10/03/2015. IEEE 802.1Q Virtual LAN (VLAN) Virtual Trunk Protocol(VTP) Prof. Alexandre Beletti IEEE 802.1Q

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "10/03/2015. IEEE 802.1Q Virtual LAN (VLAN) Virtual Trunk Protocol(VTP) Prof. Alexandre Beletti IEEE 802.1Q"

Transcrição

1 IEEE 802.1Q Virtual LAN (VLAN) Virtual Trunk Protocol(VTP) Prof. Alexandre Beletti IEEE 802.1Q 1

2 IEEE 802.1Q Norma e protocolo definidos pelo IEEE Permite a criação de VLANsdentro de uma rede ethernet Permite adicionar rótulos de 32 bits nos quadros ethernet para instruir os elementos comutados da camada de ENLACE Switches e Bridgestrocam entre si apenas quadros com o mesmo identificador IEEE 802.1Q Essa norma define os mecanismos para permitir que uma rede física seja divida em várias redes virtuais Essa norma também padroniza extensões para protocolos Spanning-Tree, qualidades de serviços e outros aspectos de redes comutadas Ethernet 2

3 Quadro 802.1Q Recursos do Protocolo Em vez de ir ao RACK e mover um cabo para uma LAN diferente, os administradores da rede podem realizar esta tarefa remotamente configurando uma porta em um protocolo 802.1Q para pertencer a uma VLAN diferente. 3

4 Virtual LAN (VLAN) Introdução VLAN: Rede Local Virtual Rede logicamente independente Várias VLANspodem co-existirem um mesmo comutador (switch) Dividideuma rede local física em mais de uma rede (virtual), criando domínios de broadcast separados 4

5 Objetivos Quebrar o domínio de broadcast para: Desempenho Segurança Os quadros de broadcast ficam restritos as portas dos switches alocadas para uma determinada VLAN VLAN -Camada do OSI Uma VLAN também torna possível colocar em um mesmo domínio de broadcast hosts com localizações físicas distintas e ligados a switches diferentes. Redes virtuais operam na camada 2 domodelo OSI. No entanto, uma VLAN geralmente é configurada para mapear diretamente uma rede ou sub-rede IP, o que dá a impressão que a camada 3 está envolvida. 5

6 VLAN -Camada do OSI Enlaces switch-a-switch e switch-aroteadorsão chamados de troncos. Um roteador ou switch de camada 3 serve como obackbone entre o tráfego que passa através de VLANs diferentes. VLAN Estática Também chamadas de baseadas em portas São criadas atribuindo-se cada porta de um comutador a uma VLAN Quando um novo dispositivo se conecta à rede ele assume a VLAN da porta à qual ele está ligado Em caso de mudança, se esse dispositivo for ligado a uma nova porta por exemplo, para mantê-lo na VLAN original será necessário que o administrador de rede reconfigure manualmente as associações porta-vlan. 6

7 VLAN Dinâmica São criadas e alteradas dinamicamente via software Através de um servidor VMPS (VLAN Management Policy Server) e de um banco de dados que armazena os dados dos membros das VLANs VLANs dinâmicas baseiam-se em critérios estabelecidos pelo administrador de rede, como o MAC address ou o nome do usuário de rede de cada dispositivo conectado ao comutador. Virtual Trunk Protocol(VTP) 7

8 Introdução VTP: Virtual Trunk Protocol Protocolo da camada 2 Utilizado para manter a configuração de VLANs consistentes em uma rede Responsável por gerenciar as VLANs Justificativa Em uma rede de switches sem o VTP, o administrador deverá fazer manualmente a criação de VLANsem cada um dos switches da rede Configurações manuais podem ser trabalhosas e a ocorrência de erros é maior 8

9 Funcionamento Com o VTP, o administrador irá inserir as configurações em um único switch O switch com essas configurações distribuí e sincroniza as informações com os outros switches da rede Modos do VTP VTP Server: criar, apagar e renomear VLAns. Propaga (anuncia) o nome do domínio VTP, a configuração e o número da revisão. VTP Client: não pode fazer o que o Server faz, apenas recebe as configurações. VTP Transparent: as VLANsprecisam ser configuradas manualmente, não participa do VTP e nem anuncia as suas configurações VLANs 9

10 Versões 1 e 2 do VTP Esse protocolo tem duas versões, a qual pode gerar incompatibilidade no meio em que os switches estão configurados Hoje todos os switches vêm com oversão 1por padrão, sendo assim se desejamos trabalhar com aversão 2temos que habilitar manualmente Lembrando-se que switches mais antigos não suportam a versão 2, portanto terá que manter a versão 1 funcionando Senha no VTP Um outro ponto que deve ser sempre verificado é a senha que pode ser configurada separadamente em cada switch, pois esse parâmetro não é enviado pelos anúncios de VTP, ou seja, se a senha estiver incorreta o seu switch não irá popular as informações do database de VLANs 10

11 Domínio do VTP Para que seu switch armazene as informações ele tem que estar no mesmo domínio, senão você pode perder informações importantes nos anúncios Exemplo de Topologia com VTP 11

12 Referências VLAN VLAN VLAN Protocolo VTP lo-vtp-parte-1/ IEEE 802.1Q ad/802.1q-2011.pdf 12

Experiência 04: Comandos para testes e identificação do computador na rede.

Experiência 04: Comandos para testes e identificação do computador na rede. ( ) Prova ( ) Prova Semestral ( ) Exercícios ( ) Prova Modular ( ) Segunda Chamada ( ) Exame Final ( ) Prática de Laboratório ( ) Aproveitamento Extraordinário de Estudos Nota: Disciplina: Turma: Aluno

Leia mais

Graduação Tecnológica em Redes de Computadores. Fundamentos de Redes II

Graduação Tecnológica em Redes de Computadores. Fundamentos de Redes II Graduação Tecnológica em Redes de Computadores Fundamentos de Redes II Euber Chaia Cotta e Silva euberchaia@yahoo.com.br Site da disciplina http://echaia.com Ementa: Camada física do modelo OSI; Camada

Leia mais

Roteiro 12: Gerenciando Compartilhamentos

Roteiro 12: Gerenciando Compartilhamentos Roteiro 12: Gerenciando Compartilhamentos Objetivos: Ativar e gerenciar compartilhamentos locais e remotos; Ativar e gerenciar o sistema de arquivos distribuídos (DFs); Gerenciar compartilhamentos ocultos;

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Nível de rede Inst tituto de Info ormátic ca - UF FRGS Redes de Computadores Nível de rede Aula 6 Aplicação Apresentação Sessão Transporte Rede Enlace Físico Protocolo nível de aplicação Protocolo nível

Leia mais

Configuração de VLANS em ambientes CISCO

Configuração de VLANS em ambientes CISCO Configuração de VLANS em ambientes CISCO Vanderlei Lemke Kruger, André Moraes 1 Faculdade de Tecnologia Senac Pelotas (FATEC - Senac) Rua Gonçalves Chaves, 602 Centro Curso Superior de Tecnologia em Redes

Leia mais

Laboratório nº 5 FUNCIONAMENTO DO ADDRESS RESOLUTION PROTOCOL

Laboratório nº 5 FUNCIONAMENTO DO ADDRESS RESOLUTION PROTOCOL D E P A R T A M E N T O D E E N G E N H A R I A I N F O R M Á T I C A L i c e n c i a t u r a e m J o g o s D i g i t a i s e M u l t i m é d i a T e c n o l o g i a I n f o r m á t i c a e d e C o m u

Leia mais

VTP VLAN TRUNKING PROTOCOL

VTP VLAN TRUNKING PROTOCOL VTP VLAN TRUNKING PROTOCOL VLAN Trunking Protocol O VLAN Trunking Protocol (VTP) foi criado pela Cisco (proprietário) para resolver problemas operacionais em uma rede comutada com VLANs. Só deve ser utilizado

Leia mais

Uso de Virtual Lan (VLAN) para a disponibilidade em uma Rede de Campus

Uso de Virtual Lan (VLAN) para a disponibilidade em uma Rede de Campus Uso de Virtual Lan (VLAN) para a disponibilidade em uma Rede de Campus Edson Rodrigues da Silva Júnior. Curso de Redes e Segurança de Sistemas Pontifícia Universidade Católica do Paraná Curitiba, Fevereiro

Leia mais

MS1122 v3.0 Instalação e Considerações Importantes

MS1122 v3.0 Instalação e Considerações Importantes MS1122 v3.0 Instalação e Considerações Importantes O conteúdo deste documento é destinado a quem já possui algum conhecimento e deseja utilizar algumas REDEs comerciais disponíveis... V3.0 R2 Operadoras

Leia mais

DEDICATÓRIA. COMO UTILIZAR ESTE LIVRO vii ÍNDICE... 1 - INTRODUÇÃO ÀS REDES DE COMUNICAÇÃO... 1

DEDICATÓRIA. COMO UTILIZAR ESTE LIVRO vii ÍNDICE... 1 - INTRODUÇÃO ÀS REDES DE COMUNICAÇÃO... 1 índice DEDICATÓRIA v COMO UTILIZAR ESTE LIVRO vii ÍNDICE...... ix 1 - INTRODUÇÃO ÀS REDES DE COMUNICAÇÃO...... 1 Introdução 1 Redes de Comunicação 2 Arquitectura de Comunicação OSI 4 Funcionamento do Modelo

Leia mais

Manual de instalação do Microsoft SQL Server 2008 R2 Express no Windows 10

Manual de instalação do Microsoft SQL Server 2008 R2 Express no Windows 10 Manual de instalação do Microsoft SQL Server 2008 R2 Express no Windows 10 1-Antes de iniciar a instalação do SQL é necessário liberar as permissões do usuário para evitar erro, para realizar esse procedimento

Leia mais

Pontes. Aula 14. VLANs. Pontes (bridges) Virtual LANs (VLANs) 2005-2006

Pontes. Aula 14. VLANs. Pontes (bridges) Virtual LANs (VLANs) 2005-2006 Aula 14 (bridges) Virtual LANs () FCUL 2005-2006 Nível 1/2 vs nível 3 A interligação de redes é, de acordo com os modelos OSI ou TCP/IP, feita no nível 3. Vantagens da interligação nível 3 Genérica, pois

Leia mais

Introdução. Modelo de um Sistema de Comunicação

Introdução. Modelo de um Sistema de Comunicação I 1 Comunicação de Dados e Redes de Computadores Introdução FEUP/DEEC/CDRC I 2002/03 MPR/JAR Modelo de um Sistema de Comunicação» Fonte gera a informação (dados) a transmitir» Emissor converte os dados

Leia mais

A camada de Enlace. Serviços e Protocolos

A camada de Enlace. Serviços e Protocolos A camada de Enlace Serviços e Protocolos Camada de Enlace Segunda camada do modelo OSI Primeira Camada do Modelo TCP/IP Modelo OSI Modelo TCP/IP Aplicação Apresentação Aplicação Sessão Transporte Rede

Leia mais

Arquitetura TCP/IP. Apresentado por: Ricardo Quintão

Arquitetura TCP/IP. Apresentado por: Ricardo Quintão Arquitetura TCP/IP Apresentado por: Ricardo Quintão Roteiro Conexões Inter-redes Serviço Universal Rede Virtual (inter-rede ou internet) Protocolos para ligação inter-redes (TCP/IP) Divisão em camadas

Leia mais

MÓDULO 2 Topologias de Redes

MÓDULO 2 Topologias de Redes MÓDULO 2 Topologias de Redes As redes de computadores de modo geral estão presentes em nosso dia adia, estamos tão acostumados a utilizá las que não nos damos conta da sofisticação e complexidade da estrutura,

Leia mais

Interconexão redes locais (LANs)

Interconexão redes locais (LANs) Interconexão redes locais (LANs) Descrever o método de funcionamento dos dispositivos bridge e switch, desenvolver os conceitos básicos de LANs intermediárias, do uso do protocolo STP e VLANs. Com o método

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - Switch na Camada 2: Comutação www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito Introdução A conexão entre duas portas de entrada e saída, bem como a transferência de

Leia mais

Fundamentos de Redes e Sistemas Distribuídos Aula 03 Camadas

Fundamentos de Redes e Sistemas Distribuídos Aula 03 Camadas Fundamentos de Redes e Sistemas Distribuídos Aula 03 Camadas Prof. Dr. Rodrigo Clemente Thom de Souza Camada de Aplicação É a única camada vista pela maioria dos usuários!!! Objetivo: Fornecer serviços

Leia mais

Endereçamento IP: introdução. Sub-redes. interface: conexão entre hospedeiro/ roteador e enlace físico. O que é uma sub-rede?

Endereçamento IP: introdução. Sub-redes. interface: conexão entre hospedeiro/ roteador e enlace físico. O que é uma sub-rede? Endereçamento IP: introdução endereço IP: identificador de 32 bits para interface de hospedeiro e roteador interface: conexão entre hospedeiro/ roteador e enlace físico roteadores normalmente têm várias

Leia mais

Módulo: M_CONFIRMA_AGENDAMENTO - Confirmação dos Agendamentos

Módulo: M_CONFIRMA_AGENDAMENTO - Confirmação dos Agendamentos Page 1 of 16 145806 Módulo: M_CONFIRMA_AGENDAMENTO - Confirmação dos Agendamentos PDA 145806: Aumento do Campo "Telefone". SOLICITAÇÃO DO CLIENTE Aumentar o campo "Telefone" nas telas de agendamento, para

Leia mais

Network Camera. Guia do SNC easy IP setup Versão de software 1.0 Antes de operar o aparelho, leia todo este manual e guarde-o para referência futura.

Network Camera. Guia do SNC easy IP setup Versão de software 1.0 Antes de operar o aparelho, leia todo este manual e guarde-o para referência futura. 4-441-095-71 (1) Network Camera Guia do SNC easy IP setup Versão de software 1.0 Antes de operar o aparelho, leia todo este manual e guarde-o para referência futura. 2012 Sony Corporation Índice Salvar

Leia mais

,QVWDODomR. Dê um duplo clique para abrir o Meu Computador. Dê um duplo clique para abrir o Painel de Controle. Para Adicionar ou Remover programas

,QVWDODomR. Dê um duplo clique para abrir o Meu Computador. Dê um duplo clique para abrir o Painel de Controle. Para Adicionar ou Remover programas ,QVWDODomR 5HTXLVLWRV0tQLPRV Para a instalação do software 0RQLWXV, é necessário: - Processador 333 MHz ou superior (700 MHz Recomendado); - 128 MB ou mais de Memória RAM; - 150 MB de espaço disponível

Leia mais

Passos para a instalação

Passos para a instalação Manual de Instalação da Comanda Eletrônica Arquivos para instalação no computador.net Framework 3.5 ActiveSync (programa que vem junto com o Pocket que faz a integração do aparelho com o computador do

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação Uma estação é considerada parte de uma LAN se pertencer fisicamente a ela. O critério de participação é geográfico. Quando precisamos de uma conexão virtual entre duas estações que

Leia mais

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GTL 10 14 a 17 Outubro de 2007 Rio de Janeiro - RJ GRUPO XVI GRUPO DE ESTUDO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E TELECOMUNICAÇÃO PARA SISTEMAS

Leia mais

1 2008 Copyright Smar

1 2008 Copyright Smar Instalação, Configuração - System302-7 Studio 1 2008 Copyright Smar 2 Arquitetura do SYSTEM302 Smar Est. Operação Est. Operação Servidor Est. Manutenção Servidor Estação Engenharia Estação Engenharia Servidor

Leia mais

TUTORIAL PROCESSOS DE INSTALAÇÃO DO MYMIX MOBILE

TUTORIAL PROCESSOS DE INSTALAÇÃO DO MYMIX MOBILE Sumário Apresentação... 1 1. Procedimentos iniciais... 2 2. Configurar computador para o IIS... 3 3. Configurar o serviço do IIS (Servidor Web)... 5 4. Instalar mymix Mobile no Coletor... 7 5. Configurar

Leia mais

Capítulo 3: Implementar a segurança por meio de VLANs

Capítulo 3: Implementar a segurança por meio de VLANs Unisul Sistemas de Informação Redes de Computadores Capítulo 3: Implementar a segurança por meio de VLANs Roteamento e Switching Academia Local Cisco UNISUL Instrutora Ana Lúcia Rodrigues Wiggers Presentation_ID

Leia mais

O que é um banco de dados? Banco de Dados. Banco de dados

O que é um banco de dados? Banco de Dados. Banco de dados COLÉGIO EST. JOÃO MANOEL MONDRONE - ENS. FUNDAMENTAL, MÉDIO, PROFISSIONAL E NORMAL Rua Mato Grosso n.2233 - Fone/Fax (045) 3264-1749-3264-1507 Banco de Dados O que é um banco de dados? Um conjunto de informações

Leia mais

Configurar Thin Client X1 e X1W

Configurar Thin Client X1 e X1W Configurar Thin Client X1 e X1W Vamos mostrar como você pode utilizar os Thin Client s (clientes remotos) X1 e X1W em seu callcenter de forma muito simples. Primeiro Passo: Prepare o Servidor Remoto -

Leia mais

Curso de Inverno - CECID

Curso de Inverno - CECID 1 Curso de Inverno - CECID AULA 2 Configuração e Administração de Ambiente Moodle Prof. Dr. José Eduardo Santarem Segundo santarem@usp.br Blog: http://santaremsegundo.com.br Twitter: @santaremsegundo Introdução

Leia mais

Auxiliar em Administração de Redes Redes de Computadores I

Auxiliar em Administração de Redes Redes de Computadores I Prof. Diego Pereira Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte Campus Currais Novos Auxiliar em Administração de Redes Redes de Computadores

Leia mais

Projeto de datacenters Instituto Federal de Alagoas. Prof. Esp. César Felipe G. Silva

Projeto de datacenters Instituto Federal de Alagoas. Prof. Esp. César Felipe G. Silva Instituto Federal de Alagoas Projeto de datacenters Conceito de datacenter Ao pé da letra significa centro de dados Na verdade trata-se de um ambiente com acesso e climatização controlados Nele encontramos

Leia mais

Configuração para Uso do Tablet no GigaChef e Outros Dispositivos

Configuração para Uso do Tablet no GigaChef e Outros Dispositivos Configuração para Uso do Tablet no GigaChef e Outros Dispositivos Birigui SP Setembro - 2013 1. Configurando o Ambiente. Este documento mostra como configurar o ambiente do GigaChef para usar o Tablet

Leia mais

Virtual Local Area Network VLAN

Virtual Local Area Network VLAN Virtual Local Area Network VLAN 1 Domínios de broadcast com VLANs e Roteadores Permite a criação de Redes Lógicas distintas e independentes em uma mesma rede física Configuração por software (Switch) Hosts

Leia mais

EM8032 EM8033 Adaptador Powerline de 500Mbps com tomada elétrica

EM8032 EM8033 Adaptador Powerline de 500Mbps com tomada elétrica EM8032 EM8033 Adaptador Powerline de 500Mbps com tomada elétrica 2 PORTUGUÊS EM8032 EM8033 - Adaptador Powerline de 500Mbps com tomada elétrica Índice 1.0 Introdução... 2 1.1 Conteúdo da embalagem... 2

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Comunicação em Grupo Referência Sistemas operacionais modernos Andrew S. TANENBAUM Prentice-Hall, 1995 Seção 10.4 pág. 304-311 2 Comunicação em Grupo Suponha que se deseja um serviço de arquivos único

Leia mais

Equipamentos de Redes de Computadores

Equipamentos de Redes de Computadores Equipamentos de Redes de Computadores Romildo Martins da Silva Bezerra IFBA Estruturas Computacionais Equipamentos de Redes de Computadores... 1 Introdução... 2 Repetidor... 2 Hub... 2 Bridges (pontes)...

Leia mais

OI CLOUD SEJA BEM-VINDO!

OI CLOUD SEJA BEM-VINDO! OI CLOUD SEJA BEM-VINDO! O QUE É O OI CLOUD? O Oi Cloud é um serviço de armazenamento, compartilhamento e sincronização de arquivos. Esses arquivos ficarão acessíveis a partir de qualquer dispositivo,

Leia mais

Disciplina: Unidade III: Prof.: E-mail: Período:

Disciplina: Unidade III: Prof.: E-mail: Período: Encontro 09 Disciplina: Sistemas de Banco de Dados Unidade III: Modelagem Lógico de Dados Prof.: Mario Filho E-mail: pro@mariofilho.com.br Período: 5º. SIG - ADM 6. Introdução ao MS Access O Microsoft

Leia mais

DESCRITIVO TÉCNICO PLATAFORMA PCS

DESCRITIVO TÉCNICO PLATAFORMA PCS DESCRITIVO TÉCNICO PLATAFORMA PCS A Plataforma PCS é composta por um Servidor de Aplicações interligado a um PABX e à rede de dados da empresa. É neste servidor que irão residir aplicações para controlar

Leia mais

DK105 GROVE. Temperatura e Umidade. Radiuino

DK105 GROVE. Temperatura e Umidade. Radiuino DK105 GROVE Temperatura e Umidade Radiuino O presente projeto visa mostrar uma básica aplicação com o Kit DK 105 Grove. Utilizamos um sensor de umidade e temperatura Grove juntamente ao nó sensor para

Leia mais

Índice. tabela das versões do documento. GPOP - Gerenciador POP 1598510_05 01 11/01/2016 1/14. título: GPOP. assunto: Manual de utilização

Índice. tabela das versões do documento. GPOP - Gerenciador POP 1598510_05 01 11/01/2016 1/14. título: GPOP. assunto: Manual de utilização título: GPOP assunto: Manual de utilização número do documento: 1598510_05 índice: 01 pag.: 1/14 cliente: geral tabela das versões do documento índice data alteração 01 11/01/2016 versão inicial 02 03

Leia mais

SOFTWARE VIAWEB. Como instalar o Software VIAWEB

SOFTWARE VIAWEB. Como instalar o Software VIAWEB SOFTWARE VIAWEB Como instalar o Software VIAWEB O Software VIAWEB é na verdade um receptor de eventos. A única diferença é que os eventos são recebidos via INTERNET. Portanto, a empresa de monitoramento

Leia mais

Instalando sua Multifuncional na sua rede pela primeira vez

Instalando sua Multifuncional na sua rede pela primeira vez Instalando sua Multifuncional na sua rede pela primeira vez PIXMA MG3510 Mac OS 1 Instalando sua Multifuncional na sua rede pela primeira vez PIXMA MG3510 Mac OS Preparando para Conectar Minha Multifuncional

Leia mais

Objetivo: Criar redes locais virtuais (VLANs) usando switches e computadores

Objetivo: Criar redes locais virtuais (VLANs) usando switches e computadores Laboratório de IER 7 o experimento Objetivo: Criar redes locais virtuais (VLANs) usando switches e computadores Introdução LANs Ethernet (padrão IEEE 802.3 e extensões) atualmente são construídas com switches

Leia mais

Exemplo de nome de servidor de Domain Controller: PTISPO01DC02 PTI SPO 01 DC 01. Matriz ou Primeira Filial

Exemplo de nome de servidor de Domain Controller: PTISPO01DC02 PTI SPO 01 DC 01. Matriz ou Primeira Filial Olá pessoal, dando continuidade nos artigos de, hoje iremos ver o procedimento de s de Servidores, Desktops, Periféricos e Ativos de Rede. Cada profissional de TI e as empresa possuem seus padrões, seguindo

Leia mais

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS SISTEMAS DISTRIBUÍDOS Introdução Slide 1 Nielsen C. Damasceno Introdução Tanenbaum (2007) definiu que um sistema distribuído é aquele que se apresenta aos seus usuários como um sistema centralizado, mas

Leia mais

Professor: Gládston Duarte

Professor: Gládston Duarte Professor: Gládston Duarte INFRAESTRUTURA FÍSICA DE REDES DE COMPUTADORES Computador Instalação e configuração de Sistemas Operacionais Windows e Linux Arquiteturas físicas e lógicas de redes de computadores

Leia mais

O modelo ISO/OSI (Tanenbaum,, 1.4.1)

O modelo ISO/OSI (Tanenbaum,, 1.4.1) Cenário das redes no final da década de 70 e início da década de 80: Grande aumento na quantidade e no tamanho das redes Redes criadas através de implementações diferentes de hardware e de software Incompatibilidade

Leia mais

Interconexão de Redes

Interconexão de Redes Interconexão de Redes Romildo Martins Bezerra CEFET/BA Redes de Computadores II Introdução... 2 Repetidor... 2 Hub... 2 Bridges (pontes)... 3 Switches (camada 2)... 3 Conceito de VLANs... 3 Switches (camada

Leia mais

Há dois tipos de configurações bidirecionais usados na comunicação em uma rede Ethernet:

Há dois tipos de configurações bidirecionais usados na comunicação em uma rede Ethernet: Comunicação em uma rede Ethernet A comunicação em uma rede local comutada ocorre de três formas: unicast, broadcast e multicast: -Unicast: Comunicação na qual um quadro é enviado de um host e endereçado

Leia mais

Banco de Dados I. Prof. Edson Thizon ethizon@bol.com.br

Banco de Dados I. Prof. Edson Thizon ethizon@bol.com.br Banco de Dados I Prof. Edson Thizon ethizon@bol.com.br Conceitos Dados Fatos conhecidos que podem ser registrados e que possuem significado implícito Banco de dados (BD) Conjunto de dados interrelacionados

Leia mais

Neste manual você terá o exemplo de acesso 3G pelo programa ASEE, existem 02 tipos, o segundo é o MEYE. No cd existe o manual do MEYE.

Neste manual você terá o exemplo de acesso 3G pelo programa ASEE, existem 02 tipos, o segundo é o MEYE. No cd existe o manual do MEYE. Neste manual você terá o exemplo de acesso 3G pelo programa ASEE, existem 02 tipos, o segundo é o MEYE. No cd existe o manual do MEYE. Introdução Os modelos de DVR Stand Alone H.264 da Luxseg são todos

Leia mais

Guia do Administrador de Licenças de Usuários Autorizados do IBM SPSS Modeler IBM

Guia do Administrador de Licenças de Usuários Autorizados do IBM SPSS Modeler IBM Guia do Administrador de Licenças de Usuários Autorizados do IBM SPSS Modeler IBM Índice Guia do Administrador........ 1 Antes de Iniciar............. 1 Serviços Citrix e Terminal......... 1 Instalação

Leia mais

Rede VPN UFBA Procedimento para configuração

Rede VPN UFBA Procedimento para configuração UFBA Universidade Federal da Bahia STI Superintendência de Tecnologia da Informação Rede VPN UFBA Procedimento para configuração 2015 Índice Introdução... 2 Windows 8... 3 Windows 7... 11 Windows VISTA...

Leia mais

Redes de Computadores IEEE 802.3

Redes de Computadores IEEE 802.3 Redes de Computadores Ano 2002 Profª. Vívian Bastos Dias Aula 8 IEEE 802.3 Ethernet Half-Duplex e Full-Duplex Full-duplex é um modo de operação opcional, permitindo a comunicação nos dois sentidos simultaneamente

Leia mais

Objetivos: i) Criar enlace ponto-a-ponto entre roteadores com protocolo HDLC ii) Criar uma infraestrutura de acesso baseada em PPPoE

Objetivos: i) Criar enlace ponto-a-ponto entre roteadores com protocolo HDLC ii) Criar uma infraestrutura de acesso baseada em PPPoE Instalação de Equipamentos de Rede Laboratório 2 Estabelecimento de enlaces ponto-a-ponto Objetivos: i) Criar enlace ponto-a-ponto entre roteadores com protocolo HDLC ii) Criar uma infraestrutura de acesso

Leia mais

Sistema NetConta I - Guia de Referência Rápida

Sistema NetConta I - Guia de Referência Rápida Sistema NetConta I - Guia de Referência Rápida Dúvidas ou Sugestões: netconta@polimed.com.br Índice Como entrar no sistema NetConta 1?... 3 1. TRABALHANDO COM UMA REMESSA... 3 1.1.Como criar uma nova remessa?...

Leia mais

Gerenciamento de Redes: Protocolo SNMP

Gerenciamento de Redes: Protocolo SNMP Gerenciamento de Redes: Protocolo SNMP Protocolo SNMP (do inglês Simple Network Management Protocol Protocolo Simples de Gerência de Rede) é um protocolo usado para gerenciar redes TCP/IP complexas. Com

Leia mais

Para usar com Impressoras multifuncionais (MFPs) ativadas para a Tecnologia Xerox ConnectKey

Para usar com Impressoras multifuncionais (MFPs) ativadas para a Tecnologia Xerox ConnectKey Aplicativo Xerox App Gallery Guia de Utilização Rápida 702P03997 Para usar com Impressoras multifuncionais (MFPs) ativadas para a Tecnologia Xerox ConnectKey Use o Aplicativo Xerox App Gallery para localizar

Leia mais

Exemplo de configuração forçado dos códigos de autorização (FAC)

Exemplo de configuração forçado dos códigos de autorização (FAC) Exemplo de configuração forçado dos códigos de autorização (FAC) Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Informações de Apoio Configurar Diagrama de Rede Configurar

Leia mais

DECOM Digital. Perguntas Frequentes

DECOM Digital. Perguntas Frequentes DECOM Digital Perguntas Frequentes O Sistema DECOM Digital SDD é um sistema de formação de autos digitais que permitirá o envio eletrônico de documentos no âmbito de petições e de processos de defesa comercial,

Leia mais

Informática I. Aula 19. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 19-20/06/06 1

Informática I. Aula 19. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 19-20/06/06 1 Informática I Aula 19 http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 19-20/06/06 1 Ementa Histórico dos Computadores Noções de Hardware e Software Microprocessadores Sistemas Numéricos e Representação

Leia mais

Guia de início rápido do Bomgar B200

Guia de início rápido do Bomgar B200 Guia de início rápido do Bomgar B200 Este guia o orientará pela configuração inicial de seu Bomgar Box. Caso tenha dúvidas, entre em contato pelo número +01.601.519.0123 ou support@bomgar.com. Pré-requisitos

Leia mais

Este HELP ajudará na instalação e configuração do Roteador SISMOURA.

Este HELP ajudará na instalação e configuração do Roteador SISMOURA. Help de Funções do sistema Este HELP ajudará na instalação e configuração do Roteador SISMOURA. O que é Rotear o SISMOURA? Rotear é tornar independente do servidor um PDV (CAIXA), possibilitando o mesmo

Leia mais

Manual do usuário Certificado Digital

Manual do usuário Certificado Digital Manual do usuário Certificado Digital Parabéns Ao ter em mãos este manual, significa que você adquiriu um Certificado Digital DOCCLOUD Índice Importante 03 O que é um Certificado Digital? 04 Instalação

Leia mais

CATÁLOGO DE APLICAÇÕES Rateio CC Contas a Pagar

CATÁLOGO DE APLICAÇÕES Rateio CC Contas a Pagar CATÁLOGO DE APLICAÇÕES Rateio CC Contas a Pagar Objetivo do projeto Possibilitar fazer lançamentos no Contas a Pagar, rateando por várias contas e/ou vários centros de custos. Escopo Este projeto englobará

Leia mais

MANUAL DO INSTALADOR XD EM AMBIENTES MICROSOFT WINDOWS

MANUAL DO INSTALADOR XD EM AMBIENTES MICROSOFT WINDOWS MANUAL DO INSTALADOR XD EM AMBIENTES MICROSOFT WINDOWS Está disponível a partir da versão 2014.73 do XD Rest/Pos/Disco um novo formato no instalador em ambientes Microsoft Windows. O instalador passa a

Leia mais

Acesso Ethernet com Hubs

Acesso Ethernet com Hubs Acesso Ethernet com Hubs O dado é enviado de um por vez Cada nó trafega a 10 Mbps Acesso Ethernet com Bridges Bridges são mais inteligentes que os hubs Bridges reuni os quadros entre dois segmentos de

Leia mais

Manual do Usúario Vivo Sync. Manual do Usuário. Versão 1.3.1. Copyright Vivo 2014. http://vivosync.com.br

Manual do Usúario Vivo Sync. Manual do Usuário. Versão 1.3.1. Copyright Vivo 2014. http://vivosync.com.br Manual do Usuário Versão 1.3.1 Copyright Vivo 2014 http://vivosync.com.br 1 Vivo Sync... 3 2 Instalação do Vivo Sync... 4 3 Configurações... 7 3.1 Geral... 9 3.2 Fotos... 11 3.2.1 UpLoad:... 11 3.2.2 Download:...

Leia mais

Aula 03 Regras de Segmentação e Switches

Aula 03 Regras de Segmentação e Switches Disciplina: Dispositivos de Rede II Professor: Jéferson Mendonça de Limas 4º Semestre Aula 03 Regras de Segmentação e Switches 2014/1 19/08/14 1 2de 38 Domínio de Colisão Os domínios de colisão são os

Leia mais

Objetivo do Portal da Gestão Escolar

Objetivo do Portal da Gestão Escolar Antes de Iniciar Ambiente de Produção: É o sistema que contem os dados reais e atuais, é nele que se trabalha no dia a dia. Neste ambiente deve-se evitar fazer testes e alterações de dados sem a certeza

Leia mais

Rede de Computadores II

Rede de Computadores II Slide 1 Técnicas para se alcançar boa qualidade de serviço Reserva de recursos A capacidade de regular a forma do tráfego oferecido é um bom início para garantir a qualidade de serviço. Mas Dispersar os

Leia mais

T.I. para o DealerSuite: Servidores Versão: 1.1

T.I. para o DealerSuite: Servidores Versão: 1.1 T.I. para o DealerSuite: Servidores Versão: 1.1 Lista de Figuras T.I. para o Dealer Suite: Servidores Figura 1 Tela Principal do ESXi...4 Figura 2 Tela VMware Player...5 Figura 3 Arquivo /etc/exports do

Leia mais

Introdução à Informática. Aula 05. Redes de Computadores. Prof. Fábio Nelson

Introdução à Informática. Aula 05. Redes de Computadores. Prof. Fábio Nelson Aula 05 Redes de Computadores Sistemas de Comunicação de Dados Sistemas computadorizados que transmitem dados por meio de linhas de comunicação, como, por exemplo, linhas telefônicas ou cabos. História:

Leia mais

Módulo e-rede Magento v1.0. Manual de. Instalação do Módulo. estamos todos ligados

Módulo e-rede Magento v1.0. Manual de. Instalação do Módulo. estamos todos ligados Módulo e-rede Magento v1.0 Manual de Instalação do Módulo estamos todos ligados 01 02 03 04 Introdução 3 Versão 3 Requerimentos 3 Manual de instalação 4 05 06 4.1 Instruções iniciais 4 4.2 Instalação e

Leia mais

Procedimentos para configuração do DWL-2100AP em modo Access Point

Procedimentos para configuração do DWL-2100AP em modo Access Point Procedimentos para configuração do DWL-2100AP em modo Access Point No modo Access Point o DWL-2100AP se conecta a várias máquinas, sejam elas notebooks ou desktops com adaptador wireless. Neste manual

Leia mais

Administração de Redes e Conectividade ao PoP-BA. III WTR do PoP-BA Luiz Barreto luiz@pop-ba.rnp.br PoP-BA: Ponto de Presença da RNP na Bahia

Administração de Redes e Conectividade ao PoP-BA. III WTR do PoP-BA Luiz Barreto luiz@pop-ba.rnp.br PoP-BA: Ponto de Presença da RNP na Bahia Administração de Redes e Conectividade ao PoP-BA III WTR do PoP-BA Luiz Barreto luiz@pop-ba.rnp.br PoP-BA: Ponto de Presença da RNP na Bahia Sumário Fundamentos Arquitetura OSI e TCP/IP Virtual LAN: Dispositivos

Leia mais

1.0 Informações de hardware

1.0 Informações de hardware 1.0 Informações de hardware 1.1 Botões e ligações 6 1 7 2 8 3 9 4 5 6 10 1 Ligar / Desligar 2 Conetor Micro USB 3 Botão Voltar 4 Conetor Mini HDMI 5 Microfone 6 Webcam 7 Entrada para fone de ouvido 8 Botão

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Informação O que é Informação? Informação: conjunto de dados relacionados entre si. Sociedade de Informação Mais e Melhor Informação Recebemos tanta informação durante o dia que perdemos

Leia mais

Tópicos Avançados em Banco de Dados Dependências sobre regime e controle de objetos em Banco de Dados. Prof. Hugo Souza

Tópicos Avançados em Banco de Dados Dependências sobre regime e controle de objetos em Banco de Dados. Prof. Hugo Souza Tópicos Avançados em Banco de Dados Dependências sobre regime e controle de objetos em Banco de Dados Prof. Hugo Souza Após vermos uma breve contextualização sobre esquemas para bases dados e aprendermos

Leia mais

GUIA RÁPIDO DE UTILIZAÇÃO KIT MERCURIOIV OSCILOSCÓPIO E GERADOR DE SINAIS

GUIA RÁPIDO DE UTILIZAÇÃO KIT MERCURIOIV OSCILOSCÓPIO E GERADOR DE SINAIS GUIA RÁPIDO DE UTILIZAÇÃO KIT MERCURIOIV OSCILOSCÓPIO E GERADOR DE SINAIS Revisão 05 setembro/2014 Versão do Firmware: 2.1.8 Versão do software Osciloscópio para Windows: 2.0.19 1. Sumário 1.Introdução...3

Leia mais

www.sysdevsolutions.com Driver Next Versão 1.0 de 07-03-2011 Português

www.sysdevsolutions.com Driver Next Versão 1.0 de 07-03-2011 Português Driver Next Versão 1.0 de 07-03-2011 Português Índice Configuração dos documentos no Backofficce... 3 O Driver ERP Next... 6 Configurações principais... 6 Configurações do vendedor... 7 Configurações do

Leia mais

TOP 20 ROTINAS QUE VOCÊ PODE AUTOMATIZAR HOJE!

TOP 20 ROTINAS QUE VOCÊ PODE AUTOMATIZAR HOJE! TOP 20 ROTINAS QUE VOCÊ PODE AUTOMATIZAR HOJE! Erro Zero; Mais barato que um administrador de redes; Faz qualquer tarefa repetitiva e manual; Flexibilidade para mudar processos automatizados dentro do

Leia mais

MN03 - MANUAL DE CONFIGURAÇÃO DA VPN PARA ALUNOS

MN03 - MANUAL DE CONFIGURAÇÃO DA VPN PARA ALUNOS MN03 - MANUAL DE CONFIGURAÇÃO DA VPN PARA ALUNOS SECRETARIA DE GOVERNANÇA DA INFORMAÇÃO SUBSECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DIVISÃO DE INFRAESTRUTURA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

Leia mais

Solicitação de Autorização Intercâmbio

Solicitação de Autorização Intercâmbio Solicitação de Autorização Intercâmbio Passo a Passo - EQAT AGOSTO/2010 Por: Daniel Toledo 1 PARTE 1 PORTAL UNIMED... 4 1. ACESSO AO SITE... 4 2. SOLICITAÇÃO INTERCÂMBIO NACIONAL E ESTADUAL (EXCETO 0976

Leia mais

INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO DO MODEM ZTE W 300

INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO DO MODEM ZTE W 300 Documentação Normativa INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO DO MODEM ZTE W 300 Instrução ÍNDICE 1 OBJETIVO...3 2 NORMAS GERAIS...3 3 PROCEDIMENTOS...3 3.1 Identificação Marca/Modelo do Modem...3 3.2 Identificação

Leia mais

LEUCOTRON EQUIPAMENTOS LTDA ROTEIRO DE INTERLIGAÇÃO SIP ACTIVE IP COM REGISTRO

LEUCOTRON EQUIPAMENTOS LTDA ROTEIRO DE INTERLIGAÇÃO SIP ACTIVE IP COM REGISTRO LEUCOTRON EQUIPAMENTOS LTDA PÓS-VENDAS LEUCOTRON ROTEIRO DE INTERLIGAÇÃO SIP ACTIVE IP COM REGISTRO SANTA RITA DO SAPUCAÍ MINAS GERAIS 2012 PÓS VENDAS LEUCOTRON ROTEIRO DE INTERLIGAÇÃO SIP ACTIVE IP COM

Leia mais

ARP. Tabela ARP construída automaticamente. Contém endereço IP, endereço MAC e TTL

ARP. Tabela ARP construída automaticamente. Contém endereço IP, endereço MAC e TTL ARP Protocolo de resolução de endereços (Address Resolution Protocol) Descrito na RFC 826 Faz a tradução de endereços IP para endereços MAC da maioria das redes IEEE 802 Executado dentro da sub-rede Cada

Leia mais

BACKBONE e LANS VIRTUAIS. Bruna Luyse Soares Joel Jacy Inácio

BACKBONE e LANS VIRTUAIS. Bruna Luyse Soares Joel Jacy Inácio BACKBONE e LANS VIRTUAIS Bruna Luyse Soares Joel Jacy Inácio Redes Backbone Um backbone permite que diversas LANs possam se conectar. Em uma backbone de rede, não há estações diretamente conectadas ao

Leia mais

PRIMEIRA LISTA DE EXERCÍCIOS CAR. 48 Hosts Link C 6 Hosts

PRIMEIRA LISTA DE EXERCÍCIOS CAR. 48 Hosts Link C 6 Hosts CTRA C U R S O SUPERIOR EM REDES E AMBIENTES OPERACIONAIS CAR Componentes Ativos de Rede Prof.: Roberto J.L. Mendonça PRIMEIRA LISTA DE EXERCÍCIOS CAR 1. De acordo com a figura abaixo determine os endereços

Leia mais

FONSECA, LUCIANO DUARTE FERRAMENTAS DE DIAGNÓSTICO ERD COMMANDER

FONSECA, LUCIANO DUARTE FERRAMENTAS DE DIAGNÓSTICO ERD COMMANDER Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial E.E.P. Senac Pelotas Centro Histórico Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego Curso Técnico em Informática DIEGO FONSECA, LUCIANO DUARTE FERRAMENTAS

Leia mais

Técnico em Radiologia. Prof.: Edson Wanderley

Técnico em Radiologia. Prof.: Edson Wanderley Técnico em Radiologia Prof.: Edson Wanderley Rede de Computadores Modelo Mainframe Terminal Computador de grande porte centralizado; Os recursos do computador central, denominada mainframe são compartilhadas

Leia mais

Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas

Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas Conhecer os modelo OSI, e TCP/IP de cinco camadas. É importante ter um padrão para a interoperabilidade entre os sistemas para não ficarmos

Leia mais

Treinamento de e-commerce

Treinamento de e-commerce Treinamento de e-commerce Bem vindo ao treinamento de e commerce mais rápido e direto de todos! Utilize este documento para se orientar sempre que necessário e não se preocupe, em caso de necessidade,

Leia mais

ÁREA DO PROFESSOR (TUTOR)

ÁREA DO PROFESSOR (TUTOR) ÁREA DO PROFESSOR (TUTOR) O MOODLE (Modular Object Oriented Dynamic Learning Environment) é um Ambiente Virtual de Ensino-Aprendizagem (AVEA) de código aberto, livre e gratuito que se mantém em desenvolvimento

Leia mais

Basic, Everest e Braille Box. Guia de Instalação

Basic, Everest e Braille Box. Guia de Instalação Basic, Everest e Braille Box Guia de Instalação 2 PUBLICADO POR Index Braille Hantverksvägen 20 954 23, Gammelstad Suécia Telefone: +46 920 2030 80 www.indexbraille.com E POR Tecassistiva Av. Dr. Altino

Leia mais