COMO FUNCIONA UM FORNO MICRO-ONDAS? PRODUÇÃO DE UM RECURSO DIDÁTICO PARA O ENSINO DE FÍSICA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COMO FUNCIONA UM FORNO MICRO-ONDAS? PRODUÇÃO DE UM RECURSO DIDÁTICO PARA O ENSINO DE FÍSICA"

Transcrição

1 COMO FUNCIONA UM FORNO MICRO-ONDAS? PRODUÇÃO DE UM RECURSO DIDÁTICO PARA O ENSINO DE FÍSICA Rodrigo Gonçalves Ferreira da Silva Roseli Constantino Schwerz Natalia Macedo Neves Deimling Cesar Vanderlei Deimling Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campo Mourão - Paraná Resumo: Considerando as dificuldades apresentadas pelos estudantes em relacionar alguns dos conteúdos abordados, especialmente nas disciplinas da área de ciências exatas, à prática cotidiana, objetivamos com este trabalho relatar o processo de produção de um vídeo que visa contribuir para a articulação entre conhecimentos científicos e fenômenos cotidianos para o desenvolvimento do processo de ensino-aprendizagem. Assim, tomando como base alguns conteúdos de física, tais como ondas eletromagnéticas e dipolo elétrico, esse vídeo discute o princípio de funcionamento de um forno micro-ondas. Para a produção desse recurso didático foi utilizada a técnica stop motion, na qual uma série de fotografias levemente diferenciadas de um mesmo objeto é apresentada em um curto intervalo de tempo entre elas, tendo em vista simular o movimento. Durante o processo, foram capturadas fotos de desenhos artesanais e, com o auxílio de softwares de edição, foi possível elaborar uma animação com uma narrativa inclusa. Além disso, para a discussão dos conteúdos e compreensão dos fenômenos exemplificados, foram levantadas ao longo do vídeo questões de ordem conceitual, científica e história, as quais visavam relacioná-los às possíveis curiosidades e dúvidas dos alunos, tendo como base uma teoria crítica de educação. Consideramos que esse vídeo pode ser utilizado por professores da educação básica como recurso didático para o trabalho com esses conteúdos de física. Neste caso, o mesmo poderia ser trabalhado no momento de síntese dos conteúdos, no qual os alunos são chamados a analisá-los em diferentes situações concretas. Palavras Chaves: Recurso didático, Educação básica, Fenômenos físicos.

2 1 INTRODUÇÃO A discussão sobre a importância da relação entre o conhecimento científico e o cotidiano na formação escolar tem permeado diversos estudos e pesquisas de diferentes áreas do conhecimento. Todavia, a despeito dos diferentes estudos e análises já realizadas ou em andamento, observamos ainda que, em muitas situações, os conteúdos estudados em âmbito escolar são trabalhados de forma desconexa da prática social, o que, frequentemente, faz com que os estudantes apresentem algumas dificuldades em relacionar os conteúdos curriculares à realidade cotidiana. Sabemos que tais dificuldades não estão relacionadas apenas a forma como o professor desenvolve os conteúdos em sala de aula, uma vez que essa forma depende, direta ou indiretamente, dos princípios e concepções, das finalidades e das condições objetivas e subjetivas que norteiam e permeiam a educação escolar e, mais especificamente, o processo de ensino-aprendizagem. Entretanto, partindo do princípio de que a educação, ainda que elemento determinado, não deixa de influenciar o elemento determinante, consideramos que a forma como os conteúdos são desenvolvidos em sala de aula também necessitam ser ponderados no momento de análise desse processo, tendo em vista, também, a transformação das concepções, finalidades e condições que estão postas. Assim, se consideramos a necessidade de um ensino que vise à articulação entre teoria e prática, precisamos igualmente pensar em algumas das condições materiais que são necessárias para que tal articulação seja favorecida dentro desse contexto. Nesse sentido, objetivamos com esse trabalho discutir o processo de elaboração de um vídeo que, tendo como base alguns conteúdos de física, visa contribuir para essa tão necessária articulação entre conhecimentos científicos e fenômenos cotidianos, constituindo-se como um dos muitos recursos e instrumentos mediadores que podem ser utilizados por professores e alunos no momento de discussão, análise e problematização dos conteúdos abordados em sala de aula. Essa relação dialética entre os conhecimentos científicos e cotidianos e o papel da educação na elaboração de saberes sistematizados é o foco de discussão da abordagem Histórico- Crítica, desenvolvida por Dermeval Saviani e discutida por aqueles que a defendem (LIBÂNEO, 2002; GASPARIN, 2003) enquanto abordagem do processo de ensinoaprendizagem. Baseada nos princípios do Materialismo Histórico-Dialético de Marx e Engels e considerando os fundamentos da Psicologia Histórico-Cultural de Vigotski, essa pedagogia argumenta que o pensamento analítico deve tomar como ponto de partida e de chegada a prática dos homens historicamente situados. Em sua teoria, Saviani (2009) defende que professor e alunos devem ter como ponto de partida da ação educativa os problemas postos pela prática social. No momento inicial de discussão desses problemas são considerados os conhecimentos prévios e de senso comum trazidos pelos alunos. Todavia, a partir da problematização das questões postas pela prática social em suas diferentes dimensões e da apropriação dos instrumentos teóricos e práticos necessários ao equacionamento desses problemas, esses conhecimentos são transformados em saber científico, sistematizado, sendo uma expressão elaborada da nova forma de entendimento da prática social a que se ascendeu. Trata-se, para o autor, da efetiva incorporação dos instrumentos culturais, transformados agora em elementos ativos de transformação social. Tomando como referência os princípios e pressupostos que fundamentam essa abordagem, foram apresentadas no vídeo algumas questões que estivessem relacionadas a alguns dos fenômenos físicos presentes no cotidiano, os quais, frequentemente, não são articulados ao

3 conhecimento teórico, científico e, na maioria dos casos, abstrato das teorias utilizadas na disciplina de física. Em muitos casos, essa disciplina foca apenas a linguagem matemática, a qual, sem dúvida, é imprescindível para a compreensão dos conteúdos; todavia, quando trabalhada sem a devida contextualização com o fenômeno físico e com as diferentes dimensões que o caracterizam, pode prejudicar a compreensão ampla e global sobre tais conteúdos e afasta-los da prática social. Esse é o caso, por exemplo, dos conteúdos de dipolo elétrico e ondas eletromagnéticas, os quais, além de muitos pré-requisitos matemáticos, exigem a compreensão de elementos que não são visivelmente perceptíveis ou palpáveis em nosso dia a dia, tais como átomos, carga elétrica, torque e conservação de energia, os quais, porém, se encontram presentes no funcionamento de um forno micro-ondas, por exemplo. Sendo assim, a produção de recursos didáticos que visem favorecer essa articulação entre conteúdos abstratos e realidade concreta torna-se um importante instrumento tanto para a internalização do conhecimento científico quanto para compreensão do contexto imediato e mediato. 2 OBJETIVOS Objetivamos com este trabalho relatar o processo de produção de um vídeo que, constituindose como recurso didático-pedagógico, visa contribuir para a compreensão de alguns dos conteúdos físicos e, mais especificamente, dos conteúdos relacionados ao funcionamento de um forno micro-ondas, tendo em vista sua articulação e problematização com alguns dos fenômenos físicos presentes em nosso dia a dia em diferentes dimensões. 3 MATERIAIS E MÉTODOS O vídeo relatado faz parte de um Projeto de Ensino denominado Objetos de aprendizagem para o ensino de Física, desenvolvido por professores e estudantes da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, campus Campo Mourão (UTFPR - CM), e que tem por objetivo o desenvolvimento de objetos de aprendizagem que abordem conteúdos da disciplina de física e os relacionem às diferentes situações cotidianas. De acordo com o Institute of Electrical and Electronic Engineers (IEEE), os objetos de aprendizagem são definidos como "qualquer entidade, digital ou não digital, que possa ser utilizada, reutilizada ou referenciada durante o aprendizado suportado por tecnologias". Esses recursos podem assumir diferentes formatos como textos, imagens, simulações, animações etc., mas, para que possam contribuir para o processo de aquisição de conhecimento, é necessário que haja um propósito educacional para sua utilização. E este foi o propósito deste trabalho. Em um primeiro momento, foi realizada uma série de reuniões entre o aluno bolsista do projeto do projeto e seus orientadores, a fim de que fosse possível selecionar alguns temas da física que seriam interessantes de serem abordados em uma animação e que pudessem se relacionar e ser explicados a partir da compreensão e problematização de eventos cotidianos. Dentre os temas sugeridos pelo próprio bolsista, os conteúdos físicos envolvidos ao funcionamento de um forno micro-ondas foram escolhidos. A justificativa para a escolha desse tema reside no fato de que muitas vezes os estudantes não percebem o quanto os objetos e situações rotineiras podem estar relacionados aos conceitos estudados em âmbito escolar. Após isso, selecionado o conteúdo, novas reuniões foram realizadas no intuito de discutir quais processos e explicações seriam abordadas para a produção deste material, bem como de elaborar o planejamento da atividade. O planejamento da atividade foi realizado tendo como base os princípios e pressupostos que fundamentam a Pedagogia Histórico-Crítica (SAVIANI, 2009; GASPARIN, 2003). Conforme essa abordagem, o pensamento analítico deve tomar como ponto de partida e de chegada a

4 prática dos homens historicamente situados. Assim, nesse momento de planejamento, foram discutidos os pré-requisitos que seriam necessários para a compreensão do conteúdo que seria abordado no vídeo. Em seguida, com o objetivo de partir da prática social, foram discutidos os saberes de senso comum que os estudantes do ensino médio poderiam apresentar sobre o conteúdo, bem como algumas questões que poderiam se configurar como curiosidade sobre o mesmo. Por meio dessa discussão, foram selecionadas as questões que serviriam de base para a problematização do conteúdo, tendo como ponto de partida alguns fenômenos da realidade. Tal problematização abrangia diferentes dimensões do conteúdo, tais como a dimensão conceitual, científica, histórica e de saúde. Dando continuidade ao planejamento do vídeo, numa sucessão de reuniões, o estudante, sob orientação dos professores orientadores do projeto, elaborou uma síntese sobre o conteúdo que seria abordado, tendo em vista as dimensões selecionadas para discussão. Para tanto, foram utilizadas algumas obras, tais como HALLIDAY (2009), FUKE (2007), LUZ e ÁLVARES (2007). A partir dessa síntese, foi elaborada a narrativa que seria utilizada na animação e, em seguida, foram discutidos os recursos e instrumentos que seriam necessários para a elaboração do vídeo. Os principais recursos utilizados foram: folhas sulfite, materiais para desenho, microfone para a captação da narrativa, softwares de edição de imagem e produção de vídeos, uma câmera digital para captura das imagens e um suporte para sua fixação (figura 1) sendo este último confeccionado pelo próprio aluno bolsista. Figura 1: Foto da câmera sobre seu suporte, focando alguns desenhos iluminados por uma luminária. Após a organização dos recursos, partiu-se para a etapa de produção do vídeo, na qual foi utilizada a técnica stop motion. De modo geral, essa técnica utiliza uma série de fotografias diferenciadas de um mesmo alvo que, quando passadas em um curto intervalo de tempo, simulam o seu movimento. Além disso, todos os desenhos utilizados no vídeo foram

5 elaborados pelo bolsista, o que o caracteriza como uma produção integralmente artesanal. Ao longo do processo, foram capturadas fotos desses desenhos e, com o auxílio de softwares de edição, foi possível elaborar a animação com uma narrativa de fundo. Tal narrativa, baseada na síntese anteriormente elaborada, foi gravada em um estúdio de gravações da UTFPR - CM. O vídeo, intitulado Como funciona um forno micro-ondas possui, ao todo, 4min20seg de duração e aproximadamente de 570 imagens. 4 RESULTADOS Tendo em vista discutir as principais ideias que fundamentam os conteúdos relacionados ao funcionamento do forno micro-ondas, o vídeo produzido apresenta questões que visam articulá-lo a algumas situações e fenômenos físicos cotidianos em suas diferentes dimensões. Inicialmente, de acordo com o planejamento elaborado para sua produção, foram levantados alguns pré-requisitos que seriam necessários à compreensão dos conteúdos abordados, tais como os conceitos de carga elétrica, torque e conservação de energia. Tomando como base as questões abordadas no planejamento da atividade, a animação tem início com uma pergunta ao expectador: Como funciona um forno micro-ondas? A partir deste questionamento, o vídeo inicia a discussão mostrando o processo de aquecimento de um forno tradicional e salientando o fato de o forno micro-ondas utilizar, ao contrário do primeiro, apenas a energia elétrica para o seu funcionamento. A Figura 2 representa a sequência de imagens utilizadas no vídeo sobre essa discussão: Figura 2: Imagens utilizadas na comparação entre os processos de aquecimento do fogão convencional e do forno micro-ondas - ordenadas da direita para a esquerda e de cima para baixo. Dando continuidade à discussão, o vídeo prossegue abordando a dimensão histórica relacionada à origem do forno micro-ondas. De acordo com Sanseverino (2002), seu princípio de funcionamento foi descoberto por Percy L. Spencer enquanto trabalhava em um projeto de desenvolvimento de radares na época da Segunda Guerra Mundial. Segundo o ator, Spencer notou o derretimento de uma barra de chocolate contida em seu bolso durante os testes nos

6 equipamentos e, com isso, relacionou o efeito de aquecimento com a incidência das ondas eletromagnéticas. As imagens que representam essa discussão no vídeo podem ser observadas na Figura 3: Figura 3: Descoberta acidental de que as micro-ondas poderiam ser utilizadas no processo de aquecimento de alimentos. Em seguida, tendo em vista introduzir a dimensão conceitual e científica do conteúdo, a animação segue apresentando os dois principais conceitos-base para a compreensão do funcionamento de um forno micro-ondas: (1) dipolo elétrico e (2) ondas eletromagnéticas. Na figura 4 podemos observar a sequência de imagens utilizadas para a explicação sobre a constituição das ondas eletromagnéticas e as situações nas quais podem ser encontradas: Figura 4: Constituição de uma onda eletromagnética e sua presença na utilização de equipamentos cotidianos. No vídeo, as ondas eletromagnéticas são apresentadas como sendo constituintes de campos elétricos e campos magnéticos oscilantes. Tendo em vista construir uma ponte entre os possíveis conhecimentos prévios e cotidianos do espectador e o conhecimento científico, o vídeo exemplifica algumas situações nas quais as ondas eletromagnéticas estão presentes

7 como, por exemplo, nos meios de comunicação, tais como aparelhos de rádio, televisores e telefones celulares. Com base nessa discussão, as micro-ondas são explicadas no vídeo como ondas eletromagnéticas com pequenos comprimentos de onda, o que justifica sua denominação. Em seguida, o vídeo aborda o conceito de dipolo elétrico explicando o torque produzido sobre ele por um campo elétrico, na tendência de se alinharem. Nesse momento, a molécula de água é então apresentada como um dipolo, uma vez que, devido a sua constituição, é mais positiva do lado no qual se encontram os dois átomos de hidrogênio e mais negativa no lado oposto. Algumas imagens utilizadas para essa discussão das dimensões conceitual e científica do conteúdo podem ser observadas na Figura 5. Figura 5: Abordagem do conceito de dipolo elétrico, a molécula polar da água, e o movimento de rotação de um dipolo elétrico na tendência de se alinhar ao campo elétrico presente. Como discutido no vídeo, as ondas eletromagnéticas utilizadas no forno micro-ondas oscilam continuamente. Na mesma frequência, as moléculas da água se movem, a fim de se alinharem aos campos elétricos e magnéticos da onda incidente. Graças a estas contínuas rotações, verificamos o aumento de temperatura do corpo que contém água, já que a temperatura de um corpo está diretamente relacionada ao grau de agitação de suas moléculas e átomos, (BARBOZA et al., 2001). Prosseguindo à discussão, o vídeo esclarece a função do revestimento metálico presente no forno de micro-ondas. Nesse momento, é explicado que tal revestimento é necessário para o melhor desempenho do aparelho, uma vez que proporciona as reflexões das micro-ondas eletromagnéticas nas paredes de metal, protegendo as pessoas que estiverem próximas desse objeto. Com isso, problematizamos também a dimensão de saúde implicada na discussão do conteúdo, tendo em vista, novamente, relacioná-lo à realidade cotidiana. Ao final, após as discussões e problematizações sobre o conteúdo, o vídeo retorna à questão inicialmente apresentada, discutindo como a energia elétrica que alimenta o aparelho pode se transformar em energia térmica responsável por aquecer os alimentos e bebidas. Com isso, o narrador busca mostrar ao expectador a importância da física para a compreensão da realidade prática e para a transformação de uma compreensão muitas vezes confusa e fragmentada dessa realidade para uma visão mais organizada e científica da mesma, tendo em vista suas

8 diferentes dimensões. Ao longo de todo esse processo, a realidade cotidiana foi, portanto, tomada como ponto de partida (momento no qual as ideias se apresentam a nível se senso comum) e de chegada (momento em que as ideias se apresentam nível de consciência científica, sintética) do pensamento analítico. 5 CONCLUSÕES Com este vídeo, buscamos apresentar uma alternativa viável de produção de recursos didáticos para o ensino de física. Neste caso particular, sua produção favoreceu a aprendizagem do bolsista, uma vez que, por meio deste, o estudante pode aprofundar seus conhecimentos sobre o conteúdo abordado e, colocando-se também no papel de mediador, refletir sobre as possibilidades de transformá-lo com conteúdo de ensino. Além disso, este trabalho lhe permitiu analisar problemas e propor meio de contorná-los; demonstrar sua criatividade; desenvolver maneiras de organizar e expor suas atividades e desenvolver o senso crítico e a responsabilidade sobre o desenvolvimento de um trabalho. Assim, pode-se considerar que esta atividade contribuiu de maneira significativa para sua formação acadêmica. Da mesma forma, o desenvolvimento deste trabalho possibilitou o trabalho colaborativo entre os envolvidos no projeto, os quais objetivaram, igualmente, a aprendizagem daqueles que fizerem uso deste recurso. Consideramos que esse vídeo possa ser utilizado por professores da educação básica como recurso didático para o trabalho com esses conteúdos em sala de aula. Neste caso, o mesmo poderia ser trabalhado no momento de síntese dos conteúdos, no qual os alunos são chamados a analisá-los em diferentes situações concretas. Todavia, é importante que sua utilização esteja associada a uma discussão abrangente e aprofundada sobre os conteúdos abordados e à atuação mediadora do professor, uma vez que este recurso, por si só, não garante a aprendizagem desses conteúdos. Ao contrário, este vídeo deve ser tomado como um dos muitos recursos que podem ser utilizados pelos professores no momento de problematização de tais conteúdos, tendo em vista sua relação indissociável com a prática humana e social. É importante ressaltar que os procedimentos metodológicos utilizados neste projeto podem também ser replicados em outras situações de ensino, por outros professores e alunos tanto do ensino superior quanto do ensino médio. Este projeto de produção de objetos de aprendizagem continua em desenvolvimento, tendo sempre como foco a abordagem de conteúdos da disciplina de Física e sua problematização a partir de situações práticas da realidade cotidiana. Futuramente, todos os vídeos produzidos serão disponibilizados em uma web site para o acesso da comunidade. Agradecimentos Este trabalho teve o apoio financeiro da Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional da UTFPR, de acordo com o Edital 021/2013, bem como a colaboração da Coordenação de Tecnologia na Educação da UTFPR, câmpus Campo Mourão. 6 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BARBOZA, A. C. R. N; Aquecimento em um forno micro-ondas/desenvolvimento de alguns conceitos fundamentais; Quim. Nova, Vol. 24, No. 6, , FUKE, Luiz Felipe. Alicerces da Física. Eletricidade, física moderna, análise dimensional. Vol. 3. Editora Saraiva, GASPARIN, J. L. Uma didática da Pedagogia Histórico-Crítica. 2 ed. Campinas/SP: Autores Associados, (Coleção educação contemporânea).

9 HALLIDAY, D.; RESNICK, R.; WALKER, J. Fundamentos de Física. Vol ed. Editora LTC, IEEE - Institute of Electrical and Electronic Engineers. Learning Technology Standards Committee (LTSC). Learning Objects Metadata (LOM). Disponível em:<http://www.ieeeltsc.org>. Acesso em 05 de junho de LIBÂNEO, J. C. Democratização da escola pública: a pedagogia crítico-social dos conteúdos. 25. ed. São Paulo: Loyola, p. LUZ, A. M. R.; ÁLVARES, B. A. Física: volume único. 2. ed. São Paulo, SP: Scipione, 2007 SANSEVERINO, A.M. Microondas em síntese orgânica Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/qn/v25n4/10542.pdf>. Acesso em 22 Ago SAVIANI, D. Escola e Democracia. Teorias da educação, curvatura da vara, onze teses sobre educação e política. 41 ed. rev. Campinas, SP: Autores Associados, (Coleção polêmicas do nosso tempo, 5). "HOW A MICROWAVE OVEN WORKS?" PRODUCTION OF A DIDACTIC RESOURCE FOR TEACHING PHYSICS Abstract: Considering some of the difficulties presented by the students to relate the science concepts discussed in the classroom, especially in subjects in the field of exact sciences, to the everyday practice. We aim with this work describe the process of producing of a video that contribute to the relationship between scientific knowledge and everyday phenomena to the development of the teaching-learning process. Thus, based on some physics content, such the electromagnetic waves and electric dipole, this video discusses the principle of operation of a microwave oven. For the production of this teaching resource, we used the technique stop motion, in which a number of photographs are captured of the same object with his position slightly changed, after that, the images are shown in a short time interval, passing the sensation of movement. During the process, were captured photos of handmade designs and, with the help of editing software, it was possible to create an animation with an pedagogical narrative included. In addition to discussing the content and the examples of the physics phenomena responsible for the functionality of the microwave, were raised throughout the video some issues of order conceptual, scientific and historical, which sought to relate them to possible curiosities and questions from students. Therefore, we consider that this type of material can be used by teachers of basic education, as a teaching resource to work with this kind of concept. In this case, the same could be working at the time of synthesis of the contents, in which students are invited to analyze them from different perspectives. Key-words: Didactic resource, Basic education, Physical phenomena.

UTILIZAÇÃO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM NO ENSINO DE QUÍMICA: EXPERIÊNCIA DO PIBID COMPUTAÇÃO/IFBA/CAMPUS PORTO SEGURO

UTILIZAÇÃO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM NO ENSINO DE QUÍMICA: EXPERIÊNCIA DO PIBID COMPUTAÇÃO/IFBA/CAMPUS PORTO SEGURO BRASIL & BAHIA (2013) UTILIZAÇÃO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM NO ENSINO DE QUÍMICA: EXPERIÊNCIA DO PIBID COMPUTAÇÃO/IFBA/CAMPUS PORTO SEGURO D.T. RODRIGUES 1, M. ROCHA 1, D.M. BRITO 1 e G.P. PINTO 1,2. 1

Leia mais

A importância da Informática na Educação

A importância da Informática na Educação A importância da Informática na Educação AGUIAR, Juliana Discente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerenciais FAEG - Rua das Flores, 740 Bairro Labienópolis - CEP 17400-000 Garça (SP) Brasil Telefone

Leia mais

PERSPECTIVAS DO PROJETO DE ENSINO FÁBRICA DE SOFTWARE *

PERSPECTIVAS DO PROJETO DE ENSINO FÁBRICA DE SOFTWARE * PERSPECTIVAS DO PROJETO DE ENSINO FÁBRICA DE SOFTWARE * Hudson Henrique de Souza LOPES 1 ; Wellington Garcia PEREIRA 2 ; Getúlio Antero de DEUS JÚNIOR 3. 1 Bolsista do PET EEEC/UFG hudsonhsl@hotmail.com.

Leia mais

TECNICISMO E PRÁTICA PEDAGÓGICA NA ESCOLA CONTEMPORÂNEA

TECNICISMO E PRÁTICA PEDAGÓGICA NA ESCOLA CONTEMPORÂNEA TECNICISMO E PRÁTICA PEDAGÓGICA NA ESCOLA CONTEMPORÂNEA CAMPOS, Graziela gracampos7@uol.com.br GUIMARÃES, Suely Fernandes fmsuely@hotmail.com PALHARINI, Alessandra Rosa alepalharini@yahoo.com.br SANTOS,

Leia mais

ESTUDO SOBRE A APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA NA ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: UMA ANÁLISE DA PERCEPÇÃO DOS PROFESSORES

ESTUDO SOBRE A APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA NA ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: UMA ANÁLISE DA PERCEPÇÃO DOS PROFESSORES ESTUDO SOBRE A APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA NA ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: UMA ANÁLISE DA PERCEPÇÃO DOS PROFESSORES Nara Dias Brito 1 ; Daniel Mill 2 Grupo 2.1. Docência na educação a distância: Formação

Leia mais

REFLEXÕES TEÓRICAS PARA A EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR A PARTIR DA ABORDAGEM CRÍTICO SUPERADORA

REFLEXÕES TEÓRICAS PARA A EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR A PARTIR DA ABORDAGEM CRÍTICO SUPERADORA REFLEXÕES TEÓRICAS PARA A EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR A PARTIR DA ABORDAGEM CRÍTICO SUPERADORA 55 Edvaldo José de Oliveira Júnior, Rita de Cássia Cornetti Oliveira, José Ricardo Silva Faculdade de Presidente

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Carga Horária: 30 h/a Prática: 30 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais

Novas tecnologias no ensino de matemática: possibilidades e desafios

Novas tecnologias no ensino de matemática: possibilidades e desafios Novas tecnologias no ensino de matemática: possibilidades e desafios Marcelo Antonio dos Santos Mestre em Matemática Aplicada UFRGS, Professor na Faculdade Cenecista de Osório (FACOS) e professor da rede

Leia mais

Oficina de jogos pedagógicos de ensino de ecologia e educação ambiental como estratégia de ensino na formação de professores

Oficina de jogos pedagógicos de ensino de ecologia e educação ambiental como estratégia de ensino na formação de professores Oficina de jogos pedagógicos de ensino de ecologia e educação ambiental como estratégia de ensino na formação de professores Pedagogical games workshop of ecology teaching and environmental education as

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA Á EDUCAÇÃO. Luis Carlos Azevedo 1 RESUMO

CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA Á EDUCAÇÃO. Luis Carlos Azevedo 1 RESUMO CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA Á EDUCAÇÃO Luis Carlos Azevedo 1 RESUMO Este artigo apresenta como objeto de as pesquisas sobre as Contribuições da Psicologia à Educação. O objetivo foi analisar a produção

Leia mais

Responsabilidade Social no Ensino em Administração: um estudo exploratório sobre a visão dos estudantes de graduação

Responsabilidade Social no Ensino em Administração: um estudo exploratório sobre a visão dos estudantes de graduação Renata Céli Moreira da Silva Responsabilidade Social no Ensino em Administração: um estudo exploratório sobre a visão dos estudantes de graduação Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa

Leia mais

A REFLEXÃO CRÍTICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: Entre Práticas e Saberes. Alciane Gonçalves Barbosa - Graduanda em Pedagogia/UFPI

A REFLEXÃO CRÍTICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: Entre Práticas e Saberes. Alciane Gonçalves Barbosa - Graduanda em Pedagogia/UFPI A REFLEXÃO CRÍTICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: Entre Práticas e Saberes Alciane Gonçalves Barbosa - Graduanda em Pedagogia/UFPI Maria Antonia Alves Lima Graduanda em Pedagogia /UFPI Bárbara Maria Macedo

Leia mais

O olhar do professor das séries iniciais sobre o trabalho com situações problemas em sala de aula

O olhar do professor das séries iniciais sobre o trabalho com situações problemas em sala de aula O olhar do professor das séries iniciais sobre o trabalho com situações problemas em sala de aula INTRODUÇÃO Josiane Faxina Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Câmpus Bauru e-mail: josi_unesp@hotmail.com

Leia mais

Dificuldades e motivações de aprendizagem em Química de alunos do ensino médio investigadas em ações do (PIBID/UFS/Química)

Dificuldades e motivações de aprendizagem em Química de alunos do ensino médio investigadas em ações do (PIBID/UFS/Química) SCIENTIA PLENA VOL. 9, NUM. 7 2013 www.scientiaplena.org.br Dificuldades e motivações de aprendizagem em Química de alunos do ensino médio investigadas em ações do (PIBID/UFS/Química) A. O. Santos 1 ;

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE. Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE. Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico Ingressantes em 2007 Dados: Sigla: Licenciatura em Educação Física Área: Biológicas

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA PEDAGOGIA TECNICISTA NA PRÁTICA DOCENTE DE UMA ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA

A INFLUÊNCIA DA PEDAGOGIA TECNICISTA NA PRÁTICA DOCENTE DE UMA ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA A INFLUÊNCIA DA PEDAGOGIA TECNICISTA NA PRÁTICA DOCENTE DE UMA ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA AZEVEDO, Prof. Dr. Antulio José de antuliojose@uol.com.br Docente do Curso de Pedagogia da FAEF/ACEG BONADIMAN,

Leia mais

A Articulação entre Psicologia Histórico-Cultural e Pedagogia Histórico-Crítica numa Proposta de Valorização do Ensino

A Articulação entre Psicologia Histórico-Cultural e Pedagogia Histórico-Crítica numa Proposta de Valorização do Ensino A Articulação entre Psicologia Histórico-Cultural e Pedagogia Histórico-Crítica numa Proposta de Valorização do Ensino Karla Paulino Tonus 1 Resumo Este trabalho originou-se a partir das indagações a respeito

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL... 4 02 INVESTIGAÇÃO PEDAGÓGICA: DIVERSIDADE CULTURAL NA APRENDIZAGEM... 4 03 METODOLOGIA CIENTÍFICA...

Leia mais

O USO DO FÓRUM DE DISCUSSÃO E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS NO AVA MOODLE: UMA ESTRATÉGIA PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA PARA ALUNAS SURDAS

O USO DO FÓRUM DE DISCUSSÃO E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS NO AVA MOODLE: UMA ESTRATÉGIA PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA PARA ALUNAS SURDAS O USO DO FÓRUM DE DISCUSSÃO E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS NO AVA MOODLE: UMA ESTRATÉGIA PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA PARA ALUNAS SURDAS Carlos Eduardo Rocha dos Santos, UNIBAN, carlao_santos@yahoo.com.br Oswaldo

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE PEDAGOGIA Disciplina: Comunicação e Expressão Ementa: A leitura como vínculo leitor/texto através do conhecimento veiculado pelo texto escrito. Interpretação:

Leia mais

RESUMO. Palavras-chave: Representação Social. Prática Docente. Ensino de Dança.

RESUMO. Palavras-chave: Representação Social. Prática Docente. Ensino de Dança. PEREIRA, Ana Cristina C. Representações sociais da prática docente de dança dos alunos do curso de Pedagogia do Movimento da EBA/UFMG (2005 a 2009). Belo Horizonte: UFMG; Professor adjunto. Doutora em

Leia mais

O USO DA TECNOLOGIA DE SIMULAÇÃO NA PRÁTICA DOCENTE NA ÁREA DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

O USO DA TECNOLOGIA DE SIMULAÇÃO NA PRÁTICA DOCENTE NA ÁREA DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO 1 GT2 O USO DA TECNOLOGIA DE SIMULAÇÃO NA PRÁTICA DOCENTE NA ÁREA DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Renato Fares Khalil Marco Aurélio Bossetto José Fontebasso Neto.br Orientadora: Profa. Dra. Irene Jeanete Lemos

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR 1.ª SÉRIE DE OFERTA 99-8791-04 DIDÁTICA 160 0 160 99-8792-04

MATRIZ CURRICULAR 1.ª SÉRIE DE OFERTA 99-8791-04 DIDÁTICA 160 0 160 99-8792-04 Curso: Graduação: Regime: Duração: PEDAGOGIA LICENCIATURA PLENA MATRIZ CURRICULAR SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 04 (QUATRO) ANOS LETIVOS - MÁXIMO

Leia mais

Teste da eficiencia da película protetora (insulfilm) em veículos automotores

Teste da eficiencia da película protetora (insulfilm) em veículos automotores F 609A Tópicos de Ensino de Física Teste da eficiencia da película protetora (insulfilm) em veículos automotores Aluno: Bruno Gomes Ribeiro RA: 059341 onurbrj@hotmail.com Orientador: Professor Doutor Flavio

Leia mais

Maristela Aparecida Fagherazzi UDESC Ana Maria Ribeiro Universidade de Santiago de Compostela/Espanha

Maristela Aparecida Fagherazzi UDESC Ana Maria Ribeiro Universidade de Santiago de Compostela/Espanha TRAJETÓRIA DA PRODUÇÃO E APLICAÇÃO DO MATERIAL IMPRESSO E AUDIOVISUAL DE DIDÁTICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO CURSO DE PEDAGOGIA À DISTÂNCIA DA UDESC Maristela Aparecida Fagherazzi UDESC Ana Maria Ribeiro

Leia mais

A PRÁTICA DE FORMAÇÃO DE DOCENTES: DIFERENTE DE ESTÁGIO Maria de Fátima Targino Cruz Pedagoga e professora da Rede Estadual do Paraná.

A PRÁTICA DE FORMAÇÃO DE DOCENTES: DIFERENTE DE ESTÁGIO Maria de Fátima Targino Cruz Pedagoga e professora da Rede Estadual do Paraná. A PRÁTICA DE FORMAÇÃO DE DOCENTES: DIFERENTE DE ESTÁGIO Maria de Fátima Targino Cruz Pedagoga e professora da Rede Estadual do Paraná. O Curso de Formação de Docentes Normal, em nível médio, está amparado

Leia mais

A FOTOGRAFIA COMO INSTRUMENTO DIDÁTICO NO ENSINO DE GEOGRAFIA NA PERSPECTIVA DO CONCEITO DE PAISAGEM ENSINO FUNDAMENTAL II ( ANOS FINAIS )

A FOTOGRAFIA COMO INSTRUMENTO DIDÁTICO NO ENSINO DE GEOGRAFIA NA PERSPECTIVA DO CONCEITO DE PAISAGEM ENSINO FUNDAMENTAL II ( ANOS FINAIS ) Thainá Santos Coimbra Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro thainahappy@hotmail.com A FOTOGRAFIA COMO INSTRUMENTO DIDÁTICO NO ENSINO DE GEOGRAFIA NA PERSPECTIVA DO CONCEITO DE PAISAGEM ENSINO

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO DO PROBLEM BASED LEARNING (PBL) NA FORMAÇÃO DO ALUNO NO ENSINO SUPERIOR

CONTRIBUIÇÃO DO PROBLEM BASED LEARNING (PBL) NA FORMAÇÃO DO ALUNO NO ENSINO SUPERIOR CONTRIBUIÇÃO DO PROBLEM BASED LEARNING (PBL) NA FORMAÇÃO DO ALUNO NO ENSINO SUPERIOR Jose Lucas dos Santos Oliveira Universidade Federal de Campina Grade UFCG - Patos, Paraíba. e-mail: lucasoliveira.ufcg@gmail.com

Leia mais

DISPOSITIVO TECNOLÓGICO COMO FERRAMENTA DE ENSINO-APRENDIZAGEM NO CURSO DE AGROECOLOGIA: ESTUDO DE CASO

DISPOSITIVO TECNOLÓGICO COMO FERRAMENTA DE ENSINO-APRENDIZAGEM NO CURSO DE AGROECOLOGIA: ESTUDO DE CASO DISPOSITIVO TECNOLÓGICO COMO FERRAMENTA DE ENSINO-APRENDIZAGEM NO CURSO DE AGROECOLOGIA: ESTUDO DE CASO Mércia Cardoso da Costa Guimarães 1, Henrique Oliveira da Silva 2 1 Instituto Federal de Pernambuco

Leia mais

Uma instituição em busca de excelência nos cursos de Educação a Distância: estudo de caso

Uma instituição em busca de excelência nos cursos de Educação a Distância: estudo de caso Uma instituição em busca de excelência nos cursos de Educação a Distância: estudo de caso Andrea de Faria Mestrado em Gestão, Formação e Tecnologia - Centro Paula Souza São Paulo Brasil andrfaria@hotmail.com

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo TRANSMISSÃO DE INFORMAÇÃO SEM FIO Plano de aula Autor: Prof. Orivaldo Gonçalves de Mello (E.E. Pe Simon Switzar) Alunos da 2ª e 3ª séries ensino médio da E.E. Pe Simon Switzar Raphaela Rodrigues Tatiane

Leia mais

Guia de livros didáticos PNLD 2012

Guia de livros didáticos PNLD 2012 Guia de livros didáticos PNLD 2012 Veja nas páginas a seguir um excerto do documento publicado pela FNDE contendo uma resenha da coleção Quanta Física recentemente aprovada como uma das obras didáticas

Leia mais

AVALIAÇÃO NO ENSINO A DISTÂNCIA: POSSIBILIDADES E DESAFIOS

AVALIAÇÃO NO ENSINO A DISTÂNCIA: POSSIBILIDADES E DESAFIOS AVALIAÇÃO NO ENSINO A DISTÂNCIA: POSSIBILIDADES E DESAFIOS Letícia Palhares Ferreira 1 Grupo 2.4. Docência na educação a distância: Planejamento, avaliação e acompanhamento RESUMO: A presente reflexão

Leia mais

SABERES ADQUIRIDOS NO PIBID (PROGRAMA INSTUCIONAL DE BOLSA INICIAÇÃO À DOCÊNCIA) PARA O SUCESSO PROFISSIONAL.

SABERES ADQUIRIDOS NO PIBID (PROGRAMA INSTUCIONAL DE BOLSA INICIAÇÃO À DOCÊNCIA) PARA O SUCESSO PROFISSIONAL. SABERES ADQUIRIDOS NO PIBID (PROGRAMA INSTUCIONAL DE BOLSA INICIAÇÃO À DOCÊNCIA) PARA O SUCESSO PROFISSIONAL. TayaraCrystina P. Benigno, UERN; tayara_bbg@hotmail.com Emerson Carlos da Silva, UERN; emersoncarlos90@hotmail.com

Leia mais

Ludo Químico: um jogo educativo para o ensino de química e física

Ludo Químico: um jogo educativo para o ensino de química e física Ludo Químico: um jogo educativo para o ensino de química e física Chemistry Ludo: an educative game to chemistry and physics teaching Kaíza M. P. de H. Cavalcanti IFRJ Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE CIÊNCIAS DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE CIÊNCIAS DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE CIÊNCIAS DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO APRENDER CIDADANIA COM A DISCIPINA DE HISTÓRIA: 3 PERCURSOS NO CONCELHO DE ODEMIRA Rita Santos Agudo do Amaral Rêgo MESTRADO EM EDUCAÇÃO

Leia mais

Trabalhando Matemática: percepções contemporâneas

Trabalhando Matemática: percepções contemporâneas CONSTRUINDO CONCEITOS SOBRE FAMÍLIA DE FUNÇÕES POLINOMIAL DO 1º GRAU COM USO DO WINPLOT Tecnologias da Informação e Comunicação e Educação Matemática (TICEM) GT 06 MARCOS ANTONIO HELENO DUARTE Secretaria

Leia mais

Palavras-chave: Escola, Educação Física, Legitimidade e cultura corporal.

Palavras-chave: Escola, Educação Física, Legitimidade e cultura corporal. A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO DA EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA MUNICIPAL RECANTO DO BOSQUE: LIMITES E POSSIBILIDADES PARA UMA INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA A PARTIR DO SUBPROJETO DA EDUCAÇÃO FÍSICA DA ESEFFEGO/UEG.

Leia mais

A química forense como motivadora do ensino de química.

A química forense como motivadora do ensino de química. Governo do Estado do Rio Grande do Norte Secretaria de Estado de Educação e Cultura SEEC UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN Faculdade de Ciências Exatas e Naturais FANAT DEPARTAMENTO DE

Leia mais

PROJETO 2. 1. Identificação do projeto

PROJETO 2. 1. Identificação do projeto PROJETO 2 1. Identificação do projeto Título:Ensino de bioquímica e biologia molecular a partir de "situações cotidiana" utilizando as tecnologias da informação Responsável:Dr. Carlos Eduardo da Rosa Vínculo

Leia mais

REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE PEDAGOGIA ISSN: 1678-300X. Ano XII Número 24 Julho de 2014 Periódicos Semestral

REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE PEDAGOGIA ISSN: 1678-300X. Ano XII Número 24 Julho de 2014 Periódicos Semestral CURRÍCULO E CONHECIMENTO ESCOLAR: O USO DA TECNOLOGIA NA EDUCAÇAO INFANTIL Amanda Aparecida ALVES 1 Marta Fresneda TOMÉ 2 RESUMO Esta pesquisa investiga questões relacionadas ao currículo suas teorizações

Leia mais

ESTUDO TEÓRICO-PRÁTICO DA COMPRENSÃO DOS CONCEITOS ELETROMAGNÉTICO DOS ESTUDANTES DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA

ESTUDO TEÓRICO-PRÁTICO DA COMPRENSÃO DOS CONCEITOS ELETROMAGNÉTICO DOS ESTUDANTES DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ESTUDO TEÓRICO-PRÁTICO DA COMPRENSÃO DOS CONCEITOS ELETROMAGNÉTICO DOS ESTUDANTES DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA Reginaldo Eustáquio professorbugiganga@doctum.edu.br Rede de Ensino Doctum R. João Pinheiro,

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2008.1A

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2008.1A 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Prática: 15 h/a Carga Horária: 60 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais

Relatos do processo de elaboração de um componente online de inglês: desafios e reflexões

Relatos do processo de elaboração de um componente online de inglês: desafios e reflexões Relatos do processo de elaboração de um componente online de inglês: desafios e reflexões Reports on the developmental process of an English online component: challenges and reflections Bruna Lopes Scheiner

Leia mais

A MÚSICA COMO FERRAMENTA POTENCIALMENTE SIGNIFICATIVA NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DOS CONCEITOS DE ELETROQUÍMICA

A MÚSICA COMO FERRAMENTA POTENCIALMENTE SIGNIFICATIVA NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DOS CONCEITOS DE ELETROQUÍMICA 1 A MÚSICA COMO FERRAMENTA POTENCIALMENTE SIGNIFICATIVA NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DOS CONCEITOS DE ELETROQUÍMICA THE MUSIC AS RESOURCE POTENTIALLY SIGNIFICANT IN THE PROCESS OF LEARNING OF THE CONCEPTS

Leia mais

INTERNET COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA PARA O PROFESSOR DE INGLÊS

INTERNET COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA PARA O PROFESSOR DE INGLÊS INTERNET COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA PARA O PROFESSOR DE INGLÊS R E S U M O Ana Paula Domingos Baladeli * Anair Altoé ** O presente trabalho é um recorte da análise de dados realizada em pesquisa de Mestrado

Leia mais

TUTORIA INTERCULTURAL NUM CLUBE DE PORTUGUÊS

TUTORIA INTERCULTURAL NUM CLUBE DE PORTUGUÊS UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE PSICOLOGIA E DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO TUTORIA INTERCULTURAL NUM CLUBE DE PORTUGUÊS SANDRA MARIA MORAIS VALENTE DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO Área de

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Ensino. Matemática. App Inventor. Aplicativos.

PALAVRAS-CHAVE: Ensino. Matemática. App Inventor. Aplicativos. 13. CONEX Pôster Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

O JOGO DIGITAL NOS PROCESSOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUA PORTUGUESA UM ESTUDO ATRAVÉS DAS SEQUÊNCIAS NARRATIVAS. Vanessa Doumid Damasceno

O JOGO DIGITAL NOS PROCESSOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUA PORTUGUESA UM ESTUDO ATRAVÉS DAS SEQUÊNCIAS NARRATIVAS. Vanessa Doumid Damasceno i O JOGO DIGITAL NOS PROCESSOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUA PORTUGUESA UM ESTUDO ATRAVÉS DAS SEQUÊNCIAS NARRATIVAS Vanessa Doumid Damasceno ii UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS UNISINOS Dissertação

Leia mais

Gestão e Formação Pedagógica em: Administração, Inspeção, Orientação e Supervisão Objetivo do curso:

Gestão e Formação Pedagógica em: Administração, Inspeção, Orientação e Supervisão Objetivo do curso: Com carga horária de 720 horas o curso Gestão e Formação Pedagógica em: Administração, Inspeção, Orientação e Supervisão é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros

Leia mais

OS PROBLEMAS ENFRENTADOS PELOS DOCENTES E DISCENTES DA EJA NA ÁREA DA MATEMÁTICA DA ESCOLA JOSÉ LUIZ NETO DE BARRA DE SANTA ROSA PB

OS PROBLEMAS ENFRENTADOS PELOS DOCENTES E DISCENTES DA EJA NA ÁREA DA MATEMÁTICA DA ESCOLA JOSÉ LUIZ NETO DE BARRA DE SANTA ROSA PB OS PROBLEMAS ENFRENTADOS PELOS DOCENTES E DISCENTES DA EJA NA ÁREA DA MATEMÁTICA DA ESCOLA JOSÉ LUIZ NETO DE BARRA DE SANTA ROSA PB Francilene Almeida SOUSA 1 Universidade Federal de Campina Grande francy.1511@hotmail.com

Leia mais

Um jogo para aprender libras e português nas séries iniciais utilizando a tecnologia da realidade aumentada

Um jogo para aprender libras e português nas séries iniciais utilizando a tecnologia da realidade aumentada Um jogo para aprender libras e português nas séries iniciais utilizando a tecnologia da realidade aumentada Luiz C. M. Santos 12, Theresinha Miranda 2, Maria A. Icó 3, Antonio C. S. Souza 12, Márcio C.

Leia mais

Validório, Valéria Cristiane 1

Validório, Valéria Cristiane 1 A INTERAÇÃO NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM: uma perspectiva sociocultural Validório, Valéria Cristiane 1 RESUMO As relações sociais entre o indivíduo e o mundo exterior desenvolvem-se por meio de um processo

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS 1. EMENTA Paradigmas de Organização Escolar: pressupostos teóricos e práticos. Administração/gestão escolar: teorias e tendências atuais no Brasil. A escola concebida e organizada a partir das Diretrizes

Leia mais

Produção de vídeos pelos Educandos da Educação Básica: um meio de relacionar o conhecimento matemático e o cotidiano

Produção de vídeos pelos Educandos da Educação Básica: um meio de relacionar o conhecimento matemático e o cotidiano Produção de vídeos pelos Educandos da Educação Básica: um meio de relacionar o conhecimento matemático e o cotidiano SANTANA, Ludmylla Siqueira 1 RIBEIRO, José Pedro Machado 2 SOUZA, Roberto Barcelos 2

Leia mais

AS TIC NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA: REGISTRO DE UMA EXPERIÊNCIA PESSOAL

AS TIC NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA: REGISTRO DE UMA EXPERIÊNCIA PESSOAL AS TIC NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA: REGISTRO DE UMA EXPERIÊNCIA PESSOAL João da Silveira Guimarães; Ingrid Dittrich Wiggers; Julia Luetz Universidade de Brasília - UnB joaoedf.guimaraes@gmail.com;

Leia mais

PERFIL DE ESCOLAS DO ENSINO FUNDAMENTAL DO CICLO II A RESPEITO DO USO DE RECURSOS DE INFORMÁTICA PELO PROFESSOR PARA AUXÍLIO DA APRENDIZAGEM DO ALUNO

PERFIL DE ESCOLAS DO ENSINO FUNDAMENTAL DO CICLO II A RESPEITO DO USO DE RECURSOS DE INFORMÁTICA PELO PROFESSOR PARA AUXÍLIO DA APRENDIZAGEM DO ALUNO REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - ISSN 1807-1872 P UBLICAÇÃO C IENTÍFICA DA F ACULDADE DE C IÊNCIAS J URÍDICAS E G ERENCIAIS DE G ARÇA/FAEG A NO II, NÚMERO, 03, AGOSTO DE 2005.

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO COMPUTADOR EM ATIVIDADES PEDAGÓGICAS DESENVOLVIDAS NO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS DA ACEG FAHU: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

UTILIZAÇÃO DO COMPUTADOR EM ATIVIDADES PEDAGÓGICAS DESENVOLVIDAS NO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS DA ACEG FAHU: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - ISSN 1807-1872 P UBLICAÇÃO C IENTÍFICA DA F ACULDADE DE C IÊNCIAS J URÍDICAS E G ERENCIAIS DE G ARÇA/FAEG A NO II, NÚMERO, 03, AGOSTO DE 2005.

Leia mais

MODELAGEM NO ENSINO DA GEOMETRIA

MODELAGEM NO ENSINO DA GEOMETRIA MODELAGEM NO ENSINO DA GEOMETRIA Maria da Graça Andrade Dias UFRB Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Departamento de Matemática gracadias@hotmail.com RESUMO Este trabalho visa contribuir para

Leia mais

JOGOS DE MESA PARA O ENSINO DO ATLETISMO NA ESCOLA: SOBRE O JOGO MICOTISMO TABLE GAMES FOR ATHLETICS TEACHING AT SCHOOL: ABOUT THE GAME MICOTISMO

JOGOS DE MESA PARA O ENSINO DO ATLETISMO NA ESCOLA: SOBRE O JOGO MICOTISMO TABLE GAMES FOR ATHLETICS TEACHING AT SCHOOL: ABOUT THE GAME MICOTISMO Recebido em: 15/3/2010 Emitido parece em: 5/4/2010 Artigo original JOGOS DE MESA PARA O ENSINO DO ATLETISMO NA ESCOLA: SOBRE O JOGO MICOTISMO Camila Basso Sibila, Sara Quenzer Matthiesen, Thaís Yuri Jô

Leia mais

Ficha da Unidade Curricular

Ficha da Unidade Curricular ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE FELGUEIRAS CURSO Licenciatura em Engenharia Informática U.C. FÍSICA APLICADA Ficha da Unidade Curricular Horas presenciais / Ano 56 Ano Lectivo 2010 / 2011 Horas

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA:2013 EMENTA OBJETIVOS

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA:2013 EMENTA OBJETIVOS EIXO TECNOLÓGICO:Ensino Superior Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Física FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( x ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

O USO DE SMARTPHONE NO ENSINO DE CIÊNCIAS: ESTUDO DE CASO.

O USO DE SMARTPHONE NO ENSINO DE CIÊNCIAS: ESTUDO DE CASO. O USO DE SMARTPHONE NO ENSINO DE CIÊNCIAS: ESTUDO DE CASO. Marco Antonio de Abreu Viana Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) marco.viana@ifrn.edu.br Fernando Cesar de Abreu Viana Instituto Federal

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INVESTIGAÇÃO DA PRÁTICA DOCENTE I... 4 02 LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO... 4 03 PROFISSIONALIDADE DOCENTE... 4 04 RESPONSABILIDADE

Leia mais

ESTUDO E UTILIZAÇÃO DE FERRAMENTAS COMPUTACIONAIS NA ANÁLISE DE ANTENAS PARA APRENDIZAGEM DE ELETROMAGNETISMO EM ENGENHARIA ELÉTRICA

ESTUDO E UTILIZAÇÃO DE FERRAMENTAS COMPUTACIONAIS NA ANÁLISE DE ANTENAS PARA APRENDIZAGEM DE ELETROMAGNETISMO EM ENGENHARIA ELÉTRICA ESTUDO E UTILIZAÇÃO DE FERRAMENTAS COMPUTACIONAIS NA ANÁLISE DE ANTENAS PARA APRENDIZAGEM DE ELETROMAGNETISMO EM ENGENHARIA ELÉTRICA Samara Pereira da Silva samarapereira25@gmail.com Universidade Federal

Leia mais

Unidade 4: Contextualização de Objetos de Aprendizagem

Unidade 4: Contextualização de Objetos de Aprendizagem Coordenação: Juliana Cristina Braga Autoria: Rita Ponchio Você aprendeu na unidade anterior a importância da adoção de uma metodologia para a construção de OA., e também uma descrição geral da metodologia

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA

DIRETRIZES GERAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA DIRETRIZES GERAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA INTRODUÇÃO O Estágio Curricular foi criado pela Lei 6.494, de 7 de dezembro de 1977 e regulamentado pelo Decreto 87.497, de 18 de agosto

Leia mais

SOFTWARES LIVRES: UMA REDE PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA NA REGIÃO CARBONÍFERA

SOFTWARES LIVRES: UMA REDE PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA NA REGIÃO CARBONÍFERA SOFTWARES LIVRES: UMA REDE PARA O ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA NA REGIÃO CARBONÍFERA Ms. Jeferson Fernando de Souza Wolff RESUMO O computador, como ferramenta pedagógica para ensino e aprendizagem

Leia mais

AS DIFERENTES METODOLOGIAS DE ENSINO DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR

AS DIFERENTES METODOLOGIAS DE ENSINO DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR AS DIFERENTES METODOLOGIAS DE ENSINO DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR (DIFFERENT METHODS OF TEACHING PHYSICAL EDUCATION SCHOOL) Camila Martins Ferreira; Andréia Cristina Metzner Centro Universitário UNIFAFIBE

Leia mais

DANÇA E EDUCAÇÃO FÍSICA: UM CONTEÚDO REALMENTE CONTEXTUALIZADO NAS AULAS?

DANÇA E EDUCAÇÃO FÍSICA: UM CONTEÚDO REALMENTE CONTEXTUALIZADO NAS AULAS? DANÇA E EDUCAÇÃO FÍSICA: UM CONTEÚDO REALMENTE CONTEXTUALIZADO NAS AULAS? FERNANDA DIAS BRANDÃO Licenciada em Educação Física pela UNISUAM Rio de Janeiro, RJ, Brasil fedufisica@hotmail.com Resumo O estudo

Leia mais

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO CURSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO CURSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES 1 O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NO CURSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES GUEDES, Shirlei Terezinha Roman 1 SCHELBAUER, Analete Regina 2 A proposta deste texto é compartilhar algumas idéias a título de primeiros

Leia mais

Estratégias pedagógicas no curso de especialização à distância em Gestão educacional da Universidade Aberta do Brasil

Estratégias pedagógicas no curso de especialização à distância em Gestão educacional da Universidade Aberta do Brasil Estratégias pedagógicas no curso de especialização à distância em Gestão educacional da Universidade Aberta do Brasil Gisele Brandelero Camargo Pires (Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG) gi_bcp@hotmail.com

Leia mais

CURSOS DE EXTENSÃO NA MODALIDADE EAD NA EMC/UFG*

CURSOS DE EXTENSÃO NA MODALIDADE EAD NA EMC/UFG* CURSOS DE EXTENSÃO NA MODALIDADE EAD NA EMC/UFG* ALVES, Ricardo Henrique Fonseca 1 ; DEUS JÚNIOR, Getúlio Antero de 2 ; CASTRO, Marcelo Stehling de 3 ; LEMOS, Rodrigo Pinto 4 Palavras-chave: Ensino a Distância

Leia mais

A história e filosofia da ciência na sala de aula: Construindo estratégias didáticas com futuros professores de Física

A história e filosofia da ciência na sala de aula: Construindo estratégias didáticas com futuros professores de Física A história e filosofia da ciência na sala de aula: Construindo estratégias didáticas com futuros professores de Física Boniek Venceslau da Cruz Silva Centro de Ciências da Natureza, Universidade Federal

Leia mais

PRODUZINDO VIDEO-AULAS EDUCACIONAIS A PARTIR DE SOFTWARES DE VÍDEO DISPONÍVEIS GRATUITAMENTE

PRODUZINDO VIDEO-AULAS EDUCACIONAIS A PARTIR DE SOFTWARES DE VÍDEO DISPONÍVEIS GRATUITAMENTE PRODUZINDO VIDEO-AULAS EDUCACIONAIS A PARTIR DE SOFTWARES DE VÍDEO DISPONÍVEIS GRATUITAMENTE Producing Educational Video-Lessons from Video Software Available for Free Roberto Guimarães Dutra de Oliveira,

Leia mais

Proposta Didático-Pedagógica para Desenvolvimento de Disciplinas de Cursos de Graduação e Pós- Graduação na Modalidade a Distância

Proposta Didático-Pedagógica para Desenvolvimento de Disciplinas de Cursos de Graduação e Pós- Graduação na Modalidade a Distância Proposta Didático-Pedagógica para Desenvolvimento de Disciplinas de Cursos de Graduação e Pós- Graduação na Modalidade a Distância Maio 2007 na Lúcia Tinoco - UNICSUL ana.cabral@unicsul.br Carlos Fernando

Leia mais

Softwares como ferramenta no ensino de Cálculo: estudo de caso para cursos de Tecnologia

Softwares como ferramenta no ensino de Cálculo: estudo de caso para cursos de Tecnologia Softwares como ferramenta no ensino de Cálculo: estudo de caso para cursos de Tecnologia Diego Paulo Penczkoski Sani de Carvalho Rutz da Silva André Koscianki Resumo Este artigo apresenta um estudo de

Leia mais

MODELO DE MEMBRANA PLASMÁTICA COM MATERIAL RECICLÁVEL

MODELO DE MEMBRANA PLASMÁTICA COM MATERIAL RECICLÁVEL MODELO DE MEMBRANA PLASMÁTICA COM MATERIAL RECICLÁVEL SOUZA, A.G. 1 ; SILVA, G.F. 1 ; MARTINS, S.C. 1 ; SILVA, C. V. 2 1 Discentes do Curso de Ciências Biológicas FAP 2 Mestre docente da Faculdade de Apucarana

Leia mais

Novos textos no ensino da Geografia

Novos textos no ensino da Geografia Novos textos no ensino da Geografia Renata de Souza Ribeiro (UERJ/ FFP) Thiago Jeremias Baptista (UERJ/ FFP) Resumo Este texto relata a experiência desenvolvida no curso Pré-vestibular Comunitário Cidadania

Leia mais

AS COMPETÊNCIAS NO PROJETO EDUCATIVO, NOS PROGRAMAS E NAS PRÁTICAS ESCOLARES

AS COMPETÊNCIAS NO PROJETO EDUCATIVO, NOS PROGRAMAS E NAS PRÁTICAS ESCOLARES AS COMPETÊNCIAS NO PROJETO EDUCATIVO, NOS PROGRAMAS E NAS PRÁTICAS ESCOLARES RESUMO Luis Carlos de Menezes 1 Promover o processo de ensino e de aprendizagem com vistas a ultrapassar o treinamento simplesmente

Leia mais

Fractais e o Geogebra: Construindo a curva de Koch

Fractais e o Geogebra: Construindo a curva de Koch Fractais e o Geogebra: Construindo a curva de Koch Regis Alessandro Fuzzo Universidade Estadual do Paraná Campo Mourão Brasil regisfuzzo@gmail.com Talita Secorun dos Santos Universidade Estadual do Paraná

Leia mais

Avaliação de Softwares Educacionais para o Ensino Fundamental no Auxílio do Processo de Ensino- Aprendizagem

Avaliação de Softwares Educacionais para o Ensino Fundamental no Auxílio do Processo de Ensino- Aprendizagem Avaliação de Softwares Educacionais para o Ensino Fundamental no Auxílio do Processo de Ensino- Aprendizagem Marcio G. de Lucena Silva 1, Hannah Sabaini 1,André Luís Andrade Menolli 1, Christian James

Leia mais

UTILIZANDO O WINDOWS MOVIE MAKER NA PRODUÇÃO DE VÍDEOS EDUCATIVOS PARA O ENSINO E DIVULGAÇÃO DE ASTRONOMIA

UTILIZANDO O WINDOWS MOVIE MAKER NA PRODUÇÃO DE VÍDEOS EDUCATIVOS PARA O ENSINO E DIVULGAÇÃO DE ASTRONOMIA II Simpósio Nacional de Educação em Astronomia II SNEA 2012 São Paulo, SP 749 UTILIZANDO O WINDOWS MOVIE MAKER NA PRODUÇÃO DE VÍDEOS EDUCATIVOS PARA O ENSINO E DIVULGAÇÃO DE ASTRONOMIA USING WINDOWS MOVIE

Leia mais

Curitiba- Pr outubro de 2015. 1 Carmem Lúcia Graboski da Gama Instituto Federal do Paraná Campus Paranaguá carmem.gama@ifpr.edu.br.

Curitiba- Pr outubro de 2015. 1 Carmem Lúcia Graboski da Gama Instituto Federal do Paraná Campus Paranaguá carmem.gama@ifpr.edu.br. O uso do Facebook como um Objeto Educacional para ajudar alunos em dificuldade na aprendizagem do Cálculo Diferencial e Integral como também da Geometria Analítica em diferentes localidades. Curitiba-

Leia mais

O primeiro forno de microondas -1949. O inventor do forno de microondas INTRODUÇÃO MICROONDAS: Microondas PROCESSAMENTO DE ALIMENTOS POR MICROONDAS

O primeiro forno de microondas -1949. O inventor do forno de microondas INTRODUÇÃO MICROONDAS: Microondas PROCESSAMENTO DE ALIMENTOS POR MICROONDAS FACULDADE DE FARMÁCIA DA UFMG DEPARTAMENTO DE ALIMENTOS ALM 024- Processamento de Alimentos PROCESSAMENTO DE ALIMENTOS POR MICROONDAS INTRODUÇÃO São empregadas em alimentos porque geram calor O forno de

Leia mais

10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias EDUCAÇÃO FÍSICA COMO LINGUAGEM: ÍNTIMA RELAÇÃO BIOLÓGICO- SOCIAL

10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias EDUCAÇÃO FÍSICA COMO LINGUAGEM: ÍNTIMA RELAÇÃO BIOLÓGICO- SOCIAL 10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias EDUCAÇÃO FÍSICA COMO LINGUAGEM: ÍNTIMA RELAÇÃO BIOLÓGICO- SOCIAL Pâmella Gomes de Brito pamellagomezz@gmail.com Goiânia, Goiás

Leia mais

Orientações para o Projeto Político Pedagógico PPP

Orientações para o Projeto Político Pedagógico PPP Orientações para o Projeto Político Pedagógico PPP Pensar e construir o Projeto Político-Pedagógico é refletir, numa primeira instância, sobre questões fundamentais que assegurem uma visão de totalidade

Leia mais

MELHORIA DE RECURSOS EDUCACIONAIS DAS DISCIPLINAS DE EXPERIMENTAÇÃO

MELHORIA DE RECURSOS EDUCACIONAIS DAS DISCIPLINAS DE EXPERIMENTAÇÃO MELHORIA DE RECURSOS EDUCACIONAIS DAS DISCIPLINAS DE EXPERIMENTAÇÃO 1. Identificação do proponente 1.1. Nome: Moeses Andrigo Danner 1.2. Vínculo com a instituição: Docente permanente 1.3. Coordenação /

Leia mais

PORTFÓLIOS: INSTRUMENTO DE ENSINO

PORTFÓLIOS: INSTRUMENTO DE ENSINO Anais do XXXIV COBENGE. Passo Fundo: Ed. Universidade de Passo Fundo, Setembro de 2006. ISBN 85-7515-371-4 PORTFÓLIOS: INSTRUMENTO DE ENSINO BITTENCOURT, Evandro dcb2eb@joinville.udesc.br Universidade

Leia mais

DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO DE MATERIAL DIDÁTICO PARA O ENSINO DA TECNOLOGIA DE USINAGEM

DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO DE MATERIAL DIDÁTICO PARA O ENSINO DA TECNOLOGIA DE USINAGEM VI CONGRESSO NACIONAL DE ENGENHARIA MECÂNICA VI NATIONAL CONGRESS OF MECHANICAL ENGINEERING 18 a 21 de agosto de 2010 Campina Grande Paraíba - Brasil August 18 21, 2010 Campina Grande Paraíba Brazil DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Elaboração e aplicação do jogo ambiental como instrumento de educação ambiental

Elaboração e aplicação do jogo ambiental como instrumento de educação ambiental Artigo original DOI: 105902/2236117016698 Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental Santa Maria, v. 19, n. 2,mai-ago. 2015, p. 1078-1082 Revista do Centro de Ciências Naturais e Exatas

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB Edital Pibid n 061 /2013 CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO

Leia mais

ESTRATÉGIAS METACOGNITIVAS NA RESOLUÇÃO DE UM PROBLEMA DE OTIMIZAÇÃO COM APOIO DE UM OBJETO DE APRENDIZAGEM

ESTRATÉGIAS METACOGNITIVAS NA RESOLUÇÃO DE UM PROBLEMA DE OTIMIZAÇÃO COM APOIO DE UM OBJETO DE APRENDIZAGEM ESTRATÉGIAS METACOGNITIVAS NA RESOLUÇÃO DE UM PROBLEMA DE OTIMIZAÇÃO COM APOIO DE UM OBJETO DE APRENDIZAGEM Gilmer Jacinto Peres 1 Instituto Federal do Norte de Minas Gerais gilmerperes@gmail.com Maria

Leia mais

LABORATÓRIOS DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR COMO ESPAÇOS PARA EDUCAÇÃO NÃO-FORMAL DE ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA

LABORATÓRIOS DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR COMO ESPAÇOS PARA EDUCAÇÃO NÃO-FORMAL DE ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA Revista F@pciência, Apucarana-PR, ISSN 1984-2333, v.7, n. 11, p. 117 122, 2010. 117 LABORATÓRIOS DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR COMO ESPAÇOS PARA EDUCAÇÃO NÃO-FORMAL DE ALUNOS

Leia mais

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas. UNIFAL-MG Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700. Alfenas/MG. CEP 37130-000 Fone: (35) 3299-1000. Fax: (35) 3299-1063 DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE

Leia mais

PRÁTICA PROFISSIONAL INTEGRADA: EXPERIMENTAÇÃO DOCENTE NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Mariely Rodrigues Anger marielyanger@hotmail.com

PRÁTICA PROFISSIONAL INTEGRADA: EXPERIMENTAÇÃO DOCENTE NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Mariely Rodrigues Anger marielyanger@hotmail.com ISSN 2177-9139 PRÁTICA PROFISSIONAL INTEGRADA: EXPERIMENTAÇÃO DOCENTE NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Mariely Rodrigues Anger marielyanger@hotmail.com 000 Alegrete, RS, Brasil. Ana Carla Ferreira Nicola Gomes

Leia mais

A GRADUAÇÃO E A PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA NA UFES: OS VÍNCULOS COM A PESQUISA E O ENSINO

A GRADUAÇÃO E A PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA NA UFES: OS VÍNCULOS COM A PESQUISA E O ENSINO A GRADUAÇÃO E A PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA NA UFES: OS VÍNCULOS COM A PESQUISA E O ENSINO Renato S. Rocha renrocha@gmail.com Universidade Federal do Espírito Santo Av. Fernando Ferrari, 514,

Leia mais

LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA E SALAS DE AULAS DO SESC LER SURUBIM, ESPAÇOS CONECTADOS, UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA E SALAS DE AULAS DO SESC LER SURUBIM, ESPAÇOS CONECTADOS, UM RELATO DE EXPERIÊNCIA LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA E SALAS DE AULAS DO SESC LER SURUBIM, ESPAÇOS CONECTADOS, UM RELATO DE EXPERIÊNCIA Resumo Marcos Antonio Celestino Costa¹, Mirelly Shyrleide Praseres da Silva 1. marcostonycel@yahoo.com.br

Leia mais