, COM PADRÃO PARA COR BRANCO. AGAR BASE URÉIA, FR. C/ 100 GR ÁGAR ACETATO DE SÓDIO DIFERENCIAL ÁGAR ANTIBIÓTICO ÁGAR AZUL DE TOLUIDINA (DNA) 500g ÁGAR BACTERIOLÓGICO AGAR BAIRD PARKER ÁGAR BASE CISTINE TRYPIT

5 ÁGAR BASE PARA BACILLUS CEREUS ÁGAR BASE SANGUE - FRASCO C/ 500 GR ÁGAR BATATA DEXTROSE DESIDRATADA( dextrosado) ÁGAR BILE ESCULIN 100 G ÁGAR CEFSULODINA IRGASAN NOVOBIOCINA (CIN) AGAR CETRIMIDE ÁGAR CITRATO SIMMONS ÁGAR CLED PARA CONTAGEM DE COLÔNIAS Agar CORN MEAL, 500gr ÁGAR DE FÍGADO DE VITELA 500g ÁGAR DE MAN, ROGOSA E SHARPE (MRS) 500g ÁGAR DNASE ÁGAR ENDO 500g ÁGAR ENTÉRICO HEKTOEN AGAR FENILALANINA ÁGAR FERRO KLIEGER 500g ÁGAR FERRO LISINA ÁGAR FERRO TRÍPLICE AÇÚCAR ÁGAR GELATINA 500g Ágar Letheen modificado ÁGAR MAC CONKEY ÁGAR MANITOL ÁGAR MUELLER HINTON ÁGAR NUTRIENTE Ágar NYB, frasco com 100gr. Ágar oxford ÁGAR PADRÃO PARA CONTAGEM 500g ÁGAR PALCAM 500g ÁGAR PARA ESPORULAÇÃO 500g ÁGAR PEPTONADA TAMPONADA 500g ÁGAR S.P.S. 500g ÁGAR SABOURAND DEXTROSADO ÁGAR SALMONELLA SHIGELLA (ÁGAR SS) ÁGAR SELETIVO PARA ENTEROCOCOS -500 G ÁGAR SELETIVO PARA FUNGOS (ÁGAR MICOBIÓTICO) Agar SIM - Sulfeto Indol Motilidade ÁGAR SORO LARANJA (OSA) ÁGAR SS DESOSEYCOLATO (SS - CDA) ÁGAR TCBS ÁGAR THAYER MARTIN ÁGAR TRIPTICASE DE SOJA SUPLEMENTADO COM EXTRATO DE LEVEDURA ( TRYPTIC SAY AGAR - AGAR CASO) ÁGAR TRIPTONA SOJA (CASEÍNA SOJA) ÁGAR TRIPTOSE SULFITO CICLOSERINA (TSC) 5

6 ÁGAR URÉIA ÁGAR VERDE BRILHANTE AGAR XLD Agar YEAST ECTNOET, LD, frasco com 500gr. AGAROSE ULTRA PURA AGAROSE, L.E. 500G Agente de limpeza para equipamentos sensíveis a álcoois, assim como quartzo e vidrarias para medidas de precisão. ph (5 %; água) ; densidade d 20 C/ 4 C ; volume de espuma (5 %; água ) máx. 80 ml AGENTE LISANTE ERITROCITÁRIO USADO PARA CONTAGEM, DIFERENCIAÇÃO DOS LEUCÓCITOS E A DETERMINAÇÃO DA HEMOGLOBINA NOS CONTADORES DE CÉLULAS ABX PENTRA 120 (ALPHALYSE) ÁGUA LIVRE DE NUCLEASE, 25 ML AGUA PEPTONADA TAMPONADA AGULHA PARA COLETA MÚLTIPLA Á VÁCUO (25 X 8 MM) CAIXA COM 100 UNID Alacloro Padrão de agrotóxico com certificado de análise e pureza igual ou superiora Albumina Bovina 22% deve possuir pureza maior que 98%, determinada por eletroforese, ausência de aglutinação com hemácias não sensibilizadas, ausência sw atividade hemolítica, ausência de pró -zonas ou fenômeno de roleaux. na inspeção visual não deve apressentar precipitados, particulas ou formação de gel. frasco com 10 ALBUMINA BOVINA FRAÇÃO V (FRAÇÃO INICIAL POR HEAT SHOCK COM 98-99% ALBUMINA). FRASCO 100G. DURAVEL POR 1 ANO ALÇA CALIBRADA 1/1000 PARA USO EM MICROBIOLOGIA, DESCART., ESTÉRIL, EMBALADA INDIVIDUALMENTE. C/ 100 UND ALÇA CALIBRADA 1/100 PARA USO EM MICROBIOLOGIA, DESCARTÁVEL, EMBALADA INDIVIDUALMENTE, ESTÉRIL C/ 100 UND ALÇA DE PLATINA CALIBRADA 1/100 PARA ISOLAMENTO DE BACTÉRIAS ALÇA DE PLATINA CALIBRADA 1/1000 PARA ISOLAMENTO DE BACTÉRIAS ÁLCOOL ACETONA ALCOOL AMÍLICO P.A. ÁLCOOL ETÍLICO A 95% P.A. ÁLCOOL ETÍLICO A 98% P.A. ÁLCOOL ETÍLICO ABSOLUTO COMUM - ETANOL 70% Álcool etílico absoluto PA, etanol 95% ÁLCOOL ETILICO, ABSOLUTO, 99,5% ALCOOL ETILICO, ABSOLUTO, 99,8% ( FRASCOS DE 1000ML) ÁLCOOL ISSO AMÍLICO Álcool Metílico ÁLCOOL METÍLICO P.A., GRAU DE PUREZA 99,8% (METANOL) Aldicarbe Sulfona Padrão de agrotóxico com certificado de análise e pureza igual ou superiora Aldrin Padrão de agrotóxico com certificado de análise e pureza igual ou superiora 97%. Frascos com massa entre 100 e 250 mg 6

7 7 Aletrina Padrão de agrotóxico com certificado de análise e pureza igual ou superiora ALFA NAFTOL ALFA NAFTOL, COMPATÍVEL COM APARELHO AUTOSCAN/ DADE BERING Alfa-endossulfan Padrão de agrotóxico com certificado de análise e pureza igual ou superiora Alfa-HCH Padrão de agrotóxico com certificado de análise e pureza igual ou superiora ALIZAROL Alúmen de ferro. Alúmen de Potássio AMARELO CREPÚSCULO AMIDO SCHWARTZ (NEGRO AMIDO) 25g AMIDO SOLÚVEL, P.A. 500g AMINOHEPTANO PARA SINTESE, PUREZA MINIMA.>98ºC, DENSIDADE 0,768/CM3(20ºC) PONTO DE EBULIÇAO DE ºC FRASCO DE 25 ML. AMOXICLINA / AC. CLAVULÂNICO AMOXICLINA / AC. CLAVULÂNICO AMPLICOR HCV Detection kit, version 2.0 AMPLICOR HCV internol controls detection, kit, version 2.0 AMPLICOR HCV Monitor version 2.0 AMPLICOR HCV Amplification kit, version 2.0 AMPLICOR HCV Controls kits, version 2.0 AMPLICOR HCV Specimen Preparation kit, version 2.0 ANAEROCULT A CAIXA C/ 10 SACHÊS ) Anilhas de 0,35 mm, para uso em coluna capilar para CG, de 0,25mm ID pacote com 10 Anilhas de 0,45 mm, para uso em coluna capilar para CG, de 0,32 mm ID pacote com 10 unid. ANTI HBC TOTAL - Conjunto de reagentes, controles e calibradores para determinação qualitativa de anticorpos (IgG e IgM) Anti-HBc da Hepatite B em soro ou plasma humano, utilizando metodologia de enzimaimunoensaio, imunoensaio fluorescente ou luminescente de fase sólida, que utilizem antígeno recombinante ou peptídeo sintético, para uso em equipamento totalmente automatizado. Os reagentes ofertados devem possuir, obrigatoriamente, sistema de monitoramento de pipetagem de amostras e controles, preferencialmente com viragem de cor após a pipetagem. O kit de reagentes deve vir acompanhado de todos os produtos (soluções, ácidos, etc.) necessários a realização completa dos testes. A embalagem deve conter cada produto claramente identificado e em quantidade suficiente para realizar o número de testes indicado, instruções de uso, condições de armazenamento, prazo de validade, procedência e número de registro no Ministério da Saúde. Na data de entrega o produto poderá ter no ANTI HCV - Conjunto de reagentes, controles e calibradores para determinação qualitativa de anticorpos Anti-HCV da Hepatite C em soro ou plasma humano, utilizando metodologia de enzimaimunoensaio, imunoensaio fluorescente ou luminescente de fase sólida, que utilizem antígeno recombinante ou peptídeo sintético, para uso em equipamento totalmente automatizado. Os reagentes ofertados devem possuir, obrigatoriamente, sistema de monitoramento de pipetagem de amostras e controles, preferencialmente com viragem de cor após a pipetagem. O kit de reagentes deve vir acompanhado de todos os produtos (soluções, ácidos, etc.) necessários a realização completa dos testes. A embalagem deve conter cada produto claramente identificado e em quantidade suficiente para realizar o número de testes indicado, instruções de uso, condições de armazenamento, prazo de validade, procedência e número de registro no Ministério da Saúde. Na data de entrega o produto poderá ter no máximo 20% de sua vida útil consumida. ANTI SORO POLIVALENTE P/ E SHIGELLA BOYDII

8 8 ANTI SORO POLIVALENTE P/ E SHIGELLA DYSENTERIAIE ANTI SORO POLIVALENTE P/ E SHIGELLA FLEXNERI ANTI SORO POLIVALENTE P/ E SHIGELLA SONNEI ANTI SORO POLIVALENTE P/ E. COLI EAC ANTI SORO POLIVALENTE P/ E. COLI EHEC ANTI SORO POLIVALENTE P/ E. COLI EIEC ANTI SORO POLIVALENTE P/ E. COLI EPEC ANTI SORO POLIVALENTE P/ E. COLI ETEC ANTI SORO POLIVALENTE P/ SALMONELLA ANTI SORO POLIVALENTE P/ SHIGELLA Anti soro polivalente vibrio cholerae ANTI-COAGULANTE CITRATO DE SÓDIO ANTI-COAGULANTE FLUORETO DE SODIO ANTI-COAGULANTE UNIVERSAL EDTA Anticorpo monoclonal anti-anti-igg1 FITC Anticorpo monoclonal anti-anti-igg1 PE Anticorpo monoclonal anti-anti-igg2a FITC Anticorpo monoclonal anti-anti-igg2a PE Anticorpo monoclonal anti-anti-igg2b FITC Anticorpo monoclonal anti-bcl-2 FITC Anticorpo monoclonal anti-cd 10 FITC Anticorpo monoclonal anti-cd 103 FITC Anticorpo monoclonal anti-cd 117 PE Anticorpo monoclonal anti-cd 11A FITC Anticorpo monoclonal anti-cd 11b PE Anticorpo monoclonal anti-cd 11c PE Anticorpo monoclonal anti-cd 13 PE Anticorpo monoclonal anti-cd 14 PE Anticorpo monoclonal anti-cd 16 PE Anticorpo monoclonal anti-cd 19 FITC Anticorpo monoclonal anti-cd 19 PE Anticorpo monoclonal anti-cd 19 PerCP Anticorpo monoclonal anti-cd 1a PE Anticorpo monoclonal anti-cd 2 FITC Anticorpo monoclonal anti-cd 2 PE Anticorpo monoclonal anti-cd 20 FITC Anticorpo monoclonal anti-cd 20 PE Anticorpo monoclonal anti-cd 22 PE Anticorpo monoclonal anti-cd 23 PE Anticorpo monoclonal anti-cd 25 PE Anticorpo monoclonal anti-cd 3 FITC Anticorpo monoclonal anti-cd 3 PE Anticorpo monoclonal anti-cd 3 PerCP

9 9 Anticorpo monoclonal anti-cd 33 PE Anticorpo monoclonal anti-cd 34 PE Anticorpo monoclonal anti-cd 38 FITC Anticorpo monoclonal anti-cd 38 PE Anticorpo monoclonal anti-cd 4 FITC Anticorpo monoclonal anti-cd 4 PE Anticorpo monoclonal anti-cd 41-B FITC Anticorpo monoclonal anti-cd 42-B FITC Anticorpo monoclonal anti-cd 43 FITC Anticorpo monoclonal anti-cd 45 FITC Anticorpo monoclonal anti-cd 45 PerCP Anticorpo monoclonal anti-cd 45 Ro FITC Anticorpo monoclonal anti-cd 5 FITC Anticorpo monoclonal anti-cd 5 PE Anticorpo monoclonal anti-cd 56 FITC Anticorpo monoclonal anti-cd 56 PE Anticorpo monoclonal anti-cd 57 FITC Anticorpo monoclonal anti-cd 61 FITC Anticorpo monoclonal anti-cd 64 FITC Anticorpo monoclonal anti-cd 69 FITC Anticorpo monoclonal anti-cd 7 FITC Anticorpo monoclonal anti-cd 71 FITC Anticorpo monoclonal anti-cd 79a PE Anticorpo monoclonal anti-cd 79b PE Anticorpo monoclonal anti-cd 8 FITC Anticorpo monoclonal anti-cd 8 PE Anticorpo monoclonal anti-cd 9 FITC Anticorpo monoclonal anti-cd 94 PE Anticorpo monoclonal anti-cd 95 FITC Anticorpo monoclonal anti-cd15fit Anticorpo monoclonal anti-cd4/8/3 (FITC/PE/PerCP) Anticorpo monoclonal anti-citoqueratina FITC Anticorpo monoclonal anti-fmc7 FITC Anticorpo monoclonal anti-glicoforina-a FITC Anticorpo monoclonal anti-hla ABC PE Anticorpo monoclonal anti-hla B27/HLA B7 (FITC/PE) Anticorpo monoclonal anti-hla DR FITC Anticorpo monoclonal anti-ifn-γ PE Anticorpo monoclonal anti-igd FITC Anticorpo monoclonal anti-igg FITC Anticorpo monoclonal anti-igm FITC Anticorpo monoclonal anti-il-17 PE Anticorpo monoclonal anti-il-2 PE

10 10 Anticorpo monoclonal anti-il-4 PE Anticorpo monoclonal anti-kappa FITC Anticorpo monoclonal anti-kir (NKb1) FITC Anticorpo monoclonal anti-lambda FITC Anticorpo monoclonal anti-mpo FITC Anticorpo monoclonal anti-p-53 FITC Anticorpo monoclonal anti-tcrαβ FITC Anticorpo monoclonal anti-tcrγδ FITC Anticorpo monoclonal anti-tdt FITC ANTÍGENO DE TRYPANOSOMA CRUZI LIOFILIZADO, OBTIDO POR CULTIVO EM MEIO LIT, SOB A FORMA EPIMASTIGOTA, PARA REAÇÃO DE ANTÍGENO ROSA BENGALA PARA REAÇÃO DE AGLUTINAÇÃO DIRETA EM LÂMINA PARA TRIAGEM DA BRUCELOSE, FRASCO COM 1 ML. ANTI-HIV 1+2 (1ª metodologia) - Conjunto de reagentes, controles e calibradores para determinação qualitativa exclusiva de anticorpos para o vírus do tipo 1 (Grupo O) e tipo 2 do HIV em soro ou plasma humano, utilizando metodologia de enzimaimunoensaio, imunoensaio fluorescente ou luminescente de fase sólida, para uso em equipamento totalmente automatizado. Os reagentes ofertados devem possuir, obrigatoriamente, sistema de monitoramento de pipetagem de amostras e controles, preferencialmente com viragem de cor após a pipetagem. O kit de reagentes deve vir acompanhado de todos os produtos (soluções, ácidos, etc.) necessários a realização completa dos testes. A embalagem deve conter cada produto claramente identificado e em quantidade suficiente para realizar o número de testes indicado, instruções de uso, condições de armazenamento, prazo de validade, procedência e número de registro no Ministério da Saúde. Na data de entrega o produto poderá ter no máximo 20% de sua vida útil consumida.esse Kit deverá obrigatoriamente apresentar metodologia diferente do kit ofertado para o item ANTI-HIV 1+2 (2ª metodologia) - Conjunto de reagentes, controles e calibradores para determinação qualitativa exclusiva de anticorpos anti-hiv 1+2 em soro ou plasma humano, utilizando metodologia de enzimaimunoensaio, imunoensaio fluorescente ou luminescente de fase sólida, que utilizem antígeno recombinante ou peptídeo sintético, para uso em equipamento totalmente automatizado. Os reagentes ofertados devem possuir, obrigatoriamente, sistema de monitoramento de pipetagem de amostras e controles, preferencialmente com viragem de cor após a pipetagem. O kit de reagentes deve vir acompanhado de todos os produtos (soluções, ácidos, etc.) necessários a realização completa dos testes. A embalagem deve conter cada produto claramente identificado e em quantidade suficiente para realizar o número de testes indicado, instruções de uso, condições de armazenamento, prazo de validade, procedência e número de registro no Ministério da Saúde. Na data de entrega o produto poderá ter no máximo 20% de sua vida útil consumida. Esse Kit deverá obrigatoriamente apresentar metodologia ANTISORO PARA ESCHERICHIA COLI EPEC (E.COLI ENTEROHEMORRÁGICA) ANTISORO PARA ESCHERICHIA COLI EPEC (E.COLI ENTEROINVASIVA) ANTISORO PARA ESCHERICHIA COLI EPEC (E.COLI ENTEROPATOGÊNICA) ANTISORO PARA ESCHERICHIA COLI EPEC (E.COLI ENTEROTOXIGÊNICA) apdc- pyrrolidinedithiocarbamate ammomium salt assay - min 99% pb < 0,001% (com certificado de garantia de qualidade) - pureza para e.a.a. APTT Liquid-reagente TTPA fosfolipídeo sintético - caixa com 05 frascos de 08 ml de cloreto de cálcio e 05 frascos de 09 ml de TTPA reagente. Arquivo para lâmina e cassete. ASPARTAME ATB GN COM GALERIAS COMPOSTAS DE ANTIBIÓTICOS PARA REALIZAÇÃO DE ANTIBIOGRAMAS DE BACILOS GRAM NEGATIVOS, COMPATÍVEL COM APARELHO

11 11 ATB MEDIUM MEIO PARA TRANSFERÊNCIA DE SUSPENSÃO PARA GALERIAS DE ANTIBIOGRAMAS, COMPATÍVEL COM APARELHO MINI- API/ BIOMERIEUX ATB STAPHILO COM GALERIAS COMPOSTAS DE ANTIBIÓTICOS PARA REALIZAÇÃO DE ANTIBIOGRAMAS DE STAPHILOCOCOS, COMPATÍVEL COM APARELHO MINI- API/ BIOMERIEUX ATB STREPTO COM GALERIAS COMPOSTAS DE ANTIBIÓTICOS PARA REALIZAÇÃO DE ANTIBIOGRAMA DE STREPTOCOCOS, COMPATÍVEL COM APARELHO MINI- BIOMERIEUX ATB UR COM GALERIAS COMPOSTAS DE ANTIBIÓTICOS PARA REALIZAÇÃO DE ANTIBIOGRAMAS URINÁRIOS, COMPATÍVEL COM APARELHO MINI- API / BIOMERIEUX AURAMINA O 100g AURAMINA O 100g AZIDA SÓDICA 25g AZIDA SÓDICA 25g Azinfós etílico Padrão de agrotóxico com certificado de análise e pureza igual ou superiora Azinfós metílico Padrão de agrotóxico com certificado de análise e pureza igual ou superiora Azoxistrobina Padrão de agrotóxico com certificado de análise e pureza igual ou superiora Azul de Alcian 8GX. AZUL DE ALGODÃO AZUL DE ANILINA Azul de Anilina frasco Azul de Anilina frasco AZUL DE BROMOTIMOL AZUL DE CRESIL BRILHANTE AZUL DE LACTOFENOL AZUL DE METILA AZUL DE METILENO AZUL DE TOLUIDINA AZUL DE TOLUIDINA 0, GRAU DE PUREZA 85% AZUL DE TRIPAN, 10 GR Bac swab alginatado com haste flexivel para coleta de secreção.cx. Com 100 unid. BALÃO DE FUNDO CHATO EM VIDRO. CAPACIDADE PARA 1000 ML BALÃO DE FUNDO CHATO EM VIDRO. CAPACIDADE PARA 500 ML BALÃO DE FUNDO REDONDO DE VIDRO BOROSILICATO, COM CAPACIDADE PARA 1000 ML, JUNTA ESMERILHADA 29X42 BALÃO DE FUNDO REDONDO DE VIDRO BOROSILICATO, COM CAPACIDADE PARA 2000 ML, JUNTA ESMERILHADA 29X42 BALÃO DE TRÊS BOCAS, EM VIDRO BOROSILICATO, CAPACIDADE 1000 ML, COM FUNDO REDONDO E JUNTAS 24/40 BALÃO PARA ROTA-VAPOR DE VIDRO BOROSILICATO, EM FORMATO DE PERA, COM CAPACIDADE DE 50 ml diam. 2,5 cm da conexão

12 12 BALÃO VOLUMÉTRICO CLASSE A, AFERIDO A 20 C, EM VIDR O BOROSILICATO, CAPACIDADE 10 ML, LIMITE DE ERRO +-0,02 ML, ROLHA DE VIDRO INTERCAMBIÁVEL.com certificado da Rede Brasileira de Calibração (RBC), certificação rastreável pelo Inmetro. BALÃO VOLUMÉTRICO CLASSE A, AFERIDO A 20 C, EM VIDR O BOROSILICATO, CAPACIDADE 100 ML, LIMITE DE ERRO DE +-0,008 ML, ROLHA DE VIDRO INTERCAMBIÁVEL BALÃO VOLUMÉTRICO CLASSE A, AFERIDO A 20 C, EM VIDR O BOROSILICATO, CAPACIDADE 1000 ML, LIMITE DE ERRO DE +- 0,30 ML, ROLHA DE VIDRO INTERCAMBIÁVEL BALÃO VOLUMÉTRICO CLASSE A, AFERIDO A 20 C. EM VIDR O BOROSILICATO, CAPACIDADE 200 ML, LIMITE DE ERRO DE +-0,10 ML, ROLHA DE VIDRO INTERCAMBIÁVEL. BALÃO VOLUMÉTRICO CLASSE A, AFERIDO A 20ºC EM VIDRO BOROSILICATO, CAPACIDADE 250ML, LIMITE DE ERRO DE + OU - 0,10 ML, ROLHA DE VIDRO INTERCAMBIÁVEL BALÃO VOLUMÉTRICO CLASSE A, AFERIDO A 20ºC EM VIDRO BOROSILICATO, CAPACIDADE 50ML, LIMITE DE ERRO DE + OU - 0,05 ML, ROLHA DE VIDRO INTERCAMBIÁVEL BALÃO VOLUMÉTRICO CLASSE A, AFERIDO A 20ºC EM VIDRO BOROSILICATO, CAPACIDADE 2000 ML, LIMITE DE ERRO DE + OU - 0,50 ML, ROLHA DE VIDRO INTERCAMBIÁVEL. BALÃO VOLUMÉTRICO CLASSE A, AFERIDO A 20ºC EM VIDRO BOROSILICATO, CAPACIDADE 100ML, LIMITE DE ERRO DE + OU - 0,06ML, ROLHA DE VIDRO INTERCAMBIÁVEL COM CERTIFICADO DA REDE BRASILEIRA DE CALIBRAÇÃO (RBC), certificação rastreável pelo Inmetro BALÃO VOLUMÉTRICO CLASSE A, AFERIDO A 20ºC EM VIDRO BOROSILICATO, CAPACIDADE 25 ML, LIMITE DE ERRO DE + OU - 0,03ML, ROLHA DE VIDRO BALÃO VOLUMÉTRICO CLASSE A, AFERIDO A 20ºC EM VIDRO BOROSILICATO, CAPACIDADE 25ML, LIMITE DE ERRO DE + OU- 0,03ML, ROLHA DE VIDRO INTERCAMBIÁVEL COM CERTIFICADO DA REDE BRASILEIRA DE CALIBRAÇÃO BALÃO VOLUMÉTRICO CLASSE A, AFERIDO A 20ºC EM VIDRO BOROSILICATO, CAPACIDADE 5 ML, LIMITE DE ERRO + OU - 0,02ML. ROLHA DE VIDRO INTERCAMBIÁVEL. Com certificado da Rede Brasileira de Calibração (RBC)certificação BALÃO VOLUMÉTRICO CLASSE A, AFERIDO A 20ºC EM VIDRO BOROSILICATO, CAPACIDADE 500ML, LIMITE DE ERRO DE + OU - 0,15ML, ROLHA DE VIDRO BALÃO VOLUMÉTRICO, CLASSE A, AFERIDO A 20ºC EM VIDRO BOROSILICATO, CAPACIDADE 50ML, LIMITE DE ERRO DE + OU - 0,05ML, ROLHA DE VIDRO INTERCAMBIÁVEL COM CERTIFICADO DA REDE BRASILEIRA DE CALIBRAÇÃO (RBC) BALSAMO DO CANADÁ Bandeja de leitura capacidade de 20 unidades. BANDEJA EM INOX COM DIMENSÕES APROX. DE 380 X 255 X 50 MM Bandeja para coloração. Barrilete em plástico com torneira e tampa superior tipo rosca capacidade 10 Litros Barrilete em plástico com torneira e tampa superior tipo rosca capacidade 20 Litros BASE ÁGAR BACILLUS CEREUS 500g BASE ÁGAR BAIRD PARKER

13 13 BASE ÁGAR CYSTINE TRYPIT (CTA) 100g BASE ÁGAR DERMOSEL 500g BASE ÁGAR SANGUE -500 G BASE ÁGAR SELETIVO PARA LISTERIA (OXFORD) 500g BASE ÁGAR URÉIA 100g BASE CALDO PARA ENRIQUECIMENTO PARA LISTERIA BASTÃO MACIÇO EM VIDRO 6/ 150 MM Becker de vidro 500ml. BECKER DE VIDRO BOROSILICATO CAPACIDADE PARA 1000 ML BECKER DE VIDRO BOROSILICATO CAPACIDADE PARA 25 ML BECKER DE VIDRO BOROSILICATO CAPACIDADE PARA 250 ML BECKER DE VIDRO BOROSILICATO CAPACIDADE PARA 500 ML BECKER DE VIDRO BOROSILICATO, FORMA BAIXA CAPACIDADE PARA 5ML Becker de vidro para 1000ml. Becker de vidro para 250ml. Becker de vidro para 600ml. Becker em vidro borosilicato, forma baixa, graduado, capacidade 50 ml Becker em vidro borosilicato, forma baixa, graduado, capacidade 10 ml Becker em vidro borosilicato, forma baixa, graduado, capacidade 100 ml Becker em vidro borosilicato, forma baixa, graduado, capacidade 1000 ml Becker em vidro borosilicato, forma baixa, graduado, capacidade 2000mL Becker em vidro borosilicato, forma baixa, graduado, capacidade 25 ml Becker em vidro borosilicato, forma baixa, graduado, capacidade 250 ml Becker em vidro borosilicato, forma baixa, graduado, capacidade 5 ml Becker em vidro borosilicato, forma baixa, graduado, capacidade 600 ml Berço de metal, capacidade para 20 lâminas. Beta- HCH Padrão de agrotóxico com certificado de análise e pureza igual ou superiora Beta-endosufan Padrão de agrotóxico com certificado de análise e pureza igual ou superiora BICARBONATO DE SÓDIO, GRAU DE PUREZA 99.5% 500g BICLORETO DE MERCÚRIO P.A. 100g BICROMATO DE POTÁSSIO (DICROMETO DE POTÁSSIO) 500g Bifentrina Padrão de agrotóxico com certificado de análise e pureza igual ou superiora BILE DE BOI DESIDRATADA 100g BILHAS COMPATÍVEL COM APARELHO OPTIONS PLUSS II/BIOLAB Bioaletrina Padrão de agrotóxico com certificado de análise e pureza igual ou superiora BISACRILAMIDA, 25G BISSULFITO DE SÓDIO,100 G BOBINA DE PAPEL PARA IMPRESSORA DO APARELHO AUTOMÁTICO DE COAGULAÇÃO OPTION 2 PLUS / BIOMERIEUX

14 14 BOBINA DE PAPEL PARA IMPRESSORA DO APARELHO AUTOMÁTICO PARA IMUNOLOGIA MINI - VIDAS/ BIOMERIEUX BOLSA DE TRANFERÊNCIA COM CAPACIDADE PARA 300 ML. BOLSA DE TRANSFERÊNCIA COM CAPACIDADE PARA 150 ML BOLSA DUPLA PARA COLETA DE SANGUE COM CAPACIDADE DE APROXIMADAMENTE 450ML, CONFECCIONADA EM PVC ATÓXICO E PLASTIFICANTE DI-2-ETILHEXIFTALADO COM CANTOS INTERNOS ARREDONDADOS COM DISPOSITIVO NA PARTE SUPERIOR NECESSARIOS PARA ADAPTAÇÃO EM SISTEMAS AUTOMATIZADOS DE PROCESSAMENTO, COMPATÍVEL COM APARELHO COMPOMAT G4, ESTÉRIL, APIROGÊNICA, COM SEGMENTOS DE COLETA E TRANSFERÊNCIA NUMERADOS, COMPATIVEL COM SCD, COM ADAPTADOR PARA TUBOS A VÁCUO FORNECIDO EM EMBALAGEM ESTÁRIL, AGULHA 16G COM BISEL TRIFACETADO, ANTICOAGULANTE CPDA 1 (CITRATO, FOSFATO, DEXTROSE, ADENINA). BOLSA SATÉLITE COM CAPACIDADE MÍNIMA COM 300 ML, RESISTENTE A CENTRIFUGAÇÃO (5000 RPM/30 MINUTOS), CONGELAMENTO A BAIXA TEMPERATURA (-80 ) E DESCONGEL AMENTO A 37 C, PAUSTERIZADOS EM EMBALAGEM IMPERMEÁVEL DE ACORDO COM BOLSA TRIPLA PARA COLETA DE SANGUE CPDA 1 PLAQUETAS 5 DIAS COM CAPACIDADE DE APROXIMADAMENTE 450 ML, CANTOS INTERNOS ARREDONDADOS, ESTÉRIL, APIROGÊNICA, SEGMENTOS DE COLETA E TRANSFERÊNCIA COM CAPACIDADE MÍNIMA DE 300 ML SENDO UMA DAS BOLSAS SATÉLITES (PLAQUETAS) EM PLÁSTICO PVC ATÓXICO E TOTM, ESPECIAL PARA PRESERVAÇÃO DE PLAQUETAS 5 DIAS COM ADAPTADOR PARA TUBOS A VÁCUO FORNECIDO EM EMBALAGEM ESTÉRIL, PERMITINDO A COLETA DE AMOSTRAS, AGULHA COM BISEL TRIFACETADO, BOLSA QUE PERMITE CONGELAMENTO ATÉ -80 C E DESCONGELAMENTO A 37 C, MA NUTENÇÃO DE PELO MENOS 80% DA CONTAGEM INICIAL DE PLAQUETAS E PH ACIMA DE 5,6 DO CONCENTRADO DE PLAQUETAS NO ÚLTIMO DIA DE ARMAZENAMENTO, PAUSTERIZADASDE ACORDO COM O REGULAMENTO TÉCNICO MIC/MS Nº 003/88, DISPOSITIVO NASBOLSAS QUE PERMITIA FRACIONAMENTO AUTOMATIZADO COMPATÍVEL COM APARELHO COMPOMAT G4, RÓTULO EM PORTUGUÊS E

Número CC004/2015. Fornecedor. Pregão. Item Descrição do Material UF Quantidade Preço Unitário Preço Total Marca / Modelo Prazo Entrega

Número CC004/2015. Fornecedor. Pregão. Item Descrição do Material UF Quantidade Preço Unitário Preço Total Marca / Modelo Prazo Entrega Folha 1 1 AGUA destilada, para solucao injetavel. Embalagem: ampola com 20 ml conteendo a impressao " venda proibida pelo comercio." registro dos produtos na Anvisa e Certificado de Boas Praticas, Fabricacao

Leia mais

ANÁLISE MICROBIOLÓGICA DE ÁGUA E ALIMENTOS

ANÁLISE MICROBIOLÓGICA DE ÁGUA E ALIMENTOS ANÁLISE MICROBIOLÓGICA DE ÁGUA E ALIMENTOS Análise de alimentos Utilização de técnicas microbiológicas: Pesquisar Estimar presença de microrganismos; número de microrganismos; Identificar os microrganismos.

Leia mais

Catálogo - 2014. Lista de insumo. OPatologista. O que você precisa está aqui.

Catálogo - 2014. Lista de insumo. OPatologista. O que você precisa está aqui. Catálogo - 2014 Lista de insumo O que você precisa está aqui. w w w. o p a t o l o g i s t a. c o m. b r Índice: Acido...Pag 1 Álcool / Xilol / Formol...Pag 1 Alcoômetro...Pag 1 Bandeja para microscopia...pag

Leia mais

50,00 Pipeta pasteur descartável com capacidade de até 3ml e escala graduada com intervalos de 0,5ml, caixa com 500 unidades.

50,00 Pipeta pasteur descartável com capacidade de até 3ml e escala graduada com intervalos de 0,5ml, caixa com 500 unidades. IVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ Página: 1 / 9 Gestor de Compras: 3 - HOSPITAL IVERSITÁRIO REGIONAL DE MARINGÁ Itens: 1 1.12.002-000058 Lampada de halogenio p/ microscópio NIKON, 6V-20W 1 2 1.12.002-000405

Leia mais

ÁGUA REAGENTE NO LABORATÓRIO CLÍNICO

ÁGUA REAGENTE NO LABORATÓRIO CLÍNICO ÁGUA REAGENTE NO LABORATÓRIO RIO CLÍNICO Água reagente no laboratório rio clínico Água de grau reagente (água( pura); Processos de purificação: destilação e deionização (+ usado atualmente). Especificações

Leia mais

FOSFATO DISSÓDICO DE DEXAMETASONA

FOSFATO DISSÓDICO DE DEXAMETASONA FSFAT DISSÓDIC DE DEXAMETASNA Dexamethasoni natrii phosphas H H H P Na Na F H C 22 H 28 FNa 2 8 P 516,41 02821 Fosfato dissódico de 9-fluoro-11β,17 diidroxi-16α-metil-3, 20- dioxopregna- 1,4 dieno-21-il

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PROCESSO Nº 23502.000008.2014-24

Leia mais

A ÁGUA COMO REAGENTE PURA PURA PURA Destilação - Deionização Osmose Reversa - Filtração através de Carvão Ativado Ultrafiltração -

A ÁGUA COMO REAGENTE PURA PURA PURA Destilação - Deionização Osmose Reversa - Filtração através de Carvão Ativado  Ultrafiltração - 1 A ÁGUA COMO REAGENTE A água é o suprimento do Laboratório Clínico de menor custo. Talvez, por este motivo, sua qualidade seja tão negligenciada, apesar de ser um reagente importante e o mais utilizado.

Leia mais

Módulo - Bacteriologia. Condições essenciais para o crescimento e a identificação Bacteriana

Módulo - Bacteriologia. Condições essenciais para o crescimento e a identificação Bacteriana Módulo - Bacteriologia Condições essenciais para o crescimento e a identificação Bacteriana Estruturas Celulares Essenciais x Facultativas Crescimento bacteriano O crescimento é um somatório dos processos

Leia mais

Meio de cultura Ref. Modelo Apresentação Finalidade. K25-610134 500g. K25-611012 500g. K25-610059 500g. K25-610041 500g.

Meio de cultura Ref. Modelo Apresentação Finalidade. K25-610134 500g. K25-611012 500g. K25-610059 500g. K25-610041 500g. Fabricados através de um rigoroso controle de qualidade, os meios de cultura Kasvi foram especialmente desenvolvidos para atender à demanda de todos os laboratórios que analisam microrganismos em suas

Leia mais

Produtos não passíveis de regulamentação na ANVISA

Produtos não passíveis de regulamentação na ANVISA Análises Clínicas Análises ClíniCAs A área de Análises Clínicas é uma das mais importantes quando se trata de diagnóstico complementar, auxiliando a medicina nos cuidados com a saúde e bem estar do paciente.

Leia mais

3975 - BOMBONAS ESPECÍFICAS DE PRODUTOS 3560 - DISCO DE LENTINE P/USO EM LATICÍNIOS

3975 - BOMBONAS ESPECÍFICAS DE PRODUTOS 3560 - DISCO DE LENTINE P/USO EM LATICÍNIOS PLASTICOS Preços sujeitos a variações. 2270 - ACÍDIMETRO DE DORNIC 2500 - BARRAS MAGNÉTICAS CILÍNDRICAS ACÍDIMETRO DE DORNIC 10 ML 0-40 R$ 260,00 SEM ANEL 8 X 25 MM ACÍDIMETRO DE DORNIC 40 ML 0-100 R$

Leia mais

CÓDIGO DESCRIÇÃO UNID GRUPO PRAZO DE ENTREGA CLASS FISCAL EX CV FD

CÓDIGO DESCRIÇÃO UNID GRUPO PRAZO DE ENTREGA CLASS FISCAL EX CV FD 1004000017 ACETATO DE CALCIO H2O PA 25G FR PRODUTOS PA 05 DIAS 2915.29.00 N N N 1004000018 ACETATO DE CALCIO H2O PA 500G FR PRODUTOS PA 05 DIAS 2915.29.00 N N N 1004000023 ACETATO DE CHUMBO II NEUTRO (3H2O)

Leia mais

Como preparar. Meios comerciais devem ser hidratados. Primeiramente devem ser pesados. Tansferir para um frasco

Como preparar. Meios comerciais devem ser hidratados. Primeiramente devem ser pesados. Tansferir para um frasco MEIOS DE CULTURA Como preparar Meios comerciais devem ser hidratados Primeiramente devem ser pesados Tansferir para um frasco Hidratar em pequena quantidade e misturar Depois deve-se acrescentar o restante

Leia mais

Fundação de Apoio à Tecnologia e Ciência

Fundação de Apoio à Tecnologia e Ciência ATA DE JULGAMENTO DA CONCORRÊNCIA Nº 2015/5030004-01 Ata de julgamento referente à Concorrência n.º 2015/5030004-01, do tipo menor preço unitário, segundo especificado no item 02 do Edital REGISTRO DE

Leia mais

3.1 - ÁGUA PURIFICADA

3.1 - ÁGUA PURIFICADA ANEXO 3 INSUMOS INERTES 3.1 - ÁGUA PURIFICADA H 2 O;18 Água para preparação de medicamentos não estéreis. É obtida por destilação, troca iônica ou outro processo adequado que garanta as especificações

Leia mais

Plásticos para Cultivo Celular

Plásticos para Cultivo Celular Linha Cultivo de Células e Tecidos Fabricada em poliestireno cristal virgem (GPPS), oferece produtos com alta transparência para ótima visualização e sem presença de contaminantes, assegurando integridade

Leia mais

RELAÇÃO DE MATERIAL PERMANENTE

RELAÇÃO DE MATERIAL PERMANENTE RELAÇÃO DE MATERIAL PERMANENTE MATERIAL QUANTIDADE Máquina de Xérox 01 Máquina Fotográfica 01 Filmadora 01 multimídia 01 Televisores 06 Aparelhos de DVDs 05 Aparelhos de Vídeos 05 Aparelho gravador de

Leia mais

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00038/2015-000

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00038/2015-000 658 - UNIVERSIDADE TECNOLOGICA FEDERAL DO PARANA 5458 - UTFPR - CAMPUS CURITIBA RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 0008/05-000 - Itens da Licitação - ACETONA ACETONA, ASPECTO FÍSICO LÍQUIDO LÍMPIDO

Leia mais

M A T E R I A I S D E L A B O R A T Ó R I O. Prof. Agamenon Roberto

M A T E R I A I S D E L A B O R A T Ó R I O. Prof. Agamenon Roberto M A T E R I A I S D E L A B O R A T Ó R I O Prof. Agamenon Roberto Prof. Agamenon Roberto MATERIAS DE LABORATÓRIO 2 TUBO DE ENSAIO: Tubo de vidro fechado em uma das extremidades, empregado para fazer reações

Leia mais

GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 8, DE 11 DE MARÇO DE 2009

GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 8, DE 11 DE MARÇO DE 2009 GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 8, DE 11 DE MARÇO DE 2009 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição que lhe confere o art. 87, parágrafo único, inciso

Leia mais

SUBSTбNCIAS. CATаLOGO DE MATERIAS DE CONSUMO DO IMS-CAT- UFBA. 100g ACETATO DE AMONIO P.A. 250g ACETATO DE AMтNIO PA. 500g ACETATO DE CALCIO P.

SUBSTбNCIAS. CATаLOGO DE MATERIAS DE CONSUMO DO IMS-CAT- UFBA. 100g ACETATO DE AMONIO P.A. 250g ACETATO DE AMтNIO PA. 500g ACETATO DE CALCIO P. UFBA - IMS/CAT 23/11/2010 CATаLOGO DE MATERIAS DE CONSUMO DO IMS-CAT- UFBA SUBSTбNCIAS REAGENTE EMBALAGEM ResponsАvel: AngИlica, Eduardo e FabrМcia Data: 24/05/2011 1,10 FENANTROLINA 0 1,10 FENANTROLINA

Leia mais

Zona de Transição. Azul de Timol (A) (faixa ácida) 1,2 2,8 Vermelho Amarelo. Tropeolina OO (B) 1,3 3,2 Vermelho Amarelo

Zona de Transição. Azul de Timol (A) (faixa ácida) 1,2 2,8 Vermelho Amarelo. Tropeolina OO (B) 1,3 3,2 Vermelho Amarelo ALGUNS EXERCÍCIOS SÃO DE AUTORIA PRÓPRIA. OS DEMAIS SÃO ADAPTADOS DE LIVROS CITADOS ABAIXO. Indicador Zona de Transição Cor Ácida Cor Básica Azul de Timol (A) (faixa ácida) 1,2 2,8 Vermelho Amarelo Tropeolina

Leia mais

CATÁLOGO DE MATERIAIS DE LABORATÓRIO - HEMATOLOGIA

CATÁLOGO DE MATERIAIS DE LABORATÓRIO - HEMATOLOGIA CATÁLOGO DE MATERIAIS DE LABORATÓRIO - HEMATOLOGIA Descrição Simplificada Azul de cresil brilhante em solução Câmara de Fuchs-Rosenthal Câmara de Neubauer Conjunto de mangueiras para o equipamento Hematek

Leia mais

Determinação de bases voláteis totais em pescados por acidimetria

Determinação de bases voláteis totais em pescados por acidimetria Página 1 de 8 1 Escopo Este método tem por objetivo determinar o teor de bases voláteis totais em pescados, indicando o seu grau de conservação. 2 Fundamentos As bases voláteis totais (N-BVT) compreendem

Leia mais

Estimativa. Unioeste 37554/2012 Cod. Fornecedor Classificação Vlr.Un. Total. Setor Processo Item edital

Estimativa. Unioeste 37554/2012 Cod. Fornecedor Classificação Vlr.Un. Total. Setor Processo Item edital Filtrado por ( : = '' ) E (Imprimir quantidades por setor de consumo = Não) 13/08/2013 13:53:06 Page 1 of 1 Fornecedor Classificação Vlr.Un. 103 10120 Guilherme Caldeira Stefanovicz -1 25,60 5 1 0 4 102,40

Leia mais

Ensaio: Acidez, Alcalinidade, Cloreto, Condutividade, Cor, Demanda Bioquímica de Oxigênio DBO 5D, Demanda de Cloro,Fluoreto, Iodeto

Ensaio: Acidez, Alcalinidade, Cloreto, Condutividade, Cor, Demanda Bioquímica de Oxigênio DBO 5D, Demanda de Cloro,Fluoreto, Iodeto Página: 2 de 8 -------------------- INFORMAÇÕES PARA AMOSTRAGEM EM FUNÇÃO DO ENSAIO Ensaio: Acidez, Alcalinidade, Cloreto, Condutividade, Cor, Demanda Bioquímica de Oxigênio DBO 5D, Demanda de Cloro,Fluoreto,

Leia mais

Produção, Armazenamento e Procedimentos de Hemocomponentes

Produção, Armazenamento e Procedimentos de Hemocomponentes Produção, Armazenamento e Procedimentos de Hemocomponentes Keicia Moreira Pinto Instituto Nacional do Câncer Hospital do Câncer I Serviço de Hemoterapia Setor de Fracionamento e Expedição de Hemocomponentes

Leia mais

ÁREA DE CONHECIMENTO: LABORATÓRIO Nº 03 LABORATORIO DE FARMACOTÉCNICA MEDIDAS

ÁREA DE CONHECIMENTO: LABORATÓRIO Nº 03 LABORATORIO DE FARMACOTÉCNICA MEDIDAS UNISEPE União das Instituições de Serviço, Ensino e Pesquisa Faculdades Integradas do Vale do Ribeira Rua Oscar Yoshiaki Magário, s/n Jardim das Palmeiras CEP: 11900-000 Registro (SP) (13) 3828-2840 www.scelisul.com.br

Leia mais

Reagentes para Biologia Molecular

Reagentes para Biologia Molecular Reagentes para Biologia Molecular Para obtenção de resultados confiáveis, atividades realizadas na área da Biologia Molecular requerem reagentes de qualidade e pureza elevada. Ideais para diversas rotinas

Leia mais

VIDRARIAS. Preços sujeitos a variações. Capacidad e DESENHO CÓDIGO DESCRIÇÃO PREÇO

VIDRARIAS. Preços sujeitos a variações. Capacidad e DESENHO CÓDIGO DESCRIÇÃO PREÇO VIDRARIAS Preços sujeitos a variações. DESENHO CÓDIGO DESCRIÇÃO Capacidad e PREÇO 9924219 ANEL EM POLIPROPILENO AZUL PARA FRASCO REAGENTE GL 32 1,81 9924228 ANEL EM POLIPROPILENO AZUL PARA FRASCO REAGENTE

Leia mais

REVISADA EM JANEIRO/2014

REVISADA EM JANEIRO/2014 REVISADA EM JANEIRO/2014 GLUC UP Teste de Tolerância à Glicose 1212 GLUC UP 50 g LARANJA FRASCO C/ 200 ml 5,50 Val 12 meses/2 a 30 C 1214 GLUC UP 50 g LIMÃO FRASCO C/ 200 ml 1217 GLUC UP 75 g ABACAXI FRASCO

Leia mais

SOLUÇÕES. 3) (UNIFOR) O gráfico seguinte dá a solubilidade em água do açúcar de cana em função da temperatura.

SOLUÇÕES. 3) (UNIFOR) O gráfico seguinte dá a solubilidade em água do açúcar de cana em função da temperatura. SOLUÇÕES 1) (FEI) Tem-se 500g de uma solução aquosa de sacarose (C 12 H 22 O 11 ), saturada a 50 C. Qual a massa de cristais que se separam da solução, quando ela é resfriada até 30 C? Dados: Coeficiente

Leia mais

Preparo de Materiais em microbiologia,meios de cultura usados no laboratório, técnicas de semeadura e Colorações

Preparo de Materiais em microbiologia,meios de cultura usados no laboratório, técnicas de semeadura e Colorações Preparo de Materiais em microbiologia,meios de cultura usados no laboratório, técnicas de semeadura e Colorações Prof (a) Dr Luciana Debortoli de Carvalho Preparo de materiais Meios de Cultura O crescimento

Leia mais

ANEXO IV. II- um armário para armazenagem de solventes, com construção resistente ao fogo.

ANEXO IV. II- um armário para armazenagem de solventes, com construção resistente ao fogo. ANEXO IV ARMAZENAMENTO DE PRODUTOS QUÍMICOS. No laboratório, almoxarifado e em locais em que se tenha que armazenar ou manipular substâncias químicas, deve-se ter em conta sua composição, pois muitas delas

Leia mais

SULFATO FERROSO HEPTAIDRATADO Ferrosi sulfas heptahydricus

SULFATO FERROSO HEPTAIDRATADO Ferrosi sulfas heptahydricus SULFATO FERROSO HEPTAIDRATADO Ferrosi sulfas heptahydricus FeSO 4.7H 2 O 278,01 06404.02-0 Fe 55,85 Sulfato ferroso heptaidratado Contém, no mínimo, 98,0% e, no máximo, 105,0% de FeSO 4.7H 2 O. DESCRIÇÃO

Leia mais

Tabela de Utilização da Reserva Técnica - Atualizado em 10/10/2014 Solicitante Tipo de Despesa Valor Autorização Curso de Medicina

Tabela de Utilização da Reserva Técnica - Atualizado em 10/10/2014 Solicitante Tipo de Despesa Valor Autorização Curso de Medicina Tabela de Utilização da Reserva Técnica - Atualizado em 10/10/2014 Solicitante Tipo de Despesa Valor Autorização Curso de Medicina Despesas com Material de Consumo de Laboratório 23.364,45 Tomás Dias Sant'Ana

Leia mais

LINHA DE REAGENTES PARA BIOLOGIA MOLECULAR

LINHA DE REAGENTES PARA BIOLOGIA MOLECULAR LINHA DE REAGENTES PARA BIOLOGIA MOLECULAR Linha de reagentes fabricados dentro de restritos controles de qualidade. Testados para assegurar os melhores resultados nas técnicas de pesquisa em Biologia

Leia mais

91721241 BALÃO FUNDO REDONDO COM JUNTA ESMERILHADA 100 ML 91721321 BALÃO FUNDO REDONDO COM JUNTA ESMERILHADA 200 ML 91721361 BALÃO FUNDO REDONDO COM

91721241 BALÃO FUNDO REDONDO COM JUNTA ESMERILHADA 100 ML 91721321 BALÃO FUNDO REDONDO COM JUNTA ESMERILHADA 200 ML 91721361 BALÃO FUNDO REDONDO COM VIDRARIA CÓDIGO DESCRIÇÃO 9924228 ANEL EM POLIPROPILENO PARA FRASCO REAGENTE GL 45 9991030 APARELHO DE DORNIC COMPLETO ESCALA 0 Á 40 ( SEM PINÇA DE MHOR) 9991031 APARELHO DE DORNIC COMPLETO ESCALA 0 Á

Leia mais

DUTOS E CHAMINÉS DE FONTES ESTACIONÁRIAS DETERMINAÇÃO DO SULFETO DE HIDROGÊNIO. Método de ensaio

DUTOS E CHAMINÉS DE FONTES ESTACIONÁRIAS DETERMINAÇÃO DO SULFETO DE HIDROGÊNIO. Método de ensaio CETESB DUTOS E CHAMINÉS DE FONTES ESTACIONÁRIAS DETERMINAÇÃO DO SULFETO DE HIDROGÊNIO Método de ensaio L9.233 DEZ/90 SUMÁRIO Pág. 1 Objetivo...1 2 Sensibilidade do método...1 3 Principio do método...1

Leia mais

UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Faculdade de Ciências e Tecnologia

UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Faculdade de Ciências e Tecnologia UNIVERSIDADE NVA DE LISBA Faculdade de Ciências e Tecnologia Síntese de ácido acetilsalicílico (aspirina). Análise por TLC do produto obtido. 1. Cromatografia Misturas de compostos podem ser separados

Leia mais

DISTRIBUIDORA ENSAIOS ROBSON ANTUNES MOREIRA-ME TELEFONE: (31) 3041-3789 TELEFAX: (31) 3473-7198

DISTRIBUIDORA ENSAIOS ROBSON ANTUNES MOREIRA-ME TELEFONE: (31) 3041-3789 TELEFAX: (31) 3473-7198 Olá senhor/a Diretor/a! DISTRIBUIDORA ENSAIOS ROBSON ANTUNES MOREIRA-ME É com muito orgulho que estamos apresentando nossa PROMOÇÃO PARA O MES DE FEVEREIRO DE 2014!. Infelizmente, com o aumento absurdo

Leia mais

MINISTERIO DA EDUCACAO UNIVERSIDADE FEDERAL TRIANGULO MINEIRO UBERABA - MG

MINISTERIO DA EDUCACAO UNIVERSIDADE FEDERAL TRIANGULO MINEIRO UBERABA - MG BALAO VOLUMETRICO, VIDRO BOROSSILICATO, COM ROLHA DE POLIETILENO, FUNDO CHATO, GARGALO LONGO 20ML. COD. SICAF 212722 BALAO VOLUMETRICO, VIDRO BOROSSILICATO, COM ROLHA DE POLiETILENO, FUNDO'CHATO, GARGALO

Leia mais

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00035/2013-000 SRP

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00035/2013-000 SRP 93420 - ESTADO DO PARA 925387 - PREFEITURA MUNICIPAL DE BELÉM RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00035/2013-000 SRP 1 - Itens da Licitação 1 - MICRONEBULIZADOR MICRONEBULIZADOR, TIPO PEDIÁTRICO, COMPONENTES

Leia mais

IMUNO ENSAIOS USANDO CONJUGADOS

IMUNO ENSAIOS USANDO CONJUGADOS IMUNO ENSAIOS USANDO CONJUGADOS REAÇÕES USANDO REAGENTES MARCADOS Conjugado: molécula constituída por duas substâncias ligadas covalentemente e que mantêm as propriedades funcionais de ambas Ex: globulina

Leia mais

Fundação de Apoio à Tecnologia e Ciência FUNDAÇÃO DE APOIO À TECNOLOGIA E CIÊNCIA FATEC COMISSÃO DE LICITAÇÕES

Fundação de Apoio à Tecnologia e Ciência FUNDAÇÃO DE APOIO À TECNOLOGIA E CIÊNCIA FATEC COMISSÃO DE LICITAÇÕES FUNDAÇÃO DE APOIO À TECNOLOGIA E CIÊNCIA FATEC COMISSÃO DE LICITAÇÕES 1º ADENDO A CONCORRÊNCIA Nº. 2015/5030008-01 Vimos por meio deste, comunicar que a Licitação na modalidade Concorrência do Tipo Menor

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Goiás Pró-Reitoria de Administração e Finanças. Pregão Eletrônico Nº 00068/2014(SRP)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Goiás Pró-Reitoria de Administração e Finanças. Pregão Eletrônico Nº 00068/2014(SRP) 1 de 13 01/12/2014 10:27 PREGÃO ELETRÔNICO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Goiás Pró-Reitoria de Administração e Finanças Pregão Eletrônico Nº 00068/2014(SRP) RESULTADO POR FORNECEDOR 01.151.850/0001-53

Leia mais

INÁCIO AFONSO KROETZ

INÁCIO AFONSO KROETZ FOOD INTELLIGENCE Nome Empresarial: FOOD INTELLIGENCE - CONSULTORIA TÉCNICA EM ALIMENTOS S/S LTDA CNPJ: 03.627.116/0001-43 Endereço: Rua Pássaros e Flores, nº 141 Bairro: Brooklin CEP: 04.704-000 Cidade:

Leia mais

Tabela de Utilização da Reserva Técnica - Atualizado em 17/09/2013 Solicitante Tipo de Despesa Valor Autorização Escola de Enfermagem

Tabela de Utilização da Reserva Técnica - Atualizado em 17/09/2013 Solicitante Tipo de Despesa Valor Autorização Escola de Enfermagem Tabela de Utilização da Reserva Técnica - Atualizado em 17/09/2013 Solicitante Tipo de Despesa Valor Autorização Escola de Enfermagem Despesas com Material de Consumo de Laboratório 31.890,53 Tomás Dias

Leia mais

Norma Técnica SABESP NTS 014

Norma Técnica SABESP NTS 014 Norma Técnica SABESP NTS 014 Coliformes Totais e Termotolerantes - Método de membrana filtrante Procedimento São Paulo Dezembro - 2005 NTS 014 : 2005 Norma Técnica SABESP S U M Á R I O 1 OBJETIVO...1 2

Leia mais

Tipo de Material QOI - 02/03 1. Laboratório de Química Orgânica e Farmacêutica. Material de Vidro. Material de Metal

Tipo de Material QOI - 02/03 1. Laboratório de Química Orgânica e Farmacêutica. Material de Vidro. Material de Metal Laboratório de Química Orgânica e Farmacêutica MATERIAL DE LABORATÓRIO E EQUIPAMENTO Com colaboração da Dr.ª Sara Cravo 1 Material de Vidro O material de vidro é um dos elementos fundamentais do laboratório.

Leia mais

第 107/2007 號 社 會 文 化 司 司 長 批 示

第 107/2007 號 社 會 文 化 司 司 長 批 示 1702 48 2007 11 26 科 目 種 類 學 分 1 " 1 " 1 " 1 " 1 " 1 " 1 " 1 " 1 Disciplinas Tipo Unidades de crédito Introdução ao Cantonês (II) Optativa 1 Língua Portuguesa (I)» 1 Língua Portuguesa (II)» 1 Língua Portuguesa

Leia mais

POLIETILENO ANTI-CHAMA

POLIETILENO ANTI-CHAMA POLIETILENO ANTI-CHAMA TUBO DE POLIETILENO ANTI-CHAMA MATERIAL Polietileno de baixa densidade auto-extinguível APLICAÇÕES Linhas para condução de gases e líquidos. Linhas que necessitam de materiais que

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO E CONFIRMAÇÃO DE GRUPOS FUNCIONAIS: Parte 1: ALDEÍDOS E CETONAS

IDENTIFICAÇÃO E CONFIRMAÇÃO DE GRUPOS FUNCIONAIS: Parte 1: ALDEÍDOS E CETONAS PRÁTICA N o. 02 IDENTIFICAÇÃO E CONFIRMAÇÃO DE GRUPOS FUNCIONAIS: Parte 1: ALDEÍDOS E CETONAS OBJETIVOS: Esta prática tem como objetivo a identificação e confirmação de grupos funcionais de aldeídos e

Leia mais

Ata Parcial. Item 0001. Item 0002. PROPOSTAS APRESENTADAS (As propostas com * na frente foram desclassificadas pelo pregoeiro)

Ata Parcial. Item 0001. Item 0002. PROPOSTAS APRESENTADAS (As propostas com * na frente foram desclassificadas pelo pregoeiro) Ata Parcial Às 13:00 horas do dia 16 de fevereiro de 2012, reuniu-se o Pregoeiro Oficial da Prefeitura Municipal de Gravataí e respectivos membros da Equipe de apoio, designados pela portaria 2609/11 para,

Leia mais

Vidrarias. www.sollara.com.br 15 3202.6635

Vidrarias. www.sollara.com.br 15 3202.6635 Linha de Produtos Sollara, uma empresa experiente, com poder de distribuição e com foco singular em cada cliente, servindo de referência e oferecendo todas as soluções de produtos químicos e acessórios

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA TERMO DE HOMOLOGAÇÃO E ADJUDICAÇÃO DE PROCESSO LICITATÓRIO. PREGÃO PRESENCIAL Nr.: 56/2014 - PR

ESTADO DE SANTA CATARINA TERMO DE HOMOLOGAÇÃO E ADJUDICAÇÃO DE PROCESSO LICITATÓRIO. PREGÃO PRESENCIAL Nr.: 56/2014 - PR Folha: 1/6 O(a) Diretora Presidente, ELISABET MARIA ZANELA SARTORI, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela legislação em vigor, especialmente sob Lei nº 10.520/02 e em face aos princípios ordenados

Leia mais

NUTRIÇÃO MICROBIANA. Prof. Sharline Florentino de Melo Santos UFPB CT - DEQ

NUTRIÇÃO MICROBIANA. Prof. Sharline Florentino de Melo Santos UFPB CT - DEQ NUTRIÇÃO MICROBIANA Prof. Sharline Florentino de Melo Santos UFPB CT - DEQ Para crescer, todos os organismos necessitam de uma variedade de elementos químicos como nutrientes. Estes elementos são necessários

Leia mais

Número PE076/2013. Fornecedor. Pregão. Item Descrição do Material UF Quantidade Preço Unitário Preço Total Marca / Modelo Prazo Entrega

Número PE076/2013. Fornecedor. Pregão. Item Descrição do Material UF Quantidade Preço Unitário Preço Total Marca / Modelo Prazo Entrega Folha 1 1 LAMPARINA, a alcool, capacidade 100 ml, com tampa metalica. Un 30,00 Ref. SAEB => 62.60.00.00044658-0 2 AGAR, sabouraud 2%, meio utilizado para isolamaneto de bolores e leveduras. Embalagem:

Leia mais

Laborglas Ind. e Com. de Materiais de Laboratório LTDA. Rua Coronel Albino Bairão. 203 Tel.: 0055-11-2292 42 22

Laborglas Ind. e Com. de Materiais de Laboratório LTDA. Rua Coronel Albino Bairão. 203 Tel.: 0055-11-2292 42 22 Laborglas Ind. e Com. de Materiais de Laboratório LTDA. Rua Coronel Albino Bairão. 203 Tel.: 0055-11-2292 42 22 CEP 03054-020 São Paulo - SP - Brazil Fax.: 0055-11-2694 83 71 E-mail: laborglas@laborglas.com.br

Leia mais

RECURSOS PROVENIENTES DA CAPES/PROEX 2011

RECURSOS PROVENIENTES DA CAPES/PROEX 2011 RECURSOS PROVENIENTES DA CAPES/PROEX 0 RELAÇÃO PAGAMENTO EQUIPAMENTOS E MATERIAL PERMANENTE BENEFICIÁRIO DO AUXÍLIO: Marcos Gervasio Pereira Nº Projeto: /00 Nº Cheque Nota Fiscal/Fatura Especificação do

Leia mais

Glicose. Frutose. Unidade 6 Açúcar e álcool

Glicose. Frutose. Unidade 6 Açúcar e álcool Unidade 6 Açúcar e álcool Açúcares A sacarose é um dos açúcares presentes na canadeaçúcar. Junto com ele também são encontrados os açúcares glicose e frutose. A diferença é que a sacarose está presente

Leia mais

Relação de Materiais de Consumo Estimativo Mensal

Relação de Materiais de Consumo Estimativo Mensal AEROPORTO DE JACAREPAGUÁ ROBERTO MARINHO SBJR Relação de Materiais de Consumo Estimativo Mensal Anexo I Junho/12 Relação de Materiais de Consumo Estimativo Mensal Item Unid. Material Iniciar Reposição

Leia mais

4027 Síntese de 11-cloroundec-1-eno a partir de 10-undecen-1-ol

4027 Síntese de 11-cloroundec-1-eno a partir de 10-undecen-1-ol 4027 Síntese de 11-cloroundec-1-eno a partir de 10-undecen-1-ol OH SOCl 2 Cl + HCl + SO 2 C 11 H 22 O C 11 H 21 Cl (170.3) (119.0) (188.7) (36.5) (64.1) Classificação Tipos de reações e classes das substâncias

Leia mais

ANTI HUMANO. Anti IgG Anti C 3 d Poliespecífico

ANTI HUMANO. Anti IgG Anti C 3 d Poliespecífico ANTI HUMANO Anti IgG Anti C 3 d Poliespecífico PROTHEMO Produtos Hemoterápicos Ltda. PARA TESTES EM LÂMINA OU TUBO SOMENTE PARA USO DIAGNÓSTICO IN VITRO Conservar entre: 2º e 8ºC Não congelar Conservante:

Leia mais

MEIOS DE CULTURA DESENVOLVIMENTO OU PRODUÇÃO DE MEIOS DE CULTURA. Necessidade Bactérias Leveduras

MEIOS DE CULTURA DESENVOLVIMENTO OU PRODUÇÃO DE MEIOS DE CULTURA. Necessidade Bactérias Leveduras MEIOS DE CULTURA Associação equilibrada de agentes químicos (nutrientes, ph, etc.) e físicos (temperatura, viscosidade, atmosfera, etc) que permitem o cultivo de microorganismos fora de seu habitat natural.

Leia mais

REAÇÕES QUÍMICAS ORGANIZAÇÃO: Márcia Adriana Warken Magalhães ORIENTAÇÃO: Prof a Márcia Cunha 2001

REAÇÕES QUÍMICAS ORGANIZAÇÃO: Márcia Adriana Warken Magalhães ORIENTAÇÃO: Prof a Márcia Cunha 2001 CENTRO DE ENGENHARIAS E CIÊNCIAS EXATAS CURSO DE QUÍMICA - LICENCIATURA INSTRUMENTAÇÃO PARA O ENSINO DE QUÍMICA SÉRIE: EXPERIÊNCIAS DEMONSTRATIVAS REAÇÕES QUÍMICAS ORGANIZAÇÃO: Márcia Adriana Warken Magalhães

Leia mais

Código Descrição do Produto R$ Unitário RAC801.06 Acetato de Amônio PA - 250g R$ 45,26 RAC801.05 Acetato de Amônio PA - 25g R$ 9,60 RAC801.

Código Descrição do Produto R$ Unitário RAC801.06 Acetato de Amônio PA - 250g R$ 45,26 RAC801.05 Acetato de Amônio PA - 25g R$ 9,60 RAC801. Código Descrição do Produto R$ Unitário RAC801.06 Acetato de Amônio PA - 250g R$ 45,26 RAC801.05 Acetato de Amônio PA - 25g R$ 9,60 RAC801.09 Acetato de Amônio PA - 500g R$ 70,10 RAC801.17 Acetato de Cálcio

Leia mais

FARMACOPEIA MERCOSUL: DETERMINAÇÃO DE AFLATOXINAS

FARMACOPEIA MERCOSUL: DETERMINAÇÃO DE AFLATOXINAS MERCOSUL/XLIII SGT Nº 11/P.RES. Nº FARMACOPEIA MERCOSUL: DETERMINAÇÃO DE AFLATOXINAS TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto e as Resoluções Nº 31/11 e 22/14 do Grupo Mercado Comum.

Leia mais

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO Norma de Origem: NIT-DICLA-016 Folha: 1 Total de Folhas: 7 RAZÃO SOCIAL/DESIGNAÇÃO DO LABORATÓRIO CETESB - Companhia Ambiental do Estado de São Paulo

Leia mais

BIOAGRI ANÁLISES DE ALIMENTOS

BIOAGRI ANÁLISES DE ALIMENTOS Ministério da Abastecimento Data de atualização: Secretaria de Defesa Agropecuária SDA BIOAGRI ANÁLISES DE ALIMENTOS Nome Empresarial: BIOAGRI ANÁLISES DE ALIMENTOS LTDA. CNPJ: 00.000.410/0001-32 Endereço:

Leia mais

Campanha de Amostragem de Água Superficial Rio Joanes / Ponte da Estrada do Côco-

Campanha de Amostragem de Água Superficial Rio Joanes / Ponte da Estrada do Côco- Campanha de Amostragem de Água Superficial Rio Joanes / Ponte da Estrada do Côco Maio 2011 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. AVALIAÇÃO HIDROQUÍMICA... 3 3. CONCLUSÕES... 6 FIGURAS 2.1 PONTO DE COLETA RIO JOANES:

Leia mais

ScanGel ScanBrom 86445 12 ml

ScanGel ScanBrom 86445 12 ml ScanGel ScanBrom 86445 12 ml BROMELINA PARA TESTE DE COMPATIBILIDADE IVD Todos os produtos fabricados e comercializados pela empresa Bio-Rad são submetidos a um sistema de garantia de qualidade, desde

Leia mais

PREGÃO ELETRÔNICO Nº 364/ 2013 - SESA

PREGÃO ELETRÔNICO Nº 364/ 2013 - SESA PREGÃO ELETRÔNICO Nº 364/ 2013 - SESA A SAÚDE DO PARANÁ, órgão da Administração Direta, através do FUNDO ESTADUAL DE SAÚDE DO PARANÁ, instituído pela Lei 15.466/07, CNPJ 08.597.121/0001-74, representado

Leia mais

TABELA DE PREÇOS REFERENCIAIS DE MATERIAIS DE LIMPEZA

TABELA DE PREÇOS REFERENCIAIS DE MATERIAIS DE LIMPEZA 78252 AGUA SANITARIA, A BASE DE HIPOCLORITO DE SODIO OU CALCIO, COM VALIDADE MINIMA DE 4 MESES, A PARTIR DA DATA DE FABRICACAO, ACAO: DESINFETANTE, TEOR DE CLORO ATIVO: 2,0% P/P A 2,5%P/P, PRODUZIDO DE

Leia mais

3. Materiais, amostras, procedimentos analíticos:

3. Materiais, amostras, procedimentos analíticos: 3. Materiais, amostras, procedimentos analíticos: 3.1 Materiais: A Tabela 3.1 apresenta os equipamentos e materiais utilizados, suas características principais, fornecedores, e em quais procedimentos os

Leia mais

mhtml:file://d:\documents%20and%20settings\jbrandao.insa\ambiente%20de%20...

mhtml:file://d:\documents%20and%20settings\jbrandao.insa\ambiente%20de%20... Página Web 1 de 7 Código 2.1 - ANÁLISE QUÍMICA 2.1.1 Análises por parâmetros Análises de Águas Designação Preço (Euros) Preparação e tratamento da amostra: 60001 - Filtração 5,00 60002 - Destilação 9,00

Leia mais

TABELA DE PREÇOS REFERENCIAIS DE MATERIAIS DE LIMPEZA

TABELA DE PREÇOS REFERENCIAIS DE MATERIAIS DE LIMPEZA 78252 Materiais AGUA SANITARIA, A BASE DE HIPOCLORITO DE SODIO OU CALCIO, COM VALIDADE MINIMA DE 4 MESES, A PARTIR DA DATA DE FABRICACAO, ACAO: DESINFETANTE, TEOR DE CLORO ATIVO: 2,0% P/P A 2,5%P/P, PRODUZIDO

Leia mais

QUADRO DE ESPECIFICAÇÕES MÍNIMAS

QUADRO DE ESPECIFICAÇÕES MÍNIMAS INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA SISTEMA INTEGRADO DE PATRIMÔNIO, ADMINISTRAÇÃO E CONTRATOS EMITIDO EM 24/04/2015 08:54 QUADRO DE ESPECIFICAÇÕES MÍNIMAS Licitação: 23292.004036/2015 14 PE38/2015 IFSC

Leia mais

POP- AULA PRÁTICA DE HEMOGRAMA (ERITROGRAMA) Prof.Archangelo

POP- AULA PRÁTICA DE HEMOGRAMA (ERITROGRAMA) Prof.Archangelo POP- AULA PRÁTICA DE HEMOGRAMA (ERITROGRAMA) Prof.Archangelo Material Necessário Seringa 5ml com agulha 25x7 Alcool 70% (iodado) Garrote Tubo vacuun EDTA ( tampa roxa ) microscópio lâminas para microscopia

Leia mais

NUTRICIUM INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA FICHA DE ESPECIFICAÇÃO SUSTEMIL KIDS MORANGO

NUTRICIUM INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA FICHA DE ESPECIFICAÇÃO SUSTEMIL KIDS MORANGO FICHA DE ESPECIFICAÇÃO SUSTEMIL KIDS MORANGO IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA NOME DA EMPRESA: NUTRICIUM INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA Endereço: Rua Pitangui, n 77 Bairro: Concórdia. Belo Horizonte MG CNPJ. 04.040.657/0001-33

Leia mais

RESULTADO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 10/2015. Item Descrição Unid. Quant Valor Unit. Valor Total. Vencedor

RESULTADO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 10/2015. Item Descrição Unid. Quant Valor Unit. Valor Total. Vencedor RESULTADO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 10/2015 Objeto: O PRESENTE PREGÃO PRESENCIAL TEM COMO OBJETO A SELEÇÃO DAS MELHORES S PARA A CONTRATAÇÃO DE EMPRESA OBJETIVANDO A COMPRA DOS UTILIZADOS NO CISAMUSEP. Item

Leia mais

CINZA. É o resíduo inorgânico que permanece após a queima da matéria orgânica, que é transformada em CO 2, H 2 O e NO 2.

CINZA. É o resíduo inorgânico que permanece após a queima da matéria orgânica, que é transformada em CO 2, H 2 O e NO 2. CINZA É o resíduo inorgânico que permanece após a queima da matéria orgânica, que é transformada em CO 2, H 2 O e NO 2. A cinza é constituída principalmente de: Grandes quantidades: K, Na, Ca e Mg; Pequenas

Leia mais

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 02/02/2014

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 02/02/2014 Questão 1 Conhecimentos Específicos Técnico de Laboratório / Área: Química Que massa de sulfato de cobre pentahidratado é necessária para se preparar 500 ml de uma solução 1,0 x 10-2 mol L -1 de cobre?

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Media e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciencia e Tecnologia Catarinense Campus Araquari

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Media e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciencia e Tecnologia Catarinense Campus Araquari 1 de 216 16:27 Pregão Eletrônico 158459.252013.210844.4965.367030567.977 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Media e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciencia e Tecnologia Catarinense

Leia mais

L IE CATÁLOGO DE PRODUTOS

L IE CATÁLOGO DE PRODUTOS L IE CATÁLOGO DE PRODUTOS L IE Linha de produtos fabricados em material de alta transparência, em sala limpa escala 100,000, de acordo com as normas ISO 9001 e ISO 13485:2003/AC:2007, certificados como

Leia mais

COCOS GRAM-POSITIVOS. Alfa Hemolítico. Beta Hemolítico. Gama Hemolítico

COCOS GRAM-POSITIVOS. Alfa Hemolítico. Beta Hemolítico. Gama Hemolítico COCOS GRAM-POSITIVOS Catalase Positiva Catalase Negativa STAPHYLOCOCCUS STREPTOCOCCUS Coagulase (+) S. aureus Coagulase (-) S. epidermidis S. saprophyticus Alfa Hemolítico S. pneumoniae sensível à Optoquina.

Leia mais

AULA PRÁTICA DE QUÍMICA GERAL Procedimentos e normas de segurança em laboratórios escolares parte 1

AULA PRÁTICA DE QUÍMICA GERAL Procedimentos e normas de segurança em laboratórios escolares parte 1 AULA PRÁTICA DE QUÍMICA GERAL Procedimentos e normas de segurança em laboratórios escolares parte 1 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL - 3º ANO DO ENSINO MÉDIO OBJETIVO Propor e explicar procedimentos padrão

Leia mais

Cód.: 2000 - Agulha de Níquel-Cromo. Cód.: 2001 - Alça de Níquel-Cromo. Cód.: 2002 - Agulha de Platina. Cód.: 2003 - Alça de Platina

Cód.: 2000 - Agulha de Níquel-Cromo. Cód.: 2001 - Alça de Níquel-Cromo. Cód.: 2002 - Agulha de Platina. Cód.: 2003 - Alça de Platina Cód.: 2000 - Agulha de Níquel-Cromo Alça Bacteriológica Agulha de Níquel-Cromo 8,0cm Unidade por embalagem Cód.: 2001 - Alça de Níquel-Cromo Alça Bacteriológica Alça de Níquel-Cromo (1ul ou 10ul) Cód.:

Leia mais

Relatório de Laboratórios Certificados pela FATMA até 11/2013

Relatório de Laboratórios Certificados pela FATMA até 11/2013 Relatório de Laboratórios Certificados pela FATMA até 11/2013 Nome do Laboratório No da Certidão Validade Credenciador Matriz Descrição do Parâmetro Acquaplant Quimica do Brasil Ltda. 3/2013 20-12-2014

Leia mais

INÁCIO AFONSO KROETZ

INÁCIO AFONSO KROETZ FOOD INTELLIGENCE Nome Empresarial: FOOD INTELLIGENCE CONSULTORIA EM ALIMENTOS S/S LTDA. CNPJ: 03.627.116/0001-43 Endereço: Rua Pássaro e Flores, nº. 141 Bairro: Brooklin CEP: 04704-000 Cidade: São Paulo-SP

Leia mais

AGULHA DESCARTÁVEL 13X4,5 26G1/2 CX. 6 Alcool a 70% ALCOOL ETILICO 70% 1000 M L L 10

AGULHA DESCARTÁVEL 13X4,5 26G1/2 CX. 6 Alcool a 70% ALCOOL ETILICO 70% 1000 M L L 10 ANEXO 1 Nº Item Especificação UND QUANT P. Unit P. Total 1 Abocath n º 22 2 Abocath nº 20 3 Agulha descartável Cateter periférico de uso único, descartavel, confeccionado com terflon, radiopaco, indicado

Leia mais

COVEST/UFPE 2003 2ª ETAPA

COVEST/UFPE 2003 2ª ETAPA COVEST/UFPE 2003 2ª ETAPA 97. A solubilidade do oxalato de cálcio a 20 C é de 33,0 g por 100 g de água. Qual a massa, em gramas, de CaC 2 O 4 depositada no fundo do recipiente quando 100 g de CaC 2 O 4

Leia mais

Ensaio de Proficiência

Ensaio de Proficiência Ensaio de Proficiência Cromatografia de Íons - Variações de Cátions e Ânions - Bruno César Diniz Metrohm Pensalab bcd@metrohm.com.br IC - Ânions e Cátions Conteúdo Precisão X Exatidão Qualificação de Operação

Leia mais

O Secretário de Vigilância Sanitária d Ministério da Saúde, no uso de suas atribuições legais e considerando:

O Secretário de Vigilância Sanitária d Ministério da Saúde, no uso de suas atribuições legais e considerando: título: Portaria nº 27, de 18 de março de 1996 ementa não oficial: Aprova o regulamento técnico sobre embalagens e equipamentos de vidro e cerâmica em contato com alimentos, conforme Anexo da presente

Leia mais

NORMAS TÉCNICAS PARA BANCOS DE LEITE HUMANO:

NORMAS TÉCNICAS PARA BANCOS DE LEITE HUMANO: NORMAS TÉCNICAS PARA BANCOS DE LEITE HUMANO: MATERIAIS BLH-IFF/NT- 45.04 - Lavagem, Preparo e Esterilização de Materiais FEV 2004 BLH-IFF/NT- 45.04 Rede Nacional de Bancos de Leite Humano FIOCRUZ/IFF-BLH

Leia mais

Universidade Estadual de Londrina Departamento de Biologia Geral Laboratório de Citogenética Animal - LACA TÉCNICAS DE CITOGENÉTICA DE INSETOS

Universidade Estadual de Londrina Departamento de Biologia Geral Laboratório de Citogenética Animal - LACA TÉCNICAS DE CITOGENÉTICA DE INSETOS Universidade Estadual de Londrina Departamento de Biologia Geral Laboratório de Citogenética Animal - LACA TÉCNICAS DE CITOGENÉTICA DE INSETOS Obtenção das Preparações Citológicas MEIOSE (Sem a utilização

Leia mais

ENVIO DE AMOSTRAS. Envio de amostras de sangue e medula óssea

ENVIO DE AMOSTRAS. Envio de amostras de sangue e medula óssea ENVIO DE AMOSTRAS Os requerimentos específicos para cada exame são fornecidos na lista alfabética da Tabela de Diretório de Exames Online. Para cada exame, são descritos o tipo de amostra, volumes mínimos,

Leia mais

DISTRIBUIDORA ENSAIOS ROBSON ANTUNES MOREIRA-ME TELEFONE: (31) 3041-3789 TELEFAX: (31) 3473-7198

DISTRIBUIDORA ENSAIOS ROBSON ANTUNES MOREIRA-ME TELEFONE: (31) 3041-3789 TELEFAX: (31) 3473-7198 Olá Senhor (a) Diretor (a)! DISTRIBUIDORA ENSAIOS ROBSON ANTUNES MOREIRA-ME A Distribuidora Ensaios está atuando 7 anos no mercado, com excelentes preços e prazos de entrega. Estamos lhes apresentando

Leia mais

GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO HOSPITAL NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO C.R. LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS SETOR DE BIOQUÍMICA

GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO HOSPITAL NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO C.R. LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS SETOR DE BIOQUÍMICA POP n.º: B111 Página 1 de 8 1. Sinonímina: Eletroforese de Hemoglobina em ph ácido. 2. Aplicabilidade: Bioquímicos do setor de Bioquímica do LAC-HNSC. 3. Aplicação Clínica: A eletroforese de hemoglobina

Leia mais