Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Bonificação e Brinde na Venda a Varejo

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Bonificação e Brinde na Venda a Varejo"

Transcrição

1 13/05/2014

2 Sumário Título do documento 1. Questão Normas apresentadas pelo cliente Análise da Consultoria Bonificação em Mercadorias Brindes Conclusão Informações Complementares Referências Histórico de alterações

3 1. Questão A equipe de Desenvolvimento do Segmento de Varejo solicita esclarecimentos sobre a forma de documentar as operações abaixo mencionadas, de bonificação e brinde: Bonificação : Na loja é feita uma promoção na qual, se o cliente comprar 2 ítens o terceiro é de graça. Como devemos documentar no cupom fiscal esse terceiro item? É possível imprimir o valor do item bonificado a R$ 0,01 ou devemos imprimir o valor do item normalmente e dar um desconto no total? O que é permitido na lei com relação a este cenário? Brinde : Outra situação ocorre quando o cliente abastece mais de 10 litros de gasolina ele ganha um brinde, uma camiseta, por exemplo. Teremos que emitir no cupom fiscal, ou não fiscal. Como faço na tributação? 2. Normas apresentadas pelo cliente Não foi indicada nenhuma norma pelo cliente embasando seu entendimento. 3. Análise da Consultoria 3.1 Bonificação em Mercadorias Definição É prática comercial das empresas, por ocasião das promoções que realizam, conceder bonificações em mercadorias a seus clientes, ou seja, entregar uma quantidade maior de mercadoria do que aquela por eles adquirida, ou ainda, entregar outros produtos conjugados a título de bonificação. Diferença entre bonificação e desconto As operações de bonificação fazem parte do cotidiano comercial das empresas, sendo muito comum sua utilização como sinônimo de desconto. Tendo em vista essa confusão esclarecemos abaixo suas diferenças. O desconto, que pode ser condicional ou incondicional, é a redução de valores, ou seja, é o abatimento realizado no total de uma soma ou no valor de uma obrigação, sendo cobrado o valor líquido do destinatário. 3

4 Título do documento A título exemplificativo, numa venda no valor de R$ 1.000,00, se for concedido desconto de 20%; o comprador pagará por essas mercadorias o total de R$ 800,00. Neste exemplo, enfatizamos os valores comerciais e não o valor dos tributos incidentes devido à diferença de tributação do desconto condicional do incondicional. Por sua vez, a bonificação também se traduz em desconto, porém sob a forma de mercadoria, ou seja, é o abatimento ou a redução concedido por liberalidade do vendedor, em mercadorias. Em suma, a diferença existente entre o desconto e a bonificação é que esta constitui abatimento dado sob a forma de unidades físicas de produto, e aquele, abatimento do valor cobrado. Tributação do ICMS O ICMS tem como fato gerador, entre outros, a saída de mercadoria a qualquer título, de estabelecimento de contribuinte do imposto, inclusive a título de bonificação. Assim, as saídas de mercadorias a título de bonificação deverão ser normalmente tributadas pelo imposto, independentemente do aspecto econômico da operação, ou seja, havendo ou não gratuidade. RICMS-SP/2000 Art. 2º Ocorre o fato gerador do imposto (Lei nº 6.374/1989, art. 2º, na redação da Lei nº /2000, art. 1º, II, e Lei Complementar federal nº 87/96, art. 12, XII, na redação da Lei Complementar 102/2000, art. 1º ): I - na saída de mercadoria, a qualquer título, de estabelecimento de contribuinte, ainda que para outro estabelecimento do mesmo titular; Em regra, as operações de bonificação de mercadorias estão sujeitas à tributação do ICMS, entretanto, em determinadas situações específicas, essas saídas poderão estar amparadas por incentivos fiscais. Por exemplo, as saídas: de alimentos que compõem a cesta básica que se encontram beneficiados por base de cálculo reduzida, nos termos do art. 3º do Anexo II do RICMS-SP; de produtos hortifrutigranjeiros, que estão amparados por isenção do ICMS, nos termos do art. 36 do Anexo I do RICMS- SP. Base de Cálculo do ICMS A base de cálculo do ICMS nas saídas de mercadorias, como regra geral, é o valor da operação, se incluindo, entre outros, o valor de mercadorias dadas em bonificação. Art. 37. Ressalvados os casos expressamente previstos, a base de cálculo do imposto nas hipóteses do artigo 2º é (Lei nº 6.374/1989, art. 24, na redação da Lei nº /2000, art. 1, XIII): 1º Incluem-se na base de cálculo: 4

5 1 - seguros, juros e demais importâncias pagas, recebidas ou debitadas, descontos concedidos sob condição, bem como o valor de mercadorias dadas em bonificação; Valor da Operação na Bonificação Considerando que as mercadorias saídas a título de bonificação não são cobradas do destinatário, inexistirá o valor da operação para fins de cálculo do ICMS. Assim, se tratar de saída de mercadoria de estabelecimento comercial ou industrial, deverá ser utilizado como base de cálculo do imposto: o preço FOB estabelecimento industrial à vista, caso o remetente seja industrial; o preço FOB estabelecimento comercial à vista, nas vendas a outros comerciantes ou industriais, caso o remetente seja comerciante. Para a aplicação dessas regras, será adotado, sucessivamente, o preço efetivamente cobrado pelo estabelecimento remetente na operação mais recente e caso o remetente não tenha efetuado venda de mercadoria, o preço corrente da mercadoria ou de sua similar no mercado atacadista do local da operação ou, na falta deste, no mercado atacadista regional. Na segunda hipótese, descrita acima, caso o remetente não efetuar vendas a outros comerciantes ou industriais ou, em qualquer caso, se não houver mercadoria similar, a base de cálculo será equivalente a 75% do preço de venda corrente no varejo, observadas as regras mencionadas no parágrafo anterior. Art. 38. Na falta do valor a que se referem os incisos I e VII do artigo anterior, ressalvado o disposto no artigo 39, a base de cálculo do imposto é (Lei nº 6.374/1989, art. 25, na redação da Lei nº /2000, art. 1º, XIV): II - o preço FOB estabelecimento industrial à vista, caso o remetente seja industrial, observado o disposto no 1º; III - o preço FOB estabelecimento comercial à vista, nas vendas a outros comerciantes ou industriais, caso o remetente seja comerciante, observado o disposto nos 1º e 2º. 1º Para a aplicação dos incisos II e III adotar-se-á sucessivamente: 1 - o preço efetivamente cobrado pelo estabelecimento remetente na operação mais recente; 2 - caso o remetente não tenha efetuado venda de mercadoria, o preço corrente da mercadoria ou de sua similar no mercado atacadista do local da operação ou, na falta deste, no mercado atacadista regional. 2º Na hipótese do inciso III, se o estabelecimento remetente não efetuar vendas a outros comerciantes ou industriais ou, em qualquer caso, se não houver mercadoria similar, a base de cálculo será equivalente a 75% (setenta e cinco por cento) do preço de venda corrente no varejo, observado o disposto no parágrafo anterior. Crédito no ICMS das Aquisições de Mercadorias Dadas em Bonificação Em razão da não cumulatividade do ICMS, os estabelecimentos comerciais poderão se creditar do ICMS incidente na entrada de mercadoria a título de bonificação, desde que, a posterior saída seja tributada pelo imposto ou, não sendo, haja expressa previsão de manutenção de crédito prevista na legislação. 5

6 RICMS-SP/2000 Título do documento Art. 59. O imposto é não-cumulativo, compensando-se o que for devido em cada operação ou prestação com o anteriormente cobrado por este ou outro Estado, relativamente à mercadoria entrada ou à prestação de serviço recebida, acompanhada de documento fiscal hábil, emitido por contribuinte em situação regular perante o Fisco (Lei nº 6.374/1989, art. 36, com alteração da Lei nº 9.359/96 ). Art. 61. Para a compensação, será assegurado ao contribuinte, salvo disposição em contrário, o direito de creditar-se do imposto anteriormente cobrado, nos termos do item 2 do 1º do artigo 59, relativamente a mercadoria entrada, real ou simbolicamente, em seu estabelecimento, ou a serviço a ele prestado, em razão de operações ou prestações regulares e tributadas (Lei nº 6.374/1989, art. 38, alterado pela Lei nº /2000, art. 1º, XIX; Lei Complementar federal nº 87/96, art. 20, 5º, na redação da Lei Complementar nº 102/2000, art. 1º ; Convênio ICMS nº 54/2000 ). Documento Fiscal Nas saídas de mercadorias em bonificação, deverá ser emitido documento fiscal com todos os requisitos previstos na legislação e, em especial: como natureza da operação: "Bonificação"; Código Fiscal de Operação e Prestação (CFOP): (operação interna) ou (operação interestadual); destaque do ICMS, se devido. Bonificação no Cupom Fiscal Devemos informar que, temos conhecimento que na prática para documentar o item bonificado no cupom fiscal é criado um item diferenciado e atribuído um valor inferior ao valor de venda, utilizando um valor ínfimo. Alertamos que tal prática não há previsão na legislação. Lembramos que o item bonificado não é cobrado do adquirente, mas deverá ser atribuído o valor de operação para fins de cálculo do ICMS. Logo, a base de cálculo da operação deve observar o disposto no artigo 38 do RICMS. Para tanto, deverá ser utilizado como base de cálculo do imposto, o preço FOB do estabelecimento comercial,ou seja, o preço efetivamente cobrado pelo remetente na operação mais recente de acordo com o art. 38, 1º do RICMS - Decreto nº /00. Como vimos se, por questões técnicas o equipamento emissor nem sempre está preparado para esse tipo de operação e na prática as empresas utilizam no caso de item bonificado o valor simbólico. Para tanto, orientamos a emissão de nota fiscal com o CFOP ( bonificação) com a tributação de acordo com o estabelecido para o produto, devendo ser informado ainda em informações complementares a referência do documento fiscal de venda que vinculou a bonificação. Embora não tenhamos conhecimento técnico quanto a parametrização do ECF, podemos sugerir outra alternativa para documentar a saída através de cupom fiscal, por exemplo; venda de 3 itens, pagando somente dois: 3 (x) R$ 10,00 = R$ 30,00 base de cálculo do ICMS (x) 18% = R$ 5,40. Desconto de R$ 10,00 = total do cupom R$ 20,00. 6

7 Caso a empresa pretenda adotar outra forma da operação de bonificação em cupom fiscal deverá solicitar regime especial ao fisco conforme o disposto do artigo 479-A do RICMS. É importante ressaltar, que o exposto reflete o entendimento desta consultoria e desta forma orientamos que a empresa, caso entenda necessário, consulte formalmente a Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo, segundo os procedimentos previstos nos arts. 510 e seguintes do RICMS/SP. 3.2 Brindes Definição Consideram-se brindes as mercadorias que não fazem parte da atividade do estabelecimento do contribuinte e que são adquiridas com a finalidade de distribuição ao consumidor ou usuário final. A operação de distribuição de brindes guarda a característica de gratuidade; portanto, não se pode confundir com a de saída de mercadorias de estoque, visto que estas se destinam à comercialização, constituindo objeto comum da atividade do estabelecimento. Em outras palavras, podemos definir brindes como mercadorias adquiridas para distribuição ao consumidor ou usuário final gratuitamente, sem qualquer vínculo com o objeto da atividade do estabelecimento. RICMS/ Decreto , de Artigo Considera-se brinde a mercadoria que, não constituindo objeto normal da atividade do contribuinte, tiver sido adquirida para distribuição gratuita a consumidor ou usuário final. Procedimentos a serem adotados na aquisição de brindes O contribuinte que adquirir brindes para distribuição direta ao consumidor ou usuário final, gratuitamente, deverá adotar os procedimentos descritos a seguir, conforme previsto no art. 456 do RICMS-SP: Artigo O contribuinte que adquirir brindes para distribuição direta a consumidor ou usuário final deverá (Lei 6.374/89, art. 67, 1º): I - registrar a Nota Fiscal emitida pelo fornecedor no livro Registro de Entradas, com direito a crédito do imposto destacado no documento fiscal; II - emitir, no ato da entrada da mercadoria no estabelecimento, Nota Fiscal com destaque do valor do imposto, incluindo na base de cálculo do imposto o valor do Imposto sobre Produtos Industrializados - IPI lançado no documento fiscal de aquisição, e fazendo constar, além dos demais requisitos: (Redação dada ao inciso pelo Decreto , de ; DOE )/ 1 - no quadro Destinatário/Remetente, no campo Nome/Razão Social, a expressão Diversos - Brindes e nos demais campos, os dados do emitente; 2 - no campo Código Fiscal de Operações e Prestações - CFOP, o código 5.949; 3 - no campo Informações Complementares, a expressão Nota Fiscal emitida nos termos do inciso II do art. 456 do RICMS - Nota Fiscal de aquisição nº..., de.../.../... ; III - registrar a Nota Fiscal prevista no inciso anterior no livro Registro de Saídas, na forma prevista neste regulamento. 1º - Fica dispensada a emissão de Nota Fiscal na entrega ao consumidor ou usuário final. 7

8 Por ocasião da entrada da mercadoria adquirida especificamente Título com do a documento finalidade de distribuição como brinde, o estabelecimento deverá: registrar a nota fiscal de aquisição emitida pelo fornecedor, no Livro Registro de Entradas, no CFOP 1.949, com direito ao aproveitamento do crédito do ICMS nela destacado, quando admitido; no ato da entrada da mercadoria no estabelecimento, emitir nota fiscal de saída, com destaque do valor do ICMS, quando devido, onde se fará constar, além dos requisitos exigidos na legislação: a natureza da operação: Distribuição de Brindes ; o CFOP 5.949; no quadro Destinatário/Remetente, no campo Nome/Razão Social, a expressão: Diversos Brindes e nos demais campos, os dados do emitente; no campo Informações Complementares, a expressão: Nota fiscal emitida nos termos do inciso II do art. 456 do RICMS-SP Nota fiscal de aquisição nº..., de.../.../.... Caso a operação seja sujeita à tributação do IPI, seu montante será incluso no valor total da mercadoria adquirida. A nota fiscal de saída, emitida conforme mencionada acima, será registrada nas colunas próprias do Livro Registro de Saídas, com débito do imposto, quando devido. Entrega do brinde diretamente ao consumidor final Dispensa de emissão de nova nota fiscal No momento da entrega direta do brinde ao consumidor final, desde que nas dependências do estabelecimento adquirente, será dispensada a emissão de novo documento fiscal, uma vez que as exigências quanto à tributação foram cumpridas durante a aquisição da mercadoria, por meio de emissão da nota fiscal de saída no ato da entrada da mercadoria, conforme mencionado acima. 4. Conclusão Isto posto, considerando o Estado de São Paulo como o local do estabelecimento comercial, distribuidor de brindes ou bonificações, passamos a responder as perguntas objetivas que nos foram passadas : Bonificação: Na loja é feita uma promoção em que se o cliente comprar 2 ítens o terceiro é de graça. Como devemos documentar no cupom fiscal esse terceiro item? Resposta: Normalmente, assim como os demais itens vendidos, só que para esse ítem será atribuído o CFOP 5.910, que poderá ser ou não tributado pelo ICMS. Além disto, apesar de não compor o valor a ser cobrado, ele será somado ao valor total do documento fiscal, juntamente com os demais itens. É possível imprimir o valor do item bonificado a R$ 0,01 ou devemos imprimir o valor do item normalmente e dar um desconto no total? 8

9 Resposta: Sugerimos que para este item seja atribuído o preço da mercadoria ou o valor correspondente a base de cálculo do ICMS e caso o remetente seja comerciante e não efetue venda a outros comerciantes ou industriais, a base de cálculo será equivalente a 75% do valor de venda corrente no varejo, observada a aplicação dos preços FOB. O que é permitido na lei com relação a este cenário? Resposta : Favor verificar o conteúdo deste parecer que efetuamos considerando um estabelecimento comercial varejista sediado no Estado de São Paulo. Brinde: Outra situação ocorre quando o cliente abastece mais de 10 litros de gasolina e ganha um brinde, uma camiseta, por exemplo. Teremos que emitir no cupom fiscal, ou não fiscal. Como faço na tributação? Resposta: Devem ser observados, pelo estabelecimento comercial varejista os procedimentos a serem adotados quando da aquisição da mercadoria e desde que distribuídos nas dependências do estabelecimento adquirente, será dispensada a emissão de novo documento fiscal, uma vez que as exigências quanto à tributação foram cumpridas no momento de aquisição da mercadoria. 5. Informações Complementares Apesar de não terem mencionado um determinado Estado nos questionamentos enviados, efetuamos nossa análise com base no Estado de São Paulo, no entanto, também averiguamos a legislação de alguns outros Estados sobre estes temas, SC, RJ e BA e concluímos que as normas destes outros Estados prevêem o mesmo procedimento, com alguma variação a ser considerada para parametrização, por exemplo : Brindes SC -> não prevê a emissão da NF de saída para o débito do ICMS, quando da aquisição, assim, a cada brinde distribuído, deve ser emitido um documento fiscal, ou incluído no documento de venda; O artigo 15 do anexo 5 do RICMS/SC relaciona os documentos que devem ser emitidos por contribuintes do imposto quando realizarem operações com mercadorias e dentre estes documentos encontra-se a modelo 1 ou 1-A. Outro documento fiscal utilizado nas saídas de mercadorias seria a Nota fiscal avulsa, nas situações previstas no artigo 47 do anexo 5 do RICMS/SC, que somente pode ser usado por contribuinte quando nas devoluções efetuadas por comerciante varejista que não possua Nota Fiscal, modelo 1 ou 1-A ou quando tenha sido negada a autorização para impressão de documentos fiscais nos termos do art. 143 III, situações esta que não se relaciona ao do cliente em questão. Diante disto o cliente deverá para saída de brinde emitir nota fiscal modelo 1 ou 1-A devido à obrigatoriedade de NF-e não estar sendo aplicada aos estabelecimentos varejistas até o momento. O estabelecimento varejista deverá solicitar AIDF para emissão de nota fiscal modelo 1 ou 1-A e mantê-los no estabelecimento para as operações em que necessitar do seu uso, mesmo que tenha como atividade principal apenas o uso do ECF. Bonificação SC -> o valor da bonificação não integra a base de cálculo do ICMS 9

10 Título do documento Para que possamos, no entanto, efetuar um exame detalhado de cada Estado, necessitamos que documentem a solicitação em chamados distintos, para cada um dos Estados que seja necessária análise formal e detalhada. 6. Referências 7. Histórico de alterações ID Data Versão Descrição Chamado LJAC 05/05/ SP TPIEJZ LJAC 13/05/ SP TPNBKA 10

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Cálculo do ICMS Órgãos Públicos - SP

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Cálculo do ICMS Órgãos Públicos - SP Cálculo do ICMS Órgãos Públicos - SP 18/06/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 3 4. Conclusão... 5 5. Informações Complementares...

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos IPI Devolução

Parecer Consultoria Tributária Segmentos IPI Devolução IPI Devolução Código Situação Tributária aplicado na NF-e 12/12/2013 Título do documento Sumário 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 3 3.1. Nota Técnica

Leia mais

Pergunte à CPA Decreto /2015

Pergunte à CPA Decreto /2015 Pergunte à CPA Decreto 61.084/2015 Alterações no artigo 132-A: Artigo 132-A - Ressalvado o disposto no artigo 132, nas demais hipóteses previstas na legislação, tais como não-obrigatoriedade de uso de

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Nota Fiscal Conjugada Rio Grande do Sul

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Nota Fiscal Conjugada Rio Grande do Sul Nota Fiscal Conjugada Rio Grande do Sul 02/12/2013 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 5 3.1. Definição... 7 3.2. Previsão

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Partilha do DIFAL nas operações por Conta e Ordem

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Partilha do DIFAL nas operações por Conta e Ordem Partilha do DIFAL nas operações por Conta e Ordem 25/05/2016 Sumário Título do documento Sumário... 1 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 2.2 RICMS-RS... 3 3. Análise da Legislação...

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Operação Triangular - PR

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Operação Triangular - PR 15/05/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1 Obrigações do fornecedor... 4 3.2 Obrigações do industrializador... 5

Leia mais

ICMS/IPI Exposições e Feiras de Amostras

ICMS/IPI Exposições e Feiras de Amostras ICMS/IPI Exposições e Feiras de Amostras Apresentação: Samyr Qbar Conceito A operação de remessa de mercadorias para feiras de amostras ou exposição ocorre quando o contribuinte do ICMS remete mercadorias

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Portaria CAT Ressarcimento ICMS-ST

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Portaria CAT Ressarcimento ICMS-ST 27/11/2013 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas Pelo Cliente... 3 3. Análise da Legislação... 5 4. Conclusão... 7 5. Informações Complementares... 7 6. Referências...

Leia mais

Orientações Consultoria de Segmentos NFC-e e as Modalidades do Frete

Orientações Consultoria de Segmentos NFC-e e as Modalidades do Frete NFC-e e as 31/03/2017 Sumário 1 Questão... 3 2 Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3 Análise da Consultoria... 3 3.1 Frete Modalidades... 4 3.2 Frete tipo CIF... 4 3.3 Frete tipo FOB... 5 3.4 Quanto

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Informações do ICMS retido de transporte na NF-e

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Informações do ICMS retido de transporte na NF-e Informações do ICMS retido de transporte na NF-e 15/10/2013 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 4 3.1 Regulamento

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Crédito Presumido - Devolução - SP

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Crédito Presumido - Devolução - SP Segmentos Crédito Presumido - Devolução - SP 11/11/2013 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 3. Conclusão... 5

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Desoneração ICMS Devolução - SP

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Desoneração ICMS Devolução - SP Desoneração ICMS Devolução - SP 07/05/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 4. Conclusão... 6 5. Referências... 7 6. Histórico

Leia mais

VENDAS FORA DO ESTABELECIMENTO

VENDAS FORA DO ESTABELECIMENTO atualizado em 01/03/2016 alterados os itens 2, 3, 4.1.1, 4.1.2, 4.2, 4.3 e Legislação Consultada 2 ÍNDICE 1. CONCEITO...5 2. FASES...5 3. CONTRIBUINTE DE OUTRO ESTADO...5 4. CONTRIBUINTE DESTE ESTADO...6

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária

Parecer Consultoria Tributária Questão O cliente, do ramo industrial, sediado no Paraná, adquire um bem para seu imobilizado, cujo NCM está sujeito a substituição tributária (ICMS cobrado antecipadamente por substituição tributária).

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Redução da Base de Cálculo no ICMS ST

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Redução da Base de Cálculo no ICMS ST Redução 10/04/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 3 4. Conclusão... 4 5. Informações Complementares... 4 6. Referências...

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Base de cálculo do ICMS retido por Substituição Tributária na venda pelo substituído

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Base de cálculo do ICMS retido por Substituição Tributária na venda pelo substituído Base de pelo substituído 13/05/2014 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 4 4. Conclusão... 7 5. Informações Complementares...

Leia mais

Orientações Consultoria de Segmentos ICMS-MG Procedimento emissão da NF-e com Ressarcimento do ICMS-ST

Orientações Consultoria de Segmentos ICMS-MG Procedimento emissão da NF-e com Ressarcimento do ICMS-ST ICMS-MG Procedimento emissão da NF-e com Ressarcimento do ICMS-ST 13/06/2017 Sumário 1 Questão... 3 2 Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3 Análise da Consultoria... 4 3.1 RICMS-MG... 4 3.2 Orientação

Leia mais

Orientações Consultoria de Segmentos Modelo da NFA-e - Nota Fiscal Avulsa Eletrônica para escrituração na EFD - ICMS-IPI

Orientações Consultoria de Segmentos Modelo da NFA-e - Nota Fiscal Avulsa Eletrônica para escrituração na EFD - ICMS-IPI Modelo da NFA-e - Nota Fiscal Avulsa Eletrônica para escrituração na EFD - ICMS-IPI 24/10/2014 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Antecipação tributária do imposto - entrada de mercadoria proveniente de outra UF - SP

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Antecipação tributária do imposto - entrada de mercadoria proveniente de outra UF - SP Segmentos mercadoria proveniente de outra UF - SP 11/05/2016 Título do documento Sumário 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 3.1 Antecipação Tributária...

Leia mais

DEVOLUÇAO DE COMPRA DE MERCADORIAS PARA REVENDA

DEVOLUÇAO DE COMPRA DE MERCADORIAS PARA REVENDA DEVOLUÇAO DE COMPRA DE MERCADORIAS PARA REVENDA É comum que no dia-a-dia das empresas comerciais ocorram problemas, principalmente na operação de aquisição de mercadorias, dentre eles destacamos: Desacordo

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Crédito Presumido de Incentivo à Produção de Cerveja e Chopes Artesanais no Estado de Santa Catariana

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Crédito Presumido de Incentivo à Produção de Cerveja e Chopes Artesanais no Estado de Santa Catariana Segmentos Crédito Presumido de Incentivo à Produção de Cerveja e Chopes Artesanais no Estado de Santa Catariana 19/02/2014 Título do documento Sumário 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente...

Leia mais

EMPRESAS OBRIGADAS AO USO DO EMISSOR DO CUPOM FISCAL (ECF)

EMPRESAS OBRIGADAS AO USO DO EMISSOR DO CUPOM FISCAL (ECF) EMPRESAS OBRIGADAS AO USO DO EMISSOR DO CUPOM FISCAL (ECF) Prezado Cliente, Para vosso conhecimento, segue uma breve explanação sobre o uso do ECF: OBRIGATORIEDADE DO USO: Estão obrigadas a utilizar o

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Despesas Acessórias e Pedágio na Base de Cálculo ICMS

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Despesas Acessórias e Pedágio na Base de Cálculo ICMS Despesas Acessórias e Pedágio na Base de Cálculo ICMS 07/10/2013 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão...

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos ICMS/ST - Serviço de transporte rodoviário de cargas -MG

Parecer Consultoria Tributária Segmentos ICMS/ST - Serviço de transporte rodoviário de cargas -MG ICMS/ST - Serviço de transporte rodoviário de cargas -MG 15/09/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1. Responsabilidade

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Custos ou despesas nacionais relativos a importação - SP

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Custos ou despesas nacionais relativos a importação - SP 16/11/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 3 4. Conclusão... 6 5. Informações Complementares... 6 6. Referências... 6 7.

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Recolhimento de ICMS ST sobre a operação de frete

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Recolhimento de ICMS ST sobre a operação de frete 09/02/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1 Alíquota prevista para a operação... 7 4. Conclusão... 10 5. Referências...

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Nota Fiscal Transferência ICMS em MG

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Nota Fiscal Transferência ICMS em MG Nota 07/10/2013 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas Pelo Cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 6 5. Informações Complementares... 6 6. Referências...

Leia mais

INSTRUÇÕES BÁSICAS PARA PREENCHIMENTO DE NOTAS FISCAIS

INSTRUÇÕES BÁSICAS PARA PREENCHIMENTO DE NOTAS FISCAIS INSTRUÇÕES BÁSICAS PARA PREENCHIMENTO DE NOTAS FISCAIS Versão 2.0 01/2006 ÍNDICE 1 OBJETIVO...3 2 INTRODUÇÃO...3 3 UTILIZAÇÃO DE SÉRIES DISTINTAS...3 4 PREENCHIMENTO DA NOTA FISCAL...3 4.1 Quadro EMITENTE...3

Leia mais

ICMS NOÇÕES BÁSICAS. Coordenação: Alexandre A. Gomes

ICMS NOÇÕES BÁSICAS. Coordenação: Alexandre A. Gomes ICMS NOÇÕES BÁSICAS Coordenação: Alexandre A. Gomes O que é Tributo? - Art. 3º do CTN Toda prestação pecuniária compulsória em moeda ou cujo valor nela se possa exprimir que não constitua sanção de ato

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Construção Civil possui IE e não é contribuinte de ICMS

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Construção Civil possui IE e não é contribuinte de ICMS Construção Civil possui IE e não é contribuinte de ICMS 29/10/2013 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão...

Leia mais

Programa de Estímulo à Cidadania Fiscal do Estado de São Paulo Projeto Nota Fiscal Paulista

Programa de Estímulo à Cidadania Fiscal do Estado de São Paulo Projeto Nota Fiscal Paulista Programa de Estímulo à Cidadania Fiscal do Estado de São Paulo Projeto Nota Fiscal Paulista 14/08/07 OBJETIVO Incentivar os adquirentes de mercadorias, bens e serviços de transporte interestadual e intermunicipal

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Crédito de ICMS nas operações de Importação - RS

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Crédito de ICMS nas operações de Importação - RS Parecer Consultoria Tributária Segmentos Crédito de 26/02/2016 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 2.1. RICMS RS... 3 2.2. IN DRP nº 045/98... 4 3. Análise

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos ICMS-SP/MG Transferência de mercadoria entre estabelecimento de mesmo titular.

Parecer Consultoria Tributária Segmentos ICMS-SP/MG Transferência de mercadoria entre estabelecimento de mesmo titular. ICMS-SP/MG Transferência de mercadoria entre estabelecimento de mesmo titular. 10/11/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria...

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Devolução Formulário Próprio NF-e : Tag IE

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Devolução Formulário Próprio NF-e : Tag IE Devolução Formulário Próprio NF-e : Tag IE 02/09/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1. Manual da Nota Fiscal Eletrônica...

Leia mais

PORTARIA N 129/2014-SEFAZ

PORTARIA N 129/2014-SEFAZ PORTARIA N 129/2014-SEFAZ - Altera a Portaria n 077/2013-SEFAZ, publicada em 18/03/2013, que dispõe sobre as condições, regras e procedimentos relativos à utilização da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos ICMS-SP obrigações acessórias GIA ficha apuração do ICMS- ST11

Parecer Consultoria Tributária Segmentos ICMS-SP obrigações acessórias GIA ficha apuração do ICMS- ST11 ICMS-SP obrigações acessórias GIA ficha apuração do ICMS- ST11 21/10/2013 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Análise da Consultoria... 3 2.1. ImpostoRetidoSt... 5 (Imposto Retido por ST)...

Leia mais

Universidade de São Paulo Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto ICMS. Prof. Amaury José Rezende

Universidade de São Paulo Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto ICMS. Prof. Amaury José Rezende Universidade de São Paulo Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto ICMS ASPECTOS CONCEITUAIS Prof. Amaury José Rezende Agenda 1. Lógica de tributação 2. Temas especiais AMAURY

Leia mais

CRÉDITO PRESUMIDO PARA INDÚSTRIA FABRICANTE DE PRODUTOS COM MATERIAL RECICLÁVEL - Aspectos relacionados ao ICMS/SC

CRÉDITO PRESUMIDO PARA INDÚSTRIA FABRICANTE DE PRODUTOS COM MATERIAL RECICLÁVEL - Aspectos relacionados ao ICMS/SC CRÉDITO PRESUMIDO PARA INDÚSTRIA FABRICANTE DE PRODUTOS COM MATERIAL RECICLÁVEL - Aspectos relacionados ao ICMS/SC Matéria elaborada com base na Legislação vigente em: 14.07.2011. SUMÁRIO: 1 - INTRODUÇÃO

Leia mais

Portaria CAT 53, de

Portaria CAT 53, de Publicado no D.O.E. (SP) de 25/05/2013 Portaria CAT 53, de 24-05-2013 Disciplina a atribuição, por regime especial, da condição de sujeito passivo por substituição tributária, conforme inciso VI do artigo

Leia mais

Orientações Consultoria de Segmentos. Cálculos de tributos na importação de mercadorias

Orientações Consultoria de Segmentos. Cálculos de tributos na importação de mercadorias Cálculos de tributos na importação de mercadorias 19/11/2013 Sumário 1 Questão... 3 2 Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3 Análise da Consultoria... 4 4 Conclusão... 8 5 Informações Complementares...

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Nota Fiscal Complementar / Suplementar do Estado do RJ 05/05/16

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Nota Fiscal Complementar / Suplementar do Estado do RJ 05/05/16 Nota Fiscal Complementar / Suplementar do Estado do 05/05/16 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 4 3. Análise da Consultoria... 4 4 Conclusão... 8 5 Informações

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos ICMS Substituição Tributação por CNAE

Parecer Consultoria Tributária Segmentos ICMS Substituição Tributação por CNAE ICMS Substituição Tributação por CNAE 18/10/2013 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 6 5. Informações

Leia mais

TABELA DE OPERAÇÕES FISCAIS

TABELA DE OPERAÇÕES FISCAIS TABELA DE OPERAÇÕES FISCAIS Operações amparadas ou beneficiadas com tratamento diferenciado - Roteiro prático Todas as operações que envolvam mercadorias devem estar acobertadas por documento idôneo emitido

Leia mais

PORTARIA N.º 266/SEFAZ DE 27 DE OUTUBRO DE 2015

PORTARIA N.º 266/SEFAZ DE 27 DE OUTUBRO DE 2015 PUBLICADA NO D.O.E. Nº 27.328 DE 03.11.2015 Institui e aprova o documento denominado Mapa de Apuração do ICMS - Segmento Atacadista de Medicamentos, drogas e produtos correlatos e o Manual de Instrução

Leia mais

Manual de Emissão de Notas Fiscais: Devolução interna de mercadoria sujeita ao regime de substituição tributária

Manual de Emissão de Notas Fiscais: Devolução interna de mercadoria sujeita ao regime de substituição tributária Manual de Emissão de Notas Fiscais: Devolução interna de mercadoria sujeita ao regime de substituição tributária Resumo: Trataremos no presente Roteiro dos procedimentos a serem observados pelos contribuintes,

Leia mais

b) Os CFOPs com substituição tributária são: Compra de mercadoria para uso ou consumo cuja mercadoria está sujeita ao regime de

b) Os CFOPs com substituição tributária são: Compra de mercadoria para uso ou consumo cuja mercadoria está sujeita ao regime de Primeiramente não existe no Regulamento do ICMS do Estado de São Paulo, Decreto 45.490/2000 o conceito de material de uso ou consumo, porém podese entender que tudo que não se utiliza como insumo e também

Leia mais

PALESTRA OPERAÇÕES ENTRE EMPRESAS INTERDEPENDENTES E O REGIME DA SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA DECRETOS E /2013

PALESTRA OPERAÇÕES ENTRE EMPRESAS INTERDEPENDENTES E O REGIME DA SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA DECRETOS E /2013 CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL MINÁRIO DE ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO DE ASSUNTOÁBEIS DE PORTO ALEGRESEMINÁRIO PALESTRA

Leia mais

Orientações Consultoria de Segmentos Declaração das NFC-e Conjugadas no LFE

Orientações Consultoria de Segmentos Declaração das NFC-e Conjugadas no LFE Declaração das NFC-e Conjugadas no LFE 02/05/2017 Sumário 1 Questão... 3 2 Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3 Análise da Consultoria... 3 3.1 Portaria 234/2014... 3 3.2 Decreto 25.508/2005... 4 3.3

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Nota Fiscal Eletrônica Subtotalização da Alíquota e/ou CST do ICMS - RO

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Nota Fiscal Eletrônica Subtotalização da Alíquota e/ou CST do ICMS - RO Parecer Consultoria Tributária Segmentos Nota Fiscal Eletrônica Subtotalização da Alíquota e/ou CST do ICMS - RO 13/05/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente...

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos NF Garantia - Estadual - RJ

Parecer Consultoria Tributária Segmentos NF Garantia - Estadual - RJ NF 28/08/2013 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 3 3.1. Nota fiscal Eletrônica... 4 3.2. Escrituração Fiscal... 4 3.3. Apuração

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Transferência entre filiais ou Remessa à Armazém Geral e/ou Depósito Fechado 30/06/16

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Transferência entre filiais ou Remessa à Armazém Geral e/ou Depósito Fechado 30/06/16 e/ou Depósito Fechado 30/06/16 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 2.1 RICMS GO Decreto 4852/97... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1 RICMS GO Decreto

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Nota Fiscal de Correção para o Estado de Pernambuco

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Nota Fiscal de Correção para o Estado de Pernambuco Nota 07/10/2013 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 3 3.1. RICMS PE Decretro nº14.873 de 12 de março de 1991... 3 3.2. Decreto

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos NF-e de devolução simbólica pelas regras do Estado do MT

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos NF-e de devolução simbólica pelas regras do Estado do MT de Segmentos NF-e de devolução simbólica pelas regras do Estado do MT 17/02/2014 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação...

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos EFD-Contribuições Anulação de valor CT-e e Escrituração pela empresa tomadora do serviço ICMS-SP

Parecer Consultoria Tributária Segmentos EFD-Contribuições Anulação de valor CT-e e Escrituração pela empresa tomadora do serviço ICMS-SP EFD-Contribuições Anulação de valor CT-e e Escrituração pela empresa tomadora do serviço ICMS-SP 13/11/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise

Leia mais

DECRETO Nº , DE 5 DE FEVEREIRO DE 2007

DECRETO Nº , DE 5 DE FEVEREIRO DE 2007 Governo do Estado do Rio Grande do Norte Gabinete Civil Coordenadoria de Controle dos Atos Governamentais DECRETO Nº 19.643, DE 5 DE FEVEREIRO DE 2007 Altera o Regulamento do ICMS, aprovado pelo Decreto

Leia mais

Page 1 of 5 RICMS 2000 - Atualizado até o Decreto 55.438, de 17-02-2010. SEÇÃO II - DAS OPERAÇÕES COM ÁLCOOL CARBURANTE SUBSEÇÃO I - DAS OPERAÇÕES COM ÁLCOOL ETÍLICO HIDRATADO CARBURANTE Artigo 418 - Na

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Page 1 of 6 GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Decreto nº 54.976, de 29 de outubro de 2009 Introduz alterações no Regulamento do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Redução base de cálculo do ICMS para fins de desconto Zona Franca

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Redução base de cálculo do ICMS para fins de desconto Zona Franca Zona Franca 16/10/2013 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 5 5. Informações Complementares...

Leia mais

Orientações Consultoria de Segmentos EFD-Contribuições Regs M400 E M600 Valor da receita bruta

Orientações Consultoria de Segmentos EFD-Contribuições Regs M400 E M600 Valor da receita bruta EFD-Contribuições Regs M400 E M600 Valor da receita bruta 02/08/2016 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 3 4. Conclusão...

Leia mais

Orientações Consultoria de Segmentos IN 1.298/16 Alteração das Regras para Substituição Tributária no Serviço de Transportes Interestadual ICMS/GO

Orientações Consultoria de Segmentos IN 1.298/16 Alteração das Regras para Substituição Tributária no Serviço de Transportes Interestadual ICMS/GO IN 1.298/16 Alteração das Regras para Substituição Tributária no Serviço de Transportes Interestadual ICMS/GO 06/09/2017 Sumário 1 Questão... 3 2 Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 2.1 Conteúdo... 4

Leia mais

INDUSTRIALIZAÇÃO POR CONTA E ORDEM DE TERCEIRO - PROCEDIMENTO FISCAL

INDUSTRIALIZAÇÃO POR CONTA E ORDEM DE TERCEIRO - PROCEDIMENTO FISCAL INDUSTRIALIZAÇÃO POR CONTA E ORDEM DE TERCEIRO - PROCEDIMENTO FISCAL Apresentação: Fábio M. Lopes José A. Fogaça Neto 24/08/2016 1 CONCEITO DE INDUSTRIALIZAÇÃO Art. 4 o Caracteriza industrialização qualquer

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Ajuste Sinief 13 de 2013 Venda para Orgão Público 02/10/14

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Ajuste Sinief 13 de 2013 Venda para Orgão Público 02/10/14 02/10/14 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 2.1 Ajuste Sinief 13, De 26 De Julho De 2013... 3 3. Análise da Consultoria... 4 4 Conclusão... 5 5 Informações

Leia mais

INDUSTRIALIZAÇÃO POR ENCOMENDA- PROCEDIMENTO FISCAL. Apresentação: Fábio M. Lopes Helen Mattenhauer

INDUSTRIALIZAÇÃO POR ENCOMENDA- PROCEDIMENTO FISCAL. Apresentação: Fábio M. Lopes Helen Mattenhauer INDUSTRIALIZAÇÃO POR ENCOMENDA- PROCEDIMENTO FISCAL Apresentação: Fábio M. Lopes Helen Mattenhauer 22/10/2014 CONCEITO DE INDUSTRIALIZAÇÃO Art. 4 o Caracteriza industrialização qualquer operação que modifique

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos EFD-ICMS/IPI - Escrituração do CT-e pela empresa tomadora do serviço - Amazonas

Parecer Consultoria Tributária Segmentos EFD-ICMS/IPI - Escrituração do CT-e pela empresa tomadora do serviço - Amazonas EFD-ICMS/IPI - Escrituração do CT-e pela empresa tomadora do 30/09/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 3 4. Conclusão...

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS EXEMPLO DE ICMS EM MINAS GERAIS DEMONSTRANDO O PRINCIPIO DA NÃO CUMULATIVIDADE

UNIVERSIDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS EXEMPLO DE ICMS EM MINAS GERAIS DEMONSTRANDO O PRINCIPIO DA NÃO CUMULATIVIDADE UNIVERSIDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS FACULDADE REGIONAL DE VISCONDE DO RIO BRANCO GUSTAVO BASTOS BRAGA PRISCILA REIS PASSAROTO EXEMPLO DE ICMS EM MINAS GERAIS DEMONSTRANDO O PRINCIPIO DA NÃO CUMULATIVIDADE

Leia mais

Como a Constituição trata tal imposto:

Como a Constituição trata tal imposto: Como a Constituição trata tal imposto: Art. 155. Compete aos Estados e ao Distrito Federal instituir impostos sobre: (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 3, de 1993) (...) II - operações relativas

Leia mais

Guia do ICMS - São Paulo: ICMS-ST nas saídas de mercadorias destinadas à distribuição como brinde ou à degustação: RC nº 42/20

Guia do ICMS - São Paulo: ICMS-ST nas saídas de mercadorias destinadas à distribuição como brinde ou à degustação: RC nº 42/20 Guia do ICMS - São Paulo: ICMS-ST nas saídas de mercadorias destinadas à distribuição como brinde ou à degustação: RC nº 42/20 Resumo: Estamos publicando neste trabalho a íntegra da Resposta à Consulta

Leia mais

ANO XXVII ª SEMANA DE JANEIRO DE 2016 BOLETIM INFORMARE Nº 03/2015

ANO XXVII ª SEMANA DE JANEIRO DE 2016 BOLETIM INFORMARE Nº 03/2015 IPI ANO XXVII - 2016 3ª SEMANA DE JANEIRO DE 2016 BOLETIM INFORMARE Nº 03/2015 CÁLCULO DO IPI EM OPERAÇÕES COM BEBIDAS... Pág. 8 ICMS - BA DEFINIÇÃO DE CONTRIBUINTE PARA FINS DE DIFAL EC 87/15... Pág.

Leia mais

Page 1 of 5 Em face da publicação do Decreto nº 52.118/2007 - DOE SP de 1º.09.2007, este tópico foi colocado em atualização, porém após análise foi constatado que o referido Ato não alterou o seu conteúdo.

Leia mais

Contabilidade Tributária Aula 4 - ICMS

Contabilidade Tributária Aula 4 - ICMS Contabilidade Tributária Aula 4 - ICMS Prof. Gustavo Gonçalves Vettori BASE DE CÁLCULO 1 Base de Cálculo Nas saídas de mercadorias: Valor da operação Fornecimento de alimentos em restaurantes e bares Valor

Leia mais

Gestão Tributária- Escrituração Fiscal- Prof.Ademir Macedo de Oliveira Senac São Paulo- Unidade 24 de Maio

Gestão Tributária- Escrituração Fiscal- Prof.Ademir Macedo de Oliveira Senac São Paulo- Unidade 24 de Maio 1 CST: ICMS - IPI PIS - COFINS e Quadro sinótico das fiscais e tratamento tributário com base nas Legislações: ICMS- RICMS-SP DECRETO 45.490/2000 IPI- LEGISLAÇÃO FEDERAL Tabelas: I- II III da Instrução

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Número de parcelas para aproveitamento do crédito do CIAP no RS

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Número de parcelas para aproveitamento do crédito do CIAP no RS CIAP no RS 24/07/2014 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 4 4. Conclusão... 9 5. Informações Complementares...

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Valor Unitário na Nota Fiscal de Transferência de Crédito do ICMS

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Valor Unitário na Nota Fiscal de Transferência de Crédito do ICMS Parecer Consultoria Tributária Segmentos Valor Unitário na Nota Fiscal de Transferência de Crédito do ICMS 03/03/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente...

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Calculo de ICMS ST Optante pelo Simples Nacional

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Calculo de ICMS ST Optante pelo Simples Nacional Calculo de 07/11/2013 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 3 3.1. Resolução CGSN nº51 de 22/12/2008... 3 3.2. Lei complementar

Leia mais

ORIENTAÇÃO QUANTO AOS DIVERSOS PROCEDIMENTOS PARA EMISSÃO DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA REGIME NORMAL

ORIENTAÇÃO QUANTO AOS DIVERSOS PROCEDIMENTOS PARA EMISSÃO DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA REGIME NORMAL ORIENTAÇÃO QUANTO AOS DIVERSOS PROCEDIMENTOS PARA EMISSÃO DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA REGIME NORMAL Segue abaixo apenas orientações, e não regras, nossa legislação é muito complexa, portanto consulte seu

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Informações do ICMS ST incidentes sobre o frete demonstradas na NF-e

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Informações do ICMS ST incidentes sobre o frete demonstradas na NF-e demonstradas na NF-e 13/01/2014 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 5 5. Informações Complementares...

Leia mais

23/07/2014. ICMS Noções Básicas. Apresentação: Fábio Martins Lopes Samyr Qbar

23/07/2014. ICMS Noções Básicas. Apresentação: Fábio Martins Lopes Samyr Qbar 23/07/2014 ICMS Noções Básicas Apresentação: Fábio Martins Lopes Samyr Qbar O que é Tributo? - Art. 3º do CTN Toda prestação pecuniária compulsória em moeda ou cujo valor nela se possa exprimir que não

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Devolução de Mercadoria Transformada - RJ

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Devolução de Mercadoria Transformada - RJ Devolução 01/07/2016 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1. RICMS/RJ... 4 3.2. Perguntas Frequentes EFD ICMS / IPI... 4

Leia mais

INDUSTRIALIZAÇÃO POR CONTA E ORDEM DE TERCEIRO - PROCEDIMENTO FISCAL. Apresentação: Fábio M. Lopes Helen Mattenhauer

INDUSTRIALIZAÇÃO POR CONTA E ORDEM DE TERCEIRO - PROCEDIMENTO FISCAL. Apresentação: Fábio M. Lopes Helen Mattenhauer INDUSTRIALIZAÇÃO POR CONTA E ORDEM DE TERCEIRO - PROCEDIMENTO FISCAL Apresentação: Fábio M. Lopes Helen Mattenhauer 23/10/2015 CONCEITO DE INDUSTRIALIZAÇÃO Art. 4 o Caracteriza industrialização qualquer

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Registro de Documento Fiscal pelo contribuinte substituído no recebimento de mercadorias retidas com ICMS-ST

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Registro de Documento Fiscal pelo contribuinte substituído no recebimento de mercadorias retidas com ICMS-ST Segmentos Registro de Documento Fiscal pelo contribuinte substituído no recebimento de mercadorias retidas com ICMS-ST nos produtos combustíveis e lubrificantes previstas pelo Convênio ICMS nº. 110/2007

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Como informar o IPI no SPED Fiscal nas entradas sem direito ao crédito.

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Como informar o IPI no SPED Fiscal nas entradas sem direito ao crédito. Como. 11/04/2014 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas Pelo Cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 5 5. Informações Complementares... 5 6.

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Nota Fiscal Complementar de Santa Catarina

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Nota Fiscal Complementar de Santa Catarina Nota Fiscal 29/10/2013 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 3 4. Conclusão... 5 5. Informações Complementares... 6 6. Referências...

Leia mais

Orientações Consultoria de Segmentos ICMS ST para transportadoras de produtos da Petrobrás

Orientações Consultoria de Segmentos ICMS ST para transportadoras de produtos da Petrobrás 10/02/2014 Orientações Consultoria Tributária de Segmentos Título do documento Sumário 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 3.1 Decreto Nº 20.686, De 28

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Livro de Apuração do ICMS do Substituto Tributário no RJ

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Livro de Apuração do ICMS do Substituto Tributário no RJ Livro de Apuração do ICMS do Substituto Tributário no RJ 04/12/2013 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas Pelo Cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão...

Leia mais

Procedimento. Levantamento de Estoque e recolhimento do imposto. Contribuintes sujeitos ao Regime Periódico de Apuração - RPA

Procedimento. Levantamento de Estoque e recolhimento do imposto. Contribuintes sujeitos ao Regime Periódico de Apuração - RPA Procedimento Levantamento de Estoque e recolhimento do imposto Contribuintes sujeitos ao Regime Periódico de Apuração - RPA O contribuinte substituído, sujeito ao Regime Periódico de Apuração - RPA que,

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Base de Cálculo do Diferencial de Alíquota nas Aquisições de Ativo, Materiais de Uso ou Consumo - PR

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Base de Cálculo do Diferencial de Alíquota nas Aquisições de Ativo, Materiais de Uso ou Consumo - PR Segmentos Base de Cálculo do Diferencial de Alíquota nas Aquisições de Ativo, Materiais de Uso ou Consumo - PR 26/08/2016 Título do documento Sumário 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente...

Leia mais

transmitir a NF-e ou obter resposta à solicitação de Autorização de Uso da NF-e, o

transmitir a NF-e ou obter resposta à solicitação de Autorização de Uso da NF-e, o contribuinte poderá operar em contingência, gerando arquivos com indicação deste tipo de emissão, conforme definições constantes do Manual de Integração-Contribuinte, mediante a adoção de uma das seguintes

Leia mais

Tributação Indireta no contexto do IFRS. Possíveis Impactos no ICMS/ISS

Tributação Indireta no contexto do IFRS. Possíveis Impactos no ICMS/ISS Tributação Indireta no contexto do IFRS Possíveis Impactos no ICMS/ISS Reunião GEDEC 28/10/2015 Escopo da Apresentação Foram analisados os CPCs que possam gerar controvérsias ou possíveis impactos fiscais

Leia mais

RESOLUÇÃO CGSN Nº 60, DE 22 DE JUNHO DE 2009

RESOLUÇÃO CGSN Nº 60, DE 22 DE JUNHO DE 2009 DOU 24.06.2009 RESOLUÇÃO CGSN Nº 60, DE 22 DE JUNHO DE 2009 Altera as Resoluções CGSN n 4, de 30 de maio de 2007, n 10, de 28 de junho de 2007, n 18, de 10 de agosto de 2007, n 51, de 22 de dezembro de

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Redução Base de Cálculo ICMS-ST no Simples Nacional - GO

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Redução Base de Cálculo ICMS-ST no Simples Nacional - GO 16/10/2013 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas Pelo Cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 5 5. Informações Complementares... 5 6. Referências...

Leia mais

ANALISTA FISCAL E TRIBUTÁRIO. Conhecimentos e Práticas Tributárias e Fiscais

ANALISTA FISCAL E TRIBUTÁRIO. Conhecimentos e Práticas Tributárias e Fiscais ANALISTA FISCAL E TRIBUTÁRIO Conhecimentos e Práticas Tributárias e Fiscais Objetivos do Workshop 1 Conhecer e Atualizar os Conhecimentos acerca da Legislação Tributária e Fiscal Vigente 2 Adotar Procedimentos

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos. Livro Fiscal Eletrônico Ato Cotepe 35/2005 Nota Fiscal Conjugada DF

Parecer Consultoria Tributária Segmentos. Livro Fiscal Eletrônico Ato Cotepe 35/2005 Nota Fiscal Conjugada DF 15/09/2016 Sumário 1 Questão... 3 2 Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3 Análise da Consultoria... 3 3.1 Livro Fiscal Eletrônico Resposta SEFAZ - DF... 4 4 Conclusão... 6 5 Informações Complementares...

Leia mais

CFOP - Códigos fiscais de operações e prestações

CFOP - Códigos fiscais de operações e prestações CFOP - Códigos fiscais de operações e prestações A presente relação de códigos fiscais é baseada no Convênio SINIEF s/nº, de 15.12.1970, com suas respectivas alterações. A relação encontra-se devidamente

Leia mais

Portaria ST nº 811, de 20/3/ DOE RJ de 22/3/2012

Portaria ST nº 811, de 20/3/ DOE RJ de 22/3/2012 Portaria ST nº 811, de 20/3/2012 - DOE RJ de 22/3/2012 Atualiza o manual de diferimento, ampliação de prazo de recolhimento, suspensão e de incentivos e benefícios de natureza tributária. O Superintendente

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Nota Fiscal Complementar de Importação

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Nota Fiscal Complementar de Importação Nota Fiscal Complementar de Importação 16/10/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 3 4. Conclusão... 6 5. Informações Complementares...

Leia mais

ICMS Vendas Interestaduais para Consumidor Final EC 87/15

ICMS Vendas Interestaduais para Consumidor Final EC 87/15 ICMS Vendas Interestaduais para Consumidor Final EC 87/15 Palestrante: Márcio Schuch Silveira, Contador, Mestre em Ciências Contábeis, Empresário Contábil, Vice Presidente Técnico do CRCRS e professor

Leia mais

NOTA FISCAL AVULSA ELETRÔNICA

NOTA FISCAL AVULSA ELETRÔNICA NOTA FISCAL AVULSA ELETRÔNICA MEI do Comércio e da Indústria NOTA FISCAL AVULSA ELETRÔNICA MEI do Comércio e da Indústria O Microempreendedor Individual já pode emitir a Nota Fiscal Avulsa Eletrônica-NFA-e

Leia mais

Unidade II $

Unidade II $ CONTABILIDADE TRIBUTÁRIA Unidade II 4 CONTABILIZAÇÃO DE OPERAÇÕES COM MERCADORIAS COM TRIBUTAÇÃO 4.1 Compra de mercadorias com incidência de ICMS / PIS / COFINS recuperáveis Exemplo Vamos considerar uma

Leia mais

Guia do IPI: Industrialização de produtos destinados a uso e/ou consumo do encomendante

Guia do IPI: Industrialização de produtos destinados a uso e/ou consumo do encomendante Guia do IPI: Industrialização de produtos destinados a uso e/ou consumo do encomendante Resumo: Examinaremos no presente Roteiro de Procedimentos o tratamento fiscal dispensado pela legislação do Imposto

Leia mais

CONVÊNIO ICMS 142/02

CONVÊNIO ICMS 142/02 CONVÊNIO ICMS 142/02 Altera o Convênio ICMS 57/95, de 28.06.95, que dispõe sobre a emissão de documentos fiscais e a escrituração de livros fiscais por contribuinte usuário de sistema eletrônico de processamento

Leia mais