INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: O SABER E SUA APLICAÇÃO PELOS SERVIDORES PÚBLICOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: O SABER E SUA APLICAÇÃO PELOS SERVIDORES PÚBLICOS"

Transcrição

1 INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: O SABER E SUA APLICAÇÃO PELOS SERVIDORES PÚBLICOS SILVA, Adriana Netto; ALVES, Amirelle Seixas; ALMEIDA, Angélica Alves de; SILVA, Igor Henrique Fernandes; CHEIK, Mariana Perdigão; NASCIMENTO, Natália Ripper FACULDADE DE POLÍTICAS PÚBLICAS TANCREDO NEVES FaPP/CBH/UEMG CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE FINANÇAS PÚBLICAS E AUDITORIA GOVERNAMENTAL - GFPAG INTRODUÇÃO O presente trabalho é resultado de um estudo realizado na disciplina Gestão de Inovações Tecnológicas pelos estudantes do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Finanças Públicas e Auditoria Governamental, e do curso de especialização Lato Sensu em Gestão Pública para Resultados ambos cursos ofertados pela Faculdade de Políticas Públicas Tancredo Neves Campus Belo Horizonte Universidade do Estado de Mina Gerais. Essa investigação iniciou-se a partir de discussões em sala de aula que geraram inquietações dos discentes acerca das inovações tecnológicas utilizadas na Administração Pública, principalmente na esfera estadual, em Minas Gerais. Os principais questionamentos giravam acerca de como as inovações tecnológicas podem servir para subsidiar o profissional do setor público no desempenho de suas funções. Para o desenvolvimento de tal investigação serão abordados os conceitos de inovação tecnológica nas organizações, de sistemas informatizados e de novos processos de gestão na Administração Pública. OBJETIVOS Identificar as inovações tecnológicas introduzidas na Administração Pública do Governo do Estado de Minas Gerais, bem como sua apropriação pelos servidores públicos, partindo do pressuposto que tais inovações podem proporcionar a melhoria na oferta de serviços aos cidadãos e à sociedade como um todo. DESENVOLVIMENTO Iniciativa que concede benefícios aos servidores dos órgãos e entidades que obtêm resultados satisfatórios no Acordo de Resultados, ou seja, quando alcançam os resultados individuais ou setoriais pactuados em um contrato de gestão firmado com o governo. Verifica-se que a ADI, ao instituir o Prêmio de Produtividade como fator motivacional para o servidor, e ao possibilitar a sua capacitação e realocação - aproveitando as suas potencialidades -pode produzir efeitos positivos na prestação de serviços deste junto à sociedade. Além de contribuir para o alcance dos objetivos do Estado (por meio do Acordo de Resultados). Com esse estudo, considera-se, que o governo do Estado de Minas Gerais ao implementar as inovações no campo da gestão administrativa, tem observado a importância do servidor como veículo-meio para a consecução de suas ações e o desenvolvimento de seus saberes. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS Para elaboração do presente trabalho foi realizado um estudo exploratório por meio de estudos bibliográficos e webgráficos sobre a temática: Inovações Tecnológicas na Administração Pública. Suas principais referências foram os artigos científicos, revistas especializadas e principalmente os sítios eletrônicos e documentos governamentais que apresentam o tema em estudo. Considera-se que a inovação tecnológica está compreendida na criação do novo, seja na forma de produto, processo, ou mesmo no paradigma da empresa e/ou instituição que a implementa com a finalidade de aprimorar tecnologias já existentes, bem como de agregar novas funcionalidades ou características ao produto ou processo que desenvolve implicando em melhorias incrementais e efetivo ganho de qualidade ou produtividade (TIDD, 2008). Acompanhando a tendência inovadora nos processos de gestão implementadas pelo Governo Federal, no âmbito do governo do Estado de Minas Gerais também foram estruturadas e desenvolvidas formas diferenciadas de gestão nas quais destacam-se o Choque de Gestão e o Acordo de Resultados (ALVES, 2006). Nesse aspecto, o Choque de Gestão objetivou promover de forma inovadora o desenvolvimento econômico; recuperar o vigor político do estado e ainda, reorganizar e modernizar o setor público estadual. Para o alcance desses objetivos foi adotado um conjunto de medidas de impacto imediato para modificar o padrão de comportamento da Administração Pública visando à introdução de uma cultura voltada para a sociedade, mesmo que a longo prazo (BORGES, 2009). Alem disso, foram implementadas ferramentas de trabalhos com esses novos modelos gerenciais podemos citar os seguintes instrumentos de planejamento: PMDI Plano Mineiro de Desenvolvimento Integrado SIAD Sistema Integrado de Administração de Materiaise Serviços SIGPLAN - Sistema de Informações Gerenciais e de Planejamento SIGA - Sistema Integrado de Gerenciamento de Auditoria GERAES- Gestão Estratégica de Recursos e Ações ADI -Avaliação de desempenho individual Salienta-se que a ADI -Avaliação de Desempenho Individual teve impacto direto na atuação do servidor público. Dentro da perspectiva de mensuração da ADI, foi implementado pelo governo de Minas Gerais o Prêmio de Produtividade. RESULTADOS PRELIMINARES Os resultados, ainda que iniciais, evidenciam uma tendência de aprimoramento das ferramentas tecnológicas a serem utilizadas pelos servidores e de otimização de processos gestionários em busca de maior efetividade e solidez nas ações do Estado. Tais transformações visam alcançar um melhor gerenciamento das informações na administração pública em busca do melhor atendimento aos cidadãos. Nesse caso, verifica-se que o fator humano não pode ser desconsiderado e destaca-se a necessidade de se criar condições aos servidores para a produção de novos conhecimentos e para a construção de práticas inovadoras dentro do seu campo de atuação que podem ser concretizadas por meio de cursos de capacitação e aprimoramento. Por meio das inovações tecnológicas no âmbito da gestão administrativa os servidores tendem a atuar com mais praticidade e funcionalidade na realização de seu trabalho, fato que pode ser conquistado por meio da capacitação e/ou qualificação dos servidores, através de incentivos, que podem motivar e estimular estes servidores a produzir resultados mais eficazes. Como sugestões de estudos futuros, o grupo prevê a realização de um estudo de caso para o acompanhamento dos resultados obtidos a partir da adoção de inovações tecnológicas na administração pública. REFERÊNCIAS TIDD, Joseph, BESSANT, Joe, PAVITT, Keith. Gestão da Inovação. 3ed. Porto Alegre: Bookmark, COUTINHO. Marcelo James Vasconcelos. Administração pública voltada para o cidadão:quadro teórico-conceitual. Revista do Serviço Público. Ano 51. Número 3. Jul-Set MAGALHÃES, Darcilene. A aplicação das Tecnologias da informação e da comunicação (TICs) na efetividade da gestão da pública. Fonte. Ano 3, nº. 5, julho/dez 2006 Realização Apoio

2 INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: O SABER E SUA APLICAÇÃO PELOS SERVIDORES PÚBLICOS Adriana Netto Silva Docente da FaPP/CBH/UEMG (autor) Instituição: Faculdade de Políticas Públicas Públicas Tancredo Neves - Campus Belo Horizonte Universidade do Estado de Minas Gerais - FaPP/CBH/UEMG. GT 03 Trabalho e Educação Profissional e Tecnológica PALAVRAS CHAVE: Inovações Tecnológicas; Administração Pública; Servidores Públicos. 1. INTRODUÇÃO Este é um trabalho elaborado no âmbito da disciplina Gestão de Inovações Tecnológicas ministrada no ano de 2010, para o 3 período do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Finanças Públicas e Auditoria - GFPA. O estudo foi desenvolvido por estudantes do GFPA, com a participação de um estudante do curso de especialização Lato Sensu em Gestão Pública para Resultados, ambos ofertados pela Faculdade de Políticas Públicas Tancredo Neves Campus Belo Horizonte Universidade do Estado de Minas Gerais FaPP/CBH/UEMG. Essa investigação iniciou-se a partir de discussões em sala de aula que geraram inquietações dos discentes acerca das inovações tecnológicas utilizadas na Administração Pública, principalmente na esfera estadual, em Minas Gerais. Os principais questionamentos giravam acerca de como as inovações tecnológicas podem servir para subsidiar o profissional do setor público no desempenho de suas funções. Para o desenvolvimento de tal investigação serão abordados os conceitos de inovação tecnológica nas organizações, de sistemas informatizados e de novos processos de gestão na Administração Pública. Para a abordagem do tema adotaremos como marco temporal inicial a década de 1990, período no qual observa-se o maior impacto das novas tecnologias e dos sistemas informatizados nos processos sócio-econômicos, potencializando a sua utilização na esfera da Administração Pública. OBJETIVOS 1

3 Esse artigo tem como objetivo identificar as inovações tecnológicas introduzidas na Administração Pública do Governo do Estado de Minas Gerais, bem como sua apropriação pelos servidores públicos, partindo do pressuposto que tais inovações podem proporcionar a melhoria na oferta de serviços aos cidadãos e à sociedade como um todo. REFERENCIAL TEÓRICO Considera-se que a inovação tecnológica está compreendida na criação do novo, seja na forma de produto, processo, ou mesmo no paradigma da empresa e/ou instituição que a implementa, com a finalidade de aprimorar tecnologias já existentes, bem como de agregar novas funcionalidades ou características ao produto ou processo que desenvolve, que impliquem em melhorias incrementais e efetivo ganho de qualidade ou produtividade (TIDD, 2008). Sob esse aspecto procura-se evidenciar que não somente as Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) representam inovações tecnológicas. Verifica-se que a inovação também pode ser entendida como o desenvolvimento e a criação de novos produtos e/ou processos que estabeleçam melhorias e que se traduzam em benefícios para as organizações sejam essas públicas, privadas ou do terceiro setor. Tais avanços podem ser representados pela implementação de um processo diferenciado em uma instituição como, por exemplo, o monitoramento de uma nova rotina de trabalho, em que se possa encurtar etapas por meio de uma boa segregação de funções e definição de alçadas de responsabilidade, fato que não depende exclusivamente de uma TIC para surtir bons efeitos na dinamização de determinada tarefa. As inovações também podem ser percebidas na gestão da administração pública como inovações nos seus processos, sistemas e práticas que no âmbito da Administração Pública, serviriam como uma forma dos gestores criarem condições mais propícias de trabalho para os seus servidores prestarem serviços e/ou esclarecimentos à sociedade. Assim sendo, as tentativas de inovação na Administração Pública significam a busca pela eficiência e qualidade na prestação de serviços públicos (COUTINHO, 2000). Para tanto, é necessário o rompimento com os modelos tradicionais de administração dos recursos públicos e a introdução de uma nova cultura de gestão. Neste contexto, o acesso às inovações tecnológicas significa uma mudança substancial no papel e nas possibilidades da comunicação, na ação social, na ação política e na prestação de contas, fazendo-se necessário que todos agentes públicos, principalmente representados pelos seus servidores, sejam capacitados e detenham os conhecimentos indispensáveis ao bom desempenho de suas funções dentro da Administração Pública. 2

4 No Brasil, até meados da década de 90, o modelo adotado na gestão pública era considerado extremamente burocrático, ineficiente e incapaz de atender às crescentes demandas dos cidadãos (COUTINHO, 2000). Em resposta ao não atendimento dessas necessidades foi estruturado um novo modelo gerencial que visou à transformação desse quadro por meio da modernização de seus instrumentos de gestão, alterações nos processos de trabalho dos agentes públicos e ainda, pelo desenvolvimento de sistemas informatizados de atendimento ao usuário. Essa nova administração pública está voltada ao atendimento ao cidadão como nos aponta Coutinho (2000, 41p): Além disso, a administração pública voltada para o cidadão é auxiliada hoje pelas transformações tecnológicas que possibilitam o uso de uma série de instrumentos novos para o atendimento. Os avanços na informática, redes e softwares, e nas telecomunicações trazem grandes benefícios para essa mudança do modelo administrativo. Assim, a passagem da Administração Burocrática para a Administração Gerencial, configurou-se como um dos ícones das inovações tecnológicas na gestão pública, que pode ser entendida como uma forma de inovação pelo processo de ruptura de paradigma. Essa mudança ocorreu em termos de uma reestruturação e reformulação com vistas a viabilizar a tomada de decisões de forma mais descentralizada e eficiente. A explicação é simples: os cidadãos estão se tornando cada vez mais conscientes de que a administração pública burocrática não corresponde às demandas que a sociedade civil apresenta aos governos no capitalismo contemporâneo. Os cidadãos exigem do Estado muito mais do que o Estado pode oferecer. (BRESSER PEREIRA, 2005, 24p) O mentor dessa Reforma Administrativa Gerencial foi o Ministro da Administração Federal e Reforma do Estado, Bresser Pereira. Suas propostas repercutiram influenciando o desenvolvimento e a implementação de uma nova proposta gerencial na Administração Pública Federal: a Reforma do Estado, promovida no governo do Presidente Fernando Henrique Cardoso. Os objetivos dessas reformas foram: aumentar a capacidade administrativa de governar com efetividade e eficiência, voltando à ação dos serviços do Estado para o atendimento aos cidadãos; limitar a ação do Estado àquelas funções que lhe são próprias; transferir da União para os Estados e Municípios as ações de caráter local; e transferir parcialmente, da União para os Estados, as ações de caráter regional. Concordamos com SOUSA (2009, 2p.) em sua afirmação de que Em um contexto atual marcado por cobranças por uma gestão mais eficaz e transparente, os governos, tanto municipais, estaduais e federal dependem de um componente que sirva de elo entre os serviços públicos e o 3

5 cidadão. Nessa direção BARBOSA (2004) apud SOUSA (2009) nos aponta que as novas tecnologias cada vez mais presentes na Administração Pública, desempenham o papel deste componente, transformando-se em uma das principais engrenagens de articulação dos processos para o fortalecimento do atendimento aos cidadãos. DESENVOLVIMENTO Acompanhando a tendência inovadora nos processos de gestão implementadas pelo Governo Federal, no âmbito do governo do Estado de Minas Gerais também foram estruturadas e desenvolvidas formas diferenciadas de gestão nas quais destacam-se o Choque de Gestão e o Acordo de Resultados (ALVES, 2006). Nesse aspecto, o Choque de Gestão objetivou promover de forma inovadora o desenvolvimento econômico; recuperar o vigor político do estado e ainda, reorganizar e modernizar o setor público estadual. Para o alcance desses objetivos foi adotado um conjunto de medidas de rápido impacto para modificar o padrão de comportamento da Administração Pública visando à introdução de uma cultura voltada para a sociedade, mesmo que a longo prazo (Borges, 2009). Dentre as inúmeras inovações implementadas com esses novos modelos gerenciais podemos citar, por exemplo, a criação dos instrumentos de planejamento (PMDI, PPAG, LDO, LOA e JPOF) e de determinados instrumentos de gestão (GERAES- Gestão Estratégica de Recursos e Ações). No entanto, para esse estudo merece destaque uma inovação que teve impacto direto na atuação do servidor público: a avaliação de desempenho individual ADI.. A avaliação de desempenho individual objetiva acompanhar e avaliar de forma contínua o servidor, possibilitando promover a sua adequação profissional. Com a sua aplicação é possível identificar as necessidades de capacitação dos servidores, facilitando o processo de qualificação dos recursos humanos e favorecendo a realocação destes conforme vocações e funções. Segundo Borges (2009) ela torna-se um instrumento para o alinhamento das metas individuais com as metas institucionais e consequentemente com a agenda estratégica do Governo. Sendo, ainda utilizada para mensuração de Prêmio de Produtividade, desenvolvimento da carreira, além de possibilitar perda do cargo ou função na hipótese de desempenho insatisfatório. Dentro da perspectiva de mensuração da ADI, foi implementado pelo governo de Minas Gerais o Prêmio de Produtividade. Iniciativa que concede benefícios aos servidores dos órgãos e entidades que obtêm resultados satisfatórios no Acordo de Resultados, ou seja, quando alcançam os resultados individuais ou setoriais pactuados em um contrato de gestão firmado com o governo. 4

6 Verifica-se que a ADI, ao instituir o Prêmio de Produtividade como fator motivacional para o servidor, e ao possibilitar a sua capacitação e realocação - aproveitando as suas potencialidades - pode produzir efeitos positivos na prestação de serviços deste junto à sociedade. Além de contribuir para o alcance dos objetivos do Estado (por meio do Acordo de Resultados). Outras inovações que merecem destaque e que visam uma melhor prestação de serviços públicos alterando e agilizando as rotinas de trabalho dos servidores refere-se à utilização das TICs. Essas vêm sendo aplicadas, em Minas Gerais, por meio de sistemas corporativos para gerenciamento e consulta de diversas informações, de acordo com sua especificidade. O controle do ciclo dos materiais e serviços do Estado, por exemplo, (desde a requisição, compra, e distribuição desses materiais até a reposição de estoque e a realização de serviços) é realizado por sistemas integrados. Dentre esses sistemas podemos destacar o Sistema Integrado de Administração de Materiais e Serviços SIAD, o Sistema Integrado de Administração Financeira de Minas Gerais - SIAFI-MG, bem como outros (SICAF, SISAP, DETRAN). Já para tramitação de processos, ofícios, memorando e demais documentos é utilizado o Sistema Integrado de Protocolo - SIPRO. Ainda no que tange a iniciativas pioneiras na utilização de sistemas informatizados na Administração do Estado destacamos o papel da Auditoria-Geral, e outros órgãos de Controle Interno do País, com a criação do Sistema Integrado de Gerenciamento de Auditoria SIGA, que consiste em um sistema informacional on-line que permite o eficiente gerenciamento das atividades de auditoria. Com esse estudo, considera-se, que o governo do Estado de Minas Gerais ao implementar as inovações no campo da gestão administrativa, tem observado a importância do servidor como veículo-meio para a consecução de suas ações e o desenvolvimento de seus saberes. Nesse sentido, foram identificados o desenvolvimento de estratégias de qualificação, oferta de incentivos, aliada à crescente utilização das TICs - configuradas pela implementação de serviços públicos gerenciados por sistemas informatizados. Tais ações podem indicar a adoção de instrumentos que apóiem o servidor para o aprendizado de novas habilidades favorecendo a realização de suas tarefas atendendo, assim, de forma mais eficiente os cidadãos. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS Para elaboração do presente trabalho foi realizado um estudo exploratório por meio de estudos bibliográficos e webgráficos sobre a temática: Inovações Tecnológicas na Administração Pública. Suas principais referências foram os artigos científicos, revistas 5

7 especializadas e principalmente os sítios eletrônicos e documentos governamentais que apresentam o tema em estudo. CONCLUSÕES A partir do explicitado no corpo deste trabalho podemos perceber que a utilização da tecnologia como instrumento na execução das funções dos servidores públicos é considerada recente, já que foi a partir da década de 90 que se deu mais importância aos benefícios que as inovações tecnológicas poderiam trazer, tanto para os servidores públicos, quanto para a sociedade. Por meio das inovações tecnológicas no âmbito da gestão administrativa, bem como pelo domínio das TICs, os servidores tendem a atuar com mais praticidade e funcionalidade na realização de seu trabalho, fato que pode ser conquistado por meio da capacitação e/ou qualificação dos servidores, através de incentivos, que podem motivar e estimular estes servidores a produzir resultados mais eficazes, que são diretamente percebidos pela população. Os resultados positivos da utilização dessas inovações, ainda que iniciais, evidenciam uma tendência de aprimoramento das ferramentas tecnológicas a serem utilizadas pelos servidores e de otimização de processos de gestão em busca de maior efetividade e solidez nas ações do Estado em sua função social. Essas transformações visam a alcançar um melhor gerenciamento das informações na Administração Pública em busca do aprimoramento do atendimento aos cidadãos, bem como a facilitar o trabalho dos servidores, ao estabelecer uma rede de comunicação entre os diversos setores administrativos do Estado. Nesse caso, verifica-se que o fator humano é de suma importância para a aplicação efetiva dessas tecnologias, destacando-se a necessidade de se criar condições aos servidores para a produção de novos conhecimentos e para a construção de práticas inovadoras dentro do seu campo de atuação, além de proporcionar meios pelos quais esses servidores possam aprender a utilizar as inovações de maneira eficaz. Para que essas condições sejam concretizadas é necessário que se dê continuidade à política de gestão de capacitação e aprimoramento dos servidores, cuja necessidade pode ser sinalizada por meio da Avaliação de Desempenho Individual, identificando-se, assim, os pontos fracos e potencializando os fortes para aplicação das inovações tecnológicas de maneira mais eficiente no atendimento das demandas sociais. Pretende-se ainda, realizar, a posteriori, um estudo de caso para avaliar em que medida, efetivamente, se dão os impactos das inovações tecnológicas, aplicadas como ferramenta de gestão 6

8 administrativa ou por meio das Tecnologias de Informação e Comunicação- TICs na oferta e/ou prestação de serviços à sociedade. REFERÊNCIAS ALVES, Ana Carolina Timo. As reformas em Minas Gerais: choque de gestão, avaliação de desempenho e alterações no trabalho docente. VI seminário da redestrado Disponível em <http://www.fae.ufmg.br/estrado/cd_viseminario/trabalhos/eixo_tematico_1/as_reformas_em_m g_choqeu_gestao.pdf>. Acesso em: 24 abr BARBOSA, Alexandre Fernandes. Governo Eletrônico: um modelo de referência para a sua implementação. Disponível em: <http://www.cqgp.sp.gov.br/downloads/t00228.pdf. Data de acesso: 24/04/2009 BORGES, Juliano Fisicaro. Choque de Gestão em Minas Gerais [mensagem pessoal]. Mensagem recebida por em 03 de set BRESSER PEREIRA, Luiz Carlos. SPINK, Peter. Reforma do Estado e Administração pública gerencial. 7 ed reimp Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, CÂNDIDO, Gesinaldo Ataíde. Características e práticas gerencias de empresas inovadoras. Fonte. Ano 3, n. 5, julho/dezembro de CÂNDIDO, Gesinaldo Ataíde. O processo de implantação de novas tecnologias e a busca da sinergia entre indivíduo e organização. Revista de Ciências da Administração v.4, n.08, jul/dez Disponível em <http://www.cad.ufsc.br/revista/08/revista%208%20-%202%20- %20ARTIGO%2011(site).pdf>. Acesso em 15 abr CATTANI, Antonio David (Org.). Dicionário crítico sobre trabalho e tecnologia. 4. ed. Ver. Ampl. Petrópolis: Vozes; Porto Alegre: Ed. Da UFRGS, COUTINHO. Marcelo James Vasconcelos. Administração pública voltada para o cidadão:quadro teórico-conceitual. Revista do Serviço Público. Ano 51. Número 3. Jul-Set DRUCKER, Peter. Sociedade pós capitalista. Lisboa: Actual, 3 ed, FERREIRA, Adriana Torres. Comunicação integrada de marketing para organizações sem fins lucrativos. Belo Horizonte, Fumec, MAGALHÃES, Darcilene. A aplicação das Tecnologias da informação e da comunicação (TICs) na efetividade da gestão da pública. Fonte. Ano 3, n 5, julho/dez QUELUZ, Gilson e LIMA FILHO, A tecnologia e a educação tecnológica: elementos para uma sistematização conceitual. Educação & Tecnologia. V10, n1. Belo Horizonte: CEFET-MG, RATTNER, Henrique. Informática e Sociedade. São Paulo: Brasiliense, 1985 SOUSA, Edileusa. A controladoria e as inovações tecnologicas na gestão Pública: o caso governança eletrônica na prefeituramunicipal de uberlândia. Disponível em <http://www.congressousp.fipecafi.org/artigos52005/254.pdf >. Acesso em: 10 mai TIDD, Joseph, BESSANT, Joe, PAVITT, Keith. Gestão da Inovação. 3ed. Porto Alegre: Bookmark,

Pós - Graduação Lato Sensu CONTROLADORIA E FINANÇAS. Projeto desenvolvido pela Prof.a. Msc. Cristina Santos Titular do Curso de C.

Pós - Graduação Lato Sensu CONTROLADORIA E FINANÇAS. Projeto desenvolvido pela Prof.a. Msc. Cristina Santos Titular do Curso de C. Pós - Graduação Lato Sensu CONTROLADORIA E FINANÇAS Projeto desenvolvido pela Prof.a. Msc. Cristina Santos Titular do Curso de C. Contábei da FAP Piracanjuba-GO 2014 1 1. APRESENTAÇÃO: Formato: presencial

Leia mais

Planejamento Estratégico de Comunicação Institucional para o IBAMETRO: uma experiência governamental 1

Planejamento Estratégico de Comunicação Institucional para o IBAMETRO: uma experiência governamental 1 Planejamento Estratégico de Comunicação Institucional para o IBAMETRO: uma experiência governamental 1 Gustavo Figueiredo 2 Resumo O IBAMETRO - Instituto Baiano de Metrologia e Qualidade, autarquia ligada

Leia mais

ENCONTRO GAÚCHO SOBRE A NOVA CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO EDIÇÃO 2013

ENCONTRO GAÚCHO SOBRE A NOVA CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO EDIÇÃO 2013 ENCONTRO GAÚCHO SOBRE A NOVA CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO EDIÇÃO 2013 Tendências de pesquisa acadêmica na área de Gestão Pública e Fontes de Informação para Pesquisa Foco em CASP Prof. Ariel

Leia mais

Incentivar a inovação em processos funcionais. Aprimorar a gestão de pessoas de TIC

Incentivar a inovação em processos funcionais. Aprimorar a gestão de pessoas de TIC Incentivar a inovação em processos funcionais Aprendizagem e conhecimento Adotar práticas de gestão participativa para garantir maior envolvimento e adoção de soluções de TI e processos funcionais. Promover

Leia mais

Administração, planejamento e assessoria social: as múltiplas faces da gestão de serviços sociais

Administração, planejamento e assessoria social: as múltiplas faces da gestão de serviços sociais Administração, planejamento e assessoria social: as múltiplas faces da gestão de serviços sociais NASCIMENTO, C. C. S. 1 ;SILVEIRA, R. B. B. 2 ; MONTEFUSCO, C. 3 ; Resumo O projeto de ensino ora apresentado

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 Versão 1.0 1 APRESENTAÇÃO O Planejamento

Leia mais

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília/DF 4, 5 e 6 de junho de 2012 A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Pablo Sandin Amaral Renato Machado Albert

Leia mais

Seção I - INFORMAÇÕES SOBRE O SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO GOVERNAMENTAL

Seção I - INFORMAÇÕES SOBRE O SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO GOVERNAMENTAL Seção I - INFORMAÇÕES SOBRE O SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO GOVERNAMENTAL O Projeto Sistema Integrado de Gestão Governamental se constitui no desenvolvimento de uma solução sistêmica própria, a ser construída

Leia mais

A TI E O PPA 2012-2015

A TI E O PPA 2012-2015 Governo do Estado de Mato Grosso Conselho Superior do Sistema Estadual de Informação e Tecnologia da Informação Sistema Estadual de Informação e Tecnologia da Informação WORKSHOP A TI E O PPA 2012-2015

Leia mais

NOTA TÉCNICA 44 2013 A POLÍTICA NACIONAL DE INFORMAÇÃO E INFORMÁTICA EM SAÚDE E SEU PLANO OPERATIVO

NOTA TÉCNICA 44 2013 A POLÍTICA NACIONAL DE INFORMAÇÃO E INFORMÁTICA EM SAÚDE E SEU PLANO OPERATIVO NOTA TÉCNICA 44 2013 A POLÍTICA NACIONAL DE INFORMAÇÃO E INFORMÁTICA EM SAÚDE E SEU PLANO OPERATIVO Brasília, 28 de outubro de 2013 A POLÍTICA NACIONAL DE INFORMAÇÃO E INFORMÁTICA EM SAÚDE E SEU PLANO

Leia mais

PLANO DE GESTÃO 2015-2017

PLANO DE GESTÃO 2015-2017 UNIFAL-MG FACULDADE DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS PLANO DE GESTÃO 2015-2017 Profa. Fernanda Borges de Araújo Paula Candidata a Diretora Profa. Cássia Carneiro Avelino Candidata a Vice Diretora Índice Apresentação...

Leia mais

Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia.

Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia. Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia. Introdução Sávio Marcos Garbin Considerando-se que no contexto atual a turbulência é a normalidade,

Leia mais

Com o objetivo de continuar aprimorando o modelo de gestão de Minas Gerais, foi lançado, em 2010, o projeto Agenda de Melhorias caminhos para inovar

Com o objetivo de continuar aprimorando o modelo de gestão de Minas Gerais, foi lançado, em 2010, o projeto Agenda de Melhorias caminhos para inovar março de 2012 Introdução Com o objetivo de continuar aprimorando o modelo de gestão de Minas Gerais, foi lançado, em 2010, o projeto Agenda de Melhorias caminhos para inovar na gestão pública. A criação

Leia mais

PRODUTOS DO COMPONENTE 2 2.1 - POLÍTICAS DE RECURSOS HUMANOS FORMULADA E APROVADA

PRODUTOS DO COMPONENTE 2 2.1 - POLÍTICAS DE RECURSOS HUMANOS FORMULADA E APROVADA PRODUTOS DO COMPONENTE 2 2.1 - POLÍTICAS DE RECURSOS HUMANOS FORMULADA E APROVADA A reformulação da Política de Recursos Humanos é imprescindível para a Administração alcançar a modernização do serviço

Leia mais

RAG - 2006 O RELATÓRIO DA AÇÃO GOVERNAMENTAL

RAG - 2006 O RELATÓRIO DA AÇÃO GOVERNAMENTAL RAG - 2006 O RELATÓRIO DA AÇÃO GOVERNAMENTAL RELATÓRIO DE QUE? AVALIAÇÃO: Avaliação anual avaliamos a execução durante o ano, a entrega dos produtos e os seus impactos. AVALIAÇÃO PARA QUE? OBJETIVOS: Prestar

Leia mais

DIAGNÓSTICO GERAL DAS ADMINISTRAÇÕES PÚBLICAS ESTADUAIS PESQUISA PNAGE

DIAGNÓSTICO GERAL DAS ADMINISTRAÇÕES PÚBLICAS ESTADUAIS PESQUISA PNAGE DIAGNÓSTICO GERAL DAS ADMINISTRAÇÕES PÚBLICAS ESTADUAIS PESQUISA PNAGE Fernando Luiz Abrucio DIMENSÃO DO ESTADO Principais Problemas Precariedade das informações Falta de Bancos de Dados compartilhados

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO As ações de pesquisa do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas constituem um processo educativo

Leia mais

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS SUBCHEFIA DE ASSUNTOS FEDERATIVOS Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal Mapa de obras contratadas pela CEF, em andamento com recursos do Governo Federal 5.048

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação (PETI) Secretaria de Tecnologia da Informação Florianópolis, março de 2010. Apresentação A informatização crescente vem impactando diretamente

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SINTÉTICO 2013 2016 - REVISÃO 2014

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SINTÉTICO 2013 2016 - REVISÃO 2014 Anexo à Resolução CGM 1.143 DE 08/07/2014 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SINTÉTICO 2013 2016 - REVISÃO 2014 INTRODUÇÃO Este trabalho é o produto de discussões finalizados em fevereiro de 2014, junto à Comissão

Leia mais

METODOLOGIA PARA IMPLEMENTAÇÃO E USO DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA REDE E-TEC BRASIL 1

METODOLOGIA PARA IMPLEMENTAÇÃO E USO DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA REDE E-TEC BRASIL 1 1 METODOLOGIA PARA IMPLEMENTAÇÃO E USO DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA REDE E-TEC BRASIL 1 Vitória-ES, Maio de 2014 João Henrique Caminhas Ferreira Instituto Federal do Espirito Santo - caminhas@ifes.edu.br

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 141, DE 03 DE SETEMBRO DE 2009.

LEI COMPLEMENTAR Nº 141, DE 03 DE SETEMBRO DE 2009. LEI COMPLEMENTAR Nº 141, DE 03 DE SETEMBRO DE 2009. O GOVERNADOR DO ESTADO DE PERNAMBUCO: Dispõe sobre o Modelo Integrado de Gestão do Poder Executivo do Estado de Pernambuco. Faço saber que a Assembléia

Leia mais

Fundação Municipal de Tecnologia da Informação e Comunicação de Canoas Diretoria Executiva PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Fundação Municipal de Tecnologia da Informação e Comunicação de Canoas Diretoria Executiva PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Fundação Municipal de Tecnologia da Informação e Comunicação de Canoas Diretoria Executiva PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 2012 2015 Controle de Revisão Ver. Natureza Data Elaborador Revisor

Leia mais

Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 -

Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 - Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação - 2013 - O Curso Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação é um curso da área de informática e tem seu desenho curricular estruturado por competências

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC BLUMENAU

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC BLUMENAU FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC BLUMENAU PORTARIA DE CREDENCIAMENTO DA FACULDADE Portaria Nº 1.325 de 18 de maio de 2004, publicada no DOU em 20 de maio de 2004. Diretor da Faculdade: Elita Grosch Maba Diretor

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO Controle de Versões Autor da Solicitação: Subseção de Governança de TIC Email:dtic.governanca@trt3.jus.br Ramal: 7966 Versão Data Notas da Revisão 1 03.02.2015 Versão atualizada de acordo com os novos

Leia mais

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS EIXO III - CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC FLORIANÓPOLIS

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC FLORIANÓPOLIS FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC FLORIANÓPOLIS PORTARIA DE CREDENCIAMENTO DA FACULDADE Portaria Nº 3.544 de 13 de dezembro de 2002, publicada no DOU em 16 de dezembro de 2002. Diretor da Faculdade: José Carlos

Leia mais

ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020

ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020 ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020 1 Missão 2 Exercer o controle externo da administração pública municipal, contribuindo para o seu aperfeiçoamento, em benefício da sociedade. Visão Ser reconhecida

Leia mais

Seminário O controle interno governamental no Brasil Velhos Desafios, Novas Perspectivas. 14 a 16 de Maio Iguassu Resort Foz do Iguaçu - Paraná

Seminário O controle interno governamental no Brasil Velhos Desafios, Novas Perspectivas. 14 a 16 de Maio Iguassu Resort Foz do Iguaçu - Paraná Seminário O controle interno governamental no Brasil Velhos Desafios, Novas Perspectivas 14 a 16 de Maio Iguassu Resort Foz do Iguaçu - Paraná Controle Interno na visão dos Auditores Externos Situação

Leia mais

4. MODERNIZAÇÃO E RELACIONAMENTO INSTITUCIONAL

4. MODERNIZAÇÃO E RELACIONAMENTO INSTITUCIONAL Relatório de Atividades - 1 trimestre de 4.1. Planejamento Estratégico 4. MODERNIZAÇÃO E RELACIONAMENTO INSTITUCIONAL A principal atividade relacionada ao Planejamento Estratégico -2016 do TCE/SC no primeiro

Leia mais

RESULTADOS FINAIS DO ENCONTRO NACIONAL - ÁREA MEIO - ESTRATÉGIA NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO

RESULTADOS FINAIS DO ENCONTRO NACIONAL - ÁREA MEIO - ESTRATÉGIA NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESULTADOS FINAIS DO ENCONTRO NACIONAL - ÁREA MEIO - ESTRATÉGIA NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO SISTEMATIZAÇÃO DOS RESULTADOS Atendendo a solicitação do CNMP, o presente documento organiza os resultados

Leia mais

Internet Ampliando o contato com a comunidade escolar

Internet Ampliando o contato com a comunidade escolar Internet Ampliando o contato com a comunidade escolar Introdução Silvio Henrique FISCARELLI 1 I Adriana da Silva TURQUETTI 2 Saur (1995), no Primeiro Congresso Nacional de Informática Pública realizado

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE GESTÃO PÚBLICA E DESBUROCRATIZAÇÃO GESPÚBLICA

PROGRAMA NACIONAL DE GESTÃO PÚBLICA E DESBUROCRATIZAÇÃO GESPÚBLICA Ministério da Cultura Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN 6º ENCONTRO NACIONAL DOS OBSERVATÓRIOS SOCIAIS PAINEL 1 EFICIÊNCIA DA GESTÃO MUNICIPAL PROGRAMA NACIONAL DE GESTÃO PÚBLICA

Leia mais

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL GOVERNANÇA CORPORATIVA

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL GOVERNANÇA CORPORATIVA 1. INTRODUÇÃO 1.1 A CAIXA A Caixa Econômica Federal é uma instituição financeira sob a forma de empresa pública, vinculada ao Ministério da Fazenda. Instituição integrante do Sistema Financeiro Nacional

Leia mais

RELATÓRIO GERAL AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2014

RELATÓRIO GERAL AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2014 RELATÓRIO GERAL AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2014 2014 Dados da Instituição FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DO SUL DE MINAS - FACESM Código: 508 Faculdade privada sem fins lucrativos Estado: Minas Gerais

Leia mais

12.1 AÇÕES E INDICAÇÕES DE PROJETOS

12.1 AÇÕES E INDICAÇÕES DE PROJETOS 43 Considerando os Objetivos Estratégicos, Indicadores e Metas, foram elaboradas para cada Objetivo, as Ações e indicados Projetos com uma concepção corporativa. O Plano Operacional possui um caráter sistêmico,

Leia mais

Gestão por Processos. Gestão por Processos Gestão por Projetos. Metodologias Aplicadas à Gestão de Processos

Gestão por Processos. Gestão por Processos Gestão por Projetos. Metodologias Aplicadas à Gestão de Processos Gestão por Processos Gestão por Projetos Gestão por Processos Gestão de Processos de Negócio ou Business Process Management (BPM) é um modelo de administração que une gestão de negócios à tecnologia da

Leia mais

A Faculdade Certificada pela FGV em Goiás. Acordo de Parceria - Convênios 2011. AFFEGO Associação Funcionários do Fisco de Goiás

A Faculdade Certificada pela FGV em Goiás. Acordo de Parceria - Convênios 2011. AFFEGO Associação Funcionários do Fisco de Goiás A Faculdade Certificada pela FGV em Goiás Acordo de Parceria - Convênios 2011 AFFEGO Associação Funcionários do Fisco de Goiás ACORDO DE PARCERIA - CONVÊNIOS 2011 Preparada Por: Empreza Educação e Serviços

Leia mais

PROGRAMA DE MELHORIA DA GESTÃO MUNICIPAL

PROGRAMA DE MELHORIA DA GESTÃO MUNICIPAL Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília/DF 4, 5 e 6 de junho de 2012 PROGRAMA DE MELHORIA DA GESTÃO MUNICIPAL Maria Luiza dos Santos Vellozo Rosangela Maria Luchi Flavia Cardoso Garcia Chaves Julio

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL 2010-2015 - EIXO X EIXO X

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL 2010-2015 - EIXO X EIXO X UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA EIXO X CONSIDERAÇÕES E ASPECTOS PARA O DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL EIXO X - CONSIDERAÇÕES E ASPECTOS PARA O DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL 10. Considerações e Aspectos

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Art. 1º - A Diretoria de Tecnologia de Informação e Comunicação DTIC da Universidade FEDERAL DO ESTADO DO RIO

Leia mais

PQI REGULAMENTO-GERAL DO PLANO DE QUALIFICAÇÃO INSTITUCIONAL

PQI REGULAMENTO-GERAL DO PLANO DE QUALIFICAÇÃO INSTITUCIONAL PQI REGULAMENTO-GERAL DO PLANO DE QUALIFICAÇÃO INSTITUCIONAL Institui o regulamento geral do plano de qualificação institucional no Centro Federal de Educação Tecnológica de Rio Verde - GO. INTRODUÇÃO

Leia mais

AUTOAVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNISC. Ana Karin Nunes* Rosângela Gabriel** Christian Ricardo Rohr* Maria Elisa Baumhardt**

AUTOAVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNISC. Ana Karin Nunes* Rosângela Gabriel** Christian Ricardo Rohr* Maria Elisa Baumhardt** AUTOAVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNISC Ana Karin Nunes* Rosângela Gabriel** Christian Ricardo Rohr* Maria Elisa Baumhardt** * Assessoria de Avaliação Institucional da Universidade de Santa

Leia mais

Status: Ativo. Natureza: Aberto. Revisado por: GCMIG. Organização Para Cópias. Unidades da Estrutura Organizacional do INPE (TQ-001)

Status: Ativo. Natureza: Aberto. Revisado por: GCMIG. Organização Para Cópias. Unidades da Estrutura Organizacional do INPE (TQ-001) Referência: CPA-079-2008 Versão: 1.0 Status: Ativo Data: 09/julho/2008 Natureza: Aberto Número de páginas: 14 Origem: GCMIG e GEOPI Revisado por: GCMIG Aprovado por: GCMIG Título: Proposta de Modernização

Leia mais

CURRICULUM - VICTOR BRANCO DE HOLANDA

CURRICULUM - VICTOR BRANCO DE HOLANDA CURRICULUM - VICTOR BRANCO DE HOLANDA Resumo dos dados mais relevantes Atividade atual Consultor Residente do Fundo Monetário Internacional - FMI no Brasil para o tema Custos no Setor Público com implantação

Leia mais

Plano de Gestão do PPA 2004-2007. Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos. Ministério do Planejamento

Plano de Gestão do PPA 2004-2007. Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos. Ministério do Planejamento Plano de Gestão do PPA 2004-2007 Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos Ministério do Planejamento Plano de Gestão do PPA 2004-2007 Brasília outubro de 2004 Índice Introdução...7 I -

Leia mais

Reunião de Abertura do Monitoramento 2015. Superintendência Central de Planejamento e Programação Orçamentária - SCPPO

Reunião de Abertura do Monitoramento 2015. Superintendência Central de Planejamento e Programação Orçamentária - SCPPO Reunião de Abertura do Monitoramento 2015 Superintendência Central de Planejamento e Programação Orçamentária - SCPPO Roteiro da Apresentação 1. Contextualização; 2. Monitoramento; 3. Processo de monitoramento;

Leia mais

A Escola. Com uma média de 1.800 alunos por mês, a ENAP oferece cursos presenciais e a distância

A Escola. Com uma média de 1.800 alunos por mês, a ENAP oferece cursos presenciais e a distância A Escola A ENAP pode contribuir bastante para enfrentar a agenda de desafios brasileiros, em que se destacam a questão da inclusão e a da consolidação da democracia. Profissionalizando servidores públicos

Leia mais

Projeto de Gestão Compartilhada para o Programa TV Escola. Projeto Básico

Projeto de Gestão Compartilhada para o Programa TV Escola. Projeto Básico Secretaria de Educação a Distância Departamento de Planejamento em EAD Coordenação Geral de Planejamento de EAD Programa TV Escola Projeto de Gestão Compartilhada para o Programa TV Escola Projeto Básico

Leia mais

Coordenação: João Henrique Lara do Amaral Cynthya Almeida Coradi Relatoria: Stela Maris Aguiar Lemos

Coordenação: João Henrique Lara do Amaral Cynthya Almeida Coradi Relatoria: Stela Maris Aguiar Lemos RELATÓRIO OFICINA FNEPAS ESTADUAL MINAS GERAIS INTEGRALIDADE E QUALIDADE NA FORMAÇÃO E NAS PRÁTICAS EM SAÚDE: Integrando Formação, Serviços, Gestores e Usuários Local: COBEM Uberlândia Data: 22 de outubro

Leia mais

Desenvolvendo pessoas e um melhor serviço à sociedade

Desenvolvendo pessoas e um melhor serviço à sociedade Desenvolvendo pessoas e um melhor serviço à sociedade Relatório de atividades 2014 Introdução No quadriênio de 2007 a 2010 a implantação de Modelo de Gestão de Pessoas por Competências na Secretaria da

Leia mais

O PAPEL DO GESTOR COMO MULTIPLICADOR

O PAPEL DO GESTOR COMO MULTIPLICADOR Programa de Capacitação PAPEL D GESTR CM MULTIPLICADR Brasília 12 de maio de 2011 Graciela Hopstein ghopstein@yahoo.com.br Qual o conceito de multiplicador? Quais são as idéias associadas a esse conceito?

Leia mais

Núcleo de Monitoramento de Ações Estratégicas do INEA NUMAE Contrato de Gestão e Avaliação de Desempenho Individual

Núcleo de Monitoramento de Ações Estratégicas do INEA NUMAE Contrato de Gestão e Avaliação de Desempenho Individual Núcleo de Monitoramento de Ações Estratégicas do INEA NUMAE Contrato de Gestão e Avaliação de Desempenho Individual 1 Relatório de Apuração e Análise dos Resultados Institucionais e Estratégicos e de Resultados

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL SOBRE A APLICAÇÃO DA LEI DE ACESSO À INFORMAÇÃO NO SENADO FEDERAL

RELATÓRIO ANUAL SOBRE A APLICAÇÃO DA LEI DE ACESSO À INFORMAÇÃO NO SENADO FEDERAL RELATÓRIO ANUAL SOBRE A APLICAÇÃO DA LEI DE ACESSO À INFORMAÇÃO NO SENADO FEDERAL Brasília 2013 SUMÁRIO MOTIVAÇÃO DO RELATÓRIO... 3 INTRODUÇÃO... 3 INICIATIVAS DO SENADO FEDERAL PARA ADEQUAÇÃO À LEI DE

Leia mais

Governabilidade = Poder de Governo

Governabilidade = Poder de Governo 6. Governabilidade, Governança e Accountability 1. Governança 2. Controle por Resultados 3. Accountability Esta tríade reflete os princípios da Nova Gestão Pública e serviu de fundamento para o desenho

Leia mais

Eixo Temático 4 : Formação de professores e práticas pedagógicas PROFESSORES AUTÔNOMOS: UTILIZANDO FERRAMENTAS TECNOLÓGICAS COMO RECURSO PEDAGÓGICO

Eixo Temático 4 : Formação de professores e práticas pedagógicas PROFESSORES AUTÔNOMOS: UTILIZANDO FERRAMENTAS TECNOLÓGICAS COMO RECURSO PEDAGÓGICO Eixo Temático 4 : Formação de professores e práticas pedagógicas PROFESSORES AUTÔNOMOS: UTILIZANDO FERRAMENTAS TECNOLÓGICAS COMO RECURSO PEDAGÓGICO RESUMO Arlam Dielcio Pontes da Silva UFRPE/UAG Gerciane

Leia mais

1 LIDERANÇA. Indicador 1: Eficiência da Comunicação Organizacional

1 LIDERANÇA. Indicador 1: Eficiência da Comunicação Organizacional COMPILADO DAS SUGESTÕES DE MELHORIAS PARA O IDGP/2011 por critério e indicador 1 LIDERANÇA O critério Liderança aborda como está estruturado o sistema de liderança da organização, ou seja, o papel da liderança

Leia mais

Federação de Sindicatos de Trabalhadores das Universidades Brasileiras Fundada em 19 de dezembro de 1978

Federação de Sindicatos de Trabalhadores das Universidades Brasileiras Fundada em 19 de dezembro de 1978 GT HUE s e SEMINÁRIO Realizado no período de 12 a 14 de abril de 2010 PROPOSTA PRELIMINAR DE HOSPITAIS UNIVERSITÁRIOS E DE ENSINO E CENTROS HOSPITALARES DE SAÚDE ESCOLA (HUE S) CAPÍTULO I Artigo 1º. Este

Leia mais

Oficina 1 Análise sobre os PDTI s e alinhamento com Governança de TI (GRG e ATHIVA)

Oficina 1 Análise sobre os PDTI s e alinhamento com Governança de TI (GRG e ATHIVA) Projeto 1: Elaboração dos Planos Diretores de TI da Administração Pública de Pernambuco Projeto 2: Elaboração do Plano de Governo em TI Oficina 1 Análise sobre os PDTI s e alinhamento com Governança de

Leia mais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais Especialização em Gestão Estratégica de Apresentação CAMPUS COMÉRCIO Inscrições Abertas Turma 02 --> Início Confirmado: 07/06/2013 últimas vagas até o dia: 05/07/2013 O curso de Especialização em Gestão

Leia mais

3. Experiências de Reformas Administrativas

3. Experiências de Reformas Administrativas A Máquina Administrativa no Brasil: da Burocracia à New Public Management 3. Experiências de Reformas Administrativas - 1930/45 A Burocratização da Era Vargas. - 1956/60 A Administração Paralela de JK.

Leia mais

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL Eixos Temáticos, Diretrizes e Ações Documento final do II Encontro Nacional de Educação Patrimonial (Ouro Preto - MG, 17 a 21 de julho

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Coordenadoria Geral de Pós-Graduação Lato Sensu

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Coordenadoria Geral de Pós-Graduação Lato Sensu PORTFÓLIO ESPECIALIZAÇÃO / MBA UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Sumário ÁREA: CIÊNCIAS DA SAÚDE... 2 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO: PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E DO TRABALHO... 2 ÁREA: COMUNICAÇÃO E LETRAS...

Leia mais

(Anexo II) DESCRIÇÃO ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO

(Anexo II) DESCRIÇÃO ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO (Anexo II) DESCRIÇÃO ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO... 3 2 ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO Missão: Atuar nas diferentes áreas (administração, planejamento e orientação educacional) com o intuito

Leia mais

Plano de Trabalho 2013/2015

Plano de Trabalho 2013/2015 SECRETARIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO REGIONAL UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FUNDAP SEADE CEPAM CONVÊNIO SPDR USP FUNDAP SEADE CEPAM ANEXO I Plano de Trabalho 2013/2015 OUTUBRO DE 2013 I. JUSTIFICATIVAS

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Pós-Graduação em Gestão de Projetos (Turma: 130)

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Pós-Graduação em Gestão de Projetos (Turma: 130) INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Pós-Graduação em Gestão de Projetos (Turma: 130) Lucas Silva Borges de Andrade 1 O PLANEJAMENTO NO GOVERNO DE MINAS GERAIS E A GESTÃO DE PROJETOS NA SECRETARIA DE ESTADO

Leia mais

REGULAMENTO DE POLÍTICA DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DOS SERVIDORES DO CEFET-RN

REGULAMENTO DE POLÍTICA DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DOS SERVIDORES DO CEFET-RN CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE REGULAMENTO DE POLÍTICA DE CAPACITAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DOS SERVIDORES DO CEFET-RN (Aprovado através da Resolução nº 20/2005-CD, de 26/10/2005)

Leia mais

ÍNDICE. Introdução 2. Missão 4. Visão de Futuro 5. Objetivos Estratégicos 6. Mapa Estratégico 7. Metas, Indicadores e Ações 8. Considerações Finais 22

ÍNDICE. Introdução 2. Missão 4. Visão de Futuro 5. Objetivos Estratégicos 6. Mapa Estratégico 7. Metas, Indicadores e Ações 8. Considerações Finais 22 ÍNDICE Introdução 2 Missão 4 Visão de Futuro 5 Objetivos Estratégicos 6 Mapa Estratégico 7 Metas, Indicadores e Ações 8 Considerações Finais 22 1 INTRODUÇÃO O Plano Estratégico do Supremo Tribunal de Federal,

Leia mais

EVENTOS. Caravana da Inclusão, Acessibilidade e Cidadania

EVENTOS. Caravana da Inclusão, Acessibilidade e Cidadania A União dos Vereadores do Estado de São Paulo UVESP, desde 1977 (há 38 anos) promove parceria com o Poder Legislativo para torná-lo cada vez mais forte, através de várias ações de capacitação e auxílio

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico A decisão pela realização do Planejamento Estratégico no HC surgiu da Administração, que entendeu como urgente formalizar o planejamento institucional. Coordenado pela Superintendência

Leia mais

PROGRAMA DE GESTÃO DE DESEMPENHO (PGD)

PROGRAMA DE GESTÃO DE DESEMPENHO (PGD) UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE SUPERINTENDÊNCIA DE RECURSOS HUMANOS DEPARTAMENTO DE DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS DIVISÃO DE TREINAMENTO E AVALIAÇÃO SERVIÇO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO PROGRAMA DE

Leia mais

A Estratégia do Conselho da Justiça Federal 2015/2020 CJF-POR-2015/00359, de 26 de agosto de 2015

A Estratégia do Conselho da Justiça Federal 2015/2020 CJF-POR-2015/00359, de 26 de agosto de 2015 A Estratégia do Conselho da Justiça Federal CJF-POR-2015/00359, de 26 de agosto de 2015 SUEST/SEG 2015 A estratégia do CJF 3 APRESENTAÇÃO O Plano Estratégico do Conselho da Justiça Federal - CJF resume

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) Este documento tem o propósito de promover o alinhamento da atual gestão

Leia mais

Marcelo Vidigal Dias (Currículo Profissional) Data da última alteração: 26/05/2015. Pretensão salarial. Resumo do Currículo. Cargo de interesse

Marcelo Vidigal Dias (Currículo Profissional) Data da última alteração: 26/05/2015. Pretensão salarial. Resumo do Currículo. Cargo de interesse Marcelo Vidigal Dias (Currículo Profissional) Data da última alteração: 26/05/2015 Perfil do currículo: Profissional Data de nascimento: 22/10/1972 Endereço: Rua Igarapava, 191 Bairro: Jardim dos Gravatás

Leia mais

Pós-graduação lato sensu.

Pós-graduação lato sensu. MBA Desenvolvimento e Gestão de Pessoas Pós-graduação lato sensu 1 MBA Desenvolvimento e Gestão de Pessoas Curso de Especialização Pós-Graduação lato sensu PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL E A QUALIDADE DOS GASTOS PÚBLICOS

PLANO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL E A QUALIDADE DOS GASTOS PÚBLICOS PLANO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL E A QUALIDADE DOS GASTOS PÚBLICOS Ceres Alves Prates II Congresso Consad de Gestão Pública Painel 31: Qualidade do Gasto Público I PLANO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA ANÁLISE DOS INDICADORES E METAS DO ACORDO DE RESULTADOS DA DIRETORIA DE FISCALIZAÇÃO DO DER/MG.

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA ANÁLISE DOS INDICADORES E METAS DO ACORDO DE RESULTADOS DA DIRETORIA DE FISCALIZAÇÃO DO DER/MG. CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA DIRETORIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, PESQUISA E EXTENSÃO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO/MBA GESTÃO PÚBLICA ANÁLISE DOS INDICADORES E METAS DO ACORDO DE RESULTADOS DA DIRETORIA DE FISCALIZAÇÃO

Leia mais

AUTOAVALIAÇÃO DO CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - CEAD

AUTOAVALIAÇÃO DO CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - CEAD AUTOAVALIAÇÃO DO CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CEAD COMISSÃO SETORIAL DE AVALIAÇÃO: Presidente: Prof. Ademilde Silveira Sartori Representantes Docentes: Prof. Rose Cler Estivalete Beche Prof. Solange

Leia mais

ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DO ESTADO DE MINAS GERAIS, ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA.

ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DO ESTADO DE MINAS GERAIS, ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA. DECRETO 44932 2008 Data: 30/10/2008 Origem: EXECUTIVO Ementa: DISPÕE SOBRE A ORGANIZAÇÃO DA ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DO ESTADO DE MINAS GERAIS - ESP-MG. Relevância LEGISLAÇÃO BÁSICA : Fonte: PUBLICAÇÃO

Leia mais

POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA

POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA 1 1. APRESENTAÇÃO Esta política estabelece os princípios e práticas de Governança Cooperativa adotadas pelas cooperativas do Sistema Cecred, abordando os aspectos de

Leia mais

PROPOSTAS DE EAD NO ENSINO SUPERIOR, SOB A ÓTICA DA LEGISLAÇÃO EDUCACIONAL 1

PROPOSTAS DE EAD NO ENSINO SUPERIOR, SOB A ÓTICA DA LEGISLAÇÃO EDUCACIONAL 1 PROPOSTAS DE EAD NO ENSINO SUPERIOR, SOB A ÓTICA DA LEGISLAÇÃO EDUCACIONAL 1 Elaine Turk Faria 1 O site do Ministério de Educação (MEC) informa quantas instituições já estão credenciadas para a Educação

Leia mais

DECRETO Nº XX.XXX, DE XX DE XXXXXXXXXXXX DE 2009.

DECRETO Nº XX.XXX, DE XX DE XXXXXXXXXXXX DE 2009. DECRETO Nº XX.XXX, DE XX DE XXXXXXXXXXXX DE 2009. Institui a Política de Tecnologia da Informação e Comunicação no Governo do Estado do Piauí, cria o Sistema de Governança de Tecnologia da Informação e

Leia mais

A FORMAÇÃO DE SUJEITOS CRÍTICOS NO ENSINO SUPERIOR: UM POSSÍVEL CAMINHO PARA A TRANSFORMAÇÃO SOCIAL. Marijara de Lima Monaliza Alves Lopes

A FORMAÇÃO DE SUJEITOS CRÍTICOS NO ENSINO SUPERIOR: UM POSSÍVEL CAMINHO PARA A TRANSFORMAÇÃO SOCIAL. Marijara de Lima Monaliza Alves Lopes A FORMAÇÃO DE SUJEITOS CRÍTICOS NO ENSINO SUPERIOR: UM POSSÍVEL CAMINHO PARA A TRANSFORMAÇÃO SOCIAL Marijara de Lima Monaliza Alves Lopes FACULDADE ALFREDO NASSER INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO III PESQUISAR

Leia mais

SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ

SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ MISSÃO: Garantir prestação jurisdicional rápida, acessível e efetiva no âmbito da sua competência. DESCRIÇÃO DA MISSÃO: A Justiça Federal no Paraná existe para garantir direitos

Leia mais

SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS

SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS 1 FINALIDADE DO PROJETO ESTRATÉGICO Simplificar e padronizar os processos internos, incrementando o atendimento ao usuário. Especificamente o projeto tem o objetivo de: Permitir

Leia mais

SÚMULA DA 53ª REUNIÃO DA CÂMARA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO, REALIZADA EM 09.11.2006 INÍCIO: 08:30 hs. - ENCERRAMENTO: 12:00 hs.

SÚMULA DA 53ª REUNIÃO DA CÂMARA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO, REALIZADA EM 09.11.2006 INÍCIO: 08:30 hs. - ENCERRAMENTO: 12:00 hs. SÚMULA DA 53ª REUNIÃO DA CÂMARA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO, REALIZADA EM 09.11.2006 INÍCIO: 08:30 hs. - ENCERRAMENTO: 12:00 hs. CÂMARA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO: 01 - Processo nº 25/2006 Unidade Universitária:

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE CIENCIAS DA SAUDE COORDENAÇÃO DE PÓS GRADUAÇÃO E EXTENSÃO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

ESCOLA SUPERIOR DE CIENCIAS DA SAUDE COORDENAÇÃO DE PÓS GRADUAÇÃO E EXTENSÃO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESCOLA SUPERIOR DE CIENCIAS DA SAUDE COORDENAÇÃO DE PÓS GRADUAÇÃO E EXTENSÃO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM GESTÃO DO TRABALHO E EDUCAÇÃO NA SAÚDE 1- Introdução: contextualização a iniciativa O curso

Leia mais

PODER EXECUTIVO ANEXO I ATRIBUIÇÕES DO CARGO DE ESPECIALISTA EM POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO GOVERNAMENTAL

PODER EXECUTIVO ANEXO I ATRIBUIÇÕES DO CARGO DE ESPECIALISTA EM POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO GOVERNAMENTAL ANEXO I ATRIBUIÇÕES DO CARGO DE ESPECIALISTA EM POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO GOVERNAMENTAL a) formulação, implantação e avaliação de políticas públicas voltadas para o desenvolvimento sócio-econômico e

Leia mais

8. Excelência no Ensino Superior

8. Excelência no Ensino Superior 8. Excelência no Ensino Superior PROGRAMA: 08 Órgão Responsável: Contextualização: Excelência no Ensino Superior Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior - SETI O Programa busca,

Leia mais

Gestão Por Competências nas IFES

Gestão Por Competências nas IFES Goiânia 22 de Novembro de 2012 Gestão Por Competências nas IFES Anielson Barbosa da Silva anielson@uol.com.br A G E N D A 1 Desafios da Gestão de Pessoas nas IFES. 2 3 Bases Legais da Gestão de Pessoas

Leia mais

Congresso de Gestão Pública Ceará Fortaleza, 29 e 30/10/08

Congresso de Gestão Pública Ceará Fortaleza, 29 e 30/10/08 Congresso de Gestão Pública Ceará Fortaleza, 29 e 30/10/08 Levantamento dos Novos Arranjos Organizacionais nos Municípios Paulistas (2006): breves considerações Estudo da Fundação Prefeito Faria Lima Cepam

Leia mais

2- GESTÃO DOS AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM NOS CURSOS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO ÂMBITO DO PROINFO INTEGRADO

2- GESTÃO DOS AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM NOS CURSOS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO ÂMBITO DO PROINFO INTEGRADO 2- GESTÃO DOS AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM NOS CURSOS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO ÂMBITO DO PROINFO INTEGRADO Maria do Rozario Gomes da Mota Silva 1 Secretaria de Educação do

Leia mais

2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - CPA Mantenedora: Fundação Presidente Antônio Carlos Mantida: Faculdade Presidente Antônio Carlos de Araguari

Leia mais

GOVERNO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado de Cultura Plano Estadual de Cultura

GOVERNO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado de Cultura Plano Estadual de Cultura GOVERNO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado de Cultura INTRODUÇÃO A Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro (SEC) está coordenando a elaboração do Plano Estadual de Cultura, a partir do diálogo

Leia mais

O PDTI como ferramenta de Gestão da TI

O PDTI como ferramenta de Gestão da TI O PDTI como ferramenta de Gestão da TI Fernando Pires Barbosa, Gustavo Chiapinotto, Sérgio João Limberger, Marcelo Lopes Kroth, Fernando Bordin da Rocha, Giana Lucca Kroth, Lucia Madruga, Henrique Pereira,

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ CONTROLADORIA E OUVIDORIA GERAL DO ESTADO - CGE

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ CONTROLADORIA E OUVIDORIA GERAL DO ESTADO - CGE GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ CONTROLADORIA E OUVIDORIA GERAL DO ESTADO - CGE Termo de Referência para Contratação de Serviço de Consultoria (Pessoa Jurídica) para Reestruturação do Portal da Transparência

Leia mais

Márcia Mascarenhas Alemão Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais

Márcia Mascarenhas Alemão Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais PREMIO CHICO RIBEIRO SOBRE INFORMAÇÃO DE CUSTOS E QUALIDADE DO GASTO NO SETOR Público O Modelo de Gestão FHEMIG e a Prestação de Contas ao Paciente: a implantação do sistema de custos hospitalares e o

Leia mais

1. Escopo ou finalidade da iniciativa

1. Escopo ou finalidade da iniciativa 1. Escopo ou finalidade da iniciativa Esta iniciativa busca a modernização e a ampliação das ações e dos instrumentos de Comunicação para atender às necessidades de divulgação e alinhamento de informações

Leia mais

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Liderança e Gestão de Pessoas

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Liderança e Gestão de Pessoas DESCRITIVO DE CURSO MBA em Liderança e Gestão de Pessoas 1. Posglobal Após a profunda transformação trazida pela globalização estamos agora em uma nova fase. As crises econômica, social e ambiental que

Leia mais