Estrutura produtiva: 370 unidades e mais de 1000 municípios com atividade vinculadas à indústria sucroenergética no país.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estrutura produtiva: 370 unidades e mais de 1000 municípios com atividade vinculadas à indústria sucroenergética no país."

Transcrição

1 PERFIL DA PRODUÇÃO

2 Estrutura produtiva: 370 unidades e mais de 1000 municípios com atividade vinculadas à indústria sucroenergética no país. 935 mil empregos formais (RAIS 2014). Divisas Externas: US$ 8,5 BILHÕES (SAFRA 2015/16) 2º segmento na pauta de exportação do agronegócio. Faturamento do setor: US$ 40 bilhões ( 2% do PIB Brasileiro).

3 Brasil é o maior produtor e exportador mundial de açúcar ( cerca de 20%produção global e 40% da exportação mundial) e o segundo maior produtor de etanol. Frota de 25 milhões de veículos ( 70% da frota de veículos leves) habilitados a utilizar qualquer combinação de gasolina e etanol ( veículos flex.) Redução da emissão de gases de efeito estufa (GEE) em mais de 300 milhões de toneladas de CO2eq de março de 2003 até meados de ª fonte de energia renovável do país( 15,7% da matriz nacional). Além do etanol, setor produz energia elétrica, com potencial estimado em 18,8 GW médios até 2024 ( equivalente a mais de quatro usinas de Belo Monte).

4 Sobre a SIAMIG A Associação das Indústrias Sucroenergéticas de Minas Gerais atua no ambiente da indústria energética e de alimentos, fomentando e dando suporte à prospecção e realização de negócios dos associados. Atuação transparente e participativa nas áreas Econômica, Jurídica, Ambiental e de Comunicação e Marketing. Escritório em Belo Horizonte com forte mobilização institucional nos vários níveis políticos e governamentais.

5 SANTA VITÓRIA VALE DO SÃO SIMÃO C I A E N E R G É T I C A ITUIUTABA VEREDAS RIO DO CACHIMBO W.D. ARAPORÃ DAMFI CACHOEIRA AROEIRA VPA VALE DO TIJUCO BEVAP SANTA JULIANA SÃO JUDAS TADEU DASA Posição Região Nº de Usinas 1º Triângulo 21 2º Noroeste 5 3º Alto Paranaíba 1 4º Centro-Oeste 2 5º Sul de Minas 3 6º Mucuri 1 7º Central 1 8º Zona da Mata 1 9º Norte 1 10º Rio Doce 0 Somente Açúcar: 2 LIMEIRA DO OESTE ITURAMA CARNEIRINHO ITAPAGIPE CAMPO FLORIDO FRUTAL UBERABA VOLTA GRANDE. DELTA CONQUISTA DE MINAS ALVORADA BEBEDOURO PASSOS AGROPÉU JATIBOCA Somente Etanol: 11 Usinas Mistas: 23 UNIDADES INSTALADAS (ANTERIORES A 2003) UNIDADES INSTALADAS (APÓS 2003) MONTE ALEGRE BAMBUI BIOSEV 18 usinas implantadas antes de usinas implantadas a partir de 2003 Fonte: SIAMIG

6 68% 78% TRIÂNGULO 72% - PARTICIPAÇÃO CANA - PARTICIPAÇÃO AÇÚCAR - PARTICIPAÇÃO ETANOL 4% 7% NOROESTE 9% 5% 11% ALTO PARANAÍBA 5% 2% 3% SUL 1% 7% OESTE 3% 2% 4% NORTE 0% 1% 3% CENTRAL 1% Fonte: SIAMIG 1% 1% 3% 2% ZONA DA MATA 0% JEQUITINHONHA MUCURI 2% Região Cana Açúcar Etanol Alto Paranaíba 5% 4% 5% Central 2% 1% 3% Centro-Oeste 5% 3% 7% Mucuri 2% 0% 3% Noroeste 9% 7% 11% Sul 3% 4% 2% Zona da Mata 1% 2% 1% Norte 1% 0% 1% Triângulo Mineiro 72% 78% 68%

7 MINAS GERAIS TERCEIRO LUGAR NO RANKING SAFRA 2015/16 MOAGEM DE CANA-DE-AÇÚCAR Estado Moagem (mil t) 1º São Paulo º Goiás º Minas Gerais º Mato G. do Sul º Paraná º Mato Grosso PRODUÇÃO DE ETANOL Estado Produção (mil m3) 1º São Paulo º Goiás º Minas Gerais º Mato G. do Sul º Paraná º Mato Grosso PRODUÇÃO DE AÇÚCAR Estado Produção (mil t) 1º São Paulo º Minas Gerais º Paraná º Goiás º Mato G. do Sul º Espírito Santo 71 TOTAL BRASIL = TOTAL BRASIL = TOTAL BRASIL = / /12 Fonte: SIAMIG/SINDAÇÚCAR-MG e dados de mercado EVOLUÇÃO POSIÇÃO NO RANKING - CANA 2º 2º 2º 3º 3º 3º 2012/ / / /16 Relação da Moagem de Minas Gerais com relação a São Paulo (Cana-de-açúcar) 2010/ / / / / /16 15,50% 16,40% 15,40% 16,40% 17,40% 17,60%

8 O QUE O SETOR REPRESENTA EM MINAS GERAIS 28 municípios com unidades industriais Números de empregados do setor sucroenergético mineiro (1.000) 929 mil hectares de cana 130 municípios canavieiros no estado Fonte: RAIS - MTE

9 OUTUBRO PRODUTOS 2ª ESTIMATIVA DE SAFRA MINAS GERAIS SAFRA PRODUÇÃO 2015/16 2ª ESTIMATIVA 2016/17 % VARIAÇÃO CANA (toneladas) ,1% AÇÚCAR (toneladas) ,4% ETANOL ANIDRO (m3) ,1% ETANOL HIDRATADO (m3) ,5% ETANOL TOTAL (m3) ,5% ATR (toneladas) ,2% ATR / TC 132,91 137,47 3,4% % de cana para açúcar 39,4% 47,0% % de cana para anidro 21,0% 21,6% % de cana para hidratado 39,6% 31,4% Litros de etanol / tonelada de cana 47,32 42,73-10% Quilos de açúcar / tonelada de cana 49,95 61,56 23% Fonte: SIAMIG/SINDAÇÚCAR-MG

10 Fonte: ANP

11 Fonte: ANP

12 O ETANOL E A BIOELETRICIDADE SÃO ALTERNATIVAS QUE COLOCARAM O BRASIL NA VANGUARDA DO PLANETA NO CAMPO DA SUBSTITUIÇÃO DE PETRÓLEO E DO COMBATE ÀS MUDANÇAS DO CLIMA. JÁ VIVEMOS A ERA DA TRAÇÃO ANIMAL, A ERA DO CARVÃO E AGORA ESTAMOS COMEÇANDO A SAIR DA ERA DO PETRÓLEO. A ERA DA ENERGIA FEITA COM CARBONO RECICLADO VIA FOTOSSÍNTESE FAZ MUITO MAIS SENTIDO. AFINAL, SE NÃO EXISTE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO SEM EMISSÕES DE CO2, TEMOS QUE UTILIZAR NOSSOS RECURSOS MINIMIZANDO O IMPACTO AO MEIO AMBIENTE.

Etanol Bioeletricidade - Energia limpa e renovável da cana de açúcar

Etanol Bioeletricidade - Energia limpa e renovável da cana de açúcar Etanol Bioeletricidade - Energia limpa e renovável da cana de açúcar Jadir Silva Oliveira Gerente de Meio Ambiente - SIAMIG Forum Mineiro de Energía Renovável Local : BDMG - Belo Horizonte/MG 03 de Junho

Leia mais

O IMPACTO DO ETANOL NO DESENVOLVIMENTO DE MINAS GERAIS

O IMPACTO DO ETANOL NO DESENVOLVIMENTO DE MINAS GERAIS CICLO DE DEBATES O IMPACTO DO ETANOL NO DESENVOLVIMENTO DE MINAS GERAIS LUIZ CUSTÓDIO COTTA MARTINS PRESIDENTE ASSSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MINAS GERAIS BELO HORIZONTE - MG 29/10/2009 A CANA COMO

Leia mais

ETANOL EM MINAS GERAIS

ETANOL EM MINAS GERAIS ETANOL EM MINAS GERAIS Mário Campos Gerente Executivo Belo Horizonte 28 de novembro de 2011 Sobre a SIAMIG A Associação das Indústrias Sucroenergéticas de Minas Gerais atua no ambiente de negócios da indústria

Leia mais

Dezembro/2015 Belo Horizonte - MG

Dezembro/2015 Belo Horizonte - MG SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO Dezembro/2015 Belo Horizonte - MG 2 03. Apresentação ÍNDICE 04. Dados de Minas Gerais 05. Área,

Leia mais

PROJETO AGROMINERAIS PARA BIOCOMBUSTÍVEIS

PROJETO AGROMINERAIS PARA BIOCOMBUSTÍVEIS PROJETO AGROMINERAIS PARA BIOCOMBUSTÍVEIS Potencial Agrícola e de Mercado no Brasil para Biocombustíveis e Biodiesel Centro de Tecnologia Mineral - CETEM Cia. Nacional de Abastecimento - Conab ÂNGELO BRESSAN

Leia mais

Reunião Pública com Analistas e Investidores

Reunião Pública com Analistas e Investidores 2014 Reunião Pública com Analistas e Investidores Grupo São Martinho 300.000 Ha Área agrícola de colheita 4 usinas São Martinho, Iracema, Santa Cruz e Boa Vista 20 milhões de toneladas Capacidade de processamento

Leia mais

LOCALIZAÇÃO DAS USINAS NO ESTADO

LOCALIZAÇÃO DAS USINAS NO ESTADO PERFIL DA PRODUÇÃO MINEIRA LOCALIZAÇÃO DAS USINAS NO ESTADO 43 USINAS EM FUNCIONAMENTO POSIÇÃO REGIÃO Nº DE USINAS 1º Triângulo 23 2º Noroeste 5 3º Sul de Minas 4 4º Centro-Oeste 3 5º Mucuri 2 6º Alto

Leia mais

Biocombustíveis e Instrumentos Econômicos para a Gestão Ambiental no Brasil

Biocombustíveis e Instrumentos Econômicos para a Gestão Ambiental no Brasil Biocombustíveis e Instrumentos Econômicos para a Gestão Ambiental no Brasil Gerson Teixeira Diretor de Economia e Meio Ambiente Secretaria de Políticas para o Desenvolvimento Sustentável Ministério do

Leia mais

MATRIZ ENERGÉTICA BRASILEIRA

MATRIZ ENERGÉTICA BRASILEIRA São Paulo, 05/09/2012 Ministério de Minas e Energia ABINEE ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA ELÉTRICA E ELETRÔNICA ABINEE TEC 2012 TALK SHOW MATRIZ ENERGÉTICA BRASILEIRA Altino Ventura Filho Secretário

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO CRÉDITO RURAL EM MINAS GERAIS

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO CRÉDITO RURAL EM MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO CRÉDITO RURAL EM DEZEMBRO/2013 EVOLUÇÃO DO CRÉDITO RURAL DISPONIBILIZADO - BRASIL (R$ BILHÕES) 157* 32,6

Leia mais

PAINEL REGIONAL DA INDÚSTRIA MINEIRA REGIONAIS FIEMG. Vale do Rio Grande

PAINEL REGIONAL DA INDÚSTRIA MINEIRA REGIONAIS FIEMG. Vale do Rio Grande PAINEL REGIONAL DA INDÚSTRIA MINEIRA REGIONAIS FIEMG Vale do Rio Grande Julho/2016 Objetivo Prover informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria no Estado de Minas Gerais e nas Regionais

Leia mais

Fundação Getúlio Vargas Instituto Brasileiro de Economia Centro de Estudos em Regulação e Infraestrutura

Fundação Getúlio Vargas Instituto Brasileiro de Economia Centro de Estudos em Regulação e Infraestrutura Rio de Janeiro, 04/julho/2013 Ministério de Fundação Getúlio Vargas Instituto Brasileiro de Economia Centro de Estudos em Regulação e Infraestrutura III Seminário sobre Matriz e Segurança Energética Brasileira

Leia mais

A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol

A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol 15º Seminário Produtividade e Redução de Custos da Agroindústria Canavieira A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol Francisco Oscar Louro Fernandes Ribeirão Preto, 30 de Novembro de

Leia mais

A bioeletricidade no setor sucroenergético

A bioeletricidade no setor sucroenergético A bioeletricidade no setor sucroenergético Zilmar Souza Bioeletricidade Audiência Pública Comissão de Serviços de Infraestrutura Senado Federal Brasília DF 22 de agosto de 2016 Sobre a UNICA http://www.unica.com.br/

Leia mais

Julho/2015 Belo Horizonte - MG

Julho/2015 Belo Horizonte - MG SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO Julho/2015 Belo Horizonte - MG 2 03. Apresentação ÍNDICE 04. Dados de Minas Gerais 05. Área, Produção

Leia mais

EXTERNALIDADES SOCIAIS DOS DIFERENTES COMBUSTÍVEIS NO BRASIL

EXTERNALIDADES SOCIAIS DOS DIFERENTES COMBUSTÍVEIS NO BRASIL EXTERNALIDADES SOCIAIS DOS DIFERENTES COMBUSTÍVEIS NO BRASIL Márcia Azanha Ferraz Dias de Moraes Cinthia Cabral da Costa Joaquim José Maria Guilhoto Luiz Gustavo Antonio de Souza Fabíola Cristina Ribeiro

Leia mais

Biodiesel: Combustível alinhado ao modelo de desenvolvimento global sustentável

Biodiesel: Combustível alinhado ao modelo de desenvolvimento global sustentável Versão 02/03/16 Biodiesel: Combustível alinhado ao modelo de desenvolvimento global sustentável Donizete Tokarski Diretor Superintendente Audiência Pública da Comissão Especial da Câmara dos Deputados

Leia mais

A Agricultura do Brasil e do Paraná

A Agricultura do Brasil e do Paraná Governo do Estado do Paraná A Agricultura do Brasil e do Paraná Políticas Públicas para a Produção de Biodiesel Orlando Pessuti Vice-Governador Abril/2007 BRASIL 5º Maior país do mundo PIB de US$ 1,0 trilhão

Leia mais

Biodiesel: produção e benefícios

Biodiesel: produção e benefícios Audiência Pública da Comissão Especial sobre Motores a Diesel para Veículos Leves Biodiesel: produção e benefícios Daniel Furlan Amaral Gerente de Economia Câmara dos Deputados Brasília DF 2 de março 2016

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO CRÉDITO RURAL EM MINAS GERAIS

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO CRÉDITO RURAL EM MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO CRÉDITO RURAL EM MINAS GERAIS Maio/2014 EVOLUÇÃO DO CRÉDITO RURAL DISPONIBILIZADO - BRASIL (R$ BILHÕES)

Leia mais

A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol

A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol 11º Seminário Produtividade e Redução de Custos da Agroindústria Canavieira A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol Francisco Oscar Louro Fernandes Ribeirão Preto, 28 de Novembro de

Leia mais

Oportunidades da Cana-de- Açúcar na região da Amazônia Legal. Biosol Agroindústria SA. Apresentação ao Congresso Nacional

Oportunidades da Cana-de- Açúcar na região da Amazônia Legal. Biosol Agroindústria SA. Apresentação ao Congresso Nacional Apresentação ao Congresso Nacional 1 Oportunidades da Cana-de- Açúcar na região da Amazônia Legal Biosol Agroindústria SA Álcool e Energia Elétrica Estado Roraima Maio de 2012 Índice 2 1. Setor Sucroalcoleiro

Leia mais

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Índice 1 - Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso 1.1 Agronegócio Soja 1.2 Agronegócio Milho 1.3 Agronegócio Algodão 1.4 Agronegócio Boi 2 Competitividade 2.1 Logística

Leia mais

A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol

A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol 10º Seminário sobre Redução de Custos na Agroindústria Canavieira A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol Francisco Oscar Louro Fernandes Ribeirão Preto, 30 de Novembro de 2011 Modelo

Leia mais

A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol

A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol 12ºSeminário Produtividade e Redução de Custos da Agroindústria Canavieira A evolução dos custos de produção de cana, açúcar e etanol Francisco Oscar Louro Fernandes Ribeirão Preto, 04 de Dezembro de 2013

Leia mais

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Produção e Agroenergia

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Produção e Agroenergia Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Produção e Agroenergia Brasília/DF 2010 2011 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Todos os direitos reservados. Permitida

Leia mais

O Mercado Brasileiro de Álcool: Perspectivas. João Carlos de Figueiredo Ferraz Presidente da CRYSTALSEV

O Mercado Brasileiro de Álcool: Perspectivas. João Carlos de Figueiredo Ferraz Presidente da CRYSTALSEV O Mercado Brasileiro de Álcool: Perspectivas João Carlos de Figueiredo Ferraz Presidente da CRYSTALSEV 2º Seminário Internacional CANA & ENERGIA Agosto de 2002 Produção Mensal na Região Centro-Sul Álcool

Leia mais

VP Negócios Emergentes SN Agronegócios. Crédito Rural

VP Negócios Emergentes SN Agronegócios. Crédito Rural VP Negócios Emergentes SN Agronegócios Crédito Rural Agronegócio no Brasil fonte: SECEX/MDIC PIB Brasil 2013 R$ 4.838 bi Agronegócios R$ 1.020 bi * 21.08% US$ Bilhões 300 250 200 Exportações Brasileiras

Leia mais

ETANOL O BIOCOMBUSTÍVEL DO BRASIL

ETANOL O BIOCOMBUSTÍVEL DO BRASIL ETANOL O BIOCOMBUSTÍVEL DO BRASIL LUIZ CUSTÓDIO COTTA MARTINS PRESIDENTE TECNOLOGIAS AMBIENTAIS: ENERGIA RENOVÁVEL A PARTIR DE BIOMASSA E RESÍDUOS AGRÍCOLAS VIÇOSA - MG 27/08/2009 SUMÁRIO 1. A CANA-DE-AÇÚCAR

Leia mais

Panorama da Inovação no Setor e Efeitos Econômicos da Paridade. Depto de Biocombustíveis BNDES Marcelo Soares Valente

Panorama da Inovação no Setor e Efeitos Econômicos da Paridade. Depto de Biocombustíveis BNDES Marcelo Soares Valente Panorama da Inovação no Setor e Efeitos Econômicos da Paridade Depto de Biocombustíveis Marcelo Soares Valente Principais Pontos Tratados Panorama e importância histórica (e para o futuro) da Inovação

Leia mais

Seminário Brasil-Alemanha de Eficiência Energética. A escassez de água no Brasil e o impacto na geração de energia

Seminário Brasil-Alemanha de Eficiência Energética. A escassez de água no Brasil e o impacto na geração de energia Seminário Brasil-Alemanha de Eficiência Energética no Brasil e o impacto na geração Cilene Victor 1 Professora de Jornalismo e Relações Públicas e coordenadora do Centro Interdisciplinar de Pesquisa da

Leia mais

Oportunidades de Negócios em Minas Gerais. Mauricio Cecilio Diretor de Promoção de Investimentos

Oportunidades de Negócios em Minas Gerais. Mauricio Cecilio Diretor de Promoção de Investimentos Oportunidades de Negócios em Minas Gerais Mauricio Cecilio Diretor de Promoção de Investimentos Aspectos de MG 588.000 km2 20 milhões de habitantes 18.000 escolas básicas 289 faculdades/universidades 265.000

Leia mais

Teleconferência dos Resultados do 1T10 Ano Safra 2009/2010

Teleconferência dos Resultados do 1T10 Ano Safra 2009/2010 Teleconferência dos Resultados do 1T10 Ano Safra 2009/2010 DISCLAIMER Eventuais declarações que possam ser feitas durante esta apresentação, relativas às perspectivas de negócios da Companhia, projeções

Leia mais

POTENCIAL BRASILEIRO PARA PRODUÇÃO DE BIOCOMBUSTÍVEIS

POTENCIAL BRASILEIRO PARA PRODUÇÃO DE BIOCOMBUSTÍVEIS Seminário Internacional de Energias Renováveis Brasília, DF 11 de Abril de 2006 POTENCIAL BRASILEIRO PARA PRODUÇÃO DE BIOCOMBUSTÍVEIS Paulo C. R. Lima, M.Sc., Ph.D. Consultor Legislativo da Câmara dos

Leia mais

Discurso de condecoração de Cavaleiro da ordem nacional. do mérito agrícola a Sr. Jacyr Costa Filho. Diretor da divisão Brasil do grupo Tereos

Discurso de condecoração de Cavaleiro da ordem nacional. do mérito agrícola a Sr. Jacyr Costa Filho. Diretor da divisão Brasil do grupo Tereos Discurso de condecoração de Cavaleiro da ordem nacional do mérito agrícola a Sr. Jacyr Costa Filho Diretor da divisão Brasil do grupo Tereos e Presidente do CA de Guarani Brasília, 8 de junho de 2016 Senhor

Leia mais

CANA-DE-AÇÚCAR NO BRASIL E NO MUNDO

CANA-DE-AÇÚCAR NO BRASIL E NO MUNDO CANA-DE-AÇÚCAR NO BRASIL E NO MUNDO Global Distribution of Sugarcane Netafim's Agriculture Department Valor e produção da cultura de cana-de-açúcar dos 20 principais produtores mundiais em 2010 FAO País

Leia mais

Diretoria de Agronegócios. BB e o Agronegócio

Diretoria de Agronegócios. BB e o Agronegócio Diretoria de Agronegócios BB e o Agronegócio Importância do Agronegócio no Brasil + 35% nas exportações do país 197,9 40,9% 41,1% 37,4% 55,1 58,2 60,4 20,6 23,8 24,8 41,9% 73,1 30,6 160,6 40,4% 137,5 118,3

Leia mais

Oportunidades para apoio ao desenvolvimento do Centro Oeste. 25 de junho de 2013.

Oportunidades para apoio ao desenvolvimento do Centro Oeste. 25 de junho de 2013. Oportunidades para apoio ao desenvolvimento do Centro Oeste. 25 de junho de 2013. O Estado de Goiás Goiás, uma das 27 unidades federativas, está situado na região Centro Oeste do País ocupando uma área

Leia mais

Desafios para o Investimento em Novas Usinas de Etanol no Brasil

Desafios para o Investimento em Novas Usinas de Etanol no Brasil Desafios para o Investimento em Novas Usinas de Etanol no Brasil Dezembro, 2011 11 Sumário SEÇÃO 1 SEÇÃO 2 SEÇÃO 3 SEÇÃO 4 Rápida Avaliação Setorial Desempenho Econômico-Financeiro Quadro Evolutivo Setorial

Leia mais

Versão 21 Mai 14 IMPACTOS DO PNPB

Versão 21 Mai 14 IMPACTOS DO PNPB Versão 21 Mai 14 IMPACTOS DO PNPB Aspectos mais relevantes das Externalidades Positivas do PNPB (Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel) e Impactos na Progressão da Mistura. Programa Nacional

Leia mais

CARNE AVÍCOLA NOVEMBRO DE 2016

CARNE AVÍCOLA NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CARNE AVÍCOLA NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

Hidrovias: Uma visão do futuro

Hidrovias: Uma visão do futuro Hidrovias: Uma visão do futuro Fernando Antonio Brito Fialho Diretor-Geral da ANTAQ Data: 18 de agosto de 2010 I Seminário Portuário Público Privado Latino-Americano Hidrovias: Uma visão do futuro Slide

Leia mais

ANÁLISE DO CONSUMO ENERGÉTICO E DA EMISSÃO CO 2 e DA VALLOUREC TUBOS DO BRASIL S.A NO PERÍODO DE 2008 À 2013

ANÁLISE DO CONSUMO ENERGÉTICO E DA EMISSÃO CO 2 e DA VALLOUREC TUBOS DO BRASIL S.A NO PERÍODO DE 2008 À 2013 ANÁLISE DO CONSUMO ENERGÉTICO E DA EMISSÃO CO 2 e DA VALLOUREC TUBOS DO BRASIL S.A NO PERÍODO DE 2008 À 2013 Autoras: Camila Quintão Moreira Fabiana Alves Thaíse de Oliveira Souza Porto Alegre 2016 INTRODUÇÃO

Leia mais

Perspectivas do Etanol na Matriz de Transportes do Brasil

Perspectivas do Etanol na Matriz de Transportes do Brasil Perspectivas do Etanol na Matriz de Transportes do Brasil SEMINÁRIO INTERNACIONAL: USO EFICIENTE DO ETANOL Aurélio César Nogueira Amaral Diretor 20.09.2016 Missões da ANP REGULAR Estabelecer as normas

Leia mais

São Paulo Têxtil 2014 Relatório Setorial da Indústria Têxtil e Confecção no Estado de São Paulo

São Paulo Têxtil 2014 Relatório Setorial da Indústria Têxtil e Confecção no Estado de São Paulo apresenta: São Paulo Têxtil 2014 Relatório Setorial da Indústria Têxtil e Confecção no Estado de São Paulo Dezembro de 2014 São Paulo Têxtil Polo Americana e Região Visão da Indústria Têxtil Paulista Principal

Leia mais

VOCÊ SABE QUAIS SÃO AS MAIORES FONTES DE GASES DE EFEITO ESTUFA NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO?

VOCÊ SABE QUAIS SÃO AS MAIORES FONTES DE GASES DE EFEITO ESTUFA NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO? MEIO AMBIENTE MUDANÇA CLIMÁTICA VOCÊ SABE QUAIS SÃO AS MAIORES FONTES DE GASES DE EFEITO ESTUFA NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO? Comparação das Emissões Totais e por Habitante de São Paulo, em GWP (t CO2 eq)

Leia mais

REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO JOÃO CRUZ REIS FILHO SECRETÁRIO DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Brasília/DF JULHO DE 2015 22 CENÁRIO POPULACIONAL

Leia mais

Biodiesel no Brasil. Ricardo Borges Gomide. Departamento de Combustíveis Renováveis

Biodiesel no Brasil. Ricardo Borges Gomide. Departamento de Combustíveis Renováveis Biodiesel no Brasil Ricardo Borges Gomide Departamento de Combustíveis Renováveis São Paulo, 18.11.2011 Papel do Biodiesel 2 Biodiesel como mais um Energético na Matriz 3 Concorre com outros produtos e

Leia mais

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS EDIÇÃO N o 87 Abril/2015 SUMÁRIO

Leia mais

Brasília,26 de novembro de SETOR SUCROALCOOLEIRO

Brasília,26 de novembro de SETOR SUCROALCOOLEIRO Brasília,26 de novembro de 2015. SETOR SUCROALCOOLEIRO Açúcar: Avaliação de Oferta e Demanda Mundial F o n t e : U S D A Superávit/Déficit Global S&D Safra 15/16 (base Out-Set) Produção / Demanda Balanço

Leia mais

Emissões de CO 2 pelo uso de combustíveis. Érica Ferraz Vanderley John Vanessa Bessa

Emissões de CO 2 pelo uso de combustíveis. Érica Ferraz Vanderley John Vanessa Bessa Emissões de CO 2 pelo uso de combustíveis Érica Ferraz Vanderley John Vanessa Bessa Combustíveis Fósseis Carbono retido na crosta terrestre durante eras geológicas Renováveis Carbono retirado da atmosfera

Leia mais

Agenda. Braskem e Visão Função da ACV. GCV na Braskem. Perspectivas Futuras. Conclusões

Agenda. Braskem e Visão Função da ACV. GCV na Braskem. Perspectivas Futuras. Conclusões Agenda Braskem e Visão 2020 Função da ACV GCV na Braskem Perspectivas Futuras Conclusões Indústria Petroquímica Nafta Gás natural Integração Competitiva PE PP PVC 1ª Geração 2ª Geração Extração 3ª Geração

Leia mais

Energia Eólica Agosto / 2016

Energia Eólica Agosto / 2016 Energia Eólica Agosto / 2016 Associados 2 Histórico do Setor Elétrico - Brasileiro 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 Base Conceitual do Novo Modelo - MPs 144 e 145 Instituição do PROINFA Regulamentação

Leia mais

Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica. Panorama Econômico e Desempenho Setorial

Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica. Panorama Econômico e Desempenho Setorial Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica Panorama Econômico e Desempenho Setorial 2009 Apresentação Fundada em 1963, a Abinee - Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica

Leia mais

ALBIOMA I SEMINÁRIO MINEIRO DE BIOELETRICIDADE: A ENERGIA ELÉTRICA DA CANA-DE-AÇÚCAR

ALBIOMA I SEMINÁRIO MINEIRO DE BIOELETRICIDADE: A ENERGIA ELÉTRICA DA CANA-DE-AÇÚCAR ALBIOMA I SEMINÁRIO MINEIRO DE BIOELETRICIDADE: A ENERGIA ELÉTRICA DA CANA-DE-AÇÚCAR Outubro 2016 NOSSO OBJETIVO COMUM 1. Disponibilidade de biomassa 2. Tecnologia consolidada 3. Condições econômicas voltam

Leia mais

Comercialização de Energia ACL e ACR

Comercialização de Energia ACL e ACR Comercialização de Energia ACL e ACR Capítulo 1 Panorama Energético no Brasil e no Mundo Prof. Alvaro Augusto W. de Almeida Universidade Tecnológica Federal do Paraná Departamento Acadêmico de Eletrotécnica

Leia mais

O Agronegócio Hoje Atualidade e Tendências

O Agronegócio Hoje Atualidade e Tendências O Agronegócio Hoje Atualidade e Tendências AMCHAM 13 de Julho de 2016 Agronegócio - Balança Comercial - US$ Bilhões Fonte: WTO. Elaboração MBAGro. Brasil: Liderança Global no Agronegócio Suco de laranja

Leia mais

UMA SOLUÇÃO PARA O ETANOL BRASILEIRO

UMA SOLUÇÃO PARA O ETANOL BRASILEIRO UMA SOLUÇÃO PARA O ETANOL BRASILEIRO O Brasil tem o programa mais bem sucedido de substituição de combustível fóssil por combustível renovável no mundo. Esse resultado só foi possível pela resposta do

Leia mais

Biodiesel: Panorama e perspectivas. 23 de Abril 2014 Cuiabá - MT

Biodiesel: Panorama e perspectivas. 23 de Abril 2014 Cuiabá - MT Biodiesel: Panorama e perspectivas 23 de Abril 2014 Cuiabá - MT 1 Sumário Tecnologias de produção; A biomassa na matriz energética; Capacidade agrícola brasileira; Histórico do PNPB; Mercado; Novo marco

Leia mais

MUDANÇA CLIMÁTICA E CRESCIMENTO VERDE

MUDANÇA CLIMÁTICA E CRESCIMENTO VERDE MUDANÇA CLIMÁTICA E CRESCIMENTO VERDE POLÍTICA PARA OS COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS Segundo Diálogo Nacional Rio de Janeiro (21/11/2014) CINDES Professor Adilson de Oliveira adilson@ie.ufrj.br ROTEIRO Novo contexto

Leia mais

Perspectivas para o biodiesel no Brasil

Perspectivas para o biodiesel no Brasil Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Palma de Óleo Perspectivas para o biodiesel no Brasil Fábio Guerra Assessor Econômico Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Brasília DF 17 de março

Leia mais

i t soluções para destravar o setor Plinio Nastari DATAGRO 14o. ENCONTRO FIESP DE ENERGIA MATRIZ SEGURA E COMPETITIVA 5 e 6 de Agosto de 2013

i t soluções para destravar o setor Plinio Nastari DATAGRO 14o. ENCONTRO FIESP DE ENERGIA MATRIZ SEGURA E COMPETITIVA 5 e 6 de Agosto de 2013 Biocombustíveis/etanol: i t soluções para destravar o setor Plinio Nastari DATAGRO 14o. ENCONTRO FIESP DE ENERGIA MATRIZ SEGURA E COMPETITIVA 5 e 6 de Agosto de 2013 Demanda Potencial Produção Brasileira

Leia mais

Projetos de Cogeração e de Geração Distribuída a Biomassa

Projetos de Cogeração e de Geração Distribuída a Biomassa Projetos de Cogeração e de Geração Distribuída a Biomassa Descrição Implantação de usinas de cogeração e geração distribuída (Gedis) na Zona da Mata do Estado de Alagoas junto às usinas produtoras de açúcar

Leia mais

FONTE DE ENERGIA RENOVÁVEL. Prof.º: Carlos D Boa - geofísica

FONTE DE ENERGIA RENOVÁVEL. Prof.º: Carlos D Boa - geofísica FONTE DE ENERGIA RENOVÁVEL Prof.º: Carlos D Boa - geofísica Introdução Biocombustíveis (Biodiesel, Etanol e Hidrogênio) Biogás Biomassa Energia Eólica Energia das Marés Energia Hidrelétrica Energia Solar

Leia mais

Cenário e Desafios para a Expansão do Setor Sucroenergético

Cenário e Desafios para a Expansão do Setor Sucroenergético Cenário e Desafios para a Expansão do Setor Sucroenergético O SETOR SUCROENERGÉTICO HOJE Estrutura produtiva: 430 unidades produtoras Produtores de cana-de-açúcar: 70.000 Empregos diretos: 1,2 milhão PIB

Leia mais

Perspec8vas para a agropecuária brasileira para os próximos cinco anos

Perspec8vas para a agropecuária brasileira para os próximos cinco anos www.imea.com.br Perspec8vas para a agropecuária brasileira para os próximos cinco anos Daniel Latorraca Superintendente Agenda Visão da cadeia de grãos nos últimos 10 anos Visão da pecuária nos últimos

Leia mais

. Reafirmar a importância do etanol como tema estratégico para a economia, o meio-ambiente, a geração de empregos e o futuro do País

. Reafirmar a importância do etanol como tema estratégico para a economia, o meio-ambiente, a geração de empregos e o futuro do País o que é O QUE É. Lançado em Brasília em dezembro de 2011, o Movimento Mais Etanol visa detalhar e disseminar políticas públicas e privadas indispensáveis para: w O restabelecimento da competitividade do

Leia mais

Associação Brasileira dos Produtores de Soja

Associação Brasileira dos Produtores de Soja Associação Brasileira dos Produtores de Soja De acordo com o 5 Levantamento de safra 2015/16, publicado em fevereiro pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), a área plantada deve crescer 3,6%

Leia mais

SEAB Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento DERAL - Departamento de Economia Rural. MILHO PARANENSE - SAFRA 2013/14 Novembro de 2013

SEAB Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento DERAL - Departamento de Economia Rural. MILHO PARANENSE - SAFRA 2013/14 Novembro de 2013 MILHO PARANENSE - SAFRA 2013/14 Novembro de 2013 A estimativa para a 1ª safra de milho, temporada 2013/14, aponta uma redução de aproximadamente 180 mil hectares, que representa um decréscimo de 23% em

Leia mais

ANO XII - Nº 29 - SETEMBRO, OUTUBRO, NOVEMBRO E DEZEMBRO DE 2014

ANO XII - Nº 29 - SETEMBRO, OUTUBRO, NOVEMBRO E DEZEMBRO DE 2014 JORNAL INFORMATIVO DA ASSOCIAÇÃO DAS INDÚSTRIAS SUCROENERGÉTICAS DE MINAS GERAIS Canavial ANO XII - Nº 29 - SETEMBRO, OUTUBRO, NOVEMBRO E DEZEMBRO DE 2014 Cana sem queima gera vantagens altamente positivas

Leia mais

SISTEMA SINDICAL RURAL ESPAÇO RESERVADO PARA O NOME DO PALESTRANTE

SISTEMA SINDICAL RURAL ESPAÇO RESERVADO PARA O NOME DO PALESTRANTE ESPAÇO RESERVADO PARA O NOME DO PALESTRANTE QUEM SOMOS? Entidade sindical Por quê? Reconhecidos pelo Ministério do Trabalho e Emprego Sindicato: 1º grau FAEMG: 2º grau CNA: 2º grau ORGANIZAÇÃO E ATUAÇÃO

Leia mais

LSPA. Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. Dezembro de Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no ano civil

LSPA. Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. Dezembro de Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no ano civil Diretoria de Pesquisas Coordenação de Agropecuária Gerência de Agricultura LSPA Dezembro de 2013 Levantamento Sistemático da Produção Agrícola Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas

Leia mais

Balanço dos 10 anos do Selo Combustível Social

Balanço dos 10 anos do Selo Combustível Social SEMINÁRIO NACIONAL DE AVALIAÇÃO DO SELO COMBUSTÍVEL SOCIAL: A INCLUSÃO SOCIAL E PRODUTIVA DA AGRICULTURA FAMILIAR NOS 10 ANOS DO PNPB Balanço dos 10 anos do Selo Combustível Social Dezembro de 2015 Brasília

Leia mais

Desafios, Necessidades e Perspectivas na Formação e Capacitação de Recursos Humanos para Exportação, Refino e Distribuição de Produtos Existentes nas

Desafios, Necessidades e Perspectivas na Formação e Capacitação de Recursos Humanos para Exportação, Refino e Distribuição de Produtos Existentes nas Desafios, Necessidades e Perspectivas na Formação e Capacitação de Recursos Humanos para Exportação, Refino e Distribuição de Produtos Existentes nas Reservas Petrolíferas do Pré-Sal Audiência Pública

Leia mais

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis EDIÇÃO N o 94 Novembro/2015 BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: MAIO/2016 CEPEA AÇÚCAR & ETANOL I Análise Conjuntural II Séries Estatísticas 1. Relações de preços mercados interno e internacional (paridade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA DEPARTAMENTO DE QUÍMICA TEMA 4: FONTES DE ENERGIA E MEIO AMBIENTE

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA DEPARTAMENTO DE QUÍMICA TEMA 4: FONTES DE ENERGIA E MEIO AMBIENTE UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA DEPARTAMENTO DE QUÍMICA TEMA 4: FONTES DE ENERGIA E MEIO AMBIENTE Alunas: Erika Martins dos Reis 1 Alessandra B. R. de Azevedo Disciplina: Química do Meio Ambiente

Leia mais

Potencial para a produção florestal do Estado do Rio de Janeiro

Potencial para a produção florestal do Estado do Rio de Janeiro Potencial para a produção florestal do Estado do Rio de Janeiro 25 de Abril de 2013. Marcelo Santos Ambrogi Marcelo.ambrogi@imaflorestal.com.br Ibá - 2014 RJ =? Ibá - 2014 RIO DE JANEIRO O que os investidores

Leia mais

DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos AÇÚCAR E ETANOL NOVEMBRO DE 2016

DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos AÇÚCAR E ETANOL NOVEMBRO DE 2016 DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos AÇÚCAR E ETANOL NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

O Brasil comemora em 2016 a capacidade instalada de produção de10 Mws. Em 2014 o Brasil ocupou a 4ª posição quanto a expansão dessa opção energética

O Brasil comemora em 2016 a capacidade instalada de produção de10 Mws. Em 2014 o Brasil ocupou a 4ª posição quanto a expansão dessa opção energética PETRÓLEO O Brasil comemora em 2016 a capacidade instalada de produção de10 Mws. Em 2014 o Brasil ocupou a 4ª posição quanto a expansão dessa opção energética Fonte renovável Concentrada no NE Maiores produtores

Leia mais

PROJEÇÃO DA PRODUÇÃO E CONSUMO DE DIESEL E BIODIESEL DA REGIÃO CENTRO-OESTE ATÉ O ANO 2030.

PROJEÇÃO DA PRODUÇÃO E CONSUMO DE DIESEL E BIODIESEL DA REGIÃO CENTRO-OESTE ATÉ O ANO 2030. PROJEÇÃO DA PRODUÇÃO E CONSUMO DE DIESEL E BIODIESEL DA REGIÃO CENTRO-OESTE ATÉ O ANO 2030. Mônica Joelma do Nascimento Anater 1 ; Eduardo Mirko Valenzuela Turdera 2 ; Vanessa Martins de Oliveira 3, Milena

Leia mais

Ministério de Minas e Energia POTENCIAL DA BIOMASSA E DOS BIO-COMBUSTÍVEIS NO BRASIL: EXPERIÊNCIAS DE SUCESSO

Ministério de Minas e Energia POTENCIAL DA BIOMASSA E DOS BIO-COMBUSTÍVEIS NO BRASIL: EXPERIÊNCIAS DE SUCESSO Ministério de Minas e Energia Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético POTENCIAL DA BIOMASSA E DOS BIO-COMBUSTÍVEIS NO BRASIL: EXPERIÊNCIAS DE SUCESSO Reunión Ministerial Iberoamericana

Leia mais

A crise da energia hidráulica brasileira em 2001

A crise da energia hidráulica brasileira em 2001 A crise da energia hidráulica brasileira em 2001 Mais de 97% da energia elétrica no Brasil é Mais de 97% da energia elétrica no Brasil é de origem hidráulica. Esse fato deixa o Brasil na dependência de

Leia mais

COLÉGIO 7 DE SETEMBRO DISICIPLINA DE GEOGRAFIA PROF. RONALDO LOURENÇO 1º 1 PERCURSO 26 (PARTE 3) A PRODUÇÃO MUNDIAL DE ENERGIA

COLÉGIO 7 DE SETEMBRO DISICIPLINA DE GEOGRAFIA PROF. RONALDO LOURENÇO 1º 1 PERCURSO 26 (PARTE 3) A PRODUÇÃO MUNDIAL DE ENERGIA COLÉGIO 7 DE SETEMBRO DISICIPLINA DE GEOGRAFIA PROF. RONALDO LOURENÇO 1º 1 PERCURSO 26 (PARTE 3) A PRODUÇÃO MUNDIAL DE ENERGIA ENERGIA: EVOLUÇÃO HISTÓRICA E CONSTEXTO ATUAL ENERGIAS NÃO RENOVÁVEIS 1 PETRÓLEO

Leia mais

Dlt Dalton Carlos Heringer CEO e Membro do Conselho. Diretor de Controladoria e de Relações com Investidores. 12 de Março de 2009

Dlt Dalton Carlos Heringer CEO e Membro do Conselho. Diretor de Controladoria e de Relações com Investidores. 12 de Março de 2009 Visão Geral Da Companhia Dlt Dalton Carlos Heringer CEO e Membro do Conselho Wilson Rio Mardonado d Diretor de Controladoria e de Relações com Investidores 12 de Março de 2009 Mercado Mundial de Fertilizantes

Leia mais

Petróleo e Biocombustíveis: A eterna busca pela autossuficiência. Suani Teixeira Coelho Sao Paulo, 5 de agosto de 2013

Petróleo e Biocombustíveis: A eterna busca pela autossuficiência. Suani Teixeira Coelho Sao Paulo, 5 de agosto de 2013 Petróleo e Biocombustíveis: A eterna busca pela autossuficiência Suani Teixeira Coelho Sao Paulo, 5 de agosto de 2013 No segmento de refino, a produção de derivados atingiu 2,02 milhões de barris/dia,

Leia mais

Perspectivas Mundiais dos Biocombustíveis

Perspectivas Mundiais dos Biocombustíveis Perspectivas Mundiais dos Biocombustíveis Sillas Oliva Filho Maio, 2007 Petrobras e os Biocombustíveis Uso dos Biocombustíveis no Mundo Motivação para os Biocombustíveis Atividades da Petrobras nos Biocombustíveis

Leia mais

NOVO PROGRAMA. Programa Petrobras SOCIOAMBIENTAL

NOVO PROGRAMA. Programa Petrobras SOCIOAMBIENTAL NOVO PROGRAMA Programa Petrobras SOCIOAMBIENTAL 2014-2018 1 PETROBRAS Fundada em 1953, a partir de uma campanha popular O petróleo é nosso. Empresa integrada de energia Sociedade anônima de capital aberto

Leia mais

RELOP III Reunião Anual Rio de Janeiro, 04 de novembro de 2010

RELOP III Reunião Anual Rio de Janeiro, 04 de novembro de 2010 Os Biocombustíveis no Brasil RELOP III Reunião Anual Rio de Janeiro, 04 de novembro de 2010 SUMÁRIO 1. Alguns dados d sobre o Brasil e a ANP 2. Os biocombustíveis no Brasil 3. O etanol 4. O biodiesel PANORAMA

Leia mais

Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular PROGRAMA BRASILEIRO DE ETIQUETAGEM VEICULAR

Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular PROGRAMA BRASILEIRO DE ETIQUETAGEM VEICULAR Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular PROGRAMA BRASILEIRO DE ETIQUETAGEM VEICULAR O Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular é um programa de eficiência energética para veículos leves coordenado

Leia mais

Inventário das Emissões de gases de efeito estufa

Inventário das Emissões de gases de efeito estufa Inventário das Emissões de gases de efeito estufa Ano de referência do inventário: 2011 SAP Brasil Ltda Nome fantasia: SAP Brasil - CNPJ: 74.544.297/0001-92 Tipo da empresa: Matriz Setor econômico: J.

Leia mais

Edição 37 (Março2014)

Edição 37 (Março2014) Edição 37 (Março2014) Cenário Econômico: PIB brasileiro cresce 2,3% em 2013 e chega a R$ 4,8 trilhões A economia brasileira cresceu 0,7% no quarto trimestre de 2013, na comparação com os três meses anteriores,

Leia mais

ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL ÁREA DE BIOENERGIA E SUCROALCOOLEIRA

ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL ÁREA DE BIOENERGIA E SUCROALCOOLEIRA ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL ÁREA DE BIOENERGIA E SUCROALCOOLEIRA A CANA-DE-AÇÚCAR E O SETOR SUCROALCOOLEIRO (SITUAÇÃO 2010 E TENDÊNCIAS

Leia mais

AÇÕES REALIZADAS EM 2014

AÇÕES REALIZADAS EM 2014 RESÍDUOS SÓLIDOS - Articulação junto à CNI para criar a proposta de resolução CONAMA sobre aproveitamento de Areias de Fundição - Distribuição de cartilhas A Indústria e a Política Nacional de resíduos

Leia mais

Geografia. As Regiões Geoeconômicas do Brasil. Professor Luciano Teixeira.

Geografia. As Regiões Geoeconômicas do Brasil. Professor Luciano Teixeira. Geografia As Regiões Geoeconômicas do Brasil Professor Luciano Teixeira www.acasadoconcurseiro.com.br Geografia Aula XX AS REGIÕES GEOECONÔMICAS DO BRASIL A divisão regional oficial do Brasil é aquela

Leia mais

Abertura da safra de cana é muito prestigiada no Triângulo Mineiro

Abertura da safra de cana é muito prestigiada no Triângulo Mineiro JORNAL INFORMATIVO DA ASSOCIAÇÃO DAS INDÚSTRIAS SUCROENERGÉTICAS DE MINAS GERAIS Canavial ANO XIV - Nº 33 - FEVEREIRO, MARÇO, ABRIL E MAIO DE 2016 Abertura da safra de cana é muito prestigiada no Triângulo

Leia mais

Quadro II - PREÇO DO AÇÚCAR CRISTAL COLOCADO NO PORTO DE SANTOS - SP NA CONDIÇÃO SOBRE RODAS - (Em R$/Saca de 50kg*) 24

Quadro II - PREÇO DO AÇÚCAR CRISTAL COLOCADO NO PORTO DE SANTOS - SP NA CONDIÇÃO SOBRE RODAS - (Em R$/Saca de 50kg*) 24 CANA-DE-AÇÚCAR Período: Abril/2016 Quadro I - PREÇO NA USINA EM SÃO PAULO (Em R$/unidade*) Produtos Unidade Página 1 24 Meses 12 Meses 1 Mês Mês Atual Açúcar Cristal Cor ICUMSA 130 a 180 Saco/50 kg 51,70

Leia mais

O Panorama da Citricultura no Mundo Paraná 17/02/2011. Christian Lohbauer Presidente da CitrusBR

O Panorama da Citricultura no Mundo Paraná 17/02/2011. Christian Lohbauer Presidente da CitrusBR O Panorama da Citricultura no Mundo Paraná 17/02/2011 Christian Lohbauer Presidente da CitrusBR A CitrusBR Fundada em Junho de 2009 por quatro empresas cuja produção conjunta de suco de laranja corresponde

Leia mais

CANA & ENERGIA. Estoques Estratégicos de Combustíveis. Carlos Valois Maciel Braga

CANA & ENERGIA. Estoques Estratégicos de Combustíveis. Carlos Valois Maciel Braga CANA & ENERGIA Estoques Estratégicos de Combustíveis Carlos Valois Maciel Braga Superintendente de Comercialização e Movimentação de Petróleo e seus Derivados Agência Nacional do Petróleo - ANP Coordenador

Leia mais

Mercado de hidratado cresce e empresas respiram mais aliviadas

Mercado de hidratado cresce e empresas respiram mais aliviadas JORNAL INFORMATIVO DA ASSOCIAÇÃO DAS INDÚSTRIAS SUCROENERGÉTICAS DE MINAS GERAIS Canavial ANO XIII - Nº 32 - SETEMBRO, OUTUBRO, NOVEMBRO E DEZEMBRO DE 2015 Mercado de hidratado cresce e empresas respiram

Leia mais