DANÇA BUTOH PROPOSTA DE CURSO LIVRE ESCOLA ANGEL VIANNA NOME DO PROPONENTE 2- PARA CONTATO 3- TELEFONE PARA CONTATO 4- NOME DO CURSO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DANÇA BUTOH PROPOSTA DE CURSO LIVRE ESCOLA ANGEL VIANNA NOME DO PROPONENTE 2- PARA CONTATO 3- TELEFONE PARA CONTATO 4- NOME DO CURSO"

Transcrição

1 PROPOSTA DE CURSO LIVRE ESCOLA ANGEL VIANNA * DANÇA BUTOH 1- NOME DO PROPONENTE Alain Alberganti 2- PARA CONTATO 3- TELEFONE PARA CONTATO (21) NOME DO CURSO DANÇA BUTOH 1

2 5- RELEASE DA OFICINA. BREVE HISTÓRICO DA DANÇA BUTOH «O butoh é a busca de uma forma de arte muito antiga nas quais as criações rituais e artísticas eram profundamente interligadas; onde a poesia era canto, o canto era encantação, o movimento era dança.» (Jerzy Grotowski) A dança butoh é uma dança contemporânea japonesa. Ela foi fundada, nos anos 60, por Tatsumi Hijikata e Kazuo Ohno que queriam romper com as artes tradicionais japonesas (Nô, Kabuki) e falar dos traumas deixados pela segunda guerra mundial. A palavra «butoh» significa dançar («bu») e bater o chão («toh»). O nascimento do butoh foi influenciado pelas vanguardas artísticas europeias (expressionismo alemã, surrealismo, literatura de escritores tais como Artaud ou Bataille). O butoh refere-se também a religião budista e as crenças xintó. Esta dança baseia-se numa introspecção e uma abertura ao mundo mexendo com temáticas universais. Ela trata de assuntos tabus e evoca imagens da velhice, do medo, do desespero, do erotismo, do êxtase, do grotesco, da morte, do mundo antes do nascimento. O butoh caracteriza-se pela lentidão e pelo minimalismo dos movimentos. Muitas vezes o corpo do bailarino é quase nu, pintado de branco com o crânio raspado. Porém, hoje, existe tantas formas de butoh que tem bailarinos.. DESCRIÇÃO DO CURSO «[O butoh] é tornar-se o Outro e não representa-lo. Uma metamorfose, não uma metáfora.» (Kô Murobushi, bailarino butoh) Este curso de iniciação à dança butoh procura apropriar-se um corpo próprio a partir de um trabalho interno sobre as sensações, as percepções e o imaginário para construir uma articulação íntima entre o movimento e o imaginário do bailarino num mesmo fluxo de energia. Dentro dos meios utilizados para conseguir tal apropriação do corpo podemos mencionar: trabalho sobre micromovimentos corporais e fragmentação, espera do movimento e negação da intenção racional, imobilidade como fonte de energia e de imaginário, retenção da energia, enraizamento do corpo no chão através da bacia, da imobilidade, da respiração, da lentidão, do cansaço, do imaginário, trabalho da bacia como motor dos movimentos, trabalho sobre três níveis de percepção corporal: a pele, a carne e o osso, capacidade de relaxamento do corpo por uma série de manipulações do próprio corpo por uma outra pessoa, desenvolvimento de um imaginário corporal não psicológico através de improvisações baseadas nos elementos da natureza, nas matérias, na música, nos objetos, nos vestidos, desenvolvimento das percepções orgânicas através de exercícios de olhos fechados ou vendados. Nesta oficina não se trata de uma liberação sem técnica do corpo (caso da expressão corporal) nem da aprendizagem de uma técnica a ser utilizada, mas sim de um trabalho que procura construir um corpo outro, um «corpo orgânico», que alimenta-se de um imaginário pessoal em cada dos seus movimentos e gestos. 2

3 A dança butoh representa um esforço para reapropriar-se o momento onde ainda se possa perceber o nascimento do ato, este grito vindo de um lugar paradoxal onde conjugam-se o ato e sua própria negação. A oficina procura apontar uma ligação original entre o corpo e o espírito, aquém e além da representação. Uma das principais chaves desta dança é a anulação da intenção racional. Quando uma forma está instalada, ou um movimento iniciado, o bailarino segue-o através do seu corpo, de uma articulação à outra, como se ele fosse espectador. Seu corpo age e sua atenção, livre de qualquer vontade, concentra-se por inteiro nos meios de execução e na consciência precisa do que está acontecendo nele. Assim nenhuma intenção ou «querer-fazer» criam resistências ou freios aos movimentos. O bailarino parece fazer movimentos que já foram decididos. Ele não se entrega a eles como num transe, ele os deixa simplesmente acontecer observando o trajeto deles. Eles não são mais o resultado de uma vontade e tornam-se um fenómeno real. Mais do que em qualquer outra dança, existe na dança butoh uma absorção do mental pelo físico que evoca a transe na qual, segundo uma opinião comum, o corpo mexe-se por conta própria, numa espontaneidade total, sem intervenção de uma decisão consciente. Portanto, o bailarino butoh mantém sempre o controle do que ele está fazendo assim como a consciência da presença do público; neste sentido a transe onde a consciência do outro desaparece totalmente é contraditória com a dança no palco. Assim, a questão da coexistência desses dois estados aparece problemática. A bailarina butoh Carlotta Ikeda fala sobre este paradoxo: «Quando eu danço, tem dois «eu» juntos: um que não se controla mais, num estado de transe, e, um outro, que olha com lucidez o primeiro. De vez em quando esses dois «eu» se sobrepõem e criam um tipo de loucura branca, perto do êxtase. Este estado é aquele que o bailarino deve procurar. Danço para este momento privilegiado.» 6- PÚBLICO ALVO Toda pessoa interessada na expressão pelo corpo. 7- QUANTIDADE MÁXIMA DE PARTICIPANTES Máximo de QUANTIDADE MÍNIMA DE PARTICIPANTES Mínimo de 05 3

4 9- BREVE CURRÍCULO DO PROFESSOR ALAIN ALBERGANTI é Doutor em Estética (Teatro e Dança) pela Universidade Paris 8 (França), diretor, professor de teatro e performer. Estudou com atores do Teatro Laboratório de Jerzy Grotowski e com o fundador da mímica corporal, Etienne Decroux. Se formou às técnicas da dança butoh de Min Tanaka e Kazuo Ohno. Tem mais de vinte anos de experiência profissional no ensino do teatro e da dança-teatro. Encenou na França vários espetáculos de teatro e realizou performances de dança butoh e de teatro físico no Rio de Janeiro onde ministra cursos em diferentes Faculdades, Centros culturais e Escolas de teatro e dança. 10- CARGA HORÁRIA Total = 1h30 hora / semana 11- DATAS, HORÁRIOS E SALA Quintas-feiras das 17h30 às 19h00 Sala E ou A 12- INSCRIÇÃO E DATA DE INÍCIO Inscrição na secretaria da EAV: até o dia 12/09/2016 Início do curso: 15/09/ VALOR DA OFICINA R$ 120 /mês R$ 100 /mês (alunos EAV/FAV) 14- OBSERVAÇÕES - Inscrição obrigatória na secretaria da EAV até o dia 01/09/16 - Tarifa da aula avulsa = R$ 50 - Apresentação do recibo de pagamento na primeira aula de cada mês ou de aula avulsa - Não tem possibilidade de bolsa 15- FOTO (VER ABAIXO) 4

5 5

PROPOSTA DE CURSO LIVRE 1º SEMESTRE 2015 ESCOLA ANGEL VIANNA. CURSO LIVRE DE DANÇA BUTOH (iniciante/intermediário)

PROPOSTA DE CURSO LIVRE 1º SEMESTRE 2015 ESCOLA ANGEL VIANNA. CURSO LIVRE DE DANÇA BUTOH (iniciante/intermediário) PROPOSTA DE CURSO LIVRE 1º SEMESTRE 2015 ESCOLA ANGEL VIANNA * CURSO LIVRE DE DANÇA BUTOH (iniciante/intermediário) 1- Nome do Proponente Alain Alberganti 2- E-mail para contato alainalberganti@gmail.com

Leia mais

OFICINA DE DANÇA BUTOH (iniciante/intermediário)

OFICINA DE DANÇA BUTOH (iniciante/intermediário) PROPOSTA DE OFICINA DE VERÃO ESCOLA ANGEL VIANNA JANEIRO 2015 * OFICINA DE DANÇA BUTOH (iniciante/intermediário) 1- NOME DO PROPONENTE Alain Alberganti 2- E-MAIL PARA CONTATO alainalberganti@gmail.com

Leia mais

E-Learning Uma estratégia para a qualidade do ensino/aprendizagem. Ensino a Distância

E-Learning Uma estratégia para a qualidade do ensino/aprendizagem. Ensino a Distância E-Learning Uma estratégia para a qualidade do ensino/aprendizagem (num contexto académico) Vou dividir a minha apresentação sobre... em 3 partes: Conceito de e-learning Apresentar a intranet dos alunos

Leia mais

Planeamento. Avaliação

Planeamento. Avaliação Planeamento e Avaliação Planeamento e Avaliação Definição de Planeamento Fases de Planeamento Plano vs Projecto Relatório O quê? PLANEAMENTO Planear uma actividade, evento ou projecto, significa responder

Leia mais

Regulamento do Concurso de FOTOGRAFIA

Regulamento do Concurso de FOTOGRAFIA Évora 2005 Regulamento do Concurso de FOTOGRAFIA ENQUADRAMENTO O concurso AS PROFISSÕES DA MINHA COMUNIDADE é um concurso integrado no evento a decorrer de 13 a 15 de Abril de 2005, em Évora, organizado

Leia mais

II ENCONTRO NACIONAL DE ARTE ESPÍRITA

II ENCONTRO NACIONAL DE ARTE ESPÍRITA II ENCONTRO NACIONAL DE ARTE ESPÍRITA REGULAMENTO DAS APRESENTAÇÕES ARTÍSTICAS DO ENARTE E SEUS OBJETIVOS O II ENCONTRO NACIONAL DE ARTE ESPÍRITA é um evento promovido pela Associação Brasileira de Artistas

Leia mais

Jornal O País Concurso Repórter por 1 dia. Regulamento

Jornal O País Concurso Repórter por 1 dia. Regulamento Jornal O País Concurso Repórter por 1 dia Regulamento 1. Promoção 1.1 O Repórter por um Dia é promovido pelo Jornal OPAÍS como parte integrante do Projeto de promoção e lançamento d OPAÍS diário. Os principais

Leia mais

VIII Oficinas de Formação A Escola na Sociedade da Informação e do Conhecimento praticar ao Sábado. E-learning. 3 de Março de 2007

VIII Oficinas de Formação A Escola na Sociedade da Informação e do Conhecimento praticar ao Sábado. E-learning. 3 de Março de 2007 VIII Oficinas de Formação A Escola na Sociedade da Informação e do Conhecimento praticar ao Sábado E-learning 3 de Março de 2007 Plataformas de E-learning em contexto educativo Intervenção de José Luís

Leia mais

O que é o Cyberbullying?

O que é o Cyberbullying? O que é o Cyberbullying? O Cyberbullying baseia-se na prática que compreende comportamentos em diversos níveis que vão desde brincadeiras inoportunas, como colocar apelidos, discriminar, ignorar os colegas,

Leia mais

Treinamento sobre Progress Report.

Treinamento sobre Progress Report. Treinamento sobre Progress Report. Objetivo O foco aqui é trabalhar o desenvolvimento pessoal de cada aluno. O instrutor irá analisar cada um e pensar em suas dificuldades e barreiras de aprendizado e,

Leia mais

I MOSTRA ARTE E SUSTENTABILIDADE

I MOSTRA ARTE E SUSTENTABILIDADE EDITAL nº 01/2015 1. ORGANIZAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO I MOSTRA ARTE E SUSTENTABILIDADE A I Mostra Arte e Sustentabilidade é uma exposição de trabalhos artísticos, sem fins lucrativos, produzida e dirigida

Leia mais

USO DO AUDIO-IMAGEM COMO FERRAMENTA DIDÁTICO PEDAGÓGICA EM ATIVIDADES EM SALA DE AULA.

USO DO AUDIO-IMAGEM COMO FERRAMENTA DIDÁTICO PEDAGÓGICA EM ATIVIDADES EM SALA DE AULA. USO DO AUDIO-IMAGEM COMO FERRAMENTA DIDÁTICO PEDAGÓGICA EM ATIVIDADES EM SALA DE AULA. AREND, Michele Catherin 1 ; BASTOS, Maycon Fernando 2 1 Instituto Federal Catarinense IFC. Camboriú/SC. INTRODUÇÃO

Leia mais

Currículos e programas. Profa. Luciana Eliza dos Santos

Currículos e programas. Profa. Luciana Eliza dos Santos Currículos e programas Profa. Luciana Eliza dos Santos Currículo??? Base ordenadora da prática Quais os elementos que compõem a prática pedagógica? O que compõe um currículo? Como podemos abarcar conhecimentos

Leia mais

EDITAL DE CREDENCIAMENTO N 002/2013 - OFICINAS E PALESTRAS PARA INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E SERVIÇOS DE ACESSIBILIDADE O SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM DO COOPERATIVISMO NO ESTADO DE SÃO PAULO

Leia mais

MODELO SUGERIDO PARA PROJETO DE PESQUISA

MODELO SUGERIDO PARA PROJETO DE PESQUISA MODELO SUGERIDO PARA PROJETO DE PESQUISA MODELO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA (Hospital Regional do Mato Grosso do Sul- HRMS) Campo Grande MS MÊS /ANO TÍTULO/SUBTÍTULO DO PROJETO NOME DO (s) ALUNO

Leia mais

Curioso. Cozinheiro. Comunicador. Idealista nato. por profissão, por natureza, nas horas vagas.

Curioso. Cozinheiro. Comunicador. Idealista nato. por profissão, por natureza, nas horas vagas. Curioso por profissão, Comunicador por natureza, Cozinheiro nas horas vagas. Idealista nato. ABOUT US APRESENTAÇÃO Muito Prazer, meu nome é Márcio Mussarela Se você procura energia, entusiasmo e espontaneidade

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA CURSOS

UNIVERSIDADE PAULISTA CURSOS UNIVERSIDADE PAULISTA CURSOS CST em Análise e Desenvolvimento de Sistemas CST em Automação Industrial CST em Gestão da Tecnologia da Informação CST em Redes de Computadores PIM Projeto Integrado Multidisciplinar

Leia mais

Objetivo do Portal da Gestão Escolar

Objetivo do Portal da Gestão Escolar Antes de Iniciar Ambiente de Produção: É o sistema que contem os dados reais e atuais, é nele que se trabalha no dia a dia. Neste ambiente deve-se evitar fazer testes e alterações de dados sem a certeza

Leia mais

a) No Projeto d) Em sua residência b) No Escritório da UNESCO e) Outros c) No Escritório Antena

a) No Projeto d) Em sua residência b) No Escritório da UNESCO e) Outros c) No Escritório Antena REQUERIMENTO PARA PUBLICAÇÃO DE EDITAL DE PESSOA FÍSICA Parte A INSTRUÇÃO PARA PUBLICAÇÃO Preenchimento do Formulário 1. Parte B2 A vaga cuja lotação seja no Escritório UNESCO ou Antena deve ser conduzida

Leia mais

FACULDADE DE ARARAQUARA IESP Instituto Educacional do Estado de São Paulo Rua Miguel Cortez, 50, Vila Suconasa, Araraquara/SP Tel: 3332-4093

FACULDADE DE ARARAQUARA IESP Instituto Educacional do Estado de São Paulo Rua Miguel Cortez, 50, Vila Suconasa, Araraquara/SP Tel: 3332-4093 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Dispõe sobre as Atividades Complementares do Curso de Direito da Faculdade de Araraquara CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. Este Regulamento dispõe sobre

Leia mais

4) Declaração de Cessão de Uso de Imagem devidamente preenchida (Anexo 2).

4) Declaração de Cessão de Uso de Imagem devidamente preenchida (Anexo 2). CHAMADA PÚBLICA 08/2016 A Universidade Regional do Cariri URCA, através da Pró-reitoria de Extensão - PROEX e do Geopark Araripe G.A torna público o I Concurso de Fotografia com a temática: As Leguminosas

Leia mais

PET Humanidades Centro das Humanidades/UFOB Rua Prof. José Seabra, S/N, Centro, 47850-100, Barreiras, Ba. E-mail: pet-humanidades@ufob.edu.

PET Humanidades Centro das Humanidades/UFOB Rua Prof. José Seabra, S/N, Centro, 47850-100, Barreiras, Ba. E-mail: pet-humanidades@ufob.edu. PET Humanidades Centro das Humanidades/UFOB Rua Prof. José Seabra, S/N, Centro, 47850-100, Barreiras, Ba. E-mail: pet-humanidades@ufob.edu.br EDITAL PET BI Humanidades/Centro das Humanidades 2014 SELEÇÃO

Leia mais

CATEGORIA 2 INICIATIVAS DE INOVAÇÃO

CATEGORIA 2 INICIATIVAS DE INOVAÇÃO ESAF Escola de Administração Fazendária CATEGORIA 2 INICIATIVAS DE INOVAÇÃO 3º Lugar 020I FERNANDO VENANCIO PINHEIRO* 26 Anos RIO DE JANEIRO - RJ SKYLOGS - Aplicativo Para Diário de Bordo Eletrônico *

Leia mais

As Novas Tecnologias no Processo Ensino-Aprendizagem da Matemática

As Novas Tecnologias no Processo Ensino-Aprendizagem da Matemática A UTILIZAÇÃO DE BLOGs COMO RECURSO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA Maria Angela Oliveira Oliveira Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho matematicangela2007@yahoo.com.br Resumo: O Mini-Curso

Leia mais

2.2 Estruturar ação de oficina de integração com gestores, trabalhadores, usuários e familiares da RAPS, redes de saúde e rede intersetorial.

2.2 Estruturar ação de oficina de integração com gestores, trabalhadores, usuários e familiares da RAPS, redes de saúde e rede intersetorial. Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas Coordenação Geral de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas. II Chamada para Seleção de Redes Visitantes

Leia mais

BEM VINDOS ALUNOS DA GRADUAÇÃ ÇÃO. GESTÃO INTEGRADA PESSOAS E SISTEMAS DE INFORMAÇÃ ÇÃO O QUE O MUNDO TEM A VER COM MARKETING?

BEM VINDOS ALUNOS DA GRADUAÇÃ ÇÃO. GESTÃO INTEGRADA PESSOAS E SISTEMAS DE INFORMAÇÃ ÇÃO O QUE O MUNDO TEM A VER COM MARKETING? BEM VINDOS ALUNOS DA TURMA DE PÓS-GRADUA P GRADUAÇÃ ÇÃO. GESTÃO INTEGRADA PESSOAS E SISTEMAS DE INFORMAÇÃ ÇÃO PROF. PAULO NETO FIB - 2011 O QUE O MUNDO TEM A VER COM MARKETING? O QUE EU TENHO A VER COM

Leia mais

I Oficina de Formação em. Competências e Simulação

I Oficina de Formação em. Competências e Simulação I Oficina de Formação em Competências e Simulação I Oficina de Formação em Competências e Simulação 36 horas presenciais 15 horas e-learning SR Simulação Robótica SC Simulação Cênica 25 estudantes E E-learning

Leia mais

RELAÇÕES RACIAIS NA PERSPECITIVA CURRICULAR E EDUCACIONAL

RELAÇÕES RACIAIS NA PERSPECITIVA CURRICULAR E EDUCACIONAL RELAÇÕES RACIAIS NA PERSPECITIVA CURRICULAR E EDUCACIONAL "Que a água seja refrescante. Que o caminho seja suave. Que a casa seja hospitaleira. Que o Mensageiro conduza em paz nossa Palavra." Benção Yoruba

Leia mais

4. Análise de Tarefas

4. Análise de Tarefas Interacção com o Utilizador 4. Análise de Tarefas Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Identificar necessidades e problemas dos utilizadores Avaliar solução Conceber uma solução Prototipar

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO DE FOTOGRAFIA

REGULAMENTO DO CONCURSO DE FOTOGRAFIA Da natureza, nada se tira a não ser fotos, nada se deixa além de pegadas e nada se leva além de lembranças. REGULAMENTO DO CONCURSO DE FOTOGRAFIA Enquadramento O Concurso fotografia Natureza em Destaque

Leia mais

c- Muitas vezes nos deparamos com situações em que nos sentimos tão pequenos e às vezes pensamos que não vamos dar conta de solucioná-las.

c- Muitas vezes nos deparamos com situações em que nos sentimos tão pequenos e às vezes pensamos que não vamos dar conta de solucioná-las. FICHA DA SEMANA 5º ANO A e B Instruções: 1- Cada atividade terá uma data de realização e deverá ser entregue a professora no dia seguinte; 2- As atividades deverão ser copiadas e respondidas no caderno,

Leia mais

S E N T I D O S H U M A N O S

S E N T I D O S H U M A N O S S E N T I D O S H U M A N O S Sentidos Conjunto de funções orgânicas responsáveis pela percepção do mundo Os sentidos são: Visão Audição Olfato Paladar Tato Visão Capacidade dos olhos em transformar o

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATEGICO DO CURSO DE LICENCIATURA EM ARTES Junho de 2014 a junho de 2016

PLANEJAMENTO ESTRATEGICO DO CURSO DE LICENCIATURA EM ARTES Junho de 2014 a junho de 2016 PLANEJAMENTO ESTRATEGICO DO CURSO DE LICENCIATURA EM ARTES Junho de 2014 a junho de 2016 Apresentação O Curso de Licenciatura em Artes da tem como meta principal formar o professor de artes através de

Leia mais

SISTEMA EDUCACIONAL DA FINLÂNDIA: CURRÍCULO, PROFISSIONAIS E AVALIAÇÃO

SISTEMA EDUCACIONAL DA FINLÂNDIA: CURRÍCULO, PROFISSIONAIS E AVALIAÇÃO SISTEMA EDUCACIONAL DA FINLÂNDIA: CURRÍCULO, PROFISSIONAIS E AVALIAÇÃO FINLÂNDIA - O PAÍS 338,000 km2 5,3 milhões de habitantes Capital: Helsinque 2 idiomas oficiais: finlandês sueco Helsinki FINLÂNDIA

Leia mais

GEOGRAFIA ESCOLAR E O LÚDICO: ALGUMAS APROXIMAÇÕES NO ENSINO FUNDAMENTAL II

GEOGRAFIA ESCOLAR E O LÚDICO: ALGUMAS APROXIMAÇÕES NO ENSINO FUNDAMENTAL II GEOGRAFIA ESCOLAR E O LÚDICO: ALGUMAS APROXIMAÇÕES NO ENSINO FUNDAMENTAL II Aluno: Jhonata da Silva de Jesus Matricula: 005805/06. Professor (Orientador/Preponente): Daniel Luiz Poio Roberti Matricula

Leia mais

Durante a prova, em cima da mesa, o candidato apenas poderá ter o enunciado da prova, a caneta, a legislação e o BI/CC.

Durante a prova, em cima da mesa, o candidato apenas poderá ter o enunciado da prova, a caneta, a legislação e o BI/CC. PROCEDIMENTO CONCURSAL COMUM PARA CONSTITUIÇÃO DE RELAÇÃO JURÍDICA DE EMPREGO PÚBLICO POR TEMPO INDETERMINADO, TENDO EM VISTA O PREENCHIMENTO DE UM POSTO DE TRABALHO NA CARREIRA/CATEGORIA DE TÉCNICO SUPERIOR,

Leia mais

Entrevista com o Prof. Luiz Carlos Crozera, autor da Hipnose Condicionativa.

Entrevista com o Prof. Luiz Carlos Crozera, autor da Hipnose Condicionativa. Entrevista com o Prof. Luiz Carlos Crozera, autor da Hipnose Condicionativa. 1. Hipnose é causada pelo poder do hipnotizador Naturalmente o hipnotizador deve ter o devido conhecimento e a força mental

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL DR. MARTINHO MARQUES VERA LUCIA DOS SANTOS GIVANILZA ALVES DOS SANTOS MARIA APARECIDA CRIVELI SIRLEI R. C. DO P.

ESCOLA ESTADUAL DR. MARTINHO MARQUES VERA LUCIA DOS SANTOS GIVANILZA ALVES DOS SANTOS MARIA APARECIDA CRIVELI SIRLEI R. C. DO P. ESCOLA ESTADUAL DR. MARTINHO MARQUES VERA LUCIA DOS SANTOS GIVANILZA ALVES DOS SANTOS MARIA APARECIDA CRIVELI SIRLEI R. C. DO P. VITORINO SÓLIDOS GEOMÉTRICOS E OS POLIEDROS DE PLATÃO TAQUARUSSU = MS AGOSTO

Leia mais

EDITAL PARA INSCRIÇÃO DE TRABALHOS NO III CURSO DE EXTENSÃO SOBRE O TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL NA EDUCAÇÃO DO IFMG

EDITAL PARA INSCRIÇÃO DE TRABALHOS NO III CURSO DE EXTENSÃO SOBRE O TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL NA EDUCAÇÃO DO IFMG EDITAL PARA INSCRIÇÃO DE TRABALHOS NO III CURSO DE EXTENSÃO SOBRE O TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL NA EDUCAÇÃO DO IFMG 1. DO OBJETIVO Promover concurso de trabalhos a serem apresentados nas formas de pôster

Leia mais

SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARTOGRAFIA GEODÉSIA, FOTOGRAMETRIA E SENSORIAMENTO REMOTO CONCURSO CARTOGRAFIA PARA CRIANÇAS

SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARTOGRAFIA GEODÉSIA, FOTOGRAMETRIA E SENSORIAMENTO REMOTO CONCURSO CARTOGRAFIA PARA CRIANÇAS SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARTOGRAFIA GEODÉSIA, FOTOGRAMETRIA E SENSORIAMENTO REMOTO CONCURSO CARTOGRAFIA PARA CRIANÇAS MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA A CHAMADA DO CONCURSO As instruções abaixo aplicam-se somente

Leia mais

REGULAMENTO III FESTIVAL DE TEATRO REGIONAL - III FESTEJO

REGULAMENTO III FESTIVAL DE TEATRO REGIONAL - III FESTEJO REGULAMENTO III FESTIVAL DE TEATRO REGIONAL - III FESTEJO I - DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - Este Regulamento estabelece normas para a participação no III Festival de Teatro Regional, que terá início

Leia mais

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL E A SUA INTERDISCIPLINARIDADE

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL E A SUA INTERDISCIPLINARIDADE A EDUCAÇÃO AMBIENTAL E A SUA INTERDISCIPLINARIDADE INTRODUÇÃO Autor: Franklin Vieira de Sá Instituição: Universidade Federal do Piauí E-mail: frankkkfalcon@hotmail.com A temática de Educação Ambiental

Leia mais

Rodrigo Claudino Diogo 1, Valéria A. Ribeiro de Lima 2, Vanusa Maria de Paula 3, Rosymeire Evangelista Dias 4

Rodrigo Claudino Diogo 1, Valéria A. Ribeiro de Lima 2, Vanusa Maria de Paula 3, Rosymeire Evangelista Dias 4 A formação docente em Ciência, Tecnologia, Sociedade e Educação Ambiental TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA SALA DE AULA: PRODUÇÃO DE VÍDEOS POR MEIO DE SMARTPHONES COMO UMA POSSIBILIDADE VIÁVEL

Leia mais

CIÊNCIA, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: CONCEPÇÕES DE PROFESSORES DO 1º CICLO

CIÊNCIA, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: CONCEPÇÕES DE PROFESSORES DO 1º CICLO CIÊNCIA, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: CONCEPÇÕES DE PROFESSORES DO 1º CICLO SÁ, PATRÍCIA & MARTINS, ISABEL Departamento de Didáctica e Tecnologia Educativa. Universidade de Aveiro.

Leia mais

Contamos consigo para levar a nossa Energia mais longe...

Contamos consigo para levar a nossa Energia mais longe... Contamos consigo para levar a nossa Energia mais longe... Responsabilidade Social na Galp Energia Responsabilidade Social na Galp Energia COLABORADORES ESPECIALISTAS PÚBLICO EM GERAL A Galp Energia foi

Leia mais

1. Ao realizar o 3º Concurso de Fotografia, a Ajustes objetiva promover o gosto pela fotografia.

1. Ao realizar o 3º Concurso de Fotografia, a Ajustes objetiva promover o gosto pela fotografia. 3º Concurso de Fotografia Ajustes Água REGULAMENTO: 1. Ao realizar o 3º Concurso de Fotografia, a Ajustes objetiva promover o gosto pela fotografia. 2. O 3º Concurso de Fotografia da Ajustes tem por tema:

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EDITAL

SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EDITAL SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EDITAL O REITOR DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições, torna público que

Leia mais

PROJETO 02 Análise de uma situação de aprendizagem baseada nas TIC

PROJETO 02 Análise de uma situação de aprendizagem baseada nas TIC Universidade Estadual de Campinas CS405 Tecnologia e Educação Prof: Jose Armando Valente Carolina Nivoloni RA070420 e Natalia Damaceno Spostes RA 063332 PROJETO 02 Análise de uma situação de aprendizagem

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº..., DE 2008. (DO SR. DEPUTADO MANATO)

PROJETO DE LEI Nº..., DE 2008. (DO SR. DEPUTADO MANATO) PROJETO DE LEI Nº..., DE 2008. (DO SR. DEPUTADO MANATO) Estabelece a obrigatoriedade do plantio de árvores para os casais que quiserem casar ou divorciar, para os compradores de veículos zero-quilômetro

Leia mais

Universidade de Pernambuco UPE Escola Politécnica de Pernambuco POLI Programa de Pós-Graduação. Mestrado Profissional em Tecnologia da Energia - PPTE

Universidade de Pernambuco UPE Escola Politécnica de Pernambuco POLI Programa de Pós-Graduação. Mestrado Profissional em Tecnologia da Energia - PPTE Universidade de Pernambuco UPE Escola Politécnica de Pernambuco POLI Programa de Pós-Graduação Mestrado Profissional em Tecnologia da Energia - PPTE E D I T A L O Colegiado do Programa de Pós-Graduação

Leia mais

ACADEMIA DE INSTRUÇÃO E RECREIO FAMILIAR ALMADENSE

ACADEMIA DE INSTRUÇÃO E RECREIO FAMILIAR ALMADENSE ACADEMIA DE INSTRUÇÃO E RECREIO FAMILIAR ALMADENSE REGULAMENTO 2 Festival da Canção Infantil e Juvenil "Musicalmadense" REGULAMENTO Artigo 1 (Natureza e Fim) O Festival da Canção Infantil e Juvenil " MusicAlmadense"

Leia mais

ANEXO II PROJETO DE MELHORIA DO ENSINO MÉDIO NOTURNO REGULAMENTO CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS

ANEXO II PROJETO DE MELHORIA DO ENSINO MÉDIO NOTURNO REGULAMENTO CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA Esplanada dos Ministérios, Bloco L 70047-902 Brasília DF ANEXO II PROJETO DE MELHORIA DO ENSINO MÉDIO NOTURNO REGULAMENTO CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art.

Leia mais

Casa-Museu Abel Salazar. Serviços Educativos 2016

Casa-Museu Abel Salazar. Serviços Educativos 2016 Casa-Museu Abel Salazar Serviços Educativos 2016 O Programa Escola na Casa-Museu, inserido na programação de serviços educativos da Casa-Museu Abel Salazar, converge no sentido de promover maior interação

Leia mais

Análise de Requisitos

Análise de Requisitos Análise de Requisitos Análise de Requisitos O tratamento da informação é um requisito que fundamenta o processo de desenvolvimento de software antes da solução de tecnologia a ser aplicada. Cada projeto

Leia mais

EDITAL SELEÇÃO DE ESCOLAS DA REDE PÚBLICA PARA PARTICIPAÇÃO NO PROJETO CULTURA NA ESCOLA

EDITAL SELEÇÃO DE ESCOLAS DA REDE PÚBLICA PARA PARTICIPAÇÃO NO PROJETO CULTURA NA ESCOLA EDITAL SELEÇÃO DE ESCOLAS DA REDE PÚBLICA PARA PARTICIPAÇÃO NO PROJETO CULTURA NA ESCOLA A FUNDAÇÃO ANDRÉ E LUCIA MAGGI - FALM, por meio do projeto Cultura na Escola, deseja possibilitar aos alunos das

Leia mais

Aplicável a todos os alunos Cursos de Pós-Graduação Mestrado Acadêmico e Doutorado

Aplicável a todos os alunos Cursos de Pós-Graduação Mestrado Acadêmico e Doutorado 1 - SEMESTRALIDADES ESCOLARES 1.1 - Vigente no 2º Semestre de 2015: Pagamento em 6 (seis) parcelas mensais, com vencimento todo dia 10 (dez). Mensal Semestre Mensalidade Plena R$ 2.370,00 * R$ 14.220,00

Leia mais

Módulo 6: Desenho Industrial

Módulo 6: Desenho Industrial Nota: Este módulo requer cerca de 2 horas de estudo. Você encontrará espaços convenientes para fazer os intervalos de estudo após cada seção principal. Módulo 6: Desenho Industrial Objetivos Ao final deste

Leia mais

Procedimento é realizado no Hospital do Olho da Redentora, em Rio Preto Enxergar

Procedimento é realizado no Hospital do Olho da Redentora, em Rio Preto Enxergar Cirurgia inédita de miopia tecnologia de alta precisão A estimativa dos especialistas é de que, entre os brasileiros, existam cerca de 5,6 milhões de pessoas com mais de 6 graus de miopia Matéria publicada

Leia mais

Cine&Arte 2015. 2. Do Público Alvo - O Festival atenderá:

Cine&Arte 2015. 2. Do Público Alvo - O Festival atenderá: GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO DA REGIÃO DE ITAQUAQUECETUBA Rua Jundiaí, 84- CEP: 08577-420- Itaquaquecetuba SP. TELEFONES: 4732-9516 E-mail: deitq@educacao.sp.gov.br

Leia mais

FERRAMENTAS DA QUALIDADE FOLHA DE VERIFICAÇÃO

FERRAMENTAS DA QUALIDADE FOLHA DE VERIFICAÇÃO FERRAMENTAS DA QUALIDADE FOLHA DE VERIFICAÇÃO 1 A Folha de Verificação é utilizada para permitir que um grupo registre e compile sistematicamente dados de fontes com experiência na área (históricos), ou

Leia mais

Oficina dos Sentidos

Oficina dos Sentidos EMEF. Profª Zilda Tomé de Moraes Oficina dos Sentidos Diretora Claudete Justo da Silva Profª Coordenadora Gislaine Fernanda Ramos Profº Renan de Campos Leroy SUMÁRIO Introdução... 01 Objetivos... 02 Metodologia...

Leia mais

SISTEMA CAÇA-TALENTOS MANUAL DE OPERAÇÃO PERFIL SECRETARIA

SISTEMA CAÇA-TALENTOS MANUAL DE OPERAÇÃO PERFIL SECRETARIA SISTEMA CAÇA-TALENTOS MANUAL DE OPERAÇÃO PERFIL SECRETARIA O Sistema Caça-Talentos tem o objetivo de aprimorar o negócio e fornecer um controle informatizado dos processos de captação dos alunos. Ele possui

Leia mais

Módulo 1 - Mês 1- Aula 3

Módulo 1 - Mês 1- Aula 3 PLANEJAMENTO BÁSICO Módulo 1 - Mês 1- Aula 3 PLANEJAMENTO BÁSICO Como construir renda estável em cada etapa 1. Etapas de Faturamento Para construir um rendimento estável, existe uma ordem a seguir. Na

Leia mais

CRECHE MUNICIPAL MARIANA FERNANDES MACEDO

CRECHE MUNICIPAL MARIANA FERNANDES MACEDO Secretaria Municipal de Educação Diretoria de Politicas Educacionais Coordenadoria de Organização Curricular Gerencia de Educação Infantil CRECHE MUNICIPAL MARIANA FERNANDES MACEDO PROJETO ALIMENTAÇÃO

Leia mais

Assunto: Identificação: Versão: Folha / Nº: Leiaute-IMPORTAÇÃO-NFSe - XML DOC-IN 1.0 1 / 12

Assunto: Identificação: Versão: Folha / Nº: Leiaute-IMPORTAÇÃO-NFSe - XML DOC-IN 1.0 1 / 12 Leiaute-IMPORTAÇÃO-NFSe - XML DOC-IN 1.0 1 / 12 ARQUIVO DE LEIAUTE Formato O arquivo de leiaute para importação de dados da Nota Fiscal Eletrônica utiliza o formato XML (Extensible Markup Language) que

Leia mais

Avaliação Escrita 1ª Etapa

Avaliação Escrita 1ª Etapa Caderno de Questões PROCESSO SELETIVO PARA O PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO EM LINGUAGENS ARTÍSTICAS, CULTURA E EDUCAÇÃO Edital Nº 50/2014 Avaliação Escrita 1ª Etapa Atenção! Não abra

Leia mais

Plano de Sustentabilidade. (Instrumento / Roteiro para Construção do Plano) NOME DA REDE: 1ª PARTE DO PLANO

Plano de Sustentabilidade. (Instrumento / Roteiro para Construção do Plano) NOME DA REDE: 1ª PARTE DO PLANO Plano de Sustentabilidade (Instrumento / Roteiro para Construção do Plano) NOME DA REDE: Inserir a logomarca da Rede Fomentada 1ª PARTE DO PLANO (Trabalho interno da Base de Economia Solidária e Feminista)

Leia mais

EDITAL - CONCURSO DE PINTURA

EDITAL - CONCURSO DE PINTURA EDITAL - CONCURSO DE PINTURA Dispõe sobre concurso de pintura em Tela Objetivo: Promover a cultura local, valorizar a arte visual e incentivar a criatividade e novos talentos de São Borja e região, divulgando

Leia mais

Programa: Enquadramento; Dinâmicas e processos associados à violência conjugal; A lei e o combate à violência doméstica questões legais.

Programa: Enquadramento; Dinâmicas e processos associados à violência conjugal; A lei e o combate à violência doméstica questões legais. Programa: Enquadramento; Dinâmicas e processos associados à violência conjugal; A lei e o combate à violência doméstica questões legais. Vídeo: Os tabus sociais na perceção de géneros e papéis sexuais

Leia mais

APRENDENDO COM AS TRADIÇÕES RELIGIOSAS

APRENDENDO COM AS TRADIÇÕES RELIGIOSAS SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA DATA: / / 0 UNIDADE: III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE EDUCAÇÃO RELIGIOSA 6.º ANO/EF PROFESSOR(A): VALOR: 0,0 MÉDIA: 6,0 RESULTADO:

Leia mais

(31) 3225.7678. Ligue e faça ainda hoje sua inscrição: Palestrantes: 20 e 21 de outubro de 2012 Centro de Convenções Sul América Rio de Janeiro / RJ

(31) 3225.7678. Ligue e faça ainda hoje sua inscrição: Palestrantes: 20 e 21 de outubro de 2012 Centro de Convenções Sul América Rio de Janeiro / RJ Alexandre Ventura Portugal Bernard Charlot França Abram Topczewski SP Alexandre Gobbo MG Célia Godoy SP Celso Vasconcellos SP Eugênio Cunha RJ Geraldo de Almeida PR Gustavo Moretto MG Palestrantes: Gustavo

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL. Artigo 1.º (Objecto)

REGULAMENTO ELEITORAL. Artigo 1.º (Objecto) REGULAMENTO ELEITORAL Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1.º (Objecto) 1. O regulamento eleitoral, adiante designado por regulamento, estabelece, ao abrigo do disposto no artigo 25.º dos estatutos, o

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO SECRETARIA GERAL DOS CONSELHOS DA ADMINISTRAÇÃO SUPERIOR CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO SECRETARIA GERAL DOS CONSELHOS DA ADMINISTRAÇÃO SUPERIOR CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 15/98 EMENTA: Revoga a Resolução Nº 71/89 deste Conselho e estabelece normas sobre afastamento para Pós-Graduação no Brasil e no Exterior dos servidores da UFRPE. O Presidente do Conselho

Leia mais

NORMAS REEDITADAS PARA A ELEIÇÃO DE DIRETOR E VICE-DIRETOR DA FACULDADE DE FILOSOFIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS

NORMAS REEDITADAS PARA A ELEIÇÃO DE DIRETOR E VICE-DIRETOR DA FACULDADE DE FILOSOFIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS NORMAS REEDITADAS PARA A ELEIÇÃO DE DIRETOR E VICE-DIRETOR DA DA O Conselho Diretor, através da Comissão Eleitoral designada em reunião realizada em 07 de novembro de 2012, e nomeada conforme Portaria

Leia mais

Inclusão de pessoas com deficiência no mercado trabalho: implicações da baixa escolarização

Inclusão de pessoas com deficiência no mercado trabalho: implicações da baixa escolarização Inclusão de pessoas com deficiência no mercado trabalho: implicações da baixa escolarização Suelen Moraes de Lorenzo 1 e-mail: suelen.lorenzo@gmail.com Amabriane da Silva Oliveira e-mail: amabriane@r7.com

Leia mais

LEITURA E ESCRITA FOTO NOME DESCRIÇÃO

LEITURA E ESCRITA FOTO NOME DESCRIÇÃO MATERIAL DE INTERVENÇÃO LEITURA E ESCRITA FOTO NOME DESCRIÇÃO 28,29 + IVA (23%) Loto Palavras e Animais Loto de 72 animais para trabalhar a associação de duas formas: imagem com imagem ou imagem com palavra.

Leia mais

REGRAS DAS PROVAS RELÂMPAGO

REGRAS DAS PROVAS RELÂMPAGO REGRAS DAS PROVAS RELÂMPAGO BALÃO Cada equipe apresentará um componente para esta prova. Os participantes deverão soprar o balão até estourar. Será estabelecida a ordem de classificação pelo tempo de estouro

Leia mais

Agosto 2012. Gestão Social Estratégia para Gerar Resultados

Agosto 2012. Gestão Social Estratégia para Gerar Resultados Agosto 2012 Gestão Social Estratégia para Gerar Resultados Objetivo Compartilhar com o grupo uma postura de planejamento positiva para que a regionais da FEMAMA consigam atingir o seu objetivo, e desta

Leia mais

Professor Responde. Dúvidas mais comuns relacionadas a Segurança e Medicina do Trabalho NR01 ORDEM DE SERVIÇO

Professor Responde. Dúvidas mais comuns relacionadas a Segurança e Medicina do Trabalho NR01 ORDEM DE SERVIÇO Professor Responde Dúvidas mais comuns relacionadas a Segurança e Medicina do Trabalho NR01 ORDEM DE SERVIÇO Saiba exatamente tudo sobre o assunto SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO Quem é PROFESSOR Hoje

Leia mais

PROGRAMA DE CONSCIENTIZACAO DA SOCIEDADE CIVIL

PROGRAMA DE CONSCIENTIZACAO DA SOCIEDADE CIVIL PROGRAMA DE CONSCIENTIZACAO DA SOCIEDADE CIVIL Programa de Conscientização da Sociedade Civil sobre uso e preservação das águas do Rio Paraíba do Sul em Campos dos Goytacazes - RJ. 1-) Introdução A Política

Leia mais

PARALISIA CEREBRAL: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA ACERCA DA INCLUSÃO ESCOLAR

PARALISIA CEREBRAL: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA ACERCA DA INCLUSÃO ESCOLAR EDUCAÇÃO FÍSICA E PARALISIA CEREBRAL: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA ACERCA DA INCLUSÃO ESCOLAR Gabrielle Cristina Sanchez Adriana Garcia Gonçalves São Carlos - UFSCar Eixo Temático: 9 Pesquisa e Inovação Metodológica

Leia mais

EDITAL 2016.1-Aditamento

EDITAL 2016.1-Aditamento EDITAL 2016.1-Aditamento O Colegiado do Curso de Especialização em Organização e Gestão em Justiça Criminal e Segurança - Instituto de Ciências da Sociedade e Desenvolvimento Regional - Campos dos Goytacazes

Leia mais

CURSO DE DESENHO AULA 1 D001

CURSO DE DESENHO AULA 1 D001 CURSO DE DESENHO AULA 1 D001 Neste tutorial você encontrará apenas as informações teóricas da aula. A INICIAÇÃO Tópicos: 1. Apontando o lápis 2. O que é desenhar? 3. Um exercício de aquecimento 4. Aprendendo

Leia mais

CONCURSO CULTURAL 12º ANIVERSÁRIO CONFRARIA DAS IDÉIAS

CONCURSO CULTURAL 12º ANIVERSÁRIO CONFRARIA DAS IDÉIAS CONCURSO CULTURAL 12º ANIVERSÁRIO CONFRARIA DAS IDÉIAS ONG CONFRARIA DAS IDÉIAS CNPJ/SP 11.036.140/0001-36 REGULAMENTO Este concurso possui caráter exclusivamente cultural, não havendo qualquer modalidade

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL CATÓLICA DE BRASÍLIA Coordenação de Educação Física e Esportes - CEDFE 30ª Olimpíada da Católica

CENTRO EDUCACIONAL CATÓLICA DE BRASÍLIA Coordenação de Educação Física e Esportes - CEDFE 30ª Olimpíada da Católica BOLETIM 13 Brasília, 25 de junho de 2015. A Comissão Organizadora da, no uso das suas atribuições: 1. DIVULGA o caderno de provas antecipadas da gincana, com tarefas a serem cumpridas pelas equipes com

Leia mais

EDITAL DE CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA MINISTRAR CURSO DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL Nº 01/2016 PROCESSO Nº 000082/2016-68

EDITAL DE CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA MINISTRAR CURSO DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL Nº 01/2016 PROCESSO Nº 000082/2016-68 EDITAL DE CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA MINISTRAR CURSO DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL Nº 01/2016 PROCESSO Nº 000082/2016-68 A FUNDAÇÃO DE APOIO À EDUCAÇÃO, PESQUISA E DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO

Leia mais

Cotas raciais nas universidades, a contradição do Brasil!

Cotas raciais nas universidades, a contradição do Brasil! Cotas raciais nas universidades, a contradição do Brasil! Nathália Norgi Weller 1 RESUMO: A partir do ano de 2001, entra em vigor a lei 3.708, que assegura a negros e pardos 20% das vagas nas universidades

Leia mais

REGULAMENTO HACKATHON KIMBERLY-CLARK EDIÇÃO HUGGIES

REGULAMENTO HACKATHON KIMBERLY-CLARK EDIÇÃO HUGGIES REGULAMENTO HACKATHON KIMBERLY-CLARK EDIÇÃO HUGGIES Este regulamento contém as regras aplicáveis ao Hackathon Kimberly-Clark Edição Huggies ( Evento ), promovida pela KIMBERLY-CLARK BRASIL INDÚSTRIA E

Leia mais

REUNIÃO COMO CONDUZI-LA?

REUNIÃO COMO CONDUZI-LA? REUNIÃO COMO CONDUZI-LA? REUNIÃO As reuniões são um meio para partilhar, num grupo de pessoas, um mesmo nível de conhecimento sobre um assunto ou um problema e para tomar decisões coletivamente. Além disso,

Leia mais

FUNDAÇÃO DE APOIO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO DO TOCANTINS. EDITAL Bolsas FAPTO/TE-PNCA - Nº 001/2011

FUNDAÇÃO DE APOIO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO DO TOCANTINS. EDITAL Bolsas FAPTO/TE-PNCA - Nº 001/2011 EDITAL Bolsas FAPTO/TE-PNCA - Nº 001/2011 EDITAL PARA INSCRIÇÃO E SELEÇÃO DE BOLSISTAS PARA O PROJETO PESQUISA: TRANSPORTE ESCOLAR - PESQUISA NACIONAL CUSTO ALUNO PERÍODO: 2011/2012 A Fundação de Apoio

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CAMPUS VII GOVERNADOR ANTÔNIO MARIZ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E SOCIAIS APLICADAS CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CAMPUS VII GOVERNADOR ANTÔNIO MARIZ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E SOCIAIS APLICADAS CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CAMPUS VII GOVERNADOR ANTÔNIO MARIZ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E SOCIAIS APLICADAS CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR POR PRAZO

Leia mais

palco ortatil tatil palco palco

palco ortatil tatil palco palco palco ortatil tatil palco til palco portatil 2 Apresentação A Companhia Teatro Portátil desenvolve uma pesquisa continuada sobre a linguagem da animação. Um trabalho que aproxima o teatro de animação de

Leia mais

PROGRAMA DE VOLUNTÁRIOS DO FMDH MANUAL DO CANDIDATO

PROGRAMA DE VOLUNTÁRIOS DO FMDH MANUAL DO CANDIDATO PROGRAMA DE VOLUNTÁRIOS DO FMDH MANUAL DO CANDIDATO O Programa de Voluntários do FÓRUM MUNDIAL DE DIREITOS HUMANOS FMDH lhe da às boas vindas! Apresentamos, a seguir, orientações aos interessados em atuar

Leia mais

OFICINA: O USO DE NOVAS TECNOLOGIAS NO ÂMBITO DA ARTE EDUCAÇÃO. PROFESSORA MARA ROSSATTO CAXIAS DO SUL R/S

OFICINA: O USO DE NOVAS TECNOLOGIAS NO ÂMBITO DA ARTE EDUCAÇÃO. PROFESSORA MARA ROSSATTO CAXIAS DO SUL R/S OFICINA: O USO DE NOVAS TECNOLOGIAS NO ÂMBITO DA ARTE EDUCAÇÃO. PROFESSORA MARA ROSSATTO CAXIAS DO SUL R/S TEMA: Arte Instalação TURMAS: 8ª séries PERÍODO: 12 aulas ESCOLA: E.M.E.F. SÃO VITOR CAXIAS DO

Leia mais

Os recursos tecnológicos na Educação de Jovens e Adultos: um diferencial no processo ensino aprendizagem.

Os recursos tecnológicos na Educação de Jovens e Adultos: um diferencial no processo ensino aprendizagem. Os recursos tecnológicos na Educação de Jovens e Adultos: um diferencial no processo ensino aprendizagem. Fátima Aparecida Machado dos Santos Centro Educacional de Jovens e Adultos /Secretaria Municipal

Leia mais

MATERNAL I MANHÃ - Antes de executar suas tarefas, revise a parte teórica. Dia Internacional da mulher atividade prática

MATERNAL I MANHÃ - Antes de executar suas tarefas, revise a parte teórica. Dia Internacional da mulher atividade prática MATERNAL I TARDE MATERNAL I MANHÃ MATERNAL I MANHÃ - Antes de executar suas tarefas, revise a parte teórica Projeto dia Internacional da mulher atividade fotocopiada Atividade no álbum - com a ajuda de

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE RELACIONAMENTO REDE SCB REDE DOS SERVIÇOS DE CRÉDITO DO BRASIL LTDA. PROGRAMA "De Olho no Ponto"

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE RELACIONAMENTO REDE SCB REDE DOS SERVIÇOS DE CRÉDITO DO BRASIL LTDA. PROGRAMA De Olho no Ponto REGULAMENTO DO PROGRAMA DE RELACIONAMENTO REDE SCB REDE DOS SERVIÇOS DE CRÉDITO DO BRASIL LTDA. PROGRAMA "De Olho no Ponto" 1º. Registro nº. 1.372.079, de 21 de setembro de 2012 5º Oficial de Registro

Leia mais

Comportamento ético do Contador - Conciliando Interesses, Administrando pessoas, informações e recursos.

Comportamento ético do Contador - Conciliando Interesses, Administrando pessoas, informações e recursos. Comportamento ético do Contador - Conciliando Interesses, Administrando pessoas, informações e recursos. Thiago Silva Lima Resumo A contabilidade é um ramo muito importante em se falando de ética já que

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO CAMPUS CABO DE SANTO AGOSTINHO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO CAMPUS CABO DE SANTO AGOSTINHO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO CAMPUS CABO DE SANTO AGOSTINHO EDITAL Nº 012/2016 CONCURSO DE FOTOGRAFIA II SEMANA DE MEIO

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE POLITICAS SOBRE DROGAS - COMAD REGULAMENTO

CONSELHO MUNICIPAL DE POLITICAS SOBRE DROGAS - COMAD REGULAMENTO EDITAL Nº 01 / 2014 - DISPÕE SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DO CONCURSO PARA ESCOLHA DA LOGOMARCA DO. REGULAMENTO O Conselho Municipal de Políticas sobre Drogas do município de Santos convida os universitários

Leia mais