TUDO QUE ELE QUER. Dominada pelo bilionário.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TUDO QUE ELE QUER. Dominada pelo bilionário."

Transcrição

1 TUDO QUE ELE QUER Dominada pelo bilionário. 1

2 A posição temporária de Lucy Delacourt não é muito o emprego dos seus sonhos mas paga as contas. O ponto forte do seu dia é andar no elevador de manhã com um bonito estranho. Alto, moreno e sexy como o inferno, Lucy sabe que ele está fora da sua realidade, mas uma garota pode olhar, certo? Tudo muda o dia em que o estranho a seduz. Completamente fora da sua natureza, ela se rende sem lutar, mas não tem idéia que seus atos devassos com um homem, cujo nome ela não sabe vai mudar sua vida para sempre. Porque o estranho sexy não é outro senão Jeremiah Hamilton, bilionário CEO das Industrias Hamilton, e uma prova não é bastante o suficiente para satisfazer as suas necessidade. Enquanto o bilionário puxa Lucy mais fundo em seu mundo de grandes apostas de negócios e aquisições cruéis, ele exige nada menos do que sua completa rendição. Mas, mesmo enquanto inimigos buscam vingança mortal contra ele, ela vai descobrir que sua maior ameaça é estar se apaixonando por seu chefe ferozmente vigiado... e ceder as suas próprias mais escuras necessidades. 2

3 TUDO QUE ELE QUER Dominada pelo bilionário PARTE 1: O encontro 3

4 Com a sorte em baixo, a posição temporária de Lucy Delacourt não é exatamente o emprego dos seus sonhos mas paga as suas contas... mal. O ponto forte do seu dia é andar no elevador de manhã: ela sempre acerta seu horário para ver o belo estranho a cada dia. Ele é o combustível para suas fantasias, fora da sua realidade, mas uma garota pode olhar, certo? Tudo muda, no entanto, o dia em que o belo estranho seduz uma Lucy atordoada, primeiro no elevador depois novamente no estacionamento depois do trabalho. Completamente fora da sua natureza, ela cede sem lutar, mas não tem idéia que seus atos devassos com um homem, cujo nome ela não sabe, iniciará uma cadeia sensual de eventos que mudará para sempre sua vida. Porque o estranho sexy não é outro senão Jeremiah Hamilton, bilionário CEO das Indústrias Hamilton e o gosto de uma pequena amostra picante não é o suficiente para satisfazer as suas necessidades. O bilionário tem grandes planos para o seu temperamento voluntarioso, planos que não têm nada a ver com arquivar papeladas... 4

5 Capítulo 1 Recentemente o ponto alto dos meus dias de trabalho era quando eu via o lindo estranho todas as manhãs. Corri pelo saguão em direção aos elevadores tão rápido quanto meus saltos e decoro permitia, passando por escadas e equipes de serviço que trabalhavam no edifício velho em arcaicos sistemas elétricos. O estranho de cabelo escuro era como um relógio, chegava ao elevador às 08h20min da manhã todos os dias, e esta manhã não foi exceção. Eu disputei o meu lugar através da multidão até que eu estava perto, mas não tão visivelmente assim do estranho e olhei para a porta do elevador enquanto fingia ignorá-lo. Não era um jogo, embora às vezes parecesse assim. Homens daquela beleza sempre ficaram vários degraus fora da minha esfera de alcance e até agora como uma adulta isso não havia mudado. Não significava que uma garota não poderia sonhar. As portas se abriram e eu me movi com a pequena multidão no elevador, certificando-me que meu andar tivesse sido pressionado. O antigo edifício - ou "histórico", como alguns gostavam de dizer - estava no meio de uma completa reforma. Tudo estava sendo atualizado, para um visual mais moderno, mas até agora ele ainda tinha estilos de elevadores mais antigos. Menor e mais lento do que os estilos atuais, a caixa de metal, no entanto, fazia o seu trabalho levando até os andares 5

6 acima. Eu reposicionei a grande mochila no meu braço, deslizando um olhar para o lado e busquei seus olhos. Será que ele sabe que eu o observo? Enrubescendo, voltei-me para frente e o elevador se abriu para deixar outra série de pessoas nos seus andares. Minha parada era ainda 11 andares acima onde trabalho como temporária nas Indústrias Hamilton. A empresa abrangia a maioria dos andares superiores, mas o meu pequeno escritório estava escondido em um canto esquecido perto do meio. Eu amava o seu corte limpo, visual adequado e o homem moreno estava sempre impecavelmente vestido de terno e gravata que provavelmente custavam mais do que eu ganhava em um mês. Tudo sobre ele gritava alta sociedade, longe da minha capacidade, mas que nunca impediu de incluí-lo em minha vida de fantasia. O belo estranho era parte dos meus sonhos, o rosto que eu via quando eu fechava os meus olhos na cama. Como eu não tinha nada entre as minhas pernas, sem carregar baterias por mais de um ano, minhas fantasias foram ficando muito mais pervertidas. Eu levei um momento para pensar sobre elas agora e um leve sorriso se espalhou no meu rosto. Não demorou muito para ir, mas a imagem em minha mente de ser empurrada contra uma parede e devastada... Oh Yeah... 6

7 Os passageiros continuaram a desembarcar e, enquanto a porta do elevador fechava, eu saí do meu devaneio quando eu percebi que, pela primeira vez, eu estava realmente sozinha com o estranho moreno. Limpando a garganta nervosamente, eu alisei a saia lápis com a mão livre enquanto o antigo elevador recomeçou sua corrida até o meu trabalho. Respira, Lucy, apenas respira. Desejos enrolaram meu ventre, alimentados pelo pensamento de todos os tipos de coisas impertinentes em elevadores. Gostaria de saber se este tem câmeras... Ouvi um suave sussurro atrás de mim, então um braço forte apareceu ao meu lado e apertou um botão vermelho no painel. Imediatamente o chão do elevador parou e antes que eu pudesse dizer qualquer coisa ambos os braços apareceram ao lado da minha cabeça e uma voz baixa ao lado de minha orelha murmurou, "Eu vejo você neste elevador todo dia de manhã. Está fazendo, eu sinto isto? Chocada em silêncio, eu só podia piscar com olhos arregalados e confusos. Devo me beliscar? Isto está realmente acontecendo? O metal frio contra meus repentinos mamilos duros e sensíveis provocou um gemido ofegante enquanto eu era pressionada contra as portas do elevador por um corpo duro atrás de mim. "O que?" eu comecei, imediatamente esquecendo o que eu ia dizer quando eu senti seu comprimento duro contra meu 7

8 quadril. "Eu posso sentir o cheiro da sua excitação", ele rosnou, aquela voz sexy baixa fazendo meu estômago apertar. "Cada manhã que você entra nesse elevador eu posso sentir o cheiro da sua necessidade." Uma mão desceu e entrelaçou a minha enquanto ele baixou a cabeça em direção ao meu pescoço. "Qual é o seu nome?" Minha mente deu um branco por um momento, esquecendo a mais simples das respostas. Oh Deus, que a voz é puro sexo, pensei descontroladamente, levantando as mãos para me preparar contra a superfície dura à frente. A voz era baixa e tinha uma cadência que eu não poderia explicar, e meu peito cresceu apertado com a necessidade. "Lucy", eu finalmente consegui, meu cérebro em curto circuito. "Lucy", repetiu ele, e eu esvaziei uma respiração instável ao ouvir meu nome, dita com aquela voz extremamente sexy. "Eu preciso ver se você tem um gosto tão bom quanto o cheiro." Não houve pedido de permissão em sua voz apenas uma exigência implacável, e eu virei minha cabeça de lado para lhe permitir o acesso. Seus lábios deslizaram sobre a pele macia atrás da minha orelha, a língua fora para me tocar, seus dentes beliscaram o lóbulo e eu gemi, apertando-me contra ele. Ele mexeu o quadril e minha respiração acelerou, ofegante carente uma estacada no silêncio. 8

9 "Deus você é tão quente." Sua mão escorregou para o lado do meu corpo, no meu quadril e desceu na minha coxa até que encontrou a barra da minha saia. Sua mão, então refez seus passos de volta, roçando levemente através da pele suave da minha coxa, puxando o material da minha saia para cima em direção aos meus quadris. Sem pensar, eu abrir as pernas para dar a ele acesso e ofeguei alto enquanto dedos deslizaram ao longo do lado de fora da minha calcinha encharcada, pressionando contra o meu núcleo dolorido. Isso está realmente acontecendo? Meu corpo sacudiu, preso entre as portas de metal e o corpo quente atrás de mim. Era como se cada fantasia que eu tive, estivesse sendo jogada para fora em pessoa, e eu era incapaz de parar a minha reação condicionada. Seus dedos pulsavam, deslizando no meu clitóris com freqüência crescente, e meus quadris se moveram com vontade própria, desejando mais do seu toque. Eu gritei quando seus dentes se afundaram em meu ombro, então seus dedos deslizaram sob o algodão fino de rendas e acariciaram minha pele molhada, empurrando profundamente abrindo de uma forma que me fez gemer alto dentro do elevador. "Venha para mim", ele murmurou baixo com voz de Vin Diesel, lábios e dentes correndo ao longo da linha exposta do meu pescoço e ombro. Seus dedos empurraram profundamente para dentro, o polegar percorrendo minha genital rígida e, com 9

10 um grito estrangulado eu cheguei. Minha testa descansou contra o aço duro da porta, enquanto eu estremecia, de repente desossada. Abaixo do painel numerado a minha direita, um telefone tocou. Eu endureci em estado de choque, os tons estridentes cortando a névoa escura. A luxúria deu lugar a mortificação e eu empurrei contra a porta para libertar-me. O estranho moreno recuou, permitindo-me espaço, apertando o botão vermelho novamente. Eu rapidamente arrumei minha roupa enquanto o elevador prosseguiu de volta ao eixo, alguns segundos depois, o telefone parou de tocar. "Seu gosto é ainda melhor do que eu imaginava." Virei-me impotente perante essa voz, para vê-lo lambendo os dedos. O olhar que ele me deu deixou meus joelhos fracos, mas o telefone tocando tinha me feito acordar e eu me atrapalhei cegamente para os botões dos andares, apertando todos os botões ao meu alcance. Isto parecia apenas diverti-lo, mas quando as portas se abriram para um corredor vazio dois andares abaixo do meu, eu tropecei para fora. Não tinha ninguém à vista neste andar, para meu alívio Eu não estava certa se eu poderia ter mais atenção naquele momento. Um rápido assobio atrás de mim me chamou a atenção e me virei para ver o estranho pegar minha mochila e segurá-la para mim. Ela tinha deslizado para fora dos meus braços, esquecida 10

11 no chão, enquanto nós estávamos... Eu limpei minha garganta e peguei-a com a máxima dignidade que eu podia. Ele sorriu, a simples expressão mudando no seu rosto inteiro. Eu olhei, muda estupefata com seu absoluto deslumbramento, enquanto ele piscou para mim. "Eu vou te ver novamente", ele disse, enquanto as portas do elevador fechavam, me mantendo temporariamente paralisada no andar inferior. Eu tomei uma profunda respiração e me atrapalhei com a minha roupa, ajeitando minha blusa na cintura com dedos trêmulos. Minha calcinha era uma causa perdida. Eu teria uma mancha na minha saia o dia todo se eu continuasse a usá-las. Focando nisso e não no constrangimento crescendo por minhas ações, eu procurei e encontrei um banheiro ao lado do elevador para me limpar. Poucos minutos depois, limpa, mas vulnerável, sem minha roupa íntima, eu cheguei às escadas e subi dois lances até meu andar. O hall até meu local estava lotado com as chegadas de última hora e eu cheguei ao meu escritório, sem quaisquer problemas. Eu estava um minuto atrasada de acordo com o relógio do computador, mas ninguém pareceu se importar quando eu comecei a trabalhar, afogando-me nas minhas tarefas para tentar esquecer a minha chocante exibição anterior. 11

12 Capítulo 2 O dia passou em uma confusão. Não importa o quanto eu tentei me focar no meu trabalho, eu não podia me concentrar. Foi necessário dobrar, triplicar, em seguida verificar o meu trabalho para me certificar que tinha feito a coisa certa. As atribuições temporárias de entrada de dados que me foram passadas eram tediosas e vazias, mas mesmo assim eu tentei terminá-las. Minha mente voltava para o elevador, o belo estranho e o primeiro orgasmo semi-público que eu já tive, e quando voltava aos trilhos eu não conseguia lembrar que linha eu estava no computador. Isto é tão diferente para mim. Eu sempre fui uma criatura sexual, mas nunca do tipo que sabia o que fazer com isso. Os meninos nunca me pediam para sair, eu não era convidada para festas ou algo semelhante, mesmo na faculdade. Os poucos namorados que eu tive, se eles poderiam ser chamados assim, não duraram muito tempo. Minha vida até o momento foi chata, principalmente por necessidade - empréstimos universitários não pagavam a si próprios, e viver perto da cidade fazia as coisas ainda mais apertadas - mas eu não poderia encontrar muita relação com a maioria dos homens. Eles queriam ir a festas, eu queria ler, estavam em Sports Illustrated, eu estava em National Geographic. 12

13 Namoro, apesar de ser a menor das minhas preocupações no momento, definitivamente não era um ponto forte. Apesar das minhas tentativas para esquecer toda a situação no elevador, na hora do almoço eu queria desesperadamente meu vibrador e um rápido chute no traseiro. Minhas ações e respostas instantâneas para o estranho eram problemáticas, não importava a minha vida de fantasia. Isso não poderia acontecer novamente, não importava o quanto eu queria uma repetição. Eu precisava deste trabalho, não importa o quão monótono era, e eu não podia permitir mais alguma distração. Mas o meu trabalho não exige muito o poder do cérebro para começar, e eu continuei lembrando como seus lábios eram macios, e como os dentes atravessaram a pele do meu pescoço causando arrepios na espinha. Suas mãos grandes tinham realizado uma dupla promessa de força e ternura e meu corpo se recusava a esquecer isso. Foi um longo dia. Mal conseguindo atingir a minha cota de processos arquivados, acabou o dia. Eu considerei pegar as escadas para descer os 14 andares, mas finalmente optei pelo elevador certificando-me Livre de Estranho. Eu cortei pelo estacionamento subterrâneo enquanto a maior parte da multidão se dirigiu para os táxis na frente do prédio. Poucas pessoas eram capazes de estacionar sob o edifício, certamente não uma nova temporária mesmo que tivesse um 13

14 carro, mas era uma rota muito mais rápida à estação de metrô duas ruas atrás do prédio e ninguém me disse que atravessar pelo estacionamento estava fora dos limites. Eu desci o único lance de escadas e saí para o ar frio da tarde na garagem subterrânea. O guincho de pneus vinha de algum lugar no complexo de vários níveis, mas eu não vi mais ninguém, apenas uma fila de carros. Esfregando os braços, a rajada de vento prometia temperaturas frias, assim que o sol se pusesse, eu virei em direção à guarita, desejando que eu tivesse trazido algo para colocar sobre meus braços. Era final da primavera, mas a temperatura tinha esfriado ao longo dos últimos dias e eu não estava vestida adequadamente. Alguém agarrou meu braço e me empurrou para o escuro ao meu lado. Antes que eu pudesse fazer qualquer som uma mão cobriu a minha boca, e eu fui arrastada de volta para uma pequena alcova meio escondida no recuo da garagem reservada para motocicletas. Lutei, mas os braços que me prendem eram implacáveis, como ferro no meu corpo. "Eu disse que eu iria vê-la em breve." A voz era familiar e profunda, e eu a reconheci imediatamente. Ela tinha percorrido minha cabeça o dia todo em fantasias que eu tentei, em vão, esquecer. Assim que eu ouvi a sua voz uma onda de alívio tomou conta de mim, seguida rapidamente por uma confusa raiva. Por que diabos eu posso confiar nele? Frustrada por minha própria 14

15 estupidez aparente, eu pisei mais forte que eu pude sobre o peito do pé da perna do estranho. Ele resmungou, mas não me soltou, ao invés disto, me girou e me pressionou contra a parede de concreto frio. Seu corpo moldado às minhas costas, suas mãos segurando meus pulsos contra o concreto. "Você pode lutar", ele murmurou, passando os lábios ao longo da parte de trás do meu ouvido. "Eu gosto disso." Seu despedimento casual me incomodou. Eu joguei minha cabeça para trás tentando bater na cara dele, mas ele se esquivou do caminho com uma risada. Outra tentativa de pisar nos seus pés foi frustrada quando sua perna enrolou entre as minhas, prendendo-as no lugar. Os dedos ao redor do meu pulso, mais suaves do que algemas de ferro, mas não menos firmes, atearam fogo em minha pele sem me dar qualquer espaço para me movimentar. "Deixe-me ir ou eu vou gritar," eu disse em uma voz uniforme, tentando virar a cabeça para pegar seu olho. Isto me frustrou como o inferno, pois eu não estava nem com medo, nem tão irritada quanto eu sabia que eu deveria estar, o homem estava novamente levando os errados sentimentos para a situação. Eu tinha que ser um cérebro danificado se eu pensava que eu poderia confiar no homem quando eu nem sabia o seu nome! Ele correu seu rosto ao longo das linhas do meu cabelo, deu uma respiração profunda fazendo um estrondo apreciativo no fundo da sua garganta. 15

16 "Eu não pude parar de pensar em você o dia todo", ele murmurou, não reconhecendo minha ameaça. Seus polegares fizeram círculos leves em meus pulsos e meu corpo apertou com o movimento quase terno. "A rapidez com que me respondeu, seu cheiro, seu gosto." Eu engoli, tentando ignorar a agitação súbita na minha barriga. Não, eu pensei desesperadamente, eu não posso ser ativada por isto. A visão dele pairando sobre mim, no entanto, seu corpo duro quente pressionando contra o meu traseiro, estavam fazendo minha cabeça girar e enrolando meus membros em dor. Droga... "Deixe-me ir," eu disse entre os dentes, tentando ignorar reações adversas do meu corpo. "Isso é errado, eu não quero..." Ele pousou um beijo suave na pele atrás da minha orelha enquanto eu parava, um forte contraste com o aperto inquebrável que detinha em meus pulsos. Minha respiração ficou presa na minha garganta quando lábios e dentes deslizaram para baixo do meu pescoço enquanto seus quadris rolavam contra minha bunda, seu comprimento duro deslizando ao longo da abertura do meu traseiro. "Eu nunca iria tomar uma mulher que não me quer ", ele murmurou, movendo-se para sussurrar no meu outro ouvido. "Diga não de novo e eu vou deixá-la sozinha para sempre." Ele correu os lábios para o lado da minha garganta, dando 16

17 uma mordida gentil no meu ombro enquanto esperava pela minha resposta. Até agora eu estava tremendo, mas não por qualquer tipo de medo ou angústia. Quando uma de suas mãos deixou meu pulso e deslizou ao longo da parte inferior do meu braço não me mexi, deleitando-me com as sensações que seu toque produzia no meu corpo. Sua mão se moveu até a parte de trás da minha coxa debaixo da minha saia, unhas arranhando a pele, e um dedo escorregou entre a abertura firme de meu traseiro. Ele deu um grunhido, apertando a minha bunda com as duas mãos e espalhando nas bochechas, em seguida, pressionando com a dura saliência ainda presa atrás de suas calças. Um gemido escapou da minha boca enquanto eu arqueava meus quadris para trás, usando a parede como alavanca para chegar mais perto. Suas mãos deixaram meu traseiro e me virou para encará-lo. Eu tive um leve vislumbre do close-up de um rosto familiar bonito de olhos verdes, em seguida, seus lábios se chocaram contra os meus no mais quente beijo da minha vida. Eu respondi, arqueando para mais perto nivelando contra seu corpo. Movi minhas mãos para seu tronco, deslizando sob o paletó contra a camisa de seda, mas ele segurou minhas mãos e estendeu-as no alto acima da minha cabeça. A perna entre as minhas coxas me puxou mais para cima e eu aterrei meus quadris, esfregando contra o concreto rígido. Gemidos 17

18 escaparam dos meus lábios quando ele moveu sua boca para baixo, sugando e mordiscando a pele sensível do meu pescoço. "Eu quero sentir sua boca em mim", ele murmurou, deslizando seus lábios até meu pescoço e na linha da mandíbula. "Eu quero ver você de joelhos, a sua boca perfeita ao redor do meu pau... " Desta vez, quando eu tentei me libertar ele não me impediu, ao invés disto recuou para me estabelecer nos meus pés. Minhas mãos foram imediatamente à sua cintura, deslizando para baixo no zíper. Ele estendeu a mão para me ajudar, enquanto ele puxou seu membro livre para fora das calças eu me afundei em meus calcanhares e suguei a ponta com a minha língua. Seu gosto era bom, e a respiração profunda acima me disse que ele gostava do que eu estava fazendo. Sua necessidade era minha própria - Eu senti uma nova onda de calor entre minhas pernas quando eu movi minha cabeça para frente, sugando a cabeça com mais profundidade. "Deus!" Seu corpo estremeceu com a exclamação e, de repente, mais ousada, eu passei a mão em torno da base grossa e puxei mais para dentro da minha boca. Minha língua rolou ao longo da base e sugou a ponta, então eu comecei a movimentar minha cabeça sobre a espessura do membro. 18

19 Seus quadris se movimentaram, empurrando no tempo da minha boca; uma mão veio para descansar atrás da minha cabeça, puxando insistentemente, mas eu controlei o ritmo. Eu desfiz o botão da calça e alcancei dentro, colocando suas bolas na mão livre. Ele balançou em cima de mim, pau a mostra para sua apreciação, em seguida, as duas mãos cavaram no meu crânio, me puxando para mais perto e silenciosamente exigindo mais, mais profundo. Desta vez, agradeci, liberando a base e puxando-o mais profundo que eu podia, movimentando minha cabeça e língua. Minha mão livre desceu entre as minhas pernas, deslizando através das minhas dobras molhadas e pressionando contra o núcleo pulsante. "Você está se tocando?" Eu o ouvi ranger acima de mim. O impulso em minha boca ficou mais frenético enquanto eu acelerava minhas próprias ministrações, o comprimento duro na minha boca abafando meus próprios gritos. O estranho era silencioso, na maior parte, mas alguns gemidos ele deixou escapar, enquanto eu girava minha língua ou massageava a ponta com a parte de trás da minha garganta, era gratificante de ouvir. Parte do meu cérebro, uma parte muito pequena, estava me perguntando o que diabos eu estava fazendo, mas eu me desliguei. Eu fiquei muito tempo sem que ninguém me notasse, até meus colegas de trabalho me ignoravam. Assim um 19

20 homem com esta beleza me notar, deixa para lá qualquer maneira de abordagem, sendo uma sensação inebriante. Eu não me permito perguntar porque ele me escolheu ou o que iria acontecer - agora eu só queria sentir. Dedos cavaram meu couro cabeludo e meu próprio orgasmo correu para me encontrar, até que suas bolas contraíram, perto de seu próprio final. Mãos me empurraram, minhas costas bateram contra a parede de concreto, e eu fui desativada com a surpresa do estouro. O homem diante de mim se abaixou e seus braços rodearam meu tronco, eu fui levantada no ar e empurrada de volta contra a parede, um corpo duro se estabelecendo entre as minhas pernas. Virei meus olhos assustados para o belo rosto do estranho, agora a apenas alguns centímetros do meu, então eu senti seu membro sondar minha entrada. Ele empurrou para dentro e eu soltei um grito intenso de prazer. Músculos que não viam a ação por muito tempo foram esticados, os meus próprios sulcos dando-lhe uma fácil entrada. Seus lábios esmagaram os meus, para engolir meus gritos enquanto ele me batia de volta na parede. O orgasmo que eu estava induzindo com meus dedos dispararam para fora com a fricção e alongamento e moagem. Meu grito foi abafado pelos lábios do estranho quando eu vim mais forte, ondas de prazer rolando pelo meu corpo. Beijei-o violentamente, mordendo os seus lábios e minhas unhas 20

21 arranhando abaixo nos braços do casaco de seu terno. Minha resposta trouxe uma selvageria semelhante nele e ele bateu dentro de mim, liberando minha boca e cravando em meu ombro com os dentes. Meus gritos, mais fracos agora, após o orgasmo, ainda ecoavam fora das paredes da pequena alcova. Ele ofegou contra a minha pele, em seguida, ele puxou para fora e veio no chão debaixo de mim, a mão livre esfregando o último do seu orgasmo. Entalada entre seu corpo quente e o concreto duro, eu finalmente notei o frio da pedra gelada e o som de carros dentro do complexo fazendo o seu caminho em direção a saída. O frio contra minhas coxas molhadas serviu como um alerta para o que eu tinha permitido que acontecesse; Eu pressionada debilmente contra os ombros rígidos, meu corpo ainda mole pelo orgasmo. O estranho se afastou, ainda apoiando meu peso com as mãos grandes debaixo da minha bunda, então lentamente baixou-me para o chão. Eu vacilei nos meus calcanhares, segurando o seu braço de apoio antes de abrir distância. A enormidade do que eu tinha acabado de fazer - de novo - deixou minha mente atordoada. Comecei a tremer apenas parcialmente do frio, em seguida, caiu como algo quente e pesado estendido sobre os meus ombros. Olhei para cima brevemente para o estranho sem o casaco agora, mas era incapaz de pronunciar qualquer palavra de agradecimento. Ele ajudou a prendê-lo em mim quando eu puxei o casaco vestindo lentamente sobre meus 21

22 braços. Apesar de não ser uma jaqueta de frio, manteve-me quente de seu corpo e cortou o pior do frio ajudando imensamente. "Deixe-me levá-la para casa." O momento em que ouvi as palavras eu balancei a cabeça, afastando-me dele. Meu corpo em chamas pela vergonha e eu não conseguia mais olhar para ele. "Eu preciso pegar o trem", eu murmurei. Um dedo tocou meu queixo e levantou a minha cabeça até que eu estava olhando para aquele rosto bonito. Seu rosto estava impassível, mas eu podia ver a preocupação em seus belos olhos verdes. "Por favor", disse ele em voz baixa. Meu corpo ainda respondeu ao seu toque, eu queria colocar minha bochecha contra a pele áspera de sua mão. Lágrimas brotaram nos meus olhos para o sentimento tolo - eu estava realmente tão desesperada? - Eu dei um passo para trás de novo, escapando do seu contato. Limpando minha garganta e esforçando-me para não agir como uma besta afetada, olhei para seus olhos. "Eu preciso pegar o trem." Mantendo a cabeça erguida, mesmo que a vergonha me fizesse querer correr para longe e me esconder, eu comecei a me distanciar, então vacilei. "Seu casaco," eu murmurei e comecei tirar dos ombros. Ele levantou a mão para me impedir. 22

23 "Mantenha-o." Um sorriso confuso cintilou em seus lábios e parecia por um momento que eu tinha toda a sua atenção... e aprovação. "Você precisa mais do que eu agora." O ar estava frio e eu sabia que eu parecia uma bagunça, o casaco pendurado em mim, mas naquele momento eu precisava me cobrir. Murmurando meus agradecimentos eu andei rapidamente para fora da alcova e me dirigi para a saída. Eu levantei uma mão trêmula para a minha cabeça, o meu cabelo estava solto, mas parecia estar em ordem. Eu precisava encontrar um espelho rapidamente, pois eu tinha certeza que eu estava um pavor. Eu ouvi o som de um carro aproximar atrás de mim e parar. Contra meu melhor julgamento olhei para trás para ver um chofer de uma longa limusine preta abrir a porta do passageiro, e o belo estranho mergulhou para dentro. Eu fiquei ali, olhando como uma idiota, enquanto o motorista fechou a porta, em seguida, afastou para a saída. As janelas do carro eram coloridas e eu não pude ver dentro quando ele passou por mim e eu vi como minha suposta carona passou pelos guardas e saiu para o alto tráfego lá fora. Quem no mundo era esse homem? Eu me perguntei, e então desliguei essa linha de pensamento e saí da garagem vazia. Eu parei em um café e me tranquei dentro do banheiro para me limpar. Quinze minutos depois eu saí de volta, minha mochila pendurada pela correia ao longo de um braço nu e o 23

24 casaco vestido sobre o saco. Eu peguei o trem mais tarde do que o habitual, mas a maior parte desse tempo foi uma névoa, meu cérebro repetindo o pensamento uma vez e outra. O que diabos eu estava fazendo? 24

25 Capítulo 3 Na manhã seguinte, cheguei ao trabalho meia hora mais cedo e certifiquei-me que o elevador que peguei não continha o estranho. Nervosa que alguém pudesse comentar sobre minhas ações no dia anterior, foi um alívio ser ignorada como de costume, pelas pessoas ao meu redor. O edifício a essa hora continha uma fração de seus habituais ocupantes, mas eu corri para minha mesa para evitar conflitos indesejados com um certo indivíduo de olhos verdes. Eu passei a maior parte da minha tarde e noite me questionando se devia ou não ir para o trabalho na manhã seguinte. A total imprudência e estupidez das minhas ações me assombraram durante toda a noite, fazendo-me ir tão longe como questionar a minha sanidade. Isto não é o que eu sou. Eu nunca tinha sido tão imprudente sobre minhas ações e uma libido desesperada não era resposta suficiente para mim. Eu comecei uma busca de oportunidades de trabalho, algo que eu poderia recorrer se a minha situação presente azedasse, mas o mercado estava tão difícil como nunca. A metade do meu sensato cérebro exigiu que eu saísse e deixasse este trabalho, mas a parte lógica manter, pois eu precisava do dinheiro. O aluguel do meu pequeno estúdio de apartamento estava chegando e eu não tinha outras opções no momento, a menos que eu quisesse viver nas ruas. 25

26 Oh Lucy, o quão fundo você caiu. Depois que eu cheguei a minha mesa gastei o tempo trabalhando e evitei ligar o computador, pois eu não queria a minha chegada antecipada notada pela administração. Meus colegas de trabalho chegaram, conversando entre si enquanto passavam pelo meu cubículo, mas eu fiquei no meu cantinho a maioria do dia, feliz por ser ignorada. O dia passou sem intercorrências até quase quatro horas da tarde, quando a minha chefe enfiou a cabeça ao redor das paredes da minha mesa. "Siga-me, por favor, Srta. Delacourt". A presença da minha gerente me assustou. Eu a via quase todos os dias, mas depois da minha entrevista inicial, ela tinha todo tempo, mas ignorou a minha presença no escritório. Agora que ela escolheu falar comigo, fez meu mundo girar e meu estômago torcer em nós. Seu tom não admitia discussão, todavia, e com rapidez, "Sim Sra.Crabtree," e com uma breve pausa para me recompor eu me levantei com as pernas trêmulas e segui atrás dela. Ela contornou a porta do seu escritório e caminhou para fora da porta da nossa seção para a sala do lado de fora. Eu segui atrás dela em silêncio, com medo de perguntar sobre que seria, temendo descobrir que todo o edifício sabia sobre minhas escapadas sexuais no dia anterior. Eu não poderia pensar em nenhuma outra razão para ter sido chamada, e eu 26

Belo reparo. capítulo um. No Japão, eles têm o kintsugi a arte de remendar porcelanas. Hoje Nova York Apartamento de Cassandra Taylor

Belo reparo. capítulo um. No Japão, eles têm o kintsugi a arte de remendar porcelanas. Hoje Nova York Apartamento de Cassandra Taylor capítulo um Belo reparo Hoje Nova York Apartamento de Cassandra Taylor No Japão, eles têm o kintsugi a arte de remendar porcelanas preciosas com ouro. O resultado é uma peça que nitidamente foi quebrada,

Leia mais

Rosie. DE ACADEMIA A Charlie olhou para o letreiro e sorriu.

Rosie. DE ACADEMIA A Charlie olhou para o letreiro e sorriu. Rosie DANÇA DE ACADEMIA A Charlie olhou para o letreiro e sorriu. Estava finalmente numa verdadeira escola de dança. Acabaram as aulas de dança no gelado salão paroquial. Acabaram as banais aulas de ballet

Leia mais

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997.

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. 017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. Acordei hoje como sempre, antes do despertador tocar, já era rotina. Ao levantar pude sentir o peso de meu corpo, parecia uma pedra. Fui andando devagar até o banheiro.

Leia mais

História Para as Crianças. A menina que caçoou

História Para as Crianças. A menina que caçoou História Para as Crianças A menina que caçoou Bom dia crianças, feliz sábado! Uma vez, do outro lado do mundo, em um lugar chamado Austrália vivia uma menina. Ela não era tão alta como algumas meninas

Leia mais

noite e dia marconne sousa

noite e dia marconne sousa noite e dia marconne sousa Mais uma noite na terra a terra é um lugar tão solitário cheio de pessoas, nada mais onde se esconderam os sentimentos? um dedo que aponta um dedo que desaponta um dedo que entra

Leia mais

MUDANÇA DE IMAGEM. Site Oficial: http://www.tfca.com.br E-mail: tfca@tfca.com.br

MUDANÇA DE IMAGEM. Site Oficial: http://www.tfca.com.br E-mail: tfca@tfca.com.br MUDANÇA DE IMAGEM Os dias que se seguiram não foram fáceis para mim. Isto porque eu não tinha a quem relatar o que me havia acontecido. Eu estava com medo de sair do meu corpo novamente, mas também não

Leia mais

Assim nasce uma empresa.

Assim nasce uma empresa. Assim nasce uma empresa. Uma história para você que tem, ou pensa em, um dia, ter seu próprio negócio. 1 "Non nobis, Domine, non nobis, sed nomini Tuo da gloriam" (Sl 115,1) 2 Sem o ar Torna-te aquilo

Leia mais

UM AMBIENTE FELIZ FAZ UM TRABALHO FELIZ (roteiro para animação) Augusto Ferreira

UM AMBIENTE FELIZ FAZ UM TRABALHO FELIZ (roteiro para animação) Augusto Ferreira UM AMBIENTE FELIZ FAZ UM TRABALHO FELIZ (roteiro para animação) By Augusto Ferreira 2015 by Augusto Ferreira Todos direitos reservados São Paulo, SP (11) 950352607 augusto.g.ferreira@live.com INT. AGÊNCIA

Leia mais

MARK CARVALHO. Capítulo 1

MARK CARVALHO. Capítulo 1 MARK CARVALHO Capítulo 1 Mark era um menino com altura média, pele clara, pequenos olhos verdes, cabelos com a cor de avelãs. Um dia estava em casa vendo televisão, até que ouviu: Filho, venha aqui na

Leia mais

Lucas Zanella. Collin Carter. & A Civilização Sem Memórias

Lucas Zanella. Collin Carter. & A Civilização Sem Memórias Lucas Zanella Collin Carter & A Civilização Sem Memórias Sumário O primeiro aviso...5 Se você pensa que esse livro é uma obra de ficção como outra qualquer, você está enganado, isso não é uma ficção. Não

Leia mais

Mandei um garoto para a câmara de gás em Huntsville. Foi só um. Eu prendi e testemunhei contra ele. Fui até lá con versar com ele duas ou três vezes.

Mandei um garoto para a câmara de gás em Huntsville. Foi só um. Eu prendi e testemunhei contra ele. Fui até lá con versar com ele duas ou três vezes. I Mandei um garoto para a câmara de gás em Huntsville. Foi só um. Eu prendi e testemunhei contra ele. Fui até lá con versar com ele duas ou três vezes. Três vezes. A última foi no dia da execução. Eu não

Leia mais

PORQUE É QUE NÃO DANÇAM?

PORQUE É QUE NÃO DANÇAM? PORQUE É QUE NÃO DANÇAM? Na cozinha, ele serviu se de mais uma bebida e olhou para a mobília de quarto de cama que estava no pátio da frente. O colchão estava a descoberto e os lençóis às riscas estavam

Leia mais

18 - A surpresa... 175 19 A fuga... 185 20 O atraso... 193 21 Vida sem máscaras... 197 22 - A viagem... 209 23 - A revelação...

18 - A surpresa... 175 19 A fuga... 185 20 O atraso... 193 21 Vida sem máscaras... 197 22 - A viagem... 209 23 - A revelação... Sumário Agradecimentos... 7 Introdução... 9 1 - Um menino fora do seu tempo... 13 2 - O bom atraso e o vestido rosa... 23 3 - O pequeno grande amigo... 35 4 - A vingança... 47 5 - O fim da dor... 55 6

Leia mais

A Última Carta. Sempre achamos que haverá mais tempo. E aí ele acaba. (The Walking Dead)

A Última Carta. Sempre achamos que haverá mais tempo. E aí ele acaba. (The Walking Dead) A Última Carta Sempre achamos que haverá mais tempo. E aí ele acaba. (The Walking Dead) E la foi a melhor coisa que já me aconteceu, não quero sentir falta disso. Desse momento. Dela. Ela é a única que

Leia mais

início contos e poemas que não deveriam ser esquecidos na gaveta Mariana Pimenta

início contos e poemas que não deveriam ser esquecidos na gaveta Mariana Pimenta início contos e poemas que não deveriam ser esquecidos na gaveta Mariana Pimenta Início contos e poemas que não deveriam ser esquecidos na gaveta Mariana Pimenta Lagoa Santa, 2015 Mariana Pimenta 2015

Leia mais

Quem quer que tivesse organizado a festa de volta às aulas era um gênio. Ficava a quilômetros de distância dos pais preconceituosos, da escola na

Quem quer que tivesse organizado a festa de volta às aulas era um gênio. Ficava a quilômetros de distância dos pais preconceituosos, da escola na Prólogo O ritmo pulsante da música tomava seu corpo até os All Stars cor-de-rosa de cano alto. Ela queria usar as sandálias de salto alto que tinha comprado na última viagem a Atlanta, mas havia cometido

Leia mais

Sinopse. Teria sido uma noite como qualquer outra, se ele não tivesse aparecido. E se eu

Sinopse. Teria sido uma noite como qualquer outra, se ele não tivesse aparecido. E se eu 1 Sinopse Teria sido uma noite como qualquer outra, se ele não tivesse aparecido. E se eu não estivesse completamente sozinha. Com um estranho em um Penhasco e sem lembrar de como fui parar ali. Me assustei

Leia mais

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

L0NGE, atrás em monte, sol cair e céu ficar em fogo. Fraco, Eu

L0NGE, atrás em monte, sol cair e céu ficar em fogo. Fraco, Eu 5 L0NGE, atrás em monte, sol cair e céu ficar em fogo. Fraco, Eu subir monte, pés d Eu molhados em erva fria. Não haver erva em cima em monte. Só haver terra, em volta, monte como cabeça de homem sem cabelo.

Leia mais

Nesse prédio, o único som que consigo ouvir é o ranger dos nossos sapatos contra o chão. Não ouço mais o choro de Caleb, mas ele já não estava mesmo

Nesse prédio, o único som que consigo ouvir é o ranger dos nossos sapatos contra o chão. Não ouço mais o choro de Caleb, mas ele já não estava mesmo capítulo um Acordo com o nome dele na boca. Will. Antes de abrir os olhos, vejo o desabar sobre o asfalto novamente. Morto. Pelas minhas mãos. Tobias se agacha na minha frente, apoiando a mão sobre meu

Leia mais

- Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe?

- Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe? Trecho do romance Caleidoscópio Capítulo cinco. 05 de novembro de 2012. - Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe? Caçulinha olha para mim e precisa fazer muita força para isso,

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

MEU TIO MATOU UM CARA

MEU TIO MATOU UM CARA MEU TIO MATOU UM CARA M eu tio matou um cara. Pelo menos foi isso que ele disse. Eu estava assistindo televisão, um programa idiota em que umas garotas muito gostosas ficavam dançando. O interfone tocou.

Leia mais

Fim. Começo. Para nós, o tempo começou a ter um novo sentido.

Fim. Começo. Para nós, o tempo começou a ter um novo sentido. Fim. Começo. Para nós, o tempo começou a ter um novo sentido. Assim que ela entrou, eu era qual um menino, tão alegre. bilhete, eu não estaria aqui. Demorei a vida toda para encontrá-lo. Se não fosse o

Leia mais

Três Marias Teatro. Noite (Peça Curta) Autor: Harold Pinter

Três Marias Teatro. Noite (Peça Curta) Autor: Harold Pinter Distribuição digital, não-comercial. 1 Três Marias Teatro Noite (Peça Curta) Autor: Harold Pinter O uso comercial desta obra está sujeito a direitos autorais. Verifique com os detentores dos direitos da

Leia mais

Meninas Nhe nhe. Eu Aff Chegando lá. Eu Gente estou com um mau pressentimento

Meninas Nhe nhe. Eu Aff Chegando lá. Eu Gente estou com um mau pressentimento Eu e umas amigas íamos viajar. Um dia antes dessa viagem convidei minhas amigas para dormir na minha casa. Nós íamos para uma floresta que aparentava ser a floresta do Slender-Man mas ninguém acreditava

Leia mais

Criado por Mario Madureira

Criado por Mario Madureira Criado por Mario Madureira Ep. #: 108 Meninas Grandes Não Choram Escrito por Mario Madureira e Karina Bittencourt 28 de agosto de 2015 São Paulo, Brasil 1 ATO UM Anteriormente em Estrada das Lágrimas.

Leia mais

Uma noite de verão, diz o ator, estaria no centro da história.

Uma noite de verão, diz o ator, estaria no centro da história. Uma noite de verão, diz o ator, estaria no centro da história. Nem um sopro de vento. E já ali, imóvel frente à cidade de portas e janelas abertas, entre a noite vermelha do poente e a penumbra do jardim,

Leia mais

O ANO-NOVO ALGUNS ANOS ANTES

O ANO-NOVO ALGUNS ANOS ANTES O ANO-NOVO ALGUNS ANOS ANTES Victoria Saramago 1 1 É mestranda em Literatura Brasileira pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ, com bolsa da FAPERJ. Contos e etc. Ela me repetia aquela história,

Leia mais

CLÁSSICOS PARA CRIANÇAS. Alice no País. das Maravilhas

CLÁSSICOS PARA CRIANÇAS. Alice no País. das Maravilhas CLÁSSICOS PARA CRIANÇAS Alice no País das Maravilhas Índice Capítulo Um Pela Toca do Coelho Abaixo 7 Capítulo Dois A Chave de Ouro 13 Capítulo Três O Mar de Lágrimas 19 Capítulo Quatro A História do Rato

Leia mais

Fantasmas da noite. Uma peça de Hayaldo Copque

Fantasmas da noite. Uma peça de Hayaldo Copque Fantasmas da noite Uma peça de Hayaldo Copque Peça encenada dentro de um automóvel na Praça Roosevelt, em São Paulo-SP, nos dias 11 e 12 de novembro de 2011, no projeto AutoPeças, das Satyrianas. Direção:

Leia mais

OFF 01/08/2008. Fade in

OFF 01/08/2008. Fade in 8769.614 Fade in Ambiente de empresa moderna, onde um executivo, de sua mesa, pode ter a visão geral do local e dos funcionários. Por trás da mesa do executivo, uma paisagem (vista) maravilhosa em segundo

Leia mais

Efêmera (título provisório) Por. Ana Julia Travia e Mari Brecht

Efêmera (título provisório) Por. Ana Julia Travia e Mari Brecht Efêmera (título provisório) Por Ana Julia Travia e Mari Brecht anaju.travia@gmail.com mari.brecht@gmail.com INT. SALA DE - DIA. VÍDEO DE Números no canto da tela: 00 horas Vídeo na TV., 22, com seus cabelos

Leia mais

Solidão PROCURA-SE MULHER PROCURA-SE MULHER

Solidão PROCURA-SE MULHER PROCURA-SE MULHER Edna estava caminhando pela rua com sua sacola de compras quando passou pelo carro. Havia um cartaz na janela lateral: Ela parou. Havia um grande pedaço de papelão grudado na janela com alguma substância.

Leia mais

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA DESENGANO FADE IN: CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA Celular modelo jovial e colorido, escovas, batons e objetos para prender os cabelos sobre móvel de madeira. A GAROTA tem 19 anos, magra, não

Leia mais

NOVE SEGREDOS SOBRE A MANHÃ

NOVE SEGREDOS SOBRE A MANHÃ NOVE SEGREDOS SOBRE A MANHÃ 1 Prefácio A página está em branco e não é página digna do nome que lhe dou. É vidro. Écran. Tem luz baça e fere os olhos pretos. Eu tenho demasiado sono para escrever papel.

Leia mais

Seqüência completa de automassagem

Seqüência completa de automassagem Seqüência completa de automassagem Os exercícios descritos a seguir foram inspirados no livro Curso de Massagem Oriental, de Armando S. B. Austregésilo e podem ser feitos em casa, de manhã ou à tardinha.

Leia mais

O porco é fisicamente incapaz de olhar o céu. ( 7 )

O porco é fisicamente incapaz de olhar o céu. ( 7 ) O porco é fisicamente incapaz de olhar o céu. Isso o Ricardo me disse quando a gente estava voltando do enterro do tio Ivan no carro da mãe, que dirigia de óculos escuros apesar de não fazer sol. Eu tinha

Leia mais

E sua sede começa a crescer Em angústia e desespero Enquanto os ruídos da cachoeira Da grande cachoeira das eras O convoca para mergulhar Mergulhar

E sua sede começa a crescer Em angústia e desespero Enquanto os ruídos da cachoeira Da grande cachoeira das eras O convoca para mergulhar Mergulhar Uma Estória Pois esta estória Trata de vida e morte Amor e riso E de qualquer sorte de temas Que cruzem o aval do misterioso desconhecido Qual somos nós, eu e tu Seres humanos Então tomemos acento No dorso

Leia mais

Global Training. The finest automotive learning

Global Training. The finest automotive learning Global Training. The finest automotive learning Cuidar da saúde com PREFÁCIO O Manual de Ergonomia para o Motorista que você tem em agora em mãos, é parte de um programa da Mercedes-Benz do Brasil para

Leia mais

"ATIROU PARA MATAR" Um roteiro de. Nuno Balducci (6º TRATAMENTO)

ATIROU PARA MATAR Um roteiro de. Nuno Balducci (6º TRATAMENTO) "ATIROU PARA MATAR" Um roteiro de Nuno Balducci (6º TRATAMENTO) Copyright 2013 de Nuno Balducci Todos os direitos reservados. balducci.vu@gmail.com (82) 96669831 1 INT. DIA. LANCHONETE CHINESA Uma GAROTA

Leia mais

INVERNO Um roteiro de Mikael Santiago 25/05/2009

INVERNO Um roteiro de Mikael Santiago 25/05/2009 INVERNO Um roteiro de Mikael Santiago 25/05/2009 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS COPYRIGHT MIKAEL SANTIAGO mikael@mvirtual.com.br RUA ITUVERAVA, 651/305 JACAREPAGUÁ RIO DE JANEIRO - RJ (21)9879-4890 (21)3186-5801

Leia mais

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar MELHORES MOMENTOS Expressão de Louvor Acordar bem cedo e ver o dia a nascer e o mato, molhado, anunciando o cuidado. Sob o brilho intenso como espelho a reluzir. Desvendando o mais profundo abismo, minha

Leia mais

Rendendo-se a escuridão

Rendendo-se a escuridão Rendendo-se a escuridão Shiela Stewart Prólogo da série the Darkness Disponibilização,tradução e pré-revisão: Leniria Revisão Inicial - final e Formatação: Soryu Série The Darkness 0 - Rendendo-se a Escuridão

Leia mais

Só consegui chegar agora e já são três e meia da tarde. Acho que essa

Só consegui chegar agora e já são três e meia da tarde. Acho que essa CAPÍTULO UM LORRAINE Só consegui chegar agora e já são três e meia da tarde. Acho que essa manhã a igreja demorou mais que o normal, e eu não vim direto para casa, como costumo fazer. Althea estava decidida

Leia mais

O negócio é que minha sorte sempre foi um horror. Olha

O negócio é que minha sorte sempre foi um horror. Olha CAPÍTULO 1 O negócio é que minha sorte sempre foi um horror. Olha só o meu nome: Jean. Não Jean Marie, nem Jeanine, Jeanette ou mesmo Jeanne. Só Jean. Sabe que na França os garotos são chamados de Jean?

Leia mais

NA PIOR. L652-01(GALERA) CS5.indd 9 19/1/2012 18:09:12

NA PIOR. L652-01(GALERA) CS5.indd 9 19/1/2012 18:09:12 NA PIOR Moggle? sussurrou Aya. Você está acordada? Algo se moveu na escuridão. Uma pilha de uniformes de dormitório se mexeu como se houvesse um pequeno animal embaixo. Então uma silhueta saiu das dobras

Leia mais

O dia em que parei de mandar minha filha andar logo

O dia em que parei de mandar minha filha andar logo O dia em que parei de mandar minha filha andar logo Rachel Macy Stafford Quando se está vivendo uma vida distraída, dispersa, cada minuto precisa ser contabilizado. Você sente que precisa estar cumprindo

Leia mais

FUGA de Beatriz Berbert

FUGA de Beatriz Berbert FUGA de Beatriz Berbert Copyright Beatriz Berbert Todos os direitos reservados juventudecabofrio@gmail.com Os 13 Filmes 1 FUGA FADE IN: CENA 1 PISCINA DO CONDOMÍNIO ENTARDECER Menina caminha sobre a borda

Leia mais

COLACIO. J SLIDES APRESENTA

COLACIO. J SLIDES APRESENTA COLACIO. J SLIDES APRESENTA A LIÇÃO RECEBIDO POR E-MAIL DESCONHEÇO A AUTORIA DO TEXTO: CASO VOCÊ CONHEÇA O AUTOR, ENTRE EM CONTATO QUE LHE DAREI OS DEVIDOS CRÉDITOS Éramos a única família no restaurante

Leia mais

HISTÓRIA DE SÃO PAULO. Alunos: Tatiana Santos Ferreira, Joyce Cruvello Barroso, Jennifer Cristine Silva Torres dos Santos, Sabrina Cruz. 8ª série.

HISTÓRIA DE SÃO PAULO. Alunos: Tatiana Santos Ferreira, Joyce Cruvello Barroso, Jennifer Cristine Silva Torres dos Santos, Sabrina Cruz. 8ª série. EE Bento Pereira da Rocha HISTÓRIA DE SÃO PAULO Alunos: Tatiana Santos Ferreira, Joyce Cruvello Barroso, Jennifer Cristine Silva Torres dos Santos, Sabrina Cruz. 8ª série. História 1 CENA1 Mônica chega

Leia mais

Em Março de 2007 começa a história que mudou a minha vida para sempre.

Em Março de 2007 começa a história que mudou a minha vida para sempre. D.F., 25 anos, solteira, psicóloga, cancro da mama em 2007 Em Março de 2007 começa a história que mudou a minha vida para sempre. Certo dia senti uma dor suave da mama para a axila e na apalpação descobri

Leia mais

CHAVE DE ANTEROS. Adriano Henrique Cândido. Segundo Tratamento

CHAVE DE ANTEROS. Adriano Henrique Cândido. Segundo Tratamento CHAVE DE ANTEROS de Adriano Henrique Cândido Segundo Tratamento Copyright 2013 by Adriano Henrique Cândido. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. CENA 01 - INT. IGREJA - NOITE FADE IN., 20 e poucos anos, entra

Leia mais

19º Plano de Aula. 1-Citação as Semana: 2-Meditação da Semana: 3-História da Semana: 4-Música da Semana: 5-Atividade Integrada da

19º Plano de Aula. 1-Citação as Semana: 2-Meditação da Semana: 3-História da Semana: 4-Música da Semana: 5-Atividade Integrada da 19º Plano de Aula 1-Citação as Semana: Pequena é a abelha, mas produz o que de mais doce existe. 2-Meditação da Semana: Ajudar o próximo 5 47 3-História da Semana: Uma lição a aprender 4-Música da Semana:

Leia mais

Bernard. Gesinas. A sua vida Manga. GESINAS Publishing

Bernard. Gesinas. A sua vida Manga. GESINAS Publishing Bernard Gesinas A sua vida Manga GESINAS Publishing Bernard Gesinas A sua vida Manga Novela Copyright by GESINAS 1 Gorom-Gorom "Vamos, por favor, eu vou mostrar Gorom- Gorom", gritou o menino a um casal

Leia mais

A memória retorna rica em detalhes...e ao horror de perder sua melhor amiga porque você foi idiota o bastante para se apaixonar por ela.

A memória retorna rica em detalhes...e ao horror de perder sua melhor amiga porque você foi idiota o bastante para se apaixonar por ela. Dia dos namorados Sr. e Sra. Maddox. Primeiro dia dos namorados de Abby e Travis como marido e mulher. Perspectiva de Abby O espelho estava embaçado eu limpei a condensação com a toalha. Eu demorei um

Leia mais

Olga, imigrante de leste, é empregada nessa casa. Está vestida com um uniforme de doméstica. Tem um ar atrapalhado e está nervosa.

Olga, imigrante de leste, é empregada nessa casa. Está vestida com um uniforme de doméstica. Tem um ar atrapalhado e está nervosa. A Criada Russa Sandra Pinheiro Interior. Noite. Uma sala de uma casa de família elegantemente decorada. Um sofá ao centro, virado para a boca de cena. Por detrás do sofá umas escadas que conduzem ao andar

Leia mais

As 12 Vitimas do Medo.

As 12 Vitimas do Medo. As 12 Vitimas do Medo. Em 1980 no interior de São Paulo, em um pequeno sítio nasceu Willyan de Sousa Filho. Filho único de Dionizia de Sousa Millito e Willian de Sousa. Sempre rodeado de toda atenção por

Leia mais

Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo

Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo Autora: Tell Aragão Personagens: Carol (faz só uma participação rápida no começo e no final da peça) Mãe - (só uma voz ela não aparece) Gigi personagem

Leia mais

CUIDADOS COM A COLUNA

CUIDADOS COM A COLUNA SENADO FEDERAL CUIDADOS COM A COLUNA SENADOR CLÉSIO ANDRADE 2 Cuidados com a coluna 3 apresentação As dores na coluna vertebral são um grande transtorno na vida de muita gente, prejudicando os movimentos

Leia mais

Este testemunho é muito importante para os Jovens.

Este testemunho é muito importante para os Jovens. Este testemunho é muito importante para os Jovens. Eu sempre digo que me converti na 1ª viagem missionária que fiz, porque eu tinha 14 anos e fui com os meus pais. E nós não tínhamos opção, como é o pai

Leia mais

Olhos de Mistério. São Paulo. Márcia Reis Grillo. Primeira Edição

Olhos de Mistério. São Paulo. Márcia Reis Grillo. Primeira Edição 1 Olhos de Mistério Márcia Reis Grillo Primeira Edição São Paulo 2013 1 2 Ao Olhos de Mistério, onde quer que ele esteja. 2 3 Prólogo P rocurei um lugar em meio à multidão de pessoas sentadas. A cerimônia

Leia mais

Fortaleza digital 6 MM 08.08.07 10:37 Page 3 FORTALEZA DIGITAL. Dan Brown

Fortaleza digital 6 MM 08.08.07 10:37 Page 3 FORTALEZA DIGITAL. Dan Brown Fortaleza digital 6 MM 08.08.07 10:37 Page 3 FORTALEZA DIGITAL Dan Brown Fortaleza digital 6 MM 08.08.07 10:37 Page 5 Para meus pais... meus mentores e heróis Fortaleza digital 6 MM 08.08.07 10:37 Page

Leia mais

Era um peixe tão feio que nem parecia um peixe. Uma pedra

Era um peixe tão feio que nem parecia um peixe. Uma pedra Era um peixe tão feio que nem parecia um peixe. Uma pedra feita de carne fria musgosa e invasiva, salpicada de verde e branco. A princípio não o vi, mas depois encostei a cara ao vidro e tentei ficar mais

Leia mais

A DOMÉSTICA (FILME CURTA) Final 2

A DOMÉSTICA (FILME CURTA) Final 2 A DOMÉSTICA (FILME CURTA) Final 2 Roteiro de Alcir Nicolau Pereira Versão de NOVEMBRO DE 2012. 1 A DOMÉSTICA (FILME-CURTA) --------------------------------------------------------------- PERSONAGENS Empregada

Leia mais

Superando Seus Limites

Superando Seus Limites Superando Seus Limites Como Explorar seu Potencial para ter mais Resultados Minicurso Parte VI A fonte do sucesso ou fracasso: Valores e Crenças (continuação) Página 2 de 16 PARTE 5.2 Crenças e regras!

Leia mais

O livro. Todos diziam que ele era um homem só e evasivo. Fugia de tudo e de todos. Vivia

O livro. Todos diziam que ele era um homem só e evasivo. Fugia de tudo e de todos. Vivia O livro Vanderney Lopes da Gama 1 Todos diziam que ele era um homem só e evasivo. Fugia de tudo e de todos. Vivia enfurnado em seu apartamento moderno na zona sul do Rio de Janeiro em busca de criar ou

Leia mais

O LEÃO, A FEITICEIRA E O GUARDA-ROUPA

O LEÃO, A FEITICEIRA E O GUARDA-ROUPA C. S. LEWIS O LEÃO, A FEITICEIRA E O GUARDA-ROUPA ILUSTRAÇÕES DE PAULINE BAYNES Martins Fontes São Paulo 1997 CAPÍTULO I Uma estranha descoberta ERA uma vez duas meninas e dois meninos: Susana, Lúcia,

Leia mais

O irmão caçula de David Case havia aprendido recentemente

O irmão caçula de David Case havia aprendido recentemente A vista é ótima daqui de cima. Posso olhar do outro lado do mundo e ver tudo. Posso ver, por exemplo, um menino de 15 anos e seu irmão. UM O irmão caçula de David Case havia aprendido recentemente a andar,

Leia mais

Cartilha das Brincadeiras

Cartilha das Brincadeiras Cartilha das Brincadeiras Amarelinha (academia, escada, macaca, sapata) Primeiro desenhe no chão um diagrama como este aí ao lado. Quem for jogar fica no inferno e lança uma pedra, mirando no número 1.

Leia mais

Existe uma terapia específica para problemas sexuais?

Existe uma terapia específica para problemas sexuais? Existe uma terapia específica para problemas sexuais? Maria de Melo Azevedo Eu acho que a terapia sexual para casos bem específicos até que pode funcionar. Ou, pelo menos, quebra o galho, como se diz.

Leia mais

Titulo - VENENO. Ext Capital de São Paulo Noite (Avista-se a cidade de cima, forrada de prédios, algumas luzes ainda acesas).

Titulo - VENENO. Ext Capital de São Paulo Noite (Avista-se a cidade de cima, forrada de prédios, algumas luzes ainda acesas). Titulo - VENENO Ext Capital de São Paulo Noite (Avista-se a cidade de cima, forrada de prédios, algumas luzes ainda acesas). Corta para dentro de um apartamento (O apartamento é bem mobiliado. Estofados

Leia mais

STEREOTYPE Homem_Conhecia.p65 7 5/6/2006, 16:50

STEREOTYPE Homem_Conhecia.p65 7 5/6/2006, 16:50 STEREOTYPE Homem_Conhecia.p65 7 Homem_Conhecia.p65 8 SIM Atriz. Encostou seu Uno Mille e pediu para o namorado esperar com o motor ligado. Ia só trocar de roupa. 20h25. Daria tempo. Descer a rua Cardeal

Leia mais

CABOCLO D AGUA. Por. Andre Rohling.

CABOCLO D AGUA. Por. Andre Rohling. CABOCLO D AGUA. Por Andre Rohling. (47)8818-2914. andrerohling@hotmail.com www.facebook/andre.rohling 1 CENA-EXT-CAMPO-NOITE-19H10MIN. Noite de lua cheia, era bastante claro devido à luz da lua, faróis

Leia mais

ATÉ QUE A MORTE NOS SEPARE? um roteiro. Fábio da Silva. 15/03/2010 até 08/04/2010

ATÉ QUE A MORTE NOS SEPARE? um roteiro. Fábio da Silva. 15/03/2010 até 08/04/2010 ATÉ QUE A MORTE NOS SEPARE? um roteiro de Fábio da Silva 15/03/2010 até 08/04/2010 Copyright 2010 by Fábio da Silva Todos os direitos reservados silver_mota@yahoo.com.br 2. ATÉ QUE A MORTE NOS SEPARE?

Leia mais

Classificação 18 + Romance/Angst. Bella& Edward

Classificação 18 + Romance/Angst. Bella& Edward Pode o destino trazê-la de volta para ele? Edward sempre teve tudo o que desejava, mas será que ele a teria de volta? Talvez... Não seja apenas uma coincidência... Classificação 18 + Romance/Angst Bella&

Leia mais

O TEMPLO DOS ORIXÁS. Site Oficial: http://www.tfca.com.br E-mail: tfca@tfca.com.br

O TEMPLO DOS ORIXÁS. Site Oficial: http://www.tfca.com.br E-mail: tfca@tfca.com.br O TEMPLO DOS ORIXÁS Quando, na experiência anterior, eu tive a oportunidade de assistir a um culto religioso, fiquei vários dias pensando a que ponto nossa inconsciência modificou o mundo espiritual. Conhecendo

Leia mais

Meena Harper sabia coisas, coisas que ninguém mais sabia... coisas

Meena Harper sabia coisas, coisas que ninguém mais sabia... coisas Capítulo 1 Meena Harper sabia coisas, coisas que ninguém mais sabia... coisas que ninguém mais podia saber. Uma delas era que o homem sentado ao seu lado no carro ia morrer. Também havia muitas coisas

Leia mais

Um pro logo que ha de fazer algum sentido mais a frente

Um pro logo que ha de fazer algum sentido mais a frente Um pro logo que ha de fazer algum sentido mais a frente De entre todas as coisas que podem entupir os canos lá em casa, um mamífero do Ártico com excesso de peso é provavelmente a pior. Isto porque, embora

Leia mais

ENTRE FERAS CAPÍTULO 16 NOVELA DE: RÔMULO GUILHERME ESCRITA POR: RÔMULO GUILHERME

ENTRE FERAS CAPÍTULO 16 NOVELA DE: RÔMULO GUILHERME ESCRITA POR: RÔMULO GUILHERME ENTRE FERAS CAPÍTULO 16 NOVELA DE: RÔMULO GUILHERME ESCRITA POR: RÔMULO GUILHERME CENA 1. HOSPITAL. QUARTO DE. INTERIOR. NOITE Fernanda está dormindo. Seus pulsos estão enfaixados. Uma enfermeira entra,

Leia mais

VERMELHO PROFUNDO. Adriano Henrique Cândido. Argumento de. Larissa Alvanhan. Oitavo Tratamento

VERMELHO PROFUNDO. Adriano Henrique Cândido. Argumento de. Larissa Alvanhan. Oitavo Tratamento VERMELHO PROFUNDO de Adriano Henrique Cândido Argumento de Larissa Alvanhan Oitavo Tratamento Copyright 2013 by Adriano Henrique Cândido e Larissa Alvanhan. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. CENA 01 - EXT.

Leia mais

POEMAS DE JOVITA NÓBREGA

POEMAS DE JOVITA NÓBREGA POEMAS DE JOVITA NÓBREGA Aos meus queridos amigos de Maconge Eu vim de longe arrancada ao chão Das minhas horas de menina feliz Fizeram-me estraçalhar a raiz Da prima gota de sangue Em minha mão. Nos dedos

Leia mais

O passageiro. 1.Edição. Edição do Autor

O passageiro. 1.Edição. Edição do Autor 1 1.Edição Edição do Autor 2012 2 3 Jonas de Paula Introdução Esse conto relata um mal entendido que poderia acontecer com qualquer pessoa em qualquer lugar, tem haver com a questão da globalização e seu

Leia mais

Como você pode se livrar da Depressão, Surpreenda-se! SUMÁRIO

Como você pode se livrar da Depressão, Surpreenda-se! SUMÁRIO 1 SUMÁRIO A História... 2 Vários pensamentos... 2 Ódio... 2 Pena de MIM... 3 Sem controle sobre a minha mente... 4 Tristeza Profunda... 4 Falta de compreensão... 5 A cura... 6 Basta este dia... 8 Um novo

Leia mais

LENDA DA COBRA GRANDE. Um roteiro de IVI SIBELI ROCHA DE BARROS DAIANE MONTEIRO POLIANA AGUIAR FERREIRA MARIA LUZIA RODRIGUES DA SILVA

LENDA DA COBRA GRANDE. Um roteiro de IVI SIBELI ROCHA DE BARROS DAIANE MONTEIRO POLIANA AGUIAR FERREIRA MARIA LUZIA RODRIGUES DA SILVA LENDA DA COBRA GRANDE Um roteiro de IVI SIBELI ROCHA DE BARROS DAIANE MONTEIRO POLIANA AGUIAR FERREIRA MARIA LUZIA RODRIGUES DA SILVA CRUZEIRO DO SUL, ACRE, 30 DE ABRIL DE 2012. OUTLINE Cena 1 Externa;

Leia mais

Como preparar sua casa após cirurgia de quadril

Como preparar sua casa após cirurgia de quadril PÓS-OPERATÓRIO Como preparar sua casa após cirurgia de quadril Retire os tapetes, extensões e fios telefônicos, pois eles podem ocasionar quedas. Caso ainda não tenha, instale corrimãos em pelo menos um

Leia mais

Super.indd 5 6/1/2010 17:05:16

Super.indd 5 6/1/2010 17:05:16 Super é o meu primeiro livro escrito inteiramente em São Paulo, minha nova cidade. A ela e às fantásticas pessoas que nela vivem, o meu enorme obrigado. E esse livro, como toda ficção, tem muito de realidade.

Leia mais

SARAMAU. Carolina Pereira Rodrigues e Milena da Silva

SARAMAU. Carolina Pereira Rodrigues e Milena da Silva SARAMAU Carolina Pereira Rodrigues e Milena da Silva CENA 1 Saramau entra no palco leve e com um ar de alegria e paz. ela acaba de compreender que ama de verdade José o seu marido. Ela entra chamando pelo

Leia mais

By Dr. Silvia Hartmann

By Dr. Silvia Hartmann The Emo trance Primer Portuguese By Dr. Silvia Hartmann Dra. Silvia Hartmann escreve: À medida em que nós estamos realizando novas e excitantes pesquisas; estudando aplicações especializadas e partindo

Leia mais

ACOMPANHE O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA

ACOMPANHE O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA ACOMPANHE O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA 1 Mês: Sucção vigorosa Levanta a cabeça e rasteja as pernas, se deitado de frente Sustenta a cabeça momentaneamente Preensão de objetos que vão à mão Aquieta-se com

Leia mais

Postura. As posturas prolongadas podem prejudicar os músculos e as articulações.

Postura. As posturas prolongadas podem prejudicar os músculos e as articulações. Postura A postura é, freqüentemente, determinada pela natureza da tarefa ou do posto de trabalho. Um porteiro de hotel tem uma postura estática, enquanto um carteiro passa a maior parte do tempo andando.

Leia mais

QUASE NADA Peça de Marcos Barbosa marcosbarbosa@hotmail.com

QUASE NADA Peça de Marcos Barbosa marcosbarbosa@hotmail.com QUASE NADA Peça de Marcos Barbosa marcosbarbosa@hotmail.com Antônio, Sara, Vânia e César. Sala da casa de Antônio e Sara. 1 Um longo silêncio. ANTÔNIO. Vai me deixar falando sozinho? Sara o fita e fica

Leia mais

A Vida Passada a Limpo. Ayleen P. Kalliope

A Vida Passada a Limpo. Ayleen P. Kalliope A Vida Passada a Limpo Ayleen P. Kalliope 2011 Este livro é dedicado ao meu querido filho, Pedro Paulo, que ao nascer me trouxe a possibilidade de parar de lecionar Inglês e Português, em escolas públicas

Leia mais

PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO.

PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO. Roteiro de Telenovela Brasileira Central de Produção CAPÍTULO 007 O BEM OU O MAL? Uma novela de MHS. PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO. AGENOR ALBERTO FERNANDO GABRIELE JORGE MARIA CLARA MARIA CAMILLA MARÍLIA

Leia mais

Iniciação à PNL. www.cursosbrasil.com.br. Produção. Parte 2. Jimmy L. Mello. www.brasilpnl.com.br. www.brasilpnl.com.br

Iniciação à PNL. www.cursosbrasil.com.br. Produção. Parte 2. Jimmy L. Mello. www.brasilpnl.com.br. www.brasilpnl.com.br Serie: Cursos Profissionalizantes Brasil PNL Formação em "Programação neurolingüística" (PNL) Curso Gratuito Produção www.cursosbrasil.com.br Iniciação à PNL Parte 2 Jimmy L. Mello Distribuição gratuita

Leia mais

Fuga. v_06.02 (julho/2011) Por Laura Barile

Fuga. v_06.02 (julho/2011) Por Laura Barile Fuga v_06.02 (julho/2011) Por Laura Barile laurabarile@gmail.com CENA 1 - EXT. RUA - DIA DORA sai do carro, bate a porta. Usa um vestido sem mangas, de algodão, comprido e leve, o cabelo levemente desarrumado,

Leia mais

MOVIMENTO FAMILIAR CRISTÃO Equipe Dia/mês/ano Reunião nº Ano: Tema: QUEM MEXEU NO MEU QUEIJO Acolhida Oração Inicial

MOVIMENTO FAMILIAR CRISTÃO Equipe Dia/mês/ano Reunião nº Ano: Tema: QUEM MEXEU NO MEU QUEIJO Acolhida Oração Inicial MOVIMENTO FAMILIAR CRISTÃO Equipe Dia/mês/ano Reunião nº Ano: Local: Tema: QUEM MEXEU NO MEU QUEIJO Acolhida Oração Inicial Esta é uma história de mudança que ocorre em um labirinto em que quatro personagens

Leia mais

Cercado de verde por todos os lados

Cercado de verde por todos os lados Cercado de verde por todos os lados Verde-claro. Verde-escuro. Verde-musgo. Verde pálido. Verde superanimado. Verde sendo bicado por passarinhos. Verde sendo engolido por macacos. Verde subindo pelos troncos

Leia mais

1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar

1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar 1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar nosso amor 4. Porque a gente discute nossos problemas

Leia mais

Ato Único (peça em um ato)

Ato Único (peça em um ato) A to Ú nico Gil V icente Tavares 1 Ato Único (peça em um ato) de Gil Vicente Tavares Salvador, 18 de agosto de 1997 A to Ú nico Gil V icente Tavares 2 Personagens: Mulher A Mulher B Minha loucura, outros

Leia mais