PARENTALIDADE PRESTAÇÕES ASSEGURADAS PELA SEGURANÇA SOCIAL PROCEDIMENTOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PARENTALIDADE PRESTAÇÕES ASSEGURADAS PELA SEGURANÇA SOCIAL PROCEDIMENTOS"

Transcrição

1 Subsídio por Risco Clínico durante a Gravidez: Pelo período de tempo que, por prescrição médica, for considerado necessário para prevenir o risco 100% da, não podendo ser inferior a 80% de Subsídio por Interrupção da Gravidez Entre 14 a 30 dias 100% da, não podendo ser inferior a 80% de certificação médica que indique o período de impedimento A trabalhadora informa o empregador e apresenta Certificado de Incapacidade Temporária para o Trabalho (CIT), que indique a duração previsível da licença, com uma antecedência de 10 dias ou, em caso de urgência comprovada pelo médico, logo que possível. certificação médica que indique o período de impedimento Trabalhadora informa o empregador e apresenta, logo que possível, CIT com indicação do período de licença. Subsídio Parental Inicial: 120 dias ou 150 dias consecutivos, por opção dos progenitores. No caso de nascimentos múltiplos, 30 dias por cada gémeo além do 1º - Licença com duração de 120 dias 100% da remuneração de - Licença com duração de 150 dias 80% da remuneração de referência,* - Acréscimo de 30 dias por cada gémeo além do 1º - 100% da Subsídio Parental Inicial: 150 ( ) ou 180 ( ) dias - Licença com duração de 150 dias 100% da remuneração de - Licença com duração de 180 dias 83% da remuneração de - Acréscimo de 30 dias por cada gémeo além do 1º 100% da - Gozo partilhado da licença: a mãe e o pai informam os respectivos empregadores, até 7 dias após o parto, do início e termo dos períodos a gozar por cada um entregando, para o efeito, declaração conjunta - Gozo não partilhado da licença: o progenitor que gozar a licença informa o empregador, até 7 dias após o parto, da duração da licença e do início e termo do respectivo período, juntando declaração do outro progenitor da qual conste que o mesmo exerce actividade profissional e que não goza a licença parental inicial Nota: Na falta das declarações acima referidas a licença é gozada pela mãe A mãe e o pai informam os respectivos empregadores, até 7 dias após o parto, do início e termo dos períodos a gozar por cada um, entregando, para o efeito, declaração conjunta Page 1 of 5

2 Subsídio Parental Inicial Exclusivo da Mãe: até 30 dias antes do parto e 6 semanas (42 dias) após o parto (integrando o período de concessão correspondente à licença parental inicial) Subsídio Parental Inicial Exclusivo do Pai: 10 dias úteis (obrigatórios) + 10 dias úteis (facultativos); acréscimo de 2 dias por cada gémeo para além do primeiro Igual a 100% da, não podendo ser inferior a 80% de Subsídio Parental Inicial por impossibilidade do outro progenitor - incapacidade física ou psíquica do progenitor que estiver a gozar a licença, enquanto esta se mantiver: até ao limite do período remanescente que corresponda à licença parental inicial não gozada Subsídio Parental Inicial por impossibilidade do outro progenitor - morte do progenitor que estiver a gozar a licença: até ao limite do período remanescente que corresponda à licença parental inicial não gozada Informar o empregador e apresentar CIT que indique data previsível do parto, com uma antecedência de 10 dias ou, em caso de urgência comprovada pelo médico, logo que possível O Trabalhador e a Segurança Social O Trabalhador e a Empresa: Informar o empregador com uma antecedência possível que, no caso da licença facultativa, não deve ser inferior a 5 dias Informar o empregador com uma antecedência possível que, no caso da licença facultativa, não deve ser inferior a 5 dias apresentação de certidão de óbito Informar o empregador logo que possível; apresentar certidão de óbito e, sendo caso disso, declarar o período de licença já gozado pela mãe Page 2 of 5

3 Subsídio por Adopção: - até 120 dias consecutivos*; - até 150 dias consecutivos*; - até 150 ( ) dias consecutivos*; - até 180 ( ) dias consecutivos*; * ver licença parental inicial - adopções múltiplas, 30 dias por cada adopção além da primeira; - em caso de incapacidade ou falecimento do candidato a adoptante durante a licença - o cônjuge sobrevivo, que não seja candidato a adoptante e com quem o adoptando viva em comunhão de mesa e habitação tem direito ao período remanescente da licença ou a um mínimo de 14 dias - Licença 120 dias 100% da remuneração de - Licença 150 dias 80% da remuneração de - Licença 150 dias ( ) 100% da remuneração de - Licença 180 dias ( ) 83% da remuneração de - Acréscimo 30 dias por cada adopção além da primeira 100% da apresentação de declaração da confiança administrativa ou judicial do menor adoptado - Gozo partilhado da licença: os candidatos a adoptantes informam os respectivos empregadores, com a antecedência de 10 dias, ou em caso de urgência comprovada, logo que possível, fazendo prova da confiança judicial ou administrativa do adoptando e da idade deste, do início e termo dos períodos a gozar por cada um entregando, para o efeito, declaração conjunta - Gozo não partilhado da licença: o candidato a adoptante que gozar a licença informa o respectivo, com a antecedência de 10 dias, ou em caso de urgência comprovada, logo que possível, da duração da licença e do início do respectivo período Subsídio para assistência a filho: - filho menor de 12 anos ou, independentemente da idade, com deficiência ou doença crónica: até 30 dias por ano ou durante todo o período de hospitalização. Acresce 1 dia por cada filho além do 1º - filho mais de 12 anos ou, no caso de ser maior, que faça parte do seu agregado familiar: até 15 dias. Acresce 1 dia por cada filho além do 1º 65% da, com o limite mínimo de 80% de - certificação médica ou declaração hospitalar; - certificação médica de deficiência, na situação de filho com deficiência com 12 ou mais anos de idade, é dispensada no caso de estar a ser atribuída uma prestação por deficiência; - certificação médica de doença crónica, na situação de filho com doença crónica com 12 ou mais anos de idade, apenas é exigível aquando da apresentação do primeiro requerimento Apresentar: a) prova do carácter inadiável e imprescindível da assistência; b) declaração de que os membros do agregado familiar, caso exerçam actividade profissional, não faltaram pelo mesmo motivo ou estão impossibilitados de prestar assistência; c) em caso de hospitalização, declaração comprovativa passada por estabelecimento hospitalar Page 3 of 5

4 Subsídio para assistência a neto (em caso de nascimento): Até 30 dias consecutivos, a seguir ao nascimento de neto Igual a 100% da, não podendo ser inferior a 80% de Subsídio para assistência a neto (em caso de doença ou acidente): 65% da, com o limite mínimo de 80% de Subsídio Parental Alargado: - licença parental alargada - 3 meses - trabalho a tempo parcial, com PNT igual a metade do tempo completo - durante 12 meses - períodos intercalados de licença parental e de trabalho a tempo parcial em que a duração total da ausência e da redução do tempo de trabalho seja igual aos períodos normais de trabalho de 3 meses Até 3 meses - 25% da com o limite mínimo de 40% de Declaração do médico do estabelecimento ou serviço de saúde comprovativa do parto ou de documento de identificação civil do descendente Informar o empregador com a antecedência de 5 dias e declarar: a) que o neto vive consigo em comunhão de mesa e habitação; b) que o neto é filho de adolescente de idade inferior a 16 anos; c) que o cônjuge do trabalhador exerce actividade profissional ou se encontra física ou psiquicamente impossibilitado de cuidar do neto ou não vive em comunhão de mesa e habitação. No caso de existirem dois titulares deste direito, o titular que faltar ao trabalho deve apresentar ao empregador: a) um documento de que conste a decisão conjunta; b) a prova de que o outro titular informou o respectivo empregador da decisão conjunta Apresentação de certificação médica com indicação dos períodos de impedimento para o trabalho necessários para garantir a assistência inadiável e imprescindível ao neto Informar o empregador com a antecedência de 5 dias, quando a falta é previsível, ou logo que possível, quando imprevisível e declarar: a) o carácter inadiável e imprescindível da assistência; b) que os progenitores são trabalhadores e não faltam pelo mesmo motivo ou estão impossibilitados de prestar a assistência, bem como que nenhum outro familiar do mesmo grau falta pelo mesmo motivo Informar sobre a modalidade pretendida e o início e termo de cada período, dirigida por escrito ao empregador, com a antecedência de 30 dias relativamente ao seu início Page 4 of 5

5 Subsídio por risco específico: Pelo período necessário para prevenir o risco 65% da, com o limite mínimo de 80% de Declaração do empregador da impossibilidade de atribuição de outras tarefas à beneficiária grávida, puérpera ou lactante que desempenhe trabalho nocturno ou esteja exposta a agentes ou processos ou condições de trabalho que constituam risco Page 5 of 5

Direitos e Deveres da Parentalidade Representação Esquemática (Nos termos do artº 33º e seguintes da Lei nº 7/2009, de 12/02) Licença Parental Inicial

Direitos e Deveres da Parentalidade Representação Esquemática (Nos termos do artº 33º e seguintes da Lei nº 7/2009, de 12/02) Licença Parental Inicial e da Parentalidade Representação Esquemática (Nos termos do artº 33º e seguintes da Lei nº 7/2009, de 12/02) Licença Parental Inicial - A mãe ou o pai tem direito a 120 ou 150 dias de licença parental,

Leia mais

Protecção na Parentalidade

Protecção na Parentalidade Protecção na Parentalidade UMA VISÃO JURÍDICA NA PREPARAÇÃO PARA O NASCIMENTO João Almeida Costa Jurista jc@joaocosta.pt Quadro Legal Constituição da República Portuguesa (CRP) Artigos 67º e 68º; Lei n.º

Leia mais

b) Licença por interrupção de gravidez; c) Licença parental, em qualquer das modalidades; d) Licença por adopção;

b) Licença por interrupção de gravidez; c) Licença parental, em qualquer das modalidades; d) Licença por adopção; 935 a homens e mulheres, nomeadamente, baseados em mérito, produtividade, assiduidade ou antiguidade. 4 Sem prejuízo do disposto no número anterior, as licenças, faltas ou dispensas relativas à protecção

Leia mais

BOM PARA OS PAIS, MELHOR PARA OS FILHOS. Licença parental até 6 meses (se partilhada entre pai e mãe) Adopção equiparada a licença parental

BOM PARA OS PAIS, MELHOR PARA OS FILHOS. Licença parental até 6 meses (se partilhada entre pai e mãe) Adopção equiparada a licença parental PARENTALIDADE BOM PARA OS PAIS, MELHOR PARA OS FILHOS Licença parental até 6 meses (se partilhada entre pai e mãe) Adopção equiparada a licença parental Trabalhadores independentes com direitos alargados

Leia mais

FALTAS (com base na LTFP e CT)

FALTAS (com base na LTFP e CT) FALTA (com base na LTFP e CT) Tipo de Falta Comunicação da falta Duração Lim.Máx Doc.Justificativo Desc. Vencimento Desc. ub. Refeição Enquadramento Legal Casamento 15 dias consecutivos Assento de casamento

Leia mais

EMISSOR: Ministério das Finanças e da Administração Pública

EMISSOR: Ministério das Finanças e da Administração Pública DATA: Quinta-feira, 9 de Abril de 2009 EMISSOR: Ministério das Finanças e da Administração Pública DIPLOMA: Decreto-Lei n.º 89/2009 SUMÁRIO: Regulamenta a protecção na parentalidade, no âmbito da eventualidade

Leia mais

Leis do Trabalho. Tudo o que precisa de saber, 3.ª EDIÇÃO. Atualização online II

Leis do Trabalho. Tudo o que precisa de saber, 3.ª EDIÇÃO. Atualização online II Leis do Trabalho Tudo o que precisa de saber, 3.ª EDIÇÃO Atualização online II A entrada em vigor da Lei n. 120/2015, de 1 de setembro, obriga à reformulação das perguntas 34, 46, 110 e 112 e dos Anexos

Leia mais

APOIOS FAMILIARES GERAIS

APOIOS FAMILIARES GERAIS APOIOS FAMILIARES GERAIS A protecção de crianças e jovens portadores de doença oncológica depende da actuallegislação em vigor para crianças e jovens com deficiência (doente) e está regulamentado por várias

Leia mais

REGISTO DE ASSIDUIDADE - CÓDIGO DE FALTAS

REGISTO DE ASSIDUIDADE - CÓDIGO DE FALTAS REGISTO DE ASSIDUIDADE - CÓDIGO DE S ORACLE / 4 FALECIMENTO DE FAMILIAR + 5 INJUSTIFICADAS + 6 GREVE + 9 POR ISOLAMENTO PROFILÁTICO + 10 EXERCÍCIO DA ACTIVIDADE SINDICAL + 11 ASSISTÊNCIA NA TUBERCULOSE

Leia mais

ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS E ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DO REQUERIMENTO

ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS E ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DO REQUERIMENTO ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS E ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DO REQUERIMENTO O requerimento deve ser preenchido manualmente. Para este efeito utilize o

Leia mais

Decreto-Lei n.º 136/85, de 3 de Maio

Decreto-Lei n.º 136/85, de 3 de Maio Decreto-Lei n.º 136/85, de 3 de Maio Regulamenta as condições para o exercício, as obrigações das entidades empregadoras e as formas de intervenção da Segurança Social, para garantia da continuidade da

Leia mais

Subsidio Social Parental Atualizado em:

Subsidio Social Parental Atualizado em: SEGURANÇA SOCIAL Subsidio Social Parental Atualizado em: 04-01-2017 Esta informação destina-se a que cidadãos Cidadãos nacionais e cidadãos estrangeiros, refugiados e apátridas: não abrangidos por qualquer

Leia mais

Faltas por Doença. Gabinete de Planeamento, Políticas e Administração Geral. Faltas por doença

Faltas por Doença. Gabinete de Planeamento, Políticas e Administração Geral. Faltas por doença Gabinete de Planeamento, Políticas e Administração Geral Faltas por doença 2015 1 Índice I. Regime Jurídico das Faltas por Doença... 3 II. Justificação da Doença... 4 1. Trabalhadores do Regime de Proteção

Leia mais

informação nº 95.v2 Data 1 de Setembro de 2010 actualizada a 5 de Julho de 2013 Assunto: Direito a férias Laboral Tema:

informação nº 95.v2 Data 1 de Setembro de 2010 actualizada a 5 de Julho de 2013 Assunto: Direito a férias Laboral Tema: Data 1 de Setembro de 2010 actualizada a 5 de Julho de 2013 Assunto: Direito a férias Tema: Laboral O tema «Férias» suscita sempre muitas dúvidas e questões aos nossos associados. Por isso procuramos reunir

Leia mais

SPZS. 2 períodos distintos de 1 hora cada (mais 30 minutos por cada gémeo além do primeiro), por dia de trabalho, enquanto a mãe amamentar.

SPZS. 2 períodos distintos de 1 hora cada (mais 30 minutos por cada gémeo além do primeiro), por dia de trabalho, enquanto a mãe amamentar. Dispensas Dispensas para: Amamentação, Aleitação, Trabalho Nocturno, Prestação de Trabalho Suplementar, Prestação de Trabalho em Regime de Adaptabilidade, Consultas pré-natais,... Dispensa diária para

Leia mais

REGIME DO SUBSÍDIO POR MORTE DOS FUNCIONÁRIOS E AGENTES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA (DECRETO-LEI N.º 223/95, DE 8 DE SETEMBRO)

REGIME DO SUBSÍDIO POR MORTE DOS FUNCIONÁRIOS E AGENTES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA (DECRETO-LEI N.º 223/95, DE 8 DE SETEMBRO) REGIME DO SUBSÍDIO POR MORTE DOS FUNCIONÁRIOS E AGENTES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA (DECRETO-LEI N.º 223/95, DE 8 DE SETEMBRO) Atualizado pela última vez em 6 de março de 2014 Decreto-Lei n.º 223/95, de 8

Leia mais

1. Enquadramento legal 2. Férias 3. Faltas 4. Licenças 5. Contagem de Tempo de Serviço

1. Enquadramento legal 2. Férias 3. Faltas 4. Licenças 5. Contagem de Tempo de Serviço APLICAÇÃO DO REGIME DE FÉRIAS FALTAS E LICENÇAS E CONTAGEM DE TEMPO DE SERVIÇO (Documento orientador) 1. Enquadramento legal 2. Férias 3. Faltas 4. Licenças 5. Contagem de Tempo de Serviço 1 ENQUADRAMENTO

Leia mais

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO MENSAL VITALÍCIO

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO MENSAL VITALÍCIO Manual de GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO MENSAL VITALÍCIO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/10 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Subsídio Mensal Vitalício (4004 v4.14) PROPRIEDADE

Leia mais

REGULAMENTO DE INCENTIVO À NATALIDADE

REGULAMENTO DE INCENTIVO À NATALIDADE REGULAMENTO DE INCENTIVO À NATALIDADE JUNTA DE FREGUESIA DE CANDEMIL Regulamento de Incentivo à Natalidade na Freguesia de Candemil Nota Justificativa Considerando que a diminuição da Natalidade é um problema

Leia mais

Partido Popular CDS-PP Grupo Parlamentar

Partido Popular CDS-PP Grupo Parlamentar Partido Popular CDS-PP Grupo Parlamentar PROPOSTA DE LEI Nº 247/X PROPOSTA DE ADITAMENTO Ao abrigo das disposições constitucionais e regimentais aplicáveis, os Deputados abaixo assinados, do Grupo Parlamentar

Leia mais

DESPACHO N. GR.03/05/2011

DESPACHO N. GR.03/05/2011 DESPACHO N. GR.03/05/2011 Regulamento Estatuto de Trabalhador-Estudante da Universidade do Porto No uso da competência que me é consagrada na alínea o) do n 1 do artigo 400 dos Estatutos da Universidade

Leia mais

NOTA INFORMATIVA Nº 3 / DGPGF / 2012

NOTA INFORMATIVA Nº 3 / DGPGF / 2012 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA NOTA INFORMATIVA Nº 3 / DGPGF / 2012 ASSUNTO: PROCESSAMENTO DE REMUNERAÇÕES EM 2013 Tendo em atenção a necessidade de obtenção de melhores indicadores de gestão, que permitam

Leia mais

1802 Diário da República, 1.ª série N.º de Março de 2009

1802 Diário da República, 1.ª série N.º de Março de 2009 1802 Diário da República, 1.ª série N.º 56 20 de Março de 2009 actualiza o regime jurídico de protecção social na eventualidade desemprego. Artigo 2.º Prorrogação 1 É prorrogada, por um período de seis

Leia mais

GUIA PRÁTICO PRESTAÇÕES COMPENSATÓRIAS DOS SUBSÍDIOS DE FÉRIAS, NATAL OU OUTROS SEMELHANTES

GUIA PRÁTICO PRESTAÇÕES COMPENSATÓRIAS DOS SUBSÍDIOS DE FÉRIAS, NATAL OU OUTROS SEMELHANTES GUIA PRÁTICO PRESTAÇÕES COMPENSATÓRIAS DOS SUBSÍDIOS DE FÉRIAS, NATAL OU OUTROS SEMELHANTES FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Prestações compensatórias dos subsídios de férias, Natal ou outros semelhantes

Leia mais

Nome. Nome do Pai. Nome da Mãe. Morada N.º Freguesia Código Postal - Telefone . Nome. Nome. Nome

Nome. Nome do Pai. Nome da Mãe. Morada N.º Freguesia Código Postal - Telefone  . Nome. Nome. Nome REQUERIMENTO DE CANDIDATURA JARDIM DE INFÂNCIA CÁLCULO DA COMPARTICIPAÇÃO FAMILIAR PELA UTILIZAÇÃO DE COMPONENTES DE APOIO À FAMÍLIA ESTABELECIMENTO DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Ano letivo / IDENTIFICAÇÃO DO

Leia mais

ANEXO IV - FORMULÁRIO DE REQUERIMENTO DE ISENÇÃO ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA RESIDÊNCIA MÉDICA

ANEXO IV - FORMULÁRIO DE REQUERIMENTO DE ISENÇÃO ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA RESIDÊNCIA MÉDICA ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA RESIDÊNCIA MÉDICA INSTRUÇÕES GERAIS PARA SOLICITAÇÃO DE ISENÇÃO DO PAGAMENTO DO VALOR DA INSCRIÇÃO ATENÇÃO Leia atentamente o Edital de Abertura para solicitação de isenção do pagamento

Leia mais

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO SOCIAL POR RISCO CLÍNICO

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO SOCIAL POR RISCO CLÍNICO Manual de GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO SOCIAL POR RISCO CLÍNICO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/12 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Subsídio Social por Risco Clínico

Leia mais

REGIME DE SEGURANÇA SOCIAL DOS TRABALHADORES INDEPENDENTES DECRETO-LEI N.º 328/93, DE 25 DE SETEMBRO

REGIME DE SEGURANÇA SOCIAL DOS TRABALHADORES INDEPENDENTES DECRETO-LEI N.º 328/93, DE 25 DE SETEMBRO Legislação publicada: Despacho Normativo n.º 19/87, de 19 de Fevereiro: vai ser feita referência a este despacho no art. 6.º do D.L. 328/93; Decreto-Lei n.º 328/93, de 25 de Setembro: instituiu o regime

Leia mais

UNIÃO DAS FREGUESIA DE RECARDÃES E ESPINHEL

UNIÃO DAS FREGUESIA DE RECARDÃES E ESPINHEL UNIÃO DAS FREGUESIA DE RECARDÃES E ESPINHEL REGULAMENTO DE INCENTIVO À NATALIDADE Página 1 de 7 Nota Justificativa Considerando que a diminuição da Natalidade é um problema premente e preocupante nas regiões

Leia mais

PARECER JURÍDICO N.º 4 / CCDR-LVT / Validade Válido JURISTA MARTA ALMEIDA TEIXEIRA GESTÃO RECURSOS HUMANOS. A autarquia refere o seguinte:

PARECER JURÍDICO N.º 4 / CCDR-LVT / Validade Válido JURISTA MARTA ALMEIDA TEIXEIRA GESTÃO RECURSOS HUMANOS. A autarquia refere o seguinte: Validade Válido JURISTA MARTA ALMEIDA TEIXEIRA ASSUNTO GESTÃO RECURSOS HUMANOS A autarquia refere o seguinte: QUESTÃO Dispõe o artigo 28.º n.º 2 da Lei 66-B/2012, de 31 de Dezembro (Orçamento de Estado

Leia mais

MIAOE Medida de Incentivo à Aceitação de Ofertas de Emprego Guia de Apoio ao Candidato

MIAOE Medida de Incentivo à Aceitação de Ofertas de Emprego Guia de Apoio ao Candidato MIAOE Medida de Incentivo à Aceitação de Ofertas de Emprego Guia de Apoio ao Candidato 15.02.10 1. O que é a Medida Incentivo à Aceitação de Ofertas de Emprego? É uma medida de emprego que pretende apoiar

Leia mais

GUIA PRÁTICO COMPENSAÇÃO POR MORTE EMERGENTE DE DOENÇA PROFISSIONAL DOS TRABALHADORES DA EMPRESA NACIONAL DE URÂNIO

GUIA PRÁTICO COMPENSAÇÃO POR MORTE EMERGENTE DE DOENÇA PROFISSIONAL DOS TRABALHADORES DA EMPRESA NACIONAL DE URÂNIO GUIA PRÁTICO COMPENSAÇÃO POR MORTE EMERGENTE DE DOENÇA PROFISSIONAL DOS TRABALHADORES DA EMPRESA NACIONAL DE URÂNIO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Pág. 1/8 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático

Leia mais

(Até às alterações da Lei n.º 59/2007, de 04 de Setembro) CÓDIGO TRABALHO. LIVRO I Parte geral TÍTULO I Fontes e aplicação do direito do trabalho

(Até às alterações da Lei n.º 59/2007, de 04 de Setembro) CÓDIGO TRABALHO. LIVRO I Parte geral TÍTULO I Fontes e aplicação do direito do trabalho (Até às alterações da Lei n.º 59/2007, de 04 de Setembro) CÓDIGO TRABALHO LIVRO I Parte geral TÍTULO I Fontes e aplicação do direito do trabalho Artigo 1.º Fontes específicas O contrato de trabalho está

Leia mais

Câmara Municipal da Trofa

Câmara Municipal da Trofa Câmara Municipal da Trofa REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE SUBSÍDIO AO ARRENDAMENTO, A ESTRATOS SOCIAIS DESFAVORECIDOS NOTA JUSTIFICATIVA (Art. 116º do Código do Procedimento Administrativo) O quadro legal

Leia mais

MODELO 3 IRS IMPRESSO 2013 CAMPANHA DE ENTREGA DAS DECLARAÇÕES IRS 2012

MODELO 3 IRS IMPRESSO 2013 CAMPANHA DE ENTREGA DAS DECLARAÇÕES IRS 2012 MODELO 3 IRS IMPRESSO 2013 CAMPANHA DE ENTREGA DAS DECLARAÇÕES IRS 2012 QUEM DEVE APRESENTAR A DECLARAÇÃO Os sujeitos passivos residentes quando estes ou os dependentes que integram o agregado familiar

Leia mais

GUIA PRÁTICO SERVIÇO DE VERIFICAÇÃO DE INCAPACIDADE PERMANENTE

GUIA PRÁTICO SERVIÇO DE VERIFICAÇÃO DE INCAPACIDADE PERMANENTE Manual de GUIA PRÁTICO SERVIÇO DE VERIFICAÇÃO DE INCAPACIDADE PERMANENTE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/9 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Serviço de Verificação

Leia mais

Subsídio Social por Riscos Específicos Atualizado em:

Subsídio Social por Riscos Específicos Atualizado em: Subsídio Social por Riscos Específicos Atualizado em: 04-01-2017 SEGURANÇA SOCIAL Esta informação destina-se a que cidadãos Cidadãs abrangidas por regime de proteção social obrigatório ou pelo regime do

Leia mais

Guia de Participação de Sinistro Viagem

Guia de Participação de Sinistro Viagem Guia de Participação de Sinistro Viagem Guia de Participação de Sinistro Viagem Saiba sempre como proceder em caso de sinistro www.fortalezaseguros.co.ao O que fazer em caso de sinistro? Caso se encontre

Leia mais

GUIA PRÁTICO ACOLHIMENTO FAMILIAR

GUIA PRÁTICO ACOLHIMENTO FAMILIAR Manual de GUIA PRÁTICO ACOLHIMENTO FAMILIAR INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/9 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Acolhimento Familiar (33 V4.02) PROPRIEDADE Instituto

Leia mais

REGULAMENTO ASSISTÊNCIA MÉDICA DO SINDICATO DOS FUNCIONÁRIOS JUDICIAIS

REGULAMENTO ASSISTÊNCIA MÉDICA DO SINDICATO DOS FUNCIONÁRIOS JUDICIAIS REGULAMENTO DA ASSISTÊNCIA MÉDICA DO SINDICATO DOS FUNCIONÁRIOS JUDICIAIS I ASSISTÊNCIA MÉDICA DO SFJ Missão: Facultar aos seus beneficiários o acesso, em condições vantajosas, a um conjunto de serviços

Leia mais

INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO DISPENSA PARCIAL DO PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES PARA A SEGURANÇA SOCIAL RELATIVAMENTE AOS PRODUTORES DE LEITE CRU DE VACA E AOS PRODUTORES DE CARNE DE SUÍNO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

Leia mais

GUIA PRÁTICO SERVIÇO DE VERIFICAÇÃO DE INCAPACIDADE TEMPORÁRIA

GUIA PRÁTICO SERVIÇO DE VERIFICAÇÃO DE INCAPACIDADE TEMPORÁRIA Manual de GUIA PRÁTICO SERVIÇO DE VERIFICAÇÃO DE INCAPACIDADE TEMPORÁRIA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/10 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Serviço de Verificação

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE LOCAL PARTE A PARTE B

IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE LOCAL PARTE A PARTE B INSTRUMENTO DE NOTAÇÃO DO SISTEMA ESTATÍSTICO NACIONAL (LEI 22/2008, DE 13 DE MAIO), DE RESPOSTA OBRIGATÓRIA, REGISTADO NO INE SOB O Nº 10036 VÁLIDO ATÉ 31-12-2016 ANTES DE RESPONDER LEIA ATENTAMENTE AS

Leia mais

CANDIDATURA AO CONCURSO POR INSCRIÇÃO PARA ATRIBUIÇÃO DE UMA HABITAÇÃO EM REGIME DE ARRENDAMENTO APOIADO (ATÉ 3 ELEMENTOS)

CANDIDATURA AO CONCURSO POR INSCRIÇÃO PARA ATRIBUIÇÃO DE UMA HABITAÇÃO EM REGIME DE ARRENDAMENTO APOIADO (ATÉ 3 ELEMENTOS) CANDIDATURA AO CONCURSO POR INSCRIÇÃO PARA ATRIBUIÇÃO DE UMA HABITAÇÃO EM REGIME DE ARRENDAMENTO APOIADO (ATÉ 3 ELEMENTOS) DADOS GERAIS (a preencher pelos serviços) Tipologia Inscrição n.º /RAAGPH/201

Leia mais

Avaliação de desempenho

Avaliação de desempenho Avaliação de desempenho Com que periodicidade é efetuada a avaliação de desempenho? A avaliação do desempenho é efetuada bienalmente, nos termos do disposto no n.º 1 do Art. 41.º do Sistema Integrado de

Leia mais

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO PARA ASSISTÊNCIA A FILHO

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO PARA ASSISTÊNCIA A FILHO Manual de GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO PARA ASSISTÊNCIA A FILHO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/13 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático -Subsídio para Assistência a Filho

Leia mais

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO POR ADOÇÃO

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO POR ADOÇÃO GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO POR ADOÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Pág. 1/16 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Subsídio por Adoção (3011 v1.17) PROPRIEDADE Instituto da Segurança Social, I.P.

Leia mais

Workshop Regras na marcação do período de férias

Workshop Regras na marcação do período de férias Workshop Regras na marcação do período de férias Enquadramento legal: - Cláusula 41.º e segs. Convenção; - Arts. 237.º e segs. do Código do Trabalho. Cláusula 41.ª Direito a férias O trabalhador tem direito

Leia mais

1. A Fundação Eugénio de Almeida definirá, anualmente, o montante global de recursos financeiros destinados à concessão de bolsas de estudo.

1. A Fundação Eugénio de Almeida definirá, anualmente, o montante global de recursos financeiros destinados à concessão de bolsas de estudo. REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS de ESTUDO PARA LICENCIATURA (1º CICLO) Aprovado pelo Conselho de Administração da Fundação Eugénio de Almeida em 26 de Setembro de 2008 ARTIGO 1º ÂMBITO E OBJECTO

Leia mais

Guia de Ajuda Simulador de Renda ao Abrigo do Regime do Arrendamento Apoiado

Guia de Ajuda Simulador de Renda ao Abrigo do Regime do Arrendamento Apoiado Simulador de Renda ao Abrigo do Regime do Arrendamento Apoiado Elaborado na sequência da publicação da Lei n.º 32/2016, de 24 de agosto, que procede à primeira alteração à Lei n.º 81/2014, de 19 de dezembro,

Leia mais

CONSELHO DE MINISTROS

CONSELHO DE MINISTROS CONSELHO DE MINISTROS Decreto n.º 41/08 de 2 de Julho Considerando que a protecção social visa assegurar o bem estar das pessoas, das famílias e das comunidades através de acções de promoção social e da

Leia mais

PROJETO CUIDAR TRATAR DAS NOSSAS PESSOAS REDE INTERMUNICIPAL DE CUIDADOS DE SAÚDE. Metodologia de Avaliação e Seleção de Candidatos

PROJETO CUIDAR TRATAR DAS NOSSAS PESSOAS REDE INTERMUNICIPAL DE CUIDADOS DE SAÚDE. Metodologia de Avaliação e Seleção de Candidatos PROJETO CUIDAR TRATAR DAS NOSSAS PESSOAS REDE INTERMUNICIPAL DE CUIDADOS DE SAÚDE PROTOCOLO INTERMUNICIPAL ENTRE OS MUNICÍPIOS DE VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO E OLHÃO Metodologia de Avaliação e Seleção de

Leia mais

Segue quadro comparativo sobre as alterações trazidas pela MP nº 664/2014, no tocante à pensão deixada pelo servidor público federal Lei 8.

Segue quadro comparativo sobre as alterações trazidas pela MP nº 664/2014, no tocante à pensão deixada pelo servidor público federal Lei 8. Segue quadro comparativo sobre as alterações trazidas pela MP nº 664/2014, no tocante à pensão deixada pelo servidor público federal Lei 8.112/90: Lei nº 8.112/90 redação anterior à Medida Provisória nº

Leia mais

Decreto n.º 1/91 Acordo, por troca de notas, entre Portugal e a Suíça, sobre Tratamento Recíproco em Matéria de Autorização de Residência

Decreto n.º 1/91 Acordo, por troca de notas, entre Portugal e a Suíça, sobre Tratamento Recíproco em Matéria de Autorização de Residência Decreto n.º 1/91 Acordo, por troca de notas, entre Portugal e a Suíça, sobre Tratamento Recíproco em Matéria de Autorização de Residência Nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 200.º da Constituição,

Leia mais

GUIA PRÁTICO CONDIÇÃO DE RECURSOS NOTA: EM VIGOR A PARTIR DE 01 DE AGOSTO DE 2010 INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P. Manual de

GUIA PRÁTICO CONDIÇÃO DE RECURSOS NOTA: EM VIGOR A PARTIR DE 01 DE AGOSTO DE 2010 INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P. Manual de Manual de GUIA PRÁTICO CONDIÇÃO DE RECURSOS NOTA: EM VIGOR A PARTIR DE 01 DE AGOSTO DE 2010 INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/8 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático

Leia mais

Decreto Regulamentar n.º 71/80, de 12 de Novembro

Decreto Regulamentar n.º 71/80, de 12 de Novembro Decreto Regulamentar n.º 71/80, de 12 de Novembro Complementa as condições de acesso ao esquema de prestações de segurança social do Decreto- Lei n.º 160/80 O Decreto-Lei n.º 160/80, de 27 de Maio, embora

Leia mais

Regulamento da Ação Social Escolar - 1.º Ciclo do Ensino Básico

Regulamento da Ação Social Escolar - 1.º Ciclo do Ensino Básico Regulamento da Ação Social Escolar - 1.º Ciclo do Ensino Básico Preâmbulo A Educação constitui uma das atribuições fundamentais dos Municípios desde 1984 e a sua implementação obedece a um conjunto de

Leia mais

Artigo 2º Artigo 51º

Artigo 2º Artigo 51º ANTEPROJECTO DO CÓDIGO DE TRABALHO TÍTULO I Fontes e aplicação do Direito do Trabalho Artigo 1 (Fontes específicas) O contrato de trabalho está sujeito, em especial, aos instrumentos de regulamentação

Leia mais

COLECTÂNEA DE LEGISLAÇÃO BÁSICA INCLUÍDA

COLECTÂNEA DE LEGISLAÇÃO BÁSICA INCLUÍDA ÍNDICE PREFÁCIO 7 NOTA PRÉVIA 9 SIGLAS UTILIZADAS 13 Capo I - Algumas considerações introdutórias. A relação jurídica de emprego público na Administração Pública 15 Capo II - Âmbito de aplicação subjectivo

Leia mais

Decreto-Lei n.º 62/79, de 30 de Março

Decreto-Lei n.º 62/79, de 30 de Março Decreto-Lei n.º 62/79, de 30 de Março A legislação sobre o regime de trabalho do pessoal dos estabelecimentos hospitalares, que tem, em grande parte, carácter avulso, é, com frequência, diversamente interpretada,

Leia mais

Lei N.º 32/2002, de 20 de Dezembro

Lei N.º 32/2002, de 20 de Dezembro Lei N.º 32/2002, de 20 de Dezembro No desenvolvimento do regime jurídico estabelecido na Lei n.º 32/2002, de 20 de Dezembro, e nos termos da alínea c) do nº 1 do artigo 198º da Constituição, o Governo

Leia mais

INFORMAÇÃO SOBRE AS NOVAS REGRAS PARA A ATRIBUIÇÃO DO SUBSÍDIO DE DESEMPREGO

INFORMAÇÃO SOBRE AS NOVAS REGRAS PARA A ATRIBUIÇÃO DO SUBSÍDIO DE DESEMPREGO INFORMAÇÃO SOBRE AS NOVAS REGRAS PARA A ATRIBUIÇÃO DO SUBSÍDIO DE DESEMPREGO O Governo publicou, a 15 de Março, dois diplomas em matéria de protecção no desemprego: Decreto-Lei nº 64/2012, de 15 de Março

Leia mais

Município de Chamusca AV I S O

Município de Chamusca AV I S O Município de Chamusca AV I S O Dr. Paulo Jorge Mira Lucas Cegonho Queimado, Presidente da Câmara Municipal de Chamusca. TORNA PÚBLICO que, nos termos e para os efeitos do disposto no art.118. º do Código

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 36/XII. Exposição de Motivos

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 36/XII. Exposição de Motivos Proposta de Lei n.º 36/XII Exposição de Motivos O Estado Português, através da assinatura do Memorando de Políticas Económicas e Financeiras, assumiu perante a União Europeia, o Fundo Monetário Internacional

Leia mais

REGULAMENTO ASSOCIAÇÃO DE AUXÍLIO DA ARBITRAGEM

REGULAMENTO ASSOCIAÇÃO DE AUXÍLIO DA ARBITRAGEM REGULAMENTO ASSOCIAÇÃO DE AUXÍLIO DA ARBITRAGEM Julho 2016 1 REGULAMENTO DA ASSOCIAÇÃO DE AUXÍLIO DA ARBITRAGEM Capítulo I Dos fins da Associação Artigo 1º. Fins da Associação Este Regulamento estabelece

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 36/XII. Exposição de Motivos

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 36/XII. Exposição de Motivos Proposta de Lei n.º 36/XII Exposição de Motivos O Estado Português, através da assinatura do Memorando de Políticas Económicas e Financeiras, assumiu perante a União Europeia, o Fundo Monetário Internacional

Leia mais

PARENTALIDADE CÁLCULO DE SUBSÍDIOS INTEGRAÇÃO DO FET

PARENTALIDADE CÁLCULO DE SUBSÍDIOS INTEGRAÇÃO DO FET Av. Coronel Eduardo Galhardo 22B,1199-007 Lisboa Tel.218161710 Fax 218150095 E-mail: sti_geral@netcabo.pt www.stimpostos.pt Trabalhadores Impostos NOTA INFORMATIVA Nº 14/2010 15/07/2010 PARENTALIDADE CÁLCULO

Leia mais

Regulamento de Acesso a Exames Especiais e Extraordinários

Regulamento de Acesso a Exames Especiais e Extraordinários Regulamento de Acesso a Exames Especiais e Extraordinários Artigo 1º (Âmbito de Aplicação) 1) Sem prejuízo dos casos expressamente previstos na lei, são abrangidos pelo presente regulamento os estudantes

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO HOMOLOGADO 01 DE JUNHO DE 2009 O Presidente do Conselho Directivo ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO (Paulo Parente) REGULAMENTO GERAL DO REGIME DE FREQUÊNCIA E DE AVALIAÇÃO DOS CURSOS DE PÓS-LICENCIATURA

Leia mais

Ministério da Educação. Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares. Agrupamento de Escolas do Barreiro

Ministério da Educação. Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares. Agrupamento de Escolas do Barreiro Ministério da Educação Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares Agrupamento de Escolas do Barreiro Procedimento concursal Comum de recrutamento para ocupação de 1 (um) posto de trabalho em regime de

Leia mais

CONVENÇÃO N.º 183 DA ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO, RELATIVA À REVISÃO DA CONVENÇÃO (REVISTA) SOBRE A PROTEÇÃO DA MATERNIDADE, 1952

CONVENÇÃO N.º 183 DA ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO, RELATIVA À REVISÃO DA CONVENÇÃO (REVISTA) SOBRE A PROTEÇÃO DA MATERNIDADE, 1952 CONVENÇÃO N.º 183 DA ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO, RELATIVA À REVISÃO DA CONVENÇÃO (REVISTA) SOBRE A PROTEÇÃO DA MATERNIDADE, 1952 Adoptada pela Conferência Geral da Organização Internacional

Leia mais

Alteração da Norma Regulamentar n.º 11/2007-R, de 26 de Julho Sistema de informação de pensões de acidentes de trabalho

Alteração da Norma Regulamentar n.º 11/2007-R, de 26 de Julho Sistema de informação de pensões de acidentes de trabalho Não dispensa a consulta da Norma Regulamentar publicada em Diário da República NORMA REGULAMENTAR N.º 6/2010-R, DE 20 DE MAIO Alteração da Norma Regulamentar n.º 11/2007-R, de 26 de Julho Sistema de informação

Leia mais

PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 584, DE 3 DE DEZEMBRO DE 2014

PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 584, DE 3 DE DEZEMBRO DE 2014 PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 584, DE 3 DE DEZEMBRO DE 2014 O PRESIDENTE DO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA - INEP, no uso das atribuições que

Leia mais

Regulamento do Trabalhador - Estudante da Escola Superior de Dança. Artigo 1.º. Objeto e âmbito

Regulamento do Trabalhador - Estudante da Escola Superior de Dança. Artigo 1.º. Objeto e âmbito Regulamento do Trabalhador - Estudante da Escola Superior de Dança Artigo 1.º Objeto e âmbito O presente regulamento tem como objetivo estabelecer os requisitos de atribuição do estatuto de trabalhador

Leia mais

PARTICIPAÇÃO DE SINISTRO INVALIDEZ OU INCAPACIDADES

PARTICIPAÇÃO DE SINISTRO INVALIDEZ OU INCAPACIDADES Eurovida Companhia de Seguros de Vida, S.A. Sede Social: - Portugal - CRCL / Pes. Col. 504 917 692 Capital Social 7.500.000 Euro Popular Seguros Companhia de Seguros S.A. Sede Social: - Portugal - CRCL

Leia mais

regime de proteção social convergente

regime de proteção social convergente Pelo Senhor Presidente foi solicitado um parecer acerca dos efeitos das faltas por doença prolongada no direito a férias dos trabalhadores integrados no regime de proteção social convergente. Cumpre, pois,

Leia mais

MEDIDA CONTRATO-EMPREGO

MEDIDA CONTRATO-EMPREGO MEDIDA CONTRATO-EMPREGO EM QUE CONSISTE A medida Contrato-Emprego é um apoio financeiro aos empregadores que celebrem contratos de trabalho sem termo ou a termo certo, por prazo igual ou superior a 12

Leia mais

CAPÍTULO I ÁREA, ÂMBITO E VIGÊNCIA

CAPÍTULO I ÁREA, ÂMBITO E VIGÊNCIA ACORDO COLECTIVO DE TRABALHO DE ENTIDADE EMPREGADORA PÚBLICA (ACTEEP) ENTRE O IPTM INSTITUTO PORTUÁRIO E DOS TRANSPORTES MARÍTIMOS, I.P. E A FESMAR FEDERAÇÃO DE SINDICATOS DOS TRABALHADORES DO MAR E A

Leia mais

Da Nacionalidade. Revoga a Lei n.º 13/91, de 11 de Maio

Da Nacionalidade. Revoga a Lei n.º 13/91, de 11 de Maio Da Nacionalidade. Revoga a Lei n.º 13/91, de 11 de Maio Índice LEI DA NACIONALIDADE... 4 CAPÍTULO I Disposições Gerais... 4 ARTIGO 1.º (Objecto)... 4 ARTIGO 2.º (Modalidades)... 4 ARTIGO 3.º (Aplicação

Leia mais

Informação aos Associados nº 13.V3

Informação aos Associados nº 13.V3 Data 15 de setembro de 2006 atualizada em 22 de outubro de 2012 Assunto: Horário de Trabalho Tema: Laboral 1. Definição de Horário de Trabalho O horário de trabalho é o período de tempo durante o qual

Leia mais

Manual do Aposentado COHAPREV A N O S

Manual do Aposentado COHAPREV A N O S Manual do Aposentado COHAPREV A N O S SUMÁRIO Qual é o significado de Aposentado e Pensionista?...3 Quando é realizado o pagamento do Benefício?...3 Quais as formas de recebimento dos Benefícios?...3 Quando

Leia mais

3ª Edição. Atualizado com a Lei n.º 23/2012, de 25 de junho

3ª Edição. Atualizado com a Lei n.º 23/2012, de 25 de junho 3ª Edição Atualizado com a Lei n.º 23/2012, de 25 de junho ÍNDICE NOÇÃO DE CONTRATO DE TRABALHO... 9 PRESUNÇÃO DA EXISTÊNCIA DE CONTRATO DE TRABALHO... 10 CONTRATAÇÃO DE TRABALHADORES...11 ADMISSÃO DE

Leia mais

Marconi O que preciso de saber sobre a transferência de Fundos de Pensões e o novo enquadramento na Segurança Social

Marconi O que preciso de saber sobre a transferência de Fundos de Pensões e o novo enquadramento na Segurança Social O que preciso de saber sobre a transferência de Fundos de Pensões e o novo enquadramento na Segurança Social Direcção de Recursos Humanos 13.01.2011 Este documento é propriedade intelectual da PT e fica

Leia mais

REQUERIMENTO DE AUTORIZAÇÃO DO REGIME DE ACUMULAÇÃO DE FUNÇÕES

REQUERIMENTO DE AUTORIZAÇÃO DO REGIME DE ACUMULAÇÃO DE FUNÇÕES do Norte REQUERIMENTO DE AUTORIZAÇÃO DO REGIME DE ACUMULAÇÃO DE FUNÇÕES DATA DE Nº DO PROCESSO 1 EXMO. (ª) SR. (ª): 1 2 NATUREZA DA ACUMULAÇÃO: Pública Privada FASE: Inicial Renovação 2 Situação no serviço

Leia mais

Regras Técnicas

Regras Técnicas Regras Técnicas 2007-2008 2008 Considerando o regime de atribuição de bolsas de estudo a estudantes do Ensino Superior Público, determino os critérios e procedimentos técnicos a adoptar pelos Serviços

Leia mais

MUNICÍPIO DE AMARES. Regulamento de Concessão de Bolsas de Estudo para os Cursos do Ensino Médio e Superior

MUNICÍPIO DE AMARES. Regulamento de Concessão de Bolsas de Estudo para os Cursos do Ensino Médio e Superior MUNICÍPIO DE AMARES Regulamento de Concessão de Bolsas de Estudo para os Cursos do Ensino Médio e Superior A educação é, no contexto do mundo actual, uma tarefa que cabe a toda a sociedade. Neste sentido,

Leia mais

TRABALHADOR-ESTUDANTE

TRABALHADOR-ESTUDANTE Direito do Trabalho Aspectos práticos com interesse para as Empresas de Contabilidade 18 de Abril de 2005 Albano Santos Advogado TRABALHADOR-ESTUDANTE Dispensas para frequência de aulas (Artº 149º RCT):

Leia mais

MUNICIPIO DE VILA DO BISPO REGULAMENTO DE ATRIBIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO E BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO

MUNICIPIO DE VILA DO BISPO REGULAMENTO DE ATRIBIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO E BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO MUNICIPIO DE VILA DO BISPO REGULAMENTO DE ATRIBIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO E BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO Preâmbulo É atribuição das Autarquias locais deliberar em matéria de acção social, designadamente no que

Leia mais

Normas para concessão de auxílios económicos no 1.º ciclo do ensino básico

Normas para concessão de auxílios económicos no 1.º ciclo do ensino básico Normas para concessão de auxílios económicos no 1.º ciclo do ensino básico ENQUADRAMENTO Desde a Constituição da República de 1976 que está consagrada a universalidade, obrigatoriedade e gratuitidade do

Leia mais

MEDIDA ESTÁGIOS EMPREGO

MEDIDA ESTÁGIOS EMPREGO MEDIDA ESTÁGIOS EMPREGO Entidades Promotoras: Entidades privadas, com ou sem fins lucrativos e Autarquias Locais. Destinatários: Jovens à procura de emprego, entre os 18 e os 30 anos, inscritos no IEFP

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTUDANTE ATLETA

REGULAMENTO DO ESTUDANTE ATLETA REGULAMENTO DO ESTUDANTE ATLETA Preâmbulo A atividade física e desportiva é, no quotidiano, um fator primordial na formação do ser humano enquanto indivíduo que busca a integração plena na sociedade contemporânea.

Leia mais

Situações de crise empresarial motivos de mercado

Situações de crise empresarial motivos de mercado Situações de crise empresarial motivos de mercado REQUISITOS: 1. por motivos de mercado, a actividade da empresa ficou gravemente afectada 2. medidas de redução PNT ou suspensão da prestação trabalho mostram-se

Leia mais

GUIA PRÁTICO PENSÃO DE ORFANDADE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO PENSÃO DE ORFANDADE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO PENSÃO DE ORFANDADE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Pensão de Orfandade (7006 V4.16) PROPRIEDADE Instituto da Segurança Social, I.P. AUTOR Centro Nacional

Leia mais

BOLSAS DE ESTUDO E SÉNIOR

BOLSAS DE ESTUDO E SÉNIOR BOLSAS DE ESTUDO E SÉNIOR REGULAMENTO REGULAMENTO PARA AS BOLSAS DE ESTUDO E DAS BOLSAS SENIORES O Conselho de Administração do Cofre de Previdência, deliberou em 14 de Maio de 2013, (acta nº14/13) a atribuição

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 584, DE 3 DE DEZEMBRO DE 2014

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 584, DE 3 DE DEZEMBRO DE 2014 INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 584, DE 3 DE DEZEMBRO DE 2014 O PRESIDENTE DO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA -

Leia mais

FICHA DE INSCRIÇÃO E RENOVAÇÃO DE MATRÍCULA. A preencher pela Instituição. Enviada carta de admissão: / / Lista Espera

FICHA DE INSCRIÇÃO E RENOVAÇÃO DE MATRÍCULA. A preencher pela Instituição. Enviada carta de admissão: / / Lista Espera Página 1 de 5 A preencher pela Instituição Admitido: / / Não admitido: / / Enviada carta de admissão: / / Lista Espera Enviada carta de não admissão: / / FOTOGRAFIA Inscrição / Renovação (riscar uma das

Leia mais

O Fundo de Acidentes de Trabalho na proteção das vítimas de acidentes de trabalho

O Fundo de Acidentes de Trabalho na proteção das vítimas de acidentes de trabalho CONFERÊNCIA COMEMORATIVA do CENTENÁRIO da 1.ª LEI DE ACIDENTES DE TRABALHO O Fundo de Acidentes de Trabalho na proteção das vítimas de acidentes de trabalho História e Enquadramento Lei nº 100/97, de 13

Leia mais

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO POR ASSISTÊNCIA DE TERCEIRA PESSOA

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO POR ASSISTÊNCIA DE TERCEIRA PESSOA Manual de GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO POR ASSISTÊNCIA DE TERCEIRA PESSOA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/14 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Subsídio por Assistência

Leia mais