MATERIAL TÉCNICO aminoácidos + micronutrientes CANA-PLANTA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MATERIAL TÉCNICO aminoácidos + micronutrientes CANA-PLANTA"

Transcrição

1 MATERIAL TÉCNICO aminoácidos + micronutrientes CANA-PLANTA

2 TRATAMENTO EM CANA-PLANTA objetivos oferecer produtos que estimulem a emissão de raízes iniciais do tolete; aumentar a velocidade de brotação das plantas; acelerar o crescimento inicial da cultura e durante seu ciclo vegetativo, através da combinação de produtos bioativadores (aminoácidos) e nutrientes equilibrados (macro e micronutrientes)

3 AMINOÁCIDOS Nobrico Cana (2 L/ha) produtos promotores de crescimento das plantas; ativadores dos mecanismos fisiológicos; fornecem hormônios e poupam as plantas de gastar energia para a produção dos mesmos; agilizam a absorção dos nutrientes pelas plantas; compensa a falta de energia solar em dias nublados e chuvosos;

4 AMINOÁCIDOS Nobrico Cana (2 L/ha) otimiza a taxa fotossintética; aumenta o número, a densidade e o peso dos colmos, resultando em aumento da produtividade; protegem os micronutrientes através da formação de complexos, protegendo-os e aumentando a disponibilidade para as plantas

5 COMPOSIÇÃO Nobrico Cana (2 L/ha) composto por 20 aminoácidos essenciais para a planta; Hidroxiprolina importante na parede celular e substrato para a respiração; Ácido aspártico fonte de N e colabora com a distribuição deste elemento na planta, via floema; Serina precursor do triptofano (hormônio de crescimento na planta);

6 COMPOSIÇÃO Nobrico Cana (2 L/ha) Ácido glutâmico ajuda a fixar CO2, atua na síntese da auxina (hormônio de crescimento) e colabora com a formação de outros aminoácidos; Glicina importante na constituição da clorofila; Histidina regula a concentração de ácido aspártico; Asparagina papel importante na planta, para absorção do N; Glutamina precursores de outros aminoácidos, essencial para a absorção de N;

7 COMPOSIÇÃO Nobrico Cana (2 L/ha) Arginina fonte de reserva de N na forma de proteína; Treonina aumenta a velocidade de brotação/germinação; Alanina atua na brotação da planta; Prolina minimiza os efeitos do stress ambiental, síntese de carboidratos; Cisteína importante na divisão celular (crescimento radicular e foliar); Tirosina atua diretamente no crescimento celular;

8 COMPOSIÇÃO Nobrico Cana (2 L/ha) Valina influência na velocidade de crescimento da planta, mais especificamente no colmo; Metionina aumenta a espessura da célula e dificulta a entrada de patógenos; Lisina retarda o envelhecimento, ativa a clorofila; Isoleucina atua no aumento da velocidade de brotação da planta; Leucina atua no broto da planta (aumenta a velocidade do processo germinativo); Fenilanina atua diretamente no crescimento da planta.

9 COMPLEXO NUTRICIONAL GRAM NTX (5 Kg/ha) composição do produto : manganês (2,8%) atua no meristema (zonas de crescimento das plantas); zinco (17,5%) potencializa a produção da auxina (hormônio de crescimento das plantas) e está concentrado nas zonas de crescimento. Sem este elemento, a planta fica com menor porte; cobre (2,5%) aumenta a resistência a doenças e é elemento importante na fotossíntese; boro (3%) atua no desenvolvimento de raízes e no transporte de açúcares; enxofre (11,25%) elemento essencial na produção de clorofila, importantíssimo na produção de aminoácidos essenciais e limita o crescimento das plantas.

10 RESULTADOS PRÁTICOS tratamento testemunha tratamento

11 RESULTADOS PRÁTICOS tratamento testemunha testemunha

12 RESULTADOS PRÁTICOS * * ILUSTRAÇÃO :

13 Nobrico Cana + micros Testemunha

14 RESUTADOS PRÁTICOS a simples colocação do aminoácido na cobrição da muda, acelerou o processo de emissão das raízes do perfilho, função de alguns aminoácidos, entre eles treonina, alanina, cisteína, tirosina, isoleucina, leucina; todos estes elementos contidos no Nobrico Cana

15 RESULTADOS PRÁTICOS aas + micros testemunha tratamento tratamento testemunha

16 NORTOX NORTOX TESTEMUNHA TESTEMUNHA

17 BIOMETRIA esta área está com aproximadamente 200 dias de plantada a cana-de-açúcar; será feita a biometria na pré-colheita; o acompanhamento está sendo feito a cada 30 dias, no mínimo, e os dados das avaliações mensais estão sendo enviados ao departamento agrícola da usina (gerentes e supervisores)

18 RESULTADOS PRÁTICOS aas + micros tratamento testemunha testemunha tratamento

19 RESULTADOS PRÁTICOS aas + micros

20 RESULTADOS PRÁTICOS aas + micros 117,19 ton/ha 140,65 ton/ha

21 MATERIAL TÉCNICO aminoácidos + micronutrientes CANA-SOCA

22 APLICAÇÃO FOLIAR aplicar sempre, quando a planta está em estádio vegetativo; principal meio de absorção é o estômato (=boca). Quando eles estão abertos a aplicação é mais eficiente; * * ILUSTRAÇÃO :

23 SOQUEIRA * * Foto extraída A fome oculta dos canaviais (E.V. Mellis / J.A. Quaggio)

24 TEMPO DE ABSORÇÃO FOLIAR Zn, Mn : 1 a 2 dias; S : 5 a 10 dias; Mo : 10 a 20 dias; N : ½ a 2 hs (por isso a importância de se colocar este nutriente na aplicação foliar...elemento carregador do outros, absorção + rápida. Os aminoácidos têm N); Ca : hs; P : 1 a 4 dias; Cl : 1 a 2 dias; Fe : 10 a 20 dias

25 CANA-SOCA produtos e doses 1 L/ha Aminolom : composto de 20 aminoácidos, com alta concentração de aminoácidos livres (24%), com alto teor do ácido glutâmico que ajuda a fixar CO2, atua na síntese de auxina (hormônio de crescimento) e colabora com a formação dos outros aminoácidos; 2 Kg/ha GRAM NTX;

26 CANA-SOCA a aplicação de aminoácidos via foliar, proporciona uma resposta muito rápida, com incorporação e translocação de 25% do produto aplicado em 24 horas; aplicados via foliar, propicia à planta um desenvolvimento rápido com menor consumo de energia; associado ao complexo nutricional, aumenta a velocidade de desenvolvimento do canavial e aumenta a produtividade através reposição nutricional

MÉTODOS DE CORREÇÃO DO SOLO

MÉTODOS DE CORREÇÃO DO SOLO MÉTODOS DE CORREÇÃO DO SOLO O laudo (Figura 1) indica os valores determinados no laboratório para cada camada do perfil do solo, servindo de parâmetros para direcionamento de métodos corretivos. Figura

Leia mais

UFABC Bacharelado em Ciência & Tecnologia

UFABC Bacharelado em Ciência & Tecnologia UFABC Bacharelado em Ciência & Tecnologia Transformações Bioquímicas (BC0308) Prof Luciano Puzer http://professor.ufabc.edu.br/~luciano.puzer/ Propriedades, funções e transformações de aminoácidos e proteínas

Leia mais

Em termos comparativos a chlorella possui proporcionalmente mais proteínas do que a soja, a carne bovina e o trigo.

Em termos comparativos a chlorella possui proporcionalmente mais proteínas do que a soja, a carne bovina e o trigo. O que é? A chlorella é uma alga unicelular de água doce existente na Terra há milhões de anos. A sua estrutura genética manteve-se intacta ao longo do tempo resultando numa grande concentração e variedade

Leia mais

Nutricafé. Eliane Petean Arena. Nutricionista

Nutricafé. Eliane Petean Arena. Nutricionista Nutricafé Eliane Petean Arena Nutricionista Originário da Etiópia, na África, o fruto do cafeeiro tornou-se popular no mundo e adaptou-se bem na região da Arábia, localizada naquele continente. O Brasil,

Leia mais

SÍNTESE DOS AMINOÁCIDOS. Prof. Henning Ulrich

SÍNTESE DOS AMINOÁCIDOS. Prof. Henning Ulrich SÍNTESE DOS AMINOÁCIDOS Prof. Henning Ulrich CATABOLISMO DOS AMINOÁCIDOS EM MAMÍFEROS TRANSAMINAÇÕES CATALISADAS POR ENZIMAS Em muitas reações das aminotransferases, o -cetoglutarato é o receptor do grupo

Leia mais

MANEJO E CONSERVAÇÃO DO SOLO ADUBAÇÃO

MANEJO E CONSERVAÇÃO DO SOLO ADUBAÇÃO UNIPAC Faculdade Presidente Antônio Carlos GRANDES CULTURAS I MANEJO E CONSERVAÇÃO DO SOLO ADUBAÇÃO Profª Fernanda Basso Manejo e Conservação do Solo Sistema de manejo conjunto de operações que contribuem

Leia mais

23/03/2015. Moléculas orgânicas - Carboidratos

23/03/2015. Moléculas orgânicas - Carboidratos Moléculas orgânicas - Carboidratos São formados por C, H, O. São Conhecidos como: Hidratos de Carbono Glucídios Glicídios Açúcares Sacarídeos Funções: Energética (glicose); Glicogênio : reserva energética

Leia mais

Proteínas. As proteínas são o centro da acção em todos os processos biológicos. Voet & Voet Biochemistry

Proteínas. As proteínas são o centro da acção em todos os processos biológicos. Voet & Voet Biochemistry Proteínas As proteínas são o centro da acção em todos os processos biológicos. Voet & Voet Biochemistry As proteínas são os compostos orgânicos mais abundantes dos organismos vivos (~50% do peso sêco)

Leia mais

Informação Simples e Prática

Informação Simples e Prática Uso de Biorreguladores e Aminoácidos na Agricultura Nos últimos anos, biorreguladores e aminoácidos têm despertado o interesse dos profissionais envolvidos na agricultura, pelo potencial em promover aumentos

Leia mais

METABOLISMO DAS PROTEÍNAS. Bioquímica Básica Ciências Biológicas 3º período Cátia Capeletto

METABOLISMO DAS PROTEÍNAS. Bioquímica Básica Ciências Biológicas 3º período Cátia Capeletto METABOLISMO DAS PROTEÍNAS Bioquímica Básica Ciências Biológicas 3º período Cátia Capeletto Aminoácido Os aminoácidos livres são obtidos da degradação da proteína da dieta, da renovação constante das proteínas

Leia mais

VEGESOY ISOLATED. Proteína Isolada da Soja. Informações Técnicas

VEGESOY ISOLATED. Proteína Isolada da Soja. Informações Técnicas Informações Técnicas VEGESOY ISOLATED Proteína Isolada da Soja INTRODUÇÃO A soja é uma planta leguminosa que está na cadeia alimentar há 5 mil anos e tem sido parte essencial da dieta asiática há muitos

Leia mais

RAÇÕES PARA PEIXES: FATORES NUTRICIONAIS IMPORTANTES E IMPACTOS NOS RESULTADOS. Silvia Pastore - M.Sc. V Aquishow Agosto/2014

RAÇÕES PARA PEIXES: FATORES NUTRICIONAIS IMPORTANTES E IMPACTOS NOS RESULTADOS. Silvia Pastore - M.Sc. V Aquishow Agosto/2014 RAÇÕES PARA PEIXES: FATORES NUTRICIONAIS IMPORTANTES E IMPACTOS NOS RESULTADOS Silvia Pastore - M.Sc. V Aquishow Agosto/2014 Perguntas frequentes 1. As rações são todas iguais? 2. Como diferenciar as rações

Leia mais

GENÉTICA HISTÓRICO CARACTERÍSTICAS LEIS DE MENDEL PROBABILIDADE

GENÉTICA HISTÓRICO CARACTERÍSTICAS LEIS DE MENDEL PROBABILIDADE GENÉTICA HISTÓRICO CARACTERÍSTICAS LEIS DE MENDEL PROBABILIDADE DEFINIÇÃO Palavra de origem grega gennos (fazer nascer- geração). Estudo dos mecanismos de transmissão de características de uma espécie,

Leia mais

Proteínas. Enzima que Colagénio Insulina degrada a insulina (hormona)

Proteínas. Enzima que Colagénio Insulina degrada a insulina (hormona) Proteínas O seu nome deriva da palavra Grega proteios, que significa de principal importância. As proteínas desempenham um papel fundamental nos sistemas biológicos, estando associadas a todas as formas

Leia mais

Zinco quelato. Identificação. Peso molecular: Não aplicável. CAS: Não aplicável

Zinco quelato. Identificação. Peso molecular: Não aplicável. CAS: Não aplicável Material Técnico Zinco quelato Identificação Fórmula Molecular: Não aplicável DCB / DCI: Não aplicável INCI: Não aplicável Peso molecular: Não aplicável CAS: Não aplicável Denominação botânica: Não aplicável

Leia mais

Você tem ninho de ovos de ouro?

Você tem ninho de ovos de ouro? Você tem ninho de ovos de ouro? Promotor L, o reforço que suas aves precisam... E seu bolso também! Benefícios com o uso do Promotor L : Diminui efeitos do estresse (calor, debicagem, etc.); Aumenta a

Leia mais

NUTRIÇÃO MINERAL DE PLANTAS. Prof. Dr. Osmar Souza dos Santos UFSM

NUTRIÇÃO MINERAL DE PLANTAS. Prof. Dr. Osmar Souza dos Santos UFSM NUTRIÇÃO MINERAL DE PLANTAS Prof. Dr. Osmar Souza dos Santos UFSM FUNDAMENTOS DA NUTRIÇÃO DE PLANTAS Nutrientes Macronutrientes: C, H, O, N, P, K, Ca, Mg, S. Micronutrientes: Fe, Mn, Zn, Cu, B, Mo, Cl.

Leia mais

Você não é o que come. Você é o que absorve!

Você não é o que come. Você é o que absorve! Você não é o que come. Você é o que absorve! Sabe-se que o consumo de suplementos alimentares com finalidades específicas, como incremento de massa muscular,vem crescendo constantemente no Brasil e no

Leia mais

Influência da Genética desempenho

Influência da Genética desempenho UNIVERSIDADE GAMA FILHO PÓS-GRADUAÇÃO Nível: LATO SENSU Curso: FISIOLOGIA E TREINAMENTO APL. ATIVIDADES DE ACADEMIAS E CLUBES Influência da Genética desempenho Prof. Drd. LUIZ CARLOS CARNEVALI luizcarnevalijr@usp.br

Leia mais

Manutenção de Campo / FERTILIZAÇÃO Daniel Tapia. Realização: Federação Paulista de Golfe

Manutenção de Campo / FERTILIZAÇÃO Daniel Tapia. Realização: Federação Paulista de Golfe Manutenção de Campo / FERTILIZAÇÃO Daniel Tapia Realização: Federação Paulista de Golfe Manutenção de Campo / FERTILIDADE A planta absorve os nutrientes pelas raízes e pelas folhas. A absorção pelas raízes

Leia mais

TEORES DE PROTEÍNA SOLÚVEL E AMINOÁCIDOS LIVRES EM FARINHA DE SOJA HIDROLISADA COM ENZIMAS

TEORES DE PROTEÍNA SOLÚVEL E AMINOÁCIDOS LIVRES EM FARINHA DE SOJA HIDROLISADA COM ENZIMAS TEORES DE PROTEÍNA SOLÚVEL E AMINOÁCIDOS LIVRES EM FARINHA DE SOJA HIDROLISADA COM ENZIMAS SANTOS, Rosimeire Expedita dos. IC/Fecilcam, Fecilcam, Engenharia de Produção Agroindustrial, Fecilcam, rosimeire_epa@yahoo.com.br

Leia mais

Aula: 16 Temática: Estrutura dos aminoácidos e proteínas parte I. Iremos iniciar o estudo da estrutura dos aminoácidos e proteínas.

Aula: 16 Temática: Estrutura dos aminoácidos e proteínas parte I. Iremos iniciar o estudo da estrutura dos aminoácidos e proteínas. Aula: 16 Temática: Estrutura dos aminoácidos e proteínas parte I Acompanhe! Iremos iniciar o estudo da estrutura dos aminoácidos e proteínas. Introdução: A proteína é o composto orgânico mais abundante

Leia mais

B-PROTEIN. Proteína Isolada da Carne Hidrolisada

B-PROTEIN. Proteína Isolada da Carne Hidrolisada Informações Técnicas B-PROTEIN Proteína Isolada da Carne Hidrolisada INTRODUÇÃO A proteína da carne é reconhecidamente uma das melhores fontes de proteínas existente no mundo. Apresenta um papel fundamental

Leia mais

Como formar seu Gramado

Como formar seu Gramado Como formar seu Gramado Nada menos que mil pés de grama convivem em cada metro quadrado de um gramado. E, ao contrário de uma horta ou canteiro, onde o solo pode ser revolvido, corrigido e enriquecido

Leia mais

AMINOÁCIDOS AMINOÁCIDOS: FAIXA DE DOSAGEM USUAL:

AMINOÁCIDOS AMINOÁCIDOS: FAIXA DE DOSAGEM USUAL: AMINOÁCIDOS AMINOÁCIDOS: L-LEUCINA*** L-ISOLEUCINA*** L-VALINA*** L-ALANINA L-ARGININA L-CISTEÍNA L-CISTINA L-FENILALANINA L-GLICINA L-GLUTAMINA L-HISTIDINA L-LISINA L-METIONINA L-ORNITINA L-PROLINA L-TIROSINA

Leia mais

UNIVERSIDADE GAMA FILHO PÓS-GRADUAÇÃO Nível: LATO SENSU Curso: FISIOLOGIA E TREINAMENTO APL. ATIVIDADES DE ACADEMIAS E CLUBES

UNIVERSIDADE GAMA FILHO PÓS-GRADUAÇÃO Nível: LATO SENSU Curso: FISIOLOGIA E TREINAMENTO APL. ATIVIDADES DE ACADEMIAS E CLUBES UNIVERSIDADE GAMA FILHO PÓS-GRADUAÇÃO Nível: LATO SENSU Curso: FISIOLOGIA E TREINAMENTO APL. ATIVIDADES DE ACADEMIAS E CLUBES Influência da Genética desempenho Prof. Drd. LUIZ CARLOS CARNEVALI luizcarnevalijr@usp.br

Leia mais

Metabolismo de Aminoácidos. Degradação de Proteínas a Aminoácidos. Degradação de Proteínas e Aminoácidos. - glicemia = de glucagon e TNF

Metabolismo de Aminoácidos. Degradação de Proteínas a Aminoácidos. Degradação de Proteínas e Aminoácidos. - glicemia = de glucagon e TNF Metabolismo de Aminoácidos Degradação de Proteínas e Aminoácidos - Degradação de aminoácidos em excesso na alimentação - Absorção pelo fígado, retirada grupo amino - Degradação espontânea de proteínas

Leia mais

Selagem Térmica Ozono

Selagem Térmica Ozono Selagem Térmica Ozono A selagem térmica Ozono é uma nova opção para o profissional de beleza, pois é uma linha inovadora e segura, composta por produtos para tratamento e alisamento dos cabelos, que surpreende

Leia mais

Nutrição de Aves e Suínos: Desafios para as Próximas Décadas

Nutrição de Aves e Suínos: Desafios para as Próximas Décadas Nutrição de Aves e Suínos: Desafios para as Próximas Décadas Exigência de Aminoácidos no Crescimento e Terminação de Suínos Hotel Fazenda Fonte Colina Verde 03 de Dezembro de 2015 Lucio Araújo, Cristiane

Leia mais

Fisiologia do Exercício. cio. Aula 1

Fisiologia do Exercício. cio. Aula 1 Aula 1 Conceito É a capacidade de realizar trabalho. É tudo que pode modificar a matéria TRABALHO É o produto da força ou componente da força na direção do deslocamento, pelo deslocamento. Portanto, para

Leia mais

Perspectivas de uso de métodos m diagnósticos alternativos: testes bioquímicos

Perspectivas de uso de métodos m diagnósticos alternativos: testes bioquímicos Perspectivas de uso de métodos m diagnósticos alternativos: testes bioquímicos APRESENTAÇÃO Prof. Dr. JAIRO O. CAZETTA Departamento de Tecnologia Unesp Campus de Jaboticabal Capítulo 6 Perspectivas de

Leia mais

NUTRIÇÃO FOLIAR (FATOS E REALIDADES) Prof. Dr. Tadeu T. Inoue Solos e Nutrição de Plantas Universidade Estadual de Maringá Departamento de Agronomia

NUTRIÇÃO FOLIAR (FATOS E REALIDADES) Prof. Dr. Tadeu T. Inoue Solos e Nutrição de Plantas Universidade Estadual de Maringá Departamento de Agronomia NUTRIÇÃO FOLIAR (FATOS E REALIDADES) Prof. Dr. Tadeu T. Inoue Solos e Nutrição de Plantas Universidade Estadual de Maringá Departamento de Agronomia FATOS 80.000 70.000 60.000 ÁREA CULTIVADA (milhões/ha)

Leia mais

LIVRETE DE QUESTÕES E RASCUNHO. 1) Confira seus dados e assine a capa deste Livrete de Questões e Rascunho somente no campo próprio.

LIVRETE DE QUESTÕES E RASCUNHO. 1) Confira seus dados e assine a capa deste Livrete de Questões e Rascunho somente no campo próprio. PROVA DISCURSIVA LIVRETE DE QUESTÕES E RASCUNHO 1 O DIA VESTIBULAR 2015 INSTRUÇÕES 1) Confira seus dados e assine a capa deste Livrete de Questões e Rascunho somente no campo próprio. 2) Utilize-se dos

Leia mais

Bioinformática. Conceitos Fundamentais de Biologia Molecular. Paulo Henrique Ribeiro Gabriel phrg@ufu.br

Bioinformática. Conceitos Fundamentais de Biologia Molecular. Paulo Henrique Ribeiro Gabriel phrg@ufu.br Bioinformática Conceitos Fundamentais de Biologia Molecular Paulo Henrique Ribeiro Gabriel phrg@ufu.br Faculdade de Computação Universidade Federal de Uberlândia 24 de agosto de 2015 Paulo H. R. Gabriel

Leia mais

Terapia Ortomolecular aplicada à Estética

Terapia Ortomolecular aplicada à Estética ORTOMOLECULAR Terapia Ortomolecular aplicada à Estética ORTHOS (grego): Correção ORTODONTIA ORTOPEDIA MOLECULAR (latim): Moléculas Farmacêutica Tatiana Blachechen Pesquisa & Desenvolvimento tecnica2@buonavita.com.br

Leia mais

FERTILIDADE DO SOLO E NUTRIÇÃO DE PLANTAS NO AGRONEGÓCIO

FERTILIDADE DO SOLO E NUTRIÇÃO DE PLANTAS NO AGRONEGÓCIO FERTILIDADE DO SOLO E NUTRIÇÃO DE PLANTAS NO AGRONEGÓCIO 1. NUTRIÇÃO MINERAL DE PLANTAS Prof. Valdemar Faquin 2. DIAGNOSE DO ESTADO NUTRICIONAL DAS PLANTAS Prof. Valdemar Faquin 3. ABSORÇÃO FOLIAR E PRINCÍPIOS

Leia mais

Biologia - Grupos A - B - Gabarito

Biologia - Grupos A - B - Gabarito 1 a QUESTÃO: (1, ponto) Avaliador Revisor Foram coletados 1. exemplares do mosquito Anopheles culifacies, de ambos os sexos, em cada uma de duas regiões denominadas A e B, bastante afastadas entre si.

Leia mais

WHEY PROTEIN CONCENTRADO

WHEY PROTEIN CONCENTRADO Informações Técnicas WHEY PROTEIN CONCENTRADO Proteína concentrada do soro do leite (WPC 80) INTRODUÇÃO O leite contém vários tipos de proteínas como por exemplo, a caseína, as proteínas das membranas

Leia mais

WHEY PROTEIN ISOLATE

WHEY PROTEIN ISOLATE Informações Técnicas WHEY PROTEIN ISOLATE Proteína isolada do soro do leite (WPI) INTRODUÇÃO O leite contém vários tipos de proteínas como por exemplo, a caseína, as proteínas das membranas dos glóbulos

Leia mais

DNA, RNA E INFORMAÇÃO

DNA, RNA E INFORMAÇÃO DNA, RNA E INFORMAÇÃO OS ÁCIDOS NUCLEICOS Embora descobertos em 1869, por Miescher, no pus das bandagens de ferimentos, o papel dos ácidos nucleicos na hereditariedade e no controle da atividade celular

Leia mais

R C COOH. H H H O O desidratação O R1 C C + R2 C C R1 C C H + H 2 O OH OH intramolecular O NH 2 N NH 2 N C C H H OH H R2

R C COOH. H H H O O desidratação O R1 C C + R2 C C R1 C C H + H 2 O OH OH intramolecular O NH 2 N NH 2 N C C H H OH H R2 1. Comentário: A ausência de alimentos de origem animal na dieta implica na ausência de proteínas integrais, as quais possuem todos os aminoácidos essenciais, ou seja, aqueles que não podem ser produzidos

Leia mais

Proteínas na alimentação de monogástricos

Proteínas na alimentação de monogástricos Proteína - Composição: C, H, O e N - Proteína Bruta: 16% FC: 6,25% - Composta de aminocácidos com grupamento amínico, carboxílico e outros. Professor Luciano Hauschild 1 Classificação nutricional dos aminoácidos

Leia mais

Composição do solo. 3 partes: Física: granulometria, porosidade, textura, dadas principalmente pelos. Químico: nutrientes disponíveis e ph

Composição do solo. 3 partes: Física: granulometria, porosidade, textura, dadas principalmente pelos. Químico: nutrientes disponíveis e ph JARDINAGEM O que é solo? O solo é a camada superficial da crosta terrestre, sendo formado basicamente por aglomerados minerais, matéria orgânica oriunda da decomposição de animais e plantas e organismos

Leia mais

Curso superior em Agronomia GESA- Grupo de estudo em solos agrícolas Absorção de nutrientes e Fotossíntese Bambuí-MG 2009 Alunas: Erica Marques Júlia Maluf É o processo pelo qual a planta sintetiza compostos

Leia mais

Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo. sgrillo.ita@ftc.br

Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo. sgrillo.ita@ftc.br Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo sgrillo.ita@ftc.br como os demais compostos constituintes de um organismo não são permanentes, estando em contínua DEGRADAÇÃO e SÍNTESE. Proteína Meia-vida Estima-se

Leia mais

ENXOFRE. Engenheiro Agrônomo Rodrigo Ambrosio. Mestrando em Ciência do Solo rodrigoambrosioufpr@gmail.com

ENXOFRE. Engenheiro Agrônomo Rodrigo Ambrosio. Mestrando em Ciência do Solo rodrigoambrosioufpr@gmail.com ENXOFRE Engenheiro Agrônomo Rodrigo Ambrosio Mestrando em Ciência do Solo rodrigoambrosioufpr@gmail.com Departamento de Solos e Engenharia Agrícola Orientador: Volnei Pauletti ENXOFRE Enxofre Macronutriente

Leia mais

ESSENCIALIDADE DE MACRONUTRIENTES EM MILHO CULTIVADO EM SOLUÇÃO NUTRITIVA

ESSENCIALIDADE DE MACRONUTRIENTES EM MILHO CULTIVADO EM SOLUÇÃO NUTRITIVA ESSENCIALIDADE DE MACRONUTRIENTES EM MILHO CULTIVADO EM SOLUÇÃO NUTRITIVA Danilo Pavan 1 ; Luciano Ansolin 1 ; Ivan José Rambo 1 ; Leandro Hahn 2 ; Neuri Antonio Feldmann 3 ; Fabiana Raquel Mühl 4 ; Anderson

Leia mais

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Exigência e absorção de aminoácidos em bovinos

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Exigência e absorção de aminoácidos em bovinos PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Exigência e absorção de aminoácidos em bovinos Isabel Cristina Bonometti Stieven 1, Paulo Rossi Junior 2, Sergio Rodrigo Fernandes 3, Giovana Fanchin

Leia mais

EXERCÍCIOS DE MONITORIA 2º PERÍODO JULHO BIOLOGIA - ENEM

EXERCÍCIOS DE MONITORIA 2º PERÍODO JULHO BIOLOGIA - ENEM 1ª série Ens. Médio 1. (Enem 2002) GARFIELD - Modificada EXERCÍCIOS DE MONITORIA 2º PERÍODO JULHO BIOLOGIA - ENEM "O Globo", 01/09/2001. Qual característica geral dos seres vivos, é a mais adequada para

Leia mais

Monitoramento Nutricional e Recomendação de Adubação

Monitoramento Nutricional e Recomendação de Adubação NU REE Programa em Nutrição e Solos Florestais DPS - SIF - UFV - Viçosa - MG UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS Monitoramento Nutricional e Recomendação de Adubação Contribuição

Leia mais

Desinfestacão é tudo que pode ser feito antes do plantio da cana e que contribui para redução do potencial de infestação após o plantio da cana

Desinfestacão é tudo que pode ser feito antes do plantio da cana e que contribui para redução do potencial de infestação após o plantio da cana Desinfestacão é tudo que pode ser feito antes do plantio da cana e que contribui para redução do potencial de infestação após o plantio da cana Dessecação com residual Desinfestação propriamente dita (herbicida

Leia mais

5.1 -FERTIRRIGAÇÃO EM VIVEIROS DE MUDAS DE Eucalyptus e Pinus

5.1 -FERTIRRIGAÇÃO EM VIVEIROS DE MUDAS DE Eucalyptus e Pinus 5.1 -FERTIRRIGAÇÃO EM VIVEIROS DE MUDAS DE Eucalyptus e Pinus Edson Namita Higashi Ronaldo Luiz Vaz de Arruda Silveira RR Agroflorestal S/C Ltda. Rua Santa Cruz, 1109, CEP 13.416-763, Piracicaba - SP -

Leia mais

CANA DE AÇÚCAR. Resultados agronômicos de experimento realizado com a Universidade Federal de Uberlândia, em Goianésia, Goiás.

CANA DE AÇÚCAR. Resultados agronômicos de experimento realizado com a Universidade Federal de Uberlândia, em Goianésia, Goiás. CANA DE AÇÚCAR Resultados agronômicos de experimento realizado com a Universidade Federal de Uberlândia, em Goianésia, Goiás. Testes científicos de performance - Todos os direitos reservados - www.geociclo.com.br

Leia mais

Graduada em Nutrição pela Universidade Federal do Piauí e Pós-Graduada em Nutrição Clínica pelo Instituo Brasileiro de Pós-graduação e Extensão.

Graduada em Nutrição pela Universidade Federal do Piauí e Pós-Graduada em Nutrição Clínica pelo Instituo Brasileiro de Pós-graduação e Extensão. AUTORAS CAMILA DUARTE FERREIRA Graduada em Nutrição pela Universidade Federal da Bahia - UFBA. Mestre em Ciência de Alimentos pelo Programa de Pós-graduação em Ciência de Alimentos - UFBA. Nutricionista

Leia mais

Quinoa Pro NPNF PROTEÍNA NATURAL PARA RETER A COLORAÇÃO, CONDICIONAR E PROTEGER OS CABELOS

Quinoa Pro NPNF PROTEÍNA NATURAL PARA RETER A COLORAÇÃO, CONDICIONAR E PROTEGER OS CABELOS Quinoa Pro NPNF PROTEÍNA NATURAL PARA RETER A COLORAÇÃO, CONDICIONAR E PROTEGER OS CABELOS QUINOA (GRÃO) VISÃO GERAL Considerada a mãe dos grãos pelos antigos incas, a quinoa (Chenopodium quinoa chenopodiaceae)

Leia mais

CARACTERÍSTICAS VARIETAIS QUE VALEM MUITO DINHEIRO

CARACTERÍSTICAS VARIETAIS QUE VALEM MUITO DINHEIRO CARACTERÍSTICAS VARIETAIS QUE VALEM MUITO DINHEIRO Dib Nunes Jr. Antonio Celso Silva Jr. Grupo IDEA Características Varietais 1. Florescimento: MENOR DENSIDADE DE CARGA MENOR VOLUME DE CALDO 2. Tombamento:

Leia mais

FAZER DIFERENTE. E REALIZANDO SONHOS Jorge Amin Bacila Neto Diretor Comercial e Marketing

FAZER DIFERENTE. E REALIZANDO SONHOS Jorge Amin Bacila Neto Diretor Comercial e Marketing catálogo pet PALAVRA DO PRESIDENTE SER DIFERENTE, FAZER DIFERENTE Confiança é o que queremos dos médicos veterinários. Manter a sua confiança é um dos grandes desafios que motiva o nosso trabalho diário.

Leia mais

FERTILIZANTES UTILIZADOS NA IMPLANTAÇÃO E MANUTENÇÃO DE GRAMADOS 1. INTRODUÇÀO

FERTILIZANTES UTILIZADOS NA IMPLANTAÇÃO E MANUTENÇÃO DE GRAMADOS 1. INTRODUÇÀO FERTILIZANTES UTILIZADOS NA IMPLANTAÇÃO E MANUTENÇÃO DE GRAMADOS Eng. Agr. Antônio Florenzano & Eng. Agr. Everaldo Eller Forth Jardim - Tecnutri do Brasil- R. Reinaldo Orlando Casagrande, 12 Tietê SP.

Leia mais

Fisiologia Vegetal CLASSIFICAÇÃO DOS VEGETAIS COM DE ACORDO COM A DISPONIBILIDADE ÁGUA

Fisiologia Vegetal CLASSIFICAÇÃO DOS VEGETAIS COM DE ACORDO COM A DISPONIBILIDADE ÁGUA Fisiologia Vegetal CLASSIFICAÇÃO DOS VEGETAIS COM DE ACORDO COM A DISPONIBILIDADE ÁGUA Hidrófitas: vivem locais com muita disponibilidade de água Mesófitas: vivem em locais com disponibilidade média de

Leia mais

ADUBAÇÃO FOLIAR. Fornecimento de nutrientes para as plantas na forma de pulverização, aproveitando a capacidade de absorção pelas folhas.

ADUBAÇÃO FOLIAR. Fornecimento de nutrientes para as plantas na forma de pulverização, aproveitando a capacidade de absorção pelas folhas. ADUBAÇÃO FOLIAR Conceito Fornecimento de nutrientes para as plantas na forma de pulverização, aproveitando a capacidade de absorção pelas folhas. Bons resultados podem ser obtidos através da adubação foliar

Leia mais

Segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Segunda-feira, 19 de dezembro de 2011 RESOLUÇÃO - RE Nº 5.684, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2011 Art. 1º Deferir registro de medicamento, conforme relação anexa; ACHÉ LABORATÓRIOS FARMACÊUTICOS S.A. 1.00573-9 DICLORIDRATO DE BETAISTINA ANTIVERTIGINOSOS

Leia mais

Nutrição Parenteral. Profa. Camila Carvalho 2012/1

Nutrição Parenteral. Profa. Camila Carvalho 2012/1 Nutrição Parenteral Profa. Camila Carvalho 2012/1 Nutrição Parenteral Consiste na administração de todos os nutrientes necessários à sobrevida, por via endovenosa. Visa manter a homeostase metabólica e

Leia mais

8º GRANDE ENCONTRO SOBRE VARIEDADES DE CANA DE AÇÚCAR 2014 GRUPO IDEA FISIOLOGIA DA ISOPORIZAÇÃO E SEUS EFEITOS NA CULTURA DA CANA

8º GRANDE ENCONTRO SOBRE VARIEDADES DE CANA DE AÇÚCAR 2014 GRUPO IDEA FISIOLOGIA DA ISOPORIZAÇÃO E SEUS EFEITOS NA CULTURA DA CANA 8º GRANDE ENCONTRO SOBRE VARIEDADES DE CANA DE AÇÚCAR 2014 GRUPO IDEA FISIOLOGIA DA ISOPORIZAÇÃO E SEUS EFEITOS NA CULTURA DA CANA Prof. Dr. Paulo Figueiredo Engenheiro Agrônomo Universidade Estadual Paulista

Leia mais

Alimentação da vaca leiteira

Alimentação da vaca leiteira Alimentação da vaca leiteira A exploração leiteira consiste em atividade de converter recursos alimentares em leite, cujo valor agregado é superior a matéria-prima original. Recursos alimentares: Volumosos

Leia mais

Afecções capilares/procedimento/práticas assistenciais.

Afecções capilares/procedimento/práticas assistenciais. Tricologia Afecções capilares/procedimento/práticas assistenciais. Anexo da pele Anatomia do couro cabeludo Doenças de couro cabeludo Protocolo Definições patológicas Tratamento patológicos Matérias e

Leia mais

Nutrição de Animais de Zoológico. Carlos Eduardo do Prado Saad

Nutrição de Animais de Zoológico. Carlos Eduardo do Prado Saad Nutrição de Animais de Zoológico Carlos Eduardo do Prado Saad Ciência da Nutrição surgiu com Lavoisier no século XVIII (1743-1794), quando considerava-se que todos os alimentos mantinham um princípio nutritivo

Leia mais

1 a QUESTÃO: (2,0 pontos) Avaliador Revisor

1 a QUESTÃO: (2,0 pontos) Avaliador Revisor 1 a QUESTÃO: (2,0 pontos) Avaliador Revisor Na Música Popular Brasileira (MPB), podem ser encontrados alguns temas de Biologia, os quais não estão devidamente conceituados como, por exemplo, no fragmento

Leia mais

Fuvest 2005 2ª fase BIOLOGIA

Fuvest 2005 2ª fase BIOLOGIA Fuvest 2005 2ª fase BIOLOGIA 1. Os esquemas representam cortes transversais de regiões jovens de uma raiz e de um caule de uma planta angiosperma. Alguns tecidos estão identificados por um número e pelo

Leia mais

WHEY PROTEIN C 80. Proteína concentrada do soro do leite.

WHEY PROTEIN C 80. Proteína concentrada do soro do leite. WHEY PROTEIN C 80 Proteína concentrada do soro do leite. Introdução O leite contém vários tipos de proteínas, como por exemplo, a caseína, as proteínas das membranas dos glóbulos de gorduras, a lactoalbumina

Leia mais

Criado e Desenvolvido por: RONNIELLE CABRAL ROLIM Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com

Criado e Desenvolvido por: RONNIELLE CABRAL ROLIM Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com Criado e Desenvolvido por: RONNIELLE CABRAL ROLIM Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com ÁCIDOS NUCLEICOS ÁCIDOS NUCLÉICOS: são substâncias formadoras de genes, constituídas por um grande

Leia mais

Tratamento de Sementes com Biofertilizantes, Micronutrientes e Produtividade da Cultura do Milho

Tratamento de Sementes com Biofertilizantes, Micronutrientes e Produtividade da Cultura do Milho Tratamento de Sementes com Biofertilizantes, Micronutrientes e Produtividade da Cultura do Milho Jéfferson J. Dias 1, Adriano S. da Silva 1, Cleython M. Viana 1, Fernando W. Colaço 1, Daniel Miotto 1,

Leia mais

Dia Mundial do ovo 11 de outubro

Dia Mundial do ovo 11 de outubro Importância do ovo na alimentação humana 7 de outubro de 2013 ULBRA Veterinária Zootecnia - Agronegócio Dia Mundial do ovo 11 de outubro Ovos aumentam o colesterol? Colesterol é ruim? Não é bem assim...

Leia mais

MAPFRE ESPAÑA escolhe solução da Altitude Software para administrar seu Contact Center SI24

MAPFRE ESPAÑA escolhe solução da Altitude Software para administrar seu Contact Center SI24 MAPFRE ESPAÑA escolhe solução da Altitude Software para administrar seu Contact Center SI24 MAPFRE ESPAÑA escolhe a Altitude Software para administrar seu Contact Center SI24 A MAPFRE, fundada em 1933,

Leia mais

2. Metabolismo de Prótidos

2. Metabolismo de Prótidos 2. Metabolismo de Prótidos 2.1. Aminoácidos O transporte de aminoácidos é activo e faz-se juntamente com o sódio (Na + ), utilizando proteínas transportadoras. Os aminoácidos, são geralmente transportados

Leia mais

Suplemento de Crescimento e Nutrição para Frangos de Corte. frangos de corte. cobb-vantress.com

Suplemento de Crescimento e Nutrição para Frangos de Corte. frangos de corte. cobb-vantress.com Suplemento de Crescimento e Nutrição para Frangos de Corte frangos de corte cobb-vantress.com Introdução Este suplemento apresenta as metas de peso para os seus Frangos de Corte Cobb 700, juntamente com

Leia mais

26/6/2012. STEWART (década de 1950) Confirmou os resultados de van Overbeek, ou seja, a água de coco continha várias cinetinas ;

26/6/2012. STEWART (década de 1950) Confirmou os resultados de van Overbeek, ou seja, a água de coco continha várias cinetinas ; UNIDADE IX HORMÔNIOS E REGULADORES DE CRESCIMENTO PARTE II PRINCIPAIS CLASSES DE HORMÔNIOS: CITOCININAS (REGULADORES DA DIVISÃO CELULAR) 1. DESCOBERTA, IDENTIFICAÇÃO E PROPRIEDADES 2. OCORRÊNCIA, METABOLISMO

Leia mais

RACIONALIZAÇÃO DA ADUBAÇÃO DA CULTURA DE CANA-DE-AÇÚCAR Alternativas para redução de custo.

RACIONALIZAÇÃO DA ADUBAÇÃO DA CULTURA DE CANA-DE-AÇÚCAR Alternativas para redução de custo. RACIONALIZAÇÃO DA ADUBAÇÃO DA CULTURA DE CANA-DE-AÇÚCAR Alternativas para redução de custo. Claudimir Pedro Penatti Diretoria de Mercado&Oportunidades Gerente Regional Piracicaba José Anderson Forti Técnico

Leia mais

ESTADO DE PERNAMBUCO PREFEITURA MUNICIPAL DE CARNAÍBA CONCURSO PÚBLICO PROVA PARA CARGO DE: NUTRICIONISTA Sec.Saúde

ESTADO DE PERNAMBUCO PREFEITURA MUNICIPAL DE CARNAÍBA CONCURSO PÚBLICO PROVA PARA CARGO DE: NUTRICIONISTA Sec.Saúde ESTADO DE PERNAMBUCO PREFEITURA MUNICIPAL DE CARNAÍBA CONCURSO PÚBLICO PROVA PARA CARGO DE: NUTRICIONISTA Sec.Saúde * ATENÇÃO - CONFIRA SE ESTA PROVA CORRESPONDE AO CARGO QUE VOCÊ CONCORRE * Neste Caderno

Leia mais

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE CURSO DE FARMÁCIA CARLA BILÉZIMO FERNANDES

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE CURSO DE FARMÁCIA CARLA BILÉZIMO FERNANDES 1 UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE CURSO DE FARMÁCIA CARLA BILÉZIMO FERNANDES VERIFICAÇÃO DOS PARÂMETROS FÍSICO-QUÍMICOS EM AMOSTRAS DE GELÉIA REAL CRICIÚMA, NOVEMBRO DE 2010. 2 UNIVERSIDADE DO

Leia mais

Documentos231. Deficiências e Toxicidades de Nutrientes em Plantas de soja. Descrição dos sintomas e ilustração com fotos

Documentos231. Deficiências e Toxicidades de Nutrientes em Plantas de soja. Descrição dos sintomas e ilustração com fotos Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro Nacional de Pesquisa de Soja Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento ISSN 1516-781X Junho, 2004 Documentos231 Deficiências e Toxicidades de

Leia mais

TURMA DE REVISÃO - EMESCAM 1º SEMESTRE 2012 - QUÍMICA

TURMA DE REVISÃO - EMESCAM 1º SEMESTRE 2012 - QUÍMICA TURMA DE REVISÃO - EMESCAM 1º SEMESTRE 2012 - QUÍMICA Prof. Borges EXERCÍCIOS DE AMINOÁCIDOS 1. (Fuvest) A hidrólise de um peptídeo rompe a ligação peptídica, originando aminoácidos. Quantos aminoácidos

Leia mais

AS PROTEÍNAS NA ALIMENTAÇÃO ANIMAL

AS PROTEÍNAS NA ALIMENTAÇÃO ANIMAL AS PROTEÍNAS NA ALIMENTAÇÃO ANIMAL 5.1- INTRODUÇÃO: As proteínas são nutrientes orgânicos nitrogenados presentes em todas as células vivas; portanto, são essenciais à vida de todo animal. Todos os animais

Leia mais

ANEXOS REGULAMENTO DELEGADO (UE) /.. DA COMISSÃO

ANEXOS REGULAMENTO DELEGADO (UE) /.. DA COMISSÃO COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 25.9.2015 C(2015) 6507 final ANNEXES 1 to 5 ANEXOS do REGULAMENTO DELEGADO (UE) /.. DA COMISSÃO que completa o Regulamento (UE) n.º 609/2013 do Parlamento Europeu e do Conselho

Leia mais

O Papel do Sistema Radical das Culturas na Sustentabilidade da Agricultura

O Papel do Sistema Radical das Culturas na Sustentabilidade da Agricultura O Papel do Sistema Radical das Culturas na Sustentabilidade da Agricultura Maria do Rosário Oliveira Departamento de Fitotecnia Universidade de Évora Porquê estudar raízes? Papel ecológico Papel agronómico

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA UTILIZAÇÃO DE SUPLEMENTOS NUTRICIONAIS EM PRATICANTES DE MUSCULAÇÃO EM UMA ACADEMIA DE PORTO ALEGRE: FATORES ASSOCIADOS Suelen

Leia mais

Avaliação de desempenho de poedeiras Isa Brown criadas no IFMG campus Bambuí em comparação aos dados de desempenho descritos no Manual da Linhagem 1.

Avaliação de desempenho de poedeiras Isa Brown criadas no IFMG campus Bambuí em comparação aos dados de desempenho descritos no Manual da Linhagem 1. Avaliação de desempenho de poedeiras Isa Brown criadas no IFMG campus Bambuí em comparação aos dados de desempenho descritos no Manual da Linhagem 1. Tiago Antônio dos SANTOS 2 ; Adriano GERALDO 3 ; Karina

Leia mais

SID - Diges bilidade Ileal Padronizada em Leitões Desmamados. Melhoria na diges bilidade da proteína e dos aminoácidos em cerca de 5%

SID - Diges bilidade Ileal Padronizada em Leitões Desmamados. Melhoria na diges bilidade da proteína e dos aminoácidos em cerca de 5% é o Concentrado Protéico de Soja (SPC) micronizado da Selecta produzido através da extração hidroalcóolica de flocos de soja desengordurados. Este processo remove os carboidratos solúveis, os fatores inibidores

Leia mais

Absorção e adubação foliar

Absorção e adubação foliar Universidade Federal do Paraná Departamento de Solos e Engenharia Agrícola AL320 Absorção e adubação foliar Prof. Volnei Pauletti VIDA VEGETAL - começou no mar, durante o processo evolutivo as folhas não

Leia mais

EFICIÊNCIA DA ADUBAÇÃO DA CANA-DE-AÇÚCAR RELACIONADA AOS AMBIENTES DE PRODUÇÃO E AS ÉPOCAS DE COLHEITAS

EFICIÊNCIA DA ADUBAÇÃO DA CANA-DE-AÇÚCAR RELACIONADA AOS AMBIENTES DE PRODUÇÃO E AS ÉPOCAS DE COLHEITAS EFICIÊNCIA DA ADUBAÇÃO DA CANA-DE-AÇÚCAR RELACIONADA AOS AMBIENTES DE PRODUÇÃO E AS ÉPOCAS DE COLHEITAS André Cesar Vitti Eng. Agr., Dr. PqC do Polo Regional Centro Sul/APTA acvitti@apta.sp.gov.br Entre

Leia mais

James Watson, Francis Crick e o DNA

James Watson, Francis Crick e o DNA Pércio Augusto Mardini Farias Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 2.5 do Creative Commons. http://creativecommons.org.br http://creativecommons.org/licenses/by/2.5/br/

Leia mais

Ciclo do Ácido Cítrico

Ciclo do Ácido Cítrico Ciclo do Ácido Cítrico e denominado Ciclo de Krebs ou ciclo do Ácido Ciclo do Ácido Cítrico O ciclo do ácido cítrico, também denominado Ciclo de Krebs ou ciclo do Ácido Tricarboxílico (TCA) realiza a oxidação

Leia mais

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 455

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 455 Página 455 AVALIAÇÃO DA FITOMASSA SECA DA MAMONEIRA BRS 149 NORDESTINA SOB FERTILIZAÇÃO MINERAL Lúcia Helena Garófalo Chaves 1 ; Evandro Franklin de Mesquita 2,3 ; Hugo Orlando Carvallo Guerra 1 ; Diva

Leia mais

OS ÁCIDOS NUCLÉICOS DNA / RNA

OS ÁCIDOS NUCLÉICOS DNA / RNA OS ÁCIDOS NUCLÉICOS DNA / RNA Prof. André Maia Considerações do Professor Os ácidos nucléicos são as maiores moléculas encontradas no mundo vivo. São responsáveis pelo controle dos processos vitais básicos

Leia mais

ESSENCIALIDADE DOS AMINOÁCIDOS

ESSENCIALIDADE DOS AMINOÁCIDOS METABOLISMO DEGRADATIVO DAS PROTEÍNAS E AMINOÁCIDOS 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS (essencialidade de aminoácidos e qualidade da proteína alimentar) Os aminoácidos devem constar na dieta dos animais devido à

Leia mais

Introdução à Biologia Celular e Molecular

Introdução à Biologia Celular e Molecular Introdução à Biologia Celular e Molecular Este texto foi retirado do anexo de [Lem00], revisado por [Bas00], e tem como objetivo principal apresentar alguns conceitos básicos de biologia celular e molecular.

Leia mais

Identificação e correção de deficiências nutricionais na cultura do arroz

Identificação e correção de deficiências nutricionais na cultura do arroz ISSN 1678-9636 Identificação e correção de deficiências nutricionais na cultura do arroz 75 Introdução Para o crescimento e produção das culturas são necessários 16 nutrientes denominados essenciais. São

Leia mais

Líquidos e Obesidade Infantil: O que Precisamos Saber Prof. Dr. Rubens Feferbaum

Líquidos e Obesidade Infantil: O que Precisamos Saber Prof. Dr. Rubens Feferbaum W Nutrition WORKSHOP DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR 2015 Líquidos e Obesidade Infantil: O que Precisamos Saber Prof. Dr. Rubens Feferbaum Necessidade de Líquidos para Crianças e Adultos (IoM 2004;EFSA 2010; WHO

Leia mais