PARENTALIDADE PRESTAÇÕES ASSEGURADAS PELA SEGURANÇA SOCIAL PROCEDIMENTOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PARENTALIDADE PRESTAÇÕES ASSEGURADAS PELA SEGURANÇA SOCIAL PROCEDIMENTOS"

Transcrição

1 Subsídio por Risco Clínico durante a Gravidez: Pelo período de tempo que, por prescrição médica, for considerado necessário para prevenir o risco 100% da, não podendo ser inferior a 80% de Subsídio por Interrupção da Gravidez Entre 14 a 30 dias 100% da, não podendo ser inferior a 80% de certificação médica que indique o período de impedimento A trabalhadora informa o empregador e apresenta Certificado de Incapacidade Temporária para o Trabalho (CIT), que indique a duração previsível da licença, com uma antecedência de 10 dias ou, em caso de urgência comprovada pelo médico, logo que possível. certificação médica que indique o período de impedimento Trabalhadora informa o empregador e apresenta, logo que possível, CIT com indicação do período de licença. Subsídio Parental Inicial: 120 dias ou 150 dias consecutivos, por opção dos progenitores. No caso de nascimentos múltiplos, 30 dias por cada gémeo além do 1º - Licença com duração de 120 dias 100% da remuneração de - Licença com duração de 150 dias 80% da remuneração de referência,* - Acréscimo de 30 dias por cada gémeo além do 1º - 100% da Subsídio Parental Inicial: 150 ( ) ou 180 ( ) dias - Licença com duração de 150 dias 100% da remuneração de - Licença com duração de 180 dias 83% da remuneração de - Acréscimo de 30 dias por cada gémeo além do 1º 100% da - Gozo partilhado da licença: a mãe e o pai informam os respectivos empregadores, até 7 dias após o parto, do início e termo dos períodos a gozar por cada um entregando, para o efeito, declaração conjunta - Gozo não partilhado da licença: o progenitor que gozar a licença informa o empregador, até 7 dias após o parto, da duração da licença e do início e termo do respectivo período, juntando declaração do outro progenitor da qual conste que o mesmo exerce actividade profissional e que não goza a licença parental inicial Nota: Na falta das declarações acima referidas a licença é gozada pela mãe A mãe e o pai informam os respectivos empregadores, até 7 dias após o parto, do início e termo dos períodos a gozar por cada um, entregando, para o efeito, declaração conjunta Page 1 of 5

2 Subsídio Parental Inicial Exclusivo da Mãe: até 30 dias antes do parto e 6 semanas (42 dias) após o parto (integrando o período de concessão correspondente à licença parental inicial) Subsídio Parental Inicial Exclusivo do Pai: 10 dias úteis (obrigatórios) + 10 dias úteis (facultativos); acréscimo de 2 dias por cada gémeo para além do primeiro Igual a 100% da, não podendo ser inferior a 80% de Subsídio Parental Inicial por impossibilidade do outro progenitor - incapacidade física ou psíquica do progenitor que estiver a gozar a licença, enquanto esta se mantiver: até ao limite do período remanescente que corresponda à licença parental inicial não gozada Subsídio Parental Inicial por impossibilidade do outro progenitor - morte do progenitor que estiver a gozar a licença: até ao limite do período remanescente que corresponda à licença parental inicial não gozada Informar o empregador e apresentar CIT que indique data previsível do parto, com uma antecedência de 10 dias ou, em caso de urgência comprovada pelo médico, logo que possível O Trabalhador e a Segurança Social O Trabalhador e a Empresa: Informar o empregador com uma antecedência possível que, no caso da licença facultativa, não deve ser inferior a 5 dias Informar o empregador com uma antecedência possível que, no caso da licença facultativa, não deve ser inferior a 5 dias apresentação de certidão de óbito Informar o empregador logo que possível; apresentar certidão de óbito e, sendo caso disso, declarar o período de licença já gozado pela mãe Page 2 of 5

3 Subsídio por Adopção: - até 120 dias consecutivos*; - até 150 dias consecutivos*; - até 150 ( ) dias consecutivos*; - até 180 ( ) dias consecutivos*; * ver licença parental inicial - adopções múltiplas, 30 dias por cada adopção além da primeira; - em caso de incapacidade ou falecimento do candidato a adoptante durante a licença - o cônjuge sobrevivo, que não seja candidato a adoptante e com quem o adoptando viva em comunhão de mesa e habitação tem direito ao período remanescente da licença ou a um mínimo de 14 dias - Licença 120 dias 100% da remuneração de - Licença 150 dias 80% da remuneração de - Licença 150 dias ( ) 100% da remuneração de - Licença 180 dias ( ) 83% da remuneração de - Acréscimo 30 dias por cada adopção além da primeira 100% da apresentação de declaração da confiança administrativa ou judicial do menor adoptado - Gozo partilhado da licença: os candidatos a adoptantes informam os respectivos empregadores, com a antecedência de 10 dias, ou em caso de urgência comprovada, logo que possível, fazendo prova da confiança judicial ou administrativa do adoptando e da idade deste, do início e termo dos períodos a gozar por cada um entregando, para o efeito, declaração conjunta - Gozo não partilhado da licença: o candidato a adoptante que gozar a licença informa o respectivo, com a antecedência de 10 dias, ou em caso de urgência comprovada, logo que possível, da duração da licença e do início do respectivo período Subsídio para assistência a filho: - filho menor de 12 anos ou, independentemente da idade, com deficiência ou doença crónica: até 30 dias por ano ou durante todo o período de hospitalização. Acresce 1 dia por cada filho além do 1º - filho mais de 12 anos ou, no caso de ser maior, que faça parte do seu agregado familiar: até 15 dias. Acresce 1 dia por cada filho além do 1º 65% da, com o limite mínimo de 80% de - certificação médica ou declaração hospitalar; - certificação médica de deficiência, na situação de filho com deficiência com 12 ou mais anos de idade, é dispensada no caso de estar a ser atribuída uma prestação por deficiência; - certificação médica de doença crónica, na situação de filho com doença crónica com 12 ou mais anos de idade, apenas é exigível aquando da apresentação do primeiro requerimento Apresentar: a) prova do carácter inadiável e imprescindível da assistência; b) declaração de que os membros do agregado familiar, caso exerçam actividade profissional, não faltaram pelo mesmo motivo ou estão impossibilitados de prestar assistência; c) em caso de hospitalização, declaração comprovativa passada por estabelecimento hospitalar Page 3 of 5

4 Subsídio para assistência a neto (em caso de nascimento): Até 30 dias consecutivos, a seguir ao nascimento de neto Igual a 100% da, não podendo ser inferior a 80% de Subsídio para assistência a neto (em caso de doença ou acidente): 65% da, com o limite mínimo de 80% de Subsídio Parental Alargado: - licença parental alargada - 3 meses - trabalho a tempo parcial, com PNT igual a metade do tempo completo - durante 12 meses - períodos intercalados de licença parental e de trabalho a tempo parcial em que a duração total da ausência e da redução do tempo de trabalho seja igual aos períodos normais de trabalho de 3 meses Até 3 meses - 25% da com o limite mínimo de 40% de Declaração do médico do estabelecimento ou serviço de saúde comprovativa do parto ou de documento de identificação civil do descendente Informar o empregador com a antecedência de 5 dias e declarar: a) que o neto vive consigo em comunhão de mesa e habitação; b) que o neto é filho de adolescente de idade inferior a 16 anos; c) que o cônjuge do trabalhador exerce actividade profissional ou se encontra física ou psiquicamente impossibilitado de cuidar do neto ou não vive em comunhão de mesa e habitação. No caso de existirem dois titulares deste direito, o titular que faltar ao trabalho deve apresentar ao empregador: a) um documento de que conste a decisão conjunta; b) a prova de que o outro titular informou o respectivo empregador da decisão conjunta Apresentação de certificação médica com indicação dos períodos de impedimento para o trabalho necessários para garantir a assistência inadiável e imprescindível ao neto Informar o empregador com a antecedência de 5 dias, quando a falta é previsível, ou logo que possível, quando imprevisível e declarar: a) o carácter inadiável e imprescindível da assistência; b) que os progenitores são trabalhadores e não faltam pelo mesmo motivo ou estão impossibilitados de prestar a assistência, bem como que nenhum outro familiar do mesmo grau falta pelo mesmo motivo Informar sobre a modalidade pretendida e o início e termo de cada período, dirigida por escrito ao empregador, com a antecedência de 30 dias relativamente ao seu início Page 4 of 5

5 Subsídio por risco específico: Pelo período necessário para prevenir o risco 65% da, com o limite mínimo de 80% de Declaração do empregador da impossibilidade de atribuição de outras tarefas à beneficiária grávida, puérpera ou lactante que desempenhe trabalho nocturno ou esteja exposta a agentes ou processos ou condições de trabalho que constituam risco Page 5 of 5

Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local

Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local REGIME DAS FALTAS E LICENÇAS E SEUS EFEITOS Lei da Parentalidade - Decreto-Lei de 9 de Abril e Código do Trabalho (CT) Trabalhadora grávida Pelo tempo e número de vezes necessárias Prova ou declaração

Leia mais

Divisão de Recursos Humanos e Administração Página 0

Divisão de Recursos Humanos e Administração Página 0 Página 0 Regime de Faltas e Licenças e seus Efeitos Lei n.º 35/2014, de 20 de junho (LTFP) Todas as ausências ao serviço têm que ser obrigatoriamente comunicadas ao superior hierárquico, com antecedência,

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 242/XI/1.ª

PROJECTO DE LEI N.º 242/XI/1.ª Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI N.º 242/XI/1.ª ALTERA O DECRETO-LEI N.º 91/2009, DE 9 DE ABRIL, REFORÇANDO O REGIME DE PROTECÇÃO NA PARENTALIDADE DO SISTEMA PREVIDENCIAL E DO SUBSISTEMA DE SOLIDARIEDADE

Leia mais

Protecção na Parentalidade

Protecção na Parentalidade Protecção na Parentalidade UMA VISÃO JURÍDICA NA PREPARAÇÃO PARA O NASCIMENTO João Almeida Costa Jurista jc@joaocosta.pt Quadro Legal Constituição da República Portuguesa (CRP) Artigos 67º e 68º; Lei n.º

Leia mais

FALTAS (com base na LTFP e CT)

FALTAS (com base na LTFP e CT) FALTA (com base na LTFP e CT) Tipo de Falta Comunicação da falta Duração Lim.Máx Doc.Justificativo Desc. Vencimento Desc. ub. Refeição Enquadramento Legal Casamento 15 dias consecutivos Assento de casamento

Leia mais

LICENÇA PARENTAL INICIAL

LICENÇA PARENTAL INICIAL Direitos e Deveres da Parentalidade Lei n.º 59/2008, de 11 de Setembro Regime de Contrato de Trabalho em Funções Públicas (art.º 33º do Código do Trabalho (vs. Da Lei n.º 7/2009, de 12/02) e art. 40º do

Leia mais

PROTECÇÃO SOCIAL NA PARENTALIDADE FOLHA ANEXA AO REQUERIMENTO DOS SUBSÍDIOS PARENTAL, SOCIAL PARENTAL E PARENTAL ALARGADO, MOD.

PROTECÇÃO SOCIAL NA PARENTALIDADE FOLHA ANEXA AO REQUERIMENTO DOS SUBSÍDIOS PARENTAL, SOCIAL PARENTAL E PARENTAL ALARGADO, MOD. PROTECÇÃO SOCIAL NA PARENTALIDADE FOLHA ANEXA AO REQUERIMENTO DOS SUBSÍDIOS PARENTAL, SOCIAL PARENTAL E PARENTAL ALARGADO, MOD. RP 5049-DGSS 1. Quais os subsídios a requerer I INFORMAÇÕES O formulário

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL. Decreto-Lei n.º 91/2009 de 9 de Abril

MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL. Decreto-Lei n.º 91/2009 de 9 de Abril MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL Decreto-Lei n.º 91/2009 de 9 de Abril O XVII Governo Constitucional reconhece, no seu Programa, o contributo imprescindível das famílias para a coesão,

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 244/XI/1.ª

PROJECTO DE LEI N.º 244/XI/1.ª Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI N.º 244/XI/1.ª ALTERA O DECRETO-LEI N.º 89/2009, DE 9 DE ABRIL, REFORÇANDO A PROTECÇÃO NA PARENTALIDADE DOS TRABALHADORES ABRANGIDOS PELO REGIME CONVERGENTE Exposição

Leia mais

Regime Jurídico de Protecção Social na Parentalidade

Regime Jurídico de Protecção Social na Parentalidade CÓDIGOS ELECTRÓNICOS DATAJURIS DATAJURIS é uma marca registada no INPI sob o nº 350529 Regime Jurídico de Protecção Social na Parentalidade Todos os direitos reservados à DATAJURIS, Direito e Informática,

Leia mais

Legislação Consolidada. Diploma

Legislação Consolidada. Diploma Diploma Regulamenta a protecção na parentalidade, no âmbito da eventualidade maternidade, paternidade e adopção, dos trabalhadores que exercem funções públicas integrados no regime de protecção social

Leia mais

Título: Regime jurídico de protecção social na parentalidade no âmbito do sistema previdencial e no subsistema de solidariedade

Título: Regime jurídico de protecção social na parentalidade no âmbito do sistema previdencial e no subsistema de solidariedade Título: Regime jurídico de protecção social na parentalidade no âmbito do sistema previdencial e no Autor: Eurico Santos, Advogado Correio eletrónico do Autor: euricosantos@sapo.pt N.º de Páginas: 37 páginas

Leia mais

Legislação Consolidada. Diploma

Legislação Consolidada. Diploma Diploma Estabelece o regime jurídico de protecção social na parentalidade no âmbito do sistema previdencial e no subsistema de solidariedade e revoga o Decreto-Lei n.º 154/88, de 29 de Abril, e o Decreto-Lei

Leia mais

Leis do Trabalho. Tudo o que precisa de saber, 3.ª EDIÇÃO. Atualização online II

Leis do Trabalho. Tudo o que precisa de saber, 3.ª EDIÇÃO. Atualização online II Leis do Trabalho Tudo o que precisa de saber, 3.ª EDIÇÃO Atualização online II A entrada em vigor da Lei n. 120/2015, de 1 de setembro, obriga à reformulação das perguntas 34, 46, 110 e 112 e dos Anexos

Leia mais

REQUERIMENTO PRESTAÇÕES POR ENCARGOS FAMILIARES ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL E ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS

REQUERIMENTO PRESTAÇÕES POR ENCARGOS FAMILIARES ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL E ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS REQUERIMENTO PRESTAÇÕES POR ENCARGOS FAMILIARES ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL E ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO O requerimento deve ser preenchido manualmente.

Leia mais

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO PARA ASSISTÊNCIA A NETO

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO PARA ASSISTÊNCIA A NETO Manual de GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO PARA ASSISTÊNCIA A NETO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/12 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Subsídio para Assistência a Neto (3017

Leia mais

Formador: Carlos Varandas Nunes. Seminário Lei do Trabalho em Funções Públicas

Formador: Carlos Varandas Nunes. Seminário Lei do Trabalho em Funções Públicas Formador: Carlos Varandas Nunes Seminário Lei do Trabalho em Funções Públicas Apresentação Carlos Varandas Nunes 46 anos Mestre em Gestão- Administração Pública Organização da Formação Dúvidas que me fizeram

Leia mais

INFORMAÇÃO A PRESTAR AOS TRABALHADORES RELATIVA AOS DIREITOS E DEVERES EM MATÉRIA DE MATERNIDADE E PATERNIDADE

INFORMAÇÃO A PRESTAR AOS TRABALHADORES RELATIVA AOS DIREITOS E DEVERES EM MATÉRIA DE MATERNIDADE E PATERNIDADE INFORMAÇÃO A PRESTAR AOS TRABALHADORES RELATIVA AOS DIREITOS E DEVERES EM MATÉRIA DE MATERNIDADE E PATERNIDADE Denominação da entidade empregadora: informa que, de acordo com a legislação em vigor, designadamente

Leia mais

Direitos de Parentalidade. Conciliação do trabalho com a vida familiar e pessoal

Direitos de Parentalidade. Conciliação do trabalho com a vida familiar e pessoal Direitos de Parentalidade Conciliação do trabalho com a vida familiar e pessoal A maternidade e a paternidade constituem valores sociais eminentes. Os trabalhadores têm direito à protecção da sociedade

Leia mais

Manual da Proteção na Parentalidade. Índice...1 SUBSÍDIO PARENTAL...3. 1. Subsídio Parental Inicial...3

Manual da Proteção na Parentalidade. Índice...1 SUBSÍDIO PARENTAL...3. 1. Subsídio Parental Inicial...3 Índice Índice...1 SUBSÍDIO PARENTAL...3 1. Subsídio Parental Inicial...3 2. Subsídio Parental Inicial Exclusivo da Mãe...4 3. Subsídio Parental Inicial Exclusivo do Pai...4 4. Subsídio Parental Inicial

Leia mais

TRABALHADOR - ESTUDANTE O QUE DIZ A LEI

TRABALHADOR - ESTUDANTE O QUE DIZ A LEI Ficha n.º 4 TRABALHADOR - ESTUDANTE O QUE DIZ A LEI OBSERVAÇÕES Trabalhador-Estudante Trabalhador que frequenta qualquer nível de educação escolar, bem como curso de pós-graduação, mestrado ou doutoramento

Leia mais

LEI GERAL DO TRABALHO EM FUNÇÕES PÚBLICAS CÓDIGO DE TRABALHO

LEI GERAL DO TRABALHO EM FUNÇÕES PÚBLICAS CÓDIGO DE TRABALHO DE TRABALHO I. Enquadramento Geral A Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas entrou em vigor no dia 1 de agosto de 2014. A Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas (adiante designada por LTFP) aprovada

Leia mais

INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO. Requerimento PRESTAÇÕES FAMILIARES Abono de Família Pré-Natal e Abono de Família para Crianças e Jovens

INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO. Requerimento PRESTAÇÕES FAMILIARES Abono de Família Pré-Natal e Abono de Família para Crianças e Jovens INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO Requerimento PRESTAÇÕES FAMILIARES Abono de Família Pré-Natal e Abono de Família para Crianças e Jovens Nota: Os requerentes de abono de família para crianças

Leia mais

Decreto-Lei n.º 154/88, de 29 de Abril

Decreto-Lei n.º 154/88, de 29 de Abril Decreto-Lei n.º 154/88, de 29 de Abril Define e regulamenta a protecção (prestações) na maternidade e paternidade, na adopção e na assistência a descendentes menores dos beneficiários do regime geral de

Leia mais

REGULAMENTO DE HORÁRIO DE TRABALHO DO IPS

REGULAMENTO DE HORÁRIO DE TRABALHO DO IPS REGULAMENTO DE HORÁRIO DE TRABALHO DO IPS DESPACHO Nº 5503/2015 Divisão de Recursos Humanos Modalidades de Horário - pág. 3 o Horário Flexível pág. 4 o Horário Rígido pág. 7 o Horário Desfasado pág. 8

Leia mais

PARECER N.º 255/CITE/2016

PARECER N.º 255/CITE/2016 PARECER N.º 255/CITE/2016 Assunto: Parecer prévio à intenção de recusa de autorização de trabalho em regime de horário flexível a trabalhadora com responsabilidades familiares, nos termos do n.º 5 do artigo

Leia mais

NOTA SOBRE A RELEVÂNCIA DAS FALTAS NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO

NOTA SOBRE A RELEVÂNCIA DAS FALTAS NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO NOTA SOBRE A RELEVÂNCIA DAS FALTAS NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO Em virtude de algumas dúvidas suscitadas pelos associados do SPLIU presta-se o seguinte esclarecimento: 1. O ECD prevê, para efeitos

Leia mais

CANDIDATURA A BOLSA DE ESTUDO

CANDIDATURA A BOLSA DE ESTUDO Ex. mo Sr. Presidente da Câmara Municipal de Proença-a-Nova I - IDENTIFICAÇÃO E RESIDÊNCIA BI/Cartão do Cidadão NIF E-mail Data de Nascimento NIB Estado Civil Naturalidade Sexo Filiação do Cônjuge (Se

Leia mais

Direção Regional de Estatística da Madeira

Direção Regional de Estatística da Madeira 28 de novembro de 2014 PROTEÇÃO SOCIAL 2004-2013 Nota introdutória A Direção Regional de Estatística da Madeira (DREM) divulga, pela primeira vez, no seu novo portal, uma série retrospetiva com os principais

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQUENTES FAQ s Regime Geral de Segurança Social dos Trabalhadores Independentes

PERGUNTAS MAIS FREQUENTES FAQ s Regime Geral de Segurança Social dos Trabalhadores Independentes PERGUNTAS MAIS FREQUENTES FAQ s Regime Geral de Segurança Social dos Trabalhadores Independentes 1 Que categorias profissionais se encontram abrangidas pelo regime dos trabalhadores independentes? Estão

Leia mais

PARECER N.º 83/CITE/2009. Assunto: Queixa apresentada nesta Comissão pela trabalhadora Dispensas para amamentação Processo n.

PARECER N.º 83/CITE/2009. Assunto: Queixa apresentada nesta Comissão pela trabalhadora Dispensas para amamentação Processo n. PARECER N.º 83/CITE/2009 Assunto: Queixa apresentada nesta Comissão pela trabalhadora Dispensas para amamentação Processo n.º 57 QX/2009 I OBJECTO 1.1. A Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego

Leia mais

SPZS. 2 períodos distintos de 1 hora cada (mais 30 minutos por cada gémeo além do primeiro), por dia de trabalho, enquanto a mãe amamentar.

SPZS. 2 períodos distintos de 1 hora cada (mais 30 minutos por cada gémeo além do primeiro), por dia de trabalho, enquanto a mãe amamentar. Dispensas Dispensas para: Amamentação, Aleitação, Trabalho Nocturno, Prestação de Trabalho Suplementar, Prestação de Trabalho em Regime de Adaptabilidade, Consultas pré-natais,... Dispensa diária para

Leia mais

Subsídio de Doença Direção-Geral da Segurança Social março 2015

Subsídio de Doença Direção-Geral da Segurança Social março 2015 Direção-Geral da Segurança Social março 2015 O é uma prestação em dinheiro atribuída ao beneficiário para compensar a perda de remuneração, resultante do impedimento temporário para o trabalho, por motivo

Leia mais

PROTECÇÃO DA PARENTALIDADE

PROTECÇÃO DA PARENTALIDADE SINDICATO DOS QUADROS TÉCNICOS DO ESTADO Rua Braamcamp, 88-2º Dto. - 1269-111 LISBOA Tel. 21 386 00 55 / Fax 21 386 07 85 www.ste.pt / ste@ste.pt PROTECÇÃO DA PARENTALIDADE 1.O STE considera que a melhor

Leia mais

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO APOIO AO ARRENDAMENTO HABITACIONAL. DOCUMENTAÇÃO OBRIGATÓRIA para instrução da candidatura

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO APOIO AO ARRENDAMENTO HABITACIONAL. DOCUMENTAÇÃO OBRIGATÓRIA para instrução da candidatura FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO APOIO AO ARRENDAMENTO HABITACIONAL DOCUMENTAÇÃO OBRIGATÓRIA para instrução da candidatura (APRESENTAR ORIGINAIS E ENTREGAR FOTOCÓPIAS DE TODOS OS DOCUMENTOS) B.I./ C.C./Cédula

Leia mais

Licença parental - protecção social na parentalidade -

Licença parental - protecção social na parentalidade - (a preencher pelo SARH) Diploma de regulamentação aplicável: - DL nº 89/2009, de 9 de Abril (RPSC) - DL nº 91/2009, de 9 de Abril (RGSS) Recebido em / / Licença parental - protecção social na parentalidade

Leia mais

Nota prévia A presente Orientação Normativa revoga na sua totalidade e substitui a Orientação Normativa 1/2000 de 29/12/2000.

Nota prévia A presente Orientação Normativa revoga na sua totalidade e substitui a Orientação Normativa 1/2000 de 29/12/2000. ORIENTAÇÃO NORMATIVA nº 01/2004 de 20/02/2004 Assunto: Férias Distribuição: Todas as Unidades de Estrutura Revogações: Orientação Normativa 1/2000 Enquadramento Convencional e Legal: Capítulo X do AE/REFER,

Leia mais

ALTERAÇÕES AO REGIME JURÍDICO DA PROTECÇÃO SOCIAL NO DESEMPREGO Decreto-Lei 64/2012, de 15 de Março

ALTERAÇÕES AO REGIME JURÍDICO DA PROTECÇÃO SOCIAL NO DESEMPREGO Decreto-Lei 64/2012, de 15 de Março ALTERAÇÕES AO REGIME JURÍDICO DA PROTECÇÃO SOCIAL NO DESEMPREGO Decreto-Lei 64/2012, de 15 de Março O Decreto-Lei 64/2012, de 15 de Março, aprova o regime de apoio aos desempregados com filhos a cargo,

Leia mais

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO PARA ASSISTÊNCIA A NETO

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO PARA ASSISTÊNCIA A NETO Manual de GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO PARA ASSISTÊNCIA A NETO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/15 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Subsídio para Assistência a Neto (3017

Leia mais

A maternidade e a paternidade constituem valores sociais eminentes

A maternidade e a paternidade constituem valores sociais eminentes PARENTALIDADE A maternidade e a paternidade constituem valores sociais eminentes Os trabalhadores têm direito à protecção da sociedade e do Estado na realização da sua insubstituível acção em relação ao

Leia mais

TÍTULO DA APRESENTAÇÃO O ABSENTISMO LABORAL. AEP Associação Empresarial de Portugal

TÍTULO DA APRESENTAÇÃO O ABSENTISMO LABORAL. AEP Associação Empresarial de Portugal O ABSENTISMO LABORAL Matosinhos, 21 de Julho 2009 Princípios Gerais em Matéria de Segurança e Saúde no Trabalho: Art.º 281.º n.ºs 1 e 2 do CT O trabalhador tem direito a prestar trabalho em condições de

Leia mais

PARECER JURÍDICO N.º 4 / CCDR-LVT / Validade Válido JURISTA MARTA ALMEIDA TEIXEIRA GESTÃO RECURSOS HUMANOS. A autarquia refere o seguinte:

PARECER JURÍDICO N.º 4 / CCDR-LVT / Validade Válido JURISTA MARTA ALMEIDA TEIXEIRA GESTÃO RECURSOS HUMANOS. A autarquia refere o seguinte: Validade Válido JURISTA MARTA ALMEIDA TEIXEIRA ASSUNTO GESTÃO RECURSOS HUMANOS A autarquia refere o seguinte: QUESTÃO Dispõe o artigo 28.º n.º 2 da Lei 66-B/2012, de 31 de Dezembro (Orçamento de Estado

Leia mais

A proteção na parentalidade é um direito constitucionalmente reconhecido (artigo 68º da Constituição da República Portuguesa).

A proteção na parentalidade é um direito constitucionalmente reconhecido (artigo 68º da Constituição da República Portuguesa). Ana Alves A proteção na parentalidade é um direito constitucionalmente reconhecido (artigo 68º da Constituição da República Portuguesa). A maternidade e a paternidade constituem valores sociais eminentes.

Leia mais

Deste parecer resultam entendimentos passíveis de: FAQ s? Anotação de diploma? Publicação na Web? X Elaboração de Circular?

Deste parecer resultam entendimentos passíveis de: FAQ s? Anotação de diploma? Publicação na Web? X Elaboração de Circular? Parecer: Despacho: Deste parecer resultam entendimentos passíveis de: FAQ s? Anotação de diploma? Publicação na Web? X Elaboração de Circular? Informação nº 170 Proc. 7.2.19 Data 21/05/2009 Assunto: Gozo

Leia mais

Regulamentação. Guia informativo para Contratados

Regulamentação. Guia informativo para Contratados Regulamentação Guia informativo para Contratados Férias Os trabalhadores têm direito a um período de férias remuneradas em cada ano civil, nos termos previstos no Código do Trabalho (Lei n.º 7/2009, de

Leia mais

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO PARENTAL

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO PARENTAL GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO PARENTAL INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Pág. 1/21 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Subsídio Parental (3010 v1.23) PROPRIEDADE Instituto da Segurança Social, I.P. AUTOR

Leia mais

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO PARA ASSISTÊNCIA A FILHO

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO PARA ASSISTÊNCIA A FILHO Manual de GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO PARA ASSISTÊNCIA A FILHO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/13 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático -Subsídio para Assistência a Filho

Leia mais

TÍTULO DA APRESENTAÇÃO3 de Novembro António das Neves Ferreira Iracema Correia

TÍTULO DA APRESENTAÇÃO3 de Novembro António das Neves Ferreira Iracema Correia 3 de Novembro 2009 António das Neves Ferreira Iracema Correia Organização ANECRA/AEP/ACT TÍTULO DA APRESENTAÇÃO ascendência sexo estado civil situação económica origem ou condição social capacidade de

Leia mais

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO MENSAL VITALÍCIO

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO MENSAL VITALÍCIO Manual de GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO MENSAL VITALÍCIO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/10 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Subsídio Mensal Vitalício (4004 v4.18) PROPRIEDADE

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL EXERCITO PORTUGUÊS DIRECÇÃO DOS SERVIÇOS DE PESSOAL REPARTIÇÃO DE APOIO SOCIAL

MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL EXERCITO PORTUGUÊS DIRECÇÃO DOS SERVIÇOS DE PESSOAL REPARTIÇÃO DE APOIO SOCIAL MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL EXERCITO PORTUGUÊS DIRECÇÃO DOS SERVIÇOS DE PESSOAL REPARTIÇÃO DE APOIO SOCIAL BENEFICIÁRIOS Militar QP (Activo, Reserva, Reforma) ou RV/RC ou Aluno/Cadete de estabelecimento

Leia mais

A presente Orientação Normativa produz os seus efeitos a partir de 01 de Maio de 2009.

A presente Orientação Normativa produz os seus efeitos a partir de 01 de Maio de 2009. ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 1/200 /2009 Data: 30 de Abril de 2009 RECURSOS HUMANOS ASSUNTO: PARENTALIDADE ENQUADRAMENTO CONVENCIONAL E LEGAL: AE/ REFER Código do Trabalho Decreto-Lei nº91/2009, de 9 de Abril,

Leia mais

REGULAMENTO DE INCENTIVO À NATALIDADE

REGULAMENTO DE INCENTIVO À NATALIDADE REGULAMENTO DE INCENTIVO À NATALIDADE JUNTA DE FREGUESIA DE CANDEMIL Regulamento de Incentivo à Natalidade na Freguesia de Candemil Nota Justificativa Considerando que a diminuição da Natalidade é um problema

Leia mais

GUIA PRÁTICO PRESTAÇÕES COMPENSATÓRIAS DOS SUBSÍDIOS DE FÉRIAS, NATAL OU OUTROS SEMELHANTES

GUIA PRÁTICO PRESTAÇÕES COMPENSATÓRIAS DOS SUBSÍDIOS DE FÉRIAS, NATAL OU OUTROS SEMELHANTES GUIA PRÁTICO PRESTAÇÕES COMPENSATÓRIAS DOS SUBSÍDIOS DE FÉRIAS, NATAL OU OUTROS SEMELHANTES FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Prestações compensatórias dos subsídios de férias, Natal ou outros semelhantes

Leia mais

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO POR RISCO CLÍNICO DURANTE A GRAVIDEZ

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO POR RISCO CLÍNICO DURANTE A GRAVIDEZ Manual de GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO POR RISCO CLÍNICO DURANTE A GRAVIDEZ INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/12 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Subsídio por Risco Clínico

Leia mais

GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Dispensa de Pagamento de Contribuições 1º

Leia mais

MIAOE Medida de Incentivo à Aceitação de Ofertas de Emprego Guia de Apoio ao Candidato

MIAOE Medida de Incentivo à Aceitação de Ofertas de Emprego Guia de Apoio ao Candidato MIAOE Medida de Incentivo à Aceitação de Ofertas de Emprego Guia de Apoio ao Candidato 15.02.10 1. O que é a Medida Incentivo à Aceitação de Ofertas de Emprego? É uma medida de emprego que pretende apoiar

Leia mais

Regulamento de Concessão de Bolsas de Estudo Para o Ensino Superior. Aprovado após deliberação em reunião de Câmara de dia 16 de Dezembro de 2009

Regulamento de Concessão de Bolsas de Estudo Para o Ensino Superior. Aprovado após deliberação em reunião de Câmara de dia 16 de Dezembro de 2009 Regulamento de Concessão de Bolsas de Estudo Para o Ensino Superior Aprovado após deliberação em reunião de Câmara de dia 16 de Dezembro de 2009 Beja, 2009 Artigo 1º Objecto O presente regulamento estabelece

Leia mais

1802 Diário da República, 1.ª série N.º de Março de 2009

1802 Diário da República, 1.ª série N.º de Março de 2009 1802 Diário da República, 1.ª série N.º 56 20 de Março de 2009 actualiza o regime jurídico de protecção social na eventualidade desemprego. Artigo 2.º Prorrogação 1 É prorrogada, por um período de seis

Leia mais

GUIA PRÁTICO BONIFICAÇÃO POR DEFICIÊNCIA

GUIA PRÁTICO BONIFICAÇÃO POR DEFICIÊNCIA Manual de GUIA PRÁTICO BONIFICAÇÃO POR DEFICIÊNCIA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/12 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Bonificação por Deficiência (4002 v4.11)

Leia mais

MANUAL DE APOIO NO DESEMPREGO PROTEÇÃO SOCIAL

MANUAL DE APOIO NO DESEMPREGO PROTEÇÃO SOCIAL A informação contida neste manual de apoio não é exaustiva e, como tal, não dispensa a consulta da legislação aplicável: Decreto-Lei n.º 64/2012, de 15 de março. Altera o Decreto-Lei 220/2006, de 03 de

Leia mais

SISTEMAS DE REMUNERAÇÃO E A PRESTAÇÃO DE TRABALHO

SISTEMAS DE REMUNERAÇÃO E A PRESTAÇÃO DE TRABALHO SISTEMAS DE REMUNERAÇÃO E A PRESTAÇÃO DE TRABALHO António Caxito Marques 1 SEMINÁRIO SOBRE A NOVA LEI GERAL DO TRABALHO JULHO 2015 INDÍCE 1. REMUNERAÇÃO 2. TRABALHO EXTRAORDINÁRIO 3. SALÁRIO MÍNIMO NACIONAL

Leia mais

O período anual de férias tem a duração de 22 dias úteis, considerando-se úteis os dias de 2f.ª a 6f.ª, com excepção dos feriados.

O período anual de férias tem a duração de 22 dias úteis, considerando-se úteis os dias de 2f.ª a 6f.ª, com excepção dos feriados. TRABALHADORES EM CONTRATO INDIVIDUAL DE TRABALHO Lei 7/2009, de 12 de Fevereiro 1. Férias 1.1. Qual a duração do período de férias? O período anual de férias tem a duração de 22 dias úteis, considerando-se

Leia mais

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO POR FREQUÊNCIA DE ESTABELECIMENTO DE ENSINO ESPECIAL

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO POR FREQUÊNCIA DE ESTABELECIMENTO DE ENSINO ESPECIAL Manual de GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO POR FREQUÊNCIA DE ESTABELECIMENTO DE ENSINO ESPECIAL INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/12 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Subsídio

Leia mais

Subsídio Social por Risco Clínico durante a Gravidez Atualizado em:

Subsídio Social por Risco Clínico durante a Gravidez Atualizado em: Subsídio Social por Risco Clínico durante a Gravidez Atualizado em: 02-09-2013 SEGURANÇA SOCIAL Esta informação destina-se a que cidadãos Cidadãs abrangidas por regime de proteção social obrigatório ou

Leia mais

PARECER N.º 116/CITE/2013

PARECER N.º 116/CITE/2013 PARECER N.º 116/CITE/2013 Assunto: Parecer prévio à intenção de recusa do pedido de autorização de trabalho em regime de horário flexível de trabalhador com responsabilidades familiares, nos termos do

Leia mais

PARECER N.º 6/CITE/2005

PARECER N.º 6/CITE/2005 PARECER N.º 6/CITE/2005 Assunto: Parecer prévio à prestação de trabalho a tempo parcial, nos termos dos n. os 2 e 6 do artigo 80.º da Lei n.º 35/2004, de 29 de Julho Processo n.º 3 TP/2005 I OBJECTO 1.1.

Leia mais

PARECER N.º 37/CITE/2016

PARECER N.º 37/CITE/2016 PARECER N.º 37/CITE/2016 Assunto: Parecer prévio à intenção de recusa de autorização de trabalho em regime de horário flexível a trabalhadora com responsabilidades familiares, nos termos do n.º 5 do artigo

Leia mais

DESPACHO N. GR.03/05/2011

DESPACHO N. GR.03/05/2011 DESPACHO N. GR.03/05/2011 Regulamento Estatuto de Trabalhador-Estudante da Universidade do Porto No uso da competência que me é consagrada na alínea o) do n 1 do artigo 400 dos Estatutos da Universidade

Leia mais

GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Dispensa de Pagamento de Contribuições 1º

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE LOCAL PARTE A PARTE B

IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE LOCAL PARTE A PARTE B INSTRUMENTO DE NOTAÇÃO DO SISTEMA ESTATÍSTICO NACIONAL (LEI 22/2008, DE 13 DE MAIO), DE RESPOSTA OBRIGATÓRIA, REGISTADO NO INE SOB O Nº 10036 VÁLIDO ATÉ 31-12-2016 ANTES DE RESPONDER LEIA ATENTAMENTE AS

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO ASSOCIAÇAO PARANAENSE DE FOOD TRUCKS - APFT

REGULAMENTO INTERNO ASSOCIAÇAO PARANAENSE DE FOOD TRUCKS - APFT REGULAMENTO INTERNO ASSOCIAÇAO PARANAENSE DE FOOD TRUCKS - APFT Regulamento Interno da ASSOCIAÇAO PARANAENSE DE FOOD TRUCKS - APFT Toda empresa deve elaborar um manual com estas diretrizes e repassá -los

Leia mais

UNIÃO DAS FREGUESIA DE RECARDÃES E ESPINHEL

UNIÃO DAS FREGUESIA DE RECARDÃES E ESPINHEL UNIÃO DAS FREGUESIA DE RECARDÃES E ESPINHEL REGULAMENTO DE INCENTIVO À NATALIDADE Página 1 de 7 Nota Justificativa Considerando que a diminuição da Natalidade é um problema premente e preocupante nas regiões

Leia mais

Direitos de Parentalidade

Direitos de Parentalidade Direitos de Parentalidade 1 - INFORMAÇÃO POR PARTE DA ENTIDADE EMPREGADORA (Artigos 24.º n.º 4 e 127º nº 4 do Código do Trabalho) O empregador deve afixar nas instalações da empresa, em local apropriado,

Leia mais

PARENTALIDADE: ASPECTOS LEGAIS

PARENTALIDADE: ASPECTOS LEGAIS PARENTALIDADE: ASPECTOS LEGAIS I Encontro sobre Aleitamento Materno da ULS da Guarda, 7 e 8 Outubro 2011 Paula Rabaça Semana Mundial do Aleitamento Materno 2011: Comunicação! Aleitamento Materno Experiência

Leia mais

Mobilidade Europeia. Os seus direitos de segurança social em Portugal. Comissão Europeia

Mobilidade Europeia. Os seus direitos de segurança social em Portugal. Comissão Europeia Mobilidade Europeia Os seus direitos de segurança social em Portugal Comissão Europeia Mobilidade Europeia (na União Europeia, no Espaço Económico Europeu e na Suíça) Os seus direitos de segurança social

Leia mais

MUNICIPIO DE LAGOA Algarve

MUNICIPIO DE LAGOA Algarve Processo de Candidatura a Bolsas de Estudo para alunos do concelho de Lagoa que frequentam cursos do ensino superior Página 1/7 * DOCUMENTAÇÃO A APRESENTAR * 1. Requerimento ao Presidente da Câmara Municipal

Leia mais

GUIA PRÁTICO DOENÇA PROFISSIONAL - CERTIFICAÇÃO

GUIA PRÁTICO DOENÇA PROFISSIONAL - CERTIFICAÇÃO GUIA PRÁTICO DOENÇA PROFISSIONAL - CERTIFICAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Pág. 1/12 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Doença Profissional - Certificação (N28 v4.06) PROPRIEDADE Instituto

Leia mais

MUNICÍPIO DE BARRANCOS

MUNICÍPIO DE BARRANCOS MUNICÍPIO DE BARRANCOS Regulamento do Programa Casa Jovem Programa Municipal de Apoio ao Arrendamento Jovem e de Incentivo ao Mercado de Arrendamento Local Preâmbulo No âmbito do Programa de Intervenção

Leia mais

PARECER N.º 123/CITE/2012

PARECER N.º 123/CITE/2012 PARECER N.º 123/CITE/2012 Assunto: Parecer prévio à intenção de recusa do pedido de autorização de trabalho em regime de horário flexível de trabalhadora com responsabilidades familiares, nos termos do

Leia mais

PARECER N.º 383/CITE/2015

PARECER N.º 383/CITE/2015 PARECER N.º 383/CITE/2015 Assunto: Parecer prévio à intenção de recusa do pedido de autorização de trabalho em regime de horário flexível de trabalhadora com responsabilidades familiares, nos termos do

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 512/X APOIOS À PERMANÊNCIA E INTEGRAÇÃO NA FAMÍLIA DE IDOSOS E PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA. Exposição de motivos

PROJECTO DE LEI N.º 512/X APOIOS À PERMANÊNCIA E INTEGRAÇÃO NA FAMÍLIA DE IDOSOS E PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA. Exposição de motivos PROJECTO DE LEI N.º 512/X APOIOS À PERMANÊNCIA E INTEGRAÇÃO NA FAMÍLIA DE IDOSOS E PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA Exposição de motivos A sociedade moderna tem por obrigação fornecer os instrumentos

Leia mais

Regulamento Municipal de Bolsas de Estudo

Regulamento Municipal de Bolsas de Estudo Regulamento Municipal de Bolsas de Estudo Preâmbulo A educação e formação dos jovens famalicenses são factores essenciais para o desenvolvimento económico e social do concelho e da região onde nos inserimos.

Leia mais

REGULAMENTO ASSISTÊNCIA MÉDICA DO SINDICATO DOS FUNCIONÁRIOS JUDICIAIS

REGULAMENTO ASSISTÊNCIA MÉDICA DO SINDICATO DOS FUNCIONÁRIOS JUDICIAIS REGULAMENTO DA ASSISTÊNCIA MÉDICA DO SINDICATO DOS FUNCIONÁRIOS JUDICIAIS I ASSISTÊNCIA MÉDICA DO SFJ Missão: Facultar aos seus beneficiários o acesso, em condições vantajosas, a um conjunto de serviços

Leia mais

SINDICATO DOS OFICIAIS DE JUSTIÇA

SINDICATO DOS OFICIAIS DE JUSTIÇA SINDICATO DOS OFICIAIS DE JUSTIÇA Regime do Contrato de Trabalho em Funções Públicas Texto final do Regime do Contrato de Trabalho em Funções Públicas referente à reunião extraordinária da Comissão do

Leia mais

Lei n.º 59/2008 de 11 de Setembro. Aprova o Regime do Contrato de Trabalho em Funções Públicas

Lei n.º 59/2008 de 11 de Setembro. Aprova o Regime do Contrato de Trabalho em Funções Públicas Lei n.º 59/2008 de 11 de Setembro Aprova o Regime do Contrato de Trabalho em Funções Públicas A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Artigo

Leia mais

PARTICIPAÇÃO DE SINISTRO INVALIDEZ OU INCAPACIDADES

PARTICIPAÇÃO DE SINISTRO INVALIDEZ OU INCAPACIDADES PARTICIPAÇÃO DE SINISTRO INVALIDEZ OU INCAPACIDADES O preenchimento completo desta participação é fundamental para a rápida resolução deste processo. É estritamente necessário identificar o nº de contribuinte

Leia mais

GUIA PRÁTICO ACOLHIMENTO FAMILIAR

GUIA PRÁTICO ACOLHIMENTO FAMILIAR Manual de GUIA PRÁTICO ACOLHIMENTO FAMILIAR INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/9 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Acolhimento Familiar (33 V4.02) PROPRIEDADE Instituto

Leia mais

NOTA INFORMATIVA Licenças sem vencimento / Licenças sem remuneração

NOTA INFORMATIVA Licenças sem vencimento / Licenças sem remuneração NOTA INFORMATIVA Licenças sem vencimento / Licenças sem remuneração Com vista à uniformização de entendimentos procede-se aos seguintes esclarecimentos sobre a concessão de licenças sem vencimento/remuneração,

Leia mais

PARTICIPAÇÃO DE SINISTRO INVALIDEZ OU INCAPACIDADES

PARTICIPAÇÃO DE SINISTRO INVALIDEZ OU INCAPACIDADES Eurovida Companhia de Seguros de Vida, S.A. Sede Social: - Portugal - CRCL / Pes. Col. 504 917 692 Capital Social 7.500.000 Euro Popular Seguros Companhia de Seguros S.A. Sede Social: - Portugal - CRCL

Leia mais

DECRETO N.º 112 /X EXCLUSÃO DA ILICITUDE NOS CASOS DE INTERRUPÇÃO VOLUNTÁRIA DA GRAVIDEZ. Artigo 1.º (Alteração do Código Penal) Artigo 142.

DECRETO N.º 112 /X EXCLUSÃO DA ILICITUDE NOS CASOS DE INTERRUPÇÃO VOLUNTÁRIA DA GRAVIDEZ. Artigo 1.º (Alteração do Código Penal) Artigo 142. DECRETO N.º 112 /X EXCLUSÃO DA ILICITUDE NOS CASOS DE INTERRUPÇÃO VOLUNTÁRIA DA GRAVIDEZ A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Artigo 1.º

Leia mais