Atualizado em 13/01/2014

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Atualizado em 13/01/2014"

Transcrição

1 Atualizado em 13/01/2014 Produto Ingrediente Ativo Classe Indicação de uso Forma de aplicação autorizada. Empresa CNPJ Nº Registro Validade 01 Cipertrin MD Cipermetrina Inseticida Para o tratamento de madeiras destinadas à construção civil ou à indústria moveleira. Imersão e adição à cola, uso MSM Química / /11 26/04/ TBP 90 Tribromofenol Fungicida Para o tratamento preventivo contra ataque de fungos em madeiras serradas e madeiras para estruturas. 03 Preventol HS 12 CE 50 Ciflutrina Inseticida Cupinicida Em madeiras para construção civil ou fabricação de móveis. 04 Icosal CCB Inseticida e Fungicida Produto indicado para tratamento de madeiras secas no combate a fungos e insetos que atacam a madeira. 05 Humogran Tribromofenol Fungicida Produto indicado para tratamento preventivo contra o ataque de fungos xilófagos em madeiras. 06 Louro Fungicida Industrial TBP 40% 07 Jimo Cupim Marrom Escuro 08 Jimo Cupim Incolor Hidrorrepelente Tribromofenol Fungicida No controle de fungos causadores de manchas em madeira serrada ou em troncos. Tribromofenol Cipermetrina e Fungicida e Inseticida Produto para pronto uso com ação fungicida e inseticida, indicado para o tratamento de Cipermetrina Inseticida É um inseticida de ação residual indicado para controle de cupins e demais insetos xilófagos. É um produto fornecido para pronto uso, e deve ser usado em madeira seca. 09 Jimo Ecomofo Tanino Fungicida Uso exclusivo para tratamento de madeiras recém-cortadas e recém-serradas no combate de fungos que atacam a madeira causando manchamento e deterioração dos substratos lignocelulósicos. Imersão e aspersão MSM Química / /11/2015 Pelo método de adição à cola, Pelo processo vácuo-pressão. Uso Pelo método de imersão. Isogama Indústria Química Imersão, uso industrial. exclusivamente Imersão, pincelamento e pulverização. Pincelamento, pulverização, imersão e injeção. Pelo método de imersão Lanxess Indústria de / /06 09/03/2017 Produtos Químicos e Plásticos. Icotema Madeiras / /09/2015 Tratadas e Comércio / /09/2018 Lorenzetti Química / /11 19/06/ / /12/ / /06/ / /12/2015 Pág 1 de 5 13/01/2014

2 10 Jimo TBF Concentrado Tribromofenol Fungicida Para o tratamento de madeiras recém-cortadas e recémserradas no combate a fungos que atacam a madeira causando manchamento e deterioração dos substratos ligno-celulósicos. 11 Jimo TBF Export 64 Tribromofenol Fungicida Para o tratamento de madeiras recém-cortadas e recémserradas no combate a fungos que atacam a madeira causando manchamento e deterioração dos substratos ligno-celulósicos. 12 Jimo Cupim Incolor Cipermetrina e tribromofenol Fungicida e inseticida Produto para pronto uso com ação fungicida e inseticida, indicado para o tratamento de madeiras secas Imersão Imersão Método de imersão, pincelamento e aspersão / /09/ / /10/ / /11/ Cupinox Cipermetrina Inseticida Especialmente indicado para ser incorporado nas colas utilizadas nas indústrias de móveis, compensados, laminados, aglomerados e demais indústrias madeireiras. 14 Madepil AC 40 CCA Fungicida e Inseticida Produto com ação fungicida e inseticida indicado para 15 Madepil Tri 90 Fungicida Líquido 16 Óleo Creosoto Carboderivados Tribromofenol Fungicida Para o tratamento de madeiras recém-serradas no combate a fungos que atacam a madeira. Óleo creosoto Fungicida e Inseticida Contra fungos e insetos que atacam a madeira em dormentes, postes, cruzetas, mourões para cercas rurais, esteios e vigas. 17 Maderquil Tribromofenol Fungicida Para o controle a fungos xilófagos que atacam a madeira. Adição à cola. Uso Imersão. 18 Penetrol Cupim Deltametrina Inseticida Em madeira seca na indústria de Pincelamento madeira beneficiada (moveleira). 19 Plydor 200 SC Fipronil Inseticida Cupinicida Para o controle de cupins em madeira para fabricação de compensados, laminados e aglomerados. por usinas sob pressão registradas no IBAMA. Tecnologia de Madeiras Brasileiras e Comércio Preservantes Tecnologia de Madeiras Brasileiras e Comércio Preservantes Elkem Participações, Indústria e Comércio. Imersão. Quimilaus Indústria Química. Pelo método de adição à cola, Otto Baumgart Indústria e Comércio S.A / / /09/ / /06/ / /11/ / /11/ / /10/ / /06/2016 BASF S/A / /12/2016 Pág 2 de 5 13/01/2014

3 20 MOQ K 33 C CCA Fungicida e Inseticida Contra cupins e fungos s 21 MOQ K 33 C 60 CCA Fungicida e Inseticida No combate a insetos e fungos xilófagos que atacam a madeira. 22 MOQ OX 50 CCB Fungicida e Inseticida Para preservação de madeiras 23 Osmocolor Stain IPBC Fungicida Controle preventivo de fungos em estrutura de madeiras que ficarão fora de contato com o solo e alimentos. 24 Osmose K 33 C CCA Fungicida e Inseticida Para preservação de madeiras 25 Osmose K 33 C 60 CCA Fungicida e Inseticida Para a preservação de madeiras 26 Osmose TI20 Cipermetrina e IPBC Fungicida e Inseticida Em madeira seca contra o ataque de insetos e fungos. 27 Osmotox Plus Carbendazim e Cobre-8- quinolato Fungicida Em madeira recém-serrada, contra ataque de fungos. 28 Pentox Super Cipermetrina Inseticida Para a preservação de madeiras secas no controle preventivo e curativo de insetos. 29 MOQ AQ Anti-Blue Carbendazim e Cobre-8- Quinolato Fungicida Em madeira recém-serrada, contra ataque de fungos. 30 MOQ CP 50 Cipermetrina Cupinicida Para o controle de cupins em madeira compensada. 31 Osmose CP 50 Cipermetrina Inseticida Produto indicado para controle de cupins em madeiras compensada 32 Tanalith E CA-B Tebuconazole e Cobre Inseticida e Fungicida Produto indicado para tratamento e preservação de madeira. uso industrial Pelo método de autoclavagem Pelo método de autoclavagem uso exclusivamente industrial e imersão a frio (em usina de preservação por processo fechado, sem pressão). Montana Química S.A / /07/2016 Montana Química S.A / /03/2016 Montana Química S.A / /10/2018 Pincelamento Montana Química S.A / /01/2016 Imersão e autoclavagem (sistema vácuo-vácuo), uso Montana Química S.A / /11/2017 Montana Química S/A / /10/2018 Montana Química S/A / /05 13/11/2017 Pincelamento e Imersão Montana Química S/A / /06 13/11/2017 Pincelamento, imersão e injeção, uso exclusivamente industrial. Montana Química S/A / /06/2014 Imersão Montana Química S/A / /01/2015 Adição à cola. Montana Química S/A / /01/2015 Pelo método de adição à cola Montana Química S.A / /07/2018 Arch Química Brasil / /11 21/03/2017 Pág 3 de 5 13/01/2014

4 33 Tanalith 60% CCA-C CCA Fungicida e inseticida Na preservação de madeiras e apodrecimento em madeira 34 Tanalith 72% CCA-C CCA Fungicida e inseticida Para a preservação de madeiras 35 Exterminador de Cupins Deltametrina Inseticida Produto indicado para o contole preventivo e curativo de insetos em madeira seca. 36 Polisten Deltametrina e IPBC Fungicida e inseticida Produto para tratamento preventivo contra o ataque de insetos xilófagos em madeiras secas pelo método pincelamento. 37 Troysan Polyphase AF 3 IPBC Fungicida Indicado para o controle de fungos xilófagos em madeiras recém-cortadas, estruturas de madeira que ficarão fora de contato com alimentos, através de pincelamento, pulverização e imersão, em serrarias. Não deve ser utilizado em ambientes ou em embalagens que entrarão em contato com alimentos. 38 Troysan Polyphase P 100 IPBC Fungicida No combate ao ataque de fungos em madeiras recém cortadas e estruturas de madeira que ficarão fora de contato com alimentos. Pelos métodos de pincelamento, imersão, aspersão e injeção. Pelo método de pincelamento em Pelos métodos de pincelamento, pulverização e imersão em serrarias. Pelos métodos de pincelamento, pulverização e imersão em serrarias. Arch Química Brasil / /04 26/02/2015 Arch Química Brasil / /04 26/02/2015 Renner Sayerlack S.A / /11/2018 Renner Sayerlack S.A / /12/2015 Troy Brasil / / /06/2017 Troy Brasil / /05/ Polesaver Bandage Octaborato de sódio tetrahidratado e Fluoreto de sódio Inseticida e Fungicida Fungicida e inseticida inorgânico à base de boro e flúor de liberação lenta que agem por difusão através da madeira. Ação no controle da podridão branca, parda e mole e cupins. Bandagem que envolvem a madeiras. Preschem do Brasil / / /09/2018 Pág 4 de 5 13/01/2014

5 40 Polesaver Rods Octaborato de sódio tetrahidratado e Fluoreto de sódio Inseticida e Fungicida Fungicida e inseticida inorgânico à base de boro e flúor de liberação lenta que agem por difusão através da madeira. Ação no controle da podridão branca, parda e mole e cupins. Bastões introduzidos em furo feitos na madeira. Preschem do Brasil / / /09/2018 Pág 5 de 5 13/01/2014

Produtos Preservativos de Madeiras

Produtos Preservativos de Madeiras Produtos Preservativos de Madeiras Produto Ingrediente Ativo Classe Indicação de uso Forma de aplicação autorizada. Empresa CNPJ Nº Registro Validade 01 Cipertrin MD Cipermetrina Inseticida Para o tratamento

Leia mais

CAPÍTULO 11 DURABILIDADE DA MADEIRA. 11.1 Projeto e construção com madeira

CAPÍTULO 11 DURABILIDADE DA MADEIRA. 11.1 Projeto e construção com madeira 1 CAPÍTULO 11 DURABILIDADE DA MADEIRA 11.1 Projeto e construção com madeira A madeira é um material orgânico que sofre biodeterioração, ou seja, ataque de fungos, moluscos, crustáceos e insetos, como os

Leia mais

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Florestas Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Documentos 96

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Florestas Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Documentos 96 ISSN 1679-2599 Agosto, 2004 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Florestas Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Documentos 96 Processos Práticos para Preservar a Madeira Antonio

Leia mais

L C F 5 8 1. Recursos Florestais TEMA N 14 PRESERVAÇÃO DE MADEIRAS

L C F 5 8 1. Recursos Florestais TEMA N 14 PRESERVAÇÃO DE MADEIRAS TEMA N 14 PRESERVAÇÃO DE MADEIRAS PRESERVAÇÃO DE MADEIRAS 1990-177.400m³ L C F 5 8 1 CONSTRUÇÃO 0,1 5,3 MOIRÕES 16,9 ESTACAS CRUZETAS OUTROS 24,5 DORMENTES 53,2 POSTES CONSTRUÇÃO 15,0% 2010-1.300.000m³

Leia mais

EBIOBAMBU. ESCOLA DE BIO ARQUITETURA Centro de Pesquisa e Tecnologia Experimental em bambu. PALESTRA SOBRE PRESERVAÇÃO Celina LLerena

EBIOBAMBU. ESCOLA DE BIO ARQUITETURA Centro de Pesquisa e Tecnologia Experimental em bambu. PALESTRA SOBRE PRESERVAÇÃO Celina LLerena EBIOBAMBU ESCOLA DE BIO ARQUITETURA Centro de Pesquisa e Tecnologia Experimental em bambu PALESTRA SOBRE PRESERVAÇÃO Celina LLerena Escola:Fazenda São João do Vale da Grama- Vale da Grama - Visconde de

Leia mais

Estruturas de Madeira

Estruturas de Madeira FAU/UFRJ Est. Aço e Madeira AMA Estruturas de Madeira Preservação e Proteção Estruturas de Aço A o e Madeira Prof Alexandre Landesmann FAU/UFRJ AMA 1 Preservação em Estruturas de Madeira Histórico: 3500

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Patologia das Construções. Patologia das Madeiras

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Patologia das Construções. Patologia das Madeiras UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Patologia das Construções Patologia das Madeiras Estrutura da Madeira Estrutura da Madeira cerne (2) Porção mais clara, na parte externa, que corresponde

Leia mais

Pentox Combate inquilinos indesejados

Pentox Combate inquilinos indesejados Pentox Combate inquilinos indesejados Pentox Super Dupla Ação Recomendado para o tratamento preventivo. Imunizante de ação superficial, com excelente poder de fixação e longo efeito residual contra cupins

Leia mais

O 2. Árvore = Vida. Luz. Dióxido de carbono CO 2 (Poluente) Água 6 CO 2 + 6 H 2 O C 6 H 12 O 6 + 6 O 2 FOTOSSÍNTESE. Fixa CO2 C 6 H 12 O 6 GLICOSE

O 2. Árvore = Vida. Luz. Dióxido de carbono CO 2 (Poluente) Água 6 CO 2 + 6 H 2 O C 6 H 12 O 6 + 6 O 2 FOTOSSÍNTESE. Fixa CO2 C 6 H 12 O 6 GLICOSE A MADEIRA. Luz Dióxido de carbono CO 2 (Poluente) Água O 2 Árvore = Vida 6 CO 2 + 6 H 2 O C 6 H 12 O 6 + 6 O 2 FOTOSSÍNTESE C 6 H 12 O 6 GLICOSE Fixa CO2 Cadeia trófica Clima Cadeia industrial O QUE A

Leia mais

Benefícios da Madeira Tratada na Construção Civil.

Benefícios da Madeira Tratada na Construção Civil. Benefícios da Madeira Tratada na Construção Civil. Humberto Tufolo Netto Obs: Alguns slides foram produzidos pelo colega: Dr.Ennio Lepage e outros foram cedidos pelo FPInnovations-Forintek-Ca O que é a

Leia mais

FUPEF 2. COLETA DE DADOS

FUPEF 2. COLETA DE DADOS 1 LAUDO TÉCNICO PARA CARACTERIZAÇÃO DE MADEIRAS DO GÊNERO Eucalyptus Solicitante: Mademape Indústria Madeireira Ltda. Endereço: Avenida Ricieri Bernardi, nº 635 Campo do Fundo Campina Grande do Sul - Paraná

Leia mais

ART SHINGLE - TELHA DE MADEIRA

ART SHINGLE - TELHA DE MADEIRA ART SHINGLE - TELHA DE MADEIRA As Telhas de Madeira Art Shingle, além da resistência mecânica e durabilidade, tem como principais características, proporcionar beleza e excelente conforto térmico e acústico

Leia mais

INSETICIDAS CYPERCHEM 250 BR Concentração: 250g/L (25%), atomização e termonebulização Indicação: Mosquitos, barbeiros, moscas e baratas Ação tóxica: Disturbios sensoriais cutâneos, hipersensibilidade,

Leia mais

YMIDALAM 200 SC. Dosagem: 20ml do produto para 10L de água. Composição: Imidacloprido 10% p/v Lambda Cialotrina 5% p/v

YMIDALAM 200 SC. Dosagem: 20ml do produto para 10L de água. Composição: Imidacloprido 10% p/v Lambda Cialotrina 5% p/v EMPRESA A Interfina nasceu em 2010 com o objetivo de criar soluções inovadoras em agroquímicos, desenvolvendo um mix de produtos que tenham tecnologia, qualidade e colaborem com eficácia no combate as

Leia mais

Madeira na construção

Madeira na construção Madeira na construção Madeira como material de construção O emprego da madeira na construção civil remonta desde os primórdios da civilização. Esta apresenta-se como material excepcional e como matéria-prima

Leia mais

E 200. linha floor care. limpeza e manutenção de pisos. Limpador Alcalino de Uso Geral. cleanup

E 200. linha floor care. limpeza e manutenção de pisos. Limpador Alcalino de Uso Geral. cleanup cleanup linha floor care limpeza e manutenção de pisos E 200 Limpador Alcalino de Uso Geral Desenvolvido para limpeza leve e pesada em todos os tipos de superfícies laváveis (bancadas, paredes, máquinas

Leia mais

PRESERVAÇÃO DE MADEIRAS NO BRASIL: HISTÓRICO, CENÁRIO ATUAL E TENDÊNCIAS

PRESERVAÇÃO DE MADEIRAS NO BRASIL: HISTÓRICO, CENÁRIO ATUAL E TENDÊNCIAS Ciência Florestal, Santa Maria, v. 25, n. 1, p. 257-271, jan.-mar., 2015 ISSN 0103-9954 PRESERVAÇÃO DE MADEIRAS NO BRASIL: HISTÓRICO, CENÁRIO ATUAL E TENDÊNCIAS 257 WOOD PRESERVATION IN BRASIL: HISTORICAL,

Leia mais

MADEIRAS MCC1001 AULA 12

MADEIRAS MCC1001 AULA 12 MADEIRAS MCC1001 AULA 12 Disciplina: Materiais de Construção I Professora: Dr. a Carmeane Effting 1 o semestre 2014 Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Engenharia Civil MADEIRAS É um material

Leia mais

UM MATERIAL A PROVA DO TEMPO MADEIRA

UM MATERIAL A PROVA DO TEMPO MADEIRA UM MATERIAL A PROVA DO TEMPO MADEIRA Mesmo com o avanço tecnológico e o surgimento de novos materiais de construção e decoração, a boa e velha madeira mantém seu espaço conquistado através dos tempos,

Leia mais

ENCICLOPÉDIA DE PRAGAS

ENCICLOPÉDIA DE PRAGAS - Folha 1 Cupins Subterrâneos ou Solo - Biologia Os cupins são também conhecidos por térmitas, formigas brancas (operários), siriris ou aleluias (alados reprodutores). São insetos da ordem Isoptera (iso

Leia mais

XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA CONTROLE DE CUPINS EM POSTES DE MADEIRA MÉTODO BIORRACIONAL

XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA CONTROLE DE CUPINS EM POSTES DE MADEIRA MÉTODO BIORRACIONAL XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA CONTROLE DE CUPINS EM POSTES DE MADEIRA MÉTODO BIORRACIONAL AUTORES : CLÁUDIO ANTÔNIO SODÁRIO ALEX SILVEIRA JOSE FRANCISCO RESENDE DA SILVA JURACY

Leia mais

PRODUTOS PRESERVANTES DE MADEIRA

PRODUTOS PRESERVANTES DE MADEIRA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA FLORESTAL PRODUTOS PRESERVANTES DE MADEIRA Por: Prof. Dr. João Carlos Moreschi Depto. de Engenharia e Tecnologias Rurais da UFPR 1 SUMÁRIO

Leia mais

IPHAN/MONUMENTA. Manual Prático Conservação de Telhados

IPHAN/MONUMENTA. Manual Prático Conservação de Telhados IPHAN/MONUMENTA Manual Prático Conservação de Telhados 2 Presidente da República Presidente Luiz Inácio Lula da Silva Ministro da Cultura Gilberto Gil Moreira Presidente Instituto do Patrimônio Histórico

Leia mais

Tipos de madeiras, cuidados e usos!

Tipos de madeiras, cuidados e usos! Tipos de madeiras, cuidados e usos! O trabalho em madeira esta ao alcance de todos, material excelente, explorado pelo homem á milhares de anos. Porém sua resistência e durabilidade são afetadas de diversas

Leia mais

YMIDALAM 200 SC. Dosagem: 20ml do produto para 10L de água. Composição: Imidacloprido 10% p/v Lambda Cialotrina 5% p/v

YMIDALAM 200 SC. Dosagem: 20ml do produto para 10L de água. Composição: Imidacloprido 10% p/v Lambda Cialotrina 5% p/v EMPRESA A Interfina nasceu em 2010 com o objetivo de criar soluções inovadoras em agroquímicos, desenvolvendo um mix de produtos que tenham tecnologia, qualidade e colaborem com eficácia no combate as

Leia mais

VOLUME II. Preservativos de Madeira

VOLUME II. Preservativos de Madeira 2.013 VOLUME II Preservativos de Madeira ii SUMÁRIO PRESERVATIVOS DE MADEIRA TIEM PÁGINA 1. INTRODUÇÃO... 51 2. CARACTERÍSTICAS DE UM PRODUTO PRESERVATIVO ADEQUADO... 54 3. TIPOS DE PRESERVATIVOS PARA

Leia mais

Faculdade Sudoeste Paulista Curso de Engenharia Civil Materiais de Construção Civil MADEIRA COMO MATERIAL DE CONSTRUÇÃO

Faculdade Sudoeste Paulista Curso de Engenharia Civil Materiais de Construção Civil MADEIRA COMO MATERIAL DE CONSTRUÇÃO MADEIRA COMO MATERIAL DE CONSTRUÇÃO A madeira é um material excepcional como material de construção além de ter qualidades muito grandes como matéria prima para outros produtos industrializados, e que

Leia mais

Prof. Aline Fernandes de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010

Prof. Aline Fernandes de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010 de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010 PATOLOGIAS EM OBRAS DE MADEIRA . A degradação de elementos de madeira surge como resultado da ação de agentes físicos, químicos, mecânicos ou biológicos aos quais

Leia mais

Madeira na Construção Civil

Madeira na Construção Civil Madeira na Construção Civil INTRODUÇÃO A madeira é um material excepcional como material de construção além de ter qualidades muito grandes como matéria prima para outros produtos industrializados, e que

Leia mais

Circular. Técnica TRATAMENTO DE MOURÕES PELO MÉTODO DE SUBSTITUIÇÃO DE SEIVA. Introdução. O Método. ²Graduando do curso de Agronomia do UNIARAXÁ.

Circular. Técnica TRATAMENTO DE MOURÕES PELO MÉTODO DE SUBSTITUIÇÃO DE SEIVA. Introdução. O Método. ²Graduando do curso de Agronomia do UNIARAXÁ. Circular 14 Técnica Araxá, MG Maio, 2015 Autores Paulo R.F. de Fravet 1 Amarildo J. C. Filho. 2 Carlos G. Borges 2 Guilherme Nogueira 2 Mara C. A. Pinto² Paulo de T.V.M. Brando 2 Rafael R. Guimarães 2

Leia mais

Bases Para Uma Indústria Florestal Competitiva no Mato Grosso

Bases Para Uma Indústria Florestal Competitiva no Mato Grosso Bases Para Uma Indústria Florestal Competitiva no Mato Grosso Histórico O Grupo Floresteca foi fundada em 1994 tendo como objetivo o desenvolvimento de plantações de teca no Brasil de maneira sustentável

Leia mais

Dormentes de Eucalipto: a Experiência do IPT em Controle de Qualidade

Dormentes de Eucalipto: a Experiência do IPT em Controle de Qualidade Dormentes de Eucalipto: a Experiência do IPT em Controle de Qualidade Gisleine Aparecida da Silva 1, Maria José de Andrade Casimiro Miranda 1 *, Sergio Brazolin 1, Takashi Yojo 1 1 Laboratório de Árvores,

Leia mais

Manual de Pintura. Veja como o manual da Especialista pode ajudar você. Acesso fácil a informações. Embalagens. Manual de Pintura

Manual de Pintura. Veja como o manual da Especialista pode ajudar você. Acesso fácil a informações. Embalagens. Manual de Pintura Manual de Pintura 1 2 Manual de Pintura Acesso fácil a informações Veja como o manual da Especialista pode ajudar você Descubra qual é o produto mais adequado à sua necessidade @ www.sayerlack.com.br 0800

Leia mais

Apresentação MDF E MDP. Definições, comparativos e informações relativas ao material MDF e MDP.

Apresentação MDF E MDP. Definições, comparativos e informações relativas ao material MDF e MDP. Apresentação MDF E MDP Definições, comparativos e informações relativas ao material MDF e MDP. MDF (Medium Density Fiberboard) Fibra de Média Densidade Painel de fibras de madeira encoladas com resina

Leia mais

Cupins Subterrâneos: Métodos de Controle

Cupins Subterrâneos: Métodos de Controle Cupins Subterrâneos: Métodos de Controle Introdução As principais estratégias de controle de cupins serão apresentadas a seguir. É interessante frisar, neste momento, que os dados apresentados a seguir

Leia mais

Inseticidas aliados contra a dengue

Inseticidas aliados contra a dengue Inseticidas aliados contra a dengue Alguns dos produtos testados deixaram a desejar na eliminação de baratas e moscas. A boa notícia é que todos eles tiveram ótimo desempenho contra o mosquito Aedes aegypti.

Leia mais

A madeira como substrato para organismos xilófagos -Cupins-

A madeira como substrato para organismos xilófagos -Cupins- UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS Faculdade de Ciências Agrárias Departamento de Ciências Florestais A madeira como substrato para organismos xilófagos -Cupins- Francisco Tarcísio Moraes Mady Introdução

Leia mais

PAINEIS DE MADEIRAS. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho

PAINEIS DE MADEIRAS. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho PAINEIS DE MADEIRAS RECONSTITUÍDAS Madeira Reconstituída Madeira reconstituída são aquelas que utilizam partículas, fibras ou lâminas de madeira natural como principal matéria prima, aglutinadas por uma

Leia mais

PRODUTOS E MÉTODOS PARA TRATAMENTO E PRESERVAÇÃO DE MADEIRAS

PRODUTOS E MÉTODOS PARA TRATAMENTO E PRESERVAÇÃO DE MADEIRAS PRODUTOS E MÉTODOS PARA TRATAMENTO E PRESERVAÇÃO DE MADEIRAS THE BERKEM GROUP SARPAP & CECIL (VIDEO) Alguns Dados tem mais de 134 colaboradores, Volume de Negócios > 30M 3M por Ano dedicados a investimento

Leia mais

TRATAMENTO PRESERVATIVO DE MADEIRAS

TRATAMENTO PRESERVATIVO DE MADEIRAS FACULDADE DE PINDAMONHANGABA Lucila Quirino Lopes Shayane Oliveira Santos TRATAMENTO PRESERVATIVO DE MADEIRAS Pindamonhangaba SP 2012 FACULDADE DE PINDAMONHANGABA Lucila Quirino Lopes Shayane Oliveira

Leia mais

PRODUTOS ELABORADOS MADEIRA PLÁSTICA

PRODUTOS ELABORADOS MADEIRA PLÁSTICA MADEIRA PLÁSTICA A Madeira Plástica é uma opção sustentável para quem se preocupa com a causa ambiental. O grande diferencial deste produto é que sua fabricação dá-se a partir da reciclagem de toneladas

Leia mais

Biologia, danos e controle de cupins em eucalipto

Biologia, danos e controle de cupins em eucalipto unesp Biologia, danos e controle de cupins em eucalipto Carlos F. Wilcken FCA/UNESP - Botucatu. 1. Introdução Os cupins são considerados pragas em plantações florestais em toda a região tropical, sendo

Leia mais

1. Identificação do Produto e da Empresa

1. Identificação do Produto e da Empresa 1. Identificação do Produto e da Empresa Produto: Perfis de Poliestireno Tipo de produto: 96 % de Poliestireno Reciclado e 4 % de Poliestireno Virgem Empresa: Indústria e Comércio de Molduras Santa Luzia

Leia mais

MADEIRAS MCC1001 AULA 12

MADEIRAS MCC1001 AULA 12 MADEIRAS MCC1001 AULA 12 Disciplina: Materiais de Construção I Professora: Dr. a Carmeane Effting 1 o semestre 2015 Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Engenharia Civil MADEIRAS É um material

Leia mais

VALORIZE NOSSAS RIQUEZAS NATURAIS.

VALORIZE NOSSAS RIQUEZAS NATURAIS. VALORIZE NOSSAS RIQUEZAS NATURAIS. :: NOBREZA NATIVA As árvores são os maiores seres vivos do Reino Vegetal, os que têm vida mais longa e apresentam diferentes tamanhos e formas. O Rio Grande do Sul possui

Leia mais

CURSO EMBALAGENS DE A a V EDIÇÃO NORDESTE. Recife/2013 Accacio Rodrigues

CURSO EMBALAGENS DE A a V EDIÇÃO NORDESTE. Recife/2013 Accacio Rodrigues CURSO EMBALAGENS DE A a V EDIÇÃO NORDESTE Recife/2013 Accacio Rodrigues Formado em Direito, pós graduado em Tributos e Gestão comercial pela Escola de ensino superior Esamc. Há 6 anos trabalha na Empresa

Leia mais

TECNOLOGIAS E PRODUTOS SUSTENTÁVEIS

TECNOLOGIAS E PRODUTOS SUSTENTÁVEIS TECNOLOGIAS E PRODUTOS SUSTENTÁVEIS A Eco Inova é uma indústria estruturada nos conceitos atuais de sustentabilidade, desenvolvendo e produzindo tecnologias e produtos sustentáveis. Estudamos exaustivamente

Leia mais

Plantas Industriais Pequenas para a Produção de Painéis Aglomerados (MDP) no Brasil

Plantas Industriais Pequenas para a Produção de Painéis Aglomerados (MDP) no Brasil Plantas Industriais Pequenas para a Produção de Painéis Aglomerados (MDP) no Brasil (42) 9926 4348 (42) 8821 5351 Caixa Posta 2339, CEP 84.045-981 1 Os Painéis Aglomerados (MDP)... 1 O que são os Painéis

Leia mais

Linha Higiene Natural Solução Limpeza HD20 (cód. 0031) Ficha Técnica

Linha Higiene Natural Solução Limpeza HD20 (cód. 0031) Ficha Técnica Solução Limpeza HD20 (cód. 0031) Descrição: produto natural para limpeza pesada, concentrado e de fácil aplicação. Remove manchas incrustadas como marcas de pneu, graxas, óleos, gorduras e sujeiras em

Leia mais

LEVANTAMENTO DAS ESPÉCIES DE CUPINS ATACANDO RESIDÊNCIAS NOS BAIRROS DO MUNICIPIO DE GURUPI TO.

LEVANTAMENTO DAS ESPÉCIES DE CUPINS ATACANDO RESIDÊNCIAS NOS BAIRROS DO MUNICIPIO DE GURUPI TO. LEVANTAMENTO DAS ESPÉCIES DE CUPINS ATACANDO RESIDÊNCIAS NOS BAIRROS DO MUNICIPIO DE GURUPI TO. Gracielle Rodrigues da Costa 1 ; Edy Eime Pereira Baraúna 2 ; Renato da Silva Vieira 3 1 Aluno do Curso de

Leia mais

Atividades objeto do licenciamento: Código DN 74/04 Descrição Classe G-03-07-7 Tratamento Químico para Preservação da Madeira (6.

Atividades objeto do licenciamento: Código DN 74/04 Descrição Classe G-03-07-7 Tratamento Químico para Preservação da Madeira (6. PARECER ÚNICO PROTOCOLO Nº 1651772/2013 Indexado ao(s) Processo(s) Licenciamento Ambiental Nº 05536/2012/002/2013 LO DEFERIMENTO Portaria n 3532/2012 Poço Tubular - Processo Cadastro nº 005403/2012 Cisterna

Leia mais

ÓLEO LUBRIFICANTE SPRAY M1. 8396 300 ml / 200 g 01/12 ÓLEO DE LINHAÇA. 1631 1 Litro fervido 01/06 1630 1 Litro Crú 01/06 VASELINA SÓLIDA

ÓLEO LUBRIFICANTE SPRAY M1. 8396 300 ml / 200 g 01/12 ÓLEO DE LINHAÇA. 1631 1 Litro fervido 01/06 1630 1 Litro Crú 01/06 VASELINA SÓLIDA Químicos 219 LUBRIFICANTE P/ CORRENTES ÓLEO LUBRIFICANTE SPRAY M1 DESENGRIPANTE ANTIFERRUGEM 4213 Cont. 200 ml / 100 g 8396 300 ml / 200 g 1027 Cont. 321 ml / 193 g WD-40 AEROSOL ÓLEO DE LINHAÇA ÓLEO DE

Leia mais

PAINÉIS CIMENTO-MADEIRA

PAINÉIS CIMENTO-MADEIRA CIMENTO-MADEIRA Prof. Setsuo Iwakiri UFPR - DETF INRODUÇÃO HISTÓRICO 1914 > Áustria > partículas excelsior + aglutinante (óxido magnésio + cloreto magnésio) 1928 > Alemanha > início > uso cimento portland

Leia mais

HEMOCENTRO: Florianópolis Nº CP 321/15 OBJETO A CONTRATAR

HEMOCENTRO: Florianópolis Nº CP 321/15 OBJETO A CONTRATAR TERMO DE REFERÊNCIA/ESCOPO HMR.02.06.04 HEMOCENTRO: Florianópolis Nº CP 321/15 OBJETO A CONTRATAR CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE SAÚDE AMBIENTAL (DESRATIZAÇÃO, DESCORPINIZAÇÃO

Leia mais

VOLUME III. Métodos de Tratamento da Madeira

VOLUME III. Métodos de Tratamento da Madeira 4ª edição: abril / 2.013 i BIODEGRADAÇÃO E PRESERVAÇÃO DA MADEIRA 2.013 VOLUME III Métodos de Tratamento da Madeira estão autorizadas, exceto se devidamente citada sua fonte. 4ª edição: abril / 2.013 ii

Leia mais

ÁREA TOTAL CONSTRUÍDA...29,25 m² PERGOLADO ABIU

ÁREA TOTAL CONSTRUÍDA...29,25 m² PERGOLADO ABIU 390 750 ÁREA TOTAL CONSTRUÍDA...29,25 m² APRESENTAÇÃO As empresas Plantar Empreendimentos e Produtos Florestais Ltda e Montana Química S.A. sentem-se honradas em tê-lo como cliente e é com imensa satisfação

Leia mais

Ficha Técnica - FISPQ TERMITOX 400

Ficha Técnica - FISPQ TERMITOX 400 Ficha Técnica - FISPQ TERMITOX 400 Pág. 1/7 Emissão: 15/08/2008. Última Revisão: 15/12/2011. Código: 00003 - Total de páginas: 07 (sete). Resp. Técnica: Maria Elisabete Fernandes - CRQ: 04417707 IV Região.

Leia mais

DOENÇAS BIÓTICAS E ABIÓTICAS NA ARBORIZAÇÃO URBANA. Prof a Maria Alves Ferreira

DOENÇAS BIÓTICAS E ABIÓTICAS NA ARBORIZAÇÃO URBANA. Prof a Maria Alves Ferreira DOENÇAS BIÓTICAS E ABIÓTICAS NA ARBORIZAÇÃO URBANA Prof a Maria Alves Ferreira DOENÇAS BIÓTICAS E ABIÓTICAS NA ARBORIZAÇÃO URBANA 1) Mecanismos de defesa em espécies arbóreas 2) Podridões em árvores vivas

Leia mais

Método construtivo com CLT : Recomendações construtivas e de acabamentos. Autor: Alexandre Lopes Veneziano Studio Veneziano

Método construtivo com CLT : Recomendações construtivas e de acabamentos. Autor: Alexandre Lopes Veneziano Studio Veneziano Método construtivo com CLT : Recomendações construtivas e de acabamentos. Autor: Alexandre Lopes Veneziano Studio Veneziano Motivação Esqueça o que você já ouviu falar sobre casa de madeira, isto aqui

Leia mais

VII - OBSERVAÇÕES RELEVANTES Indivíduo de grande porte, com caule oco e ataque de cupins na região do cerne.

VII - OBSERVAÇÕES RELEVANTES Indivíduo de grande porte, com caule oco e ataque de cupins na região do cerne. FICHA DE CAMPO - AVALIAÇÃO FITOSSANITÁRIA DOS INDIVÍDUOS ARBÓREOS I- LOCALIZAÇÃO E IDENTIFICAÇÃO DATA: 22/02/2013 UF: RJ MUNICÍPIO: NOVA FRIBURGO BAIRRO: CENTRO VIA: PRAÇA GETÚLIO VARGAS LADO PAR SISTEMA:

Leia mais

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO. Determinação da estabilidade acelerada: preliminar e exploratória

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO. Determinação da estabilidade acelerada: preliminar e exploratória ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO Norma de Origem: NIT-DICLA-016 Folha: 1 Total de Folhas: 11 RAZÃO SOCIAL/DESIGNAÇÃO DO LABORATÓRIO BIOAGRI LABORATÓRIOS LTDA FILIAL 02 COSMÉTICOS Determinação

Leia mais

Utilização de Madeira Tratada em Sistemas Construtivos - Uma Opção Inteligente -

Utilização de Madeira Tratada em Sistemas Construtivos - Uma Opção Inteligente - Por: Flavio C. Geraldo ABPM Presidente Madeira 2014 Instituto BESC de Humanidades e Economia Outubro de 2014 Utilização de Madeira Tratada em Sistemas Construtivos - Uma Opção Inteligente - ÁRVORE - A

Leia mais

Papel. Etapa 6- Esta etapa trata-se do papel sendo utilizado por seus consumidores em diversas formas, como em livros, cartas, jornais, etc.

Papel. Etapa 6- Esta etapa trata-se do papel sendo utilizado por seus consumidores em diversas formas, como em livros, cartas, jornais, etc. Ciclo de Vida Papel Há divergência quanto ao período de surgimento do papel, pois foi um processo que foi sendo desenvolvido ao longo dos anos, porém há registros deste sendo utilizado primeiramente pelos

Leia mais

CUPINS DA CANA-DE- AÇÚCAR

CUPINS DA CANA-DE- AÇÚCAR CUPINS DA CANA-DE- AÇÚCAR 1. DESCRIÇÃO DA PRAGA Eles ocorrem em todas as regiões do Brasil e são divididos em rei, rainha, soldados e operários, cada um com um trabalho a fazer. São insetos sociais, operários

Leia mais

- Visa otimizar e diversificar a produção;

- Visa otimizar e diversificar a produção; Sistemas Agroflorestais (SAF) - Combinação de espécies arbóreas com cultivos agrícolas (fruticultura, plantas anuais, etc) ou criação de animais; - Visa otimizar e diversificar a produção; Sistemas Agroflorestais

Leia mais

REUTILIZAÇÃO E RECICLAGEM DE MADEIRA

REUTILIZAÇÃO E RECICLAGEM DE MADEIRA REUTILIZAÇÃO E RECICLAGEM DE MADEIRA INSTITUTO CENTRO DE CAPACITAÇÃO E APOIO AO EMPREENDEDOR Presidente: Tânia Maria Machado Silva Vice Presidente: Silvia Machado Redação e revisão: Alice de Cassia Ferreira

Leia mais

Marcadores com ponta porosa, retrátil, lavável em água corrente, permitindo o uso imediato quando a ponta estiver ressecada ou com impregnações.

Marcadores com ponta porosa, retrátil, lavável em água corrente, permitindo o uso imediato quando a ponta estiver ressecada ou com impregnações. Marcadores com ponta porosa, retrátil, lavável em água corrente, permitindo o uso imediato quando a ponta estiver ressecada ou com impregnações. Tinta permanente para marcar todos os tipos de metais, plásticos,

Leia mais

Ficha Técnica - FISPQ TERMITOX

Ficha Técnica - FISPQ TERMITOX Ficha Técnica - FISPQ TERMITOX Pág. 1/7 Emissão: 18/01/2005. Última Revisão: 15/12/2011. Código: 00001 - Total de páginas: 07 (sete). Resp. Técnica: Maria Elisabete Fernandes - CRQ: 04417707 IV Região.

Leia mais

GUIA DE PREENCHIMENTO

GUIA DE PREENCHIMENTO GUIA DE PREENCHIMENTO RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES POTENCIALMENTE POLUIDORAS E UTILIZADORAS DE RECURSOS AMBIENTAIS (RAPP) EMISSÕES ATMOSFÉRICAS PLANTAÇÃO/VEGETAÇÃO NATIVA IBAMA, 2014 Guia de Preenchimento

Leia mais

Informativo CEPEA Setor Florestal Preços da Celulose se elevam pelo segundo mês consecutivo

Informativo CEPEA Setor Florestal Preços da Celulose se elevam pelo segundo mês consecutivo Informativo CEPEA Setor Florestal Preços da Celulose se elevam pelo segundo mês consecutivo Número 155 Novembro de 2014 Realização: Apoio: Elaboração Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (CEPEA-

Leia mais

AUTORIZAÇÕES DE VENDA DE BIOCIDAS PARA USO INDUSTRIAL EMITIDAS PELA DIREÇÃO-GERAL DA SAÚDE Maio 2016

AUTORIZAÇÕES DE VENDA DE BIOCIDAS PARA USO INDUSTRIAL EMITIDAS PELA DIREÇÃO-GERAL DA SAÚDE Maio 2016 Actibiol EC50 g/l Industrial Actibiol Flow Industrial Agro-Matic Alphamost SC Aquapy Aqua K-Othrine Atoxinal Biforce Certi-Fog II Chem-Fog II 1397S 30-06-2016 (b) 1398S 30-06-2016 (b) A-1174S 1421S 30-06-2016

Leia mais

APRESENTAÇÃO ESCADA HORIZONTAL

APRESENTAÇÃO ESCADA HORIZONTAL APRESENTAÇÃO As empresas Plantar Empreendimentos e Produtos Florestais Ltda e Montana Química S.A. sentem-se honradas em tê-lo como cliente e é com imensa satisfação que entregam este projeto modelo baseado

Leia mais

59 Brunimento, lapidação, polimento

59 Brunimento, lapidação, polimento A U A UL LA Brunimento, lapidação, polimento Apesar de todos os cuidados, as peças usinadas e mesmo as de acabamento em máquina, como é o caso da retificação, apresentam sulcos ou riscos mais ou menos

Leia mais

APRESENTAÇÃO CAIXA DE AREIA

APRESENTAÇÃO CAIXA DE AREIA APRESENTAÇÃO As empresas Plantar Empreendimentos e Produtos Florestais Ltda e Montana Química S.A. sentem-se honradas em tê-lo como cliente e é com imensa satisfação que entregam este projeto modelo baseado

Leia mais

APRESENTAÇÃO QUIOSQUE BABAÇU

APRESENTAÇÃO QUIOSQUE BABAÇU APRESENTAÇÃO As empresas Plantar Empreendimentos e Produtos Florestais Ltda e Montana Química S.A. sentem-se honradas em tê-lo como cliente e é com imensa satisfação que entregam este projeto modelo baseado

Leia mais

7.5. PRINCIPAIS PRAGAS DO MILHO E SEU CONTROLE

7.5. PRINCIPAIS PRAGAS DO MILHO E SEU CONTROLE 7.5. PRINCIPAIS PRAGAS DO MILHO E SEU CONTROLE 1 Pragas de solo 1.1 - Cupins Importância econômica -se alimentam de celulose e possuem hábitos subterrâneos. Sintomas de danos -Atacam as sementes, destruindo-as

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO Tribunal Superior Eleitoral Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro. Pregão Eletrônico Nº 00020/2014(SRP)

PODER JUDICIÁRIO Tribunal Superior Eleitoral Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro. Pregão Eletrônico Nº 00020/2014(SRP) 1 de 5 22/05/2014 13:36 PREGÃO ELETRÔNICO PODER JUDICIÁRIO Tribunal Superior Eleitoral Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro Pregão Eletrônico Nº 00020/2014(SRP) RESULTADO POR FORNECEDOR 01.769.241/0001-62

Leia mais

DOENÇAS DO PESSEGUEIRO

DOENÇAS DO PESSEGUEIRO DOENÇAS DO PESSEGUEIRO DOENÇAS CAUSADAS POR FUNGOS 1. FERRUGEM 1 SINTOMAS. folhas:. sup. superior:. manchas angulares, amarelas, pequenas. sup. inferior:. pústulas arredondadas, recobertas de massa pulverulenta

Leia mais

COMO TRABALHAR COM BVO DR. MARCOS VILELA DE M. MONTEIRO¹, E-mail: bioaeronautica@terra.com.br

COMO TRABALHAR COM BVO DR. MARCOS VILELA DE M. MONTEIRO¹, E-mail: bioaeronautica@terra.com.br COMO TRABALHAR COM BVO DR. MARCOS VILELA DE M. MONTEIRO¹, 1 Eng o. Agrônomo, Centro Brasileiro de Bioaeronáutica (CBB) Sorocaba, SP E-mail: bioaeronautica@terra.com.br Formulações para Aplicações em BVO

Leia mais

Materiais de Construção Civil. Aula 10. Madeira

Materiais de Construção Civil. Aula 10. Madeira Materiais de Construção Civil Aula 10 Madeira Taciana Nunes Arquiteta e Urbanista Situação atual no Brasil: Complicantes: Poucos cursos de graduação ministram estruturas de madeira; Falta de conhecimento

Leia mais

BIODEGRADAÇÃO E PRESERVAÇÃO DA MADEIRA 2.013 VOLUME I. Biodegradação da Madeira

BIODEGRADAÇÃO E PRESERVAÇÃO DA MADEIRA 2.013 VOLUME I. Biodegradação da Madeira 2.013 VOLUME I Biodegradação da Madeira ii SUMÁRIO - VOLUME I PÁG I NA 1. INTRODUÇÃO... 1 2. PRINCIPAIS AGENTES DETERIORADORES...2 2.1. BACTÉRIAS...2 2.2. FUNGOS...4 2.2.1. Considerações gerais...4 2.2.2.

Leia mais

Tratamentos Específicos para Drywall em Áreas Frias

Tratamentos Específicos para Drywall em Áreas Frias Tratamentos Específicos para Drywall em Áreas Frias POR QUE REALIZAR TRATAMENTOS EM VEDAÇÕES COM CHAPAS DE GESSO ACARTONADO? Garantir a manutenção das características de vedação do sistema. Aumentar a

Leia mais

Soluções Avançadas na Construção de Barcos

Soluções Avançadas na Construção de Barcos Soluções Avançadas na Construção de Barcos Felipe Rengifo Uribe Gerente Comercial-Técnico NovaScott Especialidades Painel Náutico FEIPLAR 2014 São Paulo/SP Soluções Avançadas na Construção de Barcos Como

Leia mais

Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos. Relatório PARA

Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos. Relatório PARA Agência Nacional de Vigilância Sanitária Gerência Geral de Toxicologia Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos Relatório PARA 2011 2012 Brasília, 22 de Outubro de 2013 GGTOX/ANVISA

Leia mais

Objetivo: Desenvolver percepção para as questões ambientais numa empresa.

Objetivo: Desenvolver percepção para as questões ambientais numa empresa. EXERCÍCIO 3 Módulo 3 Questões ambientais de uma empresa Objetivo: Desenvolver percepção para as questões ambientais numa empresa. Muitos gerentes têm difi culdades em reconhecer as questões ambientais

Leia mais

A Influência da Crise Econômica Global no Setor Florestal do Brasil

A Influência da Crise Econômica Global no Setor Florestal do Brasil A Influência da Crise Econômica Global no Setor Florestal do Brasil 1. INTRODUÇÃO Ivan Tomaselli e Sofia Hirakuri (1) A crise financeira e econômica mundial de 28 e 29 foi principalmente um resultado da

Leia mais

JÚNIOR JOSÉ MACHADO DIORAMA FERRÉO. Esse projeto contém informações simples e obejtivas com intuito de mostrar parte do meu trabalho e conhecimento.

JÚNIOR JOSÉ MACHADO DIORAMA FERRÉO. Esse projeto contém informações simples e obejtivas com intuito de mostrar parte do meu trabalho e conhecimento. JÚNIOR JOSÉ MACHADO DIORAMA FERRÉO Esse projeto contém informações simples e obejtivas com intuito de mostrar parte do meu trabalho e conhecimento. CONCEITO DO PROJETO Esse projeto a ser apresentado foi

Leia mais

1 a Aula 1. HISTÓRICO DA PRESERVAÇÃO DE MADEIRAS. 1.1 - Principais Acontecimentos no Mundo

1 a Aula 1. HISTÓRICO DA PRESERVAÇÃO DE MADEIRAS. 1.1 - Principais Acontecimentos no Mundo 1 a Aula 1. HISTÓRICO DA PRESERVAÇÃO DE MADEIRAS 1.1 - Principais Acontecimentos no Mundo 225 milhões de anos atrás Primeiros relatos sobre a existência da árvore na terra. 2 milhões de anos atrás Primeiros

Leia mais

RESISTÊNCIA BIOLÓGICA DA MADEIRA TRATADA DE Eucalyptus grandis e Eucalyptus cloeziana EM ENSAIOS DE LABORATÓRIO E CAMPO

RESISTÊNCIA BIOLÓGICA DA MADEIRA TRATADA DE Eucalyptus grandis e Eucalyptus cloeziana EM ENSAIOS DE LABORATÓRIO E CAMPO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE CIÊNCIAS RURAIS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA FLORESTAL RESISTÊNCIA BIOLÓGICA DA MADEIRA TRATADA DE Eucalyptus grandis e Eucalyptus cloeziana EM

Leia mais

Histórico. Os Incentivos Fiscais

Histórico. Os Incentivos Fiscais Histórico Há mais de século eram plantadas no Brasil as primeiras mudas de eucalipto, árvore originária da Austrália. Desde então se originou uma história de sucesso: nascia a silvicultura brasileira.

Leia mais

2101 ARGAMASSA MATRIX REVESTIMENTO INTERNO Argamassa para Revestimento Interno de alvenaria

2101 ARGAMASSA MATRIX REVESTIMENTO INTERNO Argamassa para Revestimento Interno de alvenaria FICHA TÉCNICA DE PRODUTO 1. Descrição: A argamassa 2101 MATRIX Revestimento Interno, é uma argamassa indicada para o revestimento de paredes em áreas internas, possui tempo de manuseio de até 2 horas,

Leia mais

Destinação Final de Madeira Tratada com CCA

Destinação Final de Madeira Tratada com CCA Desde 1930 o CCA (arseniato de cobre cromatado) vem sendo usado, em quantidades crescentes, pela indústria de preservação de madeira. Como decorrência de estudos que vêm sendo desenvolvidos, sobretudo

Leia mais

A MADEIRA COMO MATERIAL DE CONSTRUÇÃO

A MADEIRA COMO MATERIAL DE CONSTRUÇÃO A MADEIRA COMO MATERIAL DE CONSTRUÇÃO A madeira é um material excepcional como material de construção além de ter qualidades muito grandes como matéria prima para outros produtos industrializados, e que

Leia mais

Manual Técnico Fibrapiso

Manual Técnico Fibrapiso Manual Técnico dos Pisos Laminados Fibrapiso O Fibrapiso possui um sistema de classificação, que estabelece requisitos práticos para áreas e níveis de utilização, indicando onde o piso laminado melamínico

Leia mais

Uso Profissional. www.saudeambiental.com.br. Um grupo de negócios operacionais da Bayer CropScience. Consulte um Profissional

Uso Profissional. www.saudeambiental.com.br. Um grupo de negócios operacionais da Bayer CropScience. Consulte um Profissional Assessoria de Propaganda Bayer Um grupo de negócios operacionais da Bayer CropScience Consulte um Profissional Uso Profissional www.saudeambiental.com.br Produto de venda restrita à empresa especializada

Leia mais

TINTAS EM PÓ 12/09/2012 HISTÓRICO RESUMIDO. No final da década de 1950, surgiu a hoje chamada tinta em pó. TERMOCONVERSIVEIS USA

TINTAS EM PÓ 12/09/2012 HISTÓRICO RESUMIDO. No final da década de 1950, surgiu a hoje chamada tinta em pó. TERMOCONVERSIVEIS USA TINTAS EM PÓ V.A.B HISTÓRICO RESUMIDO No final da década de 1950, surgiu a hoje chamada tinta em pó. TERMOCONVERSIVEIS USA Entre 1960 e 1964, Houve desenvolvimento e introdução dos métodos de EXTRUSÂO,

Leia mais

MIGDOLUS EM CANA DE AÇÚCAR

MIGDOLUS EM CANA DE AÇÚCAR MIGDOLUS EM CANA DE AÇÚCAR 1. INTRODUÇÃO O migdolus é um besouro da família Cerambycidae cuja fase larval causa danos ao sistema radicular da cana-de-açúcar, passando a exibir sintomas de seca em toda

Leia mais

Outros materiais que merecem atenção do marceneiro. Introdução

Outros materiais que merecem atenção do marceneiro. Introdução Introdução Existem diversos materiais utilizados pela marcenaria na composição do móvel ou ambiente. Por exemplo os vidros, chapas metálicas, tecidos e etc. O mercado fornecedor da cadeia moveleira lança

Leia mais

TANQUE DE LAVAGEM EM AÇO INOX

TANQUE DE LAVAGEM EM AÇO INOX TANQUE DE LAVAGEM TANQUE DE LAVAGEM EM AÇO INOX Sistema de lavagem de quadros de serigrafia em aço inox. Extremamente resistente, construído em aço inoxidável, fácil de manter e limpar, resistente a quimicos,

Leia mais