UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CAMPUS CARIRI CURSO DE BIBLIOTECONOMIA SAMUEL ALVES MONTEIRO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CAMPUS CARIRI CURSO DE BIBLIOTECONOMIA SAMUEL ALVES MONTEIRO"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CAMPUS CARIRI CURSO DE BIBLIOTECONOMIA SAMUEL ALVES MONTEIRO GESTÃO DA QUALIDADE EM BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS NO CONTEXTO DOS SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO UTILITÁRIA: UM ESTUDO NA BIBLIOTECA DA UFC - CAMPUS CARIRI JUAZEIRO DO NORTE 2013

2 SAMUEL ALVES MONTEIRO GESTÃO DA QUALIDADE EM BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS NO CONTEXTO DOS SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO UTILITÁRIA: UM ESTUDO NA BIBLIOTECA DA UFC - CAMPUS CARIRI Trabalho de Conclusão de curso apresentado ao Curso de Graduação em Biblioteconomia da Universidade Federal do Ceará (UFC) Campus Cariri, como requisito parcial para obtenção do grau de Bacharel em Biblioteconomia. Orientador: Prof. Me. Jonathas Luiz Carvalho Silva. JUAZEIRO DO NORTE 2013

3 M772g Monteiro, Samuel Alves. Gestão da Qualidade em Bibliotecas Universitárias no contexto dos Serviços de Informação Utilitária: um estudo na biblioteca da UFC campus Cariri. XIII, 82 f.; 31 cm. Monografia (Graduação em Biblioteconomia) Universidade Federal do Ceará (UFC) / Campus Cariri, Juazeiro do Norte, CE, Orientador (a): Profº Me. Jonathas Luiz Carvalho Silva. 1. Gestão da Qualidade 2. Biblioteca Universitária 3. Serviços de Informação 4. Serviços de Informação Utilitária I. Título. II. Carvalho Silva, Jonathas Luiz. CDD PARA CITAR ESSE DOCUMENTO: MONTEIRO, Samuel Alves. Gestão da Qualidade em Bibliotecas Universitárias no contexto dos Serviços de Informação Utilitária: um estudo na biblioteca da UFC campus Cariri. Juazeiro do Norte: UFC, f. Monografia (Curso de Graduação em Biblioteconomia). Campos Avançado do Cariri. Universidade Federal do Ceará, 2013.

4 SAMUEL ALVES MONTEIRO GESTÃO DA QUALIDADE EM BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS NO CONTEXTO DOS SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO UTILITÁRIA: UM ESTUDO NA BIBLIOTECA DA UFC - CAMPUS CARIRI Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Curso de Graduação em Biblioteconomia da Universidade Federal do Ceará (UFC) Campus Cariri, como requisito parcial para obtenção do grau de Bacharel em Biblioteconomia. Aprovada em 18/01/2013. BANCA EXAMINADORA Prof. Me. Jonathas Luiz Carvalho Silva (Orientador) Universidade Federal do Ceará (UFC) Prof. Ma. Irma Gracielle dos Santos Carvalho de Oliveira (Membro) Universidade Federal do Ceará (UFC) Prof. Ma. Débora Adriano Sampaio (Membro) Universidade Federal do Ceará (UFC)

5 A Deus, meu guia e salvador. Aos meus pais, Claudio e Izabel Monteiro, que com firmeza me direcionou a guiar caminhos corretos. Pelo enorme incentivo a qual contribuiu para que eu chegasse a universidade e pensasse para além dela. Pelos momentos de aconselhamentos que jamais serão esquecidos. Pelas noites de sono perdidas, preocupando-se com o meu bem e de meus irmãos.

6 AGRADECIMENTOS Para conhecermos os amigos é necessário passar pelo sucesso e pela desgraça. No sucesso, verificamos a quantidade e, na desgraça, a qualidade. Confúcio Agradeço imensamente ao mestre dos mestres, Deus cuja sapiência me conduziu a realizar minhas conquistas individuais. Aos meus pais Claudio e Izabel Monteiro que com inteligência e sabedoria me ensinaram a viver sempre prezando pela dignidade e integridade humana. Eles que com excelência e qualidade constituíram uma incrível família que é pautada pela união. Agradeço imensamente pela criação e educação que me proporcionaram, e mais ainda, agradeço pela honra de ter pais brilhantes. Aos meus irmãos Diego Monteiro e Rafael Monteiro, a quem agradeço pelos constantes momentos em que tiveram paciência com minhas atitudes, e que inúmeras vezes contribuíram me apoiando e incentivando com os meus projetos e planos. À minha amável avó Maria Alves de Oliveira (in memoriam) cuja simplicidade e amor que transpassava, modificou a minha vida. Ela a quem despojei de todo o amor que eu tinha, e que ainda hoje me faz grande falta principalmente por sua amizade materna. À minha tia Terezinha Oliveira (Tetê), e suas filhas Nágela Melo e Carol Melo, que considero como irmãs, que sempre me apoiaram em todos os momentos de minha vida. À minha amada, Daniele Lungas que me fez enxergar a felicidade da vida, me fez compreender as pessoas e os seus momentos, me ensinou a amar. Agradeço por todo esse tempo que estamos juntos, onde a felicidade e a união sempre estiveram integradas. Agradeço imensamente pela paciência a mim destinada, pois, como nós sabemos, sou uma pessoa não muito agradável de conviver, enfim, lhe agradeço por tudo. Como citado no prólogo dessa seção, Para conhecermos os amigos é necessário passar pelo sucesso e pela desgraça, agradeço a Deus por passar somente por momentos de sucesso, e que a desgraça não chegue para que não me faça reconhecer ainda mais os meus verdadeiros amigos. Amigos esses a quais considero como irmãos. Naira Michelle (Nairets) símbolo de qualidade, excelência e competência em tudo o que faz, ela que sempre me aconselhou por diversos momentos com conversas que me dignificaram e contribuíram para o meu crescimento pessoal. Agradeço pela paciência e amizade a mim disponibilizada. Felipe

7 Ferreira (Chaparral), a quem tenho somente a agradecer, pelo companheirismo e amizade, pelos diversos auxílios nos momentos em que mais precisei, pelas conversas construtivas a qual nos farão profissionais conscientes da realidade, agradeço imensamente por tudo. Carlos Oliveira que com sua sabedoria perene sempre me incentivou a ir para além do que é aprendido na sala de aula, contribuiu com efetividade para a minha vida. Aos outros grandes e admiráveis amigos que muito tenho a agradecer Tatiane Jorge (Tatianets), Eliziana Sousa (Lilizinha), Carlos Gomes (Carlim), Isac José (Isakim), Cicero Antônio (Cissim), Mariane Nascimento, Eliomara Gonçalves, Audivânia Rodrigues, Eugivânia Ribeiro, Eugênia Oliveira, Elisvânia Rodrigues, Jaiene Gomes, Ana Cristina, Marcelo Alves. Cujas amizades em algum momento de minha vida me fizeram crescer como estudante e como pessoa. Agradeço pela gratidão sempre prestada. Pelos momentos de felicidade perene que convivemos e pelos momentos de diversão. À bibliotecária do Centro Cultural Banco do Nordeste Cariri, Isabel Leal a quem muito contribuiu para o meu aprendizado profissional como Bibliotecário. Ao professor Jonathas Carvalho que muito contribuiu para a constituição de minha vida acadêmica e pessoal, pois me inspirou pelo seu exemplo de homem íntegro, cuja moral não poderá jamais ser ocultada. Pelo exemplo de profissional, que cuja qualidade não pode ser mensurada ou avaliada. Pelo compromisso e incentivo. Pelas inúmeras conversas que contribuíram para o meu crescimento intelectual. Pela amizade e confiança, na construção desse trabalho. Pelo apoio e disponibilidade constante em meus projetos acadêmicos. Enfim, serei eternamente grato por tudo. À professora Débora Sampaio cujo exemplo de profissional sempre me inspirou a ir para além dos conhecimentos apreendidos em sala de aula, ampliando os meus conhecimentos intelectuais, e a quem agradeço pela participação na banca examinadora. À professora Irma Carvalho cuja aceitação para participação na banca examinadora me deixou muito honrado. A quem eu agradeço muito. Ao professor Alexandre Souza cujos ensinamentos em sala de aula, me tornou mais feliz em poder encontrar alguém que pensava e visualizava a Biblioteconomia de uma forma diferente, mais administrativa, como eu. À professora Norma Cartaxo, professora de língua portuguesa do ensino médio, cujos ensinamentos serei grato por toda a vida, cujo incentivo pela escrita e leitura, tornou-me um apaixonado pelas letras. A todos que contribuíram para esse trabalho, agradeço imensamente.

8 A qualidade nunca se obtêm por acaso, ela é sempre o resultado de um esforço inteligente. John Ruskin Indivíduos, e não organizações criam a qualidade. Huckman e Silva

9 RESUMO Esse estudo investiga a Gestão da Qualidade em bibliotecas universitárias no contexto dos serviços de informação utilitária tendo como objeto a biblioteca da Universidade Federal do Ceará (UFC) - campus Cariri, situada na cidade de Juazeiro do Norte, estado do Ceará. A abordagem teórica contempla o estudo da gestão da qualidade, seus fundamentos e perspectiva histórica, apresenta-se com o interesse didático um modelo de implantação da gestão da qualidade em ambientes organizacionais, as conceituações terminológicas sobre serviços de informação, serviços de informação utilitária, principais características que regem esse tipo de serviço e principais aplicações da gestão da qualidade para os serviços de informação. Objetiva-se com o estudo investigar as contribuições das percepções de qualidade para os serviços de informação utilitária em bibliotecas universitárias, contemplando a realidade da UFC - campus do Cariri. A abordagem metodológica do estudo constitui-se quanto aos fins e quanto aos meios; quanto aos fins, a pesquisa será descritiva. Descritiva por expor características da UFC e da biblioteca do campus Cariri estabelecendo correlações variáveis com a gestão da qualidade e com os serviços de informação utilitária; e quanto aos meios, a pesquisa será bibliográfica e documental, utilizando de análise de literaturas especificas na área de administração e biblioteconomia, a analise documental de documentos institucionais da universidade, necessários para a fundamentação teórico-metodológica. Conclui-se que as percepções de qualidade institucionais para com os serviços de informação utilitária são deficientes, isentando-se da contribuição com o efetivo desenvolvimento desse tipo de serviço com a qualidade necessária. Palavras-Chave: Gestão da Qualidade. Biblioteca Universitária. Serviços de Informação. Serviços de Informação Utilitária.

10 RESUMEN Este estudio investiga la gestión de la calidad en las bibliotecas universitarias en el contexto de servicios utilitarios de la información tener como objeto la biblioteca de la Universidad Federal de Ceará (UFC) - campus Cariri, ubicada en la ciudad de Juazeiro do Norte, estado de Ceará. El enfoque teórico incluye el estudio de gestión de la calidad, sus fundamentos y la perspectiva histórica se presenta con un interés didáctico um modelo de implementación de gestión de la calidad en los contextos organizacionales, los conceptos terminológicos sobre los servicios de información, servicios de información principales utilitario características que rigen este tipo de servicio y las principales aplicaciones de gestión de la calidad para los servicios de información. El objetivo del estudio es investigar las contribuciones de las percepciones de los servicios de información utilitarios de calidad en las bibliotecas académicas, contemplando la realidad de la UFC - campus Cariri. El enfoque metodológico del estudio se constituye de los fines y los medios, en cuanto a los fines, la investigación es descriptiva. Características descriptivas de la exposición de la UFC y el la biblioteca en campus de la Cariri, establecer correlaciones con la variable de gestión de la calidad y los servicios de información utilitarios, y los medios, la búsqueda es el análisis documental y bibliográfico utilizando la literatura específica en el ámbito de la administración y la biblioteconomía, el análisis documental de los documentos institucionales de la universidad, necesaria para el teórico-metodológico. Llegamos a la conclusión de que las percepciones de la calidad institucional de los servicios de información utilitarios están desactivados, la liberación de la contribución al desarrollo efectivo de dichos servicios con la calidad requerida. Palabras-Clave: Gestión de la Calidad. Biblioteca de la Universidad. Servicios de Información. Servicios de Información de utilidad.

11 LISTA DE QUADROS Quadro 1 - Definições clássicas de qualidade Quadro 2 - Benefícios da Gestão da Qualidade Quadro 3 Percepções de Qualidade (Bibliotecário) Quadro 4 Serviços de Informação desenvolvidos pela BCC Quadro 5 Ferramentas da Qualidade na BCC Quadro 6 Importância do Serviço de Informação Utilitária na BCC...62 Quadro 7 Tipos de Serviço de Informação Utilitária promovidos pela BCC...63 Quadro 8 Fatores de qualidade relacionados a BCC Quadro 9 O Papel da Biblioteca em relação a fatores Administrativos e Sociais Quadro 10 Política de Qualidade aplicada na UFC Campus Cariri Quadro 11 A BCC na Estrutura Administrativa da UFC Quadro 12 Nível de qualidade de aspectos da BCC... 68

12 LISTA DE SIGLAS E ABREVIATURAS BCC Biblioteca do Campus Cariri BU Biblioteca Universitária TQC Controle Total da Qualidade UFC Universidade Federal do Ceará.

13 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO Estruturação Monográfica A GESTÃO DA QUALIDADE Fundamentos Conceituais Principais Linhas de Pensamento em Gestão da Qualidade Proposição da Gestão da Qualidade aplicável a ambientes organizacionais A GESTÃO DA INFORMAÇÃO NO ÂMBITO DOS SERVIÇOS: PERCEPÇÕES APLICATIVAS NA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA Os Serviços de Informação Serviços de Informação Utilitária A Biblioteca Universitária e os Serviços de Informação Utilitária PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS Caracterização do Objeto Sujeitos da Pesquisa Caracterização do Estudo Instrumentos de Coleta de Dados ANÁLISE E INTERPRETAÇÃO DOS DADOS Análise Documental Documento 1: Informações gerais sobre o Sistema de Bibliotecas da UFC Documento 2: Análise das Atividades de Circulação de Materiais do Sistema de Bibliotecas da UFC ( ) Documento 3: Política de Desenvolvimento do Acervo para o Sistema de Bibliotecas da Universidade Federal do Ceará Análise dos Dados obtidos com as Entrevistas Entrevista com o Bibliotecário (a)... 59

14 5.2.2 Entrevista com o Representante da Direção da UFC - Campus Cariri CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS APÊNDICE 1 Roteiro de Entrevista com Bibliotecário (a) APÊNDICE 2 Nota explicativa para auxílio na resolução do questionário APÊNDICE 3 Roteiro de Entrevista com o Representante da Direção da UFC - Campus Cariri... 80

15 14 1 INTRODUÇÃO Toda revolução estabelecida gera uma retórica. A revolução hodierna está pautada na informação, desde a sua produção perpassando o seu fluxo que em conjunto, favorecerá a sua disseminação, para construção de conhecimentos. A retórica dessa revolução é gerada pelas organizações empresariais, que se impuseram na sociedade com o intenso desejo pelo seu crescimento econômico e financeiro, afetando as relações singulares dos indivíduos com os processos de comunicação e uso da informação. O interesse conspícuo das organizações por informação tornou-se cada vez mais dominante, influindo na capacidade de torna-la, a informação, um recurso de excelência na solução de problemas, sejam eles de distinta natureza (sociais, políticas, culturais, tecnológicas etc.) esse tipo de informação de maneira sistemática constitui o que é conhecido como serviço de informação utilitária. Os serviços de informação utilitária, também são versados como informações a comunidade e outras denominações a qual se atribuem a esse tipo de serviço. São essencialmente serviços que oferecem informações práticas aos usuários, cuja utilidade se efetiva no auxilio para solução de problemas cotidianos das pessoas, são assuntos de diversas vertentes, como: educação, saúde, emprego, lazer, cultura e entre outros. A participação de organizações voltadas ao intento da geração e disseminação de informações, como exemplo, a biblioteca universitária (BU) que emerge contemporaneamente com a responsabilidade de fornecer além das informações de sua competência (informações que atendam as atividades administrativas e educacionais da universidade), a BU forneça também informações utilitárias para a comunidade a qual atende. O interesse desse estudo em associar os serviços de informação utilitária com a biblioteca universitária e mais ainda com a qualidade, considerada um fator atual inerente as atividades das BU s, devido a ingente necessidade que fora imposta pelo mercado econômico mundial aos ambientes que trabalham com informação. A compreensão atual da qualidade está na intrínseca relação com a percepção dos clientes/usuários de serviços prestados com excelência e, principalmente, de serviços que atendam as necessidades de cada individuo. A Biblioteca universitária possui grande responsabilidade de prover qualidade nos serviços promovidos, pois, a cada dia, a qualidade torna-se fator preponderante para o estabelecimento de relacionamentos harmoniosos da organização com o consumidor, usuário

16 15 do serviço ou produto, neste caso, os docentes, discentes, funcionários e a comunidade atendida pela BU. As BU s desenvolvem ações que estão alicerçadas na faculdade de fornecer acesso às fontes de informação, para toda a comunidade usuária da universidade, cujas atividades estarão fomentadas informacionalmente pela biblioteca. A influência da gestão da qualidade em serviços de informação utilitária produzem benefícios efetivos para os indivíduos atendidos com essa informação, como exemplo, primordial o aumento da qualidade da informação percebida e da informação prestada. No entanto, à medida que cresce o interesse pela informação que seja capaz de solucionar um problema cotidiano das pessoas e, também, o interesse pela gestão da qualidade em serviços, percebe-se uma evolução e surgimento de questionamentos que instigam à solução. Essas dúvidas surgem devido a importância que a gestão da qualidade tem tomado, principalmente no campo da Ciência da Informação, resultado da intenção em utilizar teorias administrativas, como é o caso, para contribuir na facilitação da comunicação de informação humana. O interesse em conhecer as percepções de qualidade ligadas aos serviços de informação utilitária em bibliotecas universitárias é o que suscitou a proposta de realização desse estudo. Esse estudo tem por objetivo geral, investigar as contribuições das percepções de qualidade para os serviços de informação utilitária em Bibliotecas Universitárias, contemplando a realidade da Universidade Federal do Ceará (UFC), campus do Cariri. Os objetivos específicos foram estabelecidos em: a) Analisar pressupostos teóricos sobre a qualidade e gestão da qualidade; b) Discutir a relação da Biblioteca Universitária com serviços de informação utilitária; c) Identificar percepções de qualidade nos serviços de informação utilitária na Biblioteca Universitárias do Campus Cariri da UFC. Esse estudo, antes de tudo, fora elaborado de maneira a apresentar-se exaustivamente didático, a fim de facilitar a compreensão de todos os tipos de leitores, profissionais da área ou leigos interessados no assunto. Toda a fundamentação teórica utilizada no estudo foi baseada em cátedras da qualidade. De forma concomitante as conceituações administrativas sobre qualidade ou sobre serviços de informação utilitária, resolveu-se exemplificar associando sempre a área biblioteconômica, o que consideramos importante para ampliação

17 16 do conhecimento dos bibliotecários e possível transformação da realidade das bibliotecas universitárias em relação a qualidade dos serviços de informação. 1.1 Estruturação Monográfica No primeiro capítulo deste estudo, denominado de A GESTÃO DA QUALIDADE, são apresentados os conceituações teóricas sobre qualidade e gestão da qualidade, apresentando os principais construtos teóricos de pensadores da qualidade, objetivando fundamentar o estudo com conceitos específicos. Apresenta-se também uma proposta de implantação da qualidade em diversos ambientes organizacionais, inclusive a biblioteca universitária. O segundo capítulo apresenta uma visão didático-prática de serviços de informação e sua relação com a qualidade. Denominado de A GESTÃO DA INFORMAÇÃO NO AMBITO DOS SERVIÇOS: PERCEPÇÕES APLICATIVAS NA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA iniciam-se as conceituações terminológicas sobre serviços de informação, serviços de informação utilitária, apresentando em seguida as principais características que regem esses serviços. Após isso procurou-se demonstrar as principais aplicações da gestão da qualidade para os serviços de informação, procurando ampliar o conhecimento prático dos leitores desse estudo. Conclui esse capítulo, conceituando a BU e demonstrando a sua relação com os serviços de informação utilitária. O terceiro capítulo, intitula-se PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS onde apresentam-se uma síntese discursiva sobre metodologia e método, importante para o desenvolvimento dos procedimentos que foram adotados nesse estudo. Logo após, definem-se o objeto de estudo, caracterizando-o; os sujeitos da pesquisa; a caracterização do estudo; e os instrumentos de coleta de dados. O último capítulo desenvolvido fora A ANÁLISE E INTERPRETAÇÃO DOS DADOS onde as informações colhidas na coleta de dados são apresentadas e relacionadas com as reflexões feitas no referencial teórico do estudo. Para a consecução do estudo, dividiuse a análise em documental e na realização de entrevistas, com o representante da direção do campus da UFC no Cariri e com o Bibliotecário (a) do campus. Assim a relação estabelecida entre esses entes, se efetuou em conjunto com a análise documental, comparando as falas dos entrevistados com os documentos institucionais da UFC, e relacionando também com as conceituações teóricas que embasaram o estudo.

18 17 2 A GESTÃO DA QUALIDADE 2.1 Fundamentos Conceituais A gestão da qualidade envolve os diversos fatores que integram a estrutura de uma organização. Tudo parte do conceito basilar e essencial que é a qualidade. Entender o que é qualidade nos orienta a refletir e aplicar à gestão esse importante instrumento de transformação organizacional. Algumas definições podem ser concebidas, elas se referem a conceitos contemporâneos da qualidade. Valls (2005, p. 51) considera que qualidade é a propriedade, atributo ou condição das coisas ou das pessoas, capaz de distingui-las das outras e de lhes determinar a natureza. A Associação Brasileira de Normas Técnicas ABNT, através da NBR ISO 9000 (2000, p.4) conceitua a qualidade como sendo um grau no qual um conjunto de características inerentes satisfaz a requisitos. Já segundo Whitehall (1992, p ), a qualidade está relacionada com os resultados obtidos dos serviços que foram prestados aos clientes. O cliente sente a qualidade e o valor do serviço que lhe é oferecido. O quadro abaixo sintetiza todas as configurações conceituais clássicas do termo qualidade, perpassando pelas diversas visões dos principais autores, que mais a frente serão abordadas de maneira mais aprofundada. Quadro 1 - Definições clássicas de qualidade AUTOR Philip B. CROSBY Joseph M. JURAN William E. DEMING Armand V. FEIGENBAUM Fonte: Adaptado de Oakland (1994, p. 15). DEFINIÇÃO Qualidade é a conformidade com as exigências. Qualidade é adequação ao uso, promove a satisfação do cliente com o produto ou serviço. [...] a qualidade deve ter como objetivo as necessidades do usuário, presentes e futuras. O controle total da qualidade é um sistema efetivo para integrar os esforços dos vários grupos dentro de uma organização, no desenvolvimento, manutenção e no melhoramento da qualidade, de maneira que habilite o marketing, a engenharia, a produção e os serviços com os melhores níveis econômicos que permitam a completa satisfação do cliente.

19 18 Após a compreensão conceitual da qualidade, se faz necessária administra-la e controlá-la, visando aperfeiçoar o desempenho da organização, possibilitando com isso alcançar vantagem competitiva e contribuir para a sobrevivência das organizações, de maneira geral essa é a visão que se tem da função primordial atribuída à gestão da qualidade. Ainda segundo a NBR ISO 9000 (2000, p.4), gestão da qualidade, São atividades coordenadas para dirigir e controlar uma organização, no que diz respeito à qualidade. Para compreensão do conceito de gestão da qualidade se torna imprescindível realizar uma breve retrospectiva histórica da evolução e importância da qualidade para as organizações à luz do desenvolvimento do ambiente produtivo vigente em cada época, tomando por base as classificações e o pensamento de Garvin (2002, p. 82), que estrutura a gestão da qualidade em quatro diferentes eras, sendo elas a era da inspeção; do controle estatístico da qualidade; da garantia da qualidade e da administração estratégica da qualidade. Essas eras representam também a evolução conceitual da gestão da qualidade, desde seu surgimento quando utilizada como instrumento regulador na indústria até o cenário atual em que se encontra voltada para o cliente, são elas: a) A Era da Inspeção; No inicio do século XX, período de forte profusão industrial, a noção de qualidade estava associada às características físicas dos produtos, justificado pela produção para uma sociedade monopolista onde a procura era maior que a oferta. Surgia então a era da inspeção, onde a qualidade era avaliada através da inspeção e do controle da qualidade dos produtos, seguindo padrões pré-fixados. b) A Era do Controle Estatístico da Qualidade; A próxima via a ser seguida pelos teóricos do campo da qualidade fora a qualidade sendo pensada a partir do controle de processos. O denominado controle estatístico da qualidade fundamentava-se no controle dos processos de produção industrial, dividindo-o em etapas, sendo que a inspeção da qualidade deveria ser realizada ao final do processo, eliminando os produtos que não estivessem em conformidade com os estabelecidos no padrão de qualidade atribuído pela organização. Uma crítica pregada a esse sistema de qualidade é que os custos para o reparo dos produtos rejeitados no processo de controle de qualidade eram muito elevados, o que resultou

20 19 na criação de outras acepções do termo qualidade, ocasionando o surgimento do que se conheceu por era da garantia da qualidade. c) Era da Garantia da Qualidade; A era da Garantia da Qualidade destaca-se pelo desenvolvimento de ferramentas cujo objetivo era demonstrar que os custos totais da qualidade poderiam ser reduzidos por meio de acréscimos dos custos de prevenção e de defeitos. Defendida por autores como W. Edwards Deming, Armand Feigenbaum e Joseph Juran, no período decenal de 1950 à 1960 nos países ocidentais, o Total Control Quality TQC em português esse termo pode ser traduzido para Controle Total da Qualidade, consiste na abordagem da qualidade de maneira democrática, envolvendo todos os colaboradores da organização objetivando com isso o comprometimento com a melhoria da qualidade. O TQC foi um dos conceitos mais populares no período referido anteriormente, se ampliando pelos países asiáticos que naquele período começaram a se interessar pelo modelo norte-americano de gerenciamento da qualidade, segundo Cordeiro (2004, p. 20): os conceitos dessa prática, desenvolvidos inicialmente por autores norte-americanos, como Deming, Juran e Feigenbaum, nas décadas de 1950 e 1960, encontraram no Japão o ambiente perfeito para o seu desenvolvimento durante os anos que se seguiram. No início da década de 1980, o mundo voltava sua atenção para o elevado grau de competitividade alcançado pelas principais indústrias japonesas, cujos produtos chegavam com excelente qualidade e preços relativamente baixos nos principais mercados consumidores do mundo ocidental, passando a constituir uma ameaça para as suas economias. d) A Era da Gestão Total da Qualidade Nas duas últimas décadas do século XX, a qualidade deixava de ser meramente um conceito técnico, passando a ser percebida efetivamente como um conceito estratégico, sendo essa transformação resultante da competitividade que o mundo enfrenta, possibilitada pelo capitalismo e diversos outros fatores que contribuíram para esse cenário hodierno. Nessa era, segundo Crosby (1992, p. 97), a qualidade é definida como a conformidade com os requerimentos dos clientes. O cliente passou a ser o principal personagem do campo das organizações. A satisfação dos clientes torna-se o mais importante meio de se impor a qualidade aos produtos e serviços. A exigência deles ou as necessidades é quem comandam o processo de definição de padrões de qualidade para produtos e serviços.

21 20 A compreensão atual da qualidade está na relação desses conceitos com a percepção dos clientes/usuários de serviços prestados com excelência e, principalmente de serviços que atendam as necessidades deles. É imensamente reconhecida a importância atual dos clientes para uma organização, como afirma Blackshaw (2010, p. 34) atualmente as pessoas estão conectadas, raramente elas se desconectam, o resultado dessa interação é o grande fluxo de informação gerada, o que insere os clientes no topo da pirâmide do relacionamento empresa - consumidor. As organizações sejam elas voltadas para o lucro, como indústrias, empresas prestadoras de serviços, ou antagonicamente as organizações não lucrativas, onde se enquadram bibliotecas, museus, ONGs, cujo desígnio final é a satisfação social. Ambas possuem a grande responsabilidade de prover excelência na produção de produtos e na prestação de serviços, pois, a cada dia a qualidade torna-se preponderante para o estabelecimento de relacionamentos harmoniosos da organização com o consumidor, usuário do serviço ou produto. Devido à forte influência da internet na vida social (o que inclui educação, cultura, economia, entre outras influências), os clientes passaram a se situar em um patamar mais importante no relacionamento com as organizações, o cliente tornou-se o principal ator do processo, e a exigência por qualidade aumentou consideravelmente. Daí a importância da gestão da qualidade para a consecução de todo o processo de implantação da qualidade em serviços ou em produtos. A Associação Brasileira de Normas Técnicas ABNT estabelece na NBR ISO 9000 (2000), algumas diretrizes que conduzem a organização a operar com sucesso, e aprimorar sempre o seu desempenho levando em consideração a qualidade. São oito, as diretrizes ou princípios que se estruturam com o objetivo de alicerçar as organizações a alcançar resultados com sucesso, constituindo assim princípios norteadores da gestão da qualidade, sendo esses: a) Foco no cliente; Organizações dependem de seus clientes e, portanto, é recomendável que atendam as necessidades atuais e futuras do cliente, seus requisitos do cliente procurando exceder as expectativas.

INTRODUÇÃO E CAPÍTULO 1 (parcial) CARPINETTI, L.C.R., MIGUEL, P.A.C., GEROLAMO, M.C., Gestão da Qualidade: ISO 9001:2000, São Paulo, Atlas, 2009.

INTRODUÇÃO E CAPÍTULO 1 (parcial) CARPINETTI, L.C.R., MIGUEL, P.A.C., GEROLAMO, M.C., Gestão da Qualidade: ISO 9001:2000, São Paulo, Atlas, 2009. INTRODUÇÃO E CAPÍTULO 1 (parcial) CARPINETTI, L.C.R., MIGUEL, P.A.C., GEROLAMO, M.C., Gestão da Qualidade: ISO 9001:2000, São Paulo, Atlas, 2009. Introdução Segundo as informações disponíveis no site do

Leia mais

Deming (William Edwards Deming)

Deming (William Edwards Deming) Abordagens dos principais autores relativas ao Gerenciamento da Qualidade. Objetivo: Estabelecer base teórica para o estudo da Gestão da Qualidade Procura-se descrever, a seguir, as principais contribuições

Leia mais

Conceitos. Conceitos. Histórico. Histórico. Disciplina: Gestão de Qualidade ISSO FATEC - IPATINGA

Conceitos. Conceitos. Histórico. Histórico. Disciplina: Gestão de Qualidade ISSO FATEC - IPATINGA Disciplina: FATEC - IPATINGA Gestão de ISSO TQC - Controle da Total Vicente Falconi Campos ISO 9001 ISO 14001 OHSAS 18001 Prof.: Marcelo Gomes Franco Conceitos TQC - Total Quality Control Controle da Total

Leia mais

QUALIDADE II. Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves 09/08/2012. Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves

QUALIDADE II. Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves 09/08/2012. Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves QUALIDADE II Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves Engenheiro Agrônomo CCA/UFSCar 1998 Mestre em Desenvolvimento Econômico, Espaço e Meio Ambiente IE/UNICAMP 2001 Doutor

Leia mais

Introdução à Qualidade. Aécio Costa

Introdução à Qualidade. Aécio Costa Introdução à Qualidade Aécio Costa O que é Qualidade? Percepções Necessidades Resultados O que influencia: Cultura Modelos mentais Tipo de produto ou serviço prestado Necessidades e expectativas Qualidade:

Leia mais

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO * César Raeder Este artigo é uma revisão de literatura que aborda questões relativas ao papel do administrador frente à tecnologia da informação (TI) e sua

Leia mais

com níveis ótimos de Brand Equity, os interesses organizacionais são compatíveis com as expectativas dos consumidores.

com níveis ótimos de Brand Equity, os interesses organizacionais são compatíveis com as expectativas dos consumidores. Brand Equity O conceito de Brand Equity surgiu na década de 1980. Este conceito contribuiu muito para o aumento da importância da marca na estratégia de marketing das empresas, embora devemos ressaltar

Leia mais

Gestão da qualidade. Prof. André Jun Nishizawa

Gestão da qualidade. Prof. André Jun Nishizawa Gestão da qualidade Prof. Conceitos O que é qualidade? Como seu conceito se alterou ao longo do tempo? O que é gestão da qualidade e como foi sua evolução? Quem foram os principais gurus da qualidade e

Leia mais

Gerência da Qualidade

Gerência da Qualidade Gerência da Qualidade Curso de Engenharia de Produção e Transportes PPGEP / UFRGS ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Temas Abordados Qualidade Ferramentas da Qualidade 5 Sensos PDCA/MASP Os Recursos Humanos e o TQM

Leia mais

5 ADMINISTRAÇÃO DA QUALIDADE

5 ADMINISTRAÇÃO DA QUALIDADE 5 ADMINISTRAÇÃO DA QUALIDADE 5.1 INTRODUÇÃO Todas as pessoas convivem sob a sombra da palavra qualidade. Não é para menos, a qualidade tornou-se alicerce fundamental para as organizações, onde ganhou destaque

Leia mais

Gestão da qualidade. Prof. André Jun Nishizawa

Gestão da qualidade. Prof. André Jun Nishizawa Gestão da qualidade Prof. Conceitos O que é qualidade? Como seu conceito se alterou ao longo do tempo? O que é gestão da qualidade e como foi sua evolução? Quem foram os principais gurus da qualidade e

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL Aldemar Dias de Almeida Filho Discente do 4º ano do Curso de Ciências Contábeis Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS Élica Cristina da

Leia mais

O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade).

O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade). O QUE É? Um programa que visa melhorar a Gestão dos CFCs Gaúchos, tendo como base os Critérios de Excelência da FNQ (Fundação Nacional da Qualidade). Coordenação Sindicato dos Centros de Formação de Condutores

Leia mais

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DE SERGIPE - ADMINISTRAÇÃO QUESTÕES

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DE SERGIPE - ADMINISTRAÇÃO QUESTÕES QUESTÕES 01) A Administração recebeu influência da Filosofia e diversos filósofos gregos contribuíram para a Teoria da Administração. A forma democrática de administrar os negócios públicos é discutida

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler AULA 5 - PERSPECTIVA DE APRENDIZADO E CRESCIMENTO Abertura da Aula Uma empresa é formada

Leia mais

NBR ISO 9001/2000 NBR ISO 9004/2000

NBR ISO 9001/2000 NBR ISO 9004/2000 NBR ISO 9001/2000 NBR ISO 9004/2000 2 Prefácio 3 A ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas é o Fórum Nacional de Normatização. As Normas Brasileiras, cujo conteúdo é de responsabilidade dos Comitês

Leia mais

XVI SEMINÁRIO DE PESQUISA DO CCSA ISSN 1808-6381

XVI SEMINÁRIO DE PESQUISA DO CCSA ISSN 1808-6381 GESTÃO DE PESSOAS APLICADA ÀS UNIDADES DE INFORMAÇÃO 1 Mailza Paulino de Brito e Silva Souza 2 Sandra Pontual da Silva 3 Sara Sunaria Almeida da Silva Xavier 4 Orientadora: Profª M.Sc. Luciana Moreira

Leia mais

Fundamentos da Qualidade

Fundamentos da Qualidade Fundamentos da Qualidade Luiz Carlos Monteiro Gerente da Divisão de Orientação e Incentivo à Qualidade Quando surgiu a qualidade? Quando o Homem sente necessidades e cria expectativas. O que é qualidade?

Leia mais

APÊNDICE A QUESTIONÁRIO APLICADO AOS GESTORES

APÊNDICE A QUESTIONÁRIO APLICADO AOS GESTORES 202 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO ALGUNS COMENTÁRIOS ANTES DE INICIAR O PREENCHIMENTO DO QUESTIONÁRIO: a) Os blocos a seguir visam obter as impressões do ENTREVISTADO quanto aos processos de gestão da Policarbonatos,

Leia mais

Sistemas de Gestão da Qualidade. Introdução. Engenharia de Produção Gestão Estratégica da Qualidade. Tema Sistemas de Gestão da Qualidade

Sistemas de Gestão da Qualidade. Introdução. Engenharia de Produção Gestão Estratégica da Qualidade. Tema Sistemas de Gestão da Qualidade Tema Sistemas de Gestão da Qualidade Projeto Curso Disciplina Tema Professor Pós-graduação Engenharia de Produção Gestão Estratégica da Qualidade Sistemas de Gestão da Qualidade Elton Ivan Schneider Introdução

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 7 Planejamento Estratégico Planejamento de TI Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a

Leia mais

PROPOSTA PEDAGOGICA CENETEC Educação Profissional. Índice Sistemático. Capitulo I Da apresentação...02. Capitulo II

PROPOSTA PEDAGOGICA CENETEC Educação Profissional. Índice Sistemático. Capitulo I Da apresentação...02. Capitulo II Índice Sistemático Capitulo I Da apresentação...02 Capitulo II Dos objetivos da proposta pedagógica...02 Capitulo III Dos fundamentos da proposta pedagógica...02 Capitulo IV Da sinopse histórica...03 Capitulo

Leia mais

Padrões de Competências para o Cargo de Coordenador Pedagógico

Padrões de Competências para o Cargo de Coordenador Pedagógico Padrões de Competências para o Cargo de Coordenador Pedagógico O Coordenador Pedagógico é o profissional que, na Escola, possui o importante papel de desenvolver e articular ações pedagógicas que viabilizem

Leia mais

GESTÃO DE QUALIDADE. Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com

GESTÃO DE QUALIDADE. Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com GESTÃO DE QUALIDADE Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com Gestão de Qualidade Do latim, qualitate Série de princípios recomendados para implantação de qualidade nas organizações Grau no qual

Leia mais

GABARITO TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO II

GABARITO TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO II UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI NÚCLEO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GABARITO TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO II GRUPO: TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO II DATA:

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DA GESTÃO DE PESSOAS POR COMPETÊNCIAS HUMANAS NA BIBLIOTECA THEREZINHA SAMWAYS, CAMPUS NORTE

IMPLANTAÇÃO DA GESTÃO DE PESSOAS POR COMPETÊNCIAS HUMANAS NA BIBLIOTECA THEREZINHA SAMWAYS, CAMPUS NORTE Artigo Científico baseado na ABNT 6022/2003. 3cm. Título do artigo centralizado. IMPLANTAÇÃO DA GESTÃO DE PESSOAS POR COMPETÊNCIAS HUMANAS NA BIBLIOTECA THEREZINHA SAMWAYS, CAMPUS NORTE DO INSTITUTO DE

Leia mais

QUALIDADE: NÃO MAIS UM DIFERENCIAL, E SIM UMA SOBREVIVÊNCIA PARA AS INSTITUIÇÕES

QUALIDADE: NÃO MAIS UM DIFERENCIAL, E SIM UMA SOBREVIVÊNCIA PARA AS INSTITUIÇÕES UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CENTRO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MBA EM GESTÃO DA QUALIDADE ELISANGELA ELIAS FERNANDES QUALIDADE: NÃO MAIS UM DIFERENCIAL, E SIM UMA SOBREVIVÊNCIA PARA

Leia mais

1. INTRODUÇÃO SISTEMA INTEGRADO DE CONTABILIDADE

1. INTRODUÇÃO SISTEMA INTEGRADO DE CONTABILIDADE 1. INTRODUÇÃO A contabilidade foi aos poucos se transformando em um importante instrumento para se manter um controle sobre o patrimônio da empresa e prestar contas e informações sobre gastos e lucros

Leia mais

Gestão do Conhecimento Case Documentar

Gestão do Conhecimento Case Documentar Gestão do Conhecimento Case Documentar GESTÃO DO CONHECIMENTO CASE DOCUMENTAR Empresa: Documentar Tecnologia e Informação Localização: R. Barão de Macaúbas 460 20º Andar Santo Antônio BH/MG Segmento: Tecnologia,

Leia mais

PRINCIPAIS FERRAMENTAS DE GESTÃO APLICADAS NA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DO SUL DE MINAS - FACESM

PRINCIPAIS FERRAMENTAS DE GESTÃO APLICADAS NA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DO SUL DE MINAS - FACESM PRINCIPAIS FERRAMENTAS DE GESTÃO APLICADAS NA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DO SUL DE MINAS - FACESM CRISTIANE MORATTO FÉLIX DE FREITAS Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas do Sul de Minas

Leia mais

Administração e Gestão de Pessoas

Administração e Gestão de Pessoas Administração e Gestão de Pessoas Aula Gestão de Pessoas Prof.ª Marcia Aires www.marcia aires.com.br mrbaires@gmail.com Percepção x trabalho em equipe GESTÃO DE PESSOAS A Gestão de Pessoas é responsável

Leia mais

A GESTÃO DA QUALIDADE ORGANIZACIONAL 1

A GESTÃO DA QUALIDADE ORGANIZACIONAL 1 A GESTÃO DA QUALIDADE ORGANIZACIONAL 1 FRANCESCHI, Franciéli Rosa de 2 ; LORENZETT, Daniel Benitti 2 ; NEUHAUS, Mauricio 3 ; COSTA, Vanessa de Matos da 2 ; ROSSATO, Marivane Vestena 2 ; PEGORARO, Delvan

Leia mais

Rafael Vargas Presidente da SBEP.RO Gestor de Projetos Sociais do Instituto Ágora Secretário do Terceiro Setor da UGT.RO

Rafael Vargas Presidente da SBEP.RO Gestor de Projetos Sociais do Instituto Ágora Secretário do Terceiro Setor da UGT.RO Abril/2014 Porto Velho/Rondônia Rafael Vargas Presidente da SBEP.RO Gestor de Projetos Sociais do Instituto Ágora Secretário do Terceiro Setor da UGT.RO Terceiro Setor É uma terminologia sociológica que

Leia mais

O REFLEXO DA QUALIDADE PARA A PRODUTIVIDADE

O REFLEXO DA QUALIDADE PARA A PRODUTIVIDADE O REFLEXO DA QUALIDADE PARA A PRODUTIVIDADE Fernanda Aparecida de SOUZA 1 RGM: 079195 Juliana Regina de ALMEIDA 1 RGM: 079247 Mary Ellen dos Santos MOREIRA 1 RGM: 079248 Renato Francisco Saldanha SILVA

Leia mais

TECNOLOGIA E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA POSTO DOURADÃO LTDA RESUMO

TECNOLOGIA E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA POSTO DOURADÃO LTDA RESUMO TECNOLOGIA E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA POSTO DOURADÃO LTDA Hewerton Luis P. Santiago 1 Matheus Rabelo Costa 2 RESUMO Com o constante avanço tecnológico que vem ocorrendo nessa

Leia mais

A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO

A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO 1 A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO Porto Alegre RS Abril 2010 Bianca Smith Pilla Instituto Federal de Educação,

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS Universidade Federal do Ceará Faculdade de Economia, Administração, Atuária, Contabilidade e Secretariado Curso de Administração de Empresas GESTÃO POR COMPETÊNCIAS MAURICIO FREITAS DANILO FREITAS Disciplina

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais

Gestão da Qualidade. O que é Modelo de Gestão? 10/11/2008

Gestão da Qualidade. O que é Modelo de Gestão? 10/11/2008 Gestão da Qualidade O que é Modelo de Gestão Todas as organizações tem seu modelo de gestão, normalmente derivado dos conhecimentos e experiências de sua equipe dirigente. Dificilmente esses modelos de

Leia mais

TQC- CONTROLE DE QUALIDADE TOTAL

TQC- CONTROLE DE QUALIDADE TOTAL TQC- CONTROLE DE QUALIDADE TOTAL OLIVEIRA,Ana Paula de¹ OLIVEIRA,Dirce Benedita de¹ NERY,Miriã Barbosa¹ SILVA, Thiago² Ferreira da² RESUMO O texto fala sobre o controle da qualidade total, como ela iniciou

Leia mais

Administração de Pessoas

Administração de Pessoas Administração de Pessoas MÓDULO 16: RESULTADOS RELATIVOS À GESTÃO DE PESSOAS 16.1 Área de RH e sua contribuição O processo de monitoração é o que visa saber como os indivíduos executam as atribuições que

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO TESTE DE SOFTWARE PARA A QUALIDADE DO PROJETO

A IMPORTÂNCIA DO TESTE DE SOFTWARE PARA A QUALIDADE DO PROJETO A IMPORTÂNCIA DO TESTE DE SOFTWARE PARA A QUALIDADE DO PROJETO Autora: LUCIANA DE BARROS ARAÚJO 1 Professor Orientador: LUIZ CLAUDIO DE F. PIMENTA 2 RESUMO O mercado atual está cada vez mais exigente com

Leia mais

ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO

ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO Autoria: Elaine Emar Ribeiro César Fonte: Critérios Compromisso com a Excelência e Rumo à Excelência

Leia mais

SEMIPRESENCIAL 2013.1

SEMIPRESENCIAL 2013.1 SEMIPRESENCIAL 2013.1 MATERIAL COMPLEMENTAR II DISCIPLINA: GESTÃO DE CARREIRA PROFESSORA: MONICA ROCHA LIDERANÇA E MOTIVAÇÃO Liderança e Motivação são fundamentais para qualquer empresa que deseja vencer

Leia mais

A COORDENAÇÃO E A GESTÃO DE CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO: Um estudo de caso em faculdade privada RESUMO

A COORDENAÇÃO E A GESTÃO DE CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO: Um estudo de caso em faculdade privada RESUMO A COORDENAÇÃO E A GESTÃO DE CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO: Um estudo de caso em faculdade privada Wesley Antônio Gonçalves 1 RESUMO O MEC, ao apontar padrões de qualidade da função de coordenador de

Leia mais

Tradução livre do PMBOK 2000, V 1.0, disponibilizada através da Internet pelo PMI MG em abril de 2001

Tradução livre do PMBOK 2000, V 1.0, disponibilizada através da Internet pelo PMI MG em abril de 2001 Capítulo 8 Gerenciamento da Qualidade do Projeto O Gerenciamento da Qualidade do Projeto inclui os processos necessários para garantir que o projeto irá satisfazer as necessidades para as quais ele foi

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE

QUALIDADE DE SOFTWARE QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.3 Curso: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Disciplina: Qualidade de Software Profa. : Kátia Lopes Silva 1 QUALIDADE DE SOFTWARE Objetivos: Introduzir os três modelos para implementar

Leia mais

Gestão da Qualidade: TQM e Modelos de Excelência

Gestão da Qualidade: TQM e Modelos de Excelência Gestão da Qualidade: TQM e Modelos de Excelência Curso de Especialização em Gestão da Produção Prof. Dr. Jorge Muniz Jr. Prof. MSc. Artur Henrique Moellmann UNESP Universidade Estadual Paulista FEG Faculdade

Leia mais

MODELO DE GESTÃO PARA ORGANIZAÇÕES PRESTADORAS DE SERVIÇOS DE SAÚDE

MODELO DE GESTÃO PARA ORGANIZAÇÕES PRESTADORAS DE SERVIÇOS DE SAÚDE 1 MODELO DE GESTÃO PARA ORGANIZAÇÕES PRESTADORAS DE SERVIÇOS DE SAÚDE Cristina Diamante Elizabeth Maria Lazzarotto Lorena Moraes Goetem Gemelli 1 INTRODUÇÃO: Na maioria das organizações de saúde, os profissionais

Leia mais

IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012

IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012 IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012 Rosely Vieira Consultora Organizacional Mestranda em Adm. Pública Presidente do FECJUS Educação

Leia mais

NORMA NBR ISO 9001:2008

NORMA NBR ISO 9001:2008 NORMA NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema

Leia mais

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Josiane Corrêa 1 Resumo O mundo dos negócios apresenta-se intensamente competitivo e acirrado. Em diversos setores da economia, observa-se a forte

Leia mais

Qualidade de Software. Prof. Natália Oliveira M.Sc queiroz.nati@gmail.com

Qualidade de Software. Prof. Natália Oliveira M.Sc queiroz.nati@gmail.com Qualidade de Software Prof. Natália Oliveira M.Sc queiroz.nati@gmail.com Ementa Conceitos sobre Qualidade Qualidade do Produto Qualidade do Processo Garantida da Qualidade X Controle da Qualidade Conceitos

Leia mais

Gestão do Conhecimento A Chave para o Sucesso Empresarial. José Renato Sátiro Santiago Jr.

Gestão do Conhecimento A Chave para o Sucesso Empresarial. José Renato Sátiro Santiago Jr. A Chave para o Sucesso Empresarial José Renato Sátiro Santiago Jr. Capítulo 1 O Novo Cenário Corporativo O cenário organizacional, sem dúvida alguma, sofreu muitas alterações nos últimos anos. Estas mudanças

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA

POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA 1 1. APRESENTAÇÃO Esta política estabelece os princípios e práticas de Governança Cooperativa adotadas pelas cooperativas do Sistema Cecred, abordando os aspectos de

Leia mais

As Perspectivas dos Sistemas de Gestão da Qualidade Baseados na Norma NBR ISO 9001:2000

As Perspectivas dos Sistemas de Gestão da Qualidade Baseados na Norma NBR ISO 9001:2000 As Perspectivas dos Sistemas de Gestão da Qualidade Baseados na Norma NBR ISO 9001:2000 Leonardo Rospi (UNIP Universidade Paulista) lrospi@terra.com.br Oduvaldo Vendrametto (UNIP Universidade Paulista)

Leia mais

ISO NAS PRAÇAS. Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade. Julho/2011

ISO NAS PRAÇAS. Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade. Julho/2011 Oficina ISO 9001-2008 Formulação da Política da Qualidade Julho/2011 GESPÚBLICA Perfil do Facilitador Servidor de carreira que tenha credibilidade Bom relacionamento interpessoal Acesso a alta administração

Leia mais

GESTÃO DO CONHECIMENTO E INTELIGÊNCIA COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÕES: UMA ABORDAGEM CONCEITUAL 1

GESTÃO DO CONHECIMENTO E INTELIGÊNCIA COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÕES: UMA ABORDAGEM CONCEITUAL 1 GESTÃO DO CONHECIMENTO E INTELIGÊNCIA COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÕES: UMA ABORDAGEM CONCEITUAL 1 Heide Miranda da SILVA 2 RESUMO As exigências do mercado atual somadas aos avanços das tecnologias de informação

Leia mais

Capital Intelectual. O Grande Desafio das Organizações. José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago. Novatec

Capital Intelectual. O Grande Desafio das Organizações. José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago. Novatec Capital Intelectual O Grande Desafio das Organizações José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago Novatec 1 Tudo começa com o conhecimento A gestão do conhecimento é um assunto multidisciplinar

Leia mais

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000 ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário Gestão da Qualidade 2005 1 As Normas da família ISO 9000 ISO 9000 descreve os fundamentos de sistemas de gestão da qualidade e especifica

Leia mais

Curso Empreendedorismo Corporativo

Curso Empreendedorismo Corporativo Curso Empreendedorismo Corporativo Todos os fatores relevantes atuais mostram que a estamos em um ambiente cada vez mais competitivo, assim as pessoas e principalmente as organizações devem descobrir maneiras

Leia mais

Gestão da Qualidade. Evolução da Gestão da Qualidade

Gestão da Qualidade. Evolução da Gestão da Qualidade Gestão da Qualidade Evolução da Gestão da Qualidade Grau de Incerteza Grau de complexidade Adm Científica Inspeção 100% CEQ Evolução da Gestão CEP CQ IA PQN PQN PQN TQM PQN MSC GEQ PQN PQN Negócio Sistema

Leia mais

ABNT NBR ISO 9001:2008

ABNT NBR ISO 9001:2008 ABNT NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema de

Leia mais

Gestão da Qualidade. Engenharia da Qualidade. Prof. Dr. José Luiz Moreira de Carvalho. Engenharia da Qualidade

Gestão da Qualidade. Engenharia da Qualidade. Prof. Dr. José Luiz Moreira de Carvalho. Engenharia da Qualidade Gestão da Qualidade Prof. Dr. José Luiz Moreira de Carvalho APRESENTAÇÃO Prof. Dr. José Luiz Moreira de Carvalho * Graduação em Engenharia Química / Universidade Federal da Bahia * Mestrado em Engenharia

Leia mais

FTAD. Formação Técnica em Administração de Empresas. Gestão da Qualidade

FTAD. Formação Técnica em Administração de Empresas. Gestão da Qualidade FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Gestão da Qualidade Aula 5 O PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO Objetivo: Compreender os requisitos para obtenção de Certificados no Sistema Brasileiro de Certificação

Leia mais

Resenha. Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.)

Resenha. Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.) Resenha Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.) Patrícia Morais da Silva 1 Superar as expectativas do mercado atendendo de forma satisfatória as demandas dos clientes

Leia mais

A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1

A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1 A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1 Narjara Bárbara Xavier Silva 2 Patrícia Morais da Silva 3 Resumo O presente trabalho é resultado do Projeto de Extensão da Universidade Federal da

Leia mais

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng.

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng. 01. O QUE SIGNIFICA A SIGLA ISO? É a federação mundial dos organismos de normalização, fundada em 1947 e contanto atualmente com 156 países membros. A ABNT é representante oficial da ISO no Brasil e participou

Leia mais

Engenharia de Software - Parte 04

Engenharia de Software - Parte 04 Engenharia de Software - Parte 04 4 - ISO/IEC 9000-3 Há um conjunto de Normas da ISO desenvolvidas especificamente para software. O guia ISO/IEC 9000-3 aplica-se a empresas de software interessadas em

Leia mais

MÓDULO 14 Sistema de Gestão da Qualidade (ISO 9000)

MÓDULO 14 Sistema de Gestão da Qualidade (ISO 9000) MÓDULO 14 Sistema de Gestão da Qualidade (ISO 9000) Ao longo do tempo as organizações sempre buscaram, ainda que empiricamente, caminhos para sua sobrevivência, manutenção e crescimento no mercado competitivo.

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014 #5 EMPREENDEDORISMO Outubro de 2014 ÍNDICE 1. Apresentação 2. Definição 3. Empreendedorismo: necessidade ou oportunidade? 4. Características do comportamento empreendedor 5. Cenário brasileiro para o empreendedorismo

Leia mais

Gestão de Pessoas Diversidade e Competências

Gestão de Pessoas Diversidade e Competências Gestão de Pessoas Diversidade e Competências Gestão de Pessoas ESTRATEGICA 1985 a hoje Aumentar o envolvimento dos colaboradores e integrar sistemas de suporte ADMINISTRATIVA 1965 a 1985 Foco: indivíduos

Leia mais

Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia.

Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia. Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia. Introdução Sávio Marcos Garbin Considerando-se que no contexto atual a turbulência é a normalidade,

Leia mais

Lider coach: Uma nova abordagem para a gestão de pessoas. Orlando Rodrigues.

Lider coach: Uma nova abordagem para a gestão de pessoas. Orlando Rodrigues. Lider coach: Uma nova abordagem para a gestão de pessoas. Orlando Rodrigues. Ao longo da historia da Administração, desde seus primórdios, a partir dos trabalhos de Taylor e Fayol, muito se pensou em termos

Leia mais

PPI PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL Política Pedagógica Institucional Faculdade Eniac Ver. 02 (2010 / 2011) APRESENTAÇÃO

PPI PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL Política Pedagógica Institucional Faculdade Eniac Ver. 02 (2010 / 2011) APRESENTAÇÃO APRESENTAÇÃO O presente documento tem por finalidade apresentar o PPI que é o Projeto Pedagógico Institucional do ENIAC, conjunto das melhores práticas pedagógicas, tecnológicas, administrativas e de gestão

Leia mais

DISCIPLINAS TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES:

DISCIPLINAS TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES: DISCIPLINAS TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES: A Teoria das Organizações em seu contexto histórico. Conceitos fundamentais. Abordagens contemporâneas da teoria e temas emergentes. Balanço crítico. Fornecer aos mestrandos

Leia mais

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov. TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008 Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.br 11 3104-0988 Este treinamento tem por objetivo capacitar os participantes para

Leia mais

Gestão do conhecimento Wikipédia, a enciclopédia livre

Gestão do conhecimento Wikipédia, a enciclopédia livre Página 1 de 5 Gestão do conhecimento Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. A Gestão do Conhecimento, do inglês KM - Knowledge Management, é uma disciplina que tem suscitado cada vez mais atenção nas

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL PARA AS EMPRESAS

A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL PARA AS EMPRESAS A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL PARA AS EMPRESAS Gilmar da Silva, Tatiane Serrano dos Santos * Professora: Adriana Toledo * RESUMO: Este artigo avalia o Sistema de Informação Gerencial

Leia mais

COMPOSTO DE MARKETING NA ABORDAGEM DAS UNIDADES DE INFORMAÇÃO

COMPOSTO DE MARKETING NA ABORDAGEM DAS UNIDADES DE INFORMAÇÃO COMPOSTO DE MARKETING NA ABORDAGEM DAS UNIDADES DE INFORMAÇÃO CALDAS, Rosângela Formentini Departamento de Ciência da Informação UNESP/Marília A definição de marketing ainda permanece enquanto uma discussão

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE Uma Abordagem por Processos Qualider Consultoria e Treinamento Instrutor: José Roberto A Evolução Histórica da Qualidade A Evolução Histórica da Qualidade ARTESANATO Qualidade

Leia mais

NÚCLEO DE GARANTIA DA QUALIDADE EM SERVIÇOS DE CONSULTORIA

NÚCLEO DE GARANTIA DA QUALIDADE EM SERVIÇOS DE CONSULTORIA ISSN 1984-9354 NÚCLEO DE GARANTIA DA QUALIDADE EM SERVIÇOS DE CONSULTORIA Patricia Boia Farias (LATEC/UFF) Resumo As atividades de garantia da qualidade em consultoria são essenciais para o sucesso do

Leia mais

Proposta de integração de ferramentas em um sistema de gestão

Proposta de integração de ferramentas em um sistema de gestão III SEGeT Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia 1 Proposta de integração de ferramentas em um sistema de gestão Breno Barros Telles do Carmo Marcos Ronaldo Albertin Francisco José do Rêgo Coelho

Leia mais

Infraestrutura de informações geoespaciais e georreferenciadas

Infraestrutura de informações geoespaciais e georreferenciadas Infraestrutura de informações geoespaciais e georreferenciadas 1. Apresentação do Problema Epitácio José Paes Brunet É cada vez mais expressiva, hoje, nas cidades brasileiras, uma nova cultura que passa

Leia mais

Gestão da qualidade em serviços: um estudo de caso em microempresas do ramo de oficinas mecânicas

Gestão da qualidade em serviços: um estudo de caso em microempresas do ramo de oficinas mecânicas Gestão da qualidade em serviços: um estudo de caso em microempresas do ramo de oficinas mecânicas Eunice Zucchi (CESCAGE) eunicezucchi@gmail.com Balduir Carletto (CESCAGE) bcarletto@uol.com.br Camila Lopes

Leia mais

Ementário do Curso de Administração Grade 2008-1 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa:

Ementário do Curso de Administração Grade 2008-1 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa: 1 da Produção I Ementário do Curso de Introdução à administração da produção; estratégias para definição do sistema de produção; estratégias para o planejamento do arranjo físico; técnicas de organização,

Leia mais

RENOVAR PARA INOVAR! Plano de Gestão. Proposta de plano de gestão do candidato Érico S. Costa ao cargo de Diretor do Campus

RENOVAR PARA INOVAR! Plano de Gestão. Proposta de plano de gestão do candidato Érico S. Costa ao cargo de Diretor do Campus RENOVAR PARA INOVAR! Plano de Gestão Proposta de plano de gestão do candidato Érico S. Costa ao cargo de Diretor do Campus 2013-2016 0 1 Sumário Apresentação... 2 Análise Situacional... 2 Programas Estruturantes...

Leia mais

Administração das Operações Produtivas

Administração das Operações Produtivas UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS Administração das Operações Produtivas Prof. Rodolpho Antonio Mendonça WILMERS São Paulo 2011 Administração das Operações Produtivas Introdução Nada

Leia mais

Administração de Pessoas

Administração de Pessoas Administração de Pessoas MÓDULO 14: QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO E RELAÇÕES SINDICAIS 14.1 O processo de segurança e qualidade de vida O processo de segurança é o que visa estabelecer disciplina e segurança,

Leia mais

Plano de Trabalho 2013/2015

Plano de Trabalho 2013/2015 SECRETARIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO REGIONAL UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FUNDAP SEADE CEPAM CONVÊNIO SPDR USP FUNDAP SEADE CEPAM ANEXO I Plano de Trabalho 2013/2015 OUTUBRO DE 2013 I. JUSTIFICATIVAS

Leia mais

Figura 1 Clientes das informações meteorológicas Fonte: http://www.meted.ucar.edu/dlac2/mod1_es/print.htm#z1.0

Figura 1 Clientes das informações meteorológicas Fonte: http://www.meted.ucar.edu/dlac2/mod1_es/print.htm#z1.0 A necessidade, os benefícios e o caminho para a implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade na prestação do serviço meteorológico à navegação aérea. A necessária proximidade com o usuário Artur Gonçalves

Leia mais

1. Conceitos e princípios da qualidade: nichos da qualidade; erros da qualidade.

1. Conceitos e princípios da qualidade: nichos da qualidade; erros da qualidade. 1/6 1. Conceitos e princípios da qualidade: nichos da qualidade; erros da qualidade. Nichos da Qualidade É a partir destas avaliações que, por exemplo, duas empresas do mesmo ramo podem atuar em nichos

Leia mais

2 Seminário de Engenharia Química. Silvia Binda 1

2 Seminário de Engenharia Química. Silvia Binda 1 2 Seminário de Engenharia Química Silvia Binda 1 Inter-relação entre o conceito de qualidade, gestão da qualidade e elementos que a compõem QUALIDADE Gestão da Qualidade Habilidade de um conjunto de características

Leia mais

Sistema de Gestão Ambiental

Sistema de Gestão Ambiental Objetivos da Aula Sistema de Gestão Ambiental 1. Sistemas de gestão ambiental em pequenas empresas Universidade Federal do Espírito Santo UFES Centro Tecnológico Curso de Especialização em Gestão Ambiental

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA QUALIDADE DE VIDA PARA O TRABALHADOR NA GRÁFICA E EDITORA BRASIL

A IMPORTÂNCIA DA QUALIDADE DE VIDA PARA O TRABALHADOR NA GRÁFICA E EDITORA BRASIL FACULDADES INTEGRADAS DO PLANALTO CENTRAL Aprovadas pela Portaria SESu/MEC Nº. 368/08 (DOU 20/05/2008) CURSO DE ADMINISTRAÇÃO A IMPORTÂNCIA DA QUALIDADE DE VIDA PARA O TRABALHADOR NA GRÁFICA E EDITORA

Leia mais

PRINCÍPIOS DA QUALIDADE E MODELOS DE GESTÃO

PRINCÍPIOS DA QUALIDADE E MODELOS DE GESTÃO INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO ESPÍRITO SANTO FACASTELO Faculdade De Castelo Curso de Administração Disciplina: Qualidade e Produtividade PRINCÍPIOS DA QUALIDADE E MODELOS DE GESTÃO 1 Profa.: Sharinna

Leia mais