As Ondas Electromagnéticas e a Comunicação à Distância

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "As Ondas Electromagnéticas e a Comunicação à Distância"

Transcrição

1 As Ondas Electromagnéticas e a Comunicação à Distância José Figueiredo Departamento de Física Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade do Algarve (temas-interesse.htm) 1

2 Conteúdo Introdução: a necessidade e o engenho Definições e conceitos Descobertas do electromagnetismo Modulação de sinais Conversão de sinais analógicos em sinais digitais Bandas electromagnéticas Sistemas de comunicação mais comuns Vantagens das comunicações por fibra óptica Futuro Bibliografia 2

3 A necessidade e o engenho 1º Encontro Regional de Professores de Física e Química, Abril 2004 O progresso das sociedades esteve, e permanece, muito ligado à habilidade de comunicar. Inicialmente, o homem comunicava por guinchos, expressões faciais e gestos simples. O desenvolvimento da linguagem permitiu passar da organização familiar e tribal para a de nação. Uma vez acordado um padrão comum, a melhoria do alcance e da velocidade de transmissão da mensagem passaram a ser os objectivos. Assim, os impérios promoveram redes de estradas de forma a permitir aos mensageiros espelharem rapidamente as decisões dos soberanos, reforçando a unificação dos impérios. As descobertas do electromagnetismo e o desenvolvimento de equipamentos e de sistemas de comunicação baseados em processos electromagnéticos permitiram avanços significativos nas relações entre indivíduos e entre sociedades, intensificando as relações entre países e povos um passo importante na difusão do conhecimento e na «globalização» pessoal e mundial 3

4 Características de um sistema de comunicação Parâmetros que caracterizam o desempenho: volume de informação (quantidade de informação) rapidez (velocidade a que mensagem se propaga) alcance (distância entre emissor e receptor) Actualmente, os parâmetros mais relevantes são: taxa de transmissão (bits/s) confiança e segurança, custo por unidade de informação (bit) e adequação A taxa de transmissão máxima determina as características físicas dos equipamentos e as técnicas usadas na transmissão e na recepção da informação. Bit [bit] s. m. (inform.) pal. ing. que designa a unidade mais pequena que se pode armazenar na memória de um computador; cada um dos algarismos de numeração de base 2, isto é, o 0 e o 1; unidade binária de quantidade de informação (Abrev. da express. ing. binary digit, «dígito binário»). 4

5 Procura de comunicação Até às descobertas do electromagnetismo, no século XIX, os sistemas de comunicação eram pouco eficientes, mesmo após a invenção da imprensa em 1440, que disponibilizou grandes quantidades de informação. A telegrafia e o telefone eléctricos permitiram avanços significativos, intensificando as relações entre países e povos um passo importante para globalização alcance (km) rapidez (tempo) taxa (bits/s) Semanas seg

6 População mundial vs sistemas de comunicação População mundial milhões * televisão (~1930) * telegrafia s/ fios (1895) * filme fotográfico (1889) * fonógrafo (1877) 1830 * telefone (1876) * cabo transatlântico (1858) * telegrafia com fios (1844) * imprensa cilíndrica (1814) * imprensa de Gutenberg (1440) * imprensa de blocos * alfabeto * número * pergaminho * papiro * cuneiforme * fala * hieróglifo 6,3 giga * telemóvel (~1990) * internet (~1980) * fibras ópticas (~1970) * satélites (1962) µ processador µ electrónica * transístor (1947) 6

7 Definições e conceitos 7

8 Comunicação, informação e mensagem Comunicação é o acto de enviar informação, mensagens, sinais de um local para outro; comunicar (Do lat. communicāre, «dividir alguma coisa com alguém»); Informação é um conjunto de dados, em princípio imprevisíveis, recebidos pelo homem, por intermédio dos seus sentidos, ou por uma máquina; conjunto de dados que podem ser transmitidos por um sinal ou uma combinação de sinais; Mensagem é a sequência ordenada de símbolos no âmbito de um processo de comunicação; 8

9 Constituintes de um sistema de comunicação : Fonte ou emissor codificador + transmissor meio ou canal de transmissão receptor + descodificador destinatário Fonte de informação Codificador Transmissor Destino de informação Descodificador Receptor Meio ou canal de transmissão 9

10 Comunicação quanto à distância Consoante a distância que separa o transmissor do receptor tem-se: Comunicação a curta distância Comunicação a longa distância ou telecomunicação O prefixo tele é o elemento de formação de palavras que exprime a ideia de longe, à distância (do gr. tēle, «longe»). 10

11 Sistemas de comunicação primitivos 11

12 Formas de comunicação A comunicação entre pessoas é baseada nas habilidades de ouvir, de ver e de falar: comunicação áudio (a mais comum e conveniente) (conversação, tambores, telefone,...) comunicação «visual» (gestos, padrões de luz, escrita, fotografia, televisão,...) As máquinas comunicam através de troca de dados comunicação de dados (telegrafia, telecomandos, redes de computadores,...) 12

13 Telegrafia (exemplos: sinais de fumo e de fogo) Sinais gestuais Sinais de fogo Sinais de fumo (romanos 150 a. C.) Sinais sonoros Telegrafia (Do gr. tēle, «longe» + gráphein, «escrever» + -ia) 13

14 Telegrafia (semáforo) Telégrafo de água (360 a. C.) Semáforo (1794) Semáforo (Do gr. sēma, «sinal» + phorós, «portador») 14

15 Comunicação áudio A troca de informação áudio usa o sentido da audição. O som propaga-se em todas as direcções com velocidade ~340 m/s. Alcance limitado (a intensidade de uma onda sonora diminui com o quadrado da distância; pensar no telefone primitivo (Do gr. tēle, «longe» + phoné, «voz») Taxa de transmissão é pequena, Pouca segurança. 15

16 Comunicação «visual» A troca de informação «visual» usa o sentido da visão. As formas primitivas empregavam, por exemplo, expressões faciais, posições do corpo, clarões de luz, sinais de fumo e de fogo. Taxa de transmissão elevada: permite o envio e a recepção de mensagens em paralelo. Alcance limitado (a informação visual viaja mais rapidamente que o som, mas, em geral, apenas pode ser vista a curtas distâncias). 16

17 Comunicação de dados Informações que podem ser aceites, armazenadas, tratadas, fornecidas pelo homem ou por uma máquina. Até ao advento da electricidade a troca de dados entre máquinas, ou entre o homem e as máquinas, era realizada usando processos mecânicos. Alcance e rapidez pequenos. Alcance e a rapidez suficientemente elevados exigem que a interacção e a troca de dados ou instruções envolva processos electromagnéticos. 17

18 Descobertas do electromagnetismo e da óptica na génese das comunicações modernas 18

19 As comunicações modernas Requerem a transformação da informação inicial em sinais electromagnéticos através das técnicas de transdução e de modulação/desmodulação de sinais: 1º- Os dados «originais» (os sons, as imagens, etc.) são convertidos numa «série» de sinais electromagnéticos 2º- Estes sinais electromagnéticos são «adicionados» através de técnicas de modulação a sinais electromagnéticos de muito maior frequência a portadora -, e em seguida transmitidos através de fios, do espaço livre ou de fibras ópticas, 3º- Os sinais originais (informação original) são recuperados através de desmodulação no receptor quando este está sintonizado na portadora correspondente. 19

20 Um pouco de história De acordo com Tales de Mileto, ao se esfregar âmbar com pele de carneiro, observou-se que pedaços de palha eram atraídos pelo âmbar. A palavra eléktron (ἤλεκτρον) significa âmbar em grego. O magnetismo era conhecido através do mineral magnetite. A electricidade e o magnetismo apenas começam a ser estudados com rigor científico a partir do século XVI. Por volta de 1550, Gerolamo Cardano discute no livro De Subtilitate as diferenças entre forças eléctricas e forças magnéticas. Em 1600 William Gilbert publica De Magnete, onde desenvolve um trabalho metódico sobre as propriedades do magnetismo. 1660: Otto von Guericke inventa o primeiro gerador electrostático, chamado de Elektrisiermaschine. 20

21 As descobertas da electricidade e do magnetismo até : Robert Boyle descobre que as forças eléctricas também actuam no vácuo. 1714: Luigi Galvani realiza experiências com electricidade na dissecção de animais, fazendo com que uma rã movesse as pernas. 1729: Stephan Gray descobriu que a electricidade pode ser transmitida através de fios eléctricos. 1733: Du Fay refere a existência de dois tipos de electricidade, o que mais tarde seria identificado como "positivo" e "negativo". 1746: Gralath inventou o electrómetro (de electro- + -metro). 1750: Benjamin Franklin provoca uma descarga eléctrica durante uma tempestade e inventa o pára-raios. 1800: Alessandro Volta desenvolve a pilha voltaica, precursor das baterias modernas. A pilha de Volta era capaz de produzir corrente contínua. Até 1800 não era feita qualquer associação entre electricidade e magnetismo. 21

22 O espectro electromagnético no séc. XVIII Até ao início do século XIX, a electricidade e o magnetismo eram duas «coisas» sem qualquer relação. ~1895 O nosso detector óptico natural é apenas sensível às cores do arco-íris No início do sec. XIX apenas se conhecia a parte do espectro electromagnético visível, e não se sabia muito bem o que era a luz (hoje, pouco mais sabemos ) ~

23 A descoberta dos infravermelhos e dos ultravioletas No século XVII, Newton tinha decomposto a luz solar Em 1800, William Herschel, ao examinar o poder «calorífico» da radiação solar, descobriu a radiação infravermelha Em 1801, Carl Wilhelm Scheele, ao estudar o poder «escurecedor» da radiação solar no nitrato de prata, descobriu a radiação ultravioleta 23

24 1820: Electricidade cria magnetismo (Ørsted) r r r E B = µ J + µε t A electricidade pode comportar-se como um íman. 24

25 1831: Magnetismo cria electricidade (Faraday) Faraday fazia questão de expressar as suas descobertas de maneira compreensível ao comum dos mortais r H = µ t Sempre que uma força magnética aumenta ourdiminui, r produz d electricidade; r r r E dl = µ H ds E quanto mais depressa dt se dá esse aumento ou diminuição, mais electricidade se produz. r E r B = t 25

26 1867: Maxwell prevê ondas electromagnéticas 1867 r 2 1 E = 2 r B = c t r 2 B 2 2 c t y r E 2 x H y r r r E B = µ J + ε r t r B E = t E r = ρ /ε B r = 0 E e H (B) formam todas as «LUZES»! z E x k r z c km/s!!! 26

27 1887: Hertz produz ondas electromagnéticas 1887 V +q -q 27

28 Geração de ondas electromagnéticas A radiação electromagnética é produzida sempre que ocorre uma alteração de fluxo de carga eléctrica e fluxo magnético. Exemplo: quando a intensidade de corrente eléctrica varia é gerada uma onda electromagnética este é o princípio de funcionamento de uma antena. Uma antena radia eficientemente energia se a sua dimensão for da ordem de meio comprimento de onda da radiação. No vazio a radiação electromagnética propaga-se a km/s, independentemente das suas características (amplitude, frequência e fase). Num meio material a velocidade de propagação depende da frequência. 28

29 Propagação de ondas electromagnéticas A energia electromagnética distribui-se uniformemente em redor da fonte e propaga-se afastando-se radialmente (como ocorre numa lâmpada incandescente). A intensidade da onda num dado ponto do espaço depende da potência da fonte e é inversamente proporcional ao quadrado da distância desta a esse ponto (propriedade útil em iluminação ou radiodifusão, embora na comunicação pontoa-ponto não seja vantajosa porque apenas uma fracção de energia atinja o receptor, sendo o resto «desperdiçado»). O uso de reflectores parabólicos ou antenas que direccionam espacialmente a energia, aumenta o alcance da radiação emitida. O alcance é limitado pela inevitável atenuação do sinal. Os fenómenos que limitam o alcance são: a absorção e a dispersão pela atmosfera, obstáculos e o ruído (radiação gerada por outras fontes). O seu impacto é, em geral, dependente da frequência da radiação. A guiagem da radiação usando cabos, guias de onda e fibra óptica reduz fortemente os seus efeitos. 29

30 Os «usos» da radiação electromagnética 30

31 31 t B E t D J H B D = + = = = r r r r r r r 0 ρ t P t J c t J E = + + r r r r µ µ as trevas cobriam o abismo e Deus disse» e foi feita a primeira criatura de Deus, a luz (Génesis 1, 1-4): Deus viu que a luz era boa e separou a luz das trevas. «No princípio ( ) E J M H B P E D r r r r r r r r σ µ ε = + = + = 0 0

32 Sistemas de telecomunicação modernos 32

33 A revolução das comunicações (séc. XX) As comunicações modernas requerem a transformação da informação inicial em sinais electromagnéticos: os dados «originais» (padrões de som, de luz, de códigos, etc.) são convertidos numa «série» de padrões electromagnéticos. Estes são transferidos através de fios, de cabos coaxiais, de fibras ópticas, ou do espaço livre, sendo reconvertidos no receptor na informação original, ou noutras formas aceitáveis pelo homem ou por máquinas. A revolução das comunicações é resultado das descobertas do electromagnetismo no século XIX. 33

34 Constituintes de um Sistema de comunicação Constituintes: emissor transmissor meio ou canal de transmissão receptor destinatário Fonte de informação Codificador Transmissor Destino de informação Descodificador Receptor Meio ou canal de transmissão 34

35 Modos de transferir informação propagação guiada (fios, cabos, tubos, fibra óptica) Transmissor Receptor propagação livre (na atmosfera ou via satélite) transmissor receptor 35

36 1844: Telegrafia de fios (Samuel Morse) 1729: Stephan Gray descobriu que a electricidade pode ser transmitida 1746: Gralath inventou o electrómetro (de electro- + -metro) Telégrafo de fios «Do que se havia de lembrar Deus!» («Que maravilhas fez Deus!») What hath God wrought?" (Bible, Numbers 23:23) (primeira mensagem enviada por S. Morse no telégrafo entre Washington DC e Baltimore) 36

37 1880: o «fotofone» (Bell) 37

38 1901: Transmitir e receber ondas electromagnéticas Marconi antena transmissor antena receptor coesor relé Coesor: detector de radiações electromagnéticas cujo funcionamento se baseia na variação de condutibilidade eléctrica da limalha metálica quando submetida a essas radiações. 38

39 Dispositivos electromagnéticos para comunicação Telegrafia com fios, ~1835 (Morse) Telecópia (fax), ~1843 (Alexander Bain) Telefone com fios, ~1876 (Bell) Telegrafia sem fios, ~1894 (Marconi) Radiofonia, ~1905 (Reginald Fessenden) Televisão, ~1920 (Charles Jenkins, Paul Nipkow) Telefone sem fios (telemóvel), ~1946 Satélite de comunicações, ~1962 Redes de computadores, ~1976 Comunicações móveis e comunicações ópticas, ~

40 Espectro electromagnético e bandas electromagnéticas usadas para comunicar à distância 40

41 Bandas electromagnéticas na comunicação Principais bandas de frequência usadas nas telecomunicações Radiofrequências (propagação livre e guiada) Microondas (propagação livre e guiada) Infravermelho (propagação guiada) Visível (propagação guiada) Quanto maior for a frequência da portadora mais informação esta pode «carregar», razão porque a comunicação por microondas e luz infravermelha, através de fibra óptica, «ganha terreno». 41

42 Radiofrequências e microondas Radiação com frequência entre 3 khz e 300 GHz. 10 kh largura de banda (540 khz khz) 106 estações possíveis 200 kh largura de banda (88,1 MHz 108,1 MHz) 100 estações possíveis Telemóvel Satélite Rádio AM m 6 MHz por canal de TV 1 GHz 30 cm. Ondas curtas TV VHF Rádio FM TV UHF m 3 m 30 cm Frequência (Hz) Comprimento de onda (m) Micro-ondas 2,45 GHz (12,2 cm) cm 42

43 Infravermelho (Herschel, 1800) e visível Infravermelho: radiação com frequência entre 300 GHz (1 mm) e 400 THz (0,750 µm). (A faixa 0,1 THz até 10 THz designa-se raios T.) Aplicações: comunicação (janela: 800 nm, 1300 nm THz, 1550 nm 193 THz), entretenimento (controle remoto e CD/DVD), visão nocturna, vigilância; Visível: radiação com frequência entre 400 THz (750 nm) e 769 THz (390 nm). Aplicações: visão, projecção, comunicação, vigilância, entretimento; 43

44 A onda portadora E x k r Onda portadora z H y Uma onda monocromática não transporta informação. Para adicionar informação é necessário modular a onda. A modulação é a alteração provocada, propositadamente, nas características de uma oscilação ou de uma onda (amplitude, frequência, etc.) de forma a introduzir informação numa onda sinusoidal (portadora); processo de adicionar «sinais» (informação) a uma onda de frequência muito superior à frequência máxima dos sinais (onda portadora); 44

45 Modulação de sinais 45

46 Modular uma onda electromagnética A modulação: processo de adicionar «sinais» (informação) a uma onda sinusoidal (portadora) de frequência muito superior à frequência máxima dos sinais (onda portadora); Onda portadora Amplitude modulada Frequência modulada A modulação permite que sinais de elevado comprimento de onda sejam «transportados» por portadoras de muito menor comprimento de onda. Quanto maior for a frequência da portadora mais informação esta pode «carregar», razão porque a comunicação por fibra óptica «ganha terreno». 46

47 Modulação de amplitude (AM) Onda portadora Modulador de Amplitude Amplitude modulada Sinal sonoro Rectificação Onda modulada T <<τ = RC << P T S C R sinal audio 47

48 Modulação de frequência (FM) Onda portadora Modulador de Frequência Frequência modulada Sinal sonoro T <<τ = RC << P T S 48

49 Modulação amplitude pulsada (PAM) Onda portadora Modulador de pulsos Onda modulada Sinal sonoro Transmissão de um sinal SOS usando impulsos de luz: Informação: SOS Código Morse 49

50 Comunicações digitais: Conversão de sinais analógicos em sinais digitais 50

51 Sinais analógicos e digitais Os sistemas de comunicação podem manipular a informação de duas forma distintas: analógica: as quantidades que variam de forma contínua são transformadas noutros sinais contínuos; digital: os sinais contínuos são decompostos em quantidades discretas que são tratadas para formar sinais eléctricos, representativos da grandeza contínua, que apenas podem tomar 2 valores [por exemplo 5 V ( 1 ) e 0 V( 0 )]; Vantagens: os sinais digitais podem ser tratados pelos interruptores electrónicos que comutam entre apenas dois estados (valores) e são menos sensíveis a interferências. 51

52 Efeito do ruído em sinais analógicos e digitais Efeito do ruído num sinal analógico sinal analógico com ruído sinal analógico (com ruído) atenuado sinal analógico (com ruído) amplificado tempo tempo tempo Efeito do ruído num sinal digital sinal digital com ruído tempo sinal digital (com Ruído) «atenuado» tempo sinal digital recuperado tempo 52

53 Amostragem e digitalização Sinal analógico Sinal quantificado usando 16 níveis (4 bits): Digitalização 5 V ( 1 ) 0 V ( 0 ) Amostragem Regra de Nyquist: f amos 2f max Sinal analógico amostrado Sinal codificado na base binária (4 bits 2 n valores) tem-se: ( ) Sinal digital tempo 53

54 Sistemas de comunicação mais relevantes 54

55 Radiofrequências e microondas Radiação com frequência entre 3 khz e 300 GHz. 10 kh largura de banda (540 khz khz) 106 estações possíveis 200 kh largura de banda (88,1 MHz 108,1 MHz) 100 estações possíveis Telemóvel Satélite Rádio AM m 6 MHz por canal de TV 1 GHz 30 cm. Ondas curtas TV VHF Rádio FM TV UHF m 3 m 30 cm Frequência (Hz) Comprimento de onda (m) Micro-ondas 2,45 GHz (12,2 cm) cm 55

56 «Guiar» ondas rádio e microondas Cabos coaxiais Usados como meio de transmissão nas comunicações a longa distância e a taxas de transferência elevadas. Estão a ser substituídos por cabos de fibras ópticas. Guias de onda Cabos submarinos Usados para ligar o transmissor à antena e em circuitos de micro-ondas. 56

57 Radiodifusão (rádios AM e FM, e TVs) Ondas rádio: AM (0,5 MHz 1,6 MHz), MF (0.3 MHz - 3 MHz), VHF (30 MHz MHz), UHF (0.3 GHz - 1 GHz) 57

58 Comunicação por microondas através do ar e por cabo Microondas: portadoras em torno dos 4 GHz e dos 8 GHz <50 km Cobre: MF (0.3 MHz - 3 MHz), VHF (30 MHz MHz), Fibra óptica: portadoras 230 THz (1300 nm) e 193 THz (1550 nm). Cabo (cobre <10 km; fibra óptica >50 km ) 58

59 Comunicação móvel microondas 59

60 Comunicação por satélite (microondas) Portadoras nas bandas: C (4 GHz 8 GHz) Ku (12 GHz 18 GHz) Sistema Galileu 60

61 Comunicação por satélite Sistema Galileu microondas fibra óptica Elevadas taxas ou longa distância 61

62 Comunicação móvel (telemóvel GSM *, etc.) Rx 935 MHz MHz; Tx 890 MHz MHz; 124 canais (8 utilizadores por canal); 200 khz de separação entre canais; taxa de transmissão ~270 kb/s Número de canais permitidos: (960 MHz MHz)/200 khz=125 * GSM: Global System for mobile communications 62

63 Comunicação por fibra óptica Infravermelhos: portadoras 230 THz (1300 nm) e 193 THz (1550 nm). Visível: portadoras entre 400 THz (750 nm) e 769 THz (390 nm). até milhares de quilómetros fibra óptica 63

64 Sistema de comunicação por fibra óptica Informação (som, vídeo, dados) Laser Sinal óptico contínuo Sinal eléctrico digital t modulador Sinal óptico digital (luz laser modulada) Fibra óptica Potência óptica Detector Sinal eléctrico digital t Informação (som, vídeo, dados) 64

65 Sistema de comunicação por fibra óptica Transmissão de um sinal SOS usando impulsos de luz: Informação (som, vídeo, dados) Laser Sinal óptico contínuo Potência óptica Detector Sinal eléctrico digital V Sinal óptico t digital modulador (luz laser modulada) Sinal eléctrico digital V t Informação: SOS Código Morse Fibra óptica Informação (som, vídeo, dados) SOS 65

66 Vantagens das comunicações por fibra óptica 66

67 Vantagem: largura de banda e baixas perdas (db/km) Perdas em fibras Comprimento de onda (µm) 1 THz=10 3 GHz 25 THz/50 GHz (500 canais) (13 canais representados) B L [(bit/s)-km] Ano Bel é a unidade logarítmica usada em engenharia de telecomunicações, para comparar duas potências (modernamente usa-se mais o decibel, db) (De A. G. Bell, antr., físico escocês, ). 67

68 Fibra óptica: confinar a luz Camada que reflecte a luz que viaja no núcleo (bainha, ~125 µm) Cabo de fibra óptica para telecomunicações Cobertura de plástico núcleo bainha núcleo (5 µm -10 µm) Camada de plástico protectora Cabo de metal para reforço monomodo multímodo O índice de refracção do núcleo é ligeiramente superior ao da bainha. As fibras podem ser monomodo ou multímodo. Uma fibra é multímodo quando o diâmetro efectivo do núcleo é superior ao comprimento de onda. 68

69 1841 (Colladen ) e 1870 (Tyndall) «guiam» a luz 69

70 Como tirar partido da largura de banda? Multiplexagem de comprimento de onda (WDM) Multiplexador: a unidade funcional que torna possível que muitos sinais diferentes se propaguem pelo mesmo meio de transmissão. Mais de 100 canais (comprimentos de onda) espaçados de 50 GHz, com taxas de transmissão de 40 Gb/s por canal, a que correspondem 4 Tb/s de informação (equivalente mais de 70 milhões de chamadas telefónicas simultâneas), sem regeneração eléctrica a mais de km. 70

71 Sistema de comunicação com fibra óptica 71

72 Sistema de comunicação com fibra óptica 72

73 Sistema de comunicação com fibra óptica 73

74 Futuro 74

75 Futurologia O problema da futurologia é que não é possível prever o futuro Contudo, podemos sempre teorizar Mas convém ter sempre a noção que estamos a especular (fazer conjecturas sobre o que há-de suceder, quase sempre alheias à experiência). Deixo à vossa imaginação. 75

76 Questões? Muito obrigado! 76

77 Bibliografia - Enciclopédia Visual da Ciência, Editorial Verbo, História da Ciência de 1543 ao presente, John Gribbin, Europa-América, Cinco equações que mudaram o mundo, Michael Guillen, Gradiva. - A imagem da Natureza na Física Moderna, Werner Heisenberg, Livros do Brasil. - Paradoxos e Realidade: Ensaio sobre os fundamentos da microfísica, Franco Selleri, Fragmentos, O poder da luz, National Geographic, Outubro A Evolução da Física: de Newton à Teoria dos Quanta, Albert Einstein e Leopold Infeld, Livros do Brasil. - O Annus Mirabilis de Einstein - cinco artigos que revolucionaram a Física, John Stachel, Gradiva, Albert Einstein, Leopold Infeld, Publicações Europa-América,. - Subtil é o senhor - Vida e pensamento de Albert Einstein, Gradiva. - Cosmos, Carl Sagan, Gradiva. - Um mundo infestado de demónios, Carl Sagan, Gradiva

78 Nota prévia 1º Encontro Regional de Professores de Física e Química, Abril 2004 Um dos mandamentos da Física, e da Ciência em geral, é desconfiar das afirmações das «sumidades» : não esquecer que os cientistas são primatas e, portanto, muito propensos a hierarquias de domínio. Esta apresentação foi preparada a partir da sessão plenária do 1º Encontro Regional de Professores de Física e Química: RADIAÇÕES ELECTROMAGNÉTICAS E COMUNICAÇOES, e da palestra As descobertas do electromagnetismo e a comunicação (Equipa UALG), e do tema da «oficina»: Demonstrações Experimentais das propriedades da luz e de sistemas de comunicação usando a luz. A apresentação pode conter imprecisões (e contêm com certeza erros involuntários) e traduz a opinião ou visão pessoal do autor sobre os assuntos (científicos ou não). O autor pede desculpa por quaisquer omissões bibliográficas e, se chamado à atenção das mesmas, terá todo o prazer em proceder à sua inclusão em futuras versões. Agradece-se a comunicação dos erros e das omissões, bem como o envio de comentários ou sugestões, para 78

79 As origens do «método científico» Há cerca de 2500 anos na Jónia (Grécia Antiga) alguns sábios começaram a assumir que tudo era feito de átomos; que os seres vivos resultavam de formas simples; que as doenças não eram causadas por demónios, que a Terra era apenas um planeta que gira à volta do Sol e que as estrelas estavam muito, muito longe Novas atitudes: a observação e o espírito crítico. Ao contrário dos sacerdotes e dos escribas do seu tempo, eles não tinham problemas em sujar as mãos e em experimentar (ensaiar). Nova actividade: a experimentação. Assim, a ideia que o Universo é conhecível e que podemos desvendar os seus segredos através da observação, do pensamento crítico e da experimentação, começou por prosperar na Jónia mas foi gradualmente apagada do mapa até ao renascimento (durante cerca de mil anos!), ressurgindo com Galileu, Kepler, Newton,, e Faraday, entre muitos outros. 79

80 O que é uma onda? Uma onda é uma perturbação, contínua ou transitória, que se propaga com transporte de energia através de um meio, quer em virtude das propriedades elásticas e de inércia do meio, quer em virtude das propriedades eléctricas ou magnéticas do espaço. A frequência ( f ) da onda corresponde ao número de vezes que a perturbação periódica se repete em cada segundo e apenas depende do processo de geração das ondas (inverso do período T). O comprimento de onda ( λ ) é a distância ou «espaço» de propagação durante um período T. As velocidades de fase (v f ) e de grupo (v g ) caracterizam as taxas de progresso da onda e da transferência de energia. A v f, o T, a f, e λ estão relacionados pelas expressões: v f =λ/t =λf. H E λ z 80

Comunicação da informação a longas distâncias

Comunicação da informação a longas distâncias Comunicação da informação a longas distâncias População mundial versus sistema de comunicação Comunicação, informação e mensagem Comunicação - é o ato de enviar informação, mensagens, sinais de um local

Leia mais

Descobertas do electromagnetismo e a comunicação

Descobertas do electromagnetismo e a comunicação Descobertas do electromagnetismo e a comunicação Porque é importante comunicar? - Desde o «início dos tempos» que o progresso e o bem estar das sociedades depende da sua capacidade de comunicar e aceder

Leia mais

NASCE A ERA DA COMUNICAÇÃO ELÉCTROMAGNÉTICA

NASCE A ERA DA COMUNICAÇÃO ELÉCTROMAGNÉTICA 1844 Demonstração pública bem sucedida do TELÉGRAFO, inventado por SAMUEL MORSE. Transmitida a mensagem What hath God wrought entreo Capitólio em Washington e Baltimore NASCE A ERA DA COMUNICAÇÃO ELÉCTROMAGNÉTICA

Leia mais

2- Conceitos Básicos de Telecomunicações

2- Conceitos Básicos de Telecomunicações Introdução às Telecomunicações 2- Conceitos Básicos de Telecomunicações Elementos de um Sistemas de Telecomunicações Capítulo 2 - Conceitos Básicos de Telecomunicações 2 1 A Fonte Equipamento que origina

Leia mais

Comunicações a longas distâncias

Comunicações a longas distâncias Comunicações a longas distâncias Ondas sonoras Ondas electromagnéticas - para se propagarem exigem a presença de um meio material; - propagam-se em sólidos, líquidos e gases embora com diferente velocidade;

Leia mais

COMUNICAÇÃO DE INFORMAÇÃO A LONGAS DISTÂNCIAS ONDAS ELETROMAGNÉTICAS E COMUNICAÇÃO

COMUNICAÇÃO DE INFORMAÇÃO A LONGAS DISTÂNCIAS ONDAS ELETROMAGNÉTICAS E COMUNICAÇÃO COMUNICAÇÃO DE INFORMAÇÃO A LONGAS DISTÂNCIAS À medida que uma onda se propaga, por mais intensa que seja a perturbação que lhe dá origem, uma parte da sua energia será absorvida pelo meio de propagação,

Leia mais

STC 5. Redes de Informação e Comunicação. Data: 18 de Agosto de 2010 Morada: Rua de São Marcos, 7 C Tel: 266519410 Fax: 266519410 Tlm: 927051540

STC 5. Redes de Informação e Comunicação. Data: 18 de Agosto de 2010 Morada: Rua de São Marcos, 7 C Tel: 266519410 Fax: 266519410 Tlm: 927051540 STC 5 Redes de Informação e Comunicação Data: 18 de Agosto de 2010 Morada: Rua de São Marcos, 7 C Tel: 266519410 Fax: 266519410 Tlm: 927051540 STC 5 Redes de Informação e comunicação STC 5 Redes de informação

Leia mais

STC 5. Redes de Informação e Comunicação. Data: 22 Julho de 2010 Morada: Rua de São Marcos, 7 C Tel: 266519410 Fax: 266519410 Tlm: 927051540

STC 5. Redes de Informação e Comunicação. Data: 22 Julho de 2010 Morada: Rua de São Marcos, 7 C Tel: 266519410 Fax: 266519410 Tlm: 927051540 STC 5 Redes de Informação e Comunicação Data: 22 Julho de 2010 Morada: Rua de São Marcos, 7 C Tel: 266519410 Fax: 266519410 Tlm: 927051540 STC 5 Redes de Informação e comunicação STC 5 Redes de informação

Leia mais

Sistemas de Comunicação Óptica

Sistemas de Comunicação Óptica Sistemas de Comunicação Óptica Mestrado em Engenharia Electrotécnica e e de Computadores Docente : Prof. João Pires Objectivos Estudar as tecnologias que servem de base à transmisssão óptica, e analisar

Leia mais

Transmissão de Dados

Transmissão de Dados T 1 Transmissão de Dados FEUP/DEEC/RCD 2002/03 MPR/JAR T 2 Terminologia e Conceitos Meios de transmissão A transmissão de sinais, sob a forma de ondas electromagnéticas, é suportada em meios de transmissão

Leia mais

1 Fibra Óptica e Sistemas de transmissão ópticos

1 Fibra Óptica e Sistemas de transmissão ópticos 1 Fibra Óptica e Sistemas de transmissão ópticos 1.1 Introdução Consiste em um guia de onda cilíndrico, conforme ilustra a Figura 1, formado por núcleo de material dielétrico (em geral vidro de alta pureza),

Leia mais

Ondas Eletromagnéticas Física - Algo Sobre INTRODUÇÃO

Ondas Eletromagnéticas Física - Algo Sobre INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO É importante tomarmos consciência de como estamos imersos em ondas eletromagnéticas. Iniciando pelos Sol, a maior e mais importante fonte para os seres terrestres, cuja vida depende do calor

Leia mais

1.3. Na figura 2 estão representados três excertos, de três situações distintas, de linhas de campo magnético. Seleccione a opção correcta.

1.3. Na figura 2 estão representados três excertos, de três situações distintas, de linhas de campo magnético. Seleccione a opção correcta. Escola Secundária Vitorino Nemésio Terceiro teste de avaliação de conhecimentos de Física e Química A Componente de Física 11º Ano de Escolaridade Turma C 13 de Fevereiro de 2008 Nome: Nº Classificação:

Leia mais

Redes de Computadores sem Fio

Redes de Computadores sem Fio Redes de Computadores sem Fio Prof. Marcelo Gonçalves Rubinstein Programa de Pós-Graduação em Engenharia Eletrônica Faculdade de Engenharia Universidade do Estado do Rio de Janeiro Programa Introdução

Leia mais

Telecomunicações o sistema nervoso da sociedade moderna

Telecomunicações o sistema nervoso da sociedade moderna Ágora Ciência e Sociedade Lisboa, 15 de Maio de 2015 Telecomunicações o sistema nervoso da sociedade moderna Carlos Salema 2014, it - instituto de telecomunicações. Todos os direitos reservados. Índice

Leia mais

Meios de transmissão. Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Março de 2006

Meios de transmissão. Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Março de 2006 Redes de Computadores Meios de transmissão Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Março de 2006 Meios de transmissão Redes de Computadores 1 Meios de transmissão Asseguram

Leia mais

Camada Física. Bruno Silvério Costa

Camada Física. Bruno Silvério Costa Camada Física Bruno Silvério Costa Sinais Limitados por Largura de Banda (a) Um sinal digital e suas principais frequências de harmônicas. (b) (c) Sucessivas aproximações do sinal original. Sinais Limitados

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Macêdo Firmino Meios de Transmissão Macêdo Firmino (IFRN) Redes de Computadores Abril de 2012 1 / 34 Pilha TCP/IP A B M 1 Aplicação Aplicação M 1 Cab M T 1 Transporte Transporte

Leia mais

COMUNICAÇÕES A LONGAS DISTÂNCIAS

COMUNICAÇÕES A LONGAS DISTÂNCIAS Física 11º Ano COMUNICAÇÕES A LONGAS DISTÂNCIAS MARÍLIA PERES TRANSMISSÃO DE INFORMAÇÃO Produziu p pela p primeira vez ondas eletromagnéticas em laboratório (1887) utilizando um circuito para produzir

Leia mais

2 Conceitos de transmissão de dados

2 Conceitos de transmissão de dados 2 Conceitos de transmissão de dados 2 Conceitos de transmissão de dados 1/26 2.2 Meios físicos de transmissão de dados 2/26 Tipos de meios de transmissão Pares de fios Pares entrançados Cabo coaxial Fibras

Leia mais

Teste de Avaliação 3 A - 06/02/2013

Teste de Avaliação 3 A - 06/02/2013 E s c o l a S e c u n d á r i a d e A l c á c e r d o S a l Ano letivo 201 2/2013 Física e Química A Bloco II (11ºano) Teste de Avaliação 3 A - 06/02/2013 1. Suponha que um balão de observação está em

Leia mais

Introdução. O que é Comunicar?

Introdução. O que é Comunicar? O que é Comunicar? Transmissão de mensagens contendo informação Como definir informação? Existe uma teoria formal que define informação com base no grau de imprevisibilidade das mensagens; uma mensagem

Leia mais

Davidson Rodrigo Boccardo flitzdavidson@gmail.com

Davidson Rodrigo Boccardo flitzdavidson@gmail.com Fundamentos em Sistemas de Computação Davidson Rodrigo Boccardo flitzdavidson@gmail.com Camada Física Primeira cada do modelo OSI (Camada 1) Função? Processar fluxo de dados da camada 2 (frames) em sinais

Leia mais

Introdução aos Sistemas de Comunicação

Introdução aos Sistemas de Comunicação Introdução aos Sistemas de Comunicação Edmar José do Nascimento (Princípios de Comunicação) http://www.univasf.edu.br/ edmar.nascimento Universidade Federal do Vale do São Francisco Colegiado de Engenharia

Leia mais

História da Fibra Óptica

História da Fibra Óptica História da Fibra Óptica Em 1870, o físico inglês Jonh Tyndall, demonstrou o princípio de guiamento da luz através de uma experiência muito simples, utilizando um recipiente furado com água, um balde e

Leia mais

Módulo 2 Comunicação de Dados

Módulo 2 Comunicação de Dados URCAMP - CCEI - Curso de Informática Transmissão de Dados Módulo 2 Comunicação de Dados cristiano@urcamp.tche.br http://www.urcamp.tche.br/~ccl/redes/ Para SOARES (995), a transmissão de informações através

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Parte II: Camada Física Dezembro, 2012 Professor: Reinaldo Gomes reinaldo@computacao.ufcg.edu.br Meios de Transmissão 1 Meios de Transmissão Terminologia A transmissão de dados d

Leia mais

Evolução dos sistemas de comunicação óptica

Evolução dos sistemas de comunicação óptica Evolução dos sistemas comunicação óptica 960 - Realização do primeiro laser; 966 - Proposta para usar as fibras ópticas em telecomunicações (Kao); 970 - Fabrico da primeira fibra óptica sílica dopada (0

Leia mais

HISTORIA DA ELETRICIDADE

HISTORIA DA ELETRICIDADE 1 HISTORIA DA ELETRICIDADE RESUMO OS PRIMEIROS PASSOS Grécia Antiga - Tales descobre as propriedades do âmbar. Ásia Menor descobre-se as propriedades de um pedaço de rocha atrair pequenos pedaços de ferro

Leia mais

Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Março de 2006

Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Março de 2006 Redes de Computadores Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Março de 2006 Sinal no domínio do tempo Redes de Computadores 2 1 Sinal sinusoidal no tempo S(t) = A sin (2πft

Leia mais

Comunicação da informação a curta distância. FQA Unidade 2 - FÍSICA

Comunicação da informação a curta distância. FQA Unidade 2 - FÍSICA Comunicação da informação a curta distância FQA Unidade 2 - FÍSICA Meios de comunicação É possível imaginar como seria o nosso mundo sem os meios de comunicação de que dispomos? Os * * * * Aparelhos de

Leia mais

Transmissão das Ondas Eletromagnéticas. Prof. Luiz Claudio

Transmissão das Ondas Eletromagnéticas. Prof. Luiz Claudio Transmissão das Ondas Eletromagnéticas Prof. Luiz Claudio Transmissão/Recebimento das ondas As antenas são dispositivos destinados a transmitir ou receber ondas de rádio. Quando ligadas a um transmissor

Leia mais

FÍSICA - 3 o ANO MÓDULO 31 ONDULATÓRIA

FÍSICA - 3 o ANO MÓDULO 31 ONDULATÓRIA FÍSICA - 3 o ANO MÓDULO 31 ONDULATÓRIA x = Como pode cair no enem (ENEM) Os radares comuns transmitem micro-ondas que refletem na água, gelo e outras partículas na atmosfera. Podem, assim,

Leia mais

Suporte Técnico de Vendas

Suporte Técnico de Vendas Suporte Técnico de Vendas Telefonia básica Hoje vivemos a sociedade da informação. A rede de telecomunicações desempenha papel fundamental na vida moderna. História das Telecomunicações Em 1876, o escocês

Leia mais

Modelo de um Sistema de Transmissão

Modelo de um Sistema de Transmissão Modelo de um Sistema de Transmissão A finalidade dos sistemas de telecomunicações é a de transformar um ou mais pontos as informações provenientes de uma ou mais fontes. uma configuração típica temos:

Leia mais

Camada Física: Meios de transmissão não guiados

Camada Física: Meios de transmissão não guiados Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk Camada Física: Meios de transmissão não guiados Transmissão sem Fio Pessoas cada vez mais dependente das redes; Alguns especialistas afirmam

Leia mais

Redes e Telecomunicações

Redes e Telecomunicações Redes e Telecomunicações Comunicação Processo pelo qual uma informação gerada num ponto (origem) é transferida para outro ponto (destino) Telecomunicações Telecomunicação do grego: tele = distância do

Leia mais

Telecomunicações CONCEITOS DE COMUNICAÇÃO

Telecomunicações CONCEITOS DE COMUNICAÇÃO Telecomunicações CONCEITOS DE COMUNICAÇÃO 1 COMUNICAÇÃO A COMUNICAÇÃO pode ser definida como a transmissão de um sinal através de um meio, de um emissor para um receptor. O sinal contém uma mensagem composta

Leia mais

Introdução à Transmissão Digital. Funções básicas de processamento de sinal num sistema de comunicações digitais.

Introdução à Transmissão Digital. Funções básicas de processamento de sinal num sistema de comunicações digitais. Introdução à Transmissão Digital Funções básicas de processamento de sinal num sistema de comunicações digitais. lntrodução à transmissão digital Diferença entre Comunicações Digitais e Analógicas Comunicações

Leia mais

Redes de Computadores (RCOMP 2014/2015)

Redes de Computadores (RCOMP 2014/2015) Redes de Computadores (RCOMP 2014/2015) Transmissão de Dados Digitais Comunicação em rede 1 Transmissão de dados Objetivo: transportar informação mesmo que fosse usado um meio de transporte clássico seria

Leia mais

Capítulo 3: A CAMADA FÍSICA

Capítulo 3: A CAMADA FÍSICA Capítulo 3: A CAMADA FÍSICA PCS 2476 Introdução - 1 Meios Físicos e Suas Características PCS 2476 Introdução - 2 Linhas Físicas Linhas Bifilares Par de fios Cabo de Pares Linha Aberta Linha de Alta Tensão

Leia mais

Infra-Estrutura de Redes

Infra-Estrutura de Redes Faculdade Anhanguera de São Caetano do Sul Infra-Estrutura de Redes Curso: Tecnologia em Redes de Computadores Prof:Eduardo M. de Araujo Site-http://www.professoreduardoaraujo.com Objetivos: Camada física

Leia mais

Conhecer meios de transmissão que utilizam cabos e fios. Componentes do processo de comunicação.

Conhecer meios de transmissão que utilizam cabos e fios. Componentes do processo de comunicação. Meios de transmissão Conhecer meios de transmissão que utilizam cabos e fios. Quando enviamos uma informação para um destino, ela vai por um canal de comunicação. Esse canal de comunicação tem um limite

Leia mais

Gestão de Redes e Sistemas Distribuídos

Gestão de Redes e Sistemas Distribuídos Gestão de Redes e Sistemas Distribuídos Setembro 2006 Conceitos fundamentais Evolução das Redes (parte I) Sumário???? Módulo I: Conceitos fundamentais Evolução das redes Tipos de Redes Sistemas de Cablagem

Leia mais

Sinal analógico x sinal digital. Sinal analógico. Exemplos de variações nas grandezas básicas. Grandezas básicas em sinais periódicos

Sinal analógico x sinal digital. Sinal analógico. Exemplos de variações nas grandezas básicas. Grandezas básicas em sinais periódicos Plano Redes de Computadores Transmissão de Informações nálise de Sinais ula 04 Introdução Dados, sinais e transmissão Sinal analógico x sinal digital Sinais analógicos Grandezas básicas Domínio tempo x

Leia mais

Sistemas de Comunicações Ópticas. 1870 : O físico inglês John Tyndall demonstrou o princípio de guiamento da luz,

Sistemas de Comunicações Ópticas. 1870 : O físico inglês John Tyndall demonstrou o princípio de guiamento da luz, Capítulo 1 1. INTRODUÇÃO AS FIBRAS ÓPTICAS 1.1 Histórico 1870 : O físico inglês John Tyndall demonstrou o princípio de guiamento da luz, através de uma experiência que consistia em injetar luz em um jato

Leia mais

MÓDULO 4 Meios físicos de transmissão

MÓDULO 4 Meios físicos de transmissão MÓDULO 4 Meios físicos de transmissão Os meios físicos de transmissão são compostos pelos cabos coaxiais, par trançado, fibra óptica, transmissão a rádio, transmissão via satélite e são divididos em duas

Leia mais

Curso de Formação de. Actualização de Projectista ITED 2 (175h) Curso de Formação de. Actualização de Projectista ITED 2 (175h)

Curso de Formação de. Actualização de Projectista ITED 2 (175h) Curso de Formação de. Actualização de Projectista ITED 2 (175h) Curso de Formação de O curso tem como objectivos específicos, dotar os participantes de conhecimentos que lhes permitam: Obter a RENOVAÇÃO da CERTIFICAÇÃO reconhecida pela ANACOM como técnico de projecto

Leia mais

1 Problemas de transmissão

1 Problemas de transmissão 1 Problemas de transmissão O sinal recebido pelo receptor pode diferir do sinal transmitido. No caso analógico há degradação da qualidade do sinal. No caso digital ocorrem erros de bit. Essas diferenças

Leia mais

Camada Física: Meios de transmissão guiados. Meios de transmissão guiados Fibra óptica

Camada Física: Meios de transmissão guiados. Meios de transmissão guiados Fibra óptica Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk Camada Física: Fibra Óptica Mas afinal de onde veio essa ideia de transmitir dados no vidro? Isso é coisa de Extraterrestre! 1 O termo Fibra

Leia mais

Título ONDULATÓRIA Extensivo Aula 29. Professor Edson Osni Ramos (Cebola) Disciplina. Física B

Título ONDULATÓRIA Extensivo Aula 29. Professor Edson Osni Ramos (Cebola) Disciplina. Física B Título ONDULATÓRIA Extensivo Aula 29 Professor Edson Osni Ramos (Cebola) Disciplina Física B RADIAÇÕES ELETROMAGNÉTICAS ONDA ELETROMAGNÉTICA Sempre que uma carga elétrica é acelerada ela emite campos elétricos

Leia mais

exposição à radiação electromagnética

exposição à radiação electromagnética exposição à radiação electromagnética 0 Resumo Radiações e Ondas Electromagnéticas Sistemas de Comunicações Móveis Efeitos das Radiações Electromagnéticas Projecto monit 1 Fontes de Radiação [Fonte: TrainsTowers,

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - Cabeamento Óptico (Norma ANSI/TIA-568-C.3) www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito Meio de Transmissão Meio de transmissão é o caminho físico (enlace) que liga

Leia mais

Módulo 4 Testes de Cabos

Módulo 4 Testes de Cabos CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes Módulo 4 Testes de Cabos Fundamentos para o Teste de Cabos em Frequência Ondas Uma onda é energia que se propaga de um lugar para outro. Pode ser definida como um distúrbio

Leia mais

Introdução a Propagação Prof. Nilton Cesar de Oliveira Borges

Introdução a Propagação Prof. Nilton Cesar de Oliveira Borges Introdução a Propagação Prof. Nilton Cesar de Oliveira Borges Como a luz, uma onda de rádio, perderia-se no espaço, fora do nosso planeta, se não houvesse um fenômeno que provocasse sua curvatura para

Leia mais

OSCILAÇÕES E ONDAS E. E. Maestro Fabiano Lozano

OSCILAÇÕES E ONDAS E. E. Maestro Fabiano Lozano OSCILAÇÕES E ONDAS E. E. Maestro Fabiano Lozano Professor Mário Conceição Oliveira índice Oscilações e ondas...1 Tipos de Ondas...2 Tipo de deslocamento das ondas...2 Movimento ondulatório...2 Ondas Mecânicas...3

Leia mais

Comunicação e informação...9 1. Produção, processamento, propagação e armazenamento da informação... 10

Comunicação e informação...9 1. Produção, processamento, propagação e armazenamento da informação... 10 S UNIDADE 1 U M Á R I O Comunicação e informação...9 1. Produção, processamento, propagação e armazenamento da informação... 10 ARMAZENAMENTO E PROCESSAMENTO DE INFORMAÇÕES...10 O registro das informações...11

Leia mais

PRÉ-VESTIBULAR Física

PRÉ-VESTIBULAR Física PRÉ VESTIBULAR Física / / PRÉ-VESTIBULAR Aluno: Nº: Turma: Exercícios Fenômenos Lista de sites com animações (Java, em sua maioria) que auxiliam a visualização de alguns fenômenos: Reflexão e refração:

Leia mais

Vejamos, então, os vários tipos de cabos utilizados em redes de computadores:

Vejamos, então, os vários tipos de cabos utilizados em redes de computadores: Classificação quanto ao meio de transmissão Os meios físicos de transmissão são os cabos e as ondas (luz, infravermelhos, microondas) que transportam os sinais que, por sua vez, transportam a informação

Leia mais

Codificação e modulação

Codificação e modulação TRABALHO DE REDES UNIVERSIDADE CATÓLICA DO SALVADOR CURSO: BACHARELADO EM INFORMÁTICA PROF.:MARCO ANTÔNIO C. CÂMARA COMPONENTES: ALUNO: Orlando dos Reis Júnior Hugo Vinagre João Ricardo Codificação e modulação

Leia mais

DO ANALÓGICO AO DIGITAL: CONCEITOS E

DO ANALÓGICO AO DIGITAL: CONCEITOS E DO ANALÓGICO AO DIGITAL: CONCEITOS E TÉCNICAS BÁSICASB Fernando Pereira Instituto Superior TécnicoT Digitalização Processo onde se expressa informação analógica de forma digital. A informação analógica

Leia mais

Fundamentos de Telecomunicações

Fundamentos de Telecomunicações Fundamentos de Fundamentos de Introdução às s Noção de informação, mensagem e sinal Informação A informação é um conceito fundamental das comunicações. No entanto édifícil de definir com precisão o que

Leia mais

Considerações Finais. Capítulo 8. 8.1- Principais conclusões

Considerações Finais. Capítulo 8. 8.1- Principais conclusões Considerações Finais Capítulo 8 Capítulo 8 Considerações Finais 8.1- Principais conclusões Durante esta tese foram analisados diversos aspectos relativos à implementação, análise e optimização de sistema

Leia mais

O mundo sem fios. No fim do mundo os fios serão tantos que ninguém se conseguirá entender

O mundo sem fios. No fim do mundo os fios serão tantos que ninguém se conseguirá entender O mundo sem fios No fim do mundo os fios serão tantos que ninguém se conseguirá entender frase popular no fim do século XX A solução para o fim do mundo foi acabar com os fios Prof. Doutor Nuno Borges

Leia mais

Sistema de comunicação óptica. Keylly Eyglys Orientador: Adrião Duarte

Sistema de comunicação óptica. Keylly Eyglys Orientador: Adrião Duarte Sistema de comunicação óptica Keylly Eyglys Orientador: Adrião Duarte História A utilização de transmissão de informação através de sinais luminosos datam de épocas muito remotas. Acredita-se que os gregos

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Introdução Redes de Computadores Marco Antonio Montebello Júnior marco.antonio@aes.edu.br Rede É um conjunto de computadores chamados de estações de trabalho que compartilham recursos de hardware (HD,

Leia mais

FÍSICA IV AULA 04: AS EQUAÇÕES DE MAXWELL; ONDAS ELETROMAGNÉTICAS TÓPICO 03: ESPECTRO ELETROMAGNÉTICO Arco-íris[1] Raio-x[2] Micro-ondas[3] Ondas de rádio[4] Televisão[5] À primeira vista pode parecer

Leia mais

André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes

André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes Noções de Redes: Estrutura básica; Tipos de transmissão; Meios de transmissão; Topologia de redes;

Leia mais

Conteúdo Eletromagnetismo Aplicações das ondas eletromagnéticas

Conteúdo Eletromagnetismo Aplicações das ondas eletromagnéticas AULA 22.2 Conteúdo Eletromagnetismo Aplicações das ondas eletromagnéticas Habilidades: Frente a uma situação ou problema concreto, reconhecer a natureza dos fenômenos envolvidos, situando-os dentro do

Leia mais

Exercícios do livro: Tecnologias Informáticas Porto Editora

Exercícios do livro: Tecnologias Informáticas Porto Editora Exercícios do livro: Tecnologias Informáticas Porto Editora 1. Em que consiste uma rede de computadores? Refira se à vantagem da sua implementação. Uma rede de computadores é constituída por dois ou mais

Leia mais

Meios de Transmissão. Conceito. Importância. É a conexão física entre as estações da rede. Influência diretamente no custo das interfaces com a rede.

Meios de Transmissão. Conceito. Importância. É a conexão física entre as estações da rede. Influência diretamente no custo das interfaces com a rede. Meios de Transmissão Conceito Importância É a conexão física entre as estações da rede. Influência diretamente no custo das interfaces com a rede. Meios de Transmissão Qualquer meio físico capaz de transportar

Leia mais

Bibliografia. Forouzan, Behrouz A. Comunicação de Dados e Redes de Computadores. 4. ed. McGraw-Hill, 2008.

Bibliografia. Forouzan, Behrouz A. Comunicação de Dados e Redes de Computadores. 4. ed. McGraw-Hill, 2008. Redes Sem Fio Você vai aprender: Contextualização das redes sem fio; Fundamentos de transmissão de sinais digitais; Fundamentos de radio comunicação; Arquiteturas em redes sem fio; Redes WLAN padrão IEEE

Leia mais

2 Meios de transmissão utilizados em redes de telecomunicações 2.1. Introdução

2 Meios de transmissão utilizados em redes de telecomunicações 2.1. Introdução 2 Meios de transmissão utilizados em redes de telecomunicações 2.1. Introdução Atualmente, as estruturas das redes de comunicação são classificadas conforme a escala: rede de acesso, rede metropolitana

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE BRAGANÇA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E DE GESTÃO ONDAS 2004 / 05. Exercícios teórico-práticos FILIPE SANTOS MOREIRA

INSTITUTO POLITÉCNICO DE BRAGANÇA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E DE GESTÃO ONDAS 2004 / 05. Exercícios teórico-práticos FILIPE SANTOS MOREIRA INSTITUTO POLITÉCNICO DE BRAGANÇA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E DE GESTÃO ONDAS 004 / 05 Eercícios teórico-práticos FILIPE SANTOS MOREIRA Ondas (EE) Eercícios TP Índice ÍNDICE I DERIVADAS E INTEGRAIS

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES E REDES

TELECOMUNICAÇÕES E REDES TELECOMUNICAÇÕES E REDES 1 OBJETIVOS 1. Quais são as tecnologias utilizadas nos sistemas de telecomunicações? 2. Que meios de transmissão de telecomunicações sua organização deve utilizar? 3. Como sua

Leia mais

defi departamento de física www.defi.isep.ipp.pt

defi departamento de física www.defi.isep.ipp.pt defi departamento de física Laboratórios de Física www.defi.isep.ipp.pt Estudo de micro-ondas I Instituto Superior de Engenharia do Porto Departamento de Física Rua Dr. António Bernardino de Almeida, 431

Leia mais

Modelo de um Sistema de Transmissão

Modelo de um Sistema de Transmissão Modelo de um Sistema de Transmissão A finalidade dos sistemas de telecomunicações é a de transformar um ou mais pontos as informações provenientes de uma ou mais fontes. uma configuração típica temos:

Leia mais

Principais Meios de Transmissão Par Trançado Cabo Coaxial Fibra Ótica Micro Ondas

Principais Meios de Transmissão Par Trançado Cabo Coaxial Fibra Ótica Micro Ondas Modelo de Comunicação Propósito principal A troca de informação entre dois agentes Comunicação de Computadores Comunicação de Dados Transmissão de Sinais Agente Dispositivo de entrada Transmissor Meio

Leia mais

REDES SEM FIO. Prof. Msc. Hélio Esperidião

REDES SEM FIO. Prof. Msc. Hélio Esperidião REDES SEM FIO Prof. Msc. Hélio Esperidião WIRELESS O termo wireless, significa sem fio, possui alguns sinônimos tais como: Rede sem fio Comunicação sem fio Computação Móvel Wi-FI? WI-FI? Wi-Fié uma marca

Leia mais

Ondas - 2EE 2003 / 04

Ondas - 2EE 2003 / 04 Ondas - EE 3 / 4 Propagação atmosférica Aspectos preliminares. Introdução A comunicação rádio é devida à propagação de ondas electromagnéticas no espaço. No vazio, estas ondas deslocam-se à velocidade

Leia mais

A Física por trás da Tecnologia RFID. Profa. Renata Rampim de Freitas Dias, RFIDSCM

A Física por trás da Tecnologia RFID. Profa. Renata Rampim de Freitas Dias, RFIDSCM A Física por trás da Tecnologia RFID Profa. Renata Rampim de Freitas Dias, RFIDSCM 2 Espectro electromagnético 3 Espectro de frequência para o sistema RFID Tamanho da antena Existe uma razão de proporção

Leia mais

Capítulo 2 Sistemas Rádio Móveis

Capítulo 2 Sistemas Rádio Móveis Capítulo 2 Sistemas Rádio Móveis 2.1. Histórico e Evolução dos Sistemas Sem Fio A comunicação rádio móvel teve início no final do século XIX [2], quando o cientista alemão H. G. Hertz demonstrou que as

Leia mais

Possíveis soluções para o gargalo da última milha são: instalação de fibra óptica diretamente para todos os clientes; uso de tecnologia de rádio

Possíveis soluções para o gargalo da última milha são: instalação de fibra óptica diretamente para todos os clientes; uso de tecnologia de rádio 1 Introdução O estudo da propagação óptica no espaço livre recebeu considerável impulso após a Segunda Guerra Mundial com a descoberta do laser. Os cientistas iniciaram diversas pesquisas nessa área com

Leia mais

Canal 2. Justificativa

Canal 2. Justificativa Índice Canal 1 - Justificativa do Livro...2 Canal 2 - Como Tudo Começou?...4 Canal 3 - De Onde Vem a Imagem?...6 Canal 4 - Como Aparece a Imagem?...8 Canal 5 - Como ocorre a transmissão?...10 Canal 6 -

Leia mais

UFSM-CTISM. Comunicação de Dados Meios de transmissão - Exemplos práticos Aula-05. Professor: Andrei Piccinini Legg.

UFSM-CTISM. Comunicação de Dados Meios de transmissão - Exemplos práticos Aula-05. Professor: Andrei Piccinini Legg. UFSM-CTISM Comunicação de Dados - Exemplos práticos Aula-05 Professor: Andrei Piccinini Legg Santa Maria, 2012 Meio de é o caminho físico entre o transmissor e o receptor. Como visto numa aula anterior

Leia mais

CURSO EFA NS CULTURA, LÍNGUA E COMUNICAÇÃO. CLC 5 Cultura, comunicação e média

CURSO EFA NS CULTURA, LÍNGUA E COMUNICAÇÃO. CLC 5 Cultura, comunicação e média CURSO EFA NS CULTURA, LÍNGUA E COMUNICAÇÃO CLC 5 Cultura, comunicação e média Formadora Sandra Santos O ser humano, sempre insatisfeito, sentiu sempre a necessidade de comunicar mais rápido, mais longe,

Leia mais

Redes de Telecomunicações

Redes de Telecomunicações Redes de Telecomunicações Mestrado em Engenharia Electrotécnica e e de Computadores 1º semestre 2009/2010 Capítulo 1 Introdução João Pires Redes de Telecomunicações (09/10) 2 Aspectos da Evolução das Telecomunicações

Leia mais

Fundamentos de Rede e Cabeamento Estruturado. A camada Física

Fundamentos de Rede e Cabeamento Estruturado. A camada Física Fundamentos de Rede e Cabeamento Estruturado A camada Física Largura de banda Compartilhada ou shared bandwidth Comutada ou switched bandwidth Banda base e banda larga Banda base existe a possibilidade

Leia mais

Comissão de Ciência e Tecnologia,

Comissão de Ciência e Tecnologia, Seminário de Rádio R Digital Comissão de Ciência e Tecnologia, Informática e Inovação Brasília 22 de novembro de 2007 Ronald Siqueira Barbosa O O pobre e o emergente de hoje são aqueles que no passado,

Leia mais

Comunicação sem fio - antenas

Comunicação sem fio - antenas Comunicação sem fio - antenas Antena é um condutor elétrico ou um sistema de condutores Necessário para a transmissão e a recepção de sinais através do ar Na transmissão Antena converte energia elétrica

Leia mais

Fenómenos Ondulatórios. Reflexão, refracção, difracção

Fenómenos Ondulatórios. Reflexão, refracção, difracção Fenómenos Ondulatórios Reflexão, refracção, difracção Natureza dualística da radiação electromagnética A radiação electromagnética é um fenómeno ondulatório envolvendo a propagação de um campo magnético

Leia mais

Fonte: Ruído e a Cidade Instituto do Ambiente

Fonte: Ruído e a Cidade Instituto do Ambiente Ruído Como se define Define-se ruído, como sendo um som sem interesse ou desagradável para o auditor. O ruído (som) pode ser mais ou menos intenso, composto por uma só tonalidade ou composto por várias

Leia mais

Exame de Amador de Radiocomunicações

Exame de Amador de Radiocomunicações Exame de Amador de Radiocomunicações Categoria 1 1. O que acontece normalmente às ondas de rádio com frequências inferiores à frequência máxima utilizável (MUF) que são enviadas para a ionosfera? 1. São

Leia mais

UFSM-CTISM. Comunicação de Dados Meios de Transmissão Aula-03

UFSM-CTISM. Comunicação de Dados Meios de Transmissão Aula-03 UFSM-CTISM Comunicação de Dados Meios de Transmissão Aula-03 Professor: Andrei Piccinini Legg Santa Maria, 2012 Par trançado Cabo coaxial Fibra óptica Meios Não-guiados Transmissão por rádio Microondas

Leia mais

Comunicação de Dados. Aula 9 Meios de Transmissão

Comunicação de Dados. Aula 9 Meios de Transmissão Comunicação de Dados Aula 9 Meios de Transmissão Sumário Meios de Transmissão Transmissão guiada Cabo par trançado Coaxial Fibra ótica Transmissão sem fio Ondas de rádio Micro ondas Infravermelho Exercícios

Leia mais

LABORATÓRIO 3 PROPAGAÇÃO EM FIBRAS ÓPTICAS

LABORATÓRIO 3 PROPAGAÇÃO EM FIBRAS ÓPTICAS LABORATÓRIO 3 PROPAGAÇÃO EM FIBRAS ÓPTICAS 1. RESUMO Determinação da dependência espectral da atenuação numa fibra óptica de plástico. Verificação do valor da abertura numérica da fibra. 2. INTRODUÇÃO

Leia mais

Cabeamento Óptico 14/03/2014. Vantagens de utilização. Noções Ópticas. Vantagens de utilização. Sistema de comunicação Fibra. Funcionamento da Fibra

Cabeamento Óptico 14/03/2014. Vantagens de utilização. Noções Ópticas. Vantagens de utilização. Sistema de comunicação Fibra. Funcionamento da Fibra Cabeamento Óptico Fundamentos de Redes de Computadores Prof. Marcel Santos Silva Vantagens de utilização Total imunidade às interferências eletromagnéticas; Dimensões reduzidas; Maior segurança no tráfego

Leia mais

Engenheiro Eletrônico pela Unicamp e Mestre em Engenharia Eletrônica pelo INPE.

Engenheiro Eletrônico pela Unicamp e Mestre em Engenharia Eletrônica pelo INPE. Antena Coletiva: Projeto e Cuidados para Receber a TV Digital Este tutorial apresenta considerações para projeto de sistemas de antena coletiva para distribuir sinais de TV digital de alta definição, HD,

Leia mais

Serviço Fixo - Redes de ligações ponto-ponto bidireccionais na faixa de frequências 406-430 MHz Objectivo do pedido

Serviço Fixo - Redes de ligações ponto-ponto bidireccionais na faixa de frequências 406-430 MHz Objectivo do pedido Objectivo do pedido Atribuição de licença de rede Formulário para activação de ligações Formulário para desactivação de ligações Alteração das características das ligações: Formulário para consignação

Leia mais

Curso Técnico Integrado em Manutenção e Suporte em Informática

Curso Técnico Integrado em Manutenção e Suporte em Informática Curso Técnico Integrado em Manutenção e Suporte em Informática Disciplina: Infraestrutura de Redes de Computadores 04. Meios Físicos de Transmissão Prof. Ronaldo Introdução n

Leia mais