MEMORIAL DESCRITIVO CADERNO DE ENCARGOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MEMORIAL DESCRITIVO CADERNO DE ENCARGOS"

Transcrição

1 1.0 DADOS BÁSICOS: PROPRIETÁRIO: MEMORIAL DESCRITIVO NO M E : CN PJ : I D: CENTRAIS ELÉTRICA DE CARAZINHO S/A REFO RESPONSÁVEL TÉCNICO (PROJETO / EXECUÇÃO): NO M E : T Í T ULO : CRE A: MARCELO DIDOLICH CRISTANI Arq. e Urbanista D 2.0 PLANILHA DE CONTROLE DE OCUPAÇÃO: TERRENO: Endereço: Matrícula: LINHA MATA-COBRA ALM. TAMANDARÉ DO SUL Zona: Área: Setor: Quadra: Lote: CADERNO DE ENCARGOS 1.0 CANTEIRO DE OBRAS: De verá ser isolado por tapume d e made ira c om altura de 2,50metros. Deverá ser construí do um barracão, di mensionado para abrigar os mat e- ri ais de construç ão e e quipamentos para a execuçã o da o bra, o q ual poderá ser de madeira imunizada, com co bertura de telha s onduladas de zinc o, dotada de vão(s) de il uminação e ventil ação. De verá ser con stru ído um sanitário de acord o com o número de f uncionários. 2.0 EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO: Serão de uso obrigatório o s seg uinte s equipame ntos, obedecido o di sposto n a Norma Regulame nt adora NR-6 e NR-18: Equipamento s de Proteção Indi vidual - EPI: Capac etes de Seguranç a, Lu vas, Botina de Couro, Ci ntos de Segurança. Equipamento s de Proteção Coleti va: Bandeja Protetora, Tel amento de Fach a- da s. A construção de andaimes e a instalação de transporte vertical são preconiza da s pela NR-18. Em locais determina dos pela f isca lização do Corpo de Bombei ro s d e- verão ser instal ado s di spositivo s p ara Proteç ão e Combate à I ncê ndi o. 3.0 DEMOLIÇÕES: De verão ser e xec ut ada s com a máxi ma seg urança, c o n- f orme norma NBR e NR LIMPEZA INICIAL: De verão s er exec utados o s ser vi ç os de c api na, de stocamento, quei ma e remoção para que o local da obra f ique livre de raízes e tocos de árvores. Peri odi came nte dev erão s er removi do s os entul hos pr oveni ent es da e xec u- ção da obra. 5.0 IMPER MEABILIZAÇÃO: Os l oc ai s s uscetí vei s de i nfi ltração ou pe r- col ação de água, serão i mpermeabilizado s c om pintura impermeável de hidro asf alto em 4 demãos. 6.0 ESTRUTU RA: O proj eto estrutur al deverá s er e xec utado c om obs er vâ n- cia às Norma s NBR-6118, NB-4, NB-5 e NB-16 da ABNT e o s detalhes e pre scriçõe s do Projeto Estrutural. 6.1 DOSAGE M DO CON CRETO: O concreto de verá ser dosa do de modo a a s- se gurar, apó s a cura, a re sistência indi cada no projeto est rutural ou nas e s- pecifi cações. A re sistência padrão d everá ser a da ruptura de corpo s de pr o- va s de concreto simpl es, aos 28 dia s de i dade, executados e ensaiados de acordo com os Mét odos MB-2 e MB-3 d a ABNT, em número inf erior a 2 co r- 14/7/ # 10.

2 po s de prova para cada 3 0m³ de concreto lan çado. Em nenhuma hipótese será permi tido o lançamento apó s o início da pega. 6.2 FÔRMAS: Na execução da s f ôrmas deverá ser verificado: reprodução f iel do desenho; adoção de contra-f lexas, quando nece ssárias; superposição dos pilares; ni velamento da s lajes e d as vigas; suf iciência do escoramento a dot ado; contra vent amento de painéi s q ue possam se de slocar quando do lança mento do concreto; f uros para p assagem de tubulaçõe s; vedaçã o e l impeza da s f ôrmas. A construção das f ôrmas e do escoramento, deverá ser f eit a do modo a h a- ver facilidade na retirad a do s seus di versos elementos, me smo aqueles c o- locados entre laj es. Antes do lançam ent o do c oncret o as f ôrmas de verão ser molhadas até à s aturação. 6.3 ARMADURA: Na execução da armadura de verá ser verif icado: dobramento das barra s, de ac ordo com o de senho; número d e barras e suas bitolas; po si ção correta d as barras; amarraçã o e recobrimento. 6.4 ADENSAMENTO DO CONCRET O: O aden samento mec âni co de verá ser contínuo e d urar o temp o nece ssário para homoge neizar a mistura de t odo s os eleme ntos, inclusive eventuai s aditivos. Só será admitido o aden sament o manual, e xc epcionalmente, a juízo da Fi scal ização. 6.5 LANÇAMENTO DO CONCRETO: O lançamento do concreto de verá obedecer a o plano de concret agem; Não deverá ultrapassar de 30 mi nuto s o i ntervalo entre a adição da águ a e o lançamento d o concreto. O ade nsamento deverá ser ef etuado durant e e apó s o l an ç amento do c oncreto, pôr vibrador, até que a água comece a refluir na superf ície. Qua ndo ma nual, deverá o concreto ser socado, contínua e energicame nte, pôr meios de hastes apropria das. O ade nsamento d everá ser fei to c ui dadosa mente para que o concret o e n- vol va completamente a arma dura e ati nja todos o s p onto s d a f ôrma. Deverã o ser tomada s precauções para q ue n ão se altere a posição da s a r- maduras nem se f ormem vazios na concretagem. 6.6 CURA: Durante sete dias de verão as superf ícies expostas d o concret o ser co nserva das úmidas. 6.7 RETIRADA DAS FÔRMAS: Não deverá oc orrer antes dos seguinte s pra zos: 03 dias para a s f ace s laterai s; 14 dias p ara a s f aces inf eriores, dei xando-se pontaletes bem encunhado s e convenient emente espaçados; 21 dias para a s f ace s inf eriores, sem po ntaletes. 6.8 JUNT AS DE CONCRE TAGE M: Durante a c onc ret agem poderão oc or rer i n- terrupções previ sta s ou i mprevi stas. Em qual quer caso, a j unta, então f o r- mada, denomina-se f ria, se n ão f or possí vel retornar a concretagem antes d o início da pega do co ncreto já lançado. Cui dar para que as juntas não coi ncidam com os planos de cisalhamento, localizando-as ond e f orem menore s o s esf orços; A concretagem da s vigas ati ngirá o terço médi o do vão, não se ndo permit i- da s j unta s próxima s aos apoios; Na ocorrência d e juntas em l aje s, a concretagem atingirá o terço médio do vão mai or, local izando-se as j unta s paral elamente à armadura pri nc i pal ; Para a perf ei ta aderênc i a entre o c onc reto endurec i do e o qu e vai ser l a n- çado, d everá a superf ície das juntas, receber tratamento com esc ova de aço, j ateamento de areia, ou outro processo que proporci one a f orm ação de redentes, ra nhuras ou sal iências; 14/7/ # 10.

3 6.9 FURAÇÕES: Como di retri z geral, no s ca so s em qu e não haj a i ndi cação pr e- ci sa no projeto est rutural, haverá a preocupação de situar -se o s f uros, tant o quanto pos sí vel, na zon a de tração de vi gas, ou outr os el ementos atrave s- sa dos evi tando- se o enf raqueci mento prej udi ci al à segur ança da e strutur a. Não será permitido pa ssar tubulações em pilare s e c olunas, sal vo a u- torização por e scrito do RESPONSÁVE L TÉCNICO DA EXECUÇÃO DISPOS IÇ ÕES D IVERSAS: Nenhum conj unto de el emento s e str u- turais será concretado sem primordial e min uci osa veri f icação por parte do RESPONSÁVEL TÉ CNICO DA E XECU ÇÃO, da perf ei ta di sposi ção, di me n- sõ es, li gaçõe s, escoramento s e costura d as f ôrmas, e armaduras correspondentes, bem como sem prévio e xa me d a correta colocação de canali zações elétricas, hidráulicas, e outras, que de vam ficar embutidas na ma ssa d o concreto MODIF ICAÇÕES: As modif icações, f uros p ara pa ssagem de t ubul ação ou demolições parci ai s da e strut ura deverão ser obj eto de consulta ao RE S- PONSÁVEL TÉCNICO DO PROJETO ESTRUTURAL. 7.0 ALVENARIAS: A execuç ão da al venari a obedecerá às No rmas NBR da ABNT. As al ven arias de ti jolos maciços ou f urados obedecerã o às dimen sõ es e a os alinhamentos determi nad os no Projeto Arquit et ônico As espessuras indicad as no Proj eto, refere-se às pare des depois de revestida s. Admit e-se, no má ximo, uma variação de 2cm em relação à e sp e ssura proj etada. As al venari as apoi ada s em al i c erc es s erão e xecu tadas, no míni mo, 24ho ras a- pós a impermeabilização desses ali cerces, sendo que nesse s serviços serão t o- mados todos os c ui dado s para garanti r a estanquei dade da al ven ari a e, c ons e- quentem ente, evitar o aparecimento de umidade a sce ndente. O s c omponentes cerâmi cos serão abundantement e mol hados ant es de sua c ol o- cação. A al ve nari a desti nada a rec eber c humbadores de serral heri a s erá exec uta da, o- brigatoriamente, com tijolos maciços. É vet ada a colocação de tijolos f urados com f uros no sentido da espessura da parede. O as sentamento dos c omponentes c erâmi c os s erá e xec utado c om j u nta s de a- marração, as f iadas serão perf eitamente niveladas, alinhadas e aprumadas, para tal serão utilizado s li nha, prumo de pe dreiro, nível e e squadro. A exec ução será inici ada pelos cantos principais, ou pel as l igaçõe s dos quai squ er outros c omp o- nente s e elementos da edif icação. As j untas de argama ssa terão, no máxi mo, 10mm. Serão al egrada s ou re bai x a- das, à ponta de colher, para que o em boço a dira f ort emente. Para as obras com estrutura de concreto a rmado a al venaria será interrompi da abai xo da s vi gas e/ou lajes. Esse espaç o será pree nchido, a pós sete dias, de modo a garanti r o perfei to travamento e ntre a al venari a e a e strutura, c om ti j o- los di spost o obliquamente, com altura de 1 50milímetro s, ou com argama ssa com e xpansor com altura de 30milímetros, apro xi madamente. Para o assentame nto d os ti jolos m aciços e furado s será utilizada Argamassa de assentame nto conf orme Especificações de Mater iais. Sobre o vão das porta s e janelas serão moldadas ou col ocadas vergas, e sob o vão das janelas serão moldadas ou coloc adas contravergas, as quais e xc ederão a largura do vão, em pelo menos, 30centí metros, em cad a lado e t erão altura mínima de 10centímet os. Para a perf eita aderência da s alvenaria s às superf ícies de c oncreto, essas últ i- mas serão cha piscadas com argama ssa conf orme Especificações d e Materiais. No caso de Pi lares, além do cha pisco, a ligação será ef etuada com o em prego de ba rra s de aço com 5mm à 10mm, di stanciada s c erca de 6 0centímetro s, e enga sta das no pilar e na alven aria. A execução de al venaria será nas área s hachuradas na planta baixa em an e- xo. 8.0 COBERTURA: A execução da est rutura da cobertura obedecerá a no rm a NBR 7190 e NBR 6120 d a ABNT, conf orme o caso. O trân sito no telhado, durant e a execução do s serviços, será sempre sobre tábuas, colocada s n o sentido longi tudinal e tran sversal, não sendo a dmitido pisar diretamente nas telhas ou ch apas. 14/7/ # 10.

4 8.1 ESTRUTURA: Será executada com madeira de lei ( eucalipto bra nco) de boa qual i dad e, sem nós ou outros def ei tos, conveni ent emente tr atada e i m u- nizad a contra cupim, de maneira a garanti r uma perf eita segurança e durab i- lidade. Todo o trabal ho de verá ser f eito de modo a se obter uma perf eita ajustagem de t oda s as superf ícies de l igação, encai xes e articulaç ões entre as di versas p eças do madeiramento, bem como ancoragem à viga de respa l- do. 8.2 COBERTURA DE TELHAS DE ALUZ INCO: Será c onsti tuído pôr t e- lhas de alu zinco de 2, 5mm de espessura, f ixa da s de acordo c om as norma s de f ixação e sup erpo sição, d eterminado s pe lo f abri cante. Para evi tar a sobreposi ç ão de quatro espe ss uras de c ha pa, proceder- se- á ao c orte dos c antos diagonalmente. 8.3 COLOCAÇÃO DE FORRO DE PVC: Será remo vido o f orro exi stente de toda ext en são da usina e em seu lugar será apli cado um f orro macho-f êmea de pvc da marca pla sbil tipo canelado de 10mm x 1 0cm. 9.0 REVESTI MENTOS DE PAR EDES: As superf íc i es l impas com vas sour a e a- bundantemente molhada s com esg uicho de mangueira antes da aplicação do chapi s- co. 9.1 CHAPISCO: Será executado com argamassa conf orme Especif i cação de materiais em camada i rregul ar e d escont ínua. 9.2 EMBOÇO: O em boço só será iniciado ap ós c ompleta pega da argama ssa da s alvenari as e ch api sc os. Os pai néi s, só serão i niciados depois de emb u- ti das todas as canalizaç õe s que por el e de vam passar. Antes da apl icação do emboço a sup erf ície de verá ser abundant e- mente molhada com esguicho de mangueira. Será executad o com arg amassa c onf orme Esp ecificação de mater i- ais e a espessura do emb oço não de ve ul trapa ssar 15mm, de mod o que, com a apl icação de reboco, não ultrapasse a 2 0mm. Os emb oço s serão f ortemente comprimi dos contra as superf ícies e apresentarão parame nto á sp ero ou entrecort ado de sulco s para f acili tar a ader ênc i a. Para o perf ei to al i nhamento dever ão ser exec utad as me s- tras, a s qu ais serão alinhada s pre viamente por tacos f ixado s à superf í- cie. 9.3 REBOCO: Será executad o com arg amassa c onf orme Esp ecificação de mater i- ais, com no máximo 5mm d e e spe ssura. O emboço deve estar limpo, sem poeira, livre de impureza s vis í- vei s, como raíze s, ponta s de aço da armação, efl orescências, a s quai s deverão ser remo vidas por e scovam ento. O reb oco só será executado depoi s da coloc ação de peitoris e ma r- cos, e a ntes da colocação de al izares e rod apé s. A superf ície do emboç o deverá ser abund antemente m olhada com esguicho d e mangueira, antes da aplicação do reboco. Poderá ser adici onada a argama ssa um aditivo hidróf ugo ou impe r- meabil izante. O l ançam ento de reboco com aditivo hidróf ugo na masseira se rá objeto de cuidados especiai s, no sentido de evit ar -se a precipi tação d o hidrof ugante. Como e sse componente de reboco apresenta dif iculdade de misturar-se com a água, o amassamento será energético, de f orma que haja homog enei zaçã o perf eita no produt o final. Na aplicação dev e- rão ser evitadas f issuras. O novo reboco será executado nas áre as hachuradas da planta baixa em anexo PINTURA: 10.1 PREPARO DA SUPERFÍCIE: A superf íci e deverá ser previame nte lixada e limpa, i senta d e óleo, graxa, f ungo s, al gas, bol or, ef lorescências e material solto. 14/7/ # 10.

5 10.2 FUNDO: Sobre a superf ície deverá ser aplicada no mínimo uma demão de f undo sel ador, es pecíf i c o para a su perf íc i e a ser pi ntada e ad e- quada a tinta PINTURA: A t i nta será bem es pal hada sobre a superf ície e a e spe s- sur a da pel íc ul a, de c ada dem ão, será a míni ma possí vel, obtendo - se o cobrimento atravé s de demãos sucessi vas. A p elícula de cad a demão será co n- tínua, com espessura unif orme e l ivre d e escorrimentos. Cada demão d e ti n- ta só poderá ser apl icada quando a preced ent e esti ver perf eitamente sec a, o que evitará enrugamentos e d eslocamento s DISPOSIÇÕES GERAIS: Os serviços de pintura de vem ser real izados e m ambiente s com temperatura varia ndo entre 10ºC e 35ºC. A a plicação em a m- bientes ext erna, não poderá ser real izada quando da ocorrência de chuva s, condensação de vapor de água na superf íci e da ba se e ocor rência de vento s f ortes com transporte de partículas em su spe nsão no a r INSTALAÇÕES ELÉTRICAS: Deverão ser executad as de acord o com o projeto, satisf azendo às prescriçõe s da normas da ABNT ref erentes ao a ssu nto, a o Regulamento para Instal açõ es Consumido ras (RIC) e à norma da ELETROCAR. 14/7/ # 10.

6 ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS 1.0 AÇO: Será do tipo CA60A para bitol as 3.4mm, 4.2mm, 5mm, 6mm, e CA50A para as d e superior ( 8mm, 1 0mm, 12.5mm, 16mm, 20mm). As barras deverão ter o diâmetro co nstant e e i gual ao indi cado no Proj eto. Não será permi tida a entrega d e barras dobrada s, para o tran sporte. Pref erencial mente marca Gerdau. 2.0 CIMENTO: Será do ti po CP-32 ou POZ-32, só podendo ser acei to na o bra com a embalagem e a rot ul agem de f ábrica intacta. Não poderá esta r av enta do. 3.0 CAL: Será util izada cal hidratada do tipo extra. 4.0 AREIA E PEDRA BRITA: Serão isento s d e sub stância s noci va s e m proporç õe s prej udiciais, tais como: torrões de argil a, gravetos, mi ca, grâ nul o s tenros f riáveis, impurezas orgânicas, cl oreto de sódio(sa l de co zin ha), outro s sai s d elinqüente s etc. Os diâmetros da pedra brita v ariam de 4,8mm a 76mm(bri ta 0,1,2,3),acima de 76mm serão c onsiderad as pedra s de mão e pod e- rão ser utili zadas em c oncretos ciclópicos. Não será permiti da a uti lização de areia argilosa (areia de levantamento). 5.0 CONCRETOS: 5.1 ESTRUTURAL (fck 15 MPa): Será const ituído de cimento, areia grossa (areião- origem:poa), brita 1 e 1 e água, de qualidade s rigorosas. A quantida de mínima de ci mento por m³ é de 350Kg. O traço s erá de 50Kg:3c x:2c x:1c x de cimento:areião:pedra brita 1:pedra bri ta1. O f a- tor água/cimento será 0,55 li tros/kg (areia com 3% de umi dade).a cx = cai xa = 30x35 x35(hxbxb). 5.2 CICLÓPICO: Serão l ançado s sobre o concreto acima descrito, pedra s de mão, com o cuidado de não ultrapassar a 30% do volume, e verifi car que as pedras f i quem perf eitamente i mersas e en vol vidas p ela massa do concreto, d e modo a não permanecerem apertadas entre si ou c ontra as f ormas. 5.3 MAGR O: Será composto com o traç o vol umétri co de 1: 3: 4 de c i- mento, areião e pedra brita ARGAMASSAS: Serão compo sta s com os segui ntes traços vol umétricos. 6.1 ASSENTAMENTO: 1:1:6 de cimento, cal hidrat ada e are ia. 6.2 REGULARIZAÇÃO: 1:0,5:5 de cimento, cal hidr. e areia média. 6.3 CHAPISCO: 1:3 de cimento e areião. 6.4 EMBOÇO: 1:2:8 de cimento, cal hidratada extra e are ia. 6.5 REBOCO: 1:2:8 de cimento, cal hidratada extra e areia f i na. 6.6 COLOCAÇÃO SOALHO MADEIRA: 1:4 de cimento e areião. 7.0 TIJOLOS: Serão de primeira qual idade de dimensõe s constant es, plano s, coloração unif orme, e ter passado por completa queima. Em conf ormi dade com NBR 7170 e 7171 da ABNT. 8.0 TELHAS DE ALUZINCO: Serão de boa qual i dade, sem f i ssur as na superf í- cie que ficar exposta à s intempéries. As telhas deverão obe decer às dimen sõe s e tol erâncias co nstante s da padronização específ ic a para garanti r um perf eito encai xe entre tel has vizinhas. Em conf ormidade com a NBR MADEIRAS: Toda a madei ra para emprego def i nitivo será de lei, bem seca, isenta de branco, carunch o ou broca, não ardida e sem n ós ou f enda s que co m- prometam sua d urabilidade, re sistência o u aparência. E deverá ter tratament o para imuni zaçã o co ntra cupim (Jimo Cupim apli cado conf orme indicações do f a- bri cante). A de empr ego pr ovi sóri o, para andai mes, tapumes, mol d es e esc or a- mentos, será de e ucalipto branco, com a s dimensões necessárias aos f ins a que se de stine, sendo a dmitido o uso de roliços desde que resi ste ntes PISOS E AZULEJOS: De verão ob edecer as prescrições da ABNT, que os mesmos de verã o ser bem co zidos, de massa homogênea, e perf eitamente pl ano s, sem dif erenças de tonalidade, e resistência à abr asão conf orme o u so. 14/7/ # 10.

7 11.0 INSTALAÇÕES ELÉTRICAS: Os ca bos serã o da marca Pirelli ou Lou sano, Eletroduto s do ti po f le xí vel, tomadas e interruptore s do tipo emb utido e da marca Pial ou Iriel. CENTRAIS ELÉTRICAS DE CARAZINHO S/A Presidente MARCELO DIDOLICH CRISTANI Arquiteto e Urb. CREA RS D 14/7/ # 10.

2. INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS

2. INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Banheiros Públicos Rincão do Segredo Local: Rua Carlos Massman - Rincão do Segredo Alm. Tam. do Sul-RS Proprietário: Município de Almirante Tamandaré do Sul / RS 1. O presente

Leia mais

Obra: Ampliação Câmara de Vereadores Local : VRS- 801 Almirante Tamandaré do Sul - RS Proprietário: Prefeitura Municipal de Almirante Tamandaré do Sul

Obra: Ampliação Câmara de Vereadores Local : VRS- 801 Almirante Tamandaré do Sul - RS Proprietário: Prefeitura Municipal de Almirante Tamandaré do Sul MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Ampliação Câmara de Vereadores Local : VRS- 801 Almirante Tamandaré do Sul - RS Proprietário: Prefeitura Municipal de Almirante Tamandaré do Sul 1. O presente memorial tem por

Leia mais

E S T A D O D O M A T O G R O S S O. Prefeitura Municipal de Jaciara

E S T A D O D O M A T O G R O S S O. Prefeitura Municipal de Jaciara MEMORIAL DESCRITIVO REDE CEGONHA - HOSPITAL MUNICIPAL JACIARA/MT O presente memorial descritivo define diretrizes referentes à reforma do espaço destinado a Programa REDE CEGONHA no Hospital Municipal

Leia mais

GINÁSIO ESPORTIVO DA COMUNIDADE RIO BONITO ALTO - PONTÃO - RS

GINÁSIO ESPORTIVO DA COMUNIDADE RIO BONITO ALTO - PONTÃO - RS MEMORIAL DESCRITIVO Obra: GINÁSIO ESPORTIVO DA COMUNIDADE RIO BONITO ALTO - PONTÃO - RS Área: 488,50 m² Local: Comunidade de Rio Bonito Alto Bairro: Rio Bonito Alto Cidade: Pontão - RS Proprietário: Comunidade

Leia mais

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S. A. CERON DIRETORIA DE GESTÃO ADMINISTRATIVA DA GERÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO GERAL AGG MEMORIAL DESCRITIVO

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S. A. CERON DIRETORIA DE GESTÃO ADMINISTRATIVA DA GERÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO GERAL AGG MEMORIAL DESCRITIVO MEMORIAL DESCRITIVO PROPRIETÁRIO: CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S. A. CERON OBRA: ENDEREÇO: REFORMA E ADEQUAÇÃO DE SALAS NO PRÉDIO DA UNIDADE DE NEGÓCIOS NORTE UNN, VISANDO A INSTALAÇÃO DO POSTO DE ENSAIO

Leia mais

Prefeitura Municipal de Piratini

Prefeitura Municipal de Piratini MEMORIAL DESCRITIVO O presente Memorial Descritivo visa estabelecer as condições de materiais e execução referentes à construção de um Vestiário Esportivo, localizado na Av. 6 de julho s/n, em Piratini/RS,

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Construção Unidade Básica de Saúde PROPRIETÁRIO: PREFEITURA MUNICIPAL DE CACIQUE DOBLE.

MEMORIAL DESCRITIVO. Construção Unidade Básica de Saúde PROPRIETÁRIO: PREFEITURA MUNICIPAL DE CACIQUE DOBLE. MEMORIAL DESCRITIVO Construção Unidade Básica de Saúde TIPO DE CONSTRUÇÃO: Prédio em Alvenaria UBS Unidade Básica de Saúde da Sede do município. LOCAL: Rua Édimo Luiz Tonial na cidade de Cacique Doble

Leia mais

IFES/CAMPUS DE ALEGRE - ES PROJETO BÁSICO

IFES/CAMPUS DE ALEGRE - ES PROJETO BÁSICO IFES/CAMPUS DE ALEGRE - ES PROJETO BÁSICO Especificação Destinada Construção do Núcleo de Empresas Junior INTRODUÇÃO A execução dos serviços referente Construção do Núcleo de Empresas Junior, obedecerá

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Objeto: Ampliação e Reforma Escola Municipal Maria Cassiano Município: Bom Jesus de Goiás - GO Elaborado em: Junho de 2015

MEMORIAL DESCRITIVO. Objeto: Ampliação e Reforma Escola Municipal Maria Cassiano Município: Bom Jesus de Goiás - GO Elaborado em: Junho de 2015 MEMORIAL DESCRITIVO Objeto: Ampliação e Reforma Escola Municipal Maria Cassiano Município: Bom Jesus de Goiás - GO Elaborado em: Junho de 2015 1. DESCRIÇÃO DA OBRA As presentes especificações, bem como

Leia mais

Memorial de Especificações de Materiais e Execução

Memorial de Especificações de Materiais e Execução Pág. 1 Memorial de Especificações de Materiais e Execução Pág. 2 Índice 1 Estrutura... 3 Tabela 01 Tolerâncias dimensionais para seções transversais de elementos lineares e para espessura de elementos

Leia mais

BRICKA ALVENARIA ESTRUTURAL

BRICKA ALVENARIA ESTRUTURAL BRICKA ALVENARIA ESTRUTURAL BRICKA ALVENARIA ESTRUTURAL Indice ALVENARIA ESTRUTURAL MANUAL DE EXECUÇÃO E TREINAMENTO...1 O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL?...1 Seu trabalho fica mais fácil...1 CUIDADOS QUE

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO CIVIL

MEMORIAL DESCRITIVO CIVIL MEMORIAL DESCRITIVO CIVIL I SERVIÇOS DE ENGENHARIA Constitui objeto do presente memorial descritivo uma edificação para abrigar segura e adequadamente equipamentos de rede estabilizada, Grupo Moto-gerador

Leia mais

Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética

Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética REVESTIMENTO DE FACHADA Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética Documentos de referência para a execução do serviço: Projeto arquitetônico Projeto de esquadrias NR 18 20

Leia mais

PROJETO PARA FECHAMENTO DE QUADRA DE ESPORTES E.E.B MARIA DO ROSÁRIO

PROJETO PARA FECHAMENTO DE QUADRA DE ESPORTES E.E.B MARIA DO ROSÁRIO PROJETO PARA FECHAMENTO DE QUADRA DE ESPORTES E.E.B MARIA DO ROSÁRIO MONTE CARLO SC JULHO DE 2015 Fazem parte deste projeto: - Projeto Arquitetônico e Detalhes. - Memorial Descritivo. - Orçamento, Cronograma.

Leia mais

ANEXO I MEMORIAL DESCRITIVO CADERNO TÉCNICO

ANEXO I MEMORIAL DESCRITIVO CADERNO TÉCNICO ANEXO I MEMORIAL DESCRITIVO CADERNO TÉCNICO PROCESSO 01/2012 CONVITE 01/2012 PARTE A MEMORIAL DESCRITIVO 1. CARACTERIZAÇÃO DA OBRA 2. OBJETIVOS PARTE B ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 1. INSTALAÇÃO DO CANTEIRO

Leia mais

ÁREA TOTAL TERRENO: 325,00m² ÁREA TOTAL CASA: 48,00m² ÁREA DE INFILTRAÇÃO: 65,00m² ITEM ESPECIFICAÇÕES DOS SERVIÇOS

ÁREA TOTAL TERRENO: 325,00m² ÁREA TOTAL CASA: 48,00m² ÁREA DE INFILTRAÇÃO: 65,00m² ITEM ESPECIFICAÇÕES DOS SERVIÇOS 1 1.1 INSTALAÇÃO DO CANTEIRO DE OBRA Abrigo provisório de madeira executada na obra para alojamento e depósitos de materiais e ferramentas 01520.8.1.1 m² 7,50 1.2 Ligação provisória de água para a obra

Leia mais

ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO CANOAS - RS

ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO CANOAS - RS ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO CANOAS - RS 2 INDICE 1. ESTRUTURA DE CONCRETO ARMADO... 3 1.1. Lastros... 3 1.1.1. Lastro de Brita para Fundações... 4 1.1.2. Lastro de Concreto Magro... 4 1.2. Formas...

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA OBRA.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA OBRA. INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAM ENTO DE ENGENHARIA E INFRAESTRUTURA BR 406 - Km 73 n 3500 Perímetro Rural do Município de João Câmara / RN, CEP: 59550-000

Leia mais

Ministério da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE Coordenação Geral de Infraestrutural Educacional CGEST

Ministério da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE Coordenação Geral de Infraestrutural Educacional CGEST Ministério da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE Coordenação Geral de Infraestrutural Educacional CGEST MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO PADRÃO PARA QUADRA POLIESPORTIVA COBERTA COM

Leia mais

ANEXO I - MEMORIAL DESCRITIVO

ANEXO I - MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO I - MEMORIAL DESCRITIVO RAMPA NAÚTICA DE ARAGARÇAS-GO O presente memorial descritivo tem por objetivo fixar normas específicas para CONSTRUÇÃO DE UMA RAMPA NAÚTICA - RIO ARAGUAIA, em área de 3.851,89

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Municipio de Venâncio Aires

Estado do Rio Grande do Sul Municipio de Venâncio Aires MEMORIAL DESCRITIVO Obra: OBRAS CIVIS, REFORMA E INSTALAÇÕES - PMAT PAVIMENTO TÉRREO E SUPERIOR DA PREFEITURA MUNICIPAL Local: Rua Osvaldo Aranha-nº 634 Venâncio Aires EXECUÇÃO E SERVIÇOS A execução dos

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE ARQUITETURA REFORMA E AMPLIAÇÃO / OBRA INSTITUCIONAL EM ALVENARIA, FORRO DE GESSO E COBERTURA EM TELHA METÁLICA.

MEMORIAL DESCRITIVO DE ARQUITETURA REFORMA E AMPLIAÇÃO / OBRA INSTITUCIONAL EM ALVENARIA, FORRO DE GESSO E COBERTURA EM TELHA METÁLICA. MEMORIAL DESCRITIVO DE ARQUITETURA REFORMA E AMPLIAÇÃO / OBRA INSTITUCIONAL EM ALVENARIA, FORRO DE GESSO E COBERTURA EM TELHA METÁLICA. Dados da Obra: Endereço da obra: Rua Amazonas, nº512, Centro. Parte

Leia mais

CLIENTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAPIRANGA

CLIENTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAPIRANGA CLIENTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAPIRANGA OBRA: ESTAÇÃO ELEVATÓRIA PARA ESGOTO - ELEVADO RESPONSÁVEL TÉCNICO: ENG. CIVIL MICHAEL MALLMANN MUNICÍPIO: ITAPIRANGA - SC 1 INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS Deve ser

Leia mais

Definições. Armação. Armação ou Armadura? Armação: conjunto de atividades relativas à preparação e posicionamento do aço na estrutura.

Definições. Armação. Armação ou Armadura? Armação: conjunto de atividades relativas à preparação e posicionamento do aço na estrutura. Definições Armação ou Armadura? Armação: conjunto de atividades relativas à preparação e posicionamento do aço na estrutura. Armadura: associação das diversas peças de aço, formando um conjunto para um

Leia mais

TIPO ESP. LOCAL APLIC. 6mm Coberta da Cloaca

TIPO ESP. LOCAL APLIC. 6mm Coberta da Cloaca FABRICANTE Eternit TIPO ESP. LOCAL APLIC. Ondulada 6mm Coberta da Cloaca COR - As telhas serão de fibrocimento 6mm, Eternit ou equivalente técnico de procedência conhecida e idônea, textura homogênea,

Leia mais

OBRA: EDIFÍCIO RESIDENCIAL MIRABELLO LOCALIZAÇÃO: Coronel Luiz Caldeira, Itacorubi, Florianópolis/SC. EMPRESA: BEO CONSTRUÇÕES LTDA.

OBRA: EDIFÍCIO RESIDENCIAL MIRABELLO LOCALIZAÇÃO: Coronel Luiz Caldeira, Itacorubi, Florianópolis/SC. EMPRESA: BEO CONSTRUÇÕES LTDA. MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES OBRA: EDIFÍCIO RESIDENCIAL MIRABELLO LOCALIZAÇÃO: Coronel Luiz Caldeira, Itacorubi, Florianópolis/SC. EMPRESA: BEO CONSTRUÇÕES LTDA. ÍNDICE: 1. Características 2. Serviços

Leia mais

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES GLOBAIS DE SERVIÇOS E MATERIAIS REFORMA E ADAPATAÇÃO DO PRÉDIO DA ANTIGA CPFL - GRADUAÇÃO

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES GLOBAIS DE SERVIÇOS E MATERIAIS REFORMA E ADAPATAÇÃO DO PRÉDIO DA ANTIGA CPFL - GRADUAÇÃO CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES GLOBAIS DE SERVIÇOS E MATERIAIS REFORMA E ADAPATAÇÃO DO PRÉDIO DA ANTIGA CPFL - GRADUAÇÃO INSTITUTO UNI-FAMEMA / OSCIP Marília/SP ÍNDICE 1. PRELIMINARES. 2. DEMOLIÇÕES E RETIRADAS.

Leia mais

Edificações - revestimento de paredes

Edificações - revestimento de paredes MT - DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO - IPR DIVISÃO DE CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA Rodovia Presidente Dutra km 163 - Centro Rodoviário, Parada de Lucas

Leia mais

PLANILHA DE SERVIÇOS GERAIS DE OBRA

PLANILHA DE SERVIÇOS GERAIS DE OBRA 1 PRELIMINARES 1.1 Instalações do canteiro de obra vb 1,00 5.000,00 5.000,00 90,09 1.2 Placa de obra 2,00m x 3,00m, conforme orietações da administração vb 1,00 550,00 550,00 9,91 SUB TOTAL PRELIMINARES

Leia mais

2202 ARGAMASSA MATRIX REVESTIMENTO FACHADA Argamassa para uso em revestimento de áreas externas

2202 ARGAMASSA MATRIX REVESTIMENTO FACHADA Argamassa para uso em revestimento de áreas externas É composta por uma mistura homogênea de cimento Portland, cal hidratada e agregados minerais com granulometria controlada e aditivos químicos. O produto é oferecido na cor cinza. 3. Indicação: A argamassa

Leia mais

AMPLIAÇÃO ESCOLA DO JARDIM YPE

AMPLIAÇÃO ESCOLA DO JARDIM YPE AMPLIAÇÃO ESCOLA DO JARDIM YPE LUIZA DE LIMA TEIXEIRA PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOÃO DA BOA VISTA SP. PROJETO ESTRUTURAL 1 I - MEMORIAL DESCRITIVO DE CIVIL ESTRUTURAL 1 - Serviços Iniciais: ESPECIFICAÇÕES

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Construção de Galpão p/ Depósito de Ferramentas Prop.: Município de Mato Queimado Local: Av. Albino Welter Mato Queimado - RS

MEMORIAL DESCRITIVO. Construção de Galpão p/ Depósito de Ferramentas Prop.: Município de Mato Queimado Local: Av. Albino Welter Mato Queimado - RS MEMORIAL DESCRITIVO Construção de Galpão p/ Depósito de Ferramentas Prop.: Município de Mato Queimado Local: Av. Albino Welter Mato Queimado - RS 01 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 1.1 SERVIÇOS INICIAIS: A presente

Leia mais

FS-06. Fossa séptica. Componentes. Código de listagem. Atenção. FS-06-01 (L=3,00m) FS-06-02 (L=3,80m) FS-06-03 (L=5,40m) 01 27/12/10

FS-06. Fossa séptica. Componentes. Código de listagem. Atenção. FS-06-01 (L=3,00m) FS-06-02 (L=3,80m) FS-06-03 (L=5,40m) 01 27/12/10 - -03 1/5 - -03 2/5 - -03 3/5 - -03 4/5 DESCRIÇÃO Constituintes Lastro de concreto magro, traço 1:4:8, cimento, areia e brita. Fundo e vigas de concreto armado, moldados in loco: - Fôrmas de tábuas de

Leia mais

Ministério da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE Coordenação Geral de Infraestrutural Educacional CGEST

Ministério da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE Coordenação Geral de Infraestrutural Educacional CGEST Ministério da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE Coordenação Geral de Infraestrutural Educacional CGEST MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO PADRÃO PARA COBERTURA DE QUADRA POLIESPORTIVA

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DA OBRA (Versão resumida)

MEMORIAL DESCRITIVO DA OBRA (Versão resumida) MEMORIAL DESCRITIVO DA OBRA (Versão resumida) TAMANHO E DEPENDÊNCIAS DO IMÓVEL Definido com o Corretor de Imóveis da negociação em conjunto com nosso Escritório de Arquitetura parceiro: FRAN Arquitetura

Leia mais

CAIS NOVA ERA PROJETO ESTRUTURAL - AMPLIAÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO

CAIS NOVA ERA PROJETO ESTRUTURAL - AMPLIAÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO CAIS NOVA ERA PROJETO ESTRUTURAL - AMPLIAÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO FUNDAÇÕES E ESTRUTURAS DE CONCRETO A) FUNDAÇÕES 1.0 ESTACA BROCA Executada por perfuração com trado e posterior concretagem, sobre as estacas

Leia mais

ESTRUTURA DE CONCRETO ARMADO REFORMA E ADAPTAÇÃO DA AC TRINDADE- DR/GO

ESTRUTURA DE CONCRETO ARMADO REFORMA E ADAPTAÇÃO DA AC TRINDADE- DR/GO C A D E R N O D E E S P E C I F I C A Ç Õ E S ESTRUTURA DE CONCRETO ARMADO REFORMA E ADAPTAÇÃO DA AC TRINDADE- DR/GO S E Ç Ã O D E P R O J E T O S E O B R A S SEPO/GEREN/DR/GO OBRA: REFORMA E ADAPTAÇÃO

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS DE EDIFICAÇÕES

CADERNO DE ENCARGOS DE EDIFICAÇÕES COHAB-MG Versão 01 HISTÓRICO DAS REVISÕES HISTÓRICO DAS REVISÕES VERSÃO DATA DESCRIÇÃO 01 01/06/07 Emissão inicial SUMÁRIO SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 7 1 SERVIÇOS INICIAIS... 12 1.1 Locações... 12 2 FUNDAÇÕES...

Leia mais

DATAPREV Divisão de Gestão Operacional e Controle - D1GC Serviço Técnico a Softwares de Produção STSP

DATAPREV Divisão de Gestão Operacional e Controle - D1GC Serviço Técnico a Softwares de Produção STSP GIS Gertran Integration Suite Guia de T ransferência de Arquivos Entidade x DATAPREV Versão 1.0 HTTPS G I S G ui a de T ra n sf er ên ci a d e Ar qu i vo s 1/ 8 ÍNDICE ANALÍT ICO 1. INTRODU ÇÃO......4

Leia mais

REVESTIMENTO DEFACHADA. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

REVESTIMENTO DEFACHADA. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I REVESTIMENTO DEFACHADA Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I FUNÇÕES DO REVESTIMENTO DE FACHADA Estanqueida de Estética CONDIÇÕES DE INÍCIO

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Residencial Nihal Rua Aragão Bozano, 131 Lotes 2, Quadra 57, Torres, RS

MEMORIAL DESCRITIVO. Residencial Nihal Rua Aragão Bozano, 131 Lotes 2, Quadra 57, Torres, RS MEMORIAL DESCRITIVO Residencial Nihal Rua Aragão Bozano, 131 Lotes 2, Quadra 57, Torres, RS 1. LOCALIZAÇÃO: O empreendimento localiza-se à Rua Aragão Bozano,131 Lotes 2, Quadra 57, Praia Grande, Torres/RS.

Leia mais

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br Assunto: Tecnologia de Concreto e Argamassas Prof. Ederaldo Azevedo Aula 8 e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br 8. Tecnologia do Concreto e Argamassas 8.1. Concreto: 8.1. Concreto: Concreto é a mistura

Leia mais

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO 1. RESULTADOS QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO 1.1- QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO: AMOSTRA REFERENTE AS

Leia mais

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 Estratégico III Seminário de Planejamento Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 G es tão Em pre sa rial O rie nta ção pa ra om erc ado Ino vaç ão et

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE CATALÃO SECRETARIA DE 0BRAS 1.0 INTRODUÇÃO 2.0 DISPOSIÇÕES GERAIS

MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE CATALÃO SECRETARIA DE 0BRAS 1.0 INTRODUÇÃO 2.0 DISPOSIÇÕES GERAIS MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: Nova Instalação da SEMMAC LOCAL: Rua Dr. Lamartine Pinto de Avelar, 2338. Setor Ipanema. Catalão GO TIPO DE SERVIÇO: Reforma e Ampliação. 1.0 INTRODUÇÃO A finalidade do presente

Leia mais

MUNICÍPIO DE ILHA COMPRIDA

MUNICÍPIO DE ILHA COMPRIDA MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: REFORMA, ADEQUAÇÃO E AMPLIAÇÃO DA CRECHE CRIANÇA FELIZ LOCAL: BALNEÁRIO ICARAÍ DE IGUAPE 1. Descrição As adequações e ampliações da Creche Criança feliz visam melhorar o atendimento

Leia mais

Campus de Botucatu / SP. HOSPITAL DAS CLINICAS. Memorial Descritivo - Fundações e Estruturas. Obra: Construção do Conjunto REFEITÓRIO / VESTIÁRIOS

Campus de Botucatu / SP. HOSPITAL DAS CLINICAS. Memorial Descritivo - Fundações e Estruturas. Obra: Construção do Conjunto REFEITÓRIO / VESTIÁRIOS Campus de Botucatu / SP. HOSPITAL DAS CLINICAS Memorial Descritivo - Fundações e Estruturas Obra: Construção do Conjunto REFEITÓRIO / VESTIÁRIOS 1 OBJETIVO O presente Memorial tem por finalidade fornecer

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO, ESPECIFICAÇÕES E NORMAS DE EXECUÇÃO DESCRIÇÃO DA OBRA/SERVIÇO E DISPOSIÇÕES GERAIS

MEMORIAL DESCRITIVO, ESPECIFICAÇÕES E NORMAS DE EXECUÇÃO DESCRIÇÃO DA OBRA/SERVIÇO E DISPOSIÇÕES GERAIS MEMORIAL DESCRITIVO, ESPECIFICAÇÕES E NORMAS DE EXECUÇÃO Obra: ESCOLA DE ENSINO INFANTIL - PROINFÂNCIA Local da obra: Rua 39 Vila Vaz Fontoura Xavier - RS Proprietário: MUNICÍPIO DE FONTOURA XAVIER Responsável

Leia mais

Construção. Impermeabilizante liquido para preparo de concreto e argamassa. Descrição do Produto Usos. Características / Vantagens.

Construção. Impermeabilizante liquido para preparo de concreto e argamassa. Descrição do Produto Usos. Características / Vantagens. Ficha do Produto Edição 22/04/2011 Sikacim Impermeabilizante Construção Sikacim Impermeabilizante Impermeabilizante liquido para preparo de concreto e argamassa. Descrição do Produto Usos Características

Leia mais

Blumenau, maio de 2010.

Blumenau, maio de 2010. INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE ORÇAMENTOS E CRONOGRAMAS Blumenau, maio de 2010. 1. RESUMO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. INTRODUÇÃO... 3 4. COMPOSIÇÃO DO ORÇAMENTO... 4 4.1. SERVIÇOS PRELIMINARES/TÉCNICOS...

Leia mais

FUNDAÇÃO PROFESSOR MARTINIANO FERNANDES- IMIP HOSPITALAR - HOSPITAL DOM MALAN

FUNDAÇÃO PROFESSOR MARTINIANO FERNANDES- IMIP HOSPITALAR - HOSPITAL DOM MALAN 25% 1.0 SERVIÇOS PRELIMINARES R$ 12.734,82 1.1 COTAÇÃO MOBILIZAÇÃO DE EQUIPAMENTOS, FERRAMENTAS E PESSOAL. M² 200,00 2,57 3,21 642,50 1.2 74220/001 TAPUME DE CHAPA DE MADEIRA COMPENSADA, E= 6MM, COM PINTURA

Leia mais

EMBRAPA - EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA MELHORIAS NA INFRAESTRUTURA DA EMBRAPA ALGODÃO. Item Discriminação 15 30 45 60 75 90

EMBRAPA - EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA MELHORIAS NA INFRAESTRUTURA DA EMBRAPA ALGODÃO. Item Discriminação 15 30 45 60 75 90 EMBRAPA - EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA MELHORIAS NA INFRAESTRUTURA DA EMBRAPA ALGODÃO Item Discriminação 15 30 45 60 75 90 1 SERVIÇOS GERAIS 1.1 ADMINISTRAÇÃO PROJETOS COMPLEMENTARES e "as

Leia mais

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA PLANILHA ORÇAMENTÁRIA 1.0 SERVIÇOS PRELIMINARES 7.992,27 1.1 74209/001 PLACA DE OBRA EM CHAPA DE ACO GALVANIZADO m2 3,91 289,92 1.133,59 1.2 73899/002 DEMOLICAO DE ALVENARIA DE TIJOLOS FURADOS S/REAPROVEITAMENTO

Leia mais

DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS PARA

DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS PARA DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS PARA ES-C01 ESTRUTURAS DE ARRIMO 1 DOCUMENTO DE CIRCULAÇÃO EXTERNA ÍNDICE PÁG. 1. OBJETO E OBJETIVO...3 2. S...3 3. CONSIDERAÇÕES INICIAIS...3 4. MUROS DE CONCRETO ARMADO...4

Leia mais

Parede de Garrafa Pet

Parede de Garrafa Pet CONCEITO As paredes feitas com garrafas pet são uma possibilidade de gerar casas pré fabricadas através da reciclagem e é uma solução barata e sustentável. As garrafas pet são utilizadas no lugar dos tijolos

Leia mais

OBRA:CONSTRUÇÃO DO LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS PADRÃO UNIDADE ESCOLAR:

OBRA:CONSTRUÇÃO DO LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS PADRÃO UNIDADE ESCOLAR: OBRA:CONSTRUÇÃO DO LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS PADRÃO UNIDADE ESCOLAR: 01. OBJETO: 01.01. Estas especificações diz respeito à construção de um Laboratório de Ciências, modelo padrão. 01.02. Ela tem por finalidade

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZ ALTA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Secretaria Municipal de Saúde

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZ ALTA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Secretaria Municipal de Saúde PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZ ALTA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Secretaria Municipal de Saúde M E M O R I A L D E S C R I T I V O OBJETIVO: O presente memorial tem por objetivo descrever as técnicas de execução

Leia mais

PROJETO BÁSICO. Especificação Destinada a Construção de Almoxarifado

PROJETO BÁSICO. Especificação Destinada a Construção de Almoxarifado PROJETO BÁSICO Especificação Destinada a Construção de Almoxarifado INTRODUÇÃO A execução dos serviços referente Construção de Prédio para Almoxarifado, obedecerá as Especificações, e seus Anexos, aos

Leia mais

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e :

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 13 DE JULH DE 2015! Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : Caso vo cê nunca t e nh a pa

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. 2.0 - Calçadas Externas/rampa/escada:

MEMORIAL DESCRITIVO. 2.0 - Calçadas Externas/rampa/escada: PROJETO Nº 051/2013 Solicitação: Memorial Descritivo Tipo da Obra: Reforma, ampliação e adequação acesso Posto de Saúde Santa Rita Área existente: 146,95 m² Área ampliar: 7,00 m² Área calçadas e passeio:

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA OBRA.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA OBRA. INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAM ENTO DE ENGENHARIA E INFRAESTRUTURA BR 406 - Km 73 n 3500 Perímetro Rural do Município de João Câmara / RN, CEP: 59550-000

Leia mais

Projeto de Avicultura Colonial PAC/ 2009 Embrapa Clima Temperado Aviário para 300 Aves de Postura, com captação de água pluvial.

Projeto de Avicultura Colonial PAC/ 2009 Embrapa Clima Temperado Aviário para 300 Aves de Postura, com captação de água pluvial. Projeto de Avicultura Colonial PAC/ 2009 Embrapa Clima Temperado Aviário para 300 Aves de Postura, com captação de água pluvial. Responsável: : João Pedro Zabaleta Pesquisador II, Agricultura Familiar

Leia mais

Residencial Recanto do Horizonte

Residencial Recanto do Horizonte MEMORIAL DESCRITIVO Residencial Recanto do Horizonte FUNDAÇÃO E ESTRUTURA As Fundações serão executadas de acordo com o projeto estrutural, elaborado de acordo com as normas técnicas pertinentes e baseadas

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS. Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre

MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS. Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre INDICE 1. GENERALIDADES 1.1. OBJETOS E DADOS 1.2. NORMAS 1.3. PLANTAS 2. INTERPRETAÇÃO 3. PRÉDIO 3.1.

Leia mais

Construção de Edícula

Construção de Edícula Guia para Construção de Edícula Guia do montador Mais resistência e conforto para sua vida. As paredes com Placas Cimentícias Impermeabilizadas e Perfis Estruturais de Aço Galvanizado para steel framing

Leia mais

Manual do impermeabilizador

Manual do impermeabilizador 1 Manual do impermeabilizador Preparação e aplicação em superfícies cimenticia Índice INTRODUÇÃO PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO ESTATÍSTICAS NORMAS TÉCNICAS ELABORAÇÃO DO PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO NBR

Leia mais

Anexo I-A: Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia

Anexo I-A: Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia MEMORIAL DESCRITIVO Anexo I-A: Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia Sumário 1.Considerações gerais...1 2.Serviços

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. A CONTRATADA deverá fornecer ART de execução dos serviços e diários de obra.

MEMORIAL DESCRITIVO. A CONTRATADA deverá fornecer ART de execução dos serviços e diários de obra. Página 1 de 10 MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: Reforma na Unidade de Polícia Militar de Guarujá do Sul (SC) PROPRIETÁRIO: Prefeitura Municipal de Guarujá do Sul (SC) LOCAL: Rua Presidente Vargas, n 739, Guarujá

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE REFORMA DOS BANHEIROS, COPAS E DEPÓSITOS DE MATERIAL DE LIMPEZA PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO - ES

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE REFORMA DOS BANHEIROS, COPAS E DEPÓSITOS DE MATERIAL DE LIMPEZA PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO - ES MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE REFORMA DOS BANHEIROS, COPAS E DEPÓSITOS DE MATERIAL DE LIMPEZA PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO - ES PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO - ES REFORMA DO EDIFÍCIO BRASCAR

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO MEMORIAL DESCRITIVO

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO MEMORIAL DESCRITIVO Ampliação E.M.E.I. Manoel dos Santos Ribeiro Bairro José Alcebíades de Oliveira GENERALIDADES Execução por Empreitada Global O presente memorial

Leia mais

37 3231-4615 www.levemix.com.br GUIA PRÁTICO DE APLICAÇÃO CONCRETO LEVEMIX. Comodidade, economia e segurança ENTREGAMOS PEQUENAS QUANTIDADES

37 3231-4615 www.levemix.com.br GUIA PRÁTICO DE APLICAÇÃO CONCRETO LEVEMIX. Comodidade, economia e segurança ENTREGAMOS PEQUENAS QUANTIDADES GUIA PRÁTICO DE APLICAÇÃO CONCRETO LEVEMIX Orientações técnicas para o melhor desempenho de sua concretagem Comodidade, economia e segurança 37 3231-4615 www.levemix.com.br ENTREGAMOS PEQUENAS QUANTIDADES

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS. Local: Rua Paulino Teixeira, N 41 e 51 Bairro Rio Branco Porto Alegre

MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS. Local: Rua Paulino Teixeira, N 41 e 51 Bairro Rio Branco Porto Alegre MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS Local: Rua Paulino Teixeira, N 41 e 51 Bairro Rio Branco Porto Alegre INDICE 1. GENERALIDADES 1.1. OBJETOS E DADOS 1.2. NORMAS 1.3. PLANTAS 2. INTERPRETAÇÃO 3.

Leia mais

ANEXO XII - MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETÔNICO

ANEXO XII - MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETÔNICO ANEXO XII - MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETÔNICO 4.1 APRESENTAÇÃO O presente memorial descritivo tem por finalidade determinar os detalhes de acabamento, tipo e a qualidade dos materiais a serem utilizados

Leia mais

Aplicações Xadrez Pigmento em Pó

Aplicações Xadrez Pigmento em Pó Dê asas à sua imaginação nas diversas aplicações do Pó Xadrez. Aplicações Xadrez Pigmento em Pó O PÓ XADREZ é um pigmento concentrado que proporciona efeitos decorativos em diversas aplicações. Mais econômico,

Leia mais

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S. A. CERON DIRETORIA DE GESTÃO DG GERÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO GERAL AGG MEMORIAL DESCRITIVO

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S. A. CERON DIRETORIA DE GESTÃO DG GERÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO GERAL AGG MEMORIAL DESCRITIVO MEMORIAL DESCRITIVO PROPRIETÁRIO: CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S. A. CERON OBRA: REFORMA NO MURO DE CONTENÇÃO, MURO DE ALVENARIA E ÁREA PARA DEPÓSITO NO ALMOXARIFADO DA CERON ENDEREÇO: ÀS MARGENS DA

Leia mais

Propriedades do concreto JAQUELINE PÉRTILE

Propriedades do concreto JAQUELINE PÉRTILE Propriedades do concreto JAQUELINE PÉRTILE Concreto O preparo do concreto é uma série de operações executadas de modo a obter, á partir de um determinado número de componentes previamente conhecidos, um

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DA CONSTRUÇÃO DA COPA, SANITÁRIOS E VESTIÁRIOS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE MATERIAIS E SERVIÇOS:

MEMORIAL DESCRITIVO DA CONSTRUÇÃO DA COPA, SANITÁRIOS E VESTIÁRIOS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE MATERIAIS E SERVIÇOS: MEMORIAL DESCRITIVO DA CONSTRUÇÃO DA COPA, SANITÁRIOS E VESTIÁRIOS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE MATERIAIS E SERVIÇOS: DADOS GERAIS: Proprietária da obra: Prefeitura Municipal de São Sebastião do Caí Endereço

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II TECNOLOGIA DA ARGAMASSA E DO CONCRETO

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II TECNOLOGIA DA ARGAMASSA E DO CONCRETO SEÇÃO DE ENSINO DE ENGENHARIA DE FORTIFICAÇÃO E CONSTRUÇÃO MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II TECNOLOGIA DA ARGAMASSA E DO CONCRETO Definição de concreto hidráulico e de argamassa. Componentes; indicação das proporções

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO O

MEMORIAL DESCRITIVO O MEMORIAL DESCRITIVO O presente memorial tem por objetivo estabelecer requisitos técnicos, definir materiais e padronizar os projetos e execuções da obra localizada na Rua Jorge Marcelino Coelho, s/n, Bairro

Leia mais

VEDATOP é um revestimento modificado com polímeros acrílicos, de alta aderência e impermeabilidade.

VEDATOP é um revestimento modificado com polímeros acrílicos, de alta aderência e impermeabilidade. Descrição VEDATOP é um revestimento modificado com polímeros acrílicos, de alta aderência e impermeabilidade. Adere perfeitamente ao concreto, à alvenaria e à argamassa. VEDATOP não é tinta de acabamento,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO MEMORIAL DESCRITIVO

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Reforma muro lateral, calçadas e cercas E. M. E. F. Marcelino José Bento Champagnat GENERALIDADES Execução por empreitada global O presente

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO TÉCNICO

MEMORIAL DESCRITIVO TÉCNICO MEMORIAL DESCRITIVO TÉCNICO Obra: Área A Construir: Local: CONSTRUÇÃO DE QUADRA POLIESPORTIVA 600,00m² Rua Mário Linck- Centro Município de Almirante Tamandaré do Sul- RS INTRODUÇÃO: O presente memorial

Leia mais

VEDAPREN cobre a estrutura com uma membrana impermeável e elástica.

VEDAPREN cobre a estrutura com uma membrana impermeável e elástica. Descrição VEDAPREN cobre a estrutura com uma membrana impermeável e elástica. Características Densidade: 1,02 g/cm 3 Aparência: Cor preta Composição básica: emulsão asfáltica modificada com elastômeros

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÃO DE VOLUME DE CAIXA D'ÁGUA NA CASA DE PASSAGEM DO MUNICÍPIO DE CAÇADOR

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÃO DE VOLUME DE CAIXA D'ÁGUA NA CASA DE PASSAGEM DO MUNICÍPIO DE CAÇADOR MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÃO DE VOLUME DE CAIXA D'ÁGUA NA CASA DE PASSAGEM DO MUNICÍPIO DE CAÇADOR 1 SUMÁRIO SUMÁRIO 2 MEMORIAL DESCRITIVO 3 I. DADOS FÍSICOS LEGAIS 3 II. DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 3 III.

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO - REFORMA

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO - REFORMA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO - REFORMA Projeto:... REFORMA POSTO DE SAÚDE Proprietário:... PREFEITURA MUNICIPAL DE IRAÍ Endereço:... RUA TORRES GONÇALVES, N 537 Área a Reformar:... 257,84

Leia mais

Câmara Municipal de Itajubá

Câmara Municipal de Itajubá . - ÁREA EXTERNA 1.0 SERVIÇOS PRELIMINARES R$ 35.063,79 PLACA DA OBRA DE ACORDO COM A LEI MUNICIPAL Nº. 2551 DE 06/07/2005, IIO-PLA-005 1.1 MODELO REFERÊNCIA PMI/SEMUP, INCLUSIVE O FORNECIMENTO, UNID 1,00

Leia mais

MOGIBASE IMPERMEABILIZANTE DE CONCRETO E ARGAMASSAS

MOGIBASE IMPERMEABILIZANTE DE CONCRETO E ARGAMASSAS MOGIBASE IMPERMEABILIZANTE DE CONCRETO E ARGAMASSAS COMPOSIÇÃO: Sais inorgânicos e estabilizantes. PROPRIEDADES: Impermeabilizante de concreto e argamassas. MOGIBASE é de fácil aplicação e não altera os

Leia mais

Definição. laje. pilar. viga

Definição. laje. pilar. viga Definição É a rocha artificial obtida a partir da mistura, e posterior endurecimento, de um aglomerante (normalmente cimento portland), água, agregado miúdo (areia quartzoza), agregado graúdo (brita),

Leia mais

Recuperação das Casas destinadas ao atendimento de residências estudantis, no Campus da Fazenda Experimental.

Recuperação das Casas destinadas ao atendimento de residências estudantis, no Campus da Fazenda Experimental. PROJETO BÁSICO Recuperação das Casas destinadas ao atendimento de residências estudantis, no Campus da Fazenda Experimental. 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO 1.1 Título do Projeto Recuperação das Casas destinadas

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO CONCLUSÃO DA QUADRA DA ESCOLA ALTO BONITO. Rua Florêncio Busatto - Caçador SC.

MEMORIAL DESCRITIVO CONCLUSÃO DA QUADRA DA ESCOLA ALTO BONITO. Rua Florêncio Busatto - Caçador SC. MEMORIAL DESCRITIVO O presente Memorial Descritivo tem por objetivo descrever os serviços, materiais e técnicas construtivas a serem utilizadas na execução da obra abaixo qualificada. DADOS FÍSICOS LEGAIS

Leia mais

Especificação da Construção

Especificação da Construção Especificação da Construção Capítulo 1 Especificação da Construção 1.1 Introdução Os dicionários definem o termo orçamento como o cálculo de todos os gastos para a realização de uma obra. Ainda que seja

Leia mais

MANUAL DO FABRICANTE:

MANUAL DO FABRICANTE: MANUAL DO FABRICANTE: ALVENARIA ESTRUTURAL Características e especificações, instruções de transporte, estocagem e utilização. GESTOR: Engenheiro civil EVERTON ROBSON DOS SANTOS LISTA DE TABELAS Tabela

Leia mais

ÁREA TOTAL CASA: 67,50m² ÁREA DE INFILTRAÇÃO: 80,20m² ITEM ESPECIFICAÇÕES DOS SERVIÇOS

ÁREA TOTAL CASA: 67,50m² ÁREA DE INFILTRAÇÃO: 80,20m² ITEM ESPECIFICAÇÕES DOS SERVIÇOS ENDEREÇO: Rua nº 01 - Loteamento Maria Laura ÁREA TOTAL CASA: 67,50m² 1 INSTALAÇÃO DO CANTEIRO DE OBRA 1.1 Abrigo provisório de madeira executada na obra para alojamento e depósitos de materiais e ferramentas

Leia mais

CONCRETO DO PREPARO À CURA CONTROLE TECNOLÓGICO

CONCRETO DO PREPARO À CURA CONTROLE TECNOLÓGICO CONCRETO DO PREPARO À CURA CONTROLE TECNOLÓGICO Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I PREPARO, RECEBIMENTO, LANÇAMENTO E CURA DO CONCRETO

Leia mais

Placa de obra: Haverá a colocação em local visível de placa de obra, metálica, fixada em estrutura de madeira, conforme padrão fornecido SOP.

Placa de obra: Haverá a colocação em local visível de placa de obra, metálica, fixada em estrutura de madeira, conforme padrão fornecido SOP. MEMORIAL DESCRITIVO RECONSTRUÇÃO DO ALBERGUE JUNTO AO PRESIDIO ESTADUAL DE VACARIA RS. VACARIA RS. GENERALIDADES: Este Memorial Descritivo tem a função de propiciar a perfeita compreensão do projeto e

Leia mais

Curso Piloto de Informação para Operários e Encarregados Módulo: Estruturas de Concreto Armado Aula: Concreto

Curso Piloto de Informação para Operários e Encarregados Módulo: Estruturas de Concreto Armado Aula: Concreto Curso Piloto de Informação para Operários e Encarregados Módulo: Estruturas de Concreto Armado Aula: Concreto É uma mistura de: Cimento Portland Água potável Agregados: Aditivos produtosquímicos Ar O que

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO 1- ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

MEMORIAL DESCRITIVO 1- ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: AMPLIAÇÃO DE UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE AREA À AMPLIAR: 104,31 m2 ÁREA EXISTENTE: 108,99 m2 LOCAL: RINCÃO VERMELHO, INTERIOR DO MUNICÍPIO DE ROQUE GONZALES/RS. RESP. TÉCNICO: ENG

Leia mais

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10 QUESTÃO 1 VESTIBULAR FGV 010 JUNHO/010 RESOLUÇÃO DAS 15 QUESTÕES DE MATEMÁTICA DA PROVA DA MANHÃ MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A O mon i tor de um note book tem formato retangular com a di ag o nal medindo

Leia mais