PRINCIPAIS COMPLICAÇÕES DE DROGAS IMUNOBIOLÓGICAS EM UTILIZAÇÃO NO BRASIL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PRINCIPAIS COMPLICAÇÕES DE DROGAS IMUNOBIOLÓGICAS EM UTILIZAÇÃO NO BRASIL"

Transcrição

1 PRINCIPAIS COMPLICAÇÕES DE DROGAS IMUNOBIOLÓGICAS EM UTILIZAÇÃO NO BRASIL Dra. Ana Cristina de Medeiros Ribeiro Reumatologista do HC FMUSP e CEDMAC Doutoranda pela FMUSP

2 IMUNOBIOLÓGICOS NO BRASIL Anti-TNF Anti-IL6 Anti-linfócito it B Anti-coestimulação de linfócito T

3 Anticorpos Monoclonais: ANTI-TNF TNF - Infliximabe - Adalimumabe - Golimumabe Receptores ligados à Ig-Fc: - Etanercepte

4 TNF: FUNÇÕES BIOLÓGICAS - indução de citocinas proinflamatórias (IL1, IL6) -otimização da migração leucocitária permeabilidade endotelial expressão de moléculas de adesão ativação de neutrófilos e da função de eosinófilos - indução de reagentes de fase aguda - indução de enzimas teciduais - estabilização de granuloma em infecções crônicas

5 Infecções Gerais: atnf: INFECÇÕES Taxa de infecções grave maiores de 65 anos comorbidades com maior risco infeccioso associações com imunossupressores e corticoide Mais comuns: vias aéreas trato urinário pele: celulite, abscesso, infecção de úlcera

6 Tuberculose: atnf: INFECÇÕES maior com Ac monoclonais (infliximabe e adalimumabe) x etanercepte manifestações atípicas: miliar, linfática, peritoneal, renal, disseminada Micobacteriose não tuberculosa: M. avium Outros germes oportunistas: listeriose, coccidiomicose, histoplasmose, pneumocistose, nocardiose, CMV, herpes zoster

7 atnf: INFECÇÕES Nãoaplicar medicação davigência deinfecções Vl Valorizar queixas infecciosas i protocolo de imunossuprimido Atenção: tuberculose com manifestações atípicas e infecções por germes oportunistas t

8 atnf: COMPLICAÇÕES IMUNOLÓGICAS Doenças neurológicas desmielinizantes (ES, mielite transversa, neurite ótica e Guillain- Barré, neuropatia periférica) Cutâneas: púrpuras, vasculite cutânea, psoríase, lúpus, eritema multiforme. Hematológicas: leuco e neutropenia, plaquetopenia, anemia aplásica, pancitopenia Doença intersticial pulmonar aguda e grave.

9 atnf: COMPLICAÇÕES IMUNOLÓGICAS Difícil diagnóstico Atividade Comorbidade Efeito da medicação Erro diagnóstico Interrompa a medicação Investigue infecção Chamar o reumatologista e outras especialidade

10 atnf: OUTRAS COMPLICAÇÕES - Indução ou descompensação de ICC - Interromper a medicação, excluir outras causas, compensar - Hepatotoxicidade - medicamentosa - autoimune pela droga ou comorbidade - infecciosa - exacerbação de hepatite B - Interromper a(s) medicação(ões), excluir outras causas, especialistas

11 ANTI-IL6 Tocilizumabe : anticorpo monoclonal l antireceptor de IL-6 - IL-6 é um potente indutor da resposta inflamatória de fase aguda e da PCR

12 ANTI-IL6 - TOCILIZUMABE - PCR: - se liga a componentes da membrana de fungos e bactérias - ativa complemento e opsoniza -otimiza i a fagocitose - PCR suprimida: id - diminuir defesa contra bactérias e fungos - atraso na detecção de infecção

13 TOCILIZUMABE: INFECÇÕES aumento de risco de infecções graves em geral: tuberculose, infecções bacterianas e fúngicas invasivas, virais e outras Taxa similar às dos outros biológicos Cautela: associação com leflunomida e corticoide, uso prévio de rituximabe e número prévio de imunossupressores

14 TOCILIZUMABE - INFECÇÕES Descrições nos estudos: - peritonite - diverticulite - perfuração intestino grosso - fístulas e abscessos intrabdominais - possivelmente maior em associação com AINH e corticoide - atenção em pacientes com dor abdominal - atenção em pacientes com dor abdominal, principalmente idosos

15 TOCILIZUMABE: COMPLICAÇÕES - Neutropenia Interromper se < Plaquetopenia Interromper se < Toxicidade hepática: transaminases Interromper se > 3x o normal - Podem ser graves, com complicações ou transitórias

16 Anti-CD20 anti-linfócito B - rituximabe - depleção de linfócito B maduro - pode diminuir produção de Igs

17 Risco infeccioso ANTI-CD20 RITUXIMABE - Infecções graves: ga maior risco semelhante aos outros biológicos - sem evidência de risco aumentado de tuberculose

18 Anticoestimulação de linfócito T - abatacepte

19 ANTICOESTIMULAÇÃO DE LINF. T ABATACEPTE

20 ANTI-COESTIMULAÇÃO LINF. T: ABATACEPTE Risco infeccioso aumentado - Infecções graves - semellhante aos outros imunobiológicos - atenção: mais infecções de trato respiratório inferior em pacientes com DPOC - tuberculose e germes atípicos - casos relatados, risco desconhecido

21 MENSAGEM Nãoaplicar medicação davigência deinfecções Vl Valorizar queixas infecciosas i protocolo de imunossuprimido Atenção: tuberculosecom com manifestaçõesatípicase atípicas e infecções por germes oportunistas Outras complicações: interrompa a medicação e chame os especialistas

Questionário para Entrevistas investigação de RAM Nome do paciente: Nome do entrevistador: Data: / /

Questionário para Entrevistas investigação de RAM Nome do paciente: Nome do entrevistador: Data: / / Questionário para Entrevistas investigação de RAM Nome do paciente: Nome do entrevistador: Data: / / A. Medicamentos que utiliza Nome fármaco Nome comercial dose Via administração Data início Data fim

Leia mais

Terapia medicamentosa

Terapia medicamentosa www.printo.it/pediatric-rheumatology/pt/intro Terapia medicamentosa Versão de 2016 13. Medicamentos biológicos Nos últimos anos foram introduzidas novas perspetivas terapêuticas com substâncias conhecidas

Leia mais

Imunossupressores e Agentes Biológicos

Imunossupressores e Agentes Biológicos Imunossupressores e Agentes Biológicos Histórico Início da década de 1960 Transplantes Prof. Herval de Lacerda Bonfante Departamento de Farmacologia Doenças autoimunes Neoplasias Imunossupressores Redução

Leia mais

Monitorização do Paciente em uso de Imunobiológicos. Copyright AMBULATÓRIO DE PSORÍASE MARCELO ARNONE AMBULATÓRIO DE PSORÍASE

Monitorização do Paciente em uso de Imunobiológicos. Copyright AMBULATÓRIO DE PSORÍASE MARCELO ARNONE AMBULATÓRIO DE PSORÍASE Monitorização do Paciente em uso de Imunobiológicos MARCELO ARNONE AMBULATÓRIO DE PSORÍASE HOSPITAL MARCELO DAS CLÍNICAS ARNONE FMUSP AMBULATÓRIO DE PSORÍASE HOSPITAL DAS CLÍNICAS FMUSP Moduladores de

Leia mais

21/08/14. Farmacologia da Inflamação Drogas Modificadoras de Doença. Ciclo de Atualização em Farmacologia. DMARDs

21/08/14. Farmacologia da Inflamação Drogas Modificadoras de Doença. Ciclo de Atualização em Farmacologia. DMARDs Ciclo de Atualização em Farmacologia Farmacologia da Inflamação Drogas Modificadoras de Doença Drogas Modificadoras de Doença - DMARDs @ Diasese-modifying antirheumatoid drugs; @ Suprimem em parte ou totalmente

Leia mais

Coordenador Nacional do NEDAI (que reviu o Texto): Dr. Luís Campos

Coordenador Nacional do NEDAI (que reviu o Texto): Dr. Luís Campos Elaborado por Dr. João Matos Costa e Dr.ª Inês Aguiar Câmara (Hospital Distrital de Santarém) para o NEDAI (Núcleo de Estudos de Doenças Auto-Imunes) da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna (SPMI).

Leia mais

Os grupos de risco que constam da Norma nº 009/2015 de 01/06/2015, são agora atualizados (Quadro I), ficando a Norma n.º 009/2015 revogada.

Os grupos de risco que constam da Norma nº 009/2015 de 01/06/2015, são agora atualizados (Quadro I), ficando a Norma n.º 009/2015 revogada. NÚMERO: 011/2015 DATA: 23/06/2015 ASSUNTO: PALAVRAS-CHAVE: PARA: CONTACTOS: Vacinação contra infeções por Streptococcus pneumoniae de grupos com risco acrescido para doença invasiva pneumocócica (DIP).

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DO ESTADO DA SAÚDE DIRETORIA DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA - DAF

ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DO ESTADO DA SAÚDE DIRETORIA DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA - DAF Termo de Esclarecimento e Responsabilidade Naproxeno, Cloroquina, Hidroxicloroquina, Sulfassalazina, Metotrexato, Azatioprina, Ciclosporina, Leflunomida, Metilprednisolona, Adalimumabe, Certolizumabe Pegol,

Leia mais

O SISTEMA IMUNOLÓGICO

O SISTEMA IMUNOLÓGICO Dr. Ricardo Bigni O SISTEMA IMUNOLÓGICO TRÊS NÍVEIS DE DEFESA PELE E MUCOSAS A IMUNIDADE INATA A IMUNIDADE ADQUIRIDA O SISTEMA IMUNOLÓGICO A RESPOSTA INATA TRÊS NÍVEIS DE DEFESA A RESPOSTA ADQUIRIDA BARREIRAS

Leia mais

Caso Clínico Mariana Sponholz Araujo Grupo de Doenças Intersticiais Pulmonares Divisão de Pneumologia - InCor Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Caso Clínico Masculino, 59 anos Dispnéia

Leia mais

HUMIRA (ADALIMUMABE) PARA ARTRITE REUMATOIDE

HUMIRA (ADALIMUMABE) PARA ARTRITE REUMATOIDE NOTA TÉCNICA 06/2014 HUMIRA (ADALIMUMABE) PARA ARTRITE REUMATOIDE Data: 19/01/2014 Medicamento x Material Procedimento Cobertura Solicitante: Des. Raimundo Messias Número do processo: 1.0024.06.994853-7/001

Leia mais

De acordo com a idade e com os esquemas recomendados, as crianças e jovens de risco para DIP serão vacinados com:

De acordo com a idade e com os esquemas recomendados, as crianças e jovens de risco para DIP serão vacinados com: NÚMERO: 0/05 DATA: /06/05 ASSUNTO: PALAVRAS-CHAVE: PARA: CONTACTOS: Vacinação contra infeções por Streptococcus pneumoniae de grupos com risco acrescido para doença invasiva pneumocócica (DIP). Idade pediátrica

Leia mais

Tuberculose e imunobiológicos. Cláudia Henrique da Costa Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Tuberculose e imunobiológicos. Cláudia Henrique da Costa Universidade do Estado do Rio de Janeiro Tuberculose e imunobiológicos Cláudia Henrique da Costa Universidade do Estado do Rio de Janeiro Mycobacterium tuberculosis Mycobacterium tuberculosis 10 micrômetros. Domina o mundo Dois bilhões de pessoas

Leia mais

TERMO DE ESCLARECIMENTO E RESPONSABILIDADE

TERMO DE ESCLARECIMENTO E RESPONSABILIDADE TERMO DE ESCLARECIMENTO E RESPONSABILIDADE NAPROXENO, CLOROQUINA, HIDROXICLOROQUINA, SULFASSALAZINA, METOTREXATO, AZATIOPRINA, CICLOSPORINA, LEFLUNOMIDA, METILPREDNISOLONA, ADALIMUMABE, CERTOLIZUMABE PEGOL,

Leia mais

Forum de Debates INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA EM. Rui Toledo Barros Nefrologia - HCFMUSP rbarros@usp.br

Forum de Debates INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA EM. Rui Toledo Barros Nefrologia - HCFMUSP rbarros@usp.br Forum de Debates Sociedade Paulista de Reumatologia INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA EM PACIENTE COM LES Rui Toledo Barros Nefrologia - HCFMUSP rbarros@usp.br Resumo do Caso Feminino, i 43 anos diagnóstico prévio

Leia mais

Algoritmo de investigação Alterações do leucograma

Algoritmo de investigação Alterações do leucograma 2013 26 de Abril Sexta-feira Algoritmo de investigação Lígia Peixoto Manuel Ferreira Gomes Teste simples e barato. Consiste no estudo da série branca, efectuando-se uma contagem total Intervalos dos leucócitos

Leia mais

SÍNDROME DE HIPER-IgM

SÍNDROME DE HIPER-IgM SÍNDROME DE HIPER-IgM Esta brochura é para ser usada pelos pacientes e pelas suas famílias e não deve substituir o aconselhamento de um imunologista clínico. 1 Também disponível: AGAMAGLOBULINEMIA LIGADA

Leia mais

04/06/2012. Sem conflito de interesses. Utilização de imunossupressores e agentes biológicos nas pneumopatias intersticiais associadas às colagenoses.

04/06/2012. Sem conflito de interesses. Utilização de imunossupressores e agentes biológicos nas pneumopatias intersticiais associadas às colagenoses. Utilização de imunossupressores e agentes biológicos nas pneumopatias intersticiais associadas às colagenoses. Ronaldo A. Kairalla Disciplina de Pneumologia - InCor Faculdade de Medicina da Universidade

Leia mais

17/03/2011. Marcos K. Fleury Laboratório de Hemoglobinas Faculdade de Farmácia - UFRJ mkfleury@ufrj.br

17/03/2011. Marcos K. Fleury Laboratório de Hemoglobinas Faculdade de Farmácia - UFRJ mkfleury@ufrj.br Marcos K. Fleury Laboratório de Hemoglobinas Faculdade de Farmácia - UFRJ mkfleury@ufrj.br São doenças causadas pela proliferação descontrolada de células hematológicas malignas ou incapacidade da medula

Leia mais

HEMORIO INSTITUTO ESTADUAL DE HEMATOLOGIA ARTHUR DE SIQUEIRA CAVALCANTI

HEMORIO INSTITUTO ESTADUAL DE HEMATOLOGIA ARTHUR DE SIQUEIRA CAVALCANTI MANUAL DO PACIENTE - LEUCEMIA LINFOCÍTICA CRÔNICA EDIÇÃO REVISADA 02/2004 HEMORIO INSTITUTO ESTADUAL DE HEMATOLOGIA ARTHUR DE SIQUEIRA CAVALCANTI Este manual tem como objetivo fornecer informações aos

Leia mais

Trabalho de farmaco economia em Drogas Biológicas

Trabalho de farmaco economia em Drogas Biológicas Unidade de Estudos de Procedimentos de Alta Complexidade UEPAC Dra. Claudia Cantanheda Dr. Vitor André Romão Dr. José Geraldo Amino Enfª. Quenia Dias Hugo Simas Trabalho de farmaco economia em Drogas Biológicas

Leia mais

Informação de Segurança Importante

Informação de Segurança Importante HUMIRA (Adalimumab) Informação de Segurança Importante Esta informação destina-se a: Reumatologistas, Gastrenterologistas, Dermatologistas, Pediatras e Internistas que acompanham as indicações do medicamento

Leia mais

Bristol-Myers Squibb Farmacêutica S.A. APRESENTAÇÃO

Bristol-Myers Squibb Farmacêutica S.A. APRESENTAÇÃO APRESENTAÇÃO - Seringa preenchida com dispositivo BD UltraSafe Passive* e extensores de apoio ORENCIA solução injetável para administração subcutânea é apresentado em seringas preenchidas com dispositivo

Leia mais

RESPOSTA IMUNE AOS MICRORGANISMOS. Prof. Aline Aguiar de Araujo

RESPOSTA IMUNE AOS MICRORGANISMOS. Prof. Aline Aguiar de Araujo RESPOSTA IMUNE AOS MICRORGANISMOS Prof. Aline Aguiar de Araujo INTRODUÇÃO Número de indivíduos expostos à infecção é bem superior ao dos que apresentam doença, indicando que a maioria das pessoas tem condições

Leia mais

Contagem total de leucócitos Contagem diferencial e absoluta Neutrófilos Linfócitos Monócitos Eosinófilos Basófilos Achados de esfregaço sanguíneo

Contagem total de leucócitos Contagem diferencial e absoluta Neutrófilos Linfócitos Monócitos Eosinófilos Basófilos Achados de esfregaço sanguíneo Contagem total de leucócitos Contagem diferencial e absoluta Neutrófilos Linfócitos Monócitos Eosinófilos Basófilos Achados de esfregaço sanguíneo Contagem total de leucócitos Contagem diferencial e absoluta

Leia mais

Patologia Geral AIDS

Patologia Geral AIDS Patologia Geral AIDS Carlos Castilho de Barros Augusto Schneider http://wp.ufpel.edu.br/patogeralnutricao/ SÍNDROME DA IMUNODEFICIÊNCIA ADQUIRIDA (AIDS ou SIDA) Doença causada pela infecção com o vírus

Leia mais

BULA DE ORENCIA PÓ LIOFILIZADO PARA INFUSÃO IV

BULA DE ORENCIA PÓ LIOFILIZADO PARA INFUSÃO IV BRISTOL-MYERS SQUIBB ORENCIA abatacepte USO INTRAVENOSO APRESENTAÇÃO BULA DE ORENCIA PÓ LIOFILIZADO PARA INFUSÃO IV Bristol-Myers Squibb ORENCIA pó liofilizado para infusão IV é apresentado em frasco-ampola

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO EMENTAS DISCIPLINAS MATRIZ 3 1º AO 3º PERÍODO 1 º Período C.H. Teórica: 90 C.H. Prática: 90 C.H. Total: 180 Créditos: 10

Leia mais

Saiba mais sobre... Fármacos biotecnológicos

Saiba mais sobre... Fármacos biotecnológicos Saiba mais sobre... Fármacos biotecnológicos Catarina Ambrósio Anabela Barcelos Hospital Infante D. Pedro E.P.E. Avenida Artur Ravara 3814-501 Aveiro Telefone: (+351) 234 378 300 Fax: (+351) 234 378 395

Leia mais

A Introdução dos Biológicos no Tratamento da Psoríase: experiência da Enfermagem em um Centro de Infusões

A Introdução dos Biológicos no Tratamento da Psoríase: experiência da Enfermagem em um Centro de Infusões A Introdução dos Biológicos no Tratamento da Psoríase: experiência da Enfermagem em um Centro de Infusões Enfª Resp. Téc. Ana Cristina de Almeida CIP-Centro de Infusões Pacaembú Agente Biológicos Os biológicos

Leia mais

Cloroquina, Hidroxicloroquina, Sulfassalazina, Metotrexato, Ciclosporina,Leflunomida, Agentes anti-citocinas

Cloroquina, Hidroxicloroquina, Sulfassalazina, Metotrexato, Ciclosporina,Leflunomida, Agentes anti-citocinas Termo de Esclarecimento e Responsabilidade Cloroquina, Hidroxicloroquina, Sulfassalazina, Metotrexato, Ciclosporina,Leflunomida, Agentes anti-citocinas Eu, (nome do (a) paciente), abaixo identificado (a)

Leia mais

Bristol-Myers Squibb Farmacêutica LTDA. Ministério da Saúde APRESENTAÇÃO

Bristol-Myers Squibb Farmacêutica LTDA. Ministério da Saúde APRESENTAÇÃO Ministério da Saúde APRESENTAÇÃO ORENCIA pó liofilizado para infusão IV é apresentado em frasco-ampola de uso único embalado individualmente, com uma seringa descartável sem silicone. O produto está disponível

Leia mais

Profissional de Saúde. Perguntas Frequentes

Profissional de Saúde. Perguntas Frequentes Profissional de Saúde Perguntas Frequentes Índice Qual o objetivo deste livreto? O que eu devo saber sobre ipilimumabe? O que eu devo saber sobre reações adversas importantes? O que eu devo discutir com

Leia mais

APRESENTAÇÃO Solução injetável de 50 mg/0,5 ml de golimumabe, em embalagem com 1 caneta aplicadora.

APRESENTAÇÃO Solução injetável de 50 mg/0,5 ml de golimumabe, em embalagem com 1 caneta aplicadora. IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO SIMPONI golimumabe APRESENTAÇÃO Solução injetável de 50 mg/0,5 ml de golimumabe, em embalagem com 1 caneta aplicadora. USO SUBCUTÂNEO USO ADULTO COMPOSIÇÃO Cada caneta aplicadora

Leia mais

ANEXO I RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

ANEXO I RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO ANEXO I RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO 1 1. NOME DO MEDICAMENTO Remicade 100 mg pó para concentrado para solução para perfusão. 2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA Cada frasco para injetáveis

Leia mais

Imunidade aos microorganismos

Imunidade aos microorganismos Imunidade aos microorganismos Características da resposta do sistema imune a diferentes microorganismos e mecanismos de escape Eventos durante a infecção: entrada do MO, invasão e colonização dos tecidos

Leia mais

DOENÇA INFLAMATÓRIA INTESTINAL. Profª. Thais de A. Almeida Aula 21/05/13

DOENÇA INFLAMATÓRIA INTESTINAL. Profª. Thais de A. Almeida Aula 21/05/13 DOENÇA INFLAMATÓRIA INTESTINAL Profª. Thais de A. Almeida Aula 21/05/13 Doença Inflamatória Intestinal Acometimento inflamatório crônico do TGI. Mulheres > homens. Pacientes jovens (± 20 anos). Doença

Leia mais

Aparelho Gastrointestinal Dor Abdominal Aguda

Aparelho Gastrointestinal Dor Abdominal Aguda Aparelho Gastrointestinal Dor Abdominal Aguda Dor abdominal Difusa Localizada Abdome agudo Sem abdome agudo Exames específicos Tratamento específico Estabilizar paciente (vide algoritmo específico) Suspeita

Leia mais

Cópia dos exames: VHS, PCR, hemograma, plaquetas, ALT, AST e creatinina. Cópia do exame de imagem das áreas afetadas pela doença.

Cópia dos exames: VHS, PCR, hemograma, plaquetas, ALT, AST e creatinina. Cópia do exame de imagem das áreas afetadas pela doença. ARTRITE REUMATOIDE Portaria SAS/MS n 710 27/06/2013 Medicamento NAPROXENO SULFASSALAZINA CID 10 M05.0, M05.3, M05.8, M06.0, M06.8, M08.0 Apresentação 500mg (comprimido) 500mg (comprimido) Presc. Máxima

Leia mais

Corticóides na Reumatologia

Corticóides na Reumatologia Corticóides na Reumatologia Corticóides (CE) são hormônios esteróides produzidos no córtex (área mais externa) das glândulas suprarrenais que são dois pequenos órgãos localizados acima dos rins. São produzidos

Leia mais

Mielite Transversa: Sintomas, Causas e Diagnóstico

Mielite Transversa: Sintomas, Causas e Diagnóstico Mielite Transversa: Sintomas, Causas e Diagnóstico Joanne Lynn, M.D. (Médica) A Mielite Transversa (MT) é uma síndrome neurológica causada por uma inflamação na medula espinhal. Ela é incomum, mas não

Leia mais

04/06/2015. Imunologia dos Transplantes. Bases imunológicas da rejeição do enxerto

04/06/2015. Imunologia dos Transplantes. Bases imunológicas da rejeição do enxerto Imunologia dos Transplantes Dayse Locateli Transplante: ato de transferir células, tecidos ou órgãos de um lugar para outro. Indivíduo doador Receptor Dificuldades: Técnicas Cirúrgicas Quantidade de doadores

Leia mais

FRADEMICINA cloridrato de lincomicina

FRADEMICINA cloridrato de lincomicina FRADEMICINA cloridrato de lincomicina I IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome comercial: Frademicina Nome genérico: cloridrato de lincomicina APRESENTAÇÕES Frademicina solução injetável de 300 mg (300 mg/ml)

Leia mais

ASALIT (mesalazina) Merck S/A Supositórios 250 mg

ASALIT (mesalazina) Merck S/A Supositórios 250 mg ASALIT (mesalazina) Merck S/A Supositórios 250 mg Asalit mesalazina APRESENTAÇÕES Supositórios - Embalagem contendo 10 supositórios de 250 mg. USO RETAL USO ADULTO COMPOSIÇÃO Cada supositório contém: mesalazina...

Leia mais

A investigação da dor no paciente idoso e ardência bucal. Paulo Pimentel

A investigação da dor no paciente idoso e ardência bucal. Paulo Pimentel A investigação da dor no paciente idoso e ardência bucal Paulo Pimentel Sistema Estomatognático Mastigação, fala, digestão e deglutição Paladar, respiração Defesa e reconhecimento imunológico Estética,

Leia mais

03/07/2012. Mauro Gomes. Mauro Gomes. Mauro Gomes

03/07/2012. Mauro Gomes. Mauro Gomes. Mauro Gomes Início agudo Febre alta Dor pleurítica Tosse com expectoração purulenta EF: consolidação pulmonar Leucocitose com desvio à esquerda 1 semana de antibiótico Início lento Síndrome consumptiva Febre vespertina

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, Interino, no uso de suas atribuições, resolve:

O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, Interino, no uso de suas atribuições, resolve: PORTARIA Nº 486, DE 16 DE MAIO DE 2.000 O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, Interino, no uso de suas atribuições, resolve: Art. 1º - Expedir a edição revisada e atualizada das orientações e critérios relativos

Leia mais

Hemoglobina / Glóbulos Vermelhos são as células responsáveis por carregar o oxigênio para todos os tecidos.

Hemoglobina / Glóbulos Vermelhos são as células responsáveis por carregar o oxigênio para todos os tecidos. Doenças Hematológicas Hematologia é o ramo da medicina que estuda o sangue, seus distúrbios e doenças, dentre elas anemias, linfomas e leucemias. Estuda os linfonodos (gânglios) e sistema linfático; a

Leia mais

ALTERAÇÕES LEUCOCITÁRIAS E SUAS RELAÇÕES COM PATOLOGIAS.

ALTERAÇÕES LEUCOCITÁRIAS E SUAS RELAÇÕES COM PATOLOGIAS. ALTERAÇÕES LEUCOCITÁRIAS E SUAS RELAÇÕES COM PATOLOGIAS. PARA QUE SERVE? E COMO SE INTERPRETA? NEUTRÓFILOS COM VACÚOLOS Intoxicação por benzeno Terapia com fator estimulante de células (GSF) Anomalia de

Leia mais

O pulmão na Artrite Reumatoide

O pulmão na Artrite Reumatoide O pulmão na Artrite Reumatoide Dr. Alexandre de Melo Kawassaki Grupo de Doenças Intersticiais Pulmonares, InCor HC-FMUSP Pneumologista do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo - ICESP e do Hospital

Leia mais

Atualização do Congresso Americano de Oncologia 2014. Fabio Kater

Atualização do Congresso Americano de Oncologia 2014. Fabio Kater Atualização do Congresso Americano de Oncologia 2014 Fabio Kater Multivitaminas na prevenção do câncer de mama, próstata e pulmão: caso fechado! Revisão da literatura para tipos específicos de câncer

Leia mais

LEUCEMIAS. Profª Ms. Priscila Ferreira Silva prifs@hotmail.com

LEUCEMIAS. Profª Ms. Priscila Ferreira Silva prifs@hotmail.com LEUCEMIAS Profª Ms. Priscila Ferreira Silva prifs@hotmail.com HEMATOPOESE LEUCEMIAS Alteração genética monoclonal Classificadas em: Agudas Crônicas Mielóides Linfóides LEUCEMIAS Leucemias agudas: Leucemia

Leia mais

Artrite Idiopática Juvenil

Artrite Idiopática Juvenil Artrite Idiopática Juvenil CRIAÇÃO E DESENVOLVIMENTO: CREDITO IMAGEM DA CAPA: http://www.purdue.edu/newsroom/ EDITORAÇÃO: Rian Narcizo Mariano PRODUÇÃO: www.letracapital.com.br Copyright SBR-, 2011 O conteúdo

Leia mais

DOENÇAS INFECCIOSAS DO CORAÇÃO

DOENÇAS INFECCIOSAS DO CORAÇÃO UNESC ENFERMAGEM SAÚDE DO ADULTO PROFª: : FLÁVIA NUNES DOENÇAS INFECCIOSAS DO CORAÇÃO ENDOCARDITE REUMÁTICA O desenvolvimento da endocardite reumática é atribuído diretamente à febre reumática, uma doença

Leia mais

Profissional. de Saúde. Guia contendo. questões. frequentes

Profissional. de Saúde. Guia contendo. questões. frequentes Este medicamento está sujeito a monitorização adicional. Pede-se aos profi ssionais de saúde que notifi quem quaisquer suspeitas de reações adversas através do sistema nacional de notifi cação. concentrado

Leia mais

Abbott Laboratórios do Brasil Ltda Rua Michigan 735, Brooklin São Paulo - SP CEP: 04566-905 HUMIRA. (adalimumabe)

Abbott Laboratórios do Brasil Ltda Rua Michigan 735, Brooklin São Paulo - SP CEP: 04566-905 HUMIRA. (adalimumabe) HUMIRA (adalimumabe) ABBOTT LABORATÓRIOS DO BRASIL LTDA SOLUÇÃO INJETÁVEL 40 MG/ML MODELO DE BULA PARA O PACIENTE (VENDA AO COMÉRCIO) I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO: HUMIRA adalimumabe APRESENTAÇÕES HUMIRA

Leia mais

ANEXO I RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

ANEXO I RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO ANEXO I RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO 1 1. NOME DO MEDICAMENTO Enbrel 25 mg pó e solvente para solução injetável 2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA Cada frasco para injetáveis contém

Leia mais

I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO:

I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO: MODELO DE BULA PARA O PACIENTE (VENDA AO COMÉRCIO) I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO: HUMIRA adalimumabe APRESENTAÇÕES HUMIRA (adalimumabe) solução injetável: - 40 mg em seringa com 0,8 ml de dose única

Leia mais

REUMATOLOGIA. GUIA DE IMUNIZAÇÃO SBIm/SBR 2014/15

REUMATOLOGIA. GUIA DE IMUNIZAÇÃO SBIm/SBR 2014/15 REUMATOLOGIA GUIA DE IMUNIZAÇÃO SBIm/SBR 2014/15 Guia de Imunização SBIm/SBR Reumatologia Coordenação Gecilmara Salviato Pileggi, SP Comissão de Doenças Endêmicas e Infecciosas Sociedade Brasileira de

Leia mais

LINCOFLAN. Bunker Indústria Farmacêutica Ltda Solução Injetável 300MG/ML

LINCOFLAN. Bunker Indústria Farmacêutica Ltda Solução Injetável 300MG/ML LINCOFLAN Bunker Indústria Farmacêutica Ltda Solução Injetável 300MG/ML Lincoflan cloridrato de lincomicina APRESENTAÇÕES Solução injetável de 300 mg (300 mg/ml): embalagem contendo uma ampola com 1 ml.

Leia mais

Caso Clínico. Emanuela Bezerra - S5 28/04/2014

Caso Clínico. Emanuela Bezerra - S5 28/04/2014 Caso Clínico Emanuela Bezerra - S5 28/04/2014 IDENTIFICAÇÃO: M.P.B.S, sexo feminino, 27 anos, solteira, procedente de Nova Olinda-CE, Q.P.: " pele amarelada e com manchas vermelhas" HDA: Paciente relata

Leia mais

Data: 17/05/2013. NTRR 74/ 2013 a. Medicamento x Material Procedimento Cobertura

Data: 17/05/2013. NTRR 74/ 2013 a. Medicamento x Material Procedimento Cobertura NTRR 74/ 2013 a Solicitante: Juiza de Direito Herilene de Oliveira Andrade Itapecerica Número do processo: 335.13.910-3 Data: 17/05/2013 Medicamento x Material Procedimento Cobertura Réu: Município de

Leia mais

ATLAS VIRTUAL DE LEUCÓCITOS

ATLAS VIRTUAL DE LEUCÓCITOS ATLAS VIRTUAL DE LEUCÓCITOS (2013) ALTERAÇÕES LEUCOCITÁRIAS E SUAS RELAÇÕES COM PATOLOGIAS. PARA QUE SERVE? E COMO SE INTERPRETA? Prof.Dr. Paulo Cesar Naoum Academia de Ciência e Tecnologia de São José

Leia mais

Chat com a Dra. Ana Clara Dia 13 de novembro de 2014

Chat com a Dra. Ana Clara Dia 13 de novembro de 2014 Chat com a Dra. Ana Clara Dia 13 de novembro de 2014 Tema: O que sabemos sobre PTI (Púrpura Trombocitopênica Idiopática)? Total atingido de pessoas na sala: 29 usuários Limite permitido na sala: 40 usuários

Leia mais

ANEXO. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Para candidatos que desejam entrar na 4ª etapa do curso

ANEXO. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Para candidatos que desejam entrar na 4ª etapa do curso ANEXO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Para candidatos que desejam entrar na 4ª etapa do curso Células e Tecidos do Sistema Imune Anatomia do sistema linfático Inflamação aguda e crônica Mecanismos de agressão por

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO POP - SCIH 09 Página 1/8 PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO MEAC Tarefa: Selecionar o tipo de precaução a ser adotada, segundo tipo de condição clínica, infecção e microorganismo Executante: Profissionais

Leia mais

DIAGNÓSTICO DAS LOMBALGIAS. Luiza Helena Ribeiro Disciplina de Reumatologia UNIFESP- EPM

DIAGNÓSTICO DAS LOMBALGIAS. Luiza Helena Ribeiro Disciplina de Reumatologia UNIFESP- EPM DIAGNÓSTICO DAS LOMBALGIAS Luiza Helena Ribeiro Disciplina de Reumatologia UNIFESP- EPM LOMBALGIA EPIDEMIOLOGIA 65-80% da população, em alguma fase da vida, terá dor nas costas. 30-50% das queixas reumáticas

Leia mais

Novos conceitos no manejo da artrite reumatoide: amplo controle

Novos conceitos no manejo da artrite reumatoide: amplo controle Novos conceitos no manejo da artrite reumatoide: amplo controle Claiton Viegas Brenol, MD, PhD Professor Adjunto do Departamento de Medicina Interna FAMED UFRGS - Serviço de Reumatologia - Hospital de

Leia mais

INDICADORAS DE INFECÇÃO PELO HIV/AIDS DETECÇÃO TARDIA: A DOENÇA JÁ COMEÇOU

INDICADORAS DE INFECÇÃO PELO HIV/AIDS DETECÇÃO TARDIA: A DOENÇA JÁ COMEÇOU DOENÇAS INDICADORAS DE INFECÇÃO PELO HIV/AIDS DETECÇÃO TARDIA: A DOENÇA JÁ COMEÇOU Doenças indicativas de infecção Síndrome retroviral aguda Febre prolongada Diarréia crônica pelo HIV / AIDS Infecções

Leia mais

DEFINIÇÃO. quantidade de plaquetas.

DEFINIÇÃO. quantidade de plaquetas. HEMOGRAMA DEFINIÇÃO É o exame mais requisitado pela medicina e nele analisa-se as células sanguíneas. É comum você pegar um laudo dividido em três partes:eritrograma, parte que analisa as células vermelhas

Leia mais

HEPATITE C PCR Qualitativo, Quantitativo e Genotipagem

HEPATITE C PCR Qualitativo, Quantitativo e Genotipagem HEPATITE C PCR Qualitativo, Quantitativo e Genotipagem O Vírus da Hepatite C (HCV) é considerado o principal agente etiológico responsável por 90 a 95% dos casos de hepatite pós-transfusional não A e não

Leia mais

Disfunção plaquetária em situações especiais

Disfunção plaquetária em situações especiais Disfunção plaquetária em situações especiais Fernanda Andrade Orsi Médica Hematologista do Serviço de Hemostasia do Hemocentro de Campinas - UNICAMP Atividade plaquetária Exposição do colágeno subendotelial

Leia mais

Conceito. Autoimunidade é uma resposta imune específica contra um antígeno ou uma

Conceito. Autoimunidade é uma resposta imune específica contra um antígeno ou uma AUTOIMUNIDADE Conceito Autoimunidade é uma resposta imune específica contra um antígeno ou uma série de antígenos próprios Doença Autoimune é uma síndrome provocada por lesão tissular ou alteração funcional

Leia mais

Imunidade Adaptativa Humoral

Imunidade Adaptativa Humoral Imunidade Adaptativa Humoral Daiani Cristina Ciliao Alves Taise Natali Landgraf Imunidade Adaptativa Humoral 1) Anticorpos: Estrutura Localização 2) Maturação de célula B: Interação dependente de célula

Leia mais

AIDS PERINATAL. Licia Moreira UFBA

AIDS PERINATAL. Licia Moreira UFBA Licia Moreira UFBA Definição de AIDS na CRIANÇA Toda criança com menos de 13 anos com evidência laboratorial de infecção Uma amostra de soro repetidamente positiva em teste como ELISA, IFI (pesquisa de

Leia mais

preenchido. Presc. Máxima mensal 372 comprimidos 60 comprimidos,

preenchido. Presc. Máxima mensal 372 comprimidos 60 comprimidos, ESPONDILITE ANCILOSANTE Portaria SAS/MS n 640 24/07/2014 Medicamento SULFASSALAZINA METOTREXATO NAPROXENO CID 10 M45, M46.8 M45, M46.8 Apresentação 500mg (comprimido) 2,5mg (comprimido)e 500mg (comprimido)

Leia mais

INFLAMAÇÃO. Processos Imunológicos e Patológicos PROCESSO INFLAMATÓRIO UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE BIOMEDICINA

INFLAMAÇÃO. Processos Imunológicos e Patológicos PROCESSO INFLAMATÓRIO UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE BIOMEDICINA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE BIOMEDICINA Processos Imunológicos e Patológicos INFLAMAÇÃO Prof.: Hermínio M. da R.Sobrinho PROCESSO INFLAMATÓRIO A inflamação constitui uma resposta imune

Leia mais

Sistema Respiratório. Afecções das vias aéreas inferiores. Profa. Dra. Rosângela de Oliveira Alves Carvalho

Sistema Respiratório. Afecções das vias aéreas inferiores. Profa. Dra. Rosângela de Oliveira Alves Carvalho Sistema Respiratório Afecções das vias aéreas inferiores Profa. Dra. Rosângela de Oliveira Alves Carvalho Pneumonia Bronquite Broncopneumonia Pneumonia Intersticial Pneumonia Lobar EBologia Agentes Infecciosos

Leia mais

Esclerose Sistêmica. Conteúdo. Definição. Definição UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO CURSO DE FISIOTERAPIA. acdffisio@gmail.com

Esclerose Sistêmica. Conteúdo. Definição. Definição UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO CURSO DE FISIOTERAPIA. acdffisio@gmail.com UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO CURSO DE FISIOTERAPIA Esclerose Sistêmica Disciplina Fisioterapia em Reumatologia acdffisio@gmail.com Definição Classificação Epidemiologia Fisiopatologia Diagnóstico Quadro

Leia mais

INFECÇÃO VIH/SIDA. Francisco Antunes

INFECÇÃO VIH/SIDA. Francisco Antunes INFECÇÃO VIH/SIDA Francisco Antunes Professor Catedrático da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa e Director do Serviço de Doenças Infecciosas do Hospital de Santa Maria Disciplina de Doenças

Leia mais

Benefícios da vacinação em pacientes autoimunes. Reumato. Gastro. Derma Pneumo Neuro. Entrevista. Psoríase. Paciente em foco. Gastro.

Benefícios da vacinação em pacientes autoimunes. Reumato. Gastro. Derma Pneumo Neuro. Entrevista. Psoríase. Paciente em foco. Gastro. Reumato Gastro Derma Pneumo Neuro março/agosto 2016 Ano 1 nº 1 Benefícios da vacinação em pacientes autoimunes Entrevista Psoríase Gastro Paciente em foco A reumatologista Lícia da Mota critica o lento

Leia mais

ALENIA Fumarato de Formoterol/Budesonida 6/100mcg e 6/200mcg Cápsulas FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES - ALENIA

ALENIA Fumarato de Formoterol/Budesonida 6/100mcg e 6/200mcg Cápsulas FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES - ALENIA ALENIA Fumarato de Formoterol/Budesonida 6/100mcg e 6/200mcg Cápsulas FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES - ALENIA Embalagem contendo 60 cápsulas de ALENIA (fumarato de formoterol/budesonida) 6/100 mcg

Leia mais

18/9/2014 CONCEITO FISIOPATOLOGIA FISIOPATOLOGIA MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS

18/9/2014 CONCEITO FISIOPATOLOGIA FISIOPATOLOGIA MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS UNESC - ENFERMAGEM SAÚDE DO ADULTO PROFª: FLÁVIA NUNES LUPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO CONCEITO O Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES) é uma doença crônica de causa desconhecida, onde acontecem alterações fundamentais

Leia mais

www.pediatric-rheumathology.printo.it VASCULITES SISTÊMICAS RARAS PRIMÁRIAS

www.pediatric-rheumathology.printo.it VASCULITES SISTÊMICAS RARAS PRIMÁRIAS www.pediatric-rheumathology.printo.it VASCULITES SISTÊMICAS RARAS PRIMÁRIAS O que significam? Vasculite significa inflamação de vasos sanguíneos. As Vasculites abrangem um grande grupo de doenças. Vasculite

Leia mais

Patologia por imagem Abdome. ProfºClaudio Souza

Patologia por imagem Abdome. ProfºClaudio Souza Patologia por imagem Abdome ProfºClaudio Souza Esplenomegalia Esplenomegalia ou megalosplenia é o aumento do volume do baço. O baço possui duas polpas que são constituídas por tecido mole, polpa branca

Leia mais

Código: ENFDIG Disciplina: DIDÁTICA GERAL Fase: 5ª Grade curricular: 2000 Pré-requisitos: Psicologia da Educação DESCRIÇÃO DO PROGRAMA:

Código: ENFDIG Disciplina: DIDÁTICA GERAL Fase: 5ª Grade curricular: 2000 Pré-requisitos: Psicologia da Educação DESCRIÇÃO DO PROGRAMA: 21cir FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecimento: Portaria nº 604, de 31 de maio de 1995 E-mail: denf@unir.br Campus Porto Velho/RO. BR 364,

Leia mais

PROGRAMA PARA FORMAÇÃO DE CLÍNICOS

PROGRAMA PARA FORMAÇÃO DE CLÍNICOS A PROGRAMA BÁSICO TEÓRICO PROGRAMA PARA FORMAÇÃO DE CLÍNICOS Abdome agudo Abordagem neurológca da fraqueza AIDS (SIDA) Anemias Antibióticos Arritmias cardíacas Asma Auto-imunidade e doenças imunológicas

Leia mais

Vigilância Epidemiológica de Pneumonias no Brasil

Vigilância Epidemiológica de Pneumonias no Brasil Vigilância Epidemiológica de Pneumonias no Brasil COVER/CGDT/ DEVEP/SVS/MS São Paulo,, setembro de 2007 Classificações das Pneumonias Local de aquisição Tempo de evolução Tipo do comprometimento Comunitária

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde. O Secretário de Atenção à Saúde, no uso das atribuições,

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde. O Secretário de Atenção à Saúde, no uso das atribuições, Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA N o 710, de 27 de junho de 2013 Aprova o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas da Artrite Reumatoide. O Secretário de Atenção à Saúde, no

Leia mais

DOENÇAS DO SISTEMA MUSCULAR ESQUELÉTICO. Claudia de Lima Witzel

DOENÇAS DO SISTEMA MUSCULAR ESQUELÉTICO. Claudia de Lima Witzel DOENÇAS DO SISTEMA MUSCULAR ESQUELÉTICO Claudia de Lima Witzel SISTEMA MUSCULAR O tecido muscular é de origem mesodérmica (camada média, das três camadas germinativas primárias do embrião, da qual derivam

Leia mais

Rejeição de Transplantes Doenças Auto-Imunes

Rejeição de Transplantes Doenças Auto-Imunes Rejeição de Transplantes Doenças Auto-Imunes Mecanismos da rejeição de transplantes Envolve várias reações de hipersensibilidade, tanto humoral quanto celular Habilidade cirúrgica dominada para vários

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE AGRAVO DE NOTIFICAÇÃO DICIONÁRIO DE DADOS SINAN NET

SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE AGRAVO DE NOTIFICAÇÃO DICIONÁRIO DE DADOS SINAN NET MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA COORDENAÇÃO GERAL DE DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS GT SINAN SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE AGRAVO DE NOTIFICAÇÃO DICIONÁRIO

Leia mais

24 de Março Dia Mundial de Combate à Tuberculose Março de 2012

24 de Março Dia Mundial de Combate à Tuberculose Março de 2012 24 de Março Dia Mundial de Combate à Tuberculose Março de 2012 1) O que é Tuberculose? A tuberculose (TBC) é uma doença infecciosa provocada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis (e menos comumente

Leia mais

SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A

SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A número 15 - dezembro/2015 DECISÃO FINAL RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE Este relatório

Leia mais

AULAS TEÓRICAS SEMIOLOGIA MÉDICA GERAL I 5º PERÍODO 2009/2 DATA HORÁRIO ASSUNTO PROFESSORES

AULAS TEÓRICAS SEMIOLOGIA MÉDICA GERAL I 5º PERÍODO 2009/2 DATA HORÁRIO ASSUNTO PROFESSORES SEMIOLOGIA MÉDICA GERAL I 5º PERÍODO 2009/2 4 ago 11:00 ÀS 11:50 RELAÇÃO MÉDICO-PACIENTE E ÉTICA MÉDICA FLÁVIA MAGALHÃES 11 ago 11:00 ÀS 11:50 ANAMNESE FLÁVIA MAGALHÃES 18 ago 11:00 ÀS 11:50 SEMIOLOGIA

Leia mais

ANEXO PROTOCOLO CLÍNICO E DIRETRIZES TERAPÊUTICAS ARTRITE REUMATOIDE

ANEXO PROTOCOLO CLÍNICO E DIRETRIZES TERAPÊUTICAS ARTRITE REUMATOIDE ANEXO PROTOCOLO CLÍNICO E DIRETRIZES TERAPÊUTICAS ARTRITE REUMATOIDE 1 METODOLOGIA DE BUSCA E AVALIAÇÃO DE LIT E R AT U R A Em 20/11/2012, foram realizadas buscas nas bases de dados Medline/Pubmed, Embase

Leia mais

MESACOL. Takeda Pharma Ltda. Supositório. 250mg

MESACOL. Takeda Pharma Ltda. Supositório. 250mg MESACOL Takeda Pharma Ltda. Supositório 250mg BULA PARA PACIENTE RDC 47/2009 APRESENTAÇÕES Supositório 250mg. Embalagem com 10 unidades. USO ANORRETAL USO ADULTO COMPOSIÇÃO Cada supositório contém: Mesalazina

Leia mais

A hepatite aguda causa menos danos ao fígado que a hepatite crônica.

A hepatite aguda causa menos danos ao fígado que a hepatite crônica. Hepatites Virais O FÍGADO E SUAS FUNÇÕES. O fígado é o maior órgão do corpo humano, está localizado no lado superior direito do abdômen, protegido pelas costelas (gradio costal). É responsável por aproximadamente

Leia mais