NOVOS RUMOS DA GESTÃO PORTUÁRIA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "NOVOS RUMOS DA GESTÃO PORTUÁRIA"

Transcrição

1 I SIMPÓSIO DE DIREITO MARÍTIMO E PORTUÁRIO OAB SP SP, 26 de novembro de NOVOS RUMOS DA GESTÃO PORTUÁRIA JOSÉ ALEX BOTÊLHO DE OLIVA, M.Sc. DIRETOR PRESIDENTE COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO - CODESP

2 PORTO DE SANTOS Área (m²) Margem Direita e Margem Esquerda Total: m² Área Ocupada Operacional Total: m² Berços (un.) Públicos: 55 (un.) / Privados: 10 (un.) Total:65 (un.) Extensão de Cais (Km) Público : 11 Km / Privado: 2 Km Total: 13 Km Pátio: m² Armazéns: m² Dutos: 55 km Linhas Férreas: 100 km Tanques Unidades: 520 Volume: m³ Usina Hidroelétrica (desde 1910) Potência: kw Transmissão: 30 km Sistema de Tratamento de Esgoto e Água Infraestrutura, Avanços e Perspectiva

3 ORGANOGRAMA ASSEMBLÉIA GERAL DOS ACIONISTAS CONSAD - CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO CONFIS - CONSELHO FISCAL GEOUV - GERENCIA DE OUVIDORIA AUDIT - SUPERINTENDENCIA DE AUDITORIA DIREXE DIRETORIA EXECUTIVA DIPRE DIRETORIA PRESIDENCIA SUGAB SUP. DE GABINETE DA PRESIDÊNCIA SUDEC SUP. DE DESEMPENHO, RISCOS E CONFORMIDADES SUJUD SUP. JURÍDICA SUPGP SUP. DA GUARDA PORTUÁRIA DIAFI DIRETORIA ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA DIENG DIRETORIA DE ENGENHARIA DILOG DIRETORIA DE OPERAÇÕES LOGÍSTICAS DIREM DIRETORIA DE RELAÇOES COM O MERCADO E COMUNIDADE SUADM SUPRH SUPFI SUENG SUEXO SUMAS SUTIC SUPOP SUPPO SUREC Infraestrutura, Avanços e Perspectiva

4 ORGANOGRAMA DIPRE DIRETORIA PRESIDÊNCIA SUGAB SUP. DE GABINETE DA PRESIDÊNCIA SUDEC SUP. DE DESEMPENHO, RISCOS E CONFORMIDADES SUJUD SUPERINTENDÊNCIA JURÍDICA SUPGP SUP. DA GUARDA PORTUÁRIA GECIV GERENCIA DO CONSULTIVO CONTENCIOSO CIVIL E INSTRUMENTOS CONTRATUAIS GECOT GERENCIA DO CONSULTIVO E CONTENCIOSO TRABALHISTA GEARE GERENCIA DE ASSUNTOS REGULATÓRIOS Infraestrutura, Avanços e Perspectiva

5 EMPREGADOS - CODESP GRÁFICO QUANTITATIVO POR IDADE Quantidade de Funcionários Idade dos Funcionários Infraestrutura, Avanços e Perspectiva

6 PARTICIPAÇÃO DO PORTO DE SANTOS BALANÇA COMERCIAL TOTAL CORRENTE COMERCIAL BRASILEIRA : US$ FOB 308,8 Bilhões Santos 27,4% º ao 5º 22.6% Paranaguá - PR Vitória - ES Sepetiba - RJ Rio Grande - RS 7,1% 5,5% 4,8% 5,1% Outros 50.1% Em bilhões de dólares Fonte: Aliceweb Portal / Outubro/2015 Infraestrutura, Avanços e Perspectiva

7 GESTÃO

8 PROGRAMA PORTOS EFICIENTES GT INTERMINISTERIAL Casa Civil, MPOG, SEP, ANTAQ,STN. FRENTES DE TRABALHO Estruturação da SEP PMGP Projeto de Modernização da Gestão Portuária Padronização dos Estatutos Metas Empresariais Art Lei Metas de Gestão Processo Simplificado de Aquisição Art. 63 Lei Critério Técnico para seleção de dirigentes de Docas Infraestrutura, Avanços e Perspectiva

9 PMGP PROJETO MODERNIZAÇÃO DA GESTÃO PORTUÁRIA ESCOPO Processos Internos das Docas Processos Portuários Externos (terminais, anuentes, entre outros) ETAPAS Diagnóstico dos processos atuais Benchmarking Internacional Desenho do modelo futuro Implantação Monitoramento e ajustes Infraestrutura, Avanços e Perspectiva

10 CLIPPING Fonte: JORNAL ATRIBUNA 19/11/15 Infraestrutura, Avanços e Perspectiva

11 CLIPPING Fonte: O GLOBO 19/11/15 Infraestrutura, Avanços e Perspectiva

12 CLIPPING Fonte: JORNAL ATRIBUNA 19/11/15 Infraestrutura, Avanços e Perspectiva

13 Fonte: Palestra Ministro Helder Barbalho em Programa de Investimentos e Logística 2015 à FIESP/SP

14 Fonte: Palestra Ministro Helder Barbalho em Programa de Investimentos e Logística 2015 à FIESP/SP

15 Fonte: Palestra Ministro Helder Barbalho em Programa de Investimentos e Logística 2015 à FIESP/SP

16 Fonte: Palestra Ministro Helder Barbalho em Programa de Investimentos e Logística 2015 à FIESP/SP

17 Fonte: Palestra Ministro Helder Barbalho em Programa de Investimentos e Logística 2015 à FIESP/SP

18 Fonte: Palestra Ministro Helder Barbalho em Programa de Investimentos e Logística 2015 à FIESP/SP

19 Fonte: Palestra Ministro Helder Barbalho em Programa de Investimentos e Logística 2015 à FIESP/SP

20

21

22

23 Fonte: Palestra Ministro Helder Barbalho em Programa de Investimentos e Logística 2015 à FIESP/SP

24 Fonte: Palestra Ministro Helder Barbalho em Programa de Investimentos e

25 Fonte: Palestra Ministro Helder Barbalho em Programa de Investimentos e Logística 2015 à FIESP/SP

26 Fonte: Palestra Ministro Helder Barbalho em Programa de Investimentos e Logística 2015 à FIESP/SP

27 Fonte: Palestra Ministro Helder Barbalho em Programa de Investimentos e Logística 2015 à FIESP/SP

28 Fonte: Palestra Ministro Helder Barbalho em Programa de Investimentos e Logística 2015 à FIESP/SP

29 Fonte: Palestra Ministro Helder Barbalho em Programa de Investimentos e Logística 2015 à FIESP/SP

30 Fonte: Palestra Ministro Helder Barbalho em Programa de Investimentos e Logística 2015 à FIESP/SP

31 Fonte: Palestra Ministro Helder Barbalho em Programa de Investimentos e Logística 2015 à FIESP/SP

32 Fonte: Palestra Ministro Helder Barbalho em Programa de Investimentos e Logística 2015 à FIESP/SP

33 Fonte: Palestra Ministro Helder Barbalho em Programa de Investimentos e Logística 2015 à FIESP/SP

34 INVESTIMENTOS

35 DRAGAGEM NO PORTO DE SANTOS Canal de navegação Acesso aos berços Berços de atracação Bacias de Evolução Infraestrutura, Avanços e Perspectiva

36 CANAL DE ACESSO AO PORTO DE SANTOS TRECHO 1 Extensão m Calado Operacional 13,20 m TRECHO 2 Extensão m Calado Operacional 13,20 m TRECHO 3 Extensão m Calado Operacional 13,20 m TRECHO 4 até a Alamoa 2 Extensão m Calado Operacional 13,20 m TRECHO 4 Alamoa 1 Extensão 500 m Calado Operacional 11,20 m * * Local onde é realizado o descarte de sedimentos da dragagem Infraestrutura, Avanços e Perspectiva

37 RELAÇÃO COM O MERCADO E COMUNIDADE

38 CRESCIMENTO CONSISTENTE E CONTÍNUO MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS P R O J E Ç Ã O Fontes: MDIC/Aliceweb; Codesp (Mensário Estatístico Dez/2014 e GETAE) Infraestrutura, Avanços e Perspectiva

39 CRESCIMENTO CONSISTENTE E CONTÍNUO P R O J E Ç Ã O Fontes: MDIC/Aliceweb; Codesp (Mensário Estatístico Dez/2014 e GETAE) Infraestrutura, Avanços e Perspectiva

40 OPERAÇÕES LOGÍSTICAS

41 DIRETORIA DE OPERAÇÕES LOGÍSTICAS Áreas de Atuação Logística e Operação Portuária Tecnologia da Informação Gestão Logística Monitoramento do desempenho dos sistemas de acessibilidade e produtividade de operações portuárias Indicadores de desempenho operacionais Estratégia de Gestão do Plano Safra Comitê de Logística - coordenação com intervenientes: concessionárias, agências reguladoras (Ecovias, ANTT, Artesp e outros) Infraestrutura, Avanços e Perspectiva

42 PRINCIPAIS DESAFIOS

43 PRINCIPAIS DESAFIOS Dragagem Novos Arrendamentos (Valor das Outorgas) Assegurar Recursos do PAC para as obras Arbitragem do Contrato Libra Renovações Antecipadas de Contrato Consolidação do novo modelo de gestão da Companhia Passivo Trabalhista (4 mil ações) Infraestrutura, Avanços e Perspectiva

44 OBRIGADO! SP, 26 de novembro de 2015.

8º Encontro de Logística e Transportes

8º Encontro de Logística e Transportes 8º Encontro de Logística e Transportes Renato Ferreira Barco DIRETOR PRESIDENTE EVOLUÇÃO ÁREA DE INFUÊNCIA DA MOVIMENTAÇÃO PORTO DE SANTOS (Mt) PARTICIPAÇÃO DO PORTO DE SANTOS (em bilhões de R$) Santos

Leia mais

2.000.000 DE MATERIAIS DA CAMARA DOS DEPUTADOS, NO SETOR DE INDUSTRIA E ABASTECIMENTO - SIA F 3 2 80 0 100 1.500 TOTAL - FISCAL 2.001.

2.000.000 DE MATERIAIS DA CAMARA DOS DEPUTADOS, NO SETOR DE INDUSTRIA E ABASTECIMENTO - SIA F 3 2 80 0 100 1.500 TOTAL - FISCAL 2.001. ORGAO : 01000 - CAMARA DOS DEPUTADOS UNIDADE : 01101 - CAMARA DOS DEPUTADOS ANEXO I PROGRAMA DE TRABALHO RECURSOS DE TODAS AS FONTES - R$ 1, 00 0553 ATUACAO LEGISLATIVA DA CAMARA DOS DEPUTADOS 2.000.000

Leia mais

DESPESA DO PROGRAMA DE TRABALHO

DESPESA DO PROGRAMA DE TRABALHO Órgão: 19000 - Secretaria de Estado da Administração Unidade: 19204 - Companhia de Processamento de Dados da Paraíba Esf Ft [F] Ciência e Tecnologia 22752000 6273700 14274500 2203800 [S] Administração

Leia mais

PROGRAMA DE TRABALHO (SUPLEMENTACAO) RECURSOS DE TODAS AS FONTES - R$ 1, 00 0220 MANUTENCAO DA MALHA RODOVIARIA FEDERAL 171401452 P R O J E TO S

PROGRAMA DE TRABALHO (SUPLEMENTACAO) RECURSOS DE TODAS AS FONTES - R$ 1, 00 0220 MANUTENCAO DA MALHA RODOVIARIA FEDERAL 171401452 P R O J E TO S ORGAO : 39000 - MINISTERIO DOS TRANSPORTES UNIDADE : 39252 - DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTES - DNIT ANEXO I PROGRAMA DE TRABALHO (SUPLEMENTACAO) RECURSOS DE TODAS AS FONTES - R$

Leia mais

Reunião APIMEC - 3T13. dri@santosbrasil.com.br +55 11 3897-1111

Reunião APIMEC - 3T13. dri@santosbrasil.com.br +55 11 3897-1111 Reunião APIMEC - 3T13 dri@santosbrasil.com.br +55 11 3897-1111 Ressalvas sobre considerações futuras As afirmações contidas neste documento quanto a perspectivas de negócios para a Santos Brasil Participações

Leia mais

PROJETO ACESSO AQUAVIÁRIO AOS PORTOS

PROJETO ACESSO AQUAVIÁRIO AOS PORTOS PROJETO ACESSO AQUAVIÁRIO AOS PORTOS PROPOSTA DE MODELO DE CONCESSÃO CONTRIBUIÇÕES À SEP (A VISÃO DOS USUÁRIOS NO DESENVOLVIMENTO DO PROJETO) MAIO/2015 4 (QUATRO) PRESSUPOSTOS BÁSICOS MODELO:. Parceria

Leia mais

REUNIÃO NÚCLEO DE PLANEJAMENTO E MODERNIZAÇÃO DA GESTÃO

REUNIÃO NÚCLEO DE PLANEJAMENTO E MODERNIZAÇÃO DA GESTÃO REUNIÃO NÚCLEO DE PLANEJAMENTO E MODERNIZAÇÃO DA GESTÃO 15 DE AGOSTO DE 2012 NÚCLEO DE PLANEJAMENTO E MODERNIZAÇÃO DA GESTÃO 15/08/12 PAUTA 1. AGENDA PLANEJAMENTO II SEMESTRE 2012 2. ESCRITÓRIO DE PROJETOS

Leia mais

Rio de Janeiro, 30 de janeiro de 2015 TÍTULO APRESENTAÇÃO 1

Rio de Janeiro, 30 de janeiro de 2015 TÍTULO APRESENTAÇÃO 1 Rio de Janeiro, 30 de janeiro de 2015 TÍTULO APRESENTAÇÃO 1 Atores 50% 50% Cliente Parceiro gestão comercial Agente regulador Fundação Rio-Águas Breve explanação Licitação e Contrato Objeto: Maior valor

Leia mais

Renato Ferreira Barco

Renato Ferreira Barco 27/08/2013 OS PROBLEMAS LOGÍSTICOS DO PORTO DE SANTOS E SOLUÇÕES A CURTO, MÉDIO E LONGO PRAZO Renato Ferreira Barco DIRETOR PRESIDENTE 34 35 36 38 39 42 43 48 53 60 68 72 76 80,7 81,1 83,2 96 97,2 104,5

Leia mais

Critério I - Compromissos com o Desenvolvimento Sustentável

Critério I - Compromissos com o Desenvolvimento Sustentável Os trechos em destaque encontram-se no Glossário. Dimensão Geral Critério I - Compromissos com o Desenvolvimento Sustentável Indicador 1 - Compromisso Fundamental 1. A empresa, por meio de sua alta administração,

Leia mais

ANO 17 N O 36 2002 NOVOS RUMOS

ANO 17 N O 36 2002 NOVOS RUMOS NOVOS RUMOS ANO 17 N O 36 2002 ANO 17 N O 36 2002 NOVOS RUMOS NOVOS RUMOS ANO 17 N O 36 2002 ANO 17 N O 36 2002 NOVOS RUMOS NOVOS RUMOS ANO 17 N O 36 2002 ANO 17 N O 36 2002 NOVOS RUMOS NOVOS RUMOS ANO

Leia mais

CLIPPING DE NOTÍCIAS

CLIPPING DE NOTÍCIAS Data: 05.12.2016 Veículo: PORTOS E NAVIOS Caderno: Pág.: 3- Matérias de interesses da Companhia ( X ) BAHIA PRETENDE EXPORTAR BOIS VIVOS A PARTIR DO PORTO DE ILHÉUS Depois de o Maranhão iniciar no ano

Leia mais

ÓRGÃO: PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

ÓRGÃO: PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA ÓRGÃO: PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Programa: 0252 - CAPTAÇÃO E DIFUSÃO DE NOTÍCIAS Objetivo: Divulgar material jornalístico sobre os atos governamentais nos campos social, político, econômico, educativo,

Leia mais

Hidrovias: Uma visão do futuro

Hidrovias: Uma visão do futuro Hidrovias: Uma visão do futuro Fernando Antonio Brito Fialho Diretor-Geral da ANTAQ Data: 18 de agosto de 2010 I Seminário Portuário Público Privado Latino-Americano Hidrovias: Uma visão do futuro Slide

Leia mais

Gestão de Contratos Públicos e Concessões. Florianópolis, julho de 2013

Gestão de Contratos Públicos e Concessões. Florianópolis, julho de 2013 Gestão de Contratos Públicos e Concessões Florianópolis, julho de 2013 Cenário atual Os Megaeventos esportivos têm impulsionado grandes investimentos em áreas estratégicas (infraestrutura, mobilidade urbana,

Leia mais

CLIPPING DE NOTÍCIAS

CLIPPING DE NOTÍCIAS Data: 24.01.2016 Veículo: DIÁRIO DO PARÁ Caderno: Pág.: LEILÕES DE ÁREAS PORTUÁRIAS TRARÃO R$ 1,8 BILHÃO Leilões de áreas portuárias trarão R$ 1,8 bilhão (Foto: Divulgação) (Foto: Divulgação) A Secretaria

Leia mais

REGULAÇÃO NO BRASIL EM SERVIÇOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E ESGOTAMENTO SANITÁRIO

REGULAÇÃO NO BRASIL EM SERVIÇOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E ESGOTAMENTO SANITÁRIO REGULAÇÃO NO BRASIL EM SERVIÇOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E ESGOTAMENTO SANITÁRIO II AÇÃO DE COMUNICAÇÃO SOBRE SANEAMENTO AMBIENTAL E TRATAMENTO DA ÁGUA FUNDAÇÃO - 08/04/1.999 ASSOCIADAS - 52 agências 17

Leia mais

COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO CODESP AUTORIDADE PORTUÁRIA CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO ATA DA 464ª REUNIÃO (ORDINÁRIA)

COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO CODESP AUTORIDADE PORTUÁRIA CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO ATA DA 464ª REUNIÃO (ORDINÁRIA) 43 COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO CODESP AUTORIDADE PORTUÁRIA CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO ATA DA 464ª REUNIÃO (ORDINÁRIA) Às 09 horas do dia 25 de abril de 2014, na sala de reuniões da sede da Companhia,

Leia mais

GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES PORTO DE SANTOS A PORTA DO BRASIL. Março/2004

GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES PORTO DE SANTOS A PORTA DO BRASIL. Março/2004 MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES GOVERNO FEDERAL PORTO DE SANTOS A PORTA DO BRASIL Março/2004 PORTO DE SANTOS Localização dos Terminais Derivados Petróleo Autos Inflam. Papel Margem Esquerda Contêineres. Trigo

Leia mais

30º Encontro Nacional de Comércio Exterior ENAEX 2011

30º Encontro Nacional de Comércio Exterior ENAEX 2011 30º Encontro Nacional de Comércio Exterior ENAEX 2011 Rio de Janeiro, 18 e 19 de Agosto de 2011 Reflexos das Concessões de Terminais Públicos e Privativos Juarez Moraes e Silva Presidente do Conselho Associação

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PASTOS BONS AVENIDA DOMINGOS SERTAO 1000

PREFEITURA MUNICIPAL DE PASTOS BONS AVENIDA DOMINGOS SERTAO 1000 PROJETO DE LEI DO PLANO PLURIANUAL Projeto de Lei: Dispoe sobre o Plano Plurianual para o periodo 2015/2018 A CAMARA MUNICIPAL decreta: Art. 1o. Esta lei institui o Plano Plurianual para o quadrienio 2015/2018

Leia mais

EXPO MONEY INTERNACIONAL SÃO PAULO 23 DE SETEMBRO DE 2011

EXPO MONEY INTERNACIONAL SÃO PAULO 23 DE SETEMBRO DE 2011 EXPO MONEY INTERNACIONAL SÃO PAULO 23 DE SETEMBRO DE 2011 ECORODOVIAS ESTRUTURA SOCIETÁRIA A EcoRodovias é uma das maiores empresas de infraestrutura logística integrada do Brasil, cujo foco é operar ativos

Leia mais

MBA GESTÃO DE PORTOS UNAERP CAMPUS GUARUJÁ. Gargalos logísticos na retro área do porto de Santos

MBA GESTÃO DE PORTOS UNAERP CAMPUS GUARUJÁ. Gargalos logísticos na retro área do porto de Santos MBA GESTÃO DE PORTOS UNAERP CAMPUS GUARUJÁ Gargalos logísticos na retro área do porto de Santos Autor David dos Santos Carreira UNAERP - Universidade de Ribeirão Preto - Campus Guarujá carreira_david@hotmail.com

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) LLM em Direito Empresarial Coordenação Acadêmica: Escola de Direito/FGV Direito Rio

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) LLM em Direito Empresarial Coordenação Acadêmica: Escola de Direito/FGV Direito Rio CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) LLM em Direito Empresarial Coordenação Acadêmica: Escola de Direito/FGV Direito Rio APRESENTAÇÃO DA FGV A FGV é uma instituição privada sem fins lucrativos,

Leia mais

CAPÍTULO 7: JUSTIFICATIVAS

CAPÍTULO 7: JUSTIFICATIVAS CAPÍTULO 7: JUSTIFICATIVAS Capítulo VII l 7. JUSTIFICATIVA DO EMPREENDIMENTO 7.1 JUSTIFICATIVA DO EMPREENDIMENTO O Porto Organizado de Santos localiza-se nos municípios de Santos e Guarujá, compreendendo:

Leia mais

Gestão de PCB: Visão do Setor de Distribuição

Gestão de PCB: Visão do Setor de Distribuição Gestão de PCB: Visão do Setor de Distribuição Daniel Mendonça - Abradee Brasília, 28 de novembro de 2014. Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica QUEM SOMOS A Associação Brasileira

Leia mais

GRUPO DE INTERCÂMBIO EM AUDITORIA, CONTROLE E GESTÃO. Resultado da Pesquisa de Temas de Interesse. Agosto de 2014

GRUPO DE INTERCÂMBIO EM AUDITORIA, CONTROLE E GESTÃO. Resultado da Pesquisa de Temas de Interesse. Agosto de 2014 GRUPO DE INTERCÂMBIO EM AUDITORIA, CONTROLE E GESTÃO Resultado da Pesquisa de Temas de Interesse Agosto de 2014 I -INTRODUÇÃO I.1 - Importância do Segmento Representado no grupo: Auditores, analistas e

Leia mais

LEI 5.194/66 - Regula o exercício das profissões de Engenheiro, Arquiteto e Engenheiro-Agrônomo.

LEI 5.194/66 - Regula o exercício das profissões de Engenheiro, Arquiteto e Engenheiro-Agrônomo. LEI 5.194/66 - Regula o exercício das profissões de Engenheiro, Arquiteto e Engenheiro-Agrônomo. Art. 1º As profissões de engenheiro, arquiteto e engenheiro-agrônomo são caracterizadas pelas realizações

Leia mais

Experiência em Plano Gerencial

Experiência em Plano Gerencial Experiência em Plano Gerencial Maio 2004 CAPACITAÇÃO A Logos Engenharia é uma empresa com foco específico no mercado de prestação de serviços técnicos de gerenciamento e capacitada para o desenvolvimento

Leia mais

PLANO SAFRA 2014 janeiro-abril

PLANO SAFRA 2014 janeiro-abril PLANO SAFRA 2014 janeiro-abril Secretaria de Portos Presidência da República Ministério dos Transportes Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento MOTIVAÇÃO: SUPERSAFRA (em milhões de ton) E ORIENTAÇÕES

Leia mais

Com uma década de atuação, somos um escritório especializado em Mercado de Capitais, Tributário e Societário, com ênfase no atendimento a gestores de

Com uma década de atuação, somos um escritório especializado em Mercado de Capitais, Tributário e Societário, com ênfase no atendimento a gestores de Com uma década de atuação, somos um escritório especializado em Mercado de Capitais, Tributário e Societário, com ênfase no atendimento a gestores de recursos, instituições financeiras, empresas nacionais

Leia mais

5º Relatório Consolidado do Programa de Conscientização Ambiental da População Envolvida na Obra de Dragagem RC 260713

5º Relatório Consolidado do Programa de Conscientização Ambiental da População Envolvida na Obra de Dragagem RC 260713 PLANO BÁSICO AMBIENTAL DA DRAGAGEM DE APROFUNDAMENTO DO PORTO DE SANTOS 5º Relatório Consolidado do Programa de Conscientização Ambiental da População Envolvida na Obra de Dragagem RC 260713 IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS Disciplina: Matemática Financeira 10 h/a Ementa: O valor do dinheiro no tempo. Conceitos de juros, taxas de juros, principal,

Leia mais

Banco BBM. Nosso Negócio. Destaques Financeiros. Crédito. Captação. Tesouraria. Private Banking

Banco BBM. Nosso Negócio. Destaques Financeiros. Crédito. Captação. Tesouraria. Private Banking Banco BBM Nosso Negócio Destaques Financeiros Crédito Captação Tesouraria Private Banking 1 Composição Acionária Grupo Mariani Outros 47% 73% 27% BBM Holding S.A. 51% Banco BBM S.A. 2% 100% BBM Adm. de

Leia mais

Auditoria e o Fator de Sucesso. Luciano Medeiros

Auditoria e o Fator de Sucesso. Luciano Medeiros Auditoria e o Fator de Sucesso Luciano Medeiros O Mercado de Auditoria No Brasil há cerca de 360 auditores PJ registrados na CVM; Há, também, por volta de 70 auditores PF com registro na CVM; Por outro

Leia mais

2. Sobre a importância socioeconômica e a viabilidade do empreendimento, a SECEX/SP registra o seguinte:

2. Sobre a importância socioeconômica e a viabilidade do empreendimento, a SECEX/SP registra o seguinte: Tribunal de Contas da União Assunto: Levantamento de Auditoria Colegiado: Plenário Classe: Classe I Sumário: Fiscobras 2001. Auditoria nas obras de dragagem no Porto de Santos/SP. Aquisição do projeto

Leia mais

Investor Day Via Varejo. 09 de Dezembro de 2014

Investor Day Via Varejo. 09 de Dezembro de 2014 Investor Day Via Varejo 09 de Dezembro de 2014 Investor Day Via Varejo Agenda 14:30 A Via Varejo Líbano Barroso, CEO 14:50 Apresentação dos Executivos Infraestrutura Marcelo Lopes Operações Jorge Herzog

Leia mais

Mobilidade Sustentável para um Brasil Competitivo. Otávio Vieira Cunha Filho Brasília, 28 de Agosto de 2013

Mobilidade Sustentável para um Brasil Competitivo. Otávio Vieira Cunha Filho Brasília, 28 de Agosto de 2013 Mobilidade Sustentável para um Brasil Competitivo Otávio Vieira Cunha Filho Brasília, 28 de Agosto de 2013 Estrutura da Apresentação 1. Contexto 1.1. Situação atual da Mobilidade Urbana; 1.2. Manifestações:

Leia mais

Em setembro de 2011, ocorreu a cisão parcial de 99,99% de seu patrimônio líquido.

Em setembro de 2011, ocorreu a cisão parcial de 99,99% de seu patrimônio líquido. NUMERAL 80 PARTICIPAÇÕES S.A. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PARA OS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 E DE 2011 (Valores expressos em milhares de reais - R$) 1. CONTEXTO OPERACIONAL

Leia mais

Título do Slide Máximo de 2 linhas

Título do Slide Máximo de 2 linhas Título do Slide 13ª Seminário Internacional de Gerenciamento de Projetos Visibilidade ponta a ponta dos Projetos de Software da DATAPREV Denise Cascardo Luz Silva 17/09/13 AGENDA Título do Slide A DATAPREV

Leia mais

Gerenciamento de Riscos Corporativos

Gerenciamento de Riscos Corporativos Gerenciamento de Riscos Corporativos Cristiano Correa de Barros Superintendência de Gestão de Finanças Corporativas Apresentador: Jorge Luiz Carvalho Brandão Belo Horizonte, maio/06 1 Gerenciamento de

Leia mais

A empresa quantifica aspectos socioambientais nas projeções financeiras de:

A empresa quantifica aspectos socioambientais nas projeções financeiras de: Os trechos em destaque encontram-se no Glossário. Dimensão Econômica Critério I - Estratégia Indicador 1 - Planejamento Estratégico 1. Assinale os objetivos que estão formalmente contemplados no planejamento

Leia mais

Vaz, Barreto, Shingaki & Oioli Advogados

Vaz, Barreto, Shingaki & Oioli Advogados Vaz, Barreto, Shingaki & Oioli Advogados presta assessoria jurídica em todas as áreas do Direito ligadas à atividade empresarial, sobretudo em questões envolvendo Direito Bancário e dos Mercados de Capitais,

Leia mais

Maria Salomé dos Santos Costa Rua Elias Garcia, n.º 55 1º B 3880.213 Ovar salome.costa@sapo.pt. Ovar, 2 de Agosto de 2012 Exmos Srs

Maria Salomé dos Santos Costa Rua Elias Garcia, n.º 55 1º B 3880.213 Ovar salome.costa@sapo.pt. Ovar, 2 de Agosto de 2012 Exmos Srs Maria Salomé dos Santos Costa Rua Elias Garcia, n.º 55 1º B 3880.213 Ovar salome.costa@sapo.pt Ovar, 2 de Agosto de 2012 Exmos Srs O meu nome é Salomé Costa e obtive recentemente aprovação na prova oral

Leia mais

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Audiência Pública na Comissão de Desenvolvimento Urbano Operações de Repasse com Recursos do OGU Restos a Pagar 2007 a 2009 Brasília/DF, 14 de junho de 2011 Transferências do Orçamento

Leia mais

CONTRATO OBRA CREDOR EMPRESA NPD

CONTRATO OBRA CREDOR EMPRESA NPD SC-033/13 RESIDENCIAL HIBISCO. RESIDENCIAL FIGUEIRA RESIDENCIAL CANARIO. RESIDENCIAL BEIJA FLOR. RESIDENCIAL ESPLENDIDO. RESIDENCIAL HIBISCO. RESIDENCIAL FIGUEIRA RESIDENCIAL CANARIO. RESIDENCIAL ESPLENDIDO.

Leia mais

Porto Alegre, 6 de maio de 2013

Porto Alegre, 6 de maio de 2013 1! Porto Alegre, 6 de maio de 2013 Ministério da Cultura MinC Secretaria Executiva Gabinete da Ministra SEC SAV Funarte FBN ASPAR SPC SCDC Iphan Palmares CONJUR SEFIC SAI Ibram FCRB AECI Ancine DRI Representações

Leia mais

A EVOLUÇÃO. 1. Se não faltar Água Tudo Bem. 2. Pesquisa de Vazamentos e Macromedição. 3. Controle de Pressão

A EVOLUÇÃO. 1. Se não faltar Água Tudo Bem. 2. Pesquisa de Vazamentos e Macromedição. 3. Controle de Pressão REDUÇÃO DE PERDAS: Resultados práticos na redução de perdas reais e aparentes, suas correlações com a recuperação de receita e utilização de geoprocessamento neste processo A EVOLUÇÃO 1. Se não faltar

Leia mais

Melhoria da Gestão Portuária

Melhoria da Gestão Portuária Melhoria da Gestão Portuária Jean Paulo Castro e Silva Diretor do Departamento de Gestão e Logística Portuárias Secretaria de Portos da Presidência da República Apresentação para o Painel Pacto pela Infraestrutura

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 46/2011, de 03 de novembro de 2011.

RESOLUÇÃO Nº 46/2011, de 03 de novembro de 2011. RESOLUÇÃO Nº 46/2011, de 03 de novembro de 2011. O Presidente do Conselho Superior do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

DA COMISSÃO AVALIAÇÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO EDITAL Nº 01, DE 09 DE ABRIL DE 2012

DA COMISSÃO AVALIAÇÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO EDITAL Nº 01, DE 09 DE ABRIL DE 2012 DA COMISSÃO AVALIAÇÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO EDITAL Nº 01, DE 09 DE ABRIL DE 2012 A COMISSÃO DE AVALIAÇÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO (CADAR), no uso de suas atribuições, torna público o Plano de Classificação

Leia mais

Energias Renováveis BIODIESEL

Energias Renováveis BIODIESEL Energias Renováveis BIODIESEL Profª Elisa Helena Siegel Moecke UNISUL Universidade do Sul de Santa Catarina Apresentação Com o Protocolo de Kyoto (1997) muitos países se comprometeram com a redução da

Leia mais

ATUAÇÃO DO TCU CONCESSÕES DE SERVIÇOS PÚBLICOS DE INFRA ESTRUTURA

ATUAÇÃO DO TCU CONCESSÕES DE SERVIÇOS PÚBLICOS DE INFRA ESTRUTURA SEMINÁRIO INTERNACIONAL CONCESSÃO DE AEROPORTOS ATUAÇÃO DO TCU NO ACOMPANHAMENTO DE CONCESSÕES DE SERVIÇOS PÚBLICOS DE INFRA ESTRUTURA Francisco Giusepe Donato Martins Secretaria de Fiscalização de Desestatização

Leia mais

CLIPPING DE NOTÍCIAS

CLIPPING DE NOTÍCIAS EDITORIAL: Caros Leitores, Os destaques desta edição! TRIBUNAL MARÍTIMO TM Justiça e Segurança para Navegação 80 Anos a Serviço da Comunidade Marítima Brasileira Biblioteca Almirante Adalberto Nunes Centro

Leia mais

O papel da iniciativa privada no desenvolvimento da gestão pública brasileira

O papel da iniciativa privada no desenvolvimento da gestão pública brasileira O papel da iniciativa privada no desenvolvimento da gestão pública brasileira CONTEXTO BRASIL 1970 90 milhões de habitantes 2010 190 milhões de habitantes... Temos feito muito, mas não o suficiente...

Leia mais

Acordo de Acionistas. do Grupo CPFL Energia. Atual Denominação Social da Draft II Participações S.A.

Acordo de Acionistas. do Grupo CPFL Energia. Atual Denominação Social da Draft II Participações S.A. Acordo de Acionistas Política de da Investimento CPFL Energia Social S.A. do Grupo CPFL Energia Atual Denominação Social da Draft II Participações S.A. 1 Sumário 1. Introdução 3 2. Objetivo 4 3. Âmbito

Leia mais

Banif Banco de Investimento S.A. Oportunidades de Investimento nos Portos Brasileiros

Banif Banco de Investimento S.A. Oportunidades de Investimento nos Portos Brasileiros Banif Banco de Investimento S.A. Oportunidades de Investimento nos Portos Brasileiros Fernando Antonio Brito Fialho Agência Nacional de Transportes Aquaviários Diretor Geral São Paulo, 16 de junho de 2009

Leia mais

LEI Nº. 1.361/2010 14 de abril de 2010. Autoria: Poder Executivo Municipal

LEI Nº. 1.361/2010 14 de abril de 2010. Autoria: Poder Executivo Municipal LEI Nº. 1.361/2010 14 de abril de 2010. Autoria: Poder Executivo Municipal ALTERA DISPOSITIVOS NA LEI Nº.1.303, DE 08 DE JULHO DE 2009, QUE REGULAMENTA NO MUNICIPIO DE CAMPO NOVO DO PARECIS O TRATAMENTO

Leia mais

Redes Subterrâneas de Energia Elétrica: Regulação e Projetos de P&D/ANEEL

Redes Subterrâneas de Energia Elétrica: Regulação e Projetos de P&D/ANEEL Redes Subterrâneas de Energia Elétrica: Regulação e Projetos de P&D/ANEEL Superintendência de Regulação dos Serviços de Distribuição SRD Superintendência de Pesquisa e Desenvolvimento e Eficiência Energética

Leia mais

PORTARIA N o 45, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2006 (publicada no DOU de 12/12/2006, seção I, página 73)

PORTARIA N o 45, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2006 (publicada no DOU de 12/12/2006, seção I, página 73) PORTARIA N o 45, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2006 (publicada no DOU de 12/12/2006, seção I, página 73) O SECRETÁRIO DE ORÇAMENTO FEDERAL, tendo em vista a autorização constante do art. 62, inciso III, da Lei

Leia mais

Seminário Espaços Urbanos Seguros

Seminário Espaços Urbanos Seguros Seminário Espaços Urbanos Seguros A atuação da CAIXA e seu impacto no desenvolvimento de cidades sustentáveis Vice-Presidência de Governo Superintendência Nac de Ass Técnica e Desenv Sustentável Jean R.

Leia mais

POLÍTICA ENGAJAMENTO DE STAKEHOLDERS ÍNDICE. 1. Objetivo...2. 2. Abrangência...2. 3. Definições...2. 4. Diretrizes...3. 5. Materialidade...

POLÍTICA ENGAJAMENTO DE STAKEHOLDERS ÍNDICE. 1. Objetivo...2. 2. Abrangência...2. 3. Definições...2. 4. Diretrizes...3. 5. Materialidade... ENGAJAMENTO DE STAKEHOLDERS Folha 1/8 ÍNDICE 1. Objetivo...2 2. Abrangência...2 3. Definições...2 4. Diretrizes...3 5. Materialidade...7 Folha 2/8 1. Objetivos 1. Estabelecer as diretrizes que devem orientar

Leia mais

PESQUISA DE REMUNERAÇÃO

PESQUISA DE REMUNERAÇÃO Abrangência: Todo o território brasileiro. A quem se destina: Unidades produtoras de açúcar, etanol e bioeletricidade. Empresas de todo e qualquer segmento econômico. Público Alvo: Gestores de Recursos

Leia mais

CONTROLE DE CONTEÚDO EXAME DE ORDEM OAB 1ª FASE

CONTROLE DE CONTEÚDO EXAME DE ORDEM OAB 1ª FASE 1 Teoria Geral da Constituição / Separação de Poderes 2 Direitos e deveres individuais e coletivos 3 Nacionalidade 4 Direitos políticos/ Partidos Políticos 5 Organização Político-Administrativa 6 Poder

Leia mais

TOTAL - FISCAL 0 TOTAL - SEGURIDADE 13.779.252 TOTAL - GERAL 13.779.252

TOTAL - FISCAL 0 TOTAL - SEGURIDADE 13.779.252 TOTAL - GERAL 13.779.252 UNIDADE : 33101 - MINISTERIO DA PREVIDENCIA SOCIAL 0087 GESTAO DA POLITICA DE PREVIDENCIA SOCIAL 903.304 09 122 0087 2272 GESTAO E ADMINISTRACAO DO PROGRAMA 903.304 09 122 0087 2272 0001 GESTAO E ADMINISTRACAO

Leia mais

Trens Regionais de Média Densidade

Trens Regionais de Média Densidade eixos de atuação Revista Ferroviária SEMINÁRIO TRANSPORTE INTERURBANO DE PASSAGEIROS 18 de maio de 2006 Trens Regionais de Média Densidade A Tese UM SISTEMA DE TRANSPORTE REGIONAL DE PASSAGEIROS DE QUALIDADE

Leia mais

ESTATAIS FEDERAIS ALTERNATIVAS DE REESTRUTURAÇÃO SOCIETÁRIA ESTUDO PRELIMINAR DATAPREV SERPRO TELEBRAS

ESTATAIS FEDERAIS ALTERNATIVAS DE REESTRUTURAÇÃO SOCIETÁRIA ESTUDO PRELIMINAR DATAPREV SERPRO TELEBRAS ESTATAIS FEDERAIS ALTERNATIVAS DE REESTRUTURAÇÃO SOCIETÁRIA ESTUDO PRELIMINAR DATAPREV SERPRO TELEBRAS Serpro é a maior empresa em número de empregados e Ativos. Dataprev apresenta maior lucro e melhores

Leia mais

QUADRO SINTESE POR FUNCOES 3000000 23 COMÉRCIO E SERVIÇOS 31527800 694 SERVIÇOS FINANCEIROS 31527800 23 COMÉRCIO E SERVIÇOS 3000000

QUADRO SINTESE POR FUNCOES 3000000 23 COMÉRCIO E SERVIÇOS 31527800 694 SERVIÇOS FINANCEIROS 31527800 23 COMÉRCIO E SERVIÇOS 3000000 FONTES R$ 1,00 FUNCOES 23 COMÉRCIO E SERVIÇOS 25 ENERGIA 694 SERVIÇOS FINANCEIROS 752 ENERGIA ELÉTRICA FUNCOES/ 23 COMÉRCIO E SERVIÇOS 694 SERVIÇOS FINANCEIROS 25 ENERGIA 752 ENERGIA ELÉTRICA 0295 ENERGIA

Leia mais

GEODIVERSIDADE DO AMAZONAS EXEMPLO EXITOSO DE UMA POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE AOS RECURSOS MINERAIS, HÍDRICOS E DE ÓLEO E GÁS DA AMAZÔNIA

GEODIVERSIDADE DO AMAZONAS EXEMPLO EXITOSO DE UMA POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE AOS RECURSOS MINERAIS, HÍDRICOS E DE ÓLEO E GÁS DA AMAZÔNIA GEODIVERSIDADE DO AMAZONAS EXEMPLO EXITOSO DE UMA POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE AOS RECURSOS MINERAIS, HÍDRICOS E DE ÓLEO E GÁS DA AMAZÔNIA Deputado Sinésio Campos Líder do Governo Estadual e do Governo

Leia mais

As atuais condições da infraestrutura de transporte e logística do Brasil têm

As atuais condições da infraestrutura de transporte e logística do Brasil têm ESTUDO DA CNT APONTA QUE INFRAESTRUTURA RUIM AUMENTA CUSTO DO TRANSPORTE DE SOJA E MILHO As atuais condições da infraestrutura de transporte e logística do Brasil têm impacto significativo na movimentação

Leia mais

OUVIDORIA GERAL EXTERNA

OUVIDORIA GERAL EXTERNA OUVIDORIA GERAL EXTERNA Plano de trabalho de Janeiro de 2012 a Julho de 2012 Principais Atividades JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL 1) Apresentação Plano de trabalho para Defensora Pública Geral X 2) Aprovação

Leia mais

8.504.930 PROJETOS DE INCLUSAO DIGITAL 8.504.930 DE INCLUSAO DIGITAL - NO ESTADO DO ESPIRITO SANTO F 4 2 30 0 100 8.504.930 TOTAL - FISCAL 9.904.

8.504.930 PROJETOS DE INCLUSAO DIGITAL 8.504.930 DE INCLUSAO DIGITAL - NO ESTADO DO ESPIRITO SANTO F 4 2 30 0 100 8.504.930 TOTAL - FISCAL 9.904. ORGAO : 24000 - MINISTERIO DA CIENCIA E TECNOLOGIA UNIDADE : 24101 - MINISTERIO DA CIENCIA E TECNOLOGIA 0750 APOIO ADMINISTRATIVO 1.400.024 19 122 0750 2000 ADMINISTRACAO DA UNIDADE 1.400.024 19 122 0750

Leia mais

PROGRAMA DE TRABALHO (SUPLEMENTACAO) RECURSOS DE TODAS AS FONTES R$ 1,00

PROGRAMA DE TRABALHO (SUPLEMENTACAO) RECURSOS DE TODAS AS FONTES R$ 1,00 PROGRAMA DE TRABALHO (SUPLEMENTACAO) RECURSOS DE TODAS AS FONTES R$ 1,00 23 COMÉRCIO E SERVIÇOS 2.760.000 25 ENERGIA 178. 311. 716 26 TRANSPORTE 76.096.395 TOTAL GERAL 257. 168. 111 752 ENERGIA ELÉTRICA

Leia mais

SECRETARIA DE PORTOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA MINISTRO DE ESTADO CHEFE. Coordenação de Tecnologia da Informação

SECRETARIA DE PORTOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA MINISTRO DE ESTADO CHEFE. Coordenação de Tecnologia da Informação I - Órgãos de Assistência Direta e Imediata ao Ministro Chefe SECRETARIA EXECUTIVA Gabinete Gabinete Licitação e Contratos de Licitação Contratos Gestão Corporativa Assessoria de Informação e Articulação

Leia mais

RESOLUÇÃO N 41/2009/CONEPE. O CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO da UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE no uso de suas atribuições legais e;

RESOLUÇÃO N 41/2009/CONEPE. O CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO da UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE no uso de suas atribuições legais e; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 41/2009/CONEPE Aprova alteração na Departamentalização do Núcleo

Leia mais

Como o Departamento Jurídico pode Auxiliar a Empresa em Tempos de Crise

Como o Departamento Jurídico pode Auxiliar a Empresa em Tempos de Crise Como o Departamento Jurídico pode Auxiliar a Empresa em Tempos de Crise 1 Artes Médicas Artmed Grupo A Expandiu seus negócios para o ramo da educação Adaptou-se às mudanças do mercado Transformou-se e

Leia mais

Secretaria de Logística e Transportes DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM

Secretaria de Logística e Transportes DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM Malha Rodoviária do Estado de São Paulo Data Base: outubro/2010 Rodovias Concedidas no Estado de São Paulo Extensão de Rodovias Estaduais Concedidas 4.988 km + 1162 km de acessos e dispositivos Associação

Leia mais

Governança Corporativa de Empresas Familiares. Migrando do Conselho para os níveis operacionais

Governança Corporativa de Empresas Familiares. Migrando do Conselho para os níveis operacionais Governança Corporativa de Empresas Familiares Migrando do Conselho para os níveis operacionais O que é "empresa familiar"? A família detém o controle societário Empresas Familiares no Mundo Fonte: Consultoria

Leia mais

Marcos Regulatórios. Audiência Pública. Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal

Marcos Regulatórios. Audiência Pública. Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal Audiência Pública Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal Subcomissão Temporária da Regulamentação dos Marcos Regulatórios Marcos Regulatórios Claudio J. D. Sales Diretor Presidente Instituto

Leia mais

MARISA LOJAS S.A. 2ª Emissão Pública de Debêntures

MARISA LOJAS S.A. 2ª Emissão Pública de Debêntures MARISA LOJAS S.A. 2ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2013 MARISA LOJAS S.A. 2ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício

Leia mais

AGENCIA NACIONAL DE AVIAcAO CIVIL DIRETORIA ATA DA REUNIAO REALIZADA EM 27 DE JUNHO DE 2007

AGENCIA NACIONAL DE AVIAcAO CIVIL DIRETORIA ATA DA REUNIAO REALIZADA EM 27 DE JUNHO DE 2007 A AGENCIA NACIONAL DE AVIAcAO CIVIL DIRETORIA ATA DA REUNIAO REALIZADA EM 27 DE JUNHO DE 2007 Aos vinte e sete dias do mes de junho do ano de dois mil e Sete, as quinze horas e quarenta minutos, na Sala

Leia mais

Passeio 59.815 57.038 4,9% Comercial 32.128 30.975 3,7% Total 91.943 88.013 4,5%

Passeio 59.815 57.038 4,9% Comercial 32.128 30.975 3,7% Total 91.943 88.013 4,5% RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2014 Senhores Acionistas A Administração da Concessionária das Rodovias Ayrton Senna e Carvalho Pinto S.A. Ecopistas, em conformidade com as disposições estatutárias e legais,

Leia mais

Plenário. Presidência

Plenário. Presidência Comissões Permanentes Comissões Especiais Grupo Trabalho Instância Consultiva Plenário Presidência Câmaras Especializadas 1º e 2º Vice-Presinte 1º e 2º Diretor Administrativo 1º e 2º Diretor Financeiro

Leia mais

Ano CXLIII N o - 199 Brasília - DF, terça-feira, 17 de outubro de 2006

Ano CXLIII N o - 199 Brasília - DF, terça-feira, 17 de outubro de 2006 ISSN 1677-7042 Ano CXLIII 199 Brasília - DF, terça-feira, 17 de outubro de 2006. Sumário PÁGINA Atos do Poder Judiciário... 1 Atos do Poder Executivo... 2 Presidência da República... 50 Ministério da Agricultura,

Leia mais

10 ANOS DE CTLOG. Ações e Conquistas

10 ANOS DE CTLOG. Ações e Conquistas 10 ANOS DE Suspensão do Projeto de Lei nº 3635/2008 Exige forração com lona em caminhões graneleiros. Modelagem do TEGRAM Porto do Itaqui Modelagem do Porto de Outeiro - PA Redefinição da localização do

Leia mais

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS 1T10

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS 1T10 DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS 1T10 TELECONFERÊNCIAS 12/05/2010 (quarta-feira) AGENDA 2010 Uma só empresa, melhor e mais forte SUMÁRIO EXECUTIVO 1 PRESENÇA NACIONAL 2 2 1 720 escolas associadas no Ensino Básico

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS DA BRASKEM

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS DA BRASKEM ANEXO À PD.CA/BAK-37/2010 POLÍTICA DE INVESTIMENTOS DA BRASKEM Aprovada pelo Conselho de Administração da Braskem S.A. em 29 de Novembro de 2010 1 XX/XX/10 RAE Inventimentos LE Braskem Revisão Data da

Leia mais

Terminais Portuários nos Portos Organizados

Terminais Portuários nos Portos Organizados Terminais Portuários nos Portos Organizados Rio de Janeiro, RJ 17 de setembro de 2008 Richard Klien 1985: CODESP inaugura o TECON Santos Fonte: Santos Brasil 1997: Santos-Brasil vence leilão do TECON Santos

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015

PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015 PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015 Líderes : Autores do Futuro Ser líder de um movimento de transformação organizacional é um projeto pessoal. Cada um de nós pode escolher ser... Espectador,

Leia mais

Estrutura de Gerenciamento de Risco de Crédito

Estrutura de Gerenciamento de Risco de Crédito Risco de Crédito Estrutura de Gerenciamento de Risco de Crédito Conforme a resolução 3.721 do Banco Central do Brasil, define-se risco de crédito como a possibilidade de ocorrência de perdas associadas

Leia mais

O evento INTEGRADO da Água, em Portugal. Agentes de mudança rumo à eficiência e sustentabilidade TAGUSPARK, OEIRAS. ORGANIZAÇÃO Uma Publicação

O evento INTEGRADO da Água, em Portugal. Agentes de mudança rumo à eficiência e sustentabilidade TAGUSPARK, OEIRAS. ORGANIZAÇÃO Uma Publicação TAGUSPARK, OEIRAS Agentes de mudança rumo à eficiência e sustentabilidade O evento INTEGRADO da Água, em Portugal ORGANIZAÇÃO Uma Publicação PATROCÍNIOS O evento INTEGRADO da Água, em Portugal APRESENTAÇÃO

Leia mais

Certificação e Auditoria Ambiental

Certificação e Auditoria Ambiental Certificação e Auditoria Ambiental Auditoria Ambiental - 3 Prof. Gustavo Rodrigo Schiavon Eng. Ambiental Preparação Nesta etapa, a auditoria é organizada objetivando minimizar o tempo despendido pelos

Leia mais

XII Congresso Brasileiro de Fomento Comercial. 1º de maio de 2014

XII Congresso Brasileiro de Fomento Comercial. 1º de maio de 2014 XII Congresso Brasileiro de Fomento Comercial 1º de maio de 2014 Humberto Luiz Ribeiro Secretário de Comércio e Serviços (SCS) Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) Apresentação

Leia mais

ANEXO I BALANCETE ANALÍTICO (MODELO)

ANEXO I BALANCETE ANALÍTICO (MODELO) ANEXO I A) - DADOS CONTÁBEIS E FINANCEIROS I. Balancete Contábil BALANCETE ANALÍTICO (MODELO) Período: 01/xx/20xx a 31/xx/20xx CONTA 1 - ATIVO 1.1 - CIRCULANTE 1.1.01 - DISPONIBILIDADES 1.1.01.01 - FUNDO

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCOS BANCO ABN AMRO S.A. Setembro de 2013

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCOS BANCO ABN AMRO S.A. Setembro de 2013 RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCOS BANCO ABN AMRO S.A. Setembro de 2013 SP Rua Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, 700, 4º andar Itaim Bibi São Paulo SP CEP: 04542000 Tel: (11) 30737400 Fax: (11) 30737404

Leia mais

REVITALIZAÇÃO DO CAIS COMERCIAL DO PORTO DE VITÓRIA

REVITALIZAÇÃO DO CAIS COMERCIAL DO PORTO DE VITÓRIA REVITALIZAÇÃO DO CAIS COMERCIAL DO PORTO DE VITÓRIA O projeto de revitalização do Porto de Vitória é uma obra do Plano de Aceleração do Crescimento PAC e complementa os projetos de Ampliação do Cais Comercial,

Leia mais

www.s cbf.com.br NOVA ÁREA DE ATUAÇÃO DO ESCRITÓRIO: EMPRESAS EMERGENTES GUIA DE ENERGIA IFLR SEMINÁRIO MP 595 WORKSHOP AMCHAM

www.s cbf.com.br NOVA ÁREA DE ATUAÇÃO DO ESCRITÓRIO: EMPRESAS EMERGENTES GUIA DE ENERGIA IFLR SEMINÁRIO MP 595 WORKSHOP AMCHAM Caso ocorra erro de visualização, acesse nossa Versão Web ou Versão PDF São Paulo, 20 de agosto de 2013 N EW S O escritório Souza, Cescon, Barrieu & Flesch Advogados abre uma área especializada em apoiar

Leia mais

O setor aquaviário e o comércio exterior

O setor aquaviário e o comércio exterior O setor aquaviário e o comércio exterior Associação de Comércio Exterior do Brasil AEB ENAEX 2011 - Encontro nacional de comércio exterior Rio de Janeiro, RJ 19 de agosto de 2011 Fernando Antonio Brito

Leia mais

Enterprise Risk Management (ERM) Gestão de Riscos Corporativos Pesquisa sobre o estágio atual em empresas brasileiras

Enterprise Risk Management (ERM) Gestão de Riscos Corporativos Pesquisa sobre o estágio atual em empresas brasileiras KPMG Risk & Compliance Enterprise Risk Management (ERM) Gestão de Riscos Corporativos Pesquisa sobre o estágio atual em empresas brasileiras Conteúdo 1. Contexto geral 6. Estrutura e funcionamento do Conselho

Leia mais

CLIPPING DE NOTÍCIAS

CLIPPING DE NOTÍCIAS TRIBUNAL MARÍTIMO TM Justiça e Segurança para Navegação 81 Anos a Serviço da Comunidade Marítima Brasileira Biblioteca Almirante Adalberto Nunes Centro de Conhecimento em Direito Marítimo CLIPPING DE NOTÍCIAS

Leia mais