Relatório National Retail Federation RETAIL S BIG SHOW

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatório National Retail Federation RETAIL S BIG SHOW"

Transcrição

1 Relatório National Retail Federation RETAIL S BIG SHOW 2010

2 Palestras Sumário Apresentação º dia º dia º dia º dia Considerações finais Anexo 1 Comparativo entre Legislações Trabalhistas Delegação Sistema Fecomércio SC - participantes Bruno Breithaupt - Presidente Sistema Fecomércio Diretores Fecomércio Célio Spagnoli Emílio Schramm Francisco Crestani Herton Scherer Laureci Volpato Manoel Coelho Orestes Vidal Marcos Arzua - Diretor Executivo Fecomércio Mábile Gatelli - Gerente de Planejamento Fecomércio Roberto Martins - Diretor Regional SESC SC Rudney Raulino - Diretor Regional Senac SC Ivan Luiz Ecco - Diretor da Divisão de Educação Profissional Senac Victor Hugo Baugarten - Analista de Formação Profissional 2

3 Apresentação: NRF National Retail Federation é o maior evento do varejo mundial. A Feira, que acontece em New York anualmente, este ano contou com um público de aproximadamente 15 mil pessoas, sendo que o público brasileiro obteve destaque, por representar uma das maiores delegações internacionais presentes. Onde: Jacob K. Javits Convention Center, New York City - USA. Room Special Events Hall O evento deste ano apresentou 44 palestras, sendo 8 Super Sessions, realizadas no pavilhão principal (foto acima). 3

4 1º dia 10 de janeiro de 2010 Um dos principais temas da NRF de 2010 foi o Design. A palestra The Power of Retail Design contou com a participação de 8 especialistas no assunto, que trouxeram os seus cases de sucesso e deram ao tema uma abordagem que vai muito além de uma loja bonita. O Design passou a ser visto como responsável por traduzir e expressar a estratégia de negócio da marca, como parte da sua identidade. Paul Lechleiter da FRCH Design Worldwide apresentou o case da marca Neutrogena, sobre o desafio de levar a marca para países como a China e Índia onde não era conhecida. Foi um exemplo de onde o design da loja teve papel fundamental no posicionamento da marca como Premium na categoria de Beauty care, além de ajudar no processo educacional no uso de produtos de tratamento de pele. As lojas Neutrogena nestes países, além do espaço para apresentação dos produtos, contam com uma importante área de atendimento de consultoras de beleza. Estes espaços precisam ser 4 Stephen Dubner

5 adequados as expectativas do cliente, de acordo com as características regionais. Freson Bros trata-se de uma pequena cadeia de supermercados, de origem familiar que decidiu levar para a loja aspectos que reforçam seu diferencial em relação às grandes redes. Assim como nos canais tradicionais do Brasil, que apostam no relacionamento pessoal, na Freson Bros os funcionários investem na relação mais pessoal, procuram conhecer seus clientes pelo nome. A primeira Super Session teve a participação de Stephen Dubner, jornalista e co-autor de Freakonomics e Super Freakonomics. Jill Puleri da IBM abriu a sessão, citando dados de pesquisa recente que mostra que o consumidor atual é inteligente e altamente conectado em redes sociais. Ressaltou que este novo consumidor está fortemente propenso a colaborar com o varejo e com as marcas. É perceptível que houve nos últimos anos um aumento considerável na capacidade de feedback destes consumidores. E cada vez mais se manifestam por meio dos canais web, especialmente agora pelas redes sociais. O lojista precisa estar consciente de que, ao disponibilizar este canal de comunicação a empresa precisa adotar uma postura extremamente ágil e flexível, caso contrário corre o risco de frustrar seus consumidores. Outro ponto discutido foi a crença entre os varejistas de que quanto mais opções oferecidas ao consumidor melhor. Um teste simples feito em uma mercearia em São Francisco (USA) coloca em cheque esta máxima. A loja ofereceu durante um período 20 sabores de um produto. Durante este período o numero de pessoas interagindo com a gôndola aumentou, no entanto, a conversão de compra foi baixa em comparação com o período em que a loja ofereceu apenas seis sabores do mesmo produto. Este é o paradoxo da opção. A experiência comprovou que, mais do que uma grande quantidade de opções, os consumidores esperam que a indústria e o varejo descubram o que eles querem e precisam. 5

6 A palestra da Deloitte manteve-se dentro do roteiro tradicional - listou os 250 maiores varejistas globais (com 3 brasileiras na lista, Pão de Açúcar, Casas Bahia e Lojas Americanas). Desenhou o cenário da economia para 2010, apontando as principais tendências do varejo, com destaque para as potências emergentes, especialmente o Brasil. A maioria das tendências é consequência da crise que ainda afeta fortemente mercados como os EUA e Europa Ocidental. A indicação é para que empresas americanas acelerarem seus planos para desembarcar em novos mercados, como o mercado brasileiro. Por outro lado, apontou a perspectiva de que marcas de países emergentes também devem decolar para outros países. Para ilustrar esta afirmação, Ira Kalish, da Deloitte, usou um slide da brasileira 'O Boticário'. Mais uma vez foi destaque a mudança dos consumidores, em busca de mais valor e a volta da polarização de mercado entre marcas Premium e as mais acessíveis, o que pode tornar a vida das marcas intermediárias mais difícil. Ira Kalish, da Deloitte Por fim, alertou os presentes da força crescente das redes sociais como canal de comunicação com os consumidores. Para ilustrar esta importância, vale dizer que nada menos que 6,6% da receita dos maiores varejistas globais veio de vendas efetuadas na rede. 6

7 2º dia 11 de janeiro de 2010 Super Session Recasting Retailing (Reformulação do Varejo) Marc Zandi, Allen Questrom e Howard Levine. A segunda Super Session abordou as novas regras da economia mundial no processo pós crise econômica. E de acordo com o novo contexto, as oportunidades foram outro tema importante debatido. Embora haja um otimismo maior por parte dos grandes varejistas, com relação ao mesmo período de 2009, é preciso estar atento e investir na busca pela eficiência do varejo. Duas formas de se fazer isto foram apontadas: procurar adequar melhor os produtos às necessidades dos clientes e aumentar o investimento em pesquisas. O desafio do último ano foi estabelecer um maior controle de inventário evitando situações de altos estoques que exigiriam redução de preço. A Family Dollar Stores aumentou seus investimentos em pesquisa de comportamento do consumidor para identificar as mudanças nos hábitos de compra. A partir dos resultados das pesquisas promoveu uma revisão de seu sortimento trazendo produtos relevantes para o shopper. As perspectivas para 2010 são conservadoras, embora otimista. O varejo começa a fazer projeções de crescimento razoável, considerando o momento pós crise. 7

8 A Terceira Super Session apresentou o case da Life is Good, que aposta na imagem da marca focada em simplicidade e otimismo. Um case de sucesso de uma marca que começou em 1994 com dois irmãos vendendo camisetas na rua e hoje vende mais de 4 milhões de camisetas por ano e expandiu seus pontos de venda para em todo o país. Bert Jacobs, fundador da Life is Good. Sustentabilidade no varejo foi o tema de mais uma palestra do segundo dia. Rollin Ford (Walmart) Matt Kistler (Walmart) 8

9 Liderando o movimento de varejo verde, o Walmart começa 2010 reforçando sua estratégia de sustentabilidade. As metas são agressivas: Ser 100% suprido por energia renovável; Desperdício zero; Vender produtos de empresas comprometidas com sustentabilidade. Para garantir sua estratégia o Walmart trabalha o que chama de Sustentabilidade 360º. Para avaliar seus fornecedores o Walmart esta criando o Sustainability Índex. Este índice considera as seguintes etapas: Origem da Matéria Prima; Processo de Fabricação; Processo de Distribuição; Uso do Produto / desperdício; Descarte (End of life). A partir deste índice o Walmart deverá selecionar os fornecedores que apresentarem maior engajamento com a proposta de varejo verde. Aproveitando a disseminação do pensamento estratégico, Matt Kistler afirma que não existe formula mágica e que realmente faz a diferença é ter toda a empresa comprometida com o projeto e metas claramente estabelecidas. Palestra: Acrescente isso à sua Marca Darren Marshall, VP Global Customer and Shopper Marketing, The Coca Cola Company Uma das últimas apresentações do dia, a palestra a Coca Cola abordou a forma como busca entender os diferentes consumidores e suas necessidades. Um método que vai muito além de estudar o perfil sócio demográfico do seu público, possibilita entender, de forma mais profunda, as ocasiões de compra e as respectivas motivações. Com este foco, a Coca Cola aposta na criação de um contexto relevante para gerar demanda. A aplicação deste método para as 3 marcas: Coca Cola, Coca Cola Light e Coca Cola Zero mostrou a possibilidade de explorar experiências de 9

10 consumo completamente diferentes: Coca Cola combina com reuniões familiares, feriados; Coca Cola Light combina com break durante o trabalho, - almoço, substituto do café; Coca Cola Zero, com reunião de amigos e esportes. A ARC, representada por Barb Fabing, apresentou a experiência com uma ferramenta estratégica que consegue revelar o posicionamento da marca baseado em características intrínsecas ao produto e ao consumidor. Complementando a linha de raciocínio da Coca Cola, a ARC relaciona a expressão da marca com a experiência de compra e consumo. 3º dia 12 de janeiro de 2010 Super Session O Novo Paradigma do Luxo Tory Burch; Marc Gobé e Stephen Sadove Este painel trouxe três líderes do Mercado de luxo para discutir os reflexos da crise econômica mundial sobre os clientes do luxo. Além do consenso básico sobre o fato de este setor ter sido duramente atingido, apresentaram as suas percepções sobre como a experiência mudou os hábitos destes clientes. Os clientes tornaram-se mais 10

11 inteligentes e preocupados em não mostrar excessos. Refletem e percebem-se como agentes nas questões relacionadas ao meio ambiente. As motivações para a compra mudaram. As pessoas se preocupam em complementar o luxo com inovações tecnológicas, que passaram a ser o novo centro do luxo. Isso porque os produtos ligados à tecnologia passaram a produzir um impacto maior do que um perfume de marca, por exemplo. Além da qualidade e alto padrão, a tecnologia está ligada, de alguma forma, à inteligência e à capacidade de pensar diferente. Tecnologia precisa ser entendida para ser usada, não basta ser comprada, e este contexto dá uma conotação nova ao luxo. Super Session Como Liderança, Lealdade e Transparência Impulsionam o crescimento Loyalty and Transparency Fuel Growth Sir Terry Leahy, Chief Executive Tesco A segunda Super Session do dia apresentou a visão da empresa Tesco em termos de gerenciamento e também o que ela considera os seis Drivers de Crescimento: 1) Confiança a empresa precisa mostrar a seus clientes o quanto ela se preocupa com eles; 2) Informação precisa ser transparente para acompanhar a velocidade da informação e a rapidez com que os seus clientes demandam informação; 3) Saúde preocupar-se com um futuro saudável. Viver mais e melhor; 4) Conveniência criar soluções que valorizem o tempo do cliente, cada vez menor. Criar conveniências, como o varejo online; 5) Simplicidade - incentivar produtos e serviços que solucionem problemas, tornando a vida dos seus clientes mais fácil; 6) Clima mostrar aos seus clientes que sua empresa se preocupa com o meio ambiente, discutir e disseminar ações de redução de carbono, de sustentabilidade e preservação. Nas lições de gerenciamento, Terry acredita que é preciso estar em 11

12 contato com o consumidor e antecipar mudanças. Dois formatos, Tesco Express e Fresh & Easy foram pensados após a Cia. identificar novos hábitos de compra de conveniência e consumo de produtos frescos, sem agrotóxicos. Terry ainda valoriza a concorrência mencionando sempre o Walmart como uma grande referência e sugere olharmos os concorrentes como fator preponderante para o crescimento, como fonte de estímulo para o aprimoramento constante e a busca da excelência. Empresários que assistiram à palestra, durante intervalo. Também estiveram presentes entre as grandes redes varejistas mundiais, apresentando os seus cases, as brasileiras Saraiva, Gouvêa de Souza & MD e Magazine Luiza. Inovação Tecnológica No terceiro dia a comitiva Fecomércio SC visitou o Pavilhão de Exposições. Dentre as atrações, o Innovation Station, que apresentou uma das novidades tecnológicas mais visitadas: o Fashionista, uma nova experiência de compra online de vestuário. A ferramenta permite levar a conveniência da web ao provador. 12

13 A s s h o p p e r s ( p o t e n c i a i s c o m p r a d o r e s ) p o d e m e x p e r i m e n t a r a s r o u p a s virtualmente em frente a uma webcam. Na tela, com a projeção da roupa no corpo também é possível receber sugestões de modelos que melhor se ajustam ao seu biotipo e preferências. Durante esta experiência a cliente pode enviar, através de Facebook ou , seus looks preferidos para as amigas e receber opiniões antes de decidir pela compra. Toten com software aplicativo «Fashionista» ao lado e demonstração à delegação Sistema abaixo. 13

14 Delegação Sistema Fecomércio SC 14

15 4º dia encerramento 13 de janeiro de 2010 Mantendo Dupla Estratégia: Qual é o valor do cliente? O tema desta palestra foi o surgimento de um novo perfil de consumidor: o Dual Client (que se utiliza de dois canais para a compra). Segundo Kimberly Grabel, da Saks, mesmo o cliente que vai até a loja e não abre mão da experiência do processo de compra (ver, tocar, vestir o produto), usa a internet para comparar preços e pesquisar sobre novidades, promoções e disponibilidade. Este cliente também usa a web para trocar idéias sobre os produtos com outros internautas. Neste contexto, é importante que a loja estabeleça um canal de comunicação virtual, a fim de interagir e influenciar o processo. Muitos clientes postam opiniões sobre a loja ou produto em redes sociais, tornando-se formadores de opinião. Neste universo que funciona a uma velocidade alta, o lojista precisa manifestar-se pontualmente e tão rapidamente de forma a dar ao cliente a percepção de ter sido ouvido, compreendido e atendido. Outro ponto importante é o conceito de valor do cliente com perfil relacionado a cada canal de compra. Clientes que utilizam a web são mais específicos, costumam ser mais exigentes com relação a preço, especialmente pela facilidade que a internet oferece de comparação com um número expressivo de concorrentes. Compram mais motivados pela necessidade e menos por impulso. Palestra: O Potencial Subestimado das Marcas Próprias Alan Klein (The Marketing Agency Paris New York) Alan Klein destacou o sucesso de produtos Private Label na Europa onde representam cerca de 30% do total dos produtos vendidos em supermercados. Pesquisas recentes mostram que 70% dos clientes compram produtos de marcas próprias. Um estudo da Ipsos Mori concluiu que 7 entre 10 clientes acreditam que os produtos de marcas próprias que compram são tão bons ou melhores do que os produtos líderes das categorias. Dos consumidores 15

16 pesquisados, 50% afirmam que os produtos Private Label representam 25% composição de suas cestas de compra. Nos EUA, este mercado teve como pioneiros a Sainsbury's e Tesco que investem em suas marcas próprias reforçando sempre a qualidade dos produtos. Alan Klein relacionou 6 fatores de sucesso para as marcas próprias: 1) A confiança que os consumidores têm na rede; 2) O consumidor ter certeza de que a marca própria tem qualidade igual à marca mais cara da categoria; 3) Acreditam que os preços menores são resultado de esforço comercial e não de qualidade inferior; 4) A marca própria pode abranger várias categorias, atendendo diversas necessidades do cliente. 5) A embalagem reforça a qualidade do produto. Pode remeter ao principal concorrente, mas nunca deve ser uma cópia; 6) Consistência nos preços baixos. A Ipsos (empresa responsável pela pesquisa) disponibiliza o PERCEPTOR PLUS, uma ferramenta que permite otimizar a estratégia de posicionamento e ainda medir seu impacto na escolha de sua marca. Considerações finais sobre a Feira Diferentemente de 2009, período imediatamente após o início da crise econômica mundial, o clima agora é de positivismo. Embora cautelosos, os palestrantes, na grande maioria apostam na retomada do crescimento e expansão do varejo mundial. Representantes das maiores redes varejistas do mundo mostraram como reagiram e sobreviveram à crise e alguns até como tiraram proveito da fase difícil. Em geral notou-se uma necessidade de investimento para acompanhar a inovação tecnológica, que cria consumidores mais exigentes e com demandas mais específicas. O que se apresentou foi um varejo que busca maior eficiência na operação, a fim de reduzir custos e mais preocupado com o conceito de valor do consumidor; disposto a adotar novas posturas que defendem a bandeira da sustentabilidade e do meio ambiente 16

17 preservado. O varejo converge para um modelo multi-canais, que coloca o consumidor com a informação e conveniência na ponta do dedo, seja no teclado ou no celular, sem que se elimine o varejo tradicional. O m-commerce representa mais do que um facilitador de pagamento, as empresas estão investindo no modelo como estratégia de fidelização de clientes. O Walmart está usando aplicativos onde o consumidor pode tirar uma foto do produto desejado com seu iphone e receberá uma mensagem de disponibilidade e preço. A Whole Foods, rede de supermercados, usa um aplicativo que ajuda o consumidor a preparar sua lista de compras a partir de uma receita. O comércio eletrônico está enfrentando a crise global com muito mais sucesso que as lojas físicas. O e-commerce está aproveitando as oportunidades oferecidas pela web para vender no mundo inteiro. Além de extrapolar fronteiras geográficas, as empresas também expandem na internet o inventário, vendendo outras categorias de produto. O mercado online é composto fortemente por marcas que investem pesado em tecnologia, interagindo com a revolução promovida pelo fenômeno da mobilidade e com o interesse gerado pelas redes sociais. Há um otimismo geral sobre o comportamento do e-commerce para 2010, que deve continuar crescendo, bem como a lucratividade desses varejistas. Sobre as Redes Sociais Apesar da abordagem positiva da maioria dos palestrantes que falaram sobre redes sociais, alguns cuidados foram apontados como necessários aos varejistas que querem se utilizar delas: não tentar estar presente em todos os lugares; escolher em qual rede social faz sentido estar em função desta experiência; ter na organização pessoas qualificadas que irão sustentar a presença na web; encontrar tempo para entender como funciona o canal e só se aventurar de tiver algo interessante a dizer. Os números apresentados na NRF 17

18 Além da participação na NRF, tivemos a oportunidade de passear por New York e conhecer um pouco do varejo. Quem passou pela 5ª avenida, viu lojas praticamente vazias, reflexo dos efeitos da crise, tão amplamente discutidos durante o evento. Contudo, o segmento de luxo obteve bons números. A Saks cresceu 9,9% e a Nordstrom 7,4% em dezembro, sendo que o crescimento registrado no comércio americano foi de 2,9% em dezembro. Isto, no entanto, representa apenas uma esperança, já que o parâmetro de comparação para estes números é o desempenho de dezembro/2008, período em que o comércio caiu 9,8% em relação a 2007 Ou seja, houve apenas uma reação positiva que indica uma possível retomada do crescimento e que o pior já passou. Esta reação está em muito relacionada com a queda do poder aquisitivo. Prova disto é o movimento nas lojas como Topshop e Uniqlo, ambas com produtos de ótima qualidade e preço acessível estão lotadas e com clientes saindo carregados de sacolas. A grande discussão voltou-se para conceito de valor e o comportamento de consumo das pessoas, que coloca a excelência operacional em destaque para tornar viável a entrega de qualidade a preços acessíveis. Delegação Sistema Fecomércio SC participante da NRF USA 18

19 Visita Técnica Um grupo de empresários realizou visita técnica a um supermercado de produtos naturais em New York. A visita teve o objetivo de complementar o conhecimento com a experiencia do varejo supermercadista local. Visita do grupo a supemercado 19

20 Como última atividade da viagem, o grupo visitou um outlet em New Gersey. 20

21 Anexo 1: Comparativo da Legislação Trabalhista: Brasil x USA A legislação trabalhista nos Estados Unidos, ao contrário da vigente no Brasil, é uma das mais rígidas para com o trabalhador. Atualmente, apesar de não existir um ranking, Suíça, Finlândia e Suécia são considerados os países em que os trabalhadores têm mais direitos. Existem duas correntes distintas em relação aos direitos trabalhistas. A utilizada no Brasil, que protege o trabalhor por intermédio de códigos e leis, e a contratual, seguida pelos EUA, onde os benefícios aos trabalhadores estão previstos em contrato de trabalho. Os Estados Unidos são pioneiros nas leis de combate à discriminação no ambiente corporativo e promoção de igualdade salarial entre sexos, raças e portadores de deficiências, entretanto, outros benefícios concedidos em grande parte do mundo não são contemplados pela legislação norte-americana. Existem também leis dentro dos Estados, que podem trazer mais benefícios aos trabalhadores. Dentre os benefícios concedidos pela legislação brasileira e que possuem previsão diferenciada ou não possuem previsão na legislação federal norte-americana, podemos citar: Licença maternidade: No que diz respeito à licença maternidade, a legislação brasileira permite que a gestante fique licenciada do trabalho pelo período de 16 semanas, prorrogável por mais oito semanas nas empresas que tenham interesse. Nos Estados Unidos, a gestante tem direito a 12 semanas de licença, sem remuneração e com estabilidade no emprego durante o mesmo período. 13 salário: No Brasil, a CLT prevê o pagamento do 13 salário aos trabalhadores, enquanto nos EUA não existe qualquer previsão legal para tanto. Férias remuneradas: Novamente, enquanto no Brasil existe a previsão legal da concessão de férias remuneradas aos trabalhadores, nos EUA não existe lei que regulamente tal direito. Jornada de Trabalho: A jornada de trabalho no Brasil é de 44 horas semanais, enquanto nos EUA a jornada máxima é de 40 horas. Ambos os países prevêem o pagamento de horas extras. Adicional noturno: Enquanto na CLT existe a previsão de pagamento de valor adicional ao trabalhador pelas horas que trabalha no período noturno, nos Estados Unidos não existe previsão que restrinja o trabalho noturno, nem que garanta o pagamento de valor adicional. 21

22

SUPERMERCADOS: TENDÊNCIAS 2015

SUPERMERCADOS: TENDÊNCIAS 2015 SUPERMERCADOS: TENDÊNCIAS 2015 Tecnologias e soluções para aplicar na sua empresa e aumentar a sua competitividade. NRF 2015 ÍNDICE Objetivo...04 De multicanal para omnichannel...05 O propósito...05 Capital

Leia mais

RELATÓRIO DE VIAGEM INTERNACIONAL

RELATÓRIO DE VIAGEM INTERNACIONAL SERVIÇO DE APOIO AS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE MINAS GERAIS RELATÓRIO DE VIAGEM INTERNACIONAL NRF 2013 BIG SHOW NOVA YORK - USA Montes Claros, fevereiro 2013 SERVIÇO DE APOIO AS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

Leia mais

Cidadania Global na HP

Cidadania Global na HP Cidadania Global na HP Mensagem abrangente Com o alcance global da HP, vem sua responsabilidade global. Levamos a sério nossa função como ativo econômico, intelectual e social para as Comunidades em que

Leia mais

Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico

Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico CUSTOMER SUCCESS STORY Abril 2014 Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico PERFIL DO CLIENTE Indústria: Mídia Companhia: Valor Econômico Funcionários:

Leia mais

Mensagem do presidente

Mensagem do presidente Mensagem do presidente A giroflex-forma está em um novo momento. Renovada, focada em resultados e nas pessoas, ágil e mais competitiva no mercado de assentos e de mobiliário corporativo. Representando

Leia mais

EXPECTATIVAS, GESTÃO E AÇÕES DOS EMPRESÁRIOS DO COMÉRCIO VAREJISTA PARA O NATAL DE 2013 MACAPÁ - 2013

EXPECTATIVAS, GESTÃO E AÇÕES DOS EMPRESÁRIOS DO COMÉRCIO VAREJISTA PARA O NATAL DE 2013 MACAPÁ - 2013 EXPECTATIVAS, GESTÃO E AÇÕES DOS EMPRESÁRIOS DO COMÉRCIO VAREJISTA PARA O NATAL DE 2013 MACAPÁ - 2013 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 POPULAÇÃO... 3 4 COLETA DE DADOS... 3 5 RESULTADOS... 4 Ilustração 1 -

Leia mais

O poder da presença O valor empresarial da colaboração presencial

O poder da presença O valor empresarial da colaboração presencial O poder da presença O valor empresarial da colaboração presencial Sumário executivo À medida que as organizações competem e crescem em uma economia global dinâmica, um novo conjunto de pontos cruciais

Leia mais

de um portfólio amplo de produtos, proporcionando ao cliente maior número e variedade de opções do que aquelas disponíveis nas lojas físicas.

de um portfólio amplo de produtos, proporcionando ao cliente maior número e variedade de opções do que aquelas disponíveis nas lojas físicas. 1 Introdução Segundo a World Federation of Direct Selling Associations (WFDSA), a venda direta é um canal de distribuição dinâmico, vibrante e em rápida expansão para o marketing de produtos e serviços

Leia mais

Comparativo entre os meios de comunicação para atingir 50 milhões de usuários

Comparativo entre os meios de comunicação para atingir 50 milhões de usuários Comparativo entre os meios de comunicação para atingir 50 milhões de usuários Fonte: TAKAHASHI, 2000; VEJA ONLINE, 2006 Definições de comércio eletrônico/e-business E - BUSINESS, acrônimo do termo em

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA PI.001.00000000 A - 04 de Junho de 2014

CÓDIGO DE ÉTICA PI.001.00000000 A - 04 de Junho de 2014 CÓDIGO DE ÉTICA PI.001.00000000 A - 04 de Junho de 2014 PALAVRA DA DIRETORIA Apresentamos, com muito prazer, o do Grupo Galvão, que foi elaborado de maneira participativa com representantes dos colaboradores

Leia mais

Capitalizando sobre o Novo Consumidor Smarter Consumer Visão do Mercado Brasileiro

Capitalizando sobre o Novo Consumidor Smarter Consumer Visão do Mercado Brasileiro IBM Institute for Business Value Perspectiva do Segmento de Varejo Capitalizando sobre o Novo Consumidor Smarter Consumer Visão do Mercado Brasileiro Compreendendo e Respondendo às Necessidades e Desejos

Leia mais

AT&S Ganha Eficiência e Agilidade de Negócio com Melhor Gestão de TI

AT&S Ganha Eficiência e Agilidade de Negócio com Melhor Gestão de TI CUSTOMER SUCCESS STORY Março 2014 AT&S Ganha Eficiência e Agilidade de Negócio com Melhor Gestão de TI PERFIL DO CLIENTE Indústria: Manufatura Empresa: AT&S Funcionários: 7.500 Faturamento: 542 milhões

Leia mais

AGENDA. 5ª Edição. Hotel Staybridge. Realização:

AGENDA. 5ª Edição. Hotel Staybridge. Realização: AGENDA 5ª Edição D? 06 de Maio de 2015 Hotel Staybridge Realização: w w w.c o r p b us i n e s s.c o m.b r Patrocínio Gold Patrocínio Bronze Apoio Realização: APRESENTAÇÃO C GESTÃO DE PESSOAS: DESAFIOS

Leia mais

2ª APRESENTAÇÃO PÚBLICA: Visão de Futuro. Reforço da Competitividade do APL de Moda Íntima de Juruaia

2ª APRESENTAÇÃO PÚBLICA: Visão de Futuro. Reforço da Competitividade do APL de Moda Íntima de Juruaia 2ª APRESENTAÇÃO PÚBLICA: Visão de Futuro Reforço da Competitividade do APL de Moda Íntima de Juruaia Juruaia, 16/09/2010 SEDE Secretária de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais Reforço da Competitividade

Leia mais

PRINCÍPIOS CORPORATIVOS

PRINCÍPIOS CORPORATIVOS PRINCÍPIOS CORPORATIVOS Os princípios corporativos do grupo Witzenmann Witzenmann GmbH Östliche Karl-Friedrich-Str. 134 75175 Pforzheim Telefone +49 7231 581-0 Fax +49 7231 581-820 wi@witzenmann.com www.witzenmann.de

Leia mais

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Ultrapassando barreiras e superando adversidades. Ser um gestor de pessoas não é tarefa fácil. Existem vários perfis de gestores espalhados pelas organizações,

Leia mais

GUIA DE SOCIAIS EM REDES BOAS PRÁTICAS EM GESTÃO DO ATENDIMENTO E RELACIONAMENTO MELHORES PRÁTICAS. MELHORES RESULTADOS.

GUIA DE SOCIAIS EM REDES BOAS PRÁTICAS EM GESTÃO DO ATENDIMENTO E RELACIONAMENTO MELHORES PRÁTICAS. MELHORES RESULTADOS. GUIA DE BOAS PRÁTICAS EM GESTÃO DO ATENDIMENTO E RELACIONAMENTO EM REDES SOCIAIS MELHORES PRÁTICAS. MELHORES RESULTADOS. APRESENTAÇÃO OBJETIVO A ABA - Associação Brasileira de Anunciantes, por meio de

Leia mais

EVOLUÇÃO DO HOME OFFICE NA

EVOLUÇÃO DO HOME OFFICE NA EVOLUÇÃO DO HOME OFFICE NA Palestra Teletrabalho Modelo de Trabalho Home Office Modernização da área de Vendas EVOLUÇÃO DO HOME OFFICE NA 1º Movimento 1999/2000 2º Movimento 2001/2002 3º Movimento 2005-2007

Leia mais

TÍTULO: COMERCIO ELETRÔNICO (E-COMMERCE) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO

TÍTULO: COMERCIO ELETRÔNICO (E-COMMERCE) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO TÍTULO: COMERCIO ELETRÔNICO (E-COMMERCE) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES): EBERSON EVANDRO DA SILVA GUNDIN, PAULO

Leia mais

//Sobre VISÃO MISSÃO. Honestidade, Responsabilidade. Respeito. Colaboração.

//Sobre VISÃO MISSÃO. Honestidade, Responsabilidade. Respeito. Colaboração. . Quem somos //Sobre A Oficina1 é uma consultoria direcionada à tecnologia da informação, com foco na implementação dos ERPs Protheus e OpenBravo, além do aplicativo de Service Desk SysAid, abrangendo

Leia mais

A nova classe média vai às compras

A nova classe média vai às compras A nova classe média vai às compras 18 KPMG Business Magazine Cenário é positivo para o varejo, mas empresas precisam entender o perfil do novo consumidor Nos últimos anos o mercado consumidor brasileiro

Leia mais

A confluência dos vídeos e a Internet

A confluência dos vídeos e a Internet WHITEPAPER A confluência dos vídeos e a Internet Por que sua empresa deveria investir em vídeos em 2013 e como a Construção Civil pode utilizar os vídeos como diferencial competitivo. 1 Saiba como os vídeos

Leia mais

Post excerpt to catch readers attention and describe the story in short

Post excerpt to catch readers attention and describe the story in short Post excerpt to catch readers attention and describe the story in short A explosão do número de usuários de smartphones está promovendo uma mudança rápida na cultura de vendas e atendimento aos clientes.

Leia mais

Prezado Futuro Cliente

Prezado Futuro Cliente Prezado Futuro Cliente É com grade satisfação que encaminhamos nossa apresentação institucional e certos de estabelecermos uma parceria de sucesso e duradoura. Ela foi desenvolvida com objetivo de mostrar

Leia mais

PROFISSIONAL. Por que o Comércio Eletrônico em Multicanais é Fundamental para o Sucesso do seu Negócio On-line

PROFISSIONAL. Por que o Comércio Eletrônico em Multicanais é Fundamental para o Sucesso do seu Negócio On-line EDIÇÃO Nº 05 GRÁTIS FOTOGRAFIA PROFISSIONAL SOLUÇÕES PARA IMAGENS DE PRODUTO QUE CONQUISTARAM OS LÍDERES DO COMÉRCIO ELETRÔNICO Por que o Comércio Eletrônico em Multicanais é Fundamental para o Sucesso

Leia mais

Análise Mensal do Comércio Varejista de Belo Horizonte

Análise Mensal do Comércio Varejista de Belo Horizonte Março/15 A mostra o desempenho dos negócios do comércio no mês de Fevereiro/2015 e identifica a percepção dos empresários para o mês de Março/2015. Neste mês, 20,8% dos empresários conseguiram aumentar

Leia mais

Custom Publishing Por que minha organização deve ter uma publicação própria?

Custom Publishing Por que minha organização deve ter uma publicação própria? Custom Publishing O mercado das publicações próprias e suas (excelentes) oportunidades de negócios para as empresas antenadas de qualquer setor, com qualquer público Um guia de consulta rápida sobre a

Leia mais

Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM

Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM É COM GRANDE PRAZER QUE GOSTARÍAMOS DE OFICIALIZAR A PARTICIPAÇÃO DE PAUL HARMON NO 3º SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE BPM!! No ano passado discutimos Gestão

Leia mais

Gestão. Práticas. Editorial. Geovanne. Acesse online: 01. Indicador de motivo de não venda 02. DRE (demonstração dos resultados do exercício) 03 e 04

Gestão. Práticas. Editorial. Geovanne. Acesse online: 01. Indicador de motivo de não venda 02. DRE (demonstração dos resultados do exercício) 03 e 04 Práticas de Gestão Editorial Geovanne. 02 01. Indicador de motivo de não venda 02. DRE (demonstração dos resultados do exercício) Como faço isso? Acesse online: 03 e 04 www. No inicio da década de 90 os

Leia mais

A Magia dos Grandes Vendedores Como Vender Mais, Melhor e Sempre

A Magia dos Grandes Vendedores Como Vender Mais, Melhor e Sempre São produtos inovadores. Agregam valor ao negócio. A Magia dos Grandes Vendedores Como Vender Mais, Melhor e Sempre São valorizados pelos consumidores. Claudio Goldberg Claudio Lenga de Goldberg é Mestre

Leia mais

Estudo Hábitos. Hábitos de uso e comportamento dos internautas nas mídias sociais e como as empresas podem melhorar sua atuação nas redes

Estudo Hábitos. Hábitos de uso e comportamento dos internautas nas mídias sociais e como as empresas podem melhorar sua atuação nas redes Estudo Hábitos 2012 Hábitos de uso e comportamento dos internautas nas mídias sociais e como as empresas podem melhorar sua atuação nas redes O estudo O Estudo Hábitos é realizado anualmente pela E.life

Leia mais

Como saber se sua empresa é. Sustentável Guia para os Primeiros Passos

Como saber se sua empresa é. Sustentável Guia para os Primeiros Passos Como saber se sua empresa é Sustentável Guia para os Primeiros Passos Sumário 02 Introdução 03 Presença na estratégia 04 Práticas pré produtos/serviços 06 Práticas nos produtos/serviços 07 Práticas no

Leia mais

Inteligência em. redes sociais. corporativas. Como usar as redes internas de forma estratégica

Inteligência em. redes sociais. corporativas. Como usar as redes internas de forma estratégica Inteligência em redes sociais corporativas Como usar as redes internas de forma estratégica Índice 1 Introdução 2 Por que uma rede social corporativa é um instrumento estratégico 3 Seis maneiras de usar

Leia mais

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade Eficácia e Liderança de Performance O Administrador na Gestão de Pessoas Grupo de Estudos em Administração de Pessoas - GEAPE 27 de novembro

Leia mais

E-BOOK [TÍTULO DO DOCUMENTO] Matrix [NOME DA EMPRESA] [Endereço da empresa]

E-BOOK [TÍTULO DO DOCUMENTO] Matrix [NOME DA EMPRESA] [Endereço da empresa] E-BOOK [TÍTULO DO DOCUMENTO] Matrix [NOME DA EMPRESA] [Endereço da empresa] 1 Sumário O Surgimento do Analista de Redes Sociais... 2 O que é um Analista de Redes Sociais?... 5 Qual é o Perfil do Analista

Leia mais

Guia: da Loja Física para a. Experiência Multicanal

Guia: da Loja Física para a. Experiência Multicanal Guia: da Loja Física para a Experiência Multicanal Sumário: 01 02 03 04 05 Sobre este Guia O consumidor é Multicanal Muito mais E-commerce! Mobilidade faz parte do dia-a-dia Big Data: Informação a serviço

Leia mais

FORTIFIQUE O FUTURO. Pré-misturas personalizadas de nutrientes Fortitech

FORTIFIQUE O FUTURO. Pré-misturas personalizadas de nutrientes Fortitech FORTIFIQUE O FUTURO Pré-misturas personalizadas de nutrientes Fortitech A Fortitech foi pioneira, aperfeiçoou e continua avançando em pré-misturas personalizadas de nutrientes. Nos mercados de todo o mundo,

Leia mais

Resumo. Julho de 2013. documento

Resumo. Julho de 2013. documento documento Abrindo novas portas para o sucesso das cobranças Saiba como as organizações de cobranças de todo o mundo acompanham o ritmo dos clientes móveis e das prioridades de pagamentos em mudança Julho

Leia mais

Faturamento personalizado (Customer Engaged Billing)

Faturamento personalizado (Customer Engaged Billing) Faturamento personalizado (Customer Engaged Billing) Transforme suas comunicações mais lidas em participações multicanais altamente direcionadas que reduzem custos, aumentam a satisfação do cliente e geram

Leia mais

Questão em foco: Colaboração de produto 2.0. Uso de técnicas de computação social para criar redes sociais corporativas

Questão em foco: Colaboração de produto 2.0. Uso de técnicas de computação social para criar redes sociais corporativas Questão em foco: Colaboração de produto 2.0 Uso de técnicas de computação social para criar redes sociais corporativas Tech-Clarity, Inc. 2009 Sumário Sumário... 2 Introdução à questão... 3 O futuro da

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA Vitória, ES Janeiro 2010. 1ª Revisão Janeiro 2011. 2ª Revisão Janeiro 2012. POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DA REDE GAZETA IDENTIDADE CORPORATIVA Missão

Leia mais

O que são Comunidades Online

O que são Comunidades Online O que são Comunidades Online e quais são as oportunidades para Pesquisa de Mercado No mundo atual, os consumidores estão mais empoderados para tomar as suas decisões em sua jornada para satisfazer seus

Leia mais

Varejo Multicanal: e-commerce, Mobile e Mídias Sociais

Varejo Multicanal: e-commerce, Mobile e Mídias Sociais Seminário GVcev Varejo Multicanal: e-commerce, Mobile e Mídias Sociais ONOFRE Caso de Sucesso Lismeri Avila Varejo Multicanal Alternativa de negócio? Palestra 2007 Vantagem competitiva passa a ser a DIFERENCIAÇÃO

Leia mais

O MERCADO E PERSPECTIVAS

O MERCADO E PERSPECTIVAS Sell Book O MERCADO E PERSPECTIVAS MERCADO E PERSPECTIVA BRASIL VAREJO FRANQUIAS PIB: projeção de 3% para 2013; Desemprego em baixa (inferior a 6% em 2013); Crescimento do consumo da classe média; Aumento

Leia mais

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS 1. Sumário Executivo Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso 2. Sumário da Empresa 2.1 Composição da Sociedade Perfil Individual dos sócios, experiência, formação, responsabilidades

Leia mais

Questão em foco: O ROI do Gerenciamento de Portfólio de Produto. O Guia para prever o retorno do investimento do PPM

Questão em foco: O ROI do Gerenciamento de Portfólio de Produto. O Guia para prever o retorno do investimento do PPM Questão em foco: O ROI do Gerenciamento de Portfólio de Produto O Guia para prever o retorno do investimento do PPM Tech-Clarity, Inc. 2008 Sumário Introdução à questão... 3 Cálculo dos benefícios do Gerenciamento

Leia mais

O novo desafio das marcas: uma visão global dos hábitos dos clientes em dispositivos móveis e redes sociais

O novo desafio das marcas: uma visão global dos hábitos dos clientes em dispositivos móveis e redes sociais O novo desafio das marcas: uma visão global dos hábitos dos clientes em dispositivos móveis e redes sociais SDL Campaign Management & Analytics Introdução Prezado profissional de marketing, A ideia de

Leia mais

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional.

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Empresa MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Nossa filosofia e oferecer ferramentas de gestão focadas na

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 1. Comercial e Marketing 1.1 Neurovendas Objetivo: Entender

Leia mais

Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias CCA-UFES Departamento de Computação

Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias CCA-UFES Departamento de Computação - Centro de Ciências Agrárias Departamento de Computação Os sistemas de informação empresariais na sua carreira Introdução à Ciência da Computação Introdução à Ciência da Computação COM06850-2015-II Prof.

Leia mais

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010 Metodologia Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Através de e-survey - via web Público Alvo: Executivos de empresas associadas e não associadas à AMCHAM Amostra: 500 entrevistas realizadas Campo: 16

Leia mais

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação Pesquisa realizada com os participantes do de Apresentação O perfil do profissional de Projetos Pesquisa realizada durante o 12 Seminário Nacional de, ocorrido em 2009, traça um importante perfil do profissional

Leia mais

Autoatendimento Digital. Reduz custos e aprimora as relações com o cliente, criando experiências de autoatendimento personalizadas e significativas.

Autoatendimento Digital. Reduz custos e aprimora as relações com o cliente, criando experiências de autoatendimento personalizadas e significativas. Autoatendimento Digital Reduz custos e aprimora as relações com o cliente, criando experiências de autoatendimento personalizadas e significativas. Oferece aos clientes as repostas que buscam, e a você,

Leia mais

Pesquisa de Opinião do Comércio Varejista. Expectativas para o Dia dos Pais

Pesquisa de Opinião do Comércio Varejista. Expectativas para o Dia dos Pais Pesquisa de Opinião do Comércio Varejista Expectativas para o Dia dos Pais 2013 Apresentação O Dia dos Pais marca a abertura do calendário de datas comemorativas do comércio varejista no segundo semestre.

Leia mais

Gerenciamento de Ciclo de Vida do Cliente. Uma experiência mais sincronizada, automatizada e rentável em cada fase da jornada do cliente.

Gerenciamento de Ciclo de Vida do Cliente. Uma experiência mais sincronizada, automatizada e rentável em cada fase da jornada do cliente. Gerenciamento de Ciclo de Vida do Cliente Uma experiência mais sincronizada, automatizada e rentável em cada fase da jornada do cliente. As interações com os clientes vão além de vários produtos, tecnologias

Leia mais

Novos negócios no Ceará

Novos negócios no Ceará ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Novos negócios no Ceará No DR Ceará, as oficinas de Estratégia de

Leia mais

Neurotreinamentos Coaching Executivo, Pessoal e Equipes Consultoria Organizacional,

Neurotreinamentos Coaching Executivo, Pessoal e Equipes Consultoria Organizacional, Neurotreinamentos Coaching Executivo, Pessoal e Equipes Consultoria Organizacional, Planejamento Estratégico e Governança Corporativa Palestras Temáticas e Motivacionais v.03/15 Neurotreinamentos Neurobusiness

Leia mais

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida Unidade IV MERCADOLOGIA Profº. Roberto Almeida Conteúdo Aula 4: Marketing de Relacionamento A Evolução do Marketing E-marketing A Internet como ferramenta As novas regras de Mercado A Nova Era da Economia

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA 1ª Edição Fevereiro 2013

CÓDIGO DE ÉTICA 1ª Edição Fevereiro 2013 CÓDIGO DE ÉTICA 1ª Edição Fevereiro 2013 Se surgirem dúvidas sobre a prática dos princípios éticos ou desvios de condutas, não hesite em contatar o seu superior ou o Comitê de Ética. SUMÁRIO O CÓDIGO DE

Leia mais

Globalweb otimiza oferta e entrega de serviços a clientes com CA AppLogic

Globalweb otimiza oferta e entrega de serviços a clientes com CA AppLogic CUSTOMER SUCCESS STORY Globalweb otimiza oferta e entrega de serviços a clientes com CA AppLogic PERFIL DO CLIENTE Indústria: Serviços de TI Companhia: Globalweb Outsourcing Empregados: 600 EMPRESA A Globalweb

Leia mais

Trabalho sobre Social Media Como implementar Social Media na empresa

Trabalho sobre Social Media Como implementar Social Media na empresa Como implementar Social Media na empresa 1 As razões: Empresas ainda desconhecem benefícios do uso de redes sociais Das 2,1 mil empresas ouvidas em estudo do SAS Institute e da Harvard Business Review,

Leia mais

Pós-Graduação Business Intelligence

Pós-Graduação Business Intelligence Pós-Graduação Business Intelligence Tendências de Mercado de Business Intelligence Aula 01 Negócios e Tecnologia da Informação Objetivos da Aprendizagem Discutir as pressões corporativas e as reações que

Leia mais

Princípios de Emponderamento da Mulheres. Princípios de Empoderamento das Mulheres. Igualdade significa Negócios. Igualdade significa negócios

Princípios de Emponderamento da Mulheres. Princípios de Empoderamento das Mulheres. Igualdade significa Negócios. Igualdade significa negócios Princípios de Emponderamento da Mulheres Princípios de Empoderamento das Mulheres Igualdade significa negócios Igualdade significa Negócios Igualdade significa Negócios da Mulheres Princípios de Emponderamento

Leia mais

Melhores Práticas e Tendências do Comércio Eletrônico. São Paulo 05/10/2015

Melhores Práticas e Tendências do Comércio Eletrônico. São Paulo 05/10/2015 Melhores Práticas e Tendências do Comércio Eletrônico São Paulo 05/10/2015 Sumário 1. Apresentação 2. A Nova Geração de Consumidores 3. Evolução do E-commerce no Brasil 4. Tendências Globais de Tecnologias

Leia mais

LÍDER COACH Obtenha excelência em sua vida pessoal e profissional

LÍDER COACH Obtenha excelência em sua vida pessoal e profissional LÍDER COACH Obtenha excelência em sua vida pessoal e profissional Ao investir em pessoas o seu resultado é garantido! Tenha ganhos significativos em sua gestão pessoal e profissional com o treinamento

Leia mais

Substituia comunicações caras e ineficientes por métodos de entrega alternativos

Substituia comunicações caras e ineficientes por métodos de entrega alternativos Engajamento com o Cliente Interação com o cliente e envio de comunicações Gerenciamento de Comunicações com os Clientes Soluções para possibilitar relacionamentos duradouros com clientes Substituia comunicações

Leia mais

DICA 1. VENDA MAIS ACESSÓRIOS

DICA 1. VENDA MAIS ACESSÓRIOS DICA 1. VENDA MAIS ACESSÓRIOS Uma empresa sem vendas simplesmente não existe, e se você quer ter sucesso com uma loja você deve obrigatoriamente focar nas vendas. Pensando nisso começo este material com

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

Por dentro do mercado de médio porte: Uma perspectiva para 2011

Por dentro do mercado de médio porte: Uma perspectiva para 2011 Janeiro 2011 Exclusivamente para empresas de médio porte Por dentro do mercado de médio porte: Uma perspectiva para 2011 Relatório para o Brasil Panorama global: Pesquisa com 2.112 líderes do mercado de

Leia mais

Análise setorial e tendências para o setor em 2010. Cláudio Elias Conz presidente da Anamaco

Análise setorial e tendências para o setor em 2010. Cláudio Elias Conz presidente da Anamaco Análise setorial e tendências para o setor em 2010 Cláudio Elias Conz presidente da Anamaco Dados do varejo de Material de Construção 1º trim de 2010 X 1º trim de 2009: Crescimento de 12,5%; Março de 2010:

Leia mais

Novas perspectivas do varejo e o impacto no setor de vestuário Relatório de Inteligência Analítico - novembro 2012

Novas perspectivas do varejo e o impacto no setor de vestuário Relatório de Inteligência Analítico - novembro 2012 Vestuário Novas perspectivas do varejo e o impacto no setor de vestuário Relatório de Inteligência Analítico - novembro 2012 Resumo Executivo Em um cenário de empresas cada vez mais competitivas, compreender

Leia mais

Nos últimos anos, o setor de seguros brasileiro vem sofrendo uma. série de transformações. Algumas delas podem ser visualizadas na

Nos últimos anos, o setor de seguros brasileiro vem sofrendo uma. série de transformações. Algumas delas podem ser visualizadas na Visão das Seguradoras: Uma análise da distribuição de seguros no Brasil Francisco Galiza Mestre em Economia (FGV), membro do Conselho Editorial da FUNENSEG, catedrático pela ANSP e sócio da empresa "Rating

Leia mais

Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 2: Vantagem Competitiva. Resposta do Exercício 1

Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 2: Vantagem Competitiva. Resposta do Exercício 1 Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 2: Vantagem Competitiva 1 Resposta do Exercício 1 Uma organização usa algumas ações para fazer frente às forças competitivas existentes no mercado, empregando

Leia mais

Serviços IBM de Resiliência e Continuidade de Negócios

Serviços IBM de Resiliência e Continuidade de Negócios IBM Global Technology Services White Paper Novembro de 2010 Serviços IBM de Resiliência e Continuidade de Negócios Ajudando os negócios a permanecerem competitivos 2 Serviços IBM de Resiliência e Continuidade

Leia mais

Análise de Mercado. Análise da Indústria/Setor. Descrição do Segmento de Mercado. Artigos de PN Como fazer Análise de Mercado. josedornelas.com.

Análise de Mercado. Análise da Indústria/Setor. Descrição do Segmento de Mercado. Artigos de PN Como fazer Análise de Mercado. josedornelas.com. Artigos de PN Como fazer Análise de Mercado Análise de Mercado A análise de mercado é um dos componentes do plano de negócios que está relacionado ao marketing da organização. Ela apresenta o entendimento

Leia mais

Mónica Montenegro António Jorge Costa

Mónica Montenegro António Jorge Costa Mónica Montenegro António Jorge Costa INTRODUÇÃO... 4 REFERÊNCIAS... 5 1. ENQUADRAMENTO... 8 1.1 O sector do comércio em Portugal... 8 2. QUALIDADE, COMPETITIVIDADE E MELHORES PRÁTICAS NO COMÉRCIO... 15

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

Sorriso aberto - Edição 11 - DEC News. Escrito por Adriana Bruno Sex, 09 de Setembro de 2011 14:50

Sorriso aberto - Edição 11 - DEC News. Escrito por Adriana Bruno Sex, 09 de Setembro de 2011 14:50 Categorias de oral care confirmam tendência de crescimento em 2010. Segmentação de produtos é positiva e abre o leque de opções para todas as classes sociais O brasileiro está experimentando mais e também

Leia mais

1. O Brasil vive um momento de transformação no padrão do consumo. 3. Produtos de Limpeza e Higiene & Beleza têm enorme potencial

1. O Brasil vive um momento de transformação no padrão do consumo. 3. Produtos de Limpeza e Higiene & Beleza têm enorme potencial PRINCIPAIS MESSAGENS 1. O Brasil vive um momento de transformação no padrão do consumo 2. Temos indicadores demográficos e socio econômicos para ser otimistas nesta década 3. Produtos de Limpeza e Higiene

Leia mais

10 DICAS PARA SEU ECOMMERCE SER SUCESSO EM TODO O BRASIL

10 DICAS PARA SEU ECOMMERCE SER SUCESSO EM TODO O BRASIL 10 DICAS PARA SEU ECOMMERCE SER SUCESSO EM TODO O BRASIL SUMÁRIO 1. COMUNICAÇÃO SEGMENTADA! 2. SEO! 3. MOBILE! 4. FOTOS E DESCRIÇÕES! 5. FRETE! 6. PAGAMENTO REGIONAL! 7. ENTREGA! 8. EMBALAGEM! 9. ATENDIMENTO!

Leia mais

Módulo 12 Segmentando mercados

Módulo 12 Segmentando mercados Módulo 12 Segmentando mercados Há alguns anos que os profissionais de marketing perceberam que não se pode atender todo o mercado com um único composto de produto. Nem todos os consumidores querem um carro

Leia mais

A ERA DIGITAL E AS EMPRESA

A ERA DIGITAL E AS EMPRESA A ERA DIGITAL E AS EMPRESA Em 1997 o Brasil já possuia 1,8 MILHÕES de usuários Brasil O 5 Maior país em extensão territorial Brasil 5 Vezes campeão do Mundo Brasil O 5 Maior país em número de pessoas conectadas

Leia mais

E-business: Como as Empresas Usam os Sistemas de Informação

E-business: Como as Empresas Usam os Sistemas de Informação Capítulo 2 E-business: Como as Empresas Usam os Sistemas de Informação 2.1 2007 by Prentice Hall OBJETIVOS DE ESTUDO Identificar e descrever as principais características das empresas que são importantes

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Autor: Jeferson Correia dos Santos ARTIGO TÉCNICO INOVAÇÃO NA GESTÃO DE PÓS-VENDAS: SETOR AUTOMOTIVO RESUMO A palavra inovação tem sido atualmente umas das mais mencionadas

Leia mais

Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico.

Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico. Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico. TENDÊNCIAS NO COMÉRCIO ELETRÔNICO Atualmente, muitos negócios são realizados de forma eletrônica não sendo necessário sair de casa para fazer compras

Leia mais

1 Descrição do Problema 1.1.Introdução

1 Descrição do Problema 1.1.Introdução 14 1 Descrição do Problema 1.1.Introdução Desde a década de 90, a Internet tem-se mostrado importante instrumento na vida cotidiana do consumidor, não somente para ampliar a pesquisa de informações sobre

Leia mais

Redes Sociais Em Apoio À Tomada De Decisão

Redes Sociais Em Apoio À Tomada De Decisão Redes Sociais Em Apoio À Tomada De Decisão Este assunto normalmente é tratado quando se aborda a coleta de dados no ciclo de Inteligência. No entanto, o fenômeno das redes sociais, atualmente, cresceu

Leia mais

Visão de Futuro 2010. F3M Information Systems, S.A.

Visão de Futuro 2010. F3M Information Systems, S.A. 1 Reunir várias entidades do sector óptico nacional e discutir o futuro do sector bem como os temas cruciais para os empresários e intervenientes da área foram os objectivos do evento Visão de Futuro 2010,

Leia mais

O varejo e a era da disrupção

O varejo e a era da disrupção 10Minutos Varejo Total Retail 2015 - Pesquisa anual da PwC com os consumidores O varejo e a era da disrupção Destaques Os consumidores estão definindo sua própria abordagem de relacionamento com o varejo,

Leia mais

Coca-Cola Bottling Co. Consolidated maximiza a lucratividade

Coca-Cola Bottling Co. Consolidated maximiza a lucratividade Coca-Cola Bottling Co. Consolidated maximiza a lucratividade Fornecendo insights mais profundos sobre a demanda dos clientes quatro vezes mais rápido com a Solução IBM FlashSystem Visão geral A necessidade

Leia mais

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro.

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. PLANO DE MARKETING Andréa Monticelli Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. 1. CONCEITO Marketing é

Leia mais

TÍTULO: MARKETING DIGITAL, ESTRATÉGIA FUNDAMENTAL PARA O CRESCIMENTO DAS EMPRESAS.

TÍTULO: MARKETING DIGITAL, ESTRATÉGIA FUNDAMENTAL PARA O CRESCIMENTO DAS EMPRESAS. Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: MARKETING DIGITAL, ESTRATÉGIA FUNDAMENTAL PARA O CRESCIMENTO DAS EMPRESAS. CATEGORIA: CONCLUÍDO

Leia mais

Tendências do futuro: Novos consumidores e novos canais como conquistar o shopper num cenário adverso

Tendências do futuro: Novos consumidores e novos canais como conquistar o shopper num cenário adverso ANTHONY GIBSON Presidente Publicis Group Creative Agencies Portugal Tendências do futuro: Novos consumidores e novos canais como conquistar o shopper num cenário adverso APED Jan 11 Lisboa A importância

Leia mais

Módulo 5. Composto de Marketing (Marketing Mix)

Módulo 5. Composto de Marketing (Marketing Mix) Módulo 5. Composto de Marketing (Marketing Mix) Dentro do processo de administração de marketing foi enfatizado como os profissionais dessa área identificam e definem os mercados alvo e planejam as estratégias

Leia mais

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1 2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Fundamentos da Vantagem Estratégica ou competitiva Os sistemas de informação devem ser vistos como algo mais do que um conjunto de tecnologias que apoiam

Leia mais

Gestão de Pessoas. Capacidade de gerar resultados a partir das pessoas e dos processos inerentes ao negócio.

Gestão de Pessoas. Capacidade de gerar resultados a partir das pessoas e dos processos inerentes ao negócio. Gestão Corporativa Governança Corporativa é o conjunto de processos, costumes, políticas, leis que regulam a maneira como uma empresa é dirigida, administrada ou controlada. PROCESSOS PESSOAS TECNOLOGIA

Leia mais

Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report

Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report Avaliação de: Sr. Mario Exemplo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report

Leia mais

Como sua empresa pode

Como sua empresa pode Como sua empresa pode [ O guia de segmentação por IP ] Tecnologia de Inteligência de IP e de geolocalização O método de encontrar a localização física e geográfica de um usuário com base unicamente em

Leia mais

Muitos varejistas têm adotado o uso de marketplaces como canais de venda adicionais às suas lojas virtuais já consolidadas.

Muitos varejistas têm adotado o uso de marketplaces como canais de venda adicionais às suas lojas virtuais já consolidadas. Os marketplaces são um modelo de e-commerce em que empresas comercializam seus produtos através de um site com grande fluxo de visitas e uma marca conhecida. Muitos varejistas têm adotado o uso de marketplaces

Leia mais