FÍSICA MODERNA PROFº MÁRCIO LISTA I

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FÍSICA MODERNA PROFº MÁRCIO LISTA I"

Transcrição

1 FÍSICA MODERNA PROFº MÁRCIO LISTA I 1. Não é radiação eletromagnética: a) infravermelho. b) ultravioleta. c) luz visível. d) ondas de rádio. e) ultra-som. 2. (UFRS) Das afirmações que se seguem: I. A velocidade de propagação da luz é a mesma em todos os meios. II. As microondas, usadas em telecomunicações para transportar sinais de TV e telefonia, são ondas eletromagnéticas. III. Ondas eletromagnéticas são ondas do tipo longitudinal. Está(ão) correta(s): a) apenas I. b) apenas II. c) apenas I e II. d) apenas II e III. e) I, II e III. 3. Quando se olha para a radiografia de uma mão, observa-se que, na chapa, as posições correspondentes aos ossos são claras. Isso se deve ao fato de nos corpos constituídos por átomos mais pesados: a) ser menor a absorção de raios X. b) ser maior a absorção de raios X. c) haver reflexão de raios X. d) haver difração de raios X. e) nenhuma das anteriores é correta. 4. Uma cápsula a caminho da Lua não encontra, certamente, em sua trajetória: a) raios X. b) raios. c) radiação ultravioleta. d) microondas. e) ondas sonoras. 5. (UFV-MG) Em alguns filmes de ficção científica a explosão de uma nave espacial é ouvida em outra nave, mesmo estando ambas no vácuo do espaço sideral. Em relação a este fato é correto afirmar que: a) isto não ocorre na realidade pois não é possível a propagação do som no vácuo. b) isto ocorre na realidade pois, sendo a nave tripulada, possui seu interior preenchido por gases. c) isto ocorre na realidade uma vez que o som se propagará junto com a imagem da mesma. d) isto ocorre na realidade pois as condições de propagação do som no espaço sideral são diferentes daquelas daqui da Terra. e) isto ocorre na realidade e o som será ouvido inclusive com maior nitidez, por não haver meio material no espaço sideral. 6. (Olimpíada Paulista de Física) Não se propagam no vácuo: a) as ondas de rádio. b) feixe de laser. c) as ondas de ultra-som. d) as microondas. e) todas as ondas acima se propagam no vácuo. 7. (Unimes-SP) Com relação às ondas de rádio AM, rádio FM, microondas, infravermelho, luz, radiação ultravioleta e raios X, pode-se afirmar que: a) apenas as ondas de rádio AM e FM são ondas eletromagnéticas. b) apenas microondas, infravermelho e luz são visíveis. c) os raios X possuem as maiores freqüências e as ondas de rádio AM, as menores. d) no vácuo, a velocidade da luz é maior do que as velocidades das ondas de rádio e microondas. e) no vácuo, a radiação ultravioleta possui maior comprimento de onda do que a radiação infravermelha. 8. (Fuvest-SP) Radiações como raios X, luz verde, luz ultravioleta, microondas ou ondas de rádio, são caracterizadas por seu comprimento de onda ( ) e por sua freqüência (f). Quando essas radiações propagam-se no vácuo, todas apresentam o mesmo valor para: a). b) f. c). f. d) /f. e) 2 /f. 9. Uma estação de rádio emite ondas eletromagnéticas com freqüência 8 megahertz. A velocidade de propagação das ondas eletromagnéticas no vácuo é m/s.o comprimento das ondas emitidas é de: a) 32,5 m. b) 35,7 m. c) 37,5 m. d) 45,0 m. e) 52,6 m. 10. (Uniube-MG) A rádio Vestibulando emite ondas eletromagnéticas com freqüência de 7,5 MHz. Se a velocidade de propagação dessas ondas é de km/s, seu comprimento é de: a) 4 m. b) 40 m. c) 225 m. d) 400 m. e) 2250 m. 11. (Unitau-SP) Um receptor de rádio, operando na faixa FM, capta ondas eletromagnéticas entre as freqüências de 88 MHz e de 108 MHz. Pode-se então, afirmar que a razão entre o maior comprimento e o menor comprimento das ondas recebidas por esse receptor vale, aproximadamente: a) 1,2. b) 0,8. c) 2,4. d) 3,6. e) 0, (Fuvest-SP) Uma onda eletromagnética propaga-se no ar com velocidade praticamente igual à da luz no vácuo (c = m/s), enquanto o som propaga-se no ar com velocidade aproximada de 330 m/s. Deseja-se produzir uma onda audível que se propague no ar com o mesmo comprimento de onda daquelas utilizadas para transmissões de rádio em freqüência modulada (FM) de 100 MHz ( Hz). A freqüência da onda audível deverá ser aproximadamente de:

2 a) 110 Hz. b) 1033 Hz. c) Hz. d) 10 8 Hz. e) Hz 13. (Vunesp-SP) A figura representa, num determinado instante, o valor (em escala arbitrária) do campo elétrico E associado a uma onda eletromagnética que se propaga no vácuo, ao longo do eixo X correspondente a um raio de luz de cor laranja. A velocidade da luz no vácuo vale 3, m/s. verde. b) violeta, verde, laranja. c) laranja, verde, violeta. d) violeta, laranja, verde. e) verde, laranja, violeta. a) laranja, violeta, 15. (UnB-DF) A luz branca é formada por um conjunto de radiações eletromagnéticas de diversos comprimentos de onda, que variam de 350 nm a 760 nm, aproximadamente. Experiências mostraram que a intensidade de energia absorvida pelas clorofilas a e b, presentes em algas do gênero Spirogyra, durante o processo de fotossíntese, depende do comprimento de onda da radiação, conforme ilustra o gráfico a seguir. Podemos concluir que a freqüência dessa luz de cor laranja vale, em hertz, aproximadamente: a) 180. b) 4, c) 0, d) 2, e) 0, (Vunesp-SP) Cada figura seguinte representa, num dado instante, o valor (em escala arbitrária) do campo elétrico E associado a uma onda eletromagnética que se propaga no vácuo ao longo do eixo x, correspondente a uma determinada cor. As cores representadas são violeta. verde e laranja, não necessariamente nesta ordem. Sabe-se que a freqüência da luz violeta é a mais alta dentre as três cores, enquanto a da luz laranja é a mais baixa. Identifique a alternativa que associa corretamente, na ordem de cima para baixo, cada cor com sua respectiva representação gráfica: A partir dessas informações, julgue os seguintes itens: (1) para o comprimento de onda de 700 nm, a clorofila a tem menor capacidade de absorver energia que a clorofila b. (2) na faixa do violeta, a clorofila a absorve mais energia que a clorofila b. (3) de acordo com o gráfico, conclui-se que, sob luz branca, as algas Spirogyra apresentam tonalidade amarelada, pois absorvem pouca luz no intervalo de 500 nm a 600 nm. (4) parte da energia luminosa absorvida no processo da fotossíntese é armazenada em ligações químicas. RESPOSTAS 1. e 2. b 3. b 4. e 5. a 6. c 7. c 8. c 9. c 10. b 11. a 12. a 13. e 14. a 15. Itens certos: (2), (3) e (4). Item errado (1)

3 b) a velocidade de propagação da luz no vácuo depende do sistema de referência inercial em relação ao qual ela é medida. FÍSICA MODERNA PROFº MÁRCIO LISTA II 1. (UFMG) Observe a figura: c) a teoria da Relatividade Especial não é válida para sistemas de referência inerciais. d) a velocidade de propagação da luz no vácuo não depende do sistema de referência inercial em relação ao qual ela é medida. 4. Uma barra de comprimento próprio 4,0 m se desloca com velocidade v = 0,5c, em relação a um observador fixo na Terra (c é a velocidade da luz no vácuo). A barra está alinhada na direção do movimento. O comprimento da barra, medido pelo observador fixo na Terra, é aproximadamente igual a: a) 4,2 m. b) 4,0 m. c) 3,8 m. d) 3,5 m. e) 3,2 m. Paulo Sérgio, viajando em sua nave, aproxima-se de uma plataforma espacial, com velocidade de 0,7c, em que c é a velocidade da luz. Para se comunicar com Paulo Sérgio, Priscila, que está na plataforma, envia um pulso luminoso em direção à nave. Com base nessas informações, é correto afirmar que a velocidade do pulso medida por Paulo Sérgio é de: a) 0,7c. b) 1,0c. c) 0,3c. d) 1,7c. 2. (UFOP-MG) Na figura são representadas duas naves N 1 e N 2 viajando em sentido contrário com velocidade m/s e m/s, respectivamente. Medidas da velocidade da luz emitida pelo farol da nave N 2 e realizadas nas naves N 1 e N 2, respectivamente, dão estes valores: a) m/s e m/s. b) m/s e m/s. c) m/s e m/s. d) m/s e m/s. 3. (UFRN) A teoria da Relatividade Especial prediz que existem situações nas quais dois eventos que acontecem em instantes diferentes, para um observador em um dado referencial inercial, podem acontecer no mesmo instante, para outro observador que está em outro referencial inercial. Ou seja, a noção de simultaneidade é relativa e não absoluta. A relatividade da simultaneidade é conseqüência do fato de que: a) a teoria da Relatividade Especial só é válida para velocidades pequenas em comparação com a velocidade da luz. 5. Uma nave parte da Terra com velocidade v. Em relação à nave a viagem dura um mês e em relação à Terra, dois meses. Sendo c a velocidade da luz no vácuo, tem-se: a) v =. c/2. b) v =. c/2. c) v = c/2. d) v = c/3. e) v = c/4. 6. (UFPA) Uma das maiores conseqüências da teoria da relatividade restrita é que: a) massa é uma forma de energia. b) a conservação da quantidade de movimento não é satisfeita em colisões atômicas. c) a conservação da energia só é válida, se as energias envolvidas forem de natureza mecânica. d) a velocidade da luz no vácuo vale km/s. e) as leis do eletromagnetismo valem somente em um sistema de referência preferencial. 7. (PUC-RS) Considere as afirmações: I. Elétron-volt (ev) é uma unidade de energia. II. Os raios são radiações eletromagnéticas de comprimento de onda maior que o da luz visível. III. A energia equivalente à massa de repouso de uma partícula é igual ao produto da massa (em repouso) da partícula pelo quadrado da velocidade da luz. São corretas: a) somente a afirmação I. b) somente as afirmações I e II. c) somente as afirmações I e III d) somente as afirmações II e III. e) todas as afirmações. 8. (UFPA) O comprimento de uma barra, com velocidade v, é 80% de seu comprimento, medido em repouso. Com a mesma velocidade v, a massa desta barra em relação a sua massa em repouso, aumenta de: a) 80%. b) 64%. c) 36%.

4 d) 25%. e) 12%. 9. A velocidade de um elétron é v = n. c, onde c é a velocidade da luz no vácuo. Qual deve ser o valor de n para que a massa do elétron seja duas vezes maior do que sua massa de repouso? a) n = 1/2. b) n = /2. c) n = /2. d) n = 2. e) n = Um cubo se move em relação a um referencial inercial R, com velocidade u = 0,5c, onde c é a velocidade da luz no vácuo. A densidade do cubo em relação a um referencial R', fixo no cubo, é d 0. A densidade do cubo, medida por um observador em repouso no referencial R, é: a) d = d 0. b) d = 2 d 0. c) d = 4 d 0/3. d) d = 3 d 0/4. e) d = 2 d 0/ Dois elétrons se deslocam, em relação à Terra, com velocidades de módulos iguais a 1, m/s e de sentidos opostos. Sendo c = 3, m/s a velocidade de propagação da luz no vácuo, pode-se afirmar que a velocidade de um elétron em relação ao outro tem módulo igual a: a) zero. b) 3, m/s. c) 2, m/s. d) 1, m/s. e) 1, m/s. 14. Em relação a um sistema de referência inercial R, duas galáxias se deslocam com velocidade de mesmo módulo v e em sentidos opostos. A velocidade de uma galáxia em relação à outra tem módulo 0,6c, onde c é a velocidade da luz no vácuo. Pode-se afirmar que: a) v = c/5. b) v = c/4. c) v = c/3. d) v = c/2. e) v = c. 15. (ITA-SP) Experimentos de absorção de radiação mostram que a relação entre a energia E e a quantidade de movimento p de um fóton é E = pc. Considere um sistema isolado formado por dois blocos de massas m 1 e m 2, respectivamente, colocados no vácuo, e separados entre si de uma distância L. No instante t = 0, o bloco de massa m 1 emite um fóton que é posteriormente absorvido inteiramente por m 2, não havendo qualquer outro tipo de interação entre os blocos (ver figura). Suponha que m 1 se torne m' 1 em razão da emissão do fóton e, analogamente, m 2 se torne m' 2 devido à absorção desse fóton. Lembrando que esta questão também pode ser resolvida com recursos da Mecânica Clássica, assinale a opção que apresenta a relação correta entre a energia do fóton e as massas dos blocos: 11. Uma partícula se desloca com velocidade v. Sua energia cinética é três vezes maior do que sua energia de repouso. Nestas condições, sendo c a velocidade de propagação da luz no vácuo, tem-se: a) v = c. b) v =. c/4. c) v =. c/4. d) v = 3c/4. e) v = c/ Uma partícula se desloca com quantidade de movimento Q. Sua energia cinética é duas vezes maior do que sua energia de repouso E 0. Nestas condições, sendo c a velocidade de propagação da luz no vácuo, tem-se: a) Q = E 0/c. b) Q = 2E 0/c. c) Q =. E 0/c. d) Q = 3E 0/c. e) Q = 10E 0/c. a) E = (m 2 - m 1)c 2. b) E = (m' 1 - m' 2)c 2. c) E = (m' 2 - m 2)c 2 /2. d) E = (m' 2 - m 2)c 2. e) E = (m 1 + m' 1)c 2. RESPOSTAS 1. b 2. b 3. d 4. d 5. a 6. a

5 7. c 8. d 9. c 10. c 11. b 12. c 13. d 14. c 15. d FÍSICA MODERNA PROFº MÁRCIO LISTA III 4. (UFRN) As lâmpadas incandescentes são pouco eficientes no que diz respeito ao processo de iluminação. Com intuito de analisar o espectro de emissão de um filamento de uma lâmpada incandescente, vamos considerá-lo como sendo semelhante ao de um corpo negro (emissor ideal) que esteja à mesma temperatura do filamento (cerca de 3000 K). Na figura a seguir, temos o espectro de emissão de um corpo negro para diversas temperaturas. 1. (Uneb-BA) De acordo com o físico Max Planck, que introduziu o conceito de energia quantizada, a luz, elemento imprescindível para manutenção da vida na Terra, como toda radiação eletromagnética, é constituída por pacotes de energia denominados: 01) bárions. 02) dipolos. 03) íons. 04) pulsos. 05) fótons. 2. (UFRS) A tabela mostra as freqüências (f) de três ondas eletromagnéticas que se propagam no vácuo. Comparando-se essas três ondas, verifica-se que: Ondas f (Hz) x y z a) a energia de um fóton associado à onda X é maior do que a energia de um fóton associado à onda Y. b) o comprimento de onda da onda Y é igual ao dobro do da onda Z. c) à onda Z estão associados os fótons de maior energia e de menor quantidade de movimento linear. d) a energia do fóton associado à onda X é igual à associada à onda Y e) as três ondas possuem o mesmo comprimento de onda. 3. (UFMG) Para se produzirem fogos de artifício de diferentes cores, misturam-se diferentes compostos químicos à pólvora. Os compostos à base de sódio produzem luz amarela e os à base de bário, luz verde. Sabe-se que a freqüência da luz amarela é menor que a da verde. Sejam E Na, e E Ba as diferenças de energia entre os níveis de energia envolvidos na emissão de luz pelos átomos de sódio e de bário, respectivamente, e v Na e v Ba as velocidades dos fótons emitidos, também respectivamente. Assim sendo, é correto afirmar que: a) E Na < E Ba e v Na = v Ba b) E Na < E Ba e v Na v Ba c) E Na > E Ba e v Na = v Ba d) E Na > E Ba e v Na v Ba Intensidade da radiação emitida por um corpo negro em função da freqüência para diferentes valores de temperatura. Diante das informações e do gráfico, podemos afirmar que, tal como um corpo negro: a) os fótons mais energéticos emitidos por uma lâmpada incandescente ocorrem onde a intensidade é máxima. b) a freqüência em que ocorre a emissão máxima independe da temperatura da lâmpada. c) a energia total emitida pela lâmpada diminui com o aumento da temperatura. d) a lâmpada incandescente emite grande parte de sua radiação fora da faixa do visível. 5. (Univale-MG) O efeito fotoelétrico pode ser explicado a partir das suposições de Einstein de que: a) a energia da luz cresce com a velocidade. b) átomos irradiam energia. c) a massa do elétron cresce com a velocidade. d) a carga do elétron cresce com a velocidade. e) a energia da luz é quantizada. 6. (PUC-MG) O efeito fotoelétrico é um fenômeno pelo qual: a) elétrons são arrancados de certas superfícies quando há incidência de luz sobre elas. b) as lâmpadas incandescentes comuns emitem um brilho forte. c) as correntes elétricas podem emitir luz.

6 d) as correntes elétricas podem ser fotografadas. e) a fissão nuclear pode ser explicada. 7. (UFRGS-RS) Considere as seguintes afirmações sobre o efeito fotoelétrico. I. O efeito fotoelétrico consiste na emissão de elétrons por uma superfície metálica atingida por radiação eletromagnética. II. O efeito fotoelétrico pode ser explicado satisfatoriamente com a adoção de um modelo corpuscular para a luz. III. Uma superfície metálica fotossensível somente emite fotoelétrons quando a freqüência da luz incidente nessa superfície excede um certo valor mínimo, que depende do metal. Quais estão corretas? a) apenas I. b) apenas II. c) apenas I e II. d) apenas I e III. e) I, II e III. 8. (UFSC) Assinale a(s) proposição(ões) correta(s): 01) a luz, em certas interações com a matéria, comportase como uma onda eletromagnética; em outras interações ela se comporta como partícula, como os fótons no efeito fotoelétrico. 02) a difração e a interferência são fenômenos que somente podem ser explicados satisfatoriamente por meio do comportamento ondulatório da luz. 04) o efeito fotoelétrico somente pode ser explicado satisfatoriamente quando consideramos a luz formada por partículas, os fótons. 08) o efeito fotoelétrico é conseqüência do comportamento ondulatório da luz. 16) devido à alta freqüência da luz violeta, o "fóton violeta" é mais energético do que o "fóton vermelho". Dê como resposta a soma das alternativas corretas. 9. (MEC) O efeito fotoelétrico contrariou as previsões teóricas da física clássica porque mostrou que a energia cinética máxima dos elétrons, emitidos por uma placa metálica iluminada, depende: a) exclusivamente da amplitude da radiação incidente. b) da freqüência e não do comprimento de onda da radiação incidente. c) da amplitude e não do comprimento de onda da radiação incidente. d) do comprimento de onda e não da freqüência da radiação incidente. e) da freqüência e não da amplitude da radiação incidente. 10. (UEPB) A descoberta do efeito fotoelétrico e sua explicação pelo físico Albert Einstein, em 1905, teve grande importância para a compreensão mais profunda da natureza da luz. No efeito fotoelétrico, os fotoelétrons são emitidos, de um cátodo C, com energia cinética que depende da freqüência da luz incidente e são coletados pelo ânodo A, formando a corrente I mostrada. Atualmente, alguns aparelhos funcionam com base nesse efeito e um exemplo muito comum é a fotocélula utilizada na construção de circuitos elétricos para ligar/desligar as lâmpadas dos postes de rua. Considere que em um circuito foi construído conforme a figura e que o cátodo é feito de um material com função trabalho = 3,0 ev (elétron-volt). Se um feixe de luz incide sobre C, então o valor de freqüência f da luz para que sejam, sem qualquer outro efeito, emitidos fotoelétrons com energia cinética máxima Ec = 3,6 ev, em hertz, vale: Dados: h = 6, J. s 1 ev = 1, J a) 1, b) 3, c) 3, d) 6, e) 3, (UFRN) Em um aparelho de televisão, existem três funções básicas (cor, brilho e contraste), que podem ser controladas continuamente, para se obter uma boa imagem. Ajustar uma dessas funções depende essencialmente do controle da diferença de potencial que acelera os elétrons emitidos pelo tubo de raios catódicos e que incidirão na tela fluorescente. Assim, no tubo de imagem do televisor, os elétrons podem ter qualquer valor de energia, dependendo da diferença de potencial aplicada a esses elétrons. A Física Quântica, quando aplicada ao estudo de átomos isolados, constata que a energia dos elétrons nesses átomos é uma grandeza discreta ao invés de contínua, como estabelecido pela Física Clássica. Essas afirmações, valores contínuos de energia para os elétrons emitidos pelo tubo e energias discretas para os elétrons do átomo, não são contraditórias, porque os elétrons emitidos pelo tubo de raios catódicos: a) são livres e os elétrons que estão nos átomos são confinados. b) são em grande quantidade, diferentemente dos elétrons que estão nos átomos. c) perdem a carga elétrica, transformando-se, em fótons e os elétrons que estão nos átomos permanecem carregados. d) têm comprimento de onda de De Broglie associado igual ao dos elétrons que estão nos átomos. 12. (UFRGS-RS) Um átomo de hidrogênio tem sua energia quantizada em níveis de energia (E n), cujo valor genérico é dado pela expressão, sendo n igual a 1, 2, 3 e E 0 igual à energia do estado fundamental (que corresponde a n = 1). Supondo-se que o átomo passe do estado fundamental para o terceiro nível excitado (n = 4), a energia do fóton necessário para provocar essa transição é: a) E 0. b) E 0.

7 c) E 0. d) E 0. e) E (ITA-SP) A tabela a seguir mostra os níveis de energia de um átomo do elemento X que se encontra no estado gasoso: E 0 0 E 0 7,0 ev E 2 13,0 ev E 3 17,4 ev Ionização 21,4 ev Dentro das possibilidades abaixo, a energia que poderia restar a um elétron com energia de 15 ev, após colidir com um átomo de X, seria de: a) 0 ev. b) 4,4 ev. c) 16,0 ev. d) 2,0 ev. e) 14,0 ev. 14. (PUC-RS) A energia de um fóton é diretamente proporcional a sua freqüência, com a constante de Plank, h, sendo o fator de proporcionalidade. Por outro lado, pode-se associar massa a um fóton, uma vez que ele apresenta energia (E = mc 2 ) e quantidade de movimento. Assim, a quantidade de movimento de um fóton de freqüência f propagando-se com velocidade c se expressa como: a) c 2 /hf. b) hf/c 2. c) hf/c. d) c/hf. e) cf/h. 15. (UFRN) Bárbara ficou encantada com a maneira de Natasha explicar a dualidade onda-partícula, apresentada nos textos de Física Moderna. Natasha fez uma analogia com o processo de percepção de imagens, apresentando uma explicação baseada numa figura muito utilizada pelos psicólogos da Gestalt. Seus esclarecimentos e a figura ilustrativa são reproduzidos a seguir: Figura citada por Natasha, na qual dois perfis formam um cálice e vice-versa. A minha imagem preferida sobre o comportamento dual da luz é o desenho de um cálice feito por dois perfis. Qual a realidade que percebemos na figura? Podemos ver um cálice ou dois perfis, dependendo de quem consideramos como figura e qual consideraremos como fundo, mas não podemos ver ambos simultaneamente. É um exemplo perfeito de realidade criada pelo observador, em que nós decidimos o que vamos observar. A luz se comporta de forma análoga, pois, dependendo do tipo de experiência ("fundo"), revela sua natureza de onda ou sua natureza de partícula, sempre escondendo uma quando a outra é mostrada. Diante das explicações acima, é correto afirmar que Natasha estava ilustrando, com o comportamento da luz, o que os físicos chamam de princípio da: a) incerteza de Heisenberg. b) complementaridade de Bohr. c) superposição. d) relatividade. RESPOSTAS 1. (05) 2. a 3. a 4. d 5. e 6. a 7. e ( ) 9. e 10. a 11. a 12. d 13. d 14. c 15. b (as naturezas corpuscular e ondulatória não são antagônicas mas, sim, complementares).

8 c) da força eletromagnética. d) da força nuclear fraca. e) de uma combinação das forças gravitacional e eletromagnética. 4. (Cesgranrio-RJ) A meia-vida de um dos isótopos do bismuto (Bi-210) é de 5 dias. Em 10 dias, partindo-se de 100 g do referido isótopo, teremos: a) 200 g. b) 25 g. c) 0. d) 50 g. e) 20 g. 5. (Cesgranrio-RJ) Um elemento radioativo tem um isótopo cuja meia-vida é 250 anos. Que porcentagem da amostra inicial deste isótopo existirá depois de 1000 anos? FÍSICA MODERNA PROFº MÁRCIO LISTA IV 1. (FESP-UPE) Assinale, na coluna I, as afirmativas verdadeiras e na coluna II, as falsas. Em relação às Forças Fundamentais da Natureza. I II 0 0 a força de atração entre as massas é a força gravitacional. 1 1 a força eletromagnética é a que se manifesta entre partículas eletrizadas, englobando as forças elétricas e as forças magnéticas. 2 2 a força nuclear forte é a que mantém unidos os prótons e os nêutrons no interior do núcleo do átomo. 3 3 a força nuclear fraca tem intensidade maior que a força eletromagnética. 4 4 a força gravitacional é a menos intensa entre as fundamentais. 2. (UFMT) Em 1947, na Universidade de Bristol (Inglaterra), Cesar Lattes, físico brasileiro, idealizou uma série de experiências que culminou com a descoberta do méson, partícula responsável pela força de interação nuclear forte. Essa força é responsável pela: a) existência dos núcleos atômicos. b) atração entre a Terra e a Lua. c) queima de petróleo. d) transparência de materiais vítreos. e) catástrofe do ultravioleta nas radiações de corpos negros. 3. (UFMT) Na Física Contemporânea, todos os fenômenos podem ser descritos pelas quatro Forças Naturais: a Gravitacional, que atua entre corpos e partículas que possuem massa. a Eletromagnética, que atua entre corpos e partículas que possuem carga elétrica. a Nuclear Forte, que atua entre prótons e nêutrons no interior do núcleo dos átomos. a Nuclear Fraca, que é responsável pelos processos de transformação de um próton em um nêutron, ou vice-versa. Assim sendo, uma reação química é uma manifestação: a) da força gravitacional. b) da força nuclear forte. a) 25%. b) 12,5%. c) 1,25%. d) 6,25%. e) 4%. 6. (Fatec-SP) Um elemento radiativo perde 87,5% de sua atividade depois de 72 dias. A meia-vida desse elemento é de: a) 24 dias. b) 36 dias. c) 48 dias. d) 60 dias. e) 72 dias. 7. (PUC-Campinas-SP) O iodo-125, variedade radioativa do iodo com aplicações medicinais, tem meia-vida de 60 dias. Quantos gramas de iodo-125 irão restar, após 6 meses, a partir de uma amostra contendo 2,00 g do radioisótopo? a) 1,50. b) 0,75. c) 0,66. d) 0,25. e) 0, (Fuvest-SP) Mediu-se a radioatividade de uma amostra arqueológica de madeira, verificando-se que o nível de sua radioatividade devida ao carbono-14 era do apresentado por uma amostra de madeira recente. Sabendo-se que a meia-vida do isótopo é 5, anos, a idade, em anos, dessa amostra é: a) 3, b) 1, c) 5, d) 2, e) 9, (UFRN) A descoberta da radioatividade foi um dos grandes feitos científicos dos tempos modernos. Ela causou tamanho impacto na ciência e na tecnologia que a cientista polonesa Marie Curie foi a primeira pessoa a ganhar dois prêmios Nobel. Uma importante aplicação do trabalho dessa cientista, o decaimento radioativo dos

9 núcleos atômicos, é a datação de fósseis e artefatos feitos de matéria orgânica. Os seres vivos são essencialmente feitos de carbono e, enquanto vivos, carregam em si quantidades de carbono radioativo ( 14 C) e carbono estável ( 12 C), numa proporção fixa. Quando um animal ou planta morre, o 14 C começa a decair em 12 C, fazendo a proporção entre os dois isótopos variar ao longo do tempo. A equação que governa esse processo, juntamente com alguns dados numéricos, são mostrados no quadro a seguir: N = N 0e -at N 0: quantidade de núcleos no tempo t = 0 a = 1, ano -1 N: quantidade de núcleos no tempo t 1n (0,92) - a: constante de decaimento 0,083 Na datação, por exemplo, do Santo Sudário, um lençol de linho que supostamente envolveu o corpo de Jesus Cristo e no qual está impressa uma imagem humana, foi usada uma técnica que permitiu verificar que existe, hoje, 92% do 14 C que deveria existir quando a fibra de linho foi colhida e usada par fazer o lençol. Usando essas informações, pode-se afirmar que essa relíquia católica tem aproximadamente: a) 2033 anos. b) 2000 anos. c) 1400 anos. d) 700 anos. 10. (UFPE) A fissão nuclear é um processo pelo qual núcleos atômicos: a) de elementos mais leves são convertidos a núcleos atômicos de elementos mais pesados. b) emitem radiação beta e estabilizam. c) de elementos mais pesados são convertidos a núcleos atômicos de elementos mais leves. d) absorvem radiação gama e passam a emitir partículas alfa. e) absorvem nêutrons e têm sua massa atômica aumentada em uma unidade. 11. (UFRGS-RS) Num reator, núcleos de 235 U capturam nêutrons e então sofrem um processo de fragmentação em núcleos mais leves, liberando energia e emitindo nêutrons. Este processo é conhecido como: a) fusão. b) fissão. c) espalhamento. d) reação termonuclear. e) aniquilação. 12. (FGV) Fissão nuclear e fusão nuclear: a) os termos são sinônimos. b) a fusão nuclear é responsável pela produção de luz e calor no Sol e em outras estrelas. c) apenas a fusão nuclear enfrenta o problema de como dispor o lixo radioativo de forma segura. d) a fusão nuclear é atualmente utilizada para produzir energia comercialmente em muitos países. e) ambos os métodos ainda estão em fase de pesquisa e não são usados comercialmente. com o e termina com o, o número de partículas e emitidas é de, respectivamente: a) 3 e 5. b) 7 e 4. c) 6 e 3. d) 5 e 2. e) 8 e (Unisinos-RS) Um exemplo típico de fissão nuclear é: representa: a) partícula alfa. b) partícula beta. c) próton. d) nêutron. e) elétron. Nesta equação X 15. (UFRGS-RS) Em um processo de transmutação natural, um núcleo radioativo de U-238, isótopo instável do urânio, se transforma em um núcleo de Th-234, isótopo do tório, através da reação nuclear.. Por sua vez, o núcleo-filho Th-234, que também é radioativo, transmuta-se em um núcleo do elemento protactínio, através da reação nuclear O X da primeira reação nuclear e o Y da segunda reação nuclear são, respectivamente: a) uma partícula alfa e um fóton de raio gama. b) uma partícula beta e um fóton de raio gama. c) um fóton de raio gama e uma partícula alfa. d) uma partícula beta e uma partícula beta. e) uma partícula alfa e uma partícula beta. RESPOSTAS 1. Coluna I: 0, 1, 2, 4: verdadeiras Coluna II: 3: falsa 2. a 3. c 4. b 5. d 6. a 7. d 8. d 9. d 10. c 11. b 12. b 13. b 14. d 15. e 13. (UEPG-PR) Uma série radioativa consiste em um conjunto de radioisótopos que são formados a partir de um radioisótopo inicial, pela sucessiva emissão de partículas alfa e beta. Na série radioativa que se inicia

Professor Felipe Técnico de Operações P-25 Petrobras

Professor Felipe Técnico de Operações P-25 Petrobras Professor Felipe Técnico de Operações P-25 Petrobras Contatos : Felipe da Silva Cardoso professorpetrobras@gmail.com www.professorfelipecardoso.blogspot.com skype para aula particular online: felipedasilvacardoso

Leia mais

Título ONDULATÓRIA Extensivo Aula 29. Professor Edson Osni Ramos (Cebola) Disciplina. Física B

Título ONDULATÓRIA Extensivo Aula 29. Professor Edson Osni Ramos (Cebola) Disciplina. Física B Título ONDULATÓRIA Extensivo Aula 29 Professor Edson Osni Ramos (Cebola) Disciplina Física B RADIAÇÕES ELETROMAGNÉTICAS ONDA ELETROMAGNÉTICA Sempre que uma carga elétrica é acelerada ela emite campos elétricos

Leia mais

Conteúdo Eletromagnetismo Aplicações das ondas eletromagnéticas

Conteúdo Eletromagnetismo Aplicações das ondas eletromagnéticas AULA 22.2 Conteúdo Eletromagnetismo Aplicações das ondas eletromagnéticas Habilidades: Frente a uma situação ou problema concreto, reconhecer a natureza dos fenômenos envolvidos, situando-os dentro do

Leia mais

PRÉ-VESTIBULAR Física

PRÉ-VESTIBULAR Física PRÉ VESTIBULAR Física / / PRÉ-VESTIBULAR Aluno: Nº: Turma: Exercícios Fenômenos Lista de sites com animações (Java, em sua maioria) que auxiliam a visualização de alguns fenômenos: Reflexão e refração:

Leia mais

Física Quântica Caex 2005 Série de exercícios 1

Física Quântica Caex 2005 Série de exercícios 1 Física Quântica Caex 005 Questão 1 Se as partículas listadas abaixo têm todas a mesma energia cinética, qual delas tem o menor comprimento de onda? a) elétron b) partícula α c) nêutron d) próton Questão

Leia mais

Com base no enunciado, nas figuras e nos conhecimentos sobre mecânica e eletromagnetismo, considere as afirmativas a seguir.

Com base no enunciado, nas figuras e nos conhecimentos sobre mecânica e eletromagnetismo, considere as afirmativas a seguir. 1.A obra Molhe Espiral (acima) faz lembrar o modelo atômico planetário, proposto por Ernest Rutherford (Fig. 1). Esse modelo satisfaz as observações experimentais de desvio de partículas alfa ao bombardearem

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS Goiânia, de de 2014 Aluno(a): ou h = 4,14 10 15 ev s é a O ÁTOMO DE BOHR

LISTA DE EXERCÍCIOS Goiânia, de de 2014 Aluno(a): ou h = 4,14 10 15 ev s é a O ÁTOMO DE BOHR LISTA DE EXERCÍCIOS Goiânia, de de 2014 Aluno(a): Série: 3ª Turma: Disciplina: Física Professor: Hélio Código: INTRODUÇÃO À FÍSICA MODERNA Física Clássica: Física desenvolvida antes de 1900. Física Moderna:

Leia mais

MODELOS ATÔMICOS. Química Professora: Raquel Malta 3ª série Ensino Médio

MODELOS ATÔMICOS. Química Professora: Raquel Malta 3ª série Ensino Médio MODELOS ATÔMICOS Química Professora: Raquel Malta 3ª série Ensino Médio PRIMEIRA IDEIA DO ÁTOMO 546 a.c. Tales de Mileto: propriedade da atração e repulsão de objetos após atrito; 500 a.c. Empédocles:

Leia mais

Aula 8 Fótons e ondas de matéria II. Física Geral F-428

Aula 8 Fótons e ondas de matéria II. Física Geral F-428 Aula 8 Fótons e ondas de matéria II Física Geral F-428 1 Resumo da aula anterior: Planck e o espectro da radiação de um corpo negro: introdução do conceito de estados quantizados de energia para os osciladores

Leia mais

Do local onde está, Paulo não vê Pedro, mas escuta-o muito bem porque, ao passarem pela quina do barranco, as ondas sonoras sofrem

Do local onde está, Paulo não vê Pedro, mas escuta-o muito bem porque, ao passarem pela quina do barranco, as ondas sonoras sofrem Lista de exercícios -Fenômenos Física Dudu 1-Pedro está trabalhando na base de um barranco e pede uma ferramenta a Paulo, que está na parte de cima (ver figura). Além do barranco, não existe, nas proximidades,

Leia mais

ESPECTRO ELETROMAGNÉTICO

ESPECTRO ELETROMAGNÉTICO COLÉGIO ESTADUAL RAINHA DA PAZ, ENSINO MÉDIO REPOSIÇÃO DAS AULAS DO DIA 02 e 03/07/2012 DAS 1 ª SÉRIES: A,B,C,D,E e F. Professor MSc. Elaine Sugauara Disciplina de Química ESPECTRO ELETROMAGNÉTICO As ondas

Leia mais

Ondas Eletromagnéticas Física - Algo Sobre INTRODUÇÃO

Ondas Eletromagnéticas Física - Algo Sobre INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO É importante tomarmos consciência de como estamos imersos em ondas eletromagnéticas. Iniciando pelos Sol, a maior e mais importante fonte para os seres terrestres, cuja vida depende do calor

Leia mais

EFEITO FOTOELÉTRICO. J.R. Kaschny

EFEITO FOTOELÉTRICO. J.R. Kaschny EFEITO FOTOELÉTRICO J.R. Kaschny Histórico 1886-1887 Heinrich Hertz realizou experimentos que pela primeira vez confirmaram a existência de ondas eletromagnéticas e a teoria de Maxwell sobre a propagação

Leia mais

A Mecânica Quântica nasceu em 1900, com um trabalho de Planck que procurava descrever o espectro contínuo de um corpo negro.

A Mecânica Quântica nasceu em 1900, com um trabalho de Planck que procurava descrever o espectro contínuo de um corpo negro. Radiação de Corpo Negro Uma amostra metálica como, por exemplo, um prego, em qualquer temperatura, emite radiação eletromagnética de todos os comprimentos de onda. Por isso, dizemos que o seu espectro

Leia mais

Física PRÉ VESTIBULAR / / Aluno: Nº: Turma: PRÉ-VESTIBULAR. No vácuo, todas as ondas eletromagnéticas. independentemente de sua frequência.

Física PRÉ VESTIBULAR / / Aluno: Nº: Turma: PRÉ-VESTIBULAR. No vácuo, todas as ondas eletromagnéticas. independentemente de sua frequência. PRÉ VESTIBULAR Física / / PRÉ-VESTIBULAR Aluno: Nº: Turma: ONDAS Física Dudu 01. F.M. Triângulo Mineiro MG. III) No vácuo, todas as ondas eletromagnéticas caminham com uma mesma velocidade, independentemente

Leia mais

Aula de Véspera - Inv-2009 Professor Leonardo

Aula de Véspera - Inv-2009 Professor Leonardo 01. Dois astronautas, A e B, encontram-se livres na parte externa de uma estação espacial, sendo desprezíveis as forças de atração gravitacional sobre eles. Os astronautas com seus trajes espaciais têm

Leia mais

Radiações Radiação corpuscular Radiação eletromagnética

Radiações Radiação corpuscular Radiação eletromagnética Radiações Quando se fala em radiação, as pessoas geralmente associam esta palavra com algo perigoso. O que elas não sabem é que estamos expostos diariamente à radiação. Radiação nada mais é do que a emissão

Leia mais

Propriedades Corpusculares da. First Prev Next Last Go Back Full Screen Close Quit

Propriedades Corpusculares da. First Prev Next Last Go Back Full Screen Close Quit Propriedades Corpusculares da Radiação First Prev Next Last Go Back Full Screen Close Quit Vamos examinar dois processos importantes nos quais a radiação interage com a matéria: Efeito fotoelétrico Efeito

Leia mais

(A) (B) (C) (D) (E) Resposta: A

(A) (B) (C) (D) (E) Resposta: A 1. (UFRGS-2) Ao resolver um problema de Física, um estudante encontra sua resposta expressa nas seguintes unidades: kg.m 2 /s 3. Estas unidades representam (A) força. (B) energia. (C) potência. (D) pressão.

Leia mais

TIPO-A FÍSICA. r 1200 v média. Dado: Aceleração da gravidade: 10 m/s 2. Resposta: 27

TIPO-A FÍSICA. r 1200 v média. Dado: Aceleração da gravidade: 10 m/s 2. Resposta: 27 1 FÍSICA Dado: Aceleração da gravidade: 10 m/s 01. Considere que cerca de 70% da massa do corpo humano é constituída de água. Seja 10 N, a ordem de grandeza do número de moléculas de água no corpo de um

Leia mais

Radiografia industrial

Radiografia industrial A U A UL LA Radiografia industrial Introdução Se você já teve algum tipo de fratura óssea ou pegou uma gripe mais forte, certamente o médico deve ter solicitado uma radiografia da área afetada, para fazer

Leia mais

04. Com base na lei da ação e reação e considerando uma colisão entre dois corpos A e B, de massas m A. , sendo m A. e m B. < m B.

04. Com base na lei da ação e reação e considerando uma colisão entre dois corpos A e B, de massas m A. , sendo m A. e m B. < m B. 04. Com base na lei da ação e reação e considerando uma colisão entre dois corpos A e B, de massas m A e m B, sendo m A < m B, afirma-se que 01. Um patrulheiro, viajando em um carro dotado de radar a uma

Leia mais

Projeto CAPAZ Básico Física Óptica 1

Projeto CAPAZ Básico Física Óptica 1 1 Introdução Ao assistir à aula, você teve acesso a alguns conceitos que fazem parte da física óptica. Refletiu sobre o conceito de luz, seus efeitos, de que forma ela está relacionada à nossa visão e

Leia mais

SEL 705 - FUNDAMENTOS FÍSICOS DOS PROCESSOS DE FORMAÇÃO DE IMAGENS. (1. Raios-X) Prof. Homero Schiabel (Sub-área de Imagens Médicas)

SEL 705 - FUNDAMENTOS FÍSICOS DOS PROCESSOS DE FORMAÇÃO DE IMAGENS. (1. Raios-X) Prof. Homero Schiabel (Sub-área de Imagens Médicas) SEL 705 - FUNDAMENTOS FÍSICOS DOS PROCESSOS DE FORMAÇÃO DE IMAGENS (1. Raios-X) Prof. Homero Schiabel (Sub-área de Imagens Médicas) III. RAIOS-X 1. HISTÓRICO Meados do séc. XIX - Maxwell: previu a existência

Leia mais

EXERCÍCIOS ESTRUTURA ELETRONICA

EXERCÍCIOS ESTRUTURA ELETRONICA EXERCÍCIOS ESTRUTURA ELETRONICA Questão 1 O molibdênio metálico tem de absorver radiação com frequência mínima de 1,09 x 10 15 s -1 antes que ele emita um elétron de sua superfície via efeito fotoelétrico.

Leia mais

O olho humano permite, com o ar limpo, perceber uma chama de vela em até 15 km e um objeto linear no mapa com dimensão de 0,2mm.

O olho humano permite, com o ar limpo, perceber uma chama de vela em até 15 km e um objeto linear no mapa com dimensão de 0,2mm. A Visão é o sentido predileto do ser humano. É tão natural que não percebemos a sua complexidade. Os olhos transmitem imagens deformadas e incompletas do mundo exterior que o córtex filtra e o cérebro

Leia mais

Lista de refração e reflexão Ondulatória - Prof. Flávio

Lista de refração e reflexão Ondulatória - Prof. Flávio 1. (Ufu 2006) João corre assoviando em direção a uma parede feita de tijolos, conforme figura a seguir. A frequência do assovio de João é igual a f(inicial). A frequência da onda refletida na parede chamaremos

Leia mais

Material Extra de Física

Material Extra de Física Material Extra de Física ONDAS 01. (F. M. Triângulo Mineiro MG) ENTÃO MAFALDA, O QUE ESTÁ ACHANDO DO MAR? ATÉ AGORA, UM INDECISO f (10 14 m) λ (10-7 m) 6,7 Violeta Azul 4,8 5,6 Verde x Amarelo 5,8 5,0

Leia mais

Radiação. Grupo de Ensino de Física da Universidade Federal de Santa Maria

Radiação. Grupo de Ensino de Física da Universidade Federal de Santa Maria Radiação Radiação é o processo de transferência de energia por ondas eletromagnéticas. As ondas eletromagnéticas são constituídas de um campo elétrico e um campo magnético que variam harmonicamente, um

Leia mais

INTRODUÇÃO À MECÂNICA QUÂNTICA E A FÍSICA NUCLEAR

INTRODUÇÃO À MECÂNICA QUÂNTICA E A FÍSICA NUCLEAR INTRODUÇÃO À MECÂNICA QUÂNTICA E A FÍSICA NUCLEAR Prof.: Giovane Irribarem de Mello Uniforte pré vestibular - 1870 A Ampola de Crookes e os Misteriosos Raios Catódicos (William Crookes Físico Inglês) -

Leia mais

FUNDAMENTOS DE ONDAS, Prof. Emery Lins Curso Eng. Biomédica

FUNDAMENTOS DE ONDAS, Prof. Emery Lins Curso Eng. Biomédica FUNDAMENTOS DE ONDAS, RADIAÇÕES E PARTÍCULAS Prof. Emery Lins Curso Eng. Biomédica Questões... O que é uma onda? E uma radiação? E uma partícula? Como elas se propagam no espaço e nos meios materiais?

Leia mais

Física. Resolução das atividades complementares. F11 Ondulatória

Física. Resolução das atividades complementares. F11 Ondulatória Resolução das atividades complementares 4 Física F11 Ondulatória p. 3 1 (UFPB) Considere o texto: São ondas aquelas em que a direção de propagação é perpendicular à direção de vibração, enquanto ondas

Leia mais

Radioatividade. Por Marco César Prado Soares Engenharia Química Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP 2013

Radioatividade. Por Marco César Prado Soares Engenharia Química Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP 2013 Radioatividade Por Marco César Prado Soares Engenharia Química Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP 2013 Dados históricos: Descoberta por Henri Becquerel. Em 1903, Rutherford e Frederick Soddy propuseram

Leia mais

Colégio Jesus Adolescente

Colégio Jesus Adolescente Colégio Jesus Adolescente Ensino Médio 1º Bimestre Disciplina Física Setor B Série 9º ANO Professor Gnomo Lista de Exercício Mensal Capitulo 1 1) A figura a seguir representa, nos instantes t = 0s e t

Leia mais

22/Abr/2015 Aula 15. 17/Abr/2015 Aula 14

22/Abr/2015 Aula 15. 17/Abr/2015 Aula 14 17/Abr/2015 Aula 14 Introdução à Física Quântica Radiação do corpo negro; níveis discretos de energia. Efeito foto-eléctrico: - descrições clássica e quântica - experimental. Efeito de Compton. 22/Abr/2015

Leia mais

f = Polícia Federal - Papiloscopista Física Prof. Rodrigo Luis Rocha ONDULATÓRIA duas cristas consecutivas, ou dois pontos equivalentes.

f = Polícia Federal - Papiloscopista Física Prof. Rodrigo Luis Rocha ONDULATÓRIA duas cristas consecutivas, ou dois pontos equivalentes. ONDULATÓRIA O conceito de onda na diz que onda é uma propagação de energia sem transporte de matéria. As ondas podem ser classificadas quanto à natureza e quanto ao tipo de propagação. Classificação em

Leia mais

Efeito estufa: como acontece, por que acontece e como influencia o clima do nosso planeta

Efeito estufa: como acontece, por que acontece e como influencia o clima do nosso planeta XXII Encontro Sergipano de Física Efeito estufa: como acontece, por que acontece e como influencia o clima do nosso planeta Prof. Dr. Milan Lalic Departamento de Física Universidade Federal de Sergipe

Leia mais

Parte IV FÍSICA MODERNA

Parte IV FÍSICA MODERNA 60 PARTE IV FÍSICA MODERNA Parte IV FÍSICA MODERNA Tópico 1 1 Raios X são radiações eletromagnéticas cujos comprimentos de onda, no vácuo, podem variar de 10 9 m a 10 11 m, ou seja, de 10 Å a 0,1 Å. A

Leia mais

FÍSICA. Prova de 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. Duração desta prova: TRÊS HORAS. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FAÇA LETRA LEGÍVEL

FÍSICA. Prova de 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. Duração desta prova: TRÊS HORAS. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FAÇA LETRA LEGÍVEL FÍSICA Prova de 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. Leia atentamente as instruções que se seguem. 1 - Este caderno contém oito questões, constituídas de itens e subitens, abrangendo um total de doze páginas,

Leia mais

OSCILAÇÕES E ONDAS E. E. Maestro Fabiano Lozano

OSCILAÇÕES E ONDAS E. E. Maestro Fabiano Lozano OSCILAÇÕES E ONDAS E. E. Maestro Fabiano Lozano Professor Mário Conceição Oliveira índice Oscilações e ondas...1 Tipos de Ondas...2 Tipo de deslocamento das ondas...2 Movimento ondulatório...2 Ondas Mecânicas...3

Leia mais

Aula 3 ORIGEM DA TEORIA QUÂNTICA. Eliana Midori Sussuchi Samísia Maria Fernandes Machado Valéria Regina de Souza Moraes

Aula 3 ORIGEM DA TEORIA QUÂNTICA. Eliana Midori Sussuchi Samísia Maria Fernandes Machado Valéria Regina de Souza Moraes Aula 3 ORIGEM DA TEORIA QUÂNTICA META Apresentar a origem da mecânica quântica e suas conseqüências. OBJETIVOS Ao final desta aula, o aluno deverá: a. a hipótese quântica de Max Planck e sua aplicação

Leia mais

FÍSICA - 3 o ANO MÓDULO 31 ONDULATÓRIA

FÍSICA - 3 o ANO MÓDULO 31 ONDULATÓRIA FÍSICA - 3 o ANO MÓDULO 31 ONDULATÓRIA x = Como pode cair no enem (ENEM) Os radares comuns transmitem micro-ondas que refletem na água, gelo e outras partículas na atmosfera. Podem, assim,

Leia mais

NOTAS DE AULAS DE FÍSICA MODERNA

NOTAS DE AULAS DE FÍSICA MODERNA NOTAS DE AULAS DE FÍSICA MODERNA Prof. Carlos R. A. Lima CAPÍTULO 5 PROPRIEDADES ONDULATÓRIAS DA MATÉRIA Primeira Edição junho de 2005 CAPÍTULO 5 PROPRIEDADES ONDULATÓRIAS DA MATÉRIA ÍNDICE 5.1- Postulados

Leia mais

Problemas de Termodinâmica e Estrutura da Matéria

Problemas de Termodinâmica e Estrutura da Matéria Problemas de Termodinâmica e Estrutura da Matéria 5 a série 5.1) O filamento de tungsténio de uma lâmpada incandescente está à temperatura de 800 C. Determine o comprimento de onda da radiação emitida

Leia mais

Física das Radiações e suas aplicações em Ciências da Vida

Física das Radiações e suas aplicações em Ciências da Vida Conteúdo 5 Física das Radiações e suas aplicações em Ciências da Vida 5.1 Conceitos básicos sobre radiação Como discutimos em sala de aula a radiação é um tipo de propagação de energia que não deve ser

Leia mais

Transmissão das Ondas Eletromagnéticas. Prof. Luiz Claudio

Transmissão das Ondas Eletromagnéticas. Prof. Luiz Claudio Transmissão das Ondas Eletromagnéticas Prof. Luiz Claudio Transmissão/Recebimento das ondas As antenas são dispositivos destinados a transmitir ou receber ondas de rádio. Quando ligadas a um transmissor

Leia mais

CARGAS ELÉTRICAS EM REPOUSO. Capítulo 1 Eletrização. Força elétrica, 2. Capítulo 2 Campo elétrico, 36

CARGAS ELÉTRICAS EM REPOUSO. Capítulo 1 Eletrização. Força elétrica, 2. Capítulo 2 Campo elétrico, 36 Sumário Parte 1 CARGAS ELÉTRICAS EM REPOUSO Capítulo 1 Eletrização. Força elétrica, 2 1. Eletrização por atrito. Noção de carga elétrica, 2 Leitura A série triboelétrica, 4 2. Princípios da Eletrostática,

Leia mais

ONDAS MECÂNICAS, ONDA ELETROMAGNETICA E ÓPTICA FÍSICA

ONDAS MECÂNICAS, ONDA ELETROMAGNETICA E ÓPTICA FÍSICA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA, CAMPUS DE JI-PARANÁ, DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA AMBIENTAL DE JI-PARANÁ DEFIJI 1 SEMESTRE 2013-2 ONDAS MECÂNICAS, ONDA ELETROMAGNETICA E ÓPTICA FÍSICA Prof. Robinson

Leia mais

História dos Raios X. 08 de novembro de 1895: Descoberta dos Raios X Pelo Professor de física teórica Wilhelm Conrad Röntgen.

História dos Raios X. 08 de novembro de 1895: Descoberta dos Raios X Pelo Professor de física teórica Wilhelm Conrad Röntgen. História dos Raios X 08 de novembro de 1895: Descoberta dos Raios X Pelo Professor de física teórica Wilhelm Conrad Röntgen. História dos Raios X 22 de dezembro de 1895, Röntgen fez a primeira radiografia

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO-UFES / DEPT. DE ENGENHARIA RURAL / SENSORIAMENTO REMOTO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO-UFES / DEPT. DE ENGENHARIA RURAL / SENSORIAMENTO REMOTO CAPÍTULO 2 AS INTERAÇÕES ENTRE A ENERGIA E A MATÉRIA 1.0. Introdução No Capítulo 1 vimos que o sensoriamento remoto é o ramo da ciência que retrata a obtenção e análise de informações sobre materiais (naturais

Leia mais

Exercícios sobre Física Moderna com Gabarito

Exercícios sobre Física Moderna com Gabarito Fluxo (partículas m -2 s -1 ) Exercícios sobre Física Moderna com Gabarito 1) (IBMEC-2006) Isaac Asimov, conhecido escritor de Ficção Científica, criou em seus contos as três leis da robótica, às quais

Leia mais

2.1: Espalhamento de Raios X

2.1: Espalhamento de Raios X Unidade 1 - Aula * Tradução e adaptação livre das aulas do Professor Rick Trebino em: www.physics.gatech.edu/frog Propriedades da Onda de Matéria ria* * + Difração de Elétrons.1 Espalhamento de Raios X.

Leia mais

Teste de Avaliação 3 A - 06/02/2013

Teste de Avaliação 3 A - 06/02/2013 E s c o l a S e c u n d á r i a d e A l c á c e r d o S a l Ano letivo 201 2/2013 Física e Química A Bloco II (11ºano) Teste de Avaliação 3 A - 06/02/2013 1. Suponha que um balão de observação está em

Leia mais

RESOLUÇÃO DA PROVA DA UFPR (2015) FÍSICA A (PROF. HAUSER)

RESOLUÇÃO DA PROVA DA UFPR (2015) FÍSICA A (PROF. HAUSER) DA PROVA DA UFPR (2015) FÍSICA A (PROF. HAUSER) 01)Um veículo está se movendo ao longo de uma estrada plana e retilínea. Sua velocidade em função do tempo, para um trecho do percurso, foi registrada e

Leia mais

Descobertas do electromagnetismo e a comunicação

Descobertas do electromagnetismo e a comunicação Descobertas do electromagnetismo e a comunicação Porque é importante comunicar? - Desde o «início dos tempos» que o progresso e o bem estar das sociedades depende da sua capacidade de comunicar e aceder

Leia mais

grandeza do número de elétrons de condução que atravessam uma seção transversal do fio em segundos na forma, qual o valor de?

grandeza do número de elétrons de condução que atravessam uma seção transversal do fio em segundos na forma, qual o valor de? Física 01. Um fio metálico e cilíndrico é percorrido por uma corrente elétrica constante de. Considere o módulo da carga do elétron igual a. Expressando a ordem de grandeza do número de elétrons de condução

Leia mais

EXTERNATO MATER DOMUS

EXTERNATO MATER DOMUS EXTERNATO MATER DOMUS RUA PASCAL, 1403 CAMPO BELO SP CEP 04616/004 - Fone: 5092-5825 MATÉRIA: FÍSICA PROFESSORA: RENATA LEITE QUARTIERI ALUNO: Nº Série: 3º TURMA: Única DATA: 02 /03/2015 ASSINATURA DO

Leia mais

UFMG - 2003 2º DIA FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

UFMG - 2003 2º DIA FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR UFMG - 2003 2º DIA FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Física Questão 01 Durante uma brincadeira, Rafael utiliza o dispositivo mostrado nesta figura para lançar uma bolinha horizontalmente. Nesse

Leia mais

Como o material responde quando exposto à radiação eletromagnética, e em particular, a luz visível.

Como o material responde quando exposto à radiação eletromagnética, e em particular, a luz visível. Como o material responde quando exposto à radiação eletromagnética, e em particular, a luz visível. Radiação eletromagnética componentes de campo elétrico e de campo magnético, os quais são perpendiculares

Leia mais

1. Espectros, radiação e energia

1. Espectros, radiação e energia 1. Espectros, radiação e energia Radiação é a propagação da energia por meio de partículas ou ondas no espaço. A radiação pode ser identificada: Pelo elemento condutor de energia: Radiação electromagnética

Leia mais

FÍSICA IV AULA 04: AS EQUAÇÕES DE MAXWELL; ONDAS ELETROMAGNÉTICAS TÓPICO 03: ESPECTRO ELETROMAGNÉTICO Arco-íris[1] Raio-x[2] Micro-ondas[3] Ondas de rádio[4] Televisão[5] À primeira vista pode parecer

Leia mais

COMUNICAÇÃO DE INFORMAÇÃO A LONGAS DISTÂNCIAS ONDAS ELETROMAGNÉTICAS E COMUNICAÇÃO

COMUNICAÇÃO DE INFORMAÇÃO A LONGAS DISTÂNCIAS ONDAS ELETROMAGNÉTICAS E COMUNICAÇÃO COMUNICAÇÃO DE INFORMAÇÃO A LONGAS DISTÂNCIAS À medida que uma onda se propaga, por mais intensa que seja a perturbação que lhe dá origem, uma parte da sua energia será absorvida pelo meio de propagação,

Leia mais

Física. Resolução. Q uestão 01 - A

Física. Resolução. Q uestão 01 - A Q uestão 01 - A Uma forma de observarmos a velocidade de um móvel em um gráfico d t é analisarmos a inclinação da curva como no exemplo abaixo: A inclinação do gráfico do móvel A é maior do que a inclinação

Leia mais

Thomson denominou este segundo modelo atômico de Pudim de Passas.

Thomson denominou este segundo modelo atômico de Pudim de Passas. EVOLUÇÃO DOS MODELOS ATÔMICOS Durante algum tempo a curiosidade do que era constituída a matéria parecia ser impossível de ser desvendada. Até que em 450 a.c. o filósofo grego Leucipo de Mileto afirmava

Leia mais

Biofísica Bacharelado em Biologia

Biofísica Bacharelado em Biologia Biofísica Bacharelado em Biologia Prof. Dr. Sergio Pilling PARTE A Capítulo 4 Luz como uma onda, refração, polarização, difracão e interferência. Formação de imagens e instrumentos óticos. Objetivos: Nesta

Leia mais

Estão corretos: a) apenas I, II e V. b) apenas I, III e IV. c) apenas II, III e V. d) I, II, III, IV e V. e) apenas I, II, III, IV.

Estão corretos: a) apenas I, II e V. b) apenas I, III e IV. c) apenas II, III e V. d) I, II, III, IV e V. e) apenas I, II, III, IV. 1. (Ufpr 2014) As teorias atômicas vêm se desenvolvendo ao longo da história. Até o início do século XIX, não se tinha um modelo claro da constituição da matéria. De lá até a atualidade, a ideia de como

Leia mais

~1900 Max Planck e Albert Einstein E fóton = hυ h = constante de Planck = 6,63 x 10-34 Js. Comprimento de Onda (nm)

~1900 Max Planck e Albert Einstein E fóton = hυ h = constante de Planck = 6,63 x 10-34 Js. Comprimento de Onda (nm) Ultravioleta e Visível ~1900 Max Planck e Albert Einstein E fóton = hυ h = constante de Planck = 6,63 x 10-34 Js Se, c = λ υ, então: E fóton = h c λ Espectro Contínuo microwave Luz Visível Comprimento

Leia mais

Exercícios Sobre Atomística - Início dos modelos atômicos I

Exercícios Sobre Atomística - Início dos modelos atômicos I Exercícios Sobre Atomística - Início dos modelos atômicos I 01. (Cftmg) O filme Homem de Ferro 2 retrata a jornada de Tony Stark para substituir o metal paládio, que faz parte do reator de seu peito, por

Leia mais

SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO.

SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FÍSICA 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. Leia atentamente as instruções que se seguem. 1 - Este Caderno de Provas contém seis questões, constituídas de itens e subitens,

Leia mais

Sinopse das Atividades do dia 13/07/2002: Ondas Prof. Dr. Carlos Alberto Olivieri

Sinopse das Atividades do dia 13/07/2002: Ondas Prof. Dr. Carlos Alberto Olivieri Pró-Ciências 2002 PROJETO INTEGRADO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA PARA PROFESSORES DA REDE PÚBLICA - UFSCar CAPES/SEE/DE Física Sinopse das Atividades do dia 13/07/2002: Ondas Prof. Dr. Carlos Alberto Olivieri

Leia mais

8ª série / 9º ano U. E. 16

8ª série / 9º ano U. E. 16 8ª série / 9º ano U. E. 16 Radiação O dicionário de física descreve radiação como: Designação genérica da energia que se propaga de um ponto a outro do espaço, no vácuo ou em um meio material, mediante

Leia mais

Material Extra: Modelos atômicos e atomística Química professor Cicero # Modelos Atômicos e atomística - Palavras chaves

Material Extra: Modelos atômicos e atomística Química professor Cicero # Modelos Atômicos e atomística - Palavras chaves Material Extra: Modelos atômicos e atomística Química professor Cicero # Modelos Atômicos e atomística - Palavras chaves Evolução da ideia do átomo 1) Partícula maciça, indivisível e indestrutível; 2)

Leia mais

Professores: Gilberto / Gustavo / Luciano / Maragato CURSO DOMÍNIO. Comentário: Energia de Capacitor. Comentário: Questão sobre atrito

Professores: Gilberto / Gustavo / Luciano / Maragato CURSO DOMÍNIO. Comentário: Energia de Capacitor. Comentário: Questão sobre atrito Professores: Gilberto / Gustavo / Luciano / Maragato CURSO DOMÍNIO A prova de física exigiu um bom conhecimento dos alunos. Há questões relacionadas principalmente com a investigação e compreensão dos

Leia mais

Capítulo 5 Distribuição de Energia e Linhas Espectrais

Capítulo 5 Distribuição de Energia e Linhas Espectrais Capítulo 5 Distribuição de Energia e Linhas Espectrais As transições atômicas individuais (das quais falaremos mais adiante) são responsáveis pela produção de linhas espectrais. O alargamento das linhas

Leia mais

Comunicação da informação a curta distância. FQA Unidade 2 - FÍSICA

Comunicação da informação a curta distância. FQA Unidade 2 - FÍSICA Comunicação da informação a curta distância FQA Unidade 2 - FÍSICA Meios de comunicação É possível imaginar como seria o nosso mundo sem os meios de comunicação de que dispomos? Os * * * * Aparelhos de

Leia mais

Fenómenos Ondulatórios. Reflexão, refracção, difracção

Fenómenos Ondulatórios. Reflexão, refracção, difracção Fenómenos Ondulatórios Reflexão, refracção, difracção Natureza dualística da radiação electromagnética A radiação electromagnética é um fenómeno ondulatório envolvendo a propagação de um campo magnético

Leia mais

Física - QUESTÕES de 01 a 06 INSTRUÇÕES: Questão 01 (Valor: 20 pontos) RASCUNHO

Física - QUESTÕES de 01 a 06 INSTRUÇÕES: Questão 01 (Valor: 20 pontos) RASCUNHO Física - QUESTÕES de 01 a 06 LEIA CUIDADOSAMENTE O ENUNCIADO DE CADA QUESTÃO, FORMULE SUAS RESPOSTAS COM OBJETIVIDADE E CORREÇÃO DE LINGUAGEM E, EM SEGUIDA, TRANSCREVA COMPLETA- MENTE CADA UMA NA FOLHA

Leia mais

Unidade 1 Energia no quotidiano

Unidade 1 Energia no quotidiano Escola Secundária/3 do Morgado de Mateus Vila Real Componente da Física Energia Do Sol para a Terra Física e Química A 10º Ano Turma C Ano Lectivo 2008/09 Unidade 1 Energia no quotidiano 1.1 A energia

Leia mais

c) A corrente induzida na bobina imediatamente após a chave S ser fechada terá o mesmo sentido da corrente no circuito? Justifique sua resposta.

c) A corrente induzida na bobina imediatamente após a chave S ser fechada terá o mesmo sentido da corrente no circuito? Justifique sua resposta. Questão 1 Um estudante de física, com o intuito de testar algumas teorias sobre circuitos e indução eletromagnética, montou o circuito elétrico indicado na figura ao lado. O circuito é composto de quatro

Leia mais

Valores eternos. MATÉRIA. PROFESSOR(A) Hermann ---- ---- 1. Para a associação da figura, a resistência equivalente entre os terminais A e B é igual a:

Valores eternos. MATÉRIA. PROFESSOR(A) Hermann ---- ---- 1. Para a associação da figura, a resistência equivalente entre os terminais A e B é igual a: Valores eternos. TD Recuperação ALUNO(A) MATÉRIA Física III PROFESSOR(A) Hermann ANO SEMESTRE DATA 3º 1º Julho/2013 TOTAL DE ESCORES ESCORES OBTIDOS ---- ---- 1. Para a associação da figura, a resistência

Leia mais

Vestibular UFRGS 2015. Resolução da Prova de Física

Vestibular UFRGS 2015. Resolução da Prova de Física Vestibular URGS 2015 Resolução da Prova de ísica 1. Alternativa (C) O módulo da velocidade relativa de móveis em movimentos retilíneos de sentidos opostos pode ser obtido pela expressão matemática: v r

Leia mais

ÓPTICA. Conceito. Divisões da Óptica. Óptica Física: estuda os fenômenos ópticos que exigem uma teoria sobre a natureza das ondas eletromagnéticas.

ÓPTICA. Conceito. Divisões da Óptica. Óptica Física: estuda os fenômenos ópticos que exigem uma teoria sobre a natureza das ondas eletromagnéticas. ÓPTICA Conceito A óptica é um ramo da Física que estuda os fenomenos relacionados a luz ou, mais amplamente, a radiação eletromagnética, visível ou não. A óptica explica os fenômenos de reflexão, refração

Leia mais

Lista de Exercício de Química - N o 6

Lista de Exercício de Química - N o 6 Lista de Exercício de Química - N o 6 Profa. Marcia Margarete Meier 1) Arranje em ordem crescente de energia, os seguintes tipos de fótons de radiação eletromagnética: raios X, luz visível, radiação ultravioleta,

Leia mais

EFEITO COMPTON. J.R. Kaschny

EFEITO COMPTON. J.R. Kaschny EFEITO COMPTON J.R. Kaschny Os Experimentos de Compton Das diversas interações da radiação com a matéria, um destaque especial é dado ao efeito, ou espalhamento, Compton - Arthur Holly Compton (93, Nobel

Leia mais

Ensaios Não Destrutivos

Ensaios Não Destrutivos Ensaios Não Destrutivos DEFINIÇÃO: Realizados sobre peças semi-acabadas ou acabadas, não prejudicam nem interferem a futura utilização das mesmas (no todo ou em parte). Em outras palavras, seriam aqueles

Leia mais

MODELO ATÔMICO ATUAL

MODELO ATÔMICO ATUAL MODELO ATÔMICO ATUAL Portal de Estudos em Química (PEQ) www.profpc.com.br Página 1 EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO 01 (CESGRANRIO-RJ) A distribuição eletrônica do átomo 56 26 Fe, em camadas é: a) 1s 2 2s 2 2p

Leia mais

Ondulatória. 6 NÃO é exemplo de onda eletromagnética: a) microondas. b) radiação infravermelha. c) radiação ultravioleta. d) raios x. e) ultra-som.

Ondulatória. 6 NÃO é exemplo de onda eletromagnética: a) microondas. b) radiação infravermelha. c) radiação ultravioleta. d) raios x. e) ultra-som. Ondulatória 1 O som é uma onda mecânica, longitudinal, e a luz é uma onda eletromagnética, transversal. II. O som e a luz são ondas mecânicas e propagam se também no vácuo. III. O som e a luz são ondas

Leia mais

SETOR A. 2. Um espelho côncavo tem 80 cm de raio. Um objeto real é colocado a 30 cm de distância dele. Determine: a) A distância focal

SETOR A. 2. Um espelho côncavo tem 80 cm de raio. Um objeto real é colocado a 30 cm de distância dele. Determine: a) A distância focal 2014_Física_2 ano_3º tri ALUNO(a): Nº: SÉRIE: 2º TURMA: UNIDADE: VV JC JP PC DATA: / /2014 Obs.: Esta lista deve ser entregue apenas ao professor no dia da aula de Recuperação SETOR A 1. Um objeto é colocado

Leia mais

são aplicadas num objeto cuja massa é 8,0 kg, sendo F» 1 mais intensa que F» 2

são aplicadas num objeto cuja massa é 8,0 kg, sendo F» 1 mais intensa que F» 2 Física Unidade Movimentos na Terra e no spaço QUSTÕS PROPOSTS 4. Duas forças F» e F» 2 são aplicadas num objeto cuja massa é 8,0 kg, sendo F» mais intensa que F» 2. s forças podem atuar na mesma direção

Leia mais

FÍSICA Professor: João Macedo

FÍSICA Professor: João Macedo FÍSIC Professor: João Macedo luno(a): 03 12/08/2014 01. Quem viaja para a mazônia poderá ver o boto cor-de-rosa que, de acordo com famosa lenda local, se transforma em um belo e sedutor rapaz. Botos e

Leia mais

Radiografias: Princípios físicos e Instrumentação

Radiografias: Princípios físicos e Instrumentação Radiografias: Princípios físicos e Instrumentação Prof. Emery Lins emery.lins@ufabc.br Curso de Bioengenharia CECS, Universidade Federal do ABC Radiografias: Princípios físicos Roteiro Definições e histórico

Leia mais

Separação de Isótopos de Terras Raras usando Laser. Nicolau A.S.Rodrigues Instituto de Estudos Avançados

Separação de Isótopos de Terras Raras usando Laser. Nicolau A.S.Rodrigues Instituto de Estudos Avançados Separação de Isótopos de Terras Raras usando Laser Nicolau A.S.Rodrigues Instituto de Estudos Avançados Roteiro 1. Motivação: - Isótopos: o que são porque um determinado isótopo é mais interessantes que

Leia mais

Coerência temporal: Uma característica importante

Coerência temporal: Uma característica importante Coerência temporal: Uma característica importante A coerência temporal de uma fonte de luz é determinada pela sua largura de banda espectral e descreve a forma como os trens de ondas emitidas interfererem

Leia mais

Épreciso imaginação para pensar como um químico. Imaginação química significa que

Épreciso imaginação para pensar como um químico. Imaginação química significa que Átomos: O Mundo Quântico Quais São as Idéias Importantes? A matéria é composta de átomos. A estrutura dos átomos pode ser entendida por meio da teoria conhecida como mecânica quântica, na qual as propriedades

Leia mais

INSTITUTO DE FÍSICA - UFRGS. Roteiro de Estudo I

INSTITUTO DE FÍSICA - UFRGS. Roteiro de Estudo I INSTITUTO DE FÍSICA - UFRGS Depto. de Física - FIS01053 - Introdução à Física Quântica Roteiro de Estudo I Este roteiro foi preparado para servir de guia de estudo e para chamar a atenção sobre os pontos

Leia mais

UFRGS 2012 RESOLUÇÃO DA PROVA DE FÍSICA

UFRGS 2012 RESOLUÇÃO DA PROVA DE FÍSICA RESOLUÇÃO DA PROVA DE Prof. Giovane Irribarem de Mello Instrução: As questões 01 a 03 estão relacionadas ao texto abaixo. O tempo de reação tr de um condutor de um automóvel é definido como o intervalo

Leia mais

15/09/2015 1 PRINCÍPIOS DA ÓPTICA O QUE É A LUZ? A luz é uma forma de energia que não necessita de um meio material para se propagar.

15/09/2015 1 PRINCÍPIOS DA ÓPTICA O QUE É A LUZ? A luz é uma forma de energia que não necessita de um meio material para se propagar. O QUE É A LUZ? A luz é uma forma de energia que não necessita de um meio material para se propagar. PRINCÍPIOS DA ÓPTICA A luz do Sol percorre a distância de 150 milhões de quilômetros com uma velocidade

Leia mais

INSTITUTO DE QUÍMICA da UFRJ DEPARTAMENTO DE QUÍMICA INORGÂNICA. Programa de Disciplina. Química Geral EQ. Nome: Código: IQG 115 CARACTERÍSTICAS

INSTITUTO DE QUÍMICA da UFRJ DEPARTAMENTO DE QUÍMICA INORGÂNICA. Programa de Disciplina. Química Geral EQ. Nome: Código: IQG 115 CARACTERÍSTICAS Programa de Disciplina Nome: Química Geral EQ Código: IQG 115 Categoria: Carga Horária Semanal: CARACTERÍSTICAS Número de Semanas Previstas para a Disciplina: 15 Número de Créditos da Disciplina: 4 Pré-Requisito

Leia mais

UFRGS 2007 RESOLUÇÃO DA PROVA DE FÍSICA. Prof. Giovane Irribarem de Mello

UFRGS 2007 RESOLUÇÃO DA PROVA DE FÍSICA. Prof. Giovane Irribarem de Mello RESOLUÇÃO DA PROVA DE Prof. Giovane Irribarem de Mello Instrução: As questões 26 e 27 referem-se ao enunciado abaixo. Na figura que segue, estão representadas as trajetórias de dois projéteis, A e B, no

Leia mais