O Ministro de Estado da Saúde, no uso de suas atribuições, considerando:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O Ministro de Estado da Saúde, no uso de suas atribuições, considerando:"

Transcrição

1 PORTARIA Nº 479/MS, DE 15 DE ABRIL DE 1999 O Ministro de Estado da Saúde, no uso de suas atribuições, considerando: a importância do atendimento hospitalar na assistência ao paciente em situações de urgência e emergênica; a implantação dos Sistemas Estaduais de Referência Hospitalar em Atendimento de Urgências e Emergências, de que trata a Portaria GM/MS/nº 2923, de 09 de junho de 1998, publicada no DOU nº 111, de 15 de junho de 1998; a necessidade de organização dessa assistência e de incentivo ao compromisso de melhoria da qualidade do atendimento à população; os diferentes níveis de incorporação tecnológica entre as várias regiões brasileiras, e a necessidade de estabelecer critérios que avancem na direcionalidade e concepção de rede regionalizada e hierarquizada dos Sistemas Estaduais de Referência Hospitalar em Atendimento de Urgências e Emergências, resolve: Art. 1º - Criar mecanismos para a implantação dos Sistemas Estaduais de Referência Hospitalar em Atendimento de Urgências e Emergências. Art. 2º - Estabelecer os seguintes critérios para classficiação e inclusão dos hospitais nso Sistemas Estaduais de Referência Hospitalar em Atendimento de Urgência e Emergências, que farão jus à remuneração adicional estabelecida no Art. 4º. a) Hospitais Tipo I - são hospitais especializados, que contam com recursos tecnológicos e humanos adequados para o atendimento das urgências/emergências de natureza clínica e cirúrgica, nas áreas de pediatria ou tramato-ortopedia ou cardiologia. Devem dispor de; área física e instalações - compatíveis com as normas do Ministério da Saúde e adequadas para o acolhimento e atendimento especializado aos portadores de danos e/ou agravos específicos em situação de urgência/emergência. Recursos tencológicos mínimos e indispensáveis - propedêuticos e/ou terapêuticos, existentes no hospital para o atendimento das urgências/emergências especializados em: Cardiologia: radiologia convencional; Análises clínicas laboratoriais; Eletrocardiografia;

2 Ultra-sonografia; Ecocardiografia; Hemodinâmica; Angigrafia; Cirurgia cardiovascular; Agência transfusional, e Anestesiologia. Pediatria: radiologia convencional; Análises clínicas laboratoriais; Eletrocardiografia; Ultra-sonografia; Unidade de terapia intensiva; Cirurgia pediátrica,e Anestesiologia. Traumato-ortopedia radiologia convencional; Análises clínicas laboratoriais; Intensificador de imagem, e Anestesiologia. outros recursos tecnológicos acessíveis e/ou alcançáveis sob a forma de contrato, convênioi comodato, parceria ou compra direta de serviço, com identificação do prestador, próprios dos hospitais de: Cardiologia: Tomografia computadorizada Pediatria:

3 Agência transfusional; Tomografia computadorizada Broncoscopia, e Endoscopia. Traumato-ortopedia: Tomografia-computadorizada; Cirurgia vascular; Cirurgia bucomaxilofacial; Cirurgia geral; Neurocirugia, e Agência transfusional. recursos humanos mínimos indispensáveis, presentes no hospital, capacitados para atendimento às urgências/emergências específicas nas áreas de : Cardiologia: Cardiologista Hemodinamicista; Agiografista; Cirurgião cardiovascular; Intensivista; Ecocardiografista; Imagenologista, e Anestesiologista Pediatria: Pediatria; Intensiva; Cirurgião pediátrico; e

4 Anestesista. Traumato-ortopedia: Ortopedista e traumatologista; Clínico geral; Anestesista. ouros recursos humanos alcançavéis, identificados por especialidade e capacitados para o atendimento às urgências/emergências nas áreas de: 33Cardiologia: Imagenologista; e Hematologista. Pediatria: Imagenologista; Hematologista; Broncoscopista; Endoscopista; e Neuropediatria. Traumato-ortopedia: Imagenologista; Cirurgião vascular; Cirurgião bucomaxilofacial; Cirurgião geral; Neurocirugião, e Hematologista. b) Hospitais Tipo II - são hospitais gerais que dispõem de unidade de urgência/emergência e de recursos tecnológicos e humanos adequados para o atendimento geral da urgências/emergências de natureza clínica e cirúrgica. Devem dispor de:

5 área física e instalações - compatíveis com as normas do Ministério da Saúde e adequadas para o acolhimento e atendimento dos portadores de danos e/óu agravous caracterizados como urgência/emergência clínica e cirúrgica. Recursos tecnológicos mínimos e indispensáveis existentes no hospital - para propedêutica e/ou terapêutica dos atendimentos de urgência/emergência, a saber: radiologia convencional; ultra sonografia; análises clinicas laboratoriais; eletrocardiografia; terapia intensiva; tomografia computadorizada; endoscopia; agência transfucional anestesiologia outros recursos tencológicos - próprios ou de terceiros, acessíveis sob a forma de contrato, convênio, comodato, parceria ou compra direta de serviço, com identificação dos prestadores, a saber: broncoscopia; hemodinâmica; angiografia; ecocardiografia, e terapia renal substitutiva, recursos humanos mínimos e indispensáveis - presentes no hospital, capacitados para o atendimento às urgência/emergências nas áreas de: clínica médica; clínica pediátrica; cirurgia geral; ortopedia e traumatologia;

6 anestesia, e tratamento intensivo/ outros recursos humanos alcançáveis, identificados por especialidade, capacitados para o atendimento às urgências/emergências nas áreas de: oftalmologia; endoscopia; broncoscopia; otorrinolaringologia; cardiologia; odontologia; hemodinâmica; neurologia; neurocirurgia; angiografia; psiquiatria; gineco-obstetrícia; hematologista, e cirurgia pediátrica. c) Hospitais Tipo III - são hospitais gerais caracterizados como aqueles que contam com recursos tecnológicos e humanos adequados para o atendimento geral das urgências/emergências clínicas, cirúrgicas e tratumatológicas, desempenham ainda as atribuições de capacitação, aprimoramento e atualização dos recursos humanos envolvidos com as atividades meio e fim da atenção às urgências/emergências. Devem dispor de: área física e instalações - compatíveis com as normas do Ministério da Saúde e adequadas para acolhimento e atendimento dos portadores de danos e/ou agravos caracterizados como pequenas. Recursos tecnológicos mínimos e indispensáveis - propedêuticos e/ou terapêuticos, existentes no hospital, a saber:

7 análises clínicas laboratoriais; radiologia convencional; ultra-sonografia eletrocardiografia; unidade de terapia intensiva; tomografia computadorizada; agência transfusional; endoscopia; broncoscopia; terapia renal substitutiva; anestesiologia; neurocirurgia, e Ecocardiografia. outros recursos tecnológicos - próprios ou de terceiros acessíveis sob a forma de contrato, convênio, comodato, parceria ou compra direta de serviço, com identificação dos prestadores, a saber: hemodinâmica, e angiografia recursos humanos mínimos e indispensáveis - presentes no hospital, capacitados nas áreas de clínica médica; clínica pediátrica; cirurgia geral adulto e pediátrico; ortopedia e traumatologia; anestesia; terapia intensiva; odontologia;

8 Radiologia; Cardiologia, e Neurologista outros recursos humanos - alcançaveis, mediante indicação dos profissionais, capacitados nas áreas de: cirurgia vascular; toxicologia; oftalmologia; hemodinâmica; angiografia; endoscopia digestiva; broncoscopia; otorrinolaringologia; ciururgia bucomaxilofacial; cirurgia plástica; gineco-obstetrícia; psiquiatria; cirurgia torácica, e neurocirurgião. Parágrafo Único - Ficam entendidos como recursos tecnológicos e humanos acessíveis/alcançáveis aqueles que são necessários ao atendimento aos pacientes em situação de urgência/emergência e pelos quais a unidade hospitalar se responsabiliza, garantindo com recursos do próprio hospital o acesso ao serviço ou profissional. Art. 3º - Determinar que as Unidades Hospitalares que preencherem os requisitos constantes do art. 2º desta Portaria e participarem das Centrais de Regulação ou de Mecanismos de Garantia de Referência, passem a dispor das condições para integrar o Sistema Estadual de Referência Hospitalar em Atendimento de Urgências e Emergências. Art. 4º - Estabelecer que os hospitais integrantes do Sistema Estadual de Referência Hospitalar em Atendimento de Urgências e Emergências receberão remuneração

9 adicional, relativa aos procedimentos de internação hospitalar de emergências listados no anexo I dessa Portaria, de conformidade com a seguinte classificação e respectivos percentuais: Hospital Tipo I - 20%; Hospital Tipo II - 35%; e Hospital Tipo III - 50%. Parágrafo Único - Os atendimentos às urgências/emergências psiquiátricas somente farão jus à remuneração adicional quando realizadas nos hospitais gerais, sejam tipo II ou III. Art. 5º - Definir que para a efetivação do pagamento adicional de que trata o Artigo 4º, deverá ser lançado no campo específico da AIH para CARÁTER DE INTERNAÇÃO, o dígito 2 - Emergência em Unidade de Referência. Art. 6º - Definir os procedimentos passíveis de cobrança, na forma dos artigos anteriores, os quais constam do anexo desta Portaria. Parágrafo Único - A Secretaria de Assistência à Saúde fica autorizada a emitir portarias, incluindo ou excluindo procedimentos objeto deste artigo. Art. 7º - Determinar que o gestor estadual/municipal deverá realizar supervisão nas AIH emitidas, bem como programar e executar a realização de auditorias. Art. 8º - Definir que o adicional de que trata o artigo 4º desta Portaria não será cumulativo com o índice de Valorização Hospitalar de Emergência - IVH-E, objeto da Portaria GM/MS/1692/95. Art. 9º - Esclarecer que não serão passíveis de adicional as órteses, próteses e materiais especiais, hemoterapia e procedimentos de alta complexidade em Neurocirugia, constantes da Portaria/GM/MS/Nº 2922/98 e dos demais sistemas de alta complexidade. Art Estabelecer que cada Sistema Estadual de Referência Hospitalar em Atendimento de Urgências e Emergências contará com um número máximo de Unidades Hospitalares Tipos I, II e III, a ser definido pela Secretaria de Assistência à Saúde - SAS/MS, com base em estudos realizados em conjunto com a respectiva Secretaria Estadual de Saúde, em indicadores populacionais e disponibilidade de recursos. Art Determinar que cabe ao gestor estadual, após aprovação pela comissão Intergestores Bipartite, o encaminhamento da proposta de seus Sistema Estadual de Referência Hospitalar em Atendimento de Urgências e Emergências à Secretaria de Assistência à Saúde que, após análise, providenciará o correspondente reajuste financeiro.

10 Art Esclarecer que a classificação dos hospitais bem como sua conseqüente remuneração adicional, é dinâmica, pressupondo, portanto, que as Comissões Intergestores Bipartite possam solicitar reenquadramento de unidades à Secretaria de Assistência à Saúde/SAS/MS. 1º - Nos casos de reavalidação, a mesma será efetuada considerando o cumprimento integral do disposto nessa portaria, assim como a disponibilidade de recursos. 2º - Caso as Secretarias Estaduais de Saúde já tenham enviado a relação de unidades hospitalares para habilitação, com base nos critérios exigidos pela Portaria GM/MS/nº 2925/98, revogada pelo Art. 15 deste ato, e não tenham solicitado alteração no prazo de 30 (trinta) dias, a SAS/MS procederá à análise documental e à visita de inspeção, definindo a classificação de acordo com os critérios dessa portaria. 3º - Para efeito de programação e elaboração dos projetos, o Ministério da Saúde deverá informar a cada Estado os recursos financeiros estimados para remuneração adicional de custeio. Art Determinar que as Secretarias Estaduais ou Municipais de Saúde realizarão avaliações semestrais nas Unidades, podendo solicitar o descredenciamento, caso seja constatado o não cumprimento das exigências desta Portaria. Art Definir que nos casos em que todas as unidades indicadas já sejam dotadas dos requisitos de qualificação tecnológica exigidos para as unidades hospitalares do tipo III, parcela dos recursos de investimento poderá ser utilizada em unidades hospitalares estratégicas, que façam parte do Sistema Estadual de Atendimento às Urgência e Emergências, medida que deverá ser devidamente justificada pela Comissão Intergestores Bipartite e aprovada pela SAS/MS. Art Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação e revoga a Portaria GM/MS/Nº 2.925, de 09 de junho de 1998, publicada no DO nº 111, de 15 de junho de JOSÉ SERRA ANEXO NOME DO GRUPO COD. NOME DO PROCEDIMENTO PROC. CIRURGIA MÚLTIPLA CIRUGIA MÚLTIPLA CIRURGIA DO RIM E BACINETE V LOMBOTOMIA CIRURGIA DO RIM E BACINETE V NEFRECTOMIA PARCIAL CIRURGIA DO RIM E BACINETE V NEFRECTOMIA TOTAL CIRURGIA DO RIM E BACINETE V NEFROLITOTOMIA

11 CIRURGIA DO RIM E BACINETE V NEFRORRAFIA CIRURGIA DO RIM E BACINETE V PIELOPLASTIA CIRURGIA DO RIM E BACINETE V PIELOPLASTIA CIRURGIA DO RIM E BACINETE V DRENAGEM DE ABCESSO OU PERIRENAL CIRURGIA DO RIM E BACINETE V FISTULECTOMIA CIRURGIA DO RIM E BACINETE V NEFROSTOMIA PERCUTÂNEA CIRURGIA DA BEXIGA III CISTORRAFIA CIRURGIA DA BEXIGA III EXTRAÇÃO DE CORPO ESTRANHO DA BEXIG CIRURGIA DA BEXIGA IV CISTECTOMIA PARCIAL CIRURGIA DA BEXIGA V CISTECTOMIA TOTAL CIRURGIA DA URETRA II INCISÃO E DRENAGEM DE ABCESSO DE GLÂNDULA DE COWPER CIRURGIA DA URETRA II INCISÃO DE DRENAGEM DE ABCESSO PERIURETRAL CIRURGIA DA URETRA II INCISÃO E DRENAGEM DE FLEMÃO URINOSO CIRURGIA DA URETRA III URETRORRAFIA CIRURGIA DA PRÓSTATA E VESÍCULAS INCISÃO E DRENAGEM DE ABCESSO SEMINAIS II PROSTÁTICO CIRURGIA DE BOLSA ESCROTAL I EXERCESE DE CISTO DE BOLSA ESCROTAL CIRURGIA DA BOLSA ESCROTAL II EXPLORAÇÃO CIRURGICA DA BOLSA ESCROTAL

12 CIRURGIA DA BOLSA ESCROTAL II INCISÃO E DRENAGEM DE ABCESSO DA BOLSA ESCROTAL CIRURGIA DA BOLSA ESCROTAL II RESSECÇÃO PARCIAL DA BOLSA ESCROTAL CIRURGIA DO TESTÍCULO III ORQUIECTOMIA UNILATERAL CIRURGIA DO TESTÍCULO III CURA CIRURGICA DE TORÇÃO DO TESTÍCULO OU DO CORDÃO ESPEMÁTICO CIRURGIA DO TESTÍCULO III ORQUIECTOMIA BILATERAL CIRURGIA DO CORDÃO ESPERMÁTICO III INCISÃO E DRENAGEM DE ABCESSO DO EPIDIDIMO CIRURGIA DO PÊNIS IV AMPUTAÇÃO DO PENIS CIRURGIA DO PENIS IV TRATAMENTO CIRÚRGICO DO PRIAPISMO ESTIMULAÇÃO CARDÍACA PROVISÓRIA INTRODUÇÃO DE ELETRODO CIRURGIA DO CORAÇÃO E PERICARDIO III TEMPORÁRIO DE MARCA-PASSO CARDIOGRAFIA CIRURGIA DO CORAÇÃO E PERICARDIO III CARDIOTOMIA E PERICARDIOTOMIA CIRURGIA DO CORAÇÃO E PERICARDIO V VENTRICULOSSEPTOPLASTIA (POS INFARTO DO MIOCARDIO) CIRURGIA DO SISTEMA LINFÁTICO I INCISÃO E DRENAGEM DE GANGLIO LINFÁTICO CIRUGIA DAS ARTERIAS E VEIAS I COLOCAÇÃO DE CATETER PARA

13 PLASMAFERESE CIRURGIA DAS ARTERIAS E VEIAS I COL CATETER DIÁLISE PERIT CRÔNICA T. TENCKHOFF OU SIMILAR CIRURGIA DAS ARTERIAS E VEIAS III ARTERIORRAFIA /ANGIOTOMIA CIRURGIA DAS ARTERIAS E VEIAS III FLEBOTOMIA COM REMOÇÃO DE EMBOLO CIRURGIA DAS ARTERIAS E VEIAS IV CURA CIRURGICA DE HIPERTENSÃO NEURVASCULAR CIRUGIA DAS ARTERIAS E VEIAS IV ANASTOMOSE ESPLENO- RENAL OU OUTRA DERIVAÇÃO CENTRAL CIRURGIA DAS ARTERIAS E VEIAS IV ANASTOMOSE PORTO- CAVA CIRURGIA DAS ARTERIAS E VEIAS IV ANEURISMECTOMIA ABDOMINAL CIRURGIA DAS ARTERIAS E VEIAS IV ANEURISMECTOMIA PERIFÉRICA CIRURGIA DAS ARTERIAS E VEIAS IV ARTERECTOMIA COM REMOÇÃO DE EMBOLO CIRURGIA DAS ARTERIAS E VEIAS IV ARETERCTOMIA DAS EXTREMIDADES CIRURGIA DAS ARTERIAS E VEIAS IV ARTERECTOMIA TEMPORAL CIRURGIA DAS ARTERIAS E VEIAS IV ARTERIOTOMIA/ANGIOTOMIA EXPLORADORA DAS EXTREMIDADE CIRURGIA DAS ARTERIAS E VEIAS IV ARTERIOTOMIA/ANGIOTOMIA EXPLORADORA DO PESCOÇO

14 CIRURGIA DAS ARTERIAS E VEIAS IV ARTERIOTOMIA/ANGIOTOMIA EXPLORADORA DO TRONCO CIRURGIA DAS ARTERIAS E VEIAS IV BYPASS OU TROMBOENDARTERECTOMIA DA CARÓTIDA OU VER CIRURGIA DAS ARTERIAS E VEIAS IV BYPASS OU TROMBOENDARTERECTOMIA AORTOILIACA CIRURGIA DAS ARTERIAS E VEIAS IV BYPASS OU TROMBOENDARTERECTOMIA DE VASOS DO ARCO AÓRTICO CIRURGIA DAS ARTERIAS E VEIAS IV BYPASS OU TROMBOENDARTERECTOMIA FEMURO-POPLITEIA CIRUGIA DAS ARTERIAS E VEIAS IV BYPASS OU TROMBOENDARTERECTOMIA RENAL CIRURGIA DAS ARTERIAS E VEIAS IV LIGADURA DE ARTERIAS ILIACAS CIRURGIA DAS ARTERIAS E VEIAS IV LIGADURA DA VEIA CAVA CIRURGIA DAS ARTERIAS E VEIAS IV LIGADURA DE RAMOS DA AORTA ABDOMINAL CIRURGIA DAS ARTERIAS E VEIAS IV LIGADURA DE FISTULA ARTERIOVENOSA CIRURGIA DAS ARTERIAS E VEIAS IV LIGADURA DE VEIAS ESOFAGIANAS CIRURGIA DAS ARTERIAS E VEIAS IV LIGADURA DAS VEIAS CARDIOTUBEROSITÁRIAS CIRURGIA DAS ARTERIAS E VEIAS IV PLASTIA DAS ARTERIAS

15 CIRURGIA DAS ARTERIAS E VEIAS IV ENDOARTERECTOMIA CAROTIDIANA CIRURGIA DAS ARTERIAS E VEIAS IV LIGADURA DE CAROTIDA INTERNA E EXTERNA CIRURGIA DAS ARTERIAS E VEIAS IV ENXERTOS ARTERIAIS CIRURGIA DAS ARTERIAS E VEIAS IV EMBOLIA DE ARTERIA VICERAL CIRURGIA DAS ARTERIAS E VEIAS VI ANEURISMECTOMIA INTRATORÁCICA COM EXTRA CORPÓREA CIRURGIA DAS ARTERIAS E VEIAS VI ANEURISMECTOMIA TORACO-ABDOMINAL COM EXTRA CORPÓREA CIRURGIA DAS ARTERIAS E VEIAS VI RESSECÇÃO DE ARCO AORTICO COM ENXERTO CIRURGIA DAS ARTERIAS E VEIAS VI RESSECAÇÃO DE COARTACÇÃO DA AORTA COM OU SEM ENXERTO. CIRURGIA DA BOCA E FACE I INCISÃO E DRENAGEM DE ABSCESSO LINGUAL E SUB-LINGUAL CIRURGIA DA BOCA E FACE I GLOSSORRAFIA CIRURGIA DA BOCA E FACE I INCISÃO E DRENAGEM DE ABSCESSO DA PARÓTIDA CIRURGIA DA BOCA E FACE I EXCISÃO E SUTURA DE LESÃO DA BOCA CIRURGIA DA BOCA E FACE I INCISÃO E DRENAGEM DE ABSCESSO DA

16 BOCA CIRURGIA DA BOCA E FACE I FRATURAS ALVEOLO-DENTÁRIAS, REDUÇÃO INCRUENTA UNILATERAL CIRURGIA DA BOCA E FACE I FRATURAS ALVEOLO-DENTÁRIAS, REDUÇÃO INCRUENTA BILATERAL CIRURGIA DA BOCA E FACE II RETIRADA DE CORPO ESTRANHO NA INTIMIDADE DE OSSOS DA FACE CIRURGIA DA BOCA E FACE II RECONSTRUÇÃO PARCIAL DE LABIO CIRURGIA DA BOCA E FACE II FRATURAS ALVEOLO-DENTÁRIAS REDUCÃO CRUENTA CIRURGIA DA BOCA E FACE III GLOSSECTOMIA PARCIAL CIRURGIA DA BOCA E FACE III EXCISÃO E RECONSTRUÇÃO TOTAL DE LÁBIO CIRURGIA DO ESOFAGO IV DIVERTICULECTOMIA DO ESOFAGO CIRURGIA DO ESOFAGO IV ESOFAGOPLASTIA (QUALQUER TÉCNICA) CIRURGIA DO ESOFAGO IV ESOFAGORRAFIA CERVICAL CIRURGIA DO ESOFAGO IV ESOFAGORRAFIA TORÁCICA CIRURGIA DO ESOFAGO IV ESOFAGOSTOMIA CIRURGIA DO ESOFAGO IV TRATAMENTO CIRURGICO DE VARIZES ESOFAGIANAS CIRURGIA DO ESOFAGO IV ESOFAGOPLASTIA COM COLOCAÇAO DE

17 PRÓTESE OU TUBO MALAFAIA CIRURGIA DO ESOFAGO V ESOFAGECTOMIA CIRURGIA DO ESOFAGO V ESOFAGOGASTRECTOMIA CIRURGIA DO ESOFAGO V ESOFAGOCOLOPLASTIA CIRURGIA DO ESTOMAGO III GASTROTOMIA CIRURGIA DO ESTOMAGO III GASTROSTOMIA CIRURGIA DO ESTOMAGO III GASTRORRAFIA CIRURGIA DO ESTOMAGO IV PILOROPLASTIA COM OU SEM VAGOTOMIA CIRURGIA DO ESTOMAGO IV FECHAMENTO DE FISTULA GASTROENTERICA (DESGASTRECTOMIA) CIRURGIA DO ESTOMAGO IV VAGOTOMIA SUPER SELETIVA CIRURGIA DO ESTOMAGO IV GASTROENTERONASTOMOSE CIRURGIA DOS INSTESTINOS II EXCISÃO DE TUMOR RETAL PER ANUS CIRURGIA DOS INTESTINOS II EXCISÃO E DRENAGEM DE ABSCESSO SUBMUCOSO DO RETO CIRURGIA DOS INTESTINOS II RETIRADA DE FECALOMA CIRURGIA DOS INTESTINOS II APENDICETOMIA CIRURGIA DOS INTESTINOS II PROCTOPLASTIA E PROTORRAFIA POR VIA PERINEAL CIRURGIA DOS INTESTINOS III DIVERTICULECTOMIA DOS INTESTINOS CIRURGIA DOS INTESTINOS III AMPUTAÇÃO DE RETO POR PROCIDENCIA CIRURGIA DOS INTESTINOS III COLORRAFIA POR VIA ABDOMINAL

18 CIRURGIA DOS INTESTINOS III LIBERACAO DE ADERENCIAS INTESTINAIS CIRURGIA DOS INTESTINOS III CECOPEXIA CIRURGIA DOS INTESTINOS III SIGMOIDOPEXIA CIRURGIA DOS INTESTINOS III COLOTOMIA CIRURGIA DOS INTESTINOS III ENTEROTOMIA(QUALQUER SEGUIMENTO) CIRURGIA DOS INTESTINOS III ENTEROPEXIA(QUALQUER SEGMENTO) CIRURGIA DOS INTESTINOS III ENTERORRAFIA(QUALQUER SEGMENTO) CIRURGIA DOS INTESTINOS IV ENTEROANASTOMOSE(QUALQUER SEGMENTO) CIRURGIA DOS INTESTINOS IV TRATAMENTO CIRURGICO DA MAROTAÇÃO INTESTINAL CIRURGIA DOS INTESTINOS IV JEJUNOSTOMIAS CIRURGIA DOS INTESTINOS IV ENTERECTOMIA CIRURGIA DOS INTESTINOS IV REDUÇÃO DE VOLVO POR LAPAROTOMIA CIRURGIA DOS INTESTINOS IV TRAT CIRURGICO DA PERITONITE MECONIAL CIRURGIA DOS INTESTINOS IV TRAT CIRURGICO DO ILEO MECONIAL CIRURGIA DOS INTESTINOS IV ILEOSTOMIAS CIRURGIA DOS INTESTINOS IV COLOSTOMIAS CIRURGIA DOS INTESTINOS V COLECTOMIA TOTAL CIRURGIA DOS INTESTINOS V AMPUTAÇÃO ABDOMINAL- PERINEAL DO

19 RETO(COMPLETA) CIRURGIA DOS INTESTINOS V PROCTOLECTOMIA CIRURGIA DOS INTESTINOS V RETOSSIGMOIDECTOMIA ABDOMINO- PERINEAL CIRURGIA DOS INTESTINOS V RETOSSIGMOIDECTOMIA ABDOMINAL CIRURGIA DOS INTESTINOS V COLECTOMIA CIRURGIA DO ANUS I TRATAMENTO CIRURGICO DE ATRESIA CONGENITA ANO-RETAL CIRURGIA DO ANUS I INCISÃO E DRENAGEM DE ABSCESSO ANAL CIRURGIA DO ANUS I TRAT. CIRURG. DE OUTRA ANOMALIAS CONGENITAS ANO-RETAL CIRURGIA DO ANUS I INCISÃO E DRENAGEM DE ABSCESSO ISQUIORRETAL CIRURGIA DO ANUS III FISTULECTOMIA OU FISTULOTOMIA ANAL CIRURGIA DO ANUS III TRATAMENTO CIRURGICO DE PROLAPSO ANAL MUCOSO CIRURGIA DO ANUS III TRATAMENTO CIR DE IMPERFURAÇÃO MENBRANOSA DO ANUS CIRURGIA DO ANUS III TRAT CIRURGICO TROMBOSE HEMORROIDARIA EXTERNA CIRURGIA DO ANUS III FISTULECTOMIA ANAL CIRURGIA DO FIGADO E VIAS BILIARES IV ANASTOMOSE BILEO- DIGESTIVA

20 CIRURGIA DO FIGADO E VIAS BILIARES IV HEPATOMIA E DRENAGEM DE ABSCESSO OU CISTO CIRURGIA DO FIGADO E VIAS BILIARES IV HEPATORRAFIA CIRURGIA DO FIGADO E VIAS BILIARES V HEPATECTOMIA PARCIAL CIRURGIA DO PANCREAS E BAÇO IV PANCREATECTOMIA PARCIAL CIRURGIA DO PANCREAS E BAÇO IV ESPLENECTOMIA CIRURGIA DO PANCREAS E BAÇO IV PANCREATOTOMIA PARA DRENAGEM CIRURGIA DO PANCREAS V TRATAMENTO CIRURGICO DE CISTOS PANCREATICOS CIRURGIA DO PANCREAS V PANCREATO-DUODENECTOMIA CIRURGIA DO ABDOME II REPARAÇÃO OUTRAS HERNIAS (INCLUI HERNIORRAFIA MUSCULAR CIRURGIA DO ABDOME II HERNIORRAFIA CIRURGIA DO ABDOMEII RESSUT.PAREDE ABDOMIN.(POR DEISCENCIA TOTAL OU EVISCERAÇÃO) CIRURGIA DO ABDOME II HERNIORRAFIA CRURAL(BILATERAL) CIRURGIA DO ABDOME II HERNIORRAFIA UMBILICAL CIRURGIA DO ABDOME II HERNIORRAFIA COM RESSECÇÃO INTESTINAL(ESTRANGULADA) CIRURGIA DO ABDOME II HERNIORRAFIA RECIDIVANTE CIRURGIA DO ABDOME II HERNIORRAFIA LOMBAR CIRURGIA DO ABDOME II HERNIORRAFIA SEM RESSECÇÃO

21 INTESTINAL(ESTRANGULADA) CIRURGIA DO ABDOME II HERNIORRAFIA INGUINAL(BILATERAL) CIRURGIA DO ABDOME II HERNIORRAFIA CRURAL(UNILATERAL) CIRURGIA DO ABDOME II HERNIORRAFIA EPIGASTRICA CIRURGIA DO ABDOME II HERNIORRAFIA INCISIONAL CIRURGIA DO ABDOME III DRENAGEM DE HEMATOMA OU ABCESSO PRE PERITONEAL CIRURGIA DO ABDOME III RESSECÇÃO DE EPILON CIRURGIA DO ABDOME III LAPAROTOMIA EXPLORADORA CIRURGIA DO ABDOME III DRENAGEM DE EMATOMA OU ABCESSO RETRORETAL CIRURGIA DO ABDOME IV PERITONEOSTOMIA COM TELA INORGNICA CIRURGIA DO ABDOME IV HERNIORRAFIA DIAFRAGMATICA VIA ABDOMINAL CIRURGIA DO ABDOME IV DRENAGEM DE ABSCESSO SUBFRENICO CIRURGIA DO ABDOME IV DRENAGEM DE ABSCESSO PELVICO CIRURGIA DO ABDOME IV HERNIORRAFIA DIAFRAGMATICA(VIA TORACICA) CIRURGICA VIDEOLAPAROSCÓPICA ESOFAGECTOMIA -ESOFAGO I VIDEOLAPAROSCÓPICA CIRURGIA VIDEOLAPAROSCÓPICA HERNIOPLASTIA HIATAL

22 -ESOFAGO I CIRURGIA VIDEOLAPAROSCÓPICA GASTRORRAFIA ESTOMAGO VIDEOLAPAROSCÓPICA CIRURGIA VIDEOLAPAROSCÓPICA GASTROSTOMIA ESTOMAGO VIDEOLAPAROSCÓPICA CIRURGIA VIDEOLAPAROSCÓPICA VAGOTOMIA VIDEOLAPAROSCÓPICA ESTOMAGO II CIRURGIA VIDEOLAPAROSCÓPICA GASTRECTOMIA ESTOMAGO II VIDEOLAPAROSCÓPICA CIRURGIA VIDEOLAPAROSCÓPICA APENDICECTOMIA -INTESTINO I VIDEOLAPAROSCÓPICA CIRURGIA VIDEOLAPAROSCÓPICA ENTERORRAFIA -INTESTINO II VIDEOLAPAROSCÓPICA CIRURGIA VIDEOLAPAROSCÓPICA ENTERECTOMIA -INTESTINO II CIRURGIA VIDEOLAPAROSCÓPICA JEJUNOSTOMIAS -INTESTINO III VIDEOLAPAROSCÓPICA CIRURGIA VIDEOLAPAROSCÓPICA ILEOSTOMIAS VIDEOLAPAROSCÓPICA -INTESTINO III CIRURGIA VIDEOLAPAROSCÓPICA COLOSTOMIA VIDEOLAPAROSCÓPICA -INTESTINO III CIRURGIA VIDEOLAPAROSCÓPICA COLECTOMIA VIDEOLAPAROSCÓPICA -INTESTINO IV

23 CIRURGIA VIDEOLAPAROSCÓPICA COLECISTECTOMIA -FIGADO I VIDEOLAPAROSCÓPICA CIRURGIA VIDEOLAPAROSCÓPICA COLEDOCOTOMIA -FIGADO I VIDEOLAPAROSCÓPICA CIRURGIA VIDEOLAPAROSCOPICA PANCREATECTOMIA VIDEOLAPAROSCÓPICA -PANCREAS I CIRRUGIA VIDEOLAPAROSCÓPICA PANCREATOMIA VIDEOLAPAROSCÓPICA -PANCREAS I CIRURGIA VIDEOPALAROSCÓPICA HERNIORRAFIA INGUINAL -ABDOMEN I VIDEOLAPAROSCÓPICA CIRURGIA VIDEOLAPAROSCÓPICA HERNIORRAFIA UMBILICAL - ABODMEN I VIDEOLAPAROSCÓPICA CIRURGIA VIDEOLAPAROSCÓPICA HERNIORRAFIA EPIGASATRICA - ABDOMEN I VIDEOLAPAROSCÓPICA CIRURGIA VIDEOLAPAROSCÓPICA LAPAROTOMIA VIDEOLAPAROSCÓPICA PARA -ABDOMEN II DRENAGEM CIRURGIA DA VULVA - I CORREÇÃO CIRURGICA DE COADAPTAÇÃO DE NINFAS CIRURGIA DA VULVA - I EXERESE DE GLANDULA DE SKENE CIRURGIA DA VULVA - II EPISIOPERINEORRAFIA(NÃO OBSTETRICA) CIRURGIA DA VULVA - II VULVECTOMIA SIMPLES CIRURGIA DA VULVA - II BARTOLINECTOMIA

24 CIRURGIA DA VULVA - IV VULVECTOMIA AMPLIADA COM LINFADENECTOMIA CIRURGIA DA VAGINA - II COLPECTOMIA CIRURGIA DO UTERO - I CURETAGEM UTERINA POR HITATIFORME CIRURGIA DO UTERO - III HISTERECTOMIA SUB-TOTAL CIRURGIA DO UTERO - III HISTERECTOMIA TOTAL CIRURGIA DO UTERO - III HISTERECTOMIA PUERPERAL CIRURGIA OBSTETRICA - I REDUÇÃO MANUAL INVERSÃO UTERINA AGUDA POS/PARTO CIRURGIA OBSTETRICA - I DESLOCAMENTO MANUAL DA PLACENTA CIRURGIA OBSTETRICA - I CERCLAGEM DO COLO UTERINO CIRURGIA OBSTETRICA - I SUTURA DE LACERACOES DO TRAJETO PÉLVICO CIRURGIA OBSTETRICA - I CURETAGEM PÓS-ABORTO CIRURGIA DO OLHO I DRENAGEM DE ABSCESSO PALPEBRAL CIRURGIA DO OLHO I MIASE PALPEBRAL CIRURGIA DO OLHO III SUTURA DE CONJUNTIVA CIRURGIA DO OLHO III SUTURA DE PÁLPEBRA CIRURGIA DO OLHO III SUTURA DE CONJUNTIVA CIRURGIA DO OLHO IV SUTURA DE ESCLERA CIRURGIA DO OLHO V RETIRADA DE CORPO ESTRANHO DA CAMARA ANTERIOR CIRURGIA DO OLHO VII RETIRADA DE CORPO ESTRANHO INTRA-

25 VITREO CIRURGIA DE OUVIDO I ANTROTOMIA DE MASTOIDE(DRENAGEM DE OTITE NO LACTENTE) CIRURGIA DO NARIZ III REDUÇÃO CIRURGICA DE FRATURA DOS OSSOS PRÓPRIOS DO NARIZ CIRURGIA DO NARIZ IV TRATAMENTO CIRURGICO DE ATRESIA NARINÁRIA CIRURGIA DA FARINGE I INCISÃO E DRENAGEM DE ABSCESSO PERIAMIGDALIANO CIRURGIA DA FARINGE I DRENAGEM DE ABSCESSO FARINGEO CIRURGIA DA LARINGE II TRAQUEOSCOPIA E RETIRADA DE CORPO ESTRANHO CIRURGIA DA LARINGE III LARINGORRAFIA CIRURGIA ORTOPEDICA E FRATURA DE MANDIBULA, BILATERAL TRAUMATOLOGIA DA FACE REDUÇÃO CRUENTA CIRURGIA ORTOPEDICA E FRATURA COMINUTIVA DA MANDIBULA, TRAUMATOLOGICA DA FACE REDUÇÃO CRUENTA CIRURGIA ORTOPEDICA E FRATURA DO MAXILAR SUPERIOR(LE TRAUMATOLOGIA DA FACE FORTII,REDUÇÃO INCRUENTA) CIRURGIA ORTOPEDICA E FRAT. DO MAX SUP.(LE FORT III REDUÇÃO TRAUMATOLOGICA DA FACE CRUENTA E AP CIRURGIA ORTOPEDICA E FRATURA DO MALAR,REDUÇÃO CRUENTA

26 TRAUMATOLOGICA DA FACE CRUENTA E APARELHO DE CO CIRURGIA ORTOPEDICA E FRATURA MAXILIAR SUP(LE FORT-III TRAUMATOLOGICA DA FACE REDUÇÃO CRUENTA) CIRURGIA ORTOPEDICA E FRATURA DO MAXILAR SUPEERIOR (LE TRAUMATOLOGIA DA FACE FORTIII,REDUÇÃO INCRUENTA) CIRURGIA ORTOPEDICA E FRATURA DE MANDIBULA,UNILATERAL, TRAUMATOLOGIA DA FACE REDUÇÃO CRUENTA CIRURGIA ORTOPEDICA E REDUÇÃO CIRURGICA DE AFUNDAMENTO TRAUMATOLOGICA DA FACE DO MALAR - COM FIXAÇÃO CIRURGIA ORTOPEDICA E REDUÇÃO CIRURGICA DE AFUNDAMENTO TRAUMATOLOGICA DA FACE AFUNDAMENTO DO MALAR - SEM FIXAÇÃO CIRURGIA ORTOPEDICA E MANDIBULA,UNILATERAL,REDUÇÃO TRAUMATOLOGIA DA FACE INCRUENTA CIRURGIA ORTOPEDICA E TRATAMENTO CIRURGICO DE TRAUMATOLOGIA DA FACE OSTEOMIELITE DOS OSSOS DA FACE CIRURGIA DA PELE E TECIDO EXCISÃO E DRENAGEM DE TUMOR SUB- CUTANEO - I (ABCESSO E PANARICIO) CIRURGIA DA PELE E TECIDO SUTURA DE FERIDA COM OU SEM SUB-CUTANEO - I DEBRIDAMENTO CIRURGIA DA PELE E TECIDO INCISÃO E DRENAGEM DE FLEMÃO SUB- CUTANEO - I CIRURGIA DA PELE E TECIDO SUB ESCALPO PARCIAL CUTÂNEO II

27 CIRURGIA DA PELE E TECIDO SUB DEBRIDAMENTO DE FASCEITE CUTÂNEO - III NECROTIZANTE CIRURGIA DA PELE E TECIDO SUB ESCALPO TOTAL CUTÂNEO - III CIRURGIA DA PELE E TECIDO SUB PERDA SUBST CUTÂNEA- LESÕES CUTÂNEO - III EXTENSAS PLANOS SUPER. QUEIMADOS - II PEQUENO QUEIMADO QUEIMADOS - III MÉDIO QUEIMADO QUEIMADOS - IV GRANDE QUEIMADO POLITRAUMATIZADO POLITRAUMATIZADO REDUÇÃO INCRUENTA DE FRATURAS E REDUÇÃO INCRUENTA DO DESLOCAMENTO LUXAÇÕES EPIFISÁRIO DOS OSSOS REDUÇÃO INCRUENTA DE FRATURAS E REDUÇÃO INCRUENTA DE FRATURA LUXAÇÕES TRANSTROCNTERIANA REDUÇÃO INCRUENTA DE FRATURAS E REDUÇÃO INCRUENTA DE FRATURA(S) DO(S) LUXAÇÕES OSSO(S) DO PUNHO REDUÇÃO INCRUENTA DE FRATURAS E REDUÇÃO INCRUENTA DE DISJUNÇÃO LUXAÇÕES AO NÍVEL DA PELVE REDUÇÃO INCRUENTA DE FRATURAS E REDUÇÃO INCRUENTA DAS FRATURAS LUXAÇÕES DOS OSSOS DO ANTE-BRAÇO REDUÇÃO INCRUENTA DE FRATURAS E RED INCRUENTA DE LUXAÇÃO DA

PORTARIA Nº 479/MS, DE 15 DE ABRIL DE 1999

PORTARIA Nº 479/MS, DE 15 DE ABRIL DE 1999 PORTARIA Nº 479/MS, DE 15 DE ABRIL DE 1999 O Ministro de Estado da Saúde, no uso de suas atribuições, considerando: a importância do atendimento hospitalar na assistência ao paciente em situações de urgência

Leia mais

Portaria GM/MS nº479, de 15 de abril de 1999. O Ministro de Estado da Saúde, no uso de suas atribuições, considerando:

Portaria GM/MS nº479, de 15 de abril de 1999. O Ministro de Estado da Saúde, no uso de suas atribuições, considerando: Portaria GM/MS nº479, de 15 de abril de 1999 PUBLICADA NO DOU DE 16/04/99 -SEÇÃO - I O Ministro de Estado da Saúde, no uso de suas atribuições, considerando: - a importância do atendimento hospitalar na

Leia mais

10101004 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - CONSULTA 10102000 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - VISITAS 10103007 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS -

10101004 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - CONSULTA 10102000 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - VISITAS 10103007 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - Código SUGRUPO 10101004 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - CONSULTA 10102000 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - VISITAS 10103007 PROCEDIMENTOS GERAIS - CONSULTAS - RECÉM-NASCIDO 10104003 PROCEDIMENTOS

Leia mais

4 TERMO ADITIVO AO EDITAL DE CREDENCIAMENTO N 0001/2012 FMS

4 TERMO ADITIVO AO EDITAL DE CREDENCIAMENTO N 0001/2012 FMS ESTADO DE SANTA CATARINA MUNICÍPIO DE FRAIBURGO 4 TERMO ADITIVO AO EDITAL DE CREDENCIAMENTO N 0001/2012 FMS OBJETO: Credenciamento de empresas do ramo interessadas na prestação de serviços de consultas

Leia mais

RESOLUÇÃO DA DIRETORIA Nº 001/2016

RESOLUÇÃO DA DIRETORIA Nº 001/2016 RESOLUÇÃO DA DIRETORIA Nº 001/2016 A Diretoria Administrativa do Consórcio Público Intermunicipal de Saúde do Norte Pioneiro - CISNORPI, no uso de suas atribuições legais, resolve: Regulamentar o Credenciamento

Leia mais

Circular 0493/99 São Paulo, 08 de Dezembro de 1999.

Circular 0493/99 São Paulo, 08 de Dezembro de 1999. Circular 0493/99 São Paulo, 08 de Dezembro de 1999. Assunto: Reajuste da Tabela do SIH SUS Prezado (a) Senhor (a), Administrador(a) Faturamento Reproduzimos em anexo, estudo sobre os percentuais de reajustes

Leia mais

PROTOCOLO DE RESERVAS CIRÚRGICAS

PROTOCOLO DE RESERVAS CIRÚRGICAS PROTOCOLO DE RESERVAS CIRÚRGICAS PROTOCOLO DE RESERVAS CIRÚRGICAS Protocolo de máxima utilização de sangue. Baseado no histórico transfusional de todos os procedimentos cirúrgicos realizados no HUWC de

Leia mais

Infecções e inflamações do trato urinário, funçao sexual e reprodutiva Urologia Denny

Infecções e inflamações do trato urinário, funçao sexual e reprodutiva Urologia Denny DATA hora AULA PROGRAMADA Módulo PROFESSOR 25/10/2013 14:00-14:55 Abdome Agudo - inflamatório e obstrutivo Clínica Cirúrgica João Marcos 14:55-15:50 Abdome Agudo - perfurativo e vascular/hemorrágico Clínica

Leia mais

RADIOLOGIA PESSOALMENTE COM O PEDIDO MÉDICO. PEDIDO MÉDICO COM INDICAÇÃO CLINICA.

RADIOLOGIA PESSOALMENTE COM O PEDIDO MÉDICO. PEDIDO MÉDICO COM INDICAÇÃO CLINICA. Nome do setor/especialidade: Horário de funcionamento: Meios de agendamento oferecidos ao usuário para utilização/acesso aos serviços: Requisitos necessários para a obtenção dos serviços: Serviços oferecidos:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI CAMPUS CENTRO OESTE Planilha de aulas - Internato em Cirurgia 1º semestre de 2015

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI CAMPUS CENTRO OESTE Planilha de aulas - Internato em Cirurgia 1º semestre de 2015 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI CAMPUS CENTRO OESTE Planilha de aulas - Internato em Cirurgia 1º semestre de 2015 DATA SALA HORA AULA PROGRAMADA MÓDULO PROFESSOR 6/2/2015 102. D 13:15-14:10 Tratamento

Leia mais

Aulas teórica s PROFESSOR DATA HORA AULA PROGRAMADA MÓDULO. Sessão Avaliação ED Supervisão TOTAL

Aulas teórica s PROFESSOR DATA HORA AULA PROGRAMADA MÓDULO. Sessão Avaliação ED Supervisão TOTAL DATA HORA AULA PROGRAMADA MÓDULO PROFESSOR Aulas teórica s Amb. Sessão Avaliação ED Supervisão TOTAL 13:15 Abdome Agudo - inflamatório e obstrutivo Clínica Cirúrgica João Marcos 24/7/2015 Abdome Agudo

Leia mais

Portaria 024/2011. Art. 2º Esta Portaria entra em vigor em 1º de agosto de 2011.

Portaria 024/2011. Art. 2º Esta Portaria entra em vigor em 1º de agosto de 2011. Portaria 024/2011 Estabelece protocolos operacionais para a atividade de Regulação e Auditoria no âmbito do IPSEMG. A Presidente do Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais, no

Leia mais

PROCEDIMENTOS HOSPITAL-DIA

PROCEDIMENTOS HOSPITAL-DIA PROCEDIMENTOS HOSPITAL-DIA PROCEDIMENTO PERM. DESCRIÇÃO PORTE 39.03.010-5 HD VARIZES - TRAT. CIRUR. UNIL. 1 MEMBRO 3 39.03.011-3 HD VARIZES - TRAT. CIRUR. BILAR. 2 MEMBRO 5 41.13.001-4 HD EXERESE CISTO

Leia mais

TABELA DE HONORÁRIOS CIRÚRGICOS

TABELA DE HONORÁRIOS CIRÚRGICOS 1 TABELA DE HONORÁRIOS CIRÚRGICOS Relação adotada entre peso e porte dos pacientes (P, M, G, Gigante). COD. PROCEDIMENTO VALOR (R$) 1. CIRURGIA 1 Caudectomia terapêutica adulto pequeno 200,00 2 Caudectomia

Leia mais

Tabela de Procedimentos. 1 de 65

Tabela de Procedimentos. 1 de 65 31000002 Cirurgia múltipla - - - - 0 0 0 99 N 31001017 Nefropexia 351,81 155,98 37,24 545,03 293 4 0 99 S 31001025 Tratamento cirúrgico de fistulas ureterais 331,42 145,25 31,02 507,69 274 5 0 99 S 31001033

Leia mais

O SECRETÁRIO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE. no uso de suas atribuições, RESOLVE:

O SECRETÁRIO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE. no uso de suas atribuições, RESOLVE: PORTARIA N 42/MS/SAS DE 17 DE MARÇO DE 1994 O SECRETÁRIO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE. no uso de suas atribuições, RESOLVE: 1. Estabelecer os procedimentos de Alta Complexidade da área de Ortopedia. constantes

Leia mais

AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS JULHO./2014.02 Proced com finalidade diagnóstica 15.985.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia

AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS JULHO./2014.02 Proced com finalidade diagnóstica 15.985.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS JULHO./2014.02 Proced com finalidade diagnóstica 15.985.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia 107.02.01.01 biópsia de pele e partes moles 39.02.01.01 Biópsia

Leia mais

A Senhora Prefeita Municipal, ANA MARIA MONTEIRO DE ANDRADE, sanciona a seguinte Lei;

A Senhora Prefeita Municipal, ANA MARIA MONTEIRO DE ANDRADE, sanciona a seguinte Lei; Lei nº 1960, de 10 de Dezembro de 2002. (Lei nº 1990, altera dispositivos) FIXA NOVOS VENCIMENTOS PARA MÉDICOS EM GERAL E MÉDICOS, ENFERMEIROS E CIRURGIÕES DENTISTAS LOTADOS NO PSF - PROGRAMA DE SAÚDE

Leia mais

Oferecemos uma ampla gama de tratamentos entre os que podemos destacar:

Oferecemos uma ampla gama de tratamentos entre os que podemos destacar: A cirurgia endovascular agrupa uma variedade de técnicas minimamente invasivas mediante as quais CIRURGIA ENDOVASCULAR = CIRURGIA SEM CORTES! Técnicas Minimamente Invasivas As técnicas de cirurgia endovascular

Leia mais

Frequência de internação nos hospitais do SUS-BH, por causa básica, em menores de 1 ano, residentes em Belo Horizonte, 1996-1999.

Frequência de internação nos hospitais do SUS-BH, por causa básica, em menores de 1 ano, residentes em Belo Horizonte, 1996-1999. Frequência de internação nos hospitais do SUS-BH, por causa básica, em menores de 1 ano, residentes em Belo Horizonte, 1996-1999. Broncopneumonia não especificada 3388 2564 1637 1734 Diarréia e gastroenterite

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA RESERVA CIRÚRGICA DE HEMOCOMPONENTES

ORIENTAÇÕES PARA RESERVA CIRÚRGICA DE HEMOCOMPONENTES ORIENTAÇÕES PARA RESERVA CIRÚRGICA DE HEMOCOMPONENTES O conhecimento e análise do consumo de hemocomponentes pelo paciente submetido à intervenção cirúrgica são de fundamental importância para que o Hemocentro

Leia mais

AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS FEVEREIRO./2015.02 Proced com finalidade diagnóstica 10.814.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia

AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS FEVEREIRO./2015.02 Proced com finalidade diagnóstica 10.814.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS.02 Proced com finalidade diagnóstica 10.814.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia 43.02.01.01 biópsia do colo uterino 1.02.01.01 biópsia de fígado por punção

Leia mais

AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS JANEIRO./2015.02 Proced com finalidade diagnóstica 8.946.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia

AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS JANEIRO./2015.02 Proced com finalidade diagnóstica 8.946.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS.02 Proced com finalidade diagnóstica 8.946.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia 33.02.01.01 biópsia do colo uterino 0.02.01.01 biópsia de fígado por punção

Leia mais

AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS SETEMBRO./2014.02 Proced com finalidade diagnóstica 16.443.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia

AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS SETEMBRO./2014.02 Proced com finalidade diagnóstica 16.443.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia AMBULATORIAL - PROCEDIMENTOS REALIZADOS SETEMBRO./2014.02 Proced com finalidade diagnóstica 16.443.02.01 Col de mat por meio de punção/biopsia 66.02.01.01 biópsia do colo uterino 4.02.01.01 Biópsia de

Leia mais

EXAME PRIVADO Encargo benef. ADSE

EXAME PRIVADO Encargo benef. ADSE EXAME PRIVADO Encargo benef. ADSE RADIOLOGIA Radiologia - CABEÇA E PESCOÇO Crânio, 1 incidência 15,00 1,10 Crânio, 2 incidências 20,00 1,20 Sela turca 10,00 0,60 Mastóides, 1 incidência 30,00 1,00 Mastóides,

Leia mais

MS/DATASUS 26/09/2011 12:52:37 M330455001

MS/DATASUS 26/09/2011 12:52:37 M330455001 26/09/2011 12:52:37 Página: 1 COMPLEXIDADE: MEDIA COMPLEXIDADE FINANCIAMENTO: Fundo de Ações Estratégicas e TIPO FINANC: Central Nacional de Estabelecimento: 2273276 MS INTO INSTITUTO NACIONAL DE TRAUMATOLOGIA

Leia mais

TABELA DA ÁREA M - TABELA DE RADIOLOGIA

TABELA DA ÁREA M - TABELA DE RADIOLOGIA TABELA DE RADIOLOGIA RADIOLOGIA CONVENCIONAL CABEÇA E PESCOÇO 10004 700.5 Crânio, uma incidência 5,13 1,80 10005 084.1 Crânio, duas incidências 5,46 1,80 10010 109.0 Sela turca 2,65 1,80 10024 094.9 Mastóides,

Leia mais

ANEXO ÚNICO Fica a Credenciada Camil - Centro de Assistência Médica Itabapoana - Ltda a prestar os seguintes serviços de saúde aos municípios consorciados ao CIM POLO SUL: 001 - Colonoscopia (coloscopia)

Leia mais

Resolução CNRM Nº 02, de 20 de agosto de 2007

Resolução CNRM Nº 02, de 20 de agosto de 2007 Resolução CNRM Nº 02, de 20 de agosto de 2007 Dispõe sobre a duração e o conteúdo programático da Residência Médica de Cirurgia da Mão O PRESIDENTE DA COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA, no uso das

Leia mais

Procedimentos Novos no Rol em Consulta Pública - termos técnicos e traduções

Procedimentos Novos no Rol em Consulta Pública - termos técnicos e traduções Procedimentos Novos no Rol em Consulta Pública - termos técnicos e traduções 1 CONSULTA COM FISIOTERAPEUTA consulta realizada com fisioterapeuta para diagnosticar as alterações do desempenho funcional,

Leia mais

Lista de Tabulação CID-BR

Lista de Tabulação CID-BR Mortalidade CID-10 Lista de Tabulação CID-BR Esta classificação foi elaborada a partir da Lista de Tabulação da CID-BR-9, uma versão da Lista Básica de Tabulação da Classificação Internacional de Doenças

Leia mais

GABINETE DO MINISTRO PORTARIA N X.XXX, DE XX DE XXXXXXX DE 30.06.2014

GABINETE DO MINISTRO PORTARIA N X.XXX, DE XX DE XXXXXXX DE 30.06.2014 GABINETE DO MINISTRO PORTARIA N X.XXX, DE XX DE XXXXXXX DE 30.06.2014 Cria a Linha de Cuidados da Cirurgia da Criança e atualiza, por exclusão, inclusão e alteração, procedimentos cirúrgicos pediátricos

Leia mais

COD PROTOCOLOS DE GASTROENTEROLOGIA

COD PROTOCOLOS DE GASTROENTEROLOGIA X COD PROTOCOLOS DE GASTROENTEROLOGIA ( ) 18.01 Abdome Agudo Diagnóstico (algoritmo) ( ) 18.02 Abdome Agudo Inflamatório Diagnóstico e Tratamento ( ) 18.03 Abdome Agudo na Criança ( ) 18.04 Abdome Agudo

Leia mais

Mortalidade CID-10 Lista de Tabulação CID-BR

Mortalidade CID-10 Lista de Tabulação CID-BR Mortalidade CID-10 Lista de Tabulação CID-BR Esta classificação foi elaborada a partir da Lista de Tabulação da CID-BR-9, uma versão da Lista Básica de Tabulação da Classificação Internacional de Doenças

Leia mais

RESOLUÇÃO CIB Nº 265/2012

RESOLUÇÃO CIB Nº 265/2012 RESOLUÇÃO CIB Nº 265/2012 Aprova a Tabela de Valores Diferenciados da Tabela Unificada do SUS para Procedimentos Cirúrgicos Eletivos referentes à Portaria GM/MS Nº 1.340 de 29 de junho de 2012, no âmbito

Leia mais

H Convencionados. Operados e vale cirurgia emitidos por grupo extracção a 30-09-2010. 11 de Fevereiro de 2011

H Convencionados. Operados e vale cirurgia emitidos por grupo extracção a 30-09-2010. 11 de Fevereiro de 2011 H Convencionados Operados e vale cirurgia emitidos por grupo extracção a 30-09-2010 7 11 de Fevereiro de 2011 Título Actividade cirúrgica dos Convencionados Versão V1 Autores Unidade Central de Gestão

Leia mais

CLÁUSULA ADICIONAL DE INVALIDEZ PERMANENTE TOTAL OU PARCIAL POR ACIDENTE

CLÁUSULA ADICIONAL DE INVALIDEZ PERMANENTE TOTAL OU PARCIAL POR ACIDENTE CLÁUSULA ADICIONAL DE INVALIDEZ PERMANENTE TOTAL OU PARCIAL POR ACIDENTE 1. COBERTURA ADICIONAL DE INVALIDEZ PERMANENTE TOTAL OU PARCIAL POR ACIDENTE (IPA): 1.1. É a garantia do pagamento de uma indenização

Leia mais

RESOLUÇÃO CNRM N.º 07, 05 de setembro de 2006 (*)

RESOLUÇÃO CNRM N.º 07, 05 de setembro de 2006 (*) RESOLUÇÃO CNRM N.º 07, 05 de setembro de 2006 (*) Dispõe sobre a duração do programa de Residência Médica de Cancerologia/Cirúrgica e seu conteúdo programático O Presidente da Comissão Nacional de Residência

Leia mais

Site: www.med-rad.med.br

Site: www.med-rad.med.br AMB TUSS PROCEDIMENTO TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DESC PART 34010017 41001109 TOMOG. COMP. ABDOMEN SUPERIOR C/C 550,00 805,00 34010201 41001095 TOMOG. COMP. ABDOMEN TOTAL C/C 750,00 1.030,00 34010025 41001141

Leia mais

Temas para o Concurso de Residência Médica do Hospital Regional de Presidente Prudente I - Clínica Médica

Temas para o Concurso de Residência Médica do Hospital Regional de Presidente Prudente I - Clínica Médica Temas para o Concurso de Residência Médica do Hospital Regional de Presidente Prudente I - Clínica Médica 01 Demências; 02 Depressão; 03 Hipertensão Arterial Sistêmica Primária e Secundária; 04 Infecções

Leia mais

OBJETIVOS GERAIS OBJETIVOS ESPECÍFICOS

OBJETIVOS GERAIS OBJETIVOS ESPECÍFICOS OBJETIVOS GERAIS O Programa de Residência Médica opcional de Videolaparoscopia em Cirurgia do Aparelho Digestivo (PRMCAD) representa modalidade de ensino de Pós Graduação visando ao aperfeiçoamento ético,

Leia mais

TABELA PARTICULAR DIMASUL

TABELA PARTICULAR DIMASUL TABELA PARTICULAR DIMASUL DOPPLER V.PART DESC. V. PARCERIA DOPPLER ABDOMINAL 23,170 4,634 18,536 DOPPLER ARTERIAL MEMB.INF. 23,170 4,634 18,536 DOPPLER ARTERIAL MEMB.SUP. 23,170 4,634 18,536 DOPPLER DOS

Leia mais

Atualizado em Março/2014.

Atualizado em Março/2014. ANEXO I PROCEDIMENTOS QUE DEVEM SER REGISTRADOS EM BPA INDIVIDUALIZADO DE ACORDO COM A PORTARIA Nº 380, DE 12 DE AGOSTO DE 2010 Atualizado em Março/2014. CÓDIGO NOME 0201010062 BIOPSIA DE BEXIGA 0201010216

Leia mais

CODIFICAÇÃO PELO CID

CODIFICAÇÃO PELO CID CODIFICAÇÃO PELO CID S S. S. S. S. S. S. S.7 TRAUMATISMOS DOS NERVOS E DA MEDULA ESPINHAL INCLUINDO: divisão traumática do nervo hematomileia traumática lesão completa ou incompleta da medula espinhal

Leia mais

TABELA DE PREÇOS REFERENCIAIS DE EXAMES LABORATORIAIS. Publicado na PORTARIA Nº. 110-S, DE 02 DE MARÇO DE 2015.

TABELA DE PREÇOS REFERENCIAIS DE EXAMES LABORATORIAIS. Publicado na PORTARIA Nº. 110-S, DE 02 DE MARÇO DE 2015. TABELA DE PREÇOS REFERENCIAIS DE 103203 SERVICO, TITULO: EXAME, SUBTITULO: ANGIOGRAFIA CEREBRAL (4 VASOS), COM 103204 SERVICO, TITULO: EXAME, SUBTITULO: ANGIOGRAFIA CEREBRAL (4 VASOS), SEM EXAME 2.525,0000

Leia mais

SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIRURGIATORÁCICA PROCEDIMENTOS E HONORÁRIOS

SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIRURGIATORÁCICA PROCEDIMENTOS E HONORÁRIOS SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIRURGIATORÁCICA PROCEDIMENTOS E HONORÁRIOS ATIVIDADES CLÍNICAS Consulta em consultório 178,48 Acompanhamento enfermaria - diária 178,48 Acompanhamento UTI - diária 178,48 Consulta

Leia mais

RESOLUÇÃO DA DIRETORIA Nº 08/2014

RESOLUÇÃO DA DIRETORIA Nº 08/2014 RESOLUÇÃO DA DIRETORIA Nº 08/2014 A Diretoria Administrativa do Consórcio Público Intermunicipal de Saúde do Norte Pioneiro - CISNORPI, no uso de suas atribuições legais, resolve: Regulamentar o Credenciamento

Leia mais

#$%& ' % +,+*- %*1.!%2 )% /), '+2 # $%$&# '#( $)*+ 1/23

#$%& ' % +,+*- %*1.!%2 )% /), '+2 # $%$&# '#( $)*+ 1/23 ! " #$%& ' ()#%%*#% % +,+*- +%.%%. -+/+ 0)/+ &.%% %*1.!%2 )% /), /+ 3 )%3%* % +*)% %'+&* '+2 #%3*% 3%* *%%%!%*&*. '/+%,%/+#. 4 3 # $%$&# '#( $)*+ 1/23 56 7,###' # #-#. / 0,#, #. 1,2# 3,###,, #.0, # # 45.

Leia mais

DIAGNÓSTICO POR IMAGEM Relação dos POPs

DIAGNÓSTICO POR IMAGEM Relação dos POPs DIAGNÓSTICO POR IMAGEM Relação dos POPs PREPAROS DOS EXAMES E PROCEDIMENTOS DE ENFERMAGEM 08.01 Ablação por Cateter com Radiofrequência 08.02 Alergia aos Contrastes Iodados 08.03 Angio Ressonância Abdome

Leia mais

8:00 Horas Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. 8:30 8:45 INTERVALO VISITA AOS EXPOSITORES E PATROCINADORES.

8:00 Horas Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. 8:30 8:45 INTERVALO VISITA AOS EXPOSITORES E PATROCINADORES. MAPA AUDITÓRIO ÓPERA DE ARAME (200 LUGARES) DOMINGO 02 DE AGOSTO DE 2015. 8:00 Horas Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. 8:00 8:15 TEMA LIVRE SELECIONADO. 8:15 8:30 TEMA LIVRE SELECIONADO.

Leia mais

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO O Município de Quatro Irmãos/RS, comunica aos interessados que está procedendo ao CHAMAMENTO PÚBLICO, a partir de 26 de agosto de 2011 até dia 12 de setembro de 2011, no horário

Leia mais

Tabela 22 - Terminologia de procedimentos e eventos em saúde

Tabela 22 - Terminologia de procedimentos e eventos em saúde de 40801012 RX - Crânio - 2 incidências 40801020 RX - Crânio - 3 incidências 40801039 RX - Crânio - 4 incidências 40801047 RX - Orelha, mastóides ou rochedos - bilateral 40801055 RX - Órbitas - bilateral

Leia mais

MS/DATASUS 24/04/2015 15:00:39 M330455001

MS/DATASUS 24/04/2015 15:00:39 M330455001 24/04/2015 15:00:39 Gestor: - Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro Página: 1 Estabelecimento: 2269341 SMS HOSPITAL MUNICIPAL JESUS AP 22 3315101123851 0403010101 DERIVACAO VENTRICULAR PARA PERITONEO

Leia mais

Tribunal de Contas da União

Tribunal de Contas da União Tribunal de Contas da União Dados Materiais: Decisão 225/94 - Primeira Câmara - Ata 27/94 Processo nº TC 375.073/93-0 Responsável: Homero Gomes - CPF 001.983.076/91 Unidade: Hospital e Maternidade Santa

Leia mais

PROTOCOLO DE ACESSO A EXAMES DE TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA GRUPO 35 SUBGRUPO

PROTOCOLO DE ACESSO A EXAMES DE TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA GRUPO 35 SUBGRUPO PROTOCOLO DE ACESSO A EXAMES DE TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA GRUPO 35 SUBGRUPO NOBEMBRO 2007 1 A TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA (TC) CARACTERIZA-SE POR SER EXAME DE ALTA COMPLEXIDADE E CUSTO ELEVADO, PORTANTO

Leia mais

TABELA CONVÊNIOS À VISTA COM MEDICAÇÃO

TABELA CONVÊNIOS À VISTA COM MEDICAÇÃO TABELA CONVÊNIOS À VISTA COM MEDICAÇÃO CONSULTAS MÉDICAS 10101012 Cardiologia 120,00 10101012 Pneumologia 120,00 10101012 Ginecologia/Obstetrícia 120,00 10101012 Clínico Geral 120,00 10101012 Mastologia

Leia mais

TABELA DE PREÇOS DE EXAMES PARTICULARES

TABELA DE PREÇOS DE EXAMES PARTICULARES CARDIOLOGIA 20010010 ELETROCARDIOGRAMA - ECG R$ 165,00 20010028 TESTE ERGOMÉTRICO R$ 330,00 20010141 ECODOPPLERCARDIOGRAMA R$ 385,00 20010052 HOLTER 24 HORAS R$ 385,00 20020058 MAPA 24 HORAS R$ 385,00

Leia mais

CONSELHO DE SAÚDE SUPLEMENTAR

CONSELHO DE SAÚDE SUPLEMENTAR MINISTÉRIO DA SAÚDE CONSELHO DE SAÚDE SUPLEMENTAR RESOLUÇÃO Nº 23, DE 21 DE OUTUBRO DE 1999 (*) Dispõe sobre a Tabela Única Nacional de Equivalência de Procedimentos - TUNEP para fins de ressarcimento

Leia mais

TABELA PACOTE AMBULATORIAL/HOSPITALAR - IPSEMG/2011 PACOTE HOSPITALAR

TABELA PACOTE AMBULATORIAL/HOSPITALAR - IPSEMG/2011 PACOTE HOSPITALAR INTERNACAO 65000051 65000051 INTERNACAO ODONTOLOGICA 0,00 0,00 0,00 0,00 N S N NEFROLOGIA 65029380 99042010 HEMODIÁLISE PARA PACIENTES RENAIS AGUDOS 280,00 45,00 0,00 325,00 N N 65029399 99042029 DIÁLISE

Leia mais

Neoplasia Maligna Dos Dois Tercos Anteriores Da Lingua Parte Nao Especificada

Neoplasia Maligna Dos Dois Tercos Anteriores Da Lingua Parte Nao Especificada SÅo Paulo, 20 de setembro de 2011 Protocolo: 0115/2011 Informo que a partir de 20/09/2011 alguns protocolos de atendimento da especialidade Cirurgia PlÑstica do Hospital das ClÖnicas foram desativados,

Leia mais

PONTO-FINAL CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA

PONTO-FINAL CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA PONTO-FINAL CUO DE ATUALIZAÇÃO EM ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA DERIÇÃO: Cursos presenciais Vale 3,0 pontos para a Revalidação do TEOT PROGRAMAÇÃO: OSTEONECROSE DA CABEÇA BELÉM/ PA 18.05.2007 SEXTA-FEIRA 20:00-20:20

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE ULTRA SONOGRAFIA DESCRIÇÃO

PROCEDIMENTOS DE ULTRA SONOGRAFIA DESCRIÇÃO PROCEDIMENTOS DE ULTRA SONOGRAFIA VALOR A PAGAR UROGRAFIA ESCRETORA R$ 120,00 US ABDOMEM SUPERIOR R$ 65,00 US ABDOMEM TOTAL R$ 100,00 US ABDOMEN INFERIOR FEMININO R$ 60,00 US ABDOMEN INFERIOR MASCULINO

Leia mais

ANEXO A SERVIÇOS MÉDICO-HOSPITALARES, LABORATORIAIS E OUTROS A SEREM COMPLEMENTADOS

ANEXO A SERVIÇOS MÉDICO-HOSPITALARES, LABORATORIAIS E OUTROS A SEREM COMPLEMENTADOS Anexo A ao Edital de Credenciamento 01/2015 47º BI...página 1/5 ANEXO A SERVIÇOS MÉDICO-HOSPITALARES, LABORATORIAIS E OUTROS A SEREM COMPLEMENTADOS Os serviços médico-hospitalares e laboratoriais, objeto

Leia mais

Consulta Pública nº 03 de 15 de Maio de 2002.

Consulta Pública nº 03 de 15 de Maio de 2002. Consulta Pública nº 03 de 15 de Maio de 2002. O Secretário de Assistência à Saúde, no uso de suas atribuições legais, adota a presente Consulta Pública, e considerando - a necessidade de aprimorar as políticas

Leia mais

0303010126 TRATAMENTO DE INFECÇÕES DE TRANSMISSÃO PREDOMINANTEMENTE SEXUAL (A50 A A64) 24 R$ 7.506,48 R$ 312,77 28 R$ 8.632,45

0303010126 TRATAMENTO DE INFECÇÕES DE TRANSMISSÃO PREDOMINANTEMENTE SEXUAL (A50 A A64) 24 R$ 7.506,48 R$ 312,77 28 R$ 8.632,45 MOVIMENTO DE AIH - ARQUIVOS REDUZIDOS - BRASIL - 2014 FREQUENCIA POR MUNICIPIO DE INTERNAÇÃO SEGUNDO PROCEDIMENTO REALIZADO MUNICIPIO: CRATO/CE PERIODO: JANEIRO A DEZEMBRO/2014 PROCEDIMENTO 2014 FINANCEIRO

Leia mais

Com grande satisfação o recebemos na UH SAÚDE

Com grande satisfação o recebemos na UH SAÚDE Prezado (a) Associado (a) Com grande satisfação o recebemos na UH SAÚDE Somos uma Operadora de Planos de Saúde constituída fundamentalmente por hospitais e centros médicos que, preocupados com a qualidade,

Leia mais

FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE DE CALÇADO Estado de Pernambuco TERMO DE REFERÊNCIA PREÇO(S) UNITÁRIO(S) E GLOBAL

FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE DE CALÇADO Estado de Pernambuco TERMO DE REFERÊNCIA PREÇO(S) UNITÁRIO(S) E GLOBAL Orçamento estimado valor máximo admitido para os itens dos lotes 01 ao 25 - Tipo do julgamento (Menor preço por item*). LOTE 01 Item* ANGIOLAGIA Quantidade* Valor Unitário Valor Total 1 CONSULTA ANGIOLOGIA

Leia mais

Parâmetros para profilaxia cirúrgica

Parâmetros para profilaxia cirúrgica Parâmetros para profilaxia cirúrgica O objetivo da profilaxia antimicrobiana em cirurgia é prevenir a infecção de sítio cirúrgico, atingindo níveis do antibiótico no sangue e nos tecidos que exceda, em

Leia mais

Considerando a pauta das reuniões do Comitê Transfusional do HSPE, apresentamos o protocolo de Reserva Cirúrgica de Sangue aprovado.

Considerando a pauta das reuniões do Comitê Transfusional do HSPE, apresentamos o protocolo de Reserva Cirúrgica de Sangue aprovado. Considerando a pauta das reuniões do Comitê Transfusional do HSPE, apresentamos o protocolo de Reserva Cirúrgica de Sangue aprovado. O conhecimento e análise do consumo de hemocomponentes pelo paciente

Leia mais

ECO - ONLINE (EDUCAÇÃO CONTINUADA EM ORTOPEDIA ONLINE)

ECO - ONLINE (EDUCAÇÃO CONTINUADA EM ORTOPEDIA ONLINE) ECO - ONLINE (EDUCAÇÃO CONTINUADA EM ORTOPEDIA ONLINE) DESCRIÇÃO: Aulas interativas ao vivo pela internet. Participe ao vivo, respondendo as enquetes e enviando suas perguntas. Vale pontos para a Revalidação

Leia mais

Gerência de Regulação PROTOCOLO DE ACESSO A EXAMES/PROCEDIMENTOS AMBULATORIAIS DE ALTA COMPLEXIDADE TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA

Gerência de Regulação PROTOCOLO DE ACESSO A EXAMES/PROCEDIMENTOS AMBULATORIAIS DE ALTA COMPLEXIDADE TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA Gerência de Regulação PROTOCOLO DE ACESSO A EXAMES/PROCEDIMENTOS AMBULATORIAIS DE ALTA COMPLEXIDADE TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA 2013 Observações a serem consideradas no preenchimento de todas as solicitações

Leia mais

Conteúdo programático para Prova de Aprimoramento em Medicina Veterinária da UNIME

Conteúdo programático para Prova de Aprimoramento em Medicina Veterinária da UNIME 1 União Metropolitana de Educação e Cultura Conteúdo programático para Prova de Aprimoramento em Medicina Veterinária da UNIME Subárea: Clínica Médica de Pequenos Animais MANEJO HIGIÊNICO, DIETÉTICO E

Leia mais

Palato duro. Palato, SOE. Palato, lesão sobreposta do

Palato duro. Palato, SOE. Palato, lesão sobreposta do C00 C000 C001 C002 C003 C004 C005 C006 C008 C009 C01 C019 C02 C020 C021 C022 C023 C024 C028 C029 C03 C030 C031 C039 C04 C040 C041 C048 C049 C05 C050 C051 C052 C058 C059 C06 C060 C061 C062 C068 C069 C07

Leia mais

Lista RNS de Cirurgias

Lista RNS de Cirurgias Lista RNS de Cirurgias Pele Anexos Partes Moles Incisão e drenagem de abcesso subcutâneo Incisão e drenagem de abcesso profundo Incisão e drenagem de quisto sebáceo, quisto pilonidal ou furúnculo Incisão

Leia mais

CENTRO DE DIAGNÓSTICO POR IMAGEM Manual de Normas, Rotinas e Procedimentos Sumário

CENTRO DE DIAGNÓSTICO POR IMAGEM Manual de Normas, Rotinas e Procedimentos Sumário CENTRO DE DIAGNÓSTICO POR IMAGEM Sumário NORMAS OPERACIONAIS Atendimento ao Cliente Marcação de Exames Alteração no Programa de Atendimento Gestão de Demanda Admitida Ficha de Convênio Atendimento Prioritário

Leia mais

Pós Operatório. Cirurgias Torácicas

Pós Operatório. Cirurgias Torácicas Pós Operatório Cirurgias Torácicas Tipos de Lesão Lesões Diretas fratura de costelas, coluna vertebral ou da cintura escapular, hérnia diafragmática, ruptura do esôfago, contusão ou laceração pulmonar.

Leia mais

ANEXO III PROGRAMA DA PROVA DO PROCESSO SELETIVO DE RESIDÊNCIA MÉDICA 2013 MODALIDADES COM PRÉ-REQUISITOS

ANEXO III PROGRAMA DA PROVA DO PROCESSO SELETIVO DE RESIDÊNCIA MÉDICA 2013 MODALIDADES COM PRÉ-REQUISITOS ANEXO III PROGRAMA DA PROVA DO PROCESSO SELETIVO DE RESIDÊNCIA MÉDICA 2013 MODALIDADES COM PRÉ-REQUISITOS 1. CIRURGIA GERAL Analgesia e dor Avaliação pré e pós-operatória Princípios da anestesia local

Leia mais

O mesmo código de origem (Tabelas SIA ou SIH) gerando mais de um código novo.

O mesmo código de origem (Tabelas SIA ou SIH) gerando mais de um código novo. Procedimento Origem: H 10001042 TERMOMETRIA SUPERFICIAL, C/ FORNO DE BIER(P/APLIC) 0302050019 6068 ATENDIMENTO FISIOTERAPEUTICO PRE E POS-OPERATORIO NAS DISFUNCOES 0302050035 6069 ATENDIMENTO FISIOTERAPEUTICO

Leia mais

ANEXO I. Quantidade Máxima: 1 Media Permanência: 5 Pontos: 275

ANEXO I. Quantidade Máxima: 1 Media Permanência: 5 Pontos: 275 ANEXO I PROCEDIMENTOS CIRÚRGICOS ONCOLÓGICOS INCLUÍDOS 0415020050 - PROCEDIMENTOS SEQUENCIAIS EM ONCOLOGIA Descrição São atos cirúrgicos com vínculo de continuidade, interdependência e complementaridade,

Leia mais

Tabela Fundamental de indenizações. Portaria nº 4-11/06/59. CABEÇA. a) Crânio e face.

Tabela Fundamental de indenizações. Portaria nº 4-11/06/59. CABEÇA. a) Crânio e face. Tabela Fundamental de indenizações. Portaria nº 4-11/06/59. CABEÇA a) Crânio e face. A classificação será feita aplicando-se os critérios relativos ao prejuízo estético alterações psíquicas e neurológicas

Leia mais

Diário Oficial Imprensa Nacional

Diário Oficial Imprensa Nacional Diário Oficial Imprensa Nacional O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições, REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL BRASÍLIA - DF.Nº 60 DOU 30/03/09 p. 62 seção 1 Ministério da Saúde Secretaria

Leia mais

Procedimento x CBO. 02.11.08.004-7 GASOMETRIA (APOS OXIGENIO A 100 DURANTE A DIFUSAO ALVEOLO-CAPILAR) 223151 - Médico pneumologista

Procedimento x CBO. 02.11.08.004-7 GASOMETRIA (APOS OXIGENIO A 100 DURANTE A DIFUSAO ALVEOLO-CAPILAR) 223151 - Médico pneumologista Ministério da Saúde - MS Secretaria de Atenção à Saúde Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses, Próteses e Materiais Especiais do SUS 01.01.01.002-8 Procedimento x CBO ATIVIDADE EDUCATIVA / ORIENTACAO

Leia mais

Serviços de Saúde no Brasil e Articulação com a Indústria. José Carvalho de Noronha Secretário de Atenção à Saúde Ministério da Saúde

Serviços de Saúde no Brasil e Articulação com a Indústria. José Carvalho de Noronha Secretário de Atenção à Saúde Ministério da Saúde Serviços de Saúde no Brasil e Articulação com a Indústria José Carvalho de Noronha Secretário de Atenção à Saúde Ministério da Saúde Gastos em Saúde, Brasil, 2006 Gastos em Saúde, Brasil, 2006 (milhões

Leia mais

Cirurgias do sistema urinário INDICAÇÕES. Traumatismos. Urolitíase. Neoplasias. Infecções do trato t urinário

Cirurgias do sistema urinário INDICAÇÕES. Traumatismos. Urolitíase. Neoplasias. Infecções do trato t urinário CIRURGIAS DO OSS SISTEMA URINÁRIO Prof. Dr. João Moreira da Costa Neto Departamento de Patologia e Clínicas Escola de Medicina Vetrinária -UFBA Cirurgias do sistema urinário INDICAÇÕES Traumatismos Urolitíase

Leia mais

SOCIEDADE BRASILEIRA DE ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA Procedimentos videoartroscópicos Procedimentos Porte

SOCIEDADE BRASILEIRA DE ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA Procedimentos videoartroscópicos Procedimentos Porte RESOLUÇÃO NORMATIVA CNHM Nº 003/2007 AOS MÉDICOS, HOSPITAIS E ENTIDADES CONTRATANTES A Comissão Nacional de Honorários Médicos e Sociedades Brasileiras de Especialidade comunicam as seguintes alterações,

Leia mais

As principais causas de morte em Portugal de 1990-1999

As principais causas de morte em Portugal de 1990-1999 As principais causas de morte em Portugal de 199-1999 Observatório Nacional de Saúde. Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge Lisboa 3 1 Ficha Técnica Portugal. Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo

Leia mais

Lembramos, no entanto, que a Deficiência Física, não está contemplada na sua totalidade, existindo outros CIDs não listados e que sofrerão análise.

Lembramos, no entanto, que a Deficiência Física, não está contemplada na sua totalidade, existindo outros CIDs não listados e que sofrerão análise. Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Em função de ocorrer dúvidas em relação ao encaminhamento do benefício do passe-livre intermunicipal,

Leia mais

Obs- Pacientes do sexo feminino em idade fértil e com suspeita de gravidez ou atraso menstrual devem informar ao técnico de exame.

Obs- Pacientes do sexo feminino em idade fértil e com suspeita de gravidez ou atraso menstrual devem informar ao técnico de exame. PREPAROS PARA RESSONÂNCIA RESSONÂNCIA CRÂNIO - Trazer exames anteriores (tomografiae ressonância de crânio, rx de crânio, eletroencefalograma). RESSONÂNCIA SELA TÚRCICA - Trazer exames anteriores (tomografia

Leia mais

13º - AUDHOSP ANO 2014

13º - AUDHOSP ANO 2014 13º - AUDHOSP ANO 2014 PROCEDIMENTOS MÚLTIPLOS Mais de um procedimento principal em uma mesma AIH. VANDERLEI SOARES MOYA OBRIGATÓRIO O LANÇAMENTO DE PELO MENOS DOIS PROCEDIMENTOS PRINCIPAIS DIFERENTES

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR

AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR 1 MINISTÉRIO DA SAÚDE AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR RESOLUÇÃO - RDC Nº 17, DE 30 DE MARÇO DE 2000 (*) Dispõe sobre a Tabela Única Nacional de Equivalência de Procedimentos TUNEP para fins de ressarcimento

Leia mais

, declara, para todos os fins legais, especialmente do disposto no artigo 39, VI, da Lei, 8.078/90 que dá plena autorização ao (à)

, declara, para todos os fins legais, especialmente do disposto no artigo 39, VI, da Lei, 8.078/90 que dá plena autorização ao (à) TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO O (A) paciente, ou seu responsável, declara, para todos os fins legais, especialmente do disposto no artigo 39, VI, da Lei, 8.078/90 que dá plena autorização

Leia mais

PACIENTES AGUARDANDO CIRURGIA UROLOGIA

PACIENTES AGUARDANDO CIRURGIA UROLOGIA PACIENTES AGUARDANDO CIRURGIA UROLOGIA NA 1 24/03/2009 RTU DE PRÓSTATA 898-002-372-489-358 2 19/05/2009 RTU DE PRÓSTATA 201-020-664-630-007 3 06/07/2009 RTU DE PRÓSTATA 4 06/07/2009 RTU DE PRÓSTATA 206-277-959-480-001

Leia mais

ROTEIRO DE ESTUDO Abdome

ROTEIRO DE ESTUDO Abdome ROTEIRO DE ESTUDO Abdome ARTÉRIAS O suprimento arterial do abdome é todo proveniente da aorta, que torna-se aorta abdominal após passar pelo hiato aórtico do diafragma ao nível de T12, e termina dividindose

Leia mais

V. CONSIDERAÇÕES FINAIS

V. CONSIDERAÇÕES FINAIS AGENDA I. PERSPECTIVAS DA GESTÃO Trabalhando DA SAÚDE em Redes Cooperativas: Compartilhamento II. ABORDAGENS para DE CUSTEIO SUStentabilidade Case I Apresentação do III. EXPERIÊNCIA DAS SANTAS CASAS DE

Leia mais

TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DO ABDOME

TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DO ABDOME TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DO ABDOME PROTOCOLO DE ABDOME TOTAL POSIÇÃO DORSAL: Paciente em decúbito dorsal, entrando primeiro com a cabeça, apoiada sobre o suporte reto, braços elevados acima da cabeça.

Leia mais

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO 98 IABAS Relatório de Gestão Rio de Janeiro 2010/2011/2012 PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO 1 Curso de educação continuada em odontologia Abordagem terapêutica dos pacientes com traumatismo

Leia mais

Jornal Oficial do Município - Sousa, Edição Especial 28 de Outubro de 2014.

Jornal Oficial do Município - Sousa, Edição Especial 28 de Outubro de 2014. Jornal Oficial do Município - Sousa, Jornal Oficial do Município - Sousa, LICITAÇÕES AVISO DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 00072/2014 Torna público que fará realizar através da Pregoeira Oficial e Equipe

Leia mais

TABELA DE CÓDIGOS DE PROCEDIMENTOS

TABELA DE CÓDIGOS DE PROCEDIMENTOS TABELA DE CÓDIGOS DE PROCEDIMENTOS Central de Atendimento: 41 3362.3111 solicite através do site: /solicite- RESSONÂNCIA MAGNÉTICA TUSS DESCRIÇÃO (Funsep) DESCRIÇÃO AMB 41101014 Crânio (encéfalo) 36010014

Leia mais

Código: ENFDIG Disciplina: DIDÁTICA GERAL Fase: 5ª Grade curricular: 2000 Pré-requisitos: Psicologia da Educação DESCRIÇÃO DO PROGRAMA:

Código: ENFDIG Disciplina: DIDÁTICA GERAL Fase: 5ª Grade curricular: 2000 Pré-requisitos: Psicologia da Educação DESCRIÇÃO DO PROGRAMA: 21cir FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecimento: Portaria nº 604, de 31 de maio de 1995 E-mail: denf@unir.br Campus Porto Velho/RO. BR 364,

Leia mais

PROCEDIMENTOS GERAIS PROCEDIMENTOS GERAIS SIM SIM PROCEDIMENTOS CLÍNICOS PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES

PROCEDIMENTOS GERAIS PROCEDIMENTOS GERAIS SIM SIM PROCEDIMENTOS CLÍNICOS PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES CONSULTA/SESSÃO COM PSICÓLOGO E/OU TERAPEUTA OCUPACIONAL (COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) CONSULTA COM NUTRICIONISTA (COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) CONSULTA/SESSÃO COM TERAPEUTA OCUPACIONAL (COM DIRETRIZ DE

Leia mais