UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ EMÍLIA MARIA DE FREITAS MOREIRA PARO EVASÃO DE ALUNOS NA EDUCAÇÃO SUPERIOR A DISTÂNCIA: UMA PROPOSTA DE ENFRENTAMENTO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ EMÍLIA MARIA DE FREITAS MOREIRA PARO EVASÃO DE ALUNOS NA EDUCAÇÃO SUPERIOR A DISTÂNCIA: UMA PROPOSTA DE ENFRENTAMENTO"

Transcrição

1 1 UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ EMÍLIA MARIA DE FREITAS MOREIRA PARO EVASÃO DE ALUNOS NA EDUCAÇÃO SUPERIOR A DISTÂNCIA: UMA PROPOSTA DE ENFRENTAMENTO Rio de Janeiro 2011

2 2 EMÍLIA MARIA DE FREITAS MOREIRA PARO EVASÃO DE ALUNOS NA EDUCAÇÃO SUPERIOR A DISTÂNCIA: UMA PROPOSTA DE ENFRENTAMENTO Dissertação apresentada ao Programa de Pós-graduação em Educação como requisito parcial para obtenção do título de Mestre em Educação. Orientadora: Profa. Dra. Lúcia Regina Goulart Vilarinho Rio de Janeiro 2011

3 3 M6 P257 Paro, Emília Maria de Freitas Moreira Evasão de alunos na educação superior à distância./ Emília Maria de Freitas Moreira Paro Rio de Janeiro, f. ; 30 cm. Trabalho monográfico (Mestrado em Educação) Universidade Estácio de Sá, Educação à distância. 2. Educação Superior. 3. Evasão universitária I. Título CDD 374.4

4 4 AGRADECIMENTOS A Profª Drª Lúcia Regina Goulart Vilarinho, por ter me escolhido como sua orientanda, por ter me ensinado que conhecimento e saber se constroem com carinho e competência. Não existem palavras que expressem a gratidão de ter você como orientadora. Ao Célio pelo companheirismo, confiança, estímulo e apoio não apenas durante este dois anos, mas pelos 25 anos de vida que compartilhamos juntos. Eu te amo. Aos filhos queridos, Lara e Caio, que conseguem transformar a missão de mãe numa tarefa leve. Vocês são filhos maravilhosos. Aos meus pais, Marino e Ducarmo, que me ensinaram a nunca desistir de meus sonhos. Aos meus irmãos, Rui, Ronan e Ronald, pelo carinho. A minha amiga-irmã Neide, por estar sempre por perto com a palavra certa. Ao Prof. Flávio Iassuo Takakura por ter me ajudado na escolha do tema da dissertação e aceitar o convite para participar da banca examinadora. A equipe pedagógica do Centro de Educação a Distância CEAD da Universidade Federal de Juiz de Fora UFJF, que sempre me atendeu prontamente. Aos tutores do Módulo de Acolhimento, que responderam ao questionário, vocês são parte integrante desta dissertação. À Direção do Instituto Federal Sudeste de Minas Gerais, sucessor do Colégio Técnico Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora CTU/UFJF pelo apoio. Aos colegas de Mestrado, pelos momentos felizes que vivenciamos em sala de aula e na Van durante as viagens ao Rio de Janeiro. Aos professores e orientadores do Projeto MINTER, Tarso Mazzoti, Mônica Rabello, Alberto Tornaghi, Donaldo Bello de Souza, Estrella Bohadana, Elisângela Bernado, Marco Silva, Sônia Mendes, Wânia Gonzalez, Inês Bragança e Laélia Moreira que acreditaram neste projeto e nos conduziram com sabedoria e sensibilidade neste processo de aprendizagem.

5 A Deus. A Jesus nosso Mestre Maior. Aos amigos espirituais que sempre me intuem e protegem. Aos meus familiares por me apoiarem incondicionalmente e ajudarem a transformar meus sonhos em realidade. 5

6 6 RESUMO Diante das demandas da sociedade globalizada, muitos sistemas educativos têm investido na institucionalização da educação a distância em nível superior, apoiada pelo sistema de redes. Na expansão desta modalidade educacional um problema se mostra recorrente e desafia os que nela se inserem: trata-se da evasão de alunos. Considerando tal desafio, orientou-se a investigação para os motivos da evasão e as estratégias que cursos de licenciaturas a distância, vinculados à Universidade Aberta do Brasil (UAB), estão desenvolvendo para minimizá-lo. O contexto de estudo foi o Curso de Licenciatura a distância em Ciência da Computação, ministrado pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), e o foco específico se projetou para o Módulo de Acolhimento, atividade que visa potencializar a participação dos alunos nas atividades de ensino-aprendizagem a distância. A partir deste foco, foram elaboradas as questões de estudo, a saber: (a) que motivos predominam na evasão de alunos dos cursos de licenciatura a distância oferecidos pela UFJF? (b) quais as estratégias, suas características básicas e como são utilizadas pelos cursos de licenciatura vinculados ao Centro de Educação à Distância (CEAD) da UFJF, para reduzir o índice de evasão? (c) como essas estratégias, segundo coordenadores e tutores desses cursos, contribuem (ou não) para a permanência dos alunos no curso? (d) quais são as vantagens, dificuldades e limites dessas estratégias? A pesquisa foi orientada por pressupostos do construtivismo social, sendo os dados obtidos analisados na perspectiva qualitativa. Os procedimentos metodológicos englobaram: análise documental; observação online das atividades realizadas no ambiente virtual de aprendizagem (AVA); aplicação de questionário aos tutores e entrevista com coordenadores da modalidade a distância. Os resultados obtidos junto a cada grupo de participantes alunos, tutores e coordenador do Centro de Educação a Distância (CEAD) - foram triangulados e analisados à luz de uma abordagem teórica integrada pelos seguintes eixos temáticos: motivos da evasão; estratégias de enfrentamento da evasão; e autonomia na aprendizagem. Os resultados sugerem que o Módulo de Acolhimento é uma estratégia relevante para favorecer a participação dos alunos na modalidade a distância. Todos os três segmentos alunos, tutores e coordenador apresentaram uma visão positiva do Módulo evidenciada nas ações concretizadas na plataforma virtual e nas entrevistas. O Módulo pode ser aprimorado e estendido a todos os cursos a distância da UFJF. Sugere-se outra pesquisa que verifique, junto aos alunos da licenciatura em tela, se até a conclusão do curso a evasão de alunos diminuiu. Palavras-chave: Educação a distância. Evasão de alunos. Módulo de Acolhimento.

7 7 ABSTRACT Many educational systems have invested in the institutionalization of the distance higher education serving the global society s demands - supported by groups of networks. Throughout the expansion of this educational modality, a recurrent problem challenges people who are integrated with that: it is the students evasion. After considering this challenge, it was oriented an investigation with a focus on the reasons which made students to evade as well as the strategies that distance courses intended to form teachers associated to the Universidade Aberta do Brasil (UAB) (Open University of Brasil, the OUB) are developing to minimize the difficulty. The context of the study was the distance graduation course of Computing Science at the Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) and the focus has been projected on the Module of Welcoming, which aims to increase the participation of the students in the distance teaching-learning process. From that spotlight on, the following study questions were elaborated: (a) which are the predominant reasons related to the students evasion in the courses offered by the Universidade Federal de Juiz de Fora? (b) which are the strategies to reduce the problem, its basic characteristics and the ways in which they are treated by the graduation courses allied to the UFJF s Distance Education Center (DEC)? (c) how do these strategies, according to coordinators and tutors, contribute (or not) to the permanence of students? (d) which are the strategies advantages, difficulties and precincts? This research was oriented by social-constructivist presuppositions. The data were analyzed under a qualitative perspective. The methodological procedures encompassed the following: document analysis; virtual-learning-environment-based online observation (AVA); questionnaire application to tutors and interview conceded by coordinators of the modality. The results that were obtained from each group of participants students, tutors and Distance Education Center s Coordinator were associated amongst themselves and analyzed under a theoretical approach integrated by the following thematic axis: reasons for evasion; strategies to face the crisis; and learning autonomy. The results suggest that the Module of Welcoming is a relevant strategy for the participation of students in Distance Education. All the three segments students, tutors and coordinator presented a positive feedback on the module, which was noted through the analysis done in the virtual platform and interviews. The Module can be enhanced and extended to all distance courses at UFJF. In order for specialists to evaluate whether the online graduation students evasion has decreased, it is important to suggest another research. Keywords: Distance education. Students Evasion. Module of Welcoming.

8 8 SUMÁRIO 1. A EVASÃO DE ALUNOS NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: UM PROBLEMA RECORRENTE INTRODUÇÃO PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS O CONTEXTO DE ESTUDO: O MÓDULO DE ACOLHIMENTO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA A UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA: UM POUCO DE SUA HISTÓRIA A ESCOLHA DO CONTEXTO DE ESTUDO O MÓDULO DE ACOLHIMENTO COMO OBJETO DE PESQUISA O ENFRENTAMENTO DA EVASÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: ABORDAGEM TEÓRICA MOTIVOS DA EVASÃO ESTRATÉGIAS DE ENFRENTAMENTO DA EVASÃO NA EAD A CONSTRUÇÃO DA AUTONOMIA NA APRENDIZAGEM COMO FUNDAMENTO DA EAD O MÓDULO DE ACOLHIMENTO NA PRÁTICA: O QUE DIZEM ALUNOS, TUTORES E COORDENADOR OBSERVAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO DO MÓDULO DE ACOLHIMENTO NO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM O MÓDULO DE ACOLHIMENTO SEGUNDO OS TUTORES A VISÃO DO COORDENADOR DO CEAD SOBRE O MÓDULO DE ACOLHIMENTO... 88

9 9 5. VANTAGENS, DIFICULDADES E LIMITES DO MÓDULO DE ACOLHIMENTO: O DIÁLOGO PRÁTICA-TEORIA TRIANGULANDO OS DADOS COLETADOS À LUZ DA ABORDAGEM TEÓRICA CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS ANEXOS

10 10 1. A EVASÃO DE ALUNOS NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: UM PROBLEMA RECORRENTE 1.1 INTRODUÇÃO A educação a distância (EAD), em seu sentido mais amplo, parece ter sua origem na Antigüidade com as cartas de Platão e de São Paulo (NUNES, 1994). Para Chaves (1999), a invenção da escrita permitiu às pessoas escreverem o que antes só podiam dizer oralmente e, assim, surgiu a primeira forma de EAD: por correspondência. Este autor afirma que as epístolas do Novo Testamento, de nítido caráter didático, são claros exemplos desta modalidade educacional, ainda que seu alcance fosse limitado. É, no entanto, a partir do século XV (1450/55), com a invenção da imprensa por Gutenberg (Alemanha), que se torna desnecessário ir à escola para assistir passivamente à leitura de textos manuscritos. Esta invenção permitiu a apreensão, a distância, do conteúdo inserido nos livros. A vulgarização dos serviços tipográficos com a produção em massa de livros aumentou exponencialmente o alcance da EAD. Como qualquer invenção que promove uma revolução, o livro foi alvo de grande resistência. Nos dois séculos subsequentes à invenção da imprensa, muitas escolas resistiram à sua utilização por suporem que tornaria desnecessária a figura do mestre (ALVES, 1994). Após aproximadamente 400 anos da invenção da imprensa, nos primórdios do século XIX, surgem as primeiras experiências planejadas de cursos a distância, que vão definitivamente formalizar a EAD como modalidade de ensinoaprendizagem. Alves (idem) situa como pioneiros um curso de contabilidade, oferecido em 1833, na Suécia; e um curso de estenografia, em1840, na Inglaterra, A partir da segunda guerra mundial (meados do século XX) a EAD acabou ganhando grande impulso, pois os governos envolvidos neste conflito, especialmente o dos Estados Unidos, tinham interesse em recrutar e preparar o maior número possível de soldados, em um tempo exíguo e, para tanto, usaram treinamento a distância (VILARINHO, 1997). Desde, então, países como França, Canadá, Japão, Inglaterra e Bélgica institucionalizaram esta modalidade de ensino por meio da oferta de cursos regulares de formação profissional em nível técnico ou

11 11 superior, ou de cursos mais rápidos de capacitação em alguma habilidade específica (PETERS, 2001). Assim, a EAD tem se construído como alternativa educacional dirigida a sujeitos que possuem um mínimo de escolarização básica, isto é, que são capazes de realizar seus estudos com certa autonomia, sob a orientação de um tutor/professor. Nos anos 60 e 70, com a expansão da televisão, a EAD ganha poderoso aliado. Esta, além de atingir um número expressivamente maior de alunos, por possuir uma tecnologia de longo alcance que une imagem e som, acabou, em muitas situações, renovando o processo ensino-aprendizagem (SOUSA; NUNES, 2003). No Brasil, uma das primeiras iniciativas de EAD que se tem registro foi um curso por correspondência oferecido, em 1904, por uma escola norte-americana, anunciado em jornais na cidade do Rio de Janeiro. O fato, no entanto, que marca a presença definitiva desta modalidade educacional entre nós refere-se à criação, em 1923, da Rádio Sociedade do Rio de Janeiro, por Roquete Pinto. Instalada na Escola Politécnica, essa rádio tinha como objetivo primordial promover a educação, ofertando cursos de português, francês, silvicultura, literatura francesa, esperanto, radiotelegrafia e telefonia (SOUSA; NUNES, 2003). A proposta inicial de educação a distância, na dimensão de ensino por correspondência, ainda hoje é implementada 1 ; no entanto, com o desenvolvimento das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), que vão desde o telefone ao sistema de redes, novas dimensões e potencialidades puderam ser agregadas a esta modalidade. Brunner (2004, p.21) afirma que a educação sempre teve a função de preparar as pessoas para suas atividades adultas, considerando especialmente a atuação no mundo do trabalho, mas com o fenômeno da globalização, entendido como crescente interconexão de atividades em nível mundial, surgiram novas demandas formativas para os sistemas educativos. Tais demandas têm sido vistas, por muitos autores, como perversas, na medida em que impõem um sentido 1 Em nosso país são bem conhecidas as propostas desenvolvidas pelo Instituto Monitor (www.institutomonitor.com.br) e Instituto Universal Brasileiro (www.insitutouniversal.com.br) que oferecem cursos dirigidos a atividades práticas, como curso de corte e costura; de cabeleireiro; eletrônica de rádio; e outros, que dependem de conhecimentos abstratos como curso de inglês.

12 12 empresarial, utilitarista e de mero adestramento do trabalhador. Paradoxalmente, ainda segundo Brunner, a extensão, intensidade, velocidade e impacto que adquirem os fluxos, interações e redes globais obrigam todos os países a repensar o vínculo entre educação e política, economia, sociedade e cultura. Por outro lado, a constituição de um sistema tecnológico de sistemas de informação e telecomunicações facilita esses processos e gera novos contextos dentro dos quais se poderá desenvolver, de agora em diante, a formação de pessoas (p.21). Diante das novas demandas, os sistemas educativos de muitos países estão implementando duas estratégias combinadamente para ajustar a educação, a saber: educação continuada ao longo da vida para todos (life long learning for all), suportada por uma institucionalização em redes; e educação a distância e aprendizagem distribuída (BRUNNER, 2004, p.39). Nosso país não fugiu à regra tendo, em 1995, criado a Secretaria de Educação a Distância (SEED) no âmbito do MEC, que logo viu seu escopo ampliarse com a aprovação de Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) n. 9394/96, quando esta, em seu artigo 80, estabeleceu que o poder público incentivaria o desenvolvimento de programas de ensino a distância, em todos os níveis e modalidades de ensino, e de educação continuada. Com a Portaria do Ministério da Educação de no /01, já reformulada por outra, de n /04, que permite o emprego da EAD em até 20% do currículo de um curso de graduação na modalidade presencial, ampliaram-se, ainda mais, as possibilidades de implementação da EAD no ensino superior. Passados quinze anos, observamos uma expansão marcante da EAD, especialmente a partir da criação, em 2005, da Universidade Aberta do Brasil (UAB) subordinada ao MEC. Este sistema 2 atualmente congrega 87 instituições públicas de ensino superior, entre universidades, institutos federais de educação, ciência e tecnologia (IFET) e centros federais de educação tecnológica (CEFET), formando uma grande rede, com 649 pólos espalhados por todas as regiões e estados do país, do Acre ao Rio Grande do Sul, aí se incluindo o Distrito Federal. Apesar de tantas experiências nesta modalidade educativa, seja em nosso país ou em outros, um problema se mostra recorrente e desafia os que nela se inserem: trata-se da evasão de alunos. Segundo Obbadi e Jurberg (2005, p.49), as 2 Os dados foram obtidos <http://uab.capes.gov.br/>. Acesso em 12/12/2009.

13 13 instituições que investem em cursos nesta modalidade estão perplexas face às altas taxas de desistência de alunos matriculados em seus cursos. Essas autoras afirmam que embora os números e índices de evasão em cursos a distância sejam bastante díspares e não coincidentes, todos concordam que os números de desistência dos alunos que freqüentam cursos nesta modalidade são maiores do que os índices relatados pelas instituições tradicionais em cursos presenciais. No estudo que estas autoras conduziram sobre a problemática da desistência na EAD, são apresentados alguns índices que evidenciam o desafio da evasão: na Europa a percentagem oscila entre 20 e 30%; nos Estados Unidos e países asiáticos é da ordem de 50%. No Brasil, segundo dados de Maia; Meirelles e Pela (2004), a evasão é maior em cursos oferecidos por empresas privadas no âmbito de Instituições de Ensino Superior (IES), alcançando um índice de 62%; já em cursos certificados pelo MEC este percentual diminui para o patamar de 21%. De acordo com Santos et al (2008, p.3) a evasão diz respeito à desistência definitiva do estudante em qualquer etapa do curso. Para esses autores os números alarmantes da evasão na EAD exigem um esforço efetivo no sentido de entender e explicar as suas causas de forma a propiciar ações corretivas e preventivas em relação à evasão. Já Fávero (2006) define evasão como a desistência do curso por aqueles que, após a matrícula, deixam de participar. São os evadidos e muitos deles desaparecem sem dar qualquer satisfação. Ainda que a evasão constitua um problema complexo para a EAD, o que se observa na contemporaneidade é um investimento crescente nesta modalidade educativa. Brunner (2004) admite que tal investimento relaciona-se com algumas megatendências que se expandem pelo ensino superior, a saber: (a) presença e influência das contínuas evoluções tecnológicas; (b) pressão demográfica em nível mundial, o que significa mais pessoas lutando pelo direito à educação; (c) processos econômicos baseados no intenso uso de informações e conhecimentos, ou seja, produção de mercadorias cada vez mais dependente de ciência e tecnologia; (d) expansão de programas e serviços de ensino transnacionais, apoiados no uso da internet (surgem as concorrências na oferta educacional, gerando um mercado global da chamada e-educação, sendo o ensino superior o locus privilegiado deste fenômeno); (e) crescente privatização da oferta educacional face à desordem do Estado em relação ao seu dever de garantir educação superior de qualidade; e (f)

14 14 novas perspectivas de ensino-aprendizagem que, por meio das tecnologias de rede, superam dois princípios básicos dos sistemas educacionais, a saber: a escola é o lugar adequado para se aprender; e o meio mais adequado para se transmitir conteúdos é o texto plano ou linear (o livro didático). Com as TIC, a educação está indo além dos espaços tradicionais de aprendizagem, apoiando-se em informações e conhecimentos que se encontram postados em ambientes virtuais. Mesmo oferecendo novas possibilidades de acesso à educação, a problemática da evasão permanece, sendo evidenciada e discutida em diversos estudos recentes, entre os quais podemos destacar: Coscarelli (2000); Coelho (2007); Fávero e Franco (2006); Faria, Alcântara e Goia (2008); Santos et al (2008); Toczek et al (2008); Freitas (2009); Corrêa e Santos (2009); Bastos e Silva (2009); Laguardia e Portela (2009), autores estes que serão aprofundados no capítulo referente à abordagem teórica. Assim, considerando a persistência desse fenômeno e os investimentos na EAD, que não devem ser inúteis, ao contrário, precisam garantir os pressupostos de democratização da educação (TRIGUEIRO, 1969) que marcaram seus primórdios, julgamos oportuno aprofundá-lo, relacionando-o a estratégias que possibilitem sua reversão. Nesta direção, a indagação básica que direcionou nossa pesquisa foi: como instituições de ensino superior que se inserem na política de expansão da EAD coordenada pela UAB enfrentam o desafio da evasão? Em outras palavras, que estratégias estão implementando para conter este fenômeno? Para orientar melhor nossa proposta de pesquisa, fizemos um levantamento no banco de teses e dissertações da CAPES, direcionado especificamente para a evasão na educação a distância. Encontramos somente quatro trabalhos que discutem esta problemática e destes, apenas um trata da evasão no ensino superior. Dos que falam da evasão na EAD sem relacioná-la ao ensino superior estão: (a) Fávero (2006) - discute a importância do diálogo para a permanência do aluno nesta modalidade de curso. Vincula seu estudo à educação profissional, concretizando uma análise da problemática em ambientes virtuais de aprendizagem. Esta autora verificou que a ocorrência do diálogo estimulou a participação contínua dos estudantes, minimizando a evasão; (b) Ramminger (2006) - focaliza a evasão em cursos de Especialização em Psicologia oferecidos pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) Virtual. Teve como objetivos examinar os motivos que levam os alunos a se matricularem nestes cursos, as expectativas que

15 15 possuíam ao realizarem sua matricula e os motivos da desistência. Os resultados desta pesquisa indicam que os alunos se matricularam nos cursos a distância por interesse nas áreas de conhecimento oferecidas e desistiram devido à falta de: disciplina, tempo, motivação e autonomia nos estudos; apresentaram dificuldades com os conteúdos, materiais, trabalhos e conhecimentos tecnológicos; (c) Almeida (2007) - pesquisou os fatores que influenciam a evasão de alunos em cursos a distância, tendo dividido sua pesquisa em cinco estudos. Entre os resultados encontrados, os que mais sobressaem são os seguintes: os motivos da desistência referem-se à falta de apoio acadêmico, problemas com a tecnologia, falta de apoio administrativo e sobrecarga de trabalho. Esta autora verificou também que a desistência ocorre principalmente nos três primeiros módulos do curso. O único trabalho que investiga a evasão no ensino superior a distância é o de Amidani (2004) tendo como foco a Licenciatura em Matemática oferecida pelo Centro de Educação Superior a Distância do Estado do Rio de Janeiro (CEDERJ). A autora, entre outros fatores, aponta a evasão relacionada a (à): dificuldades dos alunos em conciliar estudo e trabalho; necessidade de dar atenção à família; formação escolar anterior precária; desconhecimento da prática de aprendizagem a distância; e condições estruturais e administrativas da instituição. Neste levantamento observamos que não são estudados os mecanismos utilizados pelas instituições para garantir a permanência de seus alunos em cursos via EAD. Complementarmente, buscamos em coleções de periódicos da área das Ciências Humanas postados no site Scielo 3, avaliados pelo repositório Qualis da CAPES na categoria qualidade A 4, artigos que tratassem da questão da evasão na EAD e não encontramos qualquer trabalho nesta direção. Tendo em vista as limitações da literatura pedagógica nacional em relação ao nosso tema, pesquisamos em revistas estrangeiras da área educacional artigos que pudessem oferecer contribuições. De Portugal escolhemos quatro: (a) Educação, Formação & Tecnologias 5, revista semestral, publicada desde 2008 pela Associação Portuguesa de Telemática Educativa (EDUCOM), que já tem disponível online todos 3 Portal Scielo: <http://www.scielo.br/> 4 Periódicos pesquisados: Caderno CEDES (Unicamp); Cadernos de Pesquisa (Fundação Carlos Chagas SP); Educar em Revista (Universidade Federal do Paraná); Educação e Sociedade (Unicamp); Educação e Pesquisa (USP); Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação (Fundação Cesgranrio); Paidéa (USP); Pro-posições (Faculdade de Educação Unicamp); e Revista Brasileira de Educação (Associação Nacional de Pesquisa e Pósgraduação em Educação ANPEd) 5 Informações sobre a revista em: <http://eft.educom.pt/index.php/eft/index>

16 16 os quatro números editados; (b) Revista Portuguesa de Pedagogia 6 editada semestralmente pela Universidade de Coimbra, desde 2003, podendo-se contar com 11 exemplares online; (c) Revista Portuguesa de Educação 7 vinculada ao Instituto de Educação da Universidade do Minho, publicada semestralmente desde 2005; e (d) Sísifo Revista de Ciências da Educação, publicada quadrimestralmente desde 2006 pela Universidade de Lisboa, com 10 números na internet. Uma vez rastreados os índices dessas revistas, todos oferecidos online, não encontramos qualquer trabalho que tratasse do nosso tema. Os poucos trabalhos visualizados versam sobre tutoria; aprendizagem colaborativa na rede; inserção das TIC em processos educacionais. Cabe registrar que estas revistas foram escolhidas pela sua vinculação a instituições portuguesas bastante reconhecidas. Verificamos, ainda, que a Universidade Aberta de Portugal 8, talvez por ter sido criada muito recentemente, não possui revista acadêmica. Em língua espanhola selecionamos: (a) Revista Iberoamericana de Educación 9 - quadrimestral, publicada desde 1993 pela Organização dos Estados Iberoamericanos (OEI), tendo 51 exemplares online; (b) Revista Iberoamericana de Educação a Distância (RIED) 10, vinculada à Associação Iberoamericana de Educação Superior a Distância, cujo primeiro número foi publicado em É semestral e já possui 24 números disponíveis online; (c) Revista de Educação a Distância (RED) 11, patrocinada pela Universidade de Múrcia (Espanha), com seu primeiro número publicado em dezembro de 2001, apresenta 21 números e 12 publicações monográficas online; (d) DIDAC 12 revista semestral da Universidade Iberoamericana da Cidade do México; tem 53 números editados, sendo que a partir do 43 (primeiro semestre de 2004) encontra-se online. De forma similar, o rastreamento nos índices das revistas de língua espanhola evidenciou que o tema evasão não foi considerado. Face, então, ao número limitado de dissertações brasileiras que se ocupam da evasão na educação a distância (apenas quatro) e à inexistência, nas revistas consultadas, de artigos que abordem este tema, julgamos relevante investigar os 6 As informações estão em: <http:;www.uc.pt/fpce/publicações/rpedagogia> 7 Dados em: <http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/429> 8 O endereço da Universidade Aberta de Portugal é: <http://www.univ.ab.pt/> 9 Portal RIE: <http://www.rieoei.org/presentar.php> 10 Maiores informações em: <http://www.utpl.edu.ec/ried> 11 Verificar dados em:<http://www.um.es/ead/red> 12 DIDAC está em: <http://www.didac.uia.mx/index.php?option=com_frontpage&itemid=1>

17 17 seus motivos e medidas ou estratégias que vem sendo adotadas no âmbito de instituições de ensino superior para conter a evasão de alunos na EAD. Tendo em vista que a pesquisadora é servidora da Universidade Federal Juiz de Fora, consideramos que aprofundar tal problemática no âmbito dos cursos da Universidade Aberta do Brasil 13 - UAB, inseridos nesta Universidade seria relevante por dois motivos: facilidade de acesso por termos tido vínculo funcional com a UFJF e o fato desta abrigar 25 (aproximadamente 32%) dos 74 pólos da UAB existentes em Minas Gerais. Nesses pólos estão sendo desenvolvidas estratégias que visam garantir a permanência dos alunos matriculados na EAD. Assim, esta pesquisa tem como objetivo geral investigar os motivos da evasão e as estratégias que cursos de licenciaturas a distância da UFJF, vinculados a UAB, estão desenvolvendo para minimizar esta problemática. Deste objetivo mais amplo derivamos as questões de estudo que nortearam a coleta de dados, a saber: (a) que motivos predominam na evasão de alunos dos cursos de licenciatura a distância oferecidos pela UFJF, em articulação com a UAB? (b) quais as estratégias, suas características básicas e como são utilizadas pelos cursos de licenciatura vinculados ao Centro de Educação à Distância (CEAD) 14 da UFJF, para reduzir o índice de evasão? (c) como essas estratégias, segundo coordenadores e tutores desses cursos, contribuem (ou não) para a permanência dos alunos no curso? (d) quais são as vantagens, dificuldades e limites dessas estratégias? 1.2. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS O conteúdo dos nossos objetivos direcionou a pesquisa para uma abordagem predominantemente qualitativa; no entanto, alguns dados quantitativos foram observados. As pesquisas qualitativas se caracterizam por seu teor interpretativo e multimetodológico, usando grande variedade de procedimentos e instrumentos de coleta de dados (ALVES-MAZZOTTI, 2002). A imersão do pesquisador nas circunstâncias e no contexto de estudo é uma das características desta pesquisa O Centro de Educação a Distância da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) foi estruturado, em 2005, para dar suporte aos cursos já existentes na universidade e implementar e coordenar novos cursos de educação a distância na instituição. Disponível em <http://www.cead.ufjf.br/>

18 18 Nesta imersão busca-se apreender o significado manifesto e o que permanece obscuro, o que exige do pesquisador a capacidade de filtrar a realidade com objetividade e o máximo possível de isenção. A filtragem da realidade pressupõe a escolha de um filtro que permita ao investigador compreender melhor o contexto e o seu foco de estudo. Tendo em vista que a pesquisa se volta para um aspecto pouco estudado da evasão (estratégias para manter alunos nos cursos de graduação na modalidade EAD), entendemos que o nosso filtro de análise dos dados deveria se ancorar na perspectiva do construtivismo social. Segundo Guba (1990, apud ALVES-MAZZOTTI, 2002, p ), os pressupostos básicos do construtivismo social são os seguintes: (a) uma ontologia relativista: as realidades existem sob forma de múltiplas construções mentais, locais e específicas, fundadas na experiência social de quem as formula. Isto significa que em uma investigação podem existir diferentes interpretações; (b) uma epistemologia subjetivista: resultados são sempre criados pela interação pesquisador/pesquisado. Em outras palavras as realidades estão construídas nas mentes dos sujeitos e é pela subjetividade que se pode conhecer estas construções; (c) uma metodologia hermenêutica-dialética: as construções individuais são provocadas e refinadas através da hermenêutica e confrontadas dialeticamente com o objetivo de verificar a existência de consensos entre os respondentes. Estes pressupostos foram observados em nossos procedimentos metodológicos. Como parte de nossos dados foi coletada a partir das falas dos sujeitos da pesquisa sobre as estratégias que estão sendo desenvolvidas para minimizar a evasão, se tornou indispensável considerar a subjetividade desses falantes, entendendo que eles vêem a problemática por diversos prismas, ou seja, segundo diferentes aspectos que compõem sua experiência de vida: formação profissional, experiência no magistério; vivência com a EAD, entre outros. A metodologia hermenêutico-dialética se expressou fundamentalmente na organização / interpretação dos dados. Para tanto procuramos desvelar as falas, considerando a subjetividade dos sujeitos, estabelecendo o maior número possível de relações não só entre as falas, mas entre estas e as situações nas quais sujeitos e falas se inserem, isto é, situadas no contexto dos cursos de licenciatura a distância da UFJF e dos documentos que subsidiam as estratégias de enfrentamento da evasão.

19 19 A primeira etapa da coleta de dados envolveu o rastreamento dos cursos superiores de educação a distância da UFJF, com foco especial nas licenciaturas. Neste levantamento alguns aspectos foram privilegiados: número de cursos, áreas de conhecimento oferecidas, número total de alunos e número por curso, pólos aos quais esses dados se vinculam e estrutura dos pólos. O objetivo do levantamento era identificar o curso de licenciatura que poderia se constituir em contexto da pesquisa. Nesta direção, julgamos que tal definição deveria ser partilhada com a Coordenação Pedagógica do CEAD da UFJF, tendo em vista seu conhecimento sobre os pólos e cursos onde existem maiores problemas de evasão, mas que utilizam o Módulo de Acolhimento, o que nos levou a realizar uma entrevista com a Assessora Pedagógica do setor (2009.2). Nesta entrevista houve a indicação da Licenciatura de Matemática como campo de pesquisa; no entanto, não pudemos seguir tal sugestão tendo em vista que no semestre destinado à coleta de dados (2010.2) o Módulo de Acolhimento não foi oferecido neste curso. Em seguida a este rastreamento, iniciamos a coleta de dados nos documentos relativos à trajetória da EAD nas licenciaturas da UFJF. O objetivo neste momento era conhecer/descrever a estrutura do CEAD, tendo em vista que é o órgão responsável pelo suporte às atividades educacionais na modalidade a distância. Procuramos explicitar sua vinculação à UAB e o caminho percorrido para consolidar os atuais 25 pólos de EAD da UFJF. Ainda na linha de análise de documentos, focalizamos o que estava registrado e servia de orientação à CEAD para colocar em prática o Módulo de Acolhimento - uma proposta de iniciação dos alunos nos cursos a distância, de modo a apresentar os instrumentos e conhecimentos básicos que favorecem a integração nesta modalidade de ensino. Considerando que se trata de experiência recente, julgamos que seria oportuno descrevê-la a partir das falas dos sujeitos envolvidos em sua concepção. Assim, com o documento-base do Módulo e os dados obtidos na entrevista com a Assessora Pedagógica do CEAD foi possível explorar, de forma mais aprofundada o Módulo de Acolhimento. As etapas mencionadas: rastreamento e análise dos documentos fornecidos pelo CEAD, se caracterizam como estudo documental e seus resultados são apresentados no capítulo dois. Uma vez aprofundadas as intenções do Módulo de Acolhimento (análise documental), passamos à observação das atividades conduzidas no ambiente virtual

20 20 de aprendizagem (AVA) utilizado nos cursos a distância da universidade. Isto exigiu a navegação neste espaço durante diversas atividades, com o objetivo de analisar a interação professor-aluno e sua observância às finalidades expressas no documento-base do Módulo. Esta etapa constituiu o terceiro momento da pesquisa. A quarta fase da coleta de dados envolveu a elaboração e aplicação de questionário, composto de perguntas abertas e fechadas, o qual foi encaminhado online aos tutores a distância (centralizados em Juiz de Fora) que mantém contato permanente com o CEAD. As perguntas fechadas deste instrumento visavam caracterizar os respondentes (sexo, idade, formação profissional, tempo de atuação na EAD, experiência em tutoria); já as abertas incidiram sobre a parte substantiva da pesquisa que diz respeito às questões de estudo. Este instrumento de coleta de dados foi validado por dois especialistas na área da educação a distância (doutorandas em educação). Segundo Rizzini, Castro e Sartor (1999), o questionário é um instrumento válido quando o pesquisador tem algum conhecimento do contexto do estudo; é o nosso caso, por termos vínculo funcional com a UFJF. Os procedimentos de coleta de dados nesta etapa constituem a pesquisa de campo. As respostas dos tutores aos questionários foram organizadas e depuradas de modo a oferecer o corpus de análise, estudado por meio de orientações da técnica de Análise de Conteúdo. Esta análise é concebida como uma técnica que tem por objetivo ir além da compreensão imediata e espontânea, ou seja, ela teria como função básica a observação mais atenta dos significados de um texto, e isso pressupõe uma construção de ligações entre as premissas de análise e os elementos que aparecem no texto. Esta atividade é, assim, essencialmente interpretativa (RIZZINI, CASTRO, SARTOR, 1999, p. 90). Como também foi possível ter acesso o que os alunos dizem sobre o Módulo, ao responderem um questionário fechado aplicado pela Coordenação, entendemos que seria oportuno incorporar tais registros à pesquisa. Os dados obtidos nestas etapas: análise documental, entrevistas e aplicação de questionário, foram confrontados de modo a maximizar a confiabilidade dos resultados. Segundo Alves-Mazzotti (2002, p. 173): quando buscamos diferentes maneiras para investigar um mesmo ponto, estamos buscando uma forma de triangulação [...] quando um pesquisador compara um relato de um informante sobre o que ocorreu em uma reunião com a ata desta mesma reunião, esta fazendo uma triangulação de fontes.

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Edson Crisostomo dos Santos Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES edsoncrisostomo@yahoo.es

Leia mais

EDITAL Nº 077/ 2014 EDITAL DE CHAMADA PARA SELEÇÃO DE ALUNOS PARA CURSO DE APERFEIÇOAMENTO DE PRODUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS EJA NA DIVERSIDADE

EDITAL Nº 077/ 2014 EDITAL DE CHAMADA PARA SELEÇÃO DE ALUNOS PARA CURSO DE APERFEIÇOAMENTO DE PRODUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS EJA NA DIVERSIDADE EDITAL Nº 077/ 2014 EDITAL DE CHAMADA PARA SELEÇÃO DE ALUNOS PARA CURSO DE APERFEIÇOAMENTO DE PRODUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS EJA NA DIVERSIDADE A Universidade Federal do Paraná (UFPR), por meio do, da

Leia mais

UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA

UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA Quando focalizamos o termo a distância, a característica da não presencialidade dos sujeitos, num mesmo espaço físico e ao mesmo tempo, coloca se como um

Leia mais

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF)

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) Maio de 2007 Maria Rachel Barbosa Fundação Trompovsky (Apoio ao NEAD CENTRAN) rachel@centran.eb.br Vanessa Maria

Leia mais

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO PARA TUTORES - PCAT

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO PARA TUTORES - PCAT 1 RESOLUÇÃO CONSU 2015 04 de 14/04/2015 PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO PARA TUTORES - PCAT Campus Virtual 2 A. JUSTIFICATIVA A vida universitária tem correspondido a um período cada vez mais

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR 1. Como são os cursos ofertados pela plataforma freire e quais os benefícios para os professores que forem selecionados? O professor sem formação poderá estudar nos

Leia mais

O PAPEL DO TUTOR A DISTÂNCIA NO ENSINO DE INFORMÁTICA: A EXPERIÊNCIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET UAB/IFSUL

O PAPEL DO TUTOR A DISTÂNCIA NO ENSINO DE INFORMÁTICA: A EXPERIÊNCIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET UAB/IFSUL O PAPEL DO TUTOR A DISTÂNCIA NO ENSINO DE INFORMÁTICA: A EXPERIÊNCIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET UAB/IFSUL Pelotas RS Maio 2010 Letícia Marques Vargas IFSul le.mvargas@gmail.com Gabriela

Leia mais

MANUAL DO ALUNO EM DISCIPLINAS NA MODALIDADE A DISTÂNCIA

MANUAL DO ALUNO EM DISCIPLINAS NA MODALIDADE A DISTÂNCIA MANUAL DO ALUNO EM DISCIPLINAS NA MODALIDADE A DISTÂNCIA ORIENTAÇÕES PARA OS ESTUDOS EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Caro (a) Acadêmico (a), Seja bem-vindo (a) às disciplinas ofertadas na modalidade a distância.

Leia mais

A Prática Educativa na EAD

A Prática Educativa na EAD A Prática Educativa na EAD A Prática Educativa na EAD Experiências na tutoria em EAD Disciplina de Informática Educativa do curso de Pedagogia da Ufal nos pólos de Xingó, Viçosa e São José da Laje (2002-2004).

Leia mais

Revisitando os Desafios da Web: Como Avaliar Alunos Online

Revisitando os Desafios da Web: Como Avaliar Alunos Online Revisitando os Desafios da Web: Como Avaliar Alunos Online Neide Santos neide@ime.uerj.br 2º Seminário de Pesquisa em EAD Experiências e reflexões sobre as relações entre o ensino presencial e a distância

Leia mais

2.2.5. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes em EaD.

2.2.5. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes em EaD. 2.2.5. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes em EaD. Este questionário é um instrumento de coleta de informações para a realização da auto avaliação da UFG que tem como objetivo conhecer a opinião

Leia mais

2.2.4. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes de Pós Graduação

2.2.4. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes de Pós Graduação 2.2.4. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes de Pós Graduação Este questionário é um instrumento de coleta de informações para a realização da auto avaliação da UFG que tem como objetivo conhecer

Leia mais

ANÁLISE DOS ASPECTOS TEÓRICO METODOLÓGICOS DO CURSO DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE CONSELHEIROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO

ANÁLISE DOS ASPECTOS TEÓRICO METODOLÓGICOS DO CURSO DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE CONSELHEIROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO ANÁLISE DOS ASPECTOS TEÓRICO METODOLÓGICOS DO CURSO DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE CONSELHEIROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO Andrelisa Goulart de Mello Universidade Federal de Santa Maria andrelaizes@gmail.com Ticiane

Leia mais

CONSELHO DE CLASSE DICIONÁRIO

CONSELHO DE CLASSE DICIONÁRIO CONSELHO DE CLASSE O Conselho de Classe é um órgão colegiado, de cunho decisório, presente no interior da organização escolar, responsável pelo processo de avaliação do desempenho pedagógico do aluno.

Leia mais

Educação a distância: desafios e descobertas

Educação a distância: desafios e descobertas Educação a distância: desafios e descobertas Educação a distância: Desafios e descobertas Conteudista: Equipe Multidisciplinar Campus Virtual Cruzeiro do Sul Você na EAD Educação a distância: desafios

Leia mais

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade O caminho para o sucesso Promovendo o desenvolvimento para além da universidade Visão geral Há mais de 40 anos, a Unigranrio investe em ensino diferenciado no Brasil para cumprir com seu principal objetivo

Leia mais

softwares que cumprem a função de mediar o ensino a distância veiculado através da internet ou espaço virtual. PEREIRA (2007)

softwares que cumprem a função de mediar o ensino a distância veiculado através da internet ou espaço virtual. PEREIRA (2007) 1 Introdução Em todo mundo, a Educação a Distância (EAD) passa por um processo evolutivo principalmente após a criação da internet. Os recursos tecnológicos oferecidos pela web permitem a EAD ferramentas

Leia mais

NÚCLEO DE APOIO DIDÁTICO E METODOLÓGICO (NADIME)

NÚCLEO DE APOIO DIDÁTICO E METODOLÓGICO (NADIME) NÚCLEO DE APOIO DIDÁTICO E METODOLÓGICO (NADIME) Palmas 2010 1. Apresentação O Núcleo de Apoio Didático e Metodológico NADIME é o órgão da Faculdade Católica do Tocantins responsável pela efetivação da

Leia mais

DESENHO PEDAGÓGICO PARA A EDUCAÇÃO MULTIPROFISSIONAL NO CURSO A DISTÂNCIA DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA DA UNA-SUS/UNIFESP

DESENHO PEDAGÓGICO PARA A EDUCAÇÃO MULTIPROFISSIONAL NO CURSO A DISTÂNCIA DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA DA UNA-SUS/UNIFESP DESENHO PEDAGÓGICO PARA A EDUCAÇÃO MULTIPROFISSIONAL NO CURSO A DISTÂNCIA DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA DA UNA-SUS/UNIFESP São Paulo - SP - maio 2011 Rita Maria Lino Tarcia, Universidade Federal

Leia mais

Caro(a) aluno(a), Estaremos juntos nesta caminhada. Coordenação NEO

Caro(a) aluno(a), Estaremos juntos nesta caminhada. Coordenação NEO Caro(a) aluno(a), seja bem-vindo às Disciplinas Online da Faculdade Presidente Antônio Carlos de Bom Despacho e Faculdade de Educação de Bom Despacho. Em pleno século 21, na era digital, não poderíamos

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - NEAD

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - NEAD REGULAMENTO DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - NEAD A política de Educação a Distância EAD está claramente expressa em diversos documentos e regulamentos internos da instituição Regulamento do NEAD Os

Leia mais

Qual a principal diferença entre o Enem tradicional e o novo Enem?

Qual a principal diferença entre o Enem tradicional e o novo Enem? SAIBA TUDO SOBRE O ENEM 2009 Qual a principal diferença entre o Enem tradicional e o novo Enem? Até 2008, o Enem era uma prova clássica com 63 questões interdisciplinares, sem articulação direta com os

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM SERVIÇO E A DISTÂNCIA: O CASO VEREDAS BRANCO,

FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM SERVIÇO E A DISTÂNCIA: O CASO VEREDAS BRANCO, FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM SERVIÇO E A DISTÂNCIA: O CASO VEREDAS BRANCO, Juliana Cordeiro Soares Branco CEFET MG Juliana.b@ig.com.br OLIVEIRA, Maria Rita Neto Sales CEFET MG mariarita2@dppg.cefetmg.br

Leia mais

Produção de Videoaulas de Física para a Internet Leonardo Senna Zelinski da Silva Silvia Leticia Ludke

Produção de Videoaulas de Física para a Internet Leonardo Senna Zelinski da Silva Silvia Leticia Ludke Instituto Federal do Paraná Licenciatura em Física Produção de Videoaulas de Física para a Internet Leonardo Senna Zelinski da Silva Silvia Leticia Ludke SUMÁRIO 1 Introdução... 2 2 Justificativa... 4

Leia mais

A importância da Educação à Distância para o desenvolvimento Profissional no ensino superior

A importância da Educação à Distância para o desenvolvimento Profissional no ensino superior A importância da Educação à Distância para o desenvolvimento Profissional no ensino superior Janaína Batista da Silva Larissa Horrara de Almeida Leonardo Lopes Liliana Oliveira Palhares da Silva Luciana

Leia mais

Estado da Arte: Diálogos entre a Educação Física e a Psicologia

Estado da Arte: Diálogos entre a Educação Física e a Psicologia Estado da Arte: Diálogos entre a Educação Física e a Psicologia Eixo temático 1: Fundamentos e práticas educacionais Telma Sara Q. Matos 1 Vilma L. Nista-Piccolo 2 Agências Financiadoras: Capes / Fapemig

Leia mais

1. Capacitação Docente em Informática na Educação

1. Capacitação Docente em Informática na Educação DO EDITOR DE TEXTOS A PLATAFORMA MOODLE: UM PROJETO PILOTO INOVADOR DE CAPACITAÇÃO DOCENTE CONSTRUCIONISTA EM UMA ESCOLA DA REDE MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE Maira Teresinha Lopes Penteado 1 Maria Beatriz

Leia mais

Belém PA, Maio 2012. Categoria: Pesquisa e Avaliação. Setor Educacional: Educação Universitária. Macro: Sistemas e Instituições de EAD

Belém PA, Maio 2012. Categoria: Pesquisa e Avaliação. Setor Educacional: Educação Universitária. Macro: Sistemas e Instituições de EAD 1 A QUALIDADE DOS CURSOS SUPERIORES A DISTÂNCIA: CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS E BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL UAB Belém PA, Maio 2012 Categoria: Pesquisa e Avaliação

Leia mais

Educação a Distância: uma alternativa para a UFBA? Introdução

Educação a Distância: uma alternativa para a UFBA? Introdução Educação a Distância: uma alternativa para a UFBA? Nicia Cristina Rocha Riccio nicia@ufba.br Introdução Com o advento das tecnologias de informação e comunicação (TICs) a Educação a Distância (EAD) ganha

Leia mais

A FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA ATUAÇÃO EM EAD NOS CURSOS DE PEDAGOGIA DE SANTA CATARINA

A FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA ATUAÇÃO EM EAD NOS CURSOS DE PEDAGOGIA DE SANTA CATARINA A FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA ATUAÇÃO EM EAD NOS CURSOS DE PEDAGOGIA DE SANTA CATARINA Zuleide Demetrio Minatti 1 Nilson Thomé 2 UNIPLAC. Resumo: Na atualidade observa-se o crescimento da demanda por cursos

Leia mais

MONITORIA À DISTÂNCIA EM LINGUÍSTICA I: A RELEVÂNCIA DOS BANCOS DE DADOS

MONITORIA À DISTÂNCIA EM LINGUÍSTICA I: A RELEVÂNCIA DOS BANCOS DE DADOS Cadernos de Letras da UFF Dossiê: Difusão da língua portuguesa, n o 39, p. 167-173, 2009 167 MONITORIA À DISTÂNCIA EM LINGUÍSTICA I: A RELEVÂNCIA DOS BANCOS DE DADOS Jussara Abraçado Tainá Soares Teixeira

Leia mais

ENSINO DIGITAL E INOVAÇÃO: PANORAMA EAD FURG POSSIBILIDADES E DESAFIOS

ENSINO DIGITAL E INOVAÇÃO: PANORAMA EAD FURG POSSIBILIDADES E DESAFIOS ENSINO DIGITAL E INOVAÇÃO: PANORAMA EAD FURG POSSIBILIDADES E DESAFIOS Profa. Dra. Ivete Martins Pinto Secretária Geral de Educação a Distância Coordenadora UAB/FURG Presidente da Associação Universidade

Leia mais

EVASÃO NO CURSO DE PEDAGOGIA DE UMA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO UM ESTUDO DE CASO

EVASÃO NO CURSO DE PEDAGOGIA DE UMA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO UM ESTUDO DE CASO EVASÃO NO CURSO DE PEDAGOGIA DE UMA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO UM ESTUDO DE CASO Elizabeth da Silva Guedes UNESA Laélia Portela Moreira UNESA Resumo A evasão no Ensino Superior (ES) vem chamando

Leia mais

Formação continuada: a educação municipal de Bauru/SP

Formação continuada: a educação municipal de Bauru/SP Formação continuada: a educação municipal de Bauru/SP Prof.ª Dra. Vera Mariza Regino Casério e-mail: veracaserio@bauru.sp.gov.br Prof.ª Esp. Fernanda Carneiro Bechara Fantin e-mail: fernandafantin@bauru.sp.gov.br

Leia mais

Envelhecimento e Saúde da Pessoa Idosa, a mediação pedagógica na educação a distância no acompanhamento virtual dos tutores

Envelhecimento e Saúde da Pessoa Idosa, a mediação pedagógica na educação a distância no acompanhamento virtual dos tutores Envelhecimento e Saúde da Pessoa Idosa, a mediação pedagógica na educação a distância no acompanhamento virtual dos tutores Caracterização do problema: No ano de 2006, o Ministério da Saúde e as Secretarias

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA Núcleo de Educação a Distância A Universidade Federal de Juiz de Fora e a tornam público, por meio deste Edital, o processo de seleção de Professores que terão como meta conduzir o Processo de Orientação

Leia mais

EaD como estratégia de capacitação

EaD como estratégia de capacitação EaD como estratégia de capacitação A EaD no processo Ensino Aprendizagem O desenvolvimento das tecnologias de informação e comunicação (tics) deu novo impulso a EaD, colocando-a em evidência na última

Leia mais

EdUECE- Livro 1 03430

EdUECE- Livro 1 03430 OS SABERES E AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DO CURSO DE PEDAGOGIA A DISTÂNCIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Maria Irene Miranda Universidade Federal de Uberlândia RESUMO O trabalho aborda o Curso de Pedagogia

Leia mais

DISPOSITIVO TECNOLÓGICO COMO FERRAMENTA DE ENSINO-APRENDIZAGEM NO CURSO DE AGROECOLOGIA: ESTUDO DE CASO

DISPOSITIVO TECNOLÓGICO COMO FERRAMENTA DE ENSINO-APRENDIZAGEM NO CURSO DE AGROECOLOGIA: ESTUDO DE CASO DISPOSITIVO TECNOLÓGICO COMO FERRAMENTA DE ENSINO-APRENDIZAGEM NO CURSO DE AGROECOLOGIA: ESTUDO DE CASO Mércia Cardoso da Costa Guimarães 1, Henrique Oliveira da Silva 2 1 Instituto Federal de Pernambuco

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DAS DISCIPLINAS DE MATEMÁTICA E FÍSICA NO ENEM: PERCEPÇÃO DOS ALUNOS DO CURSO PRÉ- UNIVERSITÁRIO DA UFPB LITORAL NORTE

A IMPORTÂNCIA DAS DISCIPLINAS DE MATEMÁTICA E FÍSICA NO ENEM: PERCEPÇÃO DOS ALUNOS DO CURSO PRÉ- UNIVERSITÁRIO DA UFPB LITORAL NORTE A IMPORTÂNCIA DAS DISCIPLINAS DE MATEMÁTICA E FÍSICA NO ENEM: PERCEPÇÃO DOS ALUNOS DO CURSO PRÉ- UNIVERSITÁRIO DA UFPB LITORAL NORTE ALMEIDA 1, Leonardo Rodrigues de SOUSA 2, Raniere Lima Menezes de PEREIRA

Leia mais

USO DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA REDE PÚBLICA: A EXPERIÊNCIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS.

USO DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA REDE PÚBLICA: A EXPERIÊNCIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS. USO DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA REDE PÚBLICA: A EXPERIÊNCIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS. Elaine Jesus Alves UFT elainealves@uft.edu.br Introdução

Leia mais

A atuação do TecSaúde e da Fundação do Desenvolvimento Administrativo para a formação em EAD de trabalhadores do SUS

A atuação do TecSaúde e da Fundação do Desenvolvimento Administrativo para a formação em EAD de trabalhadores do SUS A atuação do TecSaúde e da Fundação do Desenvolvimento Administrativo para a formação em EAD de trabalhadores do SUS São Paulo SP Maio 2012 Setor Educacional Educação Corporativa Classificação das Áreas

Leia mais

A TUTORIA PRESENCIAL EM APARECIDA DE GOIÂNIA

A TUTORIA PRESENCIAL EM APARECIDA DE GOIÂNIA A TUTORIA PRESENCIAL EM APARECIDA DE GOIÂNIA Larissa Santos Pereira, larissasantos.bio@gmail.com, CEPAE/UFG 1 Alessandra R. Astrol de Araujo, aleastrol@gmail.com, CEPAE/UFG 2 Resumo Este artigo descreve

Leia mais

EDUCAÇÃO CONVENCIONAL X EDUCAÇÂO MEDIADA

EDUCAÇÃO CONVENCIONAL X EDUCAÇÂO MEDIADA EDUCAÇÃO CONVENCIONAL X EDUCAÇÂO MEDIADA por Anelise Pereira Sihler é Pedagoga, Especialista em Gestão de Pessoas, Gestão Educacional, Educação a Distância, Educação colaborativa, Relações Humanas, mestre

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Habilitação: Regime: Duração: PEDAGOGIA LICENCIATURA FORMAÇÃO PARA O MAGISTÉRIO EM EDUCAÇÃO INFANTIL SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização:

Leia mais

A FORMAÇÃO INCLUSIVA DE PROFESSORES NO CURSO DE LETRAS A DISTÂNCIA

A FORMAÇÃO INCLUSIVA DE PROFESSORES NO CURSO DE LETRAS A DISTÂNCIA A FORMAÇÃO INCLUSIVA DE PROFESSORES NO CURSO DE LETRAS A DISTÂNCIA Autor - Juliana ALVES - IFTM 1 Coautor - Andriza ASSUNÇÃO IFTM 2 Coautor - Aparecida Maria VALLE IFTM 3 Coautor - Carla Alessandra NASCIMENTO

Leia mais

CURSOS PRECISAM PREPARAR PARA A DOCÊNCIA

CURSOS PRECISAM PREPARAR PARA A DOCÊNCIA Fundação Carlos Chagas Difusão de Idéias novembro/2011 página 1 CURSOS PRECISAM PREPARAR PARA A DOCÊNCIA Elba Siqueira de Sá Barretto: Os cursos de Pedagogia costumam ser muito genéricos e falta-lhes um

Leia mais

OS USOS DAS VIDEOCONFERÊNCIAS EM EAD: DIFICULDADES E POSSIBILIDADES DIDÁTICAS

OS USOS DAS VIDEOCONFERÊNCIAS EM EAD: DIFICULDADES E POSSIBILIDADES DIDÁTICAS OS USOS DAS VIDEOCONFERÊNCIAS EM EAD: DIFICULDADES E POSSIBILIDADES DIDÁTICAS São Luís MA maio de 2012 Categoria: C Setor Educacional: 3 Classificação das áreas de pesquisa em EAD Macro: C / Meso: J /

Leia mais

Proposta de Curso de Especialização em Gestão e Avaliação da Educação Profissional

Proposta de Curso de Especialização em Gestão e Avaliação da Educação Profissional Proposta de Curso de Especialização em Gestão e Avaliação da Educação Profissional A Educação Profissional analisada sob a ótica de sua gestão e de sua avaliação de modo a instrumentalizar gestores educacionais

Leia mais

Esfera: 10 Função: 12 - Educação Subfunção: 367 - Educação Especial UO: 26298 - Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação

Esfera: 10 Função: 12 - Educação Subfunção: 367 - Educação Especial UO: 26298 - Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Programa 1374 Desenvolvimento da Educação Especial Numero de Ações 16 Ações Orçamentárias 0511 Apoio ao Desenvolvimento da Educação Especial Produto: Projeto apoiado UO: 26298 - Fundo Nacional de Desenvolvimento

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: BREVE HISTÓRICO DA UFPB VIRTUAL

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: BREVE HISTÓRICO DA UFPB VIRTUAL EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: BREVE HISTÓRICO DA UFPB VIRTUAL Denis Raylson da Silva UFPB/CE/PROLICEN Katheriny Ariane das Neves Silva Araújo UFPB/CE/PROLICEN Maria Gilvaneide dos Santos UFPB/CE/PROLICEN Prof.ª

Leia mais

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014 A CPA (Comissão Própria De Avaliação) apresentou ao MEC, em março de 2015, o relatório da avaliação realizada no ano de 2014. A avaliação institucional, realizada anualmente, aborda as dimensões definidas

Leia mais

ASSOCIAÇÃO UNIVERSIDADE EM REDE

ASSOCIAÇÃO UNIVERSIDADE EM REDE Como Associação que abarca as instituições de educação superior públicas tendo como finalidade o desenvolvimento da educação a distância, a UniRede apresenta abaixo as considerações relativas aos três

Leia mais

PERSPECTIVAS DO PROJETO ENSINO A DISTÂNCIA (EAD) NA EEEC * PALAVRAS-CHAVE: Ensino a Distância (EaD), TelEduc, Moodle, Conexões de Saberes.

PERSPECTIVAS DO PROJETO ENSINO A DISTÂNCIA (EAD) NA EEEC * PALAVRAS-CHAVE: Ensino a Distância (EaD), TelEduc, Moodle, Conexões de Saberes. PERSPECTIVAS DO PROJETO ENSINO A DISTÂNCIA (EAD) NA EEEC * Ricardo Henrique Fonseca ALVES 1 ; Getúlio Antero de DEUS JÚNIOR 2 ; Marcelo Stehling DE CASTRO 3 e Rodrigo Pinto LEMOS 4 1 Estudante não bolsista

Leia mais

RESOLUÇÃO N 012, de 02 de dezembro de 2008

RESOLUÇÃO N 012, de 02 de dezembro de 2008 CONSUC Parecer 12/2008 Aprovado em 02/12/2008 RESOLUÇÃO N 012, de 02 de dezembro de 2008 Cria o Núcleo de Educação a Distância (NEAD) e aprova seu Regimento Interno O DIRETOR GERAL DA FACULDADE DAS AMÉRICAS,

Leia mais

Reflexões sobre as dificuldades na aprendizagem de Cálculo Diferencial e Integral

Reflexões sobre as dificuldades na aprendizagem de Cálculo Diferencial e Integral III Mostra de Pesquisa da Pós-Graduação PUCRS Reflexões sobre as dificuldades na aprendizagem de Cálculo Diferencial e Integral Marcelo Cavasotto, Prof.ª Dra. Ruth Portanova (orientadora) Mestrado em Educação

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 8ª REGIÃO INTRODUÇÃO

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 8ª REGIÃO INTRODUÇÃO Ser reconhecido como o melhor tribunal para se trabalhar e de melhores resultados. Visão de Futuro do TRT da 8ª Região. INTRODUÇÃO Prática adotada pelo Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região que consiste

Leia mais

Projeto Pedagógico Institucional PPI FESPSP FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI

Projeto Pedagógico Institucional PPI FESPSP FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI Grupo Acadêmico Pedagógico - Agosto 2010 O Projeto Pedagógico Institucional (PPI) expressa os fundamentos filosóficos,

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA: UMA PROPOSTA UTILIZANDO TECNOLOGIAS

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA: UMA PROPOSTA UTILIZANDO TECNOLOGIAS I Mostra de Iniciação Científica I MIC 23 e 24 de setembro de 2011 Instituto Federal Catarinense Campus Concórdia Concórdia SC INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CAMPUS CONCÓRDIA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES

Leia mais

MODELOS ORGANIZATIVOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM: UMA PROPOSTA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA

MODELOS ORGANIZATIVOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM: UMA PROPOSTA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA MODELOS ORGANIZATIVOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM: UMA PROPOSTA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA Jaqueline Oliveira Silva Ribeiro SESI-SP josr2@bol.com.br Dimas Cássio Simão SESI-SP

Leia mais

NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS

NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS: Habilitações: Língua Portuguesa e respectivas Literaturas Língua Espanhola e respectivas

Leia mais

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade Mantenedora da Faculdade Cenecista de Campo Largo

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade Mantenedora da Faculdade Cenecista de Campo Largo Ementas das Disciplinas 1. Teorias Administrativas e a Gestão Escolar - 30 horas Ementa: Gestão Educacional conceitos, funções e princípios básicos. A função administrativa da unidade escolar e do gestor.

Leia mais

BOLETIM DO LEGISLATIVO Nº 11, DE 2012

BOLETIM DO LEGISLATIVO Nº 11, DE 2012 BOLETIM DO LEGISLATIVO Nº 11, DE 2012 Educação e Sustentabilidade Tatiana Feitosa de Britto A Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável (Rio+20) tem como tema o futuro que queremos,

Leia mais

O TRABALHO DOCENTE DO PROFESSOR TUTOR NA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA

O TRABALHO DOCENTE DO PROFESSOR TUTOR NA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA Resumo O TRABALHO DOCENTE DO PROFESSOR TUTOR NA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA Alecia Saldanha Manara- UNISC- gringamanara@yahoo.com.br Indiara Freitas- UNISC- indi.enfa@hotmail.com As novas tecnologias, principalmente

Leia mais

CURSOS DE EXTENSÃO NA MODALIDADE EAD NA EMC/UFG*

CURSOS DE EXTENSÃO NA MODALIDADE EAD NA EMC/UFG* CURSOS DE EXTENSÃO NA MODALIDADE EAD NA EMC/UFG* ALVES, Ricardo Henrique Fonseca 1 ; DEUS JÚNIOR, Getúlio Antero de 2 ; CASTRO, Marcelo Stehling de 3 ; LEMOS, Rodrigo Pinto 4 Palavras-chave: Ensino a Distância

Leia mais

O uso de blogs no ensino de Matemática 2

O uso de blogs no ensino de Matemática 2 Claudinei Flavia Batista Santos Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia Brasil bs_flavia@hotmail.com Sirlândia Souza Santana sirlandiasantana@hotmail.com Resumo Este trabalho tem como principal objetivo

Leia mais

SITUAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS DA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS IFES

SITUAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS DA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS IFES SITUAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS DA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS IFES Introdução A questão dos recursos humanos na área de Tecnologia da Informação é assunto de preocupação permanente no Colégio de

Leia mais

Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador

Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador Alfabetização de Crianças O Professor Alfabetizador é o profissional responsável por planejar e implementar ações pedagógicas que propiciem,

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DE ESPAÇOS E MATERIAIS DIGITAIS PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: O USO DO SMARTPHONE NO ENSINO DA GEOMETRIA

A CONSTRUÇÃO DE ESPAÇOS E MATERIAIS DIGITAIS PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: O USO DO SMARTPHONE NO ENSINO DA GEOMETRIA A CONSTRUÇÃO DE ESPAÇOS E MATERIAIS DIGITAIS PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: O USO DO SMARTPHONE NO ENSINO DA GEOMETRIA Autores : Agata RHENIUS, Melissa MEIER. Identificação autores: Bolsista IFC-Campus Camboriú;

Leia mais

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010 INVESTIGAÇÃO MATEMÁTICA: UMA EXPERIÊNCIA DE ENSINO Bruno Rodrigo Teixeira 1 Universidade Estadual de Londrina - UEL bruno_matuel@yahoo.com.br Camila Rosolen 2 Universidade Estadual de Londrina - UEL camilarosolen@yahoo.com.br

Leia mais

MBA em Marketing Estratégico

MBA em Marketing Estratégico MBA em Marketing Estratégico Público - alvo O MBA em Marketing Estratégico é indicado para profissionais com experiência profissional mínima de três anos, com formação universitária em qualquer área e

Leia mais

11 de maio de 2011. Análise do uso dos Resultados _ Proposta Técnica

11 de maio de 2011. Análise do uso dos Resultados _ Proposta Técnica 11 de maio de 2011 Análise do uso dos Resultados _ Proposta Técnica 1 ANÁLISE DOS RESULTADOS DO SPAECE-ALFA E DAS AVALIAÇÕES DO PRÊMIO ESCOLA NOTA DEZ _ 2ª Etapa 1. INTRODUÇÃO Em 1990, o Sistema de Avaliação

Leia mais

X Encontro Nacional de Escolas de Governo

X Encontro Nacional de Escolas de Governo X Encontro Nacional de Escolas de Governo Painel Cursos de pós-graduação nas escolas de governo A experiência da Enap na oferta de cursos de pós-graduação lato sensu Carmen Izabel Gatto e Maria Stela Reis

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFESSORES QUE ENSINAM MATEMÁTICA

FORMAÇÃO DE PROFESSORES QUE ENSINAM MATEMÁTICA FORMAÇÃO DE PROFESSORES QUE ENSINAM MATEMÁTICA Fabiana de Jesus Oliveira União de Ensino do Sudoeste do Paraná fabiana@unisep.edu.br Diversas são as pesquisas que têm mostrado que o ensino encontra-se

Leia mais

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 O trabalho da CPA/PUCSP de avaliação institucional está regulamentado pela Lei federal nº 10.861/04 (que institui o SINAES), artigo 11 e pelo

Leia mais

O ENSINO DE ESPANHOL COMO LE COM OS RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS NA PLATAFORMA MOODLE*

O ENSINO DE ESPANHOL COMO LE COM OS RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS NA PLATAFORMA MOODLE* 1 O ENSINO DE ESPANHOL COMO LE COM OS RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS NA PLATAFORMA MOODLE* Resumo Este trabalho se propõe a analisar o curso de extensão universitária CESB (Curso de Espanhol Básico) para

Leia mais

SEMI-PRESENCIALIDADE NO ENSINO SUPERIOR: ALGUNS RESULTADOS DESSA MODALIDADE NA FGF

SEMI-PRESENCIALIDADE NO ENSINO SUPERIOR: ALGUNS RESULTADOS DESSA MODALIDADE NA FGF 1 SEMI-PRESENCIALIDADE NO ENSINO SUPERIOR: ALGUNS RESULTADOS DESSA MODALIDADE NA FGF Fortaleza CE Junho/2009 Karla Angélica Silva do Nascimento - Faculdade Integrada da Grande Fortaleza karla@fgf.edu.br

Leia mais

Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 2013 PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD.

Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 2013 PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. Edital para publicação no site período de 3 a 30 de junho de 013 PROJETO BRA/04/09 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. TRILHAS Os currículos deverão ser encaminhados para o endereço eletrônico

Leia mais

XI Encontro de Iniciação à Docência

XI Encontro de Iniciação à Docência 4CCHSADCSAMT04 A MONITORIA COMO SUBSÍDIO AO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM: O CASO DA DISCIPLINA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA NO CCHSA-UFPB Moisés de Assis Alves Soares (1) ; Kadidja Ferreira Santos (3) ;

Leia mais

Serviço Público. Manutenção e Suporte em Informática

Serviço Público. Manutenção e Suporte em Informática Serviço Público Manutenção e Suporte em Informática Wilson Pedro Coordenador do Curso de Serviço Público etec_sp@ifma.edu.br Carla Gomes de Faria Coordenadora do Curso de Manutenção e Suporte em Informática

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Atividades Complementares Sistemas de Informação 1. Introdução Nos cursos de graduação, além das atividades de aprendizagem articuladas pelas disciplinas que compõem a matriz curricular, deverão ser inseridas

Leia mais

A PRESENTAÇÃO SUMÁRIO

A PRESENTAÇÃO SUMÁRIO SUMÁRIO Apresentação Como ter sucesso na educação à distância A postura do aluno online Critérios de Avaliação da aprendizagem do aluno Como acessar a plataforma Perguntas freqüentes A PRESENTAÇÃO O Manual

Leia mais

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS Projeto de Lei nº 8.035, de 2010 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional O PNE é formado por: 10 diretrizes; 20 metas com estratégias

Leia mais

OS LIMITES DO ENSINO A DISTÂNCIA. Claudson Santana Almeida

OS LIMITES DO ENSINO A DISTÂNCIA. Claudson Santana Almeida OS LIMITES DO ENSINO A DISTÂNCIA Claudson Santana Almeida Junho 2012 Introdução O que o leitor encontrará neste artigo? Uma apresentação do sistema de Ensino a Distância (EAD), conhecer as vantagens e

Leia mais

GERENCIAMENTO DO PROCESSO DE PRODUÇÃO DE MATERIAL DIDÁTICO DO CURSO DE BACHARELADO EM BIBLIOTECONOMIA EM EaD

GERENCIAMENTO DO PROCESSO DE PRODUÇÃO DE MATERIAL DIDÁTICO DO CURSO DE BACHARELADO EM BIBLIOTECONOMIA EM EaD GERENCIAMENTO DO PROCESSO DE PRODUÇÃO DE MATERIAL DIDÁTICO DO CURSO DE BACHARELADO EM BIBLIOTECONOMIA EM EaD Ana Maria Ferreira Carvalho Mariza Russo Nadir Ferreira Alves Nysia Oliveira de Sá CBG/FACC/UFRJ

Leia mais

CONSELHO UNIVERSITÁRIO

CONSELHO UNIVERSITÁRIO P R O P O S T A D E P A R E C E R CONSELHO UNIVERSITÁRIO PROCESS0 Nº: 007/2014 ASSUNTO: Proposta de texto Construção de Políticas e Práticas de Educação a Distância a ser incluído no Plano de Desenvolvimento

Leia mais

CIDADANIA: o que é isso?

CIDADANIA: o que é isso? CIDADANIA: o que é isso? Autora: RAFAELA DA COSTA GOMES Introdução A questão da cidadania no Brasil é um tema em permanente discussão, embora muitos autores discutam a respeito, entre eles: Ferreira (1993);

Leia mais

Ensino de Enfermagem. Aprendizagem (AVA) Claudia Prado claupra@usp.br. Maria Madalena Januário Leite. Heloisa Helena Ciqueto Peres

Ensino de Enfermagem. Aprendizagem (AVA) Claudia Prado claupra@usp.br. Maria Madalena Januário Leite. Heloisa Helena Ciqueto Peres Escola de Enfermagem Ensino de Enfermagem em Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) Heloisa Helena Ciqueto Peres Maria Madalena Januário Leite Claudia Prado hhcperes@usp.br marimada@usp.br claupra@usp.br

Leia mais

Duvidas administrativas dos cursos da EAD Metodista:

Duvidas administrativas dos cursos da EAD Metodista: Duvidas administrativas dos cursos da EAD Metodista: A metodista é credenciada pelo MEC para o oferecimento de cursos a distância? Sim. A Universidade Metodista de São Paulo recebeu o credenciamento do

Leia mais

O USO DAS REDES SOCIAIS PARA O DESENVOLVIMENTO DAS HABILIDADES DO LETRAMENTO DIGITAL

O USO DAS REDES SOCIAIS PARA O DESENVOLVIMENTO DAS HABILIDADES DO LETRAMENTO DIGITAL O USO DAS REDES SOCIAIS PARA O DESENVOLVIMENTO DAS HABILIDADES DO LETRAMENTO DIGITAL 1. INTRODUÇÃO Lygia de Assis Silva Sérgio Paulino Abranches Universidade Federal de Pernambuco lygia1@hotmail.com/ Este

Leia mais

1» A revolução educacional e a educação em valores 11

1» A revolução educacional e a educação em valores 11 Sumário Introdução 9 1» A revolução educacional e a educação em valores 11 Introdução 12 As causas da revolução educacional 12 O triplo desafio pedagógico 14 Da transmissão à educação 15 O que pretende

Leia mais

DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização

DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização 2.1 - GRADUAÇÃO 2.1.1. Descrição do Ensino de Graduação na UESC Cursos: 26 cursos regulares

Leia mais

ENSINO DE GEOMORFOLOGIA A DISTÂNCIA: ESTRATÉGIAS ADOTADAS NA LICENCIATURA EM GEOGRAFIA DO CEDERJ/UERJ

ENSINO DE GEOMORFOLOGIA A DISTÂNCIA: ESTRATÉGIAS ADOTADAS NA LICENCIATURA EM GEOGRAFIA DO CEDERJ/UERJ ENSINO DE GEOMORFOLOGIA A DISTÂNCIA: ESTRATÉGIAS ADOTADAS Afonso, A.E. 1 ; Silva, T.M. 2 ; 1 DGEO/FFP/UERJ Email:aniceafonso@gmail.com; 2 DEPTO. GEOGRAFIA/UFRJ Email:telmendes@globo.com; RESUMO: O ensino

Leia mais

PROJETO 7. 1. Identificação do projeto

PROJETO 7. 1. Identificação do projeto PROJETO 7 1. Identificação do projeto Título:Cinema, vídeo e tridimensionalidade: o AVA-AV na integração do ensino presencial e a distância. Responsável:Dra. Ana Zeferina Ferreira Maio Vínculo institucional:professora

Leia mais

NAP NÚCLEO DE ASSESSORIA PEDAGÓGICA: PROPOSIÇÕES PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE LÍNGUA INGLESA NA UEPG

NAP NÚCLEO DE ASSESSORIA PEDAGÓGICA: PROPOSIÇÕES PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE LÍNGUA INGLESA NA UEPG 110. ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( x ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA NAP NÚCLEO DE ASSESSORIA PEDAGÓGICA: PROPOSIÇÕES PARA

Leia mais

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura

Organização dos Estados Ibero-americanos. Para a Educação, a Ciência e a Cultura Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO 1. Projeto: Aprimoramento da sistemática de gestão

Leia mais

PLANO DE TRABALHO Período: 2014/2015 1 CONTEXTO INSTITUCIONAL

PLANO DE TRABALHO Período: 2014/2015 1 CONTEXTO INSTITUCIONAL PLANO DE TRABALHO Período: 2014/2015 1 CONTEXTO INSTITUCIONAL De 1999 até o ano de 2011 o Instituto Adventista de Ensino do Nordeste (IAENE) congregava em seu espaço geográfico cinco instituições de ensino

Leia mais

Prof. Dr. Carlos Rinaldi Cuiabá, UFMT, 2014

Prof. Dr. Carlos Rinaldi Cuiabá, UFMT, 2014 Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB) na UFMT Prof. Dr. Carlos Rinaldi Cuiabá, UFMT, 2014 Hoje, no Brasil, são inúmeras as Instituições de Ensino credenciadas para oferecer cursos na modalidade de

Leia mais

Entrevista da Professora Rosa Trombetta à rádio Jovem Pan.

Entrevista da Professora Rosa Trombetta à rádio Jovem Pan. Entrevista da Professora Rosa Trombetta à rádio Jovem Pan. A Professora Rosa Trombetta, Coordenadora de Cursos da FIPECAFI aborda o assunto elearning para os ouvintes da Jovem Pan Online. Você sabe o que

Leia mais