Qual a relação entre o Unix e o Linux, ou melhor, entre o Unix e Linus Torvalds?

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Qual a relação entre o Unix e o Linux, ou melhor, entre o Unix e Linus Torvalds?"

Transcrição

1 Sumário 1 Introdução ao Linux...2 Historia O nome Linux Características do UNIX Origem do nome Linux Creative commons Como escolher uma licença Linux tem licença GPL Arquitetura Portabilidade Termos de Licenciamento Sistemas de arquivos suportados Sistema Operacional Distribuições Distribuições de propósito geral Usando o Linux O que é o Linux Linguagens de Programação Makefiles (arquivos make) Depuração com o gdb RPM DPKG Arquivos.tar.gz ou.tgz Roteiro de algumas curiosidades Alguns comandos disponíveis Terminais virtuais O sistema de arquivos e diretórios importantes X Window System Conceitos sobre o X Os Gerenciadores de Janelas Editores de texto...29

2 1 Introdução ao Linux Historia 1.1 O nome Linux O nome Linux surgiu da mistura de Linus + Unix. Linus é o nome do criador do Linux, Linus Torvalds. E Unix, é o nome de um sistema operacional de grande porte, no qual contaremos sua história agora, para que você entenda melhor a do Linux. A origem do Unix tem ligação com o sistema operacional Multics, projetado na década de Esse projeto era realizado pelo Massachusets Institute of Technology (MIT), pela General Eletric (GE) e pelos laboratórios Bell (Bell Labs) e American Telephone na Telegraph (AT&T). A intenção era de que o Multics tivesse características de tempo compartilhado (vários usuários compartilhando os recursos de um único computador), sendo assim o sistema mais arrojado da época. Em 1969, já existia uma versão do Multics rodando num computador GE645. Ken Thompsom era um pesquisador do Multics e trabalhava na Bell Labs. No entanto, a empresa se retirou do projeto tempos depois, mas ele continuou seus estudos no sistema. Desde então, sua idéia não era continuar no Multics original e sim criar algo menor, mas que conservasse as idéias básicas do sistema. A partir daí, começa a saga do sistema Unix. Brian Kernighan, também pesquisador da Bell Labs, foi quem deu esse nome. Em 1973, outro pesquisador da Bell Labs, Dennis Ritchie, rescreveu todo o sistema Unix numa linguagem de alto nível, chamada C, desenvolvida por ele mesmo. Por causa disso, o sistema passou a ter grande aceitação por usuários externos à Bell Labs. Entre 1977 e 1981, a AT&T, alterou o Unix, fazendo algumas mudanças particulares e lançou o System III. Em 1983, após mais uma série de modificações, foi lançado o conhecido Unix System IV, que passou a ser vendido. Até hoje esse sistema é usado no mercado, tornando-se o padrão internacional do Unix. Esse sistema é comercializado por empresas como IBM, HP, Sun, etc. O Unix, é um sistema operacional muito caro e é usado em computadores poderosos (como mainframes) por diversas multinacionais. Qual a relação entre o Unix e o Linux, ou melhor, entre o Unix e Linus Torvalds? Para responder essa pergunta, é necessário falar de outro sistema operacional, o Minix. O Minix é uma versão do Unix, porém, gratuita e com o código fonte disponível. Isso significa que qualquer programador experiente pode fazer alterações nele. Ele foi criado originalmente para uso educacional, para quem quisesse estudar o Unix "em casa". No entanto, vale citar que ele foi escrito do "zero" e apesar de ser uma versão do Unix, não contém nenhum código da AT&T e por isso pode ser distribuído gratuitamente. A partir daí, "entra em cena" Linus Torvalds. Ele era um estudante de Ciências da Computação da Universidade de Helsinki, na Filândia e em 1991, por hobby, Linus decidiu desenvolver um sistema mais poderoso que o Minix. Para divulgar sua idéia, ele enviou uma mensagem a um grupo pela Usenet (uma espécie de antecessor da Internet). A mensagem pode ser vista no final deste artigo. No mesmo ano, ele disponibilizou a versão do kernel (núcleo dos sistemas operacionais) 0.02 e continuou trabalhando até que em 1994 disponibilizou a versão 1.0. Até o momento em que este 2

3 artigo estava sendo escrito, a versão atual era a 2.6. O Linux é um sistema operacional livre e é uma re-implementação das especificações POSIX (padronização da IEEE, Instituto de Engenharia Elétrica e Eletrônica) para sistemas com extensões System V e BSD. Isso signfica que o Linux é bem parecido com Unix, mas não vem do mesmo lugar e foi escrito de outra forma. Mas por que o Linux é gratuito? Linus Torvalds, quando desenvolveu o Linux, não tinha a inteção de ganhar dinheiro e sim fazer um sistema para seu uso pessoal, que atendesse suas necessidades. O estilo de desenvolvimento que foi adotado foi o de ajuda coletiva. Ou seja, ele coordena os esforços coletivos de um grupo para a melhoria do sistema que criou. Milhares de pessoas contribuem gratuitamente com o desenvolvimento do Linux, simplesmente pelo prazer de fazer um sistema operacional melhor. Licença GPL O Linux está sob a licença GPL, permite que qualquer um possa usar os programas que estão sob ela, com o compromisso de não tornar os programas fechados e comercializados. Ou seja, você pode alterar qualquer parte do Linux, modificá-lo e até comercialiazá-lo, mas você não pode fechá-lo (não permitir que outros usuários o modifiquem) e vendê-lo. GNU A história do Linux não termina aqui. É necessário saber também o que é GNU. GNU é um projeto que começou em 1984 com o objetivo de desenvolver um sistema operacional compatível com os de padrão Unix. O Linux em si, é só um kernel. Linus Torvalds, na mesma época que escrevia o códigofonte do kernel, começou a usar programas da GNU para fazer seu sistema. Gostando da idéia, resolveu deixar seu kernel dentro da mesma licença. Mas, o kernel por si só, não é usável. O kernel é a parte mais importante, pois é o núcleo e serve de comunicador entre o usuário e o computador. Por isso, com o uso de variantes dos sistemas GNU junto com o kernel, o Linux se tornou um sistema operacional. Mas você pode ter ficado confuso agora. O que é o Linux então? O que é GNU? Simplesmente, várias pessoas uma versões modificadas dos sistemas GNU, pensando que é o Linux em si. Os programadores que trabalham com ele, sabem que o Linux, é basicamente o kernel, conforme já foi dito, mas todos, chamam esse conjunto de Linux (há quem defenda o uso de GNU/Linux). Finalizando, o projeto GNU é um dos responsáveis pelo sucesso do Linux, pois graças à mistura de seus programas com o kernel desenvolvido por Linus Torvalds, o Linux vem mostrando porque é um sistema operacional digno de habilidades insuperáveis por qualquer outro sistema. O UNIX foi desenvolvido no final da década de 1960 e vai seguindo seu percurso de crescimento. 1.2 Características do UNIX 1. Sistema multitarefa e multiusuário 2. Disponível para diversas plataformas. 3

4 3. Sistema robusto e confiável. 4. Sistema maduro. A principal desvantagem do UNIX é por ser muito caro e só funcionar em plataformas de hardware com preço inacessível a maioria dos profissionais. Entre 1977 e 1981, a AT&T, alterou o Unix, fazendo algumas mudanças particulares e lançou o System III. Em 1983, após mais uma série de modificações, foi lançado o conhecido Unix System IV, que passou a ser vendido. Até hoje esse sistema é usado no mercado, tornando-se o padrão internacional do Unix. Esse sistema é comercializado por empresas como IBM, HP, Sun, etc. O Unix, é um sistema operacional muito caro e é usado em computadores poderosos (como mainframes) por diversas multinacionais. Versões do UNIX comerciais:» HP-UX» AIX» Solaris» IRIX A versão livre do UNIX se chama FreeBSD. Essa história da origem do Unix é só um resumo, para que vocês possam entender a origem do Linux. Apresentando o Linux Como se percebe o UNIX é inacessível a maioria dos mortais, pois é caro e exige um hardware adequado. Isso, vai inspirar alguém a criar algo acessível. Mas antes disso vamos falar de outra pessoa. Dr. Andrew Tanenbaum O Dr. Andrew Tanenbaum motivado para fins educacionais, criou um sistema operacional chamado MINIX, baseado nos processadores INTEL 8086 que era na época a plataforma mais barata e atual. O Minix só poderia ser usado para fins acadêmicos devido as suas limitações técnicas. Só endereçava até 1MB de cada vez. Não tinha memória virtual. Ótimo. Já temos a primeira parte do sistema operacional. O que é GNU e a FSF? A Fundação do Software Livre FSF (Free Software Foundation) fundada por Richard Stallman no ano de 1983fundou a (Fundação do Software Livre). Foi criado o projeto GNU. Este projeto tinha a responsabilidade de criar um clone do UNIX. Um detalhe deste clone é que tinha que ser livre e não poderia usar código fonte no UNIX pois tinha uma versão livre do UNIX o BSD. O projeto não deu certo em partes, pois chegou ao final da década de 80 sem cumprir seus propósitos que eram criar o clone do UNIX. Mas o fracasso não foi total. 4

5 Não se conseguiu fazer o clone do UNIX mas foram criadas as ferramentas necessárias para que Linux Torvalds conseguisse desenvolver o Linux. Então, Linux Benedict Torvalds aluno da Universidade de Helsinque, na Finlândia usou tudo o que tinha até o momento: O Minix e as Ferramentas do GNU. Linus, inicia o desenvolvimento de um kernel que fosse um clone do UNIX que possuísse memória virtual, multitarefa preemptiva e capacidade de multiusuários. Era um trabalho que ele sozinho não conseguiria terminar em tempo hábil. Então, ele disponibilizou o código fonte do que ele veio a chamar de Linux. O nome Linux surgiu da mistura de Linus + Unix. Linus é o nome do criador do Linux, Linus Torvalds. Alguns linuxistas mais radicais chamam o sistema operacional do pingüim de GNU/LINUX, já que Linux Torvalds, conseguiu algum sucesso usando as ferramentas do projeto GNU Origem do nome Linux O nome Linux surgiu da mistura de Linus + Unix. Linus é o nome do criador do Linux, Linus Torvalds. E Unix, é o nome de um sistema operacional de grande porte. O nome do mascote Tux (o pingüim do Linux), foi escolhido por votação, pelo próprio Linus. Segundo ele "gostaria de um pingüim cheio, satisfeito por ter comido muitos peixes". Diz a lenda que o motivo por trás da escolha do Tux como mascote foi uma mordida que Linus levou de um pingüim em um zoológico. O MINIX DO DR. ANDREW TANENBAUM Um outro sistema operacional importante é o Minix. A partir dele é que Linux Torvalds começou a desenvolver o que chamamos de Linux. Mas ele não fez tudo. Veja a seguir a frase do Linux Torvalds que ele publicou na USENET. Mensagem de Linus Torvalds na Usenet Abaixo segue a mensagem publicada por Linus Torvalds via Usenet na divulgação de seu projeto. A tradução para português foi disponibilizada logo abaixo da mensagem em inglês. Ambas as mensagens foram retiradas deste link: O que significa gratuito no Linux? O Linux depois de pronto foi baseado numa licença chamada GPL. Nem ele como criador original do 5

6 Linux pode alterá-la ou requerer o Linux novamente para ele. Licença GPL Software livre não significa que uma empresa não possa comercializá-lo. Pode sim. O Linux, pode ser vendido sem problemas, mas, desde que siga quatro princípios de liberdade:» Liberdade 0: - O direito de executar o programa, para qualquer propósito.» Liberdade 1: - O direito de estudar como o programa funciona e adptá-lo para suas necessidades..» Liberdade 2: O direito de redistribuir cópias, permitindo assim que você ajude outras pessoas.» Liberdade 3: - O direito de aperfeiçoar o programa, e distribuir seus aperfeiçoamentos para o público, beneficiando assim toda a comunidade. Você terá os direitos acima especificados contanto que Você cumpra com os requisitos expressos nesta Licença. Os principais requisitos são: Qualquer uma destas condições podem ser renunciadas, desde que Você obtenha permissão do autor. Qualquer direito de uso legítimo (ou "fair use") concedido por lei, ou qualquer outro direito protegido pela legislação local, não são em hipótese alguma afetados pelo disposto acima. Fonte: Então, para que um programa seja considera livre, ele tem que está baseado nestas quatro liberdades. Mas as pessoas e empresas podem cobrar para distribuir cópias do programa. A única coisa que não pode acontecer é o autor revogar estas 4 liberdades. Então, para garantir estas liberdades é que as licenças foram criadas. A mais famosa é a GPL 6

7 General Public License (Licença Geral Pública). COPYLEFT VERSUS COPYRIGHT O COPYLEFT garante que qualquer usuário tenha o direito de copiar, modificar e redistribuir o código de um programa derivado do mesmo se os termos de distribuição não forem modificados. É o oposto do COPYRIGHT 1.3 Creative commons Quando foi criado o conceito de copyleft, apenas programas computacionais começaram a ser licenciados assim, mas, depois, o movimento pela livre circulação da cultura e do saber estendeu-se a outros tipos de conteúdos, especialmente os artísticos, literários, musicais, científicos e os jornalísticos. Em 2001 surgiram outras licenças que estão consagradas pela Creative Commons, uma organização sem fins lucrativos fundada por Lawrence Lessig, então professor de Direito da Universidade de Stanford. No livro "Cultura Livre" Lessig demonstra que empresas dos EUA conseguiram junto ao Congresso daquele país aumentar o prazo pelo qual uma obra permanece "protegida", de modo a não permitir que inúmeros produtos culturais e imateriais, como livros, músicas e filme sejam utilizados para produzir novas obras. Assim, Lessig defende que a cultura seria mais rica se as leis que regulam os direitos autorais fossem mais flexíveis. As licenças Creative Commons facilitam o compartilhamento e recombinação de conteúdos culturais, como textos, músicas, imagens, filmes e outros, sob a égide de uma filosofia copyleft. Assim, os autores desses produtos podem abdicar em favor do público de alguns dos seus direitos inerentes às suas criações, ainda que retenham outros desses direitos. Há vários tipos de licença, incluindo opções que permitem abdicação quase total de direitos patrimoniais pelo licenciante a tipos mais restritivos, que vedam a possibilidade de criação de obras derivadas ou o uso comercial dos materiais licenciados. Assim, quando um autor escolhe a licença para a sua obra, decide se alguém pode ou não fazer uso comercial, se pode modificá-la ou se a obra derivada deve ou não ter o mesmo tipo de licença relativamente à original. É muito importante compreender que os diversos tipos de obras culturais podem e devem ter licenças diferentes. Por exemplo, a livre modificação de textos pode ser aplicada a alguns tipos de trabalhos, como textos de manuais de programas, que até podem ser empreendimentos coletivos. Já, com relação à produção científica, a modificação do texto não faz sentido, pois é absolutamente necessário identificar o autor, atribuir-lhe responsabilidades e garantir a confiabilidade da fonte. Em geral, essas novas licenças são centradas na manutenção da integridade da obra e usam o Copyleft para garantir a liberdade de reprodução. E garantem ao autor o direito de ser remunerado quando seu trabalho intelectual tiver que ser consubstanciado em meio físico para fins de comércio. Assim, supera-se a velha ideologia da "propriedade intelectual" e instala-se a tutela do "trabalho intelectual". 7

8 Vídeo: Creative Commons - Seja Criativo (Get Creative) Portuguese (acessado novamente em 2/09/2009) (Versão em português com explicação sobre a diferença de copyright para Creative Commons.) Como escolher uma licença Não se abre mão de direitos autorais quando se oferece uma obra sob uma licença Creative Commons. Esse ato significa apenas que se oferece alguns direitos para qualquer pessoa, mas somente sob determinadas condições. Sobre as condições Atribuição O autor permite que outras pessoas copiem, distribuam e executem sua obra, e as obras derivados criadas a partir dela, somente se for dado crédito da maneira que o autor estabeleceu. Uso Não Comercial O autor permite que outras pessoas copiem, distribuam e executem sua obra, e as obras derivadas criadas a partir dela, somente para fins não comerciais. Não à Obras Derivadas O autor permite que outras pessoas copiem, distribuam e executem somente cópias exatas da sua obra, mas sem modificações, ou seja, naõ permite obras derivadas. Compartilhamento pela mesma Licença O autor permitir que outras pessoas distribuam obras derivadas somente sob a mesma licença que rege sua obra. As licenças by-nc-nd - Atribuição - Uso Não Comercial - Não a Obras Derivadas Esta é a mais restritiva dentre as seis licenças principais que permitem redistribuição. É chamada de propaganda grátis". Permite: que outros façam cópia e compartilhem a obra, contanto que mencionem e façam o link ao autor. Não permite: Modificar a obra. E, de nenhum modo, usar a obra para fins comerciais. by-nc-sa - Atribuição - Uso Não Comercial - Compartilhamento pela mesma Licença Permite: que outros remixem, adaptem e criem obras derivadas com fins não comerciais, contanto que atribuam crédito ao autor e licenciem as novas criações sob os mesmos parâmetros. Outros podem fazer cópias ou redistribuir a obra e também podem traduzir, fazer remixes e elaborar novas histórias com base na original. Não permite: Toda nova obra feita deverá ser licenciada com a mesma licença, de modo que qualquer obra derivada não poderá ser usada para fins comerciais. by nc - Atribuição - Uso Não Comercial 8

9 Permite: que outros remixem, adaptem, e criem obras derivadas, sendo vedado o uso com fins comerciais. As novas obras devem conter menção ao autor nos créditos. Não permite: Uso com fins comerciais., mas as obras derivadas não precisam ser licenciadas sob os mesmos termos. by nd - Atribuição - Não a Obras Derivadas Permite: redistribuição e o uso para fins comerciais e não comerciais, contanto que a obra seja redistribuída sem modificações e completa, e que os créditos sejam atribuídos ao autor. by-sa - Atribuição - Compartilhamento pela mesma Licença Comumente comparada a licenças de software livre. Permite: que outros remixem, adaptem, e criem obras derivadas ainda que para fins comerciais, contanto que o crédito seja atribuído ao autor e que essas obras sejam licenciadas sob os mesmos termos. by - Atribuição Esta é menos restritiva. Permite: que outros distribuam, remixem, adaptem ou criem obras derivadas, mesmo que para uso com fins comerciais, contanto que seja dado crédito ao autor pela criação original Linux tem licença GPL O Linux foi lançado sob uma licença que proibia qualquer uso comercial. Logo isso foi alterado para a licença GPL. Essa licença, detalhada aqui, permite a distribuição e até a venda de versões modificadas do Linux, mas requer que todas as cópias sejam lançadas dentro da mesma licença e acompanhadas do código fonte. Um grande parte do código do linux (incluindo as contribuições de Linus Torvalds) menciona apenas a GPL versão 2. Isso determina que o kernel esteja sob a versão 2 exclusivamente. O termo Linux refere-se ao núcleo (em inglês: "kernel") do sistema operativo. O termo também é usado pelos meios de comunicação e usuários para referir-se aos sistemas operacionais baseados no núcleo Linux agregado a outros programas. Segundo Tanenbaum e Silberschatz, um núcleo pode ser considerado o próprio sistema operativo, quando este é definido como um gerenciador de recursos de hardware Arquitetura O Linux é um núcleo monolítico: as funções do núcleo (escalonamento de processos, gerenciamento de memória, operações de entrada/saída, acesso ao sistema de arquivos) são executadas no espaço de núcleo. Uma característica do núcleo Linux é que algumas das funções (drivers de dispositivos, suporte à rede, sistema de arquivos, por exemplo) podem ser compiladas e executadas como módulos (em inglês: LKM - loadable kernel modules), que são bibliotecas compiladas separadamente 9

10 da parte principal do núcleo e podem ser carregadas e descarregadas após o núcleo estar em execução Portabilidade Embora Linus Torvalds não tenha tido como objetivo inicial tornar o Linux um sistema portável, ele evoluiu nessa direção. Linux é hoje um dos núcleos de sistemas operativos mais portáveis, correndo em sistemas desde o ipaq (um computador portátil) até o IBM S/390 (um denso e altamente custoso mainframe). Os esforços de Linus foram também dirigidos a um diferente tipo de portabilidade. Portabilidade, de acordo com Linus, era a habilidade de facilmente compilar aplicações de uma variedade de código fonte no seu sistema; consequentemente, o Linux originalmente tornou-se popular em parte devido ao esforço para que os códigos-fonte GPL ou outros favoritos de todos corressem em Linux. O Linux hoje funciona em dezenas de plataformas, desde mainframes até um relógio de pulso, passando por várias arquitecturas: x86 (Intel, AMD), x86-64 (Intel EM64T, AMD64), ARM, PowerPC, Alpha, SPARC e etc, com grande penetração também em sistemas embarcados, como handhelds, PVR, consola de videojogos e centros multimídia, entre outros Termos de Licenciamento Inicialmente, Torvalds lançou o Linux sob uma licença de software que proibia qualquer uso comercial. Isso foi mudado de imediato para a GNU General Public License. Essa licença permite a distribuição e mesmo a venda de versões possivelmente modificadas do Linux mas requer que todas as cópias sejam lançadas dentro da mesma licença e acompanhadas do código fonte. Apesar de alguns dos programadores que contribuem para o núcleo permitirem que o seu código seja licenciado com GPL versão 2 ou posterior, grande parte do código (incluído as contribuições de Torvalds) menciona apenas a GPL versão 2. Isto faz com que o núcleo como um todo esteja sob a versão 2 exclusivamente, não sendo de prever a adoção da nova GPLv Sistemas de arquivos suportados O Linux possui suporte de leitura e escrita a vários sistema de arquivos, de diversos sistemas operacionais, além de alguns sistemas nativos. Por isso, quando o Linux é instalado em dual boot com outros sistemas (Windows, por exemplo) ou mesmo funcionando como Live CD, ele poderá ler e escrever nas partições formatadas em FAT e NTFS. Por isto, Live CDs Linux são muito utilizados na manutenção e recuperação de outros sistemas operacionais. Entre os sistemas de ficheiros suportados pelo Linux, podemos citar FAT, NTFS, JFS, XFS, HPFS, Minix e ISO 9660 (sistema de ficheiros usado em CD-ROMs). Alguns sistemas de ficheiros nativos são, dentre outros, Ext2, Ext3, Ext4, ReiserFS e Reiser4.[5] Alguns sistemas de ficheiros com características especiais são SWAP, UnionFS, SquashFS, Tmpfs, Aufs e NFS, dentre outros Sistema Operacional Richard Stallman, fundador do projeto GNU para um sistema operacional livre.logo que Linus Torvalds passou a disponibilizar o Linux, ou seja na sua versão 0.01, já havia suporte ao disco rígido, tela, teclado e portas seriais, o sistema de arquivos adotava o mesmo layout do Minix (embora não houvesse código do Minix no Linux), havia extensos trechos em assembly, e ela já era capaz de rodar 10

11 o bash e o gcc. A linha guia quando implementei o Linux foi: fazê-lo funcionar rápido. Eu queria o núcleo simples, mas poderoso o suficiente para rodar a maioria dos aplicativos Unix.[6] O próprio usuário deveria procurar os programas que dessem funcionalidade ao seu sistema, compilá-los e configurá-los. Talvez por isso, o Linux tenha carregado consigo a etiqueta de sistema operativo apenas para técnicos. Foi neste ambiente que surgiu a MCC Interim Linux, do Manchester Computer Centre, a primeira distribuição Linux, desenvolvida por Owen Le Blanc da Universidade de Manchester, capaz de ser instalada independentemente em um computador. Foi uma primeira tentativa de facilitar a instalação do Linux. Desde o começo, o núcleo Linux incluía um sistema básico para chamadas do sistema e acesso aos dispositivos do computador. O núcleo de um sistema operativo define entre várias operações, o gerenciamento da memória, de processos, dos dispositivos físicos no computador e é uma parte essencial de qualquer sistema operacional utilizável, contudo para um sistema operacional adquirir funcionalidade são necessários também vários outros aplicativos que determinam funções específicas que aquele sistema será capaz de desenvolver, os aplicativos existentes em um sistema operacional com a única exceção do núcleo são determinados pelo usuário do computador, como por exemplo: interpretadores de comandos, gerenciadores de janelas, que oferecem respectivamente uma interface para o usuário do computador, CLI ou GUI, e outros aplicativos como editores de texto, editores de imagem, tocadores de som, e, mas não necessariamente, compiladores. A maioria dos sistemas inclui ferramentas e utilitários baseados no BSD e tipicamente usam XFree86 ou X.Org para oferecer a funcionalidade do sistemas de janelas X interface gráfica. Assim como também oferecem ferramentas desenvolvidas pelo projeto GNU. No momento do desenvolvimento do Linux, vários aplicativos já vinham sendo reunidos pelo Projeto GNU da Free Software Foundation ( Fundação Software Livre ), que embarcara em um subprojeto que ainda continua para obter um núcleo, o GNU Hurd. Porém devido a várias complicações o projeto GNU e demora em desenvolver o Hurd, Stallman acabou adotando o núcleo Linux como base para distribuir os programas do projeto GNU, não obstante diversas pessoas e instituições tiveram a mesma idéia e assim várias distribuições começaram a surgir baseadas no núcleo desenvolvido inicialmente por Linus. 1.4 Distribuições Ver artigo principal: Distribuições de Linux Atualmente, um Sistema Operacional (em Portugal Sistema Operativo) Linux ou GNU/Linux completo (uma "Lista de distribuições de Linux ou GNU/Linux") é uma coleção de software livre (e por vezes não-livres) criados por indivíduos, grupos e organizações de todo o mundo, incluindo o núcleo Linux. Companhias como a Red Hat, a SuSE, a Mandriva (união da Mandrake com a Conectiva) e a Canonical (desenvolvedora do Ubuntu Linux), bem como projetos de comunidades como o Debian ou o Gentoo, compilam o software e fornecem um sistema completo, pronto para instalação e uso. Patrick Volkerding também fornece uma distribuição Linux, o Slackware. As distribuições do Linux ou GNU/Linux começaram a receber uma popularidade limitada desde a segunda metade dos anos 90, como uma alternativa livre para os sistemas operacionais Microsoft Windows e Mac OS, principalmente por parte de pessoas acostumadas com o Unix na escola e no trabalho. O sistema tornou-se popular no mercado de Desktops e servidores, principalmente para a Web e servidores de bancos de dados. No decorrer do tempo, várias distribuições surgiram e desapareceram, cada qual com sua característica. Algumas distribuições são maiores outras menores, dependendo do número de aplicações e sua finalidade. Algumas distribuições de tamanhos menores cabem num disquete com 1,44 MB, outras precisam de vários CDs, existindo até algumas versões em DVD. Todas elas tem o seu público e sua finalidade, as pequenas (que ocupam poucos disquetes) são usadas para recuperação de sistemas danificados ou em monitoramento de redes de computadores. 11

12 De entre as maiores, distribuídas em CDs, podem-se citar: Slackware, Debian, Suse, e Conectiva. O que faz a diferença é como estão organizadas e pré-configuradas as aplicações. A distribuição Conectiva Linux, por exemplo, tinha as suas aplicações traduzidas em português, o que facilitou que usuários que falam a Língua Portuguesa tenham aderido melhor a esta distribuição. Hoje esta distribuição foi incorporada à Mandrake, o que resultou na Mandriva. Para o português, existe também a distribuição brasileira Kurumin (Essa distribuição foi descontinuada pelo seu mantedor), construída sobre Knoppix e Debian, e a Caixa Mágica, existente nas versões 32 bits, 64 bits, Live CD 32 bits e Live CD 64 bits, e com vários programas open source: OpenOffice.org, Mozilla Firefox, entre outros. Existem distribuições com ferramentas para configuração que facilitam a administração do sistema. As principais diferenças entre as distribuições estão nos seus sistemas de pacotes, nas estruturas dos diretórios e na sua biblioteca básica. Por mais que a estrutura dos diretórios siga o mesmo padrão, o FSSTND é um padrão muito relaxado, principalmente em arquivos onde as configurações são diferentes entre as distribuições. Então normalmente todos seguem o padrão FHS (File Hierarchy System), que é o padrão mais novo. Vale lembrar, entretanto, que qualquer aplicativo ou driver desenvolvido para Linux pode ser compilado em qualquer distribuição que vai funcionar da mesma maneira. Quanto à biblioteca, é usada a Biblioteca libc, contendo funções básicas para o sistema Operacional Linux. O problema está quando do lançamento de uma nova versão da Biblioteca libc, algumas das distribuições colocam logo a nova versão, enquanto outras aguardam um pouco. Por isso, alguns programas funcionam numa distribuição e noutras não. Existe um movimento LSB (Linux Standard Base) que proporciona uma maior padronização. Auxilia principalmente vendedores de software que não liberam para distribuição do código fonte, sem tirar características das distribuições. O sistemas de pacotes não é padronizado. ArchLinux, Debian, Fedora, Mandriva, Mint, Opensuse, PCLinuxOS, Puppy, Sabayon, Slackware e Ubuntu são algumas das distribuições mais utilizadas actualmente, listadas aqui por ordem alfabética. Um exemplo de distribuição que corre num CD é o Kurumin Linux, criado por Carlos Eduardo Morimoto, baseada no Knoppix. De entre as distribuições consideradas mais difíceis de gerir (por preferirem assegurar a estabilidade tecnológica em detrimento da interface de utilizador), destacam-se a Debian, Gentoo e Slackware. Código Aberto e Programas Livres Um programa, assim como toda obra produzida atualmente, seja ela literária, artística ou tecnológica, possui um autor. Os Direitos sobre a idéia ou originalidade da obra do autor, que incluem essencialmente distribuição, reprodução e uso é feito no caso de um programa através de sua licença. Existem dois movimentos que regem o licenciamento de programas no mundo livre, os programas de código aberto e os programas livres. Os dois representados respectivamente pela OSI e pela FSF oferecem licenças para produção de software, sendo seus maiores representantes a licença BSD e a GPL. O Linux oferece muitos aplicativos de open source, contudo nem todos podem ser considerados programas livres, dependendo exclusivamente sob qual licença estes programas são distribuídos. Os programas distribuídos sob tais licenças possuem as mais diversas funcionalidades, como desktops, escritório, edição de imagem e inclusive de outros sistemas operacionais. Também existem organizações inclusive no mundo livre como a organização Linux Simples para o Usuário Final (SEUL) que tem como objetivo adotar a maior gama possível de aplicativos de alta qualidade produzidos sobre a GPL. É um projeto voluntário que atualmente se foca no aprendizado de Linux, seu uso na ciência e em documentos de advocacia, bem como gerenciar e coordenar projetos de desenvolvimento de aplicativos. Controvérsias quanto ao nome Linux foi o nome dado ao núcleo de sistema operacional criado por Linus Torvalds. Por extensão, 12

13 sistemas operacionais que usam o núcleo Linux são chamados genericamente de Linux. Entretanto, a Free Software Foundation afirma tais sistemas operacionais são, na verdade, sistemas GNU, e o nome mais adequado para tais sistemas é GNU/Linux, uma vez que grande parte do código-fonte dos sistemas operacionais baseados em Linux são ferramentas do projeto GNU.[7] Há muita controvérsia quanto ao nome. Eric Raymond afirma, no Jargon File, que a proposta da FSF só conseguiu a "aceitação de uma minoria" e é resultado de uma "disputa territorial".[8] Linus Torvalds afirma que consideraria "justo" que tal nome fosse atribuído a uma distribuição do projeto GNU, mas que chamar os sistemas operacionais Linux como um todo de GNU/Linux seria "ridículo".[9] Linus disse não se importar sobre qual o nome usado, considera a proposta da GNU como "válida" ("ok") mas prefere usar o termo "Linux".[10] Sobre o símbolo O símbolo do software foi escolhido pelo seu criador, que achou a foto de um pinguim na internet. [11] Em 1996, muitos integrantes da lista de discussão "Linux-Kernel" estavam discutindo sobre a criação de um logotipo ou de um mascote que representasse o Linux. Muitas das sugestões eram paródias ao logotipo de um sistema operacional concorrente e muito conhecido. Outros eram monstros ou animais agressivos. Linus Torvalds acabou entrando nesse debate ao afirmar em uma mensagem que gostava muito de pingüins. Isso foi o suficiente para dar fim à discussão. Tux.Depois disso, várias tentativas foram feitas numa espécie de concurso para que a imagem de um pingüim servisse aos propósitos do Linux, até que alguém sugeriu a figura de um "pingüim sustentando o mundo". Em resposta, Linus Torvalds declarou que achava interessante que esse pingüim tivesse uma imagem simples: um pingüim "gordinho" e com expressão de satisfeito, como se tivesse acabado de comer uma porção de peixes. Torvalds também não achava atraente a idéia de algo agressivo, mas sim a idéia de um pingüim simpático, do tipo em que as crianças perguntam "mamãe, posso ter um desses também?". Ainda, Torvalds também frisou que trabalhando dessa forma, as pessoas poderiam criar várias modificações desse pingüim. Isso realmente acontece. Quando questionado sobre o porquê de pingüins, Linus Torvalds respondeu que não havia uma razão em especial, mas os achava engraçados e até citou que foi mordido por um "pingüim assassino" na Austrália e ficou impressionado como a mordida de um animal aparentemente tão inofensivo podia ser tão dolorosa Distribuições de propósito geral ALT Linux v e Arch Linux v e Debian v e BrDesktop v e BRLix v e 13

14 Damn Small Linux v e Freedows v e Insigne GNU Linux v e KeeP-OS v e Knoppix v e Kurumin v e NG DreamLinux v e Big Linux v e gnulinex v e Resulinux v e Rxart v e Satux v e Skolelinux v e SuiteTelecentro v e Ubuntu v e Alinex v e Fluxbuntu v e gnewsense v e Gobuntu v e Goobuntu v e Jolicloud v e Kubuntu v e Kubuntu Netbook Remix v e Linux Educacional v e 3.0 Linux Mint v e Ubuntu Netbook Remix v e Ubuntu Studio v e Ultimate Edition v e Xubuntu v e ZeVenOS v e Xandros v e Foresight Linux v e Gentoo v e Guaranix v e Librix v e Litrix Linux v e Sabayon Linux v e Tutoo v e GoboLinux v e Linux From Scratch v e Neo Dizinha v e OpenSuSE v e Puppy Linux v e Red Hat Linux v e Caixa Mágica v e CentOS v e Fedora v e Ekaaty v e Insigne GNU Linux v e - versão 3 Libertas v e Muriqui v e Vixta v e Mandriva v e PCLinuxOS v e Yellow Dog Linux v e Resulinux v e Slackware Linux v e GoblinX v e Slax v e Vector Linux v e 14

15 [editar] Distribuições LiveCD As distribuições em LiveCD rodam direto do cd-rom. ALT Linux v e Arch Linux v e Arco-Debian Linux v e BRLix v e (Baseado no Debian) Ambiente similar ao Windows XP/Vista Big Linux v e Caixa Mágica LiveCD v e CentOS v e CLive v e (baseada em Conectiva Linux) Damn Small Linux v e Dizinha Linux v e (baseada no Kurumin) Dreamlinux v e Fedora v e Fenix Linux v e Gentoo v e GoblinX v e Gnoppix v e (baseada em Knoppix) Incognito v e Insigne GNU Linux v e (baseada em Debian/Fedora) Litrix Linux v e Linux Mint v e Linux Educacional v e 3.0 Linius (Basado em caixa mágica) Kya Linux v e (baseada em Slackware Linux) Kalango Linux v e (baseada no Kurumin) Kanotix v e (baseada em Knoppix) KeeP-OS v e Knoppix v e (baseada em Debian Linux) Kubuntu v e Kurumin v e (baseada em Knoppix) Kurumin Games v e (Baseada no Kurumin) NUbuntu v e LinuxFX v e Mandriva v e Mepis v e Moblin v e Morphix v e Neo Dizinha v e NimbleX v e opensuse v e Paipix v e PCLinuxOS v e PHLAK v e (Baseado no Morphix) Poseidon Linux v e (baseada no Ubuntu) (live-dvd) Puppy Linux v e Quantix v e Resulinux v e Sabayon Linux v e Sacix v e Satux v e (Baseada em Debian ) Slax v e (baseada em Slackware Linux) SliTaz (distribuição completa e minimalista) (Live-CD) Super OS v e Tatui x v e Ubuntu v e (baseada em Debian Linux) Vixta v e (projeto baseado no Fedora com aparencia do Windows Vista) Yoper v e [editar] Distribuições de propósito especial 15

16 andlinux v e, versão do Ubuntu que roda integrada ao Windows junto com o Explorer. Ångström v e - Desenvolvida para o console portátil Pandora. Android v e - Sistema operacional voltada para smartphones, desenvolvida pela Google. Arm-Linux v e BackTrack v e (Fusão do Whax com Auditor Security Collection) Bootable Business Card v e BrazilFW v e Coyote Linux v e Cytrun Linux v e Dyne:Bolic v e Edubuntu v e Embedded Debian v e Endian Firewall v e EOS Enhanced Operating System v e - Desenvolvida para automatizar instalação de produtos. F.I.R.E v e FREESCO v e GeexBox v e Helix v e - distribuição baseada em Ubuntu,dedicada à investigação ou ciência forense informática. Indymix v e IPCop v e Linux Educacional v e - Voltados para uso de professores, gestores e alunos da rede pública de ensino brasileira. Live Android v e - É um projeto que visa a utilização do sistema Android para PC's. Mikrotik v e Musix v e Mythbuntu v e Openfiler v e Pentoo v e Portable Ubuntu for Windows v e - Outra versão do Ubuntu que roda integrada ao Windows junto com o Explorer. Progeny Debian v e Sentry Firewall v e Skolelinux v e SliTaz - Distribuição voltada para computadores antigos e/ou com baixo desempenho. Sysresccd v e - Distro com ferramentas essenciais para manutenção em geral Terabeauts v e - Distro em disquete destinada à criação e manutenção de sistemas de arquivos The Linux Router Project v e Tupiserver v e Ubuntu Studio v e μclinux v e [editar] Desktops Desktop padrão KDE 4.3 Desktop Gnome 2.20 Desktop do Xfce - GoblinXO sistema operacional Linux possui dois tipos de interfaces para que o usuário possa interagir com o sistema operacional. As interfaces gráficas e a interface de linha de comando. As interfaces gráficas foram desenvolvidas inicialmente por Douglas C. Engelbart e também chamadas de ambientes gráficos, Desktop's ou GUI (Graphical User Interfaces). Alguns exemplos para o Linux são: Kde Gnome LXDE Xfce Fluxbox Blanes Blackbox Windowmaker 16

17 Afterstep Enlightenment IceWM FVWM Kahakai ZappWM dwm SithWM Whim Karmen Sawfish XIGE Framer Mavosxwm WindowLab OpenBox xmonad [editar] Desktops 3D Os desktops 3D, são na verdade, plugins para adicionar efeitos incríveis às outras interfaces: AIGLX/Beryl XGL/Compiz Compiz Fusion[1] Metisse KWin gerenciador de janelas do KDE com efeitos nativos. [editar] Sistemas móveis (Mobile) Motomagx - sistema especialmente desenvolvido para celulares Motorola LinuxMod - sistema baseado no Motomagx [editar] Interpretadores de comandos Usando o Bash - FramebufferRepresentando a interface de acesso no modo texto, ou CLI (Command Line Interface) do Linux, eles são a principal forma de controle remoto e gerenciamento do sistema. Exemplos de interfaces de linha de comando, também chamados de Shell's ou interpretadores de comandos: sh ksh pdksh bash csh tcsh zsh ash dash rc rsh ssh screen Usando o Linux Para aqueles que nunca usaram o Linux, iremos expor aqui os conceitos preliminares estritamente necessários para se programar usando o GTK. Portanto, esta primeira seção, onde iremos apenas apresentar alguns pontos que consideramos fundamentais, é dedicada aos iniciantes e àqueles que ainda não estão familiarizados com o sistema. Se esta não é a sua situação, vá direto para a próxima seção. Nosso primeiro principal objetivo será motivá-lo a usar o GTK. Esperamos que qualquer um que tenha noções básicas de C sinta-se encorajado a usar o GTK após ler este tutorial, independentemente do 17

18 sistema operacional que vinha usando até então. Por isso, é muito importante para nós ter acesso a possíveis dúvidas e comentários. Teremos o maior prazer em responder. Partimos do princípio de que você tem o Linux instalado e funcionando corretamente. Caso você ainda precise passar por essa etapa, recomendamos a instalação de uma das diversas distribuições disponíveis, entre elas a da Red Hat (www.redhat.com.br), uma das mais fáceis de ser instalada e atualizada. Em seguida, leia o texto "Linux Installation and Getting Started" (http://www.infomagic.com/linux/ldp/ldp/gs/gs.html), ou "Linux Installation HOWTO" (http://www.cube.net/linux-howto/installation-howto.html) de Matt Welsh, ou ainda Linux Installation HOWTO (http://www.linuxdoc.org/howto/installation-howto.html"), de Eric S. Raymond. Parte desses textos corresponde aos capítulos iniciais do livro Dominando o LINUX, de Matt Welsh e Lar Kaufman, cuja leitura é muito recomendada. Visite para obter mais informações sobre o livro. O site de referência ao Linux é: Vale a pena visitá-lo de vez em quando! O que é o Linux O Linux é um sistema multiusuário e multitarefa, o que significa que várias pessoas podem trabalhar de uma vez, e que este é capaz de realizar diversas tarefas ao mesmo tempo. Além disso, o Linux é um sistema operacional em constante evolução. Isto implica num eterno aprendizado por parte de seus usuários. Quando se usa um computador em que o sistema LINUX foi instalado, a primeira coisa que se deve fazer é informar o seu login, e em seguida a sua senha, o que lhe dará acesso a todos os recursos disponíveis. Em geral, apenas o usuário denominado "root" tem acesso irrestrito a todo o sistema, e é ele quem administra o restante das configurações. Uma vez digitado o login e a senha, você terá acesso ao prompt. Esse prompt (que aqui será simbolizado por um sinal de $) é gerado por um programa chamado shell (literalmente, casca ou aparência exterior) que é responsável por lidar com os seus comandos O que é um comando No Linux, os comandos são arquivos que possuem permissão para serem executados. A maioria dos comandos inerentes ao Linux encontra-se no diretório /bin. Assim como no DOS, existe uma lista de diretórios onde o shell pesquisa à procura de comandos. Essa lista de diretórios se chama path (ou 18

19 caminho). Para ver como está o seu caminho atual, digite: $echo $PATH Uma observação muito importante é que, diferentemente do DOS, o Linux não pesquisa automaticamente no seu diretório atual a procura de comandos a serem executados. O diretório atual é simbolizado por um ponto, e o diretório pai é simbolizado por dois pontos. Se você quiser executar um arquivo chamado "nomearq.exe", que se encontra no diretório atual, e informar apenas: $ nomearq receberá uma mensagem do tipo "File not found". Você deverá informar explicitamente ao sistema que execute o arquivo "nomearq.exe", que se encontra no diretório atual: $./nomearq.exe Uma alternativa seria incluir um ponto (. ) na variável $PATH. No bash, use: $ export PATH=$PATH:. Esse comando irá tornar o seu caminho igual ao caminho antigo mais o diretório atual (o ponto). No tcsh, forneça: $ set path = ( $PATH. ) Linguagens de Programação Como programar com o gcc O gcc é um compilador C/C++ poderoso. Isto se deve ao fato de que o C é a linguagem nativa do Linux. O gcc (GNU C Compiler) funciona a partir da linha de comandos do shell. Para saber todas as opções que esse compilador oferece, consulte a página manual do mesmo. Visite a página para saber mais sobre o projeto GNU. A sintaxe básica para se chamar o gcc é: $ gcc [opções] [arquivos] Muitas opções do gcc consistem de mais de um caracter. Por isso, diferentemente da maioria dos outros comandos do shell, cada opção deve ser precedida pelo seu próprio hífen. Você não pode agrupar opções depois de um único hífen. Os dois comandos a seguir, por exemplo, não são idênticos: $ gcc -p -g test.c $ gcc -pg test.c Se você compilar um arquivo e não especificar nenhum parâmetro na linha de comando, o gcc irá 19

20 automaticamente criar um arquivo executável, e irá chamá-lo de a.out. Para testar, clique aqui para baixar o arquivo teste.c (o tradicional "Hello World!" escrito em C), copie-o para o diretório adequado e lá digite: $ gcc teste.c Para especificar um outro nome para o arquivo de saída, deve-se usar a opção -o (do inglês, output). Para compilar um programa chamado teste.c e gerar um executável chamado hello, digite o seguinte: $ gcc -o hello teste.c O processo de gerar um arquivo executável se divide em duas etapas. Primeiro é gerado o código objeto, a partir do código fonte. Esse arquivo objeto é praticamente equivalente ao código de máquina. Em seguida, o arquivo objeto é linkado ("ligado") para produzir um executável. Essa etapa consiste em informar ao programa onde encontrar as bibliotecas de que este necessita para funcionar. Existem dois tipos de bibliotecas: as estáticas e as compartilhadas. As bibliotecas estáticas são anexadas ao arquivo a ser executado, de modo que passam a fazer parte do programa final. Isso, no entanto, pode ser pouco prático, caso muitos programas usem as mesmas sub-rotinas de bibliotecas em comum. Nesses casos, costuma-se usar as bibliotecas compartilhadas. Quando o programa for ligado a uma biblioteca compartilhada, ao invés de ser anexado todo o código da biblioteca ao programa, será apenas fornecida uma referência para a mesma no disco, de modo que o carregador possa encontrá-la durante a execução. Bibliotecas Para o compilador saber onde encontrar os arquivos de inclusão e as bibliotecas, use as opções -I e -L respectivamente, seguidas pelos diretórios onde encontram-se os mesmos. Por exemplo: $ gcc -I/usr/include -L/usr/lib -o exemplo exemplo.c -lstuff Neste exemplo, a opção -I informa ao gcc para que acrescente o diretório /usr/include ao caminho onde serão pesquisados os arquivos de inclusão. A opção -L informa ao gcc que acrescente o diretório /usr/lib ao caminho onde serão pesquisadas as bibliotecas. Por fim, a opção -lstuff indica ao gcc que ligue a biblioteca libstuff.a ao executável. Por padrão todas as bibliotecas começam com as iniciais "lib". As bibliotecas que terminam com a extensão ".a" são estáticas, e as que terminam com extensão ".so" são compartilhadas. Por padrão, o compilador irá tentar primeiro ligar as bibliotecas compartilhadas. Para especificar que você deseja usar bibliotecas estáticas, utilize a opção -static.1 Mais opções... É recomendável que se ative a opção -w ao se usar o gcc. Esta ativa todas as mensagens de aviso e de erro que o compilador possa gerar. Pode-se especificar até que ponto o gcc irá processar o código fonte. A opção -c indica ao gcc que apenas gere o código objeto. A opção -S indica ao gcc que pare após gerar o código assembly. É possível ainda otimizar o seu código fonte, usando as opções -O, que fará otimizações básicas, e -O2, que trará otimizações avançadas. Ao ativar essas opções, o processo de compilação se tornará mais lento, mas o seu executável será mais rápido. Finalmente, para poder futuramente depurar ou analisar detalhes sobre o código, use a opção -g, se for usar o gdb (Gnu Debugger), -p se for usar o prof ou ainda -pg, se você for usar o gprof. 3 Para saber como compilar programas que fazem uso da biblioteca GTK, consulte a seção

Everson Scherrer Borges João Paulo de Brito Gonçalves

Everson Scherrer Borges João Paulo de Brito Gonçalves Everson Scherrer Borges João Paulo de Brito Gonçalves 1 Introdução ao Linux e Instalação do Ubuntu Linux História Em 1973, um pesquisador da Bell Labs, Dennis Ritchie, reescreveu todo o sistema Unix numa

Leia mais

Fundamentos e Prática em Informática Ensino Médio Integrado em Informática. Lara Popov Zambiasi Bazzi Oberderfer

Fundamentos e Prática em Informática Ensino Médio Integrado em Informática. Lara Popov Zambiasi Bazzi Oberderfer Fundamentos e Prática em Informática Ensino Médio Integrado em Informática Lara Popov Zambiasi Bazzi Oberderfer Interface amigável e de fácil instalação; Maior compatibilidade de programas

Leia mais

Partição Partição primária: Partição estendida: Discos básicos e dinâmicos

Partição Partição primária: Partição estendida: Discos básicos e dinâmicos Partição Parte de um disco físico que funciona como se fosse um disco fisicamente separado. Depois de criar uma partição, você deve formatá-la e atribuir-lhe uma letra de unidade antes de armazenar dados

Leia mais

SOFTWARE LIVRE. Distribuições Live CD. Kernel. Distribuição Linux

SOFTWARE LIVRE. Distribuições Live CD. Kernel. Distribuição Linux SOFTWARE LIVRE A liberdade de executar o programa, para qualquer propósito. A liberdade de estudar como o programa funciona, e adaptá-lo para as suas necessidades. Acesso ao código-fonte é um pré-requisito

Leia mais

Objetivos do Curso. Organização do Curso. Apresentação do Curso. Pós Graduação em Projeto e Gerencia de Redes de Computadores

Objetivos do Curso. Organização do Curso. Apresentação do Curso. Pós Graduação em Projeto e Gerencia de Redes de Computadores 1 Pós Graduação em Projeto e Gerencia de Redes de Computadores Sistemas Operacionais de Redes I - Linux Prof.: Nelson Monnerat Apresentação do Curso 1 Objetivos do Curso Sistema Operacional Unix/Linux;

Leia mais

Introdução a Sistemas Abertos

Introdução a Sistemas Abertos Introdução a Sistemas Abertos Apresentação filipe.raulino@ifrn.edu.br Sistemas Abertos Qualquer programa de computador que pode ser usado, copiado, estudado e redistribuído inclusive com seu código fonte

Leia mais

Publicado por brain em Sáb, 2006-03-25 19:35. :: Documentação [http://brlinux.org/linux/taxonomy/term/13]

Publicado por brain em Sáb, 2006-03-25 19:35. :: Documentação [http://brlinux.org/linux/taxonomy/term/13] O que é Linux Publicado por brain em Sáb, 2006-03-25 19:35. :: Documentação [http://brlinux.org/linux/taxonomy/term/13] por Augusto Campos Este artigo responde a diversas dúvidas comuns de novos usuários,

Leia mais

Julgue os itens a seguir referentes a conceitos de software livre e licenças de uso, distribuição e modificação.

Julgue os itens a seguir referentes a conceitos de software livre e licenças de uso, distribuição e modificação. Julgue os itens a seguir referentes a conceitos de software livre e licenças de uso, distribuição e modificação. 1.Todo software livre deve ser desenvolvido para uso por pessoa física em ambiente com sistema

Leia mais

16:21:50. Introdução à Informática com Software Livre

16:21:50. Introdução à Informática com Software Livre 16:21:50 Introdução à Informática com Software Livre 1 16:21:50 Hardware & Software 2 16:21:50 Hardware Hardware é a parte física de um computador, é formado pelos componentes eletrônicos, como por exemplo,

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 1 Introdução aos Sistemas Operacionais GNU/Linux. QI ESCOLAS E FACULDADES Curso Técnico em Informática

Sistema Operacional Unidade 1 Introdução aos Sistemas Operacionais GNU/Linux. QI ESCOLAS E FACULDADES Curso Técnico em Informática Sistema Operacional Unidade 1 Introdução aos Sistemas Operacionais GNU/Linux Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 INTRODUÇÃO AOS SISTEMAS OPERACIONAIS... 3 Monousuário x Multiusuário...

Leia mais

Introdução ao Linux: Parte I

Introdução ao Linux: Parte I Data: Introdução ao Linux: Parte I Marcelo Ribeiro Xavier da Silva marceloo@inf.ufsc.br Histórico 3 Origem do GNU Linux Em 1983, Richard Stallman fundou a Free Software Foundation, com o intuito de criar

Leia mais

Sistemas Operacionais de Arquitetura Aberta

Sistemas Operacionais de Arquitetura Aberta Sistemas Operacionais de Arquitetura Aberta Dailson Fernandes www.dailson.com.br contato@dailson.com.br Facebook: dailson.fernandes Twitter: @dailson_ Habilidades Instalar o sistema operacional; Instalar

Leia mais

História. Sistema Operacional

História. Sistema Operacional História Linux é o termo geralmente usado para designar qualquer sistema operacional que utilize o núcleo Linux. Foi desenvolvido pelo Finlandês Linus Torvalds, inspirado no sistema Minix. O seu código

Leia mais

Informática I. Aula 19. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 19-20/11/06 1

Informática I. Aula 19. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 19-20/11/06 1 Informática I Aula 19 http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 19-20/11/06 1 Ementa Histórico dos Computadores Noções de Hardware e Software Microprocessadores Sistemas Numéricos e Representação

Leia mais

Projeto de extensão Linux no Campus

Projeto de extensão Linux no Campus Projeto de extensão Linux no Campus Universidade Federal de Santa Maria Acadêmico do Curso de Sistemas de Informação Evandro Bolzan Contatos: ebolzan@inf.ufsm.br, http://www.inf.ufsm.br/~ebolzan BUG BUG

Leia mais

ENDEREÇOS DE REDE PRIVADOS. 10.0.0.0 até 10.255.255.255 172.16.0.0 até 172.31.255.255 192.168.0.0 até 192.168.255.255. Kernel

ENDEREÇOS DE REDE PRIVADOS. 10.0.0.0 até 10.255.255.255 172.16.0.0 até 172.31.255.255 192.168.0.0 até 192.168.255.255. Kernel ENDEREÇOS DE REDE PRIVADOS Foram reservados intervalos de endereços IP para serem utilizados exclusivamente em redes privadas, como é o caso das redes locais e Intranets. Esses endereços não devem ser

Leia mais

Sistema de Arquivos do Windows

Sistema de Arquivos do Windows Registro mestre de inicialização (MBR) A trilha zero do HD, onde ficam guardadas as informações sobre o(s) sistema(s) operacionais instalados. Onde começa o processo de inicialização do Sistema Operacional.

Leia mais

INSS. Prof. Rafael Araújo. Informática. software assim licenciado. A esta versão de copyright, dá-se o nome de copyleft.

INSS. Prof. Rafael Araújo. Informática. software assim licenciado. A esta versão de copyright, dá-se o nome de copyleft. SOFTWARE LIVRE Software Livre é todo programa de computador que pode ser usado, copiado, estudado, modificado e redistribuído sem nenhuma restrição. O software livre tem seu modelo de desenvolvimento baseado

Leia mais

Universidade Federal de Goiás. Alexandre Ferreira de Melo CERCOMP / UFG

Universidade Federal de Goiás. Alexandre Ferreira de Melo CERCOMP / UFG Universidade Federal de Goiás Ubuntu Desktop Alexandre Ferreira de Melo CERCOMP / UFG Conpeex / 2010 Agenda Introdução Conceitos Categorias de Software História do Linux Arquitetura do Linux Ubuntu Projeto

Leia mais

Curso de Linux Básico com o Linux Educacional

Curso de Linux Básico com o Linux Educacional Curso de Linux Básico com o Felipe Buarque de Queiroz felipe.buarque@gmail.com Unidade Gestora de Tecnologia da Informação - UGTI Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de Alagoas - FAPEAL Maio de 2009

Leia mais

Software Livre. Acesso ao código fonte Alterar o código fonte Redistribuir Utilizar como desejar

Software Livre. Acesso ao código fonte Alterar o código fonte Redistribuir Utilizar como desejar Software Livre Acesso ao código fonte Alterar o código fonte Redistribuir Utilizar como desejar Linux Licença GPL (Licença Pública Geral) Linux Licença GPL (Licença Pública Geral) - A liberdade de executar

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS DE ARQUITETURA ABERTA

SISTEMAS OPERACIONAIS DE ARQUITETURA ABERTA SISTEMAS OPERACIONAIS DE ARQUITETURA ABERTA Prof. Ulisses Cotta Cavalca Belo Horizonte/MG 2015 1 SUMÁRIO 1. Histórico do sistema operacional 2. Licença de softwares 3. Aspectos

Leia mais

Administração de Sistemas Operacionais de Rede Linux. Prof. Michel Moron Munhoz michel.moron@aes.edu.br

Administração de Sistemas Operacionais de Rede Linux. Prof. Michel Moron Munhoz michel.moron@aes.edu.br Administração de Sistemas Operacionais de Rede Linux Prof. Michel Moron Munhoz michel.moron@aes.edu.br Conteúdo da disciplina (1 de 2) Visão Geral (multitarefa, mono-tarefa, memória virtual, ambiente gráfico

Leia mais

SISTEMA OPERACIONAL & SOFTWARE LIVRE

SISTEMA OPERACIONAL & SOFTWARE LIVRE Curso Técnico em Redes de Computadores Disciplina de Sistemas Operacionais Livres SISTEMA OPERACIONAL & SOFTWARE LIVRE Professora: Juliana Cristina dos Santos E-mail: professora@julianacristina.com Site:

Leia mais

Estudo de Caso II: LINUX

Estudo de Caso II: LINUX Estudo de Caso II: LINUX AULA 9 Flávia Maristela (flavia@flaviamaristela.com) ( romildo@romildo.net ) Romildo Martins Na aula de hoje Histórico do Linux Personagens Características Licença Distribuição

Leia mais

ÍNDICE. www.leitejunior.com.br 06/10/2009 10:21 Leite Júnior

ÍNDICE. www.leitejunior.com.br 06/10/2009 10:21 Leite Júnior ÍNDICE SOFTWARE LIVRE / OPEN SOURCE...2 PROPRIEDADE INTELECTUAL...2 GRAUS DE RESTRIÇÃO EM LICENÇAS DE SOFTWARE...2 LICENÇAS DE SOFTWARE...2 OPEN SOURCE...2 SOFTWARE LIVRE...2 GNU GPL...4 GNU LGPL...4 SOFTWARE

Leia mais

Gestão em Sistemas de Informação. Profa.: Me. Christiane Zim Zapelini E-mail: christianezapelini@nwk.edu.br

Gestão em Sistemas de Informação. Profa.: Me. Christiane Zim Zapelini E-mail: christianezapelini@nwk.edu.br Gestão em Sistemas de Informação Profa.: Me. Christiane Zim Zapelini E-mail: christianezapelini@nwk.edu.br Gestão em Sistemas de Informação Aula 34 Software livre e código aberto Aula 34 2 Gestão em Sistemas

Leia mais

Informática Fácil NOÇÕES DE LINUX. Prof.: Adelson Gomes Ferraz Antonio Carlos Reis

Informática Fácil NOÇÕES DE LINUX. Prof.: Adelson Gomes Ferraz Antonio Carlos Reis Informática Fácil NOÇÕES DE LINUX Prof.: Adelson Gomes Ferraz Antonio Carlos Reis Cronologia 1. 1969 Univ Berkeley, Califórnia, cria-se o SO UNIX para uso geral em grandes computadores 1. Década de 70

Leia mais

AULA 1. Bruno L. Albrecht Felipe A. Chies Lucas F. Zawacki. PET Computação UFRGS

AULA 1. Bruno L. Albrecht Felipe A. Chies Lucas F. Zawacki. PET Computação UFRGS M i n i - C u r s o d e I n t r o d u ç ã o a o G N U / L i n u x AULA 1 Bruno L. Albrecht Felipe A. Chies Lucas F. Zawacki PET Computação UFRGS Março/Abril 2008 O b j e t i v o s d o M i n i - C u r s

Leia mais

Labgrad. Usúario: Senha: senha

Labgrad. Usúario: <matricula> Senha: senha Suporte A equipe do Suporte é responsável pela gerência da rede do Departamento de Informática, bem como da manutenção dos servidores da mesma, e também é responsável pela monitoria do LabGrad e do LAR.

Leia mais

I N F O R M Á T I C A. Sistemas Operacionais Prof. Dr. Rogério Vargas Campus Itaqui-RS

I N F O R M Á T I C A. Sistemas Operacionais Prof. Dr. Rogério Vargas Campus Itaqui-RS I N F O R M Á T I C A Sistemas Operacionais Campus Itaqui-RS Sistemas Operacionais É o software que gerencia o computador! Entre suas funções temos: inicializa o hardware do computador fornece rotinas

Leia mais

INTRODUÇÃO A LINUX. Características Sistema operacional Software livre Criado em 1991 por Linus Torvalds Dividido em duas partes principais 26/11/2013

INTRODUÇÃO A LINUX. Características Sistema operacional Software livre Criado em 1991 por Linus Torvalds Dividido em duas partes principais 26/11/2013 1 2 INTRODUÇÃO A LINUX ADRIANO SILVEIRA ADR_SILVEIRA@YAHOO.COM.BR Características Sistema operacional Software livre Criado em 1991 por Linus Torvalds Dividido em duas partes principais Kernel núcleo do

Leia mais

Sistema Operacional LINUX

Sistema Operacional LINUX SISTEMA OPERACIONAL Sistema Operacional LINUX Para que o computador funcione e possibilite a execução de programas é necessária a existência de um sistema operacional. O sistema operacional é uma camada

Leia mais

PLANO DE AULA. Ambiente Operacional Unix Profa. Morganna

PLANO DE AULA. Ambiente Operacional Unix Profa. Morganna PLANO DE AULA 1. Sistema operacional Unix 2. Sistema operacional Linux 3. Utilização dos sistemas operacionais 1 - Sistema Operacional UNIX História 1964 sistema operacional MULTICS (Multiplexed Information

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 5 - Iniciando o modo texto. QI ESCOLAS E FACULDADES Curso Técnico em Informática

Sistema Operacional Unidade 5 - Iniciando o modo texto. QI ESCOLAS E FACULDADES Curso Técnico em Informática Sistema Operacional Unidade 5 - Iniciando o modo texto Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 OPERANDO EM MODO TEXTO... 3 Abrindo o terminal... 3 Sobre o aplicativo Terminal... 3 AS CORES

Leia mais

Linux. Guia do Administrador do Sistema. Rubem E. Ferreira. Novatec Editora Ltda. www.novateceditora.com.br

Linux. Guia do Administrador do Sistema. Rubem E. Ferreira. Novatec Editora Ltda. www.novateceditora.com.br Linux Guia do Administrador do Sistema Rubem E. Ferreira Novatec Editora Ltda. www.novateceditora.com.br 1 O início de tudo Entre os vários sistemas operacionais existentes, o Unix é um exemplo de maturidade

Leia mais

Sistema Operacional. História Sistema Operacional 1. QI Escolas e Faculdades Apostila de Linux

Sistema Operacional. História Sistema Operacional 1. QI Escolas e Faculdades Apostila de Linux 4 Capítulo 1 Sistema Operacional É uma coleção de programas que inicializa hardwares, fornece rotinas básicas para controle de dispositivos, mantém a integridade de um sistema. Um sistema operacional de

Leia mais

2 Um Primeiro Programa em C

2 Um Primeiro Programa em C 2 Um Primeiro Programa em C Ronaldo F. Hashimoto, Carlos H. Morimoto e José A. R. Soares OobjetivodessaaulaéintroduzirvocêàlinguagemCemambienteLinux,primeiramentemostrandoasua estrutura, e a seguir com

Leia mais

Aula 01. Introdução ao Linux

Aula 01. Introdução ao Linux Aula 01 Introdução ao Linux Introdução Objetivos aprender a usar um novo sistema aprender a usar uma nova interface Como no Windows navegar pela internet (e-mails, facebook, etc) criar pastas e arquivos

Leia mais

Windows e Linux SISTEMAS OPERACIONAIS MICROSOFT WINDOWS CLASSIFICAÇÃO DOS SISTEMAS OPERACIONAL VISÃO GERAL

Windows e Linux SISTEMAS OPERACIONAIS MICROSOFT WINDOWS CLASSIFICAÇÃO DOS SISTEMAS OPERACIONAL VISÃO GERAL Windows e Linux INFORMÁTICA SISTEMAS OPERACIONAIS VISÃO GERAL O sistema operacional (S.O.) é uma espécie de base sobre a qual rodam os diversos programas utilizados por um computador. Consiste de uma série

Leia mais

Aula 02. Introdução ao Linux

Aula 02. Introdução ao Linux Aula 02 Introdução ao Linux Arquivos Central de Programas do Ubuntu A Central de Programas do Ubuntu é uma loja de aplicativos integrada ao sistema que permite-lhe instalar e desinstalar programas com

Leia mais

Introdução ao Linux MICHELLE NERY

Introdução ao Linux MICHELLE NERY Introdução ao Linux MICHELLE NERY O que é preciso saber para conhecer o Linux? Entender os componentes de um computador. Conhecimentos básicos de sistemas operacionais. Referência: Sistemas Operacionais

Leia mais

NÚCLEO DE CIDADANIA DIGITAL Caminho Livre para o novo mundo! Conceitos básicos de Linux. www.ncd.ufes.br

NÚCLEO DE CIDADANIA DIGITAL Caminho Livre para o novo mundo! Conceitos básicos de Linux. www.ncd.ufes.br NÚCLEO DE CIDADANIA DIGITAL Caminho Livre para o novo mundo! Conceitos básicos de Linux www.ncd.ufes.br Licença Este trabalho é licenciado sob a licença Creative Commons Attribution NonCommercial-ShareAlike

Leia mais

Curso Introdução ao Linux. Desmistificando o Software Livre. Nícholas André - www.iotecnologia.com.br - nicholas@iotecnologia.com.

Curso Introdução ao Linux. Desmistificando o Software Livre. Nícholas André - www.iotecnologia.com.br - nicholas@iotecnologia.com. Curso Introdução ao Linux Desmistificando o Software Livre Nícholas André - www.iotecnologia.com.br - nicholas@iotecnologia.com.br Índice 1 O que é Software Livre? 2 A história por trás do Software Livre.

Leia mais

UNIX & Linux. Histórico, distribuição licença, características. Taisy Weber

UNIX & Linux. Histórico, distribuição licença, características. Taisy Weber UNIX & Linux Histórico, distribuição licença, características Taisy Weber História de UNIX 1969 - Ken Thompson Bell Laboratories, PDP-7 Dennis Ritchie logo juntou-se a Thompson Ritchie havia trabalhado

Leia mais

Sistemas Operacionais LINUX

Sistemas Operacionais LINUX Sistemas Operacionais LINUX ::. O SISTEMA OPERACIONAL LINUX O LINUX é um Sistema Operacional criado em 1991 por Linus Torvalds na universidade de Helsinki na Finlândia. É um Sistema Operacional de código

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS UNIX/LINUX. Conceitos básicos em sistemas operacionais e arquitetura de computador.

CONCEITOS BÁSICOS UNIX/LINUX. Conceitos básicos em sistemas operacionais e arquitetura de computador. CONCEITOS BÁSICOS UNIX/LINUX agosto/2014 Conceitos básicos em sistemas operacionais e arquitetura de computador. 1 - UNIX: DEFINIÇÃO O Unix teve origem no projeto MULTICS 1, que por ser complexo demais

Leia mais

Por: Rafael Nink de Carvalho www.linuxeducacional.com www.rafaelnink.com

Por: Rafael Nink de Carvalho www.linuxeducacional.com www.rafaelnink.com L I N2 U0 X0 9 Manual de Instalação do Linux Educacional 3.0 Por: Rafael Nink de Carvalho ü Configurando o SETUP do computador ü Rodando a versão Live CD ü Instalando o Linux www.linuxeducacional.com Educacional

Leia mais

Faculdades Senac Pelotas

Faculdades Senac Pelotas Faculdades Senac Pelotas Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores Introdução a informática Alunos Daniel Ferreira, Ícaro T. Vieira, Licurgo Nunes Atividade 4 Tipos de Arquivos Sumário 1 Tipos

Leia mais

Aula 2. Objetivo: Saber qual a funcionalidade de um sistema operacional de rede.

Aula 2. Objetivo: Saber qual a funcionalidade de um sistema operacional de rede. Aula 2 Objetivo: Saber qual a funcionalidade de um sistema operacional de rede. Sistema Operacional de Rede Definição: Conjunto de módulos que ampliam as tarefas dos sistemas operacionais locais, complementando-os

Leia mais

Curso GNU/Linux. Instalação do Linux...2 O HD não possui nenhuma partição...3. Existe apenas uma partição com espaço livre...3

Curso GNU/Linux. Instalação do Linux...2 O HD não possui nenhuma partição...3. Existe apenas uma partição com espaço livre...3 Cesar Kállas - cesarkallas@gmx.net Curso GNU/Linux Realização CAECOMP Puc Campinas 2004 Capítulo 3 Instalação do Linux...2 O HD não possui nenhuma partição...3 O HD tem espaço livre não particionado...3

Leia mais

LINUX. Lapro I Profa. Fernanda Denardin Walker. - Aula 2 - Material adaptado de: Isabel Mansour, Marcia Moraes e Silvia Moraes SISTEMA OPERACIONAL

LINUX. Lapro I Profa. Fernanda Denardin Walker. - Aula 2 - Material adaptado de: Isabel Mansour, Marcia Moraes e Silvia Moraes SISTEMA OPERACIONAL LINUX Lapro I Profa. Fernanda Denardin Walker - Aula 2 - Material adaptado de: Isabel Mansour, Marcia Moraes e Silvia Moraes SISTEMA OPERACIONAL Para que o computador funcione e possibilite a execução

Leia mais

Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais

Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais Linux: Introdução Fabricio Breve Introdução O que é Linux? Uma versão do UNIX (re-implementação do padrão POSIX) Principais diferenciais: Gratuito

Leia mais

Conteúdo. Wariston Fernando Pereira. MBA Gestão Estratégica e Inteligência em Negócios; Bacharelado em Ciência da Computação;

Conteúdo. Wariston Fernando Pereira. MBA Gestão Estratégica e Inteligência em Negócios; Bacharelado em Ciência da Computação; Conteúdo Wariston Fernando Pereira MBA Gestão Estratégica e Inteligência em Negócios; Bacharelado em Ciência da Computação; Disciplinas: Sistemas de Informação; Estágio Supervisionado; Antes de Começarmos...

Leia mais

SISTEMA OPERACIONAL INFORMÁTICA PRF. Prof.: MARCIO HOLLWEG mhollweg@terra.com.br SISTEMA OPERACIONAL SISTEMA OPERACIONAL SISTEMA OPERACIONAL FUNÇÃO:

SISTEMA OPERACIONAL INFORMÁTICA PRF. Prof.: MARCIO HOLLWEG mhollweg@terra.com.br SISTEMA OPERACIONAL SISTEMA OPERACIONAL SISTEMA OPERACIONAL FUNÇÃO: SISTEMA OPERACIONAL INFORMÁTICA PRF Prof.: MARCIO HOLLWEG mhollweg@terra.com.br FUNÇÃO: GERENCIAR, ADMINISTRAR OS RECURSOS DA MÁQUINA. SISTEMA OPERACIONAL EXEMPLOS MS-DOS WINDOWS 3.1 WINDOWS 95 WINDOWS

Leia mais

Kernel Linux. Trabalho Realizador Por: Tiago Conceição Nº 11903. Representação artística do núcleo Linux

Kernel Linux. Trabalho Realizador Por: Tiago Conceição Nº 11903. Representação artística do núcleo Linux Kernel Linux Representação artística do núcleo Linux Trabalho Realizador Por: Tiago Conceição Nº 11903 Índice Introdução...2 O que é o Kernel...3 Como surgiu...4 Para que serve...5 Versões...6 Versões

Leia mais

Fazer um paralelo entre os dois sistemas Apresentar diferenças e semelhanças Apresentar compatibilidades Resolver questões

Fazer um paralelo entre os dois sistemas Apresentar diferenças e semelhanças Apresentar compatibilidades Resolver questões L i n u x X Wi n d o w s 1/29 O B J E T I VO S Fazer um paralelo entre os dois sistemas Apresentar diferenças e semelhanças Apresentar compatibilidades Resolver questões 2/29 L i n u x X Wi n d o w s Licenças

Leia mais

CESPE - 2012 - FNDE - Técnico em Financiamento e Execução de Programas e Projetos Educacionais

CESPE - 2012 - FNDE - Técnico em Financiamento e Execução de Programas e Projetos Educacionais CESPE - 2012 - FNDE - Técnico em Financiamento e Execução de Programas e Projetos Educacionais De modo semelhante ao Linux, o Windows é considerado um software microbásico. Uma característica desse tipo

Leia mais

Adelman Wallyson de Sousa Benigno

Adelman Wallyson de Sousa Benigno Laboratory of Software Engineering and Computer Network Universidade Federal do Maranhão Curso de Engenharia Elétrica Engineering for a better life LINUX Trabalho apresentado ao Prof. Denivaldo Lopes Adelman

Leia mais

Informática. Aula 03 Sistema Operacional Linux. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte Campus Currais Novos

Informática. Aula 03 Sistema Operacional Linux. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte Campus Currais Novos Prof. Diego Pereira Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte Campus Currais Novos Informática Aula 03 Sistema Operacional Linux Objetivos Entender

Leia mais

1 / 13. O ABC do Software Livre. O que é PcLivre?

1 / 13. O ABC do Software Livre. O que é PcLivre? 1 / 13 O ABC do Software Livre O que é PcLivre? O PC Livre é um projeto de iniciativa do PSL-Brasil, coordenado por voluntários e operado por vários parceiros que apoiam a iniciação de novos usuários de

Leia mais

REVISÃO LINUX CAP /SIN PROF. ESTRELA. e) os

REVISÃO LINUX CAP /SIN PROF. ESTRELA. e) os REVISÃO LINUX CAP /SIN PROF. ESTRELA 1 - Em um determinado servidor Linux, a saída do comando "df" aponta 100% de uso no "/". Isso significa que a(o): a) rede atingiu sua capacidade máxima de recepção.

Leia mais

Instalando o Debian em modo texto

Instalando o Debian em modo texto Instalando o Debian em modo texto Por ser composto por um número absurdamente grande de pacotes, baixar os CDs de instalação do Debian é uma tarefa ingrata. Você pode ver uma lista dos mirrors disponíveis

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUDESTE DE MINAS GERAIS Campus Rio Pomba. Eu defendo!!! Mini Curso. Linux

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUDESTE DE MINAS GERAIS Campus Rio Pomba. Eu defendo!!! Mini Curso. Linux INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUDESTE DE MINAS GERAIS Campus Rio Pomba Mini Curso Linux Eu defendo!!! Apresentação Rafael Arlindo Dias Técnico em Informática CEFET Rio Pomba/MG Cursos

Leia mais

Introdução ao Linux. Professor Breno Leonardo G. de M. Araújo

Introdução ao Linux. Professor Breno Leonardo G. de M. Araújo Introdução ao Linux Professor Breno Leonardo G. de M. Araújo Sistema Operacional Linux Embora o Sistema Operacional Microsoft Windows ainda seja predominante no mercado de desktops e Notebooks,já é, bastante

Leia mais

História do GNU/Linux

História do GNU/Linux História do GNU/Linux Antes de mais nada, o que é um sistema operacional? Sistema operacional é um software básico que permite aos programas executarem suas tarefas. É o sistema operacional que fornece

Leia mais

Linux. Wagner de Oliveira

Linux. Wagner de Oliveira Linux Wagner de Oliveira Um computador, uma mesa, um usuário. Duas pessoas não podem trabalhar em paralelo, executando o Microsoft Word na mesma máquina, simultaneamente. Windows 2003 Advanced Server +

Leia mais

Breve Histórico de Sistemas Operacionais

Breve Histórico de Sistemas Operacionais Prof. Luiz Claudio 1- O que é um Sistema Operacional? Aplicações de Sistemas Operacionais O sistema operacional é uma coleção de programas que: inicializa o hardware do computador fornece rotinas básicas

Leia mais

Introdução ao Sistema UNIX

Introdução ao Sistema UNIX Volnys & Midorikawa (c) 1 Introdução ao Sistema UNIX Volnys Borges Bernal volnys@lsi.usp.br http://www.lsi.usp.br/~volnys Edson Toshimi Midorikawa emidorik@lsi.usp.br http://www.lsi.usp.br/~emidorik Laboratório

Leia mais

2. O AMBIENTE DE PROGRAMAÇÃO EM C

2. O AMBIENTE DE PROGRAMAÇÃO EM C 2. O AMBIENTE DE PROGRAMAÇÃO EM C Este capítulo trata de colocar a linguagem C para funcionar em um ambiente de programação, concentrando-se no compilador GNU Compiler Collection (gcc). Mas qualquer outro

Leia mais

Manual de Instalação do Linux Educacional 1.0

Manual de Instalação do Linux Educacional 1.0 2007 Manual de Instalação do Linux Educacional 1.0 Por: Rafael Nink de Carvalho Web site: 2 Manual de Instalação do Linux Educacional 1.0 Por: Rafael Nink de Carvalho Machadinho D Oeste RO Agosto 2007

Leia mais

Informática. Aula 04/12. Prof. Márcio Hollweg. www.conquistadeconcurso.com.br. Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM.

Informática. Aula 04/12. Prof. Márcio Hollweg. www.conquistadeconcurso.com.br. Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM. Informática Aula 04/12 Prof. Márcio Hollweg UMA PARCERIA Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM.BR Visite a loja virtual www.conquistadeconcurso.com.br MATERIAL DIDÁTICO EXCLUSIVO

Leia mais

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo de Administração de Servidores de Rede AULA 03. Prof. Gabriel Silva

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo de Administração de Servidores de Rede AULA 03. Prof. Gabriel Silva FTIN Formação Técnica em Informática Módulo de Administração de Servidores de Rede AULA 03 Prof. Gabriel Silva Temas da Aula de Hoje: Servidores Linux. Conceitos Básicos do Linux. Instalando Servidor Linux.

Leia mais

Linux pra mim, Linux pra você!

Linux pra mim, Linux pra você! Linux pra mim, Linux pra você! Almir Mendes de Araújo Analista de Sistemas - Certificado LPIC-1 Membro Organizador do PHP-ES Membro ativo do Linux-ES almir@almirmendes.net www.almirmendes.net 2 Objetivos

Leia mais

O que é o GNU/LINUX? O que e o Kernel?

O que é o GNU/LINUX? O que e o Kernel? O que é o GNU/LINUX? Muita gente confunde Linux com sistema operacional. Digamos que parcialmente não esteja errado. O Linux(núcleo, coração do sistema), ele e responsável pelo funcionamento do computador,

Leia mais

Linux Desktop. Tulio Marcus Ribeiro Calixto Técnico em Informática. Centro de Informática de Ribeirão Preto CIRP - USP

Linux Desktop. Tulio Marcus Ribeiro Calixto Técnico em Informática. Centro de Informática de Ribeirão Preto CIRP - USP Tulio Marcus Ribeiro Calixto Técnico em Informática Introdução: Sistema Operacional é um conjunto de softwares (programa de computador) que interage diretamente com o hardware (parte física do computador)

Leia mais

GNU/Linux - Conhecimento e Oportunidades. Agenda Currículo Objetivo GNU/Linux. Free Software e Open Source

GNU/Linux - Conhecimento e Oportunidades. Agenda Currículo Objetivo GNU/Linux. Free Software e Open Source AS2MWPC Agenda Currículo Objetivo GNU/Linux Free Software e Open Source AS2MWPC Agenda (continuação) Estudo de Casos Instituto Dom Bosco AS2MWPC / Projeto Incubadora da FATEC-SP Agregando conhecimento

Leia mais

4. Conceitos Básicos de Computação: Sistemas Operacionais

4. Conceitos Básicos de Computação: Sistemas Operacionais Introdução à Computação 5910157 4. Conceitos Básicos de Computação: Sistemas Operacionais Prof. Renato Tinós Local: Depto. de Física e Matemática (FFCLRP/USP) 1 Principais Tópicos 4.1. Introdução aos Sistemas

Leia mais

Oficina de ferramentas de Gerência para Redes em Linux. Prof. Jefferson Santiago

Oficina de ferramentas de Gerência para Redes em Linux. Prof. Jefferson Santiago Oficina de ferramentas de Gerência para Redes em Linux Prof. Jefferson Santiago Apresentação Qual seu nome? Já possui experiência na área? Questionário avaliativo Acesse: http://goo.gl/forms/4rfaomufim

Leia mais

A história dos sistemas operacionais

A história dos sistemas operacionais A história dos sistemas operacionais Atualmente, os sistemas operacionais (SO) estão cada vez mais fáceis de usar, possuindo interfaces muito simples e bonitas. Contudo, todas estas funcionalidades não

Leia mais

Cronograma Introdução ao Sistema Operacional Linux

Cronograma Introdução ao Sistema Operacional Linux Cronograma Introdução ao Sistema Operacional Linux?? Distribuições? Linux Hoje? Características do Linux Marcelo Cohen João Batista Oliveira?? Serviços de Rede e Segurança? Interface Gráfica? Demonstrações!?

Leia mais

Software de sistema Software aplicativo

Software de sistema Software aplicativo SOFTWARE O que é Software? Software, logicial ou programa de computador é uma sequência de instruções a serem seguidas e/ou executadas, na manipulação, redireccionamento ou modificação de um dado/informação

Leia mais

Mini curso de GNU/Linux

Mini curso de GNU/Linux Rudson Ribeiro Alves Mestre em Física (Semi Condutores) Usuário Unix de 1991 1998 Usuário Slackware deste 1994 Professor da UVV deste 1998 Mini curso de GNU/Linux Noções básicas sobre GNU/Linux Plataforma

Leia mais

Proposta Técnica: As funcionalidades do Windows 10 e um comparativo com o Linux

Proposta Técnica: As funcionalidades do Windows 10 e um comparativo com o Linux FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS Gestão de Tecnologia da Informação Marcello Donizete Caetano da Silva Proposta Técnica: As funcionalidades do Windows 10 e um comparativo com o Linux Profª. Lucília

Leia mais

Sistemas Operacionais de Rede Linux - Gerenciamento de Arquivos

Sistemas Operacionais de Rede Linux - Gerenciamento de Arquivos Sistemas Operacionais de Rede Linux - Gerenciamento de Arquivos Conteúdo Programático Login e Logout Iniciando e Desligando o Sistema Tipos de arquivo Texto Binário Arquivos e Diretório Manipulação de

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Prof. Dr. Márcio Andrey Teixeira Estrutura de sistemas operacionais Estruturas de sistemas operacionais A estrutura e o funcionamento de um SO são tópicos de difícil compreensão.

Leia mais

CET GRSI 2011. Sistema Operativo de Rede. António Paulo Santos aps@estgf.ipp.pt

CET GRSI 2011. Sistema Operativo de Rede. António Paulo Santos aps@estgf.ipp.pt CET GRSI 2011 Sistema Operativo de Rede António Paulo Santos aps@estgf.ipp.pt O que é um S.O. de Rede? Sistema operativo que incluí: funções especiais que permitem a ligação de um computador a uma LAN.

Leia mais

Tutorial: Instalando Linux Educacional em uma maquina virtual

Tutorial: Instalando Linux Educacional em uma maquina virtual Maria Augusta Sakis Tutorial: Instalando Linux Educacional em uma Máquina Virtual Máquinas virtuais são muito úteis no dia-a-dia, permitindo ao usuário rodar outros sistemas operacionais dentro de uma

Leia mais

Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas O conteúdo deste documento tem como objetivos geral introduzir conceitos mínimos sobre sistemas operacionais e máquinas virtuais para posteriormente utilizar

Leia mais

Como é o desenvolvimento de Software?

Como é o desenvolvimento de Software? Como é o desenvolvimento de Software? Fases do Desenvolvimento Modelo Cascata Define atividades seqüenciais Outras abordagens são baseadas nesta idéia Especificação de Requisitos Projeto Implementação

Leia mais

O que é software livre

O que é software livre O que é software livre Publicado por brain em Sáb, 2006-03-25 17:12. :: Documentação [http://brlinux.org/linux/taxonomy/term/13] por Augusto Campos Este artigo responde a diversas dúvidas comuns de novos

Leia mais

Aula 4 Comandos Básicos Linux. Prof.: Roberto Franciscatto

Aula 4 Comandos Básicos Linux. Prof.: Roberto Franciscatto Sistemas Operacionais Aula 4 Comandos Básicos Linux Prof.: Roberto Franciscatto Prompt Ao iniciar o GNU/Linux, a primeira tarefa a ser executada é o login no sistema, o qual deve ser feito respondendo

Leia mais

www.leitejunior.com.br 13/01/2012 12:57 Leite Júnior

www.leitejunior.com.br 13/01/2012 12:57 Leite Júnior LINUX É um programa(software) de computador que gerencia(controla) os recursos do computador. É uma interface(intérprete) entre o usuário e a máquina. É um sistema MULTIUSUÁRIO, permite cadastrar várias

Leia mais

Objetivos Instalação Gerência de Pacotes UNIX Shell. Curso UNIX. Matheus Braun Magrin Felipe dos Santos Silveira

Objetivos Instalação Gerência de Pacotes UNIX Shell. Curso UNIX. Matheus Braun Magrin Felipe dos Santos Silveira Curso UNIX Matheus Braun Magrin Felipe dos Santos Silveira Universidade Federal de Santa Catarina 25 de Setembro de 2010 CHAMADA Objetivos Instalação do sistema Ubuntu 10.04 Conhecer a origem do sistema

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V 1- Visão Geral Neste manual você aprenderá a instalar e fazer a configuração inicial do seu firewall Netdeep

Leia mais

LISTA DE COMANDOS DO LINUX 1

LISTA DE COMANDOS DO LINUX 1 LISTA DE COMANDOS DO LINUX 1 Comandos para manipulação de diretório 1. ls Lista os arquivos de um diretório. 2. cd Entra em um diretório. Você precisa ter a permissão de execução para entrar no diretório.

Leia mais

Para continuar, baixe o linux-vm aqui: http://www.gdhpress.com.br/downloads/linux-vm.zip

Para continuar, baixe o linux-vm aqui: http://www.gdhpress.com.br/downloads/linux-vm.zip Se, assim como a maioria, você possui um único PC ou notebook, uma opção para testar as distribuições Linux sem precisar mexer no particionamento do HD e instalar o sistema em dualboot, é simplesmente

Leia mais

A História do Linux. Marcelo Sampaio de Alencar Instituto de Estudos Avançados em Comunicações (Iecom) Universidade Federal de Campina Grande (UFCG)

A História do Linux. Marcelo Sampaio de Alencar Instituto de Estudos Avançados em Comunicações (Iecom) Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) A História do Linux Marcelo Sampaio de Alencar Instituto de Estudos Avançados em Comunicações (Iecom) Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) Resumo Linux é um termo popularmente utilizado para se

Leia mais

Campus - Cachoeiro Curso Técnico de Informática. Sistema de Arquivos. Prof. João Paulo de Brito Gonçalves

Campus - Cachoeiro Curso Técnico de Informática. Sistema de Arquivos. Prof. João Paulo de Brito Gonçalves Campus - Cachoeiro Curso Técnico de Informática Sistema de Arquivos Prof. João Paulo de Brito Gonçalves Introdução É com o sistema de arquivos que o usuário mais nota a presença do sistema operacional.

Leia mais

www.evangelhohoje.blogspot.com www.reginaldorochajr.blogspot.com reginaldorecife@gmail.com

www.evangelhohoje.blogspot.com www.reginaldorochajr.blogspot.com reginaldorecife@gmail.com CAPÍTULO 1 No princípio era o Kernel, e o Kernel estava com o Linux, e o Kernel era o Linux desenvolvido por Linus Torvalds. O KERNEL O Kernel é a peça fundamental do sistema, responsável por criar a infra-estrutura

Leia mais