APOIO À PRÁTICA PEDAGÓGICA. EDUC.INFANTIL/CICLOS DE APRENDIZAGEM I e II / EJA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "APOIO À PRÁTICA PEDAGÓGICA. EDUC.INFANTIL/CICLOS DE APRENDIZAGEM I e II / EJA"

Transcrição

1 APOIO À PRÁTICA PEDAGÓGICA ADIVINHAS,, CHARADAS,, PARLENDAS,, PROVÉRBIOS E TRAVA LÍNGUAS EDUC.INFANTIL/CICLOS DE APRENDIZAGEM I e II / EJA

2 Prefeito JOÃO HENRIQUE DE BARRADAS CARNEIRO Secretário Municipal da Educação e Cultura NEY JORGE CAMPELLO Coordenadoria de Ensino e Apoio Pedagógico ANA SUELI PINHO Equipe Técnica da Edição Original (1996) Coordenação da Elaboração dos Cadernos KADJA CRISTINA GRIMALDI GUEDES Consultoria MARIA ESTHER PACHECO SOUB Sistematização ANTÔNIA MARIA DE SOUZA RIBEIRO MARIA DE LOURDES NOVA BARBOZA ELISABETE REGINA DA SILVA MONTEIRO Reedição Atualizada (2007) MARIA DAS GRAÇAS CERQUEIRA LEONE Coordenação da reedição dos Cadernos MARIA DE LOURDES NOVA BARBOZA A reedição deste caderno atende aos objetivos da SMEC em dar suporte didático pedagógico às atividades de sala de aula. Esta publicação destina-se exclusivamente para o uso pedagógico nas escolas Municipais de Salvador, sendo vetada a sua comercialização. A reprodução total ou parcial deverá ser autorizada pela Secretaria da Educação e Cultura de Salvador.

3 APRESENTAÇÃO É com muita satisfação que a Coordenadoria de Ensino e Apoio Pedagógico - CENAP apresenta aos professores do Sistema Municipal de Ensino, a reedição atualizada dos Cadernos de Apoio à Prática Pedagógica. Nascidos em 1996, de um trabalho de vanguarda que conectava a teoria à prática da sala de aula das escolas municipais, tais cadernos procuravam ser e certamente ainda são um instrumento estratégico da nossa luta diária para aumentar os índices de desempenho acadêmico dos alunos da Rede Municipal de Ensino de Salvador. Os Cadernos de Apoio à Prática Pedagógica apresentam vários blocos de sugestões com diferentes tipologias textuais e algumas atividades voltadas para aquisição da base alfabética e ortográfica dos alunos, subsidiando os professores no seu saber-fazer pedagógico. Acreditamos que quanto mais investirmos na formação continuada,na prática reflexiva, na pesquisa de soluções originais, mais será possível uma progressiva redefinição do nosso ofício de professor, no sentido de uma maior profissionalização. Atualizamos e publicamos esses cadernos, apostando no potencial criativo dos professores,tendo em vista o bem comum de todas as crianças,jovens e adultos que freqüentam as escolas municipais de Salvador. Sucesso professor, é o que lhe desejamos! Ana Sueli Pinho Coordenadora da CENAP

4 ADIVINHAS E CHARADAS As Adivinhas e Charadas são textos curtos da literatura popular encontrados geralmente em forma de perguntas, versos e alguns em prosa. São enigmas verbais que foram passados pelos nossos antepassados de forma oral, geralmente aprendidos, inconscientemente, na infância. É também uma forma lúdica de adivinhações populares, na qual a enunciação da idéia ou fato é constituída de analogias e de personificações, ou seja, estão envolvidas em alegorias, a fim de dificultar a solução do problema. As Adivinhas e Charadas são tão velhas quanto à própria história, pois nas civilizações antigas os enigmas eram expressões do culto e da magia religiosa. Os deuses falavam de uma forma um tanto obscura e os homens tinham de interpretar suas palavras. Os decifradores granjeavam prêmios preciosos e reputação divina. Édipo, Salomão, Merlino e outros eram considerados possuidores da ciência divinatória das respostas e das questões difíceis. Antigamente, a decifração de enigmas era prova de inteligência, com o passar do tempo, a prática perdeu o sentido filosófico. Atualmente tais enigmas são encontrados na voz anônima do povo e, principalmente, na boca das crianças. Quando perguntamos quem sabe adivinhas e charadas e as tem guardadas na memória, encontramos sempre alguém que tem algumas lá no "fundo do baú" adormecidas. O folclore brasileiro é rico em adivinhas, charadas, e nas cidades do interior elas são usadas como um interessante passatempo por homens, mulheres e crianças. Ao longo do tempo os próprios homens foram formando suas adivinhas e charadas. As ADIVINHAS podem ser classificadas em:

5 COMUNS Exemplos: Por que o galo quando canta fecha os olhos? R- Porque sabe a música de cor. Qual a cabeça que não tem medo de pancada? R - cabeça do prego. RELIGIOSAS Exemplo: O que é que o rei vê uma vez, o homem toda vez e Deus nenhuma vez? R - O seu semelhante. MALICIOSAS ou de GOGA - muitas vezes parecem ser fortes, devido à sua enunciação, mas são completamente inocentes. Exemplo: O que é que o homem tem atrás e a mulher tem na frente? R - A letra M. As CHARADAS são expressas em trovas ou não e os adultos e crianças gostam de se divertir matando charadas. As CHARADAS mais conhecidas são as Adicionadas, antigamente conhecidas como Novíssimas. Para cada tipo de charada existe um método especial para desvendar a palavra secreta. As charadas também podem ser dos tipos: sintéticas, intercaladas, aforéticas, apocopadas etc. Neste caderno apresentamos apenas as charadas adicionadas. A solução das charadas adicionadas é formada por dois ou mais sinônimos que somados em seqüência resultam na solução da charada. Os algarismos indicam quantas sílabas tem as palavras sinônimas que deverão ser utilizadas para formar a palavra/ solução da charada. As palavras em negrito indicam as que deverão ser substituídas por sinônimos. Exemplo: Ama de leite ali, é projétil Resp: ba + lá = bala

6 OBJETIVOS DO TRABALHO COM ADIVINHAS E CHARADAS Reconhecer as características desses tipos de textos. Desenvolver o raciocínio lógico. Favorecer a aquisição da base alfabética. Aumentar o volume de escrita Valorizar e apreciar a cultura popular. Criar adivinhas e charadas. Desenvolver o espírito criativo e crítico. Divertir e integrar o grupo de alunos CONSIDERAÇÕES PEDAGÓGICAS As adivinhas e charadas divertem e provocam curiosidade, valorizam a leitura como fonte de prazer e entretenimento criando um clima de suspense que os alunos gostam de decifrar e possibilita o desenvolvimento da expressão oral. Segundo Augusto César Pires de Lima Os enigmas têm para nós interesse etnográfico, exercendo papel educativo, constituindo-se num bom entretenimento, da literatura popular atual. As atividades de adivinhações possibilitam a aprendizagem da língua escrita de forma lúdica e prazerosa por serem textos curtos e de fácil memorização, ajudando os alunos a pensarem e a se concentrar na forma convencional da escrita das palavras. ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS Ao trabalhar com Adivinhas e Charadas o professor deverá fazer a : Seleção de algumas adivinhas / charadas para a aula ; Levantamento dos conhecimentos prévios dos alunos sobre elas; Confecção de tirinhas de papel com trechos das adivinhas / charadas; Realização de rodas de adivinhas / charadas ( para as crianças adivinharem);

7 Construção de gráficos, a partir do trabalho realizado com adivinhas/charadas, proporcionando contagem e construções de situações-problema); Exploração de leitura das adivinhas / charadas de várias formas ( oral,individual, em grupo; Realização de bingo com as respostas das adivinhas / charadas; Solicitação de cópias significativas das adivinhas / charadas; Aplicação de ditados variados; Realização de lacunados; Criação de adivinhas / charadas; Realização de torneios e competições de charadas / adivinhas. Investigação junto à comunidade, sobre adivinhas / charadas Organização do Livro de Adivinhas / Charadas Realização de Torneio de Adivinhas / Charadas com a participação da comunidade

8 ADIVINHAS O que é, o que é... Por que é que o boi sobe o morro?r - Porque não pode passar por baixo. Tem casa mas não mora em cima? R Botão. Tem cabeça, tem dente, tem barba, não é bicho e não é gente? R- Alho. Tem boca, tem língua mas não fala? R - Boca do sapato. Cai em pé e corre deitado? R Chuva. Tem chapéu, mas não tem cabeça. Tem boca, mas não fala. Tem asa mas não voa.tem bico, mas não belisca? R-Bule. O que é, o que é que está o meio do ovo? R - A letra V. O que é que falta numa casa para formar um casal? R - A letra L. Quem é que foge sempre quando se fala em dinheiro? R - O devedor. Quem é que nasce no rio, vive no rio e morre no rio mas não está sempre molhado? R- O carioca. O que o que corre em volta do pasto inteiro sem se mexer? R - A cerca. O que é que e enche a casa mas não enche a mão? R Botão Qual a formíguínha que sem a primeira sílaba vira fruta? R - Saúva. Qual a diferença entre a mulher e o leão? R - A mulher usa batom e o leão ruge. O que é que é que nunca volta, embora nunca tenha ido? R O passado. O que é que é que sempre se conta e raramente se desconta? R - Idade. O que é que é que não é de carne, nem de osso, mas enche de carne viva para aguentar espetadelas? R - Dedal. Quais as capitais brasileiras mais faladas no mês de dezembro?r - Natal, Belém, Salvador. O que é,o que é que quando é escrita com O costuma matar, escrita com A só serve para amarrar? R - Tir o / T i r a. O que é o que é que o ferreiro faz, o cavalo usa, no jardim é flor, na comida é tempero, mas no rosto é marca? R - Cravo. O que é que pode passar diante do sol sem fazer sombra? R- O vento Onde se encontra o centro de gravidade? R - Na letra l. Soletre ratoeira com quatro letras? R Gato. O que é que quando se perde jamais se conseguirá encontrar de novo?r - O Tempo. Tenho músculos de aço, passo o ano falando com metade da população do mundo? R - Linha Telefônica.

9 O que que as mulheres não têm e não querem ter? Os homens querem ter, mas quando têm tratam geralmente de desfazer-se dela?r Barba. O que é o que é cinco operários só tem um chapéu?r - Dedos dedal. O que é preciso para pagar uma vela? R - Que ela esteja acesa. Quem é tão forte que pode parar um automóvel com uma mão só? R - Guarda de Trânsito. Qual é o homem que tem de fazer mais de três barbas por dia? R - O barbeiro. O que é que não tem pernas mas sempre anda? R Sapato. O que é o que é que dá sem nada ter? R - Relógio. O que é que quanto mais quente, mais fresco? R-Pão. O que é que não está dentro da casa, nem fora da casa mas a casa não estaria completa sem ela? R Janela. Qual o bebê que nasce com bigode? R -Gatinho O que é que tem uma porção de dentes, mas não tem boca?r - O serrote. Como é que se retira uma pessoa que cai num poço? R- Completamente molhada. O que acaba tudo com três letras? R- F i m. Onde será que você, mesmo sem ser um banqueiro, mesmo sem ser milionário, pode sempre achar dinheiro? R- Dicionário. O que é que tem centro, mas não tem começo nem fim? R Círculo. Qual o policial que mais gosta do seu trabalho? R - O policial de transito. Ele fica assobiando enquanto trabalha. Doença que ataca motoristas de táxis? R - Taxicardia Um estado quesonha ser carro? R Ser gipe Doença que ataca policiais? R Prisão de ventre O vento não leva, o sol não queima e a chuva não molha? R A sombra Qual a doença do fabricante de malas? R - Malária O jardineiro tem no rosto? R - Cravos Escreve como lápis, tem ponta de lápis e não é lápis? R A lapiseira O burro faz todos os dias ao meio dia? R - Sombra Você tem um, todos tem dois e eu não tenho nenhum? R A letra O Pelado por fora e peludo por dentro? R O nariz Pontinho azul ao sul do mapa do Brasil? R - Blumenau Se diz uma vez num minuto e duas vezes num momento? R- A letra M Capital de Estado brasileira mais segura de se viver? R Fortaleza

10 ADIVINHAS EM VERSOS O que é, o que é mesmo? Quero ver se vai saber, Que está bem na sua frente, Mas você não pode ver?. R - O FUTURO O que será, o que será? Que me preocupa tanto... Viaja por todo o mundo Mas fica sempre em seu canto? R - SELO. Todo mundo precisa, Todo mundo pede, Todo mundo dá, Mas ninguém segue? R - CONSELHO. O que está fora você joga fora. Cozinha o que está dentro E come o que está fora Depois o que está dentro você joga fora R - ESPIGA DE MILHO. Responda se for capaz, Sem ficar atrapalhado: Nosso Rei Pedro Segundo, Onde é que foi coroado? R - NA CABEÇA.

11 CHARADAS ADICIONADAS Caminho, no lugar da briga de galos, e vejo um pássaro Resp : ando + rinha = andorinha Goste, da sigla do estado da Bahia, porque provoca desinteria Resp : ame + ba = ameba Naquele lugar, procure a ferramenta Resp : ali + cate = alicate A primeira vogal com o ser vivo embrionário, é amizade Resp : a + feto = afeto A primeira vogal com sabor, é o 8 mês do ano Resp: a + gosto = agosto O altar de sacrifícios com a fruta de pigarro, é a capital de Sergipe Resp : ara + caju = Aracaju A carta de jogar é ruim Resp : as + ma = asma Aqui, filha do filho serve para escrever Resp :ca + neta = caneta Aqui, rebanho é bicho lerdo Resp : ca + gado = cágado Aqui, confiança é bebida de infusão Resp: ca + fé = café O rosto e a mulher formam nome de arma de fogo Resp: cara + Bina = carabina

12 Na atmosfera, o alimento diário é instrumento de pesca Resp: ar + pão = arpão Com a 1ª vogal,oceano é querer bem Resp : a + mar = amar Na atmosfera, sofrimento é entusiasmo Resp : ar + dor = ardor A governanta com ferramenta de cabo é estado brasileiro do norte Resp : ama + pá = Amapá Ama de leite com planta doce é excelente Resp: ba + cana = bacana Com a sigla do estado da Bahia, a bacia é vestuário de padre Resp : ba + tina = batina Duas vezes, o pronome graceja do instrumento cirúrgico Resp : bis + tu ri = bisturi Aqui, muito próximo um necessitado Resp : ca + rente = carente A planta doce oferece o nome de um país desenvolvido Resp: cana + dá = Canadá 21. Rosto feito de cera, é embarcação a vela Resp : cara + vela = caravela Na cabeça do galo o homem é transparente Resp : crista + Lino = cristalino Aqui, pó é jogo e luta na Bahia Resp : ca + poeira = capoeira

13 Aqui, pincel grosso e largo é mulato das boas Resp : ca + brocha = cabrocha Um resto de vela avistava o pássaro Resp : coto + via = cotovia Dentro do ovo, a refeição, serve para dar luz ao edifício Resp: clara + bóia = clarabóia Aqui, mentira, é diabo Resp: ca + peta = capeta A primeira vogal dirige a ave Resp : a + guia = águia Aqui, abalo moral, é bebida forte Resp : ca + chaça = cachaça O animal de mama oferece a doméstica Resp: cria + dá = criada

14 PARLENDAS As Parlendas são formas literárias tradicionais, de origem popular, em forma de versos de cinco ou seis sílabas, com caráter infantil, de ritmo fácil, declamado em forma de texto verbal estabelecendo-se como base na acentuação para entender. Embora exista a expressão cantar parlendas, ela é expressa em forma recitada. A brincadeira de Parlendas consiste em juntar as palavras com ritmo e rimando, podendo ser falada em grupo, solo ou diálogo. Distingue-se dos demais versos pela atividade que a acompanha, na brincadeira ou movimento corporal. A finalidade é entreter crianças, jovens e adultos, passar o tempo ensinando-lhes algo. Qualquer um pode criar uma Parlenda. Nas cidades do interior, é comum pais brincarem com seus filhos, ensinando-lhes parlendas, brincadeiras etc. Como variam bastante, algumas pessoas podem conhecê-las de modos diferentes. É um enunciado lúdico-pedagógico, que diverte, ensina, a sua forma ritmo-sonoro-motora, desenvolve as condições psicosociais do homem. São ditos, rimas sem música, destinados a ensinar alguma coisa, divertir e criticar outra pessoa, isto é, palavreados folclóricos antigos, passados de geração a geração oralmente. Segundo Luis da Câmera Cascudo as Parlendas estão classificadas em: Brincos - são os primeiros e ingênuos mimos infantis, agrados carinhosos que os pais, babás usam (ditas ou recitadas) para entreter ou aquietar as crianças.

15 Exemplo: Marra-marra, Carneirinho, Marra-marra, Carneirinho. Mão-mole, Mão-mole, Quem sorri há de apanhar Pega a mão da criança, balança até sorrir, aí bate de leve numa parte do corpo da criança. As Parlendas variam de povo a povo, de região a região, porém são idênticas na sua essência e idéia formadora não perde a fonte comum e longínqua conforme afirma João Ribeiro. Como a fórmula do Dedo Mindinho que é comentada nos livros há aproximadamente três séculos e que continuam alegrando crianças brasileiras, espanholas, portuguesas, francesas, viajando de forma ruidosa e anônima no tempo... Mnemônicas - são todas ditas ou recitadas pelas crianças para enganar e principalmente com a finalidade de memorizar nomes, números e outros conteúdos. Não se altera, é usada em áreas diversas com simplicidade para ensinar a contar, a brincar, a marchar, é muito útil na educação. Exemplo : Um, dois, feijão com arroz, Três, quatro, feijão no prato, Cinco, seis, feijão pra três, Sete, oito, feijão com biscoito, Nove, dez, feijão com pastéis.

16 Parlendas propriamente ditas - são brincadeiras iniciadas, desenvolvidas e organizadas pelas próprias crianças sem a interferência dos adultos (pais, babás como os brincos). As crianças se organizam com base no princípio disciplinar da própria brincadeira que incentiva o sentido democrático de aceitar o que for determinado pela Parlenda e assim o grupo que deseja participar da brincadeira, vai seguindo e obedecendo as regras, aguardando a sua vez e fazendo o que se pede, como por exemplo : Quem começa? Repetem palavra por palavra, como terminar a brincadeira etc. Tudo que eu disser, o Sr. diga a última palavra e acrescente de sete facadas e começam: - Eu ia por um caminho... - Caminho de sete facadas... - Encontrei uma vaca... - Vaca de sete facadas... - Encontrei um morro... - Morro de sete facadas! Brincar com os botões do casaco, túnica ou vestido. A palavra que coincidir com o último botão acontecerá ao seu dono. Ex: Casa. Não casa, Casa, Não casa, Casa. É importante utilizar Parlendas em atividades variadas de leitura, expressão oral e escrita por ser um texto de fácil domínio oral, suas palavras são agrupadas com ritmo e sonoridade possibilitando a integração da língua com brincadeiras, facilitando assim a aquisição de habilidades de leitura e proporcionar a ampliação do volume de escrita.

17 OBJETIVOS Conhecer o texto parlenda; Adquirir progressivamente a base alfabética; Valorizar a cultura popular. Apreciar os recursos poéticos das parlendas. Expressar-se oralmente com clareza e desinibição. Divertir-se brincando com as parlendas CONSIDERAÇÕES PEDAGÓGICAS Segundo Ana Teberosky, a simples exposição do aluno ao ambiente ou contexto alfabetizador não garante a aquisição de habilidades de leitura e escrita. Eles aprendem a linguagem escrita através do contato social direto, interagindo com o objeto de estudo e da observação a outros leitores e escritores. O professor é referência, modelo de atividades de ler e escrever para os alunos. Portanto, cabe ao professor : oportunizar aos alunos o convívio diverso e intenso em situações de leitura e escrita, a fim de aumentar o letramento e facilitar assim o processo da alfabetização dos alunos; ser parceiro dos alunos encorajando-os a falar e escrever as suas idéias (desejos, tristezas, alegrias) para conhecer o nível conceitual, leitura de mundo e suas dificuldades, intervindo adequadamente, quando necessário, fazendo eles avançarem; revisar as atividades coletivamente, com a participação ativa dos alunos, porque o conhecimento e o domínio da linguagem oral e escrita se dão junto com a representação e reflexão sobre a realidade (leitura e escrita de textos, exercícios...) e desta forma possibilitar-se-á a conscientização dos seus erros (hipóteses). realizar atividades de rotina onde o aluno possa estar produzindo e utilizando o alfabeto móvel refletindo sobre suas hipóteses de escrita e leitura;

18 trabalhar uma Parlenda aproximadamente uma semana expondo-a num cartaz em sala de aula; realizar rotina de leituras diárias e variadas da Parlenda: leitura pelo professor, leitura compartilhada (professor e aluno), leitura coletiva (vinculada ao prazer, a descontração), leitura virtual pelos alunos (pseudo-leitura), leitura dirigida (o aluno utiliza seus conhecimentos de escrita para localizar e ler palavras desconhecidas), leitura individual...; trabalhar a consciência fonológica retirando da Parlenda sons de letras, sílabas, rimas de algumas palavras; organizar situações didáticas de escrita como escrita coletiva das Parlendas conhecidas, títulos das parlendas, favorecer a reflexão dos alunos sobre a escrita deles fazendo comparações entre início e fim de palavras; propor atividades como: lacunado (abrir lacunados no texto para escrever palavras que faltam na Parlenda),caça-letra e caça-palavra (circular letras e palavras na Parlenda), ordenação de tirinhas (recortar cada verso da Parlenda e reordená-los colando numa folha de papel) e cruzadinhas com palavras e figuras da Parlenda; pesquisar Parlendas em fontes variadas e produzir cartaz sanfonado de Parlendas, expor e apresentá-las associadas a gestos e brincadeiras ao público.

19 PARLENDAS Um, dois, feijão com arroz, Três, quatro, feijão no prato, Cinco, seis, feijão inglês, Sete, oito, comer biscoitos, Nove, dez, comer pastéis. Rei, capitão Soldado, ladrão Moça bonita Do meu coração. Uni duni tê Salame minguê Um sorvete colorê O escolhido foi você Luar, luar Pega esse menino E me ajuda a criar Hoje é domingo Pé de cachimbo Cachimbo é de barro Dá no jarro O jarro é fino dá no sino O sino é de ouro dá no touro O touro é valente dá na gente A gente é fraco Cai no buraco O buraco é fundo acabou-se o mundo. Boca de forno Forno Tira um bolo Bolo Se o mestre mandar? Faremos todos!. Santa Clara, clareou São Domingo alumiou Vai chuva, vem sol Vai chuva, vem sol Pra enxugar o meu lençol.. São Lunguim, São Lunguim Me ache este... Que eu dou três pulim.. Pinta lainha De cana vitinha Entrou na barra de vinte e cinco Mingorra, mingorra E cate forra tire essa mão que já está forra.. Mourão, mourão Tome teu dente podre Dá cá meu são.. Quem cochicha O rabo espicha Come pão Com lagartixa... Sol e chuva Casamento da viúva. Chuva e sol Casa raposa com rouxinol

20 Cadê o toucinho que estava aqui? O gato comeu. Cadê o gato? Foi pro mato. Cadê o mato? O fogo queimou. Cadê o fogo? A água apagou. Cadê a água? O boi bebeu. Cadê o boi? Foi carregar trigo. Cadê o trigo? A galinha espalhou. Cadê a galinha? Foi botar ovo. Cadê o ovo? O frade bebeu. Cadê o frade? Ta no convento. Trabalha, trabalha João Gomes Se não trabalhas Não comes. Rabo cortou, emendou, saiu se não sair vou dar foguinho. A galinha do vizinho Bota ovo amarelinho Bota um, bota dois, Bota três, bota quatro, Bota cinco, bota seis, Bota sete, bota oito Bota nove, bota dez. Lá atrás da minha casa Tem uma vaca chocadeira Quem rir ou falar primeiro Come o bicho e a bicheira. Chicotinho queimado Vale dois cruzados Quem olhar pra trás Leva chicotada. Cabra cega de onde veio? Vim do Pando Que trouxes pra mim? Pão -de ló Me dá um pedacinho? Não dá pra mim Quanto mais pra tua avó. Batatinha frita Um,dois,três Estátua! Uma, duna, Tena, catena, Saco de pena Vila,vilão, Conta direito que doze são Galinha gorda! Gorda! Cadê o sal? Está na panela! Vamos a ela? Vamos! Pra cima ou pra baixo?

21 Lê com lê Tré com tré Um sapato em cada pé! Papai do céu Mandou dizer Quem vai ser o primeiro É este daqui. Ordem, Em seu lugar Sem rir,sem falar Com um pé Com o outro Com uma mão Com a outra Bate palmas Pirueta Traz pra frente Pancada. Lá vai a bola Girar na roda Passar adiante, sem demora, pois se ao fim desta canção você estiver com a bola na mão depressa, pule fora. Cruz de pau Cruz de ferro Quem olhar Vai pro inferno. Um, dois, três Quatro, cinco, seis, Sete, oito, nove Para doze faltam três. O macaco foi à feira Não teve o que comprar Comprou uma cadeira Pra a comadre se sentar. A comadre se sentou a cadeira esborrachou Coitada da comadre Foi parar no corredor. Uni pandi Cirandi Deu picoti Deu pandi Picote Picotá É de pi San vá. Dedo mindinho Seô vizinho Maior de todos Fura bolo Mata piolho Bão ba la lão Senhor capitão Espada na cinta Ginete na mão. Jãozinho é um bom guiador quando falta gasolina faz xixi no motor.

22 A baratinha Voou, voou, Chegou na boca de Maria Parou. Na minha não Na de.... Ô dô tê cá Lê pepino lê tomá Lê café com chocolá Ô dô tê cá.. Beterraba, raba raba Quem errar é uma diaba. Borboleta leta leta Quem errar é um capeta. A bênção dindinha lua me dê pão com farinha pra dar a minha galinha que ta presa na cozinha xô,xô galinha vai pra tua camarinha. Bata palminha,bate Palminha de São Tomé Bate palminha,bate Pra quando papai vier. Papai dará papinha Mamãe dará maminha, Vové dará cipó Na bundinha da menina. R are ri ro rua Perua Saia do meio da rua. Na bundinha da menina. Lá em cima do piano Tem um copo de veneno Quem bebeu morreu Quem saiu fui eu.

23 PROVÉRBIOS Provérbios são textos curtos, mesclados de bom senso e advertências oportunas, ou seja, frases curtas, concisas, geralmente ricas de imagens, que transmitem uma verdade. Os provérbios são elementos notáveis em todas as línguas nas idéias que veiculam, como na originalidade da construção sintática e na articulação entre a forma e o conteúdo. A sua origem é atribuída à sabedoria popular, faz parte do folclore dos povos, assim como as lendas, os mitos, as superstições e as canções, traduzem conhecimentos e crenças. Nascido no seio do povo, reflete usos e costumes de uma nação, incorporando-se no folclore nacional. Os provérbios são enunciados anônimos, com exceção dos provérbios bíblicos encontrados no Livro dos Provérbios (Antigo Testamento) que são atribuídos ao Rei Salomão. Ele escreveu centenas de exemplos práticos de como viver de acordo com a sabedoria divina. No Livro de Provérbios são abordados vários assuntos como: juventude e disciplina, vida familiar, riqueza e pobreza, palavra e a língua, a importância de conhecer Deus, etc. Manifestação do passado enraizado no presente, os Provérbios fazem parte da cultura eminentemente oral, transmitida de geração a geração, de boca em boca, fruto da experiência cotidiana individual ou grupal, de quem vivenciou determinadas verdades. Os Provérbios são utilizados em textos como: conversações diárias, editoriais de jornais; sermões, slogans, inscrições, edificações, como estratégias para tentar persuadir as pessoas. A qualidade de encaixe, dá ao provérbio um sentido de força, de poder, de autoridade, quase que irrefutável, pelo fato de embuti-lo num cenário dramático preexistente. CARACTERÍSTICAS DOS PROVÉRBIOS Conteúdo - são portadores de uma carga moral crítica ou vinculativa - ditos, lembranças, advertências e sábios conselhos para ajudar a governar as nossas vidas (lições de vida); Forma - distinguem-se pela elaboração trabalhada, artificiosa (repetição, paralelismo, dialogismo);

24 Autoria - são anônimos com exceção dos provérbios bíblicos; Estrutura literária - são descritivos, prosódicos, poéticos (que podem rimar ou não); Validade - é universal, sem distinção de lugar e tempo. OBJETIVOS PARA O TRABALHO COM PROVÉRBIOS Ler antes de ler convencional; Apropriar-se da base alfabética, Aumentar o volume de escrita; Ler para inferir e compreender o que está não está explícito; Estabelecer vínculo prazeroso entre leitura e escrita; Descobrir a sabedoria prática desses textos, para o viver cotidiano; Desenvolver a análise e compreensão desse tipo de texto; Valorizar a cultura popular; CONSIDERAÇÕES PEDAGÓGICAS Para os alunos que não lêem e escrevem convencionalmente, as atividades de leitura e escrita com esses textos de tradição oral ( os alunos sabem de memória), favorecem avanços nas hipóteses deles a respeito da língua escrita. Provenientes da experiência popular, do senso comum, esses textos lidam com os interesses primários do homem, como: o amor e a luta; a saúde e a doença; a juventude e a velhice; a fome e o alimento; o trabalho e a brincadeira. Seu efeito é elevar uma afirmação de um nível ordinário, simplório, para um nível enfático, para ensinar, elogiar, persuadir, convencer, para prevenir, advertir, restringir ou desencorajar atitudes. O Provérbio é geralmente metafórico, possui duplo significado, uma leitura literal e outra figurada. O professor deve trabalhar esse tipo de texto em sala de aula, porque são veículos para comunicação pessoal e muito importante para levar o aluno à reflexão, ou seja, pessoas de maior maturidade, podem utilizá-lo para aconselhar e estabelecer um vínculo de respeito com uma pessoa que está, naquele momento, aprendendo conteúdos atitudinais(de pais para filhos, de professor para aluno).

25 ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS Leitura diária para seus alunos, afim de que tenham contato freqüente com esses textos e possam conhecê-los melhor; Realização de leitura compartilhada (professor e alunos) em momentos de rotina para que os alunos conheçam e possam inferir e antecipar significados durante a leitura; Realização de leitura coletiva (ler, recitar e brincar com os textos), vinculada à descontração e ao prazer, o texto deve ser fixado em forma de cartaz num local visível ou escrito no quadro de giz; Realização de leitura dirigida para que os alunos possam utilizar seus conhecimentos de escrita a fim de localizar e ler palavras desconhecidas em textos conhecidos por eles; Realização de leitura pelos alunos de textos conhecidos para destacar, recitar a parte que mais gostou; Investigação / pesquisa de outros provérbios nos livros, com a família ou comunidade; Realização de rodas de conversas para que os alunos compartilhem brincadeiras e idéias entre si e o professor conheça as preferências e dificuldades deles; Realização de atividade escrita individual -criar rotina de escrita de textos que os alunos têm na memória para que registrem suas hipóteses; Reflexão sobre a escrita - propor comparações entre palavras que começam ou terminam da mesma forma (partes de palavras, letras ou silabas).

26 PROVÉRBIOS Casa dos pais, escola dos filhos. Quem dá aos pobres, empresta a Deus. Mais vale um cachorro amigo do que um amigo cachorro. Cada cabeça, uma sentença. Longe dos olhos, perto do coração. O que os olhos não vêem, o coração não padece. Quem foi rei nunca perde a majestade. As roupas não fazem o homem. Depois da tempestade vem a bonança. Nunca deixes para amanhã o que podes fazer hoje. Um cão danado todos a ele. Nunca é tarde para aprender. Cachorro velho não aprende novos truques Boi velho não toma andadura. Quem cedo madruga acha o que comer. Deus ajuda a quem madruga. Não é por muito madrugar que amanhece mais cedo. Ruim com ele, pior sem ele. Antes só, do que mal acompanhado. Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura. A água silenciosa é a mais perigosa. A águia não se entretém caçando moscas. Cão que ladra, não morde. Com um só golpe, não se derruba uma árvore. Em boca fechada não entra mosca. Em cavalo dado não se olham os dentes. Em terra de cegos, quem tem um olho é rei. Quem com ferro fere, com ferro será ferido. Não se faz omeletes, sem quebrar ovos. Nem tudo que reluz é ouro.

PLANEJAMENTO (Cantiga de Roda /Trava-língua /Adivinhas)

PLANEJAMENTO (Cantiga de Roda /Trava-língua /Adivinhas) PLANEJAMENTO (Cantiga de Roda /Trava-língua /Adivinhas) Professora: Juceli Pola Competências Objetivo Geral Objetivos Específicos Leitura; oralidade; memória; raciocínio; ritmo; dramatização. * Proporcionar

Leia mais

Trava-línguas. CONSULTORAS Patrícia Corsino e Hélen A. Queiroz

Trava-línguas. CONSULTORAS Patrícia Corsino e Hélen A. Queiroz Trava-línguas CONSULTORAS Patrícia Corsino e Hélen A. Queiroz SINOPSE geral da série Chico, 6 anos, adora passar as tardes na estamparia de fundo de quintal do seu avô. Nela, Vô Manu construiu um Portal

Leia mais

Público-alvo: Ampliar o conhecimento que os alunos já possuem sobre o alfabeto. Identificar palavras de acordo com a letra inicial solicitada.

Público-alvo: Ampliar o conhecimento que os alunos já possuem sobre o alfabeto. Identificar palavras de acordo com a letra inicial solicitada. PROPOSTA DIDÁTICA Tema: Público-alvo: Duração: Área de conhecimento envolvida: Abordagem de tema transversal: Trabalho com o Alfabeto Professores do 1º ano 7 aulas Língua Portuguesa Pluralidade Cultural

Leia mais

Composição de pequenas músicas a partir de outras já existentes e de versos; a partir de objetos, da voz, do corpo, do silêncio.

Composição de pequenas músicas a partir de outras já existentes e de versos; a partir de objetos, da voz, do corpo, do silêncio. MÚSICA A música é uma linguagem expressiva importante a ser incentivada desde os primeiros anos de vida. O trabalho com música na escola de Educação Infantil deve respeitar as diferenças regionais e suas

Leia mais

DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE

DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE PIRACICABA DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE SUGESTÃO DE ATIVIDADES DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE COMO UM TEMA TRANSVERSAL, PERMEANDO AS OUTRAS ÁREAS

Leia mais

Cantigas e parlendas

Cantigas e parlendas Cantigas e parlendas Professora Carolina Nome: 1 Alfabetário 2 A vela Isabel Cristina O pato viu a vela e ficou com medo do fogo. O gato viu a vela e gostou do fogo. A foca viu a vela e ficou com medo

Leia mais

CD EU QUERO DEUS. 01- EU QUERO DEUS (Irmã Carol) 02- SIM, SIM, NÃO, NÃO (Irmã Carol)

CD EU QUERO DEUS. 01- EU QUERO DEUS (Irmã Carol) 02- SIM, SIM, NÃO, NÃO (Irmã Carol) CD EU QUERO DEUS 01- EU QUERO DEUS (Irmã Carol) EU QUERO DEUS \ EU QUERO DEUS SEM DEUS EU NÃO SOU NADA EU QUERO DEUS Deus sem mim é Deus \ Sem Deus eu nada sou Eu não posso viver sem Deus \ Viver longe

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

Parlenda 1, 2 Feijão com Arroz

Parlenda 1, 2 Feijão com Arroz Parlenda 1, 2 Feijão com Arroz Um dois Feijão com arroz Três, quatro Feijão no prato Cinco, seis Bolo inglês Sete, oito Comer biscoito Nove, dez Comer pastéis Parlenda A-do-le-tá A-do-le-tá Le-pe-ti Pe-ti-pe-tá

Leia mais

MINHA PRIMEIRA BIBLIOTECA

MINHA PRIMEIRA BIBLIOTECA CADERNO DE ATIVIDADES PRÉ-ESCOLA I PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO GERÊNCIA DE EDUCAÇÃO INFANTIL MINHA PRIMEIRA

Leia mais

Rimas infantis. Era uma vez um gato maltês. Tocava piano Falava francês. Queres que te conte outra vez?

Rimas infantis. Era uma vez um gato maltês. Tocava piano Falava francês. Queres que te conte outra vez? Rimas infantis Era uma vez um gato maltês. Tocava piano Falava francês. Queres que te conte outra vez? Arre, burrito, p ra casa do padrinho, levar o azeite e trazer o vinhinho. Arre, burrito, p ra São

Leia mais

Cartilha das Brincadeiras

Cartilha das Brincadeiras Cartilha das Brincadeiras Amarelinha (academia, escada, macaca, sapata) Primeiro desenhe no chão um diagrama como este aí ao lado. Quem for jogar fica no inferno e lança uma pedra, mirando no número 1.

Leia mais

MINHA PRIMEIRA BIBLIOTECA

MINHA PRIMEIRA BIBLIOTECA CADERNO DE ATIVIDADES PRÉ-ESCOLA II PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO GERÊNCIA DE EDUCAÇÃO INFANTIL MINHA PRIMEIRA

Leia mais

L0NGE, atrás em monte, sol cair e céu ficar em fogo. Fraco, Eu

L0NGE, atrás em monte, sol cair e céu ficar em fogo. Fraco, Eu 5 L0NGE, atrás em monte, sol cair e céu ficar em fogo. Fraco, Eu subir monte, pés d Eu molhados em erva fria. Não haver erva em cima em monte. Só haver terra, em volta, monte como cabeça de homem sem cabelo.

Leia mais

Relatório de Grupo. 1º Semestre/2015

Relatório de Grupo. 1º Semestre/2015 Relatório de Grupo 1º Semestre/2015 Turma: Maternal B Professora: Larissa Galvão de Lima Professora auxiliar: Giseli Jancoski Floriano Coordenação: Lucy Ramos Torres Professora: Eleonora Dantas Brum Professora

Leia mais

Projeto Folclore. 5º ano Fundamento I. Justificativa

Projeto Folclore. 5º ano Fundamento I. Justificativa Projeto Folclore 5º ano Fundamento I Justificativa Este projeto pretende colaborar com a preservação do patrimônio cultural e histórico brasileiro. O Brasil é um país que possui uma pluralidade cultural

Leia mais

MATERIAL DE APOIO DO INFANTIL I - 2º SEMESTRE

MATERIAL DE APOIO DO INFANTIL I - 2º SEMESTRE Prefeitura da Estância Balneária de Praia Grande Estado de São Paulo SECRETARIA DE EDUCAÇÃO NOME DO ALUNO: MATERIAL DE APOIO DO INFANTIL I - 2º SEMESTRE ESCOLA MUNICIPAL NOME: INFANTIL I PROFESSOR (A):

Leia mais

3. Encaminhamento metodológico e sugestões de atividades complementares

3. Encaminhamento metodológico e sugestões de atividades complementares 3. Encaminhamento metodológico e sugestões de atividades complementares UNIDADE 1 BICHO E GENTE, CADA UM TEM UM JEITO DIFERENTE! A proposta deste tema é estimular a criança a perceber as diferenças existentes

Leia mais

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak Entrevista com Ezequiel Quem é você? Meu nome é Ezequiel, sou natural do Rio de Janeiro, tenho 38 anos, fui

Leia mais

Aprender linguagem > 18 meses a 3 anos > 1. VOCABULÁRIO. Primeiras palavras. Vamos acompanhar

Aprender linguagem > 18 meses a 3 anos > 1. VOCABULÁRIO. Primeiras palavras. Vamos acompanhar Aprender linguagem > 18 meses a 3 anos > 1. VOCABULÁRIO Primeiras palavras. Vamos acompanhar 1 Aprender linguagem > 18 meses a 3 anos > 1. VOCABULÁRIO > 1.1. Vamos acompanhar 01. Aproxima-se de 50 palavras?

Leia mais

NÚCLEO DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL NTE VARGINHA PROJETO IDENTIDADE

NÚCLEO DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL NTE VARGINHA PROJETO IDENTIDADE Projeto Identidade Quem sou eu??? NÚCLEO DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL NTE VARGINHA PROJETO IDENTIDADE ELABORAÇÃO: Míria Azevedo de Lima Bartelega --------------------------------Agosto / 2010 I A Questão

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO 1

PROJETO PEDAGÓGICO 1 PROJETO PEDAGÓGICO 1 Projeto Pedagógico Por Beatriz Tavares de Souza* Título: Maricota ri e chora Autor: Mariza Lima Gonçalves Ilustrações: Andréia Resende Formato: 20,5 cm x 22 cm Número de páginas: 32

Leia mais

1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar

1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar 1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar nosso amor 4. Porque a gente discute nossos problemas

Leia mais

O trabalho com as cantigas e parlendas

O trabalho com as cantigas e parlendas O trabalho com as cantigas e parlendas nós na sala de aula - módulo: língua portuguesa 1º ao 3º ano - unidade 4 Cantigas e parlendas ajudam a introduzir a criança no mundo da leitura. Isso porque são textos

Leia mais

ACOMPANHE O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA

ACOMPANHE O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA ACOMPANHE O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA 1 Mês: Sucção vigorosa Levanta a cabeça e rasteja as pernas, se deitado de frente Sustenta a cabeça momentaneamente Preensão de objetos que vão à mão Aquieta-se com

Leia mais

Prefeitura Municipal de Curitiba Secretaria Municipal da Educação Departamento de Ensino Fundamental Núcleo Regional da Educação - Portão

Prefeitura Municipal de Curitiba Secretaria Municipal da Educação Departamento de Ensino Fundamental Núcleo Regional da Educação - Portão Prefeitura Municipal de Curitiba Secretaria Municipal da Educação Departamento de Ensino Fundamental Núcleo Regional da Educação - Portão Sequência didática para o 2º ano, observando-se os descritores

Leia mais

Histórias Tradicionais Portuguesas. Alice Vieira AS MOEDAS DE OURO. Autora: Lina. Publicado em: www.escolovar.org

Histórias Tradicionais Portuguesas. Alice Vieira AS MOEDAS DE OURO. Autora: Lina. Publicado em: www.escolovar.org Histórias Tradicionais Portuguesas Alice Vieira AS MOEDAS DE OURO DE PINTO PINTÃO VAMOS CONHECER O LIVRO A CAPA A CONTRACAPA A LOMBADA Observa a capa do livro e responde: 1.Título 2. Nome da autora 3.

Leia mais

PROJETO DE LEITURA PRÉ-LEITURA

PROJETO DE LEITURA PRÉ-LEITURA PROJETO DE LEITURA PRÉ-LEITURA ATIVIDADES ANTERIORES À LEITURA INTENÇÃO: LEVANTAR HIPÓTESES SOBRE A AUTORA, SOBRE O LIVRO, INSTIGAR A CURIOSIDADE E AMPLIAR O REPERTÓRIO DO ALUNO Para o professor Ou isto

Leia mais

Texto 1 PRA DAR NO PÉ (Pedro Antônio de Oliveira)

Texto 1 PRA DAR NO PÉ (Pedro Antônio de Oliveira) PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS BANCO DE QUESTÕES - LÍNGUA PORTUGUESA - 3 ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ========================================================================== Texto 1 PRA DAR NO PÉ (Pedro

Leia mais

Adivinhas. CONSULTORAS Patrícia Corsino e Hélen A. Queiroz

Adivinhas. CONSULTORAS Patrícia Corsino e Hélen A. Queiroz Adivinhas CONSULTORAS Patrícia Corsino e Hélen A. Queiroz SINOPSE geral da série Chico, 6 anos, adora passar as tardes na estamparia de fundo de quintal do seu avô. Nela, Vô Manu construiu um Portal por

Leia mais

Laranja-fogo. Cor-de-céu

Laranja-fogo. Cor-de-céu Laranja-fogo. Cor-de-céu Talita Baldin Eu. Você. Não. Quero. Ter. Nome. Voz. Quero ter voz. Não. Não quero ter voz. Correram pela escada. Correram pelo corredor. Espiando na porta. Olho de vidro para quem

Leia mais

O porco é fisicamente incapaz de olhar o céu. ( 7 )

O porco é fisicamente incapaz de olhar o céu. ( 7 ) O porco é fisicamente incapaz de olhar o céu. Isso o Ricardo me disse quando a gente estava voltando do enterro do tio Ivan no carro da mãe, que dirigia de óculos escuros apesar de não fazer sol. Eu tinha

Leia mais

APÊNDICE A - Músicas

APÊNDICE A - Músicas APÊNDICE A - Músicas Músicas 1 GUT GUT SEM PARAR Adaptação ao meio líquido Bebeu a água da piscina toda Fui ver quem era, era o João Ele bebia a água da piscina Ele fazia gut gut gut gut gut sem parar

Leia mais

MEDITAÇÃO SALA LARANJA SEMANA 16 QUEDA E MALDIÇÃO Nome: Professor: Rebanho

MEDITAÇÃO SALA LARANJA SEMANA 16 QUEDA E MALDIÇÃO Nome: Professor: Rebanho MEDITAÇÃO SALA LARANJA SEMANA 16 QUEDA E MALDIÇÃO Nome: Professor: Rebanho VERSÍCULOS PARA DECORAR ESTA SEMANA Usamos VERSÍCULOS a Bíblia na PARA Nova DECORAR Versão Internacional ESTA SEMANA NVI Usamos

Leia mais

NOVE SEGREDOS SOBRE A MANHÃ

NOVE SEGREDOS SOBRE A MANHÃ NOVE SEGREDOS SOBRE A MANHÃ 1 Prefácio A página está em branco e não é página digna do nome que lhe dou. É vidro. Écran. Tem luz baça e fere os olhos pretos. Eu tenho demasiado sono para escrever papel.

Leia mais

INSTRUÇÕES GERAIS SOBRE A PROVA. Esta prova é constituída por duas partes, separadas por um intervalo de 30 minutos. 1.ª Parte (45 minutos)

INSTRUÇÕES GERAIS SOBRE A PROVA. Esta prova é constituída por duas partes, separadas por um intervalo de 30 minutos. 1.ª Parte (45 minutos) PA-LP 3 INSTRUÇÕES GERAIS SOBRE A PROVA Esta prova é constituída por duas partes, separadas por um intervalo de 30 minutos. 1.ª Parte (45 minutos) Durante este tempo, vais ler, com muita atenção, um texto

Leia mais

copyright Todos os direitos reservados

copyright Todos os direitos reservados 1 2 Espaço das folhas 3 copyright Todos os direitos reservados 4 Autor Jorge Luiz de Moraes Minas Gerais 5 6 Introdução Folha é apenas uma folha, uma branca cor cheia de paz voltada para um querer, um

Leia mais

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar MELHORES MOMENTOS Expressão de Louvor Acordar bem cedo e ver o dia a nascer e o mato, molhado, anunciando o cuidado. Sob o brilho intenso como espelho a reluzir. Desvendando o mais profundo abismo, minha

Leia mais

Viva a Vida. Patrícia Engel Secco. Ilustrações Maria Eugênia

Viva a Vida. Patrícia Engel Secco. Ilustrações Maria Eugênia Viva a Vida Patrícia Engel Secco Ilustrações Maria Eugênia Viva a Vida Patrícia Engel Secco Ilustrações Maria Eugênia Olá, você se lembra de mim? Eu sou a Emengarda do Forro da Escola, uma coruja muito

Leia mais

PROJETO ANIMAIS. 1. Tema: O mundo dos animais. Área de abrangência: 2. Duração: 01/06 a 30/06. 3. Apresentação do projeto:

PROJETO ANIMAIS. 1. Tema: O mundo dos animais. Área de abrangência: 2. Duração: 01/06 a 30/06. 3. Apresentação do projeto: PROJETO ANIMAIS 1. Tema: O mundo dos animais Área de abrangência: (x) Movimento (x) Musicalização (x) Artes Visuais (x) Linguagem Oral e Escrita (x) Natureza e Sociedade (x) Matemática 2. Duração: 01/06

Leia mais

DONA ARANHA ELA É TEIMOSA E DESOBEDIENTE SOBE, SOBE, SOBE NUNCA ESTÁ CONTENTE

DONA ARANHA ELA É TEIMOSA E DESOBEDIENTE SOBE, SOBE, SOBE NUNCA ESTÁ CONTENTE DONA ARANHA A DONA ARANHA SUBIU PELA PAREDE VEIO A CHUVA FORTE E A DERRUBOU JÁ PASSOU A CHUVA E O SOL JÁ VAI SURGINDO E A DONA ARANHA NA PAREDE VAI SUBINDO ELA É TEIMOSA E DESOBEDIENTE SOBE, SOBE, SOBE

Leia mais

Por que é importante planejar o fazer didático?

Por que é importante planejar o fazer didático? SECRETARIA DA EDUCAÇÃO BÁSICA SEDUC COORDENADORIA DE COOPERAÇÃO COM OS MUNICÍPIOS - COPEM PROGRAMA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA PAIC ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS PARA O 1º ANO Caro professor (a), Iniciamos mais

Leia mais

EDUARDO PAES PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO CLAUDIA COSTIN SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGINA HELENA DINIZ BOMENY SUBSECRETARIA DE ENSINO

EDUARDO PAES PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO CLAUDIA COSTIN SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGINA HELENA DINIZ BOMENY SUBSECRETARIA DE ENSINO EDUARDO PAES PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO CLAUDIA COSTIN SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGINA HELENA DINIZ BOMENY SUBSECRETARIA DE ENSINO MARIA DE NAZARETH MACHADO DE BARROS VASCONCELLOS COORDENADORIA

Leia mais

Para gostar de pensar

Para gostar de pensar Rosângela Trajano Para gostar de pensar Volume III - 3º ano Para gostar de pensar (Filosofia para crianças) Volume III 3º ano Para gostar de pensar Filosofia para crianças Volume III 3º ano Projeto editorial

Leia mais

Formação de PROFESSOR EU ME DECLARO CRIANÇA

Formação de PROFESSOR EU ME DECLARO CRIANÇA Formação de PROFESSOR EU ME DECLARO CRIANÇA 1 Especial Formação de Professor Por Beatriz Tavares de Souza* Apresentação O livro apresenta os princípios da Declaração Universal dos Direitos da Criança.

Leia mais

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Escola Municipal de Ensino Fundamental David Canabarro Florianópolis, 3892 Mathias Velho/Canoas Fone: 34561876/emef.davidcanabarro@gmail.com DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Nome: Stefani do Prado Guimarães Ano

Leia mais

JORNAL ANIMAL TIRINHAS

JORNAL ANIMAL TIRINHAS JORNAL ANIMAL 26 DE SETEMBTO DE 2011 ESTE JORNAL FOI PRODUZIDO PELOS ALUNOS DOS 2os ANOS DA ESCOLA MUNICIPAL 25 DE MARÇO COM AUXÍLIO DAS PROFESSORAS MÁRCIA E LUCIANE. O OBJETIVO DESTE TRABALHO É INCENTIVAR

Leia mais

Centro Educacional Souza Amorim Jardim Escola Gente Sabida Sistema de Ensino PH Vila da Penha. Ensino Fundamental

Centro Educacional Souza Amorim Jardim Escola Gente Sabida Sistema de Ensino PH Vila da Penha. Ensino Fundamental Centro Educacional Souza Amorim Jardim Escola Gente Sabida Sistema de Ensino PH Vila da Penha Ensino Fundamental Turma: PROJETO INTERPRETA AÇÂO (INTERPRETAÇÃO) Nome do (a) Aluno (a): Professor (a): DISCIPLINA:

Leia mais

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997.

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. 017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. Acordei hoje como sempre, antes do despertador tocar, já era rotina. Ao levantar pude sentir o peso de meu corpo, parecia uma pedra. Fui andando devagar até o banheiro.

Leia mais

Programa de Incentivo à Leitura Infantil Revista EBD Aprender+ 3º Tri 2015: Reis de Israel

Programa de Incentivo à Leitura Infantil Revista EBD Aprender+ 3º Tri 2015: Reis de Israel O PIL KIDS foi desenvolvido para ajudar na fixação das lições das revistas EBD infantil da Editora Betel de forma lúdica e contém várias atividades semanais elaboradas dentro de uma perspectiva e linguagem

Leia mais

Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo

Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo Autora: Tell Aragão Personagens: Carol (faz só uma participação rápida no começo e no final da peça) Mãe - (só uma voz ela não aparece) Gigi personagem

Leia mais

SEGREDO NO CAIR DA TARDE

SEGREDO NO CAIR DA TARDE SEGREDO NO CAIR DA TARDE Ele chegou a galope, num alazão que eu não conhecia. Depois o alazão ergueu-se em duas patas e desapareceu e meu irmão também desapareceu. Fazia tempo que eu o chamava e ele não

Leia mais

2010 PRÊMIO CORUJA DO SERTÃO 2ª FASE - REDAÇÃO

2010 PRÊMIO CORUJA DO SERTÃO 2ª FASE - REDAÇÃO 2010 PRÊMIO CORUJA DO SERTÃO 2ª FASE - REDAÇÃO NOME: Jaguarari, outubro de 2010. CADERNO DO 6º E 7º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 2010 Numa carta de Papai Noel destinada às crianças, ele comunica que não será

Leia mais

Sugestão de planejamento anual para a classe de alfabetização:

Sugestão de planejamento anual para a classe de alfabetização: Sugestão de planejamento anual para a classe de alfabetização: O planejamento que se segue está dividido em semanas durante o ano letivo e nele constam apenas os conteúdos. Cabe ao professor (ou a equipe

Leia mais

Projetos. Outubro 2012

Projetos. Outubro 2012 Projetos Outubro 2012 Assunto de gente grande para gente pequena. No mês de outubro os brasileiros foram às urnas para eleger prefeitos e vereadores e a Turma da Lagoa não poderia ficar fora deste grande

Leia mais

Alfabetização e Letramento

Alfabetização e Letramento Alfabetização e Letramento Material Teórico A Escrita no Processo de Alfabetização Responsável pelo Conteúdo e Revisor Textual: Profª. Ms Denise Jarcovis Pianheri Unidade A Escrita no Processo de Alfabetização

Leia mais

E ra bonita a tartaruguinha. Forte, pernas roliças, tinha

E ra bonita a tartaruguinha. Forte, pernas roliças, tinha E ra bonita a tartaruguinha. Forte, pernas roliças, tinha um verde que saía da metade do casco e se espalhava manso até a beirada. Viviam dizendo que ela era lerda, preguiçosa até. É preciso reconhecer

Leia mais

Geração Graças Peça: O livro das Parábolas A parábola do tesouro escondido (Mt 13:44)

Geração Graças Peça: O livro das Parábolas A parábola do tesouro escondido (Mt 13:44) Geração Graças Peça: O livro das Parábolas A parábola do tesouro escondido (Mt 13:44) Autora: Tell Aragão Colaboração: Marise Lins Personagens Menina Zé Bonitinho +++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Leia mais

HISTÓRIA DE SÃO PAULO. Alunos: Tatiana Santos Ferreira, Joyce Cruvello Barroso, Jennifer Cristine Silva Torres dos Santos, Sabrina Cruz. 8ª série.

HISTÓRIA DE SÃO PAULO. Alunos: Tatiana Santos Ferreira, Joyce Cruvello Barroso, Jennifer Cristine Silva Torres dos Santos, Sabrina Cruz. 8ª série. EE Bento Pereira da Rocha HISTÓRIA DE SÃO PAULO Alunos: Tatiana Santos Ferreira, Joyce Cruvello Barroso, Jennifer Cristine Silva Torres dos Santos, Sabrina Cruz. 8ª série. História 1 CENA1 Mônica chega

Leia mais

CAMINHOS. Caminhos (Prov. 14:12) Paulo Cezar e Jayro T. Gonçalves

CAMINHOS. Caminhos (Prov. 14:12) Paulo Cezar e Jayro T. Gonçalves CAMINHOS Caminhos (Prov. 14:12) Paulo Cezar e Jayro T. Gonçalves Posso pensar nos meus planos Pros dias e anos que, enfim, Tenho que, neste mundo, Minha vida envolver Mas plenas paz não posso alcançar.

Leia mais

Concurso Literário. O amor

Concurso Literário. O amor Concurso Literário O Amor foi o tema do Concurso Literário da Escola Nova do segundo semestre. Durante o período do Concurso, o tema foi discutido em sala e trabalhado principalmente nas aulas de Língua

Leia mais

Atividades Pedagógicas. Abril2014

Atividades Pedagógicas. Abril2014 Atividades Pedagógicas Abril2014 III A JOGOS DIVERTIDOS Fizemos dois campeonatos com a Turma da Fazenda, o primeiro com o seguinte trajeto: as crianças precisavam pegar água em um ponto e levar até o outro,

Leia mais

Levantando o Mastro CD 02. Bom Jesus da Cana Verde. Divino Espírito Santo Dobrado. Areia areia

Levantando o Mastro CD 02. Bom Jesus da Cana Verde. Divino Espírito Santo Dobrado. Areia areia CD 02 Bom Jesus da Cana Verde [ai bom Jesus da Cana Verde é nosso pai, é nosso Deus (bis)] ai graças a Deus para sempre que tornamos a voltar ai com o mesmo Pombo Divino da glória celestial ai Meu Divino

Leia mais

Programa de Incentivo à Leitura Infantil Revista EBD Aprender+ 4º Tri 2015: A Vida de Jesus

Programa de Incentivo à Leitura Infantil Revista EBD Aprender+ 4º Tri 2015: A Vida de Jesus O PIL KIDS foi desenvolvido para ajudar na fixação das lições das revistas EBD infantil da Editora Betel de forma lúdica e contém várias atividades semanais elaboradas dentro de uma perspectiva e linguagem

Leia mais

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL 1. TÍTULO DO PROGRAMA As Letrinhas Mágicas 2. EPISÓDIO(S) TRABALHADO(S): Descendo as Corredeiras 3. SINOPSE DO(S) EPISÓDIO(S) ESPECíFICO(S) O episódio Descendo as Corredeiras

Leia mais

Anexo 1: Jogos da dramatização e exercícios

Anexo 1: Jogos da dramatização e exercícios Anexo 1: Jogos da dramatização e exercícios Charadas Charadas é um jogo relativamente famoso em alguns lugares. Pode ser jogado de forma sentação de um tema por um indivíduo ou por um grupo. jogo. Eles

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES PRÉ-ESCOLA II

CADERNO DE ATIVIDADES PRÉ-ESCOLA II FotoHelio Melo FotoHelio Melo EM JI ANÍBAL MACHADO PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Secretaria Municipal de Educação Subsecretaria de Ensino Coordenadoria de Educação Gerência de Educação Infantil

Leia mais

QUASE NADA Peça de Marcos Barbosa marcosbarbosa@hotmail.com

QUASE NADA Peça de Marcos Barbosa marcosbarbosa@hotmail.com QUASE NADA Peça de Marcos Barbosa marcosbarbosa@hotmail.com Antônio, Sara, Vânia e César. Sala da casa de Antônio e Sara. 1 Um longo silêncio. ANTÔNIO. Vai me deixar falando sozinho? Sara o fita e fica

Leia mais

PERTO DE TI AUTOR: SILAS SOUZA MAGALHÃES. Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma.

PERTO DE TI AUTOR: SILAS SOUZA MAGALHÃES. Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma. PERTO DE TI Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma. Jesus! Perto de ti, sou mais e mais. Obedeço a tua voz. Pois eu sei que tu és Senhor, o

Leia mais

Tema: Quatro Pecados Contaminantes

Tema: Quatro Pecados Contaminantes Tema: Quatro Pecados Contaminantes Data: 01.11.14 Culto: Sábado Pr. Leandro Hoje o mundo está à mercê do vírus ebola que é um vírus extremamente contaminante, porém há algo mais contaminante que este vírus

Leia mais

PARA SABER MAIS. Consulte o site do IAB www.alfaebeto.org.br COLEÇÃO PEQUENOS LEITORES GUIA DE LEITURA. Cabe aqui na minha mão!

PARA SABER MAIS. Consulte o site do IAB www.alfaebeto.org.br COLEÇÃO PEQUENOS LEITORES GUIA DE LEITURA. Cabe aqui na minha mão! CLÁUDIO MARTINS & MAURILO ANDREAS PARA SABER MAIS Consulte o site do IAB www.alfaebeto.org.br COLEÇÃO PEQUENOS LEITORES LÚCIA HIRATSUKA JASON GARDNER Priscilla Kellen Cabe aqui na minha mão! Frutas GUIA

Leia mais

PARA SABER MAIS. Consulte o site do IAB www.alfaebeto.org.br COLEÇÃO PEQUENOS LEITORES GUIA DE LEITURA. Cabe aqui na minha mão!

PARA SABER MAIS. Consulte o site do IAB www.alfaebeto.org.br COLEÇÃO PEQUENOS LEITORES GUIA DE LEITURA. Cabe aqui na minha mão! CLÁUDIO MARTINS & MAURILO ANDREAS PARA SABER MAIS Consulte o site do IAB www.alfaebeto.org.br COLEÇÃO PEQUENOS LEITORES LÚCIA HIRATSUKA JASON GARDNER Priscilla Kellen Cabe aqui na minha mão! Frutas GUIA

Leia mais

Unidade 01- Estamos apenas começando Deus criou, eu cuidarei

Unidade 01- Estamos apenas começando Deus criou, eu cuidarei Olhando as peças Histórias de Deus:Gênesis-Apocalipse 3 a 6 anos Unidade 01- Estamos apenas começando Deus criou, eu cuidarei O velho testamento está cheio de histórias que Deus nos deu, espantosas e verdadeiras.

Leia mais

PEDRO, TIAGO E JOÃO NO BARQUINHO ISRC BR MKP 1300330 Domínio Público

PEDRO, TIAGO E JOÃO NO BARQUINHO ISRC BR MKP 1300330 Domínio Público PEDRO, TIAGO E JOÃO NO BARQUINHO ISRC BR MKP 1300330 Domínio Público Pedro, Tiago, João no barquinho Os três no barquinho no mar da Galiléia Jogaram a rede Mas não pegaram nada Tentaram outra vez E nada

Leia mais

16 CARLOS RODRIGUES BRANDÃO

16 CARLOS RODRIGUES BRANDÃO 16 CARLOS RODRIGUES BRANDÃO 1 a Começa assim Este jogo começa com todos os participantes procurando as PA LAVRAS SEMENTES. E isso não é nada difícil! Basta as pessoas que vão jogar o jogo saírem conversando

Leia mais

RESGATANDO O FOLCLORE BRASILEIRO

RESGATANDO O FOLCLORE BRASILEIRO RESGATANDO O FOLCLORE BRASILEIRO Autora: Patrícia da Silveira Souza E-mail: patbzt@cabangu.com.br A escola deve estar também comprometida com nossa cultura, resgatando nossos valores, tradições e costumes;

Leia mais

MEU TIO MATOU UM CARA

MEU TIO MATOU UM CARA MEU TIO MATOU UM CARA M eu tio matou um cara. Pelo menos foi isso que ele disse. Eu estava assistindo televisão, um programa idiota em que umas garotas muito gostosas ficavam dançando. O interfone tocou.

Leia mais

Qual é a coisa qual é ela: Que antes de o ser já o era? Castanha. Azeitona. Ovo. Cebola. Castanha. Pão. Pescada

Qual é a coisa qual é ela: Que antes de o ser já o era? Castanha. Azeitona. Ovo. Cebola. Castanha. Pão. Pescada Tem a casa bem guardada Ninguém lhe pode mexer Sozinha ou acompanhada Em Novembro nos vem ver. Verde foi meu nascimento Mas de luto me vesti Para dar luz ao mundo Mil tormentos padeci Uma caixa redondinha

Leia mais

GRUPOS NIVEL SUBNÍVEL INSTRUÇÃO RESPOSTA

GRUPOS NIVEL SUBNÍVEL INSTRUÇÃO RESPOSTA JOGO 1 NIVEL 1 Exemplos de instruções e respostas que podem ser utilizadas nos oito contextos. CONTEXTUALIZAÇÃO DESENVOLVER A COMPREENSÃO SEMÂNTICA AUMENTO DO VOCABULÁRIO VISUAL IDENTIFICAÇÃO DE ELEMENTOS

Leia mais

CANTOS - Novena de Natal

CANTOS - Novena de Natal 1 1 - Refrão Meditativo (Ritmo: Toada) D A7 D % G Em A7 % Onde reina o amor, frater---no amor. D A7 D % G A7 D Onde reina o amor, Deus aí está! 2 - Deus Trino (Ritmo: Balada) G % % C Em nome do Pai / Em

Leia mais

Historinhas para ler durante a audiência dos pais. Pio Giovani Dresch

Historinhas para ler durante a audiência dos pais. Pio Giovani Dresch Historinhas para ler durante a audiência dos pais Pio Giovani Dresch Historinhas para ler durante a audiência dos pais Pio Giovani Dresch Ilustrações: Santiago Arte: www.espartadesign.com.br Contatos

Leia mais

A Fé do Pardal (Craig Hill)

A Fé do Pardal (Craig Hill) A Fé do Pardal (Craig Hill) Mateus 6:24 Um escravo não pode servir a dois donos ao mesmo tempo, pois vai rejeitar um e preferir o outro, ou será fiel a um e desprezará o outro. Vocês não podem servir a

Leia mais

Programa de Incentivo à Leitura Infantil Revista EBD Aprender+ 1º Tri 2016: O Ministério de Jesus

Programa de Incentivo à Leitura Infantil Revista EBD Aprender+ 1º Tri 2016: O Ministério de Jesus O PIL KIDS foi desenvolvido para ajudar na fixação das lições das revistas EBD infantil da Editora Betel de forma lúdica e contém várias atividades semanais elaboradas dentro de uma perspectiva e linguagem

Leia mais

Avaliação diagnóstica da alfabetização 1 AQUISIÇÃO DO SISTEMA DE ESCRITA

Avaliação diagnóstica da alfabetização 1 AQUISIÇÃO DO SISTEMA DE ESCRITA Avaliação diagnóstica da alfabetização 1 http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/proletr/fasciculo_port.pdf Antônio Augusto Gomes Batista Ceris S. Ribas Silva Maria das Graças de Castro Bregunci Maria

Leia mais

7 Tal pai, tal filho. Acabada a assembléia da comunidade de. Cenatexto

7 Tal pai, tal filho. Acabada a assembléia da comunidade de. Cenatexto JANELA A U L A 7 Tal pai, tal filho Cenatexto Acabada a assembléia da comunidade de Júpiter da Serra, em que se discutiu a expansão da mineradora, dona Ana volta para casa com o Samuel, seu garotinho.

Leia mais

IGREJA PENTECOSTAL DO EVANGELHO PLENO Ministério de Avivamento Mundial Maranatha

IGREJA PENTECOSTAL DO EVANGELHO PLENO Ministério de Avivamento Mundial Maranatha TREINAMENTO DE PROFESSORES DA ESCOLA BÍBLICA INFANTIL Provérbios 22: 6 Instrui o menino no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele. Objetivos da EBD Infantil: A EBD infantil

Leia mais

Memorização de versículos

Memorização de versículos Memorização de versículos Objetivo: reconhecer a importância e a necessidade de memorizar as Escrituras em nossa vida cristã e conhecer recursos e técnicas para aplicação em sala de aula. Introdução John

Leia mais

1. Substitui as palavras assinaladas pelos sinónimos (ao lado) que consideres mais adequados.

1. Substitui as palavras assinaladas pelos sinónimos (ao lado) que consideres mais adequados. 1. Substitui as palavras assinaladas pelos sinónimos (ao lado) que consideres mais adequados. É bonita a história que acabaste de contar. Vou dar este livro ao Daniel, no dia do seu aniversário. Ele adora

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA. Sequência Didática II Brincadeira Amarelinha

RELATO DE EXPERIÊNCIA. Sequência Didática II Brincadeira Amarelinha ESCOLA MUNICIPAL JOSÉ EVARISTO COSTA RELATO DE EXPERIÊNCIA Sequência Didática II Brincadeira Amarelinha Professoras: Maria Cristina Santos de Campos. Silvana Bento de Melo Couto. Público Alvo: 3ª Fase

Leia mais

DATAS COMEMORATIVAS. FESTAS JUNINAS 12 de junho Santo Antônio 24 de junho São João 29 de junho São Pedro

DATAS COMEMORATIVAS. FESTAS JUNINAS 12 de junho Santo Antônio 24 de junho São João 29 de junho São Pedro FESTAS JUNINAS 12 de junho Santo Antônio 24 de junho São João 29 de junho São Pedro As festas juninas fazem parte da tradição católica, mas em muitos lugares essas festas perderam essa característica.

Leia mais

Plano de Aula LÍNGUA PORTUGUESA. Brincando com as palavras: parlenda

Plano de Aula LÍNGUA PORTUGUESA. Brincando com as palavras: parlenda Plano de Aula LÍNGUA PORTUGUESA Brincando com as palavras: parlenda Brincando com as palavras: parlenda. 09 p.; il. (Série Plano de Aula; Língua Portuguesa) ISBN: 1. Ensino Fundamental Português 2. Gramá

Leia mais

A primeira razão pela qual Jesus chamou os discípulos foi para que estivessem consigo para que tivesses comunhão com Ele.

A primeira razão pela qual Jesus chamou os discípulos foi para que estivessem consigo para que tivesses comunhão com Ele. 1 Marcos 3:13 «E (Jesus) subiu ao Monte e chamou para si os que ele quis; e vieram a ele. E nomeou doze para que estivessem com ele e os mandasse a pregar, e para que tivessem o poder de curar as enfermidades

Leia mais

AUTORES E ILUSTRADORES: FELIPE DE ROSSI GUERRA JULIA DE ANGELIS NOGUEIRA VOGES

AUTORES E ILUSTRADORES: FELIPE DE ROSSI GUERRA JULIA DE ANGELIS NOGUEIRA VOGES AUTORES E ILUSTRADORES: FELIPE DE ROSSI GUERRA JULIA DE ANGELIS NOGUEIRA VOGES 1ºC - 2011 APRESENTAÇÃO AO LONGO DESTE SEMESTRE AS CRIANÇAS DO 1º ANO REALIZARAM EM DUPLA UM TRABALHO DE PRODUÇÃO DE TEXTOS

Leia mais

Espero que você descanse, sentirei saudades. Prô, 2011.

Espero que você descanse, sentirei saudades. Prô, 2011. Pensar em férias significa pensar em nada de horários e mudanças na rotina. Férias é o momento que as crianças têm para fazer coisas que durante o período letivo não lhes é permitido. Deitam-se mais tarde

Leia mais

2- Nas frases a seguir estão destacadas quatro formas verbais de um mesmo verbo. Compare-as.

2- Nas frases a seguir estão destacadas quatro formas verbais de um mesmo verbo. Compare-as. FICHA DA SEMANA 5º ANO A / B Instruções: 1- Cada atividade terá uma data de realização e deverá ser entregue a professora no dia seguinte; 2- As atividades deverão ser copiadas e respondidas no caderno,

Leia mais

8º ANO ENSINO FUNDAMENTAL PORTUGUÊS GABARITO

8º ANO ENSINO FUNDAMENTAL PORTUGUÊS GABARITO 8º ANO ENSINO FUNDAMENTAL PORTUGUÊS GABARITO 1. A alternativa que melhor completa a frase abaixo é: Até agora, você queria conhecer os das coisas existentes. Daqui para a frente, acrescente outra pergunta:

Leia mais

Lista de Diálogo - Cine Camelô

Lista de Diálogo - Cine Camelô Lista de Diálogo - Cine Camelô Oi amor... tudo bem? Você falou que vinha. É, eu tô aqui esperando. Ah tá, mas você vai vir? Então tá bom vou esperar aqui. Tá bom? Que surpresa boa. Oh mano. Aguá! Bolha!

Leia mais

Colégio Sagrado Coração de Maria - Rio. Eu me remexo muito. E onde eu chego?

Colégio Sagrado Coração de Maria - Rio. Eu me remexo muito. E onde eu chego? Colégio Sagrado Coração de Maria - Rio Rua Tonelero, 56 Copacabana RJ site:www.redesagradorj.com.br / e-mail:cscm@redesagradorj.com.br Eu me remexo muito. E onde eu chego? Turma: Maternal II A Professora

Leia mais

Meditação Crianças de 10 a 11 anos NOME: DATA: 17/03/2013 A QUEDA. Versículos para Decorar (Estamos usando a Bíblia na Nova Versão Internacional NVI)

Meditação Crianças de 10 a 11 anos NOME: DATA: 17/03/2013 A QUEDA. Versículos para Decorar (Estamos usando a Bíblia na Nova Versão Internacional NVI) Meditação Crianças de 10 a 11 anos NOME: DATA: 17/03/2013 A QUEDA Versículos para Decorar (Estamos usando a Bíblia na Nova Versão Internacional NVI) 1 - Sei que sou pecador desde que nasci, sim, desde

Leia mais