Ergonomia e Usabilidade no Desenvolvimento de Produtos Sustentáveis: Estudo de caso do Carro Elétrico da UFSC

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ergonomia e Usabilidade no Desenvolvimento de Produtos Sustentáveis: Estudo de caso do Carro Elétrico da UFSC"

Transcrição

1 Ergonomia e Usabilidade no Desenvolvimento de Produtos Sustentáveis: Estudo de caso do Carro Elétrico da UFSC Alessandro Vieira dos Reis Lizandra Garcia Lupi Vergara Universidade Federal de Santa Catarina, SC-Brasil. Resumo O presente artigo tem como objetivo apresentar a avaliação ergonômica do carro elétrico utilizado na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Através de uma análise das falhas presentes no produto projetado para a função de transportar cargas no campus universitário, pretende-se propor melhorias no carro utilizado atualmente. A metodologia de avaliação ergonômica consistiu em entrevistas com usuários, assim como observação direta da atividade de trabalho do motorista do carro elétrico, especificamente o carro de modelo 3, por ser detectado maior número de problemas ergonômicos. A atividade do motorista foi documentada em fotos e vídeos, incluindo a aplicação do método OWAS para avaliação postural, a fim propor medidas corretivas visando à promoção da saúde ocupacional. Os resultados da avaliação apontam para diversas falhas em termos ergonômicos, principalmente em questões de segurança e usabilidade, o que enfatiza a necessidade de melhorias nas condições de trabalho dos motoristas. Pode-se constatar ainda que o desenvolvimento de produtos sustentáveis, no presente estudo de caso um veículo não-poluente, têm muito a ganhar inserindo em seus projetos os cuidados com a Ergonomia e a Usabilidade, uma vez que a Sustentabilidade de um produto demanda o uso eficiente e seguro por parte do ser humano. Palavras-chave: Carro Elétrico; Ergonomia; Usabilidade; Sustentabilidade; Método OWAS;Postura. 1 Introdução O mundo hoje passa, com crescente urgência, pelo desafio da obtenção de fontes de energia limpas como substitutas para os combustíveis fósseis. Veículos movidos a gasolina e afins derivada do processamento do petróleo, constituem-se em um dos maiores poluentes da atmosfera, e são ainda a grande maioria das frotas em todos os países. A substituição do combustível fóssil por outros tipos de energia, contudo, não traz benefícios apenas ambientais. Uma vez que os combustíveis fósseis não são fontes renováveis, o uso de fontes alternativas revela-se também uma questão econômica. Novas indústrias nascem a partir do conceito de Sustentabilidade, e uma delas é a de produção de veículos movidos a energia elétrica. A sustentabilidade dessa indústria, contudo, não se resume a aspectos econômicos e ambientais (Ramos, 2003). Um terceiro grupo de fatores complementa esse conceito: os aspectos sociais. Os novos veículos precisam ser desenvolvidos levando-se em conta o uso humano: aspectos não apenas 1

2 culturais, mas como também ergonômicos voltados à atividade de trabalho. Os novos veículos, em muito diferentes no que tange a fonte energética, precisam ser tão eficientes no uso ou melhores que os antecessores para garantir a aceitação do consumidor e, assim, sua sustentabilidade social. Neste sentido, a Ergonomia por buscar tornar o trabalho adaptado ao trabalhador, criando assim melhores condições de segurança, conforto e eficiência para o ambiente de trabalho, assume um importante papel no processo de desenvolvimento de produtos industriais. Interdisciplinar desde sua origem, datada do final da II Guerra Mundial, a Ergonomia objetiva otimizar produtos industriais com a ajuda de olhares da engenharia, psicologia, medicina, etc, sempre o intuito de ajustar o objeto e/ou ambiente ao uso do sujeito. A análise ergonômica do trabalho tem por objetivo ajudar a desenvolver melhores produtos, quando os projetos ainda na fase conceitual, ou efetivar melhorias em produtos já desenvolvidos. São critérios ergonômicos clássicos: segurança, conforto, eficiência, facilidade de uso, manutenbilidade, etc (Iida, 2005). Parte da Ergonomia, muito em voga no trabalho com interfaces e design de comandos, é a Usabilidade. Esta, segundo Jordan (1998), propõe-se a tornar o uso do produto o mais eficiente possível, de modo que este esteja bem adaptado ao manuseio efetivo do usuário. A Usabilidade é uma medida pela qual um produto pode ser utilizado por usuários específicos para atingir objetivos específicos com eficácia, eficiência e satisfação em um contexto específico (NBR , 2002). Conforme o diagrama: Figura 1: Estrutura da Usabilidade Do diagrama acima podemos inferir que a Usabilidade relaciona-se com os objetivos do produto, mas 2

3 também com os resultados desse uso, em termos não apenas de eficácia e eficiência da tarefa, mas da satisfação do usuário. As questões levantadas pela Ergonomia e pela Usabilidade, portanto, figuram como vitais para a boa aceitação e impacto social dos produtos industriais, uma vez que leva em conta as peculiaridades fisiológicas, anatômicas e psicológicas do consumidor. A Análise Ergonômica do Trabalho presta-se a levantar demandas, problemas e, partindo daí, identificar: a) as tarefas que o usuário do produto deve realizar com ele e b) o que e como de fato o usuário lida com o produto (Santos e Fialho, 1997). 1.1 O Carro Elétrico e a Indústria Sustentável Com os primeiros exemplares datados ainda dos anos 1990, o carro elétrico é uma alternativa de crescente visibilidade ao carro movido a combustível fóssil. (Santos, 2009). Atualmente modelos de carros elétricos vêm sendo testados em países como a Alemanha, onde vem sofrendo resistência do consumidor por questões muitas vezes culturais (DW-Wolrd.DE, 2011). A Revista 4 Rodas (2011) fala de protótipos cujos testes deixam dúvidas quanto a autonomia, eficiência energética e, acima de tudo, aceitação psicológica do consumidor. Destaca ainda que os motoristas se queixam de itens inesperados, tais como a ausência do som característico do motor, presente em carros convencionais. No Brasil, o Governo Federal fez experimentos com veículos elétricos para uso dos Correios (Espaço Ecológico, 2011). Esses experimentos também destacaram as queixas quanto autonomia e, novamente, questões ergonômicas, tais como ajustes necessários nos pedais. Apesar do estado de testes protótipos pelo mundo, grandes montadoras, como a Audi (Gizmodo, 2011) a Volvo (Blogmail, 2011) e GM (Automotivebusiness, 2011) planejam o lançamento de carros elétricos no mercado brasileiro já para Histórico do Carro Elétrico da UFSC Os carros elétricos utilizados no campus da UFSC foram projetados para transporte de cargas diversas, em especial móveis e lixo oriundo de serviços de jardinagem. Fora esse objetivo imediato, consta também o pioneirismo em desenvolver e utilizar veículos movidos a energia limpa. O carro elétrico foi adquirido para substituir a tobata, um veículo equivalente utilizado pela UFSC, que usava óleo diesel como combustível e que apresentava diversas falhas ergonômicas, como o intenso ruído do motor.. O primeiro modelo de carro elétrico começou a ser utilizado na UFSC em Esse modelo funcionava a partir de energia solar obtida por meio de placas de captação. Essa tecnologia foi substituída no modelo 2 que, seguindo a tendência mundial nos projetos da área, passou a funcionar por baterias recarregáveis. 3

4 Figura 2: A tobata, veículo movido a diesel substituído pelo carro elétrico, na UFSC. O modelo 3, e atual, começou a ser utilizado em dezembro de 2010, contando com 3 unidades. Tratase do CarryAll6, desenvolvido pela empresa carioca ClubCar. Este mantém a forma de alimentação energética do 2, e conta com poucas diferenças no design comparado ao seu antecessor. Figura 3: Frente e lateral do modelo 3 do Carro Elétrico da UFSC Sendo assim, a avaliação de Ergonomia e Usabilidade presente neste artigo tem como objetivo diagnosticar riscos ergonômicos, a partir da identificação das falhas do produto, em especial de segurança e usabilidade, presentes no modelo 3 de Carro Elétrico da UFSC, assim como avaliar as posturas assumidas pelos motoristas, através da aplicação do método OWAS, propondo melhorias para a situação de trabalho analisada, assim como diretivas para o desenvolvimento de um novo modelo de carro elétrico. 2 Metodologia da Avaliação 4

5 A metodologia de Avaliação em Ergonomia e Usabilidade aplicada neste estudo de caso, utilizou o modelo 3 do Carro Elétrico da UFSC como objeto de estudo. Tendo início em abril de 2011, a avaliação ergonômica durou cerca de um mês e consistiu em observações direta e análise da atividade de trabalho de um dos motoristas do Carro Elétrico modelo 3. Também foi aplicada entrevista com o motorista, de 26 anos, que possui 2 anos de experiência dirigindo o carro elétrico analisado. Todo o material registrado no processo de levantamentos de dados, encontra-se documentado através de fotos, vídeos e planilhas de relatório. Como complemento da avaliação ergonômica, que considerou como principais critérios a segurança e a usabilidade, foi utilizado o Método OWAS para análise postural do motorista em duas situações: dirigindo e no papel de carregador de carga. O método OWAS foi criado pela OVAKO OY em conjunto com o Instituto Finlandês de Saúde Ocupacional, com o objetivo de analisar posturas de trabalho na indústria do aço. As atividades exercidas pelo trabalhador são categorizadas mediante o grau de exigência física imposta a ele. A combinação das posições de costas, braços, pernas e do uso de força recebe uma pontuação que indica níveis de ação para medidas corretivas (OWAS, 1990). As falhas encontradas como resultado do processo de avaliação ergonômica proposto neste estudo de caso, foram classificadas em: falhas de Design do Veículo, para os critérios de segurança e de usabilidade, e problemas posturais decorrentes da atividade laboral do motorista em duas situações laborais: a atividade de dirigir e a de carregamento de cargas, ao juntar folhas no chão e carregá-las até a carroceria do carro elétrico. 3 Avaliação Ergonômica do carro elétrico modelo 3 A Figura 4 a seguir destaca os problemas ergonômicos detectados como falhas de design do veículo, no caso o modelo 3 do carro elétrico da UFSC. Os resultados apresentados na sequencia foram divididos nos seguintes critérios: Falhas de Design do Veículo, classificadas em Segurança e Usabilidade. Figura 4: Carro elétrico modelo 3, com destaque para as falhas de design do veículo. 3.1 Falhas de Design do Veículo: Critérios de Segurança 5

6 A segurança é um dos principais critérios de avaliação ergonômica (Iida, 2005), e talvez o mais urgente dos mesmos. Nesta categoria, conforme demonstra a Tabela 1, foram classificadas falhas que geram risco direto de acidentes para o motorista e/ou outros trabalhadores e ainda pedestres. Tabela 1: Análise das falhas de Segurança. Falha Recomendações 1- Falta uma alça de segurança para a mão do carona. 2- Uma tarja preta opaca no topo do parabrisa impede a visão do motorista (que precisa dirigir encurvado para evitá-la). 3- Falta um retrovisor central para ajudar o motorista na direção em rés, por exemplo. 4 - Os retrovisores laterais são pequenos demais, pouco servindo para o motorista. 5 O som da ré é projetado na dianteira do carro, quando deveria ser na traseira. Os pedestres, confundidos pelo sinal vindo da dianteira, tendem a ir para a traseira do carro no momento da ré. 6 - Falta cinto de segurança prático de usar. O atual, de apenas 2 pontos, não oferece muita segurança e é ignorado. Recomenda-se um cinto de 3 pontos. 7 - O assento não é ajustável em relação a distância do painel e nem satisfatoriamente quanto a inclinação. Um assento ajustável eliminaria problemas posturais que afetam a visão do motorista. 8 - Esse modelo de pneu usado não tem garradeiras (o carro desliza na grama molhada). Grande risco de acidentes. Mudança indispensável. Grande risco de acidentes. Mudança indispensável. Recomenda-se inclusão Recomenda-se ajuste Recomenda-se ajuste Recomenda-se ajuste Recomenda-se ajuste Risco moderado de acidentes. Mudança necessária. Uma falha de segurança, contudo, requer uma menção especial. O fato do carro elétrico não emitir som contínuo enquanto está funcionando pode ser avaliado como uma grave falha de segurança. Observou-se ainda, que os pedestres não costumam identificar sua aproximação, o que aumenta o risco de colisões com os mesmos, especialmente quando o carro se aproxima vindo por trás. A solução para essa inesperada falha já foi adotada por alguns desenvolvedores: instalar sons que emulam os de um motor convencional (Revista Quatro Rodas, 2011). 3.2 Falhas de Design do Veículo: Critérios de Usabilidade 6

7 A usabilidade de um veículo diz respeito a quão fáceis de operar são seus comandos de direção, em especial de itens como pedais, volante, painel, retrovisores, etc. Neste item foram classificadas falhas que dificultam a direção do veiculo, sem contudo gerar riscos consideráveis de acidentes, conforme Tabela 2 a seguir. Tabela 2: Análise das falhas de Usabilidade. Falha Recomendações 9 A luz do pisca traseiro (tanto da esquerda quanto da direita) é a mesma do freio (um pequeno farol vermelho). 10- O giroflex (sinal luminoso girador) não apresenta qualquer utilidade., uma vez que o carro nunca é usado a noite. Seu uso poderia ser configurável, pois ele consome energia. 11- Basculante não oferece um bom ângulo de inclinação: aproximadamente 25o graus, quando 60 graus seria o adequado. Assim torna-se necessário remover carga, como grama, com as mãos. Obs.: O suporte para reboque impede uma inclinação maior, e esse suporte jamais foi usado pois não há carrinhos de reboque Falta um suporte para os pés e mãos, nas laterais e na traseira do carro, para ajudar a subir na carroceria Falta espaço apropriado para transportar instrumentos de jardinagem na carroceria Falta ganchos para ajudar a amarrar a carga com cordas Para regular a água nas baterias, (o que é feito quinzenalmente), é preciso desmontar e remover os assentos da cabine para manusear as baterias embaixo dele 16 - O pedal de segurança teve sua utilidade fortemente questionada (considerado item morto ), e demanda muita atenção e tensão muscular do motorista. 17 Falta bancos e alças de segurança para as pessoas sentarem na carroceria. É inevitável que alguns trabalhadores viagem na carroceria, por isso torna-se necessário garantir um mínimo de segurança para tal. Ajustar, de acordo com padrão de carros comuns. Torná-lo passível de ser desligado. Ajustes necessários no design do carro para inserção de um basculante eficiente se necessários. fazem Inserção do suporte, para facilitar uso inevitável da carroceria para transportar pessoal. Inserção de áreas e/ou amarras para esse transporte. Inserção torna-se indispensável para facilitar transportes de carga pesada. Novo design deve prever baterias apenas debaixo da carroceria. Rever utilidade efetiva desse pedal. Inserção desse itens, para facilitar uso inevitável da carroceria para transportar pessoal. 7

8 3.3 Problemas Posturais Decorrentes da Atividade de Trabalho do Motorista Para a avaliação dos Problemas Posturais decorrentes da atividade de trabalho do motorista do carro elétrico da UFSC, foi aplicado o método OWAS, para as atividades de dirigir e de carregamento de cargas, ao juntar as folhas para colocá-las no veículo, conforme demonstrado a seguir Postura assumida pelo motorista ao dirigir Figura 5: Postura assumida pelo motorista ao dirigir o carro elétrico. Esta postura ao dirigir explica-se pela falha ergonômica de segurança número 2 (ver Tabela 1). Caso tenha mais que 1,70m, para precisar desviar da tarje presente no parabrisa, o motorista precisa dirigir numa postura com a coluna encurvada. Em poucos meses no cargo, dores derivadas dessa má postura já foram experimentadas pelo motorista, segundo seu relato. Conforme o método OWAS, a postura é classificada como que requer necessidade de correção em um futuro próximo, como demonstrado na Figura 6, resultado de aplicação do protocolo OWAS para a tarefa de dirigir do motorista do carro elétrico da UFSC. 8

9 Figura 6: Tela de avaliação OWAS para a tarefa Dirigir. Fonte: Software Ergolândia (2011) Torna-se necessário destacar ainda que a postura ao dirigir é consideravelmente prejudicada pelo trepidar da direção: o motorista força ainda mais a coluna na contingência do carro tremer durante a direção. Fato este enfatizado na entrevista com o motorista do carro, que relatou desconforto no uso do veículo avaliado, especialmente dores na parte superior da coluna e ombros, devido principalmente a exigência da postura estática e curvada ao dirigir Postura assumida pelo motorista na atividade de carregamento de cargas Figura 7: Postura assumida pelo motorista ao pegar folhas (carga).. 9

10 A postura mostrada na Figura 7 evidencia a necessidade do uso de instrumentos por parte do motorista quando esse assume o papel de carregador de carga. Em especial, instrumentos para jardinagem se fazem necessários, uma vez que boa parte da carga transportada no veículo é oriunda dessa atividade. Em termos de avaliação postural, segundo o método OWAS essa atividade é categorizada demandando correções imediatas, dada sua gravidade, o que pode ser observado na Figura 8 pelo resultado de aplicação do protocolo OWAS para a tarefa de juntar carga (folhas) no chão. Figura 8: Tela de avaliação OWAS para a tarefa Juntar Carga do Chão. Fonte: Software Ergolândia (2011) 4 Discussão dos Resultados Através da presente avaliação ergonômica ficou evidente que a hipótese de que o Carro Elétrico teria diversas melhorias em relação ao veículo a diesel substituído estava errada. Considerando que apesar do avanço em termos ecológicos, a fonte de energia não-poluente, o modelo 3 do Carro Elétrico da UFSC apresentou diversas falhas em outros quesitos, principalmente os relacionados aos critérios de segurança e usabilidade identificados a partir da avaliação ergonômica realizada neste estudo de caso. Apesar de pontuar mais em quesitos ambientais, o produto estudado falha em representar uma indústria sustentável por aspectos sociais: o motorista, bem como o pedestres, encontram-se expostos a numerosos riscos, devido as falhas ergonômicas do modelo. A avaliação subjetiva pela qual o carro elétrico da UFSC é de um modo geral superior ao seu antecessor parece conter uma falha explicável pelo efeito Halo (Nisbett, 1977), pelo qual a avaliação de um aspecto como positivo pode interferir 10

11 na avaliação de outros aspectos do mesmo item. Em outras palavras: por julgar que o carro elétrico era superior em termos de fonte de energia, presumiu-se erroneamente que ele era superior de um modo geral, isto é, em todos os quesitos, incluindo os ergonômicos. A avaliação apurada, contudo, contrariou esse julgamento enviesado. A avaliação ergonômica empreendida ainda aponta para outras melhorias necessárias, dentre elas a de instrumentos para jardinagem pensados para uso do motorista e outros trabalhadores, evitando assim a postura classificada pelo método OWAS como que demanda correção imediata. A carroceria é a área do veículo que condensa a maior quantidade de falhas: demanda assentos visando o transporte de trabalhadores, visto que essa situação é corriqueira e inevitável nas atividades executadas; requer ganchos para facilitar o transporte de cargas com cordas; espaço apropriado para transporte de instrumentos de jardinagem; um suporte para auxiliar pessoas a subir e descer da mesma; entre outras. Sobre a cabine, por sua vez, observou-se que se fosse adequada segundo critérios antropométricos a postura do motorista não seria tão comprometida ao dirigir. Além do conforto do motorista, falhas a respeito dos retrovisores, ajustes do banco e design do parabrisa determinam problemas de segurança que acarretam risco tanto ao motorista quanto aos pedestres do campus da UFSC, conforme demonstrado pela Tabela 1 apresentada acima. 5 Conclusão Este estudo de caso demonstra a necessidade de se levar em conta, no projeto de produtos sustentáveis, critérios ergonômicos e de usabilidade, indo além das questões técnicoambientais como a fonte de energia. Mesmo que os novos produtos tenham tecnologia superior, tal qual uma fonte de energia limpa, como é o presente caso, é ainda necessário o cuidado ergonômico para com seu uso bem adaptado ao ser humano, no sentido de tornar seu uso mais eficiente e seu impacto social o mais positivo possível. Através da presente análise dos critérios ergonômicos do modelo 3 do carro elétrico da UFSC constatou-se a grande quantidade de falhas de segurança e usabilidade, que implicam inclusive em riscos à saúde e integridade do motorista e pedestres, tal como foi constatado através da aplicação do método OWAS utilizado para avaliação postural da atividade de trabalo do motorista do carro elétrico. Conclui-se que são necessárias medidas de correção do carro elétrico avaliado, ou até mesmo a concepção de um novo modelo adaptado às condições psicofisiológicas do motorista, e considerando principalmente a atividade real empreendida pelo motorista, critérios negligenciados pelo produto utilizado atualmente no campus da UFSC. Referências ALVARENGA, Idelfonso. Análise Ergonômica: Aplicação do Método OWAS em uma plataforma da Bacia de Campo. XVII Simpósio de Engenharia e Produção, São Paulo,

12 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 9241/11. Rio de Janeiro AUTOMOTIVEBUSINESS CANAL YOUTUBE. GM: carro elétrico chegará ao Brasil mais rápido do que o esperado, por Giovanna Riato. Disponível em: Acesso em 10 mai BLOGMAIL. Carro elétrico Volvo em Disponível em em 10 mai DW-WORLD.DE Alemães testam viabilidade de carro elétrico no dia a dia. Disponível em: Acesso em 10 mai ESPAÇO ECOLÓGICO. Correios e CPF lançam o protótipo do carro elétrico para entrega de cartas. Disponível em: 8&Itemid=46 Acesso em 10 mai GIZMODO. Carro elétrico da Audi faz "barulho de eletrodoméstico", no Brasil em Disponível em: em 10 mai IIDA, I. Ergonomia: Projeto e Produção. 2ed. São Paulo: Edgard Blücher, JORDAN, P. W. An Introduction to Usability. Londres: Taylor & Francis, NISBETT, Richard & WILSON, Timothy D. The halo effect: Evidence for unconscious alteration of judgments. Journal of Personality and Social Psychology, Vol 35(4), Apr 1977, doi: / OWAS - MANUAL OVAKO WORKING ANALYZING SYSTEM. Helsinki: Finnish Institute of Occupational Health, RAMOS, L.P.; DOMINGOS, A.K.; KUCEK, K.T.; WILHELM, H.M. Biodiesel: um projeto de sustentabilidade econômica e sócio-ambiental para o Brasil. Biotecnologia: Ciência e Desenvolvimento, v.31, p.28-37, 2003 REVISTA QUATRO RODAS. Carro Elétrico: Impressão ao Dirigir. Disponível em : Acesso em 10 mai SANTOS, Gustavo Antônio Galvão. Carro elétrico, a revolução geopolítica e econômica do século XXI e o desenvolvimento do Brasil. Revista Oikos, Volume 8, n. 2, SANTOS, N. & FIALHO, F. A. P., Manual de Análise Ergonômica no Trabalho. Curitiba: Gênesis Editora, 2 ª Ed.,

13 SOFTWARE ERGOLÂNDIA. FBFISISTEMAS. Acessado em 9 maio de

AVALIAÇÃO ERGONÔMICA: APLICAÇÃO DO MÉTODO OWAS EM UMA LOJA DE CALÇADOS

AVALIAÇÃO ERGONÔMICA: APLICAÇÃO DO MÉTODO OWAS EM UMA LOJA DE CALÇADOS AVALIAÇÃO ERGONÔMICA: APLICAÇÃO DO MÉTODO OWAS EM UMA LOJA DE CALÇADOS Mariana de Barros Cruz Pereira Mota (UCAM) marianamota01@hotmail.com Mayara Ribeiro Castilho (UCAM) mayararc2005@hotmail.com Leandro

Leia mais

Global Training. The finest automotive learning

Global Training. The finest automotive learning Global Training. The finest automotive learning Cuidar da saúde com PREFÁCIO O Manual de Ergonomia para o Motorista que você tem em agora em mãos, é parte de um programa da Mercedes-Benz do Brasil para

Leia mais

O Dimensionamento do Centro de Produção

O Dimensionamento do Centro de Produção O Dimensionamento do Centro de Produção (posto de trabalho) ANTROPOMETRIA estudo e sistematização das medidas físicas do corpo humano. ANTROPOMETRIA ESTÁTICA - refere-se a medidas gerais de segmentos corporais,

Leia mais

XVII COBREAP CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA DE AVALIAÇÕES E PERÍCIAS IBAPE/SC - 2013 AIRBAG

XVII COBREAP CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA DE AVALIAÇÕES E PERÍCIAS IBAPE/SC - 2013 AIRBAG XVII COBREAP CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA DE AVALIAÇÕES E PERÍCIAS IBAPE/SC - 2013 AIRBAG MITO OU REALIDADE Resumo O presente trabalho tem a finalidade de mostrar um laudo técnico em que a ocorrência

Leia mais

ANÁLISE ERGONÔMICA POSTURAL DO POSTO DE TRABALHO DE SERVENTE EM OBRAS DE SORRISO - MT

ANÁLISE ERGONÔMICA POSTURAL DO POSTO DE TRABALHO DE SERVENTE EM OBRAS DE SORRISO - MT ANÁLISE ERGONÔMICA POSTURAL DO POSTO DE TRABALHO DE SERVENTE EM OBRAS DE SORRISO - MT ALMEIDA, Renan Souza de Almeida Engenheiro Civil Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT) Aluno de pós graduação

Leia mais

A SUA EMPILHADEIRA NO TAMANHO IDEAL

A SUA EMPILHADEIRA NO TAMANHO IDEAL A SUA EMPILHADEIRA NO TAMANHO IDEAL 0325-folheto H50CT 26-11-11.pmd 1 NOVA HYSTER H50CT: EMPILHADEIRA CONTRABALANÇADA COM OPERADOR SENTADO A H50CT é nova em tudo, do seu projeto inovador às suas características

Leia mais

HYSTER H1.8-50CT FABRICADAS NO BRASIL EMPILHADEIRAS NOS TAMANHOS E CAPACIDADES IDEAIS

HYSTER H1.8-50CT FABRICADAS NO BRASIL EMPILHADEIRAS NOS TAMANHOS E CAPACIDADES IDEAIS HYSTER H1.8-50CT FABRICADAS NO BRASIL EMPILHADEIRAS NOS TAMANHOS E CAPACIDADES IDEAIS NOVA HYSTER CT: EMPILHADEIRA CONTRABALANÇADA COM OPERADOR SENTADO A CT é nova em tudo, do seu projeto inovador às suas

Leia mais

Rampa Automatizada. Prêmio GLP - Inovação. Categoria Saúde Ocupacional 11/08/2014. Participantes da Ultragaz. Base Paulínia

Rampa Automatizada. Prêmio GLP - Inovação. Categoria Saúde Ocupacional 11/08/2014. Participantes da Ultragaz. Base Paulínia Rampa Automatizada Prêmio GLP - Inovação Categoria Saúde Ocupacional 11/08/2014 Participantes da Ultragaz Base Paulínia Joleandro Nelson de Sousa Ricardo Junior Oliveira Fabio Oliveira da Silva Samantha

Leia mais

O modelo da foto pode conter equipamentos opcionais.

O modelo da foto pode conter equipamentos opcionais. GARFO (Comprimento X Largura X Bitola) (mm): 100D7: 1.200 X 200 X 70 / 1.500 X 200 X 75 / 1.650 X 200 X 75 1.800 X 200 X 75 / 2.100 X 200 X 75 / 2.400 X 200 X 75 120D7: 1.200 X 200 X 75 / 1.500 X 200 X

Leia mais

Posto de Trabalho Ergonomia 5

Posto de Trabalho Ergonomia 5 Posto de Trabalho Ergonomia 5 CONCEITO Por Posto de Trabalho entendemos um local no qual um trabalhador desenvolve suas atividades. Para tanto, informações chegam ao posto, bem como partem dele. É do posto

Leia mais

Instruções de montagem do Elevador de Pacientes HL4020

Instruções de montagem do Elevador de Pacientes HL4020 1 Instruções de montagem do Elevador de Pacientes HL4020 O Elevador de paciente é desenhado para que os assistentes dos pacientes possam transferi-los ergonomicamente. Ele ajuda a evitar acidentes que

Leia mais

HELI. MOTOR COM POTÊNCIA PARA 5-10t CPCD50 CPCD60 CPCD70 CPCD80 CPCD100

HELI. MOTOR COM POTÊNCIA PARA 5-10t CPCD50 CPCD60 CPCD70 CPCD80 CPCD100 HELI MOTOR COM POTÊNCIA PARA 5-10t Painel de Instrumentos Digital Limpo e fácil de ler Leitura instantânea ao ligar Layout ergonômico CPCD50 CPCD60 CPCD70 CPCD80 CPCD100 Torre de ampla visão As empilhadeiras

Leia mais

Avaliação ergonômica dos postos de trabalho dos funcionários de uma lavanderia industrial área industrial

Avaliação ergonômica dos postos de trabalho dos funcionários de uma lavanderia industrial área industrial Avaliação ergonômica dos postos de trabalho dos funcionários de uma lavanderia industrial área industrial Paolo Cinque Pequini (Faculdade Área 1) ppeqhini@cpunet.com.br Carlos Brasileiro (Faculdade Área

Leia mais

Márcia de Matos, Acadêmica Ana Regina de Aguiar Dutra, Dra. INTRODUÇÃO

Márcia de Matos, Acadêmica Ana Regina de Aguiar Dutra, Dra. INTRODUÇÃO PROJETO DE UMA FERRAMENTA PARA A COLETA E TRANSPORTE DE LIXO A SER UTILIZADA PELOS GARIS NOS MORROS DE FLORIANÓPOLIS, A PARTIR DAS METODOLOGIAS ERGONÔMICAS E DE DESENVOLVIMENTO DE PRODUTO. Márcia de Matos,

Leia mais

302.2D. Miniescavadora hidráulica. Motor Potência bruta (ISO 14396) 17,9 kw 24,3 hp

302.2D. Miniescavadora hidráulica. Motor Potência bruta (ISO 14396) 17,9 kw 24,3 hp 302.2D Miniescavadora hidráulica Motor Potência bruta (ISO 14396) 17,9 kw 24,3 hp Pesos Peso em operação com cabina 2135 kg 4707 lb Peso em operação com tejadilho 2025 kg 4464 lb Flexibilidade e eficiência

Leia mais

O que é o Direção Positiva?

O que é o Direção Positiva? Abril - 2014 1 2 O que é o Direção Positiva? O novo projeto da Sirtec busca conscientizar os colaboradores sobre a importância das medidas preventivas no trânsito. Objetivos: Contribuir com a redução dos

Leia mais

LUCIANO JOSÉ PELOGIA FREZATTI

LUCIANO JOSÉ PELOGIA FREZATTI LUCIANO JOSÉ PELOGIA FREZATTI LEVANTAMENTO E TRANSPORTE DE CARGAS Posição vertical: Dotar o posto de trabalho com regulagem de altura; Suporte para peças; Considerar dados antropométricos, na dúvida colocar

Leia mais

Viewpoint: perspectives on modern mining. 2007 Caterpillar Inc. www.cat.com/viewpoint. A publication of Caterpillar Global Mining

Viewpoint: perspectives on modern mining. 2007 Caterpillar Inc. www.cat.com/viewpoint. A publication of Caterpillar Global Mining 2007: issue 1 A publication of Caterpillar Global Mining Vendo claramente: melhorar a visibilidade significa locais de mineração mais seguros Quando você está operando algumas das maiores máquinas do mundo

Leia mais

TS-300BR. ( TRANSPORTADOR: VOLVO VM 6x4R 260) 4 seções, 10,0 m ~ 32,2 m DIMENSÕES GERAIS

TS-300BR. ( TRANSPORTADOR: VOLVO VM 6x4R 260) 4 seções, 10,0 m ~ 32,2 m DIMENSÕES GERAIS TDB GUINDASTE HIDRÁULICO SOBRE RODAS CATÁLOGO DE ESPECIFICAÇÕES N TS-300BR-1(VM6x4) TS-300BR ( TRANSPORTADOR: VOLVO VM 6x4R 260) DADOS GERAIS CAPACIDADE DO GUINDASTE 30.000 kg à 2,5 m LANÇA 4 seções, 10,0

Leia mais

CAMINHÃO MERCEDES-BENZ 1720 A UM 4x4 FORA DE ESTRADA MILITARIZADO

CAMINHÃO MERCEDES-BENZ 1720 A UM 4x4 FORA DE ESTRADA MILITARIZADO CAMINHÃO MERCEDES-BENZ 1720 A UM 4x4 FORA DE ESTRADA MILITARIZADO O mais novo caminhão militar brasileiro é o Mercedes-Benz 1720 A, versão militarizada do modelo civil recentemente lançado no Brasil. O

Leia mais

ANÁLISE ERGONÔMICA POSTURAL DO POSTO DE TRABALHO DO SERVENTE NA CONSTRUÇÃO CIVIL

ANÁLISE ERGONÔMICA POSTURAL DO POSTO DE TRABALHO DO SERVENTE NA CONSTRUÇÃO CIVIL ISSN 1984-9354 ANÁLISE ERGONÔMICA POSTURAL DO POSTO DE TRABALHO DO SERVENTE NA CONSTRUÇÃO CIVIL Fernando Onuka (UTFPR) Daniel da Fonseca Arantes (UTFPR) Fernando Cunha De Andrade (UTFPR) Rodrigo Eduardo

Leia mais

Linha de MOVIMENTAÇÃO

Linha de MOVIMENTAÇÃO Linha de MOVIMENTAÇÃO 2010 Empilhadeira Elétrica MEE 1.5 Ton MEE 2.0 Ton As Empilhadeiras Elétricas Menegotti são totalmente automatizadas, possuem controles de velocidade para deslocamento do equipamento

Leia mais

Regras de Trânsito do Japão

Regras de Trânsito do Japão Regras de Trânsito do Japão (Versão para pedestres e bicicletas) ~ Para não sofrer acidentes de trânsito ~ Supervisão: Polícia da Província de Gifu Edição / Publicação: Província de Gifu Regras básicas

Leia mais

CINTO DE SEGURANÇA. Engº MARCUS ROMARO, MSc Consultoria Automotiva Fone: (19) 9654.8013 E-Mail: mr.romaro@gmail.com

CINTO DE SEGURANÇA. Engº MARCUS ROMARO, MSc Consultoria Automotiva Fone: (19) 9654.8013 E-Mail: mr.romaro@gmail.com CINTO DE SEGURANÇA SEGURANÇA VEICULAR Durante muito tempo, Segurança e Automóvel não eram considerados parceiros Consumidores, vendedores e usuários não se lembravam disto na ocasião da compra de um veículo

Leia mais

7.1 Análise dos dados da entrevista com os trabalhadores

7.1 Análise dos dados da entrevista com os trabalhadores 7. DISCUSSÃO DOS RESULTADOS 281 7.1 Análise dos dados da entrevista com os trabalhadores De acordo com os dados coletados na pesquisa de campo, por meio de entrevista, a idade dominante dos trabalhadores

Leia mais

EMPILHADEIRAS HYUNDAI À DIESEL

EMPILHADEIRAS HYUNDAI À DIESEL GARFO (Comprimento X Largura x Bitola) (mm) HDF50-7S (TIPO EIXO - TIPO GANCHO) - 1.350 X 150 X 60-1.500 X 150 X 60-1.800 X 150 X 60-2.000 X 150 X 60-2.400 X 150 X 60 HDF70-7S (TIPO EIXO) - 1,350 X 180

Leia mais

PeçaChevrolet Catálogo de peças genuínas Chevrolet para consultas e compras online

PeçaChevrolet Catálogo de peças genuínas Chevrolet para consultas e compras online PeçaChevrolet Catálogo de peças genuínas Chevrolet para consultas e compras online O novo produto PeçaChevrolet é um catálogo eletrônico de peças indicado para utilização de oficinas e reparadores independentes

Leia mais

Freios ABS SISTEMA DE FREIO ABS. HISTÓRIA DO sistema DE FREIO ABS. FUNCIONAMENTO DO sistema DE FREIO ABS

Freios ABS SISTEMA DE FREIO ABS. HISTÓRIA DO sistema DE FREIO ABS. FUNCIONAMENTO DO sistema DE FREIO ABS Freios ABS SISTEMA DE FREIO ABS Um veículo equipado com um sistema de freios convencionais, durante uma situação dedesaceleração de emergência, produzirá marcas de frenagem sobre a pista. Conhecendo o

Leia mais

Fazer as costelas de vários mini saltos, pular em uma e quando cair pular em outra e assim em diante.

Fazer as costelas de vários mini saltos, pular em uma e quando cair pular em outra e assim em diante. Concentração e Atenção são as palavras chaves para uma pilotagem segura. Embora tenham a moto adequada, muitos pilotos apresentam deficiências, especialmente de postura, na hora de frenagem e na escolha

Leia mais

(19) 3541-2000 - contato@dispelempilhadeiras.com.br www.dispelempilhadeiras.com.br

(19) 3541-2000 - contato@dispelempilhadeiras.com.br www.dispelempilhadeiras.com.br CE CERTIFICADO EMPILHADEIRAS A transmissão 2-3 T possui estrutura avançada tipo flutuante, a única na China. Estruturas flutuantes são projetadas para reduzir a transmissão das vibrações ao chassis em

Leia mais

Manual de Operação e Manutenção ADVERTÊNCIA

Manual de Operação e Manutenção ADVERTÊNCIA Manual de Operação e Manutenção LG958L/LG959 ADVERTÊNCIA Os operadores e o pessoal de manutenção devem ler este manual com cuidado e entender as instruções antes de usar a carregadeira de rodas, para evitar

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA EM PERNAMBUCO. PORTARIA MPF/PRPE/C. Adm./033, DE 17 DE MARÇO DE 2014

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA EM PERNAMBUCO. PORTARIA MPF/PRPE/C. Adm./033, DE 17 DE MARÇO DE 2014 MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA EM PERNAMBUCO PORTARIA MPF/PRPE/C. Adm./033, DE 17 DE MARÇO DE 2014 O CHEFE ADMINISTRATIVO DA PROCURADORIA DA REPÚBLICA EM PERNAMBUCO, no uso de suas

Leia mais

Instruções Gerais de Segurança

Instruções Gerais de Segurança Instruções Gerais de Segurança Colocar seu triangulo de segurança em local visível, em distancia segura do carro. Puxar o freio de mão, em caso de carro automático selecionar a posição de estacionar, em

Leia mais

MARCOPOLO LANÇA NOVO ÔNIBUS VIALE BRT, O MAIS AVANÇADO PRODUZIDO NO BRASIL. Veículo utiliza conceitos inéditos de design, conforto e eficiência

MARCOPOLO LANÇA NOVO ÔNIBUS VIALE BRT, O MAIS AVANÇADO PRODUZIDO NO BRASIL. Veículo utiliza conceitos inéditos de design, conforto e eficiência MARCOPOLO LANÇA NOVO ÔNIBUS VIALE BRT, O MAIS AVANÇADO PRODUZIDO NO BRASIL Veículo utiliza conceitos inéditos de design, conforto e eficiência A Marcopolo lança o seu mais novo e moderno ônibus urbano,

Leia mais

Trator de Rodas Derrubador-Amontoador

Trator de Rodas Derrubador-Amontoador 553 563 573 Trator de Rodas Derrubador-Amontoador 553 563 573 Motor Motor CAT C6.6 ACERT Motor CAT C7 ACERT Motor CAT C7 ACERT Comp. Classe III Comp. Classe III Comp. Classe III Potência Bruta 129 kw (173

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO TALHAS E TROLES MANUAIS

MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO TALHAS E TROLES MANUAIS MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO TALHAS E TROLES MANUAIS TALHAS ELÉTRICAS GUINCHOS DE ALAVANCA TALHAS COM ACIONAMENTO MANUAL 1) NORMAS UTILIZADAS: NBR 10401 e 10402 Especificação: Fixa as condições exigíveis

Leia mais

Prof. Gustavo Suriani de Campos Meireles, M.Sc.

Prof. Gustavo Suriani de Campos Meireles, M.Sc. Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Engenharia Curso de Graduação em Engenharia de Produção ENG 1090 Introdução à Engenharia de Produção Prof. Gustavo Suriani de Campos Meireles,

Leia mais

NR 11. E-Book. NR 11 Transporte, Movimentação, Armazenagem e Manuseio de Materiais. E-Book

NR 11. E-Book. NR 11 Transporte, Movimentação, Armazenagem e Manuseio de Materiais. E-Book Transporte, Movimentação, Armazenagem e Manuseio de Materiais Nós da DPS Consultoria e Assessoria em Segurança do Trabalho, queremos inicialmente manifestar nossa satisfação pelo seu interesse em nosso

Leia mais

TF-830 MOTOCICLETA. Leia cuidadosamente antes do uso

TF-830 MOTOCICLETA. Leia cuidadosamente antes do uso TF-830 MOTOCICLETA Leia cuidadosamente antes do uso Leia este manual cuidadosamente antes de usar este produto. O manual o informará como operar e montar o produto de uma forma correta para que nenhuma

Leia mais

VERSÃO 4X4 101-Catalogo Rav4_2011.indd 2-3 10/13/10 10:17:49 AM

VERSÃO 4X4 101-Catalogo Rav4_2011.indd 2-3 10/13/10 10:17:49 AM 101-Catalogo Rav4_2011.indd 1 10/13/10 10:17:45 AM VERSÃO 4X4 101-Catalogo Rav4_2011.indd 2-3 10/13/10 10:17:49 AM VERSÃO 4X2 VERSÃO 4X4 101-Catalogo Rav4_2011.indd 4-5 10/13/10 10:17:53 AM VERSÃO 4X4

Leia mais

História e evolução do Automóvel

História e evolução do Automóvel I Mostra de Carros Antigos SENAI Santo Amaro Mecânica Online Apresentação Tarcisio Dias História e evolução do Automóvel 125 anos de inovação Novembro - 2011 História e evolução do Automóvel Tarcisio Dias

Leia mais

EMPILHADEIRA COM PNEU INFLÁVEL

EMPILHADEIRA COM PNEU INFLÁVEL EMPILHADEIRA COM PNEU INFLÁVEL MODELOS COM PNEUS INFLÁVEIS DIESEL LP COM CAPACIDADE DE 10.000 A 15.000 KG POTÊNCIA E DESEMPENHO PARA TRANSPORTES LONGOS. DESEMPENHO ESPERADO. MOTOR TURBO POTENTE PARA MÁXIMA

Leia mais

Varredoras-aspiradoras com condutor sentado KM 90/60 R P

Varredoras-aspiradoras com condutor sentado KM 90/60 R P Varredoras-aspiradoras com condutor sentado KM 90/60 R P "Duro com a sujidade - fácil de utilizar"varredora de condutor sentado cómoda e extremamente compacta, com fiável motor Honda a gasóleo para a limpeza

Leia mais

Introdução ao estudo dos tratores agrícolas

Introdução ao estudo dos tratores agrícolas Instituto de Tecnologia-Departamento de Engenharia IT 154 Motores e Tratores Introdução ao estudo dos tratores agrícolas Professor: Carlos Alberto Alves Varella Doutor em Engenharia Agrícola E-mail: varella.caa@gmail.com

Leia mais

USABILIDADE, DESIGN UNIVERSAL E ACESSIBILIDADE PARA PORTAIS WEB

USABILIDADE, DESIGN UNIVERSAL E ACESSIBILIDADE PARA PORTAIS WEB USABILIDADE, DESIGN UNIVERSAL E ACESSIBILIDADE PARA PORTAIS WEB Adans Schopp dos Santos 1 Daniele Pinto Andres 2 RESUMO Este artigo procura abordar as principais características relacionadas a Portais

Leia mais

DEFINIÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS E DOS DESAFIOS DO TRANSPORTE URBANO DE CARGA.

DEFINIÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS E DOS DESAFIOS DO TRANSPORTE URBANO DE CARGA. DEFINIÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS E DOS DESAFIOS DO TRANSPORTE URBANO DE CARGA. Caro participante, Agradecemos a sua presença no III Megacity Logistics Workshop. Você é parte importante para o aprimoramento

Leia mais

FERRAMENTAS DE AVALIAÇÃO ERGONÔMICA EM ATIVIDADES AGRÍCOLAS: CONTRIBUIÇÃO NA QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO

FERRAMENTAS DE AVALIAÇÃO ERGONÔMICA EM ATIVIDADES AGRÍCOLAS: CONTRIBUIÇÃO NA QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO FERRAMENTAS DE AVALIAÇÃO ERGONÔMICA EM ATIVIDADES AGRÍCOLAS: CONTRIBUIÇÃO NA QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO Maria de Lourdes Santiago Luz Universidade Estadual de Maringá mlsluz@uem.br Syntia Lemos Cotrim

Leia mais

Aplicação da equação do NIOSH para uma análise ergonômica em um mercado hortifruti.

Aplicação da equação do NIOSH para uma análise ergonômica em um mercado hortifruti. Aplicação da equação do NIOSH para uma análise ergonômica em um mercado hortifruti. Luciana MENDONÇA 1 ; Marislaine COSTA 1 ; Poliane LOPES 1 ; Valdevan MORAIS 1 ; Wemerton LUIS 2. 1 Estudante de Engenharia

Leia mais

Fatores humanos na identificação de perigos e avaliação de riscos

Fatores humanos na identificação de perigos e avaliação de riscos Fatores humanos na identificação de perigos e avaliação de riscos Marcello Guimarães Couto, M.Sc. HGB Consultoria e Gestão Ltda. marcello@hgb.com.br mgcouto@gmail.com Resumo Este artigo aborda os novos

Leia mais

Limpeza e manutenção. Conheça a Minicadeira para Carro. Informações complementares

Limpeza e manutenção. Conheça a Minicadeira para Carro. Informações complementares Conheça a Minicadeira para Carro Tira de cinto de segurança para os ombros Tira de ajuste Guarde este manual de instruções para eventuais consultas. 2 Alça para carregar Botão de ajuste na alça Em todos

Leia mais

SISTEMA DE ILUMINAÇÂO E SINALIZAÇÂO DE VIATURAS MILITARES OPERACIONAS SISVIMIOP

SISTEMA DE ILUMINAÇÂO E SINALIZAÇÂO DE VIATURAS MILITARES OPERACIONAS SISVIMIOP SISTEMA DE ILUMINAÇÂO E SINALIZAÇÂO DE VIATURAS MILITARES OPERACIONAS SISVIMIOP Cel QEM Auto R/1 Carlos Roberto Gonçalves Tourinho magmec@magmec.com.br 1 1. Objetivo do documento Explicar como se constitui

Leia mais

Frotistas tecnologia 72

Frotistas tecnologia 72 tecno Frotistas 72 Por Luiz Carlos Beraldo Há opiniões controversas no mundo dos empresários brasileiros de transportes quando o assunto trata do futuro dos veículos comerciais. Alguns apostam que não

Leia mais

Análise ergonômica com a aplicação do método OWAS: Estudo de caso em uma indústria moveleira do centro-oeste do Paraná

Análise ergonômica com a aplicação do método OWAS: Estudo de caso em uma indústria moveleira do centro-oeste do Paraná Análise ergonômica com a aplicação do método OWAS: Estudo de caso em uma indústria moveleira do centro-oeste do Paraná Diego Aparecido da Silva 1 (UEM) diego.apo.silva@gmail.com Laurindo Otávio Gonçalves

Leia mais

VIDAL & SOHN TEMPO G 1200 O MAIS ESTRANHO DOS 4X4 NO EXÉRCITO BRASILEIRO

VIDAL & SOHN TEMPO G 1200 O MAIS ESTRANHO DOS 4X4 NO EXÉRCITO BRASILEIRO VIDAL & SOHN TEMPO G 1200 O MAIS ESTRANHO DOS 4X4 NO EXÉRCITO BRASILEIRO A motorização no Exército Brasileiro remonta ao início dos anos 20, recebendo veículos dos mais variados modelos, das mais variadas

Leia mais

Motocicleta Elétrica para Crianças TF-840

Motocicleta Elétrica para Crianças TF-840 Motocicleta Elétrica para Crianças TF-840 Manual para Instalação e Operação Design de simulação de motocicleta Funções para frente e para trás Função de reprodução de música na parte frontal O produto

Leia mais

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO 1 Definição ANEXO I (Incluído pela Portaria SIT n.º 15, de 03 de julho de 2007) ANEXO IV PLATAFORMAS DE TRABALHO AÉREO (Alterado

Leia mais

Aula 03 Antropometria Prof. Mario S. Ferreira Junho, 2013

Aula 03 Antropometria Prof. Mario S. Ferreira Junho, 2013 Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Curso de Especialização em Arquitetura da Habitação de Interesse Social ERGONOMIA E ACESSIBILIDADE Aplicada à

Leia mais

Análise de DORT na instalação de forros térmicos através da Análise Ergonômica do Trabalho

Análise de DORT na instalação de forros térmicos através da Análise Ergonômica do Trabalho Análise de DORT na instalação de forros térmicos através da Análise Ergonômica do Trabalho Lizandra Garcia Lupi Vergara (UTESC) lizandra@eps.ufsc.br Lúcia Lunelli (UTESC) lucialunelli@ig.com.br Wagner

Leia mais

As marcas registradas, patentes de desenhos e direitos autorais são de propriedade e licenciados pela Volvo Car Corporation. Licenciada: RASTAR (HK)

As marcas registradas, patentes de desenhos e direitos autorais são de propriedade e licenciados pela Volvo Car Corporation. Licenciada: RASTAR (HK) As marcas registradas, patentes de desenhos e direitos autorais são de propriedade e licenciados pela Volvo Car Corporation. Licenciada: RASTAR (HK) INDUSTRIAL COMPANY LIMITED Fabricante: FUJIAN XINGHUI

Leia mais

Resultados do teste com o ônibus elétrico na cidade do Rio de Janeiro.

Resultados do teste com o ônibus elétrico na cidade do Rio de Janeiro. Resultados do teste com o ônibus elétrico na cidade do Rio de Janeiro. Guilherme Wilson 1 ; Sérgio Peixoto dos Santos 2 ; Taisa Calvette 3 ; Richele Cabral 4 ; Christiane Chafim 5 ; Giselle Ribeiro 6 ;

Leia mais

Ergonomia Corpo com Saúde e Harmonia

Ergonomia Corpo com Saúde e Harmonia Ergonomia Corpo com Saúde e Harmonia Dr. Leandro Gomes Pistori Fisioterapeuta CREFITO-3 / 47741-F Fone: (16) 3371-4121 Dr. Paulo Fernando C. Rossi Fisioterapeuta CREFITO-3 / 65294 F Fone: (16) 3307-6555

Leia mais

Antropometria. A antropometria estuda as dimensões físicas e proporções do corpo humano.

Antropometria. A antropometria estuda as dimensões físicas e proporções do corpo humano. Antropometria A antropometria estuda as dimensões físicas e proporções do corpo humano.. O conhecimento dessas medidas e como saber usá-las é muito importante na determinação dos diversos aspectos relacionados

Leia mais

13. Desatenção e cansaço

13. Desatenção e cansaço 13. Desatenção e cansaço Aula Interdisciplinar Indicação: 6º ao 9º Ano do Ensino Fundamental Ilustração do manual de Direção Defensiva do DENATRAN O ato de dirigir um veículo requer atenção permanente.

Leia mais

Novo Mercedes-Benz Sprinter: mais tecnologia, conforto e capacidade de transporte

Novo Mercedes-Benz Sprinter: mais tecnologia, conforto e capacidade de transporte Sprinter Informação à Imprensa Novo Mercedes-Benz Sprinter: mais tecnologia, conforto e capacidade de transporte Data: 23 de outubro de 2011 Mercedes-Benz renova totalmente sua linha Sprinter de vans,

Leia mais

ANEXO VI ESPECIFICAÇÃO VEICULAR

ANEXO VI ESPECIFICAÇÃO VEICULAR ANEXO VI VEICULAR Para a prestação do serviço de Transporte Rodoviário Intermunicipal de Passageiros do, as operadoras deverão utilizar veículos adequados às especificações veiculares definidas neste Anexo.

Leia mais

FUNÇÃO FICHA DE SEGURANÇA EMPILHADORES DE GARFOS

FUNÇÃO FICHA DE SEGURANÇA EMPILHADORES DE GARFOS FICHA DE SEGURANÇA EMPILHADORES DE GARFOS Fonte: Acedido em http://saudeambiental13.blogspot.pt/ julho 2014 Legenda: 1. Chassis; 2. Contrapeso; 3. Eixo motriz; 4. Eixo de direção; 5. Mastro (que serve

Leia mais

Nunca use a empilhadeira se não tiver sido devidamente instruído e autorizado para usar esse tipo particular de empilhadeira.

Nunca use a empilhadeira se não tiver sido devidamente instruído e autorizado para usar esse tipo particular de empilhadeira. Nunca use a empilhadeira se não tiver sido devidamente instruído e autorizado para usar esse tipo particular de empilhadeira. Respeite a capacidade de carga da empilhadeira e de outras eventuais aparelhagens.

Leia mais

AULA 4: Força e Equilíbrio

AULA 4: Força e Equilíbrio COLÉGIO PEDRO II CAMPUS HUMAITÁ II PROJETO UERJ-ENEM/2014 Prof. Carlos Frederico (Fred) AULA 4: Força e Equilíbrio 1. (UERJ - 2005) Uma caixa está sendo puxada por um trabalhador, conforme mostra a figura

Leia mais

Engenharia de Tráfego. Prof. Heitor Vieira

Engenharia de Tráfego. Prof. Heitor Vieira Engenharia de Tráfego Prof. Heitor Vieira 1. INTRODUÇÃO A Engenharia de Tráfego é a parte da Engenharia de Transportes que trata de dos problemas de planejamento, operação e controle de tráfego. Tendo

Leia mais

ANEXO XI - PADRÃO TÉCNICO PARA VEÍCULO TÁXI ACESSÍVEL REQUISITOS MÍNIMOS BÁSICOS

ANEXO XI - PADRÃO TÉCNICO PARA VEÍCULO TÁXI ACESSÍVEL REQUISITOS MÍNIMOS BÁSICOS ANEXO XI - PADRÃO TÉCNICO PARA VEÍCULO TÁXI ACESSÍVEL 1. OBJETIVO REQUISITOS MÍNIMOS BÁSICOS Este documento tem como objetivo estabelecer as características básicas aplicáveis aos veículos produzidos para

Leia mais

ITENS DE SÉRIE NOVO GOL 1.0 TOTAL FLEX OPCIONAIS

ITENS DE SÉRIE NOVO GOL 1.0 TOTAL FLEX OPCIONAIS ITENS DE SÉRIE NOVO GOL 1.0 TOTAL FLEX Externos - Pára-choques na cor do veículo - Rodas de aço 13" com pneus 175/70R13 e supercalotas - Vidros verdes Internos - Apoios de cabeça traseiros (2) - Detalhes

Leia mais

O modelo da foto pode conter equipamentos opcionais.

O modelo da foto pode conter equipamentos opcionais. Contate o seu concessionário Hyundai para mais informações. O equipamento apresentado pode variar de acordo com normas internacionais. Todas as medidas em libras e polegadas estão arredondadas. Novo Conceito

Leia mais

REQUISITOS BÁSICOS PARA TÁXI ACESSÍVEL

REQUISITOS BÁSICOS PARA TÁXI ACESSÍVEL REQUISITOS BÁSICOS PARA TÁXI ACESSÍVEL 1. OBJETIVO...3 2. APRESENTAÇÃO DAS CARACTERÍSTICAS...3 3. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS...4 3.1 Características Gerais...4 3.2 Carroceria...4 4. ACESSIBILIDADE...8 4.1

Leia mais

Proposta Empresarial

Proposta Empresarial Proposta Empresarial NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS ANEXO V MÁQUINAS PARA PANIFICAÇÃO E CONFEITARIA 1. Este Anexo estabelece requisitos específicos de segurança para máquinas

Leia mais

DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES RELACIONADOS AO TRABALHO EM PROFISSIONAIS DA LIMPEZA

DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES RELACIONADOS AO TRABALHO EM PROFISSIONAIS DA LIMPEZA DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES RELACIONADOS AO TRABALHO EM PROFISSIONAIS DA LIMPEZA ROSEMARA SANTOS DENIZ AMARILLA (1), BRUNO BORSATTO (2), RODRIGO EDUARDO CATAI (3) (1) Mestrado em Engenharia Civil / UTFPR

Leia mais

Volvo Trucks. Driving Progress. novo Volvo VM. DISTRIBUIÇÃO 4x2R / 6x2R / 8x2R

Volvo Trucks. Driving Progress. novo Volvo VM. DISTRIBUIÇÃO 4x2R / 6x2R / 8x2R Volvo Trucks. Driving Progress novo Volvo VM DISTRIBUIÇÃO 4x2R / 6x2R / 8x2R Entregas garantidas e economia sempre. O novo Volvo VM é um caminhão semipesado, confortável, seguro e o mais econômico da categoria.

Leia mais

VERACITOR TM. Série GP-AK MAIOR PRODUTIVIDADE BAIXO CUSTO DE MANUTENÇÃO. Empilhadeiras com pneumáticos Capacidades: 1.500, 1.750 e 2.

VERACITOR TM. Série GP-AK MAIOR PRODUTIVIDADE BAIXO CUSTO DE MANUTENÇÃO. Empilhadeiras com pneumáticos Capacidades: 1.500, 1.750 e 2. VERACITOR TM Série GP-AK MAIOR PRODUTIVIDADE BAIXO CUSTO DE MANUTENÇÃO Empilhadeiras com pneumáticos Capacidades: 1.500, 1.750 e 2.000 Kg TM VERACITOR Série GP-AK: a melhor solução para o seu negócio A

Leia mais

Treinamento Básico de segurança para Operadores de Empilhadeira.

Treinamento Básico de segurança para Operadores de Empilhadeira. Treinamento Básico de segurança para Operadores de Empilhadeira. 1 OBJETIVO: Definir requisitos mínimos para: Operação; Inspeção; Qualificação do operador. 2 INTRODUÇÃO GENERALIDADES Existem basicamente

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 630, DE 2015 (Do Sr. Hildo Rocha)

PROJETO DE LEI N.º 630, DE 2015 (Do Sr. Hildo Rocha) *C0051829A* C0051829A CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 630, DE 2015 (Do Sr. Hildo Rocha) Acrescenta dispositivo ao art. 105 da Lei nº 9.503, de 1997, que institui o Código de Trânsito Brasileiro,

Leia mais

PRODUTO ERGONOMICO PARA PORTADOR DE PARALISIA CEREBRAL

PRODUTO ERGONOMICO PARA PORTADOR DE PARALISIA CEREBRAL PRODUTO ERGONOMICO PARA PORTADOR DE PARALISIA CEREBRAL Área Temática: Tecnologia e Produção Rosimeiri Naomi Nagamatsu (Coordenador da Ação de Extensão ou Ensino) Rosimeiri Naomi Nagamatsu 1 Josiany Oenning

Leia mais

Uma análise ergonômica de levantamento de cargas utilizando o método NIOSH

Uma análise ergonômica de levantamento de cargas utilizando o método NIOSH Uma análise ergonômica de levantamento de cargas utilizando o método NIOSH João Antônio de Castro FERNANDES¹; Wemerton Luís EVANGELISTA² ¹ Aluno do curso de Engenharia de Produção do IFMG campus Bambuí

Leia mais

Volvo HÍBRIDO. Ônibus HÍBRIDO TECNOLOGIA, ECONOMIA E RESPEITO AO MEIO AMBIENTE

Volvo HÍBRIDO. Ônibus HÍBRIDO TECNOLOGIA, ECONOMIA E RESPEITO AO MEIO AMBIENTE Volvo HÍBRIDO Ônibus HÍBRIDO TECNOLOGIA, ECONOMIA E RESPEITO AO MEIO AMBIENTE O DESAFIO VERDE O cuidado com o meio ambiente está no centro das discussões da agenda social em todo o mundo. Cada vez mais,

Leia mais

Dicas para segurança. no trânsito. realização. apoio

Dicas para segurança. no trânsito. realização. apoio Dicas para segurança no trânsito realização apoio 1 Dicas de viagem segura. Viajar sozinho ou com toda a família requer certas responsabilidades. Aqui você encontrará várias recomendações para uma viagem

Leia mais

Instruções para Implementadores Volvo Truck Corporation

Instruções para Implementadores Volvo Truck Corporation Instruções para Implementadores Volvo Truck Corporation Características Construtivas Tomada de Força VM Contents Generalidades, página 2 Tomada de força montada na caixa de mudanças, página 2 Tomada de

Leia mais

LISTA DE TABELAS LISTA DE QUADROS

LISTA DE TABELAS LISTA DE QUADROS x LISTA DE TABELAS Tabela 1 Distribuição dos acidentes segundo o agente da lesão... 12 Tabela 2 Dispêndio segundo a importância da carga deslocada, erguida ou subida (kcal/min)... 166 Tabela 3 Avaliação

Leia mais

Tipos de tratores agrícolas

Tipos de tratores agrícolas Tratores Agrícolas Tipos de tratores agrícolas Tratores agrícolas São máquinas projetadas para tracionar, transportar e fornecer potência para máquinas e implementos agrícolas. O desenvolvimento de tratores

Leia mais

Volvo Trucks. Driving Progress. Novo Volvo VM. VOCACIONAL 6x4R / 8x4R

Volvo Trucks. Driving Progress. Novo Volvo VM. VOCACIONAL 6x4R / 8x4R Volvo Trucks. Driving Progress Novo Volvo VM VOCACIONAL 6x4R / 8x4R Força e capacidade acima da sua meta. O novo Volvo VM é um caminhão semipesado, confortável, seguro e o mais econômico da categoria.

Leia mais

Emissões e Consumo do Veículo Convencional e VEH: Resultados Medidos

Emissões e Consumo do Veículo Convencional e VEH: Resultados Medidos Emissões e Consumo do Veículo Convencional e VEH: Resultados Medidos Suzana Kahn Ribeiro Programa de Engenharia de Transportes COPPE/UFRJ IVIG Instituto Virtual Internacional de Mudanças Climáticas Estrutura

Leia mais

Informativo de Assistência Técnica

Informativo de Assistência Técnica Prezado Instalador, O Fiat Stilo é um veículo com um grande volume de tecnologia eletrônica e a utilização de ferramental inadequado pode causar sérios danos ao sistema elétrico. IMPORTANTE: Antes de começar

Leia mais

Projeto e desenvolvimento de um simulador de dinâmica veicular com interface gráfica.

Projeto e desenvolvimento de um simulador de dinâmica veicular com interface gráfica. Projeto e desenvolvimento de um simulador de dinâmica veicular com interface gráfica. Virtual Car é um simulador de veículos de passeio/utilitários para validação e testes de componentes automotivos. A

Leia mais

www.peugeot.com.br/professional

www.peugeot.com.br/professional www.peugeot.com.br/professional Todos os veículos Peugeot estão de acordo com o PROCONVE, Programa de Controle de Poluição do Ar por Veículos Automotores. Colar etiqueta de identificação da Concessionária.

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 14/98. CONSIDERANDO o art. 105, do Código de Trânsito Brasileiro;

RESOLUÇÃO Nº 14/98. CONSIDERANDO o art. 105, do Código de Trânsito Brasileiro; RESOLUÇÃO Nº 14/98 Estabelece os equipamentos obrigatórios para a frota de veículos em circulação e dá outras providências. O Conselho Nacional de Trânsito CONTRAN, usando da competência que lhe confere

Leia mais

Análise de usabilidade de menus de navegação em portal com grande quantidade de informação e vários níveis hierárquicos

Análise de usabilidade de menus de navegação em portal com grande quantidade de informação e vários níveis hierárquicos Análise de usabilidade de menus de navegação em portal com grande quantidade de informação e vários níveis hierárquicos Marcia Maia Outubro/2007 Vamos ver nesta apresentação Análise de usabilidade de menus

Leia mais

ANEXO VI - MÁQUINAS PARA PANIFICAÇÃO E CONFEITARIA 1. Este Anexo estabelece requisitos específicos de segurança para máquinas de panificação e

ANEXO VI - MÁQUINAS PARA PANIFICAÇÃO E CONFEITARIA 1. Este Anexo estabelece requisitos específicos de segurança para máquinas de panificação e ANEXO VI - MÁQUINAS PARA PANIFICAÇÃO E CONFEITARIA 1. Este Anexo estabelece requisitos específicos de segurança para máquinas de panificação e confeitaria, a saber: amassadeiras, batedeiras, cilindros,

Leia mais

Análise das queixas dolorosas para adaptação do método de avaliação ergonômica

Análise das queixas dolorosas para adaptação do método de avaliação ergonômica Análise das queixas dolorosas para adaptação do método de avaliação ergonômica Fabiano Takeda 1 (UTFPR) takeda.f@bol.com.br Claudilaine Caldas de Oliveira 2 (UTFPR) clau_epa@yahoo.com.br Antonio Augusto

Leia mais

ASSISTÊNCIA TÉCNICA TABELA DE TEMPOS VEÍCULOS LINHA LEVE

ASSISTÊNCIA TÉCNICA TABELA DE TEMPOS VEÍCULOS LINHA LEVE ASSISTÊNCIA TÉCNICA TABELA DE TEMPOS VEÍCULOS LINHA LEVE Na realização destes trabalhos foram utilizadas todas as ferramentas especiais e equipamentos recomendados pelo Departamento de Assistência Técnica

Leia mais

Simopeças Viaturas Limpeza Urbana, Lda

Simopeças Viaturas Limpeza Urbana, Lda Simopeças Viaturas Limpeza Urbana, Lda Viaturas Eléctricas MEGA E-Worker VANTA GE NS - Fiabilidade e Qualidade - Baixa manutenção - Sem emissões poluentes - Custos de operação MUITO reduzidos GAR ANTIA

Leia mais

Leia com atenção este termo de garantia, mantenha-o ao seu alcance e consulte-o sempre que surgir dúvidas. TERMO DE GARANTIA

Leia com atenção este termo de garantia, mantenha-o ao seu alcance e consulte-o sempre que surgir dúvidas. TERMO DE GARANTIA Leia com atenção este termo de garantia, mantenha-o ao seu alcance e consulte-o sempre que surgir dúvidas. TERMO DE GARANTIA A Maggion Inds. de Pneus e Máquinas Ltda. garante, por um período de 5 ( cinco

Leia mais

Identificando os tipos de fontes energéticas

Identificando os tipos de fontes energéticas Identificando os tipos de fontes energéticas Observe a figura abaixo. Nela estão contidos vários tipos de fontes de energia. Você conhece alguma delas? As fontes de energia podem ser renováveis ou não-renováveis,

Leia mais

NR 17 - ERGONOMIA. Portaria 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07

NR 17 - ERGONOMIA. Portaria 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07 NR 17 - ERGONOMIA Portaria 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07 Esta Norma Regulamentadora visa a estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas

Leia mais