DISCIPLINAMENTO DA CIRCULAÇÃO DE VEÍCULOS DE CARGA CENTRO HISTÓRICO DE PORTO ALEGRE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DISCIPLINAMENTO DA CIRCULAÇÃO DE VEÍCULOS DE CARGA CENTRO HISTÓRICO DE PORTO ALEGRE"

Transcrição

1 DISCIPLINAMENTO DA CIRCULAÇÃO DE VEÍCULOS DE CARGA CENTRO HISTÓRICO DE PORTO ALEGRE

2 Diagnóstico Perturbações na fluidez Grandes dimensões Manobras lentas Raio de giro restrito Remoção difícil em caso de acidentes Impactos negativos Poluição Barulho Vibrações / trepidações Deterioração do pavimento Obstrução visual Diagnóstico

3 Principais Problemas no Centro Histórico

4 Área de Restrição

5 Sinalização de Restrição

6 Compr. 6,50m Capac. 3,20 ton. Compr. 5,00m Capac. 1,60 ton. Compr. 6,30m Capac. 3,30 ton. Veículos permitidos

7 Compr. 9,65m Compr. 10,40m Compr. 11,20m Compr. 12,43m Veículos proibidos

8 Próximas intervenções: Cidade Baixa Moinhos de Vento Área de Restrição

9 Preservar áreas residenciais do tráfego de cargas urbanas Vias locais Bairros de interesse cultural Túneis verdes Compatibilizar com o Plano Diretor Outras áreas avaliadas

10 PLANO DE MOBILIDADE DE CARGAS Porto Alegre Nov/2013

11 PLANO DE MOBILIDADE INTEGRADO

12 DIRETRIZES VISÃO SISTÊMICA Planejamento de mobilidade integrado com a região metropolitana, e foco nas vias estruturais do sistema viário segurança e fluidez; VISÃO ESTRATÉGICA: Cidade acessível ao pedestre; Priorização do Transporte Coletivo ampliação de corredores e faixas preferenciais e transporte de alta capacidade: metrô e hidroviário; Implantação do Plano Cicloviário; Planejamento e ordenação do Transporte de Cargas; Tecnologia; Consolidação do Plano de Mobilidade 2015; Estratégia de Mobilidade

13 capacitação visão de futuro diagnóstico definição de critérios Plano de Mobilidade de Cargas Busca de informações Pesquisas Treinamentos/cursos Definição do modelo logístico da cidade / Abrangência Levantamento da situação e identificação de oportunidades de melhorias Definição de critérios de seleção das rotas de carga Definição do sistema viário; Compatibilização com Plano Diretor Priorização de intervenções Elaboração do documento gestão

14 Panorama geral Viaduto Av. Julio de Castilhos Rodoviária Av. Edvaldo Pereira Paiva (Av. Beira Rio) Obras de Arte Av. 3ª Perimetral Trincheira Av. Ceará X Farrapos Trincheira Av. Cristóvão Colombo Trincheira Av. Plínio Brasil Milano Trincheira Rua Anita Garibaldi Viaduto Av. Bento Gonçalves Av. Voluntários da Pátria Av. Severo Dullius Av. Tronco Teresópolis Corredores BRT Av. Bento Gonçalves Av. João Pessoa Av. Protásio Alves 15 Km em obras Obras de Mobilidade

15 Duplicação Av. Voluntários da Pátria Duplicação Av. Severo Dullius Trincheira Av. Farrapos x Av. Ceará Viaduto Rodoviária Trincheira Av. Cristóvão Colombo x 3ª Perimetral Trincheira Av. Plínio B. Milano x 3ª Perimetral Trincheira Av. Anita Garibaldi x 3ª Perimetral Duplicação Av. Edvaldo P. Paiva BRT Protásio Alves Viaduto Av. Bento Gonçalves x Av. Aparício Borges Duplicação Av. Tronco BRT Bento Gonçalves

16 Mobilidade de Cargas na Cidade

17 REGULAÇÃO INFORMAÇÃO CONHECIMENTO Eixos de atuação

18 Objetivos: Melhorar a mobilidade de cargas Estimular o desenvolvimento econômico Preservar a qualidade de vida Reduzir custos da cadeia produtiva Regular o transporte de cargas Objetivos

19 Diagnóstico Contagens nas entradas da cidade Entrevistas Avaliação rotas principais Parcerias com transportadores Coleta de dados

20 BR-448 BR-116 RS-010 RS-020 BR-290 BR-290 RS-040 Infraestrutura Rodoviária

21 CEASA Aeroporto Porto Seco Porto Distrito Industrial Estruturas Logísticas

22 Desafio Garantir o abastecimento e promover a vitalidade econômica sem prejuízos à qualidade de vida. Tendência Afastar os grandes caminhões dos núcleos, trocando-os por menores, mais leves e manobráveis. Estratégia

23 Cargas perigosas Operação Autorizações Estratégia

24 Hierarquização de vias de transporte de cargas Definição de funções Priorização de intervenções Estratégia

25 Acesso Norte Obra para melhorar o acesso ao Porto Seco e saída da cidade. Estratégia

26 Meta Estratégica Capacitar a EPTC a ser protagonista da Gestão da Mobilidade de Cargas, e transformar Porto Alegre numa referência nacional em MOBILIDADE INTEGRADA

27 Obrigado! Vanderlei Cappellari Fone: (51)

Obras da Copa 2014 Mobilidade Urbana. Prefeitura Municipal de Porto Alegre 30.06.2011

Obras da Copa 2014 Mobilidade Urbana. Prefeitura Municipal de Porto Alegre 30.06.2011 Obras da Copa 2014 Mobilidade Urbana Prefeitura Municipal de Porto Alegre 30.06.2011 Território preferencial Obras da Matriz de Responsabilidades Av. Severo Dullius Rua Voluntários da Pátria Av. Assis

Leia mais

Obras de Mobilidade Urbana e Transporte Público Porto Alegre Copa 2014 AGOSTO - 2012

Obras de Mobilidade Urbana e Transporte Público Porto Alegre Copa 2014 AGOSTO - 2012 AGOSTO - 2012 Matriz de Responsabilidades invest. R$ 866,3 milhões Corredor Avenida Tronco Corredor Terceira Perimetral Corredor Padre Cacique Monitoramento dos Corredores BRT Protásio Alves BRT Assis

Leia mais

Programa Crédito 0143-Porto Alegre Copa 2014 Exercício 2013. Órgão Crédito Projeto Atividade Crédito Justificativa

Programa Crédito 0143-Porto Alegre Copa 2014 Exercício 2013. Órgão Crédito Projeto Atividade Crédito Justificativa Programa Crédito 0143-Porto Alegre Copa 2014 Exercício 2013 Órgão Crédito Projeto Atividade Crédito Justificativa SMGAE SMGAE Total SMOV SMOV Total SMT SMT Total EGM 1572-APOIO OPERACIONAL AO PROGRAMA

Leia mais

EMPRESA PÚBLICA DE TRANSPORTE E CIRCULAÇÃO PLANOS DE MOBILIDADE EM PORTO ALEGRE/RS SEMINÁRIO INTERNACIONAL CIDADE E MOBILIDADE

EMPRESA PÚBLICA DE TRANSPORTE E CIRCULAÇÃO PLANOS DE MOBILIDADE EM PORTO ALEGRE/RS SEMINÁRIO INTERNACIONAL CIDADE E MOBILIDADE EMPRESA PÚBLICA DE TRANSPORTE E CIRCULAÇÃO PLANOS DE MOBILIDADE EM PORTO ALEGRE/RS SEMINÁRIO INTERNACIONAL CIDADE E MOBILIDADE PORTO ALEGRE, NOVEMBRO DE 2012 EMPRESA PÚBLICA DE TRANSPORTE E CIRCULAÇÃO

Leia mais

Mobilidade e Políticas Urbanas em Belo Horizonte

Mobilidade e Políticas Urbanas em Belo Horizonte I Seminário Nacional de Política Urbana e Ambiental Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil Brasília abril 2016 Mobilidade e Políticas Urbanas em Belo Horizonte Tiago Esteves Gonçalves da Costa ESTRUTURA

Leia mais

AVENIDA DONA BELMIRA MARIN MELHORAMENTOS E ALARGAMENTO IMPLANTAÇÃO DE CORREDOR DE ÔNIBUS

AVENIDA DONA BELMIRA MARIN MELHORAMENTOS E ALARGAMENTO IMPLANTAÇÃO DE CORREDOR DE ÔNIBUS AVENIDA DONA BELMIRA MARIN MELHORAMENTOS E ALARGAMENTO IMPLANTAÇÃO DE CORREDOR DE ÔNIBUS OPORTUNIDADES PROMOVER ORGANIZAÇÃO DO SISTEMA VIÁRIO E ALÍVIO DOS VOLUMES DE TRÁFEGO IMPORTANTE VIA ESTRUTURAL.

Leia mais

IMPLANTACAO VIARIA PARA CORREDOR EXCLUSIVO DE ONIBUS,LIGANDO SANTA CRUZ A BARRA DA TIJUCA - BRT TRANSOESTE

IMPLANTACAO VIARIA PARA CORREDOR EXCLUSIVO DE ONIBUS,LIGANDO SANTA CRUZ A BARRA DA TIJUCA - BRT TRANSOESTE 1 IMPLANTACAO VIARIA PARA CORREDOR EXCLUSIVO DE ONIBUS,LIGANDO SANTA CRUZ A BARRA DA TIJUCA - BRT TRANSOESTE AUDIÊNCIA PÚBLICA OUTRAS INFORMAÇÕES 2266-0369 SMTR www.rio.rj.gov.br 2589-0557 SMO Rio de Janeiro

Leia mais

O b ra s da C o pa 2 0 1 4. P re fe it u ra Mu nic ipa l de P o rt o A le g re

O b ra s da C o pa 2 0 1 4. P re fe it u ra Mu nic ipa l de P o rt o A le g re O b ra s da C o pa 2 0 1 4 P re fe it u ra Mu nic ipa l de P o rt o A le g re RE C URS OS Ma triz de R e s po n s a b ilida de s Ma triz de R e s po n s a b ilida de s Assinada em 13 de janeiro de 2010

Leia mais

Code-P0. 4º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede de Porto Alegre. Dezembro de 2012

Code-P0. 4º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede de Porto Alegre. Dezembro de 2012 CodeP0 4º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidadesede de Porto Alegre Dezembro de 2012 CodeP1 CODE1 Porto Alegre: Distribuição dos Investimentos por Tema e Fonte de s Referência Nov/12, Distribuição

Leia mais

Brasília - Brasil Maio de 2006

Brasília - Brasil Maio de 2006 Brasília - Brasil Maio de 2006 Diagnóstico Início Diagnóstico Objetivos do Programa Intervenções Propostas Avanço das Atividades Tratamento Viário Diagnóstico Início Diagnóstico Objetivos do Programa Intervenções

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana. O Brasil vai continuar crescendo

MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana. O Brasil vai continuar crescendo MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana O Brasil vai continuar crescendo O Brasil vai continuar crescendo PAVIMENTAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DE VIAS URBANAS MINISTÉRIO

Leia mais

O MTUR e a Copa 2014 Copa do Mundo da FIFA 2014 Encontro Econômico Brasil- Alemanha 2009 Vitória ES - Brasil 30 de agosto a 1º de setembro

O MTUR e a Copa 2014 Copa do Mundo da FIFA 2014 Encontro Econômico Brasil- Alemanha 2009 Vitória ES - Brasil 30 de agosto a 1º de setembro Copa do Mundo da FIFA Encontro Econômico Brasil- Alemanha 2009 2014 Vitória ES - Brasil 30 de agosto a 1º de setembro O MTUR e a Ponto de partida : garantias oferecidas pelo governo federal, estados e

Leia mais

de Belo Horizonte Projeto BRT Do sistema tronco alimentado convencional aos corredores de BRT

de Belo Horizonte Projeto BRT Do sistema tronco alimentado convencional aos corredores de BRT Sistema IntegradodeTransporte de porônibus de Belo Horizonte Projeto BRT Do sistema tronco alimentado convencional aos corredores de BRT Sumário Premissas e condicionantes do Projeto Conceito e características

Leia mais

DIRETRIZES DA POLÍTICA DE TRANSPORTE COLETIVO SOBRE PNEUS

DIRETRIZES DA POLÍTICA DE TRANSPORTE COLETIVO SOBRE PNEUS DIRETRIZES DA POLÍTICA DE TRANSPORTE COLETIVO SOBRE PNEUS DEZEMBRO 2013 DENSIDADE DE EMPREGOS ÁREA CENTRAL Plano Diretor 2013 Referências Trata da política de transporte e mobilidade urbana integrada com

Leia mais

Mobilidade Humana por Bicicleta em Fortaleza

Mobilidade Humana por Bicicleta em Fortaleza Mobilidade Humana por Bicicleta em Fortaleza 03 de Dezembro de 2013 Tópicos Apresentação da Ciclovida Sistema Cicloviário Estrutura Cicloviária de Fortaleza Situação Atual Fortaleza e Outras Cidades Benefícios

Leia mais

Programa Paulista de Concessões. Dr. Rodrigo José Oliveira Pinto de Campos Diretor de Assuntos Institucionais da ARTESP

Programa Paulista de Concessões. Dr. Rodrigo José Oliveira Pinto de Campos Diretor de Assuntos Institucionais da ARTESP Programa Paulista de Concessões Dr. Rodrigo José Oliveira Pinto de Campos Diretor de Assuntos Institucionais da ARTESP Foz do Iguaçu, 13 de Maio de 2016 Sobre a ARTESP Criada pela Lei Complementar nº 914,

Leia mais

USO DO SOLO E ADENSAMENTO AO LONGO DOS CORREDORES DE TRANSPORTE DE BELO HORIZONTE

USO DO SOLO E ADENSAMENTO AO LONGO DOS CORREDORES DE TRANSPORTE DE BELO HORIZONTE USO DO SOLO E ADENSAMENTO AO LONGO DOS CORREDORES DE TRANSPORTE DE BELO HORIZONTE Land use and densification along mass transit corridors in Belo Horizonte Daniel Freitas Prefeitura Municipal de Belo Horizonte

Leia mais

Os projetos do Município de Porto Alegre para a Copa 2014

Os projetos do Município de Porto Alegre para a Copa 2014 PORTO ALEGRE Os projetos do Município de Porto Alegre para a Copa 2014 Seminário O Tribunal de Contas do Estado e a Copa 2014 13 de julho de 2010. PORTO ALEGRE PREPARAÇÃO PARA A COPA DE 2014 A COPA EM

Leia mais

PLANO DE MITIGAÇÃO PERIMETRAL. Construção da nova Via Binário do Porto

PLANO DE MITIGAÇÃO PERIMETRAL. Construção da nova Via Binário do Porto PLANO DE MITIGAÇÃO PERIMETRAL Construção da nova Via Binário do Porto CRONOGRAMA 12/10 - sábado - Início da divulgação de medidas de redução de impacto sobre o trânsito Sinalização Incentivo ao uso de

Leia mais

Núcleo de Apoio ao Planejamento e Gestão da Inovação. Junho de 2006

Núcleo de Apoio ao Planejamento e Gestão da Inovação. Junho de 2006 Núcleo de Apoio ao Planejamento e Gestão da Inovação Junho de 2006 NUGIN: Núcleo de Gestão da Inovação Missão Promover a geração de ambientes inovadores, fomentando e apoiando as empresas na gestão da

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE OURO PRETO DADOS PARA O DIAGNOSTICO DO SISTEMA DE MOBILIDADE DE OURO PRETO

PREFEITURA MUNICIPAL DE OURO PRETO DADOS PARA O DIAGNOSTICO DO SISTEMA DE MOBILIDADE DE OURO PRETO PREFEITURA MUNICIPAL DE OURO PRETO DADOS PARA O DIAGNOSTICO DO SISTEMA DE MOBILIDADE DE OURO PRETO Setembro 2014 OURO PRETO PESQUISA ORIGEM DESTINO MAIO 2014 DIRETRIZES GERAIS

Leia mais

COMUNICAÇÕES TÉCNICAS 21º CONGRESSO BRASILEIRO DE TRANSPORTE E TRÂNSITO SÃO PAULO 28, 29 E 30 DE JUNHO DE 2017

COMUNICAÇÕES TÉCNICAS 21º CONGRESSO BRASILEIRO DE TRANSPORTE E TRÂNSITO SÃO PAULO 28, 29 E 30 DE JUNHO DE 2017 COMUNICAÇÕES TÉCNICAS 21º CONGRESSO BRASILEIRO DE TRANSPORTE E TRÂNSITO SÃO PAULO 28, 29 E 30 DE JUNHO DE 2017 A ANTP convida a todos os integrantes das entidades associadas, seus membros individuais e

Leia mais

MOBILIDADE URBANA NO BRASIL: DESAFIOS E SOLUÇÕES DEPUTADO FEDERAL JORGE CÔRTE REAL NOVEMBRO/2013

MOBILIDADE URBANA NO BRASIL: DESAFIOS E SOLUÇÕES DEPUTADO FEDERAL JORGE CÔRTE REAL NOVEMBRO/2013 MOBILIDADE URBANA NO BRASIL: DESAFIOS E SOLUÇÕES DEPUTADO FEDERAL JORGE CÔRTE REAL NOVEMBRO/2013 O problema da mobilidade é comum a todos os grandes centros urbanos. Afeta o desenvolvimento do País ao

Leia mais

PLANO DE MOBILIDADE PORTO MARAVILHA

PLANO DE MOBILIDADE PORTO MARAVILHA PLANO DE MOBILIDADE PORTO MARAVILHA CRONOGRAMA 12/10 sábado - Início da divulgação de medidas de redução de impacto sobre o trânsito Sinalização Incentivo ao uso de rotas alternativas Campanha para incentivo

Leia mais

Transporte Coletivo: Chegando mais rápido ao futuro. Repensar Mobilidade em Transporte Coletivo

Transporte Coletivo: Chegando mais rápido ao futuro. Repensar Mobilidade em Transporte Coletivo Repensar Mobilidade em Transporte Coletivo As Cidades mudaram População mudou A Economia mudou Os Meios de Transportes mudaram E nós? Ainda pensamos igual ao passado? Em TRANSPORTE COLETIVO chega-se ao

Leia mais

OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA SUGESTÕES AO PLO 2013

OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA SUGESTÕES AO PLO 2013 OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA SUGESTÕES AO PLO 2013 Índice 10 Santa Catarina 10 Infraestrutura de Transportes Modal Rodoviário 17 Infraestrutura

Leia mais

Política de Combate a Inundações de Belo Horizonte. Prefeitura de Belo Horizonte

Política de Combate a Inundações de Belo Horizonte. Prefeitura de Belo Horizonte Política de Combate a Inundações de Belo Horizonte Prefeitura de Belo Horizonte Belo Horizonte, fevereiro/2011 ASPECTOS GERAIS DA CIDADE DE BELO HORIZONTE Área superficial : 330 km 2 População : 2,5 milhões

Leia mais

Calçada Para Todos Mobilidade Urbana LONDRINA, PR

Calçada Para Todos Mobilidade Urbana LONDRINA, PR Calçada Para Todos Mobilidade Urbana LONDRINA, PR MUNICÍPIO DE LONDRINA CARACTERIZAÇÃO DO MUNICÍPIO DE LONDRINA Situado ao norte do estado do Paraná Município foi criado em dezembro de 1934 e acaba de

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA NA GESTÃO DA CADEIA LOGÍSTICA

RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA NA GESTÃO DA CADEIA LOGÍSTICA RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA NA GESTÃO DA CADEIA LOGÍSTICA Coordenadoria de Economia Mineral Diretoria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral Premissas do Desenvolvimento Sustentável Economicamente

Leia mais

Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro. Rio Metropolitano. Jorge Arraes. 09 de julho 2015

Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro. Rio Metropolitano. Jorge Arraes. 09 de julho 2015 Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro Rio Metropolitano Jorge Arraes 09 de julho 2015 Prefeitura do Rio de Janeiro Secretaria Especial de Concessões e Parcerias Público-Privadas Em 2009, institucionalizou-se

Leia mais

MOBILIDADE METROPOLITANA E PROJETO URBANO

MOBILIDADE METROPOLITANA E PROJETO URBANO MOBILIDADE METROPOLITANA E PROJETO URBANO SEMINÁRIO RIO METROPOLITANO: DESAFIOS COMPARTILHADOS O FUTURO DA MOBILIDADE NA METRÓPOLE VERTICALIDADES Aspectos metropolitanos HORIZONTALIDADES Interações entre

Leia mais

ALTERNATIVAS DE MOBILIDADE PARA O RECIFE

ALTERNATIVAS DE MOBILIDADE PARA O RECIFE BRT MONOTRILHOS VLT ALTERNATIVAS DE MOBILIDADE PARA O RECIFE Objetivo: ALTERNATIVAS DE MELHORAR A MOBILIDADE URBANA NA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE Meios: 1.Priorizar o transporte público de qualidade

Leia mais

OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA

OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA - 2014 Índice Santa Catarina 1 Infraestrutura de Transportes Modal Rodoviário 2 Infraestrutura de Transportes Modal

Leia mais

INFRAESTRUTURA PARA A COPA Obras de Mobilidade Urbana em Belo Horizonte

INFRAESTRUTURA PARA A COPA Obras de Mobilidade Urbana em Belo Horizonte INFRAESTRUTURA PARA A COPA 2014 Obras de Mobilidade Urbana em Belo Horizonte Agosto/2011 Programa de Mobilidade Urbana AÇÃO Prazo de execução obras nº meses Início Conclusão Obra Desapropriação BRT Antonio

Leia mais

SISTEMA BRT AV. JOÃO NAVES DE ÁVILA CORREDOR ESTRUTURAL SUDESTE

SISTEMA BRT AV. JOÃO NAVES DE ÁVILA CORREDOR ESTRUTURAL SUDESTE SISTEMA BRT AV. JOÃO NAVES DE ÁVILA CORREDOR ESTRUTURAL SUDESTE Inicialmente, o que é BRT? O BRT (Bus Rapid Transit), ou Transporte Rápido por Ônibus, é um sistema de transporte coletivo de passageiros

Leia mais

Instituto Sindipeças de Educação Corporativa

Instituto Sindipeças de Educação Corporativa Instituto Sindipeças de Educação Corporativa 2016 Instituto Sindipeças de Educação Corporativa Missão Oferecer soluções educacionais para elevar a competitividade e a sustentabilidade do setor de autopeças.

Leia mais

r n o maior programa de drenagem da historia de Porto Alegre

r n o maior programa de drenagem da historia de Porto Alegre r n o maior programa de drenagem da historia de Porto Alegre 10 anos de investimentos que fazem a diferença CONDUTO FORÇADO ÁLVARO CHAVES A execução do Conduto Álvaro Chaves foi iniciada em maio de 2005

Leia mais

MOBILIDADE URBANA. Miriam Belchior Ministra de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão

MOBILIDADE URBANA. Miriam Belchior Ministra de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão MOBILIDADE URBANA Miriam Belchior Ministra de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão MOBILIDADE URBANA RECURSO DISPONÍVEL 143 bilhões ANTES DO PACTO R$ 93 bilhões 62% das obras concluídas ou em execução

Leia mais

Comitê Gestor do PAC

Comitê Gestor do PAC DISTRITO FEDERAL Apresentação Esta publicação apresenta informações regionalizadas do 4º balanço do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), referente a abril de 2008. Traz, também, dados sobre outros

Leia mais

ITUIUTABA MONTE ALEGRE DE MINAS MONTE CARMELO PRATA SANTA VITÓRIA MINAS GERAIS

ITUIUTABA MONTE ALEGRE DE MINAS MONTE CARMELO PRATA SANTA VITÓRIA MINAS GERAIS ITUIUTABA MONTE ALEGRE DE MINAS MONTE CARMELO PRATA SANTA VITÓRIA MINAS GERAIS A Mobilidade Urbana A Mobilidade Urbana é um tema amplo, abrange questões de desenvolvimento urbano, a saúde e a qualidade

Leia mais

Companhia de Engenharia de Tráfego CET

Companhia de Engenharia de Tráfego CET Secretaria Municipal de Transporte SMT Sec e a a u cpa de a spo e S Companhia de Engenharia de Tráfego CET Anhanguera Bandeirantes Fernão Dias Presidente Dutra Ayrton Senna MAIRIPORÃ Castello Branco CAIEIRAS

Leia mais

Porto Alegre. Host City Fifa World Cup 2014

Porto Alegre. Host City Fifa World Cup 2014 Porto Alegre Host City Fifa World Cup 2014 31/05/2009 A FIFA anuncia as 12 cidades-sede 13/01/2010 Formalização do Grupo Executivo da Copa Gecopa; Anúncio do Programa BNDES Pró-Copa Turismo (recursos para

Leia mais

RELAÇÃO DE AÇÕES PRIORITÁRIAS Versão 22.07.09

RELAÇÃO DE AÇÕES PRIORITÁRIAS Versão 22.07.09 Versão 22.07.09 A COPA EM PORTO ALEGRE Caderno de encargos da FIFA ABDIB (Associação Brasileira de Infra-Estrutura e Indústrias de Base) - Realizado com base nas informações fornecidas pelas cidades candidatas;

Leia mais

SESSÃO DE APRESENTAÇÃO Cursos Técnicos Superiores Profissionais TeSP

SESSÃO DE APRESENTAÇÃO Cursos Técnicos Superiores Profissionais TeSP Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 SESSÃO DE APRESENTAÇÃO Cursos Técnicos Superiores Profissionais TeSP Identidade, Competitividade, Responsabilidade Lezíria do Tejo Alto Alentejo Alentejo

Leia mais

Programa Estadual de Mobilidade Urbana PROMOB PROGRAMA ESTADUAL DE MOBILIDADE URBANA PROMOB

Programa Estadual de Mobilidade Urbana PROMOB PROGRAMA ESTADUAL DE MOBILIDADE URBANA PROMOB PROGRAMA ESTADUAL DE MOBILIDADE URBANA PROMOB ARAÇOIABA 15.108 90 IGARASSU 82.277 323 ITAPISSUMA 20.116 74 ITAMARACÁ 15.858 65 PRAIA DE MARIA FARINHA A REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE Municípios: 14 População:

Leia mais

Programas Desenvolvidos: Ministrante de Palestras e Cursos para Profissionais de Engenharia e Arquitetura;

Programas Desenvolvidos: Ministrante de Palestras e Cursos para Profissionais de Engenharia e Arquitetura; Francisco José Soares Hörbe Diretor-presidente da Trensurb Formação escolar: 2003 Cursos de Planejamento de Transporte Público, Planejamento Urbanístico. 1999 Formação de Consultoria do SEBRAE-RS Brasil

Leia mais

Mapa dos Corredores Estruturais

Mapa dos Corredores Estruturais Mapa dos es Estruturais Industrial Umuarama Norte Oeste Dona Zulmira Central Leste Novo Mundo Planalto Sudoeste Jardins Sul Sudeste Santa Luzia Universitário Anéis Oeste Planalto Norte Dona Zulmira Sudoeste

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Institucional

Plano de Desenvolvimento Institucional Plano de Desenvolvimento Institucional Âmbito de atuação Missão Visão Elementos Duráveis Princípios Elementos Mutáveis (periodicamente) Análise Ambiental Objetivos Estratégicos Metas Planos de Ação PDI

Leia mais

SECRETARIA DOS TRANSPORTES CENÁRIOS DA INFRAESTRUTURA DO RS

SECRETARIA DOS TRANSPORTES CENÁRIOS DA INFRAESTRUTURA DO RS SECRETARIA DOS TRANSPORTES ST CENÁRIOS DA INFRAESTRUTURA DO RS CENÁRIOS INFRAESTRUTURA DO RIO GRANDE DO SUL Cenário encontrado e dificuldades Estradas em más condições 76 municípios sem acesso asfáltico

Leia mais

Prefeitura Municipal do Natal

Prefeitura Municipal do Natal Prefeitura Municipal do Natal Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Finanças Plano Plurianual 2010/2013 Programa Horizonte Público Objetivo: 8 Mobilidade e Cidadania Contínuo População do município

Leia mais

Desdobrando o Mapa Estratégico da Justiça Federal do Rio Grande do Sul

Desdobrando o Mapa Estratégico da Justiça Federal do Rio Grande do Sul Desdobrando o Mapa Estratégico da Justiça Federal do Rio Grande do Sul Marcelo De Nardi Porto Alegre, 04 de julho de 2011. CONTEXTUALIZAÇÃO Poder Judiciário no Contexto da Gestão Pública Nacional Processos

Leia mais

Como estaremos daqui a 25 anos? Estudo de Mobilidade Urbana Plano Diretor Regional de Mobilidade. Seminário SINAENCO / SC

Como estaremos daqui a 25 anos? Estudo de Mobilidade Urbana Plano Diretor Regional de Mobilidade. Seminário SINAENCO / SC Como estaremos daqui a 25 anos? Estudo de Mobilidade Urbana Plano Diretor Regional de Mobilidade Seminário SINAENCO / SC Guilherme Medeiros Engenheiro Coordenador Técnico SC Participações e Parcerias S.A.

Leia mais

4ª Reunião de Especialistas sobre Consumo e Produção Sustentáveis da América Latina e Caribe

4ª Reunião de Especialistas sobre Consumo e Produção Sustentáveis da América Latina e Caribe 4ª Reunião de Especialistas sobre Consumo e Produção Sustentáveis da América Latina e Caribe Marcelo Kós Diretor Técnico de Assuntos Industriais Abiquim São Paulo, 18 de outubro de 2007 O Programa Atuação

Leia mais

Fórum das Instituições de Ensino Superior IES 4º Distrito: Sociedade, Inovação e Desenvolvimento

Fórum das Instituições de Ensino Superior IES 4º Distrito: Sociedade, Inovação e Desenvolvimento Fórum das Instituições de Ensino Superior IES 4º Distrito: Sociedade, Inovação e Desenvolvimento Porto Alegre, 2015 Se encontra no cruzamento da área central e municípios da Região Metropolitana; Grande

Leia mais

SALVANDO VIDAS. A importância de reduzir limites de velocidade em áreas urbanas

SALVANDO VIDAS. A importância de reduzir limites de velocidade em áreas urbanas SALVANDO VIDAS A importância de reduzir limites de velocidade em áreas urbanas MARTA OBELHEIRO COORDENADORA DE PROJETOS DE SAÚDE E SEGURANÇA VIÁRIA DO WRI BRASIL CIDADES SUSTENTÁVEIS Um produto do WRI

Leia mais

A importância da mudança modal para tirar São Paulo da contramão. Autora: Arqta. Melissa Belato Fortes Co-autora: Arqta. Denise H. S.

A importância da mudança modal para tirar São Paulo da contramão. Autora: Arqta. Melissa Belato Fortes Co-autora: Arqta. Denise H. S. A importância da mudança modal para tirar São Paulo da contramão Autora: Arqta. Melissa Belato Fortes Co-autora: Arqta. Denise H. S. Duarte Objeto da pesquisa Relação entre adensamento, multifuncionalidade

Leia mais

ELABORAÇÃO DE PLANO MUNICIPAL DE MOBILIDADE URBANA

ELABORAÇÃO DE PLANO MUNICIPAL DE MOBILIDADE URBANA PROGRAMA MUNICIPAL DE MOBILIDADE URBANA ELABORAÇÃO DE PLANO MUNICIPAL DE MOBILIDADE URBANA PREFEITURA DE CAÇAPAVA DO SUL-RS JULHO DE 2013 Pág. 1 : 5 SRCRETARIA DE MUNICÍPIO DO PLANEJAMENTO E MEIO AMBIENTE

Leia mais

Localização Estratégica

Localização Estratégica Porto Maravilha Localização Estratégica Aeroporto Internacional Tom Jobim 11 km Aeroporto Santos Dumont Oceano Atlântico 2 km Maracanã 5 km Pão de Açúcar Corcovado 7 km 6 km Copacabana 8 km Perímetro Porto

Leia mais

Infraestrutura Logística para otimização da cadeia farmacêutica. Frederico Bussinger

Infraestrutura Logística para otimização da cadeia farmacêutica. Frederico Bussinger Infraestrutura Logística para otimização da cadeia farmacêutica Frederico Bussinger BRASIL NO MUNDO LOGÍSTICA: FATOR CRÍTICO DE SUCESSO Área > 4 mi Km 2 População > 100 mi Paquistão USA Bangladesh China

Leia mais

Demonstração Internacional da Plataforma de informações de tráfego e de trânsito

Demonstração Internacional da Plataforma de informações de tráfego e de trânsito Demonstração Internacional da Plataforma de informações de tráfego e de trânsito As grandes cidades e áreas metropolitanas encaram o aumento da demanda nos sistemas de transportes, especialmente nas regiões

Leia mais

SEPLAN TRANSPORTE COMO CHAVE PARA O SUCESSO DA COPA DE 2014 SEPLAN SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO

SEPLAN TRANSPORTE COMO CHAVE PARA O SUCESSO DA COPA DE 2014 SEPLAN SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO SEPLAN TRANSPORTE COMO CHAVE PARA O SUCESSO DA COPA DE 2014 AGENDA ESTRATÉGIA PERSPECTIVAS ECONÔMICAS MATRIZ DE RESPONSABILIDADES MONOTRILHO CONSIDERAÇÕES FINAIS ESTRATÉGIA Concepção Planejamento Execução

Leia mais

PREFEITO LUCIANO DUCCI

PREFEITO LUCIANO DUCCI Câmara dos Deputados Comissão de Desenvolvimento Urbano Curitiba PREFEITO LUCIANO DUCCI Mobilidade Urbana Cléver Ubiratan Teixeira de Almeida Presidente do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de

Leia mais

Atuação Responsável Compromisso com a sustentabilidade. Atuação Responsável Um compromisso da Indústria Química

Atuação Responsável Compromisso com a sustentabilidade. Atuação Responsável Um compromisso da Indústria Química Atuação Responsável Compromisso com a sustentabilidade O Atuação Responsável é uma ética empresarial, compartilhada pelas empresas associadas à Abiquim Missão do Atuação Responsável Promover o aperfeiçoamento

Leia mais

O TRANSPORTE RODOVIÁRIO TENDÊNCIAS ANTÓNIO MOUSINHO

O TRANSPORTE RODOVIÁRIO TENDÊNCIAS ANTÓNIO MOUSINHO O TRANSPORTE RODOVIÁRIO TENDÊNCIAS ANTÓNIO MOUSINHO O TRANSPORTE RODOVIÁRIO NA UE 1. INTRODUÇÃO 2. SITUAÇÃO ACTUAL 3. MOBILIDADE SUSTENTÁVEL 4. TRANSPORTES ENERGIA E AMBIENTE 5. INFRAESTRUTURAS 6. CONCLUSÕES

Leia mais

Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos

Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos Como Acelerar a Implantação dos Empreendimentos Metroferroviários Vicente Abate Diretor Comercial ANPTrilhos Brasília,

Leia mais

Fundação 4~ Instituto de Pesquisa Q e Planejamento. J II I rj para o Desenvolvimento Sustentável de Joinville =`"""' -"'":42

Fundação 4~ Instituto de Pesquisa Q e Planejamento. J II I rj para o Desenvolvimento Sustentável de Joinville =`' -':42 Fundação 4~ Instituto de Pesquisa Q e Planejamento J II I rj para o Desenvolvimento Sustentável de =`"""' -"'":42 Parecer Técnico Conclusivo n 359/2016., 04 de outubro de 2016. Requerente: Insbruck Participações

Leia mais

POTENCIAL DE PPPs NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

POTENCIAL DE PPPs NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO POTENCIAL DE PPPs NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RILEY RODRIGUES Conselho Empresarial de Infraestrutura Sistema FIRJAN Principais desafios Os programas precisam ser estruturados, dentro de seus setores, como

Leia mais

Arezzo&Co s Investor Day

Arezzo&Co s Investor Day Arezzo&Co s Investor Day Tecnologia da informação aplicada ao varejo Kurt Richter Diretor de TI 1 Plano estratégico O plano estratégico de TI está bastante alinhado com a visão de longo prazo da Companhia

Leia mais

USO DE MICROSSIMULAÇÃO PARA AVALIAR BENEFÍCIOS NA REDUÇÃO DE ESTÁGIOS EM INTERSEÇÕES SEMAFORIZADAS

USO DE MICROSSIMULAÇÃO PARA AVALIAR BENEFÍCIOS NA REDUÇÃO DE ESTÁGIOS EM INTERSEÇÕES SEMAFORIZADAS USO DE MICROSSIMULAÇÃO PARA AVALIAR BENEFÍCIOS NA REDUÇÃO DE ESTÁGIOS EM INTERSEÇÕES SEMAFORIZADAS João Paulo Nascimento de Sousa Waldemiro de Aquino Pereira Neto USO DE MICROSSIMULAÇÃO PARA AVALIAR BENEFÍCIOS

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: TECNOLOGIA EM LOGISTICA Nivel: Superior

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: TECNOLOGIA EM LOGISTICA Nivel: Superior PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 001308 - TECNOLOGIA EM LOGISTICA Nivel: Superior Area Profissional: GESTAO DA ADMINISTRACAO Area de Atuacao: LOGISTICA/GESTAO Planejar,

Leia mais

EVENTO. IV Encontro de Qualidade e Tecnologia do Transporte Urbano. Palestra: Multimodalidade na Mobilidade. Data: 01/12/2009

EVENTO. IV Encontro de Qualidade e Tecnologia do Transporte Urbano. Palestra: Multimodalidade na Mobilidade. Data: 01/12/2009 EVENTO IV Encontro de Qualidade e Tecnologia do Transporte Urbano Palestra: Multimodalidade na Mobilidade Data: 01/12/2009 APRESENTAÇÃO DUPLICAÇÃ ÇÃO O DO ANEL VÁRIO V DE FORTALEZA PONTE DO COCÓ DUPLICAÇÃO

Leia mais

ETAPAS. 1. Contextualização; 2. Abrangência; 3. Pregão Nº 811/2012 DNIT; 4. TED Nº 290/2014 DNIT/COTER; 5. Situação Atual; 6.

ETAPAS. 1. Contextualização; 2. Abrangência; 3. Pregão Nº 811/2012 DNIT; 4. TED Nº 290/2014 DNIT/COTER; 5. Situação Atual; 6. Brasília, 2014 ETAPAS 1. Contextualização; 2. Abrangência; 3. Pregão Nº 811/2012 DNIT; 4. TED Nº 290/2014 DNIT/COTER; 5. Situação Atual; 6. Encerramento CONTEXTUALIZAÇÃO Histórico 1975 Programa de Contagem

Leia mais

RAD 1504 Gestão da Qualidade I. Profa. Márcia Mazzeo Grande Pro. Erasmo José Gomes

RAD 1504 Gestão da Qualidade I. Profa. Márcia Mazzeo Grande Pro. Erasmo José Gomes RAD 1504 Gestão da Qualidade I Profa. Márcia Mazzeo Grande Pro. Erasmo José Gomes A era da qualidade acabou? Modismo ou Modelo de Gestão? Panorama atual Elevado número de recalls Requisitos de qualidade

Leia mais

ENGENHARIA DE TRÁFEGO

ENGENHARIA DE TRÁFEGO ENGENHARIA DE TRÁFEGO Capítulo 1: A ENGENHARIA DE TRÁFEGO trata de atividades presentes no nosso dia a dia: a mobilidade das pessoas, o transporte de bens e sua relação com o ambiente tem importante função

Leia mais

SITUAÇÃO ENCONTRADA NO DF EM 2007

SITUAÇÃO ENCONTRADA NO DF EM 2007 SITUAÇÃO ENCONTRADA NO DF EM 2007 Frota antiga e tecnologia obsoleta; Serviço irregular de vans operando em todo o DF 850 veículos; Ausência de integração entre os modos e serviços; Dispersão das linhas;

Leia mais

ANEXO III REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO

ANEXO III REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO ANEXO III REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO PLANOS ESTRATÉGICOS DE DESENVOLVIMENTO URBANO AVISO DE CONCURSO Nº ALT20 06 2016 18 ALT20 16 2016 19 ALT20 43 2016 20 DOMÍNIO DA SUSTENTABILIDADE E EFICIÊNCIA

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Identidade, Competitividade, Responsabilidade Lezíria do Tejo Alto Alentejo Alentejo Central Alentejo Litoral Baixo Alentejo Planeamento Estratégico Regional

Leia mais

Gerenciamento Ativo de Tráfego: Avaliação das Condições Operacionais em Trecho de Uso do Acostamento como Faixa de Tráfego

Gerenciamento Ativo de Tráfego: Avaliação das Condições Operacionais em Trecho de Uso do Acostamento como Faixa de Tráfego Gerenciamento Ativo de Tráfego: Avaliação das Condições Operacionais em Trecho de Uso do Acostamento como Faixa de Tráfego Técnicas de gerenciamento de tráfego apoiadas em informações obtidas em tempo

Leia mais

Sumário DOCUMENTO 2 DO ANEXO 1 - PARTE I - ANEXO Arquitetura - Urbanismo

Sumário DOCUMENTO 2 DO ANEXO 1 - PARTE I - ANEXO Arquitetura - Urbanismo http://www.bancodobrasil.com.br 1 DOCUMENTO 2 DO ANEXO 1 - PARTE I - ANEXO 15.1.6 Arquitetura - Urbanismo Sumário 1. OBJETIVO... 2 2. CONDIÇÕES GERAIS... 2 3. CONDIÇÕES ESPECÍFICAS... 2 3.1 Lado Terra...

Leia mais

A importância da liderança como diferencial competitivo. Leonardo Siqueira Borges 29 de Setembro de 2015

A importância da liderança como diferencial competitivo. Leonardo Siqueira Borges 29 de Setembro de 2015 A importância da liderança como diferencial competitivo Leonardo Siqueira Borges 29 de Setembro de 2015 Ellebe Treinamento em Gestão Organizacional A Ellebe atua em empresas públicas e privadas nas áreas

Leia mais

Agenda. Contexto. O Nordeste Territorial. Fórum de Governança da Atividade Econômica. Formas de Financiamento

Agenda. Contexto. O Nordeste Territorial. Fórum de Governança da Atividade Econômica. Formas de Financiamento Agenda Contexto O Nordeste Territorial Fórum de Governança da Atividade Econômica Formas de Financiamento Área de atuação do BNB Nordeste: 1.554,4 mil Km 2 Semi-árido: 974,4 mil Km 2 (62,7% do território

Leia mais

OBJETIVOS. Roteirizarão de Veículos e Administração de Tráfego. Me. Edvin Kalil Freitas Granville agosto de 2010

OBJETIVOS. Roteirizarão de Veículos e Administração de Tráfego. Me. Edvin Kalil Freitas Granville agosto de 2010 Roteirizarão de Veículos e Administração de Tráfego Me. Edvin Kalil Freitas Granville agosto de 2010 OBJETIVOS Conhecer e observar as decisões e cuidados peculiares enfrentadas pela área de transporte

Leia mais

IV Simpósio de Infraestrutura Metroviária, Ferroviária e Rodoviária. Assunto: Programa de Integridade Estrutural da Estrada de Ferro Carajás

IV Simpósio de Infraestrutura Metroviária, Ferroviária e Rodoviária. Assunto: Programa de Integridade Estrutural da Estrada de Ferro Carajás IV Simpósio de Infraestrutura Metroviária, Ferroviária e Rodoviária Assunto: Programa de Integridade Estrutural da Estrada de Ferro Carajás Tópico: Segurança e Condições de Serviço Autores: Engº João Alberto

Leia mais

A ocupação urbana da RMB, sobretudo da capital, é de concentração de serviços e infraestrutura nas regiões centrais que, consequentemente, também são

A ocupação urbana da RMB, sobretudo da capital, é de concentração de serviços e infraestrutura nas regiões centrais que, consequentemente, também são A Região Metropolitana de Belém é composta por sete municípios e tem cerca de 2,1 milhões de habitantes, de acordo com o Censo 2010, sendo a maior da região Norte. Belém e Ananindeua integram a RMB desde

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL. Regente Feijó 08/08

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL. Regente Feijó 08/08 P D E P P Plano de Desenvolvimento Econômico Regional e Local para os Municípios do Pontal do Paranapanema APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL Regente Feijó 08/08 Sumário 1. Motivação 2. Viabilização do projeto

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 108/09

PROJETO DE LEI Nº 108/09 PROJETO DE LEI Nº 108/09 "Dispõe sobre a criação do sistema cicloviário no Município de Santa Bárbara d Oeste e dá outras providências. Art. 1º - Fica criado o Sistema Cicloviário do Município de Santa

Leia mais

Elaboração do Plano de Mobilidade Urbana Segurança de Trânsito

Elaboração do Plano de Mobilidade Urbana Segurança de Trânsito Elaboração do Plano de Mobilidade Urbana Segurança de Trânsito Parauapebas, 11 de novembro de 2014 Apoio: Realização: Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana Ministério das Cidades Caracterização

Leia mais

Plano de Mobilidade Sustentável. Por uma cidade amiga da bicicleta Abril 2011

Plano de Mobilidade Sustentável. Por uma cidade amiga da bicicleta Abril 2011 Plano de Mobilidade Sustentável. Por uma cidade amiga da bicicleta Abril 2011 Cronograma Índice Apresentação da TC Urbes Objetivos do Plano de Mobilidade Sustentável Cidade e Mobilidade Diagnóstico Planejamento

Leia mais

PENSAR BRASÍLIA. TRANSPORTE COLETIVO DO DF Ações do Governo. Brasília/DF, 30 de agosto de 2012. Secretaria de Transportes - DF

PENSAR BRASÍLIA. TRANSPORTE COLETIVO DO DF Ações do Governo. Brasília/DF, 30 de agosto de 2012. Secretaria de Transportes - DF PENSAR BRASÍLIA TRANSPORTE COLETIVO DO DF Ações do Governo Brasília/DF, 30 de agosto de 2012 GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL GOVERNO PARA O DISTRITO FEDERAL Postura de Estado. Visão > Eixo de Desenvolvimento

Leia mais

Habitação Popular e Mobilidade Urbana na Região Metropolitana de Porto Alegre

Habitação Popular e Mobilidade Urbana na Região Metropolitana de Porto Alegre Habitação Popular e Mobilidade Urbana na Região Metropolitana de Porto Alegre Arquiteto e Urbanista Régulo Franquine Ferrari rferrari@eptc.prefpoa.com.br BRASIL Ciclos econômicos: 1500 pau-brasil litoral

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE MOBILIDADE URBANA DE VOTORANTIM / SP

PLANO MUNICIPAL DE MOBILIDADE URBANA DE VOTORANTIM / SP PLANO MUNICIPAL DE MOBILIDADE URBANA DE VOTORANTIM / SP 1ª Conferência - março de 2016 tema: lançamento do processo de elaboração do Plano O QUE É MOBILIDADE URBANA? Mobilidade é a forma de deslocamento

Leia mais

LARGADA 2ª ETAPA - SÁBADO DIA 29/08/09 PARQUE DA OKTOBERFEST - RUA GALVÃO COSTA, Nº SANTA CRUZ DO SUL/RS 0,05 0,03 0,22 0,14 0,38 0,23 0,43 0,27

LARGADA 2ª ETAPA - SÁBADO DIA 29/08/09 PARQUE DA OKTOBERFEST - RUA GALVÃO COSTA, Nº SANTA CRUZ DO SUL/RS 0,05 0,03 0,22 0,14 0,38 0,23 0,43 0,27 LARGADA 2ª ETAPA - SÁBADO DIA 29/08/09 PARQUE DA OKTOBERFEST - RUA GALVÃO COSTA, Nº 755 - SANTA CRUZ DO SUL/RS PORTÃO DO PARQUE DA OKTOBERFEST 0,000 00:00:00 INÍCIO DESLOCAMENTO 40 0,000 24,85 0,05 0,03

Leia mais

ortland: Uma Cidade de Intenções Papel de Planejamento e Operações Metropolitanos de Transportes

ortland: Uma Cidade de Intenções Papel de Planejamento e Operações Metropolitanos de Transportes ortland: Uma Cidade de Intenções Papel de Planejamento e Operações Metropolitanos de Transportes Desde mais que 100 anos atrás, transportes não automobilísticos são importantes no desenvolvimento de Portland

Leia mais

Título: Impactos derivados da implantação dos corredores metropolitanos.

Título: Impactos derivados da implantação dos corredores metropolitanos. Título: Impactos derivados da implantação dos corredores metropolitanos. Autores: Angelique Joseli de Oliveira 1 ; Tamara Crioruska Tarasiuk 1 ¹ Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo

Leia mais

Prof. Marcelo Mello. Unidade IV GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS

Prof. Marcelo Mello. Unidade IV GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS Prof. Marcelo Mello Unidade IV GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS Gerenciamento de serviços Nas aulas anteriores estudamos: 1) Importância dos serviços; 2) Diferença entre produtos x serviços; 3) Composto de Marketing

Leia mais

O Rio de Janeiro e as oportunidades com o PELC RJ 2045

O Rio de Janeiro e as oportunidades com o PELC RJ 2045 O Rio de Janeiro e as oportunidades com o PELC RJ 2045 Documento confidencial para uso e informação do cliente Rio de Janeiro, 01/04/2016 A Logística é um grande negócio para o Estado Brasileiro (Arrecadação

Leia mais

Revisão do Plano Diretor de Belém. 3ª Audiência Pública Temática Tema: INFRA-ESTRUTURA, MOBILIDADE E ACESSIBILIDADE

Revisão do Plano Diretor de Belém. 3ª Audiência Pública Temática Tema: INFRA-ESTRUTURA, MOBILIDADE E ACESSIBILIDADE Prefeitura Municipal de Belém Secretaria Municipal de Coordenação Geral do Planejamento e Gestão Revisão do Plano Diretor de Belém (Lei nº 7.603/93) 3ª Audiência Pública Temática Tema: INFRA-ESTRUTURA,

Leia mais

O desenvolvimento do Planejamento Estratégico está dividido em 5 fases principais até a sua conclusão: Figura 1 - Fases do Planejamento Estratégico

O desenvolvimento do Planejamento Estratégico está dividido em 5 fases principais até a sua conclusão: Figura 1 - Fases do Planejamento Estratégico O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO A Assessoria de Planejamento (ASPLAN) está se dedicando à elaboração do Planejamento Estratégico da SEDESE. Este projeto surge como uma demanda do Secretário André Quintão para

Leia mais

As Olimpíadas. e a Conquista da Cidade. e a Conquista da Cidade

As Olimpíadas. e a Conquista da Cidade. e a Conquista da Cidade Legado Urbano e Ambiental Ações Prioritárias: rias: - Reordenamento do espaço o urbano - Integração do sistema de transporte - Despoluição e controle ambiental - Reabilitação de áreas centrais degradadas

Leia mais