A SUSTENTABILIDADE COMO ESTRATÉGIA DE COMUNICAÇÃO DIGITAL NA IMAGEM INSTITUCIONAL: análise comparativa de três instituições financeiras

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A SUSTENTABILIDADE COMO ESTRATÉGIA DE COMUNICAÇÃO DIGITAL NA IMAGEM INSTITUCIONAL: análise comparativa de três instituições financeiras"

Transcrição

1 0 A SUSTENTABILIDADE COMO ESTRATÉGIA DE COMUNICAÇÃO DIGITAL NA IMAGEM INSTITUCIONAL: análise comparativa de três instituições financeiras Orientando: Mariana Souza da Rocha Orientador: Cristóvão Domingos de Almeida

2 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA Mariana Souza da Rocha A SUSTENTABILIDADE COMO ESTRATÉGIA DE COMUNICAÇÃO DIGITAL NA IMAGEM INSTITUCIONAL: análise comparativa de três instituições financeiras São Borja/RS 2015

3 2 MARIANA SOUZA DA ROCHA A SUSTENTABILIDADE COMO ESTRATÉGIA DE COMUNICAÇÃO DIGITAL NA IMAGEM INSTITUCIONAL: análise comparativa de três instituições financeiras Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Curso de Relações Públicas da Universidade Federal do Pampa, como requisito parcial para obtenção do Título de Bacharel em comunicação. Orientador: Cristóvão Domingos de Almeida

4 3 MARIANA SOUZA DA ROCHA Trabalho de Conclusão de Curso defendido e aprovado em: 16/01/ 2014 Banca examinadora: Prof. Dr. Cristóvão Domingos de Almeida Orientador UNIPAMPA Prof. Dr.Carmen de Abreu UNIPAMPA Prof. Dr. Wesley Grijó UNIPAMPA

5 4

6 5 AGRADECIMENTOS Meus sinceros agradecimentos a todos os professores que estiveram presentes na minha formação acadêmica, contribuindo significativamente para o meu crescimento pessoal e profissional. Em especial, deixo meu Obrigado ao professor Orientador, Cristóvão Almeida, que por inúmeras vezes além de orientar teve o papel de amigo e conselheiro neste processo acadêmico, acreditando no meu potencial e encorajando-me a seguir em frente. Meus agradecimentos a minha família que orgulhosamente realizou o papel fundamental de apoio durante toda a minha trajetória acadêmica, esforçando-se para entender as práticas da minha futura profissão e mostrando interesse nas minhas atividades. Em especial, agradeço ao meu pai, Jefferson Marçal da Rocha que pacientemente apoiou todas as minhas escolhas e esteve presente ativamente em todas as etapas da minha vida. Para finalizar agradeço aos meus queridos e inseparáveis amigos que com base na parceria e irmandade fizeram destes anos inesquecíveis. OBRIGADO!

7 6 RESUMO A partir dos últimos anos do século XX a imagem institucional das organizações passaram, necessariamente, a estar ligada a políticas de sustentabilidade, isto porque a demanda por políticas sustentáveis passou a ser uma exigência da sociedade. Nisto, as instituições financeiras também tiveram que adotar medidas de divulgação de práticas sustentáveis, entre elas o Banco Itaú, o Banco do Brasil e Sicredi, instituições escolhidas como objeto deste trabalho, pois se considera que são instituições que valorizam sua imagem institucional. Este trabalho faz uma análise das postagens na rede social Facebook de temas relacionados a sustentabilidade destas três instituições financeiras, pois acredita-se que estas instituições valorizam sua imagem na web 2.0. O objetivo é verificar se as instituições possuem uma prática de divulgação de suas ações de responsabilidade socioambiental, e se seus clientes valorizam esta temática na rede social Facebook. A metodologia é qualitativa, e tratou-se de uma verificação realizada nas postagens das páginas do Facebook destas instituições de julho a dezembro de Os resultados indicam que há poucas postagens sobre as temáticas sustentabilidade e responsabilidade socioambiental nas instituições avaliadas. Percebeu-se também, pelos comentários e curtidas nas publicações, que o público de interesse não interage com o tema de forma significativa. Isso demonstra que para o mercado financeiro a sustentabilidade parece ser apenas um tema marginal do negócio. Palavras-Chave: imagem institucional, facebook, sustentabilidade, instituições financeiras, responsabilidade socioambiental.

8 7 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO SUSTENTABILIDADE NA IMAGEM INSTITUCIONAL : MARKETING VERDE COMO ESTRATÉGIA DE NEGÓCIO Imagem institucional como estratégia da comunicação organizacional Reputação empresarial e conquista dos Públicos Comunicação Digital, uma inovação necessária Responsabilidade Socioambiental nas organizações Marketing ambiental como estratégia de valoração das organizações A importância mercadológica das redes sociais INSTRUMENTOS DE INVESTIGAÇÃO ANÁLISE E DISCUSSÕES DOS RESULTADOS DA INVESTIGAÇÃO Banco Sicredi Banco do Brasil Banco Itaú Análise comparativa das publicações das instituições pesquisadas CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS Anexos... 40

9 8 1 INTRODUÇÃO A partir do desenvolvimento tecnológico e social do mundo atual muitos conceitos e práticas da vida humana se modificaram, bem como, tantas outras surgiram. Deste modo, o trabalho aqui apresentado tem como foco interligar duas funções entendidas como parte significativa deste processo de desenvolvimento, são elas: o marketing verde (sustentabilidade) e a comunicação via web. O marketing verde é um conceito que acompanhou a dinâmica capitalista de consumo onde tudo pode/deve ser vendido, neste caso, o marketing segue sua proposta de desenvolver estratégias de mercado que possam ser lucrativas considerando a preservação do meio ambiente. Isto é, a natureza, o mercado verde, acompanha o processo de capitalização podendo se tornar uma nova ferramenta de mercado (NASCIMENTO, 2008 e ROCHA, 2011). Considera-se que uma organização não precisaria diminuir seus lucros e ou competividade ao adotar práticas sustentáveis, pelo contrário, estratégias de economia de energia, de diminuição de resíduos entre outras, podem estar aliadas a melhoria da gestão organizacional e consequentemente dos lucros. Na mesma perspectiva de mudanças de comportamento, a internet esta disposta como ferramenta que modificou a comunicação em todos os processos relacionais, tanto interpessoais como em meios de comunicação. Tendo em vista esta mudança, as formas de consumo também mudaram, o consumidor modificou seus valores, anseios e necessidades (FÜHR, S/D). A lógica de mercado entende que o consumo só tem evolução se o indivíduo, como consumidor, também se adequar a essas modificações. Assim, entender como as organizações se modificaram e qual a importância destas alterações para o consumidor é também o direcionamento deste trabalho, que visa analisar as publicações referentes a sustentabilidade e gestão ambiental nas páginas de relacionamento (Facebook) de três instituições financeiras: Banco Itaú, Sicredi e Banco do Brasil, uma privada nacional, uma regional e uma instituição pública. Considera-se que a imagem empresarial, reflete-se na divulgação das preocupações organizacionais em todos os meios de comunicação, as práticas e

10 9 estratégias gerenciais devem estar dispostas para todos, tanto clientes como público em geral, isto faz parte da manutenção de sua imagem. Entende-se por imagem institucional a visão do público sobre a organização, isto é, o que a empresa divulga, e o que transparece ao consumidor. Assim, qualquer empresa que tem preocupações com o meio ambiente, e que percebe que estas podem alavancar os seus negócios, devem divulgar estas práticas na construção da imagem institucional. Salientando a todos os seus públicos que a visão da organização está relacionada à responsabilidade socioambiental. Nesta lógica, este trabalho tem como foco entender como o processo de divulgação da responsabilidade socioambiental interfere na imagem institucional das empresas pesquisadas. Os questionamentos teóricos consistem em compreender, via análise da página web de relacionamento Facebook, se as empresas utilizam o marketing verde para melhoramento da imagem institucional, e se a sustentabilidade é um fator de reconhecimento da marca perante o seu público (ARGENTI, 2006; CARVALHO, 2011). O trabalho está dividido em cinco tópicos, além desta introdução, são eles: sustentabilidade na imagem institucional, metodologia e instrumentos de pesquisa, análise dos resultados, considerações finais e o referencial teórico. No tópico dois constam as bases teóricas que sustentam as análises em que se basearam as investigações, neste, serão apresentados conceitos e discussões que nortearam este trabalho, como: imagem institucional, reputação empresarial, comunicação digital, responsabilidade socioambiental, marketing ambiental e a importância mercadológica das redes sociais. Os tópicos tem como foco as estratégias de imagem institucional como um dos principais bens intangíveis das organizações que fundamentam a abordagem teórica considerada nas análises realizadas na investigação; no item 3, aborda-se a metodologia e os instrumentos de investigação adotados na pesquisa, dando base cientifica para a aplicação da pesquisa; no item 4 consta a análise dos resultados da investigação, onde são exploradas as discussões e expostas as observações obtidas; o item 5 esta direcionado para as considerações finais, tornando visível os resultados e conceituando-os através de teorias e percepções do pesquisador da área de Relações Públicas, no 6 e último, contém a lista das referências bibliográficas utilizadas em todo o trabalho que deram base para a realização desta pesquisa.

11 10 2 SUSTENTABILIDADE NA IMAGEM INSTITUCIONAL : MARKETING VERDE COMO ESTRATÉGIA DE NEGÓCIO Neste tópico será abordado alguns temas considerados importantes para a análise realizada. Considera-se que a construção do marketing verde nas organizações incluem estes temas como principais elementos do negócio. 2.1 Imagem institucional como estratégia da comunicação organizacional As estratégias organizacionais são pautadas a partir dos setores administrativos, econômicos e comunicacionais. Deste modo, toda e qualquer decisão tomada pelas gerencias da organização devem acompanhar as dinâmicas e conceitos dos subsetores empresariais. Pode-se considerar que as estratégias de comunicação estão adjuntas ao plano administrativo da empresa de modo que sua importância e necessidade devem ser reconhecidas para o desenvolvimento geral da organização. A manutenção e construção da imagem institucional é uma estratégia de comunicação que abrange o setor de administração e economia da instituição, uma vez em que a construção e manutenção da imagem institucional é uma importante ferramenta capaz de interferir diretamente no aumento de vendas e/ou conquista de públicos, e conseqüentemente interferir no lucro empresarial. Imagem institucional pode ser dividida em identidade e reputação. Identidade refere-se a logo, uniformização, visão, missão e valores transmitidos pela organização e reputação refere-se a opinião do público sobre aquilo que é divulgado pela empresa. (CARVALHO, 2011). Manter uma boa imagem institucional pode ser o mesmo que manter uma boa relação com seu público de interesse, uma vez que a conquista desses públicos depende daquilo que é divulgado e desempenhado pela empresa (CARVALHO, 2011). O objetivo da manutenção da imagem institucional é atrair e/ou manter os laços entre empresa e público, a importância dessa relação pode ser relacionada a preferência da marca, o que podemos chamar de fidelização,

12 11 capaz de aumentar a divulgação boca a boca e consequentemente o número de clientes e o número de vendas. Na busca da aproximação daquilo que somos(empresa) e daquilo que queremos representar aos olhos dos outros (na relação "organização- públicos" ), está o desafio,na criação/manutenção/preservação de uma imagem. Ou seja, a imagem é consequência daquilo que somos ou deixamos de ser. (MACHADO,2007.p.36) Após a consolidação da imagem a organização consegue se inserir nos espaços e nos públicos que deseja com mais facilidade, uma vez que já tem credibilidade perante a sociedade. Credibilidade significa que o público tem confiança e fidelidade na empresa, isto é, a empresa tem potencial e referência para transmitir suas opiniões, facilitando a inserção de projetos e ações com boa visibilidade perante o público (CRUZ,2007). Uma boa credibilidade significa uma relação de confiança com o público específico, de modo que o público tem a convicção de que a empresa realiza um trabalho de qualidade, assim, pode demonstrar que suas ações tem fundamento real com a sociedade. Do mesmo modo, uma boa imagem institucional consiste em competência, planejamento e divulgação, pilares fundamentais para a construção de uma boa reputação. Competência significa oferecer serviços de qualidade e que satisfaçam o público específico, isto é, não adianta tentar alavancar a imagem institucional com programas e produtos sem os atributos para satisfação do cliente. Por sua vez o planejamento, refere-se a estabelecer prioridades e distinguir objetivos específicos para a imagem geral que se quer abranger, isto é, estabelecer um plano onde delimita-se as necessidades e obrigações da empresa perante o público. Após um bom planejamento e uma oferta qualificada de serviços prestados, é necessário que estas informações cheguem da maneira certa para cada público específico, aqui nos referimos a divulgação dos produtos, atividades e/ou ações empresariais que devem servir para auxiliar na dinâmica de disseminação dos valores, missão e visão da empresa. Nesta divulgação devem ser especificados como,em qual ferramentas, e para qual público serão divulgadas tais ações. (CORRÊA, 2005).

13 12 Fazer um planejamento comunicacional de ações e executá-lo a partir das realidades e expectativas empresariais de forma eficaz, bem como, encontrar as ferramentas certas para divulgar as ações desenvolvidas, de fato é uma maneira eficaz de conquista de espaços e públicos e um importante auxilio na imagem institucional. Steffen no livro "Relações Públicas quem sabe faz e explica,considera: " A comunicação institucional serve como mecanismo-meio para estabelecer e instituir formas sociais, de acordo com o meio ambiente em que as organizações estão inseridas, garantindo, assim, a sua permanência na sociedade." (STEFFEN,2007.p.31) As estratégias de comunicação são baseadas a partir do entendimento de que estas práticas devem aproximar o público da instituição de modo que este procedimento seja feito com perspectivas alinhadas ao objetivo principal da organização. Isto é, a comunicação deve servir como auxilio em todo o processo administrativo, considerando esta esfera como fundamental para a inserção da organização no dia-a-dia dos seus públicos. 2.2 Reputação empresarial e conquista dos Públicos A opinião pública depende não somente da reciprocidade dessas informações no individual, isto é, o público tem diferentes estigmas para a construção de uma opinião (CRUZ,2007). A opinião pública passa por diferentes processos até a opinião individual, isto é, a opinião pública depende de fatores como a cultura, localidade, grupo social, faixa etária e gostos pessoais para a sua consolidação (IASBECK, 2007). Na medida em que no mundo atual o indivíduo não processa nenhuma informação sozinho, este considera como parte importante de seu julgamento, a opinião de toda a sua composição relacional, o que pode dificultar ou facilitar o processo de construção da imagem para a organização. A absorção de informações é dada por mais de um indivíduo, podendo tanto convencer diversas pessoas de que a empresa é qualificada e tem credibilidade, bem como é capaz de destruir uma imagem organizacional.

14 13 Diante deste paradigma, é necessário que o foco empresarial seja em disseminar os verdadeiros valores da instituição, isto é, convencer o público do real preceito de trabalho da empresa, trabalhar e realizar suas atividades e ações de modo que a boa imagem acompanhe o bom trabalho desenvolvido. A construção da imagem institucional depende de como a divulgação do objetivo da empresa esta sendo repassada, de modo que se construa uma dinâmica onde o trabalho desenvolvido seja repassado de forma positiva para os clientes, construindo uma boa imagem institucional para conquistar espaços e credibilidade perante o público, tendo em vista que estes procedimentos trarão lucratividade na medida em que a fidelidade se torna o princípio do lucro empresarial (IESBECK, 2007). A busca pela reputação empresarial, que é o reflexo do olhar do público pela empresa baseia-se em conquistar credibilidade, confiança e espaço para que se possa construir uma relação direta e de afinidade entre empresa-público. Mais do que a necessidade de conquistar espaço como organização, a empresa deve basear suas ações para aumentar os laços de parceria e compromisso com o seu público, provocando nesses, um sentimento de pertencimento e empatia com os ideais da empresa. Enfatizando a importância de considerar que a construção de uma reputação depende das ações que a empresa realiza, na medida em que não se pode manter uma reputação a partir de divulgações falsas, práticas não exercidas ou ideais não concretizadas, é necessário que a empresa realize suas ações de acordo com a reputação que quer alcançar. A reputação refere-se diretamente a opinião pública, que tem influência do meio, do ambiente cultural, social, econômico além das mídias, que são fatores que influenciam na construção da opinião pública e consequentemente influenciam na reputação empresarial. [...]É possível perceber que a formação da opinião pública está diretamente relacionada a um fenômeno social, sendo influenciada pelo sistema social de um país, da comunidade, da imprensa (veículos de comunicação), considerando a cultura. Portanto, não é estática, mas sim dinâmica (CRUZ, 2007, p. 13).

15 14 Deste modo, é necessário entender que a reputação é um importante fator para o desenvolvimento e sucesso empresarial, uma vez em que o lucro da organização depende não apenas do produto que oferece, mas também da relação que tem com o seu público (CRUZ, 2007). Podemos dizer que após uma boa reputação uma empresa consegue vender seus produtos de maneira mais fácil, uma vez que o cliente confia no trabalho realizado, isto é, os produtos têm venda a partir da imagem da organização. Iremos discutir no presente trabalho o envolvimento que o conceito de sustentabilidade trouxe na relação empresa-público e quais as mudanças que este paradigma trouxe para construção e manutenção da imagem institucional. Isto é, de que modo o marketing verde esta sendo inserido nas organizações para esta dinâmica de conquistar credibilidade e soberania perante seus públicos. Segundo Ottman (1994) o marketing verde tem dois objetivos: desenvolver produtos que equilibrem necessidades dos consumidores, tenham um preço viável e exerçam o mínimo de impacto sobre o meio ambiente; e que projetem uma imagem da empresa que inclua sensibilidade ambiental e atributos do produto e na sua trajetória, que envolvam o respeito ambiental. (IN:CORREA e RIBEIRO, 2012, p.3) O marketing verde pode ser explicado a partir da inserção de práticas ambientais nas organizações com o intuito de fazer a publicidade da marca através das preocupações com o meio ambiente. A proposta do marketing verde é acompanhar o processo de consumo considerando as problemáticas ambientais, isto é, satisfazer o cliente com o menor impacto ambiental possível. 2.3 Comunicação Digital, uma inovação necessária O relacionamento com o público se dá a partir da influência direta que este tem com as propostas empresariais, assim, a partir das novas convergências comunicacionais e do processo de desenvolvimento tecnológico e crescimento econômico, a influência do público com a organização ficou muito mais ativa, uma vez que a internet facilita e aproxima esta relação entre empresa/público. As novas práticas de comunicação facilitam o retorno da opinião do público para a empresa,

16 15 por exemplo, quando não tínhamos a rede web, para medir a satisfação do público era necessária uma pesquisa de campo específica e demorada. Atualmente, pode ser feito a partir das reclamações e/ou elogios via web instantaneamente (CORRÊA,2005). Devem-se considerar as tecnologias da informação como práticas necessárias para estruturação de um plano comunicacional, uma vez que pode trazer resultados positivos ou negativos para a organização. As estratégias de comunicação digital devem estar interligadas ao projeto de comunicação que pretende ter eficácia no relacionamento mútuo com o público, este relacionamento vem da convicção onde empresa e público devem se comunicar de forma direta e estrutural para manter uma relação simétrica com os públicos. Assim, é possível estreitar com maior facilidade as relações com o público que deve ser pautada pela parceria e equilíbrio de interesses. Para Rego, 2010: Nos ambientes das tecnologias da informação, do comércio eletrônico e outras formas de interação pela internet, vários sistemas de reputação são desenvolvidos como forma de pontuar a credibilidade e a confiabilidade dos mesmos, e, a confiança dos usuários e participantes. Na maioria deles, o tripé reputação, confiança e reciprocidade acontece como base neste trabalho. (RÊGO,2010,p.4). A busca em compreender as necessidades e os desejos dos públicos faz com que as empresas tenham que aprimorar e diferenciar suas estratégias organizacionais para conquistar reconhecimento da sociedade, assim, na medida em que o público esta inserido na rede é imprescindível que as empresas também estejam, de modo que a internet tem importante influência na opinião pública (RÊGO, 2010). É fato que a internet transformou aspectos econômicos e culturais e modificou a forma de se relacionar, tanto nos relacionamentos interpessoais como nos processos de estratégias organizacionais. A internet trás consigo a necessidade e direito da informação. A partir das redes, o consumidor permanece disposto a conhecer e identificar as empresas de acordo com suas preferências e ideais, além de dar oportunidade para o cliente opinar e interagir nas práticas e produtos da empresa. Podemos dizer então, que a rede web faz com que as empresas

17 16 empenhem-se em exercer uma comunicação bilateral, isto é, onde empresa e público se comunicam de forma direta em uma relação de troca de interesses. Na medida em que os públicos estão interagindo, opinando e participando das decisões empresarias, é fato que as empresas ficam mais expostas a críticas e elogios, sendo necessário que o setor de comunicação da organização esteja devidamente preparado para interagir com essa nova prática comunicacional capaz de transformar imagens e alavancar reputações. A comunicação digital deve estar incluída no plano estratégico da empresa, com objetivos específicos, resultados esperados e estratégias de relacionamento. Para que se tenha eficácia nesta plataforma, as estratégias realizadas na rede web devem acompanhar o plano administrativo da empresa. Uma vez em que, [...]O planejamento constitui um processo complexo e abrangente. Possui dimensões e características próprias, implica uma filosofia e políticas definidas e é direcionado por princípios gerais e específicos. Não é algo solto e isolado de contextos. (...) o planejamento não se restringe ao que fazer, de que modo e com que recursos (...) exige conhecimentos, criatividade, análises conjunturais e ambientais, além de aplicativos instrumentais técnicos. (KUNSCH,2003, p. 89) A partir de análises feitas pelo pesquisador, as empresas escolhidas neste trabalho acompanham este processo de transformação da internet, tendo redes sociais ativas que interagem com o público, bem como divulgam as práticas organizacionais via rede web. Esta interação na rede social pode significar que as empresas Banco Itaú, Sicredi e Banco do Brasil realizam estratégias de comunicação digital para aproximação do seu público. Portanto, analisar quais as ações de sustentabilidade e como o marketing verde esta sendo divulgado nesta ferramenta nos dá a possibilidade de avaliar se as práticas comunicacionais exercidas pelas empresas pesquisadas, são ou não consideradas importantes para a imagem da empresa.

18 Responsabilidade Socioambiental nas organizações As problemáticas ambientais foram popularizadas, a partir da Conferência de Estocolmo, realizada em 5 de junho de 1972, antes disso, a preocupação era apenas de ambientalistas e cientistas da área. A Conferência reuniu representantes de 113 Estados com o intuito de analisar e discutir práticas de preservação ambiental nos avanços do desenvolvimento mundial. Na Conferência foram estipulados 26 princípios que norteariam as ações de desenvolvimento com a preservação do meio ambiente, os objetivos principais destes princípios seriam: proteger e melhorar o meio ambiente para as gerações presentes e futuras, preservar os recursos naturais, manter a capacidade de reprodução dos recursos renováveis, e a fauna e a flora devem ser preservadas por ser patrimônio da humanidade. Foi a partir daí, que o reconhecimento das problemáticas ambientais foi difundido, podendo-se perceber que a conscientização a cerca dos problemas ambientais foi conquistada, aumentando significativamente a preocupação social com a preservação do meio ambiente. "O reconhecimento da fragilidade do planeta terra aliado à interdependência entre os problemas sociais e os recursos naturais, contribuiu para privilegiar um enfoque mundial dos problemas relativos ao meio ambiente." (ROCHA, 2011, p.61). Le prestre, (2000, p.35) ressalta: admite-se que aumentaram, após a conferência de Estocolmo, a cooperação e a conscientização ambiental tanto nos países do Norte, como nos países periféricos. Isto significa que a sociedade mundial tanto dos países ricos como dos países pobres passou, a partir das ultimas décadas do século XX, a legitimar os problemas ambientais ocasionados nos processos produtivos das organizações. Em outras palavras, uma organização mesmo localizada em um país periférico só conseguirá mercado para os seus produtos se tiver a sua imagem relacionada a responsabilidade social e ambiental, uma vez em que as preocupações ambientais tornaram-se popularizadas. O marco do desenvolvimento econômico no século XX foi caracterizado pelo processo de produção e consumo em massa onde a necessidade de consumir acompanhava o aumento generalizado de produção das fabricas. Na medida em que o desenvolvimento era desenfreado e necessário para os homens desta

19 18 década, foi iniciado práticas do conceito de ecoeficiência, onde a produção se conjuntaria com a preservação do meio. Um sistema ecoeficiente caracteriza-se por produzir mais e melhor, com menores recursos e menos resíduos. Segundo Souza, 2000: Um dos principais fatores que provocou a notória preocupação com as questões ambientais a partir da segunda metade deste século foi o advento da chamada sociedade fordista e dos padrões massificados de produção e de consumo que essa proporcionava. Por fordismo entende-se o processo de produção e de consumo em massa que se desenvolveu durante o século XX no mundo [...]. (SOUZA, 2000, p.48). Em suma, o conceito de ecoeficiência surge na medida em que se entende que a produção em massa não pode ser interrompida, o processo tecnológico e de desenvolvimento mundial não será detido por problemas sociais ou ambientais, pois os valores mantidos pela globalização são ligados diretamente ao lucro empresarial, os interesses da preservação ambiental são deixados em segundo plano, quando as decisões requerem investimentos e/ou perdas financeiras (ROCHA, 2011, p. 56). A partir dos novos paradigmas de desenvolvimento, estabelecidos mundialmente, toda a empresa deve continuar produzindo, porém, de maneira sustentável. O que seria utilizar dos recursos necessários da maneira menos degradável possível. Para as empresas se adequarem as novas mudanças, é necessário repensar sua forma de gestão, e introduzir a variável "meio ambiente" em seu planejamento. Quando bem aplicada pode reduzir custos diretos, por exemplo, pela diminuição do desperdício de matérias primas e de recursos como água e energia e reduzir custos indiretos, por exemplo, relacionados a sanções e indenizações provenientes de danos ao meio ambiente e a saúde de funcionários e da comunidade que esteja no entorno da empresa (ALVES, et al., 2013, p. 19). Assim, os aspectos ambientais passaram a servir de interesses comerciais, as empresas nortearam as suas atividades de responsabilidade ambiental para o âmbito de lucratividade organizacional, isto é, relacionaram suas preocupações entre responsabilidade e lucro, na medida em que entenderam que a divulgação das suas

20 19 práticas de preservação ambiental estão intimamente ligadas com a reputação empresarial, portanto interligadas a rentabilidade da organização. [...] A atual preocupação do meio empresarial com os problemas ambientais não é fruto de uma repentina consciência ambiental, que, de repente, acometeu os homens de negócio. Não, os objetivos das empresas continuam e continuarão sendo os mesmos de sempre: resultados, lucros, liderança, sobrevivência alongo prazo, ampliação de mercado, dentre outros. (SOUZA, 2000, p.423) Contudo, não podemos negar que as questões referentes ao meio ambiente, nos últimos anos, passaram também a estar ligadas a reprodução econômica (lucratividade) das organizações, pois empresas que não tem responsabilidade socioambiental, certamente terão mais dificuldades em manter suas margens de lucro. 2.5 Marketing ambiental como estratégia de valoração das organizações As organizações além de serem responsáveis pelos bens e serviços que oferecem aos públicos têm importante influência no meio em que estão inseridas, este conceito pode ser traduzido como responsabilidade social, quando a empresa tem preocupações em todos os aspectos internos e externos da organização, considerando os problemas sociais e ambientais derivados de seu potencial de trabalho, bem como se preocupa em realizar ações com base nas problemáticas da sociedade e de preservação do meio ambiente. O processo de desenvolvimento em que vivemos é responsável pela mudança nos conceitos sociais, tecnológicos e ambientais. Diante disso, todos os setores empresariais e públicos se adéquam de acordo com o paradigma de desenvolvimento mundial, na medida em que se entende que o desenvolvimento depende de ações coletivas e individuais da sociedade. Atualmente, a questão ambiental nas organizações, por exemplo, vão além das questões burocráticas de licenciamento ambiental previstos nas políticas ambientais, pois além das obrigações legais as organizações dependem da aprovação e conquista de seu

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL Introdução A partir da década de 90 as transformações ocorridas nos aspectos: econômico, político, social, cultural,

Leia mais

A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável

A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável Felipe de Oliveira Fernandes Vivemos em um mundo que está constantemente se modificando. O desenvolvimento de novas tecnologias

Leia mais

MBA Gestão de Mercados ementas 2015/2

MBA Gestão de Mercados ementas 2015/2 MBA Gestão de Mercados ementas 2015/2 Análise de Tendências e Inovação Estratégica Levar o aluno a compreender os conceitos e as ferramentas de inteligência preditiva e inovação estratégica. Analisar dentro

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA ESTRATÉGIA NA INTEGRAÇÃO DAS AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA ESTRATÉGIA NA INTEGRAÇÃO DAS AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE Revista Ceciliana Jun 5(1): 1-6, 2013 ISSN 2175-7224 - 2013/2014 - Universidade Santa Cecília Disponível online em http://www.unisanta.br/revistaceciliana EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA

Leia mais

Política de Comunicação do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) - PCS

Política de Comunicação do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) - PCS Política de Comunicação do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) - PCS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DO SERVIÇO FEDERAL DE PROCESSAMENTO DE DADOS (SERPRO) - PCS A Política de Comunicação do Serviço

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO TAREFAS ESTRUTURA PESSOAS AMBIENTE TECNOLOGIA ÊNFASE NAS TAREFAS Novos mercados e novos conhecimentos ÊNFASE

Leia mais

E-BOOK [TÍTULO DO DOCUMENTO] Matrix [NOME DA EMPRESA] [Endereço da empresa]

E-BOOK [TÍTULO DO DOCUMENTO] Matrix [NOME DA EMPRESA] [Endereço da empresa] E-BOOK [TÍTULO DO DOCUMENTO] Matrix [NOME DA EMPRESA] [Endereço da empresa] 1 Sumário O Surgimento do Analista de Redes Sociais... 2 O que é um Analista de Redes Sociais?... 5 Qual é o Perfil do Analista

Leia mais

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades;

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades; POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE OBJETIVO Esta Política tem como objetivos: - Apresentar as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente as inovações

Leia mais

O Marketing no Setor de Transporte de Cargas: Serviços Intangíveis e Sustentabilidade

O Marketing no Setor de Transporte de Cargas: Serviços Intangíveis e Sustentabilidade Acadêmico Autor: Horácio Braga LALT - Laboratório de Aprendizagem em Logística e Transportes Faculdade de Engenharia Civil - UNICAMP O Marketing no Setor de Transporte de Cargas: Serviços Intangíveis e

Leia mais

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional Carlos Henrique Cangussu Discente do 3º ano do curso de Administração FITL/AEMS Marcelo da Silva Silvestre Discente do 3º ano do

Leia mais

Comunicação estratégica como diferencial competitivo para as organizações Um estudo sob a ótica de Administradores e Relações Públicas

Comunicação estratégica como diferencial competitivo para as organizações Um estudo sob a ótica de Administradores e Relações Públicas Comunicação estratégica como diferencial competitivo para as organizações Um estudo sob a ótica de Administradores e Relações Públicas Ana Carolina Trindade e-mail: carolinatrindade93@hotmail.com Karen

Leia mais

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Josiane Corrêa 1 Resumo O mundo dos negócios apresenta-se intensamente competitivo e acirrado. Em diversos setores da economia, observa-se a forte

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS RESOLUÇÃO Nº xx/xxxx CONSELHO UNIVERSITÁRIO EM dd de mês de aaaa Dispõe sobre a criação

Leia mais

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios UNIMEP MBA em Gestão e Negócios Módulo: Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 TI com foco nos Negócios: Áreas envolvidas (Parte II) Flávio I. Callegari www.flaviocallegari.pro.br O perfil do profissional

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE 1. OBJETIVO E ABRANGÊNCIA Esta Política tem como objetivos: Apresentar de forma transparente os princípios e as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e direcionam

Leia mais

MARKETING AMBIENTAL: UMA FERRAMENTA EMPRESARIAL ESTRATÉGICA

MARKETING AMBIENTAL: UMA FERRAMENTA EMPRESARIAL ESTRATÉGICA 1 MARKETING AMBIENTAL: UMA FERRAMENTA EMPRESARIAL ESTRATÉGICA Felipe Rogério Pereira (UniSALESIANO Araçatuba/SP) HerculesFarnesi Cunha ( Docente das Faculdades Integradas de Três Lagoas- AEMS e UniSALESIANO

Leia mais

Balanced Scorecard. Planejamento Estratégico através do. Curso e- Learning

Balanced Scorecard. Planejamento Estratégico através do. Curso e- Learning Curso e- Learning Planejamento Estratégico através do Balanced Scorecard Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão expressa

Leia mais

Resumo. O caminho da sustentabilidade

Resumo. O caminho da sustentabilidade Resumo O caminho da sustentabilidade Termos recorrentes em debates e pesquisas, na mídia e no mundo dos negócios da atualidade, como sustentabilidade, desenvolvimento sustentável, responsabilidade empresarial

Leia mais

A pluralidade das relações públicas

A pluralidade das relações públicas A pluralidade das relações públicas Carolina Frazon Terra Introdução Sétima colocada no ranking "As profissões do futuro" segundo a Revista Exame de 13 de abril de 2004, as relações públicas se destacam

Leia mais

1 Introdução. 1.1 A Nova Era Digital

1 Introdução. 1.1 A Nova Era Digital 11 1 Introdução Com o advento da nova era da internet, conhecida com web 2.0, e o avanço das tecnologias digitais, o consumidor passa a ter maior acesso à informação bem como à facilidade de expressar

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

Apresentação da FAMA

Apresentação da FAMA Pós-Graduação Lato Sensu CURSO DE ESPECIIALIIZAÇÃO 444 horras/aulla 1 Apresentação da FAMA A FAMA nasceu como conseqüência do espírito inovador e criador que há mais de 5 anos aflorou numa família de empreendedores

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL

RESPONSABILIDADE SOCIAL RESPONSABILIDADE SOCIAL Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares TODO COMPORTAMENTO TEM SUAS RAZÕES. A ÉTICA É SIMPLESMENTE A RAZÃO MAIOR DAVID HUME DEFINIÇÕES

Leia mais

Proposta de Candidatura Diretoria da Presidência Agrobio Consultoria Júnior Gestão 2013. Isabella Assunção Cerqueira Procópio

Proposta de Candidatura Diretoria da Presidência Agrobio Consultoria Júnior Gestão 2013. Isabella Assunção Cerqueira Procópio Proposta de Candidatura Diretoria da Presidência Agrobio Consultoria Júnior Gestão 2013 Isabella Assunção Cerqueira Procópio Janeiro de 2013 1 Sumário 1. Dados Básicos de Identificação...3 2. Histórico

Leia mais

Resenha. Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.)

Resenha. Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.) Resenha Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.) Patrícia Morais da Silva 1 Superar as expectativas do mercado atendendo de forma satisfatória as demandas dos clientes

Leia mais

Aliança do Brasil. É assim que a gente faz. Código de Conduta Ética

Aliança do Brasil. É assim que a gente faz. Código de Conduta Ética Aliança do Brasil. É assim que a gente faz. Código de Conduta Ética SUMÁRIO CONCEITO OBJETIVO ABRANGÊNCIA PRINCÍPIOS DE RELACIONAMENTOS CONFLITOS DE INTERESSE CONFIDENCIALIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESERVAÇÃO

Leia mais

O Dia D. 12º Prêmio Destaque em Comunicação SINEPE. e a culturalização de um. posicionamento estratégico

O Dia D. 12º Prêmio Destaque em Comunicação SINEPE. e a culturalização de um. posicionamento estratégico O Dia D e a culturalização de um posicionamento estratégico 12º Prêmio Destaque em Comunicação SINEPE Centro Universitário Franciscano uma universidade para suas aspirações Santa Maria é um polo educacional

Leia mais

Política de Sustentabilidade

Política de Sustentabilidade Seu futuro é o nosso compromisso. O presente documento visa trazer em seu conteúdo o posicionamento do INFRAPREV frente aos desafios propostos e impostos pelo desenvolvimento sustentável. Para formular

Leia mais

PROGRAMA DE ADOÇÃO DE PRINCÍPIOS SOCIOAMBIENTAIS

PROGRAMA DE ADOÇÃO DE PRINCÍPIOS SOCIOAMBIENTAIS A Copagaz A Copagaz, primeira empresa do Grupo Zahran, iniciou suas atividades em 1955 distribuindo uma tonelada de Gás Liquefeito de Petróleo - GLP por dia nos estados de São Paulo, Mato Grosso e Mato

Leia mais

Gerenciamento Estratégico e EHS Uma parceria que dá certo

Gerenciamento Estratégico e EHS Uma parceria que dá certo Gerenciamento Estratégico e EHS Uma parceria que dá certo INTRODUÇÃO O Balanced Scorecard (BSC) é uma metodologia desenvolvida para traduzir, em termos operacionais, a Visão e a Estratégia das organizações

Leia mais

Prof. Fabiano Geremia

Prof. Fabiano Geremia PLANEJAMENTO ESTRÁTEGICO PARA ARRANJOS PRODUTIVOS CURSO INTERMEDIÁRIO PARA FORMULADORES DE POLÍTICAS Prof. Fabiano Geremia Planejamento Estratégico ementa da disciplina Planejamento estratégico e seus

Leia mais

TÍTULO: MEIOS DE COMUNICAÇÃO DIGITAIS E A REVOLUÇÃO NA DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO.

TÍTULO: MEIOS DE COMUNICAÇÃO DIGITAIS E A REVOLUÇÃO NA DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO. Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: MEIOS DE COMUNICAÇÃO DIGITAIS E A REVOLUÇÃO NA DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO. CATEGORIA: EM ANDAMENTO

Leia mais

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO * César Raeder Este artigo é uma revisão de literatura que aborda questões relativas ao papel do administrador frente à tecnologia da informação (TI) e sua

Leia mais

Redes sociais no Terceiro Setor

Redes sociais no Terceiro Setor Redes sociais no Terceiro Setor Prof. Reginaldo Braga Lucas 2º semestre de 2010 Constituição de redes organizacionais Transformações organizacionais Desenvolvimento das organizações articuladas em redes

Leia mais

Planejamento Organização Direção Controle. Termos chaves Planejamento processo de determinar os objetivos e metas organizacionais e como realiza-los.

Planejamento Organização Direção Controle. Termos chaves Planejamento processo de determinar os objetivos e metas organizacionais e como realiza-los. Decorrência da Teoria Neoclássica Processo Administrativo. A Teoria Neoclássica é também denominada Escola Operacional ou Escola do Processo Administrativo, pela sua concepção da Administração como um

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1.1 APRESENTAÇÃO O Plano de Comunicação e Participação Social subsidiará a elaboração do Plano Diretor de Mobilidade Urbana, criando as bases para

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

Blogs corporativos: uma inovação na Comunicação Organizacional 1

Blogs corporativos: uma inovação na Comunicação Organizacional 1 Blogs corporativos: uma inovação na Comunicação Organizacional 1 Ediane Barbosa Oliveira 2 ECOS/UCPel Resumo: O trabalho busca um estudo sobre uma ferramenta estratégica do ciberespaço no meio da comunicação

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DA CEMIG COM A COMUNIDADE Substitui a NO-02.15 de 23/06/2009

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DA CEMIG COM A COMUNIDADE Substitui a NO-02.15 de 23/06/2009 03/08/2010 Pág.01 POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DA CEMIG COM A COMUNIDADE Substitui a NO-02.15 de 23/06/2009 1. INTRODUÇÃO 1.1 A Política de Comunicação da CEMIG com a Comunidade explicita as diretrizes que

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR PROJETO INTEGRADOR 1. INTRODUÇÃO Conforme as diretrizes do Projeto Pedagógico dos Cursos Superiores de Tecnologia da Faculdade Unida de Suzano

Leia mais

ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO

ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO Autoria: Elaine Emar Ribeiro César Fonte: Critérios Compromisso com a Excelência e Rumo à Excelência

Leia mais

MARKETING VERDE E-BOOK GRATUITO DESENVOLVIDO PELA SITE SUSTENTÁVEL

MARKETING VERDE E-BOOK GRATUITO DESENVOLVIDO PELA SITE SUSTENTÁVEL MARKETING VERDE E-BOOK GRATUITO DESENVOLVIDO PELA SITE SUSTENTÁVEL Introdução: O marketing verde já não é tendência. Ele se tornou uma realidade e as empresas o enxergam como uma oportunidade para atrair

Leia mais

DISCIPLINA: SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIAL AULA 01 => HISTÓRICO DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL.

DISCIPLINA: SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIAL AULA 01 => HISTÓRICO DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL. DISCIPLINA: SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIAL AULA 01 => HISTÓRICO DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL. PROBLEMÁTICA: REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E INTENSIFICAÇÃO DAS ATIVIDADES ANTRÓPICAS LINHA DO TEMPO:

Leia mais

Responsabilidade Socioambiental e Sustentabilidade

Responsabilidade Socioambiental e Sustentabilidade Responsabilidade Socioambiental e Sustentabilidade - Uma Estratégia Empreendedora - Roberta Cardoso Abril/2008 Por que o mundo inteiro fala em Sustentabilidade? AQUECIMENTO GLOBAL Evidências: Aumento

Leia mais

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial remuneração para ADVOGADOS Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados advocobrasil Não ter uma política de remuneração é péssimo, ter uma "mais ou menos" é pior ainda. Uma das

Leia mais

PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL PRS-FACIIP

PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL PRS-FACIIP PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL PRS-FACIIP Aprovado na Reunião do CONASU em 21/01/2015. O Programa de Responsabilidade Social das Faculdades Integradas Ipitanga (PRS- FACIIP) é construído a partir

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL NO CENÁRIO EMPRESARIAL ¹ JACKSON SANTOS ²

RESPONSABILIDADE SOCIAL NO CENÁRIO EMPRESARIAL ¹ JACKSON SANTOS ² RESPONSABILIDADE SOCIAL NO CENÁRIO EMPRESARIAL ¹ JACKSON SANTOS ² A Responsabilidade Social tem sido considerada, entre muitos autores, como tema de relevância crescente na formulação de estratégias empresarias

Leia mais

TÍTULO: MARKETING DIGITAL, ESTRATÉGIA FUNDAMENTAL PARA O CRESCIMENTO DAS EMPRESAS.

TÍTULO: MARKETING DIGITAL, ESTRATÉGIA FUNDAMENTAL PARA O CRESCIMENTO DAS EMPRESAS. Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: MARKETING DIGITAL, ESTRATÉGIA FUNDAMENTAL PARA O CRESCIMENTO DAS EMPRESAS. CATEGORIA: CONCLUÍDO

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA PI.001.00000000 A - 04 de Junho de 2014

CÓDIGO DE ÉTICA PI.001.00000000 A - 04 de Junho de 2014 CÓDIGO DE ÉTICA PI.001.00000000 A - 04 de Junho de 2014 PALAVRA DA DIRETORIA Apresentamos, com muito prazer, o do Grupo Galvão, que foi elaborado de maneira participativa com representantes dos colaboradores

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL: a solidariedade humana para o desenvolvimento local

RESPONSABILIDADE SOCIAL: a solidariedade humana para o desenvolvimento local RESPONSABILIDADE SOCIAL: a solidariedade humana para o desenvolvimento local 1 Por: Evandro Prestes Guerreiro 1 A questão da Responsabilidade Social se tornou o ponto de partida para o estabelecimento

Leia mais

Permanente actualização tecnológica e de Recursos Humanos qualificados e motivados;

Permanente actualização tecnológica e de Recursos Humanos qualificados e motivados; VISÃO Ser a empresa líder e o fornecedor de referência do mercado nacional (na área da transmissão de potência e controlo de movimento) de sistemas de accionamento electromecânicos e electrónicos, oferecendo

Leia mais

ABM BLUE CONVÊNIO E PUBLICIDADE - LTDA CNPJ: 22.153.768/0001-38 Endereço: Rua C-5, lote 09, sala 101, Taguatinga - Centro Brasília / Distrito Federal

ABM BLUE CONVÊNIO E PUBLICIDADE - LTDA CNPJ: 22.153.768/0001-38 Endereço: Rua C-5, lote 09, sala 101, Taguatinga - Centro Brasília / Distrito Federal Sumário A. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA... 3 1. Sobre Nós... 3 1.1. - Missão... 3 1.2. - Visão... 3 1.3. - Valores... 3 2. Serviços... 4 2.1. Das atividades da BLUE CONVÊNIO: seus objetivos e finalidade...

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL Aldemar Dias de Almeida Filho Discente do 4º ano do Curso de Ciências Contábeis Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS Élica Cristina da

Leia mais

18/06/2009. Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br.

18/06/2009. Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br. Marketing Ambiental Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. O que temos visto e ouvido falar das empresas ou associado a elas? Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br 2 3 Sílvia

Leia mais

A RESPONSABILIDADE SOCIAL INTEGRADA ÀS PRÁTICAS DA GESTÃO

A RESPONSABILIDADE SOCIAL INTEGRADA ÀS PRÁTICAS DA GESTÃO A RESPONSABILIDADE SOCIAL INTEGRADA ÀS PRÁTICAS DA GESTÃO O que isto tem a ver com o modelo de gestão da minha Instituição de Ensino? PROF. LÍVIO GIOSA Sócio-Diretor da G, LM Assessoria Empresarial Coordenador

Leia mais

POLíTICA DE PATROCíNIOS E DOAÇÕES VOLVO DO BRASIL

POLíTICA DE PATROCíNIOS E DOAÇÕES VOLVO DO BRASIL POLíTICA DE PATROCíNIOS E DOAÇÕES VOLVO DO BRASIL índice APRESENTAÇÃO...3 POLíTICA DE PATROCíNIOS DA VOLVO DO BRASIL...3 1. Objetivos dos Patrocínios...3 2. A Volvo como Patrocinadora...3 3. Foco de Atuação...4

Leia mais

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras 1. DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente para o desenvolvimento sustentável, das áreas onde atuamos e

Leia mais

Fundação Parque Zoológico de São Paulo Projeto Experimental 1

Fundação Parque Zoológico de São Paulo Projeto Experimental 1 Fundação Parque Zoológico de São Paulo Projeto Experimental 1 Fabiane Silveira GOMES 2 Claudia Nociolini REBECHI 3 Universidade Metodista de São Paulo - UMESP, São Paulo, SP RESUMO Em posse de dados cruciais

Leia mais

FDC E SUA RESPONSABILIDADE COMO UMA ESCOLA DE NEGÓCIOS

FDC E SUA RESPONSABILIDADE COMO UMA ESCOLA DE NEGÓCIOS FDC E SUA RESPONSABILIDADE COMO UMA ESCOLA DE NEGÓCIOS IV CONFERÊNCIA INTERAMERICANA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL RIAL Cláudio Boechat Fundação Dom Cabral 12 DE DEZEMBRO, 2006 F U N D A Ç Ã O

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3 DETALHAMENTO... 3 3.1 Definições... 3 3.2 Envolvimento de partes interessadas... 4 3.3 Conformidade com a Legislação

Leia mais

A Comunicação Organizacional e a Mídia o papel dos meios de comunicação na construção da imagem empresarial para o público externo 1

A Comunicação Organizacional e a Mídia o papel dos meios de comunicação na construção da imagem empresarial para o público externo 1 A Comunicação Organizacional e a Mídia o papel dos meios de comunicação na construção da imagem empresarial para o público externo 1 Bárbara Fernandes Valente da Cunha 2 * Palavras-chaves: Comunicação

Leia mais

Comunicação Empresarial

Comunicação Empresarial Comunicação Empresarial MBA em Gestão Empresarial MBA em Logística MBA em Recursos Humanos MBA em Gestão de Marketing Prof. Msc Alice Selles 24/11 Aula inicial apresentação e visão geral do módulo. Proposição

Leia mais

visão, missão e visão valores corporativos Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial.

visão, missão e visão valores corporativos Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial. visão, missão e valores corporativos visão Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial. MISSÃO O Grupo Gerdau é uma Organização empresarial focada em siderurgia, com a missão de satisfazer

Leia mais

MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA

MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA VISÃO Ser a empresa líder e o fornecedor de referência do mercado nacional (na área da transmissão de potência e controlo de movimento) de sistemas de accionamento electromecânicos

Leia mais

Sustentabilidade nos Negócios

Sustentabilidade nos Negócios Sustentabilidade nos Negócios Apresentação O programa Gestão Estratégica para a Sustentabilidade foi oferecido pelo Uniethos por nove anos. Neste período os temas ligados à sustentabilidade começam a provocar

Leia mais

Nome: Camila Dalzoto Silva, Diego Perboni de Andrade, Gabriela Saldanha, Keidi. Carneiro, Mariana de Morais Pretto, Rita Souza e Vanessa Rottmann.

Nome: Camila Dalzoto Silva, Diego Perboni de Andrade, Gabriela Saldanha, Keidi. Carneiro, Mariana de Morais Pretto, Rita Souza e Vanessa Rottmann. Faculdades Integradas de Taquara Credenciada pela Portaria 921, de 07/11/2007, D.O.U. de 08/11/2007 Nome: Camila Dalzoto Silva, Diego Perboni de Andrade, Gabriela Saldanha, Keidi Carneiro, Mariana de Morais

Leia mais

Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento. Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto

Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento. Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto CURRÍCULO DO PROFESSOR Administradora com mestrado e doutorado em engenharia de produção

Leia mais

Apresentação Institucional. Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida

Apresentação Institucional. Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida Apresentação Institucional Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida A empresa que evolui para o seu crescimento A VCN Virtual Communication Network, é uma integradora de Soluções Convergentes

Leia mais

Introdução da Responsabilidade Social na Empresa

Introdução da Responsabilidade Social na Empresa Introdução da Responsabilidade Social na Empresa Vitor Seravalli Diretoria Responsabilidade Social do CIESP Sorocaba 26 de Maio de 2009 Responsabilidade Social Empresarial (RSE) é uma forma de conduzir

Leia mais

&DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR

&DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR &DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR Toda comunicação publicitária visa atender a alguma necessidade de marketing da empresa. Para isso, as empresas traçam estratégias de comunicação publicitária, normalmente traduzidas

Leia mais

MEETING DO MARKETING

MEETING DO MARKETING MEETING DO MARKETING Reputação Corporativa Ativo com Resultados Tangíveis Cristina Panella Cristina Panella Setembro Pág1 2007 Toda empresa funciona num meio ambiente de públicos Philip Kotler Pág2 Tipos

Leia mais

Governança Corporativa, Responsabilidade Ambiental e Social. Prof. Wellington

Governança Corporativa, Responsabilidade Ambiental e Social. Prof. Wellington Governança Corporativa, Responsabilidade Ambiental e Social Prof. Wellington APRESENTAÇÃO AULA 1 Wellington Prof de pós-graduação na USJT desde 2003 Sócio diretor da WP projetos e produções Coordenador

Leia mais

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1 2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Fundamentos da Vantagem Estratégica ou competitiva Os sistemas de informação devem ser vistos como algo mais do que um conjunto de tecnologias que apoiam

Leia mais

XXXII Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Farmacêutica

XXXII Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Farmacêutica XXXII Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Farmacêutica Mesa-Redonda: Responsabilidade Social Empresarial 23-24 de Novembro de 2006 Mário Páscoa (Wyeth/ Painel Febrafarma) E-mail: pascoam@hotmail.com

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Marketing Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Marketing. 1. Introdução Os Projetos

Leia mais

Política de Comunicação Integrada

Política de Comunicação Integrada Política de Comunicação Integrada agosto 2009 Política de Comunicação Integrada Política de Comunicação Integrada 5 1. Objetivos Promover a comunicação integrada entre as empresas Eletrobras e dessas

Leia mais

Processos Gerenciais

Processos Gerenciais UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Processos Gerenciais Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Processos Gerenciais. 1.

Leia mais

Política de Comunicação Integrada

Política de Comunicação Integrada Política de Comunicação Integrada agosto 2009 Política de Comunicação Integrada 4 1 Objetivos Promover a comunicação integrada entre as empresas Eletrobras e dessas com os seus públicos de relacionamento,

Leia mais

APOSTILA DE FILOSOFIA E ÉTICA NAS ORGANIZAÇÕES

APOSTILA DE FILOSOFIA E ÉTICA NAS ORGANIZAÇÕES APOSTILA DE FILOSOFIA E ÉTICA NAS ORGANIZAÇÕES 2º. Bimestre Capítulos: I Ética: noções e conceitos básicos II Processo de Decisão Ética III - Responsabilidade Social Apostila elaborada pela Profa. Ana

Leia mais

Responsabilidade Social

Responsabilidade Social Responsabilidade Social Profa. Felicia Alejandrina Urbina Ponce A questão principal é debater: o que torna uma empresa socialmente responsável? É o fato de ela ser ética? Ou fi lantrópica? Ou porque ela

Leia mais

CONTABILIDADE SOCIAL: O BALANÇO SOCIAL EVIDENCIANDO A RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS ORGANIZAÇÕES.

CONTABILIDADE SOCIAL: O BALANÇO SOCIAL EVIDENCIANDO A RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS ORGANIZAÇÕES. Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 417 CONTABILIDADE SOCIAL: O BALANÇO SOCIAL EVIDENCIANDO A RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS ORGANIZAÇÕES. Alice da Silva

Leia mais

Código de Conduta Ética

Código de Conduta Ética Código de Conduta Ética MENSAGEM DA DIRETORIA A todos os dirigentes e empregados A Companhia de Seguros Aliança do Brasil acredita no Respeito aos princípios éticos e à transparência de conduta com as

Leia mais

A revolução da excelência

A revolução da excelência A revolução da excelência ciclo 2005 PNQ Foto: Acervo CPFL CPFL Paulista, Petroquímica União, Serasa e Suzano Petroquímica venceram o Prêmio Nacional da Qualidade 2005. A Albras, do Pará, foi finalista.

Leia mais

AS PERSPECTIVAS DA ECONOMIA CRIATIVA NO BRASIL PARA GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA

AS PERSPECTIVAS DA ECONOMIA CRIATIVA NO BRASIL PARA GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA AS PERSPECTIVAS DA ECONOMIA CRIATIVA NO BRASIL PARA GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA Miranda Aparecida de Camargo luckcamargo@hotmail.com Acadêmico do Curso de Ciências Econômicas/UNICENTRO Luana Sokoloski sokoloski@outlook.com

Leia mais

social media para bares, restaurantes e afins

social media para bares, restaurantes e afins BARTIPS social media para bares, restaurantes e afins O que buscamos? Divulgar seu estabelecimento para milhares de potenciais consumidores. Fazer você ser parte do dia-a-dia de seu cliente Ter suas novidades,

Leia mais

Reflexões sobre a Ética em Empresas de Tecnologia O Caso Petrobras. Heitor Chagas de Oliveira Gerente Executivo Recursos Humanos

Reflexões sobre a Ética em Empresas de Tecnologia O Caso Petrobras. Heitor Chagas de Oliveira Gerente Executivo Recursos Humanos Reflexões sobre a Ética em Empresas de Tecnologia O Caso Petrobras Heitor Chagas de Oliveira Gerente Executivo Recursos Humanos Sustentabilidade e Competitividade SUSTENTABILIDADE pode ser entendida como

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA DO BANCO DA AMAZÔNIA

CÓDIGO DE ÉTICA DO BANCO DA AMAZÔNIA CÓDIGO DE ÉTICA DO BANCO DA AMAZÔNIA APRESENTAÇÃO O Banco da Amazônia S.A., consciente da importância da ética nas relações com a comunidade em que atua, divulga este Código de Ética, que contém os padrões

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Autor: Jeferson Correia dos Santos ARTIGO TÉCNICO INOVAÇÃO NA GESTÃO DE PÓS-VENDAS: SETOR AUTOMOTIVO RESUMO A palavra inovação tem sido atualmente umas das mais mencionadas

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Data da Criação: 09/11/2012 Dara de revisão: 18/12/2012 1 - Sumário - 1. A Instant Solutions... 3 1.1. Perfil da empresa... 3 1.2. Responsabilidade ambiental...

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. Definição da Extensão e Finalidades

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. Definição da Extensão e Finalidades CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Definição da Extensão e Finalidades A Resolução UNESP 102, de 29/11/2000, define Extensão Universitária, nos seguintes termos: Art.8º Entende-se

Leia mais

MENSAGEM CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

MENSAGEM CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO MENSAGEM O Código de Ética do Banco do Brasil vem reafirmar a contínua valorização dos preceitos éticos existentes na cultura da Organização, reconhecidos pela comunidade. Nasce da realidade da Empresa,

Leia mais

O ENSINO DA GEOGRAFIA NA INTERFACE DA PEDAGOGIA DE PROJETOS SOCIOAMBIENTAIS E DO MACROCAMPO INTEGRAÇÃO CURRICULAR.

O ENSINO DA GEOGRAFIA NA INTERFACE DA PEDAGOGIA DE PROJETOS SOCIOAMBIENTAIS E DO MACROCAMPO INTEGRAÇÃO CURRICULAR. O ENSINO DA GEOGRAFIA NA INTERFACE DA PEDAGOGIA DE PROJETOS SOCIOAMBIENTAIS E DO MACROCAMPO INTEGRAÇÃO CURRICULAR. Wedell Jackson de Caldas Monteiro E.E.M.I. Auzanir Lacerda wedellprofessor@gmail.com Nadia

Leia mais

O advento das mídias sociais digitais e o mercado de trabalho para o profissional de relações públicas

O advento das mídias sociais digitais e o mercado de trabalho para o profissional de relações públicas O advento das mídias sociais digitais e o mercado de trabalho para o profissional de relações públicas Julie Caroline de Alcântara Universidade do Sagrado Coração, Bauru/SP E-mail: juliealcantara.31@gmail.com

Leia mais

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Setembro de 2010 Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente

Leia mais

Os Princípios do IDFC para Promover um Desenvolvimento Sustentável 1

Os Princípios do IDFC para Promover um Desenvolvimento Sustentável 1 Os Princípios do IDFC para Promover um Desenvolvimento Sustentável 1 I. Histórico O Clube Internacional de Financiamento ao Desenvolvimento (IDFC) é um grupo de 19 instituições de financiamento ao desenvolvimento

Leia mais

Título do Case: Programa ELOS - Cliente e Colaborador como uma só corrente. Categoria: Projetos Internos Tema: Pessoas

Título do Case: Programa ELOS - Cliente e Colaborador como uma só corrente. Categoria: Projetos Internos Tema: Pessoas 1 Título do Case: Programa ELOS - Cliente e Colaborador como uma só corrente. Categoria: Projetos Internos Tema: Pessoas RESUMO A empresa vivia um cenário claro de desequilíbrio na gestão empresarial e

Leia mais