José Ferreira Pankowski

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "José Ferreira Pankowski"

Transcrição

1 José Ferreira Pankowski O conselheiro técnico da Associação dos Criadores de Nelore de Mato Grosso, José Ferreira Pankowski, é o entrevistado da semana do site da Nelore MT. Ele fala sobre o desenvolvimento da raça Nelore no Estado e os desafios do setor no melhoramento genético. Formado pela PUC do Rio Grande do Sul, no curso de Zootecnia, também é jurado da ABCZ, técnico de registro, assessor pecuário e assessor de leilão. Morando em Mato Grosso há 24 anos Ferreira se considera matucho, já que nasceu no Rio Grande do Sul. Boa leitura. ACNMT Qual a sua relação com a raça Nelore? JOSÉ FERREIRA Ela é muito grande. Desde que entrei na ABCZ (Associação Brasileira de Criadores de Zebu), em 89, venho trabalhando com a raça. Um trabalho que começou com a fundação do Conselho Técnico. Hoje desenvolvo um trabalho de fazer o gado e ajudar a vender, pois acredito que não adianta ser técnico e não ter a visão do retorno comercial, isso desanima quem produz. Tem que se fazer um bom trabalho e agregar valor a esse produto para que o técnico tenha valor e o produtor a devida valorização. Na minha visão temos que profissionalizar a pecuária. Muitos produtores ainda se utilizam do sistema amador, não se envolve, possui outra fonte de renda e usa a pecuária como uma forma de hobby, lazer, uma alternativa. Mas, nós temos produtores que vivem da pecuária, que tem que ser remunerado, e são eles que estão tornando o trabalho mais profissional. Vale ressaltar que o profissionalismo precisa acontecer em todos os setores do processo, do contábil ao comercial, pois é assim que se puxa toda cadeia produtiva, tornando-a mais rentável, lucrativa e essa é a intenção. ACNMT Qual a sua avaliação técnica da raça Nelore em Mato Grosso? JOSÉ FERREIRA Nós temos a fama de ser o maior rebanho, mas temos que mudar essa ótica e não sermos apenas o maior, mas queremos também ser o melhor. Hoje seria petulância dizer que somos os melhores porque tem muitos Estados na nossa frente em termos de qualidade genética. Porém, o trabalho que está se fazendo aqui nos credência, em curto prazo, a sermos também produtores de qualidade, não só de números. Já estamos fazendo julgamentos com o gado de corte, que é para credenciar, agregar valor ao produtor de corte e não somente o da genética seletiva. A genética seletiva é

2 a semente do gado que vai fazer as mães que vão produzir os touros de corte. Então temos que melhorar não só o nível do topo da pirâmide, mas também agregar valor aquele produtor comercial, aquele que vende o seu bezerro no leilão de corte, no Norte do Estado, no Sindicato Rural. Não adianta um criador querer vender um touro caro se ele não remunera o produtor de bezerro, Num setor que funciona em cadeia, você tem que vender bem o touro, mas também quem vai fazer o bezerro. É uma causa e consequência. Ninguém vai vender um touro caro se o bezerro não tiver um valor agregado. Por isso temos que buscar não só ser o maior, mas o melhor em carne, em rebanho com qualidade. ACNMT Fazendo um comparativo do gado de Mato Grosso com os demais Estados, onde estamos? Como está a raça num contexto nacional? JOSÉ FERREIRA Com as biotecnologias de reprodução, como a fertilização in vitro, alguns criadores têm chegado rapidamente a obter bons resultados, ou seja, compra o material genético e multiplica. Em Mato Grosso temos uns 10 criadores que fazem isso, e isso é muito pouco ainda. Nós temos um longo caminho a percorrer para atingir um nível satisfatório. Se me perguntar se temos um gado competitivo, eu respondo que temos sim, mas é muito pouco. Então temos que massificar mais. Temos qualidade com poucos criadores, por essa característica de fazerem FIV e TE. ACNMT Como fazer isso? JOSÉ FERREIRA É o que eu falei anteriormente: é a profissionalização. Não podemos produzir como hobby, mas como atividade principal, atividade produtiva, rentável e lucrativa. ACNMT Nessa busca do melhoramento, qual o papel do Ranking na evolução da raça? JOSÉ FERREIRA O ranking é um comparativo para demonstrar em que nível nós estamos entre nós mesmo. Com o ranking conseguimos mensurar quantos criadores em Mato Grosso estão fazendo seleção e comparar esses nossos criadores com os de outros Estados. O ranking proporciona a visualização do resultado do trabalho. Essa é a intenção principal do ranking. ACNMT O ranking da raça Nelore é realizado há 16 anos em MT, essa evolução já pode ser sentida ou ainda precisa de mais alguns anos? JOSÉ FERREIRA Nós temos que levar em contar que o investimento esta sendo feita, que já existem criadores de um nível bem profissional, mas o que acontece no caso dos bovinos, que o ciclo de produção de uma geração de bovino é de 5 anos. Então, desde o inicio do ranking estamos entrando na terceira geração. São 9 meses

3 de gestação, 2 anos para emprenhar uma vaca. Então é isso que temos que fazer, temos que ter número. Nós estamos no início e genética a gente trabalha assim, com tempo e números. O melhoramento genético a gente faz com população, quanto maior a população, melhor fica a seleção. Nesse sentido a tendência de Mato Grosso é chegar rapidamente na qualidade do rebanho, do que os demais Estados porque nós temos o maior número, o maior rebanho, e esse é um dos requisitos do melhoramento. ACNMT Antes dos animais seguirem para a pista de julgamento durante o ranking acontecem a pesagem e o diagnóstico de gestão. Qual a importância desses dois procedimentos dentro do processo de avaliação? JOSÉ FERREIRA Em se tratando de uma raça de corte a gente mensura peso, é importantíssimo, e quando se fala em diagnóstico de gestação você está atingindo um peso, o animal já se desenvolveu a parte reprodutiva. A precocidade e terminação são proporcional a precocidade reprodutiva, quanto antes ele termina ele também apresenta puberdade mais cedo, mais precoce. Agora é importante destacar que quando a gente fala em pesagem, nós podemos olhar dois animais do mesmo peso, da mesma categoria, da mesma idade, porém quando você vai avaliar, o que interessa e a distribuição do peso. Nesse caso, qual o mais interessante, o animal mais alto ou o mediano? Não estou dizendo o baixinho, pequeno, mas o mais interessante é o animal mediando. É o mediano por quê? Porque ele vai ser mais precoce, vai atingir o peso mais cedo, vai acabar o crescimento mais cedo dos ossos, da musculatura, enfim, ele vai acabar mais cedo. É isso que a gente quer: precocidade. Então se você tem 2 animais, a pesagem é determinante, depois entra o papel do juiz na hora de avaliar essa distribuição de peso. Vamos voltar a analisar os animais: tardio, mediano, baixinho, curtinho. Eu sempre falo que essa análise vale para vida da gente e para seleção de animais: temos que cortar os extremos, eles são indesejáveis. É melhor pegar a média, o animal mediano. Animal muito grande, muito cumprido, é tardio, vai custar a por carne, vai precisar de muito mais tempo e também vai retardar a reprodução. No caso da fêmea, quando ela parir vai ficar descarnada, vai ter um intervalo entre partos maior porque o bezerro vai sugar o leite e ela não vai ter tempo de se recuperar para dar outro cio fértil, a concepção é muito mais difícil. Então você vê como está interligado, um animal mais tardio ele é ruim não vai ganhar peso, vai parir mais tarde, vai ter um intervalo maior e a tendência desse animal é ser descartado. Então a gente tem que entender essa dinâmica para chegar na pista e o juiz avaliar 2 animais do mesmo tipo e optar pelo animal mais alto, mais tardio, tá errado, tem que julgar o outro, o mediano, para se aproximar do gado de produção. O que a gente quer da pista é o que queremos ver no campo. Não pode ser antagônico com o gado de pista e gado de produção. O caminho é par aos dois se encontrarem, o gado de pista e o de produção, porque a finalidade

4 da pista e produzir as matrizes que vão fazer os touros que vão gerar o gado de corte, que vão gerar o bezerro de corte, que vão produzir um touro adequado, um touro mediano, sempre. Então peso é determinante, vamos avaliar o biotipo, corta as pontas e vai no do meio que a seleção dá certo, pode ter certeza. ACNMT Quais as principais características avaliadas na pista de julgamento do gado Nelore? JOSÉ FERREIRA O padrão racial são 62 características, que eu não vou falar todas, pois vamos ter que fazer um curso de uma semana. Mas, o primeiro item a ser selecionado é o da fertilidade. O macho com cara de macho e fêmea com cara de fêmea. Parece estranho, o que é isso? O macho da raça Nelore, por exemplo, tem que ter um cupim maior, tem que ter um chanfro mais curto, a fronte mais larga, o satura mais forte, são características de macho. Se você pegou um macho com chanfro cumprido, mais afeminado, cupim menor, não serve. Chamamos isso tecnicamente de dimorfismo sexual, cada um tem que ter a sua forma. A fêmea com a cabeça leve, com pescoço curto, paleta grossa, cupim mais delicado, tem que ser feminina, tem que ter características femininas. ACNMT O papel do ranking é importante nesse processo todo para o entendimento do criador? JOSÉ FERREIRA Sem dúvida. O juiz avalia muita coisa dentro da pista. Observa o biotipo maior e menor, a masculinidade, a precocidade, a cor do animal que define a puberdade e a parte hormonal, o comportamento se é ou não arisco. Outro fator observado é o aprumo do animal, pois não adianta por peso, ter mil quilos e o animal não dar conta de caminhar. Esse é um dos grandes problemas da raça nelore hoje, que esta se botando muito peso, tem que fazer um casqueamento adequado, e nessa hora volto a ressaltar, que o mediano é o que dá certo, fazer demais acaba errando. Enfim, tudo é levado em conta. O juiz tem um papel muito importante. ACNMT Você acredita que a raça Nelore tem um bom mercado, um bom futuro? JOSÉ FERREIRA Eu acredito tanto no Nelore, que hoje o Nelore produzido no Brasil é o melhor Nelore do mundo. O Nelore que veio da Índia, como o zebu é sagrado naquele país, ele não foi melhorado, só é usado para tração e para leite. Nós trouxemos a raça para o Brasil e aprimoramos. Temos o Guzerá, mas o caso Nelore específico ele tem um melhoramento que não tem no mundo, porque os grandes países norte americanos e europeus fizeram os chamados mestiços, 5/8-3/8 de sangue, misturando raças, eles não conseguiram fixar a raça com isso e nós estamos mantendo a raça pura. Então a nossa responsabilidade no mundo é o de melhorar a cada dia mais e não erar, tentar minimizar os erros, porque os grandes países fizeram esses cruzamentos e não conseguiram segurar o grau de sangue. Quem vive nesse setor sabe que heterose genética a gente faz com raça pura, você pega uma raça

5 europeia pura com o nelore puro e cruza, assim que acontece o choque de sangue. Agora se você misturar aqui, misturar lá, mistura essas duas, com o tempo você não segura o grau de sangue. Então a importância do Nelore como raça pura, é a raça mãe da pecuária brasileira, porque em cima dele você usa para todo o tipo de cruzamento europeu. O Nelore tinha fama de ser rústico, do trópico, mas nunca se falava em precocidade, hoje não, nós temos animais pesados e que dão resultado tanto quando o europeu quanto cruzado. Agora é uma questão de custo benefício, pois o Nelore come um pouco menos, ele eleva 30 dias a mais para ficar pronto que o europeu, claro que o europeu é mais precoce, não vamos discutir precocidade, mas se fizer uma análise do chamado custo benefício, fico com o Nelore. ACNMT Qual a mensagem para o associado da Nelore MT? JOSÉ FERREIRA Participe mais. É a união que faz a força, não tenha duvida. Tem que ter mais união de todos. Não importa se não cria gado de baia, não tem problema, venha participar das decisões, participar das reunião, pois é daqui que saem as ideias para depois semear e promover as mudanças necessárias no campo. O importante é a gente ter as diretrizes e quem faz as diretrizes são todos os associados. É importante estarmos juntos para tomadas de decisões. O momento que estamos vivendo no Brasil é de participar, estamos vendo isso nas ruas, não é depois da tomada de decisão que você deve reclamar, reclama na hora certa. É o que eu sempre falo, não adianta ser como o Fox Paulistinha (raça canina), que sobe em cima do sofá e late. Tem que participar na hora certa, falar o que tem que falar, criticar depois é fácil. Vamos tomar as decisões juntos, que é muito mais difícil. A palavra associado é participar, não tem problema que não faça elite, se não cria gado registrado também não tem problema, mas ele é nelorista. Venha participar, venha somar, a associação é para isso. As decisões aqui tomadas são muito importantes para pecuária brasileira.

QUALIDADE VERDANA 2014

QUALIDADE VERDANA 2014 ano 2 MAIO 2014 EDIÇão 02 www.verdanaagropecuaria.com.br camapuã/ms INFORMATIVO Mais valor para você Editorial QUALIDADE VERDANA 2014 1 1 A QUALIDADE QUE FEZ A DIFERENÇA em 2013 ENCONTRO 2013 Vinte e seis

Leia mais

O impacto do touro no rebanho de cria

O impacto do touro no rebanho de cria Algumas contas simples podem constatar que o touro de cria é um fator de produção de extrema relevância A realidade de mercado atual exige do pecuarista competência para se manter no negócio, e visão estratégica

Leia mais

BOVINOS RAÇAS SINTÉTICAS

BOVINOS RAÇAS SINTÉTICAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA LABORATÓRIO DE FISIOLOGIA DA REPRODUÇÃO BOVINOS RAÇAS SINTÉTICAS Disciplina: Exterior e raças Prof. Mauricio van Tilburg

Leia mais

INTRODUÇÃO A etapa de cria na cadeia produtiva da carne bovina é muito importante, e caracteriza-se como um período fundamental no processo de

INTRODUÇÃO A etapa de cria na cadeia produtiva da carne bovina é muito importante, e caracteriza-se como um período fundamental no processo de d e b e z e r r o d e c o r t e INTRODUÇÃO A etapa de cria na cadeia produtiva da carne bovina é muito importante, e caracteriza-se como um período fundamental no processo de produção. As técnicas utilizadas

Leia mais

O cruzamento do charolês com o zebu (indubrasil, guzerá ou nelore) dá origem ao CANCHIM. Rústico e precoce, produz carne de boa qualidade.

O cruzamento do charolês com o zebu (indubrasil, guzerá ou nelore) dá origem ao CANCHIM. Rústico e precoce, produz carne de boa qualidade. OUTUBRO 2006 Para chegar ao novo animal, os criadores contaram com a ajuda do superintendente do laboratório de inseminação artificial Sersia Brasil, Adriano Rúbio, idealizador da composição genética

Leia mais

Mauro Savi. 8º presidente da Nelore MT 2013 a 2014

Mauro Savi. 8º presidente da Nelore MT 2013 a 2014 Mauro Savi 8º presidente da Nelore MT 2013 a 2014 Mauro Savi veio de Medianeira, Paraná, e chegou a Mato Grosso há 31 anos. A primeira parada foi em Rondonópolis, depois seguiu para Coxim, Mato Grosso

Leia mais

Características dos Touros Senepol. Benefício ao Criador Invernista Confinador. Senepol SL

Características dos Touros Senepol. Benefício ao Criador Invernista Confinador. Senepol SL Senepol SL Programa SLde Melhoramento Estância Santa Luzia SENEPOL Benefícios dos Touros Senepol Santa Luzia Venda permanente Reprodutores & Doadoras Qualidade diferenciada a preço justo Na condução, Pedro

Leia mais

A utilização da vaca F1: visão da EMATER-MG INTRODUÇÃO

A utilização da vaca F1: visão da EMATER-MG INTRODUÇÃO A utilização da vaca F1: visão da EMATER-MG 1Elmer Ferreira Luiz de Almeida; 2José Alberto de Àvila Pires 1 Coordenador Técnico Bovinocultura de Leite da EMATER-MG 2Coordenador Técnico Bovinocultura de

Leia mais

Cuidados essenciais para maior produtividade na criação de bovinos

Cuidados essenciais para maior produtividade na criação de bovinos ebook Avanza Cuidados essenciais para maior produtividade na criação de bovinos Sumário 01 02 03 04 05 Introdução - Aumente a produtividade da sua criação Fertilização In Vitro Transferência de Embriões

Leia mais

PROGRAMAS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM REBANHOS BOVINOS: ANÁLISE DOS GANHOS PARA OS PEQUENOS PRODUTORES

PROGRAMAS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM REBANHOS BOVINOS: ANÁLISE DOS GANHOS PARA OS PEQUENOS PRODUTORES PROGRAMAS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM REBANHOS BOVINOS: ANÁLISE DOS GANHOS PARA OS PEQUENOS PRODUTORES Rafael Herrera Alvarez Médico Veterinário, Doutor, Pesquisador Científico do Pólo Centro Sul/APTA

Leia mais

Produção de F1 pelas fazendas Calciolândia e Colonial

Produção de F1 pelas fazendas Calciolândia e Colonial Produção de F1 pelas fazendas Calciolândia e Colonial Ronaldo Lazzarini Santiago 1 INTRODUÇÃO As fazendas Calciolândia e Colonial, de Gabriel Donato de Andrade, sempre foram a referência na seleção do

Leia mais

Quanto vale uma prenhez? How much does a pregnancy is worth? Prof. Dr. José Bento Sterman Ferraz

Quanto vale uma prenhez? How much does a pregnancy is worth? Prof. Dr. José Bento Sterman Ferraz Quanto vale uma prenhez? How much does a pregnancy is worth? Prof. Dr. José Bento Sterman Ferraz Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos da USP Núcleo de Apoio à Pesquisa em Melhoramento Animal,

Leia mais

Projeto SIMGIR. 1 Introdução. 2 Escolha das Raças. 3 Parceria. 4 Produção. 5 Anexos: 5-1 Normas de Identificação de Animais. Receptoras.

Projeto SIMGIR. 1 Introdução. 2 Escolha das Raças. 3 Parceria. 4 Produção. 5 Anexos: 5-1 Normas de Identificação de Animais. Receptoras. Projeto SIMGIR 1 1 Introdução 2 Escolha das Raças 3 Parceria 4 Produção 5 Anexos: 5-1 Normas de Identificação de Animais Receptoras Bezerras F1 5-2 Calendário de Manejo 5-3 Projeto de Comercialização dos

Leia mais

MELHORAMENTO GENÉTICO

MELHORAMENTO GENÉTICO MELHORAMENTO GENÉTICO Mudança do material hereditário do rebanho de forma a capacitá-lo para produzir leite, mais economicamente em um determinado ambiente. Genética é a ciência que estuda a variação e

Leia mais

POR QUE USAR GUZERÁ? ACGB

POR QUE USAR GUZERÁ? ACGB POR QUE USAR GUZERÁ? ACGB PRODUÇÃO DE CARNE E LEITE: SUSTENTÁVEL POR NATUREZA O brasileiro elegeu a carne bovina como um dos seus alimentos preferidos nas refeições diárias. O consumo per capita é um dos

Leia mais

PROGRAMA DE FOMENTO AO CRUZAMENTO ANGUS MANUAL

PROGRAMA DE FOMENTO AO CRUZAMENTO ANGUS MANUAL PROGRAMA DE FOMENTO AO CRUZAMENTO ANGUS MANUAL 1. A RAÇA ABERDEEN ANGUS Originária da Escócia, a raça foi selecionada em função de suas características superiores de precocidade, fertilidade, rusticidade,

Leia mais

Conheça a primeira central de inseminação do mundo.

Conheça a primeira central de inseminação do mundo. Conheça a primeira central de inseminação do mundo. A primeira central de inseminação do mundo nasceu nos Estados Unidos e veste verde e amarelo há mais de 40 anos. A C.R.I. Genética é uma cooperativa

Leia mais

estação de monta Escolha do Leitor

estação de monta Escolha do Leitor estação de monta Realmente existe importância na gestão da fazenda e benefício para o produtor que se utiliza do período reprodutivo? Luís Adriano Teixeira* 32 - ABRIL 2015 A Estação de monta (EM) período

Leia mais

5ª Prova de Desempenho Individual de Touros Nelore Vitrine Tecnológica da UFU

5ª Prova de Desempenho Individual de Touros Nelore Vitrine Tecnológica da UFU 5ª Prova de Desempenho Individual de Touros Nelore Vitrine Tecnológica da UFU 1. Apresentação Este documento tem por finalidade apresentar a 5ª Prova de Desempenho Individual de Touros Nelore a ser realizada

Leia mais

Manual. do Produtor. de bezerro de corte

Manual. do Produtor. de bezerro de corte Manual do Produtor de bezerro de corte INTRODUÇÃO 02 A etapa de cria na cadeia produtiva da carne bovina é muito importante, e caracterizase como um período fundamental no processo de produção. As técnicas

Leia mais

PKGA + O Programa de Genética Avançada da Katayama

PKGA + O Programa de Genética Avançada da Katayama impresso revista Ano 2 N o 2 julho 2010 www.katayama.com.br PKGA + O Programa de Genética Avançada da Katayama Agenda Katayama 51ª Expô Araçatuba 2010 08 a 18 de julho Araçatuba (SP) Leilão Virtual Elo

Leia mais

Programa Alta Gestação promove democratização da inseminação artificial em ovinos no Brasil

Programa Alta Gestação promove democratização da inseminação artificial em ovinos no Brasil Programa Alta Gestação promove democratização da inseminação artificial em ovinos no Brasil Parceria entre Alta Genetics, Pfizer e Sérgio Nadal promete acelerar os rebanhos comerciais do país. A carne

Leia mais

NEWS BRASIL SEM FRONTEIRAS ABC & ANO IV N o 04 R$ 19,50

NEWS BRASIL SEM FRONTEIRAS ABC & ANO IV N o 04 R$ 19,50 ASSOCIAÇÃO 1 DORPER BRASIL SEM FRONTEIRAS NEWS ANO IV N o 04 R$ 19,50 9 771414 620009 0 2 ORGÃO OFICIAL DA ASSOCIAÇÃO ABC & DORPER B R A S I L BRASILEIRA DOS CRIADORES DE DORPER BIOTECNOLOGIAS REPRODUTIVAS

Leia mais

primeiro índice de cruzamento industrial projetado para o brasil

primeiro índice de cruzamento industrial projetado para o brasil primeiro índice de cruzamento industrial projetado para o brasil o índice para guiar suas melhores decisões! O QUE É O BCBI? Desenvolvido com o suporte técnico do Geneticista Senior da L`Alliance Boviteq,

Leia mais

GESTÃO E COMPETITIVIDADE DO LEITE

GESTÃO E COMPETITIVIDADE DO LEITE GESTÃO E COMPETITIVIDADE DO LEITE Odilio Sepulcri* 1. PLANEJANDO A ATIVIDADE Ao iniciar o negócio leite ou aperfeiçoá-lo devem-se tomar algumas decisões quanto a: que mercado participar? Quanto se quer

Leia mais

COMO INICIAR UMA CRIAÇÃO DE OVINOS

COMO INICIAR UMA CRIAÇÃO DE OVINOS COMO INICIAR UMA CRIAÇÃO DE OVINOS Cristiane Otto de Sá 1 e José Luiz de Sá 2 1. QUE TIPO DE PESSOA TEM VOCAÇÃO PARA CRIAR OVINOS O ovino foi um dos primeiros animais a ser domesticado pelo homem. Após

Leia mais

Curva de Crescimento e Produtividade de Vacas Nelore

Curva de Crescimento e Produtividade de Vacas Nelore Curva de Crescimento e Produtividade de Vacas Nelore THIAGO VINÍCIUS DE SOUZA GRADUANDO EM MEDICINA VETERINÁRIA UFMT/SINOP CONTATO: THIAGOV_SOUZA@HOTMAIL.COM Produtividade Cenário atual Nelore sistema

Leia mais

ANÁLISE MERCADOLÓGICA DE EMBRIÕES ZEBUÍNOS PRODUZIDOS A PARTIR DA TÉCNICA DE FERTILIZAÇÃO IN VITRO - FIV

ANÁLISE MERCADOLÓGICA DE EMBRIÕES ZEBUÍNOS PRODUZIDOS A PARTIR DA TÉCNICA DE FERTILIZAÇÃO IN VITRO - FIV ANÁLISE MERCADOLÓGICA DE EMBRIÕES ZEBUÍNOS PRODUZIDOS A PARTIR DA TÉCNICA DE FERTILIZAÇÃO IN VITRO - FIV Autor: Jorge Dias da Silva (SILVA, J. D.) E-mail: jorge@simaoedias.com Tel: 34 9202 1195 1 - INTRODUÇÃO

Leia mais

http://www.emater.mg.gov.br/site_emater/serv_prod/livraria/pecuaria/inseminacao.ht...

http://www.emater.mg.gov.br/site_emater/serv_prod/livraria/pecuaria/inseminacao.ht... Página 1 de 6 Pecuária Inseminação Artificial em Bovinos Nome Inseminação Artificial em Bovinos Produto Informação Tecnológica Data Agosto - 2000 Preço - Linha Pecuária Informações resumidas sobre Resenha

Leia mais

da AgroZurita, de Ivan Zurita, que comprou, de "porteira fechada",aestampacedrodenelore.

da AgroZurita, de Ivan Zurita, que comprou, de porteira fechada,aestampacedrodenelore. da AgroZurita, de Ivan Zurita, que comprou, de "porteira fechada",aestampacedrodenelore. Os marcadores moleculares são considerados por unanimidade um marco no desenvolvimento da pecuária nacional. José

Leia mais

http://www.crvlagoa.com.br/news/gerarnewsletterpdf.asp?idnewsletter=684

http://www.crvlagoa.com.br/news/gerarnewsletterpdf.asp?idnewsletter=684 Página 1 de 16 Caso não esteja visualizando este e-mail, clique aqui Ano 3 Número 658 Sexta, 7 de dezembro de 2012 Clique aqui para fazer o download da newsletter em PDF» COMUNICADO SUSPENSÃO VENDAS JAGUAR

Leia mais

ATUAL SITUAÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE NO BRASIL

ATUAL SITUAÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE NO BRASIL ATUAL SITUAÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE NO BRASIL Empresa Júnior de Nutrição de Ruminantes NUTRIR FCA-UNESP-FMVZ INTRODUÇÃO CONCEITOS BÁSICOS CENÁRIO DADOS MERCADO DO BOI CONSIDERAÇÕES FINAIS CONCEITOS BÁSICOS

Leia mais

INFORMATIVO. Cruzamento Industrial e suas vantagens Pág. 5

INFORMATIVO. Cruzamento Industrial e suas vantagens Pág. 5 INFORMATIVO Bauru, 21 de março 2008 nº 012 Saiba como aumentar a fertilidade em seu rebanho Pág. 2 O Informativo NOBRE desse mês, trás uma série de informações para seus leitores,sobretudo para quem deseja

Leia mais

Análise Técnica e Econômica de Sistemas de Produção de Bezerros

Análise Técnica e Econômica de Sistemas de Produção de Bezerros Análise Técnica e Econômica de Sistemas de Produção de Bezerros Lívio Ribeiro Molina MSc;DSc. Escola de Veterinária - UFMG A fase de Cria Aspectos Econômicos Eficiência econômica encontra-se altamente

Leia mais

Precocidade Sexual e a Inseminação Artificial em Tempo Fixo

Precocidade Sexual e a Inseminação Artificial em Tempo Fixo 4º Workshop Precocidade Sexual. Precocidade Sexual e a Inseminação Artificial em Tempo Fixo José Luiz Moraes Vasconcelos DPA FMVZ UNESP Botucatu, SP vasconcelos@fca.unesp.br Precocidade em novilhas Nelore

Leia mais

ANGUS: Fábio Schuler Medeiros. Médico Veterinário, D. Sc Gerente Nacional do Programa Carne Angus Certificada Associação Brasileira de Angus

ANGUS: Fábio Schuler Medeiros. Médico Veterinário, D. Sc Gerente Nacional do Programa Carne Angus Certificada Associação Brasileira de Angus ANGUS: Rentabilidade e mercado Fábio Schuler Medeiros Médico Veterinário, D. Sc Gerente Nacional do Programa Carne Angus Certificada Associação Brasileira de Angus Nossos Questionamentos... Como está a

Leia mais

MELHORAMENTO GENÉTICO DA PRECOCIDADE SEXUAL NA RAÇA NELORE

MELHORAMENTO GENÉTICO DA PRECOCIDADE SEXUAL NA RAÇA NELORE MELHORAMENTO GENÉTICO DA PRECOCIDADE SEXUAL NA RAÇA NELORE Fábio Dias 1 ; Joanir P. Eler 2 ; José Bento S. Ferraz 2 ; Josineudson A. II de V. Silva 3 1 Zootecnista, MSc. Agro Pecuária CFM Ltda, Av. Feliciano

Leia mais

EFICIÊNCIA REPRODUTIVA: ESTRATÉGIAS DE MANEJO VISANDO MAXIMIZAR OS RESULTADOS

EFICIÊNCIA REPRODUTIVA: ESTRATÉGIAS DE MANEJO VISANDO MAXIMIZAR OS RESULTADOS ARTIGO TÉCNICO PREMIX 12ª edição EFICIÊNCIA REPRODUTIVA: ESTRATÉGIAS DE MANEJO VISANDO MAXIMIZAR OS RESULTADOS Gustavo da Silva Freitas 1,4, Paola Moretti Rueda 2,4, Désirée Ribeiro Soares 2,4, Tiago da

Leia mais

Mestiçagem das vacas e rentabilidade da produção de leite 1

Mestiçagem das vacas e rentabilidade da produção de leite 1 Mestiçagem das vacas e rentabilidade da produção de leite 1 Sebastião Teixeira Gomes 2 Estima-se que 80% das vacas ordenhadas, no Brasil, são mestiças de raças européias e zebuínas. Dentre as européias,

Leia mais

Coleta e Análise de Dados

Coleta e Análise de Dados Uma ferramenta para melhorar os resultados no campo Renato Pavan Anderlini Médico Veterinário Mestrado UNESP Botucatu Cel: (11) 986 770 089 renato.pavan@multbovinos.com.br BeefExpo 2015 O que são dados?

Leia mais

ZAP Zambezia Agro Pecuaria Lda - Mozambique DESENVOLVIMENTO DE GADO LEITEIRO GIROLANDA FERTILIZACAO IN VITRO IVF

ZAP Zambezia Agro Pecuaria Lda - Mozambique DESENVOLVIMENTO DE GADO LEITEIRO GIROLANDA FERTILIZACAO IN VITRO IVF 1 ZAP Zambezia Agro Pecuaria Lda - Mozambique DESENVOLVIMENTO DE GADO LEITEIRO GIROLANDA FERTILIZACAO IN VITRO IVF 2 Capitulo 1 - Parceiros e Principal Fornecedor. Parceiros do projeto In Vitro Brasil

Leia mais

PROGRAMA DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM GRANDE ESCALA EM BOVINOS DE CORTE / PRODUÇÃO DE NOVILHO PRECOCE E SUPER PRECOCE

PROGRAMA DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM GRANDE ESCALA EM BOVINOS DE CORTE / PRODUÇÃO DE NOVILHO PRECOCE E SUPER PRECOCE PROGRAMA DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM GRANDE ESCALA EM BOVINOS DE CORTE / PRODUÇÃO DE NOVILHO PRECOCE E SUPER PRECOCE Nixon Rodrigues de Faria 1 - INTRODUÇÃO A eficiência do produtor e a qualidade dos

Leia mais

Sistema Integrado Tropicana. Manual Tropicana de Manejo

Sistema Integrado Tropicana. Manual Tropicana de Manejo Sistema Integrado Tropicana Manual Tropicana de Manejo Manual Tropicana de Manejo INTRODUÇÃO Vantagens proporcionadas pela Estação de Monta No período de acasalamento No parto e nascimento Na desmama Na

Leia mais

Programa Nelore Brasil e seu Impacto Econômico

Programa Nelore Brasil e seu Impacto Econômico Programa Nelore Brasil e seu Impacto Econômico II Congreso Ganadero Nacional CORFOGA 2008 Prof. Dr. Raysildo B. Lôbo ANCP, USP Crescimento da Pecuária de Corte Brasileira: produção de carne e abate 71,0%

Leia mais

Nelore e muito sabor. Volverine FIV Carpa. Conheça os cortes. Eduardo Biagi

Nelore e muito sabor. Volverine FIV Carpa. Conheça os cortes. Eduardo Biagi 1 10 11 11 8 9 12 6 7 14 13 5 15 4 16 17 3 2 18 21 20 19 Nelore e muito sabor Conheça os cortes Volverine FIV Carpa O preparo de um belo corte começa muito antes do que imaginamos. Tem início lá atrás,

Leia mais

Entrada dos animais procedentes de mais de 700 quilômetros. Recepção, identificação e mensuração dos animais.

Entrada dos animais procedentes de mais de 700 quilômetros. Recepção, identificação e mensuração dos animais. PROGRAMAÇÃO EXPOZEBU SEGUNDA-FEIRA 21/04 Entrada dos animais procedentes de mais de 700 quilômetros SEGUNDA-FEIRA 28/04 Recepção, identificação e mensuração dos animais. 13h30 Grafitagem Tema A evolução

Leia mais

Nova Sistemática de Consultoria. Raysildo B. Lôbo Sabrina M. Trigo

Nova Sistemática de Consultoria. Raysildo B. Lôbo Sabrina M. Trigo Nova Sistemática de Consultoria Raysildo B. Lôbo Sabrina M. Trigo Conceitos Normas para Consultoria Tipos de Consultoria Módulo Consultores Conceitos Consultor Técnico Associado: profissional formado na

Leia mais

Med. Vet. Avelino Murta avelino@biocampomg.com.br

Med. Vet. Avelino Murta avelino@biocampomg.com.br Med. Vet. Avelino Murta avelino@biocampomg.com.br QUEM SOMOS Localizada em Montes Claros, norte de Minas Gerais, a BIOCAMPO Assistência Veterinária foi fundada em 2010 e atua na área de Reprodução Bovina.

Leia mais

estratégias para melhorar seu rebanho

estratégias para melhorar seu rebanho Texto adaptado pela CRI Genética Brasil Fonte: Associação Americana de Angus CRI Genética Brasil estratégias para melhorar seu rebanho O que é Relatório de Avaliação de Touro? A Associação Americana de

Leia mais

ACONTE. Touros CV. Integração Lavoura/Pecuária Página 7. informativo carlos viacava nº - 8 Junho 2013

ACONTE. Touros CV. Integração Lavoura/Pecuária Página 7. informativo carlos viacava nº - 8 Junho 2013 ACONTE informativo carlos viacava nº - 8 Junho 2013 Grupo de novilhas super precoces que estarão à venda no Leilão Nelore Mocho CV do dia 28 de julho em Paulínia, SP. Prenhes aos 12 a 14 meses. Leilões

Leia mais

Bom de leite e bom de carne é possível? Alguns duvidam, talvez por pouca informação atualizada.

Bom de leite e bom de carne é possível? Alguns duvidam, talvez por pouca informação atualizada. Jadir Bison Vânia Maldini Penna e Maria Gabriela C. D. Peixoto Bom de leite e bom de carne é possível? Alguns duvidam, talvez por pouca informação atualizada. De fato, nos ensinaram que não. E nós também

Leia mais

Comunicado Técnico 15

Comunicado Técnico 15 Comunicado Técnico 15 ISSN 2177-854X Agosto. 2011 Uberaba - MG Cuidados sanitários para a estação de monta Responsáveis: Dra. Raquel Abdallah da Rocha Oliveira E-mail: rrabdallah@hotmail.com Pós-doutora

Leia mais

PROGRAMA REFERENCIAL DE QUALIDADE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DA PECUÁRIA BOVINA DE MINAS GERAIS. Hélio Machado. Introdução

PROGRAMA REFERENCIAL DE QUALIDADE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DA PECUÁRIA BOVINA DE MINAS GERAIS. Hélio Machado. Introdução Capítulo 34 Gestão da pecuária bovina de Minas Gerais PROGRAMA REFERENCIAL DE QUALIDADE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DA PECUÁRIA BOVINA DE MINAS GERAIS Hélio Machado Introdução Minas Gerais tem uma área de 58

Leia mais

O sucesso do Gir Leiteiro

O sucesso do Gir Leiteiro O sucesso do Gir Leiteiro The success of Dairy Gir Por/Text Silvio Pinheiro Queiroz 50_Animal Business-Brasil Sumário Fruto de rigoroso e persistente trabalho de seleção genética, o Gir Leiteiro vem alcançando

Leia mais

MANUAL DE PREENCHIMENTO DO RELATÓRIO DE CAMPO DO CONTROLE LEITEIRO

MANUAL DE PREENCHIMENTO DO RELATÓRIO DE CAMPO DO CONTROLE LEITEIRO CONTROLE 1 de 5 MANUAL DE PREENCHIMENTO DO RELATÓRIO DE CAMPO DO CONTROLE CONTROLE 2 de 5 1. Objetivo Este manual tem como objetivo a padronização do preenchimento do relatório de campo (R.1) do serviço

Leia mais

06 de julho de 2012 Edição nº. 476

06 de julho de 2012 Edição nº. 476 Indicador Boi Gordo Esalq/BVMF à Vista em SP 95 Essa semana gostaria da falar de algo diferente, mas antes vamos dar uma olhada nos preços da arroba em São Paulo. Repare: os preços não se afastaram muito

Leia mais

financeira na ovinocultura de corte

financeira na ovinocultura de corte Gestão e análise financeira na ovinocultura de corte Djalma de Freitas Zootecnista Doutor em Produção Animal Diretor Técnico PlanGesPec ProOvinos SENAR/FAMASUL Campo Grande/MS junho/2012 Objetivos Pensar

Leia mais

2013-2013 Curso de curta duração em Inseminação Artificial em Bovinocultura. Fazenda Paraíso, FAZENDA PARAÍSO, Brasil

2013-2013 Curso de curta duração em Inseminação Artificial em Bovinocultura. Fazenda Paraíso, FAZENDA PARAÍSO, Brasil CURRICULUM VITAE JULIO RAMOS REIS Endereço: Rua Iraci, 712, Boa Esperança Patrocínio - MG CEP: 38740-000 Telefones: (34) 9178-4616 / (34) 9903-1156 E-mail: julioramosreis@gmail.com Dados pessoais Filiação

Leia mais

Genética Aditiva melhorando o peso dos bezerros à desmama e ao sobreano - Benefício do Choque sanguíneo em Programas de Cruzamento Industrial

Genética Aditiva melhorando o peso dos bezerros à desmama e ao sobreano - Benefício do Choque sanguíneo em Programas de Cruzamento Industrial Genética Aditiva melhorando o peso dos bezerros à desmama e ao sobreano - Benefício do Choque sanguíneo em Programas de Cruzamento Industrial Agregar valor ao plantel de fêmeas bovinas este é o objetivo

Leia mais

As exigências por parte do laticínio têm-se refletido nas organizações das

As exigências por parte do laticínio têm-se refletido nas organizações das 215 Foto 1: Imagem do curral situado no lote nº 15. A infra-estrutura existente não está adequada de acordo com as exigências que o laticínio tem solicitado aos produtores. A infra-estrutura de cobertura

Leia mais

Curso de inseminação artificial da Alta dá dicas de como aumentar a rentabilidade em sua fazenda

Curso de inseminação artificial da Alta dá dicas de como aumentar a rentabilidade em sua fazenda São Paulo, 12 março de 2014 Curso de inseminação artificial da Alta dá dicas de como aumentar a rentabilidade em sua fazenda Suprir a demanda de mercado com produtos de qualidade e sustentáveis. Este é

Leia mais

Agenda Confira a programação do X Simpósio Brasileiro de Melhoramento Animal.

Agenda Confira a programação do X Simpósio Brasileiro de Melhoramento Animal. X Simpósio Brasileiro de Melhoramento Animal A ExpoGenética sediará este ano a décima edição do Simpósio Brasileiro de Melhoramento Animal. O evento abordará os avanços genéticos em diversas espécies,

Leia mais

GESTÃO DE SISTEMAS DE PRODUÇÃO DE BOVINOS DE CORTE: ÍNDICES ZOOTÉCNICOS E ECONÔMICOS COMO CRITÉRIOS PARA TOMADA DE DECISÃO

GESTÃO DE SISTEMAS DE PRODUÇÃO DE BOVINOS DE CORTE: ÍNDICES ZOOTÉCNICOS E ECONÔMICOS COMO CRITÉRIOS PARA TOMADA DE DECISÃO GESTÃO DE SISTEMAS DE PRODUÇÃO DE BOVINOS DE CORTE: ÍNDICES ZOOTÉCNICOS E ECONÔMICOS COMO CRITÉRIOS PARA TOMADA DE DECISÃO Antonio Chaker El-Memari Neto Zootecnista, MSc, Terra Desenvolvimento Agropecuário,

Leia mais

Selecionando para Melhorar as Carcaças do Gado de Corte:

Selecionando para Melhorar as Carcaças do Gado de Corte: Selecionando para Melhorar as Carcaças do Gado de Corte: Leonardo Campos 1 e Gabriel Campos 2 O professor e pesquisador norte-americano R.A. Bob Long, colunista da revista Angus Journal e autor do Sistema

Leia mais

MITOS E REALIDADE SOBRE CONSAGÜINIDADE OU ENDOGAMIA

MITOS E REALIDADE SOBRE CONSAGÜINIDADE OU ENDOGAMIA 1 MITOS E REALIDADE SOBRE CONSAGÜINIDADE OU ENDOGAMIA William Koury Filho Consangüinidade e endogamia são palavras que tem o mesmo significado e, atualmente, vem ganhando destaque na mídia especializada

Leia mais

Produzir Leite é Bom Negócio? Alto Paranaíba. Sebastião Teixeira Gomes

Produzir Leite é Bom Negócio? Alto Paranaíba. Sebastião Teixeira Gomes Produzir Leite é Bom Negócio? Alto Paranaíba Sebastião Teixeira Gomes Viçosa Novembro 1996 1 Índice Especificação Página 1. Introdução... 2 2. Notas Metodológicas... 2 3. Recursos Disponíveis... 3 4. Raça

Leia mais

ACONTE. Veterano de CV Grande destaque do 53º Leilão Nelore Mocho CV de Paulínia, SP 50% Integração Lavoura/Pecuária Página 4

ACONTE. Veterano de CV Grande destaque do 53º Leilão Nelore Mocho CV de Paulínia, SP 50% Integração Lavoura/Pecuária Página 4 ACONTE informativo carlos viacava nº - 9 Junho 2014 50% à venda Veterano de CV Grande destaque do 53º Leilão Nelore Mocho CV de Paulínia, SP Páginas 2 e 3 Integração Lavoura/Pecuária Página 4 Venda de

Leia mais

PROGRAMA DE MELHORAMENTO GENÉTICO DE ZEBUÍNOS - PMGZ

PROGRAMA DE MELHORAMENTO GENÉTICO DE ZEBUÍNOS - PMGZ PROGRAMA DE MELHORAMENTO GENÉTICO DE ZEBUÍNOS - PMGZ Avaliação Genética - Gado de Corte As avaliações genéticas das Raças Zebuínas de Corte são desenvolvidas pela ABCZ em convênio com a Embrapa. Com base

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE BOVINOS DE CORTE COMPOSTOS NO BRASIL O DESAFIO DO PROJETO MONTANA TROPICAL. José Bento Sterman Ferraz, Joanir Pereira Eler

DESENVOLVIMENTO DE BOVINOS DE CORTE COMPOSTOS NO BRASIL O DESAFIO DO PROJETO MONTANA TROPICAL. José Bento Sterman Ferraz, Joanir Pereira Eler DESENVOLVIMENTO DE BOVINOS DE CORTE COMPOSTOS NO BRASIL O DESAFIO DO PROJETO MONTANA TROPICAL José Bento Sterman Ferraz, Joanir Pereira Eler Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos da USP USP-FZEA

Leia mais

Manejo da leitoa e da fêmea em reprodução 1/9. Produção de Suínos. Ciência e prática. Eduardo Viola. Qualyfoco Consultoria LTDA. eviola@terra.com.

Manejo da leitoa e da fêmea em reprodução 1/9. Produção de Suínos. Ciência e prática. Eduardo Viola. Qualyfoco Consultoria LTDA. eviola@terra.com. 1/9 Produção de Suínos Ciência e prática Eduardo Viola Qualyfoco Consultoria LTDA. eviola@terra.com.br 2/9 Manejo da leitoa e da porca reprodutora Criando as futuras matrizes Seleção das fêmeas como reprodutoras

Leia mais

SUSTENTABILIDADE DO SISTEMA DE PRODUÇÃO DE LEITE COM ANIMAIS F1: PERSPECTIVAS E PESQUISA

SUSTENTABILIDADE DO SISTEMA DE PRODUÇÃO DE LEITE COM ANIMAIS F1: PERSPECTIVAS E PESQUISA Capítulo 24 Sustentabilidade de produção de leite com animais F1 SUSTENTABILIDADE DO SISTEMA DE PRODUÇÃO DE LEITE COM ANIMAIS F1: PERSPECTIVAS E PESQUISA Marcos Brandão Dias Ferreira, Beatriz Cordenonsi

Leia mais

Inseminação Artificial em Tempo Fixo em Vacas Leiteiras

Inseminação Artificial em Tempo Fixo em Vacas Leiteiras Inseminação Artificial em Tempo Fixo em Vacas Leiteiras Serviços em Pecuária de Leite Avaliação Ginecológica e Diagnóstico de Gestação com Aparelho de Ultrassonografia Exames Laboratoriais IATF Inseminação

Leia mais

INSTITUTO AGRONÔMICO DE PERNAMBUCO ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO CLIPPING ELETRÔNICO

INSTITUTO AGRONÔMICO DE PERNAMBUCO ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO CLIPPING ELETRÔNICO INSTITUTO AGRONÔMICO DE PERNAMBUCO ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO CLIPPING ELETRÔNICO De 06 de outubro de 2014 TECNOLOGIA GENÉTICA ACESSÍVEL PECUÁRIA Laboratório fará transferência de embriões de animais de

Leia mais

Gestão de pessoas na empresa rural. Prof. Rafahel Carvalho de Souza PUC Minas

Gestão de pessoas na empresa rural. Prof. Rafahel Carvalho de Souza PUC Minas Gestão de pessoas na empresa rural Prof. Rafahel Carvalho de Souza PUC Minas Panorama antigo Modernização da agricultura brasileira (década 60-80): Investimentos (máquinas, equipamentos e animais de raças

Leia mais

Anais do 8º Seminário Anual de Iniciação Científica e 2º Seminário de Pesquisa da UFRA 20 a 22 de outubro de 2010

Anais do 8º Seminário Anual de Iniciação Científica e 2º Seminário de Pesquisa da UFRA 20 a 22 de outubro de 2010 ALGUNS PARÂMETROS REPRODUTIVOS DAS RAÇAS SINDI E PITANGUEIRA NO ESTADO DO PARÁ Lussandro Comarella LECHINOSKI 1 ; Haroldo Francisco Lobato RIBEIRO 2 ; Sebastião Tavares ROLIM FILHO 3 ; Anderson Carvalho

Leia mais

Fazenda São Francisco São Francisco de Paula-RS Proprietário: José Lauri Moreira de Lucena

Fazenda São Francisco São Francisco de Paula-RS Proprietário: José Lauri Moreira de Lucena Fazenda São Francisco São Francisco de Paula-RS Proprietário: José Lauri Moreira de Lucena Área total: 354 ha Área pastoril: 330 ha Sistema de produção: Cria de Bovinos Histórico 1982 Início da propriedade

Leia mais

ACONTE. Desafio de precocidade sexual Página 2. Pesquisa inédita em. informativo carlos viacava nº - 11 Maio 2015. Página 4.

ACONTE. Desafio de precocidade sexual Página 2. Pesquisa inédita em. informativo carlos viacava nº - 11 Maio 2015. Página 4. ACONTE informativo carlos viacava nº - 11 Maio 2015 Quem usa a genética CV, sente na carne Desafio de precocidade sexual Página 2 Pesquisa inédita em programas de PIVE Página 3 DIA DE CAMPO DO PROJETO

Leia mais

PROGRAMAS EM RAÇAS SINTÉTICAS. Kepler Euclides Filho

PROGRAMAS EM RAÇAS SINTÉTICAS. Kepler Euclides Filho PROGRAMAS EM RAÇAS SINTÉTICAS Kepler Euclides Filho Embrapa Gado de Corte Caixa Postal 154 79002-970, Campo Grande, MS E-mail: kepler@cnpgc.embrapa.br. INTRODUÇÃO O termo raça sintética, no contexto de

Leia mais

Cruzamento Industrial: Processo Chave para Obtenção de Novilhos Precoces

Cruzamento Industrial: Processo Chave para Obtenção de Novilhos Precoces Cruzamento Industrial: Processo Chave para Obtenção de Novilhos Precoces Alexandre Zadra 1 1. Introdução O aumento da competitividade com outras carnes, bem como outros mercados, e a possibilidade de o

Leia mais

Informativo Técnico. Tome cuidado, seu tratamento contra o carrapato pode estar falhando!

Informativo Técnico. Tome cuidado, seu tratamento contra o carrapato pode estar falhando! Informativo Técnico Informativo Técnico N 01/Ano 01 abril de 2010 Tome cuidado, seu tratamento contra o carrapato pode estar falhando! Ivo Kohek Jr.* O carrapato do bovino (Boophilus microplus) passa a

Leia mais

Gabriel Mantelato Rogatto Graduando 3º ano Zootecnia

Gabriel Mantelato Rogatto Graduando 3º ano Zootecnia Gabriel Mantelato Rogatto Graduando 3º ano Zootecnia Introdução Brasil -> Nordeste Maior Produtor II)Canindé - Leite I)Boer - Carne III)Saanen - Leite Retirado de: www.caprilproduction.com Manejo Reprodutivo

Leia mais

APLICAÇÃO DA PESQUISA OPERACIONAL AVALIAÇÃO DE FORMULAÇÕES DE RAÇÃO PARA BOVINOS EM CONFINAMENTO UTILIZANDO O SOFTWARE LINGO

APLICAÇÃO DA PESQUISA OPERACIONAL AVALIAÇÃO DE FORMULAÇÕES DE RAÇÃO PARA BOVINOS EM CONFINAMENTO UTILIZANDO O SOFTWARE LINGO Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 8 APLICAÇÃO DA PESQUISA OPERACIONAL AVALIAÇÃO DE FORMULAÇÕES DE RAÇÃO PARA BOVINOS EM CONFINAMENTO UTILIZANDO O SOFTWARE

Leia mais

INFORMATIVO. Informativo Semestral do NeloreCEN Edição nº08 2015. CEN 8969 Exemplo REM UPONIC x CEN 2214Fajuta

INFORMATIVO. Informativo Semestral do NeloreCEN Edição nº08 2015. CEN 8969 Exemplo REM UPONIC x CEN 2214Fajuta Informativo Semestral do Edição nº08 2015 CEN 8969 Exemplo REM UPONIC x CEN 2214Fajuta Informativo Semestral do Edição nº08 2015 Editorial Esta é uma ocasião muito especial. Estamos completando 50 anos

Leia mais

INDEX ASBIA MERCADO 2014

INDEX ASBIA MERCADO 2014 INDEX ASBIA MERCADO 2014 INDEX ASBIA Mercado de sêmen 2014. O relatório do INDEX ASBIA 2014 representa aproximadamente 92% do mercado de sêmen no Brasil, incluindo as raças de corte e leite e é composto

Leia mais

A visão da Indústria de Insumos. FEICORTE 22 DE JULHO 2007 Sergio Carlo Franco Morgulis ASBRAM

A visão da Indústria de Insumos. FEICORTE 22 DE JULHO 2007 Sergio Carlo Franco Morgulis ASBRAM A visão da Indústria de Insumos FEICORTE 22 DE JULHO 2007 Sergio Carlo Franco Morgulis ASBRAM Objetivos Objetivos em comum para toda a cadeia Economicamente viável Socialmente responsável Ambientalmente

Leia mais

Projeto NELOGIR. Cruzamento Nelore x Gir como matriz para F1. Resultados parciais. Dr. Ronaldo Lazzarini Santiago

Projeto NELOGIR. Cruzamento Nelore x Gir como matriz para F1. Resultados parciais. Dr. Ronaldo Lazzarini Santiago Projeto NELOGIR. Cruzamento Nelore x Gir como matriz para F1. Resultados parciais Dr. Ronaldo Lazzarini Santiago Colonial Agropecuária e Fazenda Calciolândia F-1, A MATRIZ MAIS ADEQUADA AO SISTEMA DE PRODUÇÃO

Leia mais

RAÇAS BOVINAS LOCAIS BRASILEIRAS

RAÇAS BOVINAS LOCAIS BRASILEIRAS RAÇAS BOVINAS LOCAIS BRASILEIRAS D Animal Pantaneiro em pastagem nativa. Foto: Ana Maio iversas raças bovinas existentes no Brasil originaram de animais trazidos pelos colonizadores. Estas se adaptaram

Leia mais

Fatores usados para determinar o nível de ameaça de extinção de uma raça

Fatores usados para determinar o nível de ameaça de extinção de uma raça INCT: Informação Genético-Sanitária da Pecuária Brasileira SÉRIE TÉCNICA: GENÉTICA Publicado on line em animal.unb.br em 29/09/2010 Fatores usados para determinar o nível de ameaça de extinção de uma raça

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 19 Discurso na solenidade de lançamento

Leia mais

Diferenças Esperadas na Progênie

Diferenças Esperadas na Progênie Manual do Criador Diferenças Esperadas na Progênie Definições, Cálculos, Interpretações e Usos DEP do Touro DEP da Vaca Resposta na Progênie James S. Brinks SOBRE O AUTOR 1 Jim Brinks foi criado em uma

Leia mais

MANEIRA PRÁTICA DE REALIZAR CONTROLE REPRODUTIVO EM GADO LEITEIRO EM PROPRIEDADES COM ECONOMIA FAMILIAR

MANEIRA PRÁTICA DE REALIZAR CONTROLE REPRODUTIVO EM GADO LEITEIRO EM PROPRIEDADES COM ECONOMIA FAMILIAR 1 BOLETIM TÉCNICO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS DEPARTAMENTO DE MEDICINA VETERINÁRIA MANEIRA PRÁTICA DE REALIZAR CONTROLE REPRODUTIVO EM GADO LEITEIRO EM PROPRIEDADES COM ECONOMIA FAMILIAR Boletim Técnico

Leia mais

Melhoramento de gado de leite no Brasil Realizações e perspectivas. Fernando Enrique Madalena Consultor autônomo www.fernandomadalena.

Melhoramento de gado de leite no Brasil Realizações e perspectivas. Fernando Enrique Madalena Consultor autônomo www.fernandomadalena. Melhoramento de gado de leite no Brasil Realizações e perspectivas Fernando Enrique Madalena Consultor autônomo www.fernandomadalena.com Algumas ações de pesquisa e desenvolvimento no melhoramento de gado

Leia mais

PADS 2013 PROVA DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO SENEPOL 2013

PADS 2013 PROVA DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO SENEPOL 2013 PADS 2013 PROVA DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO SENEPOL 2013 1. Introdução A PADS 2013, a ser promovida e organizada pelo Núcleo de Melhoramento da Raça Senepol sob supervisão técnica do GENEPLUS - Programa

Leia mais

CAPÍTULO VII DA RAÇA E DA SUA CLASSIFICAÇÃO PARA FINS DE REGISTRO

CAPÍTULO VII DA RAÇA E DA SUA CLASSIFICAÇÃO PARA FINS DE REGISTRO CAPÍTULO VII DA RAÇA E DA SUA CLASSIFICAÇÃO PARA FINS DE REGISTRO Artigo 23 - Para o Serviço de Registro Genealógico denominam-se Bovinos da Raça Holandesa, os bovinos de qualquer idade, sexo ou variedade

Leia mais

AVALIAÇÕES DE OBJETIVOS ECONÔMICOS PARA GADO DE LEITE, DE CORTE E DE DUPLA APTIDÃO NO BRASIL. Anibal Eugênio Vercesi Filho, Fernando Enrique Madalena

AVALIAÇÕES DE OBJETIVOS ECONÔMICOS PARA GADO DE LEITE, DE CORTE E DE DUPLA APTIDÃO NO BRASIL. Anibal Eugênio Vercesi Filho, Fernando Enrique Madalena AVALIAÇÕES DE OBJETIVOS ECONÔMICOS PARA GADO DE LEITE, DE CORTE E DE DUPLA APTIDÃO NO BRASIL Anibal Eugênio Vercesi Filho, Fernando Enrique Madalena Departamento de Zootecnia, Escola de Veterinária da

Leia mais

Evoluir é democratizar o conhecimento. Melhoramento genético: investimento com retorno garantido

Evoluir é democratizar o conhecimento. Melhoramento genético: investimento com retorno garantido Evoluir é democratizar o conhecimento Uma das características mais marcantes do ser humano é a de registrar o conhecimento. Isso nos diferenciou e proporcionou nossa rápida evolução em relação a outras

Leia mais

SOLUÇÃO PARA A INFERTILIDADE

SOLUÇÃO PARA A INFERTILIDADE Revista: Carta Capital 28 de Agosto de 2002 SOLUÇÃO PARA A INFERTILIDADE DOIS ESPECIALISTAS DIZEM O QUE É CIÊNCIA E O QUE É MITO, ESCLARECEM AS POSSÍVEIS CAUSAS DO PROBLEMA E AS MELHORES ALTERNATIVAS PARA

Leia mais

Realização: PROGRAMA DO CURSO Gestão da Pecuária de Corte Marabá, PA

Realização: PROGRAMA DO CURSO Gestão da Pecuária de Corte Marabá, PA Realização: PROGRAMA DO CURSO Gestão da Pecuária de Corte Marabá, PA Parceria: Programa do curso Gestão da Pecuária de Corte Marabá, PA O curso Gestão da Pecuária de Corte oferece ao participante conhecimento

Leia mais

PLANO INSTRUCIONAL FORMAÇÃO PROFISSIONAL RURAL PARTICIPANTES

PLANO INSTRUCIONAL FORMAÇÃO PROFISSIONAL RURAL PARTICIPANTES PLANO INSTRUCIONAL FORMAÇÃO PROFISSIONAL RURAL Título da ação da FPR: Inseminação Artificial em Bovinos Linha de ação: Pecuária Área ocupacional: Pecuária de Grande Porte. Ocupação:.Trabalhador na Inseminação

Leia mais

Clipping de notícias. Recife, 15 de julho de 2015.

Clipping de notícias. Recife, 15 de julho de 2015. Clipping de notícias Recife, 15 de julho de 2015. Cepe Recife, 15 de julho de 2015. 14/07/2015 ATÉ QUE ENFIM: 'Secretaria de Agricultura de Tabira instala balança no Curral do Gado' O prefeito de Tabira,

Leia mais