A DETECÇÃO DA SEROPOSITIVIDADE PARA O VIH NA GRAVIDEZ

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A DETECÇÃO DA SEROPOSITIVIDADE PARA O VIH NA GRAVIDEZ"

Transcrição

1 1 A DETECÇÃO DA SEROPOSITIVIDADE PARA O VIH NA GRAVIDEZ Autores: Graça Rocha 1, Lúcia Pinho 2, Luís Marques 2, Marta Brinca 2, Rosa Afonso 2, Paulo Correia 2, Eulália Afonso 2, Isabel Ramos 2. Departamento de Medicina Materno-Fetal, Genética e Reprodução dos Hospitais da Universidade de Coimbra (Director: Professor Doutor Agostinho Almeida Santos) 1-Consulta de Doenças Infecciosas Hospital Pediátrico de Coimbra 2- Maternidade Dr. Daniel de Matos ( Serviço de Obstetrícia: Directora - Drª Annette d Almeida e Serviço de Neonatologia: Directora - Drª Rosa Ramalho). INTRODUÇÃO Nos últimos anos, nos países desenvolvidos, praticamente todos os casos de infecção pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (VIH) na criança ocorrem por transmissão materna. A identificação das mulheres com infecção VIH, antes ou durante a gravidez, é indispensável, para que seja iniciada terapêutica à mulher e depois à criança para prevenir a transmissão perinatal. Assim, a determinação dos anticorpos para o VIH deve ser proposta, tanto nas consultas pré-concepcionais, como a todas as grávidas. A identificação precoce das mulheres infectadas é crucial para a sua saúde e a das crianças. A detecção no período ante-natal da infecção materna possibilita a adopção das seguintes medidas: 1-ínicio da terapêutica anti-retroviral e da profilaxia das infecções oportunistas na grávida; 2- profilaxia com zidovudina durante o parto e administração à criança nas primeiras 6 semanas de vida, para reduzir o risco de transmissão vertical; 3- nos Países, como em Portugal, onde existem alternativas à amamentação, as mulheres infectadas não devem amamentar; 4- ínicio nas crianças às 6 semanas de vida da profilaxia para o Pneumocystis carinii;

2 2 5- detecção de infecção na criança, para que a terapêutica antiretrovírica seja iniciada precocemente, 6- pesquisa da infecção no companheiro e acompanhamento, se estiver infectado, e ensino de métodos de prevenção da transmissão. O rastreio da infecção pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (VIH) deve ser efectuado em todas as grávidas. O risco de transmissão vertical numa grávida infectada e não detectada é de aproximadamente 25%. Esta taxa pode descer a menos de 2% quando é efectuada terapêutica profilática com anti-retrovíricos ante-natal, intra-parto e à criança. OBJECTIVO: Os autores apresentam um trabalho retrospectivo sobre as mulheres nas quais a infecção pelo VIH foi detectada pelo teste de rastreio efectuado durante a gravidez. MATERIAL: Em Coimbra, na Maternidade Daniel de Matos, foram seguidas nos últimos sete anos 76 grávidas infectadas pelo VIH. Em 35 (46%) o diagnóstico de seropositividade foi efectuado na gravidez. MOMENTO DO DIAGNÓSTICO 54% 46% Durante gravidez Prévio à gravidez

3 3 RESULTADOS: Destas 35 grávidas 17 (49%) eram Nuliparas e apresentavam uma idade média de 26,2 anos (min. 15 anos e máx. 39 anos). Em 31 dos casos a infecção era pelo VIH 1 e em 4 pelo VIH2. TIPO DE INFECÇÃO 4 31 VIH 1 VIH 2 VIA DE INFECÇÃO VIA TRANSMISSÃO Nº (%) SEXUAL 21 (60%) TOXICODEPÊNCIA 11 (34,4%) TRANSFUSÃO SANGUÍNEA 3 (8,6%) A via de infecção foi em 21 casos(60%) sexual, em 11 a toxicodependência e em 3 por transfusão sanguínea. Em 15 (43%) a detecção foi feita na Consulta de Gravidez dos Centros de Saúde. ESTADO DO PARCEIRO ESTADO Nº (%) NÃO INFECTADO 17 (49%) INFECTADO 14 (40%) DESCONHECIDO 4 (11%)

4 4 Em 17 casos (49%) o companheiro não estava infectado, 14 (40%) estavam infectados, sendo a sua seropositividade detectada na maioria após o conhecimento na mulher e em 4 era desconhecido o seu estado EVOLUÇÃO DA GESTAÇÃO EVOLUÇÃO Nº DE CASOS Interrupção médica de gravidez 5 Abortamento espontâneo 1 Outra instituição 1 Abandono consulta 1 Consulta externa 27 Parto termo Gestação curso Parto pré-termo Destas 35 grávidas em 5 foi realizada interrupção terapêutica da gravidez, uma teve um abortamento espontâneo, uma outra abandonou a consulta e outra foi seguida noutro Hospital. Das 27 restantes 4 estão em curso, 21 foram gestações de termo e em dois casos ocorreu prematuridade respectivamente com 27 semanas (gemelar) e 33 semanas de gestação Resultados perinatais: Dos 23 partos, 16 foram cesariana. Dos 24 Recém-Nascidos: 2 Mortes Fetais( 1 dos fetos da gravidez gemelar de 27 semanas e 1 outro de 33 semanas toxicodependente com caso social grave). 22 Nados Vivos: 2 dos quais foram prematuros( 1 da gravidez gemelar de 27 semanas e outro de 33 semanas). Todas as crianças são seguidas no Hospital Pediátrico de Coimbra com excepção de 2 que foram transferidas para centros de acolhimento fora da zona centro.

5 5 Das vinte mães 8 eram de ascendência Africana e 4 estavam infectadas pelo VIH 2 (Guiné), 10 eram primíparas e em 10 o pai não estava infectado. Apresentaram durante a gravidez : CO-INFECÇÕES SISTÉMICAS E GENITAIS CO-INFECÇÃO Nº DE CASOS VHC 4 VHB 10 HPV 3 HERPES GENITAL 1 GERMENS VAGINAIS Candida albicans Ureaplasma Chlamydea Apresentavam como coinfecções 4 VHC,10 VHB, 3 HPV macroscópicos,1com Herpes genital primário e outros germens(8 Candidas albicans, 5Clamydia, 7Ureaplasma) INTERCORRÊNCIAS AMEAÇA DE PARTO PRÉ-TERMO AMEAÇA DE ABORTO INFECÇÃO URINÁRIA (E. Coli) 2 casos 2 casos 1 caso Registaram-se como intercorrências: 2 Ameaças de Parto Prematuro 2 Ameaças de Aborto 1 infecção urinária por E coli

6 6 ESTADO IMUNOLÓGICO E CARGA VIRAL Células TCD4+ Carga viral sanguínea 500/mm3 10 casos >200 e <500/mm /mm cópias/ml 6 >1000 e <10000 cópias/ml /ml 5 desconhecida 6 Das 20 mulheres 6 apresentavam carga vírica <1000 ; 3 >1000 e <10000; 5 >10000 ( 1 com ) e 6 não fizeram(4 eram VIH 2). As populações linfocitárias 10 apresentavam CD4 K500, 8 eram >200 mas <500 e 2 <200 Todas fizeram profilaxia AZT/terapêutica durante a gravidez, mas uma não fez intra-parto por o parto ter ocorrido na ambulância. Os 20 recém-nascidos fizeram AZT durante 6 semanas: O peso médio de nascimento foi de 3220 gr (min 850 gr e máx 3900gr). O recém-nascido nascido na ambulância, filho de pais toxicodependentes, veio a falecer aos 2 meses de idade (tinha 2 testes de pesquisa de DNA do VIH negativos) de causa não esclarecida 19 têm idade actual entre os 7anos e os 10 meses: não estão infectados normal crescimento e desenvolvimento vivem com os pais

7 7 Comentários: O rastreio universal na gravidez da infecção pelo VIH é imprescindível para diminuir a infecção pelo VIH na criança. Permite ainda a detecção de infecção nos companheiros e a instituição de medidas de profilaxia nos não infectados. A gravidade de um diagnóstico de seropositividade numa grávida exige que esta seja seguida por uma equipa multidisciplinar que lhe proporcione a ela e à sua família apoio médico, social e psicológico. Bibliografia Connor EM, Sperling RS, GelberR. et al. Reduction of maternal infant transmission of human immunodeficiency virus type 1 with Zidovudine treatment. Pediatric AIDS Clinical Trials Group Protocol 076 Study Group. N Eng J Med. 1994; 331: European Mode of Delivery Collaboration: Elective Caesarean section versus vaginal delivery in prevention of vertical HIV1 transmission: A randomised clinical trial. Lancet 1999;353: Public Health Service Task Force Recommendations for use of Antiretroviral Drugs in Pregnant HIV-1-infected Women for Maternal Health and Interventions to reduce Perinatal HIV-1 Transmission in the United States, August30,2002.

8 8

CIÊNCIAS EJA 5ª FASE PROF.ª SARAH DOS SANTOS PROF. SILONE GUIMARÃES

CIÊNCIAS EJA 5ª FASE PROF.ª SARAH DOS SANTOS PROF. SILONE GUIMARÃES CIÊNCIAS EJA 5ª FASE PROF.ª SARAH DOS SANTOS PROF. SILONE GUIMARÃES CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade II Ser Humano e Saúde 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula 11.2 Conteúdo Doenças Sexualmente Transmissíveis

Leia mais

Julian Perelman Escola Nacional de Saúde Pública

Julian Perelman Escola Nacional de Saúde Pública Prevenção e tratamento do VIH/SIDA nos migrantes e não migrantes: alguns aspectos económicos Julian Perelman Escola Nacional de Saúde Pública (com a colaboração de Alexandre Carvalho e Helena Vaz, Coordenação

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO INICIAL - MULHER VIH NEGATIVO

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO INICIAL - MULHER VIH NEGATIVO INSTRUÇÕES PARA A EQUIPA DO ESTUDO: Após inscrição no estudo, os participantes devem preencher este questionário de avaliação inicial. Certifique-se de que é distribuído o questionário adequado. Após o

Leia mais

CIÊNCIAS EJA 5ª FASE PROF.ª SARAH DOS SANTOS PROF. SILONE GUIMARÃES

CIÊNCIAS EJA 5ª FASE PROF.ª SARAH DOS SANTOS PROF. SILONE GUIMARÃES CIÊNCIAS EJA 5ª FASE PROF.ª SARAH DOS SANTOS PROF. SILONE GUIMARÃES REVISÃO DOS CONTEÚDOS Unidade II Ser Humano e Saúde 2 REVISÃO DOS CONTEÚDOS Aula 13 Revisão e Avaliação 3 REVISÃO 1 O sistema reprodutor

Leia mais

IV Seminário de Iniciação Científica

IV Seminário de Iniciação Científica ANÁLISE DO PERFIL IMUNOLÓGICO E VIRAL DAS GESTANTES HIV/AIDS ATENDIDAS NO HOSPITAL MATERNO INFANTIL E NO HOSPITAL ANUAR AUAD EM GOIÂNIA-GOIÁS, ENTRE OS ANOS DE 2003 E 2005. Raffaella Silva Pinheiro 1,4

Leia mais

Teste de Triagem Pré-natal Não Invasivo em sangue materno

Teste de Triagem Pré-natal Não Invasivo em sangue materno Teste de Triagem Pré-natal Não Invasivo em sangue materno Software de resultados BGI com marca CE (Conformidade Europeia) para a trissomia 21 Detecta as trissomias fetais dos cromossomos 21, 18 e 13 Informa

Leia mais

1º ENCONTRO DOS INTERLOCUTORES. Clínica, Epidemiologia e Transmissão Hepatite B e C. Celia Regina Cicolo da Silva 12 de maio de 2009

1º ENCONTRO DOS INTERLOCUTORES. Clínica, Epidemiologia e Transmissão Hepatite B e C. Celia Regina Cicolo da Silva 12 de maio de 2009 1º ENCONTRO DOS INTERLOCUTORES REGIONAIS DE HEPATITES VIRAIS Clínica, Epidemiologia e Transmissão Hepatite B e C Celia Regina Cicolo da Silva 12 de maio de 2009 CADEIA DE TRANSMISSÃO DOS VÍRUS Depende:

Leia mais

I Encontro da rede Mãe Paranaense

I Encontro da rede Mãe Paranaense I Encontro da rede Infecções e Gestação : Atenção ao Filho de Mãe com Hepatite B e C Andrea Maciel de Oliverira Rossoni Serviço de Infectologia Pediátrica Atenção ao Filho de Mãe com Hepatite B e C Agenda

Leia mais

Diagnóstico Laboratorial da Diabetes Gestacional

Diagnóstico Laboratorial da Diabetes Gestacional Diagnóstico Laboratorial da Diabetes Gestacional Ivone Mirpuri Médica Patologista Clínica Especialista pela Carreira Hospitalar e Ordem dos Médicos DEFINIÇÃO GDM Intolerância à glicose identificada pela

Leia mais

Alexandre O. Chieppe

Alexandre O. Chieppe Transmissão Vertical da Sífilis S e do HIV Alexandre O. Chieppe Coordenação Estadual de DST/AIDS-CVE Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro Câmara Técnica de AIDS do CREMERJ Do Início da Epidemia

Leia mais

Alere Determine HIV-1/2. Saber Através do Rastreio. detectar... diagnosticar... determinar...

Alere Determine HIV-1/2. Saber Através do Rastreio. detectar... diagnosticar... determinar... Alere Determine HIV-1/2 Saber Através do Rastreio detectar... diagnosticar... determinar... A prevenção do VIH/SIDA começa com o conhecimento do estado do VIH. A maioria das infecções por VIH é diagnosticada

Leia mais

Resumo. Abstract. O atendimento obstétrico à mulher HIV positivo ATUALIZAÇÃO. The obstetric assistance to HIV positive pregnant women

Resumo. Abstract. O atendimento obstétrico à mulher HIV positivo ATUALIZAÇÃO. The obstetric assistance to HIV positive pregnant women The obstetric assistance to HIV positive pregnant women ATUALIZAÇÃO Resumo O advento da infecção pelo HIV tem gerado forte impacto social e, além do aspecto clínico, questões sociais e comportamentais

Leia mais

VÍRUS DA IMUNODEFICIÊNCIA HUMANA (VIH) PREVENÇÃO DA TRANSMISSÃO VERTICAL

VÍRUS DA IMUNODEFICIÊNCIA HUMANA (VIH) PREVENÇÃO DA TRANSMISSÃO VERTICAL VÍRUS DA IMUNODEFICIÊNCIA HUMANA () PREVENÇÃO DA TRANSMISSÃO VERTICAL Introdução A infecção na criança no nosso país faz-se quase exclusivamente por transmissão vertical pelo que é possível reduzir eficazmente

Leia mais

O PARTO NA PACIENTE SOROPOSITIVO

O PARTO NA PACIENTE SOROPOSITIVO O PARTO NA PACIENTE SOROPOSITIVO 1. TRIAGEM SOROLÓGICA - É recomendada a realização de teste anti-hiv com aconselhamento e com consentimento para todas as gestantes na primeira consulta pré-natal; - Enfatiza-se

Leia mais

Orientações Clínicas para profissionais de saúde. Evolução da taxa de cesarianas em Portugal

Orientações Clínicas para profissionais de saúde. Evolução da taxa de cesarianas em Portugal Orientações Clínicas para profissionais de saúde Evolução da taxa de cesarianas em Portugal Lisa Ferreira Vicente Divisão de Saúde Sexual, Reprodutiva, Infantil e Juvenil Direção-Geral da Saúde Reduzir

Leia mais

Professor: David Vieira Valadão. Biologia

Professor: David Vieira Valadão. Biologia Professor: David Vieira Valadão Biologia 1981 registro de casos atípicos de pneumonia entre homens homossexuais em Los Angeles (EUA). 1983 descoberta de um novo vírus em um paciente com AIDS. 1984 descoberta

Leia mais

Bebés em unidades de cuidados especiais: testes de rastreio para o seu bebé

Bebés em unidades de cuidados especiais: testes de rastreio para o seu bebé Bebés em unidades de cuidados especiais: testes de rastreio para o seu bebé Informações para os pais de bebés que se encontram numa unidade de cuidados especiais, numa unidade de cuidados intensivos neonatais

Leia mais

Aids em Pedia tria edia

Aids em Pedia tria edia Aids em Pediatria AGENDA Considerações epidemiológicas atuais Prevenção da transmissão vertical Diagnóstico em Pediatria Noções básicas de tratamento Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº

Leia mais

ARTIGO ORIGINAL. Resumo

ARTIGO ORIGINAL. Resumo ARTIGO ORIGINAL Transmissão materno-infantil do HIV em São José do Rio Preto em 2001 e 2002. Mother-to-child transmission of Human Immunodeficiency Virus (HIV) in São José do Rio Preto. Paulo R.S. David¹;

Leia mais

TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV EM GESTAÇÃO GEMELAR

TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV EM GESTAÇÃO GEMELAR TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV EM GESTAÇÃO GEMELAR ANA CÂNDIDA C. P. FERREIRA * LUIZ FERNADO TAVARES ** NILDO ELI MARQUES D ÁVILA*** RESUMO Apresentamos um relato de caso de gestação gemelar dizigótica em

Leia mais

Exame Farmacoterapia Época normal 2012

Exame Farmacoterapia Época normal 2012 Exame Farmacoterapia Época normal 2012 1. Sindrome metabólico explicar a diabetes, fármacos na terapêutica. 2. 4 antibióticos, num individuo com infecção urinaria resistente aos beta-lactamicos qual o

Leia mais

VIH-SIDA - SITUAÇÃO ACTUAL

VIH-SIDA - SITUAÇÃO ACTUAL VIH-SIDA - SITUAÇÃO ACTUAL 1 Quadro Institucional Estratégias : Até 22 Sanitarização da abordagem Depois de 22 Multisectorialidade e Descentralização Prevalência do VIH (%), em adultos dos 15-49 anos,

Leia mais

GESTANTE HIV* ACOMPANHAMENTO NO TRABALHO DE PARTO E PARTO. Recomendações do Ministério da Saúde Profª.Marília da Glória Martins

GESTANTE HIV* ACOMPANHAMENTO NO TRABALHO DE PARTO E PARTO. Recomendações do Ministério da Saúde Profª.Marília da Glória Martins GESTANTE HIV* ACOMPANHAMENTO NO TRABALHO DE PARTO E PARTO Recomendações do Ministério da Saúde Profª.Marília da Glória Martins Cerca de 65% dos casos de transmissão vertical do HIV ocorrem durante o trabalho

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 13, DE

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 13, DE SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 13, DE 2010 Acrescenta dispositivo à Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990, que dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências, para

Leia mais

PROJETO DE HUMANIZAÇÃO DO PARTO EM CAMPINA GRANDE - PB: RESULTADOS MATERNOS

PROJETO DE HUMANIZAÇÃO DO PARTO EM CAMPINA GRANDE - PB: RESULTADOS MATERNOS XI Encontro Nacional de Aleitamento Materno - ENAM Universidade Federal de Campina Grande UFCG Instituto de Saúde Elpídio de Almeida ISEA PROJETO DE HUMANIZAÇÃO DO PARTO EM CAMPINA GRANDE - PB: RESULTADOS

Leia mais

HIV no período neonatal prevenção e conduta

HIV no período neonatal prevenção e conduta HIV no período neonatal prevenção e conduta O HIV, agente causador da AIDS, ataca as células do sistema imune, especialmente as marcadas com receptor de superfície CD4 resultando na redução do número e

Leia mais

Caderneta da Gestante

Caderneta da Gestante MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE AÇÕES PROGRAMÁTICAS ESTRATÉGICAS COORDENAÇÃO GERAL DE SAÚDE DAS MULHERES Caderneta da Gestante * A assistência pré-natal se constitui em

Leia mais

Protocolo de prevenção da transmissão vertical do vírus da imuno deficiência humana (VIH)*

Protocolo de prevenção da transmissão vertical do vírus da imuno deficiência humana (VIH)* 0873-9781/08/39-2/79 Acta Pediátrica Portuguesa Sociedade Portuguesa de Pediatria SOCIEDADE PORTUGUESA DE PEDIATRIA CONSENSOS E RECOMENDAÇÕES Protocolo de prevenção da transmissão vertical do vírus da

Leia mais

Boletim epidemiológico HIV/AIDS - 2015 30/11/2015

Boletim epidemiológico HIV/AIDS - 2015 30/11/2015 HIV/AIDS - 215 3/11/215 Página 1 de 6 1. Descrição da doença A AIDS é uma doença causada pelo vírus do HIV, que é um retrovírus adquirido principalmente por via sexual (sexo desprotegido) e sanguínea,

Leia mais

Fernando Antônio de Souza Lyra Karla Patrícia Figueirôa Silva Mônica Maria Cardoso da Silva

Fernando Antônio de Souza Lyra Karla Patrícia Figueirôa Silva Mônica Maria Cardoso da Silva FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ CENTRO DE PESQUISAS AGGEU MAGALHÃES DEPARTAMENTO DE SAÚDE COLETIVA Especialização em Gestão de Sistemas e Serviços de Saúde Fernando Antônio de Souza Lyra Karla Patrícia Figueirôa

Leia mais

ESTATÍSTICAS DEMOGRÁFICAS DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2015

ESTATÍSTICAS DEMOGRÁFICAS DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2015 11 de outubro 2016 ESTATÍSTICAS DEMOGRÁFICAS DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2015 População residente Em 31 de dezembro de 2015, a população residente na Região Autónoma da Madeira (RAM) foi estimada em

Leia mais

Universidade Federal de Pelotas Departamento de Veterinária Preventiva Toxoplasmose Zoonoses e Administração em Saúde Pública

Universidade Federal de Pelotas Departamento de Veterinária Preventiva Toxoplasmose Zoonoses e Administração em Saúde Pública Universidade Federal de Pelotas Departamento de Veterinária Preventiva Toxoplasmose Zoonoses e Administração em Saúde Pública Fábio Raphael Pascoti Bruhn Por que estudar a toxoplasmose Zoonose Nos EUA,

Leia mais

PLANEJANDO A GRAVIDEZ

PLANEJANDO A GRAVIDEZ dicas POSITHIVAS PLANEJANDO A GRAVIDEZ Uma pessoa que vive com HIV/aids pode ter filhos biológicos? Pode. As pessoas que vivem com HIV/aids não devem abandonar seus sonhos, incluindo o desejo de construir

Leia mais

AVALIAÇÃO DA ABORDAGEM MÉDICA EM GESTANTES HIV POSITIVAS 1 MEDICAL EVALUATION APPROACH TO HIV POSITIVE PREGNANT WOMEN RESUMO

AVALIAÇÃO DA ABORDAGEM MÉDICA EM GESTANTES HIV POSITIVAS 1 MEDICAL EVALUATION APPROACH TO HIV POSITIVE PREGNANT WOMEN RESUMO ARTIGO ORIGINAL AVALIAÇÃO DA ABORDAGEM MÉDICA EM GESTANTES HIV POSITIVAS 1 MEDICAL EVALUATION APPROACH TO HIV POSITIVE PREGNANT WOMEN Eliete da Cunha ARAÚJO 2, Fábio Santos DROSDOSKI 3, Nivaldo Borges

Leia mais

Despacho n.º 280/96, de 6 de Setembro (DR, 2.ª série, n.º 237, de 12 de Outubro de 1996)

Despacho n.º 280/96, de 6 de Setembro (DR, 2.ª série, n.º 237, de 12 de Outubro de 1996) (DR, 2.ª série, n.º 237, de 12 de Outubro de 1996) Acesso aos medicamentos anti-retrovíricos, destinados ao tratamento da infecção pelo vírus da imunodeficiência humana (VIH) Em resultado da investigação

Leia mais

REUNIÃO PLENÁRIA CRSMCA Elsa Rocha

REUNIÃO PLENÁRIA CRSMCA Elsa Rocha REUNIÃO PLENÁRIA CRSMCA 20-11-2013 Elsa Rocha TERRITÓRIO 1 Distrito 16 Concelhos Área 500Km2 5,6% do território nacional UNIDADES DE SAÚDE CRSMCA 2010 Despacho 9872/2010 Hospital Portimão B2 UCF Barlavento

Leia mais

O desafio da prevenção da transmissão vertical do HIV no Município de Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro, Brasil

O desafio da prevenção da transmissão vertical do HIV no Município de Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro, Brasil ARTIGO ARTICLE 1153 O desafio da prevenção da transmissão vertical do HIV no Município de Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro, Brasil Prevention of vertical HIV transmission in Campos dos Goytacazes,

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO INICIAL - HOMEM VIH POSITIVO

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO INICIAL - HOMEM VIH POSITIVO INSTRUÇÕES PARA A EQUIPA DO ESTUDO: Após inscrição no estudo, os participantes devem preencher este questionário de avaliação inicial. Certifique-se de que é distribuído o questionário adequado. Após o

Leia mais

NÚMERO: 007/2011 DATA: 31/01/2011

NÚMERO: 007/2011 DATA: 31/01/2011 NÚMERO: 007/2011 DATA: 31/01/2011 ASSUNTO: PALAVRAS-CHAVE: PARA: CONTACTOS: Diagnóstico e conduta na Diabetes Gestacional Diabetes Gestacional; Diabetes; Gravidez Profissionais de Saúde Divisão de Saúde

Leia mais

Alexandre Naime Barbosa MD, PhD Professor Doutor - Infectologia

Alexandre Naime Barbosa MD, PhD Professor Doutor - Infectologia Alexandre Naime Barbosa MD, PhD Professor Doutor - Infectologia Encontro de Ligas de Infectologia/SP Associação Paulista de Medicina - APM Mai/2016 - São Paulo - SP - Brasil O material que se segue faz

Leia mais

16/02/2013 ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM ABORDAGEM SINDRÔMICA DAS DST. Prof. Rivaldo lira

16/02/2013 ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM ABORDAGEM SINDRÔMICA DAS DST. Prof. Rivaldo lira ABORDAGEM SINDRÔMICA DAS DST ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM Prof. Rivaldo lira 1 2 Assinale a alternativa que indica todas as afirmativas corretas. a) São corretas apenas as afirmativas 1 e 2. b) São corretas

Leia mais

PREVALÊNCIA DO PAPILOMAVÍRUS HUMANO (HPV) EM MULHERES JOVENS APÓS O PRIMEIRO PARTO EM SÃO PAULO-BRASIL

PREVALÊNCIA DO PAPILOMAVÍRUS HUMANO (HPV) EM MULHERES JOVENS APÓS O PRIMEIRO PARTO EM SÃO PAULO-BRASIL PREVALÊNCIA DO PAPILOMAVÍRUS HUMANO (HPV) EM MULHERES JOVENS APÓS O PRIMEIRO PARTO EM SÃO PAULO-BRASIL Rama CH 1,2, Villa LL 3, Longatto-Filho A 4, Pagliusi S 5, Andreoli MA 3, Thomann P 6, Eluf-Neto J

Leia mais

SEMINÁRIO NACIONAL UNIMED DE MEDICINA PREVENTIVA: Gestão da Saúde Corporativa. Cases. Dr. Roberto Assumpção Diretoria de Promoção à Saúde

SEMINÁRIO NACIONAL UNIMED DE MEDICINA PREVENTIVA: Gestão da Saúde Corporativa. Cases. Dr. Roberto Assumpção Diretoria de Promoção à Saúde SEMINÁRIO NACIONAL UNIMED DE MEDICINA PREVENTIVA: Gestão da Saúde Corporativa Cases Dr. Roberto Assumpção Diretoria de Promoção à Saúde Telefônica em Números: 20. 000 empregados Nº de clientes Fixa: 11

Leia mais

Campanha anti-tabágicatabágica

Campanha anti-tabágicatabágica Prevenção do Parto Pré-termo Curso da Ordem dos Médicos Parto pré-termo Maternidade Bissaya Barreto Teresa Vicente Coimbra 2010 Prevenção do Parto Pré-termo Intervenções para diminuir a morbilidade e mortalidade

Leia mais

[Entrevistador: As questões deste módulo são dirigidas às mulheres que tiveram o último parto posteriores a / / )

[Entrevistador: As questões deste módulo são dirigidas às mulheres que tiveram o último parto posteriores a / / ) Módulo S. Atendimento Pré-natal Agora vou lhe fazer perguntas sobre o atendimento pré-natal. [Entrevistador: As questões deste módulo são dirigidas às mulheres que tiveram o último parto posteriores a

Leia mais

InDUÇÃO DO TRABALHO DE PARTO

InDUÇÃO DO TRABALHO DE PARTO CAPÍTULO 17 InDUÇÃO DO TRABALHO DE PARTO 1. CONCEITO Consiste em estimular artiicialmente as contrações uterinas coordenadas e efetivas antes de seu início espontâneo, levando ao desencadeamento do trabalho

Leia mais

Diagnóstico Tardio do HIV em Crianças e Adolescentes Nascidas de mães Portadoras do HIV" Programa Estadual de DST/AIDS-SP www.crt.saude.sp.gov.

Diagnóstico Tardio do HIV em Crianças e Adolescentes Nascidas de mães Portadoras do HIV Programa Estadual de DST/AIDS-SP www.crt.saude.sp.gov. Diagnóstico Tardio do HIV em Crianças e Adolescentes Nascidas de mães Portadoras do HIV" Programa Estadual de DST/AIDS-SP www.crt.saude.sp.gov.br Casos notificados de AIDS, Brasil e São Paulo - 1980 a

Leia mais

Revista de Saúde Pública ISSN: 0034-8910 revsp@usp.br Universidade de São Paulo Brasil

Revista de Saúde Pública ISSN: 0034-8910 revsp@usp.br Universidade de São Paulo Brasil Revista de Saúde Pública ISSN: 34-891 revsp@usp.br Universidade de São Paulo Brasil de Brito, Ana Maria; Lopes de Sousa, Jailson; Feitosa Luna, Carlos; Dourado, Inês Tendência da transmissão vertical de

Leia mais

Cap. 12: Os grupos sanguíneos são determinados geneticamente. Equipe de Biologia

Cap. 12: Os grupos sanguíneos são determinados geneticamente. Equipe de Biologia Cap. 12: Os grupos sanguíneos são determinados geneticamente Equipe de Biologia O sangue humano Plasma Globulinas ou anticorpos Aglutininas Reagem com antígenos de superfície de hemácias Elementos figurados

Leia mais

03/04/2016. virus\youtube - O VRUS DA IMUNODEFICINCIA HUMANA.mpeg

03/04/2016. virus\youtube - O VRUS DA IMUNODEFICINCIA HUMANA.mpeg virus\youtube - O VRUS DA IMUNODEFICINCIA HUMANA.mpeg 1 AIDS (SIDA) Síndrome da Imunodeficiência Adquirida Causador: HIV Vírus da Imunodeficiência Humana. Ataca os Linfócitos T CD4 Precursoras dos ANTICORPOS

Leia mais

Infecções congênitas. Prof. Regia Lira

Infecções congênitas. Prof. Regia Lira Infecções congênitas Prof. Regia Lira 12 de maio de 2015 ADAPTAÇÃO IMUNOLÓGICA MATERNO-FETAL Interpretação de resultados dos imunoensaios: Feto ou necém-nascido: sistema imune em desenvolvimento (fora

Leia mais

Perfil clínico e epidemiológico de gestantes infectadas pelo HIV em um serviço do sul do Brasil

Perfil clínico e epidemiológico de gestantes infectadas pelo HIV em um serviço do sul do Brasil Cristine Kolling Ko n o p k a 1 Sandra Tr e v i s a n Be c k 2 Denise Wi g g e r s 3 Alexandre Kieslich da Si lva 4 Felipe Po l g at i Diehl 5 Fe r n a n da Ga b r i e l Sa n to s 6 Perfil clínico e epidemiológico

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE FOLLOW-UP - HOMEM VIH POSITIVO

QUESTIONÁRIO DE FOLLOW-UP - HOMEM VIH POSITIVO INSTRUÇÕES PARA A EQUIPA DO ESTUDO: Os participantes no estudo devem preencher o questionário de follow-up com intervalos regulares de - meses. Certifique-se de que é distribuído o questionário adequado.

Leia mais

CALENDÁRIO DE VACINAÇÃO CRIANÇA ATÉ 6 ANOS DE IDADE

CALENDÁRIO DE VACINAÇÃO CRIANÇA ATÉ 6 ANOS DE IDADE CALENDÁRIO DE VACINAÇÃO CRIANÇA ATÉ 6 ANOS DE IDADE CALENDÁRIO DE VACINAÇÃO CRIANÇA ATÉ 6 ANOS DE IDADE 2013 IDADE VACINA A PARTIR DO NASCIMENTO 2 MESES BCG 1 HEPATITE B 2 VACINA VIP 3 PENTAVALENTE 7 ROTAVÍRUS

Leia mais

LIVRO DE RESUMOS COORDENADORES:

LIVRO DE RESUMOS COORDENADORES: IX Congresso da Associação Portuguesa de Licenciados em Farmácia XXVII Encontro Nacional de Técnicos de Farmácia IV Encontro Nacional de Estudantes de Farmácia LIVRO DE RESUMOS COORDENADORES: Luís Miguel

Leia mais

Nota Introdutória. É anónimo e garante-se confidencialidade dos dados.

Nota Introdutória. É anónimo e garante-se confidencialidade dos dados. Nota Introdutória Daniela Filipa Soares Dores, a frequentar o 4º ano de Licenciatura em Enfermagem da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade Fernando Pessoa, encontra-se a elaborar um Trabalho

Leia mais

TÍTULO: AUTORES: E-Mail INSTITUIÇÃO ÁREA TEMÁTICA: INTRODUÇÃO OBJETIVOS: Objetivo geral Objetivos específicos

TÍTULO: AUTORES: E-Mail INSTITUIÇÃO ÁREA TEMÁTICA: INTRODUÇÃO OBJETIVOS: Objetivo geral Objetivos específicos TÍTULO:AVALIAÇÃO DA PREVENÇÃO DA TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV NO HULW EM JOÃO PESSSOA - PB AUTORES: Karina Carla de Paula Medeiros, Ana Cecília Bezerra Carvalho, Márcia Regina Piuvezam, Margareth de Fátima

Leia mais

Gravidez e Doença Tiroideia

Gravidez e Doença Tiroideia Gravidez e Doença Tiroideia Hipotiroidismo Teresa Dias Assistente Hospitalar Graduada em Endocrinologia HSM Assistente Livre FML Caso Clínico 26 anos, gravidez 6 semanas G2, P0; 1 aborto espontâneo Não

Leia mais

Princípios e Recomendações Gerais

Princípios e Recomendações Gerais Divulgação de Boas Práticas 13 e 14 de Dezembro de 2011 Princípios e Recomendações Gerais Vacinação em circunstâncias especiais Administração de imunoglobulinas Ana Leça, Direcção Geral da Saúde (DGS)

Leia mais

Co-infecção HIV/HBV. Quando e como tratar?

Co-infecção HIV/HBV. Quando e como tratar? Co-infecção HIV/HBV. Quando e como tratar? XVI WORKSHOP INTERNACIONAL DE HEPATITES VIRAIS DE PERNAMBUCO, 2012 Marcos Caseiro Médico Infectologista IIER-II Santos SP Centro de Referência em AIDS de Santos

Leia mais

VAMOS FALAR SOBRE. AIDS + DSTs

VAMOS FALAR SOBRE. AIDS + DSTs VAMOS FALAR SOBRE AIDS + DSTs AIDS A AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida) atinge indiscriminadamente homens e mulheres e tem assumido proporções assustadoras desde a notificação dos primeiros

Leia mais

USO DO MISOPROSTOL EM GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA

USO DO MISOPROSTOL EM GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA USO DO MISOPROSTOL EM GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA A obstetrícia e a ginecologia vivenciam a crescente utilização do misoprostol para indução do parto a termo, para o abortamento retido e feto morto, e para

Leia mais

Conhecendo o vírus v. Vírus da Imunodeficiência Humana VIH

Conhecendo o vírus v. Vírus da Imunodeficiência Humana VIH Conhecendo o vírus v da Sida Vírus da Imunodeficiência Humana VIH Conhecendo o Vírus da Sida O vírus entra na corrente sanguínea; Determina a posição exacta e reconhece os linfócitos T helper, fixando-se

Leia mais

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO TUBERCULOSE

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO TUBERCULOSE 22 de março de 2016 Página 1/6 DEFINIÇÃO DE CASO CONFIRMADO Todo indivíduo com diagnóstico bacteriológico (baciloscopia ou cultura para BK ou teste rápido molecular para tuberculose) E indivíduos com diagnóstico

Leia mais

Isoimunização materna pelo fator Rh

Isoimunização materna pelo fator Rh Universidade Federal de Goiás Faculdade de Enfermagem Ginecologia e Obstetrícia II Goiânia 2013 Isoimunização materna pelo fator Rh Docentes: Drª. Nilza Alves Marques Almeida Drª. Cleusa Alves Martins

Leia mais

INFECÇÃO PELO CITOMEGALOVÍRUS DURANTE A GRAVIDEZ E NO RECÉM-NASCIDO

INFECÇÃO PELO CITOMEGALOVÍRUS DURANTE A GRAVIDEZ E NO RECÉM-NASCIDO INFECÇÃO PELO CITOMEGALOVÍRUS DURANTE A GRAVIDEZ E NO RECÉM-NASCIDO Recomendações para o Diagnóstico Pré-Natal Virológico Importância da determinação da Avidez, para o diagnóstico e prevenção das infecções

Leia mais

HIV-AIDS. Infecções Peri-natais

HIV-AIDS. Infecções Peri-natais Transmissão Relação sexual Transfusão de sangue Transmissão vertical Acidente de trabalho Retrato da epidemia de aids Nacionalmente estável e concentrada em populações-chave Casos acumulados de aids (até

Leia mais

HIV em. Especiais: O idoso. Keli Cardoso de Melo Outubro/2005

HIV em. Especiais: O idoso. Keli Cardoso de Melo Outubro/2005 HIV em Populações Especiais: O idoso Keli Cardoso de Melo Outubro/2005 HIV/AIDS x Idosos! 40 milhões de pessoas com HIV/AIDS! 10% dos casos de AIDS > 50 anos! ¼ em indivíduos > 60 anos! Mulheres " incidência

Leia mais

Norma Institucional nº. 006/SCIH/HU

Norma Institucional nº. 006/SCIH/HU UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA HOSPITAL UNIVERSITÁRIO PROF. POLYDORO ERNANI DE SÃO THIAGO COMISSÃO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR SERVIÇO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR Norma Institucional

Leia mais

HIV/AIDS and the road transport sector

HIV/AIDS and the road transport sector Apresentação 1 HIV/AIDS and the road transport sector VIH e SIDA e o sector do transporte rodoviário Compreender o VIH e a SIDA VIH e SIDA VIH: Vírus da Imunodeficiência Humana SIDA: Síndrome da Imunodeficiência

Leia mais

TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV EM POPULAÇÃO DE BAIXA RENDA DO SUL DO BRASIL HIV VERTICAL TRANSMISSION IN LOW CLASS POPULATION

TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV EM POPULAÇÃO DE BAIXA RENDA DO SUL DO BRASIL HIV VERTICAL TRANSMISSION IN LOW CLASS POPULATION ARTIGO ARTICLE TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV EM POPULAÇÃO DE BAIXA RENDA DO SUL DO BRASIL HIV VERTICAL TRANSMISSION IN LOW CLASS POPULATION IN THE SOUTH OF BRAZIL Mariane Stefani 1, Breno F Araújo 2, Neiva

Leia mais

Oseltamivir para Influenza H1N1. Paulo D. Picon, MD, PhD Professor Adjunto Medicina Interna, FAMED-UFRGS Chefe da Política de Medicamentos da SES-RS

Oseltamivir para Influenza H1N1. Paulo D. Picon, MD, PhD Professor Adjunto Medicina Interna, FAMED-UFRGS Chefe da Política de Medicamentos da SES-RS Oseltamivir para Influenza H1N1 Paulo D. Picon, MD, PhD Professor Adjunto Medicina Interna, FAMED-UFRGS Chefe da Política de Medicamentos da SES-RS Foi descoberto como tudo começou! E o Tratamento? Como

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DE RISCO GESTACIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA

CLASSIFICAÇÃO DE RISCO GESTACIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA CLASSIFICAÇÃO DE RISCO GESTACIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA Dra. Cássia Elena Soares Fluxograma de Pré-Natal Mulher com suspeita de gravidez Atraso menstrual Náusea Suspensão ou irregularidade do uso do contraceptivo

Leia mais

Gestação em casais sorodiscordantes. Isabella Nóbrega CEDAP / SEMAE Salvador, BA

Gestação em casais sorodiscordantes. Isabella Nóbrega CEDAP / SEMAE Salvador, BA Gestação em casais sorodiscordantes Isabella Nóbrega CEDAP / SEMAE Salvador, BA 2014 Gestação: planejada e não planejada Até 85% das gestações em mulheres HIV(+) não são planejadas Preparar-se para a possibilidade

Leia mais

RA Vila Isabel. Indicadores Rio Como Vamos

RA Vila Isabel. Indicadores Rio Como Vamos 3 RA Vila Isabel Indicadores Rio Como Vamos 1 CARACTERÍSTICAS DA POPULAÇÃO A Região Administrativa (RA) de Vila Isabel faz parte da Área de Planejamento 2. Abaixo podemos observar os gráficos referentes

Leia mais

Vacinação em populações especiais: imunodeficientes, grávidas, recém nascidos prematuros, viajantes e profissionais de saúde.

Vacinação em populações especiais: imunodeficientes, grávidas, recém nascidos prematuros, viajantes e profissionais de saúde. Vacinação em populações especiais: imunodeficientes, grávidas, recém nascidos prematuros, viajantes e profissionais de saúde CRIE/IPEC Fiocruz Impacto dos programas de vacinação Fonte: CDC/James Hicks

Leia mais

39º Congresso Brasileiro de Patologia Clínica / Medicina Laboratorial. Flávia J. Almeida

39º Congresso Brasileiro de Patologia Clínica / Medicina Laboratorial. Flávia J. Almeida 39º Congresso Brasileiro de Patologia Clínica / Medicina Laboratorial orial 39º Congresso Brasileiro de Patologia Clínica / Medicina Laboratorial orial HIV HIV no no Recém-Nascido Recém-Nascido Flávia

Leia mais

Tendência da transmissão vertical da AIDS após terapia anti-retroviral no Estado de Santa Catarina de 1994 a 2006.

Tendência da transmissão vertical da AIDS após terapia anti-retroviral no Estado de Santa Catarina de 1994 a 2006. Tendência da transmissão vertical da AIDS após terapia anti-retroviral no Estado de Santa Catarina de 994 a 26. Maternal-infant vertical transmission of AIDS trends after antiretroviral therapy in Santa

Leia mais

Unidade 1. jcmorais 09

Unidade 1. jcmorais 09 Unidade 1 jcmorais 09 Actualmente possuímos conhecimentos e técnicas capazes de controlar a fertilidade, de modo a: Diminuir a fertilidade humana Aumentar a fertilidade humana Contracepção e métodos contraceptivos

Leia mais

GESTANTE HIV* ACOMPANHAMENTO PRÉ-NATAL. Profª.Marília da Glória Martins Recomendações do Ministério da Saúde

GESTANTE HIV* ACOMPANHAMENTO PRÉ-NATAL. Profª.Marília da Glória Martins Recomendações do Ministério da Saúde GESTANTE HIV* ACOMPANHAMENTO PRÉ-NATAL Profª.Marília da Glória Martins Recomendações do Ministério da Saúde Abordagem inicial a Os serviços que hoje são considerados porta de entrada para o diagnóstico

Leia mais

Introdução. Parte do Trabalho de Conclusão de Curso do Primeiro Autor. 2

Introdução. Parte do Trabalho de Conclusão de Curso do Primeiro Autor. 2 399 IMPLANTAÇÃO DA VACINAÇÃO CONTRA O PAPILOMAVÍRUS HUMANO (HPV) NA POPULAÇÃO FEMININA EM IDADE FÉRTIL: PERSPECTIVAS DE DIMINUIÇÃO DA INCIDÊNCIA DE CASOS DE CÂNCER DE COLO DO ÚTERO 1 Kelen Lopes Da Silva

Leia mais

Incorporação do Palivizumabe para Imunização contra o vírus sincicial respiratório (VSR)

Incorporação do Palivizumabe para Imunização contra o vírus sincicial respiratório (VSR) Incorporação do Palivizumabe para Imunização contra o vírus sincicial respiratório (VSR) O vírus sincicial respiratório (VSR) é um dos principais agentes etiológicos envolvidos nas infecções respiratórias

Leia mais

Gravidez na Adolescência

Gravidez na Adolescência Hospital Prof. Doutor Fernando da Fonseca Serviço de Obstetrícia Direcção de Serviço: Dr.ª Fernanda Matos Sessão Clínica Hospitalar Gravidez na Adolescência Bruna Ambrósio Mariana Miranda Participação

Leia mais

Factos e Números sobre o VIH-SIDA. Associação Europeia de Fabricantes de Meios de Diagnóstico. Meios de Diagnóstico in Vitro

Factos e Números sobre o VIH-SIDA. Associação Europeia de Fabricantes de Meios de Diagnóstico. Meios de Diagnóstico in Vitro Factos e Números sobre o VIH-SIDA Associação Europeia de Fabricantes de Meios de Diagnóstico Meios de Diagnóstico in Vitro Fazer verdadeiramente a diferença na saúde e na qualidade de vida Novembro de

Leia mais

SEÇÃO DE SAÚDE DA MULHER AVALIAÇÃO DE RISCO NO PRÉ-NATAL DE BAIXO RISCO

SEÇÃO DE SAÚDE DA MULHER AVALIAÇÃO DE RISCO NO PRÉ-NATAL DE BAIXO RISCO Secretaria da Saúde Departamento de Ações em Saúde SEÇÃO DE SAÚDE DA MULHER AVALIAÇÃO DE RISCO NO PRÉ-NATAL DE BAIXO RISCO OBJETIVO DO PRÉ-NATAL Diagnosticar a gestação precocemente. Auxiliar a gestante

Leia mais

APRESENTAÇÃO E-PÔSTER DATA: 19/10/16 LOCAL: SALAS PRÉDIO IV

APRESENTAÇÃO E-PÔSTER DATA: 19/10/16 LOCAL: SALAS PRÉDIO IV APRESENTAÇÃO E-PÔSTER DATA: 19/10/16 LOCAL: SALAS PRÉDIO IV TÍTULO E-PÔSTER SALA PRÉDIO IV HORÁRIO RESISTÊNCIA A MÚLTIPLAS DROGAS NA TERAPIA ANTICÂNCER E O POTENCIAL EFEITO DE FLAVONOIDES NA RECUPERAÇÃO

Leia mais

Genética Clínica História e Exame Físico

Genética Clínica História e Exame Físico 7 o Congresso Nacional de Pediatria Região Norte - Manaus Genética Clínica História e Exame Físico Prof a Dr a Ana Maria Martins UNIFESP-EPM CONCEITOS Ana Maria Martins UNIFESP -EPM DESVIO FENOTÍPICO:

Leia mais

Infecção pelo VIH na Grávida e Criança

Infecção pelo VIH na Grávida e Criança Infecção pelo VIH na Grávida e Criança LINO ROSADO* *Chefe de Serviço de Pediatria Unidade de Imuno-hematologia do Hospital de Dona Estefânia INTRODUÇÃO O controlo da infecção pelo Vírus da Imunodeficiência

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DOS RISCOS BIOLÓGICOS DE ACORDO COM A NR 32

IDENTIFICAÇÃO DOS RISCOS BIOLÓGICOS DE ACORDO COM A NR 32 IDENTIFICAÇÃO DOS RISCOS BIOLÓGICOS DE ACORDO COM A NR 32 1 PROCEDIMENTOS PARA AVALIAÇÃO E CONTROLE DE AGENTES BIOLÓGICOS Objetivo: Determinar a natureza, grau e o tempo de exposição dos trabalhadores

Leia mais

The epidemiological situation of hepatitis C in Portugal

The epidemiological situation of hepatitis C in Portugal The epidemiological situation of hepatitis C in Portugal Paula Peixe Serviço de Gastrenterologia Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental, EPE Hospital Egas Moniz Director: Dr Leopoldo Matos Summary Estimated

Leia mais

ACOMPANHAMENTO DA PUÉRPERA HIV* Recomendações do Ministério da Saúde Transcrito por Marília da Glória Martins

ACOMPANHAMENTO DA PUÉRPERA HIV* Recomendações do Ministério da Saúde Transcrito por Marília da Glória Martins ACOMPANHAMENTO DA PUÉRPERA HIV* Puerpério Imediato Acompanhamento da puérpera HIV* 1. Inibir a lactação através do enfaixamento das mamas com ataduras ou comprimindo-as com um top e evitando, com isso,

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Médicas

Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Medicina. Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Médicas Universidade Federal do Rio Grande do Sul Faculdade de Medicina Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Médicas Transmissão perinatal do HIV-1 entre participantes do programa de controle do HIV/AIDS

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE FOLLOW-UP - HOMEM VIH NEGATIVO

QUESTIONÁRIO DE FOLLOW-UP - HOMEM VIH NEGATIVO INSTRUÇÕES PARA A EQUIPA DO ESTUDO: Os participantes no estudo devem preencher o questionário de follow-up com intervalos regulares de -6 meses. Certifique-se de que é distribuído o questionário adequado.

Leia mais

CURSO DE ODOONTOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14

CURSO DE ODOONTOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 CURSO DE ODOONTOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 Componente Curricular: Microbiologia Oral Código: ODO-018 Pré-requisito: Microbiologia

Leia mais

Conheça algumas doenças tipicamente femininas

Conheça algumas doenças tipicamente femininas Uol - SP 03/12/2014-11:51 Conheça algumas doenças tipicamente femininas Da Redação ANSIEDADE: este transtorno mental é caracterizado por preocupações, tensões ou medos exagerados, sensação contínua de

Leia mais

PERCURSO 5 Brasil: distribuição e crescimento da população. 7º ano EBS Prof. Gabriel Rocha

PERCURSO 5 Brasil: distribuição e crescimento da população. 7º ano EBS Prof. Gabriel Rocha PERCURSO 5 Brasil: distribuição e crescimento da população 7º ano EBS Prof. Gabriel Rocha PAÍSES MAIS POPULOSOS DO MUNDO 1 China: 1.372.470.000 2 Índia: 1.278.160.000 3 EUA: 321.968.000 4 Indonésia: 255.780.000

Leia mais

Papel das Unidades Básicas Casa da Gestante. II Encontro das Casas da Gestante do Rio Grande do Sul SES/RS Dezembro 2009

Papel das Unidades Básicas Casa da Gestante. II Encontro das Casas da Gestante do Rio Grande do Sul SES/RS Dezembro 2009 Papel das Unidades Básicas Casa da Gestante II Encontro das Casas da Gestante do Rio Grande do Sul SES/RS Dezembro 2009 Alguns dados: Ao analisar os dados de nascimento e óbitos dos RN residentes em Canoas

Leia mais

A TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV NA PERCEPÇÃO DE MULHERES BRASILEIRAS

A TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV NA PERCEPÇÃO DE MULHERES BRASILEIRAS A TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV NA PERCEPÇÃO DE MULHERES BRASILEIRAS THE HIV VERTICAL TRANSMISSION THROUGH THE PERCEPTION OF BRAZILIAN WOMEN Cléa Adas Saliba GARBIN 1 Artênio José Isper GARBIN 2 Suzely Adas

Leia mais

QUALIDADE, IACS E CUSTOS: UM TRINÔMIO DANADO. Estudos de custos

QUALIDADE, IACS E CUSTOS: UM TRINÔMIO DANADO. Estudos de custos QUALIDADE, IACS E CUSTOS: UM TRINÔMIO DANADO Estudos de custos Antonio Tadeu Fernandes CLASSIFICAÇÃO DOS CUSTOS DAS IRAS Custos diretos Durante a hospitalização Gastos para cuidados e tratamento do paciente

Leia mais