PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE A DESESTATIZAÇÃO DA CELG D E A OFERTA DE AÇÕES A EMPREGADOS E APOSENTADOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE A DESESTATIZAÇÃO DA CELG D E A OFERTA DE AÇÕES A EMPREGADOS E APOSENTADOS"

Transcrição

1 PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE A DESESTATIZAÇÃO DA CELG D E A OFERTA DE AÇÕES A EMPREGADOS E APOSENTADOS TRABALHADORES E TERCEIRIZADOS 1. O que vai acontecer com os trabalhadores? Haverá garantia de emprego? O edital leva em consideração as preocupações dos trabalhadores em relação a seus empregos. A partir da privatização, os empregados poderão ter plano de cargos e salários compatível com o mercado. O novo controlador da CELG D será obrigado, por contrato, a manter os benefícios sociais aos seus empregados e os legalmente exigidos, incluindo a manutenção de planos de benefícios previdenciários e dos de saúde médico, hospitalar e odontológico nas mesmas condições dos planos existentes pelo prazo mínimo de 24 meses. 2. As empresas que prestam serviços terão os contratos mantidos? Haverá demissões de terceirizados? Qualquer decisão sobre contratações ou desligamentos será tomada pelo comprador da empresa, após a conclusão do processo de desestatização. Evidentemente, a legislação trabalhista define as regras dos contratos de terceirização. 3. O que muda para quem comprar as ações? Empregados e aposentados acionistas terão como direito receber parte dos lucros, como dividendos ou juros sobre capital próprio e participar de assembleias de acionistas. A participação no Conselho de Administração estará sujeita a sua eleição pela assembleia-geral seguindo as normas estabelecidas em lei e o estatuto da CELG D. Os empregados não terão regime diferenciado ou privilégios no trabalho por serem acionistas. Os empregados e aposentados que comprarem as ações não poderão vendê-las para terceiros nos três primeiros anos após a desestatização caso não haja abertura de capital. Nesse caso, o novo controlador terá a obrigação de efetuar oferta de recompra após 3 anos da assinatura do contrato de compra e venda da empresa por R$ 18,69 (preço da ação sem desconto) reajustado pela inflação (IPCA) do período e mais 8% ao ano.. Havendo abertura de capital, os empregados e aposentados poderão revender as ações no mercado acionário e não haverá obrigação comprador da CELG D de recomprar as ações adquiridas por empregados e aposentados. 1

2 QUANTIDADE E PREÇO DAS AÇÕES 1. Quantas ações estão à venda para empregados e aposentados? Serão oferecidas aos empregados e aposentados da CELG D 10% das ações da Eletrobras, o equivalente a 5,09% do total de ações da CELG D. Serão ofertadas o total de (sete milhões, seiscentas e setenta e seis mil, cento e vinte e sete) ações ordinárias de emissão da CELG D. Cada empregado ou aposentado habilitado poderá comprar a mesma quantidade de ações, independente do cargo ocupado na CELG D, atualmente ou quando da sua aposentadoria. Para exemplificar, vamos imaginar que três mil empregados e aposentados da CELG D se interessem e estejam habilitados a comprar as ações. Neste cenário, o máximo que cada habilitado poderá adquirir serão (duas mil, quinhentas e cinquenta e oito) ações. Esse é o resultado de se dividir , o número total de ações, por interessados. Como o preço da ação na oferta é de R$ 16,82, cada um poderia investir, nesse caso, no máximo R$ ,56 (quarenta e três mil e vinte e cinco reais e cinquenta e seis centavos). 2. O preço da ação é fixo? O preço de R$ 16,82 para cada ação na oferta para empregados e aposentados é fixo. O preço de R$ 18,69 para o leilão de venda do controle da CELG D é mínimo. Os interessados na compra podem fazer ofertas de valores superiores ao mínimo. 3. O preço de R$16,82 por ação não é elevado, se comparado ao preço de outras empresas do setor? Os preços das ações de companhia diferentes não podem ser comparados diretamente. Precisam ser levados em conta o valor total da empresa e a quantidade de ações ofertadas por cada empresa. Por exemplo, se uma empresa vale R$1.000,00 e tem 1000 ações, cada ação valerá R$ 1,00. Caso a mesma empresa tenha 100 ações, cada uma valerá R$ 10, O lote mínimo é uma ação? Sim. O empregado ou aposentado poderá comprar uma ação, se assim desejar. COMO SERÁ FEITA A COMPRA DAS AÇÕES? 1. Como os empregados e aposentados interessados poderão participar das ofertas de ações? Para negociar as ações, os empregados e aposentados precisam estar habilitados e contratar um agente de custódia, instituição autorizada e credenciado na BM&FBOVESPA para negociar as ações. A relação de agentes de custódia credenciados pode ser consultada na página da BM&FBOVESPA. 2. Caso a CELG D não seja vendida os empregados ainda poderão comprar ações? 2

3 A oferta aos empregados e aposentados é uma operação paralela ao leilão de desestatização, e segue regras específicas, estabelecidas no Manual de Oferta aos Empregados e Aposentados. Contudo, é um processo dependente, ou seja, a oferta aos empregados e aposentados só se efetivará se a venda da empresa for concluída. HABILITAÇÃO PARA PARTICIPAR DA OFERTA 1. Como se habilitar? Empregados e aposentados interessados precisam comparecer a um dos Postos de Atendimento definidos pela CELG D com a documentação solicitada e entregar o formulário de requerimento de habilitação na oferta. 2. Como serão divulgados os locais dos Postos de Atendimento? Os locais dos pontos de atendimento serão divulgados no website e na intranet da CELG D. 3. Quem pode se habilitar para participar das ofertas de ações? Empregados: qualquer pessoa que possua vínculo empregatício com a CELG D na data de publicação do edital, que aconteceu em 24 de junho de 2016; Aposentados: o Ter vínculo empregatício com a CELG D* quando se aposentou o Ter feito a última contribuição à previdência como funcionário da CELG D* o Ter tido a última contribuição paga pela CELG D* por conta de programa de desligamento (* ou de qualquer das denominações anteriores da CELG D, como por exemplo, Companhia Energética de Goiás e Centrais Elétricas de Goiás S.A., bem como qualquer outra denominação social já utilizada pela CELG-D) 4. Como saber se você foi habilitado? - Uma relação preliminar será divulgada pelo BNDES e pela CELG D no dia 05/09. O interessado que entregar o requerimento de habilitação e não constar na relação preliminar deverá retornar ao posto de atendimento entre os dias 6 e 13/09. - No dia 20/09, será divulgada a relação definitiva, com o número de habilitados que será usado para calcular quantas ações cada empregado e aposentado poderá comprar na primeira oferta. CONTRATAÇÃO DO AGENTE DE CUSTÓDIA 1. Como funciona a custódia de ações? Funciona como uma conta bancária. Quando alguém compra uma ação, ela fica guardada em um agente de custódia e seu dono recebe um extrato com o número de ações ele tem. Quando ele vende, esta ação sai da conta do agente de custódia do vendedor e passa para a conta do agente de custódia do comprador, da mesma forma que acontece com o dinheiro quando pagamos contas no banco. 3

4 2. A escolha do agente de custódia é iniciativa dos interessados nas ações? Sim. Cada empregado ou aposentado interessado na compra de ações escolhe o seu próprio agente de custódia. A lista completa de agentes de custódia está disponível no site da BM&FBOVESPA. 3. A taxa de administração dos agentes de custódia pode variar? Sim, pode variar. Por isso, é recomendada pesquisa para definição do agente de custódia e cada interessado deve escolher o seu próprio agente de custódia. 1ª OFERTA: RESERVA E LIQUIDAÇÃO 1. Existe um limite de quantidade de ações que podem ser compradas por pessoa? Para a Primeira Oferta o limite inicial será definido pelo número de interessados habilitados, de forma que todos tenham a possibilidade inicial de comprar o mesmo número de ações. Para a Segunda Oferta, o limite de compra será igual ao dobro da quantidade de ações adquirida na Primeira Oferta por cada empregado ou aposentado. 2. Quais as datas importantes da 1ª Oferta? - Entre 21/09 e 20/10, os habilitados precisam fazer a reserva das ações, preenchendo formulário específico, para indicar quantas ações pretendem comprar, respeitando o limite máximo. - Entre 21 e 25/10, os habilitados devem, então, depositar o valor correspondente à quantidade de ações que desejam comprar na conta do agente de custódia. 2ª OFERTA: RESERVA E LIQUIDAÇÃO 1. Quais as datas importantes da 2ª Oferta? - Em 8/11, haverá a divulgação de relação definitiva dos Empregados e Aposentados aptos a participar da 2a Oferta aos Empregados e Aposentados, indicando os respectivos Limites Máximos de Sobras. Somente os habilitados que fizeram compra de ações na 1ª Oferta poderão adquirir ações na 2ª Oferta. - De 9 a 21/11, os habilitados precisam fazer a reserva de ações referentes à 2ª Oferta. - Entre 22 e 24/11, os habilitados devem depositar o valor correspondente à quantidade de ações que vai adquirir na 2ª Oferta. 2. O novo controlador vai pagar o mesmo preço que os funcionários nas ações que sobrarem da Oferta aos empregados? Sim. Ele pagará o preço mínimo estabelecido para empregados e aposentados. 4

5 CLUBE DE INVESTIMENTOS 1. Poderá ser usado consórcio para compra de cotas? Os empregados poderão adquirir as ações individualmente ou por meio de clubes de investimento. 2. Quais as regras para Clubes de Investimento? Clubes de investimento são grupos formados por no mínimo 3 e no máximo 50 participantes, que se unem para fazer investimentos no mercado de capitais de maneira coletiva. Para oferta das ações da CELG D, os clubes de investimento deverão ser organizados pelos próprios empregados e aposentados, seguindo as regras da Comissão de Valores Mobiliários. 3. O que muda para quem participar da oferta de ação por meio de um Clube de Investimento? Mudam apenas os procedimentos para a compra. Os interessados permanecem com os mesmos direitos que os demais. Quem for adquirir por meio de clubes de investimento deverá anexar o respectivo termo de adesão ao clube de investimento no Pedido de Reserva das Ações, na 1ª Oferta. O limite de aquisição de ações por empregado e aposentado continua restrito àquele definido depois da habilitação, e os clubes terão direito de adquirir o somatório das ações que cada membro manifestar interesse em adquirir, respeitando o Limite Máximo Individual. MERCADO DE AÇÕES E ABERTURA DE CAPITAL 1. Como será a participação de lucros? A participação de lucros será relativa a porcentagem de ações adquiridas e ao percentual destinado à distribuição de dividendos. 2. Quais são os riscos financeiros na venda das ações? Todo investimento em mercado acionário é um investimento de risco. Dentre os riscos existentes, pode haver oscilação de preços, alterações no mercado de distribuição e dificuldades enfrentadas pela companhia. 3. Existe algum tipo de imposto em relação a venda das ações, aos dividendos e aos juros sobre capital próprio? Há imposto de renda sobre ganho de capital (a diferença do valor de venda em relação ao valor pago na compra da ação); Não há incidência de imposto de renda sobre os lucros distribuídos na forma de dividendos; Há incidência sobre os lucros distribuídos na forma de juros sobre capital próprio. 4. Caso haja aporte de capital pelos novos acionistas, qual será o impacto para os empregados e aposentados que serão acionistas minoritários? 5

6 Como em toda operação de aporte de capital, os minoritários podem fazer o acompanhamento do aporte de forma proporcional para manter a mesma participação ou terão a porcentagem das suas ações diluídas. 5. Os empregados e aposentados, que são acionistas minoritários, poderão participar de reuniões do Conselho de Administração? Eles terão direito a voto e veto em algumas decisões? Como acionista, o empregado ou aposentado poderá participar das assembleias gerais de acionistas (ordinárias e extraordinárias). A participação no Conselho de Administração estará sujeita a sua eleição pela assembleia-geral seguindo as normas estabelecidas em lei e o estatuto da CELG D. 6. Haverá garantia de recompra das ações? Esta é uma medida para beneficiar o empregado ou aposentado? Caso o novo controlador da CELG D não abra o capital em até três anos da assinatura do contrato, ele será obrigado a fazer uma oferta de R$18,69 (preço de cada ação sem o desconto dado no momento da oferta aos empregados e aposentados) pelas ações adquiridas pelos empregados e aposentados; esse valor será reajustado pela inflação (IPCA) do período e mais 8% ao ano Esta oferta aos empregados e aposentados cumpre a legislação que regulamenta processos de desestatização. 7. As ações podem ser revendidas antes do prazo de 3 anos? Existe alguma penalidade para quem fizer antes deste prazo? Caso não tenha havido abertura de capital e houver uma tentativa, por qualquer meio, de transferência antes dos três anos, haverá uma multa. O valor será correspondente à diferença entre o preço da ação fixado no Leilão e o valor ofertado aos empregados e aposentados, multiplicada pelo número de ações envolvidas na tentativa de transferência, por empregado ou aposentado. 8. O que significa a abertura de capital citada no manual de oferta aos empregados e aposentados? Abertura de capital é quando a empresa faz uma oferta pública inicial de ações, que passarão então a ser negociadas na bolsa de valores BM&FBOVESPA. 9. De quem é a decisão para haver abertura de capital da empresa? Essa decisão cabe ao novo controlador da companhia. 10. Qual a relação entre a abertura de capital e a possibilidade de venda das ações pelos empregados e aposentados? Caso haja abertura de capital antes do período de três anos da assinatura do contrato, os empregados e aposentados poderão revender as ações no mercado acionário. Nesse caso, não haverá mais a obrigação de oferta de recompra pelo novo controlador. 6

7 RECURSOS PARA A COMPRA DE AÇÕES 1. Que tipo de recursos poderão ser utilizados para compra de ações? Pode ser usado o FGTS? A compra das ações deve ser paga à vista. Os recursos do FGTS não serão liberados para essa compra de ações. Os empregados e aposentados interessados na compra de ações, que queiram algum tipo de financiamento, devem procurar diretamente instituições financeiras de sua escolha, diretamente. 2. Será aberta uma linha de crédito para compra das ações? Não haverá nenhuma linha de crédito especial para essa compra. Os empregados e aposentados interessados na compra de ações, que queiram algum tipo de financiamento, devem procurar diretamente instituições financeiras de sua escolha. CRONOGRAMA DO PROCESSO DE OFERTA DE AÇÕES 1. Quando serão feitas as ofertas? Segue o cronograma completo do processo de oferta de ações: Datas Eventos 24/06 Divulgação do Edital e do Manual de Oferta aos Empregados e Aposentados 01/07 Divulgação do Manual BM&FBOVESPA de Procedimentos da Oferta aos Empregados e Aposentados 11/07 a 15/07 Período de realização de Reuniões de esclarecimentos aos Empregados e Aposentados da CELG-D 18/07 Início do período de habilitação e entrega do Requerimento de Habilitação na Oferta nos Postos de Atendimento da CELG-D 19/08 Leilão para transferência do Objeto do Leilão 29/08 Término do período de habilitação e entrega do Requerimento de Habilitação na Oferta nos Postos de Atendimento da CELG-D 05/09 Divulgação de relação preliminar dos Empregados e Aposentados habilitados 06/09 a 13/09 Período para solicitação de retificação da relação de habitação 16/09 Homologação do resultado e adjudicação do Leilão para transferência de controle da CELG-D à Vencedora do Leilão 20/09 Divulgação de relação definitiva dos Empregados e Aposentados habilitados e do Limite Máximo aplicável a cada Empregado ou Aposentado 7

8 Datas Eventos 21/09 Início do período de reserva da Primeira Etapa da Oferta aos Empregados e Aposentados e do período de entrega do Pedido de Reserva de Ações da Primeira Etapa 17/10 Liquidação do Leilão para a transferência do controle de CELG-D à Vencedora do Leilão 20/10 Término do período de reserva da Primeira Etapa da Oferta aos Empregados e Aposentados e da entrega do Pedido de Reserva de Ações da Primeira Etapa 21/10 a 25/10 Período de depósito de recursos na conta no agente de custódia 31/10 Liquidação das Ações da Primeira Etapa da Oferta aos Empregados e Aposentados, nos termos do Manual BM&FBOVESPA de Procedimentos da Oferta aos Empregados e Aposentados Divulgação de relação definitiva dos Empregados e Aposentados aptos a participar da Segunda 08/11 Etapa da Oferta aos Empregados e Aposentados, indicando os respectivos Limites Máximos de Sobras 09/11 Início do período reserva da Segunda Etapa da Oferta aos Empregados e Aposentados e do período de entrega do Pedido de Reserva de Ações da Segunda Etapa 21/11 Término do período de reserva da Segunda Etapa da Oferta aos Empregados e Aposentados e da entrega do Pedido de Reserva de Ações da Segunda Etapa 22/11 a 24/11 Período de depósito de recursos na conta no agente de custódia Datas Eventos 29/11 Liquidação das Ações da Segunda Etapa da Oferta aos Empregados e Aposentados, nos termos do Manual BM&FBOVESPA de Procedimentos da Oferta aos Empregados e Aposentados 06/12 Divulgação das sobras da Oferta aos Empregados e Aposentados 30/01 Liquidação das Sobras da Segunda Etapa, a serem adquiridas pela Vencedora do Leilão 2. Qual o prazo limite para alteração na quantidade de ações a serem adquiridas por funcionários? O Empregado ou Aposentado poderá alterar o Pedido de Reserva de Ações até o prazo para a apresentação do Pedido de Reserva indicado no Cronograma, inclusive. Qualquer novo pedido anulará o(s) pedido(s) anterior(es), prevalecendo para todos os fins o pedido mais recente. 8

Fundo de Investimento em Ações - FIA

Fundo de Investimento em Ações - FIA Renda Variável Fundo de Investimento em Ações - FIA Fundo de Investimento em Ações O produto O Fundo de Investimento em Ações (FIA) é um investimento em renda variável que tem como principal fator de risco

Leia mais

Brazilian Depositary Receipt BDR Nível I Não Patrocinado

Brazilian Depositary Receipt BDR Nível I Não Patrocinado Renda Variável Brazilian Depositary Receipt BDR Nível I Não Patrocinado O produto Os Brazilian Depositary Receipts Nível I Não Patrocinados (BDR NP) são valores mobiliários, emitidos no Brasil por instituições

Leia mais

Certificado de Recebíveis Imobiliários CRI

Certificado de Recebíveis Imobiliários CRI Renda Fixa Certificado de Recebíveis Imobiliários CRI Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI O produto O Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI) é um título que gera um direito de crédito ao

Leia mais

Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas. Novo Mercado de. Renda Fixa

Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas. Novo Mercado de. Renda Fixa Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas Novo Mercado de Renda Fixa CAPÍTULO I PROPÓSITO E ABRANGÊNCIA Art. 1º - O objetivo deste Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para o Novo Mercado

Leia mais

BB Crédito Imobiliário

BB Crédito Imobiliário Selecione a Linha de Crédito Aquisição PF PMCMV Aquisição PF PMCMV Convênios Aquisição PF FGTS Pró-Cotista Aquisição FGTS PF Aquisição PF FGTS Convênios Dados da Agência acolhedora / condutora da Operação

Leia mais

PREÇOS DOS SERVIÇOS DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO

PREÇOS DOS SERVIÇOS DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO PREÇOS DOS SERVIÇOS DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO NORMA Nº: NIE-CGCRE-140 APROVADA EM DEZ/2015 Nº 01/07 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade 4 Histórico

Leia mais

O Consórcio Conseg Abesprev cobra taxa de adesão, taxas de expediente? Não. O Consórcio Abesprev Conseg é sem Taxa de Adesão e Taxa de Expediente.

O Consórcio Conseg Abesprev cobra taxa de adesão, taxas de expediente? Não. O Consórcio Abesprev Conseg é sem Taxa de Adesão e Taxa de Expediente. O que é Consórcio? É um sistema que administra os recursos financeiros de grupos de Pessoas Físicas e/ou Jurídicas com o objetivo de aquisição de bens móveis ou imóveis sem cobrança de juros e com livre

Leia mais

PDG REALTY S.A. EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES Companhia Aberta. CNPJ/MF nº 02.950.811/0001-89 NIRE 33.300.285.199 AVISO AOS ACIONISTAS

PDG REALTY S.A. EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES Companhia Aberta. CNPJ/MF nº 02.950.811/0001-89 NIRE 33.300.285.199 AVISO AOS ACIONISTAS PDG REALTY S.A. EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES Companhia Aberta CNPJ/MF nº 02.950.811/0001-89 NIRE 33.300.285.199 AVISO AOS ACIONISTAS PDG Realty S.A. Empreendimentos e Participações ( Companhia ou PDG

Leia mais

CARTILHA DO PLANO DE BENEFÍCIOS

CARTILHA DO PLANO DE BENEFÍCIOS CARTILHA DO PLANO DE BENEFÍCIOS Esta cartilha traz informações e dicas, de forma simples e clara, para que você conheça as vantagens que o seu plano de previdência oferece. Leia com atenção e comece a

Leia mais

Prospecção Inteligente

Prospecção Inteligente CONSORCIO NACIONAL GAZIN Prospecção Inteligente Inicialmente parece simples: prospectar é pesquisar, localizar e avaliar clientes potenciais. Mas o que parece óbvio nem sempre é feito da maneira correta.

Leia mais

Edital N 05/2016 - SRI

Edital N 05/2016 - SRI Edital N 05/2016 - SRI Dispõe sobre o programa de Mobilidade Internacional de alunos de graduação da Universidade Federal Fluminense Bolsas Luso- Brasileiras Santander Universidades 2016.2 e 2017.1 A Superintendência

Leia mais

Restrições de Investimento: -.

Restrições de Investimento: -. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O TOKYO-MITSUBISHI UFJ LEADER FI REF DI 00.875.318/0001-16 Informações referentes a 05/2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o TOKYO-MITSUBISHI

Leia mais

MANUAL DE CLUBES DE INVESTIMENTO XP INVESTIMENTOS CCTVM S/A. Departamento de Clubes

MANUAL DE CLUBES DE INVESTIMENTO XP INVESTIMENTOS CCTVM S/A. Departamento de Clubes MANUAL DE CLUBES DE INVESTIMENTO XP INVESTIMENTOS CCTVM S/A Departamento de Clubes Versão 2.0 Junho/2012 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 1.1 O que é um clube de investimento?... 3 1.2 Como criar um clube de

Leia mais

INSTRUÇÃO CVM Nº 551, DE 25 DE SETEMBRO DE 2014

INSTRUÇÃO CVM Nº 551, DE 25 DE SETEMBRO DE 2014 Altera e acrescenta dispositivos à Instrução CVM nº 332, de 4 de abril de 2000, à Instrução CVM nº 400, de 29 de dezembro de 2003, e à Instrução CVM nº 476, de 16 de janeiro de 2009. O PRESIDENTE DA COMISSÃO

Leia mais

13. Derivativos 1/3/2009 1

13. Derivativos 1/3/2009 1 13. Derivativos 13.1 Mercados futuros 13.2 Participantes do mercado futuro 13.3 Os preços no mercado futuro 13.4 Exemplo ilustrativo venda a descoberto 13.5 Mercado de opções 13.6 Opção de compra e de

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER YIELD VIP REFERENCIADO DI CRÉDITO PRIVADO 01.615.744/0001-83 Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER YIELD VIP REFERENCIADO DI CRÉDITO PRIVADO 01.615.744/0001-83 Informações referentes a Maio de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER YIELD VIP REFERENCIADO DI CRÉDITO PRIVADO 01.615.744/0001-83 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

Contrato de Câmbio na Exportação.

Contrato de Câmbio na Exportação. Contrato de Câmbio na Exportação. A Momento da Contratação B Liquidação do contrato de câmbio C Alteração D Cancelamento E Baixa do Contrato de Câmbio F Posição de Câmbio: nivelada, comprada e vendida.

Leia mais

CERT Exceptions ED 15 pt. Exceções. Documento Explicativo. Válido a partir de: 02/03/2016 Distribuição: Pública

CERT Exceptions ED 15 pt. Exceções. Documento Explicativo. Válido a partir de: 02/03/2016 Distribuição: Pública CERT Exceptions ED 15 pt Exceções Documento Explicativo Válido a partir de: 02/03/2016 Distribuição: Pública Índice 1 Objetivo... 3 2 Área de Aplicação... 3 3 Definições... 3 4 Processo... 3 5 Tipos de

Leia mais

MPS. Manual de Orientação para Contratação de Planos de Saúde ANEXO I SÃO PAULO ANS N 31004-2 PLANOS ODONTOLÓGICOS

MPS. Manual de Orientação para Contratação de Planos de Saúde ANEXO I SÃO PAULO ANS N 31004-2 PLANOS ODONTOLÓGICOS MPS ANEXO I Manual de Orientação para Contratação de Planos de Saúde ANS N 31004-2 SÃO PAULO PLANOS ODONTOLÓGICOS 1 ANEXO I UNIODONTO DE SÃO PAULO SÃO PAULO PLANOS ODONTOLÓGICOS CNPJ: 51.701.878/0001-95

Leia mais

Entretanto, este benefício se restringe a um teto de 12% da renda total tributável. O plano VGBL é vantajoso em relação ao PGBL para quem:

Entretanto, este benefício se restringe a um teto de 12% da renda total tributável. O plano VGBL é vantajoso em relação ao PGBL para quem: 2 1 3 4 2 PGBL ou VGBL? O plano PGBL, dentre outras, tem a vantagem do benefício fiscal, que é dado a quem tem renda tributável, contribui para INSS (ou regime próprio ou já aposentado) e declara no modelo

Leia mais

REGULAMENTO DO FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO FGTS UNIBANCO C - PETROBRÁS CNPJ Nº 03.916.755/0001-29 DO FUNDO

REGULAMENTO DO FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO FGTS UNIBANCO C - PETROBRÁS CNPJ Nº 03.916.755/0001-29 DO FUNDO REGULAMENTO DO FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO FGTS UNIBANCO C - PETROBRÁS CNPJ Nº 03.916.755/0001-29 DO FUNDO Artigo 1º - O FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO FGTS UNIBANCO C - PETROBRÁS, doravante designado, abreviadamente,

Leia mais

MAGAZINE LUIZA S.A. CNPJ/MF N.º 47.960.950/0001-21 NIRE 35.300.104.811 Capital Aberto

MAGAZINE LUIZA S.A. CNPJ/MF N.º 47.960.950/0001-21 NIRE 35.300.104.811 Capital Aberto MAGAZINE LUIZA S.A. CNPJ/MF N.º 47.960.950/0001-21 NIRE 35.300.104.811 Capital Aberto ATA DA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 4 DE OUTUBRO DE 2012 1. DATA, HORA E LOCAL:

Leia mais

Rio de Janeiro, novembro de 2010. Renato Andrade

Rio de Janeiro, novembro de 2010. Renato Andrade Tesouro Direto Rio de Janeiro, novembro de 2010 Renato Andrade Visão Geral Vantagens Comprando Tributação e Vendendo Títulos Comprando e Vendendo Títulos Entendendo o que altera o preço Simulador do Tesouro

Leia mais

2.2 Estruturar ação de oficina de integração com gestores, trabalhadores, usuários e familiares da RAPS, redes de saúde e rede intersetorial.

2.2 Estruturar ação de oficina de integração com gestores, trabalhadores, usuários e familiares da RAPS, redes de saúde e rede intersetorial. Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas Coordenação Geral de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas. II Chamada para Seleção de Redes Visitantes

Leia mais

REGIMENTO INTERNO RECOMENDADO PARA O ROTARY CLUB

REGIMENTO INTERNO RECOMENDADO PARA O ROTARY CLUB MANUAL DE PROCEDIMENTO 2013 REGIMENTO INTERNO RECOMENDADO PARA O ROTARY CLUB Artigo Assunto Página 1 Definições... 225 2 Conselho diretor... 225 3 Eleições e mandatos... 225 4 Deveres do conselho diretor...

Leia mais

CDB - CERTIFICADO DE DEPÓSITO BANCÁRIO

CDB - CERTIFICADO DE DEPÓSITO BANCÁRIO CDB - CERTIFICADO DE DEPÓSITO BANCÁRIO O Certificado de Depósito Bancário ou CDB é uma das mais populares aplicações de Renda Fixa no mercado. O CDB é, na verdade, um instrumento de captação dos bancos,

Leia mais

PROGRAMA TREINAMENTO E CAPACITAÇÃO TÉCNICA TCT

PROGRAMA TREINAMENTO E CAPACITAÇÃO TÉCNICA TCT EDITAL FAPERJ N.º 08/2007 PROGRAMA TREINAMENTO E CAPACITAÇÃO TÉCNICA TCT O Governo do Estado do Rio de Janeiro, por intermédio da Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia, através da Fundação Carlos

Leia mais

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 004/LCPA/SBPA/2016

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 004/LCPA/SBPA/2016 EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 004/LCPA/SBPA/2016 CHAMAMENTO PÚBLICO COM OBJETIVO DE PROSPECÇÃO DE MERCADO PARA AVALIAÇÃO DO NÚMERO DE INTERESSADOS NA CONCESSÃO DE USO DE ÁREAS E INSTALAÇÕES, DESTINADAS

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O AGORA BOLSA FIC DE FIA 08.909.429/0001-08. Informações referentes a Abril de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O AGORA BOLSA FIC DE FIA 08.909.429/0001-08. Informações referentes a Abril de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O AGORA BOLSA FIC DE FIA 08.909.429/0001-08 Informações referentes a Abril de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o ÁGORA BOLSA FUNDO

Leia mais

Fundo de Investimento em Direitos Creditórios FIDC

Fundo de Investimento em Direitos Creditórios FIDC Renda Fixa Fundo de Investimento em Direitos Creditórios FIDC Fundo de Investimento em Direitos Creditórios O produto O Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) é uma comunhão de recursos que

Leia mais

Passos para comprar imóveis com segurança. Carlos Maciel Imóveis

Passos para comprar imóveis com segurança. Carlos Maciel Imóveis Passos para comprar imóveis com segurança Carlos Maciel Imóveis Introdução A aquisição de um imóvel é sempre um momento de muita alegria, mas também de muita atenção. Afinal, muito mais do que uma simples

Leia mais

Orientações para Inscrição. Financiamento Estudantil FIES Faculdades EST

Orientações para Inscrição. Financiamento Estudantil FIES Faculdades EST Orientações para Inscrição Financiamento Estudantil FIES Faculdades EST 2014 Financiamento Estudantil - FIES É um programa do Ministério da Educação destinado a financiar a graduação de estudantes regularmente

Leia mais

Informações prévias às assembleias

Informações prévias às assembleias Informações prévias às assembleias Andre Grunspun Pitta B2 B1 Informações prévias às assembleias Confidencial Restrita Confidencial Uso Interno X Público 1 Slide 1 B1 B2 Para selecionar a classificação

Leia mais

PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA VOLUNTÁRIO PIC DIREITO/UniCEUB EDITAL DE 2016

PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA VOLUNTÁRIO PIC DIREITO/UniCEUB EDITAL DE 2016 PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA VOLUNTÁRIO PIC DIREITO/UniCEUB EDITAL DE 2016 O reitor do Centro Universitário de Brasília UniCEUB, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, torna público que

Leia mais

RESOLUÇÃO CREDUNI 004/2015

RESOLUÇÃO CREDUNI 004/2015 RESOLUÇÃO CREDUNI 004/2015 Atualiza a Resolução CREDUNI 003/2015 de 8/09/2015 sobre critérios e taxas de juros de empréstimos e financiamentos de acordo com as condições oferecidas pelo cooperado modificando

Leia mais

UNIVERSIDADE DO SAGRADO CORAÇÃO REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

UNIVERSIDADE DO SAGRADO CORAÇÃO REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU UNIVERSIDADE DO SAGRADO CORAÇÃO REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Em conformidade com a Resolução CNE/CES n 1, de 08 de Junho de 2007 e o Regimento da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação.

Leia mais

Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente

Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente - O que são os FUNDOS DE DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE? São recursos públicos mantidos em contas bancárias específicas. Essas contas têm a finalidade de receber repasses orçamentários e depósitos

Leia mais

CONVÊNIO ICMS 108, DE 28 DE SETEMBRO DE 2012

CONVÊNIO ICMS 108, DE 28 DE SETEMBRO DE 2012 CONVÊNIO ICMS 108, DE 28 DE SETEMBRO DE 2012 Autoriza o Estado de São Paulo a dispensar ou reduzir multas e demais acréscimos legais mediante parcelamento de débitos fiscais relacionados com o ICM e o

Leia mais

Educação a distância dissensos e consensos

Educação a distância dissensos e consensos Reunião Conjunta das Regiões Sul e Sudeste do Fórum Nacional dos Conselhos Estaduais Educação a distância dissensos e consensos Arthur José Pavan Torres Conselho Estadual de Educação-SP Histórico a partir

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FIC RENDA FIXA SIMPLES 22.918.245/0001-35 Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FIC RENDA FIXA SIMPLES 22.918.245/0001-35 Informações referentes a Maio de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FIC RENDA FIXA SIMPLES 22.918.245/0001-35 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o SANTANDER

Leia mais

(4) Não efetuamos alterações nem adaptações de qualquer natureza no software visando adaptar ao uso específico dos usuários.

(4) Não efetuamos alterações nem adaptações de qualquer natureza no software visando adaptar ao uso específico dos usuários. LEIA COM ATENÇÃO: (1) Os TERMOS DE USO dos SOFTWARES disponibilizados no SITE, são regidos pelo CONTRATO DE ADESÃO DE LICENÇA DE USO DE SOFTWARE, exibido abaixo. Caso não aceite os termos de uso, não utilize

Leia mais

Plano de saúde. aposentados e demitidos

Plano de saúde. aposentados e demitidos Plano de saúde aposentados e demitidos A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) foi criada em 2000 com a finalidade de regular o setor de planos privados de assistência à saúde. Essa cartilha tem

Leia mais

UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Faculdade de Ciências Médicas Conselho Executivo

UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Faculdade de Ciências Médicas Conselho Executivo Conselho de Faculdade da da Universidade Nova de Lisboa REGIMENTO Artigo 1º Composição 1. O Conselho de Faculdade da FCM é constituído por treze membros, sendo oito docentes e investigadores, um estudante,

Leia mais

M =C J, fórmula do montante

M =C J, fórmula do montante 1 Ciências Contábeis 8ª. Fase Profa. Dra. Cristiane Fernandes Matemática Financeira 1º Sem/2009 Unidade I Fundamentos A Matemática Financeira visa estudar o valor do dinheiro no tempo, nas aplicações e

Leia mais

REGULAMENTO DA CAMPANHA DE INCENTIVO À CONTRATAÇÃO DE CARTÕES DE CRÉDITO PROMOÇÃO BMG CARD CASH BACK

REGULAMENTO DA CAMPANHA DE INCENTIVO À CONTRATAÇÃO DE CARTÕES DE CRÉDITO PROMOÇÃO BMG CARD CASH BACK REGULAMENTO DA CAMPANHA DE INCENTIVO À CONTRATAÇÃO DE CARTÕES DE CRÉDITO PROMOÇÃO BMG CARD CASH BACK É instituída a campanha Promoção BMG Card Cash Back como forma de incentivar os servidores efetivos

Leia mais

COTAS SOCIAIS REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DE ISENÇÃO DA TAXA DE INSCRIÇÃO DO CONCURSO VESTIBULAR

COTAS SOCIAIS REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DE ISENÇÃO DA TAXA DE INSCRIÇÃO DO CONCURSO VESTIBULAR COTAS SOCIAIS REGULAMENTO PARA REQUERIMENTO NAS COTAS SOCIAIS O sistema de Cotas Sociais, utilizados no Processo Seletivo da FAFIPA, é destinado a candidatos que tenham realizados seus estudos de ensino

Leia mais

Programa Gulbenkian de Língua e Cultura Portuguesas REGULAMENTO DO CONCURSO DE APOIO A CONGRESSOS NOS DOMÍNIOS DA LÍNGUA E DA CULTURA PORTUGUESAS

Programa Gulbenkian de Língua e Cultura Portuguesas REGULAMENTO DO CONCURSO DE APOIO A CONGRESSOS NOS DOMÍNIOS DA LÍNGUA E DA CULTURA PORTUGUESAS REGULAMENTO DO CONCURSO DE APOIO A CONGRESSOS NOS DOMÍNIOS DA LÍNGUA E DA CULTURA PORTUGUESAS 2014 Enquadramento A Fundação Calouste Gulbenkian (Fundação), através de concurso, vai conceder apoio à organização

Leia mais

Decanato de Pesquisa e Pós-Graduação. Processo Seletivo para o 1º semestre de 2013

Decanato de Pesquisa e Pós-Graduação. Processo Seletivo para o 1º semestre de 2013 Decanato de Pesquisa e Pós-Graduação Processo Seletivo para o 1º semestre de 2013 PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EDITAL INTRODUÇÃO A Reitoria da Universidade Presbiteriana Mackenzie, por seu Decanato de Pesquisa

Leia mais

Perguntas frequentes graduação sanduíche Ciência sem Fronteiras

Perguntas frequentes graduação sanduíche Ciência sem Fronteiras Perguntas frequentes graduação sanduíche Ciência sem Fronteiras Como fico sabendo se minha universidade assinou Entre em contato com o departamento responsável o acordo de adesão? pela graduação, ou órgão

Leia mais

BARIGUI SECURITIZADORA S.A.

BARIGUI SECURITIZADORA S.A. AVISO AO MERCADO Oferta Pública de Distribuição dos Certificados de Recebíveis Imobiliários das Séries 60ª e 61ª da 1ª Emissão da Barigui Securitizadora S.A. A BARIGUI SECURITIZADORA S.A., inscrita no

Leia mais

REGULAMENTO DE MONITORIA. Capítulo I Das Disposições Gerais

REGULAMENTO DE MONITORIA. Capítulo I Das Disposições Gerais REGULAMENTO DE MONITORIA Dispõe sobre a regulamentação da Monitoria Capítulo I Das Disposições Gerais Art. 1 O presente regulamento estabelece normas para o processo seletivo de monitoria da Faculdade

Leia mais

RUMO LOGÍSTICA OPERADORA MULTIMODAL S.A. CNPJ/MF n 71.550.388/0001-42 NIRE 35.300.170.865 Companhia Aberta Categoria A COMUNIDO AO MERCADO

RUMO LOGÍSTICA OPERADORA MULTIMODAL S.A. CNPJ/MF n 71.550.388/0001-42 NIRE 35.300.170.865 Companhia Aberta Categoria A COMUNIDO AO MERCADO RUMO LOGÍSTICA OPERADORA MULTIMODAL S.A. CNPJ/MF n 71.550.388/0001-42 NIRE 35.300.170.865 Companhia Aberta Categoria A COMUNIDO AO MERCADO PEDIDO PÚBLICO DE PROCURAÇÃO A Administração da RUMO LOGÍSTICA

Leia mais

Guia de Utilização para Beneficiários do Plano de Assistência e Saúde PAS, com cobertura adicional da CAMED

Guia de Utilização para Beneficiários do Plano de Assistência e Saúde PAS, com cobertura adicional da CAMED Guia de Utilização para Beneficiários do Plano de Assistência e Saúde PAS, com cobertura adicional da CAMED 1 Guia de Utilização para Beneficiários do Plano de Assistência e Saúde PAS, com cobertura adicional

Leia mais

REGULAMENTO HACKATHON KIMBERLY-CLARK EDIÇÃO HUGGIES

REGULAMENTO HACKATHON KIMBERLY-CLARK EDIÇÃO HUGGIES REGULAMENTO HACKATHON KIMBERLY-CLARK EDIÇÃO HUGGIES Este regulamento contém as regras aplicáveis ao Hackathon Kimberly-Clark Edição Huggies ( Evento ), promovida pela KIMBERLY-CLARK BRASIL INDÚSTRIA E

Leia mais

PROGRAMA DE INTERCÂMBIO INTERNACIONAL PARA GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE DE AVEIRO-PORTUGAL - UA REITORIA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA EDITAL Nº 01/2013

PROGRAMA DE INTERCÂMBIO INTERNACIONAL PARA GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE DE AVEIRO-PORTUGAL - UA REITORIA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA EDITAL Nº 01/2013 PROGRAMA DE INTERCÂMBIO INTERNACIONAL PARA GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE DE AVEIRO-PORTUGAL - UA REITORIA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA EDITAL Nº 01/2013 O Reitor do Centro Universitário UNA, Prof. Átila Simões

Leia mais

Para concorrer às bolsas integrais e/ou parciais o candidato deve satisfazer as condições abaixo:

Para concorrer às bolsas integrais e/ou parciais o candidato deve satisfazer as condições abaixo: 1 - Conhecendo o Proupe 1.1 - O que é o Programa Universidade para Todos em Pernambuco (Proupe)? É um programa do Governo do Estado de Pernambuco, criado pelo Governo Estadual em 2011, que promove a interiorização

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O HSBC FIC REF DI LP EMPRESA 04.044.634/0001-05 Informações referentes a Abril de 2013

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O HSBC FIC REF DI LP EMPRESA 04.044.634/0001-05 Informações referentes a Abril de 2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o HSBC FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO REFERENCIADO DI LONGO PRAZO. As informações completas sobre esse fundo podem

Leia mais

FAQ MasterCard Gold. 2. Depois de quanto tempo a partir da data da compra, posso receber o reembolso, se eu achar um produto mais barato?

FAQ MasterCard Gold. 2. Depois de quanto tempo a partir da data da compra, posso receber o reembolso, se eu achar um produto mais barato? Proteção de Preço FAQ MasterCard Gold 1. O que é a cobertura Proteção de Preços? A cobertura de Proteção de Preços, garante a segurança de comprar e pagar o melhor preço. Fazendo suas compras com MasterCard

Leia mais

Antes de investir, compare o fundo com outros da mesma classificação.

Antes de investir, compare o fundo com outros da mesma classificação. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS SOBERANO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO RENDA FIXA - SIMPLES CNPJ/MF: Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém

Leia mais

EDITAL Nº 16/2015 INGRESSO DE PORTADOR DE DIPLOMA DE CURSO SUPERIOR (MATRÍCULA ESPECIAL)

EDITAL Nº 16/2015 INGRESSO DE PORTADOR DE DIPLOMA DE CURSO SUPERIOR (MATRÍCULA ESPECIAL) EDITAL Nº 16/2015 INGRESSO DE PORTADOR DE DIPLOMA DE CURSO SUPERIOR (MATRÍCULA ESPECIAL) A Direção Acadêmica e Administrativada Faculdade Guanambi, no uso de suas atribuições legais, em atendimento ao

Leia mais

Matemática Financeira. 1ª Parte: Porcentagem Comparação entre Valores - Aumento e Desconto Juros

Matemática Financeira. 1ª Parte: Porcentagem Comparação entre Valores - Aumento e Desconto Juros Matemática ª série Lista 08 Junho/2016 Profª Helena Matemática Financeira 1ª Parte: Porcentagem Comparação entre Valores - Aumento e Desconto Juros 1) (GV) Carlos recebeu R$ 240.000,00 pela venda de um

Leia mais

Contratar um plano de saúde é uma decisão que vai além da pesquisa de preços. Antes de

Contratar um plano de saúde é uma decisão que vai além da pesquisa de preços. Antes de Planos de saúde: Sete perguntas para fazer antes de contratar Antes de aderir a um plano de saúde, o consumidor precisa se informar sobre todas as condições do contrato, para não correr o risco de ser

Leia mais

MODELO DE DECLARAÇÃO DE RECEITAS E DESPESAS

MODELO DE DECLARAÇÃO DE RECEITAS E DESPESAS APÊNDICE 2 MODELO DE DECLARAÇÃO DE RECEITAS E DESPESAS (nota de primeira página) Projecto n :... Título do projecto:...... Nome completo do Beneficiário:... Morada:...... Formulário financeiro apresentado

Leia mais

Administração Financeira

Administração Financeira Administração Financeira MÓDULO 4: BANCOS MÚLTIPLOS Os bancos múltiplos são instituições financeiras privadas ou públicas que realizam as operações ativas, passivas e acessórias das diversas instituições

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTO V.WEISS & CIA LTDA PROCEDIMENTO PADRÃO PARA VIAGEM A SERVIÇO ATUALIZADO: JULHO/2015 V.WEISS & CIA LTDA

MANUAL DE PROCEDIMENTO V.WEISS & CIA LTDA PROCEDIMENTO PADRÃO PARA VIAGEM A SERVIÇO ATUALIZADO: JULHO/2015 V.WEISS & CIA LTDA Julho/2015 Índice Sumário 1. Envolvidos... 3 2. Formulários Envolvidos... 3 2.1. Relatório de Solicitação de Viagem (anexo 02).... 3 2.2. Relatório de Prestação de Contas (anexo 03).... 3 3. Procedimentos...

Leia mais

OBJETIVO REGULAMENTO. 1. Da Participação

OBJETIVO REGULAMENTO. 1. Da Participação OBJETIVO O Prêmio mantra Brasil Design de Interiores tem por objetivo oferecer aos participantes o reconhecimento aos seus trabalhos e destaque no mercado. Com esta iniciativa queremos divulgar a diversidade

Leia mais

Incluir TODAS as despesas previstas, inclusive aquelas destinadas a eventos de lançamento e divulgação (banners, coquetel, cartazes etc.

Incluir TODAS as despesas previstas, inclusive aquelas destinadas a eventos de lançamento e divulgação (banners, coquetel, cartazes etc. 10. Orçamento 10. ORÇAMENTO CAMPO DESCRIÇÃO DESCRIÇÃO Descreva, de forma clara, quais os itens de despesa previstos no projeto, inclusive impostos previstos em lei. Incluir TODAS as despesas previstas,

Leia mais

VORTALbonus PROGRAMA '16 REGULAMENTO

VORTALbonus PROGRAMA '16 REGULAMENTO VORTALbonus PROGRAMA '16 REGULAMENTO 01. QUEM PODE PARTICIPAR? 0. O QUE É NECESSÁRIO PARA PARTICIPAR? 03. QUE TRANSAÇÕES NA PLATAORMA DÃO DIREITO A VORTALbonus? 01.1. Todos os utilizadores registados na

Leia mais

TESOURO DIRETO TÍTULOS PÚBLICOS

TESOURO DIRETO TÍTULOS PÚBLICOS TÍTULOS PÚBLICOS TESOURO DIRETO ESTA INSTITUIÇÃO É ADERENTE AO CÓDIGO ANBIMA DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS PARA ATIVIDADE DE DISTRIBUIÇÃO DE PRODUTOS DE INVESTIMENTO NO VAREJO. O Tesouro Nacional utiliza

Leia mais

Promoção Brasilprev no bb.com.br REGULAMENTO

Promoção Brasilprev no bb.com.br REGULAMENTO Promoção Brasilprev no bb.com.br REGULAMENTO 1. A PROMOÇÃO 1.1. A promoção Brasilprev no bb.com.br, adiante Promoção, é realizada pela Brasilprev Seguros e Previdência S/A, inscrita no CNPJ/MF sob o nº

Leia mais

Resumo do Regulamento de Utilização do Cartão Business Travel Bradesco

Resumo do Regulamento de Utilização do Cartão Business Travel Bradesco Resumo do Regulamento de Utilização do Cartão Business Travel Bradesco SUMÁRIO EXECUTIVO Resumo do Regulamento de Utilização do Cartão Business Travel Bradesco. IMPORTANTE: LEIA ESTE SUMÁRIO COM ATENÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE ADICIONAL PROASA

REGULAMENTO PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE ADICIONAL PROASA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE ADICIONAL PROASA Regulamento Índice Capítulo I Do Programa de Assistência à Saúde Adicional Capítulo II Das Definições Preliminares Capítulo III Dos Beneficiários

Leia mais

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DIREITO PENAL 2º Semestre de 2016

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DIREITO PENAL 2º Semestre de 2016 EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DIREITO PENAL 2º Semestre de 2016 As FACULDADES INTEGRADAS RIO BRANCO, na forma regimental torna público o presente Edital, estabelecendo as normas para inscrição e matrícula

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 3.354, DE 2015 (Do Sr. Luiz Nishimori)

PROJETO DE LEI N.º 3.354, DE 2015 (Do Sr. Luiz Nishimori) *C0057198A* C0057198A CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 3.354, DE 2015 (Do Sr. Luiz Nishimori) Dispõe sobre a concessão de visto permanente ao estrangeiro que invista e pretenda fixar-se no Brasil.

Leia mais

ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO FGV LAW PROGRAM

ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO FGV LAW PROGRAM ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV LAW PROGRAM EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 1º semestre / 2014 O FGV Law Program da Escola de Direito

Leia mais

PROCESSO Nº 1.23.000.001039/2014-06

PROCESSO Nº 1.23.000.001039/2014-06 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 02/2015 PROCESSO Nº 1.23.000.001039/2014-06 VALIDADE: 12 MESES Aos 02 dias do mês de março de 2015, na, Sala de licitações, localizada na Rua Domingos Marreiros, nº 690 Bairro

Leia mais

Edital FAPEAL N o 001/2009 PROGRAMA ESPECIAL DE BOLSAS

Edital FAPEAL N o 001/2009 PROGRAMA ESPECIAL DE BOLSAS Edital FAPEAL N o 001/2009 PROGRAMA ESPECIAL DE BOLSAS A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas FAPEAL, em parceria com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior CAPES,

Leia mais

Ass.: Programa BNDES de Incentivo à Armazenagem para Empresas e Cooperativas Cerealistas Nacionais BNDES Cerealistas

Ass.: Programa BNDES de Incentivo à Armazenagem para Empresas e Cooperativas Cerealistas Nacionais BNDES Cerealistas Grau: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR SUP/AOI Nº 19/2016-BNDES Rio de Janeiro, 07 de abril de 2016 Ref.: Produtos BNDES Automático e BNDES Finame Agrícola Ass.: Programa BNDES de Incentivo

Leia mais

Custos do Mercado. Regulamento n.º 1/2005, de 22 de Janeiro de 2007 B.O n.º 4 - I Série

Custos do Mercado. Regulamento n.º 1/2005, de 22 de Janeiro de 2007 B.O n.º 4 - I Série Custos do Mercado Regulamento n.º 1/2005, de 22 de Janeiro de 2007 B.O n.º 4 - I Série Regulamento n.º 2/2006, de 22 de Janeiro de 2007 B.O n.º 4 - I Série Rectificação do Regulamento n.º 2/2006, de 5

Leia mais

GUIA DO CRÉDITO CONSCIENTE

GUIA DO CRÉDITO CONSCIENTE GUIA DO 1 FAMILIAR GUIA DO 2 Existem várias maneiras de usar o dinheiro de forma consciente. Uma delas é definir suas necessidades e planejar todos os seus gastos levando em conta a renda disponível. Para

Leia mais

D-Francoforte no Meno: Aluguer de salas de reuniões e conferências 2013/S 059-096665. Anúncio de concurso. Serviços

D-Francoforte no Meno: Aluguer de salas de reuniões e conferências 2013/S 059-096665. Anúncio de concurso. Serviços 1/5 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:96665-2013:text:pt:html D-Francoforte no Meno: Aluguer de salas de reuniões e conferências 2013/S 059-096665 Anúncio

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SOLEDADE SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, CULTURA E DESPORTO. Especialização em Políticas e Gestão da Educação

PREFEITURA MUNICIPAL DE SOLEDADE SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, CULTURA E DESPORTO. Especialização em Políticas e Gestão da Educação PREFEITURA MUNICIPAL DE SOLEDADE SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, CULTURA E DESPORTO Especialização em Políticas e Gestão da Educação Curso de Pós Graduação lato sensu UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO EDITAL

Leia mais

Perfis de Investimento

Perfis de Investimento Perfis de Investimento OBJETIVO O presente documento apresenta como principal objetivo a defi nição de uma estrutura de Perfis de Investimento para os Participantes do Plano de Aposentadoria PREVIPLAN.

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTO PEIXE PILOTO PARA CLUBES DE INVESTIMENTOS 2009-2011. Vitória, 26 de agosto de 2009.

POLÍTICA DE INVESTIMENTO PEIXE PILOTO PARA CLUBES DE INVESTIMENTOS 2009-2011. Vitória, 26 de agosto de 2009. POLÍTICA DE INVESTIMENTO PEIXE PILOTO PARA CLUBES DE INVESTIMENTOS 2009-2011 Vitória, 26 de agosto de 2009. ÍNDICE 1. OBJETIVO.... 3 2. ORIENTAÇÃO DA GESTÃO DOS INVESTIMENTOS E PRÁTICAS DE GOVERNANÇA....

Leia mais

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço 1 - Aplicação Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço Plano Nº 030 - Plano Online 500MB Requerimento de Homologação Nº 8886 Este Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço é aplicável pela autorizatária CLARO

Leia mais

ES T Á G I O. Definição

ES T Á G I O. Definição ES T Á G I O Trabalho elaborado por IVALDO KUCZKOWSKI, advogado especialista em Direito Administrativo e Consultor de Tributos da Empresa AUDICONT Multisoluções, mediante estudo da lei do estágio de estudantes

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ: Informações referentes a Outubro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o As informações completas sobre esse fundo podem ser

Leia mais

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S.A. CERON PREGÃO MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA ANEXO XIII DO EDITAL

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S.A. CERON PREGÃO MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA ANEXO XIII DO EDITAL Eletrobrás MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA ANEXO XIII DO EDITAL Anexo XIII do Pregão Eletrônico n 029/2009 Página 1 de 11 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA TRANSFORMADORES DE CORRENTE AUXILIARES 0,6 KV USO INTERIOR

Leia mais

1º Termo Aditivo ao Edital de Licitação de Tomada de Preço nº 01/2015 do CRFa 3ª

1º Termo Aditivo ao Edital de Licitação de Tomada de Preço nº 01/2015 do CRFa 3ª 1º Termo Aditivo ao Edital de Licitação de Tomada de Preço nº 01/2015 do CRFa 3ª Fica aditado o Edital de Licitação na modalidade de Tomada de Preço n. 01/2015, do CRFa 3ª, para constar que: 1. O item

Leia mais

PROPOSTAS PARA IMPLANTAÇÃO DO PISO SALARIAL DO MAGISTÉRIO E REESTRUTURAÇÃO DAS CARREIRAS DA EDUCAÇÃO BÁSICA 17 DE ABRIL DE 2015

PROPOSTAS PARA IMPLANTAÇÃO DO PISO SALARIAL DO MAGISTÉRIO E REESTRUTURAÇÃO DAS CARREIRAS DA EDUCAÇÃO BÁSICA 17 DE ABRIL DE 2015 PROPOSTAS PARA IMPLANTAÇÃO DO PISO SALARIAL DO MAGISTÉRIO E REESTRUTURAÇÃO DAS CARREIRAS DA EDUCAÇÃO BÁSICA 17 DE ABRIL DE 2015 POLÍTICA REMUNERATÓRIA 1. PISO DO MAGISTÉRIO 1.1. Reajuste de 31,78% no vencimento

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE CAMPINAS EDITAL DE TRANSFERÊNCIA Nº 01 / 2016.

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE CAMPINAS EDITAL DE TRANSFERÊNCIA Nº 01 / 2016. FACULDADE DE TECNOLOGIA DE CAMPINAS EDITAL DE TRANSFERÊNCIA Nº 01 / 2016. A Diretora da, no uso de suas atribuições legais, torna pública a realização do Processo Seletivo e faz saber o número de VAGAS

Leia mais

Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB Credenciada pelo Decreto Estadual N 7.344, de 27.05.1998

Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB Credenciada pelo Decreto Estadual N 7.344, de 27.05.1998 Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB Credenciada pelo Decreto Estadual N 7.344, de 27.05.1998 EDITAL Nº 035/2009 PROGRAMA DE ISENÇÃO DO PAGAMENTO DA TAXA DE INSCRIÇÃO PARA O PROCESSO SELETIVO

Leia mais

Adotada Total / Parcial. Fundamento da não adoção. Recomendação. Não adotada. 1. Princípios Gerais

Adotada Total / Parcial. Fundamento da não adoção. Recomendação. Não adotada. 1. Princípios Gerais / 1. Princípios Gerais As instituições devem adotar uma política de remuneração consistente com uma gestão e controlo de riscos eficaz que evite uma excessiva exposição ao risco, que evite potenciais conflitos

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 02/2014

RESOLUÇÃO Nº 02/2014 RESOLUÇÃO Nº 02/2014 O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente - CMDCA, no uso das atribuições que lhe confere a Lei Federal 8.069/1990, da Lei Municipal 1.261 de 16/03/2005 - com as

Leia mais

NOTA EXPLICATIVA À INSTRUÇÃO CVM Nº 489, DE 14 DE JANEIRO DE 2011

NOTA EXPLICATIVA À INSTRUÇÃO CVM Nº 489, DE 14 DE JANEIRO DE 2011 Ref: Instrução CVM Nº 489, DE 14 DE JANEIRO DE 2011, que dispõe sobre a elaboração e divulgação das Demonstrações Financeiras dos Fundos de Investimento em Direitos Creditórios FIDC e dos Fundos de Investimento

Leia mais

CONHEÇA OS DIREITOS E DEVERES DO IDOSO NO TRANSPORTE COLETIVO RODOVIÁRIO DE PASSAGEIROS

CONHEÇA OS DIREITOS E DEVERES DO IDOSO NO TRANSPORTE COLETIVO RODOVIÁRIO DE PASSAGEIROS Distribuição gratuita - é permitida a reprodução integral ou parcial do texto, desde que citada a fonte. Passagem gratuita para idosos CONHEÇA OS DIREITOS E DEVERES DO IDOSO NO TRANSPORTE COLETIVO RODOVIÁRIO

Leia mais

REGULAMENTO I OLIMPÍADA A PRÁXIS DO SERVIÇO PÚBLICO

REGULAMENTO I OLIMPÍADA A PRÁXIS DO SERVIÇO PÚBLICO REGULAMENTO I OLIMPÍADA A PRÁXIS DO SERVIÇO PÚBLICO 1. Apresentação O Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB), Campus João Pessoa, por meio da Departamento de Gestão e Desenvolvimento

Leia mais

FINANÇAS AS EM PROJETOS DE TI

FINANÇAS AS EM PROJETOS DE TI FINANÇAS AS EM PROJETOS DE TI 2012 Material 3 Prof. Luiz Carlos Valeretto Jr. 1 Finanças Finança é a ciência de gerenciar recursos, ou a aquela que lida com o emprego do dinheiro num projeto, empresa ou

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO GERALDO DI BIASE

CENTRO UNIVERSITÁRIO GERALDO DI BIASE Edital de Transferência e Aproveitamento de Estudos 2016.1 O Centro Universitário Geraldo Di Biase - UGB, credenciado pela Portaria n 1.920, de 03 de junho de 2005, publicada no Diário Oficial da União

Leia mais