MEMORIAL DESCRITIVO PSF RURAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MEMORIAL DESCRITIVO PSF RURAL"

Transcrição

1 MEMORIAL DESCRITIVO PSF RURAL OBRA: CONSTRUÇÃO DO POSTO DE SAÚDE RURAL 1ª ETAPA As presentes especificações regerão a construção de uma Unidade Básica de Saúde, no Bairro Centro Horizontina/RS. A obra estará localizada na Rua São Cristóvão, esq com Rua São Pedro, Rua Balduino Scheneider e Rua Arnoldo Schneider, sobre o lote nº 20 e 20-D, da quadra nº 43, da cidade de Horizontina/ RS e terá 335,25m². O programa de necessidades, assim como o pré-dimensionamento da Unidade Básica de Saúde foi baseado na Resolução n o 050, de 21 de fevereiro de 2002 e na Portaria do Ministério da Saúde n o 2.226, de 18 de setembro de 2009 e no Decreto Estadual nº de 24/10/74, levando sempre em consideração a melhor situação ao funcionamento da unidade. Desta forma a mesma será composta das seguintes dependências: varanda, sala de espera, hall, recepção, sala de vacinas, consultório médico, consultório ginecológico com banheiro, consultório odontológico, sala de curativos, sala de procedimentos, circulações, circulação de serviço, dois sanitários públicos adaptados, copa, sanitário de funcionários separados por sexo, lavagem e descontaminação de materiais, DML, abrigo de resíduos comum e contaminado e depósito de materiais de limpeza. GENERALIDADES Os serviços deverão ser executados de acordo com os projetos básicos de arquitetura e complementares que se fizerem necessários, bem como às especificações técnicas descritas neste memorial, e às normas técnicas vigentes, pertinentes ao objeto. Todas as modificações de projeto ou troca de materiais especificados deverão ser solicitadas por escrito ao Setor de Engenharia, com antecedência necessária para sua análise e aprovação, sem a qual os serviços não poderão ser executados.

2 Serão impugnados, pela CONTRATANTE e pela FISCALIZAÇÃO DA PREFEITURA MUNICIPAL, todos os trabalhos que não satisfaçam às condições contratuais. A CONTRATADA ficará obrigada a demolir e refazer os trabalhos rejeitados, ficando por sua conta exclusiva as despesas adicionais decorrentes. Toda e qualquer dúvida quanto à execução da obra, deverão ser apresentadas, de forma clara e completa, não cabendo à CONTRATADA qualquer argüição posterior, salvo os impedimentos para implantação dos projetos conhecidos apenas quando da execução da obra. Deverão ser obedecidas as normas da NR/18 aprovadas pelo Ministério do Trabalho. Além disso, deverá a CONTRATADA dedicar especial atenção às exigências de proteger as partes móveis dos equipamentos e evitar que ferramentas individuais sejam abandonadas sobre passagens, andaimes ou superfícies de trabalho bem como obedecer, rigorosamente, ao dispositivo que proíbe o uso de mais de uma ferramenta elétrica na mesma tomada de corrente. Serão de uso obrigatório os seguintes equipamentos: - Capacetes de segurança para trabalhos em que existam riscos de lesões decorrentes de queda, projeção de objetos, impactos contra a estrutura e outros acidentes que coloquem em risco a cabeça do trabalhador ou visitantes. No caso de trabalhos realizados junto a equipamentos ou circuitos elétricos será exigido o uso de equipamentos especiais. - Serão exigidos protetores faciais para trabalhos que ofereçam risco de lesão por projeção de fragmentos e respingos de líquidos assim como por radiações nocivas. - Serão também exigidos óculos de segurança contra impactos para trabalhos que possam causar lesões nos olhos. - Óculos de segurança contra radiações para aqueles trabalhos que possam causar irritações nos olhos e outras lesões decorrentes de radiações. - O mesmo será exigido nos casos de trabalhos que possam causar irritações nos olhos e outras lesões decorrentes da ação de líquidos agressivos (óculos de segurança contra respingos). - Serão exigidos equipamentos para proteção de mãos e braços luvas e mangas

3 de proteção para trabalhos em que haja possibilidade de contatos com superfícies corrosivas ou tóxicas, materiais aquecidos ou quaisquer irradiações perigosas. As luvas serão de couro, lona plastificada, borracha ou neoprene, conforme o caso. - Serão exigidos equipamentos de proteção para os pés e pernas nos casos de trabalhos executados em locais molhados ou lamacentos, especialmente aqueles que contenham substância tóxica onde as botas serão de borracha ou PVC. Já os locais que apresentam riscos de lesões do pé exigirão proteção de calçados de couro. - Será obrigatório o uso de cintos de segurança nos locais onde haja risco de queda. - Haverá uso de protetores auriculares para trabalhos em que o nível de ruído seja superior ao estabelecido na NR/15. O canteiro deverá conter todas as instalações necessárias ao seu funcionamento, de acordo com as prescrições contidas nas Normas Regulamentadoras de Segurança e Medicina do Trabalho. A CONTRATADA deverá manter o canteiro de obras permanente limpo e organizado, com todos os materiais e equipamentos necessários à execução da obra, depositados em local adequado, facilitando a segurança e o andamento dos serviços. No canteiro de obras deverão ser mantidos: diário da obra, segundo modelo padrão, projeto executivo completo, edital, contrato, planilha, ordem de serviço inicial, cronograma, plano de segurança, projeto de sinalização, anotação de responsabilidade técnica (ART), inscrição no INSS, alvará de instalação, caderno de encargos, caderno de especificações. Compete à CONTRATADA manter o Diário da Obra, registrando no mesmo, as etapas de trabalho, equipamentos, número de operários, ocorrências, com os detalhes necessários ao entendimento da FISCALIZAÇÃO, que aprovará ou retificará as anotações efetuadas pela CONTRATADA. A escrituração do Diário de Obras tem prazo máximo de 48 horas para encerramento de cada parte diária. Todos os materiais a serem empregados na obra deverão ser

4 comprovadamente de boa qualidade e satisfazer rigorosamente as especificações a seguir. Todos os serviços serão executados em completa obediência aos princípios de boa técnica, devendo ainda satisfazer rigorosamente às Normas Brasileiras. Durante a obra deverá ser feita periódica remoção de todo entulho e detrito que venham a se acumular no local. Todo o entulho deverá ser retirado do local através de caçamba. A obra se refere à execução do Posto de Saúde Rural, da cidade de Horizontina/RS, e terá um total de 335,25 m 2 de área construída. ESPECIFICAÇÕES 1. SERVIÇOS PRELIMINARES 1.1 Barracão de obra O barracão de obra para depósito será em painéis de madeira compensada 10 mm, medindo 2 x 3 m contendo cobertura com telhas onduladas de fibrocimento 6,0 mm possuindo estrado de madeira com 5,0cm (no mínimo) acima do solo. Nesse item incluem-se as instalações elétricas e esquadrias do respectivo galpão. 1.2 Limpeza mecanizada do terreno A limpeza do terreno será realizada utilizando-se motoniveladora, eliminando quaisquer materiais indesejáveis ou prejudiciais ao solo. A área deverá ficar efetivamente limpa e atestada pela fiscalização para continuidade do projeto. 1.3 Locação da obra A locação da obra será feita por meio de teodolito e trena de aço. Deverão ser obedecidos o RN e o alinhamento fornecidos pela Prefeitura Municipal. A locação deverá ser global, sobre gabaritos de madeira que envolvam todo o perímetro da obra. O gabarito será executado com guias de madeira de 2,5x13cm, fixadas com pregos sobre pontaletes de eucalipto devendo estar perfeitamente nivelados e fixados de tal modo que resistam às tensões dos fios de marcação. A locação se fará sempre pelos eixos dos elementos construtivos (pilares, paredes,...), com marcação dos eixos nas guias através de pregos, por onde passará o fio de nylon para dar o alinhamento. A CONTRATADA deverá aferir os níveis, dimensões e alinhamentos, assim como

5 ângulos e curvas constantes do projeto. Havendo discrepância entre as reais condições de terreno e os elementos do levantamento planialtimétrico fornecidos na ocasião da execução do projeto, a ocorrência deverá ser comunicada à FISCALIZAÇÃO, a qual procederá as verificações oportunas e tomará as decisões, que deverão ser atendidas pela CONTRATADA. Após tal atendimento será aprovada a locação. A ocorrência de erros na locação da obra projetada implicará, para a CONTRATADA, na obrigação de proceder por sua conta e nos prazos estipulados, as modificações, correções, demolições e reposições que se tornarem necessárias, ficando ainda sujeito a sanções, multas e penalidades aplicáveis a cada caso. A CONTRATADA manterá, em perfeitas condições, toda e qualquer referência de nível (RN) e de alinhamento, o que permitirá aferir a locação em qualquer tempo. Periodicamente a CONTRATADA deverá proceder a rigorosa verificação no sentido de comprovar se a obra está sendo executada de acordo com o projeto de locação. 1.4 Placa de obra Deverá ser de chapa metálica capaz de resistir às intempéries, durante o período da obra. Terá dimensões de 2,50x1,00m e deverá ser pintada obedecendo à proporcionalidade do modelo do Município, que será fornecido juntamente com a Ordem de Início dos Serviços. A placa deverá ser fixada no terreno, em local indicado pelo fiscal da obra, apoiada em estrutura de madeira. Também deverão ser instaladas as demais placas exigidas pela legislação vigente, inclusive placa de 1m² onde conste nome dos autores e coautores de todos os projetos, assim como dos responsáveis pela execução, conforme art. 16 da resolução n. 218 do CREA. 1.5 Tapume Os tapumes serão instalados apenas na testada do terreno onde obedecerão alguns requisitos essenciais. O material empregado será de chapa de madeira compensada com espessura de 6 mm pintada a cal. Todo e qualquer acidente, relacionado à obra, será de inteira responsabilidade da CONTRATADA. A Contratada deverá instalar tapumes, estruturados em madeira, com 2,20m (dois metros e vinte centímetros) de altura. A manutenção do tapume deve ser

6 feita pela CONTRATADA. Este deverá permanecer em perfeitas condições durante toda a execução da obra. A locação dos tapumes será feita pela CONTRATADA, antes do início de cada etapa da obra, conforme indicação do fiscal do contrato. Ao final da obra o material devidamente desmontado, deverá ser entregue ao município, em local oportunamente indicado. 2. MOVIMENTAÇÃO DE TERRA 2.1 Corte e aterro compensado O corte e aterro compensado serão realizados com o auxilio de uma moto niveladora, o processo compreende em usar o material escavado do local mais alto e esse mesmo material servirá para o aterro nos local mais baixo, deixando assim a base pronta para receber a edificação. 2.2 Carga de terra Aproximadamente 73,37 m² de terra serão necessários para o respectivo aterro. Para tanto, o construtor deverá providenciar veículo automotor, no caso, caminhão basculante com capacidade de no mínimo 6 m³. 2.3 Regularização de superícies A regularização da superfície no solo será realizado com motoniveladora e abrangerá o local indicado pela FISCALIZAÇÃO. 2.4 Compactação mecânica Os materiais em cada camada de aterro deverão ser compactados até atingir um grau de compactação mínimo de 95% com relação ao peso específico máximo do ensaio Proctor Normal, com umidade de compactação variando entre -2% e +2% em relação à umidade ótima do ensaio acima. Caso o teor de umidade não satisfaça aos limites estabelecidos, o mesmo deverá ser corrigido até se atingir os valores especificados. Se a umidade do solo estiver abaixo da hot -2% o mesmo deverá ser umedecido utilizando-se caminhão provido de barra aspersora. Se estiver acima da hot +2% o solo deverá ser aerado utilizando-se grade de disco e homogeneizado até atingir a umidade especificada. Após a correção da umidade e homogeneização do solo lançado será realizada a compactação da camada através de rolos compactadores, devendo-se

7 produzir cobertura total e uniforme, distribuída em toda a área, com um número de passadas adequado. Este número pode ser estabelecido, anteriormente, numa pista experimental. A velocidade de deslocamento do rolo compactador deverá ser da ordem de 5 Km/h, podendo aumentar-se esta velocidade desde que não haja prejuízo na obtenção do grau de compactação especificado. Todas as áreas de difícil acesso ao equipamento usual de compactação serão compactadas mediante a utilização de equipamento adequado tais como placas vibratórias, sapos mecânicos etc. A execção será em camadas, nas mesmas condições de peso específico aparente seco e umidade descritos para o aterro acima e com espessura adequada ao equipamento utilizado. 3. INFRA-ESTRUTURA 3.1 Escavação mecânica As valas das sapatas serão escavadas em obediência aos projetos ou especificações de modo a se obter o máximo de rendimento e economia. As escavações para a execução das fundações devem atingir a profundidade necessária para que se encontre terreno com a capacidade de suporte necessária. 3.2 Lastro de concreto magro No fundo das sapatas deverá ser realizado uma camada de lastro de concreto magro com espessura de 3,0 cm. O concreto utilizado deverá ser preparado em betoneira e ter qualidade satisfatória. 3.3 Aço CA mm Nos locais indicados em projeto o aço será do tipo CA-50 6,3 mm. Não deverão outra substância que prejudique sua perfeita aderência ao concreto; 3.4 Aço CA-50 8,0 mm Nos locais indicados em projeto o aço será do tipo CA-50 8,0 mm. Não deverão outra substância que prejudique sua perfeita aderência ao concreto;

8 3.5 Aço CA-50 10,0 mm Nos locais indicados em projeto o aço será do tipo CA-50 10,0 mm. Não deverão outra substância que prejudique sua perfeita aderência ao concreto; 3.6 Concreto usinado Deverá ser utilizado concreto usinado de resistência fck 20 Mpa. 3.7 Fôrma de madeira Serão executadas de acordo com as plantas. As dimensões deverão ser verificadas para que se tenha certeza de que elas correspondem as peças que deverão moldar. As fôrmas deverão ser executadas de modo a oferecer resistência ao peso próprio do concreto que nelas será lançado e às sobrecargas durante o período de construção. O material utilizado será de madeira compensada resinada 12 mm. 3.8 Aterro interno O aterro interno das vigas baldrames deverá ser realizado com terra de boa qualidade, sem vegetação ou material prejudicial ao solo. Utilizar preferencialmente solo mais grosso. Se possível, misturar um pouco de areia grossa, pedrisco, brica ou seixo rolado. Após, nivelar na altura da camada de impermeabilização e compactar adequadamente. 4. VIGAS O concreto de vigas será com fck 25 Mpa. As vigas de fundação serão em concreto armado, de dimensão conforme projeto estrutural. Serão apoiadas entre si e nos pilares. As vigas superiores serão em concreto armado, de dimensão conforme o projeto estrutural. Armadura: serão executadas por mão de obra especializada, ocupando exatamente as posições indicadas nas plantas. As amarras serão feitas com arame recozido 16 ou 18 AWG. Para garantir o cobrimento previsto em norma deverão ser colocados distanciadores de concreto ou plástico, disponíveis no comércio. O uso destes distanciadores é obrigatório para garantir o especificado no projeto estrutural e as prescrições de norma.

9 4.1 Aço CA mm Nos locais indicados em projeto o aço será do tipo CA-50 6,3 mm. Não deverão outra substância que prejudique sua perfeita aderência ao concreto. O armazenamento do aço deverá ser em local coberto, evitando a ferrugem; 4.2 Aço CA mm Nos locais indicados em projeto o aço será do tipo CA-50 8,0 mm. Não deverão outra substância que prejudique sua perfeita aderência ao concreto. O aço deverá ser cortado e dobrado conforme o projeto estrutural, não sendo permitido erro no comprimento dos mesmos. O armazenamento do aço deverá ser em local coberto, evitando a ferrugem; 4.3 Aço CA mm Nos locais indicados em projeto o aço será do tipo CA-50 10,0 mm. Não deverão outra substância que prejudique sua perfeita aderência ao concreto. O aço deverá ser cortado e dobrado conforme o projeto estrutural, não sendo permitido erro no comprimento dos mesmos. O armazenamento do aço deverá ser em local coberto, evitando a ferrugem; 4.4 Aço CA mm Nos locais indicados em projeto o aço será do tipo CA-50 12,5 mm. Não deverão outra substância que prejudique sua perfeita aderência ao concreto. O aço deverá ser cortado e dobrado conforme o projeto estrutural, não sendo permitido erro no comprimento dos mesmos. O armazenamento do aço deverá ser em local coberto, evitando a ferrugem; 4.5 Aço CA mm Nos locais indicados em projeto o aço será do tipo CA-50 16,0 mm. Não deverão outra substância que prejudique sua perfeita aderência ao concreto. O aço deverá ser cortado e dobrado conforme o projeto estrutural, não sendo permitido erro no comprimento dos mesmos. O armazenamento do aço deverá ser em local coberto,

10 evitando a ferrugem; 4.6 Aço CA mm Nos locais indicados em projeto o aço será do tipo CA-60 5,0 mm. Não deverão outra substância que prejudique sua perfeita aderência ao concreto. O aço deverá ser cortado e dobrado conforme o projeto estrutural, não sendo permitido erro no comprimento dos mesmos. O armazenamento do aço deverá ser em local coberto, evitando a ferrugem; 4.7 Concreto Usinado Bombeado O concreto deverá ser bombeado usinado, com resistência mínima característica aos 28 dias de 25 MPa. A contratada deverá realizar dois corpos de prova por caminhão, para a realização do teste de resistência a compressão axial. Além disso, o concreto não deverá possuir aditivos, excesso de água ou outras substâncias que prejudiquem o concreto. A concretagem deverá ser realizada em uma etapa só, evitando juntas de concretagem. Durante a concretagem, a Contratada deverá ter o cuidado para não danificar as armaduras. Os materiais empregados para o concreto deverão ser controlados conforme a respectiva norma ABNT NBR. Antes da concretagem, as formas deverão ser molhadas e a armadura limpa, para que as mesmas não retirem umidade do concreto. O concreto deverá ser vibrado com o vibrador, evitando que a agulha encoste na armadura e nem que segregue o material; 4.8 Fôrma de madeira compensada Serão executadas de acordo com as plantas. As dimensões deverão ser verificadas para que se tenha certeza de que elas correspondem as peças que deverão moldar. As fôrmas deverão ser executadas de modo a oferecer resistência ao peso próprio do concreto que nelas será lançado e às sobrecargas durante o período de construção. O material utilizado será de madeira compensada resinada 12 mm. Deverá ter colarinho e travessas de madeira para travar as mesmas. Além disso, as formas deverão estar no esquadro, alinhadas e niveladas. A contratada deverá garantir a qualidade do material e executar as mesmas conforme a respectiva norma.

11 4.9 Escoramento fôrmas até H=3,30 m Serão executadas de acordo com as plantas. As dimensões deverão ser verificadas para que se tenha certeza de que elas correspondem às peças que deverão moldar. As escoras deverão estar com o nível correto, garantindo que a viga fique conforme o projeto. As peças de madeira nativa deverão ter 7,5cm x 7,5 cm. Além disso, deverão ter pontaletes de madeira ou metálico. Se o escoramento for metálico, o mesmo deve garantir o travamento da escora. Para escorar o fundo da forma pode-se colocar uma tábua de madeira de lei 2,5 x 23 cm. 5. PILARES O concreto dos pilares será com fck 25 Mpa. Os pilares serão em concreto armado, de dimensão conforme projeto estrutural. Serão travados pelas vigas. Armadura: serão executadas por mão de obra especializada, ocupando exatamente as posições indicadas nas plantas. As amarras serão feitas com arame recozido 16 ou 18 AWG. Para garantir o cobrimento previsto em norma deverão ser colocados distanciadores de concreto ou plástico, disponíveis no comércio. O uso destes distanciadores é obrigatório para garantir o especificado no projeto estrutural e as prescrições de norma. OBS: Os pilares deverão ser locados e alinhados com fio de nylon para evitar que os mesmos fiquem torcidos ou fora de esquadro com os outros pilares. 5.1 Aço CA mm Nos locais indicados em projeto o aço será do tipo CA-50 6,3 mm. Não deverão outra substância que prejudique sua perfeita aderência ao concreto. O armazenamento do aço deverá ser em local coberto, evitando a ferrugem; 5.2 Aço CA mm Nos locais indicados em projeto o aço será do tipo CA-50 12,5 mm. Não deverão outra substância que prejudique sua perfeita aderência ao concreto. O aço deverá ser cortado e dobrado conforme o projeto estrutural, não sendo permitido erro no comprimento dos mesmos. O armazenamento do aço deverá ser em local coberto,

12 evitando a ferrugem; 5.3 Aço CA mm Nos locais indicados em projeto o aço será do tipo CA-60 5,0 mm. Não deverão outra substância que prejudique sua perfeita aderência ao concreto. O aço deverá ser cortado e dobrado conforme o projeto estrutural, não sendo permitido erro no comprimento dos mesmos. O armazenamento do aço deverá ser em local coberto, evitando a ferrugem; 5.4 Concreto Usinado Bombeado O concreto deverá ser bombeado usinado, com resistência mínima característica aos 28 dias de 25 MPa. A contratada deverá realizar dois corpos de prova por caminhão, para a realização do teste de resistência a compressão axial. Além disso, o concreto não deverá possuir aditivos, excesso de água ou outras substâncias que prejudiquem o concreto. A concretagem deverá ser realizada em uma etapa só, evitando juntas de concretagem. Durante a concretagem, a contratada deverá ter o cuidado para não danificar as armaduras. Os materiais empregados para o concreto deverão ser controlados conforme a respectiva norma ABNT NBR Antes da concretagem, as formas deverão ser molhadas e a armadura limpa, para que as mesmas não retirem umidade do concreto. O concreto deverá ser vibrado com o vibrador, evitando que a agulha encoste na armadura e nem que segregue o material; 5.5 Fôrma de madeira compensada Serão executadas de acordo com as plantas. As dimensões deverão ser verificadas para que se tenha certeza de que elas correspondem as peças que deverão moldar. As fôrmas deverão ser executadas de modo a oferecer resistência ao peso próprio do concreto que nelas será lançado e às sobrecargas durante o período de construção. O material utilizado será de madeira compensada resinada 12 mm. Deverá ter colarinho e travessas de madeira para travar as mesmas. Além disso, as formas deverão estar no esquadro, alinhadas e niveladas. A contratada deverá garantir a qualidade do material e executar as mesmas conforme a respectiva norma.

13 6. LAJES O concreto da Laje será com fck 25 Mpa. Será laje nervurada treliçada armada em uma e em duas dimensões. Entre as nervuras será utilizado EPS. Armadura: serão executadas por mão de obra especializada, ocupando exatamente as posições indicadas nas plantas. As amarras serão feitas com arame recozido 16 ou 18 AWG. Para garantir o cobrimento previsto em norma deverão ser colocados distanciadores de concreto ou plástico, disponíveis no comércio. O uso destes distanciadores é obrigatório para garantir o especificado no projeto estrutural e as prescrições de norma. 6.1 Aço CA mm Nos locais indicados em projeto o aço será do tipo CA-50 6,3 mm. Não deverão outra substância que prejudique sua perfeita aderência ao concreto. O armazenamento do aço deverá ser em local coberto, evitando a ferrugem; 6.2 Aço CA mm Nos locais indicados em projeto o aço será do tipo CA-50 8,0 mm. Não deverão outra substância que prejudique sua perfeita aderência ao concreto. O aço deverá ser cortado e dobrado conforme o projeto estrutural, não sendo permitido erro no comprimento dos mesmos. O armazenamento do aço deverá ser em local coberto, evitando a ferrugem; 6.3 Aço CA mm Nos locais indicados em projeto o aço será do tipo CA-50 10,0 mm. Não deverão outra substância que prejudique sua perfeita aderência ao concreto. O aço deverá ser cortado e dobrado conforme o projeto estrutural, não sendo permitido erro no comprimento dos mesmos. O armazenamento do aço deverá ser em local coberto, evitando a ferrugem; 6.4 Aço CA mm Nos locais indicados em projeto o aço será do tipo CA-50 12,5 mm. Não deverão outra substância que prejudique sua perfeita aderência ao concreto. O aço deverá

14 ser cortado e dobrado conforme o projeto estrutural, não sendo permitido erro no comprimento dos mesmos. O armazenamento do aço deverá ser em local coberto, evitando a ferrugem; 6.5 Aço CA mm Nos locais indicados em projeto o aço será do tipo CA-60 5,0 mm. Não deverão outra substância que prejudique sua perfeita aderência ao concreto. O aço deverá ser cortado e dobrado conforme o projeto estrutural, não sendo permitido erro no comprimento dos mesmos. O armazenamento do aço deverá ser em local coberto, evitando a ferrugem; 6.6 Concreto Usinado Bombeado O concreto deverá ser bombeado usinado, com resistência mínima característica aos 28 dias de 25 MPa. A contratada deverá realizar dois corpos de prova por caminhão, para a realização do teste de resistência a compressão axial. Além disso, o concreto não deverá possuir aditivos, excesso de água ou outras substâncias que prejudiquem o concreto. A concretagem deverá ser realizada em uma etapa só, evitando juntas de concretagem. Durante a concretagem, a Contratada deverá ter o cuidado para não danificar as armaduras. Os materiais empregados para o concreto deverão ser controlados conforme a respectiva norma ABNT NBR. Antes da concretagem, as formas deverão ser molhadas e a armadura limpa, para que as mesmas não retirem umidade do concreto. O concreto deverá ser vibrado com o vibrador com a agulha a 45º ou 90º, evitando que a agulha encoste na armadura e nem que segregue o material. Além disso, na hora da concretagem, deverá ser utilizadas madeiras para a passagem das pessoas, evitando que quebre o EPS. Também, a contratada deverá possuir o cuidado com o mangote de concretagem, para que não lance o concreto a uma altura muito elevada, evitando assim que ocorra a segregação do concreto e a quebra do EPS. 6.7 Fôrma de madeira compensada Serão executadas de acordo com as plantas. As dimensões deverão ser verificadas para que se tenha certeza de que elas correspondem as peças que deverão moldar. As fôrmas deverão ser executadas de modo a oferecer resistência ao peso próprio do concreto que nelas será lançado e

15 às sobrecargas durante o período de construção. O material utilizado será de madeira compensada resinada 12 mm. Deverá ter colarinho e travessas de madeira para travar as mesmas. Além disso, as formas deverão estar no esquadro, alinhadas e niveladas. A contratada deverá garantir a qualidade do material e executar as mesmas conforme a respectiva norma. Essa forma deverá ser executada para a laje maciça da entrada da edificação. 6.8 Laje Pré moldada A laje pré-moldada deverá ter treliças TR com fio superior de 6mm, sinoidal de 4.2 mm e inferiores de 4.2 mm. A altura da treliça deverá ter 6 centímetros. O cocreto da Base da treliça deverá ter no mínimo 12 cm e a altura de 3 a 4 centímetros. A resistência mínima do concreto da base da treliça deverá ser de 20 Mpa, conforme as ABNT NBR , e Entre as nervuras deverá ser colocado placas de EPS, com dimensões de 8cm/40cm/40cm. Para colocar a armadura de distribuição, orçado no item 6.5, deverão ser colocados espaçadores na laje. 6.9 Escoramento da laje pré moldada Serão executadas de acordo com as plantas. As dimensões deverão ser verificadas para que se tenha certeza de que elas correspondem às peças que deverão moldar. As escoras deverão estar com o nível correto, garantindo que a laje fique conforme o projeto. As peças de madeira nativa deverão ter 7,5cm x 7,5 cm. Além disso, deverão ser pontaletes de madeira ou poderão ser metálicos. Se o escoramento for metálico, o mesmo deve garantir o travamento da escora. Para escorar o fundo da forma pode-se colocar uma tábua de madeira de lei 2,5 x 30 cm. 7. ALVENARIA E REVESTIMENTOS 7.1 Alvenaria de vedação espessura =9 cm A alvenaria interna deverá ser executada com tijolo 6 furos assentados na menor dimensão. O tijolo possui dimensões de 9cm x14cm x19cm. O

16 assentamento deve ser feito com argamassa com traço 1:2:8 (cimento, cal e arreia). Os tijolos deverão ser executados conforme a ABNT NBR 8545, nessa norma estipula que a superfície antes de assentar a 1 fiada do bloco deverá estar limpa, isenta de óleos e outros matérias nocivos para a alvenaria. Além disso, a superfície deverá ser molhada para evitar que a mesma retire umidade da argamassa de assentamento. Além disso, a alvenaria deverá ter ferro cabelo na ligação entre a estrutura a e alvenaria e também a telinha de estuque, pois como são matérias com coeficientes de dilatação diferentes, acaba ocorrendo fissuras e trincas na alvenaria. Além disso, para a execução a contradada deverá seguir todas as especificações da norma ABNT NBR Também, a contratada deverá cuidar na execução dos cantos, no esquadro, no nível e alinhamento da alvenaria. 7.2 Alvenaria de vedação espessura =19 cm A alvenaria externa deverá ser executada com tijolo 6 furos assentados na maior dimensão. O tijolo possui dimensões de 9cm x14cm x19cm. O assentamento deve ser feito com argamassa com traço 1:2:8 (cimento, cal e arreia). Os tijolos deverão ser executados conforme a ABNT NBR 8545, nessa norma estipula que a superfície antes de assentar a 1 fiada do bloco deverá estar limpa, isenta de óleos e outros matérias nocivos para a alvenaria. Além disso, a superfície deverá ser molhada para evitar que a mesma retire umidade da argamassa de assentamento. Além disso, a alvenaria deverá ter ferro cabelo na ligação entre a estrutura a e alvenaria e também a telinha de estuque, pois como são matérias com coeficientes de dilatação diferentes, acaba ocorrendo fissuras e trincas na alvenaria. Além disso, para a execução a contradada deverá seguir todas as especificações da norma ABNT NBR Também, a contratada deverá cuidar na execução dos cantos, no esquadro, no nível e alinhamento da alvenaria. 7.3 Alvenaria da platibanda espessura =9 cm A alvenaria da platibanda deverá ser executada com tijolo 6 furos assentados na menor dimensão. O tijolo possui dimensões de 9cm x14cm x19cm. O assentamento deve ser feito com argamassa com traço 1:2:8 (cimento, cal e arreia). Os tijolos deverão ser executados conforme a ABNT NBR 8545, nessa

17 norma estipula que a superfície antes de assentar a 1 fiada do bloco deverá estar limpa, isenta de óleos e outros matérias nocivos para a alvenaria. Além disso, a superfície deverá ser molhada para evitar que a mesma retire umidade da argamassa de assentamento. Além disso, a alvenaria deverá ter ferro cabelo na ligação entre a estrutura a e alvenaria e também a telinha de estuque, pois como são matérias com coeficientes de dilatação diferentes, acaba ocorrendo fissuras e trincas na alvenaria. Além disso, para a execução a contradada deverá seguir todas as especificações da norma ABNT NBR Também, a contratada deverá cuidar na execução dos cantos, no esquadro, no nível e alinhamento da alvenaria. 7.4 Chapisco interno O revestimento interno deverá ser feito com chapisco com traço 1:3 (cimento e areia), com espessura de 5mm a 7mm. A aplicação do mesmo deverá ser feita com colher de pedreiro, com energia suficiente para a fixação do mesmo na alvenaria. Além disso, deverá ser executado conforme a norma ABNT NBR O preparo pode ser em betoneira. 7.5 Chapisco externo O revestimento externo deverá ser feito com chapisco com traço 1:3 (cimento e areia), com espessura de 7mm. A aplicação do mesmo deverá ser feita com colher de pedreiro, com energia suficiente para a fixação do mesmo na alvenaria. Além disso, deverá ser executado conforme a norma ABNT NBR O preparo pode ser em betoneira. 7.6 Emboço espessura de 20 mm Depois de 3 dias após a cura do chapisco, deve ser executado o emboço interno da edificação com traço 1:2:8 (cimento, cal e areia), com espessura de 20mm. A aplicação do mesmo deverá ser feita com colher de pedreiro, com energia suficiente para a fixação do mesmo na alvenaria. Primeiramente deverá ser realizado o esquadro da peça com fio de nylon e chumbado na parede as taliscas. Após 3 dias, deve-se executar as mestras (preenchimento das taliscas com uma argamassa com as mesmas especificações das taliscas). Após 3 dias da execução das mestras, pode se realizar a execução do preenchimento com a argamassa entre as mestras.

18 Quando a argamassa apresentar a resistência, deve-se executar o sarrafeamento, para deixar nivelado o revestimento. Além disso, deverá ser executado conforme a norma ABNT NBR O preparo pode ser em betoneira. Além disso, deverá ser executado conforme a norma ABNT NBR O preparo pode ser em betoneira. 7.7 Emboço espessura de 25mm Depois de 3 dias após a cura do chapisco, deve ser executado o emboço externo da edificação com traço 1:2:8 (cimento, cal e areia), com espessura de 20mm. A aplicação do mesmo deverá ser feita com colher de pedreiro, com energia suficiente para a fixação do mesmo na alvenaria. Primeiramente deverá ser realizado o esquadro da peça com fio de nylon e chumbado na parede as taliscas. Após 3 dias, deve-se executar as mestras (preenchimento das taliscas com uma argamassa com as mesmas especificações das taliscas). Após 3 dias da execução das mestras, pode se realizar a execução do preenchimento com a argamassa entre as mestras. Quando a argamassa apresentar a resistência, deve-se executar o sarrafeamento, para deixar nivelado o revestimento. Além disso, deverá ser executado conforme a norma ABNT NBR O preparo pode ser em betoneira. 7.8 Reboco massa fina A massa fina deverá ser realizada com traço 1:3 (cimento e areia) ou 1;5 (cimento e areia). O acabamento deverá ter uma boa qualidade, para receber a pintura epóxi. 7.9 e 7.10 Rasgo em alvenaria Nos locais indicados no projeto, elétrico e hidrossanitário, o rasgo deverá ser realizado após as alvenarias concluídas para a passagem da tubulação. Após a demolição e tubulação concluída, deverá ser preenchido com argamassa traço 1:1:6 (cimento cal e areia) e 7.12 Vergas e contra-vergas As vergas e contra-vergas serão pré-fabricadas em concreto armado Fck=20 MPa e assentadas durante a execução da alvenaria. As peças terão 10 cm de altura e sua largura irá variar de acordo com a largura do tijolo utilizado (10, 15

19 ou 20 cm). O comprimento será o tamanho da janela, acrescido de 60 cm (30 cm para cada lado). Para compor a diferença entre a altura da verga e a do bloco, será executado um complemento com tijolos maciços, acima da verga e abaixo da contraverga, evitando-se a perda de material com o corte de blocos. A armação destas peças será feita com aço CA60 bitola fina. 8. IMPERMEABILIZAÇÃO 8.1 a 8.3 Impermeabilização com revestimento bicomponente semiflexível A superfície deve estar isenta de poeira, óleo, graxa, nata de cimento, pinturas, partículas soltas, ninhos de concretagem, pontas de ferro, restos de madeira, agentes de cura química ou desmoldantes e quaisquer outros elementos que possam prejudicar a aderência do produto, devendo ser previamente lavado com escova de aço e água. A superfície deve estar umedecida com água, regularizada e preferencialmente plana antes da aplicação do produto. A cura úmida deve ser efetuada no mínimo 3 dias consecutivos após a aplicação da última demão. Aguardar no mínimo 5 dias antes de liberar a área. 9. COBERTURA 9.1 a 9.3 Estrutura de madeira e cobertura com telha de fibrocimento As faces das terças em contato com as telhas de fribrocimento devem situar-se em um mesmo plano. Observar de nunca apoiar as telhas em arestas (quinas), faces arredondadas ou em arestas vivas. A montagem iniciará do beiral para cumeeira. As águas opostas do telhado devem ser cobertas simultaneamente. Utilizar a cumeeira como gabarito para manter o alinhamento das ondas. As terças devem ser paralelas entre si. Caso a construção esteja fora do esquadro, colocar a primeira telha perpendicularmente às terças acertando o beiral lateral com o corte diagonal das telhas da primeira faixa. As demais telhas são montadas normalmente. A montagem deverá ser feita, sempre que possível, no sentido contrário dos ventos predominantes na região. Antes de iniciar a montagem é necessário verificar se as

20 peças complementares correspondem ao mesmo sentido de montagem a ser adotado. Arestas, cumeeira, rufo e telha de ventilação são peças fabricadas em dois modelos, para montagem esquerda e montagem direita. Ao encomendar mais peças, é necessário verificar o sentido de montagem do telhado onde serão aplicadas. No recobrimento de quatro cantos de telhas, os dois intermedários devem ser cortados. Observar que os cantos a serem cortados dependem do sentido de montagem das telhas. O emprego de um gabarito facilita a marcação dos cortes de cantos. Estes devem ser feitos de preferência no chão, antes de levar as telhas para o telhado, usandose serrote. Admite-se o emprego de torquês, de modo a evitar a quebra além da linha de corte. No momento da fixação as telhas são fixadas com parafusos com rosca soberba, ganchos e pinos com rosca e ganchos chatos. Quando da perfuração das telhas, o furo deve ser feito sempre no mínimo 5 cm da borda da telha ou da peça complementar, com broca de Ø 13 mm (½''). O furo no apoio de madeira deve ter Ø 7,5 mm (19/64''). OBS: No caso do parafuso para madeira Ø 5 mm (3/16") o furo na telha deve ser idêntico. Caberá à CONTRATADA total responsabilidade pela boa execução da cobertura, por sua estanqueidade às águas pluviais e pela resistência e estabilidade de sua estrutura, inclusive nos casos em que os serviços tenham sido sub-empreitados. 10. INSTALAÇÃO HIDRÁULICA 10.1 Abastecimento A obra será abastecida por uma rede de água derivada da rede pública em tubulação PVC rígido, de diâmetro 32mm com o respectivo hidrômetro Reservatório A caixa de água será em polietileno com capacidade de 2000 litros, com tampa, e será provido de torneira bóia possuindo um extravasor e canalização de limpeza com seus respectivos registros.

Memorial Descritivo OBRA: CERCAMENTO DOS LOTES Nº02 E Nº03 DA QUADRA Nº344

Memorial Descritivo OBRA: CERCAMENTO DOS LOTES Nº02 E Nº03 DA QUADRA Nº344 Memorial Descritivo OBRA: CERCAMENTO DOS LOTES Nº02 E Nº03 DA QUADRA Nº344 Endereço da obra: Quadra 128, situada na esquina da Rua Ijui esquina Rua Inhacorá, Bairro Recanto do Sol, Horizontina - RS. O

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÃO DE VOLUME DE CAIXA D'ÁGUA NA CASA DE PASSAGEM DO MUNICÍPIO DE CAÇADOR

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÃO DE VOLUME DE CAIXA D'ÁGUA NA CASA DE PASSAGEM DO MUNICÍPIO DE CAÇADOR MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÃO DE VOLUME DE CAIXA D'ÁGUA NA CASA DE PASSAGEM DO MUNICÍPIO DE CAÇADOR 1 SUMÁRIO SUMÁRIO 2 MEMORIAL DESCRITIVO 3 I. DADOS FÍSICOS LEGAIS 3 II. DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 3 III.

Leia mais

E S T A D O D O M A T O G R O S S O. Prefeitura Municipal de Jaciara

E S T A D O D O M A T O G R O S S O. Prefeitura Municipal de Jaciara MEMORIAL DESCRITIVO REDE CEGONHA - HOSPITAL MUNICIPAL JACIARA/MT O presente memorial descritivo define diretrizes referentes à reforma do espaço destinado a Programa REDE CEGONHA no Hospital Municipal

Leia mais

ÁREA TOTAL TERRENO: 325,00m² ÁREA TOTAL CASA: 48,00m² ÁREA DE INFILTRAÇÃO: 65,00m² ITEM ESPECIFICAÇÕES DOS SERVIÇOS

ÁREA TOTAL TERRENO: 325,00m² ÁREA TOTAL CASA: 48,00m² ÁREA DE INFILTRAÇÃO: 65,00m² ITEM ESPECIFICAÇÕES DOS SERVIÇOS 1 1.1 INSTALAÇÃO DO CANTEIRO DE OBRA Abrigo provisório de madeira executada na obra para alojamento e depósitos de materiais e ferramentas 01520.8.1.1 m² 7,50 1.2 Ligação provisória de água para a obra

Leia mais

2. INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS

2. INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Banheiros Públicos Rincão do Segredo Local: Rua Carlos Massman - Rincão do Segredo Alm. Tam. do Sul-RS Proprietário: Município de Almirante Tamandaré do Sul / RS 1. O presente

Leia mais

Memorial Descritivo OBRA: REQUALIFICAÇÃO ÁREA VERDE BAIRRO RECANTO DO SOL. Inhacorá. Centro, Município de Horizontina - RS.

Memorial Descritivo OBRA: REQUALIFICAÇÃO ÁREA VERDE BAIRRO RECANTO DO SOL. Inhacorá. Centro, Município de Horizontina - RS. Memorial Descritivo OBRA: REQUALIFICAÇÃO ÁREA VERDE BAIRRO RECANTO DO SOL ENDEREÇO: Quadra 128, Lote 01 entre as Ruas Tapajós, Ijuí, Santos Dumont e Inhacorá. Centro, Município de Horizontina - RS. O presente

Leia mais

Obra: Ampliação Câmara de Vereadores Local : VRS- 801 Almirante Tamandaré do Sul - RS Proprietário: Prefeitura Municipal de Almirante Tamandaré do Sul

Obra: Ampliação Câmara de Vereadores Local : VRS- 801 Almirante Tamandaré do Sul - RS Proprietário: Prefeitura Municipal de Almirante Tamandaré do Sul MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Ampliação Câmara de Vereadores Local : VRS- 801 Almirante Tamandaré do Sul - RS Proprietário: Prefeitura Municipal de Almirante Tamandaré do Sul 1. O presente memorial tem por

Leia mais

AMPLIAÇÃO ESCOLA DO JARDIM YPE

AMPLIAÇÃO ESCOLA DO JARDIM YPE AMPLIAÇÃO ESCOLA DO JARDIM YPE LUIZA DE LIMA TEIXEIRA PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOÃO DA BOA VISTA SP. PROJETO ESTRUTURAL 1 I - MEMORIAL DESCRITIVO DE CIVIL ESTRUTURAL 1 - Serviços Iniciais: ESPECIFICAÇÕES

Leia mais

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S. A. CERON DIRETORIA DE GESTÃO ADMINISTRATIVA DA GERÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO GERAL AGG MEMORIAL DESCRITIVO

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S. A. CERON DIRETORIA DE GESTÃO ADMINISTRATIVA DA GERÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO GERAL AGG MEMORIAL DESCRITIVO MEMORIAL DESCRITIVO PROPRIETÁRIO: CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S. A. CERON OBRA: ENDEREÇO: REFORMA E ADEQUAÇÃO DE SALAS NO PRÉDIO DA UNIDADE DE NEGÓCIOS NORTE UNN, VISANDO A INSTALAÇÃO DO POSTO DE ENSAIO

Leia mais

FUNDAÇÃO PROFESSOR MARTINIANO FERNANDES- IMIP HOSPITALAR - HOSPITAL DOM MALAN

FUNDAÇÃO PROFESSOR MARTINIANO FERNANDES- IMIP HOSPITALAR - HOSPITAL DOM MALAN 25% 1.0 SERVIÇOS PRELIMINARES R$ 12.734,82 1.1 COTAÇÃO MOBILIZAÇÃO DE EQUIPAMENTOS, FERRAMENTAS E PESSOAL. M² 200,00 2,57 3,21 642,50 1.2 74220/001 TAPUME DE CHAPA DE MADEIRA COMPENSADA, E= 6MM, COM PINTURA

Leia mais

CLIENTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAPIRANGA

CLIENTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAPIRANGA CLIENTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAPIRANGA OBRA: ESTAÇÃO ELEVATÓRIA PARA ESGOTO - ELEVADO RESPONSÁVEL TÉCNICO: ENG. CIVIL MICHAEL MALLMANN MUNICÍPIO: ITAPIRANGA - SC 1 INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS Deve ser

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO MEMORIAL DESCRITIVO

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO MEMORIAL DESCRITIVO Ampliação E.M.E.I. Manoel dos Santos Ribeiro Bairro José Alcebíades de Oliveira GENERALIDADES Execução por Empreitada Global O presente memorial

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE A FOME SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE A FOME SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL MEMÓRIA DE CÁLCULO Objeto: CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL Proprietário: Endereço: Área da Edificação: 165,30 M² Pavimento: térreo Área do Terreno: 450,00 M² INTRODUÇÃO Este documento técnico

Leia mais

ANEXO I - MEMORIAL DESCRITIVO

ANEXO I - MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO I - MEMORIAL DESCRITIVO RAMPA NAÚTICA DE ARAGARÇAS-GO O presente memorial descritivo tem por objetivo fixar normas específicas para CONSTRUÇÃO DE UMA RAMPA NAÚTICA - RIO ARAGUAIA, em área de 3.851,89

Leia mais

MUNICÍPIO DE ILHA COMPRIDA

MUNICÍPIO DE ILHA COMPRIDA MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: REFORMA, ADEQUAÇÃO E AMPLIAÇÃO DA CRECHE CRIANÇA FELIZ LOCAL: BALNEÁRIO ICARAÍ DE IGUAPE 1. Descrição As adequações e ampliações da Creche Criança feliz visam melhorar o atendimento

Leia mais

ÁREA TOTAL CASA: 67,50m² ÁREA DE INFILTRAÇÃO: 80,20m² ITEM ESPECIFICAÇÕES DOS SERVIÇOS

ÁREA TOTAL CASA: 67,50m² ÁREA DE INFILTRAÇÃO: 80,20m² ITEM ESPECIFICAÇÕES DOS SERVIÇOS ENDEREÇO: Rua nº 01 - Loteamento Maria Laura ÁREA TOTAL CASA: 67,50m² 1 INSTALAÇÃO DO CANTEIRO DE OBRA 1.1 Abrigo provisório de madeira executada na obra para alojamento e depósitos de materiais e ferramentas

Leia mais

Prefeitura Municipal de Piratini

Prefeitura Municipal de Piratini MEMORIAL DESCRITIVO O presente Memorial Descritivo visa estabelecer as condições de materiais e execução referentes à construção de um Vestiário Esportivo, localizado na Av. 6 de julho s/n, em Piratini/RS,

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO CIVIL

MEMORIAL DESCRITIVO CIVIL MEMORIAL DESCRITIVO CIVIL I SERVIÇOS DE ENGENHARIA Constitui objeto do presente memorial descritivo uma edificação para abrigar segura e adequadamente equipamentos de rede estabilizada, Grupo Moto-gerador

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA OBRA.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA OBRA. INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAM ENTO DE ENGENHARIA E INFRAESTRUTURA BR 406 - Km 73 n 3500 Perímetro Rural do Município de João Câmara / RN, CEP: 59550-000

Leia mais

GINÁSIO ESPORTIVO DA COMUNIDADE RIO BONITO ALTO - PONTÃO - RS

GINÁSIO ESPORTIVO DA COMUNIDADE RIO BONITO ALTO - PONTÃO - RS MEMORIAL DESCRITIVO Obra: GINÁSIO ESPORTIVO DA COMUNIDADE RIO BONITO ALTO - PONTÃO - RS Área: 488,50 m² Local: Comunidade de Rio Bonito Alto Bairro: Rio Bonito Alto Cidade: Pontão - RS Proprietário: Comunidade

Leia mais

FS-06. Fossa séptica. Componentes. Código de listagem. Atenção. FS-06-01 (L=3,00m) FS-06-02 (L=3,80m) FS-06-03 (L=5,40m) 01 27/12/10

FS-06. Fossa séptica. Componentes. Código de listagem. Atenção. FS-06-01 (L=3,00m) FS-06-02 (L=3,80m) FS-06-03 (L=5,40m) 01 27/12/10 - -03 1/5 - -03 2/5 - -03 3/5 - -03 4/5 DESCRIÇÃO Constituintes Lastro de concreto magro, traço 1:4:8, cimento, areia e brita. Fundo e vigas de concreto armado, moldados in loco: - Fôrmas de tábuas de

Leia mais

Ministério da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE Coordenação Geral de Infraestrutural Educacional CGEST

Ministério da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE Coordenação Geral de Infraestrutural Educacional CGEST Ministério da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE Coordenação Geral de Infraestrutural Educacional CGEST MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO PADRÃO PARA QUADRA POLIESPORTIVA COBERTA COM

Leia mais

Definições. Armação. Armação ou Armadura? Armação: conjunto de atividades relativas à preparação e posicionamento do aço na estrutura.

Definições. Armação. Armação ou Armadura? Armação: conjunto de atividades relativas à preparação e posicionamento do aço na estrutura. Definições Armação ou Armadura? Armação: conjunto de atividades relativas à preparação e posicionamento do aço na estrutura. Armadura: associação das diversas peças de aço, formando um conjunto para um

Leia mais

OBRA: CONSTRUÇÃO DE UM RESERVATÓRIO ELEVADO, UM RESERVATÓRIO SUBTERRÂNEO E UMA CASA DE MÁQUINAS LOCAL DA OBRA: UNIDADE DE ENSINO DE JOÃO CÂMARA

OBRA: CONSTRUÇÃO DE UM RESERVATÓRIO ELEVADO, UM RESERVATÓRIO SUBTERRÂNEO E UMA CASA DE MÁQUINAS LOCAL DA OBRA: UNIDADE DE ENSINO DE JOÃO CÂMARA CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE INFRA-ESTRUTURA DO PROJETO DE EXPANSÃO Av. Sen. Salgado Filho, 1559, Natal/RN. FONE (084) 4005-2612 OBRA: CONSTRUÇÃO DE UM

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Construção de Galpão p/ Depósito de Ferramentas Prop.: Município de Mato Queimado Local: Av. Albino Welter Mato Queimado - RS

MEMORIAL DESCRITIVO. Construção de Galpão p/ Depósito de Ferramentas Prop.: Município de Mato Queimado Local: Av. Albino Welter Mato Queimado - RS MEMORIAL DESCRITIVO Construção de Galpão p/ Depósito de Ferramentas Prop.: Município de Mato Queimado Local: Av. Albino Welter Mato Queimado - RS 01 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 1.1 SERVIÇOS INICIAIS: A presente

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS DE EDIFICAÇÕES

CADERNO DE ENCARGOS DE EDIFICAÇÕES COHAB-MG Versão 01 HISTÓRICO DAS REVISÕES HISTÓRICO DAS REVISÕES VERSÃO DATA DESCRIÇÃO 01 01/06/07 Emissão inicial SUMÁRIO SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 7 1 SERVIÇOS INICIAIS... 12 1.1 Locações... 12 2 FUNDAÇÕES...

Leia mais

PLANILHA DE SERVIÇOS GERAIS DE OBRA

PLANILHA DE SERVIÇOS GERAIS DE OBRA 1 PRELIMINARES 1.1 Instalações do canteiro de obra vb 1,00 5.000,00 5.000,00 90,09 1.2 Placa de obra 2,00m x 3,00m, conforme orietações da administração vb 1,00 550,00 550,00 9,91 SUB TOTAL PRELIMINARES

Leia mais

PROJETO PARA FECHAMENTO DE QUADRA DE ESPORTES E.E.B MARIA DO ROSÁRIO

PROJETO PARA FECHAMENTO DE QUADRA DE ESPORTES E.E.B MARIA DO ROSÁRIO PROJETO PARA FECHAMENTO DE QUADRA DE ESPORTES E.E.B MARIA DO ROSÁRIO MONTE CARLO SC JULHO DE 2015 Fazem parte deste projeto: - Projeto Arquitetônico e Detalhes. - Memorial Descritivo. - Orçamento, Cronograma.

Leia mais

ITEM DISCRIMINAÇÃO DOS SERVIÇOS UNID. 1.00 SERVIÇOS PRELIMINARES 1.01 PLACA DE OBRA EM CHAPA DE ACO GALVANIZADO M2 6,00

ITEM DISCRIMINAÇÃO DOS SERVIÇOS UNID. 1.00 SERVIÇOS PRELIMINARES 1.01 PLACA DE OBRA EM CHAPA DE ACO GALVANIZADO M2 6,00 MEMORIAL DE CÁLCULO OBRA: AMPLIAÇÃO DA UNIDADE DE ATENDIMENTO NO DISTRITO DE RIO BRANCO LOCAL: ZONA RURAL, DISTRITO DE RIO BRANCO ÁREA: 77,05M² ITEM DISCRIMINAÇÃO DOS SERVIÇOS UNID. QUANT. 1.00 SERVIÇOS

Leia mais

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES GLOBAIS DE SERVIÇOS E MATERIAIS REFORMA E ADAPATAÇÃO DO PRÉDIO DA ANTIGA CPFL - GRADUAÇÃO

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES GLOBAIS DE SERVIÇOS E MATERIAIS REFORMA E ADAPATAÇÃO DO PRÉDIO DA ANTIGA CPFL - GRADUAÇÃO CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES GLOBAIS DE SERVIÇOS E MATERIAIS REFORMA E ADAPATAÇÃO DO PRÉDIO DA ANTIGA CPFL - GRADUAÇÃO INSTITUTO UNI-FAMEMA / OSCIP Marília/SP ÍNDICE 1. PRELIMINARES. 2. DEMOLIÇÕES E RETIRADAS.

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO QUADRA DE ESPORTES A:

MEMORIAL DESCRITIVO QUADRA DE ESPORTES A: DISPOSIÇÕES GERAIS O presente caderno tem por objetivo estabelecer as normas e encargos que presidirão o desenvolvimento da construção de um Quadra de Esportes em terreno de propriedade do Município de

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME MEMÓRIA DE CÁLCULO Objeto: Centro de Referência de Assistência Social CRAS Proprietário: Endereço: Área da Edificação: 165,30 m² Pavimento: Térreo

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO MEMORIAL DESCRITIVO

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Reforma muro lateral, calçadas e cercas E. M. E. F. Marcelino José Bento Champagnat GENERALIDADES Execução por empreitada global O presente

Leia mais

TIPO ESP. LOCAL APLIC. 6mm Coberta da Cloaca

TIPO ESP. LOCAL APLIC. 6mm Coberta da Cloaca FABRICANTE Eternit TIPO ESP. LOCAL APLIC. Ondulada 6mm Coberta da Cloaca COR - As telhas serão de fibrocimento 6mm, Eternit ou equivalente técnico de procedência conhecida e idônea, textura homogênea,

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA OBRA.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA OBRA. INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAM ENTO DE ENGENHARIA E INFRAESTRUTURA BR 406 - Km 73 n 3500 Perímetro Rural do Município de João Câmara / RN, CEP: 59550-000

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. 2.0 - Calçadas Externas/rampa/escada:

MEMORIAL DESCRITIVO. 2.0 - Calçadas Externas/rampa/escada: PROJETO Nº 051/2013 Solicitação: Memorial Descritivo Tipo da Obra: Reforma, ampliação e adequação acesso Posto de Saúde Santa Rita Área existente: 146,95 m² Área ampliar: 7,00 m² Área calçadas e passeio:

Leia mais

Placa de obra: Haverá a colocação em local visível de placa de obra, metálica, fixada em estrutura de madeira, conforme padrão fornecido SOP.

Placa de obra: Haverá a colocação em local visível de placa de obra, metálica, fixada em estrutura de madeira, conforme padrão fornecido SOP. MEMORIAL DESCRITIVO RECONSTRUÇÃO DO ALBERGUE JUNTO AO PRESIDIO ESTADUAL DE VACARIA RS. VACARIA RS. GENERALIDADES: Este Memorial Descritivo tem a função de propiciar a perfeita compreensão do projeto e

Leia mais

Ministério da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE Coordenação Geral de Infraestrutural Educacional CGEST

Ministério da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE Coordenação Geral de Infraestrutural Educacional CGEST Ministério da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE Coordenação Geral de Infraestrutural Educacional CGEST MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO PADRÃO PARA COBERTURA DE QUADRA POLIESPORTIVA

Leia mais

EMBRAPA - EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA MELHORIAS NA INFRAESTRUTURA DA EMBRAPA ALGODÃO. Item Discriminação 15 30 45 60 75 90

EMBRAPA - EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA MELHORIAS NA INFRAESTRUTURA DA EMBRAPA ALGODÃO. Item Discriminação 15 30 45 60 75 90 EMBRAPA - EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA MELHORIAS NA INFRAESTRUTURA DA EMBRAPA ALGODÃO Item Discriminação 15 30 45 60 75 90 1 SERVIÇOS GERAIS 1.1 ADMINISTRAÇÃO PROJETOS COMPLEMENTARES e "as

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE MATERIAIS E SERVIÇOS.

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE MATERIAIS E SERVIÇOS. EMPREENDIMENTO: CONSTRUÇÃO DE QUADRA POLIESPORTlVA COBERTA PROPONENTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO LUIZ GONZAGA. ÁREA DA UNIDADE: 906,06 m². LOCAL: Rua Gen. Portinho, Qd. 196 Bairro Duque de Caxias São

Leia mais

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA DATA agosto/2013 1.0 SERVIÇOS PRELIMINARES 1.2 74209/001 Aquisição e assentamento de placas de obra em aço galvanizado. Abrigo Provisorio de madeira executado na obra para m² 6,00 157,35 944,10 1.3 01520.8.1.1

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE BOMBINHAS PROJETO PAVIMENTAÇÃO COM LAJOTAS SEXTAVADAS E DRENAGEM PLUVIAL RUA CANGERANA

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE BOMBINHAS PROJETO PAVIMENTAÇÃO COM LAJOTAS SEXTAVADAS E DRENAGEM PLUVIAL RUA CANGERANA - 1 - PROJETO PAVIMENTAÇÃO COM LAJOTAS SEXTAVADAS E DRENAGEM PLUVIAL RUA CANGERANA MUNICÍPIO DE BOMBINHAS - SC PROJETO: AMFRI Associação dos Municípios da Região da Foz do Rio Itajaí Carlos Alberto Bley

Leia mais

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA PLANILHA ORÇAMENTÁRIA 1.0 SERVIÇOS PRELIMINARES 7.992,27 1.1 74209/001 PLACA DE OBRA EM CHAPA DE ACO GALVANIZADO m2 3,91 289,92 1.133,59 1.2 73899/002 DEMOLICAO DE ALVENARIA DE TIJOLOS FURADOS S/REAPROVEITAMENTO

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO O

MEMORIAL DESCRITIVO O MEMORIAL DESCRITIVO O presente memorial tem por objetivo estabelecer requisitos técnicos, definir materiais e padronizar os projetos e execuções da obra localizada na Rua Jorge Marcelino Coelho, s/n, Bairro

Leia mais

ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO CANOAS - RS

ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO CANOAS - RS ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO CANOAS - RS 2 INDICE 1. ESTRUTURA DE CONCRETO ARMADO... 3 1.1. Lastros... 3 1.1.1. Lastro de Brita para Fundações... 4 1.1.2. Lastro de Concreto Magro... 4 1.2. Formas...

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE CATALÃO SECRETARIA DE 0BRAS 1.0 INTRODUÇÃO 2.0 DISPOSIÇÕES GERAIS

MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE CATALÃO SECRETARIA DE 0BRAS 1.0 INTRODUÇÃO 2.0 DISPOSIÇÕES GERAIS MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: Nova Instalação da SEMMAC LOCAL: Rua Dr. Lamartine Pinto de Avelar, 2338. Setor Ipanema. Catalão GO TIPO DE SERVIÇO: Reforma e Ampliação. 1.0 INTRODUÇÃO A finalidade do presente

Leia mais

Campus de Botucatu / SP. HOSPITAL DAS CLINICAS. Memorial Descritivo - Fundações e Estruturas. Obra: Construção do Conjunto REFEITÓRIO / VESTIÁRIOS

Campus de Botucatu / SP. HOSPITAL DAS CLINICAS. Memorial Descritivo - Fundações e Estruturas. Obra: Construção do Conjunto REFEITÓRIO / VESTIÁRIOS Campus de Botucatu / SP. HOSPITAL DAS CLINICAS Memorial Descritivo - Fundações e Estruturas Obra: Construção do Conjunto REFEITÓRIO / VESTIÁRIOS 1 OBJETIVO O presente Memorial tem por finalidade fornecer

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DOS SERVIÇOS. CONSTRUÇÃO DE PRAÇA (Campo Belo) CONTRATO DE REPASSE Nº PRUDENTE DE MORAIS/MG

MEMORIAL DESCRITIVO DOS SERVIÇOS. CONSTRUÇÃO DE PRAÇA (Campo Belo) CONTRATO DE REPASSE Nº PRUDENTE DE MORAIS/MG MEMORIAL DESCRITIVO DOS SERVIÇOS CONSTRUÇÃO DE PRAÇA (Campo Belo) CONTRATO DE REPASSE Nº PRUDENTE DE MORAIS/MG Especificação Técnica dos Serviços INTRODUÇÃO Preliminares: Esta especificação, juntamente

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO - REFORMA

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO - REFORMA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO - REFORMA Projeto:... REFORMA POSTO DE SAÚDE Proprietário:... PREFEITURA MUNICIPAL DE IRAÍ Endereço:... RUA TORRES GONÇALVES, N 537 Área a Reformar:... 257,84

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Objeto: Ampliação e Reforma Escola Municipal Maria Cassiano Município: Bom Jesus de Goiás - GO Elaborado em: Junho de 2015

MEMORIAL DESCRITIVO. Objeto: Ampliação e Reforma Escola Municipal Maria Cassiano Município: Bom Jesus de Goiás - GO Elaborado em: Junho de 2015 MEMORIAL DESCRITIVO Objeto: Ampliação e Reforma Escola Municipal Maria Cassiano Município: Bom Jesus de Goiás - GO Elaborado em: Junho de 2015 1. DESCRIÇÃO DA OBRA As presentes especificações, bem como

Leia mais

Anexo I-A: Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia

Anexo I-A: Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia MEMORIAL DESCRITIVO Anexo I-A: Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia Sumário 1.Considerações gerais...1 2.Serviços

Leia mais

INSTALAÇÕES HIDRO-SANITÁRIAS

INSTALAÇÕES HIDRO-SANITÁRIAS INSTALAÇÕES HIDRO-SANITÁRIAS Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turmas C01, C02 e C03 Disc. Construção Civil II ESGOTO SANITÁRIO 1 Conjunto de tubulações, conexões e

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO CONCLUSÃO DA QUADRA DA ESCOLA ALTO BONITO. Rua Florêncio Busatto - Caçador SC.

MEMORIAL DESCRITIVO CONCLUSÃO DA QUADRA DA ESCOLA ALTO BONITO. Rua Florêncio Busatto - Caçador SC. MEMORIAL DESCRITIVO O presente Memorial Descritivo tem por objetivo descrever os serviços, materiais e técnicas construtivas a serem utilizadas na execução da obra abaixo qualificada. DADOS FÍSICOS LEGAIS

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Construção Unidade Básica de Saúde PROPRIETÁRIO: PREFEITURA MUNICIPAL DE CACIQUE DOBLE.

MEMORIAL DESCRITIVO. Construção Unidade Básica de Saúde PROPRIETÁRIO: PREFEITURA MUNICIPAL DE CACIQUE DOBLE. MEMORIAL DESCRITIVO Construção Unidade Básica de Saúde TIPO DE CONSTRUÇÃO: Prédio em Alvenaria UBS Unidade Básica de Saúde da Sede do município. LOCAL: Rua Édimo Luiz Tonial na cidade de Cacique Doble

Leia mais

TERMO DE ABERTURA DE PROCESSO ADMINISTRATIVO COM FINS DE LICITAÇÃO

TERMO DE ABERTURA DE PROCESSO ADMINISTRATIVO COM FINS DE LICITAÇÃO TERMO DE ABERTURA DE PROCESSO ADMINISTRATIVO COM FINS DE LICITAÇÃO Pelo presente termo, em cumprimento ao disposto no art. 38, da Lei Federal 8666/93 Lei das Licitações, DECLARO aberto o Processo Administrativo

Leia mais

SISTEMA ALTERNATIVO DE TRATAMENTO DE ESGOTO Tanque séptico e Filtro Anaeróbio com fluxo ascendente EMEI Princesinha

SISTEMA ALTERNATIVO DE TRATAMENTO DE ESGOTO Tanque séptico e Filtro Anaeróbio com fluxo ascendente EMEI Princesinha SISTEMA ALTERNATIVO DE TRATAMENTO DE ESGOTO Tanque séptico e Filtro Anaeróbio com fluxo ascendente EMEI Princesinha Carazinho, RS, 30 de junho de 2014. APRESENTAÇÃO OBRA: Tanque Séptico Escola Municipal

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE DOUTOR PEDRINHO Estado de Santa Catarina

PREFEITURA MUNICIPAL DE DOUTOR PEDRINHO Estado de Santa Catarina MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Obra: AMPLIAÇÃO UNIDADE DE SAÚDE CENTRAL Local: Rua Santa Catarina, Centro Área de Ampliação: 161,82 m² Município: Doutor Pedrinho SC Data: Novembro / 2015

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO TÉCNICO

MEMORIAL DESCRITIVO TÉCNICO MEMORIAL DESCRITIVO TÉCNICO Obra: Área A Construir: Local: CONSTRUÇÃO DE QUADRA POLIESPORTIVA 600,00m² Rua Mário Linck- Centro Município de Almirante Tamandaré do Sul- RS INTRODUÇÃO: O presente memorial

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE ARQUITETURA REFORMA E AMPLIAÇÃO / OBRA INSTITUCIONAL EM ALVENARIA, FORRO DE GESSO E COBERTURA EM TELHA METÁLICA.

MEMORIAL DESCRITIVO DE ARQUITETURA REFORMA E AMPLIAÇÃO / OBRA INSTITUCIONAL EM ALVENARIA, FORRO DE GESSO E COBERTURA EM TELHA METÁLICA. MEMORIAL DESCRITIVO DE ARQUITETURA REFORMA E AMPLIAÇÃO / OBRA INSTITUCIONAL EM ALVENARIA, FORRO DE GESSO E COBERTURA EM TELHA METÁLICA. Dados da Obra: Endereço da obra: Rua Amazonas, nº512, Centro. Parte

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. 2.1.1 - LEVANTAMENTO TOPOGRÁFICO Os níveis marcados na Planta de Implantação deverão ser rigorosamente obedecidos.

MEMORIAL DESCRITIVO. 2.1.1 - LEVANTAMENTO TOPOGRÁFICO Os níveis marcados na Planta de Implantação deverão ser rigorosamente obedecidos. MEMORIAL DESCRITIVO PROPRIETÁRIO : Prefeitura Municipal de Irai OBRA : Construção de ponte em concreto armado de 4,50m de largura x 25,00m de vão total e 5,33m de altura total. LOCAL : Linha Corticeira

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MANUEL URBANO

PREFEITURA MUNICIPAL DE MANUEL URBANO Obra: Construção de Melhorias Sanitárias Domiciliares. Data: Agosto/2006 Município: Manuel Urbano - Recomendações Normativas a. O(s) projeto(s), o contrato, o Memorial Descritivo e a Planilha Orçamentária

Leia mais

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S. A. CERON DIRETORIA DE GESTÃO DG GERÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO GERAL AGG MEMORIAL DESCRITIVO

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S. A. CERON DIRETORIA DE GESTÃO DG GERÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO GERAL AGG MEMORIAL DESCRITIVO MEMORIAL DESCRITIVO PROPRIETÁRIO: CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S. A. CERON OBRA: REFORMA NO MURO DE CONTENÇÃO, MURO DE ALVENARIA E ÁREA PARA DEPÓSITO NO ALMOXARIFADO DA CERON ENDEREÇO: ÀS MARGENS DA

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA EXECUÇÃO RESERVATÓRIO PROJETO CAMPUS FARROUPILHA

MEMORIAL DESCRITIVO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA EXECUÇÃO RESERVATÓRIO PROJETO CAMPUS FARROUPILHA MEC/SETEC INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL DPO - REITORIA MEMORIAL DESCRITIVO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA EXECUÇÃO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAÇADOR SECRETARIA MUNICPAL DE EDUCAÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAÇADOR SECRETARIA MUNICPAL DE EDUCAÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: REFORMA DA ESCOLA ALCIDES TOMBINI LOCALIZAÇÃO: Rua Augusto Driessen Bairro: Sorgatto 1. DEMOLIÇÕES Todas as paredes internas dos banheiros deverão ser demolidas. Todo o revestimento

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO SUBSTITUIÇÃO DA COBERTURA DA CASA DE PASSAGEM DO MUNICÍPIO DE CAÇADOR

MEMORIAL DESCRITIVO SUBSTITUIÇÃO DA COBERTURA DA CASA DE PASSAGEM DO MUNICÍPIO DE CAÇADOR MEMORIAL DESCRITIVO SUBSTITUIÇÃO DA COBERTURA DA CASA DE PASSAGEM DO MUNICÍPIO DE CAÇADOR 1 SUMÁRIO SUMÁRIO 2 MEMORIAL DESCRITIVO 3 I. DADOS FÍSICOS LEGAIS 3 II. DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 3 III. SERVIÇOS

Leia mais

VARA DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA PLANILHA DE ORÇAMENTO

VARA DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA PLANILHA DE ORÇAMENTO OBRA: REFORMA DA 01. SERVIÇOS INICIAIS 86.825,78 01.01 COMP 01 ADMINISTRAÇÃO LOCAL DA OBRA (ACOMPANHAMENTO TÉCNICO E VIGILÂNCIA) MÊS 3,00 20.923,38 4.902,35 25.825,73 77.477,19 01.02 74209/001 PLACA DE

Leia mais

ASPECTOS SOBRE A PRODUÇÃO DA ALVENARIA

ASPECTOS SOBRE A PRODUÇÃO DA ALVENARIA ASPECTOS SOBRE A PRODUÇÃO DA ALVENARIA A produção da alvenaria está dividida em quatro passos fundamentais, que são: - Planejamento; - Marcação; - Elevação; - Fixação. 3ODQHMDPHQWR 1. Equipamentos Colher

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PAVIMENTAÇÃO E DRENAGEM DO ESTACIONAMENTO CÂMPUS RESTINGA

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PAVIMENTAÇÃO E DRENAGEM DO ESTACIONAMENTO CÂMPUS RESTINGA MEC/SETEC INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO E DE PLANEJAMENTO DPO - REITORIA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PAVIMENTAÇÃO E DRENAGEM DO ESTACIONAMENTO

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES PROJETO ARQUITETÔNICO ADEQUAÇÕES NA USINA DE TRIAGEM DE LIXO LINHA ESTRELA MEMORIAL DESCRITIVO 1 MEMORIAL DESCRITIVO 1. OBJETIVO: USINA DE TRIAGEM DE LIXO A presente especificação tem por objetivo estabelecer

Leia mais

REVESTIMENTO DEFACHADA. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

REVESTIMENTO DEFACHADA. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I REVESTIMENTO DEFACHADA Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I FUNÇÕES DO REVESTIMENTO DE FACHADA Estanqueida de Estética CONDIÇÕES DE INÍCIO

Leia mais

EMOP - Outubro/2013. m x m = m² 3.281,25 0,60 1.968,75 1.968,75 m²

EMOP - Outubro/2013. m x m = m² 3.281,25 0,60 1.968,75 1.968,75 m² 01 01 1.1 01.018.0001-0 PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE TRÊS RIOS Centro - /RJ Marcação de obra sem instrumento topográfico, considerada a projeção horizontal da área envolvente 3.281,25 0,60 1.968,75 1.968,75

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE OBRA PROJETO ARQUITETÔNICO MOTO TAXI RODOVIÁRIA

MEMORIAL DESCRITIVO DE OBRA PROJETO ARQUITETÔNICO MOTO TAXI RODOVIÁRIA MEMORIAL DESCRITIVO DE OBRA PROJETO ARQUITETÔNICO MOTO TAXI RODOVIÁRIA 1. OBJETIVO O presente memorial descritivo tem por objetivo estabelecer requisitos técnicos, definir materiais a utilizar e normatizar

Leia mais

Manual do impermeabilizador

Manual do impermeabilizador 1 Manual do impermeabilizador Preparação e aplicação em superfícies cimenticia Índice INTRODUÇÃO PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO ESTATÍSTICAS NORMAS TÉCNICAS ELABORAÇÃO DO PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO NBR

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA MUNICIPAL DE ESTAÇÃO

Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA MUNICIPAL DE ESTAÇÃO MELHORIAS SANITÁRIAS DOMICILIARES PROJETO MÓDULO SANITÁRIO MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE MATERIAIS E SERVIÇOS PARA CONSTRUÇÃO DE 1 MÓDULO (BANHEIRO, FOSSA SÉPTICA E SUMIDOURO) 1. GENERALIDADES

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Municipio de Venâncio Aires

Estado do Rio Grande do Sul Municipio de Venâncio Aires MEMORIAL DESCRITIVO Obra: OBRAS CIVIS, REFORMA E INSTALAÇÕES - PMAT PAVIMENTO TÉRREO E SUPERIOR DA PREFEITURA MUNICIPAL Local: Rua Osvaldo Aranha-nº 634 Venâncio Aires EXECUÇÃO E SERVIÇOS A execução dos

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES PROJETO ARQUITETÔNICO OBRAS COMPLEMENTARES PARA AS INSTALAÇÕES DA UPA (Muro, alambrados, Abrigo para as ambulâncias e pavimentação). MEMORIAL DESCRITIVO, PLANILHA ORÇAMENTÁRIA E CRONOGRAMA FÍSICO-FINANCEIRO.

Leia mais

ANEXO V - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS LOTE 01 - REDES E RAMAIS Item CATEGORIA Descrição Unidade 01 01 SERVIÇOS DE ESCRITÓRIO, LABORATÓRIO E CAMPO

ANEXO V - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS LOTE 01 - REDES E RAMAIS Item CATEGORIA Descrição Unidade 01 01 SERVIÇOS DE ESCRITÓRIO, LABORATÓRIO E CAMPO 01 01 SERVIÇOS DE ESCRITÓRIO, LABORATÓRIO E CAMPO 1.1 01.018.0001-0 Marcação de obra sem instrumento topográfico, considerada a projeção horizontal da área envolvente 02 03 2.1 03.010.0022-0 2.2 03.016.0005-1

Leia mais

Blumenau, maio de 2010.

Blumenau, maio de 2010. INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE ORÇAMENTOS E CRONOGRAMAS Blumenau, maio de 2010. 1. RESUMO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. INTRODUÇÃO... 3 4. COMPOSIÇÃO DO ORÇAMENTO... 4 4.1. SERVIÇOS PRELIMINARES/TÉCNICOS...

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DADOS DE IDENTIFICAÇÃO: Obra: Obra de implantação de uma quadra poliesportiva, com piso em concreto armado, equipamentos e marcações para a realização das

Leia mais

Planilha de Orçamento GLOBAL

Planilha de Orçamento GLOBAL Prefeitura Municipal de 1. SERVIÇOS INICIAIS.1 DEMOLICAO ESTRUTURA DE MADEIRA DE TELHADO.2 DEMOLICAO DE ALVENARIA DE TIJOLOS MACICOS (E=15CM).3 DEMOLICAO DE PISO DE TABUAS CORRIDAS.4 RETIRADA DE ESQUADRIAS.5

Leia mais

Condomínio de casas. Veja os custos detalhados dessa obra com 1.220,70 m². Características

Condomínio de casas. Veja os custos detalhados dessa obra com 1.220,70 m². Características Condomínio de casas Veja os custos detalhados dessa obra com 1.220,70 m² Características Empreendimento > Área construída de 1.220,70 m² > Casas padrão médio com dois pavimentos > Casas localizadas em

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PROPONENTE: Prefeitura Municipal de Chapada OBRA: Cobertura de Quadra de Esportes e Equipamentos ÁREA: 640,00m² LOCAL: Tesouras Chapada RS O Memorial Descritivo

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOA VISTA DO BURICÁ/RS PLANILHA ORÇAMENTÁRIA GINASIO POLIESPORTIVO PALMEIRAS. Data Base: 09/2014 BDI = 24,84

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOA VISTA DO BURICÁ/RS PLANILHA ORÇAMENTÁRIA GINASIO POLIESPORTIVO PALMEIRAS. Data Base: 09/2014 BDI = 24,84 PREFEITURA MUNICIPAL DE BOA VISTA DO BURICÁ/RS Assunto: Objeto: Local / Cidade: Referência: PLANILHA ORÇAMENTÁRIA GINASIO POLIESPORTIVO PALMEIRAS AVENIDA SERGIPE SINAPI/DESONERADO/SETEMBRO/2014 Data Base:

Leia mais

Especificações 1- DESCRIÇÃO BÁSICA 2- TERRENO 3- FUNDAÇÃO

Especificações 1- DESCRIÇÃO BÁSICA 2- TERRENO 3- FUNDAÇÃO Especificações 1- DESCRIÇÃO BÁSICA As Casas Pré-Fabricadas em concreto PRATICASAREAL / PORTO REAL são instaladas em terreno plano compactado, com fundação direta por coluna e estruturada em colunas de

Leia mais

Elementos Estruturais de Concreto Armado

Elementos Estruturais de Concreto Armado UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Técnicas Construtivas Elementos Estruturais de Concreto Armado Prof. Guilherme Brigolini Elementos Estruturais de Concreto Armado Produção de

Leia mais

CONSTRUÇÃO - BLOCO DE PESQUISADORES - PAVIMENTO TÉRREO

CONSTRUÇÃO - BLOCO DE PESQUISADORES - PAVIMENTO TÉRREO ANEXO XII PLANILHA ORÇAMENTÁRIA PLANILHA DE ORÇAMENTO UNIDADE: Embrapa Algodão Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária- Embrapa Coordenadoria de Engenharia e Arquitetura-CEN/DRM OBRA: AMPLIAÇÃO DOS

Leia mais

PROJETO BÁSICO DE CONSTRUÇÃO DE ESCRITÓRIO EM ARIQUEMES/RO.

PROJETO BÁSICO DE CONSTRUÇÃO DE ESCRITÓRIO EM ARIQUEMES/RO. UNID. QUANT. UNITÁRIO TOTAL CÓD. DEOSP 1. SERVIÇOS PRELIMINARES 1.1 1.2 Aquisição e assentamento de placas de obras pronta de 3,00 x 2,00 m, conforme modelo. Barracão de obra em chapa de madeira compensada

Leia mais

OBRA:CONSTRUÇÃO DO LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS PADRÃO UNIDADE ESCOLAR:

OBRA:CONSTRUÇÃO DO LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS PADRÃO UNIDADE ESCOLAR: OBRA:CONSTRUÇÃO DO LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS PADRÃO UNIDADE ESCOLAR: 01. OBJETO: 01.01. Estas especificações diz respeito à construção de um Laboratório de Ciências, modelo padrão. 01.02. Ela tem por finalidade

Leia mais

MEMORIA DE CÁLCULO DOS QUANTITATIVOS

MEMORIA DE CÁLCULO DOS QUANTITATIVOS Estado do Rio Grande do Norte PREFEITURA MUNICIPAL DE CAICÓ Av. Cel. Martiniano, 993 Caicó (RN) CNPJ 08.096.570/0001-39 MEMORIA DE CÁLCULO DOS QUANTITATIVOS QUADRA COBERTA; 1-SERVIÇOS PRELIMINARES Locação

Leia mais

4.2. Instalação de água: Já existe ramal de ligação do concessionário autorizado (CORSAN) até a edificação.

4.2. Instalação de água: Já existe ramal de ligação do concessionário autorizado (CORSAN) até a edificação. MEMORIAL DESCRITIVO Proprietário (a): PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO MIGUEL DAS MISSÕES; Obra: Projeto Arquitetônico de Reforma do Centro Administrativo; Cadastro Matrícula: Local: Rua 29 de Abril, nº 165

Leia mais

TUPER ESTRUTURAS PLANAS

TUPER ESTRUTURAS PLANAS TUPER ESTRUTURAS PLANAS LAJES MISTAS NERVURADAS MANUAL DE MONTAGEM ÍNDICE 1. Tuper lajes mistas nervuradas... 03 2. Especificações... 04 3. Escoramento... 05 4. Armadura de distribuição... 07 5. Nervuras

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES MEMORIAL DESCRITIVO DE IMPLANTAÇÃO Unidade de Educação Infantil Próinfância Tipo C 1. OBJETIVO: A presente especificação tem por objetivo estabelecer os critérios para a implantação da Unidade de Educação

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ESTAÇÃO. Planilha Orçamentária ITEM DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS UNID. QUANT. PR. UNIT.(R$) VALOR (R$)

PREFEITURA MUNICIPAL DE ESTAÇÃO. Planilha Orçamentária ITEM DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS UNID. QUANT. PR. UNIT.(R$) VALOR (R$) 1.0 1.1 Placa de obra em chapa de aço galvanizado m² 1,00 245,51 245,51 1.2 Locação da obra através de gabarito de tábuas corridas pontaletadas m² 52,00 5,80 301,60 1.3 Ligação provisória de energia elétrica

Leia mais

Planilha Orçamentária

Planilha Orçamentária Ministério da Educação Obra: Proinfância - Espaço Educativo Infantil Tipo C BDI adotado Município: SALTO DO CÉU-MT 25% Endereço: Avenida Governador Pedro Pedrossian s/n Planilha Orçamentária ITEM DESCRIÇÃO

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO 025/2009

MEMORIAL DESCRITIVO 025/2009 MEMORIAL DESCRITIVO 025/2009 PROPRIETÁRIO: CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S. A. CERON. OBRA: ENDEREÇO: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM SERVIÇOS DE ENGENHARIA PARA REALIZAR REFORMA E ADEQUAÇÃO NA

Leia mais

MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS IFSC- JOINVILLE SANTA CATARINA DISCIPLINA DESENHO TÉCNICO CURSO ELETRO-ELETRÔNICA MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 2011.2 Prof. Roberto Sales. MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS A

Leia mais

Casas com paredes de concreto Reportagem: Jamila Venturini

Casas com paredes de concreto Reportagem: Jamila Venturini Casas com paredes de concreto Reportagem: Jamila Venturini O sistema de construção com paredes de concreto moldadas in loco permite executar com agilidade e economia obras de grande escala como condomínios,

Leia mais

Projeto de Avicultura Colonial PAC/ 2009 Embrapa Clima Temperado Aviário para 300 Aves de Postura, com captação de água pluvial.

Projeto de Avicultura Colonial PAC/ 2009 Embrapa Clima Temperado Aviário para 300 Aves de Postura, com captação de água pluvial. Projeto de Avicultura Colonial PAC/ 2009 Embrapa Clima Temperado Aviário para 300 Aves de Postura, com captação de água pluvial. Responsável: : João Pedro Zabaleta Pesquisador II, Agricultura Familiar

Leia mais

4.0 LOCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA OBRA:

4.0 LOCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA OBRA: MEMORIAL DESCRITIVO Obra: PROJETO DE CONCLUSÃO DO GINÁSIO ESPORTIVO VILA ASSIS Local: Vila Assis - Fontoura Xavier, RS Área existente: 1.200,00 m2 Área Construida: 140,00 m2 Proprietário: Prefeitura Municipal

Leia mais

ANEXO XIII ESPECIFICAÇÕES PROJETO HIDROSSANITÁRIO

ANEXO XIII ESPECIFICAÇÕES PROJETO HIDROSSANITÁRIO ANEXO XIII ESPECIFICAÇÕES PROJETO HIDROSSANITÁRIO 1. GENERALIDADES O presente memorial descritivo trata das instalações hidrossanitárias do prédio acima descrito, o qual foi elaborado segundo as normas

Leia mais