A s s o s c o i c aç a ã ç o ã o Esc s o c l o a a de d e Ja J n a e n i e r i o

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A s s o s c o i c aç a ã ç o ã o Esc s o c l o a a 31 3 1 de d e Ja J n a e n i e r i o"

Transcrição

1 MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA O ENSINO DAS LÍNGUAS ESTRANGEIRAS Fonte: Ana Campos Cláudia Falcão Rafael Nunes Teresa Oliveira Setembro de 2010

2 Quem não sabe línguas estrangeiras não sabe nada de si próprio. Goethe

3 Índice Introdução 2 Finalidades da disciplina de Língua Estrangeira 4 Educação Pré-Escolar 5 1. Objectivos 5 2. Sugestões Metodológicas 5 3. Perfis de Saída 6 4. Avaliação 7 1.º Ciclo 8 1. Objectivos 8 2. Sugestões Metodológicas 8 3. Perfis de saída no final do 1.º ciclo Avaliação Testes escritos 16 2.º Ciclo Objectivos Sugestões Metodológicas Perfis de saída no final do 2.º ciclo Avaliação Testes escritos 26 3.º Ciclo Objectivos Sugestões metodológicas Perfis de saída no final do 3.º ciclo Avaliação Testes escritos 38 Bibliografia 39 1 / 39

4 INTRODUÇÃO De acordo com o sistema de ensino português, ao longo da escolaridade básica, a Associação-Escola 31 de Janeiro propõe aos seus alunos a aprendizagem de duas línguas estrangeiras Inglês e Francês. Por se acreditar que a aprendizagem de uma língua estrangeira é tanto mais eficaz quanto mais cedo for iniciada, o Inglês é proposto como Actividade de Enriquecimento Curricular logo na Educação Pré-escolar, a partir dos 4 anos. Enquanto áreas curriculares disciplinares, o Inglês constitui a Língua Estrangeira I no 2.º e 3.º Ciclos e a Língua Francesa é introduzida no 7.º ano como Língua Estrangeira II. A organização curricular das línguas estrangeiras pressupõe a sequencialidade na aquisição de competências e graus de progressiva complexidade, uma continuidade em que cada etapa tem a função de completar e aprofundar a etapa anterior. Pretende-se com este documento conceber linhas estratégicas e de gestão do currículo, de modo a permitir uma transição adequada no percurso dos alunos e uma efectiva progressão na aprendizagem. Para tal propõe-se uma articulação curricular das competências a nível interno das disciplinas, que define por ciclos de ensino: 1. Objectivos; 2. Sugestões metodológicas; 3. Perfis de saída (níveis de prossecução de competência por ciclo de ensino); 4. Avaliação. Ao incentivar a articulação curricular entre os ciclos de ensino favorecem-se aprendizagens significativas, reforçam-se os saberes dos alunos definidos nos perfis de transição, ao mesmo tempo que se envolvem os docentes das línguas estrangeiras na dinâmica da escola e se promove a construção de um projecto comum. Cabe ainda aos docentes criar as condições para que essa articulação seja possível, através de uma atitude proactiva na procura dessa 2 / 39

5 continuidade/sequencialidade, no adequar das suas planificações e no estabelecimento de competências, metodologias, instrumentos de avaliação e etapas de avaliação a privilegiar por ciclo. Para tal propõe-se a realização de reuniões regulares entre os docentes de língua estrangeira, a saber: - no início de cada ano lectivo, com o objectivo de concertar procedimentos e actividades comuns; - a meio do ano lectivo, de modo a avaliar o cumprimento da planificação e das actividades desenvolvidas; - no final do ano lectivo, para fazer o balanço das actividades realizadas ao longo do ano lectivo. Sempre que é possível a adopção de um novo manual, essa decisão caberá sempre ao grupo de docentes de língua estrangeira e deverá ter em conta a prossecução dos objectivos definidos neste documento. 3 / 39

6 FINALIDADES DA DISCIPLINA DE LÍNGUA ESTRANGEIRA A aprendizagem de línguas estrangeiras é um pré-requisito essencial para o acesso ao conhecimento e um factor favorável à mobilidade pessoal e profissional. A par do domínio da língua materna, a capacidade de comunicar em outras línguas é, no mundo interdependente em que vivemos, uma mais-valia para o exercício da cidadania de forma activa e participada, pois que tal não se confina, hoje, às fronteiras nacionais. Além disso, o domínio de competências de comunicação em várias línguas potencia o alargamento das nossas mundividências, pois permite o acesso a outras culturas, outros valores, modos de viver e pensar. In Indicam-se de seguida, por pontos, as referidas finalidades: Proporcionar o contacto com outras línguas e culturas, assegurando o domínio de aquisições e usos linguísticos básicos; Favorecer o desenvolvimento da consciência da identidade linguística e cultural através do confronto com a língua estrangeira e a(s) cultura(s) por ela veiculada(s); Promover a educação para a comunicação enquanto fenómeno de interacção social, como forma de incrementar o respeito pelo(s) outro(s), o sentido de entreajuda e da cooperação, da solidariedade e da cidadania; Promover o desenvolvimento equilibrado de capacidades cognitivas e sócioafectivas, estético-culturais e psicomotoras; Promover a estruturação da personalidade do aluno pelo continuado estímulo ao desenvolvimento da autoconfiança, do espírito de iniciativa, do sentido crítico, da criatividade, do sentido da responsabilidade, da autonomia; Fomentar uma dinâmica intelectual que não se confine à escola nem ao tempo presente, facultando processos de aprender a aprender e criando condições que despertem o gosto por uma actualização permanente de conhecimentos. 4 / 39

7 EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR 1. Objectivos O ensino do Inglês a crianças que frequentam o pré-escolar (4 e 5 anos) tem como objectivos: Promover o desenvolvimento da consciência da identidade linguística e cultural através do confronto com a língua estrangeira e a cultura por ela veiculada; Fomentar uma relação positiva com a aprendizagem da língua; Fazer apreciar a língua enquanto veículo de comunicação com o mundo que nos rodeia; Promover a educação para a comunicação; Contribuir para o desenvolvimento equilibrado de capacidades cognitivas e sócio-afectivas, culturais e psicomotoras da criança; Proporcionar experiências de aprendizagem significativas, diversificadas, integradoras e socializadoras; Favorecer atitudes de auto-confiança e de empenhamento no saber-fazer; Estimular a capacidade de concentração e memorização. 2. Sugestões Metodológicas A exploração dos temas deverá processar-se de um modo gradual, a partir do mundo pessoal da criança, elegendo temas como família, animais, amigos, objectos de sala de aula. Ter-se-á também em conta temas que ligam a aprendizagem do Inglês ao currículo da educação pré-escolar, tais como as cores, os números e as festividades / celebrações (Natal, Carnaval, Páscoa). A relação entre a professora de Inglês e a educadora deverá ser próxima, de modo a poder articular os conteúdos programáticos da educação pré-escolar com o 5 / 39

8 que é trabalhado nas aulas de Inglês, contribuindo, assim, para a integração da língua estrangeira numa continuidade curricular, quer através da consolidação de conhecimentos, quer do despertar para outras aprendizagens. Nas aulas serão propostas actividades que terão em consideração os interesses dos alunos, as suas necessidades e os seus níveis de desenvolvimento e estilos de aprendizagem. Apelando às suas emoções, estimulando o seu envolvimento activo, a sua imaginação e criatividade. Nesta fase inicial da aprendizagem: Dá-se ênfase à audição e à oralidade; Inclui-se a discriminação e a imitação de sons, entoações e ritmos em realização linguística (canções, rimas, etc.); Promove-se a memorização apoiada em suportes visuais (livros, cartões com imagem), auditivos (canções, rimas, etc.) e gestuais (jogos e movimento, manifestações de expressão dramática); Explora-se com frequência a produção oral. 3. Perfis de Saída No final do Ensino Pré-escolar, o aluno deverá ser capaz de verbalizar: os números até 10; o nome de alguns animais (cat, dog, etc.); algum vocabulário ligado ao seu dia-a-dia (girl, boy, mother, father, car, etc.); as cores principais e aplicá-las em jogos nas aulas; What s your name? My name is O aluno deverá ainda ser capaz de realizar acções a partir de instruções dadas oralmente pelo professor (commands). 6 / 39

9 4. Avaliação A avaliação é feita ao longo do ano pela observação directa, incidindo essencialmente na participação e motivação dos alunos nas actividades que lhes são propostas. 7 / 39

10 1.º CICLO 1. Objectivos O ensino do Inglês a crianças que frequentam o 1.º ciclo tem como objectivos: Sensibilizar para a diversidade linguística e cultural; Promover o desenvolvimento da consciência da identidade linguística e cultural através do confronto com a língua estrangeira e a cultura por ela veiculada; Fomentar uma relação positiva com a aprendizagem da língua; Fazer apreciar a língua enquanto veículo de comunicação com o mundo que nos rodeia; Promover a educação para a comunicação, motivando para valores como o respeito pelo outro, a ajuda mútua, a solidariedade e a cidadania; Contribuir para o desenvolvimento equilibrado de capacidades cognitivas e sócio-afectivas, culturais e psicomotoras da criança; Proporcionar experiências de aprendizagem significativas, diversificadas, integradoras e socializadoras; Favorecer atitudes de auto-confiança e de empenhamento no saber-fazer; Estimular a capacidade de concentração e memorização; Promover o desenvolvimento de estratégias de aprendizagem; Fomentar outras aprendizagens. 2. Sugestões Metodológicas 1.º e 2.º anos De acordo com as Orientações para o Ensino do Inglês no 1.º Ciclo da Direcção Geral da Inovação e Desenvolvimento Curriculares, dar-se-á ênfase à 8 / 39

11 audição e à oralidade, especialmente na fase inicial do processo de aprendizagem. Estas actividades são privilegiadas porque a comunicação entre as crianças é predominantemente oral e porque nesta fase estão a iniciar, na Língua Materna, as aprendizagens da leitura e da escrita. O documento acima referido não apresenta temas ou conteúdos com carácter obrigatório, propondo apenas que estes estejam relacionados com o quotidiano das crianças, de acordo com os seus interesses e em articulação com os conteúdos curriculares do 1.º e do 2.º anos. A aprendizagem terá por base actividades predominantemente lúdicas, recorrendo a jogos, rimas, canções, histórias tradicionais e dramatizações. 3.º e 4.º anos No 3.º e no 4.º ano dever-se-á continuar a dar ênfase à audição e à oralidade, embora a leitura e a escrita não devam ser negligenciadas, no sentido de incluir a discriminação e a imitação de sons, entoações e ritmos em realizações linguísticas significativas. O documento orientador para o Ensino do Inglês no 1.º Ciclo da Direcção Geral da Inovação e Desenvolvimento Curriculares apresenta doze temas a serem trabalhados em aula, a saber: cores, objectos da sala de aula, família, animais de estimação, corpo, aniversários, casa, tempo, desportos, alimentação, transportes e vestuário. Tal como para o 1.º e 2.º anos, propõem-se temas relacionados com o quotidiano das crianças, de acordo com os seus interesses, e que devem ser tratados em articulação com os conteúdos curriculares do 3.º e do 4.º anos. Não existe, no entanto, uma combinação certa ou errada na exploração dos temas, devendo o professor adequá-la ao grupo/turma e aos seus interesses. Passaremos de seguida a descrever algumas actividades a privilegiar nestes níveis de ensino: Jogos Para além de lúdicos, os jogos são motivadores, divertidos e fazem parte do dia-a-dia das crianças. Através deles é possível desenvolver várias áreas de ensino da língua, tais como a pronúncia, o vocabulário, a gramática e as quatro competências: ouvir, falar, ler e escrever. 9 / 39

12 No que diz respeito aos jogos de compreensão, irão ser utilizados jogos como: Listen and point / Bring me a O professor pronuncia uma palavra e o aluno tem que apontar para ou trazer o cartão com a imagem que lhe corresponde; Picture Bingo O professor diz palavras e os alunos viram ao contrário as imagens referidas. O primeiro aluno a virar todas as imagens grita BINGO!. Quanto aos jogos de produção, dever-se-ão usar os seguintes tipos: Memory game Os alunos têm alguns minutos para memorizar a ordem em que se encontram os cartões com imagens, que de seguida são virados para baixo. O professor diz uma palavra e o aluno tem que lembrar-se do local onde está o cartão com a imagem correspondente; Mímica Dentro do tema que está a ser tratado, um aluno escolhe uma palavra e mima-a para a turma. Os restantes tentam adivinhar a palavra e o que o consegue, troca de lugar e irá mimar a palavra seguinte; Guess the card O professor descreve uma imagem de um cartão e os alunos tentam adivinhar o que está no cartão. À medida que os alunos se tornam mais fluentes, passam a ser eles próprios a descrever a imagem; Hangman Jogo da forca. Canções e rimas As canções e rimas são divertidas, despertam o interesse dos alunos e ajudam a desenvolver uma atitude positiva perante a língua, para além de constituírem uma oportunidade de juntar o grupo/turma numa actividade em que todos podem participar, independentemente do seu nível de desempenho. São ainda importantes enquanto recurso linguístico, uma vez que permitem a apresentação, o reforço, a revisão de vocabulário e de estruturas gramaticais, proporcionam uma repetição natural, permitem a prática de aspectos relacionados com a pronúncia, tais como o ritmo e a entoação. 10 / 39

13 Para atingir estes objectivos há que: - começar com canções e rimas curtas; - usar canções e rimas com linguagem simples e palavras que não sejam demasiado difíceis de pronunciar, embora os alunos não precisem de conhecer todas as palavras; - procurar canções que tenham um refrão repetitivo, pois isso ajuda os alunos com mais dificuldades ou mais tímidos a participarem, ao mesmo tempo que promove a memorização; - acompanhar as canções e rimas com gestos e acções, de modo a reforçar e ajudar a memorizar o significado das palavras. Role Play/ Dramatização Este tipo de actividades são uma excelente técnica para motivar as crianças a usar o que aprenderam em Inglês e que ajuda as crianças mais inibidas a participar. Pode começar-se por pedir à criança que finja ser outra pessoa ou um determinado objecto e daqui passar-se-á para pequenos role plays ou dramatizações mais elaborados. Actividades criativas As artes plásticas são também uma forma de motivar as crianças para a aprendizagem e que podem ser usadas em exposições de turma e como forma de mostrar aos pais e colegas o que estão a aprender em Inglês. Apresentam-se de seguida algumas sugestões: construção de máscaras para role play; construção de gráficos para dar a conhecer as preferências dos alunos. Ex: favourite food, favourite colour, etc.; elaboração de cartões alusivos a dias festivos, tais como: Natal, dia da mãe/pai, de aniversário, etc.; construção de cartazes de vocabulário. Ex: árvore de Natal com vocabulário de Natal, cartaz em forma de corpo com vocabulário do corpo, etc.; 11 / 39

14 Histórias Contar histórias é uma experiência gratificante para o professor e ouvi-las é uma actividade do agrado dos alunos que, ao mesmo tempo, oferece um contexto significativo e natural para a exposição à língua que estão a aprender. Sugere-se a leitura de histórias tradicionais, que os alunos já conheçam, o que facilita a compreensão das mesmas na língua estrangeira. O professor deverá fazer uma leitura expressiva, apoiada em mímica e gestos que contribuam para a construção de significados e acompanhada por materiais de apoio visual. Aspectos interculturais Aprender uma língua estrangeira deve contribuir para despertar os alunos para a consciência de que existem semelhanças e diferenças nas culturas do seu país e dos países de língua inglesa. Por essa razão, devem ser explorados temas/áreas como: - alimentos e refeições nos vários países. Ex: English Tea típico; - animais de estimação/animais selvagens; - vestuário; - desportos; - celebração de algumas festividades (Thanksgiving, Halloween, Christmas, Valentine s Day, etc.) e explorar diferenças e semelhanças. 12 / 39

15 3. Perfis de saída no final do 1.º ciclo COMPREENDER INTERAGIR OUVIR/VER LER OUVIR/FALAR o Associa palavras isoladas a imagens; o Discrimina e articula o som do «h» aspirado; o Discrimina e articula o som do th (three), inexistente em português; o Discrimina os sons «ch» e «sh»; o Compreende e aplica as regras da sala de aula; o Acompanha a sequência de uma história curta; o Reconhece vocabulário específico (sobre o aluno, a família, a casa, a rotina diária, a escola, a cidade, o corpo humano ); o Identifica adjectivos; o Identifica os números cardinais e ordinais; o Identifica vocabulário relacionado com Celebrações (Halloween, Natal, Dia de São Valentim, Carnaval, Dia do Pai, Páscoa, Dia da Mãe); o Conhece outros povos e culturas de povos de expressão inglesa; o Relaciona frases curtas com imagens ou objectos; o Faz a correspondência entre o início e o fim de uma frase; o Cumprimenta de acordo com a situação; o Pergunta o nome e responde; o Conta até 100, aplicando os números em exercícios orais e jogos; o Pergunta/responde a questões relacionadas com o aniversário; o Fala sobre as condições climatéricas; o Pergunta e diz as horas; o Diz o que come à refeição; o Diz se gosta ou não de uma actividade; o Identifica algumas actividades de tempo livres; o Pergunta o que alguém está a fazer; o Diz qual o desporto que se está a praticar; o Pergunta e responde acerca do seu desporto favorito; o Diz o que consegue ou não fazer; o Diz onde vive; o Refere os meios de transporte utiliza; o Pergunta e responde acerca do preço; o Responde oralmente a questões simples; o Exprime posse; o Pergunta e responde acerca da quantidade; 13 / 39

16 PRODUZIR LER/ESCREVER FALAR ESCREVER SABER APRENDER o Diz o alfabeto; o Pede um objecto emprestado; o Pergunta e responde sobre a família; o Identifica os meses do ano e ordena-os utilizando os números ordinais; o Reconhece alguns dos produtos vendidos em cada loja o Responde a um questionário de verdadeiro/falso; o Responde a questões simples; o Completa frases com informação de um texto ou com palavras dadas; o Relaciona os aniversários e as festividades com os meses e as estações do ano; o Apresenta-se (nome, idade, família); o Enuncia nomes de países e nacionalidades; o Recita rimas curtas com apoio de imagens; o Toma progressiva consciência de algumas características específicas da língua (pronúncia, entoação, ritmo); o Produz frases curtas e simples; o Escreve correctamente vocabulário específico (sobre o aluno, a família, a casa, a rotina diária, a escola, a cidade, o corpo humano ); o Descreve-se a si próprio e outras pessoas; o Identifica rotinas diárias; o Refere se gosta ou não de uma actividade; o Enuncia algumas actividades de tempo livres; o Identifica alguns animais; o Identifica alguns desportos; o Identifica os espaços existentes na cidade; o Identifica os meios de transporte; o Identifica algumas lojas; o Exprime posse; o Identifica e descreve os membros da família; o Estabelece relações entre a língua inglesa e a língua materna; o Exercita a capacidade de retenção da informação; o Recicla e integra conhecimentos adquiridos; o Sabe utilizar o dicionário de Inglês/Português e de Português/Inglês. 14 / 39

17 4. Avaliação DOMÍNIO DOS CONHECIMENTOS E COMPETÊNCIAS 85% DOMÍNIO DAS ATITUDES E VALORES 15% 60% 25% o Compreensão escrita; o Conhecimento de conceitos básicos; o Aplicação de conhecimentos; o Domínio do vocabulário; o Expressão escrita adequação e correcção linguística; o Compreensão oral; o Expressão oral qualidade, autonomia; o Leitura fluência, pronúncia, entoação, ritmo. 3% Responsabilidade 3% Empenho 3% Socialização 3% Autonomia 3% Atitude crítica * A partir do 2.º ano o Testes escritos* o Fichas de gramática e/ou de vocabulário* o Trabalhos individuais e/ou de grupo o Fichas de compreensão da audição o Dramatizações/simulações o Participação oral solicitada o Leitura* o Assiduidade o Pontualidade o Cumprimento das normas estabelecidas o Apresentação do material necessário o Atenção e concentração nas aulas o Realização dos trabalhos de casa* o Participação nas tarefas propostas o Participação oral espontânea o Hábitos de estudo* o Relacionamento com os restantes elementos da turma (professor e colegas) o Respeito pelos outros o Sentido de entreajuda e cooperação o Espírito de iniciativa o Confiança em si próprio o Organização e métodos de trabalho* o Pertinência das questões formuladas o Fundamentação das suas opiniões 15 / 39

18 4.1. Testes escritos No 1.º ciclo, e devido à sua especificidade, os testes não podem integrar os três grupos (compreensão da leitura, aplicação de conteúdos gramaticais e/ou lexicais e produção escrita), tal como são aplicados no 2.º e 3.º ciclos e, consequentemente, estabelecer a priori as ponderações a atribuir. Os testes deverão, no entanto, conter itens de resposta aberta e fechada. Domínios o Compreensão escrita o Aplicação de conteúdos gramaticais e/ou lexicais o Produção escrita Critérios de classificação - Compreensão de enunciados escritos adequados ao seu nível de língua; - Apreensão do sentido global de um texto; - Selecção da informação essencial de um texto; - Utilização correcta e adequada de vocabulário específico. Tipologia de questões Itens de resposta fechada: verdadeiro / falso escolha múltipla associação resposta curta completamento ordenação Itens de resposta aberta: resposta curta resposta orientada ou semiorientada construção de frases Elaboração de pequenos enunciados a partir de modelos estudados, que poderão ser mais/menos orientados Nota: Não é permitido o uso de dicionário nem de corrector. 16 / 39

19 2.º CICLO 1. Objectivos Usar a língua inglesa em apropriação progressiva das regras do sistema e do seu funcionamento; Interpretar e produzir diferentes tipos de texto em apropriação progressiva de estratégias discursivas e de compensação; Identificar os sinais da cultura anglo-americana no âmbito da área de experiência do Programa de Língua Inglesa; Desenvolver atitudes positivas perante universos culturais e sociais diferenciados o(s) colega(s), o professor, a(s) cultura(s)-alvo; Experimentar na sua prática atitudes de responsabilidade, cooperação e solidariedade; Desenvolver estratégias de superação de dificuldades e resolução de problemas; Descobrir a sua identidade no confronto de ideias e na expressão de opiniões pessoais; Identificar e seleccionar estratégias adequadas à organização do seu processo de aprendizagem; Criar o gosto pela leitura extensiva em língua inglesa. 2. Sugestões Metodológicas O professor, enquanto orientador e facilitador da aprendizagem, deverá adoptar metodologias centradas no paralelismo entre a exploração/leccionação dos conteúdos e as vivências e interesses do aluno, fomentando assim o sentido de responsabilidade através da intervenção por parte do mesmo, bem como o aumento dos seus níveis de motivação e empenho. 17 / 39

20 Como tal, será necessário o recurso a práticas pedagógicas diferenciadas que respondam às diferenças de motivações, interesses, necessidades e ritmos existentes entre os alunos de uma turma. Enquanto modelo, tornam-se imprescindíveis as técnicas de trabalho individualizado como forma de assegurar ao aluno o seu progresso na apropriação da língua, bem como actividades envolvendo pares, grupos ou até mesmo toda a turma, sendo estas orientadas pelo professor aquando da apresentação de novos conteúdos e tendo como objectivo a criação de situações de interacção que se aproximem do real. Sugere-se assim, que a organização dos processos de aprendizagem se faça a partir de tarefas, planos de trabalho, de maior ou menor extensão, em que o aluno: Reconhece coerência e unidade; Realiza actividades com objectivos de processo diferenciados (compreensão, manipulação, produção ou interacção na língua alvo), que se subdividem essencialmente em dois tipos: o Actividades de aprendizagem da língua (através da prática orientada e controlada, visam um desenvolvimento progressivo nas áreas gramatical, fonológica, lexical e semântica); o Actividades Pré-Comunicativas (através da prática orientada e controlada, visam a preparação, estruturação e desenvolvimento da comunicação através da simulação); Encontra espaço para a construção de sentidos pessoais. Apresentam-se de seguida tipologias de exercícios, organizadas de acordo com as competências definidas nos documentos orientadores do ensino das línguas estrangeiras: OUVIR / VER Realizar acções/tarefas a partir das respectivas instruções de execução; Ouvir uma conversa lateral; 18 / 39

21 Responder a um questionário de escolha múltipla, verdadeiro/falso ou de resposta fechada: - Identificar o tipo de fonte, de texto, a situação de comunicação (quem? o quê? onde? quando?), as relações entre locutores, os estados de espírito, a intenção comunicativa; Associar diálogos / descrições às imagens ou símbolos correspondentes; Ordenar uma série de imagens desordenadas, por exemplo fazê-las corresponder ao encadeamento de uma narração; Traçar um itinerário num mapa; Fazer o levantamento das diferenças entre uma descrição oral e a imagem de uma personagem, de um lugar ou de um objecto (indicar as diferenças na imagem); Preencher uma grelha; Fazer o levantamento de palavras relativas a palavras-chave ou a temas previamente indicados; Completar os espaços em branco de um texto, sendo dadas as palavras que faltam em desordem; OUVIR / FALAR Participar em pequenas conversas sobre assuntos do quotidiano; Participar em conversas no contexto das actividades da aula; Brainstorming sobre o domínio de referência; Identificar o tipo de fonte, de texto, a situação de comunicação (quem? o quê? onde? quando?), as relações entre locutores, os estados de espírito, a intenção comunicativa; Reconhecer certos elementos, por ex: palavras-chave, o número de vezes que uma determinada expressão aparece no texto, todos os nomes próprios 19 / 39

22 Propor um título para um texto áudio (ou escolher o melhor de entre os que lhe são propostos); Representar um diálogo ou narração; Agrupar palavras de um texto em categorias (vocabulário); LER Realizar acções/tarefas a partir das respectivas instruções de execução; Identificar, num texto narrativo, sequências de acontecimentos, personagens e lugares e as suas características; Reconhecer traços característicos da sociedade e da cultura das comunidades que usam a língua; Reconhecer afinidades/diferenças entre a cultura de origem e a cultura estrangeira; Formular hipóteses a propósito de um texto, a partir das imagens ou fotografias que o acompanham, do tipo de texto, da sua disposição, dos títulos e subtítulos; Ordenar uma série de frases em desordem ou reconstituir frases que contêm os elementos essenciais do texto; Reconhecer citações retiradas do texto (por ex. Quem disse:? Em que parte do texto se diz:?); Reconhecer todas as palavras do texto relativas a um tema ou área vocabular; Reconhecer as marcas de coesão: sublinhar os articuladores/conectores; ligar os referentes (por ex. pronomes) às palavras a que se referem; fazer o levantamento das diferentes formas de designar uma mesma pessoa; Reconhecer os elementos gramaticais, por ex. sublinhar determinado tempo verbal, os advérbios, etc.; 20 / 39

23 Associar textos a imagens ou a esquemas (por ex. fotografias de pessoas ou lugares a descrições; imagens de objectos a definições); Associar frases fragmentadas; Ordenar: - frases em desordem; - uma sequência de imagens em desordem segundo o texto a que corresponde. LER / ESCREVER Responder a um inquérito sobre a vida quotidiana; Preencher um formulário (ficha de identificação, de inscrição); Responder a um questionário de escolha múltipla, de verdadeiro/falso, a perguntas de compreensão (incidindo sobre informações factuais Quem? O quê? Como? Onde? Quando?) ou de interpretação (solicitando a inferência, a utilização da língua e a experiência dos alunos); Fazer o levantamento das ideias principais, dos argumentos a favor e contra Inserir as frases ou as palavras que faltam num texto lacunar; Fazer palavras cruzadas; Preencher um questionário, uma tabela ou um esquema; Receber/Produzir mensagens em situações de relação interpessoal e social: carta, postal, bilhete, convite, ; Compreender as indicações escritas de um itinerário e traçá-lo num mapa; Usar recursos para auto e heterocorrecção (manual, caderno diário, dicionário, gramáticas ). 21 / 39

24 FALAR Brainstorming; Relatar episódios/acontecimentos da vida quotidiana; Descrever, com o objectivo de dar a conhecer, objectos, lugares, personagens; Verbalizar / Reagir a percepções, experiências e sentidos pessoais: - pedir/dar informação; - concordar/discordar; - descrever; - narrar; - ; Fazer dramatizações, simulações, role play; Ler um texto em voz alta; Reproduzir/Recriar lengalengas, adivinhas, provérbios, anedotas, canções; Falar espontaneamente; Apresentar pequenos trabalhos. ESCREVER Seleccionar e organizar informação relacionada com um assunto; Reescrever frases ordenando os seus elementos; Transformar frases; Fazer o reconto parcial de histórias (parte inicial ou final ); Escrever pequenas notas pessoais/bilhetes ou textos usando modelos como recurso (cartas, s, ); Preencher formulários e questionários; 22 / 39

25 Narrar episódios/acontecimentos da vida quotidiana (página de diário, textos biográficos, rotinas, ); Descrever objectos, pessoas, cenários, lugares ; Produzir cartazes para afixação; Escrever pequenos textos criativos / imaginados; Reescrever um texto, no sentido do seu aperfeiçoamento. 23 / 39

26 3. Perfis de saída no final do 2.º ciclo PRODUZIR INTERAGIR COMPREENDER OUVIR/VER LER OUVIR/FALAR LER/ESCREVER FALAR ESCREVER SABER APRENDER LE I INGLÊS Compreende o essencial de um texto simples, breve e claro, relacionado com aspectos da vida quotidiana. Compreende textos curtos e simples sobre assuntos do quotidiano. É capaz de encontrar uma informação previsível e concreta em textos simples de uso comum. Comunica em situações do quotidiano que exijam apenas troca de informação simples e directa sobre assuntos e actividades correntes. Participa numa conversa curta, sem ter de a alimentar. Compreende mensagens curtas, cartas pessoais e formulários simples e elabora respostas adequadas nestas situações de interacção. Utiliza frases simples e curtas para falar da família, dos outros e do seu percurso pessoal. Escreve textos curtos e simples, relacionados com aspectos da vida quotidiana. o Participa de forma consciente na construção de uma competência plurilingue e pluricultural. o Utiliza estratégias de apropriação da LE enquanto instrumento de comunicação. o Utiliza estratégias de apropriação do sistema da LE. o Adopta estratégias e procedimentos adequados às necessidades de aprendizagem próprias. 4. Avaliação De acordo com a Portaria n.º 1322/2007, de 4 de Outubro de 2007, que estabelece os princípios orientadores da organização e da gestão do currículo, bem como da avaliação e certificação das aprendizagens do nível secundário de educação, na disciplina de Língua Estrangeira a componente de oralidade tem um peso de 30 % no cálculo da classificação a atribuir em cada momento formal de avaliação. Deste modo, com vista a preparar os alunos para com o que se vão confrontar a partir do décimo ano de escolaridade e reconhecendo a importância da oralidade no ensino/aprendizagem de uma língua estrangeira, decidiu-se começar a 24 / 39

Níveis de desempenho. Perguntar e fornecer opiniões. Perguntar e responder sobre os diferentes tipos de férias

Níveis de desempenho. Perguntar e fornecer opiniões. Perguntar e responder sobre os diferentes tipos de férias Competências.Adquirir conhecimentos sobre a cultura e civilização Anglo- Americana numa perspectiva intercultural. - Aprofundar o conhecimento da realidade Portuguesa através do confronto com aspectos

Leia mais

PERCURSO CURRICULAR ALTERNATIVO 7º F

PERCURSO CURRICULAR ALTERNATIVO 7º F AGRUPAMENTO DE ESCOLAS À BEIRA DOURO- ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA À BEIRA DOURO- MEDAS PLANIFICAÇÃO ANUAL E SEMESTRAL DA TURMA DE PERCURSO CURRICULAR ALTERNATIVO 7º F ANO LECTIVO 2010 / 2011 1º PERÍODO

Leia mais

PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA 11ª Classe

PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA 11ª Classe PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA 11ª Classe Formação de Professores para o Pré-Escolar e para o Ensino Primário Opção: Ensino Primário Ficha Técnica Título Programa de Metodologia

Leia mais

Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros

Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros Planificação Anual 2013-2014 INGLÊS 5º ANO MATRIZ DE CONTEÚDOS E DE PROCEDIMENTOS

Leia mais

Domínio da linguagem oral e abordagem à escrita

Domínio da linguagem oral e abordagem à escrita I n t e r v e n ç ã o E d u c a t i v a O acompanhamento musical do canto e da dança permite enriquecer e diversificar a expressão musical. Este acompanhamento pode ser realizado pelas crianças, pelo educador

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Terras de Bouro

Agrupamento de Escolas de Terras de Bouro Informação Prova de Equivalência à Frequência INGLÊS Abril 2015 2ºCiclo do Ensino Básico (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) Prova 06/2015 Tipo de Prova: Escrita e Oral Duração: 90 minutos + 15 minutos

Leia mais

CLUBE DE FRANCÊS PROPOSTA PARA O ANO LECTIVO 2010/2011

CLUBE DE FRANCÊS PROPOSTA PARA O ANO LECTIVO 2010/2011 CLUBE DE FRANCÊS PROPOSTA PARA O ANO LECTIVO 2010/2011 Responsável pelo Clube de Francês Profª Ana Serra CLUBE DE FRANCÊS PROPOSTA - ANO LECTIVO 2010/2011 INTRODUÇÃO O Francês, como língua estrangeira

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTIAGO DO CACÉM ESCOLA FREI ANDRÉ DA VEIGA DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE INGLÊS - 2º CICLO 5º ANO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTIAGO DO CACÉM ESCOLA FREI ANDRÉ DA VEIGA DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE INGLÊS - 2º CICLO 5º ANO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTIAGO DO CACÉM ESCOLA FREI ANDRÉ DA VEIGA DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE INGLÊS - 2º CICLO 5º ANO Competências de comunicação Pesos Instrumentos Parâmetros

Leia mais

1.º Ciclo do Ensino Básico Critérios de Avaliação

1.º Ciclo do Ensino Básico Critérios de Avaliação 1.º Ciclo do Ensino Básico Critérios de Avaliação PORTUGUÊS Domínios em Domínios/Competências Fatores de ponderação Instrumentos de Domínio Cognitivo Compreensão oral 20% Registos e grelhas de observação

Leia mais

Marcos de Aprendizagem de Língua Inglesa

Marcos de Aprendizagem de Língua Inglesa PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR Secretaria Municipal da Educação e Cultura SMEC Coordenação de Ensino e Apoio Pedagógico CENAP Marcos de Aprendizagem de Língua Inglesa Ciclo de Aprendizagem I e II MARCOS

Leia mais

ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE ANGRA DO HEROÍSMO

ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE ANGRA DO HEROÍSMO ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE ANGRA DO HEROÍSMO ANO LECTIVO 2008/2009 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1 Os critérios de avaliação definidos têm por base aquilo que cada professor deve valorizar nos seus alunos ao

Leia mais

Informação-Prova de Equivalência à Frequência COMPONENTE ESCRITA

Informação-Prova de Equivalência à Frequência COMPONENTE ESCRITA Agrupamento de Escolas do Viso Porto Prova de Equivalência à Frequência Espanhol (LE II) Prova 15 3º- Ciclo do Ensino Básico Informação-Prova de Equivalência à Frequência Tipo de Prova: Escrita e Oral

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANTÓNIO FEIJÓ

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANTÓNIO FEIJÓ FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIAL 1 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANTÓNIO FEIJÓ EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR REGISTO DE OBSERVAÇÃO / AVALIAÇÃO Nome Data de Nascimento / / Jardim de Infância de Educadora de Infância AVALIAÇÃO

Leia mais

Critérios de Avaliação- 3º ciclo

Critérios de Avaliação- 3º ciclo Critérios de Avaliação- 3º ciclo isciplina INGLÊ Ano: 7º A avaliação certifica as aprendizagens e tem como objetivo a melhoria dessas aprendizagens. Os domínios de referência definidos valorizam a compreensão,

Leia mais

Observação directa: ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL SECUNDÁRIO DISCIPLINA: PLNM (A1) ANO: 11º ANO LECTIVO 2010/2011

Observação directa: ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL SECUNDÁRIO DISCIPLINA: PLNM (A1) ANO: 11º ANO LECTIVO 2010/2011 ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL SECUNDÁRIO DISCIPLINA: PLNM (A1) ANO: 11º ANO LECTIVO 2010/2011 COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ACTIVIDADES ESTRATÉGIAS AULAS PREVISTAS

Leia mais

METAS DE APRENDIZAGEM PARA AS LÍNGUAS ESTRANGEIRAS

METAS DE APRENDIZAGEM PARA AS LÍNGUAS ESTRANGEIRAS METAS DE APRENDIZAGEM PARA AS LÍNGUAS ESTRANGEIRAS ALEMÃO, FRANCÊS, INGLÊS LE I 1º, 2º e 3º CICLOS Direcção Regional da Educação e Formação 2011 Metas de Aprendizagem para as Línguas Estrangeiras Alemão,

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CAROLINA MICHAËLIS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CAROLINA MICHAËLIS Conhecimentos e Competências Saber, Saber Fazer Atitudes e Comportamentos Saber Estar 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico Ano Letivo 2013/2014 Os professores dos grupos disciplinares de línguas estrangeiras

Leia mais

PROVA ESCRITA. As informações sobre a prova apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação referida e do Programa da disciplina.

PROVA ESCRITA. As informações sobre a prova apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação referida e do Programa da disciplina. INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ESPANHOL (LE II) Abril de 2015 Prova 15 2015 3.º Ciclo do Ensino Básico (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) Tipo de Prova: Escrita e Oral Duração: 90

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Rio Tinto AERT E. B. 2, 3 de Rio Tinto

Agrupamento de Escolas de Rio Tinto AERT E. B. 2, 3 de Rio Tinto Agrupamento de Escolas de Rio Tinto AERT E. B. 2, 3 de Rio Tinto CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE INGLÊS - 3º CICLO - 2015/2016 Os critérios de avaliação têm como documentos de referência o Programa de Inglês

Leia mais

INTRODUÇÃO ÍNDICE OBJECTIVOS DA EDUCAÇÂO PRÈ-ESCOLAR

INTRODUÇÃO ÍNDICE OBJECTIVOS DA EDUCAÇÂO PRÈ-ESCOLAR INTRODUÇÃO ÍNDICE - Objectivos de Educação Pré-Escolar - Orientações Curriculares - Áreas de Conteúdo/Competências - Procedimentos de Avaliação - Direitos e Deveres dos Encarregados de Educação - Calendário

Leia mais

Escola Secundária com 3º ciclo de Manuel da Fonseca Curso Profissional de Turismo

Escola Secundária com 3º ciclo de Manuel da Fonseca Curso Profissional de Turismo Domínios de Referência Competência Linguística Componentes Competência Funcional e Discursiva Competência Sociocultural Nº Horas Estratégias Recursos Avaliação Módulo 1: Nós e o mundo à nossa volta Pronomes

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL Actividades de Enriquecimento Curricular Expressão Dramática/Teatro e Corporal

PLANIFICAÇÃO ANUAL Actividades de Enriquecimento Curricular Expressão Dramática/Teatro e Corporal PLANIFICAÇÃO ANUAL Actividades de Enriquecimento Curricular Expressão Dramática/Teatro e Corporal Ano de escolaridade: 1.º e 2.º Ano Ano lectivo: 2011/2012 Professor/a da Disciplina:... Agrupamento/Escola:.

Leia mais

200 educação, ciência e tecnologia

200 educação, ciência e tecnologia 200 A LÍNGUA FRANCESA NO JARDIM DE INFÂNCIA E NO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO * A Área Científica de Francês promoveu, no âmbito da Semana Cultural da Escola Superior de Educação de Viseu, que decorreu de

Leia mais

1 - JUSTIFICAÇÃO DO PROJECTO

1 - JUSTIFICAÇÃO DO PROJECTO 1 - JUSTIFICAÇÃO DO PROJECTO A actual transformação do mundo confere a cada um de nós professores, o dever de preparar os nossos alunos, proporcionando-lhes as qualificações básicas necessárias a indivíduos

Leia mais

Plano de Promoção de Leitura no Agrupamento

Plano de Promoção de Leitura no Agrupamento AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MOSTEIRO E CÁVADO Plano de Promoção de Leitura no Agrupamento 1. Apresentação do plano 2. Objectivos gerais 3. Orientações 4. Objectivos específicos 5. Actividades 6. Avaliação 1

Leia mais

AGRUPAMENTO DE CLARA DE RESENDE COD. 242 937 COD. 152 870

AGRUPAMENTO DE CLARA DE RESENDE COD. 242 937 COD. 152 870 CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO (Aprovados em Conselho Pedagógico de 16 outubro de 2012) No caso específico da disciplina de PORTUGUÊS, do 3.º ano de escolaridade, a avaliação incidirá ainda ao nível

Leia mais

Informação-Prova de Equivalência à Frequência

Informação-Prova de Equivalência à Frequência Informação-Prova de Equivalência à Frequência ENSINO SECUNDÁRIO PROVA ESCRITA E ORAL Prova de Equivalência à Frequência de Espanhol, 11º ano (Iniciação) Prova 375 (ter como referência quadro III do Desp.Norm.5/2013)

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO PLANIFICAÇÃO ANUAL DE ALEMÃO 10º ANO (INICIAÇÃO)

ESCOLA SECUNDÁRIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO PLANIFICAÇÃO ANUAL DE ALEMÃO 10º ANO (INICIAÇÃO) ESCOLA SECUNDÁRIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO PLANIFICAÇÃO ANUAL DE ALEMÃO 10º ANO (INICIAÇÃO) Cursos Científico Humanísticos - Formação Específica (disciplina bienal) Objectivos gerais: adquirir e desenvolver

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS À BEIRA DOURO Escola Básica e Secundária À Beira Douro- Medas

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS À BEIRA DOURO Escola Básica e Secundária À Beira Douro- Medas AGRUPAMENTO DE ESCOLAS À BEIRA DOURO Escola Básica e Secundária À Beira Douro- Medas Departamento de Línguas Estrangeiras - Inglês - 3º Ciclo - 7º Ano Planificação Anual 2010 / 2011 1º Período - Aulas

Leia mais

METAS DE APRENDIZAGEM (4 anos)

METAS DE APRENDIZAGEM (4 anos) METAS DE APRENDIZAGEM (4 anos) 1. CONHECIMENTO DO MUNDO Expressar curiosidade e desejo de saber; Reconhecer aspetos do mundo exterior mais próximo; Perceber a utilidade de usar os materiais do seu quotidiano;

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Porto de Mós Informação-Prova de Equivalência à Frequência

Agrupamento de Escolas de Porto de Mós Informação-Prova de Equivalência à Frequência Prova de Equivalência à Frequência de Inglês (Escrita + Oral) Prova Código 06-2015 2º Ciclo do Ensino Básico - 6ºano de escolaridade 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características

Leia mais

DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS

DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS ANO LETIVO 2013 / 2014 DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS Área curricular disciplinar: Inglês 1º ciclo do EB PLANIFICAÇÃO ANUAL (CREB/NIVEIS DE DESEMPENHO) COMPETÊNCIAS-CHAVE Governo dos Açores (CC)

Leia mais

ANO LETIVO 2013/2014. 10º ano nível VI - Inglês Planificação a Longo Prazo. Conteúdos Procedimentos Blocos previstos MÓDULO O trabalho diagnóstico

ANO LETIVO 2013/2014. 10º ano nível VI - Inglês Planificação a Longo Prazo. Conteúdos Procedimentos Blocos previstos MÓDULO O trabalho diagnóstico Conteúdos Procedimentos Blocos previstos MÓDULO O trabalho diagnóstico - Leitura de textos MÓDULO 1 - Um mundo de muitas línguas: contacto com outras línguas, experiências e culturas Línguas e culturas

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES ENSINO SECUNDÁRIO Curso Profissional de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos PLANIFICAÇÃO ANUAL INGLÊS MÓDULOS 7, 8 e 9 12º ANO TURMA F ANO LETIVO

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL. Planificação a longo prazo para o 7º ano de escolaridade. Língua Estrangeira I

PLANIFICAÇÃO ANUAL. Planificação a longo prazo para o 7º ano de escolaridade. Língua Estrangeira I PLANIFICAÇÃO ANUAL Agrupamento de Escolas de Santo André, Santiago do Cacém - 135513 Escola Secundária Padre António Macedo Grupo Disciplinar / Disciplina: Ano Letivo: 2014-2015 Ciclo de Ensino: Ano de

Leia mais

A Arte e as Crianças

A Arte e as Crianças A Arte e as Crianças A criança pequena consegue exteriorizar espontaneamente a sua personalidade e as suas experiências inter-individuais, graças aos diversos meios de expressão que estão à sua disposição.

Leia mais

DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS

DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FLÁVIO GONÇALVES PÓVOA DE VARZIM Critérios Específicos de Avaliação DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS ANO LETIVO 2014/15 Critérios de avaliação específicos da disciplina de

Leia mais

Novos Programas de Português para o Ensino Básico Turma C445-J Escola Secundária da Senhora da Hora. Formadora: Dra. Gabriela Castanheira

Novos Programas de Português para o Ensino Básico Turma C445-J Escola Secundária da Senhora da Hora. Formadora: Dra. Gabriela Castanheira Novos Programas de Português para o Ensino Básico Turma C445-J Escola Secundária da Senhora da Hora Formadora: Dra. Gabriela Castanheira SEQUÊNCIA DIDÁCTICA 5º ANO ROTEIRO Ana Maria da Fonseca Rocha Julho

Leia mais

ÁREAS DE CONTEÚDO: O QUE SÃO? COMO SE DEFINEM?

ÁREAS DE CONTEÚDO: O QUE SÃO? COMO SE DEFINEM? ÁREAS DE CONTEÚDO: O QUE SÃO? COMO SE DEFINEM? As Áreas de Conteúdo são áreas em que se manifesta o desenvolvimento humano ao longo da vida e são comuns a todos os graus de ensino. Na educação pré-escolar

Leia mais

INGLÊS cont. Código 367 abril 2015

INGLÊS cont. Código 367 abril 2015 Direção Regional de Educação do Norte AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PÓVOA DE LANHOSO - 150915 PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS cont. Código 367 abril 2015 11º Ano de escolaridade (Decreto Lei 139/

Leia mais

Informação Prova de Equivalência à Frequência

Informação Prova de Equivalência à Frequência Ano letivo 2014/2015 Ensino Secundário - 1ª e 2ª Fase Disciplina de ESPANHOL (INICIAÇÃO BIENAL) - 375 Informação Prova de Equivalência à Frequência 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características

Leia mais

Homem tropeça anda, corre voará...

Homem tropeça anda, corre voará... Professora: Isabel Maria Ribeiro Madureira de Sousa Fonseca Escola Secundária com 3º Ciclo Padrão da Légua C445 - Projecto de Formação para o Novo Programa de Português do Ensino Básico Turma - D Maio

Leia mais

Comunicar em situação de aula. Trocar opiniões sobre aspectos da cultura francesa

Comunicar em situação de aula. Trocar opiniões sobre aspectos da cultura francesa Agrupamento de Escolas À Beira Douro Escola Básica e Secundária À Beira Douro - Medas Departamento de Línguas - Francês 3.º Ciclo 8.º Ano Planificação Anual 2010 / 2011 1.º Período - Aulas previstas: Competências

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMPAIO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMPAIO Domínios: Domínio Intercultural (Intercultural Domain ID3) Metas/Descritores 1. Conhecer-se a si e ao outro - Identificar-se a si e aos outros 1.º Período Nº Aulas Previstas 2. Conhecer o dia a dia na

Leia mais

METAS DE APRENDIZAGEM (5 anos)

METAS DE APRENDIZAGEM (5 anos) METAS DE APRENDIZAGEM (5 anos) 1. CONHECIMENTO DO MUNDO Conhecer diferentes termos espaciais (em pé, deitado, em cima, em baixo, à frente, atrás, dentro, fora ) Descrever itinerários diários (exemplos:

Leia mais

AEC ALE EXPRESSÃO MUSICAL. Orientações Pedagógicas. 1.º Ciclo do Ensino Básico

AEC ALE EXPRESSÃO MUSICAL. Orientações Pedagógicas. 1.º Ciclo do Ensino Básico ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR ANO LETIVO AEC ALE EXPRESSÃO MUSICAL Orientações Pedagógicas 1.º Ciclo do Ensino Básico 1. Introdução A atividade de enriquecimento curricular, ALE (atividades lúdico-expressivas)

Leia mais

A apresentação de programas de Língua Portuguesa para o Ensino Básico implica que se explicitem os seus pressupostos.

A apresentação de programas de Língua Portuguesa para o Ensino Básico implica que se explicitem os seus pressupostos. BISC Year 1 Portuguese language program PRINCÍPIOS ORIENTADORES A apresentação de programas de Língua Portuguesa para o Ensino Básico implica que se explicitem os seus pressupostos. O conjunto dos objectivos

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU PLANIFICAÇÃO ANUAL INGLÊS. MÓDULOS 1,2,3 e 4 ACTIVIDADES ESTRATÉGIAS. - Exercícios de:

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU PLANIFICAÇÃO ANUAL INGLÊS. MÓDULOS 1,2,3 e 4 ACTIVIDADES ESTRATÉGIAS. - Exercícios de: Página1 ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU PLANIFICAÇÃO ANUAL ENSINO SECUNDÁRIO PROFISSIONAL Cursos: Comunicação, Marketing, Relações Públicas e Publicidade; Gestão e Programação de Sistemas Informáticos;

Leia mais

2014/2015 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

2014/2015 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Agrupamento de Escolas Escultor António Fernandes de Sá 2014/2015 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR PRINCÍPIOS A avaliação na Educação Pré-escolar assenta nos seguintes princípios: Coerência

Leia mais

Atividades de Enriquecimento Curricular 2013/2014

Atividades de Enriquecimento Curricular 2013/2014 Atividades de Enriquecimento Curricular 2013/2014 Planificação das atividades a implementar nos Agrupamentos das escolas do 1º Ciclo do Concelho do Cartaxo. Pág. 1-NOTA INTRODUTÓRIA 3 2-ATIVIDADE: 2.1-

Leia mais

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS LE I (2 anos) 2015

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS LE I (2 anos) 2015 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS LE I (2 anos) 2015 Prova 06 / 2015 --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

português língua não materna (a2) Dezembro de 2013

português língua não materna (a2) Dezembro de 2013 Informação prova final / Exame Final Nacional português língua não materna (a2) Dezembro de 2013 Prova 63/93/739 2014 6.º Ano, 9.º Ano ou 12.º Ano de Escolaridade O presente documento divulga as características

Leia mais

DEPARTAMENTO DO 1º CICLO ANO LETIVO 2012-2013. Critérios de avaliação

DEPARTAMENTO DO 1º CICLO ANO LETIVO 2012-2013. Critérios de avaliação DEPARTAMENTO DO 1º CICLO ANO LETIVO 2012-2013 Critérios de avaliação 0 MATRIZ CURRICULAR DO 1º CICLO COMPONENTES DO CURRÍCULO Áreas curriculares disciplinares de frequência obrigatória: Língua Portuguesa;

Leia mais

1ª a 5ª série. (Pró-Letramento, fascículo 1 Capacidades Linguísticas: Alfabetização e Letramento, pág.18).

1ª a 5ª série. (Pró-Letramento, fascículo 1 Capacidades Linguísticas: Alfabetização e Letramento, pág.18). SUGESTÕES PARA O APROVEITAMENTO DO JORNAL ESCOLAR EM SALA DE AULA 1ª a 5ª série A cultura escrita diz respeito às ações, valores, procedimentos e instrumentos que constituem o mundo letrado. Esse processo

Leia mais

Informação Prova de Equivalência à Frequência - 2014. Agrupamento de Escolas de ANTÓNIO NOBRE. DISCIPLINA: Inglês CÓDIGO DA PROVA: 358

Informação Prova de Equivalência à Frequência - 2014. Agrupamento de Escolas de ANTÓNIO NOBRE. DISCIPLINA: Inglês CÓDIGO DA PROVA: 358 DISCIPLINA: Inglês CÓDIGO DA PROVA: 358 CICLO: Secundário ANO DE ESCOLARIDADE: 12º Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova de exame de equivalência à frequência da disciplina

Leia mais

Área de Formação Pessoal e Social

Área de Formação Pessoal e Social Área de Formação Pessoal e Social Identidade/ Auto-estima Independência/ Autonomia Convivência democrática/ Cidadania Brincar com o outro (s); Ouvir os outros; Saber identificar-se a si e o outro; Esperar

Leia mais

O lugar da oralidade na escola

O lugar da oralidade na escola O lugar da oralidade na escola Disciplina: Língua Portuguesa Fund. I Selecionador: Denise Guilherme Viotto Categoria: Professor O lugar da oralidade na escola Atividades com a linguagem oral parecem estar

Leia mais

AEC ALE EXPRESSÃO DRAMÁTICA. Planificação. 1.º Ciclo do Ensino Básico

AEC ALE EXPRESSÃO DRAMÁTICA. Planificação. 1.º Ciclo do Ensino Básico ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR ANO LETIVO 2014/2015 AEC ALE EXPRESSÃO DRAMÁTICA Planificação 1.º Ciclo do Ensino Básico ALE EXPRESSÃO DRAMÁTICA Proposta de Plano Anual 2014/2015 1. Introdução

Leia mais

I CARACTERIZAÇÃO DA ESCOLA

I CARACTERIZAÇÃO DA ESCOLA I CARACTERIZAÇÃO DA ESCOLA A Escola E. B. 2, 3 / S de Penalva do Castelo é frequentada por um universo de alunos que se estende do 5º ao 12º ano de escolaridade, incluindo o Ensino Recorrente Nocturno

Leia mais

PROVA 367. (Dec.- Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) 2014/2015 1.ª e 2.ª Fases

PROVA 367. (Dec.- Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) 2014/2015 1.ª e 2.ª Fases PROVA 367 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS- continuação 10.º e 11.º Anos (Dec.- Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) 2014/2015 1.ª e 2.ª Fases Provas Escrita e Oral Cursos Científico-

Leia mais

AVALIAÇÃO NAS DISCIPLINAS CURRICULARES

AVALIAÇÃO NAS DISCIPLINAS CURRICULARES ESCOLA BÁSICA LUÍS DE STTAU MONTEIRO - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº1 DE LOURES AVALIAÇÃO NAS DISCIPLINAS CURRICULARES DOMÍNIOS / CRITÉRIOS 3º Ciclo DISCIPLINA COGNITIVO / OPERATIVO E INSTRUMENTAL CONHECIMENTOS

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR. Áreas Critérios de avaliação Instrumentos de avaliação

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR. Áreas Critérios de avaliação Instrumentos de avaliação EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Áreas Critérios de avaliação Instrumentos de avaliação Área de Formação Pessoal e social Revelar autonomia na higiene e alimentação. Demonstrar controlo de emoções, reações e atitudes.

Leia mais

Escola Básica e Secundária de Velas

Escola Básica e Secundária de Velas Escola Básica e Secundária de Velas 4º ANO 1º PERÍODO ANO LETIVO: 2014 / 2015 1. Competência em Línguas 2. Competência Matemática 3. Competência Científica e Tecnológica 4. Competência Cultural e Artística

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ABEL SALAZAR 2015-2016

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ABEL SALAZAR 2015-2016 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ABEL SALAZAR 2015-2016 1º CICLO - 1º ANO DE ESCOLARIDADE PORTUGUÊS PLANIFICAÇÃO MENSAL DE JANEIRO DOMÍNIOS METAS/OBJETIVOS OPERACIONALIZAÇÃO (DESCRITORES) MATERIAIS/RECURSOS MODALIDADES

Leia mais

PLANO DE PROMOÇÃO DA LEITURA. Agrupamento de Escolas Mosteiro e Cávado

PLANO DE PROMOÇÃO DA LEITURA. Agrupamento de Escolas Mosteiro e Cávado PLANO DE PROMOÇÃO DA LEITURA Agrupamento de Escolas Mosteiro e Cávado 2014 1.Apresentação do plano 2. Objetivos gerais 3. Orientações 4. Objetivos específicos 5. Atividades 6. Avaliação 7. Aneos A leitura

Leia mais

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº 4 DE ÉVORA SEDE: ESCOLA SECUNDÁRIA ANDRÉ DE GOUVEIA CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ALUNOS INGLÊS ESPANHOL FRANCÊS ENSINO BÁSICO (2.º e 3.º CICLOS) ENSINO

Leia mais

METAS DE APRENDIZAGEM (3 anos)

METAS DE APRENDIZAGEM (3 anos) METAS DE APRENDIZAGEM (3 anos) 1. CONHECIMENTO DO MUNDO Revelar curiosidade e desejo de saber; Explorar situações de descoberta e exploração do mundo físico; Compreender mundo exterior mais próximo e do

Leia mais

Agrupamento de Escolas de S. Pedro do Sul 161780 Escola-sede: Escola Secundária de São Pedro do Sul

Agrupamento de Escolas de S. Pedro do Sul 161780 Escola-sede: Escola Secundária de São Pedro do Sul Agrupamento de Escolas de S. Pedro do Sul 161780 Escola-sede: Escola Secundária de São Pedro do Sul INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA 2.º CICLO DO ENSINO BÁSICO ANO LETIVO: 2014/2015 1 ª /

Leia mais

Prova Escrita + Oral de Inglês

Prova Escrita + Oral de Inglês Informação-Prova de Equivalência à Frequência Prova Escrita + Oral de Inglês Prova 367 2015 11º Ano de Escolaridade Duração da Prova: 90 minutos (sem tolerância); Oral: 25 minutos Decreto-Lei n.º 139/2012,

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS ENSINO DO PORTUGUÊS PARA O. Professores de Português do Ensino Básico e Educadoras da Educação Pré-Escolar

MANUAL DE PROCEDIMENTOS ENSINO DO PORTUGUÊS PARA O. Professores de Português do Ensino Básico e Educadoras da Educação Pré-Escolar MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA O ENSINO DO PORTUGUÊS Professores de Português do Ensino Básico e Educadoras da Educação Pré-Escolar 2013 2 A minha pátria é a língua portuguesa. Fernando Pessoa 3 Índice INTRODUÇÃO

Leia mais

Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho, na redação atual. Regulamento de Exames.

Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho, na redação atual. Regulamento de Exames. Disciplina Francês II Código: 16 Informação - Prova de Equivalência à Frequência 2014/2015 Francês II Código da prova: 16 9º Ano de Escolaridade / 3º ciclo do Ensino Básico Decreto-Lei n.º 139/2012, de

Leia mais

Are Metas de Aprendizagem cool or what?

Are Metas de Aprendizagem cool or what? Are Metas de Aprendizagem cool or what? Manuela C. Farinha Cristina Marques Marina Nogueira Colaboração Fitch O Connell A definição de níveis de desempenho nas LE é facilitada desde a publicação, em 2001,

Leia mais

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS D. ANTÓNIO FERREIRA GOMES INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE INGLÊS 2º CICLO ANO 2015

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS D. ANTÓNIO FERREIRA GOMES INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE INGLÊS 2º CICLO ANO 2015 AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS D. ANTÓNIO FERREIRA GOMES INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE INGLÊS 2º CICLO ANO 2015 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da

Leia mais

2013/2014 CONTEÚDOS TEMÁTICOS CONTEÚDOS GRAMATICAIS CALENDARIZAÇÃO UNIDADE

2013/2014 CONTEÚDOS TEMÁTICOS CONTEÚDOS GRAMATICAIS CALENDARIZAÇÃO UNIDADE Escolas João de Araújo Correia EB 2.3PESO DA RÉGUA Disciplina de Português 6º Ano Ano Letivo 2013/2014 CONTEÚDOS TEMÁTICOS CONTEÚDOS GRAMATICAIS CALENDARIZAÇÃO UNIDADE 0 Ponto de partida Reportagem televisiva

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA QUINTA DO CONDE

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA QUINTA DO CONDE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA QUINTA DO CONDE Escola Básica Integrada/JI da Quinta do Conde Escola Básica 1/JI do Casal do Sapo DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS PLANIFICAÇÃO ANUAL DE LÍNGUA INGLESA CEF CPTC 1º Ano

Leia mais

Informação - Prova de Equivalência à Frequência ESPANHOL (continuação) Código da Prova:368 2015 10.º e 11.º Anos de Escolaridade

Informação - Prova de Equivalência à Frequência ESPANHOL (continuação) Código da Prova:368 2015 10.º e 11.º Anos de Escolaridade Disciplina Espanhol Código - 368 Informação - Prova de Equivalência à Frequência ESPANHOL (continuação) Código da Prova:368 2015 10.º e 11.º Anos de Escolaridade Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho,

Leia mais

1.º Período. Unidade Domínio Objetivos Descritores de desempenho Ser capaz de Recursos Avaliação

1.º Período. Unidade Domínio Objetivos Descritores de desempenho Ser capaz de Recursos Avaliação ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DA GRACIOSA DEPARTAMENTO DE LÍNUGAS - PROGRAMAÇÃO ANUAL DE LÍNGUA ESTRANGEIRA I INGLÊS 9.º Ano do 3.º Ciclo Ano Letivo 2014 / 2015 DOCENTE: Margarida Couto N.º aulas 12 Module

Leia mais

Critérios de Avaliação

Critérios de Avaliação Critérios de Avaliação Ano letivo 2013/2014 Critérios de Avaliação 2013/2014 Introdução As principais orientações normativas relativas à avaliação na educação pré-escolar estão consagradas no Despacho

Leia mais

Informação - Prova de Equivalência à Frequência Inglês Código da Prova: 21 2013 9.º Ano de Escolaridade/3º ciclo do Ensino Básico

Informação - Prova de Equivalência à Frequência Inglês Código da Prova: 21 2013 9.º Ano de Escolaridade/3º ciclo do Ensino Básico Disciplina INGLÊS - LE I Código - 21 2012/2013 Informação - Prova de Equivalência à Frequência Inglês Código da Prova: 21 2013 9.º Ano de Escolaridade/3º ciclo do Ensino Básico Decreto-Lei n.º 139/2012,

Leia mais

PROGRAMA APRENDER A LER PARA APRENDER A FALAR A leitura como estratégia de ensino da linguagem

PROGRAMA APRENDER A LER PARA APRENDER A FALAR A leitura como estratégia de ensino da linguagem PROGRAMA APRENDER A LER PARA APRENDER A FALAR A leitura como estratégia de ensino da linguagem Como é que o PALAF se compara com outros programas? O PALAF foi traçado por duas psicólogas educacionais,

Leia mais

PROVA 358. (Dec.- Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) 2014/2015 1.ª e 2.ª Fases

PROVA 358. (Dec.- Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) 2014/2015 1.ª e 2.ª Fases PROVA 358 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS Formação Específica Anual 12.º Ano (Dec.- Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) 2014/2015 1.ª e 2.ª Fases Provas Escrita e Oral Cursos Científico-

Leia mais

As Metas Curriculares de Português, para o 3º Ciclo, apresentam cinco características essenciais:

As Metas Curriculares de Português, para o 3º Ciclo, apresentam cinco características essenciais: DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS PORTUGUÊS 9º ANO C Ano Letivo: 204 /205. Introdução / Metas Curriculares Na disciplina de Português o desenvolvimento do ensino será orientado por Metas Curriculares cuja definição

Leia mais

Avaliação do valor educativo de um software de elaboração de partituras: um estudo de caso com o programa Finale no 1º ciclo

Avaliação do valor educativo de um software de elaboração de partituras: um estudo de caso com o programa Finale no 1º ciclo Aqui são apresentadas as conclusões finais deste estudo, as suas limitações, bem como algumas recomendações sobre o ensino/aprendizagem da Expressão/Educação Musical com o programa Finale. Estas recomendações

Leia mais

PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE INGLÊS

PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE INGLÊS PEF 367 PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE INGLÊS TIPO DE PROVA DURAÇÃO Teórico/prática 90 Minutos (escrita) +25 Minutos (oral) X Escrita Com tolerância de 30 minutos X Oral X Sem tolerância 11º ANO

Leia mais

Plano de Estudo e de Desenvolvimento do Currículo

Plano de Estudo e de Desenvolvimento do Currículo DGEste - Direção de Serviços da Região Norte AGRUPAMENTO DE ESCOLAS LEONARDO COIMBRA FILHO, PORTO Código 152213 4.º ANO Ano Letivo 2014/2015 Aulas Previstas/Ano de Escolaridade Plano de Estudo e de Desenvolvimento

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANTÓNIO FEIJÓ

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANTÓNIO FEIJÓ FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIAL 1 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANTÓNIO FEIJÓ EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR REGISTO DE OBSERVAÇÃO / AVALIAÇÃO Nome Data de Nascimento / / Jardim de Infância de Educadora de Infância AVALIAÇÃO

Leia mais

* Tempo = 45minutos Grupo 300 Página 1 de 8

* Tempo = 45minutos Grupo 300 Página 1 de 8 Conteúdos Objectivos/Competências a desenvolver Tempo* Estratégias Recursos Avaliação Apresentação: Turma e professor Programa Critérios de avaliação Normas de funcionamento Conhecer os elementos que constituem

Leia mais

Etapas para a aplicação de cursos de PLE (geral e para fins específicos): reflectir para agir! 1

Etapas para a aplicação de cursos de PLE (geral e para fins específicos): reflectir para agir! 1 Etapas para a aplicação de cursos de PLE (geral e para fins específicos): reflectir para agir! 1 Ana Rita Bernardo Leitão Mestre em Língua e Cultura Portuguesa, área de PLE/L2 Cientes do apelo que se impõe

Leia mais

Agrupamento de Escolas da Madalena. Projeto do Clube de Música. Ano Lectivo 2012-2013 1

Agrupamento de Escolas da Madalena. Projeto do Clube de Música. Ano Lectivo 2012-2013 1 Agrupamento de Escolas da Madalena Projeto do Clube de Música Ano Lectivo 2012-2013 1 Projectos a desenvolver/participar: Projetos Dinamizado por: 1º Concurso de Flauta Prof. Teresa Santos - Participação

Leia mais

Planificação de Inglês a longo e médio prazo gerindo o manual Tween 5 Ano letivo 2014/2015

Planificação de Inglês a longo e médio prazo gerindo o manual Tween 5 Ano letivo 2014/2015 Planificação de Inglês a longo e médio prazo gerindo o manual Tween 5 Ano letivo 2014/2015 DOMÍNIOS (COMUNICAÇÃO/ TRANSVERSAL) Compreensão Oral (Listening) Leitura (Reading) Interação oral (Spoken interaction)

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DE AUGUSTO GOMES

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DE AUGUSTO GOMES Programa de Oficina de Leitura ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DE AUGUSTO GOMES Programa de Oficina de Leitura 7º e 8º anos APRESENTAÇÃO Face à carga negativa da palavra Leitura, nos tempos que correm,

Leia mais

Informação-Exame de Equivalência à disciplina de: INGLÊS (LE I) Prova Oral e Prova Escrita

Informação-Exame de Equivalência à disciplina de: INGLÊS (LE I) Prova Oral e Prova Escrita Informação-Exame de Equivalência à disciplina de: INGLÊS (LE I) Prova Oral e Prova Escrita 2º Ciclo do Ensino Básico Ano letivo de 2011/12 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características

Leia mais

Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho, na redação atual. Regulamento de Exames.

Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho, na redação atual. Regulamento de Exames. Disciplina Inglês (cont.) Informação - Prova de Equivalência à Frequência Inglês Código 21 2014/2015 Código da Prova: 21 2015 9.º Ano de Escolaridade/3º ciclo do Ensino Básico Decreto-Lei n.º 139/2012,

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DEPARTAMENTO DA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DEPARTAMENTO DA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DEPARTAMENTO DA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR 2014/2015 A avaliação é um elemento integrante e regulador da prática educativa. Na educação pré-escolar assume uma dimensão marcadamente formativa,

Leia mais

INGLÊS Cont. Ano Letivo 2014/2015 INFORMAÇÃO. 11º Ano de Escolaridade. Prova 367 2015. Pág. 1 de 5. 1. Objeto de avaliação

INGLÊS Cont. Ano Letivo 2014/2015 INFORMAÇÃO. 11º Ano de Escolaridade. Prova 367 2015. Pág. 1 de 5. 1. Objeto de avaliação Ano Letivo 2014/2015 INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA A À FREQUÊNCIA INGLÊS Cont. Prova 367 2015 11º Ano de Escolaridade Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho 1. Objeto de avaliação A prova a que esta

Leia mais

Português 2º ciclo Ano letivo 2013/ 2014. Critérios de avaliação 1.º 2.º e 3.º Períodos

Português 2º ciclo Ano letivo 2013/ 2014. Critérios de avaliação 1.º 2.º e 3.º Períodos Domínio das atitudes e valores Domínio Cognitivo Português 2º ciclo Ano letivo 2013/ 2014 Docente: Graça Silva Turma: 6.º A Critérios de avaliação 1.º 2.º e 3.º Períodos Domínios de Avaliação Instrumentos

Leia mais

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA JARDIM DE INFÂNCIA Nº1 PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2014/2015 PROJETO: CHUVA DE CORES

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA JARDIM DE INFÂNCIA Nº1 PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2014/2015 PROJETO: CHUVA DE CORES COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA JARDIM DE INFÂNCIA Nº1 PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2014/2015 PROJETO: CHUVA DE CORES INTRODUÇÃO «Será a emergência do sentido e conteúdo curricular

Leia mais

INGLÊS PROVA ESCRITA. 1. Introdução. 2. Objeto de avaliação. A) Competências COLÉGIO LICEAL DE SANTA MARIA DE LAMAS

INGLÊS PROVA ESCRITA. 1. Introdução. 2. Objeto de avaliação. A) Competências COLÉGIO LICEAL DE SANTA MARIA DE LAMAS Matriz da Prova de Exame de Equivalência à Frequência do Ensino Básico de COLÉGIO LICEAL DE SANTA MARIA DE LAMAS Prova de Exame de Equivalência à Frequência do Ensino Básico de: Prova 21 2015 9º Ano de

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL Ano letivo: 2015/2016. Disciplina: Inglês Ano: 5º COMPETÊNCIAS-CHAVE. 1. Competência em Línguas. 2. Competência Matemática.

PLANIFICAÇÃO ANUAL Ano letivo: 2015/2016. Disciplina: Inglês Ano: 5º COMPETÊNCIAS-CHAVE. 1. Competência em Línguas. 2. Competência Matemática. Governo dos Açores Escola Básica e Secundária de Velas PLANIFICAÇÃO ANUAL Ano letivo: 2015/2016 Disciplina: Inglês Ano: 5º COMPETÊNCIAS-CHAVE 1. Competência em Línguas. 2. Competência Matemática. 3. Competência

Leia mais