Logística Empresarial. Aula 11

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Logística Empresarial. Aula 11"

Transcrição

1 Logística Empresarial Aula 11

2 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos multimídia e interativo, encontros virtuais, fóruns de discussão e a comunicação com o professor devem ser feitos diretamente no ambiente virtual de aprendizagem UNINOVE. Uso consciente do papel. Cause boa impressão, imprima menos.

3 Aula 11: Canais de distribuição I tipos, funções e objetivos Objetivos: Nesta primeira fase iremos conceituar e mostrar os tipos de canais de distribuição para que o aluno se familiarize com esse novo conceito. Conceituação Querido aluno, este assunto será tratado em mais aulas para um melhor aprendizado e esperamos que goste, pois é fundamental no conhecimento de uma cadeia de fornecimento. Boa aula! Segundo Novaes (2007), a distribuição de produtos é analisada sob diferente perspectiva funcional pelos técnicos de Logística, de um lado, e pelo pessoal de marketing e de vendas, de outro. Os especialistas em Logística denominam distribuição física de produtos ou resumidamente distribuição física os processos operacionais e de controle que permitem transferir os produtos desde o ponto de fabricação até o ponto em que a mercadoria é finalmente entregue ao consumidor. Assim, os responsáveis pela distribuição física operam elementos específicos, de natureza predominantemente material: depósitos, veículos de transporte, estoques, equipamentos de carga e descarga, entre outros. Já o pessoal de marketing e de vendas encara a cadeia de suprimento focalizando mais os aspectos ligados à comercialização dos produtos e à sua propriedade. Inbound Logistics é abastecer a fábrica com matéria-prima, no Brasil, é chamado de logística de suprimento. Outbound Logistics desloca os produtos acabados desde a fábrica até o consumidor final, denominado distribuição.

4 Resumindo, as empresas que se seguirem, do início da cadeia de fornecimento até o consumidor final, na passagem do produto, representam o canal de distribuição. Por exemplo, o canal de distribuição de um determinado produto pode envolver os seguintes setores: 1. Fabricante 2. Varejo 3. Serviços pós-venda (montagens, assistência técnica) Uma determinada cadeia de suprimento é constituída por canais de distribuição que, segundo Stern et ai. (1996) constituem conjuntos de organizações interdependentes envolvidas no processo de tornar o produto ou serviço disponível. Há certo paralelismo e uma correlação estreita entre as atividades que constituem a distribuição física de produtos e os canais de distribuição, conforme pode ser visto na Figura 1. Em função da estratégia competitiva adotada pela empresa, é escolhido um esquema de distribuição específico. As atividades logísticas relacionadas à distribuição física são então definidas a partir da estrutura planejada para os canais de distribuição. Figura 1: Paralelismo entre Distribuição Física e Canal de Distribuição (Novaes, 2007)

5 Tipos e funções Evolução das formas de distribuição Por que existem intermediários no processo de comercialização de produtos? Os grandes varejistas poderiam fabricar eles mesmos os produtos que comercializam. Dedicar-se à fabricação de uma variedade de produtos, numa situação dessas, implicaria apartes excepcionais de recursos financeiros, além de forçar a empresa a atuar fora de seu core competence, na forma tradicional não compensa. As formas como as empresas estruturam seus canais de distribuição têm se alterado substancialmente nas últimas décadas, fruto do ambiente cada vez mais competitivo, da maior atenção dirigida ao consumidor final, do uso crescente da tecnologia da informação, da maior diversificação da demanda e da distribuição física mais ágil e mais confiável. Os principais canais típicos de comercialização são: O fabricante abastece diretamente as lojas de varejo. O fabricante abastece seus próprios depósitos ou centros de distribuição. O fabricante abastece os centros de distribuição do varejista. O fabricante abastece os depósitos do atacadista ou distribuidor. O fabricante distribui seus produtos para o centro de distribuição de um operador logístico, que posteriormente faz as entregas às lojas de varejo. O fabricante entrega o produto diretamente no domicílio do consumidor final. Objetivos e funções dos canais de distribuição, segundo Novaes (2007) Os objetivos dos canais de distribuição dependem essencialmente de cada empresa, no entanto, é possível identificar alguns fatores gerais, que estão presentes na maioria dos casos. São eles: Garantir a rápida disponibilidade do produto nos segmentos do mercado identificados como prioritários.

6 Intensificar ao máximo o potencial de vendas do produto em questão. Por exemplo, buscar as parcerias entre fabricante e varejista que permitam a exposição mais adequada do produto nas lojas. Buscar a cooperação entre os participantes da cadeia de suprimento no que se refere aos fatores relevantes relacionados com a distribuição. Garantir um nível de serviço pré-estabelecido pelos parceiros da cadeia de suprimento. Garantir um fluxo de informações rápido e preciso entre os elementos. Buscar, de forma integrada e permanente, a redução de custos. Tipos de canais Canais verticais Neste tipo de modelo cada segmento transfere a responsabilidade para a seguinte, até o consumidor final. A forma como é feita essa transferência é particular de cada segmento. O penúltimo na cadeia de fornecimento é que normalmente oferecerá assistência técnica ao cliente final. Nessa relação, a comunicação cliente final e fabricante é muito dificultosa, o que gera informações insuficientes do cliente para o fabricante e insatisfação e insegurança no cliente, pois os vendedores não têm conhecimento suficiente em virtude da complexidade e variedade de produtos que comercializam. Modelo rígido. Exemplo de três canais únicos verticais

7 Figura 2: (a) Pequeno varejo (b)tipo Avon (c) Grande varejo (Novaes, 2007) Canais híbridos O esquema vertical rígido é quebrado, ou seja, uma parte da cadeia é executada por um ou mais elementos dela, podendo o fabricante ter acesso ao cliente final, ao distribuidor, enfim, as diferentes relações agora geram diferentes interesses e estratégias até então desnecessárias. Um varejista poderá fornecer junto ao produto vantagens que façam com que o consumidor final não vá ao fabricante. Essa nova modalidade esta perfeitamente inserida na Fase Quatro da Logística.

8 Figura 3: Canais Híbridos(1) e Múltiplos(2) (Novaes, 2007) Outra forma de melhorar o desempenho no gerenciamento da cadeia de suprimento é utilizar mais de um canal de distribuição. Isso ocorre em função da diversidade de tipos de consumidor. Por exemplo, o comprador em potencial de um microcomputador pode adquiri-lo por telefone ou pela internet, a partir de uma lista publicada numa revista de informática, ou poderá se dirigir a uma loja especializada, que lhe pedirá um preço um pouco mais alto, mas onde conseguirá informações mais detalhadas e atendimento personalizado. Assim, o consumidor que já tem um conhecimento mais aprofundado do produto e mais sensível ao preço, poderá ser atraído a fazer sua compra por meio de uma lista publicada na mídia. Já outro comprador, que não acompanha de perto as evoluções tecnológicas, não. A compra presencial, com bom atendimento e preço não abusivo, é um diferencial. REFERÊNCIAS NOVAES, A. G. Logística e gerenciamento da cadeia de distribuição. 3. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, STERN, L. W.; COUGHLAN, A. Marketing Channels. 5. ed. Prentice Hall, UpperSaddle River, NJ, 1996.

19/9/2011. Canais de distribuição. Introdução

19/9/2011. Canais de distribuição. Introdução Canais de distribuição Gestão da distribuição Prof. Marco Arbex Introdução Toda produção visa a um ponto final, que é entregar os seus produtos ao consumidor; Se o produto não está disponível na prateleira,

Leia mais

Unidade II CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO, Prof. Altair da Silva

Unidade II CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO, Prof. Altair da Silva Unidade II CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO, ESTRATÉGIAS E LOCALIZAÇÃO Prof. Altair da Silva Canais de distribuição O processo de abastecer a manufatura com matéria-prima e componentes é denominado de logística

Leia mais

Prof. Marcelo Mello. Unidade IV GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS

Prof. Marcelo Mello. Unidade IV GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS Prof. Marcelo Mello Unidade IV GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS Gerenciamento de serviços Nas aulas anteriores estudamos: 1) Importância dos serviços; 2) Diferença entre produtos x serviços; 3) Composto de Marketing

Leia mais

CADEIA DE VALOR E LOGÍSTICA A LOGISTICA PARA AS EMPRESAS CADEIA DE VALOR 09/02/2016 ESTRATÉGIA COMPETITIVA. (Alves Filho, 99)

CADEIA DE VALOR E LOGÍSTICA A LOGISTICA PARA AS EMPRESAS CADEIA DE VALOR 09/02/2016 ESTRATÉGIA COMPETITIVA. (Alves Filho, 99) CADEIA DE VALOR E LOGÍSTICA Danillo Tourinho Sancho da Silva, MSc A LOGISTICA PARA AS EMPRESAS CADEIA DE VALOR ESTRATÉGIA COMPETITIVA é o conjunto de planos, políticas, programas e ações desenvolvidos

Leia mais

INTRODUÇÃO À LOGISTICA

INTRODUÇÃO À LOGISTICA INTRODUÇÃO À LOGISTICA Danillo Tourinho Sancho da Silva, MSc VAMOS NOS CONHECER Danillo Tourinho Sancho da Silva, M.Sc Bacharel em Administração, UNEB Especialista em Gestão da Produção e Logística, SENAI

Leia mais

Gestão Marketing. Mkt Internacional

Gestão Marketing. Mkt Internacional Gestão Marketing Mkt Internacional Decisões de Preço e de Distribuição Fatores que influem na fixação de preços Fatores internos: Objetivos de marketing Estratégia do mix de marketing Custos Considerações

Leia mais

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DA SERRA

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DA SERRA FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DA SERRA Curso: Administração Professor: Denilton Macário de Paula Disciplina: Administração Mercadológica I PLANO DE ENSINO Período: 4º C/D/E Ano/Semestre: 2008/2 Carga Horária:

Leia mais

PR Ministério da Educação

PR Ministério da Educação PLANO DE NEGÓCIOS SIMPLIFICADO Obs.: este formulário deverá ser entregue após a realização do Curso sobre Elaboração de Plano de Negócios que está previsto para fevereiro e março de 2013. A FUTURA EMPRESA

Leia mais

Marketing Básico Capítulo IV. Os Canais de Distribuição dos Produtos

Marketing Básico Capítulo IV. Os Canais de Distribuição dos Produtos Marketing Básico Capítulo IV Os Canais de Distribuição dos Produtos Canais de Distribuição X Movimentação Física dos Produtos Qualidade e prazo não são atributos suficientes para garantir a venda de um

Leia mais

Canais de Distribuição e Gerenciamento da Logística

Canais de Distribuição e Gerenciamento da Logística Canais de Distribuição e Gerenciamento da Logística Prof. Vanessa D. Alves Questões Relativas aos Canais de Distribuição Qual é a natureza dos canais de de distribuição? Como as as empresas integrantes

Leia mais

FAMEBLU Engenharia Civil

FAMEBLU Engenharia Civil Disciplina LOGÍSTICA EMPRESARIAL FAMEBLU Engenharia Civil Aula 6: Cadeia de Abastecimento Logística Interna na Construção Civil Supply Chain Management Professor: Eng. Daniel Funchal, Esp. Cadeia de Abastecimento

Leia mais

03/05/2010 SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO CLIENTE FABRICANTE FOR RNECEDOR. Fluxo Reverso Devolução ou Reciclagem. FLUXO DOMINANTE DE PRODUTOS E SERVIÇOS

03/05/2010 SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO CLIENTE FABRICANTE FOR RNECEDOR. Fluxo Reverso Devolução ou Reciclagem. FLUXO DOMINANTE DE PRODUTOS E SERVIÇOS FOR RNECEDOR FABRICANTE SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO CLIENTE Fornecimento físico Planejamento e controle de produção Distribuição física FLUXO DOMINANTE DE PRODUTOS E SERVIÇOS FLUXO DOMINANTE DE DEMANDA E DE

Leia mais

Objetivos desta aula. Noções de Marketing 21/10/09

Objetivos desta aula. Noções de Marketing 21/10/09 Noções de Marketing 21/10/09 Atendimento. Marketing em empresas de serviços. Marketing de relacionamento. Segmentação de mercado e segmentação do setor bancário. Propaganda e Promoção. Satisfação, Valor

Leia mais

Direito Empresarial. Aula 06. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho

Direito Empresarial. Aula 06. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Direito Empresarial Aula 06 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos multimídia

Leia mais

Unidade I PLANEJAMENTO E OPERAÇÃO. Prof. Clesio Landini Jr.

Unidade I PLANEJAMENTO E OPERAÇÃO. Prof. Clesio Landini Jr. Unidade I PLANEJAMENTO E OPERAÇÃO POR CATEGORIA DE PRODUTO Prof. Clesio Landini Jr. Planejamento e operação por categoria de produto Fabricante> Distribuidor> Cliente Fazer os produtos e serviços chegarem

Leia mais

5 Apresentação e Análise das Estruturas da Cadeia (Variável B)

5 Apresentação e Análise das Estruturas da Cadeia (Variável B) 48 5 Apresentação e Análise das Estruturas da Cadeia (Variável B) O objetivo deste capítulo é apresentar e analisar os resultados obtidos sob a perspectiva da Variável B do modelo em função da Variável

Leia mais

Missão e objetivos da empresa X X X X X. Objetivos por área X X Qualidade das informações X X X X X Integração dos orçamentos por área

Missão e objetivos da empresa X X X X X. Objetivos por área X X Qualidade das informações X X X X X Integração dos orçamentos por área Visão por meio das atividades de valor) Preço Prazo Assistência Técnica Modelo de gestão Análise de aspectos políticos governamentais, econômicos e legais Planejamento estratégico Orçamento empresarial

Leia mais

GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS CADEIAS DE VALOR: LOGÍSTICA INTEGRADA X SCM

GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS CADEIAS DE VALOR: LOGÍSTICA INTEGRADA X SCM GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS CADEIAS DE VALOR: LOGÍSTICA INTEGRADA X SCM Prof. Dr. Daniel Caetano 2016-1 Objetivos Compreender a diferença entre Logística Integrada e Gestão da Cadeia de Suprimentos

Leia mais

DISCIPLINA: Administração de Sistemas de Informação

DISCIPLINA: Administração de Sistemas de Informação DISCIPLINA: Administração de Sistemas de Informação Profa. Msc. Cláudia Brazil Marques PLANO DE AULA 5 01.01. PROBLEMA Identificar as tendências em SI 01.02. CONHECIMENTOS (DCN, artigo 5º) Os papéis atribuídos

Leia mais

Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais I

Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais I Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais I Recursos e PRP (Processo de Realização do Produto) Prof. Marcos César Bottaro Os Recursos RECURSOS: é tudo que gera ou tem a capacidade de gerar riqueza

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING

ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING Teoria Geral da Administração Professora: Daniele Campos Grupo: Cassius Silva Abreu Italo B. Leão Bettega Luiza Cunha de Menezes Natália Souto Pereira Raphael Gebhard Martins

Leia mais

Banco do Brasil Revisão Véspera

Banco do Brasil Revisão Véspera Banco do Brasil Revisão Véspera Estratégias Genéricas de Marketing Marketing de resposta: Ocorre quando se identifica uma necessidade e prepara-se uma solução para atender a essa necessidade. Marketing

Leia mais

VANTAGEM COMPETITIVA

VANTAGEM COMPETITIVA Universidade Federal de Santa Maria Centro de Tecnologia Programa de Pós-GraduaP Graduação em Engenharia de Produção VANTAGEM COMPETITIVA Disciplina: Inovação e estratégia empresarial para competitividade

Leia mais

Administração do Transporte 2008

Administração do Transporte 2008 Administração do Transporte 2008 A cadeia de suprimento começa com o cliente e sua necessidade de obter o produto. O próximo estágio dessa cadeia de suprimento é uma loja que o cliente procura. Por exemplo:

Leia mais

Frutas, legumes e flores sempre frescos

Frutas, legumes e flores sempre frescos OPINIÃO Frutas, legumes e flores sempre frescos 30 set 2015 Paulo Lane* Já imaginou a vida sem a possibilidade de comer frutas e vegetais frescos, apenas porque eles não são da região ou estão fora de

Leia mais

Direito Empresarial. Aula 07. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho

Direito Empresarial. Aula 07. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Direito Empresarial Aula 07 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos multimídia

Leia mais

Cadeia de suprimentos

Cadeia de suprimentos Cadeia de suprimentos Administração de Logística e da Cadeia de Suprimento Profa. Dra. Márcia Mazzeo Grande Programação de Aula Semana 1 1. Conceito de cadeia e suprimentos 2. Conceito de gestão da cadeia

Leia mais

e-marketplace FAQ (Fornecedor)

e-marketplace FAQ (Fornecedor) e-marketplace FAQ (Fornecedor) Versão: Fevereiro de 2016 1 Introdução Este material tem como objetivo auxiliar a você, Fornecedor da Vale, com questões relacionadas ao projeto de substituição da Plataforma

Leia mais

Capítulo 3 O Produto Logístico

Capítulo 3 O Produto Logístico Logística Capítulo 3 O Produto Logístico O Produto Logístico O Produto Logístico é um conjunto de características que podem ser manipulados pelo profissional de logística, que, quando bem manipulados,

Leia mais

Direito Empresarial. Aula 20. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho

Direito Empresarial. Aula 20. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Direito Empresarial Aula 20 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos multimídia

Leia mais

Referencial Teórico. Redes de cooperação produtivas:

Referencial Teórico. Redes de cooperação produtivas: Referencial Teórico Redes de cooperação produtivas: Formas de cooperação a partir de alianças estratégicas: Complexos industriais / organizações virtuais / parques tecnológicos / incubadoras de empresas

Leia mais

Como a Logística interfere no seu dia-a-dia? 12/02/2016. Módulo III Logística e Vantagem Competitiva. LOGÍSTICA E VANTAGEM COMPETITIVA Conceituação

Como a Logística interfere no seu dia-a-dia? 12/02/2016. Módulo III Logística e Vantagem Competitiva. LOGÍSTICA E VANTAGEM COMPETITIVA Conceituação Módulo III Logística e Vantagem Competitiva Danillo Tourinho S. da Silva, M.Sc. LOGÍSTICA E VANTAGEM COMPETITIVA Conceituação Como a Logística interfere no seu dia-a-dia? 1 Conceito de Logistica Logística

Leia mais

Pesquisa de Mercado. Pesquisa de Mercado

Pesquisa de Mercado. Pesquisa de Mercado Pesquisa de Mercado Pesquisa de Mercado 8 PESQUISA DE MERCADO Objetivo específico - ao concluir este módulo, você vai ser capaz de compreender qual a importância da pesquisa de mercado, antes de iniciar

Leia mais

Comércio Eletrônico. Edy Hayashida

Comércio Eletrônico. Edy Hayashida Comércio Eletrônico Edy Hayashida E-mail: edy.hayashida@uol.com.br Estatística 2 9/14/2011 Estatística 3 9/14/2011 Introdução Comércio: o fato de vender mercadorias; ato de comprar mercadorias para as

Leia mais

DOU-LHE UMA, DOU-LHE DUAS, VENDIDO!

DOU-LHE UMA, DOU-LHE DUAS, VENDIDO! DOU-LHE UMA, DOU-LHE DUAS, VENDIDO! TRANSFORME SEU ESTOQUE EM DINHEIRO A Bolsa de Leilões é uma empresa especializada em leilões do varejo, que atua na assessoria, consultoria, planejamento, organização

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico MBA: Gestão Empresarial IESI Planejamento Estratégico Planejamento estratégico: Visão integrada Alcance de objetivos Criar valor, diferencial e identidade Pensamento estratégico Planejamento Estratégico

Leia mais

Estudo realizado em parceria: ABAD / LatinPanel

Estudo realizado em parceria: ABAD / LatinPanel Apresentação Estudo realizado em parceria: ABAD / LatinPanel NOSSA AGENDA Objetivo / Critérios / Metodologia MONITORAMENTO PEQUENO VAREJO Perfil das lojas Características de compras Relacionamento varejo

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso nº 246 aprovado pela portaria Cetec nº 181 de 26/09/2013 Etec Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios

Leia mais

Gerenciamento das relações de fornecimento de serviços

Gerenciamento das relações de fornecimento de serviços Universidade Federal do Vale do São Francisco Campus de Juazeiro Colegiado de Engenharia de Produção Gerenciamento das relações de fornecimento de serviços Disciplina: Gestão de serviços Professor: Marcel

Leia mais

EUS CTIS END USER SUPPORT. case eus ctis

EUS CTIS END USER SUPPORT. case eus ctis 01 EUS CTIS END USER SUPPORT case eus ctis 01 TELESSERVIÇOS/TELEMARKETING Prestação de telesserviços (telemarketing) no atendimento e suporte operacional e tecnológico aos produtos, serviços e sistemas

Leia mais

CUSTOS LOGÍSTICOS. Profª. Evelise Czerepuszko

CUSTOS LOGÍSTICOS. Profª. Evelise Czerepuszko CUSTOS LOGÍSTICOS Profª. Evelise Czerepuszko MISSÃO: O produto certo, na quantidade certa, na hora certa, no lugar certo ao menor custo possível. Quais são as consequências da falta do produto? CONCEITO

Leia mais

Aula 2º bim. GEBD dia16/10

Aula 2º bim. GEBD dia16/10 Aula 2º bim. GEBD dia16/10 Compras e Manufatura (produção) O ciclo de compras liga uma organização a seus fornecedores. O ciclo de manufatura envolve a logística de apoio à produção. O ciclo de atendimento

Leia mais

Ambiente de Negócios: percepções da indústria e varejo de materiais de construção

Ambiente de Negócios: percepções da indústria e varejo de materiais de construção Ambiente de Negócios: percepções da indústria e varejo de materiais de construção Objetivos do estudo Radiografar as percepções da indústria e do varejo de material de construção em diversos aspectos que

Leia mais

Sistemas de Informação na Empresa

Sistemas de Informação na Empresa Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Administração Tecnologia e Sistemas de Informação - 04 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

RB Distribuidora Distribuição Total

RB Distribuidora Distribuição Total RB Distribuidora Distribuição Total Breve Histórico Fundação Teresina-PI Abertura filial em Fortaleza Transferência da sede para Fortaleza Fim da atividade Atacadista e foco na distribuição especializada

Leia mais

Direito Empresarial. Aula 13. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho

Direito Empresarial. Aula 13. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Direito Empresarial Aula 13 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos multimídia

Leia mais

Matriz de Especificação de Prova da Habilitação Técnica de Nível Médio. Habilitação Técnica de Nível Médio: Técnico em Logística

Matriz de Especificação de Prova da Habilitação Técnica de Nível Médio. Habilitação Técnica de Nível Médio: Técnico em Logística : Técnico em Logística Descrição do Perfil Profissional: Planejar, programar e controlar o fluxo de materiais e informações correlatas desde a origem dos insumos até o cliente final, abrangendo as atividades

Leia mais

S T E M A I N T E G R A D O A SOLUÇÃO COMPLETA PARA ADMINISTRAÇÃO DE SUA EMPRESA Indústria Comércio Serviço

S T E M A I N T E G R A D O A SOLUÇÃO COMPLETA PARA ADMINISTRAÇÃO DE SUA EMPRESA Indústria Comércio Serviço S A SOLUÇÃO COMPLETA PARA ADMNSTRAÇÃO DE SUA EMPRESA ndústria Comércio Serviço S O GestãoPro foi desenvolvido para atender as empresas que atuam nos setores da indústria, comércio e serviço. O grande diferencial

Leia mais

A inserção do Brasil nas cadeias globais. 21/02/2015 A inserção do Brasil nas cadeias globais2 1

A inserção do Brasil nas cadeias globais. 21/02/2015 A inserção do Brasil nas cadeias globais2 1 A inserção do Brasil nas cadeias globais 21/02/2015 A inserção do Brasil nas cadeias globais2 1 Aumento de complexidade dos produtos Os novos produtos disponibilizados pela tecnologia aos consumidores

Leia mais

16/02/2010. MSe. Paulo Cesar C. Rodrigues Mestre em Engenharia de Produção

16/02/2010. MSe. Paulo Cesar C. Rodrigues Mestre em Engenharia de Produção MSe. Paulo Cesar C. Rodrigues paulo.rodrigues@usc.br Mestre em Engenharia de Produção A logística integrada envolve o gerenciamento de informações, transporte, estoque, armazenamento, manuseio de materiais

Leia mais

1. Gestão da Cadeia de Suprimentos

1. Gestão da Cadeia de Suprimentos 1/6 1. Gestão da Cadeia de Suprimentos A gestão da cadeia de suprimentos é um processo que consiste em gerenciar estrategicamente diferentes fluxos (de bens, serviços, finanças, informações) bem como as

Leia mais

Constituição formal de empresa

Constituição formal de empresa Constituição formal de empresa Aula 02 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos

Leia mais

Profa. Cleide de Freitas. Unidade II PLANO DE NEGÓCIOS

Profa. Cleide de Freitas. Unidade II PLANO DE NEGÓCIOS Profa. Cleide de Freitas Unidade II PLANO DE NEGÓCIOS O que vimos na aula anterior Ideias e Oportunidades Oportunidades x Experiência de mercado O que é um plano de negócios? Identificação e análise de

Leia mais

GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS ESTRATÉGIA LOGÍSTICA E POLÍTICA DE PRODUÇÃO

GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS ESTRATÉGIA LOGÍSTICA E POLÍTICA DE PRODUÇÃO GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS ESTRATÉGIA LOGÍSTICA E POLÍTICA DE PRODUÇÃO Prof. Dr. Daniel Caetano 2016-1 Objetivos Conhecer o que são estratégias de posicionamento logístico Compreender as políticas

Leia mais

AULA 2/4 ASSUNTOS ABORDADOS: Gestão da cadeia de suprimentos. Gestão de estoques. 04/05/ :30 12:00

AULA 2/4 ASSUNTOS ABORDADOS: Gestão da cadeia de suprimentos. Gestão de estoques. 04/05/ :30 12:00 AULA 2/4 ASSUNTOS ABORDADOS: Gestão da cadeia de suprimentos. Gestão de estoques. 04/05/2013 10:30 12:00 Assunto: Gestão da cadeia de suprimentos. Consiste em gerenciar estrategicamente diferentes fluxos

Leia mais

Como manter um nível adequado de estoques?

Como manter um nível adequado de estoques? Como manter um nível adequado de estoques? 1 INTRODUÇÃO Sabe-se que ao manter grandes volumes de estoques a empresa irá arcar com custos desnecessários em armazenagem, movimentações e controles, além de

Leia mais

Administrando os canais de distribuição

Administrando os canais de distribuição Administrando os canais de distribuição 12 Aula 25/4/2008 Objetivos da aula Compreender os envolvimentos da distribuição de bens e serviços. Entender como os profissionais de marketing disponibilizam os

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO / E.E. ESTERINA PLACCO (EXTENSAO) Código: 091.01 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Nível

Leia mais

Lean e a Gestão Integrada da Cadeia de Suprimentos

Lean e a Gestão Integrada da Cadeia de Suprimentos O problema da gestão descentralizada na cadeia de valor SISTEMAS MÚLTIPLOS ESTÁGIOS ANALOGIA HIDRÁULICA Processamento e Transporte Processo de Fabricação e Transporte JOGO DA CERVEJA Experimento 1: Soluções

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO MERCADOLÓGICA MÓDULO 15 DECISÕES DE PREÇOS

ADMINISTRAÇÃO MERCADOLÓGICA MÓDULO 15 DECISÕES DE PREÇOS ADMINISTRAÇÃO MERCADOLÓGICA MÓDULO 15 DECISÕES DE PREÇOS Índice 1. Decisões de preços...3 1.1. Determinação de Preços Orientada Para Custos... 3 1.2. Determinação de Preços Orientada Para a Demanda...

Leia mais

Pós GRADUAÇÃO. Marketing Industrial. Gestão inovadora da empresa gráfica. Introdução ao Marketing Industrial. Prof.

Pós GRADUAÇÃO. Marketing Industrial. Gestão inovadora da empresa gráfica. Introdução ao Marketing Industrial. Prof. Pós GRADUAÇÃO Marketing Industrial Introdução ao Marketing Industrial Prof. Alexandre Marques Gestão inovadora da empresa gráfica Marketing Industrial Introdução e Conceitos Fundamentais Uma forma de entender

Leia mais

1.1. Caracterização do Problema. Capítulo 1. Introdução 20

1.1. Caracterização do Problema. Capítulo 1. Introdução 20 1 Introdução Projetos de software normalmente estão bastante suscetíveis a passar por inúmeras modificações ao longo do seu ciclo de vida. Muitos deles falham ao atingir seus resultados necessários dentro

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS ASSESSORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS REITORIA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS ASSESSORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS REITORIA PLANO DE TRABALHO Identificação Aluno (a): Kelly da Cunha Neves Curso: Tecnologia em Logística Coordenador (a) no IF: André Luís Machado Instituição de Destino: Instituto Politécnico do Porto Coordenador

Leia mais

Sistemas de Informação Gerenciais

Sistemas de Informação Gerenciais Sistemas de Informação Gerenciais Seção 2.2 Sistemas Empresariais: ERP SCM 1 Sistema empresarial Constitui uma estrutura centralizada para uma organização e garante que as informações possam ser compartilhadas

Leia mais

5. ANÁLISE E ESTRATÉGIA AMBIENTAL 5.1. CADEIA DE VALOR

5. ANÁLISE E ESTRATÉGIA AMBIENTAL 5.1. CADEIA DE VALOR 176 5. ANÁLISE E ESTRATÉGIA AMBIENTAL 5.1. CADEIA DE VALOR O escopo competitivo estabelecido por uma organização corresponde ao campo em que a mesma irá atuar: produtos, segmentos, grau de integração vertical

Leia mais

Varejo de Material de Construção

Varejo de Material de Construção Seminário GVcev Varejo de Material de Construção Construção de Marca no Varejo de Material de Construção Prof a. D ra. Cristina Proença Objeto de Estudo M A R C A F A B R I C A N T E Fabricante Estratégia

Leia mais

Experiência: Gestão Estratégica de compras: otimização do Pregão Presencial

Experiência: Gestão Estratégica de compras: otimização do Pregão Presencial Experiência: Gestão Estratégica de compras: otimização do Pregão Presencial Hospital de Clínicas de Porto Alegre Responsável: Sérgio Carlos Eduardo Pinto Machado, Presidente Endereço: Ramiro Barcelos,

Leia mais

Estratégia e Inteligência Competitiva

Estratégia e Inteligência Competitiva Estratégia e Inteligência Competitiva Processo da Estratégia. Mapeamento Estratégico. Análise do Mercado. Análise da Empresa. Análise de Valor. Análise de Potencial Estratégia e Inteligência Competitiva

Leia mais

CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI) Instituto de Engenharia de Produção e Gestão www.rslima.unifei.edu.br rslima@unifei.edu.br Conceituacão Sistema de Distribuição um para um

Leia mais

Módulo 5 Fortalecimento de Vínculos Comerciais. Criação de vínculos comerciais verticais e horizontais. cadeia e estratégia.

Módulo 5 Fortalecimento de Vínculos Comerciais. Criação de vínculos comerciais verticais e horizontais. cadeia e estratégia. Módulo 5 Fortalecimento de Vínculos Comerciais Criação de vínculos comerciais verticais e horizontais Módulos Delimitação do projeto Análise da cadeia e estratégia Implementação Monitoria 0 Decisão sobre

Leia mais

Questionário Simplificado

Questionário Simplificado Contrato BNDES/FINEP/FUJB Arranjos e Sistemas Produtivos Locais e as Novas Políticas de Desenvolvimento Industrial e Tecnológico Questionário Simplificado A ser aplicado nas pequenas empresas Fevereiro/2000

Leia mais

Gustavo Barbosa. Entendo a Ruptura e Buscando Solução

Gustavo Barbosa. Entendo a Ruptura e Buscando Solução Gustavo Barbosa Entendo a Ruptura e Buscando Solução Indice Situação Inicial Metodologia Etapas de Medição Resultados Obtidos Situação Final Conclusão Situação Inicial Ruptura de Produtos existe Causas

Leia mais

Gestão Estratégica A BATALHA DE KURSK. Aula 6 Estratégia Competitiva. Prof. Dr. Marco Antonio Pereira

Gestão Estratégica A BATALHA DE KURSK. Aula 6 Estratégia Competitiva. Prof. Dr. Marco Antonio Pereira Gestão Estratégica Aula 6 Estratégia Competitiva Prof. Dr. Marco Antonio Pereira marcopereira@usp.br A BATALHA DE KURSK 1 Modelo de Porter As 5 forças Competitivas Estratégias Genéricas Propósito da Empresa

Leia mais

Promoção. Prof. Me. André F. A. Fagundes 1. Disciplina: Administração Mercadológica 2º semestre de 2009

Promoção. Prof. Me. André F. A. Fagundes 1. Disciplina: Administração Mercadológica 2º semestre de 2009 Disciplina: Administração Mercadológica 2º semestre de 2009 Promoção Prof. M e André F. A. Fagundes Prof. M e André F. A. Fagundes 1 Comunicação de marketing É o meio pelo qual as empresas buscam informar,

Leia mais

Padaria Conceito - Conceituação

Padaria Conceito - Conceituação Padaria Conceito - Conceituação Amplo mix de produtos, alia conveniência e produtos frescos, assados à frente do cliente Buffet de café da manhã Cafeteria Foodservice Chocolataria Legumes Pizzas Happy

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Professor Mário Antônio Verza Código: 164 Município: Palmital Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico em Logística

Leia mais

Direito Constitucional

Direito Constitucional Direito Constitucional Aula 03 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos

Leia mais

adequadas ao contexto econômico-financeiro e institucional das empresas;

adequadas ao contexto econômico-financeiro e institucional das empresas; 1. Objetivo Aumentar a eficiência e competitividade das empresas do Sistema Eletrobrás, através da integração da logística de suprimento de bens e serviços, visando o fortalecimento de seu poder de compra

Leia mais

PROJETO NBR 19000 - Adoção de Critérios da Qualidade Baseados nas Normas da Família NBR ISO 9000 para Fornecimento de Produtos

PROJETO NBR 19000 - Adoção de Critérios da Qualidade Baseados nas Normas da Família NBR ISO 9000 para Fornecimento de Produtos XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2008-06 a 10 de outubro Olinda - Pernambuco - Brasil PROJETO NBR 19000 - Adoção de Critérios da Qualidade Baseados nas Normas da Família

Leia mais

Projeto Na Medida MICROEMPRESA. Palestra de sensibilização Na Medida PARA MICROEMPRESÁRIOS. Competências Gerais. Modalidade. Formato.

Projeto Na Medida MICROEMPRESA. Palestra de sensibilização Na Medida PARA MICROEMPRESÁRIOS. Competências Gerais. Modalidade. Formato. Projeto Na Medida PARA MICROEMPRESÁRIOS Palestra de sensibilização Na Medida Compreender a relevância do papel dos micro e pequenos empresários na economia brasileira e a necessidade da adoção das melhores

Leia mais

Disciplina: Administração de Marketing. Contextualização

Disciplina: Administração de Marketing. Contextualização Disciplina: Administração de Marketing Contextualização Ementa Objetivos gerais O marketing está presente em todos os lugares e na vida de todas as pessoas que representem os papéis de vendedores ou compradores.

Leia mais

Terceirização (Outsourcing)

Terceirização (Outsourcing) Gestão e otimização da produção Terceirização () Marco Antonio Dantas de Souza MSc. Engenharia de Produção Engenheiro de Segurança do Trabalho O que é outsourcing? Definição ou terceirização é uma técnica

Leia mais

Gestão de Logística Introdução Objetivo

Gestão de Logística Introdução Objetivo Gestão de Logística ntrodução A logística empresarial estuda como a administração pode prover melhor o nível de rentabilidade nos serviços de distribuição aos clientes e consumidores, através de planejamento,

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO/E.E ESTERINA PLACCO (EXTENSÃO) Código:091.01 Município: São Carlos (SP) Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional Técnica

Leia mais

Springs Global na sua casa QUARTO

Springs Global na sua casa QUARTO Springs Global na sua casa QUARTO Travesseiros 01 Colcha 02 03 Almofada decorativa Tapete 04 Cobertor 05 Manta decorativa 06 07 Protetor de colchão Saia colchão 08 Edredon 09 Cortina 10 Manta 11 12 Porta

Leia mais

GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS OPERAÇÕES DE ARMAZENAGEM E DISTRIBUIÇÃO FÍSICA. Prof. Dr. Daniel Caetano

GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS OPERAÇÕES DE ARMAZENAGEM E DISTRIBUIÇÃO FÍSICA. Prof. Dr. Daniel Caetano GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS OPERAÇÕES DE ARMAZENAGEM E DISTRIBUIÇÃO FÍSICA Prof. Dr. Daniel Caetano 2016-1 Objetivos Conhecer mais sobre os armazéns e as operações de armazenagens Compreender o conceito

Leia mais

MoodleMoot Brasil - UniCEUB Palestra: Capacitação online em massa no cenário educacional: um estudo de caso da UnB em parceria com o Inep

MoodleMoot Brasil - UniCEUB Palestra: Capacitação online em massa no cenário educacional: um estudo de caso da UnB em parceria com o Inep MoodleMoot Brasil - UniCEUB Palestra: Capacitação online em massa no cenário educacional: um estudo de caso da UnB em parceria com o Inep Novembro / 2015 Profa. Dra. Wilsa Ramos Diretora do CEAD/UnB Ms.

Leia mais

MCassab reduz tempo de backup em 71% com arcserve

MCassab reduz tempo de backup em 71% com arcserve CASOS DE SUCESSO Julho 2014 MCassab reduz tempo de backup em 71% com arcserve PERFIL DO CLIENTE Empresa: Grupo MCassab Indústria: Holding Empregados: 1.200 EMPRESA DESAFIO SOLUÇÃO BENEFICIOS A MCassab

Leia mais

O que é planejamento estratégico?

O que é planejamento estratégico? O que é planejamento estratégico? Um dos fatores de sucesso das empresas é possuir um bom planejamento. Mas o que é planejamento? Nós planejamos diariamente, planejamos nossas atividades, nossas finanças,

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE NA FORMAÇÃO INICIAL DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA

A UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE NA FORMAÇÃO INICIAL DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA A UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE NA FORMAÇÃO INICIAL DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA Carla de Araújo Universidade Estadual da Paraíba tapcarla@gmail.com Profª. Dra. Abigail Fregni Lins Universidade Estadual

Leia mais

Segundo Vergara (2003), a classificação da pesquisa é baseada na taxonomia que a qualifica, quanto aos fins e quanto aos meios.

Segundo Vergara (2003), a classificação da pesquisa é baseada na taxonomia que a qualifica, quanto aos fins e quanto aos meios. 0HWRGRORJLD Segundo Vergara (2003), a classificação da pesquisa é baseada na taxonomia que a qualifica, quanto aos fins e quanto aos meios. O critério utilizado foi um estudo descritivo de natureza exploratória,

Leia mais

Parceria inteligente na alimentação de seus clientes e colaboradores

Parceria inteligente na alimentação de seus clientes e colaboradores Parceria inteligente na alimentação de seus clientes e colaboradores Construir um mundo melhor passa por alimentar com qualidade aqueles que o constroem. É isso que a Apetece Sistemas de Alimentação faz

Leia mais

Relacionamento Varejo e Indústria: desenvolvendo parcerias ganha-ganha. Padronização e Tecnologia Facilitando Relacionamentos

Relacionamento Varejo e Indústria: desenvolvendo parcerias ganha-ganha. Padronização e Tecnologia Facilitando Relacionamentos Seminário GVcev Relacionamento Varejo e Indústria: desenvolvendo parcerias ganha-ganha Padronização e Tecnologia Facilitando Relacionamentos Sergio Ribinik CEO GS1 BRASIL MEMBRO DO ADVISORY COUNCIL DA

Leia mais

Aluno(a): / / Cidade Polo: CPF: Curso: ATIVIDADE AVALIATIVA PESQUISA E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (PED)

Aluno(a): / / Cidade Polo:   CPF: Curso: ATIVIDADE AVALIATIVA PESQUISA E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (PED) Aluno(a): / / Cidade Polo: E-mail: CPF: Curso: ATIVIDADE AVALIATIVA PESQUISA E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (PED) Preencha o GABARITO: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Observação: Nesta atividade há 10 (dez) questões de múltipla

Leia mais

É isto que diferencia a Loja in Company de outros modelos de negócio.

É isto que diferencia a Loja in Company de outros modelos de negócio. O objetivo da Nexus Loja in Company (Outsourcing) é o de prestar serviços que não fazem parte do conjunto de competências essenciais da Empresa Contratante. Outsourcing sugere externalização, no sentido

Leia mais

Fundamentos da Matemática

Fundamentos da Matemática Fundamentos da Matemática Aula 09 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos

Leia mais

POR DENTRO DO PROGRAMA RAMA

POR DENTRO DO PROGRAMA RAMA 2016 POR DENTRO DO PROG O QUE É O PROG? O Programa de Rastreabilidade e Monitoramento de Alimentos, o, é um programa de rastreamento e monitoramento de frutas, legumes e verduras idealizado pela ABRAS

Leia mais

CARGA UNITÁRIA A VARESE FORNECE UMA COMPLETA GAMA DE SISTEMAS

CARGA UNITÁRIA A VARESE FORNECE UMA COMPLETA GAMA DE SISTEMAS TRANSELEVADORES A VARESE FORNECE UMA COMPLETA GAMA DE SISTEMAS Um sistema de armazenamento de materiais é uma combinação de equipamentos e controles que movimentam, armazenam e retiram cargas com grande

Leia mais

Prof. Altair da Silva. Unidade III CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO,

Prof. Altair da Silva. Unidade III CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO, Prof. Altair da Silva Unidade III CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO, ESTRATÉGIAS E LOCALIZAÇÃO Processos de distribuição O processo de distribuição esta associado à movimentação física de materiais, normalmente de

Leia mais

Planejamento e Controle da Produção I

Planejamento e Controle da Produção I Planejamento e Controle da Produção I Atividades do Prof. M.Sc. Gustavo Meireles 2012 Gustavo S. C. Meireles 1 Introdução Sistemas produtivos: abrange produção de bens e de serviços; Funções básicas dos

Leia mais