Compliance tributário no Brasil As estruturas das empresas para atuar em um ambiente complexo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Compliance tributário no Brasil As estruturas das empresas para atuar em um ambiente complexo"

Transcrição

1 Compliance tributário no Brasil As estruturas das empresas para atuar em um ambiente complexo Pesquisa 2013/2014

2 Existe uma percepção disseminada de que, além do peso de toda a carga tributária, as empresas têm um custo acessório envolvendo todo o processo de apuração de impostos, com forte impacto em sua estrutura de pessoal e tecnológica. Sumário Amostra e metodologia...4 Tributos e fiscalizações...5 Estrutura das empresas...6 Formação e qualificação...8 Custos da estrutura de compliance Processos tributários Prioridades e desafios SPED Ambiente de negócios avaliado Banco Mundial... 18

3 Capital humano e visão estratégica Os fatores críticos de sucesso, na visão dos gestores A estrutura das áreas fiscal e tributária das empresas brasileiras acompanha a complexidade do ambiente tributário do País ou tem desafios a enfrentar em termos de eficiência e produtividade? Muitos gestores que atuam nessas áreas, e que, entre as suas atribuições, lidam com a gestão do capital humano de seus departamentos, têm essa pergunta em mente. Alia-se a esse cenário a tendência de que a área tributária está ganhando cada vez mais uma abordagem estratégica para as empresas. O resultado dessa soma de fatores é a relevância cada vez maior da qualificação e da efetividade dessas equipes. Existe uma percepção disseminada de que, além do peso de toda a carga tributária, as empresas têm um custo acessório envolvendo todo o processo de apuração de impostos, com forte impacto em sua estrutura de pessoal e tecnológica. A pesquisa Compliance tributário no Brasil As estruturas das empresas para atuar em um ambiente complexo, realizada pela Deloitte, tem como objetivo identificar o perfil e quantificar o custo dessa estrutura e os esforços das empresas para atenderem às normas vigentes no País. O estudo traz uma nova abordagem sobre a força de trabalho empregada para o pagamento de tributos, que representa parte importante do chamado Custo Brasil. O capital humano é um fator crítico para o sucesso de qualquer organização, independentemente de sua área de atuação. Dentro da estrutura tributária um ambiente fortemente regulamentado e de grande potencial de riscos não poderia ser diferente. A Deloitte espera que este estudo contribua para o entendimento do panorama brasileiro nessa área e para a proposição de um modelo de gestão que atenda aos desafios do ambiente tributário do País. O estudo traz uma nova abordagem sobre a força de trabalho empregada para o pagamento de tributos, que representa parte importante do chamado Custo Brasil. Compliance tributário no Brasil 3

4 Amostra e metodologia A pesquisa Compliance tributário no Brasil - As estruturas das empresas para atuar em um ambiente complexo foi realizada por meio de questionário online, entre agosto e setembro de 2013, e contou com a participação de 124 líderes da área fiscal de empresas, em grupos representativos dos mais diferentes portes e setores. Pouco mais da metade das empresas possui origem estrangeira de capital, notadamente de países como Estados Unidos, Japão, Alemanha, Reino Unido, França, China e Suécia. A pesquisa foi respondida, na maior parte das vezes, por gerentes. Faixa de faturamento (2012) (em %) Faixa de faturamento (2012) (em %) Composição setorial (em %) Até R$ 50 milhões De R$ 50 milhões a R$ 100 milhões De R$ 100 milhões a R$ 300 milhões De R$ 300 milhões a R$ 500 milhões De R$ 500 milhões a R$ 1 bilhão De R$ 1 bilhão a R$ 3 bilhões Mais de R$ 3 bilhões 35 Até R$ 100 milhões De R$ 100 milhões a R$ 1bilhão Mais de R$ 1bilhão 23 Indústria Serviços Agropecuária Outros Origem do capital das empresas (em %) Perfil dos respondentes (em %) Estrangeira Brasileira 47 Diretores / Superintendentes Gerentes Supervisores Outros Percentual de respondentes que assinalaram cada item

5 Tributos e fiscalizações Os respondentes destacaram que o Fisco Federal é o que adota a postura mais rigorosa durante as fiscalizações. Essa percepção reflete o peso e a informatização da carga tributária federal sobre as empresas. Em segundo lugar, com pouco mais da metade dos respondentes, está o Fisco Estadual, que também tem avançado muito na fiscalização eletrônica e também por conta do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), que é o principal tributo em volume de arrecadação no Brasil. Outro aspecto que aumenta a complexidade do compliance tributário é a necessidade de constituição de filiais em vários Estados brasileiros, bem como as disputas entre os Estados envolvendo benefícios fiscais e créditos tributários, conhecidas como guerra fiscal. No entanto, quando perguntadas sobre o número de fiscalizações realizadas nas empresas nos últimos cinco anos, as empresas respondentes indicam que o Fisco Estadual é o que mais efetuou fiscalizações, seguido pelo Municipal e, em último lugar, o Federal. Esse número indica mais uma vez a forte natureza operacional do ICMS, ao mesmo tempo em que reflete a informatização disseminada dos tributos federais. Uma vez que as informações passaram a ser transmitidas pela internet, com maior possibilidade de cruzamento de dados e ocorrência de processos, as empresas necessitam, ainda mais, tomar uma série de medidas antes de uma eventual fiscalização. Os números mostram também que as empresas de grande porte estão no foco da fiscalização. Qual Fisco adota a postura mais rigorosa durante as fiscalizações? (em %) Número de vezes em que a empresa foi fiscalizada nos últimos cinco anos* Federal Estadual Municipal Pequeno porte Médio porte Grande porte * Média Federal Estadual Municipal Uma vez que as informações passaram a ser transmitidas pela internet, com maior possibilidade de cruzamento de dados e ocorrência de processos, as empresas necessitam, ainda mais, tomar uma série de medidas antes de uma eventual fiscalização. Compliance tributário no Brasil 5

6 Estrutura das empresas Recursos humanos em compliance tributário O estudo considera três diferentes estruturas para a área de compliance. A primeira (Estrutura I) é a mais simples e intuitiva, e contempla empresas cujas áreas fiscal e contábil atuam juntas, sem uma área consultiva tributária interna. A segunda (Estrutura II) reúne empresas com áreas fiscal e contábil unificadas, porém, com uma área de consultoria tributária separada para a promoção de uma visão mais estratégica e de negócios. Na Estrutura III, estão as empresas com áreas fiscal, contábil e consultiva tributária com atuação focada, embora naturalmente complementar entre elas. Modelos de estrutura de compliance tributário Estrutura I Estrutura II Estrutura III Fiscal e Contábil sem Consultoria Tributária* Fiscal e Contábil com Consultoria Tributária* Fiscal, Contábil e Consultoria Tributária segregadas* * Entende-se por área fiscal aquela responsável pela apuração dos tributos. A área de Consultoria Tributária interna é aquela responsável pela estratégia e pelo planejamento tributário da empresa ou do grupo A pesquisa mostra que as empresas de grande porte são as que mais possuem uma estrutura tributária mais madura (Estrutura III). O número de funcionários também é maior quando as áreas ganham autonomia e uma visão estratégica de consultoria tributária. Estruturas adotadas pelas empresas respondentes Empresas da amostra que adotaram cada estrutura Número médio de funcionários da estrutura de compliance tributário Estrutura I 57% 14 Estrutura II 8% 11 Estrutura III 35% 24 Modelos adotados pelas empresas participantes Estrutura I Estrutura II Estrutura III Pequeno porte 63% 15% 22% Médio porte 67% 5% 28% Grande porte 46% 3% 51% 6

7 A pesquisa revela que a estrutura de compliance das organizações respondentes é, em grande parte das vezes, comandada por um gerente que se reporta ao diretor financeiro. Este é um indicador de que o Brasil tem muito o que avançar no sentido da valorização desse profissional, cuja responsabilidade, para a empresa e para a sociedade, é grande. A visão ainda é de uma função predominantemente operacional. Em outros mercados, como Estados Unidos e Europa, por exemplo, muitas empresas têm um vice-presidente para a área tributária, o que confere mais influência e poder de decisão para esse profissional na estratégia da organização. Cargo mais alto das áreas tributária, fiscal e de consultoria tributária (em %) Diretor Gerente Coordenador 18 A quem esses líderes se reportam? (em %) CEO / Presidente CFO / Diretor financeiro Controller Outro Compliance tributário no Brasil 7

8 Formação e qualificação A formação da maior parte das lideranças em compliance tributário é em Contabilidade. Para as organizações que contam com consultoria tributária, há uma presença também marcante dos graduados em Direito, em consonância com a abordagem estratégica da área. A predominância de analistas na área tributária das empresas 23% deles com pós graduação mostra que essa base é fundamental para o atendimento a processos mais numerosos e complexos. Formação acadêmica do líder da estrutura de compliance tributário (em %) Cargos ocupados pelos profissionais da área (em %) No entanto, os respondentes relataram alguns entraves com relação à qualidade dessa formação, mesmo entre os pós-graduados. A qualificação muitas vezes é avaliada como teórica e pouco voltada à capacidade analítica. Para lidar com essa questão, as empresas têm investido na atualização dos profissionais, um fator determinante quando se trata de uma área que passa por constantes mudanças de normas e regulamentações. Contabilidade Administração Direito Economia Engenharia 67 Assistente Analista Coordenador Supervisor Gerente Diretor 54 Formação por cargo (em %) Assistente Analista Coordenador Supervisor 1 Gerente 4 Diretor Ensino superior incompleto Ensino superior completo Pós-graduação

9 Maiores dificuldades verificadas no recrutamento de novos profissionais (em %, respostas múltiplas) Os profissionais no mercado são muito voltados para aspectos operacionais, mas com capacidade analítica limitada Não existem profissionais em quantidade suficiente para um processo de recrutamento adequado Os profissionais apresentam experiência limitada no uso de novas tecnologias requeridas no ambiente SPED Os profissionais não estão preparados para as novas demandas requeridas pela legislação tributária brasileira Os profissionais possuem experiência teórica, porém, não têm prática suficiente Outros Recursos que a empresa adota para atualização técnica dos profissionais (em %, respostas múltiplas) Assinatura de periódicos on-line 88 Seminários externos (eventos de atualização e curta duração) 83 Treinamentos externos, de média e longa durações 55 Assinatura de periódicos impressos 34 Treinamentos internos 28 E-learning 17 Outros Compliance tributário no Brasil 9

10 Custos da estrutura de compliance Para levantar os custos da estrutura fiscal das empresas, a pesquisa levou em conta o número de funcionários em cada cargo e nível de graduação para cada grupo de empresas de pequeno, médio e grande portes. Esses dados foram combinados às informações sobre os salários médios para esses cargos, levantadas pela Pesquisa de Remuneração, realizada anualmente pela Deloitte, e pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), apurada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O custo médio dos salários foi acrescido de 80%, relativos a encargos. O resultado da modelagem desses dados é uma estimativa do custo médio por empresa, considerando apenas a área fiscal, segregado por porte de empresa. Levando em consideração o faturamento médio das organizações de cada um desses grupos, foi calculada a porcentagem relativa à manutenção dessa estrutura sobre a receita. O peso da manutenção da estrutura tributária diminui conforme a organização ganha escala, um resultado natural e até mesmo esperado. Porém, os resultados também refletem que os compromissos tributários das empresas de menor e maior porte são os mesmos, e muitas vezes exigem uma equipe igualmente qualificada para lidar com essas questões. Para as empresas de menor porte, no entanto, é ainda mais custoso manter um profissional qualificado para a área fiscal do que para uma organização de grande porte. É notável o expressivo crescimento do número de funcionários em relação ao tamanho da empresa (em termos de faturamento), mas há um destaque na taxa de crescimento maior para os funcionários com pós-graduação, mestrado ou doutorado. O resultado indica que há uma procura maior por profissionais de alta qualificação. Custo da estrutura fiscal Pequeno porte Médio porte Grande porte Faturamento médio por empresa* R$ 27,9 milhões R$ 309,3 milhões R$ 1,6 bilhão Custo médio da área fiscal por empresa** R$ ,03 R$ ,00 R$ ,00 Participação do custo da área fiscal sobre o faturamento das empresas 1,72% 0,26% 0,12% * Estimados pelos limites inferiores das respostas de faixa de faturamento ** Salários mais encargos anuais estimados Número de funcionários da área fiscal Pequeno porte Médio porte Grande porte Menor qualificação* 1,9 5,1 12,2 Maior qualificação** 0,9 variação: 49% 1,4 variação: 174% 3,8 * Graduação incompleta e graduação completa ** Pós-graduação variação: 174% variação: 140% 10

11 Para as empresas que possuem profissionais na área consultiva tributária, o cenário é parecido: o custo médio por empresa diminui conforme a empresa cresce. O custo para a área de consultoria tributária interna é ainda maior para as empresas menores do que o custo para a área fiscal trata-se de uma equipe mais estratégica e qualificada. Para as empresas de maior porte, porém, o impacto do custo com uma área consultiva fiscal é menor do que com a área fiscal. Considerando a soma de cada uma das áreas, é possível identificar os custos salariais dessa estrutura para cada porte de empresa. Para efeitos de comparação, o valor, para as empresas de menor porte, é bastante similar às alíquotas combinadas dos tributos PIS/Cofins, que, no regime simplificado, corresponde a 3,65%. Custo da estrutura consultiva tributária Pequeno porte Médio porte Grande porte Faturamento médio por empresa* R$ 24,5 milhões R$ 277,8 milhões R$ 1,5 bilhão Custo médio da área consultiva tributária R$ ,00 R$ ,00 R$ ,00 por empresa** Participação do custo da área consultiva tributária sobre o faturamento das empresas 1,81% 0,22% 0,08% * Estimados pelos limites inferiores das respostas de faixa de faturamento ** Salários mais encargos anuais estimados O peso da estrutura de compliance A participação da estrutura de compliance tributário sobre o faturamento das empresas Faixa de faturamento Fiscal Consultiva tributária Total Até R$ 100 milhões 1,72% 1,81% 3,53% De R$ 100 milhões a 1 bilhão 0,26% 0,22% 0,48% Mais de R$ 1 bilhão 0,12% 0,08% 0,2% Compliance tributário no Brasil 11

12 Processos tributários As empresas indicaram que gerenciam, atualmente, uma média de 68 processos tributários, com um máximo de 783 processos declarados por organização participante. Sabe-se, contudo, que existem empresas no mercado com mais de processos em andamento. Entende-se por processo tributário fiscalizações em andamento, defesas de autos de infração, questionamentos das autoridades e compensação de tributos, entre outros fatores. Para calcular a média de processos por funcionário das áreas fiscal, contábil e consultiva tributária, a pesquisa somou, para cada grupo de empresas (pequeno, médio e grande portes), o número total de processos e o número total de funcionários envolvidos. Ao mesmo tempo em que têm um número total muito maior de processos, as empresas de grande porte apresentam um montante significativamente maior de processos por funcionário, o que indica, além de ganho de escala, maior produtividade do setor. Quando segmentada, a amostra das empresas estrangeiras de grande porte apresenta uma média de sete processos por funcionário, enquanto as empresas brasileiras de mesmo porte registram uma média de 2,1 processos por funcionário. Esses números revelam que as empresas de maior porte, embora proporcionalmente sejam mais fiscalizadas, conseguem obter uma eficiência maior na gestão tributária. Número de processos (total da amostra) Número de funcionários das áreas fiscal,contábil e consultiva tributária (total da amostra) Número de processos (média amostral) Pequeno porte ,70 Médio porte ,70 Grande porte ,70 Total ,20 12

13 Compliance tributário no Brasil 13

14 Prioridades e desafios Os maiores entraves indicados pelos respondentes com relação à condução de negócios refletem aspectos que fazem parte do chamado Custo Brasil. Os participantes indicam a necessidade de uma modernização da legislação tributária do País e também ressaltam entraves de infraestrutura que impactam o ambiente de negócios. Quando perguntados sobre as dificuldades para o atendimento às prioridades levantadas, os respondentes assinalaram que a evolução tecnológica do ambiente tributário brasileiro não foi acompanhada pela modernização nem pela desburocratização dos processos. A informatização, que poderia permitir maior transparência e agilidade, acabou por tornar o processo ainda mais complexo e suscetível a riscos. Isso porque, por conta do cruzamento de dados praticamente em tempo real, a possibilidade de erros ainda é maior, tornando a fiscalização eletrônica ainda mais implacável do que a fiscalização em campo. Maiores entraves na condução de negócios* 1. Mudanças muito frequentes impedem um grau de previsibilidade seguro; 2. Alta carga tributária causa deformações no modelo de negócios idealmente desejado pela empresa; 3. Legislação inadequada não favorece a adoção de novas tecnologias do exterior que demandam royalties elevados; 4. Aspectos tributários impedem a adoção de modelos de distribuição exclusivamente baseados em racionalidade logística; 5. Concentração de tributos indiretos traz baixa transparência na formação de preços de produtos e insumos, dificultando a competição baseada em eficiência. * Consolidação de respostas fornecidas pelos participantes da pesquisa. 14

15 Prioridades da gestão tributária* 1. Adequada apuração de tributos; 2. Redução da carga tributária; 3. Administração eficiente dos processos tributários; 4. Atendimento às fiscalizações em andamento. Dificuldades para atender às prioridades* 1. Complexidade no atendimento das obrigações eletrônicas, devido ao grande número de declarações exigidas; 2. Dificuldade no acompanhamento das mudanças na legislação tributária; 3. Atuação agressiva por parte do Fisco com relação ao planejamento tributário; 4. Morosidade e burocracia na administração de processos tributários; Redução de oportunidade de planejamento tributário; Fiscalizações cada vez mais detalhadas e complexas; 5. Fiscalização eletrônica pelo Fisco, ou seja, cruzamento de dados sem necessariamente uma fiscalização em campo; 6. Custo e complexidade na manutenção de arquivos em papel e eletrônico. Compliance tributário no Brasil 15

16 SPED Expectativas e percepções O advento da informatização, por meio do Sistema Público de Escrituração Digital (SPED), fez com que as empresas realizassem investimentos em sistemas e atualização de pessoal para se adequarem à nova regulamentação. De fato, o novo sistema permite maior transparência nos processos, um ganho em termos de maturidade do sistema democrático de nosso país. Nesse contexto, a perspectiva inicial era de que haveria uma diminuição de custos para as empresas, por conta de aspectos como maior agilidade nos processos e até mesmo redução de papel. No entanto, na avaliação das empresas respondentes, esse esforço não se reverteu, na prática, em redução de custos, principalmente por conta de custos de implementação e manutenção dos Sistemas Integrados de Gestão Empresarial (ERP, na sigla em inglês). Estágio da implementação do SPED nas empresas da amostra (em %) Impacto da implementação do SPED (finalizado ou em curso) (em %) Variação dos custos após a implementação do SPED (em %) Finalizado Em curso Não aplicável Não realizado 30 Muito relevante (muitos investimentos financeiros e humanos empregados) Relevantes (investimentos financeiros e humanos moderadamente utilizados) Mudanças moderadas Grandes mudanças efetuadas As mudanças foram pequenas Pouco relevante (não houve investimentos financeiros e humanos significativos) Mantiveram-se Aumentaram Diminuíram 16

17 Um dos exemplos do descompasso de como o sistema informatizado pode contribuir com a otimização do processo de apuração tributária é a manutenção do prazo prescricional para a fiscalização da Receita Federal em cinco anos. Em um sistema em que é possível prestar contas com agilidade, e posteriormente cruzar esses dados, esse tempo em que a empresa está vulnerável a fiscalizações e questionamentos poderia ser reduzido sem prejuízo para a transparência do processo tributário. Os maiores investimentos necessários para a implementação do SPED (em %, respostas múltiplas) Novos softwares Implementação de novas versões de sistemas ERP Profissionais mais qualificados Novos hardwares Novos profissionais de informática Novos profissionais na área tributária 24,6 22,1 31,1 41,8 48,4 76,2 A economia com a redução de papel impresso compensou os investimentos realizados para implementação do SPED? (em %) Considerando o novo ambiente SPED, você considera que o prazo prescricional de 5 anos deveria (em %) Não Sim Ser reduzido Permanecer igual Aumentar Compliance tributário no Brasil 17

18 Ambiente de negócios avaliado O Brasil na visão do Banco Mundial O Brasil ficou em 116º lugar entre as 189 economias pesquisadas pelo Banco Mundial para a elaboração do ranking Doing Business 2014, que relaciona os países de acordo com a sua facilidade para fazer negócios. O levantamento aborda aspectos como o tempo para abertura de empresas e o pagamento de impostos critérios nos quais o País fica ainda atrás de sua posição geral. Em uma comparação com os países da América Latina e da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) órgão internacional e intergovernamental que reúne 34 países, entre economias industrializadas e emergentes, o Brasil apresenta um elevado número de dias para a abertura de uma empresa e de horas voltadas ao pagamento de impostos. Apesar de o número de impostos no Brasil ser menor do que na comparação com a média da América Latina e da OCDE, o Brasil destina mais tempo à sua apuração. Este é um indício de um ambiente tributário complexo, que pode inibir a realização de investimentos estrangeiros no País. O tempo para a abertura de uma empresa é crítico quando se trata da geração de oportunidades para os empreendedores e para as empresas emergentes os motores das economias mais consolidadas do mundo. A questão do custo com a mão de obra também é contundente no País: as contribuições e os impostos sobre os salários são especialmente superiores para as empresas instaladas no Brasil na comparação com os demais países do mundo. Com menos burocracia (a internet pode ser uma forte aliada nesse processo) e mais previsibilidade jurídica e regulamentar, o Brasil pode criar um ambiente regulatório mais propício a investimentos e inclusive aumentar a sua arrecadação. Tempo precioso As empresas no Brasil destinam horas anuais com a apuração de 9 impostos que pesam 68,3% em seus lucros Abertura de empresas Brasil ocupa a 123ª posição no item Pagamento de impostos Brasil ocupa a 159ª posição no item Brasil América Latina e Caribe OCDE* Brasil América Latina e Caribe OCDE* Número de procedimentos Duração (dias) 107,5 36,1 11,1 Pagamentos (número) Tempo (horas por ano) Custo (% RNB per capita) 4,6 33,1 3,6 Capital integralizado mínimo (% RNB per capita) 0 3,6 10,4 Impostos sobre os lucros (% lucros) Contribuições e impostos sobre o trabalho (% lucros) 24,9 20,5 16,1 39,6 14,7 23,1 Outros impostos (% lucros) 3,8 12,1 2 Alíquota de imposto total (% do lucro) 68,3 47,3 41,3 * Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico Fonte: Relatório Doing Business 2014, Banco Mundial 18

19 Soluções tributárias para sua estratégia de negócios Conhecimento do mercado local, reconhecimento internacional Conheça os nosso prêmios em Compliance tributário no Brasil As estruturas das empresas para atuar em um ambiente complexo Liderança do projeto: Marcelo Natale Sócio da área de Consultoria Tributária da Deloitte Cristina Arantes Berry Sócia-líder da área de Consultoria Tributária da Deloitte Produção do relatório: Departamento de Strategy, Brand & Marketing da Deloitte Coordenação de pesquisa: Research Deloitte Arte: Mare Magnum O conteúdo deste relatório e todos os resultados e análises relacionados à pesquisa Compliance tributário no Brasil As estruturas das empresas para atuar em um ambiente complexo foram produzidos pela Deloitte. A reprodução de qualquer informação inserida neste relatório requer autorização da Deloitte, com o compromisso de citação da fonte. Para mais informações, contate a Deloitte pelo ou pelo telefone (11)

20 Deloitte refere-se à sociedade limitada estabelecida no Reino Unido Deloitte Touche Tohmatsu Limited e sua rede de firmas-membros, cada qual constituindo uma pessoa jurídica independente. Acesse para uma descrição detalhada da estrutura jurídica da Deloitte Touche Tohmatsu Limited e de suas firmas-membros Deloitte Touche Tohmatsu Limited. Todos os direitos reservados.

Comunicação com o mercado Alinhamento estratégico para criação e preservação de valor Pesquisa 2014

Comunicação com o mercado Alinhamento estratégico para criação e preservação de valor Pesquisa 2014 Comunicação com o mercado Alinhamento estratégico para criação e preservação de valor Pesquisa 2014 A transformação da percepção em valor Na era da informação em que vivemos, os avanços em termos de transparência

Leia mais

Centros de Serviços Compartilhados

Centros de Serviços Compartilhados Centros de Serviços Compartilhados Tendências em um modelo de gestão cada vez mais comum nas organizações Uma pesquisa inédita com empresas que atuam no Brasil Os desafios de compartilhar A competitividade

Leia mais

Visão que faz acontecer A realidade cada vez mais estratégica dos líderes de finanças

Visão que faz acontecer A realidade cada vez mais estratégica dos líderes de finanças Informação e análise para decisores nº 44 Abril-Junho 2014 Visão que faz acontecer A realidade cada vez mais estratégica dos líderes de finanças Especial CFO em perspectiva O impacto da tecnologia e do

Leia mais

O futuro do trabalho: Impactos e desafios para as organizações no Brasil

O futuro do trabalho: Impactos e desafios para as organizações no Brasil O futuro do trabalho: Impactos e desafios para as organizações no Brasil anos Sumário Sobre a pesquisa...04 Tendências transformadoras para os negócios...07 Mudanças no perfil do trabalho e nas expectativas

Leia mais

A NOVA AGENDA DA MEI PARA AMPLIAR A INOVAÇÃO EMPRESARIAL O ESTADO DA INOVAÇÃO NO BRASIL

A NOVA AGENDA DA MEI PARA AMPLIAR A INOVAÇÃO EMPRESARIAL O ESTADO DA INOVAÇÃO NO BRASIL A NOVA AGENDA DA MEI PARA AMPLIAR A INOVAÇÃO EMPRESARIAL O ESTADO DA INOVAÇÃO NO BRASIL MEI - MOBILIZAÇÃO EMPRESARIAL PELA INOVAÇÃO 5 UMA NOVA AGENDA PARA PROMOVER A INOVAÇÃO EMPRESARIAL NO BRASIL A capacidade

Leia mais

O PROFISSIONAL CONTÁBIL DIANTE DA CONVERGÊNCIA DAS NORMAS CONTÁBEIS

O PROFISSIONAL CONTÁBIL DIANTE DA CONVERGÊNCIA DAS NORMAS CONTÁBEIS O PROFISSIONAL CONTÁBIL DIANTE DA CONVERGÊNCIA DAS NORMAS CONTÁBEIS 2 1 INTRODUÇÃO A Contabilidade, por ser considerada uma ciência social, sofre grandes influências dos aspectos culturais, históricos,

Leia mais

O PLANEJAMENTO DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS COMERCIAIS POR MEIO DA ATUAÇÃO DA CONTROLADORIA

O PLANEJAMENTO DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS COMERCIAIS POR MEIO DA ATUAÇÃO DA CONTROLADORIA FACULDADE LOURENÇO FILHO BACHARELADO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS ELIS MARIA CARNEIRO CAVALCANTE O PLANEJAMENTO DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS COMERCIAIS POR MEIO DA ATUAÇÃO DA CONTROLADORIA FORTALEZA 2010 1 ELIS

Leia mais

BRASÍLIA, 2011 O ESTADO DA INOVAÇÃO NO BRASIL: UMA AGENDA PARA ESTIMULAR A INOVAÇÃO

BRASÍLIA, 2011 O ESTADO DA INOVAÇÃO NO BRASIL: UMA AGENDA PARA ESTIMULAR A INOVAÇÃO BRASÍLIA, 2011 O ESTADO DA INOVAÇÃO NO BRASIL: UMA AGENDA PARA ESTIMULAR A INOVAÇÃO BRASÍLIA, 2011 O ESTADO DA INOVAÇÃO NO BRASIL: UMA AGENDA PARA ESTIMULAR A INOVAÇÃO SUMÁRIO O ESTADO DA INOVAÇÃO NO

Leia mais

O Instituto Brasileiro de Siderurgia - IBS é entidade associativa das empresas brasileiras produtoras de aço. Tem como objetivo realizar estudos e

O Instituto Brasileiro de Siderurgia - IBS é entidade associativa das empresas brasileiras produtoras de aço. Tem como objetivo realizar estudos e O Instituto Brasileiro de Siderurgia - IBS é entidade associativa das empresas brasileiras produtoras de aço. Tem como objetivo realizar estudos e pesquisas sobre produção, mercado, comércio exterior,

Leia mais

Incentivos Fiscais à Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação no Brasil:

Incentivos Fiscais à Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação no Brasil: Banco Interamericano de Desenvolvimento Divisão de Competitividade e Inovação (IFD/CTI) Incentivos Fiscais à Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação no Brasil: Uma avaliação das políticas recentes. DOCUMENTO

Leia mais

Franquias. 1. O Sistema de Franquias 2. Franqueador 3. Franqueado

Franquias. 1. O Sistema de Franquias 2. Franqueador 3. Franqueado Franquias 1. O Sistema de Franquias 2. Franqueador 3. Franqueado 1 Índice 1. FRANQUIAS a. O Sistema de Franquias 1. Conhecendo o sistema 2. Quais os principais termos utilizados 3. Franquia x Licenciamento

Leia mais

Perfil do microempreendedor individual 2013

Perfil do microempreendedor individual 2013 Perfil do microempreendedor individual 2013 Estudos e Pesquisas 1 Perfil do microempreendedor individual 2013 Este documento encontra-se também disponível no site: http://www.sebrae.com.br/estudos-e-pesquisas

Leia mais

A ATUAÇÃO DO PROFISSIONAL DE SECRETARIADO EXECUTIVO GRADUADO PELA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ

A ATUAÇÃO DO PROFISSIONAL DE SECRETARIADO EXECUTIVO GRADUADO PELA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ 1 A ATUAÇÃO DO PROFISSIONAL DE SECRETARIADO EXECUTIVO GRADUADO PELA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ Maria Fabiana Silva Santos ¹ Samara Silva Cruz ² ¹ UEPA Tv. Djalma Dutra, s/n Telégrafo Belém PA Brasil.

Leia mais

O Brasil. sem amarras. Lições para a construção de operações internacionais de alto nível

O Brasil. sem amarras. Lições para a construção de operações internacionais de alto nível O Brasil sem amarras Lições para a construção de operações internacionais de alto nível Sumário executivo... 3 Nossa pesquisa... 8 Diagnóstico de modelos operacionais Estrutura organizacional...10 Liderança...14

Leia mais

Como abrir o capital da sua empresa no Brasil (IPO)

Como abrir o capital da sua empresa no Brasil (IPO) www.pwc.com.br Como abrir o capital da sua empresa no Brasil (IPO) Início de uma nova década de crescimento A Nova Bolsa Como abrir o capital da sua empresa no Brasil (IPO) 1 2 PwC BM&FBOVESPA Índice i

Leia mais

O Impacto do Plano Brasil Maior na Indústria do RS

O Impacto do Plano Brasil Maior na Indústria do RS O Impacto do Plano Brasil Maior na Indústria do RS GT-MAPI Grupo Técnico de Monitoramento e Avaliação da Política Industrial GETEC Gerência Técnica e de Suporte aos Conselhos Temáticos Status das medidas

Leia mais

INFLUÊNCIA DO ESTILO DE LIDERANÇA NOS RESULTADOS ORGANIZACIONAIS: UM ESTUDO DE CASO EM EMPRESA DE CONSULTORIA - ENEO

INFLUÊNCIA DO ESTILO DE LIDERANÇA NOS RESULTADOS ORGANIZACIONAIS: UM ESTUDO DE CASO EM EMPRESA DE CONSULTORIA - ENEO 1 INFLUÊNCIA DO ESTILO DE LIDERANÇA NOS RESULTADOS ORGANIZACIONAIS: UM ESTUDO DE CASO EM EMPRESA DE CONSULTORIA Trabalho apresentado no Encontro de Estudos Organizacionais da Anpad - ENEO 2004. Denise

Leia mais

O PROCESSO DE TERCEIRIZAÇÃO E SEUS EFEITOS SOBRE OS TRABALHADORES NO BRASIL

O PROCESSO DE TERCEIRIZAÇÃO E SEUS EFEITOS SOBRE OS TRABALHADORES NO BRASIL O PROCESSO DE TERCEIRIZAÇÃO E SEUS EFEITOS SOBRE OS TRABALHADORES NO BRASIL Sistema de Acompanhamento de Contratações Coletivas SACC-DIEESE SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 03 O PROCESSO DE TERCEIRIZAÇÃO 05 Terceirização:

Leia mais

Patrocinadores. Instituto Unibanco. Philips do Brasil

Patrocinadores. Instituto Unibanco. Philips do Brasil Patrocinadores Instituto Unibanco O Instituto Unibanco acredita que a produção de conhecimento é fundamental para a promoção de uma sociedade justa e sustentável. Com a missão de contribuir para o desenvolvimento

Leia mais

COLETÂNEA DE ESTUDOS SOBRE GERENCIAMENTO DE PROCESSOS DE NEGÓCIO (BPM - BUSINESS PROCESS MANAGEMENT)

COLETÂNEA DE ESTUDOS SOBRE GERENCIAMENTO DE PROCESSOS DE NEGÓCIO (BPM - BUSINESS PROCESS MANAGEMENT) 1 COLETÂNEA DE ESTUDOS SOBRE GERENCIAMENTO DE PROCESSOS DE NEGÓCIO (BPM - BUSINESS PROCESS MANAGEMENT) AUTORES: Alexander Correia Marques Ana Catarina Lima Silva Igor Novaes Flori Leonora da Cunha Duarte

Leia mais

SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE SÃO PAULO SEBRAE-SP. 10 Anos de Monitoramento da Sobrevivência e Mortalidade de Empresas

SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE SÃO PAULO SEBRAE-SP. 10 Anos de Monitoramento da Sobrevivência e Mortalidade de Empresas SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE SÃO PAULO SEBRAE-SP 10 Anos de Monitoramento da Sobrevivência e Mortalidade de Empresas São Paulo 2008 SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE

Leia mais

A Saúde no Brasil e na América Latina

A Saúde no Brasil e na América Latina A Saúde no Brasil e na América Latina Programa de Estudos do Futuro - PROFUTURO Fundação Instituto de Administração - FIA Instituída por Professores do Departamento de Administração da FEA/USP Coordenação:

Leia mais

COMO ELABORAR UMA PESQUISA DE MERCADO

COMO ELABORAR UMA PESQUISA DE MERCADO COMO ELABORAR UMA PESQUISA DE MERCADO 3 4 2005 Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Minas Gerais Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução total ou parcial, de qualquer forma ou

Leia mais

Políticas e modelos de atendimento ao cidadão no Brasil. Dra. Florencia Ferrer. Colaboração: Maria de Fátima Porcaro e Carmen J.

Políticas e modelos de atendimento ao cidadão no Brasil. Dra. Florencia Ferrer. Colaboração: Maria de Fátima Porcaro e Carmen J. Políticas e modelos de atendimento ao cidadão no Brasil Dra. Florencia Ferrer Colaboração: Maria de Fátima Porcaro e Carmen J. Gambín Vicente São Paulo, dezembro 2012 Índice Introdução... 2 Metodologia...

Leia mais

Fit for Growth Uma resposta para os desafios de 2015

Fit for Growth Uma resposta para os desafios de 2015 Fit for Growth Uma resposta para os desafios de 2015 Contatos Sobre os autores São Paulo Eduardo Arnoni Vice-Presidente +55-11-5501-6257 eduardo.arnoni @strategyand.pwc.com Luiz Vieira Vice-Presidente

Leia mais

Crises Econômicas e Flexibilidade no Trabalho

Crises Econômicas e Flexibilidade no Trabalho Crises Econômicas e Flexibilidade no Trabalho Os casos da Alemanha e do Brasil Werner Eichhorst e Paul Marx Instituto de Estudos do Trabalho de Bonn José Pastore Universidade de São Paulo Bonn São Paulo

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS: UM ESTUDO EXPLORATÓRIO NA REGIÃO DE JUNDIAÍ

A IMPORTÂNCIA DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS: UM ESTUDO EXPLORATÓRIO NA REGIÃO DE JUNDIAÍ FACULDADE CAMPO LIMPO PAULISTA FACCAMP PROGRAMA DE MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO A IMPORTÂNCIA DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS: UM ESTUDO EXPLORATÓRIO NA REGIÃO DE JUNDIAÍ Adaní Cusin

Leia mais

POLÍTICA INDUSTRIAL, TECNOLÓGICA E DE COMÉRCIO EXTERIOR DO GOVERNO FEDERAL (PITCE): Balanço e Perspectivas

POLÍTICA INDUSTRIAL, TECNOLÓGICA E DE COMÉRCIO EXTERIOR DO GOVERNO FEDERAL (PITCE): Balanço e Perspectivas POLÍTICA INDUSTRIAL, TECNOLÓGICA E DE COMÉRCIO EXTERIOR DO GOVERNO FEDERAL (PITCE): Balanço e Perspectivas Mario Sergio Salerno Professor do Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica

Leia mais

O QUE É UMA ACE? As ACEs são entidades da classe empresarial que congregam pessoas jurídicas e físicas de todos os setores da atividade econômica:

O QUE É UMA ACE? As ACEs são entidades da classe empresarial que congregam pessoas jurídicas e físicas de todos os setores da atividade econômica: A FACIAP tem grande interesse na constituição de novas ACEs, assim como no desenvolvimento das que já estão atuando. Para encurtar caminhos e auxiliar novas lideranças que estão assumindo as ACEs e para

Leia mais

MPE MPE MPE O CAMINHO PARA TER SUCESSO NA CONTRATAÇÃO PÚBLICA DE RISCO AVALIAÇÃO ESCLARECIMENTO PEDIDO DE

MPE MPE MPE O CAMINHO PARA TER SUCESSO NA CONTRATAÇÃO PÚBLICA DE RISCO AVALIAÇÃO ESCLARECIMENTO PEDIDO DE O CAMINHO PARA TER SUCESSO NA CONTRATAÇÃO PÚBLICA PASSO A PASSO PARA MONTAR UMA LICITAÇÃO 1º - Procure o Sebrae AVALIAÇÃO DE RISCO SUBCONTRATAÇÃO COMPULSÓRIA DE COM PAGAMENTO DIRETO REGULAMENTAÇÃO LOCAL

Leia mais