Metas de Aprendizagem. Ensino Básico - 3.º Ciclo / Inglês LEI. Introdução. Metas de Aprendizagem (existem 6) Domínio: Compreensão Oral

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Metas de Aprendizagem. Ensino Básico - 3.º Ciclo / Inglês LEI. Introdução. Metas de Aprendizagem (existem 6) Domínio: Compreensão Oral"

Transcrição

1 Metas de Aprendizagem Ensino Básico - 3.º Ciclo / Inglês LEI Introdução A proposta das metas de aprendizagem para as línguas estrangeiras apresenta os desempenhos esperados nos percursos dos 2.º e 3.º ciclos de escolaridade nos contextos curriculares de Língua Estrangeira I (LE I). Os documentos de referência para a elaboração das metas foram os programas nacionais de Alemão, Espanhol, Francês e Inglês em vigor, assim como as opções formuladas no Currículo Nacional do Ensino Básico, nomeadamente nas «Competências Essenciais» das Línguas Estrangeiras, em articulação com os níveis da escala de competências do Quadro Europeu Comum de Referência para as Línguas (2001). As metas de aprendizagem organizam-se em domínios que remetem para as competências de compreensão, interacção e produção orais e escritas. Considerando os objectivos comuns de aprendizagem, foram estabelecidas metas idênticas para as línguas, tendo o Espanhol metas diferenciadas no percurso de LE I, de acordo com o estabelecido nos programas em vigor. As metas servem de referencial à comunidade educativa e visam, em particular, orientar os professores na selecção de estratégias de ensino e na avaliação dos resultados das aprendizagens. Metas de Aprendizagem (existem 6) Domínio: Compreensão Oral Meta Final 1) Nível de Desempenho - B1.1 (QECRL) O aluno compreende as ideias principais e selecciona informação pertinente em textos diversos (noticiários, reportagens, documentários, entrevistas, canções, clips e sequências fílmicas, entre outros) sobre pessoas, experiências, produtos, serviços, situações do quotidiano, do mundo do trabalho e do lazer, e sobre temas da actualidade, sempre que as ideias sejam estruturadas com marcadores explícitos, predomine vocabulário frequente e a articulação seja clara. Cód: OOI002

2 Nível de Desempenho - A2.1 (QECRL) O aluno identifica palavras-chave e frases simples e infere o sentido geral em mensagens e textos simples e curtos (anúncios públicos, mensagens telefónicas, publicidade, canções, clips, entre outros) relacionados com o meio envolvente, situações do quotidiano e experiências pessoais, sempre que sejam articulados de forma clara e pausada. Nível de Desempenho - A2.2 (QECRL) O aluno compreende as ideias principais e informação relevante explícita em mensagens e textos curtos (anúncios públicos, mensagens telefónicas, noticiários, reportagens, publicidades, canções, clips, entre outros) sobre experiências pessoais e situações do quotidiano, interesses próprios e temas da actualidade, sempre que sejam constituídos, essencialmente, por frases simples e vocabulário muito frequente e sejam articulados de forma clara e pausada. Domínio: Compreensão Escrita Meta Final 2) Nível de Desempenho - B1.1 (QECRL) O aluno compreende as ideias principais e selecciona informação pertinente em textos descritivos, narrativos, explicativos e argumentativos (cartas e mensagens, catálogos, artigos de imprensa, publicidade e textos literários, entre outros) sobre pessoas, experiências, produtos, serviços, situações do quotidiano, do mundo do trabalho e do lazer, e sobre temas da actualidade, sempre que as ideias sejam estruturadas com marcadores explícitos e predomine vocabulário frequente. Cód: OOI004 Nível de Desempenho - A2.1 (QECRL) O aluno identifica palavras-chave e frases simples e infere o sentido geral em mensagens e textos simples e curtos (cartas e mensagens, folhetos, publicidade, catálogos, receitas, ementas, artigos de jornal, banda desenhada, entre outros), relacionados com o meio envolvente, situações do quotidiano e experiências pessoais, sempre que sejam constituídos essencialmente por frases simples e vocabulário familiar. Nível de Desempenho - A2.2 (QECRL) O aluno compreende as ideias principais e informação relevante explícita em mensagens e textos simples e curtos (cartas e mensagens, folhetos, ementas, horários, avisos, artigos de imprensa, textos literários, entre outros) que descrevam e/ou narrem experiências pessoais e situações do quotidiano, interesses próprios e temas da actualidade, sempre que sejam constituídos essencialmente por frases simples e vocabulário muito frequente. Domínio: Interacção Oral Meta Final 3) Nível de Desempenho - B1.1 (QECRL) O aluno interage em conversas inseridas em situações familiares. Troca ideias, informações e opiniões sobre pessoas, experiências, produtos, serviços, o mundo do Cód: OOI006

3 trabalho e do lazer e temas da actualidade. Reage, de forma pertinente, ao discurso do interlocutor e respeita os princípios de delicadeza. Usa vocabulário frequente e estruturas frásicas diversas, mobilizando recursos gramaticais adequados para ligar, clarificar e reformular as ideias. Pronuncia geralmente de forma clara e com ritmo e entoação apropriados. Nível de Desempenho - A2.1 (QECRL) O aluno interage em conversas curtas, bem estruturadas e ligadas a situações familiares. Pede e dá informações e troca opiniões sobre o meio envolvente, situações do quotidiano e experiências pessoais, tendo em conta o discurso do interlocutor e respeitando os princípios de delicadeza. Pronuncia, geralmente, de forma compreensível, um repertório limitado de expressões e de frases, mobilizando estruturas gramaticais elementares. Nível de Desempenho - A2.2 (QECRL) O aluno interage em conversas curtas bem estruturadas e ligadas a situações familiares. Troca ideias, informações e opiniões sobre situações do quotidiano e experiências pessoais, interesses próprios e temas da actualidade, tendo em conta o discurso do interlocutor e respeitando os princípios de delicadeza. Usa vocabulário muito frequente e frases simples mobilizando as estruturas gramaticais adequadas. Pronuncia de forma suficientemente clara para ser entendido. Domínio: Interacção Escrita Meta Final 4) Nível de Desempenho - B1.1 (QECRL) O aluno escreve cartas e mensagens ( palavras). Pede e dá informações, exprimindo com clareza opiniões e argumentos sobre assuntos do seu interesse e temas de actualidade. Respeita as convenções textuais e sociolinguísticas das mensagens e cartas, adequando-as ao destinatário. Utiliza vocabulário frequente, estruturas gramaticais simples e recursos adequados para construir textos coerentes e coesos (conectores, marcadores e tempos verbais, entre outros). Cód: OOI008 Nível de Desempenho - A2.1 (QECRL) O aluno escreve cartas e mensagens simples e curtas (50-60 palavras). Pede e dá informações sobre o meio envolvente e situações do quotidiano e experiências pessoais. Respeita as convenções textuais e sociolinguísticas das mensagens e cartas, adequandoas ao destinatário. Utiliza vocabulário elementar e frases simples, articulando as ideias com conectores básicos de coordenação e subordinação.

4 Nível de Desempenho - A2.2 (QECRL) O aluno escreve cartas e mensagens diversas (70-90 palavras). Pede e dá informações sobre o meio envolvente, situações do quotidiano, experiências pessoais, acontecimentos reais ou imaginários, preferências e opiniões. Respeita as convenções textuais e sociolinguísticas das mensagens e cartas, adequando-as ao destinatário. Utiliza vocabulário muito frequente e frases curtas, articulando as ideias com diferentes conectores de coordenação e subordinação. Domínio: Produção Oral Meta Final 5) Nível de Desempenho - B1.1 (QECRL) O aluno exprime-se, com alguma fluência, em monólogos preparados previamente. Descreve, narra e/ou expõe informações sobre assuntos do seu interesse e temas da actualidade, exprimindo opiniões, gostos e preferências. Usa vocabulário frequente e estruturas frásicas diversas, mobilizando recursos gramaticais adequados para construir uma sequência linear de informações. Pronuncia geralmente de forma clara, com ritmo e entoação apropriados. Cód: OOI010 Nível de Desempenho - A2.1 (QECRL) O aluno exprime-se, de forma simples, em monólogos curtos preparados previamente. Descreve o meio envolvente e situações do quotidiano; conta experiências pessoais e acontecimentos reais ou imaginários, presentes ou passados e exprime opiniões, gostos e preferências. Usa um repertório limitado de expressões e de frases, mobilizando estruturas gramaticais elementares. Pronuncia de forma suficientemente clara para ser entendido. Nível de Desempenho - A2.2 (QECRL) O aluno exprime-se, de forma simples, em monólogos curtos preparados previamente. Descreve o meio envolvente e situações do quotidiano; conta experiências pessoais e acontecimentos reais ou imaginários, presentes ou passados e exprime opiniões, gostos e preferências sobre temas da actualidade. Usa vocabulário muito frequente e frases simples mobilizando estruturas gramaticais elementares. Pronuncia de forma suficientemente clara para ser entendido. Domínio: Produção Escrita Meta Final 6) Nível de Desempenho - B1.1 (QECRL) O aluno escreve textos diversos ( palavras). Descreve situações, narra acontecimentos e expõe informações, opiniões e argumentos sobre assuntos do seu interesse e temas da actualidade. Respeita as convenções textuais e utiliza vocabulário frequente, estruturas gramaticais simples e recursos adequados para construir textos coerentes e coesos (conectores, marcadores e tempos verbais, entre outros). Cód: OOI012

5 Nível de Desempenho - A2.1 (QECRL) O aluno escreve textos simples e curtos (50-60 palavras). Descreve situações do quotidiano; conta experiências pessoais e acontecimentos reais ou imaginários, presentes ou passados e exprime opiniões, gostos e preferências. Respeita as convenções textuais e utiliza vocabulário elementar e frases simples, articulando as ideias com conectores básicos de coordenação e subordinação. Nível de Desempenho - A2.2 (QECRL) O aluno escreve textos diversos (70-90 palavras). Descreve situações do quotidiano; conta experiências pessoais e acontecimentos reais ou imaginários, presentes ou passados e exprime opiniões, gostos e preferências. Respeita as convenções textuais e utiliza vocabulário muito frequente e frases curtas, articulando as ideias com diferentes conectores de coordenação e subordinação Ministério da Educação (ME) - Direcção Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular (DGIDC) Coordenação científica: Impresso em

6 Metas de Aprendizagem Ensino Básico - 3.º Ciclo / História Introdução O ser humano e os seus modos de organização e de pensamento carregam a história consigo. Por isso, é parte intrínseca de cada um de nós interrogar-se sobre as suas raízes e o mundo, para melhor se orientar na vida pessoal e colectiva. Através da compreensão dessa(s) História(s), o ser humano aprofunda a sua consciência identitária, entendendo-se a si próprio e à sociedade em que vive de uma forma mais profunda e sofisticada do que se conhecer apenas o seu aqui e agora quotidiano, ao nível de percepções superficiais e emoções. Poderemos perceber porquê e como os seres humanos se movimentaram ou fixaram, se agregaram, cooperaram ou lutaram entre si, procurando dar respostas a necessidades de todos ou apenas dos seus grupos específicos - com maior ou menor sucesso a curto, médio ou longo prazo. É reflectindo sobre a intrincada teia da aventura humana, nas suas grandezas e misérias, conhecendo e relacionando motivações, condicionalismos e consequências da interacção social, em vários tempos e lugares, que podemos entender a diversidade e complexidade cultural, o valor da cooperação e da negociação pacífica e a sua negação, ou seja, os perigos, sempre patentes, do acender de conflitos antagónicos de interesses entre nós e os outros. É uma aprendizagem sempre renovada procurar entender esse país estranho que é a História. Mas saber História fornece aos jovens mais ainda do que esta compreensão alargada da vida em sociedade e da possibilidade de problematização dos eventuais papéis de cada um na história. Os métodos historiográficos encerram em si um instrumento intelectual poderoso para uma leitura analítica e cruzada da informação plural com que se lida na actual Sociedade de Informação e Conhecimento. Metas de Aprendizagem (existem 14) Domínio: Compreensão Temporal Meta Final 1) O aluno utiliza unidades/convenções de datação para relacionar e problematizar a relevância de personalidades, acontecimentos, processos e interacções em diversos tempos. Cód: HIS001

7 O aluno utiliza unidades/convenções temporais (como milénio, século, a.c./d.c., períodos/ Idades ) e conhece a existência de diferentes calendários para situar no tempo personalidades, acontecimentos, processos e interacções de diversas sociedades estudadas, da Pré-História ao séc. XIV d.c. O aluno analisa e mostra compreender os sentidos de tabelas/frisos cronológicos sobre personalidades, acontecimentos, processos e interacções para responder a questões acerca de diversas dimensões da realidade humana (socioeconómicas, político-constitucionais, técnicas, culturais e ideológicas) referentes a sociedades da Pré-História ao século XIV d.c. O aluno utiliza unidades/convenções temporais (como milénio, século, quartel, períodos/ Idades ) e conhece características de diferentes calendários, para relacionar personalidades, acontecimentos, processos e interacções de diversas sociedades em diferentes tempos, desde o séc. XV até ao séc. XIX. O aluno analisa e inter-relaciona tabelas/frisos cronológicos para responder a questões acerca de diversas dimensões da realidade humana (socioeconómicas, político-constitucionais, técnicas, culturais e ideológicas) relativas aos séculos XV a XIX. O aluno utiliza unidades/convenções temporais (como milénio, século, quartel, década, épocas, períodos/ Idades ) e conhece características de diferentes calendários para relacionar personalidades, acontecimentos, processos e interacções, quer nas sociedades contemporâneas (desde os finais do século XIX), quer entre elas e o passado. O aluno analisa e problematiza a relevância de elementos de tabelas/frisos cronológicos sobre personalidades, acontecimentos, processos e interacções, para responder a questões acerca de várias dimensões (socioeconómicas, político-constitucionais, tecnológicas, culturais e ideológicas) da realidade humana. Meta Final 2) O aluno interpreta cronologias comparadas que sejam significativas para compreender a história da Humanidade, relacionando a história nacional com a história europeia e mundial. Cód: HIS002 O aluno usa a periodização e datas essenciais para situar novas aprendizagens e construir tabelas/frisos cronológicos que sejam significativos para compreender as sociedades humanas estudadas, desde a Pré-História ao século XIV, e as relações entre a história nacional, europeia e mundial.

8 O aluno usa a periodização e datas essenciais para situar novas aprendizagens e construir tabelas/frisos cronológicos comparados que sejam significativos para compreender as sociedades humanas estudadas, desde a Pré-História ao século XIX, e as relações entre a história nacional, europeia e mundial. O aluno usa a periodização e datas essenciais para situar novas aprendizagens e construir barras/frisos cronológicos comparados que sejam significativos para compreender as sociedades contemporâneas e as relações entre a história nacional, europeia e mundial. Meta Final 3) O aluno reconhece a complexidade das ideias de mudança e continuidade em História, integrando noções sobre diferentes ritmos de evolução (longa, média e curta duração; evolução e ruptura) e múltiplas perspectivas sobre sentidos de mudança (progresso, declínio, ciclo) e permanência (estabilidade, inevitabilidade). Cód: HIS003 O aluno apresenta ideias sobre mudança e continuidade em história, evitando anacronismos nos períodos estudados e entre várias etapas da história. O aluno reconhece diferentes ritmos e sentidos de evolução na história da Humanidade, desde a Pré-História ao século XIV d.c. O aluno reconhece que não há uma direcção de mudança linear e que, sobre uma dada situação histórica considerada globalmente de progresso, declínio ou ciclo, podem ser encontradas outras perspectivas. O aluno apresenta ideias sobre mudança e continuidade em história, evitando anacronismos e a ideia de que a história se repete. O aluno reconhece a diversidade de ritmos e sentidos de evolução em várias sociedades e culturas, desde o século XV ao século XIX. O aluno problematiza a concepção de progresso em História, tendo em conta quer consequências a curto, médio e longo prazo, quer diferentes apreciações de acordo com perspectivas nacionais ou regionais/locais, culturais, etnico-religiosas, socioeconómicas, etárias ou de género. O aluno apresenta argumentos pessoais mas historicamente fundamentados sobre ideias de mudança e continuidade, evitando anacronismos e a ideia de que a história se repete. O aluno mobiliza ideias de mudança e continuidade que perspectivem diversos ritmos e sentidos de evolução em diferentes sociedades e culturas, desde os finais do século XIX.

9 O aluno argumenta historicamente em torno de várias perspectivas de mudança e permanência, tendo em conta a potencial diversidade de ideias e interesses de indivíduos e grupos, relativamente a processos e interacções dos mesmos, considerando também tendências de homogeneização de perspectivas. Domínio: Compreensão Espacial em História Meta Final 4) O aluno utiliza diferentes formas de representação espacial como fonte de compreensão da acção humana em diferentes espaços ao longo do tempo. Cód: HIS004 O aluno localiza em diversas representações cartográficas (planisfério, globo, mapas temáticos e maquetas) os territórios e movimentações de diversos grupos humanos e povos, desde a Pré- História até ao século XIV. O aluno localiza, em mapas, elementos patrimoniais referentes a sociedades desde a Pré-História até ao séc. XIV, nomeadamente sítios arqueológicos e edifícios à escala local, nacional e mundial. O aluno localiza em diversas representações cartográficas (planisfério, globo, mapas temáticos) territórios, movimentações e encontros de diversos povos, rotas de viagens e características naturais de diferentes espaços, do século XV ao séc. XIX. O aluno localiza, em mapas, elementos patrimoniais referentes a sociedades do séc. XV ao séc. XIX, nomeadamente sítios arqueológicos e edifícios à escala local, nacional, europeia e mundial. O aluno localiza em diversas representações cartográficas (planisfério, globo, mapas temáticos) territórios, movimentações, inter-relações e conflitos de diversos povos, desde finais do século XIX. O aluno localiza, em mapas, elementos patrimoniais referentes a sociedades desde finais do séc. XIX, nomeadamente sítios e edifícios à escala local, nacional, europeia e mundial. Meta Final 5) O aluno integra na sua ideia de história uma visão diacrónica e multiperspectivada da ocupação humana dos espaços (no sentido em que as visões e formas de representação dos espaços mudam ao longo dos tempos e segundo pontos de vista diversos). Cód: HIS005 O aluno dá sentido, in loco ou virtualmente, à organização da vida humana num determinado espaço desde a Pré-História ao séc. XIV, utilizando nomeadamente objectos patrimoniais e referências de toponímia.

10 O aluno relaciona várias dimensões da actividade humana (socioeconómica, político-institucional, técnica, cultural e ideológica) com as potencialidades e limitações dos respectivos espaços, desde a Pré-História ao séc. XIV. O aluno interpreta, in loco ou virtualmente, a inter-relação de diversos povos e culturas na organização de um determinado espaço desde o séc. XV ao séc. XIX, utilizando nomeadamente objectos patrimoniais e referências de toponímia. O aluno relaciona várias dimensões da actividade humana (socioeconómica, político-institucional, técnica, cultural e ideológica) com as potencialidades e limitações dos respectivos espaços, desde o séc. XV ao séc. XIX. O aluno compreende o espaço numa visão diacrónica e à escala planetária, utilizando uma diversidade de fontes, incluindo formas de representação espacial produzidas nos séculos XV a XIX. O aluno interpreta, in loco ou virtualmente, a organização da vida humana num determinado espaço desde finais do séc. XIX, utilizando nomeadamente objectos patrimoniais, para articular diversas transformações aí ocorridas, numa perspectiva diacrónica. O aluno relaciona várias dimensões da actividade humana (socioeconómica, político-institucional, tecnológica, cultural e ideológica) desde os finais do séc. XIX com as potencialidades e limitações dos respectivos espaços. O aluno argumenta em torno de uma visão dinâmica de espaço relacionando-a com a organização e evolução das sociedades humanas (nomeadamente noções relativas de distância e tempo em função dos transportes e da generalização das TIC). Domínio: Interpretação de Fontes em História Meta Final 6) O aluno interpreta fontes diversificadas para, com base nelas e em conhecimentos prévios, inferir leituras historicamente válidas e abrangentes sobre o passado. Cód: HIS006 O aluno identifica, pesquisa, selecciona e usa fontes com estatutos diferentes (fontes primárias /secundárias; privadas/públicas; textos historiográficos e ficcionais) e linguagens diversas (textos, imagens, objectos, edifícios, multimédia) para compreender aspectos de diversas sociedades, desde a Pré-História até finais do século XIV d.c. O aluno distingue a validade do discurso historiográfico em relação ao discurso ficcional. O aluno analisa o sentido de fontes com mensagens diversificadas, identificando a função e o contexto cultural dos respectivos autores, para estabelecer inferências válidas sobre o passado.

11 O aluno identifica, pesquisa, selecciona e usa fontes com estatutos e linguagens diferentes para compreender aspectos de diversas sociedades humanas nos séculos XV a XIX. O aluno distingue a validade do discurso historiográfico face ao discurso ficcional, de propaganda e de senso comum. O aluno analisa e relaciona mensagens de sentido diversificado e problematiza-as tendo em atenção, inclusivamente, a sua autoria e contexto cultural, para estabelecer inferências válidas sobre o passado. O aluno identifica, pesquisa, selecciona e usa fontes com estatutos e linguagens diferentes para compreender aspectos de diversas sociedades, e problematiza vestígios do passado enquanto evidência para compreender aspectos das sociedades humanas contemporâneas. O aluno analisa as características e função social do saber historiográfico e avalia-o face a outros níveis e áreas do saber (jornalismo, arte, religião, propaganda, senso comum). O aluno apresenta leituras historiográficas à luz de fontes diversificadas e de conhecimentos prévios, problematizando aspectos divergentes nas fontes. Domínio: Compreensão Histórica Contextualizada Meta Final 7) O aluno apresenta sínteses sobre acontecimentos, processos e períodos de diversas sociedades do passado, integrando várias causas (motivações de protagonistas individuais ou colectivos, condicionalismos materiais e humanos) e consequências, em diversas dimensões históricas, para relacionar a história nacional, europeia e mundial. Cód: HIS007 O aluno descreve, sucintamente, como viviam e interagiam crianças, mulheres e homens em sociedades da Pré-História ao século XIV d.c., indicando de forma implícita ou explícita alguns condicionalismos, motivações e consequências da acção humana. O aluno integra, nas suas descrições do passado desde a Pré-História ao século XIV d.c., várias dimensões históricas da organização, movimentações e interacções das sociedades, e identifica protagonismos de indivíduos, grupos sociais e povos, para estabelecer ligações entre a história nacional, europeia e mundial. O aluno explica como viviam e interagiam indivíduos, grupos sociais e povos diversos nos séculos XV a XIX, estabelecendo relações de causalidade ao explicitar vários condicionalismos, motivações e consequências da acção humana.

12 O aluno relaciona várias dimensões históricas da organização, movimentações e interacções em sociedades nos sécs. XV a XIX, e explica protagonismos (positivos e negativos) de indivíduos, grupos sociais e povos, à escala nacional, europeia e mundial. O aluno explica acontecimentos, processos e etapas da história desde finais do séc. XIX, estabelecendo relações de causalidade e problematizando as consequências da acção humana para o futuro. O aluno integra, nas suas narrativas sobre o passado desde finais do séc. XIX, várias dimensões históricas e protagonismos de indivíduos, grupos sociais, povos, Estados e sociedades, problematizando relações entre a história nacional, europeia e mundial. Meta Final 8) O aluno aplica terminologia e conceitos substantivos (essenciais para a compreensão histórica), tornados significativos ao longo da abordagem das temáticas em estudo. Cód: HIS008 O aluno interpreta, integra e aplica, com base nos temas e conteúdos programáticos, os seguintes conceitos substantivos e terminologias convencionais: Temas 1 e 2: Paleolítico/Neolítico (economia recolectora/de produção; nomadismo/sedentarização; arte rupestre, ritos mágicos). Civilizações urbanas (Acumulação de excedentes, Sociedade estratificada, Escravatura, Poder sacralizado, Politeísmo/Monoteísmo, Escrita figurativa e alfabética), Civilizações clássicas, Escravatura, Politeísmo/Monoteísmo, Cidade-estado, democracia de Atenas, economia comercial e monetária, Arte clássica, técnica de construção; Urbanismo, República, Império, Administração, Senado romano, Romanização). Tema 3: Idade Média (Bárbaros, Reino, Monarquia, Ruralização, Economia de subsistência, Domínio senhorial, Condado, Sociedade tripartida, Servo, Feudo e Vassalo, Cristão/Católico/Judeu/Muçulmano, Reconquista, Cruzado, Independência política). Tema 4: Mercado/feira, Burguês, Concelho/Carta de Foral, Universidade, Arte românica/arte gótica, Peste, Quebra demográfica, Crise económica, Revolução de 1383/1385.

13 O aluno interpreta, integra e aplica, com base nos temas e conteúdos programáticos, os seguintes conceitos substantivos e terminologias convencionais: Tema 5: Expansão, Navegação astronómica, Colonização, Império Colonial (Capitão-donatário, feitoria, monopólio comercial, Mare Clausum, miscigenação, missionação, ameríndio, comércio intercontinental, tráfico de escravos, encontro de culturas), Humanismo, Renascimento (Teocentrismo/Antropocentrismo, Individualismo, Espírito crítico, Experiência, Geocentrismo/Heliocentrismo, Arte renascentista), Reforma/Contra-reforma, Inquisição. Tema 6: Mare Liberum, União Ibérica, Comércio triangular atlântico, Capitalismo comercial (companhia de comércio, banco, bolsa de valores), Restauração, Antigo Regime (sociedade de ordens, absolutismo de direito divino, mercantilismo), Manufactura, Revolução científica (método experimental, academia), Arte barroca, Arte Neoclássica, Iluminismo, Despotismo esclarecido, Estrangeirado, Liberalismo sociopolítico (separação de poderes, soberania popular, direitos humanos). Temas 7 e 8: Revoluções Liberais (Constituição, Declaração Universal dos Direitos do Homem, revolução burguesa, monarquia constitucional, Vintismo, sufrágio censitário/universal), Revolução agrícola (enclosures), Revolução industrial (Maquinofactura, Burguesia industrial/operariado/classes médias, Capitalismo industrial e financeiro), Liberalismo económico (livre concorrência, sociedade anónima, lei da oferta e da procura), Explosão demográfica, Sindicalismo, Socialismo, Marxismo, Comunismo, Positivismo, Ciências da natureza/ciências humanas, Romantismo, Realismo, Arquitectura do ferro. O aluno interpreta, integra e aplica, com base nos temas e conteúdos programáticos, os seguintes conceitos substantivos e terminologias convencionais: Temas 9: Colonialismo, Nacionalismo, Imperialismo, Partilha de África, Alianças político-militares, Armistício, Fordismo, Taylorismo, Estandardização, Monopólio, Marxismo-leninismo, Comunismo, Soviete (nacionalização, colectivização), Republicanismo, Partido político, Democracia parlamentar/ditadura militar, Feminismo, Cultura de massas, Mass media, Futurismo, Abstraccionismo, Modernismo Tema 10: Crise dos anos 30 (superprodução, especulação, Crash Bolsista, inflação/deflação, depressão económica), New Deal, Frente Popular, Fascismo, Corporativismo, Nazismo, Racismo, Totalitarismo, Estado Novo, Estalinismo (economia planificada), Resistência, Genocídio/Holocausto, A ONU. Temas 11 e 12: Pós-guerra, Guerra Fria, milagre japonês, Sociedade Multinacional, Autodeterminação, 25 de Abril, Descolonização/Neocolonialismo, Terceiro Mundo, Democracia popular, Maoísmo, Estado-Providência, Sociedade de consumo, Muro de Berlim, Massificação, Diversidade cultural. Meta Final 9) O aluno reconhece a diversidade, quer de interesses, culturas e ideologias quer de experiências interculturais, e avalia motivações e razões dos intervenientes em situações históricas (pacíficas, de tensão ou conflituais) e respectivas consequências. Cód: HIS009 O aluno reconhece a existência de diversidade e inter-influência cultural nos períodos estudados. O aluno analisa e procura entender diversas motivações e razões de indivíduos, grupos sociais ou povos em situações de diálogo, tensão ou conflito ocorridas nos períodos estudados.

14 O aluno reconhece a existência de diversidade e inter-influência cultural nos períodos estudados e infere a emergência de uma consciência intercultural nos séculos XV e XVI. O aluno analisa e procura explicar as motivações e razões de indivíduos, grupos sociais ou povos em situações de diálogo, tensão ou conflito ocorridas nos períodos estudados, apontando consequências históricas dessas situações. O aluno reconhece a existência de diversidade e inter-influência de culturas e ideologias bem como a afirmação de uma consciência intercultural em sociedades contemporâneas. O aluno analisa e procura explicar as motivações e razões das partes envolvidas em situações de diálogo, tensão ou conflito, bem como as consequências históricas das atitudes tomadas, a curto e a longo prazo. O aluno toma posição historicamente fundamentada quanto a possíveis configurações das sociedades humanas no futuro, à luz do conhecimento produzido sobre o passado e das condições objectivas do presente. Meta Final 10) O aluno apresenta breves sínteses diacrónicas sobre contributos significativos para a Humanidade, de vários indivíduos, grupos sociais, povos e civilizações. Cód: HIS010 O aluno apresenta uma breve reflexão historicamente válida sobre contributos marcantes de alguns indivíduos, grupos sociais, povos ou civilizações estudadas, desde a Pré-História ao séc. XIV, para as sociedades que lhes sucederam, incluindo as sociedades actuais. O aluno apresenta uma reflexão pessoal e historicamente válida sobre contributos marcantes de alguns indivíduos, grupos sociais, povos e civilizações estudadas, dos séculos XV a XIX, para as sociedades que lhes sucederam incluindo as actuais. O aluno apresenta uma reflexão pessoal de síntese, historicamente fundamentada, sobre contributos marcantes para a vida actual, de sociedades desde a Pré-História até à actualidade que foram objecto de estudo. Meta Final 11) O aluno reconhece a utilidade social do saber historiográfico, pela capacidade que fornece de examinar a informação sobre o mundo de forma objectiva e multiperspectivada, e de pensar a vida e as identidades a uma escala temporal abrangente. Cód: HIS011

Escola Secundária com 2.º e 3.º ciclos Anselmo de Andrade. Critérios de Avaliação / Planificação 6.º Ano - HGP Grupo 400 História Ano Letivo 2014/15

Escola Secundária com 2.º e 3.º ciclos Anselmo de Andrade. Critérios de Avaliação / Planificação 6.º Ano - HGP Grupo 400 História Ano Letivo 2014/15 Domínio/ Tema/unidade História de Portugal Subdomínio/ conteúdos Compreensão da espacialidade Temporalidade Metas de aprendizagem intermédias Meta 1 O aluno traça, em diferentes representações cartográficas,

Leia mais

METAS DE APRENDIZAGEM PARA AS LÍNGUAS ESTRANGEIRAS

METAS DE APRENDIZAGEM PARA AS LÍNGUAS ESTRANGEIRAS METAS DE APRENDIZAGEM PARA AS LÍNGUAS ESTRANGEIRAS ALEMÃO, FRANCÊS, INGLÊS LE I 1º, 2º e 3º CICLOS Direcção Regional da Educação e Formação 2011 Metas de Aprendizagem para as Línguas Estrangeiras Alemão,

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DE AMORA

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DE AMORA ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DE AMORA Ano Letivo 2014/2015 I - AVALIAÇÃO: Escola Secundária com 3º Ciclo do Ensino Básico de Amora 1. Domínios de avaliação, parâmetros e ponderações I Domínio dos Conhecimentos

Leia mais

AERT - ESCOLA EB 2,3 DE RIO TINTO. Ano Letivo de 2015/2016 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO NA DISCIPLINA DE HISTÓRIA -3ºCICLO

AERT - ESCOLA EB 2,3 DE RIO TINTO. Ano Letivo de 2015/2016 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO NA DISCIPLINA DE HISTÓRIA -3ºCICLO AERT - ESCOLA EB 2,3 DE RIO TINTO Ano Letivo de 2015/2016 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO NA DISCIPLINA DE HISTÓRIA -3ºCICLO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Os critérios definidos pelas docentes da disciplina de História

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES. Análise de informação do manual. Filmes educativos

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES. Análise de informação do manual. Filmes educativos ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES 3º C.E.B. DISCIPLINA: História ANO: 8º ANO LECTIVO 2010/2011 COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ACTIVIDADES ESTRATÉGIAS AULAS PREVISTAS INSTRUMENTOS DE

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO 1º Ciclo Planificação Anual de 4º ano Ano Letivo 2015/2016 ESTUDO DO MEIO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO 1º Ciclo Planificação Anual de 4º ano Ano Letivo 2015/2016 ESTUDO DO MEIO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO 1º Ciclo Planificação Anual de 4º ano Ano Letivo 2015/2016 1.º Período ESTUDO DO MEIO Domínios Subdomínios Metas finais Conteúdos programáticos Avaliação natural

Leia mais

Are Metas de Aprendizagem cool or what?

Are Metas de Aprendizagem cool or what? Are Metas de Aprendizagem cool or what? Manuela C. Farinha Cristina Marques Marina Nogueira Colaboração Fitch O Connell A definição de níveis de desempenho nas LE é facilitada desde a publicação, em 2001,

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA QUINTA DO CONDE

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA QUINTA DO CONDE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA QUINTA DO CONDE Escola Básica Integrada/JI da Quinta do Conde Escola Básica 1/JI do Casal do Sapo DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS PLANIFICAÇÃO ANUAL DE LÍNGUA INGLESA CEF CPTC 1º Ano

Leia mais

Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros

Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros Planificação Anual 2013-2014 INGLÊS 5º ANO MATRIZ DE CONTEÚDOS E DE PROCEDIMENTOS

Leia mais

ANO LECTIVO PLANIFICAÇÃO ANUAL. Tema 1: A Terra: estudos e representações UNIDADE DIDÁCTICA: 1- Da paisagem aos mapas. A descrição da paisagem;

ANO LECTIVO PLANIFICAÇÃO ANUAL. Tema 1: A Terra: estudos e representações UNIDADE DIDÁCTICA: 1- Da paisagem aos mapas. A descrição da paisagem; ANO LECTIVO PLANIFICAÇÃO ANUAL DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA 2007/2008 ANO GEOGRAFIA 7.º GERAIS Tema 1: A Terra: estudos e representações Mobilizar saberes culturais, científicos e tecnológicos

Leia mais

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO ( Aprovados em Conselho Pedagógico de 15 outubro de 2013 ) No caso específico da disciplina de História e Geografia de Portugal, do 6ºano de escolaridade, a avaliação

Leia mais

Escola Secundária Mouzinho da Silveira Departamento de Ciências Sociais e Humanas Grupo de Recrutamento 420 Ano Letivo de 2014 / 2015 Curso Básico

Escola Secundária Mouzinho da Silveira Departamento de Ciências Sociais e Humanas Grupo de Recrutamento 420 Ano Letivo de 2014 / 2015 Curso Básico Escola Secundária Mouzinho da Silveira Departamento de Ciências Sociais e Humanas Grupo de Recrutamento 420 Ano Letivo de 2014 / 2015 Curso Básico Planificação Anual da disciplina de GEOGRAFIA 7 º Ano

Leia mais

Apontamentos das obras LeYa em relação ao Currículo em Movimento do DISTRITO FEDERAL. Geografia Leituras e Interação

Apontamentos das obras LeYa em relação ao Currículo em Movimento do DISTRITO FEDERAL. Geografia Leituras e Interação Apontamentos das obras LeYa em relação ao Currículo em Movimento do DISTRITO FEDERAL Geografia Leituras e Interação 2 Caro professor, Este guia foi desenvolvido para ser uma ferramenta útil à análise e

Leia mais

Planificação Anual. Professor: José Pinheiro Disciplina: História e Geografia de Portugal Ano: 5.º Turmas: B Ano letivo: 2014-2015

Planificação Anual. Professor: José Pinheiro Disciplina: História e Geografia de Portugal Ano: 5.º Turmas: B Ano letivo: 2014-2015 Planificação Anual Professor: José Pinheiro Disciplina: História e Geografia de Portugal Ano: 5.º Turmas: B Ano letivo: 2014-2015 UNIDADE DIDÁTICA: TEMA A: DOS PRIMEIROS POVOS À FORMAÇÃO DO REINO DE PORTUGAL.

Leia mais

Agrupamento de Escolas Agualva-Mira Sintra Planificação anual 2013/2014

Agrupamento de Escolas Agualva-Mira Sintra Planificação anual 2013/2014 Agrupamento de Escolas Agualva-Mira Sintra Planificação anual 2013/2014 Departamento Curricular de Ciências Sociais e Humanas Disciplina de História Ano:8º Temas Conteúdos Conceitos E : Expansão e Mudança

Leia mais

5572 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 201 30 de Agosto de 2001

5572 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 201 30 de Agosto de 2001 5572 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 201 30 de Agosto de 2001 2 No âmbito do disposto no número anterior, o professor: a) Reflecte sobre as suas práticas, apoiando-se na experiência, na investigação

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DE AMORA

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DE AMORA ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DE AMORA 9º Ano História Planficação a Médio e Longo Prazo Ano Letivo 2014/2015 I - AVALIAÇÃO: 1. Domínios de avaliação, parâmetros e ponderações I Domínio dos Conhecimentos

Leia mais

PLANO DE ENSINO DE HISTÓRIA 5ª. SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL 1º BIMESTRE

PLANO DE ENSINO DE HISTÓRIA 5ª. SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL 1º BIMESTRE PLANO DE ENSINO DE HISTÓRIA 5ª. SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL 1º BIMESTRE - Sistemas sociais e culturais de notação de tempo ao longo da história, - As linguagens das fontes históricas; - Os documentos escritos,

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOAQUIM ARAÚJO MATRIZ DOS EXAMES DE HISTÓRIA CURSOS VOCACIONAIS DE DESIGN DE MODA e HORTOFLORICULTURA E JARDINAGEM

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOAQUIM ARAÚJO MATRIZ DOS EXAMES DE HISTÓRIA CURSOS VOCACIONAIS DE DESIGN DE MODA e HORTOFLORICULTURA E JARDINAGEM AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOAQUIM ARAÚJO MATRIZ DOS EXAMES DE HISTÓRIA CURSOS VOCACIONAIS DE DESIGN DE MODA e HORTOFLORICULTURA E JARDINAGEM Duração da Prova: 45 minutos (cada módulo) Módulos Categorias/Conteúdos

Leia mais

Total aulas previstas

Total aulas previstas ESCOLA BÁSICA 2/3 DE MARTIM DE FREITAS Planificação Anual de História do 7º Ano Ano Lectivo 2011/2012 LISTAGEM DE CONTEÚDOS TURMA Tema 1.º Período Unidade Aulas Previas -tas INTRODUÇÃO À HISTÓRIA: DA ORIGEM

Leia mais

P L A N I F I C A Ç Ã O A M É D I O P R A Z O

P L A N I F I C A Ç Ã O A M É D I O P R A Z O DISCIPLINA: Geografia ANO: 7ºano TURMAS: B, C ed ANO LECTIVO: 2011/2012 P L A N I F I C A Ç Ã O A M É D I O P R A Z O UNIDADE DIDÁTICA 1: A Terra: Estudos e Representações (1º Período) AULAS PREVISTAS:

Leia mais

O Turismo no Mundo Actual Uma Indústria Globalizante 28 37 4 abril 24 maio TOTAIS 114 152. Competências Sistematizar técnicometodológicas

O Turismo no Mundo Actual Uma Indústria Globalizante 28 37 4 abril 24 maio TOTAIS 114 152. Competências Sistematizar técnicometodológicas ESCOLA SECUNDÁRIA DE AMORA CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE TURISMO PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE GEOGRAFIA 11º ANO ANO 2014/2015 COMPONENTE DE FORMAÇÃO CIENTÍFICA 1- Elenco Modular Número Designação Duração

Leia mais

DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS

DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FLÁVIO GONÇALVES PÓVOA DE VARZIM Critérios Específicos de Avaliação DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS ANO LETIVO 2014/15 Critérios de avaliação específicos da disciplina de

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Rio Tinto AERT E. B. 2, 3 de Rio Tinto

Agrupamento de Escolas de Rio Tinto AERT E. B. 2, 3 de Rio Tinto Agrupamento de Escolas de Rio Tinto AERT E. B. 2, 3 de Rio Tinto CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE INGLÊS - 3º CICLO - 2015/2016 Os critérios de avaliação têm como documentos de referência o Programa de Inglês

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA Educando para o pensar Tema Integrador 2013 / Construindo o amanhã: nós agimos, o planeta sente CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

CENTRO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA Educando para o pensar Tema Integrador 2013 / Construindo o amanhã: nós agimos, o planeta sente CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS CENTRO DE EDUCAÇÃO INTEGRADA Educando para o pensar Tema Integrador 2013 / Construindo o amanhã: nós agimos, o planeta sente CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS CIÊNCIAS HUMANAS 3º ANO FILOSOFIA FILOSOFIA NA HISTÓRIA

Leia mais

PROJECTO METAS DE APRENDIZAGEM

PROJECTO METAS DE APRENDIZAGEM PROJECTO METAS DE APRENDIZAGEM A Equipa Central: Natércio Afonso (coordenador) Maria do Céu Roldão Alexandra Marques Cecília Galvão Helena Peralta Isabel Lopes da Silva Teresa Leite JULHO, 27, 2010 1 Apresentação

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PAREDE

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PAREDE 1º Período: 21 de setembro a 17 de dezembro AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PAREDE Ano Letivo 2015/2016 Gestão de Conteúdos Ensino Básico Estudo do Meio / 4.º ano Domínios Subdomínios Conteúdos programáticos

Leia mais

PLANIFICAÇÃO A LONGO PRAZO HISTÓRIA A. (sujeita a reajustamentos) 1º PERÍODO

PLANIFICAÇÃO A LONGO PRAZO HISTÓRIA A. (sujeita a reajustamentos) 1º PERÍODO PLANIFICAÇÃO A LONGO PRAZO HISTÓRIA A 10º Ano Ano Lectivo - 2012/2013 (sujeita a reajustamentos) Prof. ª Irene Lopes 1º PERÍODO MÓDULO 0 ESTUDAR E APRENDER HISTÓRIA MÓDULO 1 RAÍZES MEDITERRÂNICADA CIVILIZAÇÃO

Leia mais

Níveis de desempenho. Perguntar e fornecer opiniões. Perguntar e responder sobre os diferentes tipos de férias

Níveis de desempenho. Perguntar e fornecer opiniões. Perguntar e responder sobre os diferentes tipos de férias Competências.Adquirir conhecimentos sobre a cultura e civilização Anglo- Americana numa perspectiva intercultural. - Aprofundar o conhecimento da realidade Portuguesa através do confronto com aspectos

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTIAGO DO CACÉM ESCOLA FREI ANDRÉ DA VEIGA DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE INGLÊS - 2º CICLO 5º ANO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTIAGO DO CACÉM ESCOLA FREI ANDRÉ DA VEIGA DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE INGLÊS - 2º CICLO 5º ANO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTIAGO DO CACÉM ESCOLA FREI ANDRÉ DA VEIGA DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE INGLÊS - 2º CICLO 5º ANO Competências de comunicação Pesos Instrumentos Parâmetros

Leia mais

METAS CURRICULARES CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ANO DE ESCOLARIDADE: 4.ºANO ANO LETIVO: 2015/2016

METAS CURRICULARES CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ANO DE ESCOLARIDADE: 4.ºANO ANO LETIVO: 2015/2016 METAS CURRICULARES CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ANO DE ESCOLARIDADE: 4.ºANO ANO LETIVO: 2015/2016 Português Oralidade Escutar para aprender e construir conhecimentos. Utilizar técnicas para registar e reter

Leia mais

3.360 H/AULA (*) CURRÍCULO PLENO/

3.360 H/AULA (*) CURRÍCULO PLENO/ MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Regime: Duração: HISTÓRIA LICENCIATURA PLENA SERIADO ANUAL 3 (TRÊS) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 03 (TRÊS) ANOS LETIVOS - MÁXIMO = 05 (CINCO)

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MIRA EB DE MIRA PLANIFICAÇÂO ANUAL DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL - 5º ANO. Ano letivo 2013/2014

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MIRA EB DE MIRA PLANIFICAÇÂO ANUAL DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL - 5º ANO. Ano letivo 2013/2014 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MIRA EB DE MIRA PLANIFICAÇÂO ANUAL DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL - 5º ANO Ano letivo 2013/2014 Manual de História e Geografia de Portugal do 5º Ano : «Saber

Leia mais

Planificação Anual ANO LECTIVO - 2010/ 2011 COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS TEMA(S) / CONTEÚDOS AVALIAÇÃO CALENDARIZAÇÃO

Planificação Anual ANO LECTIVO - 2010/ 2011 COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS TEMA(S) / CONTEÚDOS AVALIAÇÃO CALENDARIZAÇÃO ANO LECTIVO - 010/ 011 ÁREA DISCIPLINAR DE HISTÓRIA HISTÓRIA 7º ANO COMPETÊNCIAS GERAIS 1. Tratamento de informação; utilização de fontes;. Compreensão histórica:.1. Temporalidade.. Espacialidade.3. Contextualização

Leia mais

PROVA TEMÁTICA/2014 Conhecimento e Expressão nas Artes e nas Ciências

PROVA TEMÁTICA/2014 Conhecimento e Expressão nas Artes e nas Ciências PROVA TEMÁTICA/2014 Conhecimento e Expressão nas Artes e nas Ciências 5 ANO / ENSINO FUNDAMENTAL MATRIZ DE REFERÊNCIA DE LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS. (LÍNGUA PORTUGUESA E REDAÇÃO) Competência

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM GRUPO DISCIPLINAR GEOGRAFIA PLANIFICAÇÃO ANO: 9º ANO LECTIVO: 2008/2009 p.

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM GRUPO DISCIPLINAR GEOGRAFIA PLANIFICAÇÃO ANO: 9º ANO LECTIVO: 2008/2009 p. ANO: 9º ANO LECTIVO: 2008/2009 p.1/3 Tema 5: Contrastes de desenvolvimento 1.Diferentes níveis de desenvolvimento - Repartição da riqueza: a nível mundial e em cada país - Factores de desigualdade - Factores

Leia mais

Matriz de referência DE CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS AVALIE BA 2012 - ENSINO MÉDIO

Matriz de referência DE CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS AVALIE BA 2012 - ENSINO MÉDIO D01 (H) - Reconhecer a História como produto histórico, social e cultural e suas implicações na produção historiográfica. D02 (H) - Reconhecer o ofício do historiador como produtor do conhecimento histórico.

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es): Programa da disciplina e metas curriculares 3º CICLO HISTÓRIA 7º ANO TEMAS/DOMÍNIOS CONTEÚDOS

Leia mais

Novos Programas de Português para o Ensino Básico Turma C445-J Escola Secundária da Senhora da Hora. Formadora: Dra. Gabriela Castanheira

Novos Programas de Português para o Ensino Básico Turma C445-J Escola Secundária da Senhora da Hora. Formadora: Dra. Gabriela Castanheira Novos Programas de Português para o Ensino Básico Turma C445-J Escola Secundária da Senhora da Hora Formadora: Dra. Gabriela Castanheira SEQUÊNCIA DIDÁCTICA 5º ANO ROTEIRO Ana Maria da Fonseca Rocha Julho

Leia mais

Agrupamento de Escolas do Bonfim

Agrupamento de Escolas do Bonfim Escola Secundária Mouzinho da Silveira Departamento de Ciências Sociais e Humanas Grupo de Recrutamento - 420 Ano Letivo de 2014 / 2015 Curso LINGUAS E HUMANIDADES Planificação Anual da disciplina de GEOGRAFIA

Leia mais

PROGRAMA DAS DISCIPLINAS

PROGRAMA DAS DISCIPLINAS PROGRAMA DAS DISCIPLINAS PRODUÇÃO DE TEXTO O texto elaborado pelo candidato deve atender à situação de produção apresentada na prova, obedecendo para tanto à tipologia e ao gênero textual solicitados.

Leia mais

GRUPO DE RECRUTAMENTO 620 (ED. FÍSICA)

GRUPO DE RECRUTAMENTO 620 (ED. FÍSICA) GRUPO DE RECRUTAMENTO 620 (ED. FÍSICA) CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO (10º, 11º e 12º anos) ENSINO SECUNDÁRIO ATITUDES E VALORES Assiduidade e Pontualidade 3% Fichas de registo de observação Responsabilidade e

Leia mais

DISCIPLINA: INTRODUÇÃO AO ESTUDO DAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS

DISCIPLINA: INTRODUÇÃO AO ESTUDO DAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS 7.PROJETO PEDAGÓGICO 1º SEMESTRE DISCIPLINA: INTRODUÇÃO À ECONOMIA EMENTA: Conceitos Fundamentais; Principais Escolas do Pensamento; Sistema Econômico; Noções de Microeconomia; Noções de Macroeconomia;

Leia mais

INFORMAÇÃO DA PROVA FINAL DE HISTÓRIA 9.º ANO

INFORMAÇÃO DA PROVA FINAL DE HISTÓRIA 9.º ANO 1. INTRODUÇÃO INFORMAÇÃO DA PROVA FINAL DE HISTÓRIA 9.º ANO Ano Letivo 2014-2015 O presente documento visa divulgar as caraterísticas da prova final do 3.º ciclo do ensino básico da disciplina de História,

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES ENSINO SECUNDÁRIO Curso Profissional de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos PLANIFICAÇÃO ANUAL INGLÊS MÓDULOS 7, 8 e 9 12º ANO TURMA F ANO LETIVO

Leia mais

PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA MATRIZ

PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA MATRIZ PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA MATRIZ 12º Ano de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 74/2004) Curso Científico Humanístico PROVA 312/6Págs. Duração da prova: 90 minutos + 30 minutos de tolerância 2010 PROVA

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE AMORA

ESCOLA SECUNDÁRIA DE AMORA ESCOLA SECUNDÁRIA DE AMORA PLANIFICAÇÃO ANUAL 2013/2014 ECONOMIA A (10º ANO) Página 1 de 10 Finalidades da disciplina de Economia A, no conjunto dos dois anos da sua leccionação: Perspectivar a Economia

Leia mais

Ensino Médio Regular e EJA

Ensino Médio Regular e EJA MATRIZ DE REFERÊNCIA DE Ciências Humanas Ensino Médio Regular e EJA Elementos que compõem a Matriz domínio/tópico/ tema DOMÍNIO I Memória e RepresenTAções D01 (H) D02 (H) Agrupam por afinidade D03 (H)

Leia mais

Escola Básica e Secundária das Lajes do Pico História e Geografia de Portugal 2º Ciclo Ano Lectivo 2007/2008

Escola Básica e Secundária das Lajes do Pico História e Geografia de Portugal 2º Ciclo Ano Lectivo 2007/2008 Escola Básica e Secundária das Lajes do Pico História e Geografia de Portugal 2º Ciclo Ano Lectivo 2007/2008 Conteúdos Ano Lectivo Período Lectivo Tema A-A península Ibérica: dos primeiros povos à formação

Leia mais

Programa e Metas Curriculares de Português do Ensino Secundário Oralidade

Programa e Metas Curriculares de Português do Ensino Secundário Oralidade Programa e Metas Curriculares de Português do Ensino Secundário Oralidade Helena C. Buescu, Luís C. Maia, Maria Graciete Silva, Maria Regina Rocha 10.º Ano: Oralidade Compreensão do Oral Objetivo Compreender

Leia mais

PLANIFICAÇÃO - CURSO PROFISSIONAL DE NÍVEL SECUNDÁRIO

PLANIFICAÇÃO - CURSO PROFISSIONAL DE NÍVEL SECUNDÁRIO MÓDULO MOBILIDADE PESSOAS/ BENS TURISMO NO MUNDO ATUAL MÓDULO 1 PORTUGAL A POPULAÇÃO AS ÁREAS URBANAS AS ÁREAS RURAIS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOÃO DA SILVA CORREIA ANO LETIVO 201-2015 PLANIFICAÇÃO - CURSO

Leia mais

Ano Lectivo 2010/2011 MATRIZ DA PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA

Ano Lectivo 2010/2011 MATRIZ DA PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Escola Básica e Secundária de Velas Ano Lectivo 2010/2011 MATRIZ DA PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Ao abrigo do Decreto-Lei N.º74/2004, de 26 de Março com as alterações introduzidas pelo Decreto-Lei

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 221, DE 26 DE JULHO DE 2011

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 221, DE 26 DE JULHO DE 2011 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 221, DE 26 DE JULHO DE 2011 O Presidente, Substituto, do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas

Leia mais

ÁREAS DE CONTEÚDO: O QUE SÃO? COMO SE DEFINEM?

ÁREAS DE CONTEÚDO: O QUE SÃO? COMO SE DEFINEM? ÁREAS DE CONTEÚDO: O QUE SÃO? COMO SE DEFINEM? As Áreas de Conteúdo são áreas em que se manifesta o desenvolvimento humano ao longo da vida e são comuns a todos os graus de ensino. Na educação pré-escolar

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO PLANIFICAÇÃO ANUAL DE ALEMÃO 10º ANO (INICIAÇÃO)

ESCOLA SECUNDÁRIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO PLANIFICAÇÃO ANUAL DE ALEMÃO 10º ANO (INICIAÇÃO) ESCOLA SECUNDÁRIA MARIA AMÁLIA VAZ DE CARVALHO PLANIFICAÇÃO ANUAL DE ALEMÃO 10º ANO (INICIAÇÃO) Cursos Científico Humanísticos - Formação Específica (disciplina bienal) Objectivos gerais: adquirir e desenvolver

Leia mais

Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros

Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros Disciplina / Ano de Escolaridade / Curso Planificação a Longo Prazo 2011-2012

Leia mais

Homem tropeça anda, corre voará...

Homem tropeça anda, corre voará... Professora: Isabel Maria Ribeiro Madureira de Sousa Fonseca Escola Secundária com 3º Ciclo Padrão da Légua C445 - Projecto de Formação para o Novo Programa de Português do Ensino Básico Turma - D Maio

Leia mais

Cidade e desigualdades socioespaciais.

Cidade e desigualdades socioespaciais. Centro de Educação Integrada 3º ANO GEOGRAFIA DO BRASIL A Produção do Espaço Geográfico no Brasil nas economias colonial e primário exportadora. Brasil: O Espaço Industrial e impactos ambientais. O espaço

Leia mais

Informação-Prova de Equivalência à Frequência COMPONENTE ESCRITA

Informação-Prova de Equivalência à Frequência COMPONENTE ESCRITA Agrupamento de Escolas do Viso Porto Prova de Equivalência à Frequência Espanhol (LE II) Prova 15 3º- Ciclo do Ensino Básico Informação-Prova de Equivalência à Frequência Tipo de Prova: Escrita e Oral

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGUALVA MIRA SINTRA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGUALVA MIRA SINTRA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGUALVA MIRA SINTRA código 171608 Escola Básica D. Domingos Jardo MANUAL ADOPTADO: HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL - HGP AUTORES: ANA OLIVEIRA/ FRANCISCO CANTANHEDE/ MARÍLIA GAGO

Leia mais

ANO LETIVO 2013/2014. 10º ano nível VI - Inglês Planificação a Longo Prazo. Conteúdos Procedimentos Blocos previstos MÓDULO O trabalho diagnóstico

ANO LETIVO 2013/2014. 10º ano nível VI - Inglês Planificação a Longo Prazo. Conteúdos Procedimentos Blocos previstos MÓDULO O trabalho diagnóstico Conteúdos Procedimentos Blocos previstos MÓDULO O trabalho diagnóstico - Leitura de textos MÓDULO 1 - Um mundo de muitas línguas: contacto com outras línguas, experiências e culturas Línguas e culturas

Leia mais

Os Descobrimentos, a comunicação a nível global e a Conquista do Espaço

Os Descobrimentos, a comunicação a nível global e a Conquista do Espaço Os Descobrimentos, a comunicação a nível global e a Conquista do Espaço Este ponto é aqui. É a nossa casa. Somos nós, numa imagem tirada a partir de 6 mil milhões de quilómetros da Terra pela sonda Voyager

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Ensino Médio ETEC Professora Nair Luccas Ribeiro Código: 156 Município: TEODORO SAMPAIO Área de conhecimento: Ciências Humanas Componente Curricular: Historia

Leia mais

História. baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo

História. baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo História baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo 1 PROPOSTA CURRICULAR DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA Middle e High School 2 6 th Grade A vida na Grécia antiga: sociedade, vida cotidiana, mitos,

Leia mais

PROVA ESCRITA. As informações sobre a prova apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação referida e do Programa da disciplina.

PROVA ESCRITA. As informações sobre a prova apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação referida e do Programa da disciplina. INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ESPANHOL (LE II) Abril de 2015 Prova 15 2015 3.º Ciclo do Ensino Básico (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) Tipo de Prova: Escrita e Oral Duração: 90

Leia mais

CONTEÚDOS DE HISTÓRIA POR BIMESTRE PARA O ENSINO FUNDAMENTAL COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO

CONTEÚDOS DE HISTÓRIA POR BIMESTRE PARA O ENSINO FUNDAMENTAL COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO CONTEÚDOS DE HISTÓRIA POR BIMESTRE PARA O ENSINO FUNDAMENTAL COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO GOVERNADOR DE PERNAMBUCO João Lyra Neto SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES Ricardo

Leia mais

Ciências Humanas. baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo

Ciências Humanas. baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo Ciências Humanas baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo 1 PROPOSTA CURRICULAR DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS HUMANAS Elementary School 2 K5 Conteúdos Gerais Conteúdos Específicos Habilidades

Leia mais

DIMENSÕES E CONTRADIÇÕES DA ACTUAL CRISE DO CAPITALISMO 10 dimensões da crise 3 profundas contradições

DIMENSÕES E CONTRADIÇÕES DA ACTUAL CRISE DO CAPITALISMO 10 dimensões da crise 3 profundas contradições DIMENSÕES E CONTRADIÇÕES DA ACTUAL CRISE DO CAPITALISMO 10 dimensões da crise 3 profundas contradições Financeira Económica Social Política (dimensão total do conceito) Desajustamento estrutural e político

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CAMARATE Planificação Anual - História

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CAMARATE Planificação Anual - História ESCOLA SECUNDÁRIA DE CAMARATE Planificação Anual - História Grupo - 400 Ano Letivo 2014/2015 Ano de Escolaridade 7º Ano Temas e Conteúdos Metas Metodologia / Estratégias - Recursos Avaliação Tempos Tema

Leia mais

Informação Prova de Equivalência à Frequência

Informação Prova de Equivalência à Frequência Ano letivo 2014/2015 Ensino Secundário - 1ª e 2ª Fase Disciplina de ESPANHOL (INICIAÇÃO BIENAL) - 375 Informação Prova de Equivalência à Frequência 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA ENSINO MÉDIO ÁREA CURRICULAR: CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS DISCIPLINA: HISTÓRIA SÉRIE 1.ª CH 68 ANO 2012 COMPETÊNCIAS:. Compreender

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Terras de Bouro

Agrupamento de Escolas de Terras de Bouro Informação Prova de Equivalência à Frequência INGLÊS Abril 2015 2ºCiclo do Ensino Básico (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) Prova 06/2015 Tipo de Prova: Escrita e Oral Duração: 90 minutos + 15 minutos

Leia mais

Critérios de Avaliação- 3º ciclo

Critérios de Avaliação- 3º ciclo Critérios de Avaliação- 3º ciclo isciplina INGLÊ Ano: 7º A avaliação certifica as aprendizagens e tem como objetivo a melhoria dessas aprendizagens. Os domínios de referência definidos valorizam a compreensão,

Leia mais

Planificação Anual. Escola Secundária de Pombal - (400634) Referência ANO LECTIVO - 2010/ 2011 COMPETÊNCIAS GERAIS

Planificação Anual. Escola Secundária de Pombal - (400634) Referência ANO LECTIVO - 2010/ 2011 COMPETÊNCIAS GERAIS Planificação Anual Escola Secundária de Pombal - (400634) Referência Direcção Regional de Educação do Centro Equipa de Apoio às Escolas - Leiria ANO LECTIVO - 2010/ 2011 ÁREA DISCIPLINAR DE ECONOMIA E

Leia mais

Agrupamento de Escolas da Madalena. Projeto do Clube de Música. Ano Lectivo 2012-2013 1

Agrupamento de Escolas da Madalena. Projeto do Clube de Música. Ano Lectivo 2012-2013 1 Agrupamento de Escolas da Madalena Projeto do Clube de Música Ano Lectivo 2012-2013 1 Projectos a desenvolver/participar: Projetos Dinamizado por: 1º Concurso de Flauta Prof. Teresa Santos - Participação

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFESSORES: CONTRIBUTO DE MATERIAIS DIDÁCTICOS PARA A INOVAÇÃO DAS PRÁTICAS

FORMAÇÃO DE PROFESSORES: CONTRIBUTO DE MATERIAIS DIDÁCTICOS PARA A INOVAÇÃO DAS PRÁTICAS FORMAÇÃO DE PROFESSORES: CONTRIBUTO DE MATERIAIS DIDÁCTICOS PARA A INOVAÇÃO DAS PRÁTICAS REBELO 1,DORINDA;MARQUES 2,EVA;MARQUES 3,LUÍS 1 Escola Secundária de Estarreja Estarreja, Portugal. 2 Escola Secundária

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

Retratos: Guia para @s professor@s

Retratos: Guia para @s professor@s Retratos: Guia para @s professor@s Lista de guias Nivel: 8 a 10 anos Paisagens Duraçao: de 5 a 7 sessões Áreas: Estudo do meio, Língua portuguesa (1º ciclo). Línguas e estudos sociais (2ºciclo). Descriçao:

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE GEOGRAFIA 9.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE GEOGRAFIA 9.º ANO DE GEOGRAFIA 9.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO Dentro do domínio das redes e modos de transporte e telecomunicação, o aluno deve compreender a importância dos transportes nas dinâmicas dos territórios,

Leia mais

O or METAS DE APRENDIZAGEM O SINTAXE O IMPLEMENTAÇÃO E AVALIAÇÃO EM HISTÓRIA CONHECIMENTO EXPLÍCITO DA LÍNGUA EDUCAÇÃO 2012

O or METAS DE APRENDIZAGEM O SINTAXE O IMPLEMENTAÇÃO E AVALIAÇÃO EM HISTÓRIA CONHECIMENTO EXPLÍCITO DA LÍNGUA EDUCAÇÃO 2012 or CONHECIMENTO METAS DE EXPLÍCITO DA LÍNGUA APRENDIZAGEM O SINTAXE O IMPLEMENTAÇÃO E AVALIAÇÃO EM HISTÓRIA Equipa do projeto VIVA A HISTÓRIA! HISTÓRIA 7. ano Cristina Maia, Isabel Paulos Brandão, Cláudia

Leia mais

MESTRADO EM ECONOMIA PORTUGUESA E INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL PROGRAMAS DAS UNIDADES CURRICULARES

MESTRADO EM ECONOMIA PORTUGUESA E INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL PROGRAMAS DAS UNIDADES CURRICULARES MESTRADO EM ECONOMIA PORTUGUESA E INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL UNIDADES CURRICULARES OBRIGATÓRIAS PROGRAMAS DAS UNIDADES CURRICULARES Análise de Informação Económica para a Economia Portuguesa 1. Identificação

Leia mais

Colégio Estadual do Campo Professora Maria de Jesus Pacheco Guimarães E. F. e M. Uma História de Amor ao Guará

Colégio Estadual do Campo Professora Maria de Jesus Pacheco Guimarães E. F. e M. Uma História de Amor ao Guará Colégio Estadual do Campo Professora Maria de Jesus Pacheco Guimarães E. F. e M. Uma História de Amor ao Guará PLANO DE TRABALHO DOCENTE 2012 DISCIPLINA: GEOGRAFIA - PROFESSOR: ADEMIR REMPEL SÉRIE: 8º

Leia mais

CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO CONTABILIDADE

CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO CONTABILIDADE CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO CONTABILIDADE DISCIPLINA: INGLÊS ANO LECTIVO: 2013/2014 PLANIFICAÇÃO MÓDULO 8 O MUNDO DO TRABALHO Nº DE AULAS COMPETÊNCIAS GERAIS DO TEMA Pretende-se que o aluno desenvolva

Leia mais

1º ano. 1º Bimestre. Revolução Agrícola Capítulo 1: Item 5 Egito - política, economia, sociedade e cultura - antigo império

1º ano. 1º Bimestre. Revolução Agrícola Capítulo 1: Item 5 Egito - política, economia, sociedade e cultura - antigo império Introdução aos estudos de História - fontes históricas - periodização Pré-história - geral - Brasil As Civilizações da Antiguidade 1º ano Introdução Capítulo 1: Todos os itens Capítulo 2: Todos os itens

Leia mais

Informação - Prova de Equivalência à Frequência Inglês Código da Prova: 21 2013 9.º Ano de Escolaridade/3º ciclo do Ensino Básico

Informação - Prova de Equivalência à Frequência Inglês Código da Prova: 21 2013 9.º Ano de Escolaridade/3º ciclo do Ensino Básico Disciplina INGLÊS - LE I Código - 21 2012/2013 Informação - Prova de Equivalência à Frequência Inglês Código da Prova: 21 2013 9.º Ano de Escolaridade/3º ciclo do Ensino Básico Decreto-Lei n.º 139/2012,

Leia mais

Agrupamento de Escolas de S. Pedro do Sul 161780 Escola-sede: Escola Secundária de São Pedro do Sul

Agrupamento de Escolas de S. Pedro do Sul 161780 Escola-sede: Escola Secundária de São Pedro do Sul Agrupamento de Escolas de S. Pedro do Sul 161780 Escola-sede: Escola Secundária de São Pedro do Sul INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA 3.º CICLO DO ENSINO BÁSICO ANO LETIVO: 2014/2015 1 ª /

Leia mais

Curso: Estudos Sociais Habilitação em História. Ementas das disciplinas: 1º Semestre

Curso: Estudos Sociais Habilitação em História. Ementas das disciplinas: 1º Semestre Curso: Estudos Sociais Habilitação em História Ementas das disciplinas: 1º Semestre Disciplina: Introdução aos estudos históricos Carga horária semestral: 80 h Ementa: O conceito de História, seus objetivos

Leia mais

Tabela de articulação das diferentes literacias. 3º Ciclo

Tabela de articulação das diferentes literacias. 3º Ciclo AGRUPAMENTO DE ESCOLAS RAINHA SANTA ISABEL BIBLIOTECA ESCOLAR Projeto Desenvolver a autonomia dos alunos para gerar conhecimento Tabela de articulação das diferentes literacias 3º Ciclo PLANO I - Competências

Leia mais

GRUPO DE ECONOMIA E CONTABILIDADE. Cursos Profissionais. Ano Lectivo 2014/2015 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E PLANIFICAÇÃO ANUAL ECONOMIA

GRUPO DE ECONOMIA E CONTABILIDADE. Cursos Profissionais. Ano Lectivo 2014/2015 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E PLANIFICAÇÃO ANUAL ECONOMIA GRUPO DE ECONOMIA E CONTABILIDADE Cursos Profissionais Ano Lectivo 2014/2015 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E PLANIFICAÇÃO ANUAL ECONOMIA (2º ano de formação) Página 1 de 6 Competências Gerais Usar os conceitos

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular HISTÓRIA DA CULTURA PORTUGUESA Ano Lectivo 2012/2013

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular HISTÓRIA DA CULTURA PORTUGUESA Ano Lectivo 2012/2013 Programa da Unidade Curricular HISTÓRIA DA CULTURA PORTUGUESA Ano Lectivo 2012/2013 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Engenharia Electrotécnica e de Computadores

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 130, DE 7 DE AGOSTO DE 2008.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 130, DE 7 DE AGOSTO DE 2008. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 130, DE 7 DE AGOSTO DE 2008. O Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Leia mais

... 1º Período. Metas/Objetivos Descritores Conceitos/Conteúdos Estratégias/Metodologias Avaliação

... 1º Período. Metas/Objetivos Descritores Conceitos/Conteúdos Estratégias/Metodologias Avaliação DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E INFORMÁTICA DISCIPLINA: TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO PLANIFICAÇÃO DE 8º ANO... 1º Período Domínio COMUNICAÇÃO E COLABORAÇÃO CC8 Conhecimento e utilização adequada

Leia mais

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades;

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades; INFANTIL II OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Desenvolver uma imagem positiva de si, atuando de forma cada vez mais independente, com a confiança em suas capacidades e percepção de suas limitações:

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2012 Conteúdos Habilidades Avaliação

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2012 Conteúdos Habilidades Avaliação Disciplina: Geografia Trimestre: 1º PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2012 1. População: - Crescimento populacional - O espaço urbano e o processo de urbanização - Teorias demográficas. 2. Mundo contemporâneo:

Leia mais

PLANIFICAÇÃO INGLÊS 6º ANO MANUAL: WIN! ANO LETIVO 2014/2015

PLANIFICAÇÃO INGLÊS 6º ANO MANUAL: WIN! ANO LETIVO 2014/2015 ESCOLA E.B. 2,3 D. AFONSO III PLANIFICAÇÃO INGLÊS 6º ANO MANUAL: WIN! ANO LETIVO 2014/2015 UNIDADES / TÓPICOS 1ºPeríodo +/- 38 aulas STARTER UNIT (Direitos humanos / Dimensão Europeia da Educação) Personal

Leia mais

Tema Abordado: Apresentador: Tendências no Varejo Alimentício Mauro Minniti Design Novarejo Tel.: 55 11 5041-0331 e-mail: novarejo@novarejo.com.

Tema Abordado: Apresentador: Tendências no Varejo Alimentício Mauro Minniti Design Novarejo Tel.: 55 11 5041-0331 e-mail: novarejo@novarejo.com. Tema Abordado: Apresentador: Tendências no Varejo Alimentício Mauro Minniti Design Novarejo Tel.: 55 11 5041-0331 e-mail: novarejo@novarejo.com.br Design Novarejo... Olhares do mundo sobre a América Latina:

Leia mais

* Tempo = 45minutos Grupo 300 Página 1 de 8

* Tempo = 45minutos Grupo 300 Página 1 de 8 Conteúdos Objectivos/Competências a desenvolver Tempo* Estratégias Recursos Avaliação Apresentação: Turma e professor Programa Critérios de avaliação Normas de funcionamento Conhecer os elementos que constituem

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL 2º CICLO HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL 5.º ANO Documento(s) Orientador(es): Programa de História e Geografia de Portugal

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular HISTÓRIA DIPLOMÁTICA DE PORTUGAL (MEDIEVAL E MODERNA) Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular HISTÓRIA DIPLOMÁTICA DE PORTUGAL (MEDIEVAL E MODERNA) Ano Lectivo 2014/2015 UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA Programa da Unidade Curricular HISTÓRIA DIPLOMÁTICA DE PORTUGAL (MEDIEVAL E MODERNA) Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso

Leia mais