Planificação da Atividade: Plural dos nomes terminados em -ão

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Planificação da Atividade: Plural dos nomes terminados em -ão"

Transcrição

1 Área curricular: Planificação da Atividade: Plural dos nomes terminados em -ão Objetivo Competências a Desenvolver Disciplinas Envolvidas Descrição da Atividade Avaliação - Conhecer e aplicar a regra de formação do plural dos nomes terminados em ão. - Naturalidade e correção no uso multifuncional do processo de escrita; - Conhecimento sistematizado dos aspetos básicos da estrutura e do uso do Português; - Os alunos são chamados a explicitar as noções de singular e plural; - Os alunos recordam a regra geral de formação do plural; - Através da análise da ficha informativa, os alunos tomam conhecimento dos casos irregulares de formação do plural; - Observação direta da participação, interesse e empenho demonstrados; - Correção dos trabalhos produzidos. - Os alunos realizam uma primeira ficha de trabalho sobre os nomes terminados em -ão; - Os alunos aplicam e reforçam o seu conhecimento resolvendo e elaborando sopas de letras sobre conteúdo estudado. 1

2 Ficha Informativa 2

3 Ficha Informativa Escreve no plural as palavras entre parênteses 1. Aquelas (mansão) têm uns (salão) enormes, mas o mais estranho é que estão providas de uns (sótão) gigantescos. 2. Comprei dois (pão) e dois (melão). 3. Fabricam (ração) para o gado e comida para (cão). 4. São os (campeão) (alemão) de salto à vara. 5. Entregaram os (órfão) às (instituição) competentes. 6. As (menção) honrosas foram para dois estudantes (catalão). 7. São (expressão) impróprias de bons (cristão). 8. Os nossos (coração) estão oprimidos, porque nos sentimos de (mão) atadas perante tais (situação). 3

4 9. Antigamente, chamavam-se (tabelião) aos (escrivão). 10. Os 24 (ancião) do Apocalipse proclamam a extensão da possibilidade de salvação a gente de todas as (nação). 11. Nas (reunião) que fizemos, tornaram-se evidentes as (dissensão) entre os três (irmão). 12. Os (capitão) insistiram sobre a necessidade de se cumprirem rigorosamente todas as suas (instrução). 13. É melhor não entabular (discussão) com esses (rufião)! 14. As recentes (aluvião) poderão vir a beneficiar algumas (produção) agrícolas. 15. Mais do que meros (hortelão), são verdadeiros horticultores, vistas as largas (extensão) de terra que cultivam. 16. Os (castelão) ignoraram as (reivindicação). 4

5 Ficha de Trabalho Recordando as regras de formação do plural, seleciona dez palavras e elabora uma sopa de letras com o plural correspondente. Desafia os teus colegas! 1. Plural de 2. Plural de 3. Plural de 4. Plural de 5. Plural de 6. Plural de 7. Plural de 8. Plural de 9. Plural de 10. Plural de 5

6 6

7 Ficha de Trabalho Recordando as regras de formação do plural, procura na sopa de letras abaixo o plural dos nomes indicados: 1 - Plural de mansão 2 - Plural de salão 3 - Plural de sótão 4 - Plural de pão 5 - Plural de ração 6 - Plural de cão 7 - Plural de campeão 8 - Plural de alemão 9 - Plural de mão 10 Plural de coração M A N Ç M A O S E S R A B I R A L O V S V O T A J F C N Q U N E U T I L Z L G I A H I M U S S O L U U O A J S A M B N A O S T A L E L O E S A L H L I E U S N S P E D A L B A I R I S I O A A S Z S S O T A O S E P N E L M Ç E J T E G T A D A S M E Y A O L A O H E S O E F S M X Z E E B R A Ç O E S T N A T L P Ç L O U N M E S E F E R W M A T J K O A I N M K S Z A A E G T T C O R A Ç O E S L C 7

Critérios de Avaliação

Critérios de Avaliação DGEstE Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares Direção de Serviços Região Centro Agrupamento de Escolas Figueira Mar Critérios de Avaliação 1º Ciclo Ano Letivo 14/ Terminologia a utilizar na classificação

Leia mais

Agrupamento de Escolas Martim de Freitas. Ano letivo 2012/2013. Critérios de Avaliação do 1º CEB

Agrupamento de Escolas Martim de Freitas. Ano letivo 2012/2013. Critérios de Avaliação do 1º CEB Agrupamento de Escolas Martim de Freitas Ano letivo 2012/2013 Critérios de Avaliação do 1º CEB 1- Introdução Tal como o disposto no nº 1 do art. 23º do Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho, a avaliação

Leia mais

Critérios e Instrumentos de Avaliação Ensino Básico

Critérios e Instrumentos de Avaliação Ensino Básico Critérios e Instrumentos de Avaliação Ensino Básico Português COMPETÊNCIAS NO DOMÍNIO COGNITIVO/MOTOR > 90% INSTRUMENTOS PESO Compreende criticamente discursos orais em diferentes variedades do Compreensão/expressão

Leia mais

O que fazer para transformar uma sala de aula numa comunidade de aprendizagem?

O que fazer para transformar uma sala de aula numa comunidade de aprendizagem? Rui Trindade Universidade do Porto Portugal trindade@fpce.up.pt I SEMINÁRIO INTERNACIONAL DA UNDIME/MG Belo Horizonte 11 de Abril de 2012 O que fazer para transformar uma sala de aula numa comunidade de

Leia mais

U m h o m e m q u e v i v e u c o m o e x e m p l o r e a l d e t u d o a q u i l o q u e t r a n s m i t i u e m s u a s m e n s a g e n s...

U m h o m e m q u e v i v e u c o m o e x e m p l o r e a l d e t u d o a q u i l o q u e t r a n s m i t i u e m s u a s m e n s a g e n s... U m h o m e m q u e v i v e u c o m o e x e m p l o r e a l d e t u d o a q u i l o q u e t r a n s m i t i u e m s u a s m e n s a g e n s... Aqui não estão as mensagens mediúnicas, mas algumas palavras

Leia mais

UNIDADE 07 O PLURAL DOS SUBSTANTIVOS SIMPLES E COMPOSTOS (PRIMEIRA PARTE)

UNIDADE 07 O PLURAL DOS SUBSTANTIVOS SIMPLES E COMPOSTOS (PRIMEIRA PARTE) UNIDADE 07 O PLURAL DOS SUBSTANTIVOS SIMPLES E COMPOSTOS (PRIMEIRA PARTE) PLURAL DOS SUBSTANTIVOS Em português, há dois números gramaticais: O singular, que indica um ser ou um grupo de seres; O plural,

Leia mais

Manual de Orientações 2012 Educação Infantil e 1º Ano

Manual de Orientações 2012 Educação Infantil e 1º Ano Colégio Via Sapiens Manual de Orientações 2012 Educação Infantil e 1º Ano Srs. Pais ou Responsáveis, Iniciamos mais um ano letivo e para o Via esse é um momento importante para estabelecer as relações

Leia mais

A PREENCHER PELO ALUNO

A PREENCHER PELO ALUNO Prova Final do 1.º e do 2.º Ciclos do Ensino Básico PLNM (A2) Prova 43 63/2.ª Fase/2015 Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho A PREENCHER PELO ALUNO Nome completo Documento de identificação Assinatura

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - 2.º ano DOMÍNIOS CRITÉRIOS INDICADORES/PERFIL DE APRENDIZAGENS

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - 2.º ano DOMÍNIOS CRITÉRIOS INDICADORES/PERFIL DE APRENDIZAGENS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANDRÉ SOARES (150952) Português CRITÉRIOS - 2.º ano 6 AL / ATITUDINAL língua portuguesa Respeita regras da interação discursiva. Escuta discursos breves para aprender e construir

Leia mais

Critérios e Instrumentos de Avaliação Cursos Profissionais Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos

Critérios e Instrumentos de Avaliação Cursos Profissionais Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos Critérios e Instrumentos de Avaliação Cursos Profissionais Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos Português COMPETÊNCIAS DOS DOMÍNIOS COGNITIVO/MOTOR 80% Compreende enunciados orais de natureza

Leia mais

Turma: N. de alunos: Dia de aula: Hora: Sala:

Turma: N. de alunos: Dia de aula: Hora: Sala: 71 17.1. Distinguir os diversos tipos de resíduos. Manual Viva a Terra! 8, páginas 214, 215, 218, 226 e 227. Quais são os tipos de resíduos? Leitura, por um aluno, da informação contida no início da página

Leia mais

O seu conceito das religiões é como o seguinte quadro?

O seu conceito das religiões é como o seguinte quadro? ...as religiões? Sim, eu creio que sim, pois não importa a qual religião pertença. O importante é apoiar a que tem e saber levá-la. Todas conduzem a Deus. Eu tenho minha religião e você tem a sua, e assim

Leia mais

Apocalipse. Contexto:

Apocalipse. Contexto: Apocalipse Contexto: Última década do Século I Imperador Domiciano Culto ao Imperador Perseguição imperial Igreja de mártires João é o último apóstolo vivo João, o último apóstolo vivo, exilado na ilha

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE PORTUGUÊS - 8.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE PORTUGUÊS - 8.º ANO DE PORTUGUÊS - 8.º ANO Ano Letivo 2014 2015 PERFIL DO ALUNO No final do 8.º ano de escolaridade, o aluno deve ser capaz de: interpretar e produzir discursos/textos orais com diferentes graus de formalidade,

Leia mais

INFORMAÇÃO- EXAME EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS 3º CICLO DO ENSINO BÁSICO 2012

INFORMAÇÃO- EXAME EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS 3º CICLO DO ENSINO BÁSICO 2012 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PINHEIRO ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA INFORMAÇÃO- EXAME EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS 3º CICLO DO ENSINO BÁSICO 2012 1. INTRODUÇÃO O presente documento visa divulgar

Leia mais

Português Língua Estrangeira Teste (50 horas)

Português Língua Estrangeira Teste (50 horas) Português Língua Estrangeira Teste (50 horas) Nome: Data: A Importa-se de responder a umas perguntas? Está bem. Obrigado. 1 Como é que se chama? 2 O que é que faz? 3 Vive aqui agora? 4 Há quanto tempo

Leia mais

2º ANO CONTEÚDO ROCESSO SELETIVO 2016. O aluno deverá demonstrar habilidades de:

2º ANO CONTEÚDO ROCESSO SELETIVO 2016. O aluno deverá demonstrar habilidades de: 2º ANO de: reconhecer letras; reconhecer sílabas; estabelecer relação entre unidades sonoras e suas representações gráficas; ler palavras; ler frases; localizar informação explícita em textos; reconhecer

Leia mais

Critérios de Avaliação

Critérios de Avaliação Critérios de Avaliação Ano letivo 2013/2014 Critérios de Avaliação 2013/2014 Introdução As principais orientações normativas relativas à avaliação na educação pré-escolar estão consagradas no Despacho

Leia mais

Exercícios de gramática do uso da língua portuguesa do Brasil

Exercícios de gramática do uso da língua portuguesa do Brasil Sugestão: estes exercícios devem ser feitos depois de estudar a Unidade 1 por completo do livrotexto Muito Prazer Unidade 1 - I Pronomes pessoais Eu Tu 1 Você 2 / ele/ela A gente 3 Nós Vós 4 Eles/ elas

Leia mais

AULA 7 EMPREGO DAS CLASSES DE PALAVRAS III

AULA 7 EMPREGO DAS CLASSES DE PALAVRAS III AULA 7 EMPREGO DAS CLASSES DE PALAVRAS III MINISTÉRIO DA FAZENDA SUBSTANTIVO Substantivo provém da mesma família de substância, substancial, ou seja, algo necessário, fundamental. Sendo assim, os substantivos

Leia mais

DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2014/2015. Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos do Estreito de Câmara de Lobos

DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2014/2015. Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos do Estreito de Câmara de Lobos Escola Básica dos 2º e s do Estreito de Câmara de Lobos N.º do Código do Estabelecimento de Ensino 3102-202 N.º de Telefone: 291945614/15 Fax: 291947271 Grupos Disciplinares Áreas Curriculares Disciplinares

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE PORTUGUÊS 6.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE PORTUGUÊS 6.º ANO DE PORTUGUÊS 6.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO No final do 6.º ano de escolaridade, o aluno deve ser capaz de: interpretar e produzir textos orais com diferentes finalidades e coerência, apresentando

Leia mais

Professora Mirela. 17/08 (Segunda-feira) Turma 121. Conversa sobre "Combinados das Aulas de Inglês" e revisão do conteúdo das páginas 20 e 21

Professora Mirela. 17/08 (Segunda-feira) Turma 121. Conversa sobre Combinados das Aulas de Inglês e revisão do conteúdo das páginas 20 e 21 Professora Mirela 17/08 (Segunda-feira) Conversa sobre "Combinados das Aulas de Inglês" e revisão do conteúdo das páginas 20 e 21 Conversa sobre "Combinados das Aulas de Inglês" Tarefa: Pesquisar 10 palavras

Leia mais

LEITURA ORIENTADA NA SALA DE AULA

LEITURA ORIENTADA NA SALA DE AULA LEITURA ORIENTADA NA SALA DE AULA UMA AVENTURA NA CIDADE COLEÇÃO UMA AVENTURA ATIVIDADES PROPOSTAS Leitura integral na sala de aula, por capítulos, um ou dois por aula Compreensão da narrativa Distinção

Leia mais

O acesso a uma plataforma online "recheada" de propostas de atividades meticulosamente concebidas é uma outra das mais-valias deste projeto.

O acesso a uma plataforma online recheada de propostas de atividades meticulosamente concebidas é uma outra das mais-valias deste projeto. CARTAS Caros colegas, um professor não é apenas aquele que ensina, mas também o que se deixa aprender. E ainda há tanto para aprender... Com o NPP e metas curriculares, urge adquirirmos ferramentas para

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Planificação Anual de MACS 10º ano Ano Letivo 2014/2015

Leia mais

Encontro a propósito do inquérito do Sínodo dos Bispos sobre a família

Encontro a propósito do inquérito do Sínodo dos Bispos sobre a família METANOIA em Lisboa Encontro a propósito do inquérito do Sínodo dos Bispos sobre a família Algumas notas a partir da reflexão havida no dia 13 de dezembro de 2013 na qual participaram 43 pessoas Contexto

Leia mais

Planificação de Língua Portuguesa 9º ano

Planificação de Língua Portuguesa 9º ano Ano letivo: 2012/2013 Planificação de Língua Portuguesa 9º ano Competências gerais Competências específicas Conteúdos temáticos Conhecimento explícito Estratégias / Atividades Material Avaliação Tempo

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM 2º CICLO Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es): Currículo Nacional do Ensino Básico- Competências Essenciais Ciências Físicas

Leia mais

AGRUPAMENTO VERTICAL DE REDONDO ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DR. HERNÂNI CIDADE INFORMAÇÃO- PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA (ORAL E ESCRITA)

AGRUPAMENTO VERTICAL DE REDONDO ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DR. HERNÂNI CIDADE INFORMAÇÃO- PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA (ORAL E ESCRITA) INFORMAÇÃO- PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA (ORAL E ESCRITA) 1. INTRODUÇÃO ENSINO BÁSICO 2ºCICLO O presente documento visa divulgar as características do Exame de Equivalência à Frequência Escrita e

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº 4 DE ÉVORA. Critérios específicos de avaliação História

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº 4 DE ÉVORA. Critérios específicos de avaliação História Critérios específicos de avaliação História Ponto 1 : Informações gerais Os elementos de avaliação serão classificados de forma qualitativa, de acordo com a terminologia que a seguir se indica. A classificação

Leia mais

No Dia do Juízo, quando o Filho do Homem, na Sua glória, vier nos julgar, escreve o evangelista Mateus, Ele nos questionará sobre

No Dia do Juízo, quando o Filho do Homem, na Sua glória, vier nos julgar, escreve o evangelista Mateus, Ele nos questionará sobre Caridade e partilha Vivemos em nossa arquidiocese o Ano da Caridade. Neste tempo, dentro daquilo que programou o Plano de Pastoral, somos chamados a nos organizar melhor em nossos trabalhos de caridade

Leia mais

Escola E. B. 2,3 Miguel Torga S. Brás. Regimento do Departamento de Ciências Sociais e Humanas 2014/2018

Escola E. B. 2,3 Miguel Torga S. Brás. Regimento do Departamento de Ciências Sociais e Humanas 2014/2018 Escola E. B. 2,3 Miguel Torga S. Brás Regimento do Departamento de Ciências Sociais e Humanas 2014/2018 O presente Regimento tem por referência o anexo I do Decreto Lei nº 200/2007 de 22 de Maio e o Regulamento

Leia mais

Organização do Quadro Social

Organização do Quadro Social Organização do Quadro Social NÚCLEO COOPERATIVO: DIAGNOSE Elaborado por: Dr. Gláucio Nóbrega Organização do Quadro Social O QUE É ISSO? OQS - Definições Criação de Grupos (Núcleos) de Cooperados para o

Leia mais

AVALIAÇÃO NAS DISCIPLINAS CURRICULARES

AVALIAÇÃO NAS DISCIPLINAS CURRICULARES ESCOLA BÁSICA LUÍS DE STTAU MONTEIRO - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº1 DE LOURES AVALIAÇÃO NAS DISCIPLINAS CURRICULARES DOMÍNIOS / CRITÉRIOS 3º Ciclo DISCIPLINA COGNITIVO / OPERATIVO E INSTRUMENTAL CONHECIMENTOS

Leia mais

Esta agenda é composta por materiais fotocopiáveis e editáveis* que o/a ajudarão na sua organização e informação escolar do dia a dia.

Esta agenda é composta por materiais fotocopiáveis e editáveis* que o/a ajudarão na sua organização e informação escolar do dia a dia. Agenda do Professor Esta agenda é composta por materiais fotocopiáveis e editáveis* que o/a ajudarão na sua organização e informação escolar do dia a dia. *Disponível em formato Word no e-manual Premium.

Leia mais

Modelo de Projetos Internacionais Conhecer para preservar: animais em extinção Faixa etária: 11 a 14 anos (Ensino Fundamental II) Duração: 2 meses

Modelo de Projetos Internacionais Conhecer para preservar: animais em extinção Faixa etária: 11 a 14 anos (Ensino Fundamental II) Duração: 2 meses Modelo de Projetos Internacionais Conhecer para preservar: animais em extinção Faixa etária: 11 a 14 anos (Ensino Fundamental II) Duração: 2 meses Resumo O objetivo da atividade é que os estudantes aprendam

Leia mais

EDITAL N 56/2013 UEPA PRÊMIO MELHOR TCC 2012

EDITAL N 56/2013 UEPA PRÊMIO MELHOR TCC 2012 A Universidade do Estado do Pará, por meio da Pró-Reitoria de Graduação, torna público no âmbito desta Instituição o processo de seleção de Trabalhos de conclusão de Curso produzidos por estudantes de

Leia mais

AVALIAÇÃO NAS DISCIPLINAS CURRICULARES

AVALIAÇÃO NAS DISCIPLINAS CURRICULARES ESCOLA BÁSICA LUÍS DE STTAU MONTEIRO - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº1 DE LOURES AVALIAÇÃO NAS DISCIPLINAS CURRICULARES DOMÍNIOS / CRITÉRIOS 2º Ciclo DISCIPLINA COGNITIVO / OPERATIVO E INSTRUMENTAL CONHECIMENTOS

Leia mais

1ª Leitura - Gn 1,20-2,4a

1ª Leitura - Gn 1,20-2,4a 1ª Leitura - Gn 1,20-2,4a Façamos o homem à nossa imagem e segundo a nossa semelhança. Leitura do Livro do Gênesis 1,20-2,4a 20Deus disse: 'Fervilhem as águas de seres animados de vida e voem pássaros

Leia mais

DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110. Planificação Anual /Critérios de avaliação. Disciplina: Português 1.º ano 2015/2016

DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110. Planificação Anual /Critérios de avaliação. Disciplina: Português 1.º ano 2015/2016 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANSELMO DE ANDRADE DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110 Planificação Anual /Critérios de avaliação Disciplina: Português 1.º ano 2015/2016 Domínio (Unidade / Tema) Subdomínio / Conteúdos

Leia mais

Critérios de Avaliação Educação Física

Critérios de Avaliação Educação Física M. E. - GEPE Critérios de Avaliação Educação Física Grupo Disciplinar de Educação Física 2015/2016 1. Introdução Na procura da qualidade, torna-se evidente o papel essencial desempenhado pelas estruturas

Leia mais

Se fizerem o que eu digo, terão paz

Se fizerem o que eu digo, terão paz Se fizerem o que eu digo, terão paz Vigília pela Paz, 2 de Abril de 2005, 21 Horas Celebrante - Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo Assembleia - Amen C. - Deus, vinde em nosso auxílio A. - Senhor,

Leia mais

As Metas Curriculares de Português, para o 3º Ciclo, apresentam cinco características essenciais:

As Metas Curriculares de Português, para o 3º Ciclo, apresentam cinco características essenciais: DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS PORTUGUÊS 9º ANO C Ano Letivo: 204 /205. Introdução / Metas Curriculares Na disciplina de Português o desenvolvimento do ensino será orientado por Metas Curriculares cuja definição

Leia mais

CRITÉRIOS DE CLASSIFICAÇÃO DOS ALUNOS. 1 - Currículo Nacional do Ensino Básico Competências Essenciais de Educação Física

CRITÉRIOS DE CLASSIFICAÇÃO DOS ALUNOS. 1 - Currículo Nacional do Ensino Básico Competências Essenciais de Educação Física CRITÉRIOS DE CLASSIFICAÇÃO DOS ALUNOS Os Critérios de Avaliação de Educação Física têm como base de referência os seguintes documentos: 1. Decreto-Lei nº 139 de 5 de julho de 2012 2. Currículo Nacional

Leia mais

O COORDENADOR PEDAGÓGICO COMO FORMADOR: TRÊS ASPECTOS PARA CONSIDERAR

O COORDENADOR PEDAGÓGICO COMO FORMADOR: TRÊS ASPECTOS PARA CONSIDERAR Título do artigo: O COORDENADOR PEDAGÓGICO COMO FORMADOR: TRÊS ASPECTOS PARA CONSIDERAR Área: Gestão Coordenador Pedagógico Selecionadora: Maria Paula Zurawski 16ª Edição do Prêmio Victor Civita Educador

Leia mais

Um TOTEM para comemorar os 30 anos da Escola Curumim!

Um TOTEM para comemorar os 30 anos da Escola Curumim! Um TOTEM para comemorar os 30 anos da Escola Curumim! Recordando o passado, fazendo marcas no presente e construindo lembranças para o futuro. Texto e montagem: Gláucia de Melo Ferreira No ano de 2008,

Leia mais

Formanda: Sónia Machado Garcia Formadoras: Rosa Santos e Isabel Silva. Ano letivo 2013/2014

Formanda: Sónia Machado Garcia Formadoras: Rosa Santos e Isabel Silva. Ano letivo 2013/2014 Formanda: Sónia Machado Garcia Formadoras: Rosa Santos e Isabel Silva Ano letivo 2013/2014 ATIVIDADE 1 DOMÍNIO: ORALIDADE 4º ANO A MÁQUINA DE FAZER PALAVRAS Objetivo: Escutar para aprender e construir

Leia mais

Prova Escrita de Português

Prova Escrita de Português EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho Prova Escrita de Português Alunos com deficiência auditiva de grau severo ou profundo 12.º Ano de Escolaridade Prova 239/2.ª

Leia mais

Trabalhode Conclusão de Curso 1 GSI535. Prof. Dr. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU

Trabalhode Conclusão de Curso 1 GSI535. Prof. Dr. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Trabalhode Conclusão de Curso 1 GSI535 Prof. Dr. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Trabalhode Conclusão de Curso 1 GSI535 Slides criados com base no livro Metodologia de Pesquisa para Ciência da Computação

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 21 Discurso na cerimónia de instalação

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 2015/2016

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 2015/2016 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 2015/2016 I INTRODUÇÃO De acordo com a legislação em vigor, a avaliação é um elemento integrante e regulador de todo o processo de ensino aprendizagem. A avaliação visa promover

Leia mais

Escola Evaristo Nogueira

Escola Evaristo Nogueira Escola Evaristo Nogueira Grupo Disciplinar de Educação Física Ano Lectivo 2014 / 2015 Critérios de Avaliação Os critérios de avaliação constituem referenciais dos professores que lecionam as disciplinas

Leia mais

Escola E.B. 2/3 dos Olivais

Escola E.B. 2/3 dos Olivais Escola E.B. 2/3 dos Olivais Esta planificação foi concebida como um instrumento necessário. Os objectivos da Educação Física no ensino básico bem como os princípios de organização das actividades nas aulas,

Leia mais

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Presidência do Governo Secretário Regional Adjunto da Presidência Gabinete do Secretário

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Presidência do Governo Secretário Regional Adjunto da Presidência Gabinete do Secretário Excelência, Em resposta ao Requerimento em epígrafe, cumpre-me transmitir a V. Exª. a seguinte informação: 1. Repondo a verdade histórica da constituição do Clube de Golfe da Ilha Terceira, designado também

Leia mais

ENCONTROS REFLETIR PARA MELHORAR CONCLUSÕES

ENCONTROS REFLETIR PARA MELHORAR CONCLUSÕES ENCONTROS REFLETIR PARA MELHORAR CONCLUSÕES Estruturas responsáveis pela implementação das ações de melhoria: 1. Conselho Geral/Direção/ Conselho Pedagógico; 2. Departamentos curriculares; 3. Conselhos

Leia mais

Valores Educacionais. Aula 4 Respeito pelos Outros

Valores Educacionais. Aula 4 Respeito pelos Outros Valores Educacionais Aula 4 Respeito pelos Outros Objetivos 1 Apresentar o valor Respeito pelos Outros. 2 Indicar possibilidades de aplicação pedagógica do valor Respeito pelos Outros. Introdução Esta

Leia mais

Grupo de Educação Especial

Grupo de Educação Especial Grupo de Educação Especial Critérios Gerais de Avaliação 2015/2016 De acordo com o Despacho normativo n.º 24-A/2012, artigo 8.º (ponto 10): 10 A informação resultante da avaliação sumativa dos alunos do

Leia mais

Metas Curriculares de Português

Metas Curriculares de Português Metas Curriculares de Português Ensino Básico 2.º Ciclo O domínio da ORALIDADE Helena C. Buescu, Maria Regina Rocha, Violante F. Magalhães Objetivos e Descritores de Desempenho Oralidade 5.º Ano Objetivos

Leia mais

OLIMPVS.NET. Capítulo Áreas / Disciplinas

OLIMPVS.NET. Capítulo Áreas / Disciplinas VOLUME 1 GUIÕES INTERDISCIPLINARES Capítulo Áreas / Disciplinas 1 Psicólogos e diretores de turma 2 História; Geografia 3 Psicólogos e Diretores de Turma ; Geografia 4 Matemática; História 5 História 6

Leia mais

Os Legados da Reforma Protestante. Sobre o Indivíduo 2/9

Os Legados da Reforma Protestante. Sobre o Indivíduo 2/9 Os Legados da Reforma Protestante Sobre o Indivíduo 2/9 Criado por Pedro Siena Neto em 03/2015 O legado da reforma sobre o indivíduo o trabalho a comunidade a intervenção divina a educação a economia o

Leia mais

EXAME PARA CONTABILISTA CERTIFICADO DELIBERAÇÃO Nº 001/CTEC/2013 - NOVEMBRO-DEZEMBRO DE 2013 PROVA DE ESTATÍSTICA E MATEMÁTICA FINANCEIRA

EXAME PARA CONTABILISTA CERTIFICADO DELIBERAÇÃO Nº 001/CTEC/2013 - NOVEMBRO-DEZEMBRO DE 2013 PROVA DE ESTATÍSTICA E MATEMÁTICA FINANCEIRA DELIBERAÇÃO Nº 001/CTEC/2013 - NOVEMBRO-DEZEMBRO DE 2013 PROVA DE I - Ao receber o Enunciado da Prova escreva seu nome e número do documento de identificação. II - Ao entregar a Prova, depois de resolvida,

Leia mais

PORTO EDITORA AREAL EDITORES LISBOA EDITORA. Manual do Utilizador. Aluno. www.escolavirtual.pt

PORTO EDITORA AREAL EDITORES LISBOA EDITORA. Manual do Utilizador. Aluno. www.escolavirtual.pt PORTO EDITORA AREAL EDITORES LISBOA EDITORA Manual do Utilizador Aluno www.escolavirtual.pt 1 2 www.escolavirtual.pt Índice Escola Virtual Informação para Pais e Educadores 05 Escola Virtual Informação

Leia mais

Caridade quaresmal. Oração Pai-nosso S. João Bosco Rogai por nós. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Bom dia a todos!

Caridade quaresmal. Oração Pai-nosso S. João Bosco Rogai por nós. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Bom dia a todos! 2ª feira, 09 de março: Dar esmola Bom dia! Há gestos que nesta altura a quaresma, ganham uma dimensão ainda maior. Enchem-nos. Um dia, uma mulher vestida de trapos velhos percorria as ruas de uma aldeia

Leia mais

A ESCOLA CULTURAL COMO RESPOSTA À DISPERSÃO E DESARTICULAÇÃO CURRICULAR. Ramiro Marques Instituto Politécnico de Santarém

A ESCOLA CULTURAL COMO RESPOSTA À DISPERSÃO E DESARTICULAÇÃO CURRICULAR. Ramiro Marques Instituto Politécnico de Santarém A ESCOLA CULTURAL COMO RESPOSTA À DISPERSÃO E DESARTICULAÇÃO CURRICULAR Ramiro Marques Instituto Politécnico de Santarém Passada quase uma década após a reorganização curricular dos 2º e 3º ciclos, que

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FIGUEIRA MAR 2014/2015 Curso Vocacional - Planificação anual de Português Número total de aulas: 110

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FIGUEIRA MAR 2014/2015 Curso Vocacional - Planificação anual de Português Número total de aulas: 110 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FIGUEIRA MAR 2014/2015 Curso Vocacional - Planificação anual de Português Número total de aulas: 110 Módulo 1 Técnicas e modelos de 35 aulas Notícia Reportagem Entrevista Carta Requerimento

Leia mais

2-Educação para o desenvolvimento sustentável e para o consumo CURRÍCULO OFERTA COMPLEMENTAR -8º ANO DE ESCOLARIDADE

2-Educação para o desenvolvimento sustentável e para o consumo CURRÍCULO OFERTA COMPLEMENTAR -8º ANO DE ESCOLARIDADE Página 1 de 5 TEMÁTICAS: 1- Educação para a sexualidade 2-Educação para o desenvolvimento sustentável e para o consumo CURRÍCULO OFERTA COMPLEMENTAR -8º ANO DE ESCOLARIDADE EDUCAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Perguntas para Testar a Compreensão de Gálatas

Perguntas para Testar a Compreensão de Gálatas 1:1-5 Perguntas para Testar a Compreensão de Gálatas 1:6-10 1:11-24 P1: Qual é a coisa principal que Paulo diz aqui? R: Ele saúda os cristãos de Galácia. P2: O que Paulo diz sobre a sua obra como apóstolo?

Leia mais

PRINCÍPIOS DA INSTRUÇÃO PROGRAMADA 1. Se você ler cada um dos quadros cuidadosamente, provavelmente cometerá muito poucos erros.

PRINCÍPIOS DA INSTRUÇÃO PROGRAMADA 1. Se você ler cada um dos quadros cuidadosamente, provavelmente cometerá muito poucos erros. PRINCÍPIOS DA INSTRUÇÃO PROGRAMADA 1 INSTRUÇÕES Existem diferenças entre um Curso Programado ou Programa em Instrução Programada e um livro - texto comum. A primeira diferença é que o material se apresenta

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DE COORDENADOR DE

RELATÓRIO FINAL DE COORDENADOR DE ANEXO IV RELATÓRIO FINAL DE COORDENADOR DE GRUPO ANO LETIVO 2013/2014 I.- CARATERIZAÇÃO DO GRUPO DISCIPLINAR Coordenadora do grupo disciplinar de Francês e Espanhol: Ana Cristina Bernardes Tavares Fazem

Leia mais

ESCOLA BÁSICA FERNANDO CALDEIRA Currículo de Português. Departamento de Línguas. Currículo de Português - 7º ano

ESCOLA BÁSICA FERNANDO CALDEIRA Currículo de Português. Departamento de Línguas. Currículo de Português - 7º ano Departamento de Línguas Currículo de Português - Domínio: Oralidade Interpretar discursos orais com diferentes graus de formalidade e complexidade. Registar, tratar e reter a informação. Participar oportuna

Leia mais

Bispo Sr. Dr. Gebhard Fürst. O ESPÍRITO É VIVIFICADOR Desenvolver a Igreja em muitos lugares

Bispo Sr. Dr. Gebhard Fürst. O ESPÍRITO É VIVIFICADOR Desenvolver a Igreja em muitos lugares Bispo Sr. Dr. Gebhard Fürst O ESPÍRITO É VIVIFICADOR Desenvolver a Igreja em muitos lugares Carta Pastoral dirigida às igrejas da diocese de Rotemburgo-Estugarda na Quaresma Pascal de 2015 Bispo Sr. Dr.

Leia mais

1º Domingo de Julho Conexão Kids -05/07/2015

1º Domingo de Julho Conexão Kids -05/07/2015 1º Domingo de Julho Conexão Kids -05/07/2015 Sinalizar o Amor de Deus através da obediência e do respeito! Objetivo: Mostrar a importância de respeitar as regras e obedecer aos pais e responsáveis. Reforçar

Leia mais

O processo de planejamento participativo da unidade escolar

O processo de planejamento participativo da unidade escolar O processo de planejamento participativo da unidade escolar Pedro GANZELI 1 Resumo: Nos últimos anos, com o avanço das políticas educacionais que postulam a descentralização, a gestão da unidade escolar

Leia mais

Valores Educacionais. Aula 2 Alegria do Esforço

Valores Educacionais. Aula 2 Alegria do Esforço Valores Educacionais Aula 2 Alegria do Esforço Objetivos 1 Apresentar o valor Alegria do Esforço. 2 Indicar possibilidades de aplicação pedagógica do valor Alegria do Esforço. Introdução As próximas aulas

Leia mais

Oralidade. Departamento Curricular de Língua Materna e Humanidades Ano Letivo 2015 / 2016

Oralidade. Departamento Curricular de Língua Materna e Humanidades Ano Letivo 2015 / 2016 DOMÍNIOS Oralidade Metas curriculares 1. Escutar para aprender e construir conhecimentos. 2. Produzir um discurso oral com correção. 3. Produzir discursos com diferentes finalidades, tendo em conta a situação

Leia mais

por Adelita Roseti Frulane

por Adelita Roseti Frulane A Companhia da Imaculada e São Domingos Sávio por Adelita Roseti Frulane Em 28 de dezembro de 1854, em Roma, o Papa Pio IX proclamou o Dogma de Fé da Imaculada Conceição de Maria Santíssima. E em Turim,

Leia mais

Você se lembra das três palavras abordadas na lição anterior: Revelação, inspiração e iluminação?

Você se lembra das três palavras abordadas na lição anterior: Revelação, inspiração e iluminação? A BÍBLIA Parte 2 Objetivo para mudança de vida: Dar ao estudante um senso profundo e duradouro de confiança em sua capacidade de entender a Bíblia. Capacidade esta que lhe foi dada por Deus. Você se lembra

Leia mais

OLIMPIADAS DE MATEMÁTICA E O DESPERTAR PELO PRAZER DE ESTUDAR MATEMÁTICA

OLIMPIADAS DE MATEMÁTICA E O DESPERTAR PELO PRAZER DE ESTUDAR MATEMÁTICA OLIMPIADAS DE MATEMÁTICA E O DESPERTAR PELO PRAZER DE ESTUDAR MATEMÁTICA Luiz Cleber Soares Padilha Secretaria Municipal de Educação de Campo Grande lcspadilha@hotmail.com Resumo: Neste relato apresentaremos

Leia mais

Ferramentas Básicas da Qualidade

Ferramentas Básicas da Qualidade PRO 2712 CONTROLE DA QUALIDADE 1 Ferramentas Básicas da Qualidade PRO 2712 CONTROLE DA QUALIDADE 2 AS SETE FERRAMENTAS BÁSICAS DA QUALIDADE Diagrama de Pareto Diagrama de Causa-e-Efeito Lista de Verificação

Leia mais

Critérios de Avaliação Departamento do 1º Ciclo. Ano letivo 2016/17. Domínios Indicadores VALOR

Critérios de Avaliação Departamento do 1º Ciclo. Ano letivo 2016/17. Domínios Indicadores VALOR Critérios de Avaliação Departamento do 1º Ciclo Ano letivo 2016/17 Os critérios de avaliação constituem referenciais comuns, no Agrupamento, sendo operacionalizados pelos professores da turma 1. Áreas

Leia mais

[Comentários sobre isso. Não transcrito, mas explicado em diário de campo]

[Comentários sobre isso. Não transcrito, mas explicado em diário de campo] [Visionamento das fotos] [Comentários sobre isso. Não transcrito, mas explicado em diário de campo] E- Então o que é que achaste das fotos? E7- Boas. Tá fixe. E- Faz-te lembrar coisas boas ou más? E7-

Leia mais

FICHA DE INSCRIÇÃO PRÊMIO PROFESSORES DO BRASIL 2015

FICHA DE INSCRIÇÃO PRÊMIO PROFESSORES DO BRASIL 2015 Bem - vindo ao Prêmio Professores do Brasil! FICHA DE INSCRIÇÃO PRÊMIO PROFESSORES DO BRASIL 2015 O processo de inscrição foi pensado para ajudá-lo a refletir sobre práticas de ensino e aprendizagem desenvolvidas

Leia mais

FICHA DA SEMANA 5º ANO A e B Instruções: 1- Cada atividade terá uma data de realização e deverá ser entregue a professora no dia seguinte; 2- As atividades deverão ser copiadas e respondidas no caderno,

Leia mais

Ano letivo 2015/2016. Agrupamento de Escolas Dr. José Leite de Vasconcelos. Av. Dr. Francisco Sá Carneiro - 3610 134 Tarouca

Ano letivo 2015/2016. Agrupamento de Escolas Dr. José Leite de Vasconcelos. Av. Dr. Francisco Sá Carneiro - 3610 134 Tarouca Agrupamento de Escolas Dr. José Leite de Vasconcelos Av. Dr. Francisco Sá Carneiro - 3610 134 Tarouca Ano letivo 2015/2016 AEDJLV - Tarouca (Código 151944) Sede: Escola Básica e Secundária Dr. José Leite

Leia mais

OFICIAL DE SERVIÇOS GERAIS (FEMININO) PORTUGUÊS

OFICIAL DE SERVIÇOS GERAIS (FEMININO) PORTUGUÊS OFICIAL DE SERVIÇOS GERAIS (FEMININO) PORTUGUÊS 01. Em cada alternativa a seguir, observe a palavra em destaque e a sua devida flexão de plural. Em seguida, indique a única alternativa que contém erro

Leia mais

Português Abril 2015

Português Abril 2015 Direção Geral de Estabelecimentos Escolares AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PÓVOA DE LANHOSO - 150915 Informação Prova Final de ciclo a nível de escola Português Abril 2015 Prova 81/ 2015 3.º Ciclo do Ensino

Leia mais

O JOGO NO ENSINO DE POTÊNCIAS DE NÚMEROS INTEIROS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

O JOGO NO ENSINO DE POTÊNCIAS DE NÚMEROS INTEIROS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA O JOGO NO ENSINO DE POTÊNCIAS DE NÚMEROS INTEIROS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA Adelson Carlos Madruga Universidade Federal da Paraíba adelsoncarlos1992@hotmail.com Elizangela Mario da Silva Universidade Federal

Leia mais

AUTORIA NO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO. Reunião Geral TCC 2011 Prof. Laíssa Eschiletti Prati

AUTORIA NO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO. Reunião Geral TCC 2011 Prof. Laíssa Eschiletti Prati AUTORIA NO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Reunião Geral TCC 2011 Prof. Laíssa Eschiletti Prati Autoria Processo pessoal de construção de um texto Apropriação de conteúdos construídos por outros autores

Leia mais

Quem será o campeão? Dinâmica 2. Professor. 9º Ano 4º Bimestre. DISCIPLINA Ano CAMPO CONCEITO DINÂMICA. Tratamento da Informação.

Quem será o campeão? Dinâmica 2. Professor. 9º Ano 4º Bimestre. DISCIPLINA Ano CAMPO CONCEITO DINÂMICA. Tratamento da Informação. Reforço escolar M ate mática Quem será o campeão? Dinâmica 2 9º Ano 4º Bimestre DISCIPLINA Ano CAMPO CONCEITO Professor Matemática Ensino Fundamental 9º DINÂMICA Quem será o campeão? Tratamento da Informação.

Leia mais

FESTA DO Pai-Nosso. 1º ano. Igreja de S. José de S. Lázaro. 7 de Maio de 2005

FESTA DO Pai-Nosso. 1º ano. Igreja de S. José de S. Lázaro. 7 de Maio de 2005 FESTA DO Pai-Nosso Igreja de S. José de S. Lázaro 1º ano 1 7 de Maio de 2005 I PARTE O acolhimento será feito na Igreja. Cada criança ficará com os seus pais nos bancos destinados ao seu catequista. Durante

Leia mais

AGRUPAMENTO ESCOLAS DE REDONDO Escola Básica e Secundária Dr. Hernâni Cidade. INGLÊS Abril de 2015 PROVA 06 2º Ciclo do Ensino Básico

AGRUPAMENTO ESCOLAS DE REDONDO Escola Básica e Secundária Dr. Hernâni Cidade. INGLÊS Abril de 2015 PROVA 06 2º Ciclo do Ensino Básico AGRUPAMENTO ESCOLAS DE REDONDO Escola Básica e Secundária Dr. Hernâni Cidade INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA (ORAL E ESCRITA) INGLÊS Abril de 2015 PROVA 06 2º Ciclo do Ensino Básico I. INTRODUÇÃO

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Documento orientador

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Documento orientador CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Documento orientador 1. ENQUADRAMENTO LEGAL Compete ao conselho pedagógico, enquanto órgão de gestão pedagógica da escola, definir, anualmente, os critérios gerais de avaliação e

Leia mais

CURSOS DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS

CURSOS DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS CURSOS DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS Os Cursos de Educação e Formação de Adultos (cursos EFA) são um instrumento fundamental para a qualificação da população adulta. Os Cursos EFA são destinados a

Leia mais

Licenciatura em: Design HISTÓRIA DA ARTE E DA TÉCNICA. EVOLUÇÃO DO DESIGN AUTOMÓVEL (BMW Séries 5)

Licenciatura em: Design HISTÓRIA DA ARTE E DA TÉCNICA. EVOLUÇÃO DO DESIGN AUTOMÓVEL (BMW Séries 5) Licenciatura em: Design HISTÓRIA DA ARTE E DA TÉCNICA Assim: 9; com ref. às fontes: 12-13 EVOLUÇÃO DO DESIGN AUTOMÓVEL (BMW Séries 5) Autores: André Sequeira 1º - A1 20110039 João Almeida 1º - A1 20110309

Leia mais

Eu quero, mais uma vez, cumprimentar o nosso amigo Jacques Diouf, diretor-geral da FAO,

Eu quero, mais uma vez, cumprimentar o nosso amigo Jacques Diouf, diretor-geral da FAO, Discurso do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de apresentação da agenda das ações preparatórias da comemoração do Dia Mundial da Alimentação Data: 07/10/2004 Eu quero, mais

Leia mais

A Necessidade de Realizar a Avaliação de Desempenho dos Recursos Humanos: O Ponto de Concórdia

A Necessidade de Realizar a Avaliação de Desempenho dos Recursos Humanos: O Ponto de Concórdia A Necessidade de Realizar a Avaliação de Desempenho dos Recursos Humanos: O Ponto de Concórdia Alexandre Pires DREAlentejo "Aprender sem pensar é tempo perdido." Confúcio A avaliação é-nos familiar a todos.

Leia mais

Treinamento Especialistas de Estacas e demais membros do Comitê de Autossuficiência da Estaca 26 Mar 2015

Treinamento Especialistas de Estacas e demais membros do Comitê de Autossuficiência da Estaca 26 Mar 2015 Treinamento Especialistas de Estacas e demais membros do Comitê de Autossuficiência da Estaca 26 Mar 2015 Iniciaremos o treinamento às 20 horas pontualmente (horário de Brasília) Por favor, aguarde alguns

Leia mais

CEF 2 PLANIFICAÇÃO ANUAL. Tecnologias da Informação e. Comunicação. Ano Letivo: 2012/2013 E 2013/2014. Professora: Marlene Fernandes

CEF 2 PLANIFICAÇÃO ANUAL. Tecnologias da Informação e. Comunicação. Ano Letivo: 2012/2013 E 2013/2014. Professora: Marlene Fernandes PLANIFICAÇÃO ANUAL Tecnologias da Informação e Comunicação CEF 2 Instalação e Operação de Sistemas Informáticos Ano Letivo: 2012/2013 E 2013/2014 Professora: Marlene Fernandes (Marlene Fernandes) / / Ano

Leia mais

Orientações de Como Estudar Segmento II

Orientações de Como Estudar Segmento II Orientações de Como Estudar Segmento II Aprender é uma tarefa árdua que exige esforço e método e por isso organizamos algumas dicas para ajudá-lo(la) a aprender Como Estudar! Você verá que as orientações

Leia mais