DESENVOLVIMEN TO DE PROJETOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DESENVOLVIMEN TO DE PROJETOS"

Transcrição

1 DESENVOLVIMEN TO DE PROJETOS DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS LUIZA FAVALE

2 LUIZA FAVALE Formada em Audiovisual pela ECA/USP, com especialização em Produção de Cinema e Televisão pelo Instituto del Cine Madri/Espanha. Atua nas áreas de produção, produção executiva e roteiro. Há 9 anos trabalha na Glaz Entretenimento, onde atuou como coordenadora executiva nos filmes Copa de Elite, Odeio o Dia dos Namorados, e nas séries Historietas Assombradas para Crianças Malcriadas, Vida de Estagiário, entre outros. Desde 2012 ministra a disciplina Desenvolvimento de Projetos no curso de produção executiva da AIC-SP.

3 A IDÉIA DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS

4 DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS Idéia (VIDEO-PROJETO) -> O quê, em linhas gerais, pretendemos produzir. Desenvolvimento da Idéia (PROJETO) -> O quê exatamente pretendemos produzir e como! - Textos que deixem claro o que o curta-metragem vai ser. - Cronograma e Orçamento demonstrando como isso é possível dentro da verba e do tempo previstos pela SPCINE.

5 DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS O PROJETO DEVE CONTER O PLANEJAMENTO DE TODAS AS ETAPAS DE DO CURTA-METRAGEM, TANTO NOS ASPECTOS CRIATIVOS, QUANTO NOS ASPECTOS DE PRODUÇÃO/VIABILIZAÇÃO.

6 ANTES DE COMEÇAR Os textos a serem apresentados variam de acordo com a Linha em que cada projeto foi escrito. Não se esqueça de, antes de iniciar a escrita do Projeto, reler o Edital com especial atenção aos itens necessários para a Linha em que seu filme está concorrendo.

7 O QUE PRODUZIR? QUAIS OS TEXTOS A SEREM APRESENTADOS

8 LINHA 1 NÃO FICÇÃO E FICÇÃO COM TÉCNICAS DE ANIMAÇÃO I- Descrição e esboço dos personagens principais, incluindo os diferentes perfis psicológicos e as relações que estabelecem entre si, com até 02 páginas, no caso de ficção. Dica: As informações que interessam dos personagens são aquelas que se ligam à narrativa e ao conflito central do filme. Lembre-se que a idéia dos textos é explicar melhor o filme para quem está lendo, então não é necessário criar história pregressa e características que não tenham relação com o filme. Exemplo: JOÃO, 30 anos, funcionário de uma oficina mecânica. João é homem de poucas palavras, mas muito observador de seu entorno. Nutre uma paixão secreta por PAOLA, esposa do seu chefe CARLOS. Apesar de nunca ter sido um homem violento, essa paixão, escondida a muitos anos, vem crescendo e se tornando uma obsessão, capaz de leva-lo inclusive a matar.

9 LINHA 1 NÃO FICÇÃO E FICÇÃO COM TÉCNICAS DE ANIMAÇÃO II- Sugestão de estrutura da obra, a partir da estratégia de abordagem, e contextualização do objeto que será documentado, totalizando até 05 páginas, no caso não ficção. Como será a estrutura do filme? Quais serão os diferentes momentos do filme? Teremos pontos de virada, quais serão? Qual o objeto a ser documentado, e de que forma essa abordagem será realizada? Qual a estratégia para entrevistas/observação dos objetos? É importante deixar claro qual a história que se pretende contar, por meio da não ficção, e de que forma o documentarista vai abordar o tema. Dica: Você pode falar brevemente sobre o tema e sua importância, mas o principal é mostrar qual a abordagem sobre o tema, como isso será gravado, se haverá uma estrutura clara, etc. Também é interessante mostrar como e por que ocorrerá o uso de técnicas de animação.

10 LINHA 1 NÃO FICÇÃO E FICÇÃO COM TÉCNICAS DE ANIMAÇÃO III- Descrição do conceito visual e do estilo de direção de arte que será utilizado, com até 03 páginas. Explicar como será o visual do filme, por meio descrição do estilo dos artistas. Para ajudar, vale mencionar cores, estilo do traço, semelhanças com correntes artísticas, e se necessário inclusive fazer referência a outras obras de animação. Deve estar alinhado com os concept arts ou o storyboard que serão apresentados.

11 LINHA 2 - FICÇÃO LIVE ACTION : I- Sinopse, visão criativa e justificativa da obra audiovisual, com até 05 páginas. Sinopse: Resumo do enredo, possui informação sobre os protagonistas e o conflito. Pode ter o mesmo tom do filme. Visão Criativa: Qual a visão do realizador sobre a obra? Como será executado? Pode falar dos diferentes aspectos da direção cinematográfica: direção de câmera, direção de atores, arte, figurino, som, música, montagem, etc. Justificativa: O que no mundo real suscitou o filme? Qual discussão ele traz, e por que essa discussão é importante nos dias de hoje?

12 LINHA 2 - FICÇÃO LIVE ACTION : II- Roteiro detalhado, dividido em cenas e com diálogos desenvolvidos, com até 10 páginas. Excerto roteiro A Boneca e o Silêncio, Montanha Russa Prdouções

13 LINHA 3 - NÃO FICÇÃO LIVE ACTION, CURTA EXPERIMENTAL e CINEMA IMERSIVO I- Objeto que será documentado e a sua contextualização, totalizando até 03 páginas, no caso de live action. Explicação detalhada do objeto a ser documentado, contextualizando o por quê esse tema importa, e qual a razão de falar sobre isso nos dias atuais. II- Eleição e justificativa para a estratégia de abordagem: informações sobre a forma que o responsável criador irá se relacionar com o objeto, tais como modalidades de entrevista, modalidades de relação da câmera com o personagem, arquivos sonoros e/ou reais, reconstituição ficcional utilizando personagens reais; construção de paisagens sonoras e/ou imagens abstratas; introdução proposital de ruídos sonoros e/ou visuais; modalidades de locução sobre imagem; formas de tratamento dos materiais de visuais, etc., totalizando até 10 páginas, no caso de live action.

14 LINHA 3 - NÃO FICÇÃO LIVE ACTION, CURTA EXPERIMENTAL e CINEMA IMERSIVO III- Sugestão de Estrutura da obra, a partir da estratégia de abordagem, totalizando até 02 páginas, no caso de live action. Como será a estrutura do filme? Quais serão os diferentes momentos do filme? Teremos pontos de virada, quais serão? Qual o objeto a ser documentado, e de que forma essa abordagem será realizada? Qual a estratégia para entrevistas/observação dos objetos? É importante deixar claro qual a história que se pretende contar, por meio da não ficção, e de que forma o documentarista vai abordar o tema.

15 LINHA 3 - NÃO FICÇÃO LIVE ACTION, CURTA EXPERIMENTAL e CINEMA IMERSIVO IV- Proposta estética de curta experimental, totalizando até 10 páginas, no caso de curta experimental. Único texto para curta experimental. Tentar reunir nessas 10 páginas as principais informações sobre o filme, tentando dar ao leitor uma compreensão de qual será o resultado da obra, tanto em imagem, quanto em som. Vale colocar justificativa, referências estéticas, tudo que puder ajudar o júri a entender melhor a proposta apresentada.

16 LINHA 3 - NÃO FICÇÃO LIVE ACTION, CURTA EXPERIMENTAL e CINEMA IMERSIVO V- Proposta de recursos de cinema imersivo, totalizando até 05 páginas, no caso de cinema imersivo Único texto para cinema imersivo. Tentar reunir nessas 5 páginas as principais informações sobre o filme, qual a proposta, sinopse (se for o caso), justificativa, e explicitar como serão utilizados os recursos de cinema imersivo..

17 TODAS AS LINHAS Previsão de estratégia sobre distribuição/exibição da obra audiovisual: público-alvo e análise da viabilidade de distribuição em festivais, internet/ realidade virtual, salas de exibição, televisão aberta e/ou fechada, video on demand - VOD, telas não tradicionais ou outras janelas de exibição, com até 03 páginas. O que será feito do filme depois de pronto? Como o público terá acesso? Quais as principais janelas de exibição pretendidas, e por que? Quais os festivais que tem o perfil de sua obra? Haverá sessões especiais em lugares não tradicionais?

18 Desenvolvimento de Projetos CRONOGRAMA E ORÇAMENTO

19 Levantamento de necessidades A primeira coisa a fazer é levantar as necessidades do projeto, tente levar em conta o valor a ser colocado pelo Edital e o cronograma de realização com seus prazos máximos estipulados. Para levantar as necessidades, o ideal é fazer uma Análise Técnica a partir do roteiro (quando houver). Trata-se de um detalhamento de todos os personagens, locações, objetos e equipamento especial do filme.

20

21 Levantamento de necessidades É muito interessante pensar em um desenho de produção que caiba no tempo/dinheiro disponíveis. Algumas das perguntas para ajudar no dimensionamento do projeto: - Quanto tempo de pesquisa é necessária? Quantas pessoas? - Quantas diárias de filmagem? E de ensaio? - Quantas locações vamos precisar? E quantos atores? - Quantos artistas/ilustradores/animadores? - Qual o tamanho mínimo de equipe possível para este filme? - Temos alguma necessidade específica de pós produção? - Quais os materiais especiais necessários para nosso filme? - Para nossa história, qual elemento cinematográfico é mais fundamental/ vale a pena investir mais dos recursos.

22 CRONOGRAMA Antes de iniciar seu cronograma, não se esqueça de verificar qual o prazo máximo de entrega de seu filme para a SP CINE de acordo com o edital. A partir do prazo máximo, iniciaremos a realização do cronograma de trás pra frente.

23 CRONOGRAMA Prazos Máximos: Linha I 8 meses Linha II 6 meses Linha III 4 meses Como os prazos são curtos, o planejamento vai ser essencial. Considere já ter a equipe sondada e um orçamento já bastante pensado desde a proposição do PROJETO, para que o inicio da produção possa ser iniciada assim que sair o desembolso do Edital.

24 CRONOGRAMA Sugestão para a montagem de cronograma: Considere quais os deliveries vc precisará entregar no prazo estipulado. Verifique junto a empresas de pós produção o tempo de produção desse material. Em seguida planeje a pós produção. Quais as etapas necessárias, e quanto tempo seria ideal? Em seguida com a produção e a pré-produção. Uma vez que você tenha o cronograma ideal de produção, vá cortando dias e tentando realizar processos ao mesmo tempo para enxugar suficientemente o tempo de produção até caber no prazo máximo de tempo que você possui.

25 EXEMPLOS DE CRONOGRAMA

26 ORÇAMENTO Uma vez que você já elencou as necessidades do filme e o tempo que dura cada uma das etapas, é hora de determinar quanto será gasto em cada rubrica do orçamento. Sempre tenha em mente as especificidades do seu filme, e qual aspecto é o mais relevante para a obra em questão: Pode ser que seja necessário gastar mais com elenco, ou com equipamentos especiais, ou com pós produção.

27 ORÇAMENTO Caso o orçamento ideal de um projeto seja muito superior ao disponível, vale a pena simplificar o projeto ao invés de tentar deixar o orçamento irreal ou extremamente apertado. Dica: Cortar no roteiro é cortar com planejamento e consciência. Cortar durante a produção impacta diretamente na qualidade e as vezes até na compreensão da obra.

28 ORÇAMENTO A partir das necessidades levantadas, é necessário orçar quanto será gasto em cada um dos itens fundamentais ao projeto. Não esquecer: - Transporte de Equipe, tanto nas filmagens quanto na pré-produção quando estiver em preparação de arte/figurino, e o transporte de equipamentos, especialmente se sua produção for precisar de equipamentos de luz/elétrica/maquinaria. - Alimentação da equipe durante os dias de filmagem. Dica: Para um curta de ficção, o orçamento de Transporte e alimentação varia entre 15 a 20% do orçamento.

29 ORÇAMENTO Para orçar: Devido ao cronograma apertado após o resultado do Edital, é recomendável que o produtor orce os equipamentos e serviços necessários em diversas locadoras, e já tenha em mente qual dos fornecedores irá utilizar caso o projeto seja vencedor. É recomendável também que o produtor busque para a equipe profissionais que possam se dedicar integralmente ao filme durante a produção, o que evita atrasos nas diferentes etapas. O cachê do profissional pode ser fechado por diária ou por pacote, ou seja, um valor fechado para todo o filme. Importante deixar claro quantos profissionais estarão envolvidos em cada rubrica.

30 ORÇAMENTO Para orçar: Caso não consiga estimar valores a partir de conversas com profissionais, é sempre válida a consulta à Tabela do SINDCINE, que contém valores para cada função. alariais_2014_2015/tabela_de_pisos_salarias_para_profis SIONAIS_DE_LONGA_MEDIA%20_CURTA_METRAGEM_E_DOCU MENTARIOS.pdf

31 ALGUMAS LOCADORAS DE EQUIPAMENTOS ELETRICA E MAQUINÁRIA QUANTA ELECTRICA CINEVIDEO LOCALL MOVIECENTER FINALIZAÇÃO IMAGEM O2 MISTIKA DOTCINE CINECOLOR CAMERA FINALIZAÇÃO AUDIO DCINE CONFRARIA DE SONS & CHARUTOS MONSTERCAM CINECOLOR JKL EFFECTS ELITECAM LOC. DE EQUIPAMENTOS [CHRIS WIGGERS]

32 Obrigada e boa sorte! Luiza Favale

realizarem curtas-metragens e de, através da transmissão televisiva dos seus filmes, poderem divulgar o seu talento.

realizarem curtas-metragens e de, através da transmissão televisiva dos seus filmes, poderem divulgar o seu talento. REGULAMENTO Fá-las Curtas! é um concurso, produzido pela Valentim de Carvalho Televisão, para a RTP 2, que acompanha equipas, compostas por um argumentista e um realizador, na sua busca pela arte cinematográfica

Leia mais

Pai e Filho 1 Paulo Victor Batista de SOUSA 2 Francisco Giovanni Fernandes RODRIGUES 3 Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Pai e Filho 1 Paulo Victor Batista de SOUSA 2 Francisco Giovanni Fernandes RODRIGUES 3 Universidade do Estado do Rio Grande do Norte XXIII Prêmio Expocom 06 Exposição da Pesquisa Experimental em Comunicação Pai e Filho Paulo Victor Batista de SOUSA Francisco Giovanni Fernandes RODRIGUES Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Leia mais

Produção de Videoaulas

Produção de Videoaulas Produção de Videoaulas Etapas da Produção Prof. Eduardo Barrére Nossas videoaulas são no estilo bricolagem. Por isso, não temos condições de elaborá-las com todas as etapas de produção de um material profissional

Leia mais

Biblioteca Escolar António Bento Franco MANUAL DE UTILIZADOR WINDOWS LIVE MOVIE MAKER

Biblioteca Escolar António Bento Franco MANUAL DE UTILIZADOR WINDOWS LIVE MOVIE MAKER MANUAL DE UTILIZADOR WINDOWS LIVE MOVIE MAKER Criar o vídeo - início Para iniciar a criação de um filme, devemos em primeiro lugar criar uma pasta, onde colocaremos todos os objetos que pretendemos inserir

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CURSO DE GRADUAÇÃO EM IMAGEM E SOM REGULAMENTO TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CURSO DE GRADUAÇÃO EM IMAGEM E SOM REGULAMENTO TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CURSO DE GRADUAÇÃO EM IMAGEM E SOM REGULAMENTO TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO São Carlos, dezembro de 2014. Regulamento do Trabalhos de Conclusão de Curso TCC - do curso

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO AOS NOVOS TALENTOS E ÀS PRIMEIRAS OBRAS

PROGRAMA DE APOIO AOS NOVOS TALENTOS E ÀS PRIMEIRAS OBRAS ANEXO I PROGRAMA DE APOIO AOS NOVOS TALENTOS E ÀS PRIMEIRAS OBRAS 1. Execução do Programa 1.1. O presente Programa é executado através da reserva de um valor não inferior a 15% do total disponível para

Leia mais

Programas com Audiodescrição

Programas com Audiodescrição Publicado em TV Brasil (http://tvbrasil.ebc.com.br) 24/01/2014-17h33 Programas com Audiodescrição (INÍCIO DA LISTA) SEGUNDA-FEIRA À 1:30 A TV QUE SE FAZ NO MUNDO TERÇA-FEIRA À 1:30 QUINTA-FEIRA ÀS 6:30

Leia mais

MANUAL DE INSCRIÇÃO NA PLATAFORMA SP CULTURA EDITAL DE PRODUÇÃO DE CURTA-METRAGEM

MANUAL DE INSCRIÇÃO NA PLATAFORMA SP CULTURA EDITAL DE PRODUÇÃO DE CURTA-METRAGEM MANUAL DE INSCRIÇÃO NA PLATAFORMA SP CULTURA EDITAL DE PRODUÇÃO DE CURTA-METRAGEM 2 ÍNDICE ENTRANDO NA PLATAFORMA...05 PROCEDIMENTOS 1ª FASE DE INCRIÇÃO....07 CADASTRANDO O AGENTE INDIVIDUAL...07 SUBINDO

Leia mais

I FESTIVAL UCS DE CINE TRASH

I FESTIVAL UCS DE CINE TRASH I FESTIVAL UCS DE CINE TRASH 1 DO EVENTO 1.1 O I Festival UCS de Cine Trash acontecerá nos dias 07 à 09 de outubro de 2016, na Universidade de Caxias do Sul, apresentado pelo curso de Publicidade e Propaganda.

Leia mais

Você abriu uma gravadora de rádio com 2 colegas e estão em busca de um novo nicho de mercado. A tarefa da equipe é elaborar uma telenovela

Você abriu uma gravadora de rádio com 2 colegas e estão em busca de um novo nicho de mercado. A tarefa da equipe é elaborar uma telenovela Você abriu uma gravadora de rádio com 2 colegas e estão em busca de um novo nicho de mercado. A tarefa da equipe é elaborar uma telenovela interessante para cativar os ouvintes a escutarem a estação de

Leia mais

1ª edição Projeto Timóteo Como Pregar Mensagens Bíblicas Apostila do Orientador

1ª edição Projeto Timóteo Como Pregar Mensagens Bíblicas Apostila do Orientador Como Pregar Mensagens Bíblicas Projeto Timóteo Apostila do Orientador Como Pregar Mensagens Bíblicas Projeto Timóteo Coordenador do Projeto Dr. John Barry Dyer Equipe Pedagógica Marivete Zanoni Kunz Tereza

Leia mais

FILME EM MINAS - PROGRAMA DE ESTÍMULO AO AUDIOVISUAL ª EDIÇÃO

FILME EM MINAS - PROGRAMA DE ESTÍMULO AO AUDIOVISUAL ª EDIÇÃO ANEXO VI: FILME EM MINAS - PROGRAMA DE ESTÍMULO AO AUDIOVISUAL 2014 7ª EDIÇÃO REGULAMENTO - DESENVOLVIMENTO DE ROTEIROS 1. DO OBJETO DA PREMIAÇÃO 1.1 Serão analisadas propostas de desenvolvimento de roteiros

Leia mais

Cursos. Nível III. Vídeo. Constrói o teu Futuro Já! Profissionais. Perfil de Desempenho. Saídas Profissionais. Todos os Cursos Proporcionam

Cursos. Nível III. Vídeo. Constrói o teu Futuro Já! Profissionais. Perfil de Desempenho. Saídas Profissionais. Todos os Cursos Proporcionam Vídeo Perfil de Desempenho Produzir e realizar, na vertente técnica, produtos de diferentes géneros, representativos da realidade audiovisual actual Operar equipamentos e programas informáticos necessários

Leia mais

WORKSHOP DE EXPRESSÃO AUDIOVISUAL

WORKSHOP DE EXPRESSÃO AUDIOVISUAL WORKSHOP DE EXPRESSÃO AUDIOVISUAL PROGRAMA Tronco Comum SESSÃO 1 Apresentação do Workshop e Introdução à Linguagem Audiovisual 3 horas Apresentação dos intervenientes (formador e formandos). Apresentação

Leia mais

O PATRÍCIO LONGA FICÇÃO 90MIN

O PATRÍCIO LONGA FICÇÃO 90MIN O PATRÍCIO O PATRÍCIO LONGA FICÇÃO 90MIN HD O PROJETO Patrício é uma comédia sobre as aventuras de um Português azarado que vem ao Brasil em busca de terras que foram doadas por Dom Pedro ao seu tataravô,

Leia mais

Como escrever um conteúdo altamente persuasivo com zero manipulação. VIVER DE BLOG Página 1

Como escrever um conteúdo altamente persuasivo com zero manipulação. VIVER DE BLOG Página 1 Como escrever um conteúdo altamente persuasivo com zero manipulação VIVER DE BLOG Página 1 Olá, tudo bem? Aqui quem fala é o Henrique Carvalho, criador do Viver de Blog, o site especializado em Marketing

Leia mais

9. Enquadramentos: planos e ângulos

9. Enquadramentos: planos e ângulos 9. Enquadramentos: planos e ângulos A noção de enquadramento é a mais importante da linguagem cinematográfica. Enquadrar é decidir o que faz parte do filme em cada momento de sua realização. Enquadrar

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIRG CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIRG (FONTE 12) Nome do autor (FONTE 12) TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA (FONTE 12)

FUNDAÇÃO UNIRG CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIRG (FONTE 12) Nome do autor (FONTE 12) TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA (FONTE 12) FUNDAÇÃO UNIRG CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIRG (FONTE 12) Nome do autor (FONTE 12) TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA (FONTE 12) GURUPI TO MÊS, ANO. MODELO DE FOLHA DE ROSTO NOME DO ALUNO (FONTE 12) TÍTULO DO PROJETO

Leia mais

Instituto Politécnico do Cávado e Ave Produção Audiovisual Professor Leonardo Pereira Programa

Instituto Politécnico do Cávado e Ave Produção Audiovisual Professor Leonardo Pereira Programa 01 Programa Programa A Unidade Curricular Produção Audiovisual concentrar-se-à na abordagem aos elementos e linguagem básicos da concepção e produção de grafismo animado para o mundo audiovisual nos seus

Leia mais

Foto Carga Horária: 15h presenciais. Facilitador: Sandro Barros. Objetivo:

Foto Carga Horária: 15h presenciais. Facilitador: Sandro Barros. Objetivo: Foto Calabor@tiva Carga Horária: 15h presenciais Facilitador: Sandro Barros Objetivo: O objetivo é estimular crianças e jovens a utilizar a linguagem fotográfica como elemento alternativo e visual, despertando

Leia mais

18 ideias para aplicar a criatividade e inovação no seu site ou blog. VIVER DE BLOG Página 1

18 ideias para aplicar a criatividade e inovação no seu site ou blog. VIVER DE BLOG Página 1 18 ideias para aplicar a criatividade e inovação no seu site ou blog VIVER DE BLOG Página 1 INTRODUÇÃO Quantos produtores de conteúdo, empreendedores e influenciadores digitais estão surgindo todos os

Leia mais

I Seminário de Co-Produção Internacional

I Seminário de Co-Produção Internacional I Seminário de Co-Produção Internacional URCA FILMES Produções para Tv: Tira Onda MSW 6ª. Temporada Estúdio 66 CBR 3ª. Temporada Pet.Doc GNT 1ª. Temporada Da Selva à Cordilheira, de Eryk Rocha - co-produção

Leia mais

PROJETO ARARIBÁ. Um projeto que trabalha a compreensão leitora, apresenta uma organização clara dos conteúdos e um programa de atividades específico.

PROJETO ARARIBÁ. Um projeto que trabalha a compreensão leitora, apresenta uma organização clara dos conteúdos e um programa de atividades específico. PROJETO ARARIBÁ Um projeto que trabalha a compreensão leitora, apresenta uma organização clara dos conteúdos e um programa de atividades específico. ABERTURA DE UNIDADE As páginas de abertura levantam

Leia mais

As diversas fases da produção publicitária e institucional

As diversas fases da produção publicitária e institucional As diversas fases da produção publicitária e institucional Roteiro Projeto Preparação Pré-produção Filmagem Desprodução Finalização Projeto Uma vez finalizado o roteiro pela agência, o produtor (da produtora)

Leia mais

BIMESTRALIZAÇÃO DA DISCIPLINA TEATRO PARA O ENSINO MÉDIO

BIMESTRALIZAÇÃO DA DISCIPLINA TEATRO PARA O ENSINO MÉDIO BIMESTRALIZAÇÃO DA DISCIPLINA TEATRO PARA O ENSINO MÉDIO 1º ANO DO ENSINO MÉDIO 1º Bimestre Para o 1º Ano do Ensino Médio, propomos o estudo do Teatro Popular Tradicional, uma modalidade de representação

Leia mais

É HORA DE INVESTIR EM VOCÊ

É HORA DE INVESTIR EM VOCÊ 01 É HORA DE INVESTIR EM VOCÊ Como inovar na carreira e se dar bem no mercado. Lídice da Matta 02 03 Sumário Introdução... 4 Não tenha medo de errar... 7 Veja mudanças como oportunidades... 8 Busque referências...

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CURSO DE GRADUAÇÃO EM IMAGEM E SOM REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR São Carlos, dezembro de 2014. 1 Regulamento de estágio obrigatório do curso de Bacharelado em Imagem

Leia mais

Proposta do Projeto de Desenvolivmento

Proposta do Projeto de Desenvolivmento Kara Miller RA: 074652 Métodos e Técnicas de Pesquisa em Midialogia Professor José A. Valente Introdução: Proposta do Projeto de Desenvolivmento Agradecer a alguém é algo que muitas pessoas fazem sem pensar.

Leia mais

O jogo quinário na criação do espetáculo teatral

O jogo quinário na criação do espetáculo teatral 1 I Introdução O jogo quinário na criação do espetáculo teatral Prof. Dr. Iremar Maciel de Brito Professor, autor e diretor de teatro UNIRIO UERJ Palavras-chave: jogo sistema quinário espetáculo teatral

Leia mais

Circuito Ayrton Senna de Juventude Orientações para a Comissão de Líderes

Circuito Ayrton Senna de Juventude Orientações para a Comissão de Líderes Circuito Ayrton Senna de Juventude 2014 Orientações para a Comissão de Líderes Parabéns, jovens líderes! Vocês foram os escolhidos para fazer parte da Comissão de Líderes Representantes de Turma! Esse

Leia mais

O QUE VOCÊ IRÁ APRENDER:

O QUE VOCÊ IRÁ APRENDER: Neste e-book não irei abordar sobre dicas, macetes ou conteúdos simplesmente teóricos. Quero te mostrar um processo de 5 etapas para aumentar o seu tráfego e consequentemente aumentar seu número de leads,

Leia mais

Edição - orientações para edição de filme - Tecnologia Educacional Ensino Médio

Edição - orientações para edição de filme - Tecnologia Educacional Ensino Médio Edição - orientações para edição de filme - O Windows Movie Maker O Windows Movie Maker possui uma interface intuitiva, contendo funções básicas para edição de vídeos capturados por câmeras comuns e de

Leia mais

b) Os certames estadual e regional acontecerão simultaneamente porém, apresentam normas e condições de inscrição distintas.

b) Os certames estadual e regional acontecerão simultaneamente porém, apresentam normas e condições de inscrição distintas. REGULAMENTO DO 4º CINESERRA (2016) FESTIVAL DO AUDIOVISUAL DA SERRA GAÚCHA CAPÍTULO I - SOBRE O EVENTO a) O CINESERRA é um festival de cinema anual que destaca e premia as produções audiovisuais em âmbito

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CASTANHAL FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CASTANHAL VI FESTIVAL DE CURTAS- METRAGENS CURTA CASTANHAL 2014 EDITAL REGULAMENTO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CASTANHAL FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CASTANHAL VI FESTIVAL DE CURTAS- METRAGENS CURTA CASTANHAL 2014 EDITAL REGULAMENTO PREFEITURA MUNICIPAL DE CASTANHAL FUNDAÇÃO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE CASTANHAL VI FESTIVAL DE CURTAS- METRAGENS CURTA CASTANHAL 2014 EDITAL REGULAMENTO LICITAÇÃO PÚBLICA MODALIDADE CONCURSO ARTÍSTICO (ÁUDIOVISUAL)

Leia mais

Capital mineira recebe o 1º Festival Interamericano de Cinema Universitário

Capital mineira recebe o 1º Festival Interamericano de Cinema Universitário Capital mineira recebe o 1º Festival Interamericano de Cinema Universitário Enviado por Presoti Comunicação 27-ut-2014 PQN - Portal da Comunicação Presoti Comunicação Lumiar: 1º Festival Interamericano

Leia mais

9 passos para criar um negócio sem largar o emprego

9 passos para criar um negócio sem largar o emprego 9 passos para criar um negócio sem largar o emprego Antes de mais nada gostaria de deixar claro uma coisa: Em um determinado momento você vai precisar escolher entre trabalhar para alguém e trabalhar para

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 4ª Série Produção Gráfica CST Produção Multimídia A atividade prática supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem desenvolvido por meio

Leia mais

EQUIPE. Nimboo s Produtora audiovisual com destaque nas áreas de Cinema e Televisão.

EQUIPE. Nimboo s Produtora audiovisual com destaque nas áreas de Cinema e Televisão. DEFESA DO PORTO DE SANTOS: Uma história das fortificações da Baixada Santista é um documentário que aborda a estratégia militar de construção de fortes nos períodos colonial e republicano, tendo em vista

Leia mais

PORTO7 Festival Internacional de Curtas-metragens do Porto Edição 2012

PORTO7 Festival Internacional de Curtas-metragens do Porto Edição 2012 PORTO7 Festival Internacional de Curtas-metragens do Porto Edição 2012 - REGULAMENTO Artigo 1º Organização é um evento organizado pela FICP Associação para a promoção da cultura, cinema, artes e meios

Leia mais

Apresentação de uma coleção

Apresentação de uma coleção Apresentação de uma coleção O que compartilhar no vídeo? O vídeo deve ter no máximo 3 minutos de duração e para o nosso estudo é fundamental: - apresentar a coleção. - contar como e quando foi iniciada.

Leia mais

PROJETOS CRIATIVOS TURNO 2016

PROJETOS CRIATIVOS TURNO 2016 PROJETOS CRIATIVOS TURNO 2016 Tema: Gratidão e celebração Mês: Dezembro Habilidade Sócio emocional: Este projeto visa promover o encerramento do ano de 2016, em que os alunos terão a oportunidade de resgatar

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL SESSÃO PÚBLICA

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL SESSÃO PÚBLICA TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL SESSÃO PÚBLICA Tendo em vista as previsões apresentadas pela Lei n.o 12.232, de 29 de abril de 2010, o Tribunal Superior Eleitoral informa aos interessados que procederá à abertura

Leia mais

1) O período de inscrição será de 06 de maio a 20 de junho de 2014.

1) O período de inscrição será de 06 de maio a 20 de junho de 2014. 1 FESTIVAL DE VITÓRIA - 21º VITÓRIA CINE VÍDEO De 12 a 17 de setembro de 2014 REGULAMENTO APRESENTAÇÃO Realizado pela Galpão Produções e pelo Instituto Brasil de Cultura e Arte (IBCA), o Festival de Vitória

Leia mais

b - Não serão aceitas inscrições cuja ficha não esteja devidamente preenchida.

b - Não serão aceitas inscrições cuja ficha não esteja devidamente preenchida. REGULAMENTO ORGANIZAÇÃO O 7º Festival de Curtas é uma idealização e realização da Área de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias da Escola Técnica Machado de Assis. O 7º Festival de Curta é uma mostra

Leia mais

ANEXO III. Roteiro para Apresentação de Projetos do Tipo C R$ 50.001,00 a R$ 100.000,00

ANEXO III. Roteiro para Apresentação de Projetos do Tipo C R$ 50.001,00 a R$ 100.000,00 ANEXO III Roteiro para Apresentação de Projetos do Tipo C R$ 50.001,00 a R$ 100.000,00 1. Apresentação Geral: 1. Nome do projeto 2. Linha(s) Temática(s) 2. Localidade e município 3. Instituição Proponente

Leia mais

MARKETING DIGITAL. O briefing para campanhas de marketing digital

MARKETING DIGITAL. O briefing para campanhas de marketing digital MARKETING DIGITAL O briefing para campanhas de marketing digital Um pequeno passo para o homem, um gigantesco salto para a Humanidade Neil Armstrong, Mar da Tranquilidade, 20 de julho de 1969. O BRIEF

Leia mais

FILME EM MINAS - PROGRAMA DE ESTÍMULO AO AUDIOVISUAL BIÊNIO 2011/2012

FILME EM MINAS - PROGRAMA DE ESTÍMULO AO AUDIOVISUAL BIÊNIO 2011/2012 FILME EM MINAS - PROGRAMA DE ESTÍMULO AO AUDIOVISUAL BIÊNIO 2011/2012 ANEXO I: REGULAMENTO: PRODUÇÃO DE LONGAS-METRAGENS 1. DO OBJETO DO PATROCÍNIO 1.1 Serão aceitos projetos inéditos para a produção de

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E.M.E.F. ELIAS MANSOUR SIMÃO PROJETO PEDAGÓGICO UTILIZANDO TEXTO, IMAGEM E SOM

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E.M.E.F. ELIAS MANSOUR SIMÃO PROJETO PEDAGÓGICO UTILIZANDO TEXTO, IMAGEM E SOM SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E.M.E.F. ELIAS MANSOUR SIMÃO PROJETO PEDAGÓGICO UTILIZANDO TEXTO, IMAGEM E SOM PLÁCIDO DE CASTRO ACRE 2011 FLÁVIO PONTES DA SILVA PROJETO PEDAGÓGICO UTILIZANDO TEXTO, IMAGEM

Leia mais

EDITAL PARA PARTICIPAÇÃO NO III FESTIVAL DE MÚSICA UnP

EDITAL PARA PARTICIPAÇÃO NO III FESTIVAL DE MÚSICA UnP EDITAL PARA PARTICIPAÇÃO NO III FESTIVAL DE MÚSICA UnP A Universidade Potiguar, mantida pela APEC Sociedade Potiguar de Educação e Cultura Ltda., com sede em Natal, RN, torna públicas as normas e os procedimentos

Leia mais

Lei Rouanet: Tipos e segmentos de projetos aceitos

Lei Rouanet: Tipos e segmentos de projetos aceitos Lei Rouanet: Tipos e segmentos de projetos aceitos por Samir Selman Jr. De uma maneira geral, a Lei Rouanet foi criada para estimular a cultura nacional, como já detalhamos em outros artigos, como em "A

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO SENAC. Roteiro de Rádio Turma A 4ºsemestre. Vozes do Cinema. Diego Ruscitto Giulia Marques Guilherme Pazzetti Patricia Rodrigues

CENTRO UNIVERSITÁRIO SENAC. Roteiro de Rádio Turma A 4ºsemestre. Vozes do Cinema. Diego Ruscitto Giulia Marques Guilherme Pazzetti Patricia Rodrigues CENTRO UNIVERSITÁRIO SENAC Roteiro de Rádio Turma A 4ºsemestre Vozes do Cinema Diego Ruscitto Giulia Marques Guilherme Pazzetti Patricia Rodrigues São Paulo 2010 Vozes do Cinema Nossa idéia é criar um

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA ESPECIAL DOS DIREITOS HUMANOS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA ESPECIAL DOS DIREITOS HUMANOS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA ESPECIAL DOS DIREITOS HUMANOS TERMO DE REFERÊNCIA OEI/BR08-006/SEDH/PR ATUALIZAÇÃO DE PROCESSOS POLÍTICOS E INSTITUCIONAIS PARA A IMPLANTAÇÃO DO PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

Leia mais

QUEM SOMOS O QUE FAZEMOS

QUEM SOMOS O QUE FAZEMOS QUEM SOMOS Somos uma produtora de audio visual especializada em conteúdo corporativo. Há mais de 10 anos atuamos no mercado brasileiro e do exterior, como principal caracteristica, a diversidade nos negócios,

Leia mais

Linguagem Cinematográfica. Myrella França

Linguagem Cinematográfica. Myrella França Linguagem Cinematográfica Myrella França I. Termos Básicos TOMADA - Filmagem contínua de cada segmento específico da ação do filme. "TAKE" - Tomada; começa no momento em que se liga a câmara até que é

Leia mais

Programa de Desenvolvimento Sustentável da Escola (PDSE) Instituto Brasil Solidário

Programa de Desenvolvimento Sustentável da Escola (PDSE) Instituto Brasil Solidário Apresentação Neste ano, sua escola e comunidade receberão diversas atividades com a chegada do Programa de Desenvolvimento Sustentável da Escola (PDSE) no seu município, com o Instituto Brasil Solidário

Leia mais

Curso Técnico Subsequente em Materiais Didáticos Bilíngue (Libras/Português) MATRIZ CURRICULAR. Móduloe 1 Carga horária total: 400h

Curso Técnico Subsequente em Materiais Didáticos Bilíngue (Libras/Português) MATRIZ CURRICULAR. Móduloe 1 Carga horária total: 400h Curso Técnico Subsequente em Materiais Didáticos Bilíngue (Libras/Português) CÂMPUS PALHOÇA BILÍNGUE MATRIZ CURRICULAR Móduloe 1 Carga horária total: 400h Projeto Integrador I 40 Não tem Aprendizagem Infantil

Leia mais

PARADIGMA DE COMUNICAÇÃO

PARADIGMA DE COMUNICAÇÃO A HIPERMÍDIA É UM NOVO A HIPERMÍDIA É UM NOVO PARADIGMA DE COMUNICAÇÃO O texto identifica e organiza os elementos constitutivos da roteirização de produções audiovisuais como o cinema ou a televisão, e

Leia mais

FESTIVAL VER E FAZER FILMES Edição CINEPORT

FESTIVAL VER E FAZER FILMES Edição CINEPORT FESTIVAL VER E FAZER FILMES Edição CINEPORT REGULAMENTO O FESTIVAL VER E FAZER FILMES Edição CINEPORT é um evento competitivo voltado para escolas de cinema. Sua proposta é permitir ao aluno uma grande

Leia mais

PROJETO CURTA-METRAGEM. E.E.Profº João Maria Pires de Aguiar. Professor(es) Apresentador(es): Regiane Taveira Pereira Cristiane Skau de M.

PROJETO CURTA-METRAGEM. E.E.Profº João Maria Pires de Aguiar. Professor(es) Apresentador(es): Regiane Taveira Pereira Cristiane Skau de M. PROJETO CURTA-METRAGEM E.E.Profº João Maria Pires de Aguiar Professor(es) Apresentador(es): Regiane Taveira Pereira Cristiane Skau de M. Saldanha Realização: Foco do Projeto Este projeto assume o princípio

Leia mais

CELEBRE SEU SONHO. Aula baseada no Discurso de Barbara Sunden Diretora Nacional executiva Elite de Vendas independentes

CELEBRE SEU SONHO. Aula baseada no Discurso de Barbara Sunden Diretora Nacional executiva Elite de Vendas independentes CELEBRE SEU SONHO Aula baseada no Discurso de Barbara Sunden Diretora Nacional executiva Elite de Vendas independentes COMPARTILHANDO O SONHO Mary Kay disse: Se você quer apenas o que já possui, continue

Leia mais

II ENCONTRO NACIONAL DE ARTE ESPÍRITA

II ENCONTRO NACIONAL DE ARTE ESPÍRITA II ENCONTRO NACIONAL DE ARTE ESPÍRITA REGULAMENTO DAS APRESENTAÇÕES ARTÍSTICAS DO ENARTE E SEUS OBJETIVOS O II ENCONTRO NACIONAL DE ARTE ESPÍRITA é um evento promovido pela Associação Brasileira de Artistas

Leia mais

Fogo (Capital Inicial) 1. Adriane de Oliveira PIRES 2 Simone Caetano 3 Universidade Estadual de Goiás, Goiânia, GO

Fogo (Capital Inicial) 1. Adriane de Oliveira PIRES 2 Simone Caetano 3 Universidade Estadual de Goiás, Goiânia, GO Fogo (Capital Inicial) 1 Adriane de Oliveira PIRES 2 Simone Caetano 3 Universidade Estadual de Goiás, Goiânia, GO Resumo O videoclipe da música "Fogo - Capital Inicial" é uma produção diferente e inovadora,

Leia mais

FINALIZAÇÃO DE OBRAS CINEMATOGRÁFICAS

FINALIZAÇÃO DE OBRAS CINEMATOGRÁFICAS ANEXO IX PROGRAMA DE APOIO AO CINEMA SUBPROGRAMA DE APOIO À PRODUÇÃO, NA MODALIDADE DE APOIO À FINALIZAÇÃO DE OBRAS CINEMATOGRÁFICAS 1. Candidatos e beneficiários 1.1. Podem candidatar-se os produtores

Leia mais

LOGOTIPO OU LOGOMARCA?

LOGOTIPO OU LOGOMARCA? E-book para Empreendedores LOGOTIPO OU LOGOMARCA? Dicas para criar um( a ) logo de sucesso www.logovia.com.br A equipe do Logovia deseja que a leitura deste e-book seja agravável e que expanda seu entendimento

Leia mais

Domingos Projeto LIC nº 71 Valor solicitado R$ ,00 Aprovado

Domingos Projeto LIC nº 71 Valor solicitado R$ ,00 Aprovado Domingos Projeto LIC nº 71 Valor solicitado R$ 99.968,00 Aprovado LUCIA TAIZA TEIXEIRA DINIZ E-mail: tayteixeira@yahoo.com.br Representante: Lúcia Taiza Teixeira Diniz (proprietária) E-mail: emingoni@hotmail.com

Leia mais

Pré-produção. O Roteiro: Escaleta: Argumento: Roteiro Literário:

Pré-produção. O Roteiro: Escaleta: Argumento: Roteiro Literário: Pré-produção A pré-produção compreende a elaboração do roteiro (Escaleta, Argumento, Roteiro Literário e Roteiro Técnico), a análise técnica e a elaboração do cronograma. O Roteiro: Como o próprio nome

Leia mais

PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO ELETRÔNICO

PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO ELETRÔNICO PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO ELETRÔNICO Seguem abaixo orientações acerca do preenchimento do Formulário Eletrônico para inscrição no Edital de Seleção de Projetos Culturais Lei Rouanet 2015 para patrocínio

Leia mais

UM CAMINHO DE UMA PRODUÇÃO AUDIOVISUAL

UM CAMINHO DE UMA PRODUÇÃO AUDIOVISUAL UM CAMINHO DE UMA PRODUÇÃO AUDIOVISUAL Existem infinitas maneiras de organizar, produzir e finalizar uma obra audiovisual. Cada pessoa ou produtora trabalha da sua maneira a partir de diversos fatores:

Leia mais

Vamos dar uma olhada nos Processos de Produção Musical mas, antes, começaremos com alguns Conceitos Básicos.

Vamos dar uma olhada nos Processos de Produção Musical mas, antes, começaremos com alguns Conceitos Básicos. Vamos dar uma olhada nos Processos de Produção Musical mas, antes, começaremos com alguns Conceitos Básicos. O processo da produção musical tem sete pontos bem distintos. Antes de entender melhor os sete

Leia mais

BROFFICE.ORG IMPRESS

BROFFICE.ORG IMPRESS BROFFICE.ORG IMPRESS O Impress é um dos aplicativos do pacote openoffice.org que permite a criação e exibição de apresentações, cujo objetivo é informar sobre um determinado tema, serviço ou produto, possibilitando

Leia mais

Relatório Mensal FCTY-RTM-EDA Referência: Programa de Educação Ambiental Meu Primeiro Curta Metragem. Abril/2014

Relatório Mensal FCTY-RTM-EDA Referência: Programa de Educação Ambiental Meu Primeiro Curta Metragem. Abril/2014 Relatório Mensal FCTY-RTM-EDA-002-02-14 Referência: Programa de Educação Ambiental Meu Primeiro Curta Metragem. Abril/2014 At.: Gerência de Sustentabilidade FCTY Abril de 2014 1 APRESENTAÇÃO... 1 2 OBJETIVOS...

Leia mais

PRODUÇÃO AUDIOVISUAL INSTITUCIONAL E PUBLICITÁRIA

PRODUÇÃO AUDIOVISUAL INSTITUCIONAL E PUBLICITÁRIA PRODUÇÃO AUDIOVISUAL INSTITUCIONAL E PUBLICITÁRIA ORGANIZANDO O CHURRASCO Comprar carne, comprar lingüiça, comprar frango, comprar cerveja, comprar refrigerante, comprar gelo, comprar carvão, limpar a

Leia mais

Aula 5 Site e Portal Pedagógico

Aula 5 Site e Portal Pedagógico Conteúdos da aula 1. Site externo 2 1. Site externo O possui um site www.grupoetb.com.br chamado de portal da etb. Aqui, o usuário pode acessar todas as informações relevantes sobre o Grupo etb: 3 1. Site

Leia mais

Dicas Crie um estilo pessoal

Dicas Crie um estilo pessoal Introdução Esse mini ebook foi feito especialmente para você que deseja conquistar lindas mulheres. Nas próximas páginas será compartilhado dicas práticas para que você conquiste mulheres de forma mais

Leia mais

Deixando de odiar Matemática Parte 6

Deixando de odiar Matemática Parte 6 Deixando de odiar Matemática Parte 6 Restante 2 Produção x Tempo 4 Exercícios Propostos 0 Gabaritos dos exercícios propostos 2 Restante O conceito de fração restante é muito importante em vários tópicos

Leia mais

8) Os Projetos de TCC selecionados pelo Colegiado serão anunciados aos alunos logo após a deliberação da banca de seleção.

8) Os Projetos de TCC selecionados pelo Colegiado serão anunciados aos alunos logo após a deliberação da banca de seleção. REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC DO CURSO DE BACHARELADO EM CINEMA E ANIMAÇÃO DA FACULDADE DE COMUNICAÇÃO E MARKETING DA FUNDAÇÃO ARMANDO ALVARES PENTEADO - FAAP 1) O trabalho de conclusão

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL DR. MARTINHO MARQUES AILTON GORDIANO ELIANA PIGARI BAPTISTA. A criação e a Evolução Biológica dos Seres Vivos

ESCOLA ESTADUAL DR. MARTINHO MARQUES AILTON GORDIANO ELIANA PIGARI BAPTISTA. A criação e a Evolução Biológica dos Seres Vivos ESCOLA ESTADUAL DR. MARTINHO MARQUES AILTON GORDIANO ELIANA PIGARI BAPTISTA A criação e a Evolução Biológica dos Seres Vivos TAQUARUSSU MS AGOSTO/2009 ESCOLA ESTADUAL DR. MARTINHO MARQUES AILTON GORDIANO

Leia mais

ANEXO II MODELO DE PROJETO 1. Título II Reviravolta Coletiva Integração e Locomoção

ANEXO II MODELO DE PROJETO 1. Título II Reviravolta Coletiva Integração e Locomoção ANEXO II MODELO DE PROJETO 1. Título Integração e Locomoção 2. Apresentação A Reviravolta surgiu em Julho de 2012 como ideia e se concretizou no mês de Agosto do mesmo ano. O projeto em 2012 compreendia

Leia mais

Reunião de Seção REPRODUZINDO A TV

Reunião de Seção REPRODUZINDO A TV Reunião 12 Reunião de Seção REPRODUZINDO A TV Área de Desenvolvimento enfatizada: INTELECTUAL Ramo: Lobinho Mês recomendado para desenvolver esta reunião: Setembro (dia 18 de setembro é comemorado o dia

Leia mais

Você sabe quanto vai pagar e receber no próximo mês? Tem surpresas diárias e fica desesperado tentando saber como pagará as contas a cada dia?

Você sabe quanto vai pagar e receber no próximo mês? Tem surpresas diárias e fica desesperado tentando saber como pagará as contas a cada dia? Bem-vindo(a) ao módulo 2: Cuidando das contas a pagar e a receber. Aqui estudaremos sobre como praticar o preenchimento das planilhas de contas a receber, contas a pagar e caixa futuro, também estudaremos

Leia mais

Vamos discutir que temas, histórias e atores gostaríamos de ver nesse filme.

Vamos discutir que temas, histórias e atores gostaríamos de ver nesse filme. O mundo digital promoveu significativa redução das fronteiras entre os povos e uma aproximação entre as pessoas nas grandes metrópoles. Na cidade do Rio de Janeiro as fronteiras sociais, principalmente

Leia mais

apresenta Grupo Girino espetáculo

apresenta Grupo Girino espetáculo apresenta Grupo Girino espetáculo Apresentação MetaForMose é um espetáculo de teatro de bonecos que aborda a temática da metamorfose e das transformações e anseios da condição humana. O espetáculo é fruto

Leia mais

Cine&Arte 2015. 2. Do Público Alvo - O Festival atenderá:

Cine&Arte 2015. 2. Do Público Alvo - O Festival atenderá: GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO DA REGIÃO DE ITAQUAQUECETUBA Rua Jundiaí, 84- CEP: 08577-420- Itaquaquecetuba SP. TELEFONES: 4732-9516 E-mail: deitq@educacao.sp.gov.br

Leia mais

CARTILHA Questões freqüentes relativas a processos seletivos de obras em animação

CARTILHA Questões freqüentes relativas a processos seletivos de obras em animação 1) Quando exigir storyboard? O storyboard é resultado do trabalho de transformação do texto do roteiro na seqüência de imagens que compreende o filme do começo ao fim e faz parte da etapa de pré-produção

Leia mais

Descrição da Pesquisa

Descrição da Pesquisa Projeto de Pesquisa Descrição da Pesquisa Título do Projeto Pesquisador Principal Colaboradores [se houver] Local de Realização Período da Pesquisa 1. Objetivo da Pesquisa [o que se pretende pesquisar]

Leia mais

Como Vender mais na Internet sem Ter Blog?

Como Vender mais na Internet sem Ter Blog? Como Vender mais na Internet sem Ter Blog? Parabéns por você ter escolhido aprender um novo método de vendas online direcionado para os produtos digitais que o Hotmart disponibiliza no seu site. Caso você

Leia mais

por trás Cenografia, Iluminação e Seus Caminhos

por trás Cenografia, Iluminação e Seus Caminhos por trás Cenografia, Iluminação e Seus Caminhos Por Denilson Marques 1 Trabalhar com a criação da luz é como trabalhar com uma tela em branco, em que cada dia novas cores são pintadas. Como em uma obra

Leia mais

PROCESSO Nº INTERESSADA:

PROCESSO Nº INTERESSADA: PROCESSO Nº 424935/2016 INTERESSADA: Instituto de Desenvolvimento, Estudo e Integração pela Animação MODALIDADE: Termo de Fomento (com inexigibilidade de chamamento público) OBJETO: Anima Mundi Cuiabá

Leia mais

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CONCURSO NOVOS TALENTOS CINEMA E VÍDEO, PROMOVIDO PELO CONSULADO- GERAL DO BRASIL EM TÓQUIO

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CONCURSO NOVOS TALENTOS CINEMA E VÍDEO, PROMOVIDO PELO CONSULADO- GERAL DO BRASIL EM TÓQUIO REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CONCURSO NOVOS TALENTOS CINEMA E VÍDEO, PROMOVIDO PELO CONSULADO- GERAL DO BRASIL EM TÓQUIO 1. O Concurso NOVOS TALENTOS CINEMA E VÍDEO consiste em um concurso de filmes

Leia mais

5 DICAS PARA APRENDER A DESENHAR DO ZERO. Descubra como aprender a desenhar de forma simples e objetiva.

5 DICAS PARA APRENDER A DESENHAR DO ZERO. Descubra como aprender a desenhar de forma simples e objetiva. 5 DICAS PARA APRENDER A DESENHAR DO ZERO Descubra como aprender a desenhar de forma simples e objetiva. INTRODUÇÃO OLÁ, OLÁ, OLÁ... Eu sou o Ivan Querino, ilustrador, professor e empreendedor, escrevi

Leia mais

UNIVERSIDADE RED JACKET. Módulo 2

UNIVERSIDADE RED JACKET. Módulo 2 UNIVERSIDADE RED JACKET Módulo 2 2 LOREM IPSUM IS SIMPLY DUMMY TEXT OF TE PRINTING AND TYPESETTING INDUSTRY. VENDAS Objetivos: Entender o papel de uma Consultora de Beleza e o que é preciso para ter sucesso

Leia mais

Universidade Federal do Rio de Janeiro Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Gráfica_Digital. LUMION_00 Interface e comandos básicos

Universidade Federal do Rio de Janeiro Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Gráfica_Digital. LUMION_00 Interface e comandos básicos Universidade Federal do Rio de Janeiro Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Gráfica_Digital LUMION_00 Interface e comandos básicos Este tutorial foi elaborado pela equipe de monitores de DIG de 2015-2

Leia mais

Checklist com 15 passos para a criação da Página Sobre perfeita para seu blog. VIVER DE BLOG Página 1

Checklist com 15 passos para a criação da Página Sobre perfeita para seu blog. VIVER DE BLOG Página 1 Checklist com 15 passos para a criação da Página Sobre perfeita para seu blog VIVER DE BLOG Página 1 INTRODUÇÃO Acredite ou não, mas a página Sobre de qualquer blog, costuma estar entre as 10 mais acessadas.

Leia mais

Prof. Ms. Renato Dering

Prof. Ms. Renato Dering Prof. Ms. Renato Dering Argumentar é...? Argumentar é contradizer? Discutir ou debater com alguém é contradizer a ideia do outro? O que é argumento? Definições: 1. Razão, raciocínio que conduz à indução

Leia mais

Estúdio Ventana. Interiores + Design

Estúdio Ventana. Interiores + Design Estúdio Ventana Interiores + Design Nossos serviços: gerenciamento De obras decor No Projeto Completo, elaboramos soluções personalizadas, atendendo as expectativas de cada pessoa em sua individualidade

Leia mais

Trabalho Prático. Eduardo Figueiredo.

Trabalho Prático. Eduardo Figueiredo. Engenharia de Software DCC / ICEx / UFMG Trabalho Prático Eduardo Figueiredo http://www.dcc.ufmg.br/~figueiredo Opções de TP Em grupo de até 5 pessoas Duas opções (mutuamente exclusivas) TP Clássico: desenvolver

Leia mais

NORMAS PARA REALIZAÇÃO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA

NORMAS PARA REALIZAÇÃO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA NORMAS PARA REALIZAÇÃO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA As modalidades de TCC do curso de Comunicação Social do Instituto Municipal de Ensino Superior De Assis - IMESA compreendem

Leia mais

Esse tal de Bhaskara. Série Matemática na Escola

Esse tal de Bhaskara. Série Matemática na Escola Esse tal de Bhaskara Série Matemática na Escola Objetivos 1. Proporcionar um passeio histórico sobre os processos de resolução de equações quadráticas. Esse tal de Bhaskara 1/7 Esse tal de Bhaskara Série

Leia mais

Gestão de Processos. Tópico 4. Ferramentas de Qualidade: PDCA

Gestão de Processos. Tópico 4. Ferramentas de Qualidade: PDCA Gestão de Processos Tópico 4 Ferramentas de Qualidade: PDCA Sumário 1. O que é o Ciclo PDCA... 3 2. Importância do Ciclo PDCA... 3 3. Etapas do Ciclo PDCA... 3 3.1 Planejar (PLAN)... 3 3.1.1 Qual é o problema/processo

Leia mais

Decupagem ou Análise Técnica: Com o roteiro pronto, começa o processo de levantamento de necessidades cena a cena. Este processo é conhecido como

Decupagem ou Análise Técnica: Com o roteiro pronto, começa o processo de levantamento de necessidades cena a cena. Este processo é conhecido como PARTE 2 DECUPAGEM TÉCNICA Decupagem ou Análise Técnica: Com o roteiro pronto, começa o processo de levantamento de necessidades cena a cena. Este processo é conhecido como decupagem. É aqui que se decide,

Leia mais