Crime público desde Lei 7/2000 de Denúncia para além dos seis meses Lei aplicável: vigente no momento prática do último ato Tribunal

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Crime público desde Lei 7/2000 de Denúncia para além dos seis meses Lei aplicável: vigente no momento prática do último ato Tribunal"

Transcrição

1

2 1 Quem, de modo reiterado ou não, infligir maus tratos físicos ou psíquicos, incluindo castigos corporais, privações da liberdade e ofensas sexuais: a) Ao cônjuge ou ex-cônjuge; b) A pessoa de outro ou do mesmo sexo com quem o agente mantenha ou tenha mantido uma relação de namoro ou uma relação análoga à dos cônjuges, ainda que sem coabitação; c) O progenitor de descendente comum em 1º grau; ou d) A pessoa particularmente indefesa, nomeadamente em razão da idade, deficiência, doença, gravidez ou dependência económica, que com ele coabite; é punido com pena de prisão de um a cinco anos, se pena mais grave lhe não couber por força de outra disposição legal. 2 No caso previsto no número anterior, se o agente praticar o facto contra menor, na presença de menor, no domicílio comum ou no domicílio da vítima é punido com pena de prisão de dois a cinco anos. 3 Se dos factos previstos no nº 1 resultar: a) Ofensa à integridade física grave, o agente é punido com pena de prisão de dois a oito anos; b) A morte, o agente é punido com pena de prisão de três a dez anos. 4 Nos casos previstos nos números anteriores, podem ser aplicadas ao arguido as penas acessórias de proibição de contacto com a vítima e de proibição de uso e porte de armas, pelo período de seis meses a cinco anos, e de obrigação de frequência de programas específicos de prevenção da violência doméstica. 5 - A pena acessória de proibição de contacto com a vítima deve incluir o afastamento da residência ou do local de trabalho desta e o seu cumprimento deve ser fiscalizado por meios técnicos de controlo à distância. 6 Quem for condenado por crime previsto neste artigo pode, atenta a concreta gravidade do facto e a sua conexão com a função exercida pelo agente, ser inibido do exercício do poder paternal, da tutela ou da curatela por um período de um a dez anos.

3 Crime público desde Lei 7/2000 de Denúncia para além dos seis meses Lei aplicável: vigente no momento prática do último ato Tribunal competente: o do último ato que integra a continuidade da atividade criminosa (consumação) Por cada vítima, um crime

4 Crime contra pessoas Mais do que a integridade física Mais do que a proteção da comunidade familiar, conjugal, educacional ou laboral Saúde: física, psíquica e mental assegurando o desenvolvimento pleno da vítima enquanto manifestação da dignidade da pessoa humana e da garantia da integridade pessoal contra os tratos cruéis

5 Cônjuge Ex- Cônjuge (Lei 59/2007 de 04.09) Pessoa do outro ou do mesmo sexo com quem mantém, ou tenha mantido, em condições análogas às dos cônjuges (comunhão de leito e economia) ainda que sem coabitação (Lei 59/2007 de 04.09) Pessoa do outro ou do mesmo sexo com quem mantém, ou tenha mantido, uma relação de namoro (Lei 19/2013 de 21.02) Progenitor de descendente comum em 1.º grau (Lei 7/2000 de 27.05) Pessoa particularmente indefesas, nomeadamente em razão da idade, deficiência, doença, gravidez ou dependência económica, que com ele coabite (idosos e crianças)

6 Violência física Violência sexual Violência psíquica (alteração DL 48/95 de 15.03) (injuria, difamação, ameaça) Privação da liberdade (sequestro simples) Privação do sono Privação de meios de subsistência Tratamento cruel, humilhante e com desprezo (reiterada omissão de fornecimento a horas de refeições, medicação, água, eletricidade, gás, correio) Sobrecarga com trabalhos excessivos Castigos corporais Modo reiterado ou não Por ação ou omissão

7 Vítima menor (PP 2-5 anos) Factos praticados na presença de menor (PP 2-5 anos), Factos praticados no domicílio comum ou no domicílio da vítima (PP 2-5 anos) Vítima com ofensa à integridade física grave (PP 2-8 anos) Morte da vítima (PP 3-10 anos)

8 Proibição de contacto com a vítima (6 M a 5 A) Proibição de uso e porte de armas (6M a 5 A) Obrigação de frequência de programas específicos de prevenção da violência doméstica Proibição de contacto com a vítima deve incluir o afastamento da residência ou do local de trabalho desta e o seu cumprimento deve ser fiscalizado por meios técnicos de controlo à distância. Inibição do exercício do poder paternal, da tutela ou da curatela (1 a 10 A)

9 Casa de apoio a mulheres vítimas de violência (Lei 107/99 de 03.08) Estatuto de vítima Natureza urgente do processo até ao trânsito em julgado Utilização de meios técnicos para controlo à distância dos agressores na pendencia do inquérito e após condenação para controlo de afastamento da residência da vítima Possibilidade de detenção do agressor fora de flagrante delito para proteção da vítima ou cessar a atividade criminosa Direito das vítimas a indemnização e apoio judicial, médico, social e laboral Direito a proteção por teleassistência por sinalização das entidades competentes (OPC, rede nacional de apoio às vitimas de violência doméstica e CIG)

10 Requerimento livre e esclarecido por parte da vítima Ausência de condenação anterior por crime da mesma natureza Ausência de aplicação de suspensão provisoria do processo por crime da mesma natureza

11 2011 Total de entradas: 1757 VD: 266 (15,14%) Arquivamentos: 142 Acusações: 34 Suspensões Provisórias do Processo: Total de entradas: 1679 VD: 205 (12,21%) Arquivamentos: 150 Acusações: 22 Suspensões Provisórias do Processo: Total de entradas: 1619 VD: 188 (11,61%) Arquivamentos: 105 Acusações: 24 Suspensões Provisórias do Processo: 14

12 Não comete o crime de violência doméstica, mas o de ofensa à integridade física simples quando apenas resulta provado que num determinado dia o arguido colocou com força na zona do pescoço da assistente e que, por essa forma, lhe causou lesões. O arguido que, no decurso da vivência em comunhão de cama, mesa e habitação com a ofendida, a agarra e empurra, causando-lhe, como consequência direta e necessária dessa conduta, dores e equimoses no tórax e no braço esquerdo, lesões determinantes de cinco dias de doença sem afetação da capacidade de trabalho geral, comete, não o crime de violência doméstica, mas tão só o crime de ofensa à integridade física simples. Para efeitos de integração do conceito de maus tratos referido no art.º 152º CP, assumem relevância não só as injúrias proferidas em alta voz que se prolongaram no tempo, durante meses, e se seguiram a comportamentos idênticos valorados no âmbito de anterior condenação, mas também a ameaça e o repetido bater com força a porta do frigorífico e as loiças, o que, tudo junto, provocou «estados de nervos constantes, angústia, privação de sono, excitação e irritabilidade permanentes e sentimentos de sujeição aos humores dele». Concurso entre violência doméstica e homicídio doloso

CÓDIGO PENAL CÓDIGO DE PROCESSO PENAL

CÓDIGO PENAL CÓDIGO DE PROCESSO PENAL LEI E PROCESSO CÓDIGO PENAL CÓDIGO DE PROCESSO PENAL 2015 2ª Edição Actualização nº 3 CÓDIGO PENAL CÓDIGO DE PROCESSO PENAL Actualização nº 3 ORGANIZAÇÃO BDJUR BASE DE DADOS JURÍDICA EDITOR EDIÇÕES ALMEDINA,

Leia mais

IGUALDADE DE GÉNERO E NÃO DISCRIMINAÇÃO: VIOLÊNCIA DE GÉNERO. Marta Silva Núcleo Violência Doméstica/Violência de Género Janeiro 2009

IGUALDADE DE GÉNERO E NÃO DISCRIMINAÇÃO: VIOLÊNCIA DE GÉNERO. Marta Silva Núcleo Violência Doméstica/Violência de Género Janeiro 2009 IGUALDADE DE GÉNERO E NÃO DISCRIMINAÇÃO: VIOLÊNCIA DE GÉNERO Marta Silva Núcleo Violência Doméstica/Violência de Género Janeiro 2009 A violência contra as mulheres visibilidade e colocação do problema

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 659/XII/4.ª

PROJETO DE LEI N.º 659/XII/4.ª PROJETO DE LEI N.º 659/XII/4.ª Procede à alteração do Código Penal, criando os crimes de perseguição e casamento forçado em cumprimento do disposto na Convenção de Istambul Exposição de Motivos Nos últimos

Leia mais

A LEGISLAÇÃO SOBRE VIOLÊNCIA STICA:

A LEGISLAÇÃO SOBRE VIOLÊNCIA STICA: A LEGISLAÇÃO SOBRE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA STICA: Compatibilização do Código Penal e Diplomas Complementares às actuais manifestações do fenómeno. Bragança 25/06/2207 Maria João Taborda DIAP DO PORTO SECÇÃO

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 62/XIII

PROJETO DE LEI N.º 62/XIII PROJETO DE LEI N.º 62/XIII 41ª ALTERAÇÃO AO CÓDIGO PENAL, APROVADO PELO DECRETO-LEI N.º 400/82, DE 23 DE SETEMBRO, CRIMINALIZANDO UM CONJUNTO DE CONDUTAS QUE ATENTAM CONTRA OS DIREITOS FUNDAMENTAIS DOS

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 664/XII/4.ª ALTERA A PREVISÃO LEGAL DOS CRIMES DE VIOLAÇÃO E COAÇÃO SEXUAL NO CÓDIGO PENAL

PROJETO DE LEI N.º 664/XII/4.ª ALTERA A PREVISÃO LEGAL DOS CRIMES DE VIOLAÇÃO E COAÇÃO SEXUAL NO CÓDIGO PENAL Grupo Parlamentar. PROJETO DE LEI N.º 664/XII/4.ª ALTERA A PREVISÃO LEGAL DOS CRIMES DE VIOLAÇÃO E COAÇÃO SEXUAL NO CÓDIGO PENAL Exposição de motivos O crime de violação atinge, sobretudo, mulheres e crianças.

Leia mais

Legislação Penal Especial Lei de Tortura Liana Ximenes

Legislação Penal Especial Lei de Tortura Liana Ximenes Lei de Tortura Liana Ximenes 2014 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Lei de Tortura -A Lei não define o que é Tortura, mas explicita o que constitui tortura. -Equiparação

Leia mais

A legislação sobre violência doméstica: Compatibilização do Código Penal e Diplomas Complementares às Actuais Manifestações do Fenómeno

A legislação sobre violência doméstica: Compatibilização do Código Penal e Diplomas Complementares às Actuais Manifestações do Fenómeno A legislação sobre violência doméstica: Compatibilização do Código Penal e Diplomas Complementares às Actuais Manifestações do Fenómeno Parlamentos Unidos no Combate à Violência Doméstica Contra as Mulheres

Leia mais

ARTIGO 26, III, DA LEI N /2006 E

ARTIGO 26, III, DA LEI N /2006 E TABELA DE TAXONOMIA DO CADASTRO NACIONAL DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A MULHER ARTIGO 26, III, DA LEI N. 11.340/2006 E RESOLUÇÃO N. 135/2016 CNMP (VERSÃO APROVADA NA REUNIÃO DO COMITÊ GESTOR,

Leia mais

Contraordenações Rodoviárias Advogados

Contraordenações Rodoviárias Advogados Francisco Marques Vieira Santa Maria da Feira 18 de setembro de 2015 Contraordenações Rodoviárias Advogados Defesa do Arguido Impugnação Judicial Recurso 2 Dinâmica do Processo Fiscalização Auto de notícia

Leia mais

CONFERÊNCIA TRÁFICO DE SERES HUMANOS PREVENÇÃO, PROTECÇÃO E PUNIÇÃO O TRÁFICO DE SERES HUMANOS * ENQUADRAMENTO LEGAL GERAL

CONFERÊNCIA TRÁFICO DE SERES HUMANOS PREVENÇÃO, PROTECÇÃO E PUNIÇÃO O TRÁFICO DE SERES HUMANOS * ENQUADRAMENTO LEGAL GERAL CONFERÊNCIA TRÁFICO DE SERES HUMANOS PREVENÇÃO, PROTECÇÃO E PUNIÇÃO O TRÁFICO DE SERES HUMANOS * ENQUADRAMENTO LEGAL GERAL * Declaração Universal dos Direitos do Homem Artigo 1º Todos os seres humanos

Leia mais

Lei n.º 113/2009, de 17/9 1

Lei n.º 113/2009, de 17/9 1 (Não dispensa a consulta do Diário da República) Lei n.º 113/2009, de 17/9 1 Estabelece medidas de proteção de menores, em cumprimento do artigo 5.º da Convenção do Conselho da Europa contra a Exploração

Leia mais

SECÇÃO III - Prestação de trabalho a favor da comunidade e admoestação

SECÇÃO III - Prestação de trabalho a favor da comunidade e admoestação Código Penal Ficha Técnica Código Penal LIVRO I - Parte geral TÍTULO I - Da lei criminal CAPÍTULO ÚNICO - Princípios gerais TÍTULO II - Do facto CAPÍTULO I - Pressupostos da punição CAPÍTULO II - Formas

Leia mais

CURSO DE DIREITO 1 PLANO DE ENSINO. Disciplina Carga Horária Semestre Ano Direito Penal I 80 4º 2015

CURSO DE DIREITO 1 PLANO DE ENSINO. Disciplina Carga Horária Semestre Ano Direito Penal I 80 4º 2015 PLANO DE ENSINO CURSO DE DIREITO 1 Disciplina Carga Horária Semestre Ano Direito Penal I 80 4º 2015 Objetivos Específicos da Disciplina Inicialmente, concluir-se-á a matéria da parte geral. Em seguida,

Leia mais

EXERCÍCIOS. I - anistia, graça e indulto; II - fiança.

EXERCÍCIOS. I - anistia, graça e indulto; II - fiança. Legislação Especial Wallace França EXERCÍCIOS Lei dos Crimes hediondos Art. 1 o São considerados hediondos os seguintes crimes, todos tipificados no Decreto-Lei n o 2.848, de 7 de dezembro de 1940 - Código

Leia mais

Processos crime na fase de julgamento findos nos tribunais judiciais de 1.ª instância Condenados, segundo as penas e medidas aplicadas ( )

Processos crime na fase de julgamento findos nos tribunais judiciais de 1.ª instância Condenados, segundo as penas e medidas aplicadas ( ) Processos crime na fase de julgamento findos nos tribunais judiciais de 1.ª instância Condenados, segundo as penas e medidas aplicadas (1997-24 1 ) Entre 1997 e 24, registou-se uma clara predominância

Leia mais

07/10/2012 PROCESSO PENAL I. Processo penal I

07/10/2012 PROCESSO PENAL I. Processo penal I I 14ª -Parte Professor: Rubens Correia Junior 1 Processo penal I 2 1 CONCEITO: Jurisdição X competência = poder X permissão para exercer o poder EX: TRIBUNAL DO JURI HOUVE UM CRIME DOLOSO IP + DENÚNCIA

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 685/XII/4.ª

PROJECTO DE LEI N.º 685/XII/4.ª PROJECTO DE LEI N.º 685/XII/4.ª Altera o Código de Processo Penal, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 78/87, de 17 de Fevereiro, eliminando a possibilidade de julgamentos em processo sumário para crimes puníveis

Leia mais

p. 12 Após o quadro cinza (Pena: Reclusão, de doze a trinta anos) inserir:

p. 12 Após o quadro cinza (Pena: Reclusão, de doze a trinta anos) inserir: Direito Penal Esquematizado Cleber Masson vol. 2 7ª para 8ª edição p. IX Esta 8.ª edição do nosso Direito Penal Esquematizado Parte Especial, volume 2, foi devidamente revista, atualizada e ampliada com

Leia mais

PRISÕES PRISÃO PREVENTIVA. Vídeo: Prisão Parte 2 do início até 17:28

PRISÕES PRISÃO PREVENTIVA. Vídeo: Prisão Parte 2 do início até 17:28 AULA AO VIVO PRISÕES PRISÃO PREVENTIVA Vídeo: Prisão Parte 2 do início até 17:28 Vimos o esquema da prisão em flagrante: - lavratura do flagrante; - em 24 horas, audiência de custódia: I - relaxar a prisão

Leia mais

LEI DE TORTURA Lei n. 9.455/97

LEI DE TORTURA Lei n. 9.455/97 LEI DE TORTURA Lei n. 9.455/97 DUDH Artigo 5º Ninguém será submetido à tortura, nem a tratamento ou castigo cruel, desumano ou degradante. ART. 5º DA CF Inciso III Ninguém será submetido à tortura nem

Leia mais

Em várias situações a legislação consagra da junção das jurisdições civil e criminal.

Em várias situações a legislação consagra da junção das jurisdições civil e criminal. Ação civil ex delicto Objetivo: Propiciar a reparação do dano causado pelo delito. Sentença penal condenatória e reparação do dano Art. 91, I, CP: Obrigação de indenizar o dano Art. 63, CPP e 475-N, II,

Leia mais

DIREITO PENAL IV TÍTULO VI - CAPÍTULO II DOS CRIMES SEXUAIS CONTRA O VULNERÁVEL. Prof. Hélio Ramos

DIREITO PENAL IV TÍTULO VI - CAPÍTULO II DOS CRIMES SEXUAIS CONTRA O VULNERÁVEL. Prof. Hélio Ramos DIREITO PENAL IV TÍTULO VI - CAPÍTULO II DOS CRIMES SEXUAIS CONTRA O VULNERÁVEL Prof. Hélio Ramos DOS CRIMES SEXUAIS CONTRA VULNERÁVEL Sedução - Art. 217: REVOGADO lei 11.106/2005. Estupro de vulnerável

Leia mais

DECRETO N.º 378/X. Artigo 1.º Objecto

DECRETO N.º 378/X. Artigo 1.º Objecto DECRETO N.º 378/X Estabelece medidas de protecção de menores, em cumprimento do artigo 5.º da Convenção do Conselho da Europa contra a exploração sexual e o abuso sexual de crianças e procede à segunda

Leia mais

Direitos Humanos em Conflito Armado

Direitos Humanos em Conflito Armado Direitos Humanos em Conflito Armado Federal Ministry for Foreign Affairs of Austria (...) são e manter-se-ão proibidas, em qualquer ocasião e lugar (...) As ofensas contra a vida e integridade física,

Leia mais

01- De acordo com a lei /06 conhecida popularmente como lei Maria da Penha é correto afirmar que :

01- De acordo com a lei /06 conhecida popularmente como lei Maria da Penha é correto afirmar que : Lei 11.340/06 - Lei Maria da Penha. Elaborador - Prof. Wilson T. Costa 01- De acordo com a lei 11.340/06 conhecida popularmente como lei Maria da Penha é correto afirmar que : A) É considerada relação

Leia mais

AntoonVan Dyck, Sansão e Dalila (1630)

AntoonVan Dyck, Sansão e Dalila (1630) AntoonVan Dyck, Sansão e Dalila (1630) Constitui uma violação dos direitos fundamentais à vida, à liberdade, à segurança, à dignidade, à igualdade entre mulheres e homens, à não-discriminação e à integridade

Leia mais

PROJETO DE EMENDA A LEI ORGÂNICA Nº 13/2011

PROJETO DE EMENDA A LEI ORGÂNICA Nº 13/2011 PROJETO DE EMENDA A LEI ORGÂNICA Nº 13/2011 Acrescenta o art. 109-A ao Capítulo II do Título IV da Lei Orgânica do Município. A Câmara Municipal de São Paulo PROMULGA: Art. 1º Fica acrescido o art. 109

Leia mais

II. Violência contra a mulher: dados 2015

II. Violência contra a mulher: dados 2015 Dossiê Mulher 2016 7 II. Violência contra a mulher: dados 2015 No estado Rio de Janeiro, as mulheres representam cerca de 52,0% da população total. Em 2015, o percentual de mulheres vítimas de algum delito

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 475, DE 2009

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 475, DE 2009 SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 475, DE 2009 Altera o Decreto-Lei nº 2.848, de 7 de dezembro de 1940, para indicar hipóteses de ação penal pública incondicionada à representação. O CONGRESSO

Leia mais

LEI Nº , DE 7 DE AGOSTO DE 2009

LEI Nº , DE 7 DE AGOSTO DE 2009 LEI Nº 12.015, DE 7 DE AGOSTO DE 2009 Altera o Título VI da Parte Especial do Decreto-Lei nº 2.848, de 7 de dezembro de 1940 - Código Penal, e o art. 1º da Lei nº 8.072, de 25 de julho de 1990, que dispõe

Leia mais

PESSOAS IDOSAS VÍTIMAS DE CRIME E DE VIOLÊNCIA ( )

PESSOAS IDOSAS VÍTIMAS DE CRIME E DE VIOLÊNCIA ( ) ESTATÍSTICAS APAV PESSOAS IDOSAS VÍTIMAS DE CRIME E DE VIOLÊNCIA (2013-2014) WWW.APAV.PT/ESTATISTICAS Pessoas idosas vítimas de crime e de violência (2013-2014) Vítima média de 80% do sexo feminino 26,8%

Leia mais

Vítimas de violência doméstica ( )

Vítimas de violência doméstica ( ) Vítimas de violência doméstica (-) Vítima média de 85% do sexo feminino Entre e a APAV registou um total de 14 59 processos de apoio a vítimas de violência doméstica, que se traduziram num total de 35

Leia mais

Alterações ao Código da Estrada

Alterações ao Código da Estrada Alterações ao Código da Estrada Decreto-Lei nº 116/2015, de 28 de Agosto, publicada no Diário da República nº 168, Iª Série A Décima quarta alteração ao Código da Estrada aprovado pelo Decreto-Lei n.º

Leia mais

Espinho, 16 de março de João Severino

Espinho, 16 de março de João Severino Espinho, 16 de março de 2016 João Severino Lei n.º 141/2015, de 8 de setembro Aprovou o Regime Geral do Processo Tutelar Cível; Alterou o Regime Jurídico do Apadrinhamento Civil; Revogou a Organização

Leia mais

CNEF FASE DE FORMAÇÃO INICIAL SUMÁRIOS DE PRÁTICA PROCESSUAL PENAL. Proposta de programa a desenvolver em sumários:

CNEF FASE DE FORMAÇÃO INICIAL SUMÁRIOS DE PRÁTICA PROCESSUAL PENAL. Proposta de programa a desenvolver em sumários: CNEF FASE DE FORMAÇÃO INICIAL SUMÁRIOS DE PRÁTICA PROCESSUAL PENAL Proposta de programa a desenvolver em sumários: I Do inicio do processo o crime e sua natureza. - Crimes públicos, semi-públicos e particulares;

Leia mais

Câmara dos Técnicos Oficiais de Contas (CTOC) Formação à Distância

Câmara dos Técnicos Oficiais de Contas (CTOC) Formação à Distância Câmara dos Técnicos Oficiais de Contas (CTOC) Formação à Distância CURSO DIS1209 1 - OBJECTIVOS: Curso: INFRACÇÕES TRIBUTÁRIAS O curso de Infracções Tributárias tem como objectivo dar conhecer aos TOC

Leia mais

DICAS E EXERCÍCIOS LEI 9.503/97 - CRIMES DE TRÂNSITO (ART. 291 AO 312 DO CTB) PCGO-2016 PROF: PAULO SÉRGIO

DICAS E EXERCÍCIOS LEI 9.503/97 - CRIMES DE TRÂNSITO (ART. 291 AO 312 DO CTB) PCGO-2016 PROF: PAULO SÉRGIO DICAS E EXERCÍCIOS LEI 9.503/97 - CRIMES DE TRÂNSITO (ART. 291 AO 312 DO CTB) PCGO-2016 PROF: PAULO SÉRGIO QUESTÃO 01 (PROVA PRF 2008 CESPE/UNB) De acordo com o CTB e acerca das ações penais por crimes

Leia mais

Memorando Semestral. Ação do Ministério Público no Distrito Judicial de Lisboa (Área Penal)

Memorando Semestral. Ação do Ministério Público no Distrito Judicial de Lisboa (Área Penal) Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa Memorando Semestral 1.º Semestre 2016 Ação do Ministério Público no Distrito Judicial de Lisboa (Área Penal) 1. Apresentação Pretende-se com este Memorando fazer

Leia mais

Nuno Albuquerque e Deolinda Ribas 29.ª Alteração do Código Penal Notas sobre a revisão operada pela Lei n.º 19/2013, de 21 de Fevereiro

Nuno Albuquerque e Deolinda Ribas 29.ª Alteração do Código Penal Notas sobre a revisão operada pela Lei n.º 19/2013, de 21 de Fevereiro Nuno Albuquerque e Deolinda Ribas 29.ª Alteração do Código Penal Notas sobre a revisão operada pela Lei n.º 19/2013, de 21 de verbojuridico No passado dia 21 de foi objecto de publicação em Diário da República

Leia mais

3.8 Tristeza e depressão na criança e no adolescente

3.8 Tristeza e depressão na criança e no adolescente Páginas para pais: Problemas na criança e no adolescente 3.8 Tristeza e depressão na criança e no adolescente Introdução Os sentimentos de tristeza, desapontamento, desvalorização e culpa, surgem pontualmente

Leia mais

3- Qual das seguintes condutas não constitui crime impossível?

3- Qual das seguintes condutas não constitui crime impossível? 1- Maria de Souza devia R$ 500,00 (quinhentos reais) a José da Silva e vinha se recusando a fazer o pagamento havia meses. Cansado de cobrar a dívida de Maria pelos meios amistosos, José decide obter a

Leia mais

A EQUIPE DO DIREITO CONCENTRADO ESTÁ COM VOCÊ!

A EQUIPE DO DIREITO CONCENTRADO ESTÁ COM VOCÊ! Olá CONCENTRADOS! Como está a sua preparação para a 2ª fase da OAB? Muito estudo e dedicação? Sabemos como é difícil conseguir conciliar tudo nesta fase, o período é curto, a matéria longa e você precisa

Leia mais

Lei Maria da Penha: uma evolução histórica

Lei Maria da Penha: uma evolução histórica Lei Maria da Penha: uma evolução histórica Karina Balduino Leite e Rivadavio Anadão de Oliveira Guassú Maria da Penha foi uma entre as incontáveis vítimas de violência doméstica espalhadas pelo planeta.

Leia mais

Tratado nos artigos a a do d o CP C. P

Tratado nos artigos a a do d o CP C. P AÇÃO PENAL Tratado nos artigos 100 a 106 do CP. Conceito: Direito de exigir do Estado a aplicação da norma penal ao infrator. É o ius puniendi do Estado. CLASSIFICAÇÃO Conhecimento Cautelar Execução Art.

Leia mais

Combate e prevenção à violência contra a mulher

Combate e prevenção à violência contra a mulher Combate e prevenção à violência contra a mulher O CIM - Centro Integrado de Atendimento à Mulher Vítima de Violência Doméstica e Familiar - tem por objetivo fazer valer a Lei n.º 11.340/06, Lei Maria da

Leia mais

Tropa de Elite - Polícia Civil Legislação Penal Especial Crimes de Trânsito Liana Ximenes

Tropa de Elite - Polícia Civil Legislação Penal Especial Crimes de Trânsito Liana Ximenes Tropa de Elite - Polícia Civil Legislação Penal Especial Crimes de Trânsito Liana Ximenes 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Arts. 291-301 do CTB - Parte Geral

Leia mais

PLANEJAMENTO DE ESTUDOS Você merece se preparar com os melhores! Simulado 001 Lei 8429/92 Improbidade Administrativa PROFESSOR: LEANDRO PEREIRA Questões Comentadas 1. Dentre as possíveis sanções pela prática

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 772/XII/4ª. Exposição de motivos

PROJETO DE LEI N.º 772/XII/4ª. Exposição de motivos PROJETO DE LEI N.º 772/XII/4ª Procede à alteração do Código Penal, cumprindo o disposto na Convenção do Conselho da Europa para a proteção das crianças contra a exploração sexual e os abusos sexuais (Convenção

Leia mais

PRINCÍPIOS: b) Imparcialidade; c) Juiz natural; d) Indeclinabilidade da jurisdição; e) Indisponibilidade e tipicidade.

PRINCÍPIOS: b) Imparcialidade; c) Juiz natural; d) Indeclinabilidade da jurisdição; e) Indisponibilidade e tipicidade. Jurisdição e Competência Penal PRINCÍPIOS: a) Inércia da jurisdição (ne procedat iudex ex officio); b) Imparcialidade; c) Juiz natural; d) Indeclinabilidade da jurisdição; e) Indisponibilidade e tipicidade.

Leia mais

É DEVER DE TODOS PREVENIR A AMEAÇA OU VIOLAÇÃO DOS DIREITOS DO IDOSO! DENUNCIE! VOCÊ TAMBÉM É RESPONSÁVEL.

É DEVER DE TODOS PREVENIR A AMEAÇA OU VIOLAÇÃO DOS DIREITOS DO IDOSO! DENUNCIE! VOCÊ TAMBÉM É RESPONSÁVEL. A violência contra a pessoa idosa é silenciosa e acontece em todo o mundo. Essa grave violação dos direitos humanos fez com que a Organização das Nações Unidas (ONU) e a Rede Internacional de Prevenção

Leia mais

DECRETO N.º DE 15 DE MAIO DE O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas disposições legais, e

DECRETO N.º DE 15 DE MAIO DE O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas disposições legais, e DECRETO N.º 35610 DE 15 DE MAIO DE 2012 Institui o regime FICHA LIMPA como requisito para o ingresso em cargo ou emprego público no âmbito da Administração Pública Direta e Indireta do Município do Rio

Leia mais

CRIMES DE TORTURA (9.455/97)

CRIMES DE TORTURA (9.455/97) CRIMES DE TORTURA (9.455/97) TORTURA FÍSICA MENTAL Art. 1º Constitui crime de tortura: I - constranger alguém com emprego de violência ou grave ameaça, causando-lhe sofrimento físico ou mental: a) tortura-persecutória

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 001/15/2017

PROJETO DE LEI Nº 001/15/2017 PROJETO DE LEI Nº 001/15/2017 Súmula: Institui a Ficha Limpa Municipal na nomeação de secretários, diretores e cargos comissionados para a administração direta (Prefeitura e Câmara Municipal) e na administração

Leia mais

DECRETO N.º 36/X. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea d) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Artigo 1.

DECRETO N.º 36/X. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea d) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Artigo 1. DECRETO N.º 36/X AUTORIZA O GOVERNO A LEGISLAR EM MATÉRIA DE DIREITOS DOS CONSUMIDORES DE SERVIÇOS FINANCEIROS, COMUNICAÇÕES COMERCIAIS NÃO SOLICITADAS, ILÍCITOS DE MERA ORDENAÇÃO SOCIAL NO ÂMBITO DA COMERCIALIZAÇÃO

Leia mais

" Crianças são como borboletas ao vento... algumas voam rápido... algumas voam pausadamente, mas todas voam do seu melhor jeito...

 Crianças são como borboletas ao vento... algumas voam rápido... algumas voam pausadamente, mas todas voam do seu melhor jeito... " Crianças são como borboletas ao vento... algumas voam rápido... algumas voam pausadamente, mas todas voam do seu melhor jeito... Cada uma é diferente, cada uma é linda e cada uma é especial." De uma

Leia mais

Conceito De Liberdade Pessoal Tânia Fernandes

Conceito De Liberdade Pessoal Tânia Fernandes Conceito De Liberdade Pessoal Tânia Fernandes 24-11-2010 Tânia Fernandes Página 1 Índice Índice Conceito De Liberdade Pessoal... 1 Índice... 2 Conceito De Liberdade Pessoal... 3 Segue alguns artigos do

Leia mais

Vistos e examinados os autos.

Vistos e examinados os autos. CONCLUSÃO Em 08 de fevereiro de 2013, faço estes autos conclusos à MMª. Juíza Federal Titular da 3ª Vara Federal de Sorocaba, Drª SYLVIA MARLENE DE CASTRO FIGUEIREDO. Técnico Judiciário RF 5448 PROCESSO

Leia mais

Relatório e Saneamento (0,5 valores) ou (4,0 valores no caso de o candidato ter optado pela solução 1 cf. C infra)

Relatório e Saneamento (0,5 valores) ou (4,0 valores no caso de o candidato ter optado pela solução 1 cf. C infra) PROVA PROFISSIONAL 1ª CHAMADA PROPOSTA DE SOLUÇÃO 1 (20 Valores) Relatório e Saneamento (0,5 valores) ou (4,0 valores no caso de o candidato ter optado pela solução 1 cf. C infra) A - Referência ao requerimento

Leia mais

Capítulo 1 Crimes Hediondos Lei 8.072/1990

Capítulo 1 Crimes Hediondos Lei 8.072/1990 Sumário Prefácio... 11 Apresentação dos autores... 13 Capítulo 1 Crimes Hediondos Lei 8.072/1990 1. Para entender a lei... 26 2. Aspectos gerais... 28 2.1 Fundamento constitucional... 28 2.2 A Lei dos

Leia mais

D E C L A R A Ç Ã O PARA ELEIÇÕES 2012

D E C L A R A Ç Ã O PARA ELEIÇÕES 2012 D E C L A R A Ç Ã O PARA ELEIÇÕES 2012 Nome do Candidato: Nome do pai: Nome da mãe: Partido Político ou Coligação: Cargo a que concorre: ( ) Prefeito ( ) Vice-Prefeito ( ) Vereador Município: Declaro,

Leia mais

DECRETO N.º 27/XIII. Artigo 1.º Objeto. Artigo 2.º Alteração à Lei n.º 32/2006, de 26 de julho

DECRETO N.º 27/XIII. Artigo 1.º Objeto. Artigo 2.º Alteração à Lei n.º 32/2006, de 26 de julho DECRETO N.º 27/XIII Regula o acesso à gestação de substituição, procedendo à terceira alteração à Lei n.º 32/2006, de 26 de julho (procriação medicamente assistida) A Assembleia da República decreta, nos

Leia mais

DIREITO PENAL E PROCESSUAL PENAL

DIREITO PENAL E PROCESSUAL PENAL DIREITO PENAL E PROCESSUAL PENAL PRINCÍPIOS Legalidade: Somente a lei, elaborada na forma que a Constituição permite, pode determinar o que é crime e indicar a pena cabível. Taxatividade: As leis que definem

Leia mais

Processo n.º 429/2015 Data do acórdão:

Processo n.º 429/2015 Data do acórdão: Processo n.º 429/2015 Data do acórdão: 2015-5-28 (Autos em recurso penal) Assuntos: prática de novo crime no período de pena suspensa corrupção activa art.º 54.º, n.º 1, alínea b), do Código Penal revogação

Leia mais

DECRETO N.º 37/XIII. Artigo 1.º Objeto. Artigo 2.º Alteração à Lei n.º 32/2006, de 26 de julho

DECRETO N.º 37/XIII. Artigo 1.º Objeto. Artigo 2.º Alteração à Lei n.º 32/2006, de 26 de julho DECRETO N.º 37/XIII Regula o acesso à gestação de substituição, procedendo à terceira alteração à Lei n.º 32/2006, de 26 de julho (procriação medicamente assistida) A Assembleia da República decreta, nos

Leia mais

Telefone: (31) Decreto-Lei CPM

Telefone: (31) Decreto-Lei CPM TÍTULO IV DOS CRIMES CONTRA A PESSOA CAPÍTULO I DO HOMICÍDIO Homicídio simples Art. 205. Matar alguém: Pena - reclusão, de seis a vinte anos. Minoração facultativa da pena 1º Se o agente comete o crime

Leia mais

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO INTERNA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA Institutions and Social Change(s) in Southern European Societies RN27 European Sociological Association/ Associação Portuguesa de Sociologia Cascais,

Leia mais

Interpretação e integração da lei penal Interpretação...11

Interpretação e integração da lei penal Interpretação...11 Sumário Notas Preliminares Finalidade do Direito Penal...2 Bens que podem ser protegidos pelo Direito Penal...2 Códigos do Brasil...3 Código Penal atual...3 Direito Penal...3 Garantismo...3 Garantias...4

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular OPÇÃO III - CRIMES EM ESPECIAL Ano Lectivo 2015/2016

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular OPÇÃO III - CRIMES EM ESPECIAL Ano Lectivo 2015/2016 Programa da Unidade Curricular OPÇÃO III - CRIMES EM ESPECIAL Ano Lectivo 2015/2016 1. Unidade Orgânica Direito (1º Ciclo) 2. Curso Direito 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular OPÇÃO III - CRIMES

Leia mais

GUIA PRÁTICO ATENDIMENTO PARA CONTRA-ORDENAÇÕES INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO ATENDIMENTO PARA CONTRA-ORDENAÇÕES INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO ATENDIMENTO PARA CONTRA-ORDENAÇÕES INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Atendimento para Contra-Ordenações (CO1 v1.01) PROPRIEDADE Instituto da Segurança Social, I.P. AUTOR

Leia mais

DIREITO PENAL. 1. Roubo art. 157, CP:

DIREITO PENAL. 1. Roubo art. 157, CP: 1 PONTO 1: Roubo PONTO 2: Extorsão PONTO 3: Apropriação Indébita Previdenciária 1. Roubo art. 157, CP: Art. 157 - Subtrair coisa móvel alheia, para si ou para outrem, mediante grave ameaça ou violência

Leia mais

Regime Contraordenacional

Regime Contraordenacional Ficha Técnica Autor: (DGSS) - Divisão dos Instrumentos Informativos - Direção de Serviços da Definição de Regimes Editor: DGSS Conceção Gráfica: DGSS / Direção de Serviços de Instrumentos de Aplicação

Leia mais

Laís Maria Costa Silveira Promotora de Justiça de Belo Horizonte Titular da 22ª Promotoria de Justiça de Defesa da Pessoa com Deficiência e Idosos.

Laís Maria Costa Silveira Promotora de Justiça de Belo Horizonte Titular da 22ª Promotoria de Justiça de Defesa da Pessoa com Deficiência e Idosos. As medidas protetivas de urgência previstas pela Lei Maria da Penha e sua aplicação a outros segmentos de pessoas: idosos, crianças, enfermos e pessoas com deficiência Laís Maria Costa Silveira Promotora

Leia mais

PROGRAMA PROCESSO PENAL (V Curso formação Juízes, Procuradores e Defensores /2014)

PROGRAMA PROCESSO PENAL (V Curso formação Juízes, Procuradores e Defensores /2014) PROGRAMA PROCESSO PENAL (V Curso formação Juízes, Procuradores e Defensores - 2013/2014) 1. Aulas: I- METODOLOGIA As sessões de trabalho vão decorrer: a) Leitura, seguida de esclarecimentos e discussão

Leia mais

DOS CRIMES CONTRA A PESSOA

DOS CRIMES CONTRA A PESSOA DOS CRIMES CONTRA A PESSOA Homicídio simples art. 205 Minoração facultativa da pena 1º. Homicídio qualificado 2º A Lei 9299/96, alterou dispositivos do CPM, operando verdadeiro deslocamento de competência

Leia mais

1. O desafio da qualidade da legislação, no contexto da transposição das novas diretivas

1. O desafio da qualidade da legislação, no contexto da transposição das novas diretivas 1. O desafio da qualidade da legislação, no contexto da transposição das novas diretivas 2 3 Estados-Membros não podem proibir as suas autoridades adjudicantes de recorrer a atividades de compras centralizadas

Leia mais

REQUERIMENTO PRESTAÇÕES POR ENCARGOS FAMILIARES ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL E ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS

REQUERIMENTO PRESTAÇÕES POR ENCARGOS FAMILIARES ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL E ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS REQUERIMENTO PRESTAÇÕES POR ENCARGOS FAMILIARES ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL E ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO O requerimento deve ser preenchido manualmente.

Leia mais

Conclusão Peças de informação e outros procedimentos investigatórios

Conclusão Peças de informação e outros procedimentos investigatórios Sumário 1 A REDAÇÃO JURÍDICA 1.1 A nova redação jurídica 1.2 Síntese, clareza e objetividade 1.3 Orações intercaladas 1.4 Introdução, desenvolvimento e conclusão 1.5 Redação impessoal 1.6 Copiar e colar

Leia mais

Material Didático de Direito Penal n. 4: Concurso de Crimes no Direito Penal Brasileiro.

Material Didático de Direito Penal n. 4: Concurso de Crimes no Direito Penal Brasileiro. [Digite o nome da empresa] Material Didático de Direito Penal n. 4: Concurso de Crimes no Direito Penal Brasileiro. Produzido por Gisele Alves e Tassya Moura. 2014 CONCURSO DE CRIMES ESPÉCIES DE CONCURSO

Leia mais

PROPOSTA DE LEI N.º 256/XII/4ª

PROPOSTA DE LEI N.º 256/XII/4ª PROPOSTA DE LEI N.º 256/XII/4ª Procede à reforma da tributação das pessoas singulares, orientada para a família, para a simplificação e para a mobilidade social, alterando o Código do Imposto sobre o Rendimento

Leia mais

GUIA PRÁTICO DOENÇA PROFISSIONAL - PRESTAÇÕES POR MORTE

GUIA PRÁTICO DOENÇA PROFISSIONAL - PRESTAÇÕES POR MORTE GUIA PRÁTICO DOENÇA PROFISSIONAL - PRESTAÇÕES POR MORTE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Pág. 1/11 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Doença Profissional Prestações por Morte (N13 v4.09) PROPRIEDADE

Leia mais

- Jurisdição - Competência é o limite dentro do qual juízes e tribunais exercem jurisdição.

- Jurisdição - Competência é o limite dentro do qual juízes e tribunais exercem jurisdição. Turma e Ano: Flex A (2014) Matéria / Aula: Processo Penal / Aula 09 Professor: Elisa Pittaro Conteúdo: Princípios da Jurisdição: Aderência. Competência: Natureza Jurídica; Competência Absoluta x Relativa;

Leia mais

Conteúdo: Ação Penal nos Crimes contra a Honra: Pedido de explicações, audiência de conciliação, exceção da verdade. Jurisdição: Conceito, Princípios.

Conteúdo: Ação Penal nos Crimes contra a Honra: Pedido de explicações, audiência de conciliação, exceção da verdade. Jurisdição: Conceito, Princípios. Turma e Ano: Flex A (2014) Matéria / Aula: Processo Penal / Aula 08 Professor: Elisa Pittaro Conteúdo: Ação Penal nos Crimes contra a Honra: Pedido de explicações, audiência de conciliação, exceção da

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 515/XII

PROJETO DE LEI N.º 515/XII PROJETO DE LEI N.º 515/XII PROCEDE À 31.ª ALTERAÇÃO AO CÓDIGO PENAL, APROVADO PELO DECRETO-LEI N.º 400/82, DE 23 DE SETEMBRO, CRIANDO O CRIME DE MUTILAÇÃO GENITAL FEMININA Exposição de motivos 1 A Mutilação

Leia mais

A APLICABILIDADE DA LEI Nº 11.340, DE 07 DE AGOSTO DE 2006 NA JUSTIÇA MILITAR

A APLICABILIDADE DA LEI Nº 11.340, DE 07 DE AGOSTO DE 2006 NA JUSTIÇA MILITAR A APLICABILIDADE DA LEI Nº 11.340, DE 07 DE AGOSTO DE 2006 NA JUSTIÇA MILITAR Jonas Guedes 1 Resumo: O tema abordado no presente artigo versará sobre o crime de lesão corporal, sob a égide do Direito Constitucional

Leia mais

Direito Penal. Causas de Extinc a o da Punibilidade. Professor Adriano Kot.

Direito Penal. Causas de Extinc a o da Punibilidade.  Professor Adriano Kot. Direito Penal Causas de Extinc a o da Punibilidade Professor Adriano Kot www.acasadoconcurseiro.com.br www.estudaquepassa.com.br DIREITO PENAL CAUSAS DE EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE ROL CAUSAS DE EXTINÇÃO

Leia mais

MEDIAS DE PROTEÇÃO DAS UNIÕES DE FACTO (LEI N.º 7/2001, DE 11 DE MAIO)

MEDIAS DE PROTEÇÃO DAS UNIÕES DE FACTO (LEI N.º 7/2001, DE 11 DE MAIO) MEDIAS DE PROTEÇÃO DAS UNIÕES DE FACTO (LEI N.º 7/2001, DE 11 DE MAIO) Atualizado pela última vez em 30 de agosto de 2010 Lei n.º 7/2001, de 11 de maio * A Assembleia da República decreta, nos termos da

Leia mais

Classificação das Infrações Penais.

Classificação das Infrações Penais. Classificação das Infrações Penais Cynthiasuassuna@gmail.com Classificação das Infrações Penais Tripartida As infrações penais classificam-se, de acordo com sua gravidade em: CRIMES, DELITOS E CONTRAVENÇÕES

Leia mais

Partido Popular CDS-PP Grupo Parlamentar

Partido Popular CDS-PP Grupo Parlamentar Partido Popular CDS-PP Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI Nº 593/X Alteração ao Código Penal Exposição de motivos 1- Através do presente projecto de lei, o CDS/PP pretende alterar alguns aspectos respeitantes

Leia mais

1

1 TRF 2ª Região Analista Judiciário Área Judiciária (01/ julho/ 2007) 42. Réu não reincidente condenado à pena de 05 anos e 04 meses por crime de moeda falsa poderá cumpri la desde o início em (A) regime

Leia mais

ESTATÍSTICAS APAV LINHA DE APOIO À VÍTIMA NOV_2014 DEZ_2015 APAV.PT/ESTATISTICAS

ESTATÍSTICAS APAV LINHA DE APOIO À VÍTIMA NOV_2014 DEZ_2015 APAV.PT/ESTATISTICAS ESTATÍSTICAS APAV LINHA DE APOIO À VÍTIMA NOV_2014 DEZ_2015 APAV.PT/ESTATISTICAS A Linha de Apoio à Vítima (LAV) 116 006 é um serviço de atendimento telefónico da APAV, gratuito e confidencial, adequado

Leia mais

Algumas questões tiveram um nível relativamente elevado, considerando o cargo a que destinadas. Contudo, não vejo possibilidade de recurso.

Algumas questões tiveram um nível relativamente elevado, considerando o cargo a que destinadas. Contudo, não vejo possibilidade de recurso. Olá, pessoal Para quem não me conhece ainda, meu nome é Renan Araujo e sou professor aqui no Estratégia Concursos, lecionando as matérias de Direito Penal, Processual Penal e Legislação aplicada ao MP

Leia mais

Colaboração. Coordenação e Regência DIREITO PROCESSUAL PENAL 4.º ANO NOITE. Professor Doutor Paulo de Sousa Mendes

Colaboração. Coordenação e Regência DIREITO PROCESSUAL PENAL 4.º ANO NOITE. Professor Doutor Paulo de Sousa Mendes DIREITO PROCESSUAL PENAL 4.º ANO NOITE Coordenação e Regência Professor Doutor Paulo de Sousa Mendes Colaboração Mestres Inês Ferreira Leite e Rui Soares Pereira Exame escrito de recurso 13 de fevereiro

Leia mais

A) CARÁTER DETERMINANTE DA FALTA

A) CARÁTER DETERMINANTE DA FALTA A JUSTA CAUSA A) CARÁTER DETERMINANTE DA FALTA - deve haver uma relação de causa e efeito (nexo causal) entre a falta e a aplicação da pena - A aplicação da pena deve ser diretamente relacionado com a

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS

CÂMARA DOS DEPUTADOS CÂMARA DOS DEPUTADOS GABINETE DA DEPUTADA KEIKO OTA PROJETO DE LEI Nº, DE 2013 (Da Sra. Keiko Ota) Altera artigos da Lei nº 9.503/97 que institui o Código Nacional de Trânsito Brasileiro e dá outras providências.

Leia mais

S U R S I S SUSPENSÃO CONDICIONAL DA PENA

S U R S I S SUSPENSÃO CONDICIONAL DA PENA S U R S I S SUSPENSÃO CONDICIONAL DA PENA arts. 77 a 82 do CP e 156 e s. da LEP. Deriva do verbo surseoir (suspender). Quer dizer suspensão. Expressão já utilizada pelo CP/1940. Conceitos: É o ato pelo

Leia mais

PROVA TIPO 01 BRANCA. Tabela de Correspondência de Questões: TIPO 1 TIPO 2 TIPO 3 TIPO

PROVA TIPO 01 BRANCA. Tabela de Correspondência de Questões: TIPO 1 TIPO 2 TIPO 3 TIPO Tabela de Correspondência de Questões: TIPO 1 TIPO 2 TIPO 3 TIPO 4 59 63 62 61 60 61 63 62 62 60 60 59 63 64 61 60 64 62 59 64 PROVA TIPO 01 BRANCA Questão 59 Guilherme, funcionário público de determinada

Leia mais

Pensão por Morte. Prof. Danilo Ripoli

Pensão por Morte. Prof. Danilo Ripoli Pensão por Morte Prof. Danilo Ripoli Definição: A pensão por morte é o benefício da previdência social devido aos dependentes do segurado em função da morte deste. Será devido ao conjunto de dependentes

Leia mais

AVISO REGULAMENTO PARA ALIENAÇÃO DE FOGOS PROPRIEDADE DA CÂMARA MUNICIPAL DE PORTALEGRE NOTA JUSTIFICATIVA

AVISO REGULAMENTO PARA ALIENAÇÃO DE FOGOS PROPRIEDADE DA CÂMARA MUNICIPAL DE PORTALEGRE NOTA JUSTIFICATIVA Publique-se no Diário da República O Presidente da Câmara, AVISO Aprovado pela Câmara Municipal de Portalegre em sua reunião ordinária, realizada em 12 de Novembro de 2003 e pela Assembleia Municipal em

Leia mais