Termo de Referência. Tefé, 10/2012 ADNR-1 DJNR ADNR-4

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Termo de Referência. Tefé, 10/2012 ADNR-1 DJNR ADNR-4"

Transcrição

1 Termo de Referência Contratação dos Serviços de Conservação, Limpeza, Higiene, Desinfecção, Descontaminação, Desinsetização, Desratização e Movimentação de Carrinhos nas Dependências da INFRAERO localizadas no Sítio Aeroportuário do, em Tefé/AM. Tefé, 10/2012

2 localizadas no Sítio Aeroportuário do, em Tefé/AM. TERMO DE REFERÊNCIA Controle de Revisões ELABORADO: SIMONE ALVES DA SILVA E SILVA VALIDADO: NYRLENE PAMPLONA BARROS APROVADO: HERBETH JANSEN OLIVEIRA TRINDADE MATRÍCULA: MATRÍCULA: MATRÍCULA: Rubrica: Rubrica: Rubrica: Rev. Descrição Data Responsável Matrícula Rubrica 2

3 localizadas no Sítio Aeroportuário do, em Tefé/AM. SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO OBJETO CONTRATUAL CONCEITOS E DEFINIÇÕES PESSOAL A SER EMPREGADO NOS SERVIÇOS TREINAMENTO DA POSTURA E APRESENTAÇÃO DO EMPREGADO NO EXERCÍCIO DE SUAS ATIVIDADES ÁREAS A SEREM TRATADAS E SEUS DIMENSIONAMENTOS ATIVIDADES E TAREFAS A SEREM EXECUTADAS EM TODAS AS EDIFICAÇÕES TURNOS DE TRABALHO PROGRAMAÇÕES DE TRABALHO DO FORNECIMENTO DOS MATERIAIS DE CONSERVAÇÃO E LIMPEZA DAS MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS ESPECIAIS DE USO PERMANENTE DOS UNIFORMES DISPONIBILIDADE DE INSTALAÇÕES PARA A CONTRATADA NA DEPENDÊNCIA DO AEROPORTO DE TEFÉ SISTEMA DE COMUNICAÇÃO INTERNA DISPOSIÇÕES GERAIS AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DA CONTRATADA ANEXO I ANEXO II ANEXO III ANEXO IV

4 localizadas no Sítio Aeroportuário do, em Tefé/AM. 1. INTRODUÇÃO O presente Termo de Referência estabelece os requisitos mínimos a serem observados para os Serviços de Conservação, Limpeza, Higiene, Desinfecção, Descontaminação, Desinsetização, Desratização e Movimentação de Carrinhos nas Dependências da INFRAERO localizadas no Sítio Aeroportuário do, em Tefé/AM., descrevendo e disciplinando todos os procedimentos e critérios que estabelecerão o relacionamento técnico entre a INFRAERO e a Contratada. 2. OBJETO CONTRATUAL Serviços de conservação, limpeza, higiene, desinfecção, descontaminação, desinsetização, desratização e movimentação de carrinhos nas dependências da INFRAERO localizadas no Sítio Aeroportuário do, em Tefé/AM., compreendendo as seguintes edificações: Terminal de Passageiros TPS; Prédio da Administração/Bloco Adaero; Prédio da Navegação Aérea/Estação Rádio; Prédio do Projeto Social; Abrigo de Viaturas; Casa de Força/KF; Casa de Transmissão/KT; Poço Artesiano nº 01, 02 e 03; Depósito de Materiais Obsoletos; Estação de Tratamento de Esgoto/ETE; Seção Contra Incêndio/SCI; e Área de Segregação de resíduos Sólidos; Áreas externas. 3. CONCEITOS E DEFINIÇÕES Com objetivo de identificar e padronizar os termos que serão utilizados no relacionamento entre a Contratante e a Contratada, os quais visam atender a conveniência da organização dos serviços a serem executados, fica estabelecida a adoção dos seguintes conceitos e definições Limpeza É a remoção de qualquer corpo indesejável de uma superfície, sem alteração das características originais do objeto que está sendo tratado e ainda que este processo não seja nocivo ao meio ambiente. O processo deve utilizar técnicas não nocivas ao meio ambiente, que não afetem a saúde das pessoas que frequentam os locais a serem limpos e das que operam a sua limpeza. Para atingir este objetivo é necessário o consumo eficiente de recursos materiais, garantindo o mínimo e adequado descarte na natureza, reduzindo os impactos ambientais, utilizando critérios de 4

5 localizadas no Sítio Aeroportuário do, em Tefé/AM. sustentabilidade, que garantam o consumo mais racional de químicos, água e de outros recursos naturais Relatório de Execução de Serviços É o documento a ser elaborado pela Contratada contendo especificação do conjunto de ações que deverão ser providenciadas por ela, para assegurar a qualidade do serviço contratado, contendo: a) procedimentos das atividades a realizar especificados; b) logística de distribuição das equipes de trabalho; c) logística de distribuição de materiais de consumo, com previsão de consumo em cada área; d) logística de distribuição de equipamentos Programadores do Relatório de Execução de Serviços São os empregados da empresa Contratada e Contratante, que, em conjunto, irão elaborar documentalmente o Relatório de Execução de Serviços, para um determinado período de tempo. Deverão identificar o local a ser limpo, considerando as condições operacionais e de disponibilidade das áreas para a realização das atividades Atividades de Conservação e Limpeza As atividades de conservação e limpeza consistem das tarefas associadas a processos de execução. As tarefas definem o que se deseja fazer nos objetos, e os processos definem como fazer Tarefas de Conservação e Limpeza Tarefas representam as ações de conservação e limpeza a serem executadas: lavar, varrer, remover pó, enxaguar, aspirar, lavar e esterilizar utensílios e equipamentos da copa. As tarefas serão definidas como: a) Preventivas, quando especificadas no Relatório de Execução de Serviços; b) Corretivas, ou quando por incidentes ou acidentes ocasionados por fatores internos ou externos não previstos, deverão ser processadas para resgatar a normalidade do ambiente afetado, de forma imediata Objetos de Conservação e Limpeza São os objetos propriamente ditos que deverão ser submetidos a atividades de conservação e limpeza. 5

6 localizadas no Sítio Aeroportuário do, em Tefé/AM. NOS BANHEIROS Vasos sanitários, mictórios, pias, paredes, box, portas, espelhos, teto, acessórios de banheiros, janelas, piso, lixeiras, placas, luminárias, etc. NOS ESCRITÓRIOS Pisos, mobílias (mesas, cadeiras, armários, prateleiras), equipamentos (microcomputador, impressoras) vidraças, teto, portas, paredes, divisórias, luminárias, persianas, etc. NAS ÁREAS DE ACESSO AO PÚBLICO Pisos, colunas, tetos, estrutura espacial, saídas de dutos, vidraças, placas, lixeiras, cinzeiros, salas comerciais não alocadas, balcões de check-in não alocados, corrimão, esteiras de bagagens, longarinas, para peito, esquadrias, telefones públicos, hidrantes, extintores, caixa de sugestões, coletores de lixos, tampa de eletrodutos, etc. NAS ÁREAS EXTERNAS Calçadas, meio fio, depósito de carrinhos de bagagens, caneletas e calhas de drenagem, baias, rampas de acesso, guarda corpo, fachadas, testeiras, etc Processos de Conservação e Limpeza São os meios e procedimentos disponíveis para a realização de uma determinada tarefa, considerando as orientações provenientes dos fabricantes/fornecedores dos produtos relacionados ou orientações específicas da Contratante, considerando, ainda, as exigências da legislação vigente por ocasião do serviço prestado Fatores que Interferem no Local a ser Limpo a) Fatores Internos representam as condições de operação do local a ser limpo que interferem nas condições de limpeza e conservação do mesmo; b) Fatores Externos representam aqueles que não fazem parte do local a ser limpo, como os resultantes das condições climáticas, que interferem nas condições de limpeza e conservação do mesmo Tempo de Atendimento É o tempo determinado para mobilização, pela Contratada, dos recursos necessários (materiais, equipamentos, viaturas e mão-de-obra), para a realização de uma determinada atividade. 6

7 localizadas no Sítio Aeroportuário do, em Tefé/AM. a) Atendimento imediato - Quando identificado defeitos ou falhas provenientes de situações não previstas e que exijam a realização de uma ação concernente, para resgatar a normalidade da limpeza e conservação do ambiente. b) Atendimento normal - Quando da execução das atividades e prazos descritos no Relatório de Execução de Serviços Formulário de Descrição de Serviços de Controle de Pragas É o documento a ser elaborado pela Contratada, quando da execução das atividades de controle de pragas, demonstrando de forma clara e objetiva os locais, os produtos utilizados, o tipo de tratamento aplicado, os resultados alcançados, etc, ainda que esse serviço seja subcontratado Serviços Auxiliares São as atividades de auxílio ao transporte de móveis em geral, tais como apoio em período de mudanças dos escritórios e nas atividades de serviços gerais ao transporte de materiais, produtos, etc Serviços de Copa São as atividades de que compreendem as atividades de copa Serviços de Movimentação de Carrinhos de Bagagem São as atividades de que compreendem as atividades de movimentação de carrinhos de bagagem Atividades de Movimentação de Carrinhos a) O serviço a ser contratado consiste em abastecer com carrinhos transportadores de bagagens de passageiros, as áreas de embarque e desembarque do Terminal de Passageiro do -AM. Atualmente, o terminal de passageiros está abastecido de 40 unidades de carrinhos; b) Na área de desembarque nacional, localizada no saguão do terminal e áreas adjacentes, ou ainda, em áreas pré-determinadas pela Gerência de Operações do - AM, consiste a execução desta atividade, na condução de carrinhos de bagagens. c) Nas áreas de embarque e demais áreas e em disposições pré-determinadas pela Gerência de Operações do -AM, a execução desta atividade abrange o recolhimento e transporte dos carrinhos de bagagens, nas áreas internas, corredores dos escritórios nos pisos, terraço, saguão, em frente aos check-in, no estacionamento, área de guarda-volumes e áreas adjacentes; 7

8 localizadas no Sítio Aeroportuário do, em Tefé/AM. d) Recolhimento e transporte dos carrinhos de bagagens encontradas nos bolsões das áreas de estacionamento e adjacências, e encaminhamento aos pontos de reservas das calçadas dos desembarques, em locais e em disposições pré-determinadas pela Gerência de Operações; e) O recolhimento e transporte dos carrinhos de bagagens encontrados em áreas, públicas internas, externas e áreas adjacentes e encaminhamento a locais e em disposições prédeterminadas pela Gerência de Operações; f) Movimentações internas entre as áreas dos embarques e desembarques sempre que houver necessidade de demanda, atendendo solicitação da Gerência de Operações; g) O recolhimento dos carrinhos de bagagens no Terminal de Passageiros do Aeroporto de Tefé-AM, deverá ser constante e ágil, visando evitar que carrinhos transportadores de bagagens fiquem parados fora de locais apropriados à sua guarda, bem como atender a demanda de utilização; h) A movimentação dos carrinhos transportadores de bagagens deverá ser feita pela CONTRATADA por meio de seu efetivo de Agentes de Limpeza, independentemente do local onde executar as movimentações, agrupando-se no máximo até 10 (dez) unidades dos mesmos; i) A CONTRATADA deverá separar os carrinhos transportadores de bagagens que não estiverem em condições de utilização, conduzi-los ao local pré-determinado pela Gerência de Operações, para aguardar a manutenção, dando ciência à fiscalização Local É a denominação principal da edificação a ser limpa e conservada, que dependendo do porte poderá ser subdividida em áreas e células. A definição da localização das estruturas, bem como de suas subdivisões, serão tomadas como base na realização do Relatório de Execução de Serviços. Exemplo: a) Terminal de Passageiros - TPS; b) Prédio da Administração/Bloco ADAERO; c) Prédio da Navegação Aérea/Estação Rádio; etc Áreas É a primeira subdivisão do local a ser limpo. O Relatório de Execução de Serviços deve procurar agrupar áreas com semelhantes processos de limpeza: Exemplo: a) Terminal de Passageiros TPS, embarque; b) Prédio da Administração/Bloco ADAERO, sala da superintendência; c) Prédio da Navegação Aérea/Estação Rádio, sala de estar; etc Células 8

9 localizadas no Sítio Aeroportuário do, em Tefé/AM. É a segunda subdivisão de um local a ser limpo e conservado. Na prática, são os locais que agrupamos para definir as áreas necessárias ao projeto e que terão caracterizadas suas particularidades de funcionamento, como: fontes e tipos de sujidade, suas facilidades e restrições ao trabalho de limpeza e conservação, etc. As células, independentemente dos seus tamanhos, são a menor subdivisão do local a ser limpo e receberão, sempre, uma atenção completa nos aspectos de limpeza e conservação, para todos os objetos nelas existentes. Na limpeza das Células deverá ser considerada a sequência racional de execução de trabalhos por superfície: alta, vertical, mobília ou equipamentos, piso, e outros. Por este motivo, os Programadores deverão, quando da realização do Relatório de Execução de Serviços, considerar a sequência de superfícies para que a sequência racional de execução dos trabalhos também seja obtida. Exemplo: a) Terminal de Passageiros TPS...Local b) Embarque...Área c) Banheiro...Célula 3.3. Ocorrências Qualquer acontecimento não previsto, e que requeira tratamento para garantir a qualidade do serviço prestado ou ações para que o acontecimento não se repita Registro das Ocorrências Toda e qualquer ocorrência, que interfira ou que possa interferir na qualidade dos serviços prestados, deverá ser documentada. A documentação das ocorrências deverá ser processada da seguinte forma: a) no campo do item Observações do Relatório de Execução de Serviços: quando a ocorrência se tratar de atividade na realização de tarefas preventivas previstas no mesmo; b) no Diário de Ocorrências: quando a ocorrência não estiver relacionada à execução de atividades na realização de tarefas preventivas previstas no Relatório de Execução de Serviços, e quando se tratar incidentes ou acidentes ocasionais Recursos Necessários para Execução dos Serviços de Limpeza Equipes de Conservação e Limpeza São as equipes constituídas de pessoal da empresa contratada, com objetivo de execução direta de todos os serviços previstos na programação do projeto de conservação, limpeza e higiene. As equipes serão constituídas por profissionais, tais como: supervisor, encarregados, 9

10 localizadas no Sítio Aeroportuário do, em Tefé/AM. agentes de limpeza, agentes de coleta, serviços gerais, almoxarife, técnico de segurança do trabalho, copeira e motoristas de carro leve Material de Conservação e Limpeza São os materiais relacionados neste TR e transpostos para o item insumo da Planilha de Custos e Formação de Preços de Serviço Contínuo, necessários para a realização das tarefas de conservação e limpeza, especificadas no Anexo IV Manual Descritivo dos Procedimentos de Conservação, Limpeza e Higiene e Higiene Máquinas e Equipamentos de uso Permanente São máquinas e equipamentos relacionados Planilha de Custos e Formação de Preços de Serviço Contínuo que a contratada deverá, obrigatoriamente, dispor e que serão utilizados nas atividades previstas Normas Técnicas É a denominação genérica do conjunto de métodos, especificações, processos, padronizações e terminologias estabelecidas pela Contratante, para a execução dos serviços de limpeza e conservação Padronização É o conjunto de condições a serem satisfeitas com o objetivo de uniformizar formatos, dimensões, pesos, materiais, e outras características Terminologia É o conjunto de definições e conceitos de termos técnicos, elaborados com o objetivo de estabelecer uma linguagem comum entre as empresas Contratante e Contratada, na execução das atividades Qualidade É a totalidade de aspectos e características de um produto ou serviço que suportam sua habilidade de satisfazer as necessidades implícitas e explícitas do cliente Política de Qualidade Intenções e diretrizes globais de uma organização relativas à qualidade, formalmente expressas pela alta direção Política da Qualidade da INFRAERO 10

11 localizadas no Sítio Aeroportuário do, em Tefé/AM. Promover a melhoria contínua da gestão e dos serviços, como forma de posicionar os aeroportos e agrupamentos de navegação aérea da rede INFRAERO entre os melhores do mundo Correção Ação tomada para eliminar uma não-conformidade detectada. A correção pode ser ou não ser implementada em conjunto com a ação corretiva. A correção envolve reparo, retrabalho ou reclassificação Ação Corretiva Ação implementada para eliminar as causas de uma não-conformidade identificada, a fim de evitar sua repetição Ação Preventiva Ação implementada para eliminar as causas de uma possível não-conformidade, a fim de prevenir sua ocorrência, ou outra situação potencialmente indesejável Ação Concernente Ação imediata para minimizar ou eliminar os efeitos negativos da não-conformidade Disposição Ação de tratamento de uma não-conformidade, com o objetivo de garantir a continuidade da prestação de um serviço, normalmente uma ação concernente e/ou correção Não-Conformidade É o não atendimento de um requisito especificado Não-Conformidade Potencial É um possível não atendimento de um requisito especificado Rastreabilidade Capacidade de se levantar o histórico de operações e atos relativos a um item ou serviço dentro de limites previamente estabelecidos por meio de sua identificação e de evidências documentais Crítico 11

12 localizadas no Sítio Aeroportuário do, em Tefé/AM. Termo utilizado quando se faz referência a algum fator que possa afetar adversamente a qualidade dos processos, produtos e/ou serviços Qualificação Capacitação de pessoas ou organizações, incluindo treinamento e/ou instrução apropriada (escolaridade), com a finalidade de torná-las aptas para o desempenho de suas funções. 4. PESSOAL A SER EMPREGADO NOS SERVIÇOS Quadro de Pessoal Para o desenvolvimento das atividades objeto do presente Termo de Referência, a Contratada deverá, obrigatoriamente, disponibilizar o seguinte efetivo mínimo: NÚMERO DE DEPENDÊNCIA CARGO/FUNÇÃO EMPREGADOS SBTF Encarregado de limpeza 01 Agentes de Limpeza 03 Folguistas 03 TOTAL GERAL 07 A movimentação de pessoal entre áreas, nos respectivos turnos, somente poderá ocorrer com a aprovação prévia da Comissão de Fiscalização da INFRAERO, doravante denominada Fiscalização, e por necessidade de serviço Requisitos Básicos dos Profissionais Contratados Os profissionais a serem alocados na execução dos serviços deverão atender às seguintes exigências mínimas: Encarregado de Limpeza Qualificação profissional: Ensino Médio completo. Curso de Comunicação Interpessoal/Atendimento ao Cliente; Curso de Chefia e Liderança; Experiência profissional: Mínimo seis meses comprovados como encarregado de limpeza Agentes de limpeza Qualificação profissional: 4º (quarta série) do ensino fundamental. Importante que seja alfabetizado. Certificado de conclusão de curso na atividade de conservação e limpeza, de no mínimo 20 (vinte) horas/aula, emitido por empresa fornecedora de materiais de limpeza ou outra instituição afim. 12

13 localizadas no Sítio Aeroportuário do, em Tefé/AM. 4.3 Utilização dos empregados em outros serviços no âmbito aeroportuário É vedado a Contratada utilizar o mesmo empregado que presta serviços à INFRAERO em outras empresas que operam no Aeroporto. O descumprimento desta exigência dará motivo de rescisão contratual. NOTA Ressalta-se que o quantitativo de mão-de-obra utilizado na contratação deu-se considerando a metragem das áreas do complexo aeroportuário, bem como as populações Fixa e Circulante no, em Tefé/AM. 5. TREINAMENTO A Contratada providenciará treinamento introdutório a todos os seus empregados, com a finalidade de habilitá-los ao exercício de suas atividades no ambiente aeroportuário. A Contratada deverá providenciar treinamento introdutório a seus empregados, contendo, no mínimo, o seguinte conteúdo programático: a) Apresentação da empresa. b) A missão da empresa. c) Relacionamento com o cliente, abrangendo: - O ambiente aeroportuário; - Cliente interno x cliente externo; - Quem são os clientes da nossa organização?; - Política da qualidade da INFRAERO; - As expectativas dos nossos clientes; - Como atender um cliente insatisfeito; - A importância da criatividade x flexibilidade para encantar o cliente. d) Módulo comportamental abrangendo: - comunicação verbal; - linguagem corporal; - percepção; - postura x imagem (como sou visto); - trabalho em equipe; - pró-atividade. e) Módulo de higiene pessoal contemplando: O que é higiene; Objetivos da boa higiene; Os riscos da falta de higiene; Asseio e conservação do ser; Profissão x higiene (destacando os benefícios pessoais da boa apresentação pessoal); Higiene vantagens para todos; 13

14 localizadas no Sítio Aeroportuário do, em Tefé/AM. O uso do uniforme. f) Segurança no trabalho O uso dos Equipamentos de Proteção Individual e Coletivo Treinamentos Obrigatórios A Contratada deverá providenciar os seguintes cursos e treinamentos a seus empregados, visando torná-los aptos ao exercício de suas atividades, até no máximo 60 dias após o início do contrato, sem prejuízo do especificado no item 5 precedente: a) Encarregados - Treinamento introdutório constando dos seguintes módulos: - atendimento ao cliente; - saúde, higiene e segurança no trabalho; - técnico em limpeza; - chefia e liderança; - Treinamento das situações estabelecidas no Anexo IV Manual Descritivo dos Procedimentos de Conservação, Limpeza e Higiene, deste Termo de Referência; - Treinamento das situações não previstas no Anexo IV Manual Descritivo dos Procedimentos de Conservação, Limpeza e Higiene, deste Termo de Referência, desde que necessária a implantação de novos procedimentos aprovados pela Fiscalização. b) Agentes de limpeza - Treinamento introdutório; - Curso de atendimento ao cliente; - Treinamento das situações estabelecidas no Anexo IV Manual Descritivo dos Procedimentos de Conservação, Limpeza e Higiene, deste Termo de Referência; - Treinamento das situações não previstas no Anexo IV Manual Descritivo dos Procedimentos de Conservação, Limpeza e Higiene, deste Termo de Referência, desde que necessária a implantação de novos procedimentos aprovados pela Fiscalização Registro dos Cursos e Treinamentos Realizados Todo e qualquer treinamento realizado deverá ser registrado, para efeito de controle. No registro, deverá conter o cargo e nome completo do empregado treinado, nomenclatura do treinamento, data do treinamento, carga horária, nome da entidade que efetuou o treinamento ou ministrou o curso Comprovação do Treinamento Realizado A comprovação do treinamento realizado deverá ser feita mediante a apresentação do certificado emitido pela entidade que ministrou o treinamento ou, no caso de o treinamento realizado pela própria empresa contratada, mediante apresentação do formulário próprio assinado pelo responsável do treinamento e pelo empregado treinado. 14

15 localizadas no Sítio Aeroportuário do, em Tefé/AM. Deverá ser apresentada à Fiscalização cópia dos certificados de treinamento realizados pelos supervisores e encarregados num prazo não superior a 10 dias da data final do evento. A empresa contratada deverá apresentar a comprovação da realização dos treinamentos dos demais empregados, toda vez que for requisitada pela Fiscalização, de forma imediata Reciclagem de Treinamento A reciclagem deverá ser efetuada, a critério da empresa contratada, em conjunto com a INFRAERO, porém, se por ocasião de fiscalizações efetuadas pela Contratante, ficarem evidenciadas falhas na execução das atividades de limpeza, descompostura profissional, uso indevido de equipamentos de proteção individual, ou qualquer comportamento que possa gerar uma não-conformidade, a Contratada deverá providenciar a reciclagem do empregado ou da equipe envolvida. 6. DA POSTURA E APRESENTAÇÃO DO EMPREGADO NO EXERCÍCIO DE SUAS ATIVIDADES Para a obtenção de um adequado nível de desenvoltura no planejamento dos trabalhos e maior desembaraço na coordenação de sua execução, bem como postura adequada no relacionamento com clientes internos e externos, a empresa contratada deverá garantir: a) que os empregados sejam pontuais e assíduos ao trabalho; b) que os empregados tenham bons princípios de urbanidade; c) que os empregados apresentem-se sempre com uniforme completo do mesmo padrão, e portando o crachá de identificação de forma ostensiva; d) que os empregados utilizem os materiais e os equipamentos de forma adequada; e) que os empregados utilizem os Equipamentos de Proteção Individual e de Uso Coletivo EPI e EPC, adequadamente; f) que os empregados cumpram com as orientações operacionais e de segurança emanadas da Administração da INFRAERO; g) que os empregados cumpram com as Normas e Regulamentações Internas, disponibilizadas no endereço 7. ÁREAS A SEREM TRATADAS E SEUS DIMENSIONAMENTOS 7.1 Quadro Demonstrativo Limpeza e Conservação Edificações LOCAIS DE TRABALHO ÁREAS DE ATUAÇÃO e LOCAIS ABRANGIDOS (Conforme especificado no Item Locais Abrangidos deste Termo) DIAS DA SEMANA Todos os dias inclusive Sábados, Domingos e Feriados HORÁRIOS DA EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS 12 HORAS (H12) (7h às 19hs) 15

16 localizadas no Sítio Aeroportuário do, em Tefé/AM. ÁREAS DE ATUAÇÃO e LOCAIS ABRANGIDOS (Conforme especificado no Item Locais Abrangidos deste Termo) Horário Comercial dias úteis 8 HORAS (H8) (8h às 17hs) Os serviços objeto da presente licitação abrangerão as seguintes áreas: Terminal de Passageiros TPS 476,97 m 2 ; Prédio da Administração/Bloco Adaero 120,59 m 2 ; Prédio da Navegação Aérea/Estação Rádio 156,05 m 2 ; Prédio do Projeto Social 45,31 m 2 ; Abrigo de Viaturas 446,28 m 2 ; Casa de Força/KF 104,4 m 2 ; Casa de Transmissão/KT 55,43 m 2 ; Poço Artesiano nº 01, 0 e ,90 m 2, 22,08 m 2 e 12,24 m 2 Depósito de Materiais Obsoletos 49,60 m 2 ; Estação de Tratamento de Esgoto/ETE 5,64 m 2 ; Seção Contra Incêndio/SCI - 395,60 m 2 ; Área de Segregação de resíduos Sólidos 140,60 m 2 ; e Áreas Externas 1.243,18 m 2. Resumo do total das metragens de Todas as áreas de SBTF ÁREAS INTERNAS (escritórios e acesso público)... : 2.043,45 m². ÁREAS EXTERNAS (calçadas, rampa de acesso, etc)... : 1.254,42 m². ÁREAS ENVIDRAÇADAS Faces internas... : 7,28 m². Faces externas... : 214,50 m². Obs.: A variação de acréscimo ou supressões de áreas em até 2% do quantitativo de cada tipo não incorrerá em aditamentos contratuais. LOCAIS ABRANGIDOS ÁREA DE ATUAÇÃO: TERMINAL DE PASSAGEIROS - TPS LOCAIS ABRANGIDOS: SAGUÃO (Área edificada) ÁREA M 2 TIPOS E CARACTERÍTICAS PREDOMINANTES FREQUÊNCIA LIMPEZA HORÁRIO FUNCIONAMENTO PISO; TETO, LUMINÁRIA E VENTILADORES; MÓVEIS E EQUIPAMENTO; PAREDES E DIVISÓRIA; EXTINTORES; PLACA DE SINALIZAÇÃO INFORMAÇÕES; BALCÃO; FACHADAS, PILASTRAS E MARQUISES; ASSENTOS; BEBEDOUROS; LIXEIRAS/CINZEIROS; 82,95 CERÂMICA Conforme item 10 do Termo de Referência H12 16

17 localizadas no Sítio Aeroportuário do, em Tefé/AM. CAIXA DE SUGESTÕES; TELEFONES; 01 (UM) BANHEIRO MASC; 01 (UM) BANHEIRO FEM.; VIDROS E ESQUADRIAS EM GERAL; CARRINHO DE BAGAGENS. LOCAIS ABRANGIDOS: EMBARQUE (Área edificada) ÁREA M 2 TIPOS E CARACTERÍTICAS PREDOMINANTES FREQUÊNCIA LIMPEZA HORÁRIO FUNCIONAMENTO PISO; TETO LUMINÁRIA; MÓVEIS E EQUIPAMENTO PAREDES E DIVISÓRIA; EXTINTORES; PLACA DE SINALIZAÇÃO INFORMAÇÕES; FACHADAS, PILASTRAS E MARQUISES; ASSENTOS; BEBEDOUROS; LIXEIRAS/CINZEIROS; CAIXA DE SUGESTÕES; TELEFONES; 01 (UM) BANHEIRO MASC.; 01 (UM) BANHEIRO FEM.; VIDROS E ESQUADRIAS EM GERAL. 127,59 CERÂMICA Conforme item 10 do Termo de Referência H12 LOCAIS ABRANGIDOS: DESEMBARQUE (Área edificada) ÁREA M 2 TIPOS E CARACTERÍTICAS PREDOMINANTES FREQUÊNCIA LIMPEZA HORÁRIO FUNCIONAMENTO PISO; TETO LUMINÁRIA; MÓVEIS E EQUIPAMENTO; PAREDES E DIVISÓRIA; EXTINTORES; PLACA DE SINALIZAÇÃO E INFORMAÇÕES; BALCÕES; FACHADAS, PILASTRAS E MARQUISES; ASSENTOS; BEBEDOUROS; LIXEIRAS; CAIXA DE SUGESTÕES; TELEFONES; 01 (UM) BANHEIRO MASC.; 01 (UM) BANHEIRO FEM.; VIDROS E ESQUADRIAS EM GERAL. 90,15 CERÂMICA Conforme item 10 do Termo de Referência H12 LOCAIS ABRANGIDOS: COA - (Área edificada) PISO; TETO LUMINÁRIA; MÓVEIS E EQUIPAMENTO; PAREDES E DIVISÓRIA; ÁREA M 2 TIPOS E CARACTERÍTICAS PREDOMINANTES FREQUÊNCIA LIMPEZA 5,50 CERÂMICA Conforme item 10 do Termo de Referência HORÁRIO FUNCIONAMENTO H12 17

18 localizadas no Sítio Aeroportuário do, em Tefé/AM. EXTINTORES; PLACA DE SINALIZAÇÃO INFORMAÇÕES; FACHADAS, PILASTRAS E MARQUISES; ASSENTOS; LIXEIRAS; CAIXA DE SUGESTÕES; TELEFONES; VIDROS E ESQUADRIAS EM GERAL. LOCAIS ABRANGIDOS: - MIRANTE (Área edificada) ÁREA M 2 TIPOS E CARACTERÍTICAS PREDOMINANTES FREQUÊNCIA LIMPEZA HORÁRIO FUNCIONAMENTO PISO; MURETA, MURÕES E TELAS; LIXEIRAS E CINZEIROS. 170,78 CIMENTO Conforme item 10 do Termo de Referência H12 ÁREA DE ATUAÇÃO: PRÉDIO DA ADMINISTRAÇÃO/BLOCO ADAERO LOCAIS ABRANGIDOS: - ADMINISTRAÇÃO INFRAERO -(Área edificada) ÁREA M 2 TIPOS E CARACTERÍTICAS PREDOMINANTES FREQUÊNCIA LIMPEZA HORÁRIO FUNCIONAMENTO PISO; TETO LUMINÁRIA; MÓVEIS E EQUIPAMENTO; PAREDES E DIVISÓRIA; EXTINTORES; PLACA DE SINALIZAÇÃO INFORMAÇÕES; FACHADAS; ASSENTOS; BEBEDOUROS; LIXEIRAS; TELEFONES; 01 (UM) BANHEIRO SUPERINTENDÊNCIA; 01 (UM) BANHEIRO MASC; 01 (UM) BANHEIRO FEM.; VIDROS E ESQUADRIAS EM GERAL. 120,59 PAVIFLEX Conforme item 10 do Termo de Referência ÁREA DE ATUAÇÃO: PRÉDIO DA NAVEGAÇÃO AÉREA/ESTAÇÃO RÁDIO LOCAIS ABRANGIDOS: PRÉDIO DA NAVEGAÇÃO AÉREA/ESTAÇÃO RÁDIO (Área edificada ) ÁREA M 2 TIPOS E CARACTERÍTICAS PREDOMINANTES FREQUÊNCIA LIMPEZA HORÁRIO FUNCIONAMENTO PISO; TETO LUMINÁRIA; MÓVEIS E EQUIPAMENTO; PAREDES E DIVISÓRIA; EXTINTORES; PLACA DE SINALIZAÇÃO INFORMAÇÕES; FACHADAS; ASSENTOS; BEBEDOUROS; 156,05 CERÂMICA Conforme item 10 do Termo de Referência H08 H08 18

19 localizadas no Sítio Aeroportuário do, em Tefé/AM. LIXEIRAS; TELEFONES; 01 (UM) BANHEIRO MASC; 01 (UM) BANHEIRO FEM.; VIDROS E ESQUADRIAS EM GERAL. ÁREA DE ATUAÇÃO: PRÉDIO DO PROJETO SOCIAL LOCAIS ABRANGIDOS: PRÉDIO DO PROJETO SOCIAL (Área edificada) ÁREA M 2 TIPOS E CARACTERÍTICAS PREDOMINANTES FREQUÊNCIA LIMPEZA PISO; TETO LUMINÁRIA; MÓVEIS E EQUIPAMENTO; PAREDES E DIVISÓRIA; EXTINTORES; PLACA DE SINALIZAÇÃO; FACHADAS; ASSENTOS; LIXEIRAS; 01 (UM) BANHEIRO; 45,31 CIMENTO Conforme item 10 do Termo de Referência HORÁRIO FUNCIONAMENTO H08 LOCAIS ABRANGIDOS: ÁREA DE ATUAÇÃO: ABRIGO DE VIATURAS ABRIGO DE VIATURAS (Área edificada) ÁREA M 2 TIPOS E CARACTERÍTICAS FREQUÊNCIA PREDOMINANTES LIMPEZA HORÁRIO FUNCIONAMENTO PISO; TETO LUMINÁRIA; MÓVEIS E EQUIPAMENTO; PAREDES E DIVISÓRIA; EXTINTORES; PLACA DE SINALIZAÇÃO INFORMAÇÕES; FACHADAS E PILARES; ASSENTOS; BEBEDOUROS; LIXEIRAS; 02 (DOIS) BANHEIROS; VIDROS E ESQUADRIAS EM GERAL. 446,52 CIMETO E CERÂMICA Conforme item 10 do Termo de Referência H08 ÁREA DE ATUAÇÃO: CASA DE FORÇA LOCAIS ABRANGIDOS: - KF - SUBESTAÇÃO - (Área edificada) ÁREA M 2 TIPOS E CARACTERÍTICAS PREDOMINANTES PISO; TETO LUMINÁRIA; PAREDES E DIVISÓRIA; EXTINTORES; PLACA DE SINALIZAÇÃO INFORMAÇÕES; LIXEIRAS. 104,40 CIMENTO FREQUÊNCIA LIMPEZA Conforme item 10 do Termo de Referência HORÁRIO FUNCIONAMENTO H12 19

20 localizadas no Sítio Aeroportuário do, em Tefé/AM. ÁREA DE ATUAÇÃO: CASA DE TRANSMISSÃO LOCAIS ABRANGIDOS: - KT - (Área edificada) ÁREA M 2 TIPOS E CARACTERÍTICAS PREDOMINANTES FREQUÊNCIA LIMPEZA HORÁRIO FUNCIONAMENTO PISO; TETO LUMINÁRIA; PAREDES; EXTINTORES; PLACA DE SINALIZAÇÃO INFORMAÇÕES; LIXEIRAS; 01 (UM) BANHEIRO; 55,43 CIMENTO E CERÂMICA Conforme item 10 do Termo de Referência H12 ÁREA DE ATUAÇÃO: ÁREA DO QUADRO DE COMANDO DO POÇO ARTESIANO Nº 01 LOCAIS ABRANGIDOS: POÇO ARTESIANO Nº 01, 02 e 03 (Área edificada) ÁREA M 2 TIPOS E CARACTERÍTICAS PREDOMINANTES FREQUÊNCIA LIMPEZA HORÁRIO FUNCIONAMENTO PISO; TETO; PAREDES; MURETA E ALAMBRADO; PLACA DE SINALIZAÇÃO INFORMAÇÕES; PORTÃO. 24, , ,24 + CIMENTO Conforme item 10 do Termo de Referência H12 ÁREA DE ATUAÇÃO: DEPOSITO DE MATERIAIS OBSOLETOS LOCAIS ABRANGIDOS: DEPOSITO DE MATERIAIS OBSOLETOS (Área edificada) ÁREA M 2 TIPOS E CARACTERÍTICAS PREDOMINANTES FREQUÊNCIA LIMPEZA HORÁRIO FUNCIONAMENTO PISO; TETO LUMINÁRIA; PAREDES; EXTINTORES; PLACA DE SINALIZAÇÃO INFORMAÇÕES; ESTRUTURA METÁLICA. 151,19 CIMENTO Conforme item 10 do Termo de Referência H08 ÁREA DE ATUAÇÃO: ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO LOCAIS ABRANGIDOS: ETE (Área edificada) ÁREA M 2 TIPOS E CARACTERÍTICAS PREDOMINANTES FREQUÊNCIA LIMPEZA HORÁRIO FUNCIONAMENTO PISO; TETO LUMINÁRIA; PAREDES; EXTINTORES; PLACA DE SINALIZAÇÃO INFORMAÇÕES; ESTRUTURA METÁLICA. 5,64 CIMENTO Conforme item 10 do Termo de Referência H08 20

ANEXO I METODOLOGIA DE REFERÊNCIA DOS SERVIÇOS DE LIMPEZA E CONSERVAÇÃO

ANEXO I METODOLOGIA DE REFERÊNCIA DOS SERVIÇOS DE LIMPEZA E CONSERVAÇÃO ANEXO I METODOLOGIA DE REFERÊNCIA DOS SERVIÇOS DE LIMPEZA E CONSERVAÇÃO 1.1. Tarefa: Limpeza de MÓVEIS E EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA - limpar com pano úmido e remover pó e manchas das mesas, armários,

Leia mais

LOTE II. TERMO DE REFERÊNCIA Descrição Geral dos Serviços de Limpeza e Conservação

LOTE II. TERMO DE REFERÊNCIA Descrição Geral dos Serviços de Limpeza e Conservação 1. DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS Os serviços de limpeza e conservação deverão ser realizados, conforme as seguintes especificações: ÁREAS INTERNAS 1.1. DIARIAMENTE, uma vez quando não explicitado. 1.1.1. Remover,

Leia mais

ANEXO II DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS, DOS LOCAIS E DOS ITENS. Área

ANEXO II DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS, DOS LOCAIS E DOS ITENS. Área ANEXO II DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS, DOS LOCAIS E DOS ITENS A execução dos serviços de limpeza, conservação e higienização nas dependências internas e externas dos edifícios, bem como nos seus bens móveis,

Leia mais

2ª RETIFICAÇÃO DE EDITAL DE LICITAÇÃO MODALIDADE TOMADA DE PREÇO Nº 02/2015. OBJETO: Contratação de pessoa jurídica para a Prestação de Serviços.

2ª RETIFICAÇÃO DE EDITAL DE LICITAÇÃO MODALIDADE TOMADA DE PREÇO Nº 02/2015. OBJETO: Contratação de pessoa jurídica para a Prestação de Serviços. 2ª RETIFICAÇÃO DE EDITAL DE LICITAÇÃO MODALIDADE TOMADA DE PREÇO Nº 02/2015 OBJETO: Contratação de pessoa jurídica para a Prestação de Serviços. A Câmara Municipal de Lapa/Pr, através de sua Comissão Permanente

Leia mais

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA A CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS DE CONSERVAÇÃO LIMPEZA, COPA, DESRATIZAÇÃO E DEDETIZAÇÃO

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA A CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS DE CONSERVAÇÃO LIMPEZA, COPA, DESRATIZAÇÃO E DEDETIZAÇÃO CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA A CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS DE CONSERVAÇÃO LIMPEZA, COPA, DESRATIZAÇÃO E DEDETIZAÇÃO NAS DEPENDÊNCIAS DO AEROPORTO DE BELO HORIZONTE CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE (SBBH)

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFRÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFRÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFRÊNCIA 1- INTRODUÇÃO E BASE LEGAL A elaboração deste Termo de Referência rege-se pelas disposições do Decreto nº 5.450, de 31/05/2005, subsidiariamente pela Lei nº 8.666/93, de 21/06/93

Leia mais

Termo de Referência. Contratação dos Serviços de Conservação, Limpeza, Higiene e Desinfecção, Com Controle de Estoque de Material SBJR

Termo de Referência. Contratação dos Serviços de Conservação, Limpeza, Higiene e Desinfecção, Com Controle de Estoque de Material SBJR Termo de Referência Contratação dos Serviços de Conservação, Limpeza, Higiene e Desinfecção, Com Controle de Estoque de Material SBJR JUNHO/2012 TERMO DE REFERÊNCIA Controle de Revisões Elaborado: Maria

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO CÂMARA MUNICIPAL DE CUIABÁ

ESTADO DE MATO GROSSO CÂMARA MUNICIPAL DE CUIABÁ INSTRUÇÃO NORMATIVA SGA Nº. 008/2011 DISPÕE SOBRE OS PROCEDIMENTOS DE SERVIÇOS DE LIMPEZA E CONSERVAÇÃO DAS UNIDADES DA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DA CÂMARA MUNICIPAL DE CUIABÁ. Versão: 01 Aprovação: 22/07/2011

Leia mais

APÊNDICE XI SERVIÇOS GERAIS DE APOIO À ADMINISTRAÇÃO

APÊNDICE XI SERVIÇOS GERAIS DE APOIO À ADMINISTRAÇÃO APÊNDICE XI SERVIÇOS GERAIS DE APOIO À ADMINISTRAÇÃO 1 SUMÁRIO 1 CONCEITOS E DIRETRIZES... 3 2 LIMPEZA... 3 2.1 Caracterização do Pessoal... 3 2.2 Materiais e Equipamentos a serem fornecidos e utilizados...

Leia mais

INFORMAÇOES TÉCNICA DOS SERVIÇOS

INFORMAÇOES TÉCNICA DOS SERVIÇOS INFORMAÇOES TÉCNICA DOS SERVIÇOS 3 - LIMPEZA E MANUTENÇÃO Informamos abaixo a forma correta de como proceder à limpeza profunda. Os equipamentos utilizados estão dimensionados de acordo com o tamanho do

Leia mais

Manual de Utilização dos Serviços de Limpeza da UFES Usuário Campi Goiabeiras, Maruípe e Base Oceanográfica

Manual de Utilização dos Serviços de Limpeza da UFES Usuário Campi Goiabeiras, Maruípe e Base Oceanográfica Manual de Utilização dos Serviços de Limpeza da UFES Usuário Campi Goiabeiras, Maruípe e Base Oceanográfica Este manual descreve o processo de limpeza e conservação das áreas edificadas da UFES. Maio de

Leia mais

Anexo II - TERMO DE REFERÊNCIA CONSERVAÇÃO E LIMPEZA

Anexo II - TERMO DE REFERÊNCIA CONSERVAÇÃO E LIMPEZA Anexo II - TERMO DE REFERÊNCIA CONSERVAÇÃO E LIMPEZA 1. OBJETO 1.1. Prestação de Serviços de Conservação e limpeza, higiene e desinfecção e Jardinagem com fornecimento de materiais e equipamentos, para

Leia mais

PLANO DE CARREIRA DOS CARGOS TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DESCRIÇÃO DO CARGO

PLANO DE CARREIRA DOS CARGOS TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DESCRIÇÃO DO CARGO DENOMINAÇÃO DO CARGO: AUXILIAR DE CARPINTARIA : ESCOLARIDADE: Fundamental Incompleto Auxiliar em todas as atividades de carpintaria tais como: corte, armação, instalação e reparação de peças de madeira.

Leia mais

ANEXO 5. Detalhamento dos serviços sob responsabilidade da Concessionária

ANEXO 5. Detalhamento dos serviços sob responsabilidade da Concessionária ANEXO 5 Detalhamento dos serviços sob responsabilidade da Concessionária 1 Os SERVIÇOS de que trata este Anexo deverão ser prestados no âmbito do SETOR OPERACIONAL DAS ESTAÇÕES e dos EMPREENDIMENTOS ASSOCIADOS.

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA CONSERVAÇÃO E LIMPEZA

TERMO DE REFERÊNCIA CONSERVAÇÃO E LIMPEZA TERMO DE REFERÊNCIA CONSERVAÇÃO E LIMPEZA 1. OBJETO 1.1. Prestação de Serviços de Conservação e limpeza, higienização, desinfecção e limpeza de reservatórios de água e controle de pragas em geral, com

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA COORDENADORIA DE MANUTENÇÃO LISTA DE VERIFICAÇÕES SERVIÇOS PREVENTIVOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA COORDENADORIA DE MANUTENÇÃO LISTA DE VERIFICAÇÕES SERVIÇOS PREVENTIVOS LOCAL: SETOR/ENDEREÇO: PERÍODO: RESPONSÁVEL PELAS INFORMAÇÕES: LISTA DE VERIFICAÇÕES SERVIÇOS PREVENTIVOS SISTEMAS HIDROSSANITÁRIOS PERÍODICIDADE SERVIÇOS PREVENTIVOS STATUS SEMANA 01 DIÁRIO Verificação

Leia mais

COTAÇÃO Nº 010/2015 I. JUSTIFICATIVA

COTAÇÃO Nº 010/2015 I. JUSTIFICATIVA COTAÇÃO Nº 010/2015 A Associação Pinacoteca Arte e Cultura - APAC, associação civil sem fins lucrativos, com sede na cidade de São Paulo, estado de São Paulo, na Praça da Luz, nº 2, Bom Retiro, CEP 01120-010,

Leia mais

INSTITUIÇÃO: DATA: RESPONSÁVEL PELA INSPEÇÃO: NOME DO RESP. PELO SERVIÇO;

INSTITUIÇÃO: DATA: RESPONSÁVEL PELA INSPEÇÃO: NOME DO RESP. PELO SERVIÇO; INSTITUIÇÃO: DATA: RESPONSÁVEL PELA INSPEÇÃO: NOME DO RESP. PELO SERVIÇO; Tipo do Serviço: ( ) Próprio ( )terceirizado Nome; Possui Licença sanitária? ( ) SIM ( ) NÃO N /ANO: Há um encarregado do setor

Leia mais

Concurso Público. Serviços de Limpeza na Sede e no Edifício Administrativo da Ala Oeste do Instituto do Desporto

Concurso Público. Serviços de Limpeza na Sede e no Edifício Administrativo da Ala Oeste do Instituto do Desporto Concurso Público Serviços de Limpeza na Sede e no Edifício Administrativo da Ala Oeste do Instituto do Desporto Requisitos para a prestação de serviços de limpeza 1. Serviços de limpeza da 1ª parte Fornecimento

Leia mais

Normas de Segurança para o Instituto de Química da UFF

Normas de Segurança para o Instituto de Química da UFF Normas de Segurança para o Instituto de Química da UFF A Comissão de segurança do Instituto de Química da UFF(COSEIQ) ao elaborar essa proposta entende que sua função é vistoriar, fiscalizar as condições

Leia mais

[REQUISITOS AMBIENTAIS COMPLEMENTARES]

[REQUISITOS AMBIENTAIS COMPLEMENTARES] EMPRESA BRASILEIRA DE INFRA-ESTRUTURA AEROPORTUÁRIA SUPERINTENDENCIA REGIONAL DO CENTRO-LESTE COORDENAÇÃO REGIONAL DE MEIO AMBIENTE [REQUISITOS AMBIENTAIS COMPLEMENTARES] DATA DE EMISSÃO: MARÇO/2011 ELABORADOR(ES):

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA Secretaria da Administração - SAEB

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA Secretaria da Administração - SAEB Salvador, Bahia Quinta-feira 1º de dezembro de 2011 Ano XCVI N o 20.719 INSTRUÇÃO N. 015 DE 30 DE NOVEMBRO DE 2011 Altera a Instrução n. 009/2011, que orienta os órgã os e entidades da Administração Pública

Leia mais

Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária Superintendência Regional do Norte - SRNO TERMO DE REFERÊNCIA

Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária Superintendência Regional do Norte - SRNO TERMO DE REFERÊNCIA Termo de Referência Contratação de empresa especializada para prestação dos serviços de conservação, limpeza, higiene, desinfecção, manutenção de áreas verdes, sem controle de estoque de material, nos

Leia mais

ADEQUAÇÃO DAS EDIFICAÇÕES E DO MOBILIÁRIO URBANO À PESSOA DEFICIENTE

ADEQUAÇÃO DAS EDIFICAÇÕES E DO MOBILIÁRIO URBANO À PESSOA DEFICIENTE Esta norma aplica-se atodas as edificações de uso público e/ou mobiliário urbano, tanto em condições temporárias como em condições permanentes. É sempre necessário consultar o REGULAMENTO DO CÓDIGO NACIONAL

Leia mais

Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária Superintendência Regional do Norte - SRNO

Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária Superintendência Regional do Norte - SRNO Termo de Referência Contratação de empresa especializada para prestação dos serviços de conservação, limpeza, higiene, desinfecção, manutenção de áreas verdes, sem controle de estoque de material, no Grupamento

Leia mais

1. O item 2 da Instrução n. 008 passa a vigorar co m a seguinte redação:

1. O item 2 da Instrução n. 008 passa a vigorar co m a seguinte redação: Salvador, Bahia Quinta-feira 16 de Janeiro de 2014 Ano XCVIII N o 21.333 INSTRUÇÃO N. 001/2014 Altera a Instrução n. 008, de 02 de maio de 2011, que orienta os órgãos e entidades da Administração Pública

Leia mais

ROTEIRO DE INSPEÇÃO PARA AVALIAÇÃO DA ESTRUTURA FÍSICA DAS INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS

ROTEIRO DE INSPEÇÃO PARA AVALIAÇÃO DA ESTRUTURA FÍSICA DAS INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS I IDENTIFICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO Nome: Endereço: AP: Nome Fantasia: Inscrição Municipal: Nº do Processo: CNPJ: Tipo de Serviço: ( ) Municipal ( ) Filantrópico ( ) Conveniado SUS RJ ( ) Privado ( ) Estadual

Leia mais

SECRETARIA DE GESTÃO PÚBLICA

SECRETARIA DE GESTÃO PÚBLICA SECRETARIA DE GESTÃO PÚBLICA Fundap - Fundação do Desenvolvimento Administrativo VOLUME 3 Prestação de Serviços de Limpeza, Asseio e Conservação Predial Versão Fevereiro/2007 VOLUME 3 INSTRUÇÕES GERAIS...02

Leia mais

Acompanhamento dos serviços de limpeza

Acompanhamento dos serviços de limpeza CAMPUS SÃO PAULO DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DIVISÃO DE SERVIÇOS GERAIS Acompanhamento dos serviços de limpeza Manual dos usuários 1 versão Este documento é uma referência para acompanhamento dos serviços

Leia mais

QUESTIONAMENTOS PREGÃO PRESENCIAL Nº 009/2012

QUESTIONAMENTOS PREGÃO PRESENCIAL Nº 009/2012 QUESTIONAMENTOS PREGÃO PRESENCIAL Nº 009/2012 1) Solicito esclarecimento referente ao Pregão Presencial nº 009/2012, cujo objeto é a prestação de serviço de limpeza e conservação predial, movimentação

Leia mais

PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE LIMPEZA, ASSEIO E CONSERVAÇÃO PREDIAL

PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE LIMPEZA, ASSEIO E CONSERVAÇÃO PREDIAL PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE LIMPEZA, ASSEIO E CONSERVAÇÃO PREDIAL (Área Administrativa, Almoxarifado, Galpão, Laboratório, Oficina, Garagem, Passeios e Arruamentos) SEMPLA/COBES/DGSS AGOSTO/2014 ÍNDICE -

Leia mais

Pisos de Madeira. Pisos de Cerâmica. Equipamentos. Equipamentos. Segurança. Vassoura Esfregão (se necessário) Pá de lixo Cesto de lixo

Pisos de Madeira. Pisos de Cerâmica. Equipamentos. Equipamentos. Segurança. Vassoura Esfregão (se necessário) Pá de lixo Cesto de lixo Pisos de Madeira 1. Varra bordas, cantos e atrás das portas. 2. Varra o restante do piso, começando de um lado da sala até o outro. Para pisos amplos, use um esfregão, sacudindo-o quando terminar. 3. Junte

Leia mais

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC N 6, DE 30 DE JANEIRO DE 2012

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC N 6, DE 30 DE JANEIRO DE 2012 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA - RDC N 6, DE 30 DE JANEIRO DE

Leia mais

DISTRIBUIDORA DE COSMÉTICOS

DISTRIBUIDORA DE COSMÉTICOS 1. Identificação do Estabelecimento Razão Social: Nome Fantasia: CNPJ: Endereço: Bairro: Município: CEP: Fone: Fax: E-mail: Responsável Legal: CPF: Responsável Técnico: CPF: CR : 2. Inspeção Data: Objetivo:

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO Julho / 2015. Escola Básica Municipal Encano Central Reforma da Cobertura Indaial / SC

MEMORIAL DESCRITIVO Julho / 2015. Escola Básica Municipal Encano Central Reforma da Cobertura Indaial / SC MEMORIAL DESCRITIVO Julho / 2015 Escola Básica Municipal Encano Central Reforma da Cobertura Indaial / SC 1. INFORMAÇÕES PRELIMINARES 1.1. RESPONSÁVEL TÉCNICO PELO PROJETO Carlos Henrique Nagel Engenheiro

Leia mais

MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE II O CANTEIRO DE OBRAS

MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE II O CANTEIRO DE OBRAS MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE II O CANTEIRO DE OBRAS O canteiro de obras Introdução Sistema de produção Em muitos casos de obras de construção e montagem o canteiro de obras pode ser comparado a uma fábrica

Leia mais

CHECKLIST DA RDC 16/2013

CHECKLIST DA RDC 16/2013 CHECKLIST DA RDC 16/2013 Checklist para a RDC 16 de 2013 Página 2 de 10 Checklist 1. 2.1 Disposições gerais Existe um manual da qualidade na empresa? 2. Existe uma política da qualidade na empresa? 3.

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MOBILIZAÇÃO, CONSTRUÇÃO E DESMOBILIZAÇÃO DO CANTEIRO

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MOBILIZAÇÃO, CONSTRUÇÃO E DESMOBILIZAÇÃO DO CANTEIRO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MOBILIZAÇÃO, CONSTRUÇÃO E DESMOBILIZAÇÃO DO CANTEIRO 1. VIA DE ACESSO 1.1 - GENERALIDADES Será utilizada como acesso às obras, durante a fase de construção, as vias já existentes

Leia mais

Manutenção Predial do TJAM (Comarca de Manaus)

Manutenção Predial do TJAM (Comarca de Manaus) PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS DIVISÃO DE GESTÃO DA QUALIDADE Sistema de Gestão da Qualidade PROCEDIMENTO P.TJAM 16 Manutenção Predial do TJAM Elaborado por: Haryson Otacy Rombaldi

Leia mais

PORTARIA CVS Nº 02, de 11/01/2010

PORTARIA CVS Nº 02, de 11/01/2010 PORTARIA CVS Nº 02, de 11/01/2010 Dispõe sobre Regulamento Técnico que estabelece requisitos sanitários para estabelecimentos destinados a eventos esportivos. A Diretora Técnica do Centro de Vigilância

Leia mais

Divisão de Enfermagem CME Página 1 de 6 Título do Procedimento: Limpeza concorrente e terminal da CME

Divisão de Enfermagem CME Página 1 de 6 Título do Procedimento: Limpeza concorrente e terminal da CME Divisão de Enfermagem CME Página 1 de 6 Freqüência em que é realizado: Diário/semanal/quinzenal/mensal Profissional que realiza: Auxiliar ou Técnico de Enfermagem e servidor da empresa terceirizada de

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO MÍNIMA PARA AS INSTALAÇÕES DA GARAGEM

ESPECIFICAÇÃO MÍNIMA PARA AS INSTALAÇÕES DA GARAGEM PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE MOBILIDADE URBANA CONCORRÊNCIA CONCESSÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS DE TRANSPORTE COLETIVO URBANO DE PASSAGEIROS DO MUNICÍPIO EDITAL DE CONCORRÊNCIA

Leia mais

26.1 Objetivo Limpeza das superfícies com acabamento em aço inox.

26.1 Objetivo Limpeza das superfícies com acabamento em aço inox. 25.3 Procedimento Seqüencial 1. Passar o pano de limpeza seco para retirar o pó. 2. Despejar o produto no pano. 3. Aplicar o pano com o produto sobre a superfície. 4. Polir com pano seco. 25.4 Observações

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 031/DAT/CBMSC) PLANO DE EMERGÊNCIA

NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 031/DAT/CBMSC) PLANO DE EMERGÊNCIA ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS - DAT NORMAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN 031/DAT/CBMSC)

Leia mais

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar MANUAL DO AVALIADOR Parte I 1.1 Liderança Profissional habilitado ou com capacitação compatível. Organograma formalizado, atualizado e disponível. Planejamento

Leia mais

ANEXO IV LAUDO DE CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE HIGIENE

ANEXO IV LAUDO DE CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE HIGIENE ANEXO IV LAUDO DE CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE HIGIENE 119 LAUDO TÉCNICO PREVISTO NO DECRETO Nº 6.795 DE 16 DE MARÇO DE 2009 LAUDO DE CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE HIGIENE 1. IDENTIFICAÇÃO DO ESTÁDIO 1.1. Nome

Leia mais

Rotina de Higiene e Limpeza

Rotina de Higiene e Limpeza Rotina de Higiene e Limpeza Diáriamente Calçadas Varrer as calçadas, retirando o lixo das jardineiras e junto ao meio fio (retirando as fezes dos animais). Jardineiras e vasos Rregar as plantas a tardinha

Leia mais

a) sempre que se produza uma mudança nas condições de trabalho, que possa alterar a exposição aos agentes biológicos;

a) sempre que se produza uma mudança nas condições de trabalho, que possa alterar a exposição aos agentes biológicos; Os 32 itens da NR-32 a serem trabalhados nesta primeira etapa do projeto 32 para implantação nos estabelecimentos de saúde até 2009 foram selecionados e estudados pela diretoria do Sinsaúde por serem os

Leia mais

INSTRUÇÃO Nº 008 DE 02 DE MAIO DE 2011

INSTRUÇÃO Nº 008 DE 02 DE MAIO DE 2011 INSTRUÇÃO Nº 008 DE 02 DE MAIO DE 2011 Publicado no DOE em 03 de maio de 2011 Orienta os órgãos e entidades da Administração Pública do Poder Executivo Estadual, quanto aos procedimentos licitatórios e

Leia mais

CONCESSÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE TRANSPORTE COLETIVO URBANO DE PASSAGEIROS DO MUNICÍPIO DE CURITIBANOS-SC

CONCESSÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE TRANSPORTE COLETIVO URBANO DE PASSAGEIROS DO MUNICÍPIO DE CURITIBANOS-SC CONCESSÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE TRANSPORTE COLETIVO URBANO DE PASSAGEIROS DO MUNICÍPIO DE CURITIBANOS-SC PLANO DE OUTORGA ANEXO V CADERNO DE ESPECIFICAÇÃO DE INSTALAÇÕES E APARELHAMENTO Abril/2014 Sumário

Leia mais

International Paper do Brasil Ltda

International Paper do Brasil Ltda International Paper do Brasil Ltda Autor do Doc.: Editores: Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Título: Tipo do Documento: SubTipo: Serviços de Limpeza e Disposição

Leia mais

a) garantir a efetiva implementação das medidas de proteção estabelecidas nesta Norma;

a) garantir a efetiva implementação das medidas de proteção estabelecidas nesta Norma; TRABALHO EM ALTURA 36.1 Objetivo e Campo de Aplicação 36.1 Objetivo e Definição 36.1.1 Esta Norma tem como objetivo estabelecer os requisitos mínimos e as medidas de proteção para o trabalho em altura,

Leia mais

ASSOCIAÇÃO EVANGÉLICA ESPÍRITO SANTENSE

ASSOCIAÇÃO EVANGÉLICA ESPÍRITO SANTENSE ASSOCIAÇÃO EVANGÉLICA ESPÍRITO SANTENSE CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE LIMPEZA E CONSERVAÇÃO E TRANSPORTE E ACONDICIONAMENTO DE RESÍDUOS HOSPITALARES TERMO DE REFERÊNCIA

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado da Casa Civil Subsecretaria Militar da Casa Civil ANEXO 1 TERMO DE REFERÊNCIA

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado da Casa Civil Subsecretaria Militar da Casa Civil ANEXO 1 TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO 1 TERMO DE REFERÊNCIA JUSTIFICATIVA Justifica-se a contratação de empresa especializada na prestação de serviço de manutenção, limpeza, higienização, desinsetização, descupinização e desratização

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa RESOLUÇÃO DE MESA N.º 806/2007. (publicada no DOE nº 236, de 13 de dezembro de 2007) Dispõe sobre o Programa de Gerenciamento

Leia mais

Empresa terceirizada, contratada para a produção e distribuição de refeições aos usuários da Universidade Federal do Amapá. Nº NOME TELEFONE E-MAIL

Empresa terceirizada, contratada para a produção e distribuição de refeições aos usuários da Universidade Federal do Amapá. Nº NOME TELEFONE E-MAIL PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO - POP Nº 1.1.3.4 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E AÇÕES COMUNITÁRIAS DEPARTAMENTO DO RESTAURANTE UNIVERSITÁRIO CHEFE

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE INFRA ESTRUTURA AEROPORTUÁRIA AEROPORTO INTERNACIONAL DE NAVEGANTES TERMO DE REFERÊNCIA

EMPRESA BRASILEIRA DE INFRA ESTRUTURA AEROPORTUÁRIA AEROPORTO INTERNACIONAL DE NAVEGANTES TERMO DE REFERÊNCIA 1 EMPRESA BRASILEIRA DE INFRA ESTRUTURA AEROPORTUÁRIA AEROPORTO INTERNACIONAL DE NAVEGANTES TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETO Fornecimento e instalação de películas de proteção para vidros, conforme descrição

Leia mais

ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS - INDÚSTRIAS DE COSMÉTICOS E SANEANTES -

ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS - INDÚSTRIAS DE COSMÉTICOS E SANEANTES - ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS - INDÚSTRIAS DE COSMÉTICOS E SANEANTES - 1. LEGISLAÇÃO SANITÁRIA ESPECÍFICA - Lei Federal 6.360/76 e Decreto Estadual (DE) 23.430 de 24/10/1974 (http://www.al.rs.gov.br/legis/);

Leia mais

18.4. Áreas de vivência

18.4. Áreas de vivência 18.4. Áreas de vivência 18.4.1. Os canteiros de obras devem dispor de: a) instalações sanitárias; (118.015-0 / I4) b) vestiário; (118.016-9 / I4) c) alojamento; (118.017-7 / I4) d) local de refeições;

Leia mais

Procedimento Institucional Gestão de EPI

Procedimento Institucional Gestão de EPI Tipo de Documento Procedimento Institucional Título do Documento Equipamento de Proteção Individual Elaborado por Paulo Sérgio Bigoni Área Relacionada Saúde e Segurança do Trabalhador Processo ESTRUTURAÇÃO

Leia mais

PGRSS PASSO A PASSO NATAL/RN NOV/2013

PGRSS PASSO A PASSO NATAL/RN NOV/2013 NATAL/RN NOV/2013 PLANO DE GERENCIAMENTO DE RSS Documento que aponta e descreve ações relativas ao manejo dos resíduos sólidos nos estabelecimentos assistenciais de saúde Considerando as Características

Leia mais

Consórcio Fênix Rua Cândido Ramos nº550 - CEP 88090.800 Capoeiras - Florianópolis/SC - Brasil CNPJ 19.962.391/0001-53 sac@consorciofenix.com.

Consórcio Fênix Rua Cândido Ramos nº550 - CEP 88090.800 Capoeiras - Florianópolis/SC - Brasil CNPJ 19.962.391/0001-53 sac@consorciofenix.com. 1 2 CONSÓRCIO FÊNIX PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE MOBILIDADE URBANA - SMMU MANUAL DOS USUÁRIOS DO SISTEMA SIM MODALIDADE POR ÔNIBUS DIREITOS E DEVERES DAS PARTES ENVOLVIDAS

Leia mais

PASSO A PASSO: COMO ELABORAR E IMPLEMENTAR O PGRSS

PASSO A PASSO: COMO ELABORAR E IMPLEMENTAR O PGRSS PASSO A PASSO: COMO ELABORAR E IMPLEMENTAR O PGRSS PASSO 1 IDENTIFICAÇÃO DO PROBLEMA: Abrange o reconhecimento do problema e a sinalização positiva da administração para início do processo. Definir, um

Leia mais

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov. TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008 Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.br 11 3104-0988 Este treinamento tem por objetivo capacitar os participantes para

Leia mais

adota a seguinte Resolução de Diretoria Colegiada e eu, Diretor-Presidente, determino a sua publicação:

adota a seguinte Resolução de Diretoria Colegiada e eu, Diretor-Presidente, determino a sua publicação: Resolução - RDC nº 275, de 21 de outubro de 2002(*) Republicada no D.O.U de 06/11/2002 Dispõe sobre o Regulamento Técnico de Procedimentos Operacionais Padronizados aplicados aos Estabelecimentos Produtores/Industrializadores

Leia mais

NR 24 - INSTALAÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO

NR 24 - INSTALAÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO NR 24 - INSTALAÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO 24.1 Instalações Sanitárias 24.1.1 Todo estabelecimento deve ser dotado de instalações sanitárias, constituídas por vasos sanitários,

Leia mais

PROCEDIMENTO DO SISTEMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

PROCEDIMENTO DO SISTEMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL RESPONSABILIDADE SOCIAL TÍTULO : SAÚDE E SEGURANÇA 1. OBJETIVO: Informar, conscientizar e instruir os colaboradores, sobre possíveis riscos inerentes as funções desempenhadas em seu dia a dia do trabalho.

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO PARANÁ - SESA SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA. Nota Técnica nº 08/13 DVVSA/CEVS/SESA 29 de agosto 2013.

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO PARANÁ - SESA SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA. Nota Técnica nº 08/13 DVVSA/CEVS/SESA 29 de agosto 2013. SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO PARANÁ - SESA SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA Nota Técnica nº 08/13 DVVSA/CEVS/SESA 29 de agosto 2013. BOAS PRÁTICAS PARA COMÉRCIO AMBULANTE DE ALIMENTOS A Secretaria do

Leia mais

Documento Orientador Limpeza em Ambiente Escolar. Diretoria de Ensino Região de Itapecerica da Serra

Documento Orientador Limpeza em Ambiente Escolar. Diretoria de Ensino Região de Itapecerica da Serra Documento Orientador Limpeza em Ambiente Escolar Diretoria de Ensino Região de Itapecerica da Serra Caderno de Estudos Técnicos Com o objetivo de padronizar a gestão dos contratos, o Governo do Estado

Leia mais

Uma arte que deve andar lado a lado com a saúde. Secretaria de Saúde de Vila Velha Vigilância Sanitária

Uma arte que deve andar lado a lado com a saúde. Secretaria de Saúde de Vila Velha Vigilância Sanitária Uma arte que deve andar lado a lado com a saúde. Secretaria de Saúde de Vila Velha Vigilância Sanitária objetivo Este manual estabelece os critérios de higiene e de boas práticas operacionais para o controle

Leia mais

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO 18.4 Áreas de Vivência 18.4.1. Os canteiros de obras devem dispor de: a) instalações sanitárias; b) vestiário; c) alojamento; d)

Leia mais

ANEXO I CONDIÇÕES GERAIS DE CONTRATAÇÃO

ANEXO I CONDIÇÕES GERAIS DE CONTRATAÇÃO 1 PRODUTOS 1.1 Serviço de manutenção preventiva mensal e corretiva, quando necessário, para o elevador da Unidade Operacional da Anatel no Estado de Santa Catarina UO031, situada à Rua Saldanha Marinho,

Leia mais

6 CURSO DE CONTROLE DE QUALIDADE NA INDÚSTRIA DE ALIMENTOS

6 CURSO DE CONTROLE DE QUALIDADE NA INDÚSTRIA DE ALIMENTOS Universidade de Passo Fundo Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária Curso de Medicina Veterinária 6 CURSO DE CONTROLE DE QUALIDADE NA INDÚSTRIA DE ALIMENTOS Médico Veterinário Profº Dr. Elci Lotar

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE COORDENADORIA GERAL DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE NORMA TÉCNICA 2/07

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE COORDENADORIA GERAL DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE NORMA TÉCNICA 2/07 PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE COORDENADORIA GERAL DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE NORMA TÉCNICA 2/07 Esta Norma dispõe sobre a Regulamentação e Controle das Condições Sanitárias

Leia mais

1.3.2 Um ponto de água e esgoto e uma tomada 110V para instalação de purificador

1.3.2 Um ponto de água e esgoto e uma tomada 110V para instalação de purificador Anexo I Chamamento Público 01/2014 1 Espaço A. Destinação Almoxarifado: armazenamento útil mínimo de 1.000m², divididos da seguinte forma: 1.1 Área de armazenagem 87% (mínimo de 870m²) 1.1.1 Sala administrativa

Leia mais

Plano de Gerenciamento de RSS PGRSS

Plano de Gerenciamento de RSS PGRSS Plano de Gerenciamento de RSS PGRSS Documento que aponta e descreve ações a relativas ao manejo dos resíduos sólidos, s observadas suas características, no âmbito dos estabelecimentos, contemplando os

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. JUSTIFICATIVA: Considerando que os serviços de manutenção predial são imprescindíveis e de natureza contínua. Ademais, existem fatores diversos que influenciam na preservação

Leia mais

UTENSÍLIO DA SUBESTAÇÃO TACARATÚ, NO MUNICIPIO DE TACARATÚ- PE.

UTENSÍLIO DA SUBESTAÇÃO TACARATÚ, NO MUNICIPIO DE TACARATÚ- PE. COMPANHIA HIDRO ELÉTRICA DO SÃO FRANCISCO CHESF DA - DIRETORIA ADMINISTRATIVA DRGP - DIVISÃO DE SERVIÇOS GERAIS SPAA SERVIÇO DE ADMINISTRAÇÃO AUXILIAR DE PAULO AFONSO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SPAA- 021 -

Leia mais

MANUAL DE LIMPEZA E CONSERVAÇÃO

MANUAL DE LIMPEZA E CONSERVAÇÃO MANUAL DE LIMPEZA E CONSERVAÇÃO 1. O que é limpeza É o ato de remover todo tipo de sujidade, visível ou não, de uma superfície, sem alterar as características originais do local a ser limpo. 1.1 Limpeza

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS ASSUNTO PADRONIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO, A SEREM EXECUTADAS PELAS EMPRESAS CONTRATADAS PELA INFRAERO RESPONSÁVEL DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO (DA) GERÊNCIA DE DINÂMICA LABORAL

Leia mais

POP 04 (Controle Integrado de Vetores e Pragas Urbanas) RESTAURANTE...

POP 04 (Controle Integrado de Vetores e Pragas Urbanas) RESTAURANTE... Página 1 POP 04 (Controle Integrado de Vetores e Pragas Urbanas) RESTAURANTE... Modelo sugerido por Márcia M M Paranaguá,, em conformidade com as leis da ANVISA Página 2 1. OBJETIVOS - Assegurar um controle

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE Secretaria Municipal da Produção, Indústria e Comércio

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE Secretaria Municipal da Produção, Indústria e Comércio PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE Secretaria Municipal da Produção, Indústria e Comércio CONCORRÊNCIA n.º 04/10 Processo n.º 001.039480.09.7 Anexo 1 Projeto Básico RETIFICADO 1. Descrição do objeto:

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC)

TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC) TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC) 1 JUSTIFICATIVA Este Termo de Referência tem como finalidade orientar os grandes e pequenos geradores

Leia mais

SÚMULA DAS NORMAS REGULAMENTADORAS NR S. Objetivo: Instruir quanto ao campo de aplicação das NR s e direitos e obrigações das partes.

SÚMULA DAS NORMAS REGULAMENTADORAS NR S. Objetivo: Instruir quanto ao campo de aplicação das NR s e direitos e obrigações das partes. SÚMULA DAS NORMAS REGULAMENTADORAS NR S NR-1 DISPOSIÇÕES GERAIS O campo de aplicação de todas as Normas Regulamentadoras de segurança e medicina do trabalho urbano, bem como os direitos e obrigações do

Leia mais

ENGENHARIA DE SEGURANÇA

ENGENHARIA DE SEGURANÇA ESTADO DE MATO GROSSO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ENGENHARIA DE SEGURANÇA P R O F ª K A R E N W R O B E L S T R A

Leia mais

RESOLUÇÃO SEMA Nº 028/2010

RESOLUÇÃO SEMA Nº 028/2010 RESOLUÇÃO SEMA Nº 028/2010 Dispõe sobre a coleta, armazenamento e destinação de embalagens plásticas de óleo lubrificante pós-consumo no Estado do Paraná. O SECRETÁRIO DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE E RECURSOS

Leia mais

Vice-Presidência de Engenharia e Meio Ambiente Instrução de Trabalho de Meio Ambiente

Vice-Presidência de Engenharia e Meio Ambiente Instrução de Trabalho de Meio Ambiente Histórico de Alterações Nº de Revisão Data de Revisão Alteração Efetuada 1-Foi alterado o texto do item 2, onde foram suprimidas as referências anteriores e referenciada a PGR 4.3.2 e PGR-4.3.1 e IGR-4.4.6-12.

Leia mais

ECV 5644 Instalações II

ECV 5644 Instalações II SISTEMA DE GÁS CENTRALIZADO Fonte: ETFSC Este Sistema também é conhecido como SISTEMA DE GÁS COMBUSTIVEL CENTRALIZADO, é constituído basicamente das seguintes instalações: 1. Central de Gás (Central de

Leia mais

PROGRAMA DE COLETA SELETIVA CODEBA

PROGRAMA DE COLETA SELETIVA CODEBA 1 PROGRAMA DE COLETA SELETIVA CODEBA SALVADOR BA FEVEREIRO - 2012 1. INTRODUÇÃO 2 O presente Programa de Coleta Seletiva trata dos resíduos gerados pela Companhia, tendo sua elaboração e implementação

Leia mais

Doutoranda: Carolina de Gouveia Mendes

Doutoranda: Carolina de Gouveia Mendes UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO UFERSA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ANIMAIS - DCAn DISCIPLINA: INSPEÇÃO DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL Doutoranda: Carolina de Gouveia Mendes 2013 INTRODUÇÃO Principais

Leia mais

Implantação do Serviço de Limpeza

Implantação do Serviço de Limpeza Implantação do Serviço de Limpeza Treinamento para Facilitadores 23 e 25 de agosto de 2010 Contrato 60/10 Cor Line Sistemas de Serviços Ltda. Inicio 30/08/2010 12 meses UNIDADES DO QUADRILATERO SAÚDE/DIREITO

Leia mais

O que é Canteiro de Obras?

O que é Canteiro de Obras? O que é Canteiro de Obras? Sistema complexo, com muitos riscos associados Análise prévia e criteriosa de sua implantação Qualidade Produtividade Segurança Cartão de visita da obra!!! O que é Canteiro

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

PAC 01. Manutenção das Instalações e Equipamentos Industriais

PAC 01. Manutenção das Instalações e Equipamentos Industriais PAC 01 Página 1 de 8 PAC 01 Manutenção das Instalações e Equipamentos Industriais PAC 01 Página 2 de 8 1. Objetivo----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------03

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 307, DE 5 DE JULHO DE 2002 (DOU de 17/07/2002)

RESOLUÇÃO Nº 307, DE 5 DE JULHO DE 2002 (DOU de 17/07/2002) RESOLUÇÃO Nº 307, DE 5 DE JULHO DE 2002 (DOU de 17/07/2002) Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil. Correlações: Alterada pela Resolução nº 469/15

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Municipio de Venâncio Aires

Estado do Rio Grande do Sul Municipio de Venâncio Aires MEMORIAL DESCRITIVO Obra: OBRAS CIVIS, REFORMA E INSTALAÇÕES - PMAT PAVIMENTO TÉRREO E SUPERIOR DA PREFEITURA MUNICIPAL Local: Rua Osvaldo Aranha-nº 634 Venâncio Aires EXECUÇÃO E SERVIÇOS A execução dos

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável

PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS (APLICADO A INDÚSTRIA E COMÉRCIO

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DIVISÃO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA Centro Estadual de Vigilância em Saúde Núcleo de Estabelecimento de Saúde PODOLOGIA

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DIVISÃO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA Centro Estadual de Vigilância em Saúde Núcleo de Estabelecimento de Saúde PODOLOGIA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DIVISÃO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA Centro Estadual de Vigilância em Saúde Núcleo de Estabelecimento de Saúde PODOLOGIA Ana Carolina Kraemer Enfermeira - Especialista em Saúde Portaria

Leia mais

4.2. Instalação de água: Já existe ramal de ligação do concessionário autorizado (CORSAN) até a edificação.

4.2. Instalação de água: Já existe ramal de ligação do concessionário autorizado (CORSAN) até a edificação. MEMORIAL DESCRITIVO Proprietário (a): PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO MIGUEL DAS MISSÕES; Obra: Projeto Arquitetônico de Reforma do Centro Administrativo; Cadastro Matrícula: Local: Rua 29 de Abril, nº 165

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO - POP. ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO Enfª Assione Vergani - VISA

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO - POP. ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO Enfª Assione Vergani - VISA PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO - POP ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO Enfª Assione Vergani - VISA CONCEITO É o documento que expressa o planejamento do trabalho repetitivo que deve ser executado para o alcance

Leia mais