Observatório de Segurança Pública de Canoas: contribuições à gestão pública municipal da segurança

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Observatório de Segurança Pública de Canoas: contribuições à gestão pública municipal da segurança"

Transcrição

1 SEMINÁRIO OBSERVATÓRIOS, METODOLOGIAS E IMPACTOS NAS POLÍTICAS PÚBLICAS Observatório de Segurança Pública de Canoas: contribuições à gestão pública municipal da segurança Equipe Observatório: Eduardo Pazinato (Coordenador institucional, Advogado, Mestre em Direito) Aline Kerber (Coordenadora de Pesquisas, Socióloga e Especialista em Seg. Pública e Cidadania) Heloíse Canal (Geógrafa) Janine Prandini (Socióloga) Marcos Conte (Sociólogo e Mestre em Sociologia) Rodrigo Sabedot (Sociólogo)

2 Apresentação Desde quando? Maio de O que é? É um centro de pesquisa social aplicada na Secretaria Municipal de Segurança Pública e Cidadania de Canoas. Diretriz principal: analisar e construir dados e indicadores que embasem as políticas públicas de segurança construídas no município, através de informações aprofundadas dos agenciamentos, natureza e incidência das violências e dos eventos (não)criminais. Tripé de formação: Prefeitura Municipal de Canoas, FBSP e Grupo de Pesquisa Violência e Cidadania da UFRGS. Equipe: Sociólogos (4) e Geógrafa (1)

3 Desenho Institucional da Política Municipal de Segurança Pública de Canoas GGI-M GGI-M

4 Ciclo das políticas públicas de segurança a) Planejamento: Diagnóstico + Formulação b) Implementação: Plano de Ação + Intervenção c) Avaliação: Monitoramento + Accountability

5 LINHAS DE ATUAÇÃO GUARDA COMUNITÁRIA NOVAS NOVAS TECNOLOGIAS TECNOLOGIAS INTEGRAÇÃO ENTRE AS FORÇAS POLICIAIS SEGURANÇA CIDADÃ PARTICIPAÇÃO CIDADÃ CIDADÃ PROJETOS PROJETOS SOCIAIS SOCIAIS

6 Escopo do Observatório Diagnósticos para a elaboração de Políticas de Segurança Pública Municipal 1)Política de Prevenção às Violências nas Escolas (ROVE e REG-M); 2)Novo TP na Grande Mathias Velho; 3)Implementação de Unidades de Policiamento Comunitário no Município; 4)Área de cobertura das câmeras de videomonitoramento; 5)Elaboração de desenho de pesquisa de vitimização em 2012; 6)Estruturação do Conselho Municipal de Segurança Pública (Participação Cidadã); 7)Potencialização das ações da BM, GM e Pronasci (através do georreferenciamento).

7 Escopo do Observatório Plano de Avaliação da Política de Segurança Pública Municipal 1) Projetos Sociais PRONASCI (representações sociais e sensação de segurança) 2) Novas Tecnologias de Controle Social (eficácia do sistema na diminuição dos crimes - indicadores criminais e sensação de segurança); 3) Participação Cidadã (sensação de segurança, adesão às ações da Política Municipal de Segurança,)

8 Escopo do Observatório Plano de Avaliação da Política de Segurança Pública Municipal 4) Guarda Comunitária (Relação dos GMs com a comunidade reconhecimento, identidade, desempenho, QVT); 5) Integração (Intervenção na metodologia de construção dos PIF e Ações Integradas estimulando que as Polícias fortaleçam o trabalho dos órgãos de fiscalização do município e vice-versa, nas dimensões: de repressão qualificada e prevenção aos crimes);

9 Diagnóstico TP Grande Mathias Velho Comparação da vitimização na cidade de Canoas com os bairros Mathias Velho e Harmonia Adultos (%) Comparação da vitimização na cidade de Canoas com os bairros Mathias Velho e Harmonia - Adultos (%) Furto na residência com arrombamento 6,7 9,3 Furto na residência sem arrombamento 15,3 23,5 Furto fora da residência Roubo na residência 2,4 2,1 11,3 18,1 Roubo fora da residência 6,0 6,6 Vandalismo na residência 18,9 21, Média de Mathias e Harmonia Cidade de Canoas Fonte: Pesquisa de Vitimização realizada em 2009 pelo jornalista Marcos Rolim

10 Diagnóstico TP Mathias Velho Gráfico 7: Comparação da vitimização na cidade de Canoas com os bairros Mathias Velho e Harmonia Jovens (%) Comparação da vitimização na cidade de Canoas com os bairros Mathias Velho e Harmonia - Jovens (%) Furto fora da escola Roubo fora da escola Furtado ou roubado na escola 13,6 11,7 12,5 15,9 13,6 18,4 Envolvimento com briga de rua 25,4 38,8 Já viu consumo de drogas ilegais dentro da escola 30 38, Média de Mathias e Harmonia Cidade de Canoas Fonte: Pesquisa de Vitimização realizada em 2009 pelo jornalista Marcos Rolim

11 Diagnóstico TP Mathias Velho Gráfico 9: Taxas de homicídio entre jovens de 15 a 24 anos 23% redução na Grande Mathias Velho; Fonte: Observatório de Segurança Pública de Canoas

12 Diagnóstico TP Mathias Velho

13 Diagnóstico TP Mathias Velho

14 Diagnóstico TP Mathias Velho

15 Diagnóstico TP Mathias Velho

16 Projetos Sociais PRONASCI 6 projetos sociais: Mulheres da Paz, Justiça Comunitária, Protejo, Geração Consciente, Pacificar, Comunicação Cidadã; 619 participantes diretos dos projetos (moradores e moradoras do bairro Guajuviras);

17 Avaliação dos Projetos Sociais PRONASCI: Estratégias Metodológicas Pesquisa de opinião junto aos participantes dos projetos PRONASCI (Survey e Grupos Focais); Dimensões: Perfil dos participantes,imagem do bairro, impacto dos projetos em relação ao acesso a cursos, formação e trabalho, acesso a atividades culturais e de lazer, potencial das redes, relação com as polícias, iluminação, circulação no bairro e uso de praças, percepções sobre a ocorrência de violências. Pesquisa de opinião com não-participantes dos projetos PRONASCI (Grupos Focais); Questões abordadas: impacto do PRONASCI para a sensação de segurança, imagem do bairro, circulação no bairro, ocorrências de violências, entre outras. Análise dos dados dos atendimentos dos projetos sociais; Análises estatísticas e qualitativas

18 Avaliação da Política Municipal de Segurança: Representações Sociais das Violências Dados objetivos (indicadores criminais) [...] a representação acerca de um fenômeno é parte constitutiva desse mesmo fenômeno, "criando-o", em certo sentido [...] Ou seja, a violência são os fatos da violência, exemplo, um homicídio, um corpo no chão, o sangue na calçada, mas são também as representações sociais dessa violência. (Porto, 2006, p. 269)

19 Gabinete de Gestão Integrada Municipal de Canoas (GGI-M) Observatório de Segurança Pública de Canoas TERRITÓRIO DE PAZ GUAJUVIRAS MONOGRAFIA PÓS-GRADUAÇÃO EM SEG. PÚBLICA E CIDADANIA DA UFRGS: MUITAS CABEÇAS MUITAS SENTENÇAS: UMA ANÁLISE DO PRONASCI EM CANOAS/RS A PARTIR DAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DOS MORADORES E GESTORES DO TERRITÓRIO DE PAZ (AUTORA: ALINE KERBER)

20 ALGUNS RESULTADOS OBJETIVOS: AUMENTOU A SENSAÇÃO DE SEGURANÇA A PÚBLICA, P EM CONSEQUÊNCIA DA PERCEPÇÃO DE AUMENTO DA EFICIÊNCIA POLICIAL, MAIS POLICIAIS E GUARDAS MUNICIPAIS NAS RUAS E DAS TECNOLOGIAS (EM ESPECIAL AS CÂMERAS); RELACIONAM ÀS S TECNOLOGIAS DE CONTROLE SOCIAL (SHOTSPOTTER E CÂMERAS) COMO AS PRINCIPAIS RESPONSÁVEIS PELA DIMINUIÇÃO DOS HOMICÍDIOS, DOS ASSALTOS E DAS BRIGAS ENTRE OS JOVENS, PROPICIANDO, INCLUSIVE A UNIFICAÇÃO DO BAIRRO; Agora é um só s (bairro)...a segurança a tudo...antes não podia andar direito na rua, porque tinha muito tiroteio, eles te roubavam. Agora com essas câmeras hoje em dia o cara pode andar tranqüilo (jovem não-participante de projetos sociais) JÁ AS MULHERES DA PAZ E OS JOVENS DO PROTEJO ACREDITAM QUE OS PROJETOS SOCIAIS TIVERAM/TEM UM PAPEL FUNDAMENTAL PARA A DIMINUIÇÃO DAS VIOLÊNCIAS E PARA A APROXIMAÇÃO COM AS FORÇAS POLICIAIS; Só que o Protejo e nós, n o Mulheres da Paz, deu a abertura entendeu? Abertura até pra Brigada chegar pra gente e a gente dizer pra eles ó ces faz isso ces faz aquilo, ces não são meio agressivos com as mulheres, até as mulheres vítimas v de violência eles lidavam com elas diferente também, m, agora não é...agora nem pegam os caras pelo cangote. (Mulher do projeto social Mulheres da Paz)

21 RELATAM MUITO A QUESTÃO DA CORRUPÇÃO E VIOLÊNCIA POLICIAL (INCLUSIVE, COM ABORDAGENS DEMASIADAS), ESPECIALMENTE CONTRA OS JOVENS E QUE ISSO NÃO MUDOU COM O TP (PARA OS NÃO-PARTICIPANTES); Eu acho que sós essa semana foi tranqüilo, porque háh umas duas ou três semanas atrás eles tavam todo dia me dando blitz na frente do prédio, sabendo que eu moro ali, ta ligado? Assim, oh, 3, 4 blitz por dia, é sagrado. Eu até ficava impressionado o dia que não me davam. (Jovem não-participante de projeto social PRONASCI). OS NÃO-PARTICIPANTES DOS PROJETOS SOCIAIS DO PRONASCI DESCONHECESSEM A POLÍTICA DE SEG. PÚBLICA P MUNICIPAL E FALAM QUE AS PESSOAS DE FORA DO BAIRRO ACHAM QUE O TP É UM DEBOCHE, REESTIGMATIZANDO A IMAGEM NEGATIVA DO BAIRRO: [...] porque tu sabe que o local não é com tanta paz como se diz, tu sabe tudo que acontece no Guajuviras, independente que podem aumentar ou não, né?? E de repente colocam aquilo ali, território rio da paz, ah, faça-me o favor né?? Agora sós porque aconteceu um, morreu um aqui, toda vez que acontece aía tem que ser aqui? Por isso que eu digo que é um rótulo, r é um rótulo que não pertence a nós... n Porque a gente não ta nem na paz nem na guerra... No meio termo... A gente tá tentando ter um bairro melhor. MUDANÇA A NA AUTOESTIMA E NA POSSIBILIDADE CONCRETA DE EMPREGOS PELA MUDANÇA A DE IMAGEM DO BAIRRO (PARTICIPANTES DOS PROJETOS); IMPORTANTE A CRIAÇÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SEGURANÇA A PÚBLICA P COMO UM INSTRUMENTO QUE FOMENTE A PARTICIPAÇÃO E UNA O PODER PÚBLICO E AS COMUNIDADES.

22 AGENCIAMENTOS DAS VIOLÊNCIAS E DA CRIMINALIDADE E POSSÍVEIS SOLUÇÕES... Ah porque se não estuda e não quer ir pra obra vira vagabundo. É...vadio. Vai ficar em casa coçando, olhando televisão o dia todo...vai roubando dentro de casa, daqui a pouco vai pra rua, vai no mercado, como acontece, não é de hoje nem de outros dia, jáj acontece desde... a pessoa não ter dinheiro e acabar assaltando outras pessoas. JáJ entra no mundo das drogas,, daí ele arruma dinheiro pra querer droga e assim vai... (Jovem do Protejo) Porque ó: : se os jovens não têm uma área de lazer,, se as pessoas não tem uma área de lazer, eles vão ter que sair pra fora, aía eles não tem dinheiro, aía eles jáj reúne com outros, mas pra ir lál no cinema... como é que eu vou dizer numa balada, tem que ter dinheiro, aía o amigo jáj diz ó vamo lá que não tenho,, aía eles já j [...] da onde que eu vou tira.. Então jáj influencia nos jovens já...e j também m as famílias tem que ter um lugar, e aqui não existe uma área de lazer. (Mulher do projeto social Mulheres da Paz)

23 PROTEJO Alguns resultados dos projetos Idade 40,0% 35,0% 33,6% 35,9% 69,5% dos jovens têm 15 e 16 anos 30,0% 25,0% 20,0% 15,0% 10,0% 5,0% 13,7% 8,4% 0,8% 2,3% 2,3% 1,5% 1,5% Estuda atualmente? 0,0% 15 anos 16 anos 17 anos 18 anos 19 anos 20 anos 21 anos 22 anos 23 anos Não e não quero iniciar Não, terminei o E. Médio 1,5% 2,2% 40% dos que não estavam estudando no início do Protejo, estão estudando agora Relação com as instituições de segurança pública Não e quero iniciar Sim 8,2% 88,1% 40% 35% 30% 25% 20% 15% 10% 5% 0% 35,3% 29,9% 23,4% 11,4% NS/ NR Piorou Continua igual Melhorou 0,0% 10,0% 20,0% 30,0% 40,0% 50,0% 60,0% 70,0% 80,0% 90,0%

24 JUSTIÇA COMUNITÁRIA Alguns resultados dos projetos Serviços Prestados pelo NJC (julho/2010 -dezembro/2011) Atendimentos Cadastros Convites Pré-mediações Mediações Total de serviços prestados/ atendimentos = 2130 Teve acordo na mediação? 30% 70% Sim Não

25 Sexo dos solicitantes dos serviços do Núcleo de Justiça Comunitária Amostra: Julho de 2010 a maio de 2011 Sexo dos solicitantes Não resposta 2 0,5% Feminino ,4% Masculino ,1% Total 388 Sexo dos solicitados Masculino 41 Feminino 31 Total 72 43,1% 56,9% Núcleo do Justiça Comunitária 40% 35% 30% 25% 20% 15% 10% 5% 0% 14,8% Renda Familiar Mensal dos Solicitantes (em Salários Mínimos) 6,0% 39,7% Não resposta Até 1/2 SM Mais de 1 SM até 2 SM 21,0% 10,4% 6,2% 1,8% Mais de 1/2 Mais de 2 SM Mais de 3 SM Mais de 5 SM SM até 1 SM até 3 SM até 5 SM

26 Guarda Comunitária Análise e sistematização dos registros de atendimento da Guarda Municipal nas AISPs, considerando dados demográficos e populacionais, criminais, recursos institucioanais. Pesquisa de opinião com os GMs e comunidade escolar - Grupos Focais e Survey Análise do ROVE e diagnóstico das violências nas escolas (subsídios para as CIPAVES)

27 Gabinete de Gestão Integrada Municipal de Canoas (GGI-M) Atendimentos (BA) e Registros (ROCA) ano (mar/10 a fev/11) Março a setembro (2011) Ba Roca Comparando o 1º ano de registros (março/10 a fevereiro/11) com os 6 primeiros meses do segundo ano (março/10 a setembro/11), nota-se que: Houve um incremento de mais 1000% nos BAs e 357% nos ROCAS.

28 Análise Espacial Registros Guarda Municipal

29 Registros Guarda Municipal PREVISÃO DE IMPLEMENTAÇÃO TOTAL: MARÇO DE Concorrendo ao Prêmio Cidades Digitais na categoria Inovação Digital

30 REGISTRO ONLINE DE SITUAÇÕES DE VIOLÊNCIAS NAS ESCOLAS - ROVE Subsidiar as reuniões de CIPAVES (diagnóstico); Mapear as violências nas escolas e correlacionar com dados criminais e não-criminais ligados à questão de prevenção situacional e às causas das violências; Elaborar estudos técnico-científicos para subsidiar a atuação dos gestores do GGI-M (GGI na escola) e planejamento das ações da Guarda Municipal (Ronda Escolar e Teatro de Fantoches); Implantar um software de gestão de dados para as escolas.

31 Metodologia Coleta e análise dos dados Dados autopreenchidos e classificados pelas escolas; Crítica dos dados pelo Observatório de Segurança Pública de Canoas, reclassificando a tipologia e a motivação das situações; Análises simples (frequências, médias) e cruzadas (correlação); Softwares de análises estatísticas e textuais: Sphinx e NVivo (Nuvem de termos).

32 ROVE

33 ROVE - Dados Gerais 463 registros de março a 02 de dezembro = média de 2,3 registros por dia; 33 escolas já fizeram registro = 79% das EMEFs; 3 escolas são responsáveis por mais da metade (51%) dos ROVEs feitos até o momento. 93% das escolas de Ensino Fundamental Completo e 46% das de Ensino Fundamental Incompleto já aderiram ao ROVE; Tipo de situação Briga de alunos (agressão física) 226 Ameaça 134 Briga de alunos (somente bate-boca) 69 Agressão verbal 64 Danos ao Patrimônio 44 Bullying 44 Agressão física 39 Indisciplina/ Desacato a professores 29 Entrada de pessoas estranhas na escolas(ou tentativa) 19 Furto 18 Acidente não-intencional / Mal súbito na escola 9 Saída da escola sem autorização (fuga) 9 Pessoas em atitude suspeita 9 48,8% 28,9% 14,9% 13,8% 9,5% 9,5% 8,4% 6,3% 4,1% 3,9% 1,9% 1,9% 1,9%

34 Resultados Nuvem de Termos abordado advertido agredida agredido agredindo agredir agrediram agrediu agressão agressivas agressivo agressões ameaça ameaçado ameaçando ameaçar ameaças ameaçou arma aulas banheiro bate bater bateu bilhete bolsa bonde boné braço briga brigar brigaram brigas brincadeira brincadeiras cabeça cabelos cara casa celular chute chutes chutou conselho conversa conversando conversar correndo costas delegacia desentenderam educação empurrões empurrou encaminhado encaminhados entrada faca familia fisica física fisicamente frescura garotos garrafa guarda hps irritou jogando jogo ligou machucado mãe manhã medo mochila muro noite ocorrência pai pais pátio pegar recreio pescoço professoras provocando respeito responsáveis ronda rosto rua saída sala soco socos tarde telefone verbalmente vigilante

35 COMISSÕES INTERNAS DE PREVENÇÃO ÀS VIOLÊNCIAS NAS ESCOLAS (CIPAVES) REUNIÕES PERIÓDICAS INTERAÇÃO JUNTO AOS ALUNOS (2011) REUNIÕES EM 30 ESCOLAS 17 (DEZESSETE) ESCOLAS; 1880 ESTUDANTES PARTICIPARAM DA INTERAÇÃO COM GUARDA MUNICIPAL;

36 TEATRO DE FANTOCHES PESSOAS ASSISTIRAM EM 62 VISITAS

37 CIRCUITO PAPO RETO CUFAE EJA CIRCUITO PAPO RETO 11 Escolas Atendidas; 3000 alunos assistiram as palestras; 80 Educadores e 30 Guarda Municipais participaram das atividades. PACTUAÇÃO SEGURANÇA EJA MUNICIPAL (2011) 14 Escolas foram visitadas; 600 alunos foram atendidos.

38 O Observatório e o GGI-M Sistematização e Análises das Informações do Sistema de Participação Subsídios às ações do Plantão Integrado de Fiscalização e Ações Integradas (roteiro e análises das demandas populares)

39 Gabinete de Gestão Integrada Municipal de Canoas (GGI-M) Observatório de Segurança Pública de Canoas GT de Fiscalização Balanço: 2011 Equipe Observatório Eduardo Pazinato Rafael Dal Santo Aline Kerber Janine Prandini Heloíse Canal Pâmela Bergonci Rodrigo Sabedot

40 Gabinete de Gestão Integrada Municipal de Canoas (GGI-M) GT de Fiscalização reuniões do GT de fiscalização em 2011 (de 100); 25 edições do Plantão Integrado de Fiscalização no ano (de 44); 18 Ações Integradas em 2011 (de 103)

41 Gabinete de Gestão Integrada Municipal de Canoas (GGI-M) Plantão Integrado de Fiscalização (jul./2010- nov./2011) Em 44 edições, foram realizadas 288 fiscalizações (média de 6 locais fiscalizados por PIF); A maioria dos locais visitados (em torno de 53%) exigiu que pelo menos algum dos órgãos de fiscalização presente tomasse alguma providência administrativa (excetuando-se orientação ); Basicamente, três tipos de problemas foram encontrados em grande parte das visitas: alvará de localização (58%), alvará sanitário (48%) e licença p/ operar atividade musical (35%). Em aproximadamente 15% dos locais fiscalizados, a BM teve que tomar alguma providência. - 5 situações de tráfico de drogas; - 28 termos circunstanciados; - recolhidas 30 máquinas caça-níqueis (ceduleiros e/ou placas-mãe); - apreendidos 490 maços de cigarros.

42 O Observatório e o GGI-M: Demandas Populares X Fiscalizações por bairros (PI) 2011 Comparação entre os percentuais de solicitações e fiscalizações do PI por bairro (2011) São Luís Igara Olaria Marechal Rondon Mato Grande Centro São José Fátima Harmonia Estância Velha Nossa Senhora das Graças Rio Branco Guajuviras Niterói Mathias Velho 1,60% 0,80% 1,60% 4,9% 6,80% 9,30% 6,80% 11,90% 7,40% 10,20% 0,00% 5,00% 10,00% 15,00% 20,00% 25,00% 30,00% 35,00% 40,00% solicitações fiscalizações Há discrepâncias entre a proporção de fiscalização nos bairros em comparação com as solicitações.

43 Novas Tecnologias Tecnologias utilizadas na Sala Integrada de Monitoramento de Canoas - SIM Videomonitoramento: 204 câmeras Vias públicas (120); Prédios Públicos (103); Metrô (duas com reconhecimento facial); OCR (identificador de placas) Audiomonitoramento: 44 sensores acústicos no Território de Paz Guajuviras. Alarmes: 198 prédios públicos municipais Rastreador Veicular(GPS): 42 equipamentos

44 Avaliação da utilização de tecnologias Videomonitoramento Sistematização e análise dos registros da Sala Integrada de Monitoramento; Grupos focais com os operadores do videomonitoramento; Pesquisa de opinião com a população; Utilização de geoprocessamento para cruzamentos com estatísticas criminais: - Mapeamento da área de cobertura de cada câmera em via pública; - Mapeamento dos pontos de obstrução de visada; - Cruzamentos com estatísticas criminais georreferenciadas em um período anterior e posterior à implantação.

45 Georreferenciamento da área de visada das câmeras e subsídios aos operadores

46

47

48 Gabinete de Gestão Integrada Municipal de Canoas (GGI-M) GT Tecnologias Aplicadas Levantamento preliminar dos registros diários da sala SIM. (01/03/2011 a 30/09/2011)

49 Levantamento preliminar dos registros diários da SIM (março/setembro 2011) relatórios (diurnos e noturnos) Período: março a setembro de 2011 Amostra: 294 relatórios SIM BM AISP Munícipe Escola MD Outros Não informada Secretário Dep.Trânsito origem categorizada 14,8% 12,9% 9,4% 7,0% 3,9% 3,5% 3,1% 2,3% 1,2% 38,7% GM (AISP) Brigada Militar Dep.Trânsito SAMU Polícial Civil Outros SMMA PRF Bombeiros Vigilância Sanitária Zoonoses Total via pública escola próprio municipal Outro praça/parque estabelecimento comercial propriedade privada Não identificado Total envolvidos 9,9% 5,9% 3,3% 2,3% 2,0% 2,0% 0,7% 0,3% 0,3% local de ocorrência 28,9% 44,4% 5,8% 5,4% 4,6% 3,5% 3,1% 18,8% 13,1% 45,8% Em 34% das vezes em que a BM atuou, a atuação se deu de forma conjunta com a Guarda Municipal. Destas situações, 23% se caracterizam como brigas/agressões e 13% como acidentes de trânsito.

50 Levantamento preliminar dos registros diários da SIM (março/setembro 2011) Ocorrências Categorizadas Disparo de Alarme Acidente de trânsito Briga/Desentendimento/Desordem/Agressão física Furto de veículo/roubo de veículo Furto/Roubo e tentativa Consumo de drogas Obstrução de via pública Outros Ameaça Poluição sonora/perturbação sossego Questões que demandam auxílio à pedestres Ocorrências relacionadas a animais Incêndio Não informado 21,5% 18,0% 13,2% 7,5% 5,7% 5,3% 4,8% 4,8% 3,5% 3,5% 2,6% 2,6% 2,6% 2,2% Muitos atores envolvidos: BM (46%) das vezes; Dir.Trânsito (41,5%) SAMU (27%) GM (19,5%) PRF (12%) Ocorreu 40% das vezes em escolas. A GM se envolveu em 80% das vezes e a BM em 40%. Ocorreu 50% em praças/parques e 50% em via pública Em 83% das vezes houve envolvimento da BM.

51 Levantamento preliminar dos registros diários da SIM (março/setembro 2011) A maior parte das ocorrências geradas pelas câmeras envolvem acidentes de trânsito (27%) e consumo de entorpecentes (22%), quase sempre maconha. Quanto ao auxílio, ou seja, quando o operador vai buscar na câmera a partir de uma demanda, destacam-se os roubos e furtos de veículo (30%). envolvimento de câmera não 67,6% gerou 16,8% auxiliou 15,6% 15,6% resultado câm era 16,8% Câmera auxiliou e atingiu o objetivo 68,9% Câmera auxiliou mas não atingiu objetivo 16,2% Câmera auxiliou e não foi informado se atingiu o objetivo 14,9% 14,9% 67,6% 16,2% Dentre as vezes que as câmeras não conseguiram auxiliar, destacam-se os roubos e furtos de veículos (54%). Já nas vezes em que a ajuda das câmeras foi exitosa, destacam-se os acidentes de trânsito (32%). 68,9%

52 II Curso de Formação da Sala Integrada de Monitoramento de Canoas SIM Período: 18/10 a 11/11 Carga Horária: 24 horas aula 3 turmas FBM 33 61,1% 54 profissionais atingidos Guarda Municipal 15 SMTM 4 7,4% 27,8% MD 2 3,7% Grade de conteúdos: Total 54 Sociologia das Violências e dos Conflitos Ética, Postura e Protocolo SIM Instruções de uso do Sistema de Videomonitoramento Visita aos Locais das Câmeras Uso de Imagens para Processos Criminais Instrução Operador Policial e Cases Avaliação do curso pelos participantes

53

54 Gabinete de Gestão Integrada Municipal de Canoas (GGI-M) GT Tecnologias Aplicadas Resultados Preliminares do Sistema de Detecção de Disparos de Armas de Fogo em Canoas/RS. (26/09/2010 a 06/12/2011)

55 Relatório de Operação do Sistema Shotspotter -Canoas/RS (26/09/2010 a 07/12/2011) Tipos de incidentes detectados Resultados obtidos Socorro à vítima baleada 12 Prisão de autor de disparo 8 Apreensão de fogos de artifício 3 Atendimento à incêncio 1 Atendimento à ocorrência de roubo 1 Prisão por tráfico de drogas 1 Extraído em: 07/12/2011, 10:30:00

56 Mancha rosa sinaliza a concentração de disparos por arma de fogo; Em vermelho as vítimas baleadas socorridas; Em Laranja as prisões de autores de disparo por arma de fogo.

57 Relatório de Operação do Sistema Shotspotter -Canoas/RS (26/09/2010 a 07/12/2011) Total de incidentes por mês Set 2010 Out 2010 Nov 2010 Dez 2010 Jan 2011 Fev 2011 Mar 2011 Abr 2011 Mai 2011 Jun 2011 Jul 2011 Ago 2011 Set 2011 Out 2011 Nov 2011 Dez Total de incidentes envolvendo disparos de armas de fogo Set 2010 Out 2010 Nov 2010 Dez 2010 Jan 2011 Fev 2011 Mar 2011 Abr 2011 Mai 2011 Jun 2011 Jul 2011 Ago 2011 Set 2011 Out 2011 Nov 2011 Dez Despachos de viaturas para atendimento do Shotspotter, por mês Set 2010 Out 2010 Nov 2010 Dez 2010 Jan 2011 Fev 2011 Mar 2011 Abr 2011 Mai 2011 Jun 2011 Jul 2011 Ago 2011 Set 2011 Out 2011 Nov 2011 Dez 2011 Despachos de viaturas Extraído em: 07/12/2011, 10:30:00 Sim 763

58 Locais de Teste (set/2011) do ShotSpotter (pontos em amarelo)

59 Análises espaciais de registros criminais Fonte: Polícia Civil Elaboração: Observatório de Segurança Pública de Canoas

60 Fonte:Polícia Civil Elaboração: Observatório de Segurança Pública de Canoas

61

62

63 Indicadores de Segurança Pública em Canoas ( ) Homicídios Ano Fonte: Secretaria Estadual de Segurança Pública- SSP/RS Elaboração: Observatório de Segurança Pública de Canoas Redução no período : - 23,3%

64 Indicadores de Segurança Pública em Canoas ( ) Roubo de Veículo Ano Fonte: Secretaria Estadual de Segurança Pública- SSP/RS Elaboração: Observatório de Segurança Pública de Canoas Redução no período : - 29,9%

65 Indicadores de Segurança Pública em Canoas ( ) Furto de Veículo Ano Fonte: Secretaria Estadual de Segurança Pública- SSP/RS Elaboração: Observatório de Segurança Pública de Canoas Redução no período : - 27,8%

66 Homicídios em Canoas-RS Comparativo 1º Semestre ( ) - 16,3% - 32,5% - 42,1% - 54,5% Fonte: GGI-M Elaboração: Observatório de Segurança Pública de Canoas Comparativo entre o 1º Semestre de 2011 e o 1º Semestre de 2009: Canoas: - 43,4% e Guajuviras: -73,6%

67 Homicídios em Canoas-RS Comparativo 1º Semestre ( )

68 Homicídios em Canoas-RS e bairros selecionados: comparativo Jan-Nov( ) Canoas Guajuviras Mathias Velho Harmonia Jan-Nov 2009 Jan-Nov 2010 Jan-Nov 2011 Variação (%) Fonte: GGI-M Elaboração: Observatório de Segurança Pública de Canoas Canoas -25,7 Guajuviras -42,3 M. Velho -19,4 Harmonia -4,5

69 Gabinete de Gestão Integrada Municipal de Canoas (GGI-M) Observatório de Segurança Pública de Canoas OBRIGADO (A)! Equipe Observatório Eduardo Pazinato Aline Kerber Heloíse Canal Janine Prandini Marcos Conte Rodrigo Sabedot

Gabinete de Gestão Integrada Municipal de Canoas (GGI-M) GT Tecnologias Aplicadas

Gabinete de Gestão Integrada Municipal de Canoas (GGI-M) GT Tecnologias Aplicadas Gabinete de Gestão Integrada Municipal de Canoas (GGI-M) GT Tecnologias Aplicadas Capacitação, subsídios e sistematização dos registros da Sala Integrada de Monitoramento - SIM Equipe Observatório Eduardo

Leia mais

Ser bom em ciência e no senso comum é ser capaz de inventar soluções. (Rubem Alves)

Ser bom em ciência e no senso comum é ser capaz de inventar soluções. (Rubem Alves) Ser bom em ciência e no senso comum é ser capaz de inventar soluções. (Rubem Alves) I Colóquio Sobre Gestão do Conhecimento da Segurança Pública de Canoas Apoiadores: I. Contextualização de Canoas Área

Leia mais

Violências nas Escolas (ROVE)

Violências nas Escolas (ROVE) Registro On-Line de Situações de Violências nas Escolas (ROVE) Resultados: 1º de Março 02 de Dezembro Equipe Observatório Eduardo Pazinato Rafael Dal Santo Aline Kerber Janine Prandini Heloíse Canal Pâmela

Leia mais

HOMICÍDIOS CANOAS 2000 A 2010

HOMICÍDIOS CANOAS 2000 A 2010 HOMICÍDIOS CANOAS 2000 A 2010 Número absoluto e taxa de homicídios por 100 mil habitantes (2000 a 2010) Número absoluto de homicídios em Canoas e nos bairros com mais ocorrência (2009 e 2010) Comparação

Leia mais

Análise das Solicitações Populares (2009-2011)

Análise das Solicitações Populares (2009-2011) Análise das Solicitações Populares (2009-2011) Reivindicações e Denúncias: Subsídios para o planejamento do Plantão Integrado de Fiscalização Fontes: Sistema de Participação e Órgãos de Fiscalização do

Leia mais

Dados sobre os 3 anos do Território de Paz Guajuviras

Dados sobre os 3 anos do Território de Paz Guajuviras Dados sobre os 3 anos do Território de Paz Guajuviras Equipe Observatório Coordenação de Pesquisa Marcos Conte Rodrigo Sabedot Coordenação Acadêmica Aline Kerber Coordenação Institucional Eduardo Pazinato

Leia mais

Objetivo 1. Reduzir a Criminalidade Proposta Responsável/Sugestões Indicador

Objetivo 1. Reduzir a Criminalidade Proposta Responsável/Sugestões Indicador Coordenador: SEGURANÇA Visão: Que Santa Maria tenha os melhores indicadores de Segurança Pública, entre os municípios do Rio Grande do Sul com mais de 100 mil habitantes, garantindo a prevenção e o controle

Leia mais

COORDENAÇÃO TÉCNICA DO ESTUDO. Heloise Canal. Pâmela Bergonci EQUIPE TÉCNICA. Aline Kerber. Socióloga e Coordenadora de Pesquisas

COORDENAÇÃO TÉCNICA DO ESTUDO. Heloise Canal. Pâmela Bergonci EQUIPE TÉCNICA. Aline Kerber. Socióloga e Coordenadora de Pesquisas COORDENAÇÃO TÉCNICA DO ESTUDO Heloise Canal Pâmela Bergonci EQUIPE TÉCNICA Aline Kerber Socióloga e Coordenadora de Pesquisas Janine Prandini Silveira Licenciada em Ciências Sociais Pâmela Bergonci Geógrafa

Leia mais

SEGURANÇA ALTERNATIVAS PARA TRATAR O TEMA DA (IN) SEGURANÇA

SEGURANÇA ALTERNATIVAS PARA TRATAR O TEMA DA (IN) SEGURANÇA Segurança SEGURANÇA ALTERNATIVAS PARA TRATAR O TEMA DA (IN) SEGURANÇA A sensação de segurança é uma questão que influencia significativamente a qualidade de vida de toda a sociedade devendo ser tratada

Leia mais

CRIMINALIDADE NO BRASIL DIAGNÓSTICO E CUSTOS

CRIMINALIDADE NO BRASIL DIAGNÓSTICO E CUSTOS CRIMINALIDADE NO BRASIL DIAGNÓSTICO E CUSTOS Ministério da Justiça Departamento de Pesquisa, Análise da Informação e Formação de Pessoal em Segurança Pública DIAGNÓSTICO DA CRIMINALIDADE 24 Evolução dos

Leia mais

Gangues, Criminalidade Violenta e Contexto Urbano: Um Estudo de Caso

Gangues, Criminalidade Violenta e Contexto Urbano: Um Estudo de Caso Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Centro de Estudos de Criminalidade e Segurança Pública (CRISP) Conferencia Internacional Violencia en Barrios en America Latina Sus Determinantes y Politicas

Leia mais

- Patrulhas Maria da Penha e Rede Municipal de Pontos Seguros (RMPS)

- Patrulhas Maria da Penha e Rede Municipal de Pontos Seguros (RMPS) Algumas das ações já estão em andamento e serão reforçadas. A meta é que todas sejam implementadas ao longo de 2015 e 2016, algumas já a partir de março próximo. Abaixo, uma rápida explicação delas: -

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ RELATÓRIO DE ATIVIDADE CONSULTAS PÚBLICAS LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS 2014 SEGURANÇA PÚBLICA CURITIBA ABRIL DE 2013 EQUIPE TÉCNICA: Prof. Dr. Christian Luiz

Leia mais

Região Metropolitana de São Paulo. Município de Diadema

Região Metropolitana de São Paulo. Município de Diadema Região Metropolitana de São Paulo Área total: 7.944 Km² População: 20,3 milhões de habitantes Densidade hab/km² Município de Diadema Área total: 30,7 Km2 População: 386.089 (IBGE/2010) Densidade demográfica:

Leia mais

SEGURANÇA MUNICIPAL EM GUARULHOS DIAGNÓSTICO E PROJETOS

SEGURANÇA MUNICIPAL EM GUARULHOS DIAGNÓSTICO E PROJETOS SEGURANÇA MUNICIPAL EM GUARULHOS DIAGNÓSTICO E PROJETOS INTRODUÇÃO PROPOSTA ELABORAÇÃO DE UM DIAGNÓSTICO REALISTA. MATERIAL ESTATÍSTICAS, MAPEAMENTO DO CRIME MAPEAMENTO DA CONDIÇÃO SOCIAL ENTREVISTAS COM

Leia mais

RELATÓRIO DA PESQUISA DA QUALIDADE DE VIDA NA CIDADE DE ARACRUZ.

RELATÓRIO DA PESQUISA DA QUALIDADE DE VIDA NA CIDADE DE ARACRUZ. RELATÓRIO DA PESQUISA DA QUALIDADE DE VIDA NA CIDADE DE ARACRUZ. Apresentação Este relatório contém os resultados da 1ª pesquisa de Qualidade de Vida na cidade de Aracruz solicitada pela FACE. O objetivo

Leia mais

02ª Área Integrada de Segurança Pública - AISP

02ª Área Integrada de Segurança Pública - AISP 02ª Área Integrada de Segurança Pública - AISP Unidade Territorial E Botafogo,, Laranjeiras, Urca e Glória (Clique no bairro para visualizar o relatório) a. Mídias em Geral ANÁLISE DE BOTAFOGO Ø Fonte:

Leia mais

SEGURANÇA ALTERNATIVAS PARA TRATAR O TEMA DA (IN) SEGURANÇA

SEGURANÇA ALTERNATIVAS PARA TRATAR O TEMA DA (IN) SEGURANÇA Segurança SEGURANÇA ALTERNATIVAS PARA TRATAR O TEMA DA (IN) SEGURANÇA A falta de segurança é uma questão que influencia significativamente a qualidade de vida de toda a sociedade devendo ser tratada pelos

Leia mais

SEGURANÇA AO ALCANCE DE TODOS

SEGURANÇA AO ALCANCE DE TODOS SEGURANÇA AO ALCANCE DE TODOS TECNOLOGIA A SERVIÇO DA SEGURANÇA O Helper é um sistema inovador que utiliza tecnologia para promover o bem-estar das pessoas, contribuindo para a gestão da segurança pública

Leia mais

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL ANEXO IV Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO 1-Promoção dos Direitos de Crianças e Adolescentes Buscar apoio das esferas de governo (Federal e Estadual)

Leia mais

1 Fique atento ao entrar ou sair de sua casa ou apartamento

1 Fique atento ao entrar ou sair de sua casa ou apartamento 1 Fique atento ao entrar ou sair de sua casa ou apartamento O momento em que entramos ou saímos de nossas residências, costuma oferecer grande risco, pois normalmente estamos distraídos, além de abrirmos,

Leia mais

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - 2009

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - 2009 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - 2009 1 1 Rio de Janeiro, 15/12/2010 1 PNAD 2009 Segurança Alimentar Vitimização e Educação Trabalho Rendimento Fecundidade Tecnologia da Informação etc 2 153

Leia mais

NÚCLEO TÉCNICO FEDERAL

NÚCLEO TÉCNICO FEDERAL NÚCLEO TÉCNICO FEDERAL Programa de Proteção a Crianças e Adolescentes Ameaçados de Morte PPCAAM Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente Secretaria de Direitos Humanos Presidência

Leia mais

COLETIVA COM A IMPRENSA BALANÇO DAS OCORRÊNCIAS POLICIAIS COM REGISTROS NO SISP(*) VERIFICADAS NO ESTADO DO PARÁ. BASE: NOVEMBRO/2012 PARÁ

COLETIVA COM A IMPRENSA BALANÇO DAS OCORRÊNCIAS POLICIAIS COM REGISTROS NO SISP(*) VERIFICADAS NO ESTADO DO PARÁ. BASE: NOVEMBRO/2012 PARÁ COLETIVA COM A IMPRENSA PARÁ BALANÇO DAS OCORRÊNCIAS POLICIAIS COM REGISTROS NO SISP(*) VERIFICADAS NO ESTADO DO PARÁ. BASE: NOVEMBRO/2012 (*) SISP = SISTEMA INTEGRADO DE SEGURANÇA PÚBLICA Belém, 19/12/2012

Leia mais

Porque a violência e o trauma tornaram-se um problema de Saúde Pública e o que fazer para diminuir sua incidência?

Porque a violência e o trauma tornaram-se um problema de Saúde Pública e o que fazer para diminuir sua incidência? Porque a violência e o trauma tornaram-se um problema de Saúde Pública e o que fazer para diminuir sua incidência? Dados preliminares do sistema de informações de mortalidade do Ministério da Saúde de

Leia mais

www.fecomercio-rj.org.br [ 1 ]

www.fecomercio-rj.org.br [ 1 ] www.fecomercio-rj.org.br [ 1 ] A SEGURANÇA PÚBLICA NO BRASIL 16 de abril de 2008 [ 2 ] (1 MENÇÃO) - SG1) Na sua opinião, quem tem mais responsabilidade pelo combate à criminalidade e violência contra as

Leia mais

Condomínios mais Seguros

Condomínios mais Seguros Condomínios mais Seguros Palestra ministrada pelo Capitão Yasui Comandante da 2ª Companhia do 49º Batalhão de Polícia Militar. 13/04/2011 Formulado por um grupo de trabalho composto por policiais civis

Leia mais

Geointeligência na Copa e Olimpíadas

Geointeligência na Copa e Olimpíadas 20 de junho de 2013 Fórum Geointeligência para Defesa e Segurança Grandes Eventos Planejamento e Monitoramento Geointeligência na Copa e Olimpíadas Marcus Ferreira - Ten Cel PMERJ Vice Presidente do ISP

Leia mais

População de rua leva cartão vermelho Viviane Tavares - Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz)

População de rua leva cartão vermelho Viviane Tavares - Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz) População de rua leva cartão vermelho Viviane Tavares - Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz) População de rua aumenta nos últimos anos e a resposta da gestão pública é a violência,

Leia mais

Relatório da Pessoa Idosa

Relatório da Pessoa Idosa Relatório da Pessoa Idosa 2012 O Relatório da Pessoa Idosa 2012, com base nos dados de 2011, se destina à divulgação dos dados de criminalidade contra a pessoa idosa (idade igual ou superior a 60 anos),

Leia mais

A INICIATIVA QUE VAI LEVAR SEGURANÇA, CONHECIMENTO E BEM-ESTAR À SUA CIDADE

A INICIATIVA QUE VAI LEVAR SEGURANÇA, CONHECIMENTO E BEM-ESTAR À SUA CIDADE A INICIATIVA QUE VAI LEVAR SEGURANÇA, CONHECIMENTO E BEM-ESTAR À SUA CIDADE APRESENTAÇÃO SEGURANÇA UM DIREITO DE TODOS Conviver em segurança é um direito de todos e é dever do poder público garanti-lo.

Leia mais

3o Plano Municipal de Segurança de Diadema Resultado das Consultas Populares julho 2011

3o Plano Municipal de Segurança de Diadema Resultado das Consultas Populares julho 2011 3o Plano Municipal de Segurança de Diadema Resultado das Consultas Populares julho 2011 Participantes das Consultas 13 Consultas entre os dias 21/05/11 e 06/07/11 Total de 665 participantes que apresentaram

Leia mais

Pólos da Paz e Praças da Paz SulAmérica

Pólos da Paz e Praças da Paz SulAmérica A iniciativa O projeto Praças é uma iniciativa do Instituto Sou da Paz, em parceria com a SulAmérica, que promove a revitalização de praças públicas da periferia de São Paulo com a participação da comunidade

Leia mais

Sumário. I. Apresentação do Manual. II. A Prevenção de Acidentes com Crianças. III. Programa CRIANÇA SEGURA Pedestre

Sumário. I. Apresentação do Manual. II. A Prevenção de Acidentes com Crianças. III. Programa CRIANÇA SEGURA Pedestre Sumário I. Apresentação do Manual II. A Prevenção de Acidentes com Crianças III. Programa CRIANÇA SEGURA Pedestre IV. Como a Educação pode contribuir para a Prevenção de Acidentes no Trânsito V. Dados

Leia mais

GESTÃO DA TRANSVERSALIDADE DAS AÇÕES SOCIAIS E POLICIAIS NOS TERRITÓRIOS DE PAZ JANEIRO / 2012

GESTÃO DA TRANSVERSALIDADE DAS AÇÕES SOCIAIS E POLICIAIS NOS TERRITÓRIOS DE PAZ JANEIRO / 2012 GESTÃO DA TRANSVERSALIDADE DAS AÇÕES SOCIAIS E POLICIAIS NOS TERRITÓRIOS DE PAZ JANEIRO / 2012 1 APRESENTAÇÃO: 1) CENTRO DE REFERÊNCIA DO RSnaPAZ 2) COMITÊ GESTOR DO TERRITÓRIO DE PAZ 3) BANCO DE DADOS

Leia mais

Scup e Política: vitória nas urnas pelas redes sociais

Scup e Política: vitória nas urnas pelas redes sociais Scup e Política: vitória nas urnas pelas redes sociais A campanha do prefeito de Duque de Caxias Alexandre Aguiar Cardoso, natural de Duque de Caxias, cidade da região metropolitana do Rio de Janeiro,

Leia mais

Munic 2014: 45% dos municípios tinham política de proteção às mulheres vítimas de violência doméstica

Munic 2014: 45% dos municípios tinham política de proteção às mulheres vítimas de violência doméstica Munic 2014: 45% dos municípios tinham política de proteção às mulheres vítimas de violência doméstica A Pesquisa de Informações Básicas Estaduais (Estadic) e a Pesquisa de Informações Básicas Municipais

Leia mais

CAPTAÇÃO DE RECURSOS FEDERAIS LINHAS DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS

CAPTAÇÃO DE RECURSOS FEDERAIS LINHAS DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS CAPTAÇÃO DE RECURSOS FEDERAIS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS 1. SECRETARIA NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA - SENASP Gestão do Conhecimento e de Informações criminais; Formação e Valorização Profissional; Implantação

Leia mais

ANEXO 01. CURSO: Tecnólogo em Segurança Pública e Social UFF

ANEXO 01. CURSO: Tecnólogo em Segurança Pública e Social UFF ANEXO 01 CURSO: Tecnólogo em e Social UFF SELEÇÃO DE VAGAS REMANESCENTES DISCIPLINAS / FUNÇÕES - PROGRAMAS / ATIVIDADES - PERFIS DOS CANDIDATOS - NÚMEROS DE VAGAS DISCIPLINA/FUNÇÃO PROGRAMA/ATIVIDADES

Leia mais

POLÍTICA DE EDUCAÇÃO,PREVENÇÃO,ATENÇÃO E ATENDIMENTO ÁS VIOLÊNCIAS NA ESCOLA-ESTADO DE SANTA CATARINA.

POLÍTICA DE EDUCAÇÃO,PREVENÇÃO,ATENÇÃO E ATENDIMENTO ÁS VIOLÊNCIAS NA ESCOLA-ESTADO DE SANTA CATARINA. POLÍTICA DE EDUCAÇÃO,PREVENÇÃO,ATENÇÃO E ATENDIMENTO ÁS VIOLÊNCIAS NA ESCOLA-ESTADO DE SANTA CATARINA. JULIA SIQUEIRA DA ROCHA jsiqueiradarocha@gmail.com IONE RIBEIRO VALLE Ione.valle@ufsc.br ELEMENTOS

Leia mais

Especificidades das mortes violentas no Brasil e suas lições. Maria Cecília de Souza Minayo

Especificidades das mortes violentas no Brasil e suas lições. Maria Cecília de Souza Minayo Especificidades das mortes violentas no Brasil e suas lições Maria Cecília de Souza Minayo 1ª. característica: elevadas e crescentes taxas de homicídios nos últimos 25 anos Persistência das causas externas

Leia mais

ASSALTO E MEDO. Dihego Pansini

ASSALTO E MEDO. Dihego Pansini ASSALTO E MEDO Dihego Pansini As relações humanas têm se aprofundado cada vez mais nas últimas décadas. Nesse processo, um dos grandes desafios do ser humano moderno é aprender a lidar com as diferenças

Leia mais

ANÁLISE DA IMPLEMENTAÇÃO DE PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL UTILIZADOS EM PLANOS DIRETORES DE LIMPEZA URBANA EM TRÊS CIDADES DA BAHIA

ANÁLISE DA IMPLEMENTAÇÃO DE PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL UTILIZADOS EM PLANOS DIRETORES DE LIMPEZA URBANA EM TRÊS CIDADES DA BAHIA ANÁLISE DA IMPLEMENTAÇÃO DE PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL UTILIZADOS EM PLANOS DIRETORES DE LIMPEZA URBANA EM TRÊS CIDADES DA BAHIA Waleska Garcia Mendes Luiz Roberto Santos Moraes INTRODUÇÃO A Partir

Leia mais

14 de dezembro de 2012 MONITORAMENTO DO PROGRAMA APRENDIZ LEGAL/ FUNDAÇÃO ROBERTO MARINHO

14 de dezembro de 2012 MONITORAMENTO DO PROGRAMA APRENDIZ LEGAL/ FUNDAÇÃO ROBERTO MARINHO 14 de dezembro de 2012 MONITORAMENTO DO PROGRAMA APRENDIZ LEGAL/ FUNDAÇÃO ROBERTO MARINHO 1. APRESENTAÇÃO A presente proposta de projeto refere-se ao Monitoramento do Programa Aprendiz Legal idealizado

Leia mais

GABINETE DO PREFEITO

GABINETE DO PREFEITO GABINETE DO PREFEITO O Plano de Metas é um instrumento de gestão que orienta a Prefeitura na direção de uma cidade sustentável e oferece aos cidadãos e à imprensa um mecanismo para avaliar os compromissos

Leia mais

Crianças e Meios Digitais Móveis TIC KIDS ONLINE NO TEMPO DOS MEIOS MÓVEIS: OLHARES DO BRASIL PARA CRIANÇAS DE 11-12 ANOS

Crianças e Meios Digitais Móveis TIC KIDS ONLINE NO TEMPO DOS MEIOS MÓVEIS: OLHARES DO BRASIL PARA CRIANÇAS DE 11-12 ANOS Crianças e Meios Digitais Móveis Lisboa, 29 de novembro de 2014 TIC KIDS ONLINE NO TEMPO DOS MEIOS MÓVEIS: OLHARES DO BRASIL PARA CRIANÇAS DE 11-12 ANOS Educação para o uso crítico da mídia 1. Contexto

Leia mais

A POLÍTICA DE SEGURANÇA PÚBLICA E INFRAESTRUTURA (LIGADA AO QUESITO DE SEGURANÇA) DESENVOLVIDA EM BARÃO GERALDO

A POLÍTICA DE SEGURANÇA PÚBLICA E INFRAESTRUTURA (LIGADA AO QUESITO DE SEGURANÇA) DESENVOLVIDA EM BARÃO GERALDO BE_310 CIÊNCIAS DO AMBIENTE UNICAMP ESTUDO (Turma 2012) Disponível em: http://www.ib.unicamp.br/dep_biologia_animal/be310 A POLÍTICA DE SEGURANÇA PÚBLICA E INFRAESTRUTURA (LIGADA AO QUESITO DE SEGURANÇA)

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Assessoria de Comunicação TERRITÓRIO DE PAZ CIDADE DE DEUS - RIO

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Assessoria de Comunicação TERRITÓRIO DE PAZ CIDADE DE DEUS - RIO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Assessoria de Comunicação TERRITÓRIO DE PAZ CIDADE DE DEUS - RIO Agenda do evento: Rio de Janeiro (RJ) Dia: 14.12.2009 Local: Rua Zózimo do Amaral, 346,. Próximo a Escola Municipal

Leia mais

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Programa Vizinhança Solidária O Programa Vizinhança Solidária cria a adoção de mecanismos dentro da filosofia de polícia comunitária de estímulo à mudança de comportamento dos integrantes de determinadas

Leia mais

Notas sobre experiências de Pacificação em favelas do Rio de Janeiro - Brasil.

Notas sobre experiências de Pacificação em favelas do Rio de Janeiro - Brasil. Conferencia Internacional Violencia en Barrios en America Latina Notas sobre experiências de Pacificação em favelas do Rio de Janeiro - Brasil. Lia de Mattos Rocha Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex praticante Clarice Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 08.10.2013 Horário: 14h Duração da entrevista: 1h COR PRETA

Leia mais

SEGURANÇA NA USP. Faculdade de Ciências Farmacêuticas - USP

SEGURANÇA NA USP. Faculdade de Ciências Farmacêuticas - USP SEGURANÇA NA USP GUARDA Faculdade de Ciências Farmacêuticas - USP MAPAS DE RISCO GUARDA GUARDA MAPA DE RISCO - USP 2011 Esporte para Todos ÁREA F ÁREA B Praça do Relógio ÁREA B1 ÁREA A Portão Fepasa ÁREA

Leia mais

VIOLÊNCIA GERA VIOLÊNCIA E DO CONTRÁRIO GENTILEZA GERA GENTILEZA

VIOLÊNCIA GERA VIOLÊNCIA E DO CONTRÁRIO GENTILEZA GERA GENTILEZA ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL CALDAS JUNIOR SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE NOVO HAMBURGO VIOLÊNCIA GERA VIOLÊNCIA E DO CONTRÁRIO GENTILEZA GERA GENTILEZA Professoras: Jane Engel Correa Patrícia

Leia mais

18 Você já foi furtado ou roubado em algum momento de sua vida, caso foi quantas vezes? ( ) Seguro ( ) Pouco seguro ( ) Nada seguro ( ) Não sabe

18 Você já foi furtado ou roubado em algum momento de sua vida, caso foi quantas vezes? ( ) Seguro ( ) Pouco seguro ( ) Nada seguro ( ) Não sabe 4 ( ) Seguro ( ) Pouco seguro ( ) Nada seguro 12 Você se sente seguro ao sair da sua residência à noite? ( ) Muito seguro ( ) Seguro ( ) Pouco seguro ( ) Nada seguro 13 Ao sair de casa costuma deixar alguém?

Leia mais

ÍNDICE DE ACIDENTES NO PERÍMETRO URBANO DE CÁCERES

ÍNDICE DE ACIDENTES NO PERÍMETRO URBANO DE CÁCERES ÍNDICE DE ACIDENTES NO PERÍMETRO URBANO DE CÁCERES Rodrigo Barretto Vila 1 RESUMO Glaidson de Souza Pezavento Tatiani Nascimento Santos Miriam Nascimento Santos Ashley da Silva Costa 2 Com a finalidade

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 49 Discurso no encontro com grupo

Leia mais

-CRIMES CONTRA O PATRIMÔNIO - CRIMES CONTRA OS COSTUMES - LEIS DAS CONTRAVENÇÕES PENAIS - CRIMES DE ENTORPECENTES - LEI PORTE DE ARMAS

-CRIMES CONTRA O PATRIMÔNIO - CRIMES CONTRA OS COSTUMES - LEIS DAS CONTRAVENÇÕES PENAIS - CRIMES DE ENTORPECENTES - LEI PORTE DE ARMAS BALANÇO DAS OCORRÊNCIAS POLICIAIS COM REGISTRO NO SISP - RMB E ESTADO DO PARÁ - BALANÇO DAS OCORRÊNCIAS POLICIAIS COM REGISTRO NO SISP VERIFICADAS NA RMB E EM TODO O ESTADO DO PARÁ EM 2011 (JAN-DEZ) -CRIMES

Leia mais

ANEXO I. PROJETO DE LONGA DURAÇÃO

ANEXO I. PROJETO DE LONGA DURAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA REITORIA ANEXO I. PROJETO DE LONGA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do Projeto: Políticas públicas: a cultura como fator de desenvolvimento econômico

Leia mais

2ª SEMANA NACIONAL DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA MARÇO

2ª SEMANA NACIONAL DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA MARÇO Design & Saúde Financeira para maiores de 50 anos Vera Damazio Laboratório Design Memória Emoção :) labmemo (: O que Design tem a ver com Saúde Financeira para maiores de 50 anos? E o que faz um Laboratório

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CANOAS Gabinete do Prefeito

PREFEITURA MUNICIPAL DE CANOAS Gabinete do Prefeito Of/GP/CM/069/09 Canoas, 22 de abril de 2009. Senhor Presidente: Vimos respeitosamente apresentar para apreciação desta Casa Legislativa o Projeto de Lei 24/09, que Cria o Conselho Municipal de Segurança

Leia mais

coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - u s a r Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - u s a r Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - Sou so profes r a, Posso m a s n ão parar d aguento m e ai ensinar s? d a r a u la s Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. A

Leia mais

ANEXO I: QUESTIONÁRIO DO INQUÉRITO

ANEXO I: QUESTIONÁRIO DO INQUÉRITO ANEXO I: QUESTIONÁRIO DO INQUÉRITO 1. Inquérito 1.1 Número de Questionário 1.2 Nome do entrevistador 1.3 Data da entrevista dd/mm/yyyy 1.4 Local da entrevisa 1.5 Lugar da entrevista 1 = lugar público 2

Leia mais

LEVS Laboratório de Estudos da Violência e Segurança da UNESP Reflexão acadêmica e instrumento de política pública de segurança

LEVS Laboratório de Estudos da Violência e Segurança da UNESP Reflexão acadêmica e instrumento de política pública de segurança LEVS Laboratório de Estudos da Violência e Segurança da UNESP Reflexão acadêmica e instrumento de política pública de segurança (espaço coletivo de consulta e interação global através de um web site) www.levs.marilia.unesp.br

Leia mais

Política Municipal para a População em Situação de Rua em Belo Horizonte

Política Municipal para a População em Situação de Rua em Belo Horizonte Política Municipal para a População em Situação de Rua em Belo Horizonte Elizabeth Leitão Secretária Municipal Adjunta de Assistência Social Prefeitura Municipal de Belo Horizonte Março de 2012 Conceito

Leia mais

Pesquisa de Opinião Pública SEGURANÇA PÚBLICA. Janeiro/2015

Pesquisa de Opinião Pública SEGURANÇA PÚBLICA. Janeiro/2015 Pesquisa de Opinião Pública SEGURANÇA PÚBLICA Janeiro/2015 OBJETIVOS Objetivo Principal: Esta estudo teve como objetivo principal verificar e quantificar a opinião pública brasileira quanto ao tema Segurança

Leia mais

Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental

Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental Resumo Este projeto propõe a discussão da Década de Ações para a Segurança no Trânsito e a relação dessa com o cotidiano dos alunos, considerando como a prática

Leia mais

A MULHER VÍTIMA DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR EM PONTA GROSSA: SUBSÍDIOS PARA O DEBATE

A MULHER VÍTIMA DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR EM PONTA GROSSA: SUBSÍDIOS PARA O DEBATE 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( X ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA A MULHER

Leia mais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais Especialização em Gestão Estratégica de Apresentação CAMPUS COMÉRCIO Inscrições Abertas Turma 02 --> Início Confirmado: 07/06/2013 últimas vagas até o dia: 05/07/2013 O curso de Especialização em Gestão

Leia mais

Conheça os projetos lançados no Acre

Conheça os projetos lançados no Acre Conheça os projetos lançados no Acre 1. Renaesp e Bolsa Formação Os policiais que trabalharão no Território de Paz estão mais capacitados e valorizados. O Bolsa Formação oferece um auxílio mensal de R$

Leia mais

estender-se para outras áreas, tais como a assistência social, cultura, esporte e lazer, consolidando a participação e o protagonismo local.

estender-se para outras áreas, tais como a assistência social, cultura, esporte e lazer, consolidando a participação e o protagonismo local. Tudo o que acontece no mundo, seja no meu país, na minha cidade ou no meu bairro, acontece comigo. Então, eu preciso participar das decisões que interferem na minha vida. Herbert Souza, Betinho O lugar

Leia mais

Evolução do número de mortes no trânsito em São Paulo

Evolução do número de mortes no trânsito em São Paulo Nota Técnica 232 2014 Evolução do número de mortes no trânsito em São Paulo Max Ernani Borges De Paula Banco de dados de vítimas dos acidentes de trânsito fatais A Companhia de Engenharia de Tráfego realiza

Leia mais

CONSULTA POPULAR SEGUNDO PLANO MUNICIPAL DE SEGURANÇA

CONSULTA POPULAR SEGUNDO PLANO MUNICIPAL DE SEGURANÇA CONSULTA POPULAR SEGUNDO PLANO MUNICIPAL DE SEGURANÇA Os avanços na segurança A Prefeitura de Diadema vem desenvolvendo, desde o ano de 2001, uma série de ações que tiveram impacto extremamente positivo

Leia mais

Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política

Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política No Brasil, há poucas experiências conhecidas de uso de ferramentas de monitoramento de mídias sociais em campanhas políticas. Uma delas

Leia mais

QUERIDO(A) ALUNO(A),

QUERIDO(A) ALUNO(A), LANÇADA EM 15 MAIO DE 2008, A CAMPANHA PROTEJA NOSSAS CRIANÇAS É UMA DAS MAIORES MOBILIZAÇÕES PERMANENTES JÁ REALIZADAS NO PAÍS, COM FOCO NO COMBATE À VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E À EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇAS

Leia mais

PMERJ/CETIC. Novas Tecnologias na Polícia Militar

PMERJ/CETIC. Novas Tecnologias na Polícia Militar PMERJ/CETIC Novas Tecnologias na Polícia Militar Apresentação pessoal CEL PM DJALMA JOSÉ BELTRAMI TEIXEIRA PMERJ Coordenador do CETIC Coordenadoria Especializada em Tecnologia e Comunicações Atribuições

Leia mais

Operações Interagências na Faixa de Fronteira e Relações Internacionais

Operações Interagências na Faixa de Fronteira e Relações Internacionais Operações Interagências na Faixa de Fronteira e Relações Internacionais Cláudio Medeiros Leopoldino Coordenador-Geral Adjunto Brasil: 16.886 km de fronteiras terrestres 10 países vizinhos fronteiras plenamente

Leia mais

Gestão da dengue no município de Niterói

Gestão da dengue no município de Niterói Gestão da dengue no município de Niterói Fundação Municipal de Saúde de Niterói Veronica Alcoforado de Miranda Coordenação do Núcleo de Educação Permanente e Pesquisa A questão da reemergência da dengue

Leia mais

INOVAÇÕES METODOLÓGICAS NA ÁREA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA Oportunidades para o desenvolvimento urbano sustentável GESTÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA

INOVAÇÕES METODOLÓGICAS NA ÁREA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA Oportunidades para o desenvolvimento urbano sustentável GESTÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA INOVAÇÕES METODOLÓGICAS NA ÁREA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA Oportunidades para o desenvolvimento urbano sustentável GESTÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA Premissas para lidar com a iluminação urbana 1. Aspirações da

Leia mais

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 2 Liderança e Comunidade

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 2 Liderança e Comunidade Organizando Voluntariado na Escola Aula 2 Liderança e Comunidade Objetivos 1 Entender o que é liderança. 2 Conhecer quais as características de um líder. 3 Compreender os conceitos de comunidade. 4 Aprender

Leia mais

Pesquisa de Qualidade de Vida 2015 ACIRP

Pesquisa de Qualidade de Vida 2015 ACIRP Pesquisa de Qualidade de Vida ACIRP Núcleo de Economia Qualidade de Vida Ribeirão Preto November 19, Resultados em : A Pesquisa de Qualidade de Vida da Associação Comercial e Industrial de Ribeirão Preto

Leia mais

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PROPOSTA DE AÇÃO Criar um fórum permanente onde representantes dos vários segmentos do poder público e da sociedade civil atuem juntos em busca de uma educação

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROJETO DE LONGA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do Projeto:

Leia mais

A VIDA SOBRE DUAS RODAS: REDUZINDO RISCOS E DANOS UMA AÇÃO INTERSETORIAL

A VIDA SOBRE DUAS RODAS: REDUZINDO RISCOS E DANOS UMA AÇÃO INTERSETORIAL A VIDA SOBRE DUAS RODAS: REDUZINDO RISCOS E DANOS UMA AÇÃO INTERSETORIAL Olga Lopes Salomão 1 ; Marineide de Jesus Nunes 1, Rodolfo C. Villa do Miu 1, Brigina Kemp 2, Carlos Eduardo Abrahão 2, William

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão Paulo Bernardo Silva INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidente Eduardo Pereira Nunes

Leia mais

UPP - A EXPERIÊNCIA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE SEGURANÇA ESTADO DO RIO DE JANEIRO

UPP - A EXPERIÊNCIA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE SEGURANÇA ESTADO DO RIO DE JANEIRO UPP - A EXPERIÊNCIA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE SEGURANÇA ESTADO DO RIO DE JANEIRO Breve Histórico... Rio de Janeiro Década de 70 - Facções criminosas Final de 70 e início de 80

Leia mais

PROJETO PELA CULTURA DA PAZ

PROJETO PELA CULTURA DA PAZ PROMOTORIA DE JUSTICA DA INFÂNCIA E DA JUVENTUDE DA COMARCA DE ITABIRA SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DE ENSIO NOVA ERA SECRETARIA MUNICIPAL DE ITABIRA PODERES EM AÇÃO PELA EDUCAÇAO II ENCONTRO INTERSETORIAL

Leia mais

DIRETORIA DE PLANEJAMENTO DIPLA Produtos Fortaleza 2040 Processos Gestão do Plano Fortaleza 2040 Integração de planos setoriais

DIRETORIA DE PLANEJAMENTO DIPLA Produtos Fortaleza 2040 Processos Gestão do Plano Fortaleza 2040 Integração de planos setoriais DIRETORIA DO OBSERVATÓRIO DA GOVERNANÇA DIOBS Produtos Sala Situacional Rede de Salas de Situação Processos Monitoramento Agenda Estratégica Observatório da Governança DIRETORIA DE PLANEJAMENTO DIPLA Produtos

Leia mais

Mapa da Educação Financeira no Brasil

Mapa da Educação Financeira no Brasil Mapa da Educação Financeira no Brasil Uma análise das iniciativas existentes e as oportunidades para disseminar o tema em todo o País Em 2010, quando a educação financeira adquire no Brasil status de política

Leia mais

Tel. (11) 5592-5592 / www.fortknox.com.br. Manual de Segurança

Tel. (11) 5592-5592 / www.fortknox.com.br. Manual de Segurança Tel. (11) 5592-5592 / www.fortknox.com.br Instituições de Ensino Vol. VIV Manual de Segurança U Apresentação m dos maiores desafios durante a elaboração de um sistema de segurança para uma instituição

Leia mais

Uma do norte e outra do sul 3. Glória e Lúcia moram em partes diferentes da cidade. Depois de ouvi-las, complete as lacunas.

Uma do norte e outra do sul 3. Glória e Lúcia moram em partes diferentes da cidade. Depois de ouvi-las, complete as lacunas. Rio, de norte a sul Aproximando o foco: atividades Moradores da Zona Norte e da Zona Sul O din-dim 1. Ouça Kedma e complete as lacunas: Quem mora na Zona Norte na Zona Sul é quem tem mais. Na Zona Su na

Leia mais

PROJETO BRA/04/029. Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* MAPEAMENTO DE

PROJETO BRA/04/029. Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* MAPEAMENTO DE PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* MAPEAMENTO DE Os currículos deverão ser encaminhados para o endereço eletrônico seguranca.cidada@mj.gov.br até o dia 20 de dezembro de 2015.

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA CENTRO DE REFERÊNCIAS TÉCNICAS EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS CONVERSANDO SOBRE A PSICOLOGIA E O SUAS

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA CENTRO DE REFERÊNCIAS TÉCNICAS EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS CONVERSANDO SOBRE A PSICOLOGIA E O SUAS 1. Categorias profissionais que já compõem o SUAS RS: - Psicólogo - Assistente Social - Advogado - Educador Social - Nutricionista - Pedagogo - Enfermeiro - Estagiários - Supervisores e Coordenação - Técnico

Leia mais

Pesquisa Instituto Avon / Data Popular. Violência contra a mulher: o jovem está ligado?

Pesquisa Instituto Avon / Data Popular. Violência contra a mulher: o jovem está ligado? Pesquisa Instituto Avon / Data Popular Violência contra a mulher: o jovem está ligado? Com quem falamos? Jovens brasileiros Mulheres Homens Pesquisa online Autopreenchimento Amostra nacional de 16 a 24

Leia mais

Pesquisa Instituto Avon / Data Popular. Violência contra a mulher: o jovem está ligado?

Pesquisa Instituto Avon / Data Popular. Violência contra a mulher: o jovem está ligado? Pesquisa Instituto Avon / Data Popular Violência contra a mulher: o jovem está ligado? Com quem falamos? Jovens brasileiros Mulheres Homens Pesquisa online Autopreenchimento Amostra nacional de 16 a 24

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA CENTRO DE REFERÊNCIAS TÉCNICAS EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS CONVERSANDO SOBRE A PSICOLOGIA E O SUAS

CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA CENTRO DE REFERÊNCIAS TÉCNICAS EM PSICOLOGIA E POLÍTICAS PÚBLICAS CONVERSANDO SOBRE A PSICOLOGIA E O SUAS A sistematização que segue refere-se aos pontos trabalhados pelo grupo, no sentido de ativar a reflexão de questões que seriam tratadas no Encontro Estadual dos Trabalhadores do SUAS, realizado dia 16

Leia mais

RELATÓRIO DESCRITIVO E AVALIATIVO DAS ATIVIDADES REALIZADAS

RELATÓRIO DESCRITIVO E AVALIATIVO DAS ATIVIDADES REALIZADAS 1. PERÍODO: de _02_/_03_/2009_ a _15_/_08_/2009 2. RESUMO DAS AÇÕES DESENVOLVIDAS PELA INSTITUIÇÃO, DURANTE O PERÍODO, NO AMBITO DO PROJETO CRIANÇA ESPERANÇA: Por meio das ações do Projeto foi possível

Leia mais

Projeto Alvorada: ação onde o Brasil é mais pobre

Projeto Alvorada: ação onde o Brasil é mais pobre Projeto Alvorada: ação onde o Brasil é mais pobre N o Brasil há 2.361 municípios, em 23 estados, onde vivem mais de 38,3 milhões de pessoas abaixo da linha de pobreza. Para eles, o Governo Federal criou

Leia mais

PROPOSTAS PARA A REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA

PROPOSTAS PARA A REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA PROPOSTAS PARA A REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA 1. Criar o Fórum Metropolitano de Segurança Pública Reunir periodicamente os prefeitos dos 39 municípios da Região Metropolitana de São Paulo para discutir, propor,

Leia mais

Gtp+ PROGRAMAS E PROJETOS Grupo de Trabalhos em Prevenção Posithivo (GTP+) Fundação em 2000, Recife-PE O Grupo de Trabalhos em Prevenção Posithivo é a única ONG da Região Nordeste do Brasil coordenada

Leia mais

MEU TIO MATOU UM CARA

MEU TIO MATOU UM CARA MEU TIO MATOU UM CARA M eu tio matou um cara. Pelo menos foi isso que ele disse. Eu estava assistindo televisão, um programa idiota em que umas garotas muito gostosas ficavam dançando. O interfone tocou.

Leia mais