REGIME DISCIPLINAR DO CORPO DISCENTE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REGIME DISCIPLINAR DO CORPO DISCENTE"

Transcrição

1 REGIME DISCIPLINAR DO CORPO DISCENTE DOS OBJETIVOS E FINS Art. 1º O presente Regime tem por objetivo estabelecer as normas disciplinares do corpo discente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul, regulamentando seus Direitos, Deveres e as Medidas Didático- Pedagógicas que serão adotadas quando o estudante deixar de assumir os princípios de formação e de convivência. Todos os servidores procederão conforme o que consta nesse Regime Discente. DO CORPO DISCENTE Art. 2º O corpo discente do IFRS- é constituído pelos alunos regularmente e/ou servidores matriculados em cursos ou disciplinas isoladas, ou inscritos em atividades de ensino, pesquisa e extensão do IFRS-, quaisquer que sejam suas formas de duração, em todos os níveis de ensino, nos diversos cursos e programas oferecidos pela instituição. 1 Nenhum membro do corpo discente poderá eximir-se do cumprimento das normas dispostas neste regime alegando desconhecê-las. 2º Alguns Deveres e Medidas Didático-Pedagógicas, contidas neste regime, são previstos e destinados somente a alunos menores de idade. DOS DIREITOS E DEVERES DO CORPO DISCENTE Art. 3º São Direitos dos integrantes do corpo discente: I - receber educação pública, gratuita e de qualidade, de acordo com os princípios constitucionais e legislação em vigor; II - ser tratado com respeito e igualdade com os demais colegas, sem qualquer discriminação; III - Frequentar as instalações da Instituição seguindo as normas específicas de cada ambiente e sem prejuízo dos trabalhos escolares e nos horários pre-estabelecidos; IV - ter acesso às informações sobre as atividades desenvolvidas na Instituição, procedimentos adotados, normas e regulamentos vigentes e modalidades de assistência

2 oferecida ao aluno, cursos de seu interesse, principalmente através de murais ou qualquer outro veículo informativo; V - ser informado sobre o Sistema de Avaliação da Instituição e receber informações sobre seu rendimento através das avaliações, do boletim ou de documento próprio para esse fim. VI - participar ou representar o Câmpus, quando assim formalmente definido e com a anuência do Departamento de Ensino, em atividades artísticas, culturais, esportivas, religiosas e científicas, observando-se que o estudante menor de idade, devidamente matriculado no Câmpus, necessitará de autorização prévia de seus responsáveis legais; VII - participar de eleições e atividades de órgãos de representação estudantil, quando aluno de curso regular, votando ou sendo votado, conforme regime vigente; VIII - apresentar aos Professores, ao Departamento de Ensino, ou à Direção, e a Ouvidoria do Câmpus, preferencialmente seguindo essa ordem, sugestões relativas ao melhoramento da vida escolar; IX - ter acesso aos estudos de Recuperação Paralela conforme estabelecido pela Lei 9394/96 e descrita Planos Pedagógicos dos cursos; X - promover e organizar eventos na Instituição com o devido deferimento das coordenações competentes. Art. 4º São Deveres dos integrantes do corpo discente: I - comparecer à Instituição fazendo uso do instrumento de identificação (de acordo com a Instrução Normativa nº 08/2012), mantendo-o em bom estado de conservação; II - ser assíduo e pontual às atividades da Instituição; III - portar-se sempre de acordo com os princípios da ética e da moral; IV - conservar, preservar e manter os ambientes de uso comum e o patrimônio do Câmpus; V - cumprir e zelar pelo acervo da biblioteca, equipamentos e instalações do Câmpus; VI - indenizar prejuízos quando causados, intencionalmente, produzidos à Instituição ou a terceiros, conforme os termos do art. 927 do Código Civil Brasileiro e do art. 116 do Estatuto da Criança e do Adolescente. VII - possuir material didático e escolar, zelando pela sua conservação e organização, bem como responsabilizar-se pelos pertences trazidos para a instituição;

3 VIII - comunicar seu afastamento, por motivos de saúde e/ou financeiros, durante o período letivo ou desligamento da Instituição, à Coordenadoria de Assistência ao Educando; IX apresentar atestado médico ou justificativa conforme a legislação vigente, estando atento aos prazos definidos, para fins de recuperação de avaliação perdida; X zelar pelo nome e pela imagem da Instituição, dos demais alunos, dos professores e demais colaboradores, não sendo permitido utilizá-los sem autorização prévia em sites da internet, revistas e outros. XI entregar aos pais e/ou responsáveis todos os comunicados ou circulares enviados pela Instituição; XII - portar autorização, emitida pelos servidores da Coordenadoria de Assistência ao Educando, para entrada e saída de aula, fora do horário estabelecido; XIII - cumprir e fazer cumprir as normas, instruções e regulamentos da Instituição. DAS MEDIDAS DIDÁTICO-PEDAGÓGICAS Art. 5º As medidas contidas neste Regime, aplicam-se a todos os discentes regularmente matriculados. Art. 6º Constituem Medidas Didático-Pedagógicas: I advertência verbal; II - conversa com o Professor Conselheiro da Turma ou com o Coordenador do Curso; III - conversa com os representantes da Coordenação de Assistência ao Educando (CAE); IV - advertência escrita, com registro disciplinar na ficha individual do aluno, com envio de comunicado aos pais e/ou responsáveis ou, ainda, do aluno, caso este seja maior de idade; V - afastamento temporário das atividades de sala de aula, por um período não superior a 5 (cinco) dias, com desenvolvimento de atividades de aprendizagem indicadas pelos professores que ministram as disciplinas nos dia de afastamento. 1º Em situação que implica em afastamento temporário das atividades escolares, o setor responsável aplicará as medidas imediatas necessárias e comunicará o fato aos pais, por

4 escrito e por telefone, sendo que os pais ou responsáveis deverão comparecer ao Câmpus, no turno e horário previamente fixados, acompanhados do aluno. 2º O aluno afastado perderá o direito de realizar as atividades que ocorrerem durante o cumprimento da medida, tais como, provas, trabalhos, participação em eventos ou outros. Art. 7º O Departamento de Ensino, através da Coordenadoria de Assistência ao Educando, analisará e decidirá sobre as condutas indisciplinares ocorridas, aplicando as medidas devidas. DAS FALTAS DISCIPLINARES Art. 8º Consideram-se faltas disciplinares, todas as condutas que contrariem as normas deste regime e/ou as instruções ou portarias baixadas pela Direção Geral, desde que de acordo com os princípios legais. Art. 9º O aluno será convidado a se retirar da Instituição quando: I portar, usar e comercializar qualquer espécie de armas nas dependências da Instituição; II usar, portar, depositar e/ou comercializar entorpecentes ou outras substâncias ilícitas nas dependências da Instituição; III promover direta ou indiretamente atos atentatórios que ponham em risco a vida das pessoas; IV - outras situações não constantes nesse rol e que podem ser equiparadas. 1º Quando os alunos envolvidos e ou as testemunhas forem menores de idade, faz-se necessário a presença de seu responsável legal. DO PROCESSO DISCIPLINAR Art. 10º O Departamento de Ensino solicitará à Direção Geral a instauração de Processo Disciplinar, para analisar e resolver os casos omissos não contemplados por este regime que, por ventura, surgirem. Art. 11º O Processo Disciplinar será conduzido pela Comissão Disciplinar, nomeada pelo Diretor Geral do Câmpus, via portaria, e será composta por dois docentes, dois técnico-

5 administrativos e dois discentes, cabendo ao Diretor Geral determinar os critérios de escolha dos membros da comissão, seu presidente, suplentes, e vigência da Comissão Disciplinar. Art. 12º A Comissão Disciplinar deverá ser convocada pelo seu presidente, sendo que as decisões deverão ser votadas com quórum mínimo de 50% dos integrantes da comissão, e a aprovação ocorrerá por maioria simples. Em caso de empate o presidente tomará a decisão de desempate. Art. 13º O Processo Disciplinar buscará a comprovação da existência dos fatos ou de seus autores, bem como dos graus de responsabilidade na prática da infração. Art. 14º Baseada nos fatos, a Comissão Disciplinar aplicará a medida disciplinar condizente com a falta e com o Relatório Disciplinar. Art. 15º O Processo Disciplinar nos casos casos omissos, ocorrerá conforme o Art. 9º e se desenvolverá nas seguintes etapas: I - instauração da comissão encarregada do processo; II investigar e buscar a comprovação dos fatos; III - indiciar; IV - proceder ao(s) indiciado(s) o direito de defesa; V - apresentar relatório de conclusão à Direção Geral do IFRS. Art. 16º É assegurado ao aluno o direito de acompanhar o Processo Disciplinar, pessoalmente, se for maior de idade ou por procurador legalmente constituído e, se for menor de idade, por intermédio de seu responsável legal. Art. 17º Os depoimentos serão prestados oralmente e reduzidos a termo, não sendo lícito trazê-los por escrito. Art. 18º O indiciado será citado por mandado expedido pelo presidente da comissão para apresentar defesa escrita no prazo de 5 (cinco) dias úteis, assegurando-lhe vistas ao processo na Instituição. Art. 19º No Processo Disciplinar deve ser assegurada ampla defesa do indiciado, com a utilização dos meios e recursos admitidos em direito. Art. 20º Após o parecer o aluno terá 5 (cinco) dias úteis, a contar do dia da ciência da medida disciplinar para recorrer da decisão.

6 Art. 21º Do processo disciplinar poderá resultar: I - arquivamento do processo; II - aplicação da medida didático-pedagógica. DA LEI PENAL Art. 22º Quando a falta estiver capitulada na Lei Penal, será remetida cópia com autenticação administrativa dos autos à autoridade competente, pelo Diretor Geral do Câmpus. Art. 23º Esta regulamentação entra em vigor na data de sua publicação. Caxias do Sul, 18 de dezembro de 2012.

Regulamento Específico OlimpiArqui 2016

Regulamento Específico OlimpiArqui 2016 Regulamento Específico OlimpiArqui 2016 TÍTULO I CAPÍTULO I DA FINALIDADE DO EVENTO Art. 1º. A competição tem por finalidade fazer o congraçamento de todos os alunos e colaboradores do Colégio Arquidiocesano.

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DO NORTE DE MINAS GERAIS - CÂMPUS JANUÁRIA. Edital de Eleição para a Diretoria do Grêmio Estudantil

INSTITUTO FEDERAL DO NORTE DE MINAS GERAIS - CÂMPUS JANUÁRIA. Edital de Eleição para a Diretoria do Grêmio Estudantil Edital de Eleição para a Diretoria do Grêmio Estudantil A Comissão Eleitoral no uso de suas atribuições TORNA PÚBLICO O PRESENTE EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA A INSCRIÇÃO DAS CHAPAS QUE CONCORRERÃO ÀS ELEIÇÕES

Leia mais

EDITAL Nº 13, DE 01 DE JULHO DE REPRESENTAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL ORGANIZADA NA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DO CAMPUS VACARIA DO IFRS

EDITAL Nº 13, DE 01 DE JULHO DE REPRESENTAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL ORGANIZADA NA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DO CAMPUS VACARIA DO IFRS EDITAL Nº 13, DE 01 DE JULHO DE 2016. REPRESENTAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL ORGANIZADA NA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DO CAMPUS VACARIA DO IFRS A Comissão Eleitoral Permanente, nomeada pela portaria 14/2016

Leia mais

TRABALHO DE GRADUAÇÃO INTERDISCIPLINAR REGULAMENTO

TRABALHO DE GRADUAÇÃO INTERDISCIPLINAR REGULAMENTO COORDENAÇÃO DE TGI TRABALHO DE GRADUAÇÃO INTERDISCIPLINAR REGULAMENTO SÃO PAULO JUNHO DE 2007 CAPÍTULO 1 DA CONCEITUAÇÃO Art. 1º - O Trabalho de Graduação Interdisciplinar (TGI), atividade obrigatória

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA ESCOLA TÉCNICA FEDERAL DE PALMAS REGULAMENTO DISCIPLINAR DO CORPO DISCENTE

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA ESCOLA TÉCNICA FEDERAL DE PALMAS REGULAMENTO DISCIPLINAR DO CORPO DISCENTE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA ESCOLA TÉCNICA FEDERAL DE PALMAS REGULAMENTO DISCIPLINAR DO CORPO DISCENTE MAIO DE 2005 REGULAMENTO DISCIPLINAR DO CORPO DISCENTE

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO LICENCIATURA EM FÍSICA

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO LICENCIATURA EM FÍSICA REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO LICENCIATURA EM FÍSICA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente Regulamento disciplina o processo de elaboração, apresentação e avaliação do

Leia mais

O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA DE TANQUE NOVO, ESTADO DA BAHIA, usando de uma das suas atribuições que lhes são conferidas por lei, e

O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA DE TANQUE NOVO, ESTADO DA BAHIA, usando de uma das suas atribuições que lhes são conferidas por lei, e PORTARIA Nº 01/2011 DE 01 DE DEZEMBRO DE 2011. Dispõe sobre o processo de matrícula/2012 dos alunos nas Unidades Escolares Municipais - UEM e organização do período letivo de ensino 2012 no município de

Leia mais

PROGRAMA DE MONITORIA DA FACULDADE DE MEDICINA DE ITAJUBÁ

PROGRAMA DE MONITORIA DA FACULDADE DE MEDICINA DE ITAJUBÁ PROGRAMA DE MONITORIA DA FACULDADE DE MEDICINA DE ITAJUBÁ TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I CARACTERÍSTICAS DO PROGRAMA Artigo 1º - O Programa de Monitoria, mantido pela Faculdade de Medicina de Itajubá,

Leia mais

Edital Eleitoral do Grêmio Estudantil do Instituto Federal de São Paulo, Câmpus Capivari (IFSP/CPV) Professor Waldo Luís de Lucca (2016/2017)

Edital Eleitoral do Grêmio Estudantil do Instituto Federal de São Paulo, Câmpus Capivari (IFSP/CPV) Professor Waldo Luís de Lucca (2016/2017) Edital Eleitoral do Grêmio Estudantil do Instituto Federal de São Paulo, Câmpus Capivari (IFSP/CPV) Professor Waldo Luís de Lucca (2016/2017) A Comissão Eleitoral no uso de suas atribuições torna público

Leia mais

Regimento do Colegiado do Curso de Bacharelado em Zootecnia

Regimento do Colegiado do Curso de Bacharelado em Zootecnia Regimento do Colegiado do Curso de Bacharelado em Zootecnia MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS REGIMENTO DO COLEGIADO DO CURSO DE BACHARELADO EM ZOOTECNIA CAPÍTULO I Das Atribuições

Leia mais

Resolução Nº /2010, DE DE DE 2010.

Resolução Nº /2010, DE DE DE 2010. Resolução Nº /2010, DE DE DE 2010. Regulamenta os processos de efetivação, renovação, trancamento, cancelamento da matrícula e reingresso, para alunos dos cursos técnicos de nível médio e cursos superiores,

Leia mais

2 DOS CURSOS, DOS TURNOS, ÁREA AFIM AO CURSO PRETENDIDO E DO NÚMERO DE VAGAS OFERECIDAS

2 DOS CURSOS, DOS TURNOS, ÁREA AFIM AO CURSO PRETENDIDO E DO NÚMERO DE VAGAS OFERECIDAS Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Câmpus Porto Alegre EDITAL Nº 160, DE 20 DE OUTUBRO DE

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 22-CEPE/UNICENTRO, DE 15 DE JUNHO DE 2012. Aprova o Regulamento de Normas e Utilização dos Laboratórios do Campus CEDETEG da UNICENTRO. O VICE-REITOR, NO EXERCÍCIO DO CARGO DE REITOR DA UNIVERSIDADE

Leia mais

Instrução Normativa 04/10 PROGRAD

Instrução Normativa 04/10 PROGRAD Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Reitoria Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Instrução Normativa 04/10 PROGRAD

Leia mais

Edital de Eleição para o Grêmio Estudantil

Edital de Eleição para o Grêmio Estudantil Edital de Eleição para o Grêmio Estudantil A Comissão Eleitoral no uso de suas atribuições TORNA PÚBLICO O PRESENTE EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA INSCRIÇÃO DAS CHAPAS QUE CONCORRERÃO ÀS ELEIÇÕES DO GRÊMIO

Leia mais

Portaria Conjunta CENP/COGSP/ CEI, de

Portaria Conjunta CENP/COGSP/ CEI, de Portaria Conjunta CENP/COGSP/ CEI, de 6 7 2009 Dispõe sobre a Terminalidade Escolar Específica de alunos com necessidades educacionais especiais na área da deficiência mental, das escolas da rede estadual

Leia mais

AGRUPAMENTO VERTICAL DE GAVIÃO

AGRUPAMENTO VERTICAL DE GAVIÃO AGRUPAMENTO VERTICAL DE GAVIÃO REGULAMENTO INTERNO - ADENDA Artigo 88º Medidas de recuperação e de integração 8- As atividades de recuperação da aprendizagem, quando a elas houver lugar, são decididas

Leia mais

EDITAL 004/2016 Câmpus Araraquara SELEÇÃO DE BOLSISTAS - BOLSA EXTENSÃO

EDITAL 004/2016 Câmpus Araraquara SELEÇÃO DE BOLSISTAS - BOLSA EXTENSÃO EDITAL 004/2016 Câmpus Araraquara SELEÇÃO DE BOLSISTAS - BOLSA EXTENSÃO ABERTURA O Diretor Geral do câmpus Araraquara do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo, torna pública,

Leia mais

Edital de Eleição para o Grêmio Estudantil

Edital de Eleição para o Grêmio Estudantil Edital de Eleição para o Grêmio Estudantil A Comissão Eleitoral no uso de suas atribuições TORNA PÚBLICO O PRESENTE EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA A INSCRIÇÃO DAS CHAPAS QUE CONCORRERÃO ÀS ELEIÇÕES DO GRÊMIO

Leia mais

REQUERIMENTO DE RENOVAÇÃO DE MATRÍCULA 2015/2016 COLÉGIO UNIVERSITÁRIO PROFESSOR GERALDO ACHILLES DOS REIS

REQUERIMENTO DE RENOVAÇÃO DE MATRÍCULA 2015/2016 COLÉGIO UNIVERSITÁRIO PROFESSOR GERALDO ACHILLES DOS REIS REQUERIMENTO DE RENOVAÇÃO DE MATRÍCULA 2015/2016 A Sra. Iduína Mont'Alverne Braun Chaves do Colégio Universitário Professor Geraldo Achilles dos Reis COLUNI/UFF, mantido pela Universidade Federal Fluminense.

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA HABILITAÇÃO EM GESTÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA HABILITAÇÃO EM GESTÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA HABILITAÇÃO EM GESTÃO DA INFORMAÇÃO FLORIANÓPOLIS, SC 2011 CAPITULO I CONCEPÇÃO E OBJETIVOS Art. 1º O Curso de Biblioteconomia

Leia mais

EDITAL Nº 22/2016, DE 13 DE SETEMBRO DE 2016 PROCESSO Nº /

EDITAL Nº 22/2016, DE 13 DE SETEMBRO DE 2016 PROCESSO Nº / PROCESSO Nº 23232.000999/2016-34 EDITAL DE CONVOCAÇÃO ELEITORAL PARA ESCOLHA DOS REPRESENTANTES DOS SERVIDORES DOCENTES, TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS E DISCENTES NAS COMISSÕES ELEITORAIS DE CAMPUS PARA ESCOLHA

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA ESCOLA AGROTÉCNICA. Edital Nº 01/2016, de 21 de setembro de 2016 CONCURSO PARA ESCOLHA DO UNIFORME ESCOLAR DA EAGRO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA ESCOLA AGROTÉCNICA. Edital Nº 01/2016, de 21 de setembro de 2016 CONCURSO PARA ESCOLHA DO UNIFORME ESCOLAR DA EAGRO Edital Nº 01/2016, de 21 de setembro de 2016 CONCURSO PARA ESCOLHA DO UNIFORME ESCOLAR DA EAGRO O Diretor Geral da Escola Agrotécnica da Universidade Federal de Roraima (EAGRO- UFRR), no uso de suas atribuições

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 40/2010, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2010, DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO (CEPE) DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS - UNIFAL-MG

RESOLUÇÃO Nº 40/2010, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2010, DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO (CEPE) DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS - UNIFAL-MG MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL-MG Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700 37130-00 Alfenas - MG RESOLUÇÃO Nº 40/2010, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2010, DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA

Leia mais

PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL EDITAL Nº 023/2016, DE 24 DE AGOSTO DE 2016

PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL EDITAL Nº 023/2016, DE 24 DE AGOSTO DE 2016 PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL EDITAL Nº 023/2016, DE 24 DE AGOSTO DE 2016 BOLSA TUTORIA/CURSO SUPERIOR - LICENCIATURA EM MATEMÁTICA IFMG O DIRETOR GERAL DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E

Leia mais

Regulamento de Trabalho de Conclusão de Curso - TCC

Regulamento de Trabalho de Conclusão de Curso - TCC Aprovações CONSEPE 2004-01 de 15/20/20014 CONSU 2008-01 de 02/04/2008 CONSU 2010-01 de 25/03/2010 CONSU 2010-052 de 13/12/2010 CONSU 2013-17 de 26/09/2013 Regulamento de Trabalho de Conclusão de Curso

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/PPGEDU, DE JULHO DE 2013.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/PPGEDU, DE JULHO DE 2013. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/PPGEDU, DE JULHO DE 2013. Define as modalidades de Atividades Curriculares Complementares do Programa de Pós-Graduação em Educação. A Comissão de Pós-Graduação, no uso de suas

Leia mais

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE ENSINO MULTIDISCIPLINAR DO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE ENSINO MULTIDISCIPLINAR DO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES FACULDADE DE EDUCAÇÃO E CIÊNCIAS HUMANAS REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE ENSINO MULTIDISCIPLINAR DO CURSO DE LICENCIATURA

Leia mais

EDITAL nº. 001/2015-DG/CAMPUS AVANÇADO-CL/IFMG/SETEC/MEC. CONCURSO PARA ESCOLHA DO UNIFORME ESTUDANTIL Câmpus Avançado Conselheiro Lafaiete

EDITAL nº. 001/2015-DG/CAMPUS AVANÇADO-CL/IFMG/SETEC/MEC. CONCURSO PARA ESCOLHA DO UNIFORME ESTUDANTIL Câmpus Avançado Conselheiro Lafaiete EDITAL nº. 001/2015-DG/CAMPUS AVANÇADO-CL/IFMG/SETEC/MEC Conselheiro Lafaiete, 20 de março de 2015. CONCURSO PARA ESCOLHA DO UNIFORME ESTUDANTIL Câmpus Avançado Conselheiro Lafaiete REGULAMENTO A Direção

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO E NORMAS

EDITAL DE CONVOCAÇÃO E NORMAS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA EDITAL Nº 02/2014/CPA EDITAL DE CONVOCAÇÃO E NORMAS ELEIÇÃO

Leia mais

EDITAL Nº 09/2016 PROCESSO SELETIVO PARA MONITORIA

EDITAL Nº 09/2016 PROCESSO SELETIVO PARA MONITORIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA DIRETORIA DE ENSINO COORDENAÇÃO DO CURSO LICENCIATURA EM QUÍMICA Campus

Leia mais

REGULAMENTO DA COORDENADORIA DE PROGRAMAS SOCIAIS

REGULAMENTO DA COORDENADORIA DE PROGRAMAS SOCIAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRO-REITORIA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS E COMUNITARIOS COORDENADORIA DE PROGRAMAS SOCIAIS REGULAMENTO DA COORDENADORIA DE PROGRAMAS SOCIAIS Lavras Agosto 2012 CAPITULO I DA COORDENADORIA

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - Este regulamento visa orientar os alunos referente aos objetivos, critérios, procedimentos e mecanismos de

Leia mais

PROCESSO DE ADMISSÃO DE NOVOS ALUNOS PARA O ANO LETIVO DE 2015

PROCESSO DE ADMISSÃO DE NOVOS ALUNOS PARA O ANO LETIVO DE 2015 PROCESSO DE ADMISSÃO DE NOVOS ALUNOS PARA O ANO LETIVO DE 2015 O Colégio Recanto, em conformidade com os dispositivos legais vigentes, torna público o edital que estabelece as normas relativas à realização

Leia mais

EDITAL COMPLETO PROCESSO SELETIVO PROGRAMA MULHERES MIL

EDITAL COMPLETO PROCESSO SELETIVO PROGRAMA MULHERES MIL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CAMPUS VITÓRIA Avenida Vitória, 1729 Jucutuquara 29040-780 Vitória ES 27 3331-2110 EDITAL COMPLETO PROCESSO SELETIVO 30 2013 PROGRAMA MULHERES

Leia mais

REGULAMENTO PARA ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES DOS CORPOS DOCENTE, DISCENTE E TÉCNICO-ADMINISTRATIVO DO CONSELHO ACADÊMICO DO IFMG CAMPUS CONGONHAS

REGULAMENTO PARA ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES DOS CORPOS DOCENTE, DISCENTE E TÉCNICO-ADMINISTRATIVO DO CONSELHO ACADÊMICO DO IFMG CAMPUS CONGONHAS REGULAMENTO PARA ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES DOS CORPOS DOCENTE, DISCENTE E TÉCNICO-ADMINISTRATIVO DO CONSELHO ACADÊMICO DO IFMG CAMPUS CONGONHAS I. DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Tendo em vista o

Leia mais

Universidade Federal de Pelotas Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis Coordenadoria de Benefícios REGULAMENTAÇÃO DO PROGRAMA AUXÍLIO PRÉ-ESCOLAR

Universidade Federal de Pelotas Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis Coordenadoria de Benefícios REGULAMENTAÇÃO DO PROGRAMA AUXÍLIO PRÉ-ESCOLAR Universidade Federal de Pelotas Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis Coordenadoria de Benefícios REGULAMENTAÇÃO DO PROGRAMA AUXÍLIO PRÉ-ESCOLAR CAPÍTULO I DO PROGRAMA Art. 1º. O Programa Auxílio Pré-Escolar

Leia mais

REGULAMENTO DA MONOGRAFIA FINAL DO CURSO DE DIREITO. Título I Do Núcleo de Monografia

REGULAMENTO DA MONOGRAFIA FINAL DO CURSO DE DIREITO. Título I Do Núcleo de Monografia REGULAMENTO DA MONOGRAFIA FINAL DO CURSO DE DIREITO Este regulamento destina-se a normatizar as atividades relacionadas com o Projeto de Monografia e a Monografia de Conclusão do Curso de Graduação em

Leia mais

NORMATIVA PARA OFERTA DE CARGA HORÁRIA SEMIPRESENCIAL EM CURSOS DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA E TECNOLÓGICA PRESENCIAIS DO IFNMG

NORMATIVA PARA OFERTA DE CARGA HORÁRIA SEMIPRESENCIAL EM CURSOS DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA E TECNOLÓGICA PRESENCIAIS DO IFNMG Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal do Norte de Minas Gerais Pró-Reitoria de Ensino NORMATIVA PARA OFERTA DE CARGA HORÁRIA SEMIPRESENCIAL EM CURSOS

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 032/07 CONSUNI

RESOLUÇÃO Nº 032/07 CONSUNI RESOLUÇÃO Nº 032/07 CONSUNI APROVA O REGULAMENTO QUE NORMATIZA AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS. A Presidente do Conselho Universitário CONSUNI

Leia mais

REGULAMENTO PARA A UTILIZAÇÃO DA ACADEMIA DE GINÁSTICA

REGULAMENTO PARA A UTILIZAÇÃO DA ACADEMIA DE GINÁSTICA REGULAMENTO PARA A UTILIZAÇÃO DA ACADEMIA DE GINÁSTICA 2015 I. DOS OBJETIVOS DA ACADEMIA DE GINÁSTICA 1. Auxiliar o aluno na introdução das práticas experimentais das disciplinas específicas da área das

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04 CAGV/IFMG/SETEC/MEC DE 15 DE DEZEMBRO DE 2016.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04 CAGV/IFMG/SETEC/MEC DE 15 DE DEZEMBRO DE 2016. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04 CAGV/IFMG/SETEC/MEC DE 15 DE DEZEMBRO DE 2016. Dispõe sobre regulamentação de normas e procedimentos para realização de eventos acadêmicos e administrativos, cerimonial e protocolo

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Curso de Bacharelado em Estatística

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Curso de Bacharelado em Estatística Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Curso de Bacharelado em Estatística RESOLUÇÃO N o 01/2011, DO COLEGIADO DO CURSO DE BACHARELADO EM ESTATÍSTICA Regulamenta a composição, as competências

Leia mais

EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF-UEPG N O 01/2016

EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF-UEPG N O 01/2016 Universidade Estadual de Ponta Grossa Setor de Ciências Exatas e Naturais Departamento de Física Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física POLO 35 do Mestrado Nacional Profissional em Ensino de Física

Leia mais

I - DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

I - DAS DISPOSIÇÕES GERAIS NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE DIREITO UNICERP RESOLUÇÃO N 01/2014 Institui a monitoria acadêmica do Curso de Direito e dá outras providências. I - DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - A monitoria acadêmica do

Leia mais

ESTÁGIO PROFISSIONAL EM TREINAMENTO ESPORTIVO A

ESTÁGIO PROFISSIONAL EM TREINAMENTO ESPORTIVO A ESTÁGIO PROFISSIONAL EM TREINAMENTO ESPORTIVO A É ofertado no 7º semestre, compreende uma carga horária de 120 horas, totalizando 8 créditos, conforme as normas específicas para a realização do referido

Leia mais

EDITAL N O. REGULAMENTO PARA A ESCOLHA DOS MEMBROS DA COMISSÃO DE ÉTICA PROFISSIONAL DO SERVIDOR PÚBLICO DO IFAM

EDITAL N O. REGULAMENTO PARA A ESCOLHA DOS MEMBROS DA COMISSÃO DE ÉTICA PROFISSIONAL DO SERVIDOR PÚBLICO DO IFAM EDITAL N O. REGULAMENTO PARA A ESCOLHA DOS MEMBROS DA COMISSÃO DE ÉTICA PROFISSIONAL DO SERVIDOR PÚBLICO DO IFAM A Comissão de Ética Profissional do Servidor Público do Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

REGULAMENTO DA BRINQUEDOTECA DO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA DA FACULDADE DE GUARARAPES - FAG

REGULAMENTO DA BRINQUEDOTECA DO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA DA FACULDADE DE GUARARAPES - FAG REGULAMENTO DA BRINQUEDOTECA DO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA DA FACULDADE DE GUARARAPES - FAG 2015 DOS PRINCÍPIOS E DIRETRIZES Art 1º. A Brinquedoteca do Curso de Licenciatura em Pedagogia da Faculdade

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAPÁ-UEAP PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2016- PROEXT

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAPÁ-UEAP PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2016- PROEXT GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAPÁ-UEAP PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2016- PROEXT Dispõe sobre as normas para o acesso à quadra poliesportiva da Universidade

Leia mais

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO UnC Curso de Ciências Sociais REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO UnC Curso de Ciências Sociais REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS UNIVERSIDADE DO CONTESTADO UnC Curso de Ciências Sociais REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - O Estágio

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO ESCOLA DE MUSICA

REGULAMENTO INTERNO ESCOLA DE MUSICA REGULAMENTO INTERNO DA ESCOLA DE MUSICA Artigo 1º Objecto A Associação Cultural Musimax é uma Escola do Ensino Artístico Especializado em Música, e tem como principal objecto o ensino da música. Artigo

Leia mais

MINUTA DE REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO DA FCHS TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

MINUTA DE REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO DA FCHS TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES MINUTA DE REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO DA FCHS Aprovado pela Congregação em 01/03/2011 TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Este regulamento normatiza o cumprimento

Leia mais

I - Representantes do corpo discente: 1 (um) aluno membro efetivo e 1(um) suplente

I - Representantes do corpo discente: 1 (um) aluno membro efetivo e 1(um) suplente GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS CÂMPUS SANTOS DUMONT REGULAMENTO

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS 2015 REGIME DISCIPLINAR DISCENTE DISTRIBUIÇÃO DE PONTOS APROVAÇÃO RECUPERAÇÃO REPROVAÇÃO SEGUNDA CHAMADA DE AVALIAÇÕES REVISÃO DOS RESULTADOS ELOIZA

Leia mais

O edital obedecerá aos critérios do Regimento Interno da FACPP: CAPÍTULO II (Art Art. 90). Ver documento a seguir:

O edital obedecerá aos critérios do Regimento Interno da FACPP: CAPÍTULO II (Art Art. 90). Ver documento a seguir: O edital obedecerá aos critérios do Regimento Interno da FACPP: CAPÍTULO II (Art. 79 - Art. 90). Ver documento a seguir: 1 FORMAS DE ACESSO AOS CURSOS - DO PROCESSO SELETIVO A MATRÍCULA DE ACORDO COM O

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS, NATURAIS E DA SAÚDE - CCENS CURSO DE FARMÁCIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS, NATURAIS E DA SAÚDE - CCENS CURSO DE FARMÁCIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS, NATURAIS E DA SAÚDE - CCENS CURSO DE FARMÁCIA REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA 2016 Regulamento

Leia mais

Art. 1º o Laboratório de Biodinâmica de ESEF-UPE tem os seguintes objetivos: I - Permitir o desenvolvimento de atividades de pesquisa;

Art. 1º o Laboratório de Biodinâmica de ESEF-UPE tem os seguintes objetivos: I - Permitir o desenvolvimento de atividades de pesquisa; RESOLUÇÃO DO CGAA-ESEF Nº 03/2011. EMENTA: Normatiza a utilização do Laboratório de Biodinâmica de ESEF-UPE. O Conselho de Gestão Acadêmica e Administrativa da Escola Superior de Educação Física da Universidade

Leia mais

REGULAMENTO ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Art. 1º. A análise e registro das atividades complementares serão realizados pelo Núcleo de Extensão e Apoio à Cultura NEAC,

Leia mais

NORMATIVA COMPLEMENTAR DE AVALIAÇÃO DO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM NOS CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO DO IFC CÂMPUS ARAQUARI CAPÍTULO I

NORMATIVA COMPLEMENTAR DE AVALIAÇÃO DO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM NOS CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO DO IFC CÂMPUS ARAQUARI CAPÍTULO I NORMATIVA COMPLEMENTAR DE AVALIAÇÃO DO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM NOS CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO DO IFC CÂMPUS ARAQUARI Estabelece normas complementares à Resolução nº 084/CONSUPER/2014, que

Leia mais

EDITAL N 002 /2016 DA COMISSÃO ELEITORAL ESPECIAL DA COMPETÊNCIA DA COMISSÃO ELEITORAL ESPECIAL

EDITAL N 002 /2016 DA COMISSÃO ELEITORAL ESPECIAL DA COMPETÊNCIA DA COMISSÃO ELEITORAL ESPECIAL EDITAL N 002 /2016 NORMAS DO PROCESSO ELEITORAL PARA ESCOLHA DOS MEMBROS DA COMISSÃO PERMANENTE DE PESSOAL DOCENTE (CPPD) DO INSTITUTO FEDERAL GOIANO DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS AVANÇADO CRISTALINA.

Leia mais

CAPÍTULO I. Dos Objetivos da Pesquisa

CAPÍTULO I. Dos Objetivos da Pesquisa RESOLUÇÃO Nº 01/2014 DISPÕE SOBRE O REGIMENTO DO GRUPO DE INICIAÇÃO À PESQUISA CIENTÍFICA DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR FACULDADE CASA DO ESTUDANTE. A Direção Geral da IES

Leia mais

APÊNDICE I EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2016/2017

APÊNDICE I EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2016/2017 APÊNDICE I EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2016/2017 Pelo presente faz-se saber que estarão abertas, no período de 10 a 30 de junho de 2016, as inscrições para seleção de bolsistas do Programa Institucional

Leia mais

Regulamento Interno Competição

Regulamento Interno Competição Regulamento Interno Competição O presente regulamento destina-se a definir os direitos e deveres dos intervenientes nas atividades desportivas de competição. [1] Índice 1. DESPORTISTA:...3 1.1 DIREITOS:...3

Leia mais

Edital 01/2016 da Eleição para o Grêmio Estudantil

Edital 01/2016 da Eleição para o Grêmio Estudantil INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, PIAUÍ CAMPUS PAULISTANA CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO Edital 01/2016 da Eleição para o Grêmio Estudantil A Comissão Eleitoral no uso de suas atribuições TORNA PÚBLICO O PRESENTE

Leia mais

EDITAL INTERNO Nº 19/2015-DG/NC/IFRN. Eleição para o Grêmio Estudantil do Campus Nova Cruz

EDITAL INTERNO Nº 19/2015-DG/NC/IFRN. Eleição para o Grêmio Estudantil do Campus Nova Cruz SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPUS NOVA CRUZ EDITAL INTERNO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO Aprova alterações no Programa de Professor Colaborador Voluntário. O CONSELHO DE ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO da Universidade Federal de Sergipe, no uso de suas atribuições legais e estatutárias,

Leia mais

FACULDADE DE HORTOLÂNDIA Ato de Recredenciamento: Port. 673, 25/05/2011, D.O.U, de 26/05/2011, Seção 1, págs. 18/19

FACULDADE DE HORTOLÂNDIA Ato de Recredenciamento: Port. 673, 25/05/2011, D.O.U, de 26/05/2011, Seção 1, págs. 18/19 INSTITUTO EDUCACIONAL DO ESTADO DE SÃO PAULO Faculdade de Hortolândia REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Hortolândia 2015 1 TRABALHO DE CONCLUSÃO DO

Leia mais

EDITAL Nº 13/2016 EDITAL DE CONVOCAÇÃO E NORMAS DO PROCESSO ELEITORAL PARA ESCOLHA DOS MEMBROS DA COMISSÃO SETORIAL DE AVALIAÇÃO

EDITAL Nº 13/2016 EDITAL DE CONVOCAÇÃO E NORMAS DO PROCESSO ELEITORAL PARA ESCOLHA DOS MEMBROS DA COMISSÃO SETORIAL DE AVALIAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CAMPUS SÃO MATEUS Rodovia BR-101 Norte, Km 58 Litorâneo 29932-540 São Mateus ES 27 3771-1262 EDITAL Nº 13/2016 EDITAL DE CONVOCAÇÃO E NORMAS DO

Leia mais

FACULDADE FAUC/AUM CURSO EDUCAÇÃO FÍSICA - LICENCIATURA MANUAL DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)

FACULDADE FAUC/AUM CURSO EDUCAÇÃO FÍSICA - LICENCIATURA MANUAL DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) 1 FACULDADE FAUC/AUM CURSO EDUCAÇÃO FÍSICA - LICENCIATURA MANUAL DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) 1 DEFINIÇÕES GERAIS 1.1 De acordo com o regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) do Projeto

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUL-RIO-GRANDENSE DEPARTAMENTO DE SELEÇÃO EDITAL Nº 010/2017

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUL-RIO-GRANDENSE DEPARTAMENTO DE SELEÇÃO EDITAL Nº 010/2017 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUL-RIO-GRANDENSE DEPARTAMENTO DE SELEÇÃO EDITAL Nº 010/2017 Dispõe sobre o Processo Seletivo, em caráter excepcional, para ingresso na Educação Profissional

Leia mais

Campus de Paranavaí EDITAL N.º 001/2016-CEL

Campus de Paranavaí EDITAL N.º 001/2016-CEL EDITAL N.º 001/2016-CEL A Comissão Eleitoral Local - CEL nomeada pela portaria nº 005/2016-DG, no uso de sua atribuição prevista na Resolução n. 003/2014-COU/Unespar, art. 2.º, 1.º: T O R N A P Ú B L I

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÕES DO REPRESENTANTE DO CONSELHO DE ÉTICA CAPÍTULO I DO PRESENTE EDITAL

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÕES DO REPRESENTANTE DO CONSELHO DE ÉTICA CAPÍTULO I DO PRESENTE EDITAL EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÕES DO REPRESENTANTE DO CONSELHO DE ÉTICA CAPÍTULO I DO PRESENTE EDITAL Art. 1º. O presente edital tem como finalidade organizar as eleições para representante do Corpo Discente

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES TEÓRICO-PRÁTICAS DE APROFUNDAMENTO DO CURSO PEDAGOGIA/EAD LICENCIATURA CAPITULO I DA REGULAMENTAÇÃO

REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES TEÓRICO-PRÁTICAS DE APROFUNDAMENTO DO CURSO PEDAGOGIA/EAD LICENCIATURA CAPITULO I DA REGULAMENTAÇÃO REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES TEÓRICO-PRÁTICAS DE APROFUNDAMENTO DO CURSO PEDAGOGIA/EAD LICENCIATURA CAPITULO I DA REGULAMENTAÇÃO Art. 1 o O presente Regulamento disciplina os procedimentos para oferta,

Leia mais

REGULAMENTO PARA REALIZAÇÃO DE AULAS PRÁTICAS CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO

REGULAMENTO PARA REALIZAÇÃO DE AULAS PRÁTICAS CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE TURISMO Curso de Turismo REGULAMENTO PARA REALIZAÇÃO DE AULAS PRÁTICAS CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO Art. 1º - De acordo com a Resolução

Leia mais

SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS RESOLUÇÃO Nº 05/2012

SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS RESOLUÇÃO Nº 05/2012 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS Campus Universitário Viçosa, MG 36570-000 Telefone: (31) 3899-2127 - Fax: (31) 3899-1229 - E-mail: soc@ufv.br RESOLUÇÃO

Leia mais

SELEÇÃO DE MONITORES VOLUNTÁRIOS PARA A APLICAÇÃO DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UFMA

SELEÇÃO DE MONITORES VOLUNTÁRIOS PARA A APLICAÇÃO DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UFMA SELEÇÃO DE MONITORES VOLUNTÁRIOS PARA A APLICAÇÃO DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UFMA O Presidente da Comissão Própria de Avaliação UFMA torna público a todos os interessados, que estão abertas as inscrições

Leia mais

2 DOS CURSOS, DOS TURNOS, ÁREA AFIM AO CURSO PRETENDIDO E DO NÚMERO DE VAGAS OFERECIDAS

2 DOS CURSOS, DOS TURNOS, ÁREA AFIM AO CURSO PRETENDIDO E DO NÚMERO DE VAGAS OFERECIDAS Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Porto Alegre EDITAL Nº 63, DE 14 DE OUTUBRO DE 26

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES ACADÊMICAS, CIENTÍFICAS E CULTURAIS DOS CURSOS SUPERIORES DO INSTITUTO FEDERAL DE RORAIMA - CAMPUS BOA VISTA.

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES ACADÊMICAS, CIENTÍFICAS E CULTURAIS DOS CURSOS SUPERIORES DO INSTITUTO FEDERAL DE RORAIMA - CAMPUS BOA VISTA. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RORAIMA DEPARTAMENTO DE ENSINO DE GRADUAÇÃO CAMPUS BOA VISTA REGULAMENTO

Leia mais

Professor Jaime Arturo Ramírez Presidente do Conselho Universitário

Professor Jaime Arturo Ramírez Presidente do Conselho Universitário RESOLUÇÃO N o 02/2015, DE 31 DE MARÇO DE 2015 Estabelece o Regimento do Centro Esportivo Universitário, reeditando, com alterações, a Resolução n o 13/1993, de 02 de setembro de 1993. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO

Leia mais

PROGRAMA DE MONITORIA - ENGLISHPRO EDITAL Nº 01/2016 DE 25 DE ABRIL DE 2016

PROGRAMA DE MONITORIA - ENGLISHPRO EDITAL Nº 01/2016 DE 25 DE ABRIL DE 2016 PROGRAMA DE MONITORIA - ENGLISHPRO 2016.1 EDITAL Nº 01/2016 DE 25 DE ABRIL DE 2016 A Coordenação Geral Acadêmica juntamente com a Coordenadoria de Apoio e Suporte ao Aluno (CASA) torna público que, no

Leia mais

REGIMENTO DE DEPENDÊNCIA E/OU ADAPTAÇÃO Faculdade Metropolitana São Carlos - FAMESC

REGIMENTO DE DEPENDÊNCIA E/OU ADAPTAÇÃO Faculdade Metropolitana São Carlos - FAMESC REGIMENTO DE DEPENDÊNCIA E/OU ADAPTAÇÃO Faculdade Metropolitana São Carlos - FAMESC Bom Jesus do Itabapoana Atualizado em 2017 REGIMENTO DE DEPENDÊNCIA E/OU ADAPTAÇÃO Art. 1º - O presente Regimento tem

Leia mais

O QUE É O ENADE? Profa. Me. Karen Fernanda Bortoloti

O QUE É O ENADE? Profa. Me. Karen Fernanda Bortoloti O QUE É O ENADE? Profa. Me. Karen Fernanda Bortoloti 1 http://www.bahianoticias.com.br O QUE É O ENADE? 2 ENADE Exame Nacional de Desempenho de Estudantes. Integra o Sinaes - Sistema Nacional de Avaliação

Leia mais

Universidade Federal de Lavras Departamento de Ciências Exatas Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física - UFLA

Universidade Federal de Lavras Departamento de Ciências Exatas Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física - UFLA Universidade Federal de Lavras Departamento de Ciências Exatas Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física - UFLA EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF-UFLA N O 01/2016 PROCESSO SELETIVO DE INGRESSO NO CURSO DE

Leia mais

Regimento da Fazenda Experimental da UDESC - CAV

Regimento da Fazenda Experimental da UDESC - CAV Regimento da Fazenda Experimental da UDESC - CAV CAPÍTULO I Da Natureza e Finalidade Art. 1º A Fazenda Experimental da UDESC - CAV (FECAV) é um Órgão Suplementar Setorial do Centro de Ciências Agroveterinárias

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 001 DE 15 DE JULHO DE 2016.

RESOLUÇÃO Nº 001 DE 15 DE JULHO DE 2016. RESOLUÇÃO Nº 001 DE 15 DE JULHO DE 2016. Dispõe sobre a aprovação Ad Referendum do Regulamento para eleição dos representantes dos corpos discente, docente e técnico-administrativo do Conselho Acadêmico

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA 1 REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA 2 REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA O Trabalho de Conclusão de

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO I DOS PRINCÍPIOS GERAIS

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO I DOS PRINCÍPIOS GERAIS REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO I DOS PRINCÍPIOS GERAIS Art. 1º Este regulamento rege as atividades de estágio no Núcleo de Prática Jurídica do curso de Direito da Faculdade Cesmac do

Leia mais

CAPÍTULO I ÂMBITO E DEFINIÇÃO. Artigo 1.º

CAPÍTULO I ÂMBITO E DEFINIÇÃO. Artigo 1.º Regulamento de Formação em Contexto de Trabalho (FCT) CAPÍTULO I ÂMBITO E DEFINIÇÃO Artigo 1.º A FCT é um conjunto de atividades profissionais desenvolvidas sob a coordenação e acompanhamento da escola,

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO BACHARELADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO BACHARELADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO BACHARELADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS O Estágio Curricular Supervisionado Obrigatório está organizado em duas etapas, uma no sétimo e outra

Leia mais

UNIVERSIDADE DO CEUMA UniCEUMA CURSO DE DIREITO NÚCLEO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES NAC NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA NPJ

UNIVERSIDADE DO CEUMA UniCEUMA CURSO DE DIREITO NÚCLEO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES NAC NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA NPJ PROJETO VISITAS TÉCNICAS EM BRASÍLIA/DF EDITAL NAC DE SELEÇÃO nº06/2016 A Coordenadoria Geral do Curso de Direito da Universidade Ceuma, através de seu Núcleo de Atividades Complementares NAC e do Núcleo

Leia mais

REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI

REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI 1 REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI Outubro/2005 Atualizado em jan.2013 2 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. A Comissão Própria de Avaliação

Leia mais

REGULAMENTO do GRUPO DISCIPLINAR EDUCAÇÃO FÍSICA. Ano Letivo 2013/2014

REGULAMENTO do GRUPO DISCIPLINAR EDUCAÇÃO FÍSICA. Ano Letivo 2013/2014 REGULAMENTO do GRUPO DISCIPLINAR EDUCAÇÃO FÍSICA Ano Letivo 2013/2014 Tendo como referência as normas que são comuns aos vários sectores que integram a estrutura pedagógica e administrativa da Escola,

Leia mais

1. DAS INSCRIÇÕES: 2. DOS REQUISITOS:

1. DAS INSCRIÇÕES: 2. DOS REQUISITOS: MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA CAMPUS SÃO VICENTE DO SUL Rua 20 de Setembro, s/nº - 97420-000 São

Leia mais

NORMAS INTERNAS DOS LABORATÓRIOS DE ENFERMAGEM

NORMAS INTERNAS DOS LABORATÓRIOS DE ENFERMAGEM MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CAMPUS ANISIO TEIXEIRA-INSTITUTO MULTIDICIPLINAR EM SAÚDE COORDENAÇÃO GERAL DE LABORATÓRIOS NORMAS INTERNAS DOS LABORATÓRIOS DE ENFERMAGEM Define as

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÕES DO GRÊMIO ESTUDANTIL CAPÍTULO I DO PRESENTE EDITAL

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÕES DO GRÊMIO ESTUDANTIL CAPÍTULO I DO PRESENTE EDITAL EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÕES DO GRÊMIO ESTUDANTIL CAPÍTULO I DO PRESENTE EDITAL Art. 1º. O presente edital tem como finalidade gerir as eleições para a gestão 2016/2017 do Grêmio Estudantil do IFTM

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DOS LABORATÓRIOS DO CURSO DE ENGENHARIA FLORESTAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL JATAÍ CAPÍTULO I

REGIMENTO INTERNO DOS LABORATÓRIOS DO CURSO DE ENGENHARIA FLORESTAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL JATAÍ CAPÍTULO I REGIMENTO INTERNO DOS LABORATÓRIOS DO CURSO DE ENGENHARIA FLORESTAL DA Este regimento estabelece as normas de organização e funcionamento dos Laboratórios do Curso de Engenharia Florestal da Universidade

Leia mais

Manual de Afastamento de Docentes

Manual de Afastamento de Docentes Manual de Afastamento de Docentes Resolução Unesp nº 19, de 07 de Março de 1997 Campus Experimental de Tupã Área de Recursos Humanos 1ª Edição AGOSTO/2011 INTRODUÇÃO Considera-se afastamento, o período

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CURSO DE MATEMÁTICA COM ÊNFASE EM INFORMÁTICA DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO SÃO LUÍS DE JABOTICABAL SP

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CURSO DE MATEMÁTICA COM ÊNFASE EM INFORMÁTICA DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO SÃO LUÍS DE JABOTICABAL SP ANEXO II REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CURSO DE MATEMÁTICA COM ÊNFASE EM INFORMÁTICA DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO SÃO LUÍS DE JABOTICABAL SP CAPÍTULO I DA FINALIDADE E OBJETIVOS Art. 1º

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO RESOLUÇÃO N 4.056, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2013

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO RESOLUÇÃO N 4.056, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2013 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO RESOLUÇÃO N 4.056, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2013 Dispõe sobre as NORMAS DO PROCESSO DE CONSULTA À COMUNIDADE DA UNIRIO PARA INDICAÇÃO DE DIRIGENTES

Leia mais

EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF-URCA N O 01/2015 PROCESSO SELETIVO DE INGRESSO NO CURSO DE MESTRADO NACIONAL PROFISSIONAL EM ENSINO DE FÍSICA POLO 31

EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF-URCA N O 01/2015 PROCESSO SELETIVO DE INGRESSO NO CURSO DE MESTRADO NACIONAL PROFISSIONAL EM ENSINO DE FÍSICA POLO 31 Universidade Regional do Cariri - URCA Centro de Ciências e Tecnologia Departamento de Física Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física - Polo 31 EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF-URCA N O 01/2015 PROCESSO

Leia mais